241

DIÁRIO DA ASSEMBLÉIA NACIONAL CONSTITUINTE (Suplemento "C") Quando tomamos aqui uma atitude liberal, as pessoas não entendem que esse liberalismo ocorre devido à necessidade de todos se expressarem. Em determinados momentos, não há canal para fazê -lo. Se não tivermos essa compreensão, vamos prejudicar aqueles que requereram preferência e querem que elas sejam votadas. Este é o apelo final que fazemos, pois da próxima vez não mais concederemos a palavra, sob qualquer pretexto, pela ordem, porque não é regimental. Há sobre a mesa requerimento de preferência para o Destaque nº 3138, de autoria do Constituinte José Maurício. (Pausa) Aprovado. Passamos, então, à votação do Destaque nº 3138, de autoria do Constituinte José Maurício, que objetiva adicionar ao art. 197 dois parágrafos: "§ 3º Os Estados e Territórios terão direito a uma indenização de 4% sobre o valor dos hidrocarbonetos extraídos dos seus territórios e plataforma submarina" "§ 4º Os Municípios terão direito à indenização equivalente a 1% sobre o valor dos hidrocarbonetos extraídos do seu território ou na plataforma submarina a ele confrontante." Concedo a palavra ao Constituinte José Maurício. O SR. CONSTITUINTE JOSE MAURICIO: – Sr. Presidente, Sras. e Srs. Constituintes, desejo, preambularmente, consignar que a plenitude da bancada do PDT se encontra em plenário, buscando cumprir com suas tarefas, dentro do cronograma estabelecido pela Comissão de Sistematização. Secundariamente, Sr. Presidente, deplorar a ausência dos partidos majoritários nesta Comissão, o que, evidentemente, leva-me a exorar de V. Ex.a que encaminhe, pela sua alta significação e pelo que ela representa para os Estados produtores de petróleo, minha emenda ao Plenário, com vista a que, constitucionalmente, definamos, de uma vez por todas, a questão do pagamento da indenização aos Estados pela exploração do petróleo, mais vulgarmente conhecida como royalties, consagrada desde o advento da Lei nº 2.004/53, mas que, a nosso ver, há de estar consignada no texto constitucional. É o apelo e a manifestação que gostaria de fazer. O SR. PRESIDENTE (Brandão Monteiro): – Ilustre Constituinte José Maurício, V. Ex. a deixa a Presidência em extrema dificuldade, porque na verdade votou-se a preferência, iniciou-se o processo de votação com o encaminhamento, e V. Ex. a solicita que se envie ao Plenário da Constituinte. Quero, desde logo, para que não haja futuros problemas, alertar os Srs. Constituintes para o fato de que a Consolidação das Regras Regimentais – aqui eu estenderia esta colocação ao ilustre Constituinte Chagas Rodrigues – l estabelece que as emendas não votadas nesta comissão irão para o Plenário da Constituinte. Chamaria a atenção dos Srs. Constituintes para dois episódios, e quero fazê-lo como uma forma de contribuição, já que estamos eventualmente presidindo a Comissão. As emendas retiradas serão arquivadas, não irão ao Plenário. E há uma segunda circunstância, todos tomamos conhecimento do petitório de 310 Constituintes para mudança do Regimento. Este fato poderá determinar a total modificação das normas consolidadas no que se refe re ao envio de matéria para o Plenário. Não posso afirmar que, aprovada integralmente a proposição dos 310 Constituintes, ontem apresentada pelo Constituinte Daso Coimbra, modificar-se-á fundamentalmente a Consolidação. Se houver negociação, por certo haverá um número limitado de emendas que irão ao Plenário. Chamaria a atenção

da Assembléia Nacional Constituinte não estar funcionando. Já está havendo profundas dificuldades com relação ao quorum para a votação de diversos destaques. Por isso, a :Presidência apela aos Srs. Constituintes para que se limitem à votação dos destaques relacionados, porque vários Constituintes foram ao microfone para reclamar a falta de quorum regimental e que por isso as suas matérias não seriam votadas. Se continuar a utilizar a palavra pela ordem – que não existe no Regimento, mas que o costume consagrou – maiores dificuldades encontrarão aqueles que estão com as suas preferências e destaques para serem votados. O SR. CONSTITUINTE ALDO ARANTES: – Sr. Presidente, para uma questão de ordem, ou pela ordem, como a Mesa quiser. O SR. PRESIDENTE (Brandão Monteiro): – Concedo a palavra ao Sr. Constituinte Aldo Arantes. O SR. CONSTITUINTE ALDO ARANTES: – Sr. Presidente, o Constituinte Egídio Ferreira Lima teceu algumas críticas ao Boletim do PC do B, assim como o PC do B fez críticas a S. Ex. a É claro que o nobre Constituinte tem todo o direito de fazer críticas ao PC do B. Gostaria, no entanto, de dizer a S. Ex. a que o PC do B não é o dono da verdade, mas tem determinada orientação política, e pautado por ela tem não só votado, mas também manifestado opinião sobre tudo e a respeito de determinados companheiros sobre os quais a expectativa popular era de que tivessem uma posição mais combativa ao lado das teses democráticas em casos concretos e importantes, mas não tiveram. Então, são críticas fraternas que fazemos, que fizemos e que mantemos com relação ao Constituinte Egídio Ferreira Lima, porque era diferente a expectativa que tínhamos da atuação do referido colega em torno de algumas questões concretas que aqui foram colocadas. Não fizemos críticas no vazio. O Constituinte Egídio Ferreira Lima não entrou no mérito das críticas feitas pelo PC do B. O que o PC do B criticou foi a posição que o Constituinte Egídio Ferreira Lima e outros Constituintes tomaram aqui em relação ao papel das Forças Armadas. Consideramos que a manutenção do papel atual das Forças Armadas é uma rendição às pressões exercidas pelos militares sobre a Assembléia Nacional Constituinte. Então, quero dizer que a nossa posição é política. Não somos donos da verdade, mas temos uma posição a defender. Consideramos que é algo natural, faz parte da democracia fazer elogios e críticas aos nossos companheiros –. e eles, obviamente, também terão todo o direito de fazer os seus elogios e as suas críticas. O SR. CONSTITUINTE EGÍDIO FERREIRA LIMA: – Sr. Presidente, peço a palavra... O SR. PRESIDENTE (Brandão Monteiro): – Nobre Constituinte, V. Ex.ª á pediu a palavra pela ordem e fez seu registro, propiciando, em conseqüência, a resposta do Constituinte Aldo Arantes. Se continuarmos procedendo dessa forma, vamos fazer não um pinga-fogo, mas um ping-pong de opiniões. Constituinte Egídio Ferreira Lima, gostaria que V. Ex.a encerrasse esse episódio falando pessoalmente com o Constituinte Aldo Arantes. O episódio está solucionado. O Plenário está consciente de sua posição. Este é o apelo que fazemos a V. Ex. a O SR. CONSTITUINTE EGÍDIO FERREIRA LIMA: – Sr. Presidente, deixe-me proferir apenas uma frase. Não aceito o PC do B como juiz de meus atos e de meu pensamento político. O SR. CONSTITUINTE ALDO ARANTES: – O juiz não vai ser o PC do B, mas a opinião pública brasileira e o Estado de Pernambuco. O SR. PRESIDENTE (Brandão Monteiro): – Está encerrado o epis ódio.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful