Você está na página 1de 6

Biomas Brasileiros

Mata Atlântica
A mata atlântica originalmente percorria o litoral brasileiro de ponta a ponta. Estendia-
se do Rio Grande do Norte ao Rio Grande do Sul, e ocupava uma área de 1,3 milhão de
quilômetros quadrados. Tratava-se da segunda maior floresta tropical úmida do Brasil,
só comparável à Floresta Amazônica.

Compreende a região costeira do Brasil. Seu clima é equatorial ao norte e quente


temperado sempre úmido ao sul, tem temperaturas médias elevadas durante o ano todo e
não apenas no verão. A alta pluviosidade
nessa região deve-se à barreira que a serra
constitui para os ventos que sopram do mar.
Seu solo é pobre e a topografia é bastante
acidentada. No interior da mata, devido a
densidade da vegetação, a luz é reduzida.
Na Mata Atlântica convivem lado a lado
desde árvores grandiosas como o jequetibá,
figueiras e guapuruvas e até líquens, musgos
e minúsculas hepáticas. Existem muitas
espécies de árvores com troncos duros e
pesados, uma grande quantidade de cipós se
apóiam nas árvores. Encontram-se no chão
da mata uma grande quantidade de fungos, plantas saprófitas, sementes e plântulas.

Características:
- presença de árvores de médio e grande porte, formando uma floresta fechada e densa;
- rica biodiversidade, com presença de diversas espécies animais e vegetais;
- as árvores de grande porte formam um microclima na mata, gerando sombra e
umidade
- na região da Serra do Mar, forma-se na Mata Atlântica uma constante neblina.
- fauna rica com presença de diversas espécies de mamíferos, anfíbios, aves, insetos,
peixes e répteis.

Floresta Amazônica
O bioma Amazônia abrange 5% da superfície terrestre do planeta e 40% da América do
Sul, sendo 61% em território brasileiro A região do Amazonas possui a maior rede
hidrográfica do mundo, fornecendo 20% do volume mundial da água doce. É
considerada a maior reserva de biodiversidade da Terra.
A flora amazônica ainda é praticamente desconhecida, com um fantástico potencial de
plantas utilizáveis para o paisagismo, e é constituída principalmente de plantas
herbáceas de rara beleza, pertencentes às famílias das Arácea, Heliconiaceæ,
Marantácea, Rubiácea, entre outras.

O ecossistema da Amazônia chamado Igapó são áreas permanentemente inundadas por


águas claras de rios que descem do Planalto Central em direção norte como o Tapajós, o
Tocantins, o Xingu, o Araguaia, e pelas águas de rios negros que descem do Altiplano
de Guianas na direção sul, como o rio Negro. Tanto os rios de águas claras como os rios
de águas negras são pobres em minerais e nutrientes. Conseqüentemente, a flora e fauna
desta parte da Amazônia, diferente da várzea, também é uma das mais pobres. Algumas
árvores possuem grande resistência às inundacões prolongadas e sobrevivem vários
anos imersas permanente.

O chamado Igarapé se caracteriza por pequenos rios que cruzam as florestas deVárzea.
Ali se desenvolvem árvores enormes, como a maparajuba, que chega a atingir 40 m de
altura.

O chamado Cerrado possui uma floresta baixa com árvores pequenas e retorcidas. Esta
floresta se encontra no nordeste e no Planalto Central da Amazônia, com uma área de
aproximadamente 200 milhões de hectares.A Caatinga se apresenta como uma
formação de estrato arbustivo e espinhoso com folhas duras, situada sobre as areias
brancas do rio Negro.

Um dos principais problemas é o desmatamento ilegal e predatório. Madereiras


instalam-se na região para cortar e vender troncos de árvores nobres. Há também
fazendeiros que provocam queimadas na floresta para ampliação de áreas de cultivo
(principalmente de soja). Estes dois problemas preocupam cientistas e ambientalistas do
mundo, pois em pouco tempo, podem provocar um desequilíbrio no ecossistema da
região, colocando em risco a floresta.

Parques Brasileiros
Parque Nacional da Amazônia
Parque Nacional Jaú
O homem e a floresta

Hoje, cerca de 200 milhões de pessoas vivem em florestas. A floresta da América do Sul
é habitada por tribos de índios, enquanto pigmeus e bosquímanos vivem em algumas
partes das florestas africanas. Muitos povos diferentes vivem na floresta do Sudeste
Asiático, entre os quais estão os pigmeus, em algumas partes das Filipinas, os biameses
e gibusis de Nova Guiné, e os sianh daya de Bornéu.
O modo de vida bastante específico dos povos das florestas permaneceu inalterado por
milhares de anos. Sofreu a primeira ameaça quando os europeus chegaram à América do
Sul, no início do século XVI, perturbando os povos que viviam em áreas longínquas das
florestas. Naquela época, o número de indígenas sul-americanos era de
aproximadamente 4 milhões. Hoje estão reduzidos a menos de 100 mil. As populações
africanas e asiáticas também diminuíram
com o passar dos séculos.
A rápida expansão da tecnologia moderna
constitui um perigo constante para os povos
nativos das florestas. Quando novas estradas
são abertas no seio das florestas, áreas até
então inacessíveis tornam-se imediatamente
de fácil acesso. Com isso, cortar árvores
para plantio ou novos assentamentos torna-
se uma tarefa simples.
Pode ser deplorável – mas compreensível –
que as florestas tenham de ser destruídas
para ceder lugar ao crescimento e à
expansão, tão necessários aos países em
desenvolvimento. Mas, infelizmente,
florestas destruídas não significam terras
adequadas para atividades agrícolas ou
pecuárias. O solo das florestas é velho
demais e já sustentou o ciclo de crescimento
de inúmeras gerações de plantas. Sendo pobre em nutrientes, as culturas agrícolas
tradicionais nele plantadas não se desenvolvem tão bem como as plantas nativas,
especialmente adaptadas a esses solos.

A remoção da camada que cobre o solo da floresta pode gerar outros sérios efeitos
colaterais. As florestas são diretamente responsáveis pelas chuvas, pois as gigantescas
árvores absorvem grande parte da água, devolvendo-a lentamente ao meio ambiente sob
a forma de umidade. A devastação da floresta, reduzindo a quantidade de chuva na
região, pode levar a um processo de desertificação. Desprovido de sua cobertura
vegetal, o solo fica mais vulnerável à erosão. A terra carregada pela erosão pode, por sua
vez, depositar-se nos leitos dos rios, deixando-os mais rasos e provocando inundações.
Na Índia, anualmente ocorrem cheias de graves proporções no delta dos rios, devido ao
desmatamento realizado nas montanhas do Himalaia. Há 40 anos, quase metade da
Etiópia era coberta de florestas, fonte de água preciosa para a irrigação das lavouras.
Hoje restam apenas 5% das florestas etíopes. Como conseqüência, a enorme população
do país tem sido vitimada pela fome, seca e enchentes.

Biomas Africanos

Savana

Savana é um tipo de vegetação onde se predomina as gramíneas, árvores pequenas e


arbustos. O bioma, típico de regiões de clima tropical e seco, faz transição com diversos
outros biomas no Brasil, com exceção dos pampas. As savanas são encontradas na
África, América do Sul e Austrália; em cada uma dessas regiões são encontrados.
As espécies de plantas das savanas possuem
adaptações que lhes conferem uma grande
capacidade de absorção e armazenamento de
água. Suas árvores possuem troncos muito
duros, revestidos por uma casca espessa. As
raízes das plantas do bioma geralmente são
muito profundas e ramificadas.
A savana Africana se localiza na região
fronteiriça entre a floresta mais densa, a
estepe e o deserto nos trópicos, ocupando
uma faixa bastante grande do continente
africano desde leste a oeste, do Sudão aos
Grandes Lagos. A fauna da savana africana é composta por mamíferos herbívoros de
grande porte (como o búfalo, a girafa, o rinoceronte e o elefante), mamíferos herbívoros
(como a zebra, o impala, o gnu e o antílope), mamíferos felinos predadores (como o
leão, o leopardo e o guepardo), mamíferos canídeos (como o mabeco e chacal, aves
(como o falcão, a águia, o abutre e o avestruz).

Existem três tipos de Savana :

Herbácea: com predominância de gramíneas.


Desértica: extremamente aberta e seca, muito agreste.
Lenhosa: com árvores baixas, mas em grande número, bastante espinhosas e de folhas
reduzidas em tamanho, há a predominância do cacto, da acácia, da palmeira e árvores de
grande porte como o baobá. A maruleira pode ser encontrada em algumas regiões.

Floresta Tropical

As florestas tropicais são um dos mais belos e antigos habitats naturais. Além de
possuírem uma grande variedade de plantas e animais, elas desempenham também um
papel importante na regularidade dos ciclos da chuva. Entretanto, essas florestas
imponentes, bem como seu rico acervo de
vida selvagem, vêm sendo destruídas a uma
velocidade alarmante. Esta seção visa ajudar
o visitante a compreender o valor das
florestas tropicais e o motivo da rápida
devastação que as aflige. Traz também
informações sobre os esforços que estão
sendo desenvolvidos no sentido de
interromper a destruição dessas florestas e
assegurar sua sobrevivência no futuro.
A floresta tropical ocorre em três regiões na
Terra: na americana, na africana e na indo-
malaia. Das três, a menor área de floresta
tropical é a africana, que compreende a
Libéria, o golfo da Guiné, e principalmente
a região da bacia do rio Congo. Somando-se todas estas áreas temos aproximadamente
17 milhões de km² de florestas tropicais, isto significa que 20% das terras do planeta
ainda estão com razoável cobertura vegetal, apesar das tentativas dos seres humanos em
destruí-las. A floresta tropical da República Democrática do Congo (RDC), país com a
maior biodiversidade da África, está ameaçada. Todo ano, perde 1,5 milhão de hectares.

Parques Africanos
Para preservar a fauna, controlar a caça e, sobretudo, com o advento do eco-turismo que
proporciona com o dinheiro estrangeiro uma grande contribuição para a economia dos
países, foram criadas áreas de proteção aos animais em quase todo continente africano.
Alguns dos mais importantes Parques ou Reservas são: Addo Elefante, Agulhas,
Augrabies, Bontebok, Cape Peninsula, Golden Gate, Karoo, Kgalagadi, Knysna,
Kruger, Marakele, Mountain Zebra, Namaqua, Pilanesberg, Richtersveld, Tankwa
Karoo, Tsitsikamma, Vaalbos, Vhembe Dongola, Wilderness e West Co A principal área
de proteção ambiental de Angola é o Parque Nacional de Kissama

Bibliografia :
http://educar.sc.usp.br/licenciatura/trabalhos/mataatl.htm
http://www.brasilescola.com/geografia/savana.htm
http://nelsonfrancojobim.blogspot.com/2008/08/maior-floresta-tropical-africana-
perde.html