Você está na página 1de 11

Para outros significados de Sistema binário, ver Sistema binário.

O sistema binário é um sistema de numeração posicional em que todas as quantidades se


representam utilizando como base o número dois, com o que se dispõe das cifras: zero e um (0 e 1).
Os computadores digitais trabalham internamente com dois níveis de tensão, pelo que o seu sistema de
numeração natural é o sistema binário (aceso, apagado). Com efeito, num sistema simples como este é
possível simplificar o cálculo, com o auxílio da lógica booleana. Em computação, chama-se um dígito
binário (0 ou 1) de bit, que vem do inglês Binary Digit. Um agrupamento de 8 bits corresponde a um byte
(Binary Term). Um agrupamento de 4 bits é chamado de nibble.
O sistema binário é base para a Álgebra booleana (de George Boole - matemático inglês), que
permite fazer operações lógicas e aritméticas usando-se apenas dois dígitos ou dois estados (sim e não,
falso e verdadeiro, tudo ou nada, 1 ou 0, ligado e desligado). Toda eletrônica digital e computação está
baseada nesse sistema binário e na lógica de Boole, que permite representar por circuitos eletrônicos
digitais (portas lógicas) os números, caracteres, realizar operações lógicas e aritméticas. Os programas de
computadores são codificados sob forma binária e armazenados nas mídias (memórias, discos, etc) sob
esse formato. História
Página do artigo "Explication de l'Arithmétique Binaire", 1703/1705, de Leibniz.
O matemático indiano Pingala apresentou a primeira descrição conhecida de um sistema numérico binário
no século III aC.
Um conjunto de 8 trigramas e 64 hexagramas, análogos a números binários com precisão de 3 e 6
bits, foram utilizados pelos antigos chineses no texto clássico I Ching. Conjuntos similares de combinações
binárias foram utilizados em sistemas africanos de adivinhação tais como o Ifá, bem como na Geomancia
do medievo ocidental.
Uma sistematização binária dos hexagramas do I Ching, representando a sequência decimal de 0 a
63, e um método para gerar tais sequências, foi desenvolvida pelo filósofo e estudioso Shao Yong no
século XI. Entretanto, não há evidências que Shao Wong chegou à aritmética binária.
O sistema numérico binário moderno foi documentado de forma abrangente por Gottfried Leibniz
no século XVIII em seu artigo "Explication de l'Arithmétique Binaire". O sistema de Leibniz utilizou 0 e 1,
tal como o sistema numérico binário corrente nos dias de hoje.
Em 1854, o matemático britânico George Boole publicou um artigo fundamental detalhando um
sistema lógico que se tornaria conhecido como Álgebra Booleana. Seu sistema lógico tornou-se essencial
para o desenvolvimento do sistema binário, particularmente sua aplicação a circuitos eletrônicos.
Em 1937, Claude Shannon produziu sua tese no MIT que implementava Álgebra Booleana e
aritmética binária utilizando circuitos elétricos pela primeira vez na história. Intitulado "A Symbolic
Analysis of Relay and Switching Circuits", a tese de Shannon praticamente fundou o projeto de circuitos
digitais.

Operações com binários


Binários a decimais
Dado um número N, binário, para expressá-lo em decimal, deve-se escrever cada número que o
compõe (bit), multiplicado pela base do sistema (base = 2), elevado à posição que ocupa. Uma posição à
esquerda da vírgula representa uma potência positiva e à direita uma potência negativa. A soma de cada
multiplicação de cada dígito binário pelo valor das potências resulta no número real representado.
Exemplo:
1011(binário)
1 × 2³ + 0 × 2² + 1 × 21 + 1 × 20 = 11
Portanto, 1011 é 11 em decimal

Decimais em binários
Decimais inteiros em binários

1
Dado um número decimal inteiro, para convertê-lo em binário, basta dividi-lo sucessivamente por
2, anotando o resto da divisão inteira:
12(dec) -> bin

12 / 2 = 6 + 0
06 / 2 = 3 + 0
03 / 2 = 1 + 1
01 / 2 = 0 + 1

12(dec) = 1100(bin)
Observe que os números devem ser lidos de baixo para cima: 1100 é 12 em binário.
Existe um método muito simples para converter binário em decimal, e vice-versa.
| 128 | 64 | 32 | 16 | 8 | 4 | 2 | 1 |
0 0 0 0 1 0 1 0 = 10 (2+8=10)
0 0 0 1 1 0 0 0 = 24 (8+16=24)
1 1 0 0 0 0 0 0 = 192 (64+128=192)
1 0 1 1 1 0 1 0 = 186 (2+8+16+32+128=186)
Decimais fracionários em binários
Exemplo I
0.562510
Parte inteira = 0 10 = 02
Parte fracionária = 0.562510
Multiplica-se a parte fracionária por 2 sucessivamente, até que ela seja igual a zero ou cheguemos na
precisão desejada.
fração x 2 = vai-um + fração seguinte
0.5625 x 2 = 1 + 0.1250
0.1250 x 2 = 0 + 0.2500
0.2500 x 2 = 0 + 0.5000
0.5000 x 2 = 1 + 0.0000 <-- nesta linha a fração zerou, finalizamos a conversão
Anotando a seqüência de vai-um (carry) na ordem de cima para baixo, temos: 1001
Portanto, 0.562510 = 0.10012
No entanto, é mais comum nunca zerarmos a fração seguinte da multiplicação.
Neste caso, devemos parar as multiplicações quando atingirmos uma certa precisão desejada.
Exemplo II
67.57510
Parte inteira = 6710 = 10000112
Parte fracionária = 0.5752
fração x 2 = vai-um + fração seguinte
0.5750 x 2 = 1 + 0.1500
0.1500 x 2 = 0 + 0.3000
0.3000 x 2 = 0 + 0.6000 <--- esta fração e suas subseqüentes serão repetidas
em breve.
0.6000 x 2 = 1 + 0.2000
0.2000 x 2 = 0 + 0.4000
0.4000 x 2 = 0 + 0.8000
0.8000 x 2 = 1 + 0.6000 <--- a partir daqui repetimos a fração 0.6000 e suas
subseqüentes
0.6000 x 2 = 1 + 0.2000
Ou seja, entramos em um ciclo sem fim. Escolhemos uma precisão e finalizamos o processo
quando esta precisão for atingida, então na ordem de cima para baixo, temos: 100100112

Conversão de binário para decimal


Vamos trabalhar multiplicando cada elemento do número binário pelo resultado de uma
potenciação com base 2. Por exemplo, vamos utilizar o número binário 1100. Ele é formado por quatro

2
algarismos. As potências com base dois serão iniciadas da direita para a esquerda, elevando-se o número 2
à potência 0 (zero), depois a 1 (um), depois a 2 (dois) e por fim a 3 (três). Se fossem cinco algarismos,
usaríamos desde zero até quatro, e assim por diante.
1 * 2 elevado a 3 => 1 * 8 = 8
1 * 2 elevado a 2 => 1 * 4 = 4
0 * 2 elevado a 1 => 0 * 2 = 0
0 * 2 elevado a 0 => 0 * 1 = 0
Realizada esta operação, soma-se os valores encontrados: 8 + 4 + 0 + 0 e temos o resultado: 12, logo, o
número 1100 em binário corresponde ao número 12 em decimal.

Soma de Binários
Para somar dois números binários, o procedimento é o seguinte:
Exemplo 1:
*
1100
+ 111
-----
= 10011
Explicando: Os números binários são base 2, ou seja, há apenas dois algarismos: 0 (zero) ou 1
(um). Na soma de 0 com 1 o total é 1. Quando se soma 1 com 1, o resultado é 2, mas como 2 em binário é
10, o resultado é 0 (zero) e passa-se o outro 1 para a "frente", ou seja, para ser somado com o próximo
elemento, conforme assinalado pelo asterisco.
Exemplo 2:
**
1100
+ 1111
-----
= 11011
Explicando: Nesse caso acima (exemplo 2), na quarta coluna da direita para a esquerda, nos
deparamos com uma soma de 1 com 1 mais a soma do 1 ( * ) que veio da soma anterior. Quando temos
esse caso (1 + 1 + 1), o resultado é 1 e passa-se o outro 1 para frente.

Subtração de Binários
Para subtrair dois números binários, o procedimento é o seguinte:
* ***
1101110
- 10111
-------
= 1010111
Explicando: Quando temos 0 menos 1, precisamos "emprestar" do elemento vizinho. Esse
empréstimo vem valendo 2 (dois), pelo fato de ser um número binário. Então, no caso da coluna 0 - 1 = 1,
porque na verdade a operação feita foi 2 - 1 = 1. Esse processo se repete e o elemento que cedeu o
"empréstimo" e valia 1 passa a valer 0. Os asteriscos marcam os elementos que "emprestaram" para seus
vizinhos. Perceba, que, logicamente, quando o valor for zero, ele não pode "emprestar" para ninguém,
então o "pedido" passa para o próximo elemento e esse zero recebe o valor de 1.

Multiplicação de Binários
A multiplicação entre binários é similar a realizada normalmente. A única diferença está no
momento de somar os termos resultantes da operação:

3
1 0 1 1
x 1 0 1 0
---------
0 0 0 0
+ 1 0 1 1
+ 0 0 0 0
+ 1 0 1 1
---------------
= 1 1 0 1 1 1 0
*
Perceba que na soma de 0 e 1 o resultado será 1, mas na soma de 1 com 1, ao invés do resultado ser
2, ele será 0 (zero) e passa-se o 1 para a próxima coluna, conforme assinalado pelo asterisco.

Divisão de Binários
Essa operação também é similar a realizada entre números decimais:
110 |__10__
- 10 11
--
010
- 10
--
00
Deve-se observar somente a regra para subtração entre binários. Nesse exemplo a divisão de 110
por 10 teve como resultado 11.

Prefixo binário
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Prefixos binários)
Ir para: navegação, pesquisa
Prefixos binários são frequentemente usados para expressar grandes quantidades de bytes, bits, ou
bits por segundo (bit/s, bps), e são derivados, mas um pouco diferentes, dos prefixos (SI) quilo-, mega-,
giga- e outros.
Pode-se abreviá-los para os prefixos K, M e G; quilobyte, megabyte, gigabyte, respectivamente. Mbit/s,
kbit/s (kbps) etc são usados para abreviar “Megabits por segundo”, “quilobits por segundo” etc. Entretanto,
termos como “dois megabytes” têm sido abreviados incorretamente como “2M”, e o prefixo torna-se um
sufixo, mas de facto ainda prefixa a unidade (dois megabytes). Por exemplo: uma cadeia de caracteres de
50 bytes, um arquivo de 100 KB (quilobytes), 128 MB (megabytes) de memória RAM, ou 30 GB
(gigabytes) de espaço em disco.

4
Utilização comum
Por serem de uso popular, estes prefixos indicam múltiplos que são semelhantes, mas não iguais,
aos fatores indicados pelos prefixos correspondentes do Sistema Internacional (SI). No caso, o uso popular
em computação frequentemente indica potências de dois, enquanto os prefixos SI são potências de dez. Os
números exactos estão listados abaixo:
Prefixos em uso na computação coloquial
Nome Abrev Fator tam SI
10
quilo K 2 ="1024" 103 ="1000"
mega M 220 ="1 048 576" 106 ="1 000 000"
giga G 230 ="1 073 741 824" 109 ="1 000 000 000"
tera T 240 ="1 099 511 627 776" 1012 ="1 000 000 000 000"
peta P 250 ="1 125 899 906 842 624" 1015 ="1 000 000 000 000 000"
exa E 260 ="1 152 921 504 606 846 976" 1018 ="1 000 000 000 000 000 000"
zetta Z 270 ="1 180 591 620 717 411 303 424" 1021 ="1 000 000 000 000 000 000 000"
yotta Y 280 ="1 208 925 819 614 629 174 706 176" 1024 ="1 000 000 000 000 000 000 000 000"
Estes são idênticos aos prefixos SI, exceto pelo "K", que corresponde ao "k" no SI (K representa
Kelvin no SI).
Considera-se que é amplamente difundido que o uso comum do "quilobyte" significa 1024 bytes,
quando o valor correto seria 1000 bytes. Os fabricantes de discos rígidos usam os fatores do SI, assim
aquilo que é anunciado como um disco rígido de 30 GB conterá realmente 28 × 230 bytes. As
telecomunicações usam também os fatores do SI, assim uma conexão de 1 Mbit/s transfere 106 bits por o
segundo. Os fabricantes do disco flexível usam fatores mais confusos. O prefixo "M" significa (1000 ×
1000) no SI, e (1024 × 1024) bytes na computação "padrão". Entretanto, o disco flexível padrão de
“1,44 MB” comporta (1,44 × 1000 × 1024) bytes. (para não mencionar que um disco chamado de "3½
polegadas" é na verdade um disco de 90 mm)
Na época dos computadores que tinham 32K de memória RAM, esta confusão não era séria, já que
a diferença entre 210 e 103 era de aproximadamente 2%. Entretanto, quando os equipamentos
computacionais crescem na capacidade de memória, estas diferenças conduzem a erros cada vez maiores
quando expressadas em porcentagens.
A confusão estende-se até aos próprios símbolos para as unidades de informação, desde que não
são parte do SI. A melhor prática recomendada é "bit" para bit e "b" para byte. A prática comum usa
frequentemente "B" para byte e "b" para o bit, que é inaceitável pelo SI porque B é usado para Bel. Os
países onde se fala a língua francesa usam freqüentemente "o" para o "octeto", um sinônimo de byte, que é
também inaceitável pelo SI por causa do risco da confusão com o zero.

Prefixos IEC padrão


Em 2000, a International Electrotechnical Commission (IEC) publicou a segunda edição da
Amendment 2 to "IEC 60027-2: Letras e símbolos a serem usados na tecnologia elétrica - Parte 2:
Telecomunicações e eletrônica ". Este padrão, que tinha sido aprovado em 1998, introduziu os prefixos
kibi-, mebi-, gibi-, tebi-, pebi-, exbi-, zebi- e yobi- para serem usados para especificar múltiplos binários de
uma quantidade. Os nomes vêm das versões simplificadas dos prefixos originais do SI; bi é a simplificação
de "binário". Esclarece ainda que, do ponto da vista do IEC, os prefixos do SI têm somente seu significado
na base-10 e nunca têm um significado na base-2.

5
Novo IEC padrão de prefixos
Nome Abrev Fator
kibi Ki 210 ="1024"
mebi Mi 220 ="1 048 576"
gibi Gi 230 ="1 073 741 824"
tebi Ti 240 ="1 099 511 627 776"
pebi Pi 250 ="1 125 899 906 842 624"
exbi Ei 260 ="1 152 921 504 606 846 976"
zebi Zi 270 ="1 180 591 620 717 411 303 424"
yobi Ui 280 ="1 208 925 819 614 629 174 706 176"
Até 2004 esta convenção de nomes ainda não tinha ganho ampla difusão, mas nos último anos tem
ganho certa aceitação.

Sistema octal
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Sistema Octal é um sistema de numeração cuja base é 8, ou seja, utiliza 8 símbolos para a
representação de quantidade. No ocidente, estes símbolos são os algarismos arábicos: 0 1 2 3 4 5 6 7
O octal foi muito utilizado em informática como uma alternativa mais compacta ao binário na
programação em linguagem de máquina. Hoje, o sistema hexadecimal é mais utilizado como alternativa ao
binário.
Este sistema também é um sistema posicional e a posição de seus algarismos determinada em relação à
vírgula decimal. Caso isso não ocorra, supõe-se implicitamente colocada à direita do número. A aritmética
desse sistema é semelhante a dos sistemas decimal e binário, o motivo pelo qual não será apresentada.
Exemplo: - Qual o número decimal representado pelo número octal 4701? Utilizar o TFN. 4 x 8³ + 7 x 8² +
0 x 8¹ + 1 x 8° = = 2048 + 448 + 0 + 1 = 2497

Conversões de um sistema para outro


Conversão Decimal – Octal
Método de multiplicações sucessivas por 8
É utilizado para converter uma fração decimal para o sistema octal. Multiplica-se a fração decimal por 8,
obtendo-se na parte inteira do resultado o primeiro dígito da fração octal resultante. O processo é repetido
sucessivamente com a parte fracionária do resultado para obter os dígitos seguintes e termina quando a
parte fracionária é nula ou inferior à medida de erro especificada. Exemplo: Converter a fração decimal
0.140625 em octal. 0.140625 x 8 = 1.125
0.125 x 8 = 1.0 Combinamos os dois métodos anteriores podemos converter para octal números
decimais com parte inteira e fracionária.
Método de subtrair potências de 8
Outro método de conversão de números decimais para o sistema octal que serve para números com
partes inteiras e fracionária é o de subtrair potências de 8. é semelhante ao estudado para a conversão
decimal – binário e para a sua aplicação é necessária uma tabela de potências de 8.
Conversão Octal – Decimal
Existem vários métodos, sendo mais comumente utilizado o proveniente do TFN, em que se faz a
conversão de forma direta através da fórmula. Exemplo: Converter o número octal 764 para o sistema
decimal 764 (8) = 7 x 8² + 6 x 8¹ + 4 x 8° = 448 + 48 + 4 = 500 (10)
Conversão Octal – Binário

6
Quando existir necessidade de converter números octais em binários, deve-se separar cada dígito do
número octal substituí-lo pelo seu valor correspondente de binário. Exemplo: Converter o número octal
1572 em binário.
Logo, 1 5 7 2 = 001 101 111 010
Conversão Binário – Octal
Para converter um número binário em octal, executa-se o processo inverso ao anterior. Agrupam-se
os dígitos binários de 3 em 3 do ponto decimal para a esquerda e para a direita, substituindo-se cada trio de
dígitos binários pelo equivalente dígito octal.
Por exemplo, a conversão do número binário 1010111100 em octal:
001 010 111 100
1 2 7 4
Assim, tem-se 1010111100bin = 1274oct
Conversão Octal – Hexadecimal
Para esta conversão é necessário executar um passo intermediário utilizando o sistema binário.
Primeiramente converte-se o número octal em binário e depois converte-se o binário para o sistema
hexadecimal, agrupando-se os dígitos de 4 em 4 e fazendo cada grupo corresponder a um dígito
hexadecimal.
Por, exemplo, a conversão o número octal 1057 em hexadecimal:
Passagem ao binário:
1 0 5 7
001 000 101 111
Passagem ao hexadecimal:
0010 0010 1111
2 2 F
Assim, tem-se 1057oct = 22Fhex
Conversão Hexadecimal – Octal
Esta conversão, assim com a anterior, exige um passo intermediário em que se utiliza o sistema
binário. Converte-se o número hexadecimal em binário e este em octal. Exemplo: Converter o número
hexadecimal 1F4 em octal.
1 F 4
0001 1111 0100
Converão para octal
0 7 6 4
000 111 110 100

7
Tabela de valores
N.º Decimal N.º Binário N.º Hexadecimal N.º Octal
0 0 0 0
1 1 1 1
2 10 2 2
3 11 3 3
4 100 4 4
5 101 5 5
6 110 6 6
7 111 7 7
8 1000 8 10
9 1001 9 11
10 1010 A 12
11 1011 B 13
12 1100 C 14
13 1101 D 15
14 1110 E 16
15 1111 F 17
16 10000 10 20
17 10001 11 21

Sistema decimal
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O sistema decimal é um sistema de numeração de posição que utiliza a base dez.
Baseia-se em uma numeração de posição, onde os dez algarismos indo-arábicos : 0 1 2 3 4 5 6 7 8 9
servem a contar unidades, dezenas, centenas, etc. da direita para a esquerda. Contrariamente à numeração
romana, o algarismo árabe tem um valor diferente segundo sua posição no número: assim, em 111, o
primeiro algarismo significa 100, o segundo algarismo 10 e o terceiro 1, enquanto que em VIII (oito em
numeração romana) os três I significam todos 1.
Assim:

No sistema decimal o símbolo 0 (zero) posicionado à esquerda do número escrito não altera seu
valor representativo. Assim: 1; 01; 001 ou 0001 representam a mesma grandeza, neste caso a unidade. O
símbolo zero posto à direita implica em multiplicar a grandeza pela base, ou seja, por 10 (dez).

História
Alguns historiadores supõem que o sistema foi adotado pelo homem primitivo por compatibilidade
com o número de dedos das mãos, artifício usado no princípio para contar as coisas do mundo, como seus
bens, rebanho e dinheiro.
O sistema base 10 competiu, para se tornar o sistema padrão, durante uma fase longa da história da
humanidade com o sistema de numeração base 60, cujos resquícios ainda são vistos no sistema de divisão

8
do tempo, 1 minuto de sessenta segundos e 1 hora de sessenta minutos, e na trigonometria, onde o círculo é
dividido em 360 graus (6 60).
O sistema baseado em 60 é interessante porque 60 é divisível por 2, 3, 4, 5, 6, 10, 12, 15, 20 e 30,
enquanto que 10 é divisível somente por 2 e 5. O maior número de divisores torna o sistema em base 60
muito mais prático para a divisão de grandezas (pesos, medidas, etc).
Nesta figura podemos ver o formato e seqüência corretas da grafia manuscrita medieval dos
números ou algarismos arábicos do sistema decimal que aparecem na página de título do livro " Libro
Intitulado Arithmetica Practica " por Juan de Yciar, matemático e calígrafo Basco, Saragossa 1549.
No início dos anos 1600, ocorreu uma importante modificação no formato da grafia do décimo
número ou do zero, que inicialmente tinha o formato pequeno e circular « o ». Posteriormente, evoluiu
para o formato oval atual « 0 » desta forma foi possível a sua distinção quanto a grafia da letra « o »
minúscula, ou da letra « O » maiúscula.

Sistema hexadecimal
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
O sistema hexadecimal é um sistema de numeração vinculado à informática, já que os
computadores interpretam as linguagens de programação em bytes, que são compostos de oito dígitos. À
medida que os computadores e os programas aumentam a sua capacidade de processamento, funcionam
com múltiplos de oito, como 16 ou 32. Por este motivo, o sistema hexadecimal, de 16 dígitos, é um
standard na informática.
Como o nosso sistema de numeração só dispõe de dez dígitos, devemos incluir seis letras para
completar o sistema.
Estas letras e o seu valor em decimal são: A = 10, B = 11, C = 12, D = 13, E = 14 e F = 15.
O sistema hexadecimal é posicional e por ele o valor numérico associado a cada algarismo depende
da sua posição no número, e é proporcional às diferentes potências da base do sistema que neste caso é 16.
Vejamos um exemplo numérico: 3E0,A (16) = 3×162 + E×161 + 0×160 + A×16-1 = 3×256 + 14×16
+ 0×1 + 10×0,0625 = 992,625
A utilização do sistema hexadecimal nos computadores, deve-se a que um dígito hexadecimal
representa quatro dígitos binários (4 bits = 1 nibble); portanto, dois dígitos hexadecimais representam oito
dígitos binários (8 bits = 1 byte), que, como é sabido, é a unidade básica de armazenamento de informação.

9
Tabela de conversão entre decimal, binário e hexadecimal
Decimal Binário Hexadecimal
0 0000 0
1 0001 1
2 0010 2
3 0011 3
4 0100 4
5 0101 5
6 0110 6
7 0111 7
8 1000 8
9 1001 9
10 1010 A
11 1011 B
12 1100 C
13 1101 D
14 1110 E
15 1111 F

Fracções
As fracções, no seu desenvolvimento hexadecimal, não são exactas a menos que o denominador
seja potência de 2. Contudo, os períodos não costumam ser muito complicados.
1/2 = 0,8 1/9 = 0,1C1C...
1/3 = 0,55... 1/A = 0,199...
1/4 = 0,4 1/B =
1/5 = 0,33... 1/C = 0,155...
1/6 = 0,2AA... 1/D =
1/7 = 0,249249... 1/E = 0,1249249...
1/8 = 0,2 1/F = 0,11...

10
Tabela de multiplicação
1 2 3 4 5 6 7 8 9 A B C D E F 10
1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 A B C D E F 10
2 2 4 6 8 A C E 10 12 14 16 18 1A 1C 1E 20
3 3 6 9 C F 12 15 18 1B 1E 21 24 27 2A 2D 30
4 4 8 C 10 14 18 1C 20 24 28 2C 30 34 38 3C 40
5 5 A F 14 19 1E 23 28 2D 32 37 3C 41 46 4B 50
6 6 C 12 18 1E 24 2A 30 36 3C 42 48 4E 54 5A 60
7 7 E 15 1C 23 2A 31 38 3F 46 4E 54 5D 62 69 70
8 8 10 18 20 28 30 38 40 48 50 58 60 68 70 78 80
9 9 12 1B 24 2D 36 3F 48 51 5A 63 6C 75 7E 87 90
A A 14 1E 28 32 3C 46 50 5A 64 6E 78 82 8C 96 A0
B B 16 21 2C 37 42 4E 58 63 6E 79 84 8F 9A A5 B0
C C 18 24 30 3C 48 54 60 6C 78 84 90 9C A8 B4 C0
D D 1A 27 34 41 4E 5D 68 75 82 8F 9C A9 B6 C3 D0
E E 1C 2A 38 46 54 62 70 7E 8C 9A A8 B6 C4 D2 E0
F F 1E 2D 3C 4B 5A 69 78 87 96 A5 B4 C3 D2 E1 F0
10 10 20 30 40 50 60 70 80 90 A0 B0 C0 D0 E0 F0 100
Busca de números primos
A busca de números primos na base 16 é menos eficiente que em base 10. Um número primo pode
acabar em qualquer destas oito cifras: 1, 3, 5, 7, 9, B, D ou F.
A única excepção é o número primo 2.

11