Você está na página 1de 29

Bem, fiz esta compilação (do MEU jeito) do trabalho iniciado pelo Bruno, com o intuito de estudar os

arcanos menores da corte. A coisa fluiu até o Pajem de Ouros, quando parou e não foi mais pra frente.
Como o trabalho é interessante, revisei até o ponto em que se encontrava. Desconsiderei alguns tópicos
por não influírem diretamente no estudo. O que vier depois fica por conta de vocês.
Terminado às 09:05 h (horário do orkut) de 9.5.6

Estudos da Corte - PAJEM DE PAUS


Bruno: Pajem (ou Valete, ou Princesa) de Paus

Os pajens talvez sejam a classe mais complexa dentro dos arcanos da corte. Digo isto porque, além de poder
comportar tanto a presença de um terceiro no jogo como um estado psicológico do consulente (assim como as 3
classes restantes), alguns autores ainda postulam que os pajens, na qualidade de mensageiros, possam indicar
novas aberturas, possibilidades ou oportunidades nas áreas indicadas por seus naipes.
A primeira impressão que um pajem me passa é a de inocência, ingenuidade ou imaturidade, portanto um estado
prematuro em seus planos. Na espera de Paus, ou Fogo, temos, a princípio a questão da espiritualidade, mas sob
uma perspectiva mais prática, a coisa tende a incidir mais para o lado da energia vital, do entusiasmo e nível de
excitação em jogo numa empreitada, num projeto ou relacionamento, seja lá o que for.
Assim sendo o Pajem de Paus é uma figura que expressa curiosidade, pré-disposição para embarcar numa nova
empreitada, uma experiência na qual o coração do consulente está presente. Pode representar o surgimento de
uma oportunidade para colocar em prática tais atributos. Pode representar uma pessoa com elevado nível de
criatividade, mas um tanto prematura e impaciente, na pior das hipóteses, agressiva.

Renato:
Pajem de Paus:
Para mim, baseado nas experiências oraculares que tive, todos os pajens se apresentam como oportunidades,
oportunidades estas se apresentando em seu próprio campo de atuação (fogo, ar, terra ou água).
Os atributos do naipe de Paus (fogo) são a criatividade, a originalidade, a excitação criativa, o otimismo, a
passionalidade. Portanto, como oportunidades que se apresentam, o Valete de Paus indica que está havendo
alguma oportunidade de ser criativo, de “dar o sangue”, de ser original, de arriscar-se. Esta oportunidade tanto
pode vir a acontecer ou já estar acontecendo.
Mas acho que não devemos esquecer que se trata de uma oportunidade, que pode ser, ou estar sendo,
aproveitada ou não. É diferente das demais cartas da corte, onde mostram que a situação já está naquela energia.

Bruno:
Fogo é o elemento mais volátil, e portanto das emoções exacerbadas. As pessoas de fogo (ou sob esta influência)
possuem um estopim mais curto, podendo se irritar mais facilmente, e em casos mais extremos podem partir para
agressão verbal ou física.
Qualquer arcano possui um espectro dentro do qual pode oscilar de um extremo ao outro, e a característica do
fogo é justamente a rapidez e a volatilidade, portanto possui menos estrutura que os outros elementos, o que
resulta num menor controle sobre as emoções.

Giancarlo:
Alguma coisa sobre o "Menino Ígneo"
Pajens são sementes. É o "vir a ser", uma promessa de algo, com a necessidade de se aprender com os erros
provenientes da imaturidade ou despreparo. Os Pajens aludem ao aprendizado, à novidade, descoberta,
oportunidade, originalidade e vislumbres.
Paus é a vontade. Diferente da água (que corre para baixo), o fogo vai para cima. Então, ganha-se com aquela
frase: "avante!", pois Paus não se deixa levar por impedimentos. O desejo é maior que qualquer coisa. E o poder
criativo transcende barreiras. O fogo, diferente dos demais elementos, transforma decisivamente a matéria: nada
será como antes.
Um Pajem de Paus é como uma criança com bombinhas em festa junina: deslumbrada, soltando uma bomba aqui
e ali, correndo da explosão e curiosa com a luz e efeitos. Mas, ela pode se queimar. Nesse caso, o Pajem é a
chance que deve se pegar logo, senão ela escapa; no entanto, podemos tropeçar nas próprias pernas por causa
da afobação.
Não creio no lado agressivo do Pajem de Paus. A exemplo, o Pajem de Espadas pode até mentir, mas não
consegue fazer estragos maiores. No caso do Pajem de Paus, há impaciência, mas a agressividade não se
sustenta. A raiva de uma criança não dura muito tempo, até que ela se entretenha com outra coisa, então Paus
está sempre ligado no próximo evento, na próxima novidade e esquece o resto. Nenhum Pajem garante que uma
coisa vingue, mas propicia sair da mesmice. Paus é ardente e o Pajem de Paus é apaixonado pelo prazer da
descoberta e aventuras. Só que tudo é muito fugaz. Pajem de Paus é como um fósforo aceso: você deve usar
rápido, senão pode acabar queimando os dedos...

1
Renato:
Tenho visto que, em muitas interpretações de jogos nesta e em outras comunidades, os atributos dos pajens se
misturam bastante com o dos ases. O que acham ?

Ricardo:
Energia pura, mas, inicial.
Eis o meu acréscimo às informações aqui já destacadas.
Em termos mais práticos, os dos acontecimentos materializados, observo o Pajem de Paus relacionado aos
convites das mais variadas espécies que vão desde os de elaboração de projetos, de ocupação de vagas em
empregos, de festas e comemorações até aquela cantada entusiasmada que alguém dá em outra chamando-a
para dar uma voltinha em um motel etc. Boas notícias, no mais das vezes, vêm juntas do Pajem de Paus...
Algumas vezes já tirei esse arcano indicando o cancelamento de eventos anteriormente planejados, coisas do tipo
reuniões de negócios, concursos etc.

Giancarlo:
A maior parte do conhecimento sobre os Arcanos Menores, é herança da cartomancia. Indistintamente, já vi
realmente essa "mistura" entre Pajens e Ases, talvez porque ambos sugerem o "starter" de algo. Mas, Ases são
forças sustentáveis e costumo associá-los às Leis Divinas, porque são realizadores e estão de acordo com o
mérito pessoal. Os Ases são gratificantes, pois no final, simbolicamente falando, tudo tende a dar certo. Os Pajens
não, eles são um incentivo à realização, mas não garantem que a coisa engrene ou vingue. Um exemplo, um
consulente me perguntou certa vez sobre uma oportunidade de mudanças na empresa que trabalhava - saiu o
Pajem de Ouros, então disse que pintaria uma vaga num setor de interesse dele, mas que ele precisaria de
preparo (estudo) para assumir (acho que saiu a Papisa junto). Resultado: ele perdeu a vaga para outro, que fez o
curso na frente dele... c'est la vie!

Muito bem lembrado sobre a questão de notícias que chegam relativas ao Pajem... Pajens são como telegramas:
informações imediatas que necessitam de atitudes imediatas.

Luciene:
Bem eu também vejo os pajens muito como mensageiros ou alguém mais jovem entrando na vida do consulente.
E em minhas consultas eles sempre aparecem assim.
Engraçado que o de Paus eu vejo geralmente como o mais interessante - mais criativo, ousado e bem
intencionado.
Embora eu sempre perceba o pajem como uma notícia ou proposta, às vezes noto que é a atitude do consulente
diante da questão. Boas perspectivas, mas que ainda demandam mais elaboração ou ação.

Ricardo:
Sempre em uma leitura quem vai dar peso maior aos resultados é o arcano maior e, quanto ao Pajem de Paus
trazer junto de si notícias ruins isso é bem relativo e depende do contexto em que está inserida a pergunta do
consulente.
Por exemplo, certa vez uma pessoa, aqui, em Fortaleza, me procurou pra saber de seu pai que estava no Rio de
Janeiro pra fazer uma cirurgia, se ele ia se sair bem e tudo mais e lembro-me bem, surgiram, no Pèladan,
juntinhas A Roda da Fortuna e Pajem de Paus. Interpretei, com todo o cuidado pra não deixar a pessoa muito
preocupada, que o pai dela ia se sair bem sim, mas, que talvez, ela recebesse uma notícia de que ele teria que
refazer a tal cirurgia, pois a mesma naquele momento não iria resolver o seu problema, mas, que segundo o tarô
tudo ia ficar bem e ele iria recuperar a sua saúde. E, foi exatamente o que aconteceu, uns dois dias depois ela
recebeu essa notícia destacada pelos dois arcanos e o seu pai teve que refazer a cirurgia, mas, se recuperou e
hoje está bem... Então, sem dúvida, quem vai determinar é o arcano maior e o menor confirma como realmente a
coisa poderá acontecer, se dar, se estabelecer de forma mais prática...
O lado "negativo” do PAJEM DE PAUS
Quando sob a influência “negativa” do Pajem de Paus, o consulente pode ser ver envolvido em situações e/ou
pessoas não confiáveis. A comunicação entre indivíduos fica meio que bloqueada, truncada, nada se esclarece e
as informações são sem muita consistência ou escondem ou forjam a realidade. As várias máscaras da
personalidade humana vêm à tona e são usadas, cada uma delas, de acordo com os objetivos, interesses e as
circunstâncias de cada um. A mentira pode tornar-se o maior obstáculo, podendo vir a emperrar iniciativas e
despotencializar os talentos. As pessoas se mostram inseguras, sem determinação, estímulos e, às vezes,
“vontade de viver”, fracas, indecisas e sem chão... Pode, ainda, ser o portador de más notícias ou de infortúnios...
Aqui os potenciais são bem negativos...

Cássia:
Pajem de Paus
Características gerais: A primeira carta da corte é o Pajem/Valete/Princesa. É sempre bom imaginá-los como um
jovem, com uma carta ou pergaminho na mão. O elemento do Pajem é “Terra”, indicando algo novo, que está
crescendo, uma semente plantada. Então o Pajem de Paus seria a “Terra do Fogo” – a semente do fogo, por
2
assim dizer. A centelha. Os Pajens freqüentemente indicam crianças, ou então podem indicar o alter-ego do
Louco. Pode também ser um adulto que ainda age como criança. O consulente, se estiver começando algo novo,
também pode ser chamado “O Valete” – nesse caso um tipo de aprendiz. Se for a Princesa, é uma jovem mulher;
o Príncipe que indica um jovem. Se nenhuma criança estiver envolvida (o consulente não tem filhos, nem amigos
com filhos, etc.), então o consulente está prestes a receber uma mensagem. O propósito dos Pajens, afinal, é
entregar mensagens.
Características específicas: É aquela criança que nunca pára quieta, corre por tudo, quer sempre sair para brincar,
sempre se enfiando em lugares estranhos, subindo árvores, sempre querendo viajar. Ele nunca está em casa na
hora do jantar. Em termos de personalidade, é geralmente uma criança adorável, alegre, carismática. Adora ser o
centro das atenções, o líder; no entanto, deve tomar cuidado para que não intimide outras crianças.
Situações: uma mensagem, provavelmente de muito longe, sobre uma viagem, mudança de local de trabalho,
posição de liderança ou algo religioso/filosófico.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Estudos da Corte - CAVALEIRO DE PAUS


Bruno: Os Cavaleiros traduzem a qualidade de seus naipes ou elementos na idéia de movimento. Tendem a
buscar seus objetivos com determinação, se lançando de cabeça em suas aventuras sem medir quaisquer
conseqüências. O elemento Fogo por si só já simboliza a idéia de movimento, portanto o cavaleiro de paus
personifica esta qualidade ao extremo: ele é o protótipo do aventureiro.
Suas características principais são: determinação, paixão pela aventura, espontaneidade, criatividade e espírito
empreendedor, muito embora peque por não possuir os pés no chão, o que pode levar toda sua excitação a
dissipar-se, pois tem uma tendência a atirar em todas as direções ao mesmo tempo.
Como amante, é ardente, impulsivo e excitante, muito embora não queira nada com o comprometimento sério
devido a sua natureza aventureira que o mantém em constante movimento.
No seu lado sombrio, este cavaleiro pode se tornar num rebelde sem causa, buscando aventuras com o objetivo
único de inflar seu ego com suas conquistas. Impaciente, pode trazer discórdia às situações com as quais se
envolve, e no plano afetivo, pode-se se apaixonar profundamente como um raio e sumir no dia seguinte.

Ercilia:
No livro Iniciação aos Tarots, de Colette Silvestre-Haéberlé, termina a explicação acerca deste arcano assim: O
CAVALEIRO DE PAUS simboliza a reflexão e a experiência, o sucesso nas iniciativas e um bom equilíbrio.

Ricardo:
O Cavaleiro de Paus realmente é cheio de energia, vida e sempre está a postos para a batalha. Conquista uma
aqui, outra ali e depois sai em busca de novos alvos, novos objetivos, novas paisagens.
Na verdade não se liga muito a nada, já que se caracteriza pela aventura, não se aprofundando e nem criando
raízes por onde passa. É o arcano dos viajantes, dos nômades, dos sem residência fixa...
Vejo esse arcano como aquelas fagulhas das fogueiras, que aparecem e logo somem, e depois aparecem e
somem de novo isso, até a fogueira se apagar por completo, ou então aquelas faíscas que saem dos isqueiros,
que estão com o seu fluído enfraquecendo, não acendendo mais nada..., pois é, assim é que vejo esse arcano,
sem muita firmeza, disperso, inconstante, às vezes indeciso...
Quando sob a influência de sua sombra, torna-se o causador de grandes discórdias ou o "rei" das desavenças, ou
seja, são aqueles indivíduos "do contra", que não concordam só pelo prazer de ver o outro ficar muito indignado
com o seu ponto de vista contrário ao da maioria. Representa, ainda, a descontinuidade; por exemplo: um namoro
ou casamento que terminou ou rompeu-se e que não vai continuar de forma alguma, nem com sol e nem com
chuva, nem com juras de amor eterno... Projetos que são elaborados, aprovados, que começam a andar, mas, por
falta de algo, dão uma parada e não nunca mais continuam etc, etc. Realmente esse Cavaleiro de Paus é o
movimento, mas, também, pode ser a falta dele...
CAVALEIRO DE PAUS
“Negativamente” esse arcano destaca a euforia e a ansiedade diante às situações problemáticas e que não
conduzem à mudanças imediatas ou à solução. E, o pior mesmo nessa situação, ele não parte para a revisão de
suas metas ou objetivos por uma simples falta de ânimo em mudar. Diria que esse arcano, ao representar uma
pessoa, traria á tona uma personalidade dissimulada, falsa, perigosa, covarde e por demais vil. Se contrariada
essa pessoa torna-se violenta e como é covarde foge de qualquer um que vier a enfrentá-la, com firmeza, ou seja,
daquele(a) que gritar mais alto do que ela numa boa discussão ou briga. Pode também caracterizar situações
escapismo, distanciamento daquilo que incomoda, possibilitando a fuga dos problemas e a transferência deles
para terceiros. Tem casos – quando esse arcano surge numa tiragem - de pessoas que somem e nunca mais
aparecem, como naquelas “histórias” em que o marmanjo sai de casa, geralmente de madrugada, para comprar
cigarro, dizendo à esposa que vai voltar logo e some que nem fumaça, deixando mulher, filhos, amigos, o trabalho
e todos os problemas pra trás e os envolvidos que se virem...

Giancarlo:
3
Acrescentando algo mais (Peregrino Ígneo)
Cavaleiros, normalmente, são figuras marcadas pela transitoriedade e movimento, logo, tudo tende a ser
passageiro. Os Pajens, por exemplo, lançam as sementes, mas é o Cavaleiro quem corre atrás. São Arcanos de
fluxo, e isso implica em andamento das situações com abertura para experiências. Os Cavaleiros vivem a situação
do momento e mostram como será "o próximo capítulo da novela". A frase típica dos Cavaleiros é: "hoje é assim,
amanhã, quem sabe..."
Bem, temos então o Cavaleiro de Fogo. Sua pressa é incontestável, pois ele precisa chegar rápido ao seu destino.
Um homem montado a cavalo já se torna rápido por natureza, imagine este homem assumindo o flash de Paus...
instantaneidade, essa é a palavra. O Cavaleiro se lança, sem cerimônias, para a vida e desafios. Mas, acaba
agindo como o raio: muito barulho para nada e, algumas vezes, estragos. O desejo de ir além pode ser muito bem
ilustrado pelo mito de Ícaro. A pergunta acaba sendo: "onde quer chegar?" Porque o Cavaleiro de Paus parte, mas
não tem metas ou destinos muito bem definidos. Ele segue seus desejos, impulsos e motivações, mas não se
prende a nada e nem ninguém. O Cavaleiro de Paus representa que as coisas vão andar, seguirão em frente, mas
o destino final é uma grande surpresa. Há um "q" inconseqüente, às vezes, no Cavaleiro de Paus, sob o aspecto
sombra: é como o adolescente que pega o carro do pai e sai desembestado pelas ruas, cantando pneus e fazendo
alarde. Mas, pode acabar com a cara num poste. Por isso, acontecimentos sob a interpretação de um Cavaleiro de
Paus exigem direcionamento, porque tudo pode rolar, mas é necessário se precaver contra o descontrole gerado
pelo impulso, gerando uma tremenda "dor de cabeça" a seguir. O sucesso certamente pode ser alcançado por
esse Arcano, mas se o consulente conhecer bem a trilha pela qual seguirá.

Renato:
Vejo os Cavaleiros Paus como adolescentes, que não sabem nem tem a maturidade para controlar a energia que
lhes é peculiar. Eles exageram, pois são cheios de testosterona, tem muitos sonhos e nem sempre sabem se
autodominar.
No caso do Cavaleiro de Paus, ele peca pelo excesso de autoconfiança; gosta de arriscar-se e volta e meia se
mete em encrencas por causa do seu temperamento explosivo. Também acho que ele se enfurece com facilidade
e também não se prende a nada. É arrogante e pode ser dado a grosserias. Começa muitas coisas com paixão e
quase sempre não termina nenhuma.
Os cavaleiros podem ou não se apresentar como pessoas. Pelas minhas experiências oraculares, o Cavaleiro de
Paus já se apresentou de ambas as maneiras. Já houve casos em que o Cavaleiro de Paus se manifestou numa
situação descuidada, agressiva, cheia de entusiasmo e desafios. Em outros casos, uma ou mais pessoas
assumiram estes atributos.

Bruno: Alguns comentários:


Ercília - Interessante o título deste livro, "Iniciação aos Tarots" - nunca havia visto uma menção ao tarot no plural
como esta... talvez seja uma forma de expressão mais utilizada em Portugal... bom, respondendo à sua pergunta,
logicamente existam várias vertentes e postulações a respeito dos arcanos, o que varia muito de autor para autor.
Eu discordo um pouco desta forma de encarar este arcano, e lendo as exposições dos colegas, você pode ver que
estamos bem na mesma linha de pensamento, quanto a este cavaleiro... Daí a importância de se ler vários autores
e ir fechando o conceito aos poucos.
Ricardo - Comentando este seu último comentário: "Realmente esse Cavaleiro de Paus é o movimento, mas,
também, pode ser a falta dele..." - Concordo, e deixo já claro que, implicitamente, todo arcano na sombra pode ser
lido a partir de uma inversão de seus atributos... às vezes sua energia falta, e às vezes se excede... eu prefiro
comentar aqui algumas características menos explícitas por assim dizer... mas você está absolutamente correto.
Gian - Suas alusões a situações mais realísticas para ilustrar as características das figuras realmente matam a
pau... ajudam demais a internalizar os conceitos... e fico feliz que desta vez minha visão tenha ficado bem próxima
da sua.
Renato - Percebo que você faz uma separação entre as classes da corte, sendo que algumas podem representar
pessoas e outras não. Não discordo totalmente de você, e obviamente respeito a sua visão, mas eu já penso que
todas as 4 classes podem representar pessoas... bom, isso é questão pessoal, e deixo a minha opinião aqui...

Renato:
Até agora, nas experiências que eu tive, reparei que os arcanos abaixo já representaram pessoas, além também
de situações:
-o Mago
-a Sacerdotisa
-a Imperatriz
-o Imperador
-o Papa
Quanto aos Cavaleiros, Rainhas e Reis de todos os Naipes, estes já representaram pessoas, bem como formas
de atuação (mais do que situações propriamente ditas).
Por outro lado, ainda não tive a experiência de pajens representando pessoas. Geralmente os pajens até agora
representaram:
- oportunidades
- formas de atuação
4
Talvez eu ainda passe pela experiência de ver pajens representando pessoas. Acho que tudo é uma questão de
adquirir mais experiência (pois até agora, mais estudei do que joguei).

Aninha:
Tarôs convencionais versus Thoth
Todos nós sabemos que no tarô de Crowley ha uma inversão da nomenclatura dos REIS para CAVALEIROS e dos
CAVALEIROS para PRINCIPES... isso é muito confuso e tentando encontrar qual a verdadeira seqüência dessa
inversão me deparei com algumas observações interessantes:
Todos os cavaleiros vistos no Thoth possuem as mesmas características descritas acima quanto ao movimento,
ação violenta, luta pelo que se quer, mergulho de cabeça e com toda a força no que se pretende. Isso deu um nó
na minha cabeça, pois se os cavaleiros no Thoth possuem as características descritas aqui nesse tópico a
respeito dos cavaleiros de um modo geral, no que se baseia então a inversão estabelecida por Crowley? Uma vez
que os cavaleiros são impetuosos e os príncipes imaturos, Quem são os verdadeiros Reis da questão?

Cássia:
Cavaleiros de Paus
Características gerais: Cavaleiros ou Príncipes são o espírito do adolescente; indicam mudanças. Cavaleiros
nunca estão parados; assim como os Pajens indicam mensagens, os Cavaleiros/Príncipes indicam movimento,
viagem. São o elemento Ar, movendo-se e fluindo por tudo. Sendo uma pessoa, representam um adulto jovem ou
alguém que age como um adolescente. Suas crenças são mais puras do que as de um adulto, menos hipócritas e
mais idealistas. Nisso se parecem muito com um cavaleiro: poderoso, inquestionavelmente fiel ao seu reino ou
causa.
Características específicas: Carismático, é o tipo de jovem que nunca pára, que sempre procura ter grandes
gestos. É o jovem festeiro, e estou falando de festas grandes. Ama o carro e parece que vive nele, andando por
tudo e pegando seus amigos no caminho. É popular, o centro das atenções, o líder que aparece sempre com
idéias malucas. É o presidente da turma ou o Rei do Baile, e é um jogador agressivo no time da escola. Pelo lado
negativo, pode ser cabeçudo, mandão e tirano. Um pouco narcisista, ás vezes não presta atenção aos
sentimentos dos outros. Totalmente fiel aos seus amigos e à sua crença, seja ela um esporte, uma filosofia ou uma
igreja.
Situações: Uma viagem excitante, longa e para um lugar exótico. Pode ser também uma viagem de carro, moto,
ônibus ou trem.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot)

Estudos da Corte - RAINHA DE PAUS


Bruno:
As Rainhas representam as qualidades receptivas de seus elementos ou naipes, em outras palavras, mostram
como o elemento se traduz em termos de sentimento, entendimento ou compreensão.
A Rainha de Paus possui como características principais sua habilidade de se expressar criativa e passionalmente
através de uma determinação maneirada e ao mesmo tempo sólida e autoconfiante. Em termos afetivos ela
demonstra uma enorme pré-disposição ao amor ardente, possuindo uma sexualidade intensa e bem resolvida.
No seu lado sombrio ela revela uma baixa resistência a uma oposição de suas idéias, podendo tornar-se
rancorosa e facilmente ciumenta, dependendo do contexto, infiel ao parceiro ou a uma situação.

Thaís Gobi:
Li uma certa vez, mas não me recordo onde, que a rainha de paus indicava a mãe e esposa e fertilidade. No
entanto, uma certa vez perguntei sobre gravidez (se a pessoa estava), tanto caiu a imperatriz como a rainha de
paus, só que a lua tava contra... Mas a imperatriz é fertilidade e a rainha parecia ser também... mas ela não
estava.
Talvez a rainha neste caso seja a postura de uma mãe e talvez a vontade de ser mãe.

Bruno:
Talvez a interpretação mais difícil num jogo de Tarô seja definir se uma carta da corte representa uma pessoa ou
um estado psicológico, sendo que os pajens ainda podem indicar mensagens, noticias, aberturas e oportunidades.
Há autores como o Naiff que definem alguns arcanos maiores como a Imperatriz, Imperador, Sacerdote e Justiça -
quando acompanhados de figuras da corte - como indicadores de terceiros no jogo. Embora isto proceda
perfeitamente em algumas situações, a minha experiência já me provou que nem sempre é regra. Há que se
avaliar o contexto global da tiragem e no final das contas confiar na voz da intuição para chegar a uma conclusão.
Não vejo a Rainha de Paus como indicador de fertilidade, mas apenas de um forte componente libidinal. A Rainha
de Ouros seria a figura da corte que mais se assemelha com o arcano 3, devido à relação do seu elemento Terra
com a fertilidade. Esta Rainha sim incorpora o estereótipo daquela mãezona caseira que vive em função de sua
prole e dos demais no lar.

5
Renato:
Os pajens indicam frágeis possibilidades; os cavaleiros indicam possibilidades que podem estar sendo
desperdiçadas pela imaturidade e pelo mau planejamento; os reis indicam amadurecimento, de tal forma que as
possibilidades são totalmente aproveitadas em realizações,pois ele tem o poder de criar e fazer.
Já as Rainhas indicam uma interiorização dos atributos do naipe, que não se manifestaram ainda mas estão lá
latentes, prontas para uso. Enquanto Reis mostram o total aproveitamento das possibilidades em realizações, as
Rainhas mostram a total capacidade para isso, bastando querer para fazer.
A Rainha de Paus tem energia de sobra, é autoconfiante, se acha bonita e gostosa. Cuida da saúde e do físico e é
uma otimista incorrigível. Sempre lhe sobra entusiasmo. É uma pessoa altamente idônea e honrada. É
autoconfiante porque sabe que consegue cumprir com o que quiser.
Uma situação simbolizada pela Rainha de Paus tem a marca da boa sorte, da autoconfiança, com um alto
potencial de sucesso, de virtude e idoneidade. Revela um alto potencial para realizar, potencial este que
geralmente está latente, mas disponível para uso assim que for necessário.

Grace:
Já li algumas referências sobre integrantes da família de Paus que afirmavam que eles quase sempre
representam pessoas amigas, queridas e bem intencionadas. No caso, da Rainha de Paus, também seguiria esta
regra. O lado negativo dela seria a interferência excessiva na vida do consulente, não exatamente por maldade,
mas por "falta de simancol", o que poderia significar algum estresse. Seria então a "Rainha Intrometida".

Giancarlo:
Algo sobre a Anima Ígnea
Rainhas são forças femininas, carregam consigo todo potencial relativo: geração, emoção, sensibilidade, zelo,
proteção, delicadeza, preservação. Naturalmente, colocar as Rainhas em naipes femininos (Ouros e Copas),
acentua sensivelmente os atributos naturais da figura. E como uma Rainha se comporta em um naipe
masculinizado (Paus e Espadas)? Ok, para quem leu as Brumas de Avalon, sabe que Morgana tem muito a ver
com a imagem da Rainha de Paus, por exemplo. Diferente da Rainha de Espadas, a la Joana D´Arc. Rainhas em
naipe Yang acentuam seu potencial de força, tornam-se guerreiras ou bravas heroínas, disposta a lutar ou
defender causas, bandeiras ou ideais. Diferente da Rainha de Copas, que oculta as coisas, guarda segredos e se
dedica amorosamente à prole, ou ainda da Rainha de Ouros, que sensualmente reconhece o valor do corpo, do
prazer e geração, a Rainha de Paus nada esconde, ela está disposta a mostrar quem é e o que quer. É a mulher
que sai cedo para trabalhar, e ainda arruma tempo para estudar e ver os filhos. É naturalmente independente. E
também tem "fogo nas ventas": não é bom provocá-la. Ela é meio "bruxa", não é à toa que surge com um gato ao
seu lado no Rider Waite. Intuitiva e criativa, mas acima de tudo voluntariosa. Tem muita garra, é empreendedora,
mas, como toda Rainha, sua função não é concretizar, mas sim, preparar o terreno para alguma coisa. Então, ela
faz proezas, mas não se prende a nada, não quer um namorado no pé e nem deseja ficar encostada lavando a
louça do jantar. Ela segue seus impulsos e desejos, e sexualmente é ativa. Lembre-se que é uma mulher "com
(de) fogo". Sua função é usar da sinceridade e autoconfiança para chegar ao objetivo. É honrada, mas tem uma
péssima sombra: auto-suficiente demais e orgulhosa. Ela sugere que algo pode se sair muito bem, mas devemos
ter cuidado com a impulsividade. É uma figura que não sabe quando parar. No mais, uma Rainha de Paus sugere
glórias através de esforço próprio: "se és honesto e vem lutando, então aproveita os louros".

Cássia:
Rainha de Paus
Características gerais: O elemento das Rainhas é a água, e elas são um reflexo da Imperatriz. Elas são a força
criativa. Uma maneira de pensar nas cartas da corte é a seguinte: os Reis são a força motivacional (Fogo = o sol
acordando a Terra que dorme). As Rainhas são aquelas que fazem a coisa acontecer (Água = a chuva trazendo
vida para a Terra). Os Cavaleiros espalham a idéia pelo reino (Vento = espalha as sementes). E os Pajens, claro,
são o solo fértil onde tudo isso pode crescer. Quando uma Rainha aparece, ela sinaliza um tempo de crescimento
e desenvolvimento, um tempo em que o consulente está tornando as coisas reais.
Características específicas: Elas iluminam um lugar quando chegam, irradiando calor e energia. Muito
freqüentemente são artistas, cantoras ou atrizes. Podem também ser lideres ou ativistas. É uma pessoa
magnética, e quem fica à sua volta pode ser queimado pela sua natureza passional e incansável. Não que elas
não possam ser gentis; elas adoram crianças e são muito ativas na vida delas, fazendo fantasias, treinando os
times da escola, etc. São mulheres muito criativas, com energia interminável para criar, viajar e entreter. Elas
podem impressionar ou intimidar, ser mandonas e dominadoras. No seu melhor, são uma inspiração para a família
e para os amigos, e geralmente são admiradas pelos que não a conhecem.
Situações: desenvolvimento de uma viagem ou de uma carreira, provavelmente com uma posição de liderança.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Adriana:
(texto traduzido do www.learningtaro.com)
RAINHA DE PAUS
·ATRAENTE
6
·DEDICADA
·ENÉRGICA
·ANIMADA
·AUTOCONFIANTE
A personalidade da Rainha de Paus combina a energia positiva do fogo do naipe de Paus com a interiorização de
uma Rainha. Ela é a unanimidade, a mais popular de sua classe. Está sempre atraente e freqüentemente bem
vestida num estilo clássico. Seu sorriso caloroso e seu jeito indolente lhe trazem muitos amigos e admiradores.
Sua energia é contagiante, e seu entusiasmo, total. Não importa qual a tarefa, ela se dedica com sincera devoção
e comprometimento. Nada consegue derruba-la. Ela é sempre otimista e animada – pronta para o lado positivo da
situação. Sua vida é cheia e ocupada, e ela prefere assim. Ama estar em movimento e cuidando de tarefas.
Mantém o ritmo de seus passos constante porque tem uma forma física saudável e cheia de energia.
Freqüentemente é uma boa atleta, com força natural e coordenação. Embora nunca seja arrogante, a Rainha de
Paus tem uma profunda fé em suas próprias habilidades. Sua tranqüila autoconfiança vem do conhecimento de
que pode executar tudo o que sua vontade determinar..
Nas leituras, a Rainha de Paus te convida a pensar e sentir como ela. Por exemplo: Você se sente atraente?
Acredita em si mesmo? É cheio de energia? Consegue se manter afastado da melancolia? É entusiasmado com a
vida?
Esta Rainha também pode representar um homem ou mulher que é como ela, ou uma atmosfera de animação e
confiante entusiasmo. Em uma leitura, ela te diz que sua energia especial tem um propósito para você neste
momento.

Ercilia:
Complemento
Associações com a astrologia:
A Lua ou Vênus em Leão ou nos outros signos de Fogo, Carneiro e Sagitário.

Ricardo:
RAINHA DE PAUS
Grande Rainha de Paus, quando aparece “negativamente” sugere aquela sogra, tia, amiga ou chefe intrometida,
que, irritantemente, dá pitaco na vida de todo mundo... Ela faz isso não por mal, ela ama demais todos os seu
“pupilos(as)”, é porque tudo nela é exagerado, inclusive, os sentimentos e, sem dúvida, também, os modos e a
falta de educação. Geralmente ela aparece onde não é chamada e, o pior, ditando regras. Quando desprezada ou
excluída torna-se amarga, dissimulada e má. Em alguns casos pode vir a destacar ingerência, desmandos
hierárquicos ou insubordinação ou desobediência, coisas do tipo: “ninguém manda em mim...”. Em nível de
sexualidade pode representar as ninfomaníacas ou desequilíbrio da energia sexual ...

Estudos da Corte - REI DE PAUS


Bruno: Movendo adiante nos estudos...
Os reis representam a maturidade estabelecida em seus elementos. São entidades supremas que carregam uma
responsabilidade social em seus ombros, a qual impõe um sacrifício de seus interesses em prol do bem-estar
social, pressão esta que ao mesmo tempo os motivam e os levam a traduzir suas ações em sucesso.
O Rei de Paus representa primariamente a habilidade de dominar uma situação pela força de vontade e
determinação. É a energia de Paus controlada e canalizada exclusivamente na realização de seus objetivos e
aspirações, muito embora o espírito aventureiro deste naipe encontre um certo desconforto com a
responsabilidade que aqui lhe é impetrada.
Neste arcano, a energia do Fogo pulsa tão fortemente que a pessoa sob sua influência tende a nutrir uma
intolerância em face a atitudes negativas e fraquezas de caráter alheias. Generosidade e coragem são também
atributos marcantes na sua personalidade, muito embora possa por vezes exceder na agressividade caso
encontre resistências no caminho de suas realizações, uma vez que não desistirá até que atinja seus objetivos e
ponto.

Ricardo:
Segundo ARTHUR EDWARD WAITE:
O Rei de Paus representa aquela figura do Pai, Governante, Líder caloroso, apaixonado, que protege os seus
"filhos" e, ainda, os dos vizinhos que lhes são parceiros, leais e que jogam no seu mesmo time etc. Segundo Waite
ele seria aquela espécie de homem, líder:
"[...] bom mas severo, austero mas tolerante."
Em nível de construções individuais potenciais, significa que o consulente pode estar edificando suas estruturas
internas por meio de novas bases de acordo com as demandas do momento e externamente empreendendo de
forma planejada, organizada com foco nos objetivos.
Numa consulta destaca que é o momento de definir e dar início e construção de uma estrutura nova.
Esta carta sempre aparece quando um alicerce acabou de ser construído, por exemplo: casamento; noivado;
7
construção de casa ou apartamento ou Empresa; novo emprego; estudos preparatórios para concursos; cursos de
aperfeiçoamento ou graduação ou de pós-graduação. Dá ênfase aos eventos que poderão acontecer na vida de
uma pessoa e que poderão trazer estabilidade material e/ou emocional. Esse arcano é um dos que passa uma
energia de estruturação, construção, edificação, consolidação e tudo com bases muito sólidas. Difícil derrubar
esse Rei de Paus.
Quando influencia um jogo "negativamente", tem-se,assim, a figura de um déspota, arrogante, realmente, com o
"rei na barriga" que acha que pode tudo e faz tudo por meio de atos extremos, exagerados e dogmáticos.

Luciene:
Com intenções muito semelhantes à Rainha, o Rei de Paus se difere porque é a própria força criativa e de ação.
Enquanto a Rainha deseja e até luta, ele conquista. É um vitorioso que consegue o reconhecimento, respeito e
admiração das pessoas. Isso porque sabe exatamente o que quer e o faz por direito, com criatividade, coragem e
prezando pela honra.

Giancarlo:
Alguma coisa sobre o Animus Ígneo
Os Reis, por natureza, representam o aspecto concreto, qualificado e enobrecido das experiências propostas
pelas outras 3 figuras (Rainha, Cavaleiro e Pajem). Uma figura estável, articulada e fortificante, cuja presença em
tiragens, confirma e define as situações. No caso do Rei de Paus, a força masculina do naipe ganha foco e
direção, traduzindo a certeza e clareza dos propósitos. Como um representante do fogo, seu propósito é clarear os
caminhos e mostrar uma nova direção possível. O Rei de Paus é um homem cuja personalidade é notável, vivo e
espirituoso, um idealista ímpar. Lembremos de sua faceta espiritual - pode ser um líder religioso em alguns
momentos. Bravura e energia não lhe faltam, certamente. Empenha-se em sempre dar o melhor de si. Creio que,
associando em primeiro momento uma pessoa, penso em João Paulo II: certamente alguém que assumiu muitas
características da figura. O Rei de Paus é a própria fé em movimento e a certeza que tudo irá melhorar. Transmite
muito calor a todos, mas é exigente com a sinceridade alheia. É o Rei mais jovial no meu entendimento, oposto ao
Rei de Ouros, que traz um ar mais conservador.
Opta pelo favorecimento e não admite fracassos. O fazer agora é um dos seus lemas.

Cássia:
Rei de Paus
Características gerais: Reis. Eles aparecem por último mas deveriam ser os primeiros, pois os Reis são o começo
das cartas da corte. Eles são o fogo – seu elemento – a paixão, a força motriz. É por isso que Crowley os põe
como Cavaleiros, cavalgando seus cavalos (ao invés de estarem sentados passivamente em seus tronos), cheios
de energia, movendo-se, liderando. Os Reis estão relacionados com o Imperador, e, assim como ele, são
estrategistas, motivadores, comandantes, criadores, aquele que reúne todos para formar um reino (lembre de
Henrique V). A Rainha é aquela que torna a coisa real, e o Rei/Cavaleiro a levará para além dos muros do castelo.
Sem o Rei, nada acontece. Dessa forma, os Reis podem indicar motivação, o começo de algo novo.
Características específicas: Chame-o de “O Pregador”. Seu reino dos sonhos é uma filosofia. Ele preenche um
local quando entra, expansivo, cheio de energia, carisma, alegria. Você o conhece, é o motivador, o padre
carismático, o político amado (?), o técnico ameaçador que transforma perdedores em vencedores. Ele adora
perigo, desafios, aventuras. Um grande inovador que pode virar uma empresa do avesso, fazendo os funcionários
trabalharem horas extras para agradá-lo. Ele é Alexandre o Grande, Júlio César, Henrique V. Ele deve sempre
estar no comando. Tem mais admiradores do que amigos, as pessoas o adoram ou o odeiam, o mesmo com sua
família. Não que ele não ame sua família; ele se apaixonou pela esposa à primeira vista e a cantou até que ela o
amasse de volta; ele é ótimo com os filhos. Nenhum pai pode ser mais moderno e divertido. Mas ele espera que a
família vá com ele para qualquer lugar – como um Safári improvisado, na África – e fique com ele em qualquer
situação. Se eles não o fizerem, seu outro lado aparece; o lado ciumento, impaciente, tirano. Não é surpresa se
sua mulher ou filhos se rebelarem contra ele.
Situações: Planejamento de uma grande viagem, uma idéia para uma nova carreira, motivação para entrar na
política ou para encarregar-se de algo. Dependendo de onde aparece, pode indicar que o consulente resolveu
tomar o controle, pôr um fim no velho com suas idéias novas.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Adriana:
(texto traduzido do www.learningtaro.com)
REI DE PAUS
Criativo
Inspirador
Poderoso
Carismático
Arrojado
A personalidade do Rei de Paus é a combinação da energia do fogo positivo de Paus e a atividade, exteriorizada
na figura do Rei. Ele é criativo e nunca se contenta com um velho e cansativo caminho. Acredita em sua

8
originalidade e deixa que suas inspirações o guiem. É entusiástico. Ele se adianta e toma o comando se a
oportunidade se apresentar. Outros o seguem enquanto ele mostra o caminho com segurança. É poderoso na
perseguição de seus objetivos. Ele não é tranqüilo, mas é um observador passivo caso seja necessário aos seus
propósitos. Ele se atira e cria resultados; é dramático e instigante. Este Rei nunca fica de lado, freqüentemente é o
centro das atenções. É destemido e corajoso. Evita a segurança, as rotas fáceis, porque tem a energia e
segurança para correr riscos e vencer. O Rei de Paus tem a coragem de suas convicções e sempre acredita em si
mesmo.
Nas leituras, o Rei de Paus te convida a efetuar as ações que ele faria. Por exemplo: criar uma obra-prima, liderar
o caminho, correr riscos, ou chamar a atenção. Este Rei também pode representar um homem ou uma mulher que
age como ele, ou uma atmosfera de excitamento, desafio e drama. Em uma leitura, ele te dá especial energia que
está disponível a qualquer momento.

Estudos da Corte - PAJEM DE COPAS


Bruno:
Baseado na simbologia do Rider-Waite
Sob a lente psicológica, o Pajem ou Valete de Copas reflete um estado ou um período em que a contemplação, a
fantasia e os devaneios são apropriados para o consulente, podendo levá-lo a um contato direto e profundo com
suas emoções. Na imagem de Pamela Smith, ele mira atentamente para a sua copa, dentro da qual um peixe,
símbolo de sua imaginação criativa, mira de volta para ele. Ainda virgem das decepções resultantes de
envolvimentos afetivos, ele experiencia esta nova vivência espontaneamente e ainda livre de traumas.
É interessante notar que os Pajens podem representar aberturas e oportunidades nas suas áreas, mas no caso de
Copas, isto está diretamente ligado ao estado de prontidão do consulente, que favorece tais interações.
Em estado de “negação”, nosso jovem personagem pode apresentar uma excessiva imaturidade
emocional/afetiva, assim como resistir ou ter medo mesmo de envolvimentos de várias espécies. Pode indicar a
recusa de ouvir um conselho alheio ou a própria voz da intuição!

Renato:
O Pajem de Copas, ao meu ver, sempre indica oportunidades de amar alguma coisa, seja alguém, um trabalho,
um projeto, o que for. Indica aquela situação onde nos enamoramos de algo.
Em minhas experiências oraculares, o Pajem de Copas já indicou também oportunidades de se fazer as pazes.
Há quem diga, apesar de eu não ter confirmado isso pelos meus jogos, tratar-se o Pajem de Copas de uma
oportunidade sexual.

Ricardo:
Viajando no arcano...
Eu diria que esse arcano da corte é o(a) "padroeiro(a) tarotiano" dos homossexuais... E quando vem
acompanhado dos Enamorados, aí não me restam dúvidas, cabe bem no contexto da homossexualidade...
Haja sensibilidade, lágrimas de amor ou rompantes apaixonados à primeira vista... Fantasiam-se os casos de
amor ou a materialização dos projetos.
Estados contemplativos ou meditativos ou estudos sobre esses aspectos também são influenciados por esse
"infantil" e "sensível" arcano.
Quando sob a influência reversa, falta-lhe o bom senso, o discernimento ou então uma certa perturbação mental
oriunda de "visões" de outros planos, esferas ou cenários de "outros mundos" extraterrenos... Tem quem postule
que a pessoa sob a égide desse arcano em seus atributos reversos pode ver "espíritos", "elementais", conversa
com "sereias" e extraterrestres ...

Giancarlo:
Algo sobre o "Puer Aquático"
Hei de concordar com o Ricardo: o Pajem de Copas tem características bem homossexuais. Normalmente, para
identificação de filhos, Pajem de Ouros e Copas são meninas e Paus e Espadas, meninos.
Mas, voltando ao nosso Pajem, em especial, o que mais identifico na figura é o aspecto "Peter Pan". Esse Arcano
não quer crescer, não deseja "sair da barra da mãe", vive de fantasias e devaneios. A figura do peixe emergindo
da taça, reporta-se ao desejo da imortalidade, além da taça simbolizar o seio materno e a abundância, então a
figura espera algo mágico do mundo, de sua existência, da vida em si. Há uma hipersensibilidade presente na
figura, o que a torna extremamente afeminada. O peixe está relacionado ao elemento do naipe (água), mas
sempre é bom lembrar da relação cristã com os símbolos taça e peixe, presente na iconografia religiosa. Esse
Pajem parece "querer beber a salvação" e embriagar-se de uma "comunhão mística". Logo, o Pajem pode estar
tendo uma revelação ao fitar a taça com o peixe, ou tão somente, uma alucinação lisérgica após ter se drogado no
jejum da manhã. O fato é que é difícil para esse jovem lidar com a realidade. Dilui-se através de sua imaginação,
mas tem potencialidade para perceber a dor do outro (o peixe é crístico). O Pajem de Copas pode ser alguém
mimado, ou ainda ser visto como um maricas, ou alguém muito gentil a ponto de ser excessivamente polido e
educado.

9
Como o peixe na taça anuncia prosperidade, sabe que existem promessas de convites agradáveis, mas também
amores impossíveis, amizades sinceras, mas também desencontros casuais. O Pajem admite que sua felicidade
não se limita à realidade, mas nas romanceadas novelas que acaba experimentando...

Kirtan
E me pergunto porque nos preocupamos tanto com a sexualidade dos outros. Seria uma característica latina?
Se uma menina pergunta sobre um carinha e sai um Pajem de Copas é mais fácil dizer que se trata de uma
pessoa ingênua do que um gay enrustido.
Enfim, seria interessante a gente parar um pouco para pensar neste assunto.

Bruno:
Discutindo sexualidade.
Acho perfeitamente cabível que o Pajem de Copas venha como o catalizador de uma homossexualidade, mas tão
somente se o aspecto da sexualidade estiver inserido no escopo da questão, e mesmo assim quando
acompanhado de certos arcanos como a Papisa, sem levar em conta fatores como a posição também.
O que eu chamo a atenção dos colegas aqui, é para o cuidado em não se tomar o todo pelas partes... Talvez o
Kirtan esteja correto em afirmar que nós latinos tenhamos uma tendência mais fixa na questão da sexualidade
(principalmente se assistir as novelas da Globo)
Acho que a cada tópico que discutimos, voltamos a cair na mesma máxima: "Tudo depende do contexto".

Renato:
Apenas estamos analisando todas as possibilidades que um arcano pode ter. O homossexualismo é hoje uma
energia bastante difundida, que começa a ser vista sem preconceito (e é assim que deve ser), e acho que como
tarólogos, amadores ou não, teremos casos assim para analisar com cada vez mais freqüência.

Ricardo:
Acredito que ninguém aqui atribuiu somente o aspecto da "homossexualidade" ao arcano menor Pajem de Copas.
Lógico que o contexto, a questão, as pessoas envolvidas irão prevalecer.
Não se pode ser irresponsável ao ponto de numa consulta, só porque o bichinho apareceu e ir se fazendo logo a
relação de sua aparição com a possibilidade de homossexualidade em alguém ou no jogo como um todo... Vários
aspectos têm que ser analisados antes de um veredicto final...
E caros Bruno e Kirtan, essa coisa de fuçar-se e vasculhar-se a vida sexual e outros das pessoas é antropológica,
histórica, filosófica, sociológico e psicológica, desde que o mundo é mundo que isso existe e, claro, não só na
América Latina, é universal, mundial, globalizada, de pai pra filho etc, etc...

Bruno:
Seguindo na discussão.
Renato: Mas foi exatamente o que coloquei. Só deixei um parêntese para os mais desavisados não fazerem da
homossexualidade uma via de regra com este arcano. Muito embora isto seja óbvio para a maioria, existe uma
tendência generalizada a criar regrinhas prontas.
Ricardo: Embora a questão da sexualidade venha mais e mais evoluindo, se difundindo e quebrando tabus em
todo o mundo como você bem coloca, tenho uma opinião pessoal, por morar fora há 7 anos, de que a sexualidade
ou uma certa sensualidade se assim preferir, está muito mais inserida na cultura latina do que na anglo-saxônica
por assim dizer.
Isto reflete na maneira das pessoas se vestirem, da forma como surge na mídia, e por aí vai.
Mais uma vez deixo claro, esta é a minha opinião, baseada nos contrastes que tive a oportunidade de experienciar
nas diferentes culturas - é um choque.

Ricardo:
Hei grande Bruno,
é impressão minha ou você confundiu o meu ponto de vista com o do Renato?
Sei que existem costumes, culturas e valores que em certos povos são mais evidentes que em outros e a forma
das pessoas se vestirem, "sensualmente" ou não, nem sempre querem afirmar as suas orientações sexuais. Eu
posso me vestir de baiana e desfilar em praça pública e isso não significa que eu seja homossexual ou outros...
Isso, orientação sexual, independe de cultura, de lugares etc. E questões sobre sexualidade (embora ainda seja
esse tema tabu para alguns, como bem frisou o Renato), sempre vão aparecer para que analisemos como
tarólogos/taromantes profissionais ou amadores...

Bruno:
Caro Ricardo,
sim, não há como negar este fato. E pra encerrar minha participação nesta discussão, destaco que no estalar das
taquaras, temos que respeitar a intuição do tarólogo que diagnosticar tal fenômeno, que pode ser indicado por
este Pajem e por outros arcanos também, não nos esqueçamos disto.
Valeu pelos esclarecimentos!

10
Giancarlo:
Comentários...
Oi gente,
"peguei o bonde andando"...
Sobre esse importante debate, quero frisar que reconheço características homossexuais nesse arcano sim. O que
não significa que sempre vá apontar para homossexualismo numa consulta. É o mesmo caso da Imperatriz, a
exemplo, como sinalizadora de gravidez - dependendo da posição que caia, é possível, mas isso não significa que
o simples aparecimento dela em qualquer posição da consulta, sugira gravidez.
Quanto à nossa (latina) preocupação com a sexualidade, tenho minhas reservas ao me posicionar diante do
assunto. Acredito que os países de clima quente a temperado dêem natural importância ao sexo e corpo, a
sensualidade tende a ser algo comum. Pouca roupa e muita provocação. Agora, sexo é tão básico quanto se
alimentar, ainda não encaramos isso como algo normal, comum. Falar sobre a sexualidade de alguém na consulta
é primordial, principalmente na área terapêutica, uma vez que muitos recalques nascem daí. Não é uma questão
puramente relacionada à preocupação: é um fato, pois sexo faz parte da saúde física, mental, emocional,
psicológica do indivíduo. E olha que não sou freudiano, hem ?! No mais, falar sobre homossexualismo é tão banal
hoje, como falar sobre escândalos políticos. Depende de como se encara o assunto e como se aborda. A exemplo,
temos uma casa no Mandala Astrológica (casa 8) e é impossível para mim não tocar em questões sexuais
chegando nessa área. Não se trata de fuçar a vida sexual do cliente, mas sim, orientá-lo, quando preciso, sobre
suas necessidades e apetites... não sou sexólogo, mas como terapeuta, devemos ver o ser humano como um
todo, inclusive como um ente sexuado.

Kirtan:
”Falar sobre a sexualidade de alguém na consulta é primordial, principalmente na área terapêutica, uma vez que
muitos recalques nascem daí.”
É? Não vivo de consultas, mas já atendi muita gente em todos estes anos e nunca precisei falar da orientação
sexual de ninguém, mesmo quando atendi gays convictos.
Quando dei o exemplo de relacionamento, inclusive, foi exatamente para colocar a questão dentro de um contexto
em que a sexualidade é um componente importante e, ainda assim, "desista dele, pois o cara é gay" é algo que
não passa pela minha cabeça.
Tudo bem, estamos falando de abordagens diferentes, Gian. Você faz um trabalho terapêutico com o Tarô.
Presumo que haja algum tipo de acompanhamento, freqüência e tal - ou não seria uma terapia, certo?
A minha leitura não tem por objetivo tratar uma doença somática, psíquica ou psicossomática de alguém, sei lá. As
pessoas têm um problema no relacionamento, no trabalho ou no desenvolvimento profissional e querem entender
o que se passa além do entendimento delas. Aparecem uma vez hoje e voltam sabe-se lá quando.
Esta não é uma questão de quem tem razão - é isto que quero dizer, por fim. Só acho estranho sempre voltarmos
ao tema, frisando que é uma visão pessoal. Cada um conduz a leitura que lhe parece mais conveniente.

Giancarlo:
Oi Kirtan, um toque.
Certamente tratam-se de "abordagens diferentes" (mais ou menos a mesma história da forma que as religiões
vêem Deus). Acho muito natural abordar sobre a questão sexualidade, assim como um outro assunto como o
profissional. Não vejo problemas nisso, é algo natural para mim.
Tudo vai da forma, enfoque e técnica desenvolvida em consulta. Como utilizo o Mandala, impossível não falar de
sexo através da casa 8. Quanto às preferências sexuais do consulente, isso não é o caso: é a maneira que ele
encara a coisa que é o mais importante. Outro dia, peguei uma junção de Pendurado com um Pajem de Copas na
8, tenso com uma Temperança na casa 7 com 2 de Copas (se não me engano) e percebi claramente o conflito do
jovem em assumir sua homossexualidade. Depois de longa conversa, ele só admitiu com muita dificuldade, o que
para ele tornou-se um alívio e passou a conviver bem com isso.
Quanto ao modelo terapêutico tradicional, não sigo os moldes convencionais: o consulente pode voltar sim,
necessitando de acompanhamento, o normal é de 3 em 3 meses... veja, Kirtan: mais cedo ou mais tarde alguém
vai te consultar sobre a vida íntima ou sexual e é importante estar preparado para responder. Querendo ou não,
somos todos terapeutas em potencial - bússolas para outras pessoas.

Cássia:
Pajem de Copas
Características gerais: A primeira carta da corte é o Pajem/Valete/Princesa. É sempre bom imaginá-los como um
jovem, com uma carta ou pergaminho na mão. O elemento do Pajem é “Terra”, indicando algo novo, que está
crescendo, uma semente plantada. Então o Pajem de Paus seria a “Terra do Fogo” – a semente do fogo, por
assim dizer. A centelha. Os Pajens freqüentemente indicam crianças, ou então podem indicar o alter ego do Louco.
Pode também ser um adulto que ainda age como criança. O consulente, se estiver começando algo novo, também
pode ser chamado “O Valete” – nesse caso um tipo de aprendiz. Se for a Princesa, é uma jovem mulher; o
Príncipe que indica um jovem. Se nenhuma criança estiver envolvida (o consulente não tem filhos, nem amigos
com filhos, etc.), então o consulente está prestes a receber uma mensagem. O propósito dos Pajens, afinal, é
entregar mensagens.
11
Características específicas: é uma criança sonhadora; com a cabeça nas nuvens, nunca presta atenção nas
coisas. Tem uma grande imaginação e adora ouvir e contar histórias. Também são muito sensíveis, doces e gentis,
lhe trarão uma flor, tentarão salvar passarinhos doentes ou gatinhos abandonados, e ficarão muito tristes se o
peixinho do aquário morrer. Quando ficam tristes, são as crianças mais tristes que você já viu. Quando estão
felizes, são absolutamente cheios de alegria.
Situações: uma mensagem de amor, romance, família ou desilusão amorosa.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Estudos da Corte - CAVALEIRO DE COPAS


Bruno: Baseado na simbologia do Rider-Waite
O Cavaleiro de Copas é o sonhador idealista, que segue pelos campos do prazer romântico governado por valores
internos e profundas emoções. A natureza aventureira e de movimento dos cavaleiros colide de frente com esta
tendência passiva e introspectiva do nosso personagem, que ainda não percebe que seus profundos sonhos e
aspirações requerem atitudes e ações para que se tornem realidade.
Enquanto amante, demonstra todo um cavalheirismo através de atitudes poéticas - embora um tanto narcisísticas,
mas cuidado: o compromisso não faz parte de seus planos, onde a adoração excessiva pode maquiar intenções
menos nobres, tendendo a partir para outra aventura após saciar seus desejos, pois o que lhe importa é a
conquista em si e não o seu objeto.

Renato:
O Cavaleiro de Copas é romântico e extremamente emocional. Se apaixona por alguém hoje, e por outra pessoa
amanhã. Conquista alguém hoje para abandonar amanhã. Seus sentimentos são instáveis e volúveis. Ofende-se
com excessiva facilidade. É iludido e caprichoso.
Numa situação, mostra que podemos ser levados facilmente pelos sonhos, pelos caprichos e pela ilusão, onde
temos de tomar cuidado com promessas encantadoras, mas que carecem de fundamento. Pode também
representar um ambiente agradável, ou uma disposição de espírito carinhosa e romântica.
Uma vez, num Pèladan, perguntei sobre uma cirurgia de redução de estômago que meu irmão iria fazer. Era uma
operação perigosa, porém necessária, pois meu irmão já esteve beirando os 170 kg. Na casa 4 do Pèladan saiu o
Mago + Cavaleiro de Copas. Até hoje não entendi direito este resultado, apesar da operação ter sido um êxito.
Certa vez, este Cavaleiro se apresentou a mim num jogo como uma pessoa. Uma amiga estava brigada com o
namorado e me pediu um jogo. Por jogos anteriores que fiz pra ela, eu já tinha um pé atrás com o tal cara, que me
parecia ser inconstante e aproveitador. Mas fiz o Pèladan, e vi uma reconciliação seguida de outra ruptura, onde
ela se decepcionaria com ele. Na casa que indicava reconciliação, o Cavaleiro de Copas estava presente.
Resultado, o cara voltou, passou-lhe uma lábia e aprontou de novo.

Bruno: Renato,
Eu te pergunto se no caso da cirurgia do seu irmão, o processo de cura foi mais lento do que o esperado devido a
este cavaleiro.
Em 2004, estávamos na véspera de ser atingidos por um furacão aqui na Flórida (furacão Francis pra ser mais
exato). Não tínhamos ainda noção da localidade exata de impacto, e eu questionava também a força de impacto.
Joguei um Pèladan, do qual me lembro apenas algumas cartas que me marcaram muito pela sua precisão.
Lembro-me do Ás de Paus no negativo, o qual eu certeiramente analisei como uma perda na força dos ventos,
que baixaram a categoria 2. No resultado estava a Torre acompanhada do nosso jovem herói em questão. A Torre
eu analisei como confirmação da minha cidade como localidade de impacto (tiro e queda), mas o cavaleiro me era
uma incógnita. Após a passagem da tempestade conclui que o cavaleiro se referia à baixa velocidade de
deslocamento do bichão, que ficando uma eternidade sobre nossas cabeças, alagou muitos lugares na vizinhança,
embora suportável em termos de vento (Ás de Paus negativo).
Fica aí o registro desse caso envolvendo forças naturais...

Giancarlo:
Um pouco sobre o Herói Aquático...

Oi Bruno,
Interessante esse seu exemplo, hem?!
Eu também levo muito em consideração os Ases negativos, no caso de perguntas sobre a natureza, como
fenômenos intensos naturais. E esse Ás de Paus veio bem a calhar, é o "tapa da mão de Deus".

O Cavaleiro de Copas é como um marinheiro: um amor em cada porto. Ele está em busca de uma realização, às
vezes impossível, em nível do coração. A busca pode se tornar desenfreada e em alguns momentos, obsessiva.
Lembremos das narrativas medievais sobre as "quests". Alguns cavaleiros eram incumbidos de resgatar uma
relíquia sagrada, uma pessoa desaparecida ou uma planta rara ou especial - sua busca se tornava muitas vezes
impossível, tal qual a dos cavaleiros em busca do Graal, na mítica arturiana. O que esse Cavaleiro procura, pode

12
estar fora de alcance. Ele pode passar uma vida procurando algo, que na verdade, sempre esteve debaixo de sua
própria cama.
Há um sentido de nobreza nesse cavaleiro, mas motivado pelo coração. Tal como Lancelot, "pode cair na
armadilha ardilosa do amor"...
Ele pode refletir uma direção, mas nunca é aquela que foi realmente apontada. Ele segue a correnteza do rio ou
deixa-se levar pelas ondas do mar. O fato é que existem tantas promessas, que muitas jamais serão cumpridas.
O Cavaleiro de Copas é um idealista quixotesco, imaginando gigantes em moinhos de vento. Sua imaginação
pode levá-lo longe, mas por outro lado, pode sucumbi-lo. Há um tênue fio entre fantasia e mentira. A coisa segue,
mas não é como realmente pensamos. Afinal de contas, a água sempre encontra caminhos alternativos e
inusitados para chegar a seu destino...

Renato
Bruno,
não posso dizer que a recuperação dele foi particularmente lenta, porque a recuperação para este tipo de
operação sempre é lenta.
O recém-operado passa um período alimentando-se de líquidos (tais como meio copo de caldo de carne no
almoço), para só depois começar a alimentar-se de algo mais sólido, e ainda bem de pouquinho. Quem o
acompanha deve sempre vigiá-lo para que ele não coma demais nem beba refrigerantes ou qualquer bebida
gasosa, pois o estômago corre o risco de estourar literalmente, o que quase sempre é fatal.

Ricardo
...e esse outro de Copas
Esse Cavaleiro de Copas às vezes aparece em jogadas de pessoas "megalomaníacas", que possuem grandes
aspirações e acreditam, piamente, que vão conquistar o "Reino das Águas Claras". Adora dar presentes caros,
roupas de grifes, bons restaurantes... Tudo para impressionar, conquistar e depois fugir da presa como o "Diabo
foge da Cruz", já que não pretende se comprometer com nada e nem com ninguém. É narcisista por natureza!!!
Está preso às suas fantasias, o que o torna passivo diante a uma tomada de decisões que o leve a materializar
algo que prometeu. Nunca parte para uma ação concreta, a não ser quando quer chegar até uma de suas
"vítimas", prometer mundos e fundos para depois deixá-las a ver navios. Sexualmente também tem mil e uma
fantasias, mas, colocá-las em prática ai são outros 500... A falsidade, aqui, impera!...

Renato
E a reversibilidade?
Vamos falar um pouco da reversibilidade deste arcano? Acho que ele funciona muito como o Cavaleiro de Ouros:
sério, teimoso, pés-no-chão, sem muita brincadeira.

Alexsander:
Não tenho muito a acrescentar acerca do foi dito sobre o cavaleiro, mas na questão colocada pelo Renato, esse
mago com cavaleiro de copas no resultado, não poderia ser a motivação que ele precisaria para dar continuidade
ao tratamento ou mesmo as mil e uma promessas impossíveis que fazemos a nós mesmos quando saímos de um
problema e que termos muita dificuldade em cumprir?
Renato, você poderia postar aqui o jogo todo para arriscarmos uma interpretação mais precisa desse cavaleiro...
E... esse cavaleiro também não poderia a nível físico representar uma retenção de líquidos? penso isso pois ele
idealiza muito e realiza pouco, portanto seus sonhos não saem do mundo interior, acumulando-se e criando
produto para mais fantasias...
Pesando assim a água dessas copas todas que ele carrega não poderia representar o líquido sendo retido pelo
corpo?

Renato:
Alexander, conforme sua sugestão, segue abaixo o jogo, que está numa coletânea de jogos que coloquei no Word.
Vou colocar o texto conforme escrevi na época (início de 2004), inclusive a interpretação, portanto, não reparem
se lerem algumas coisas “absurdas” (rsrsrs):
“Este é um jogo sobre uma cirurgia. Meu irmão estava extremamente obeso, já começando a ter dificuldades de
locomoção, e procurou o radical recurso da redução estomacal. Já havia feito dezenas de regimes alimentares -
todos inúteis, pois enquanto alguns foram inócuos, os outros tiveram eficácia limitada, já que ele não conseguia
parar de comer desembestadamente. Sua decisão de operar provocou grande preocupação em todos, uma vez
que trata-se de uma operação delicada. E, curiosamente, após a sua decisão, passamos a receber diversas
notícias de óbitos resultantes dela.
Reuni coragem, e fui consultar o oráculo, prometendo antes a mim mesmo que silenciaria sobre a resposta que
me desse, fosse qual fosse.
‘Como será a operação do meu irmão em dd/mm/aaaa ?’“
Positivo: O Sol + 8 de Paus
Negativo: O Louco + 8 de Espadas
Direcionamento : O Eremita + 3 de Copas
Conclusão: O Mago + Cavaleiro de Copas
13
Síntese: O Julgamento + 2 de Copas
Síntese: Uma situação que envolve uma decisão, o fim de um ciclo, o fim natural de uma fase (O Julgamento),
com todos os problemas resolvidos (2 de Copas).
Ativo: Muito otimismo e confiança nesta operação, numa perfeita integração entre destino e livre-arbítrio (o Sol), se
manifestando numa situação de final de uma fase problemática, há muito aguardada (8 de Paus).
Negativo: Objetividade, acerto, decisão acertada (O Louco – negativo), porém indica os perigos da cirurgia, e a
intranqüilidade que acarreta (8 de Espadas – negativo).
Direcionamento: Processo lento, com obstáculos superáveis (O Eremita), porém se manifestando numa situação
de alegria por ter um sonho realizado (3 de Copas). Ou seja, por mais dificuldades que se encontre, serão
enfrentadas com alegria.
Conclusão: Cirurgia feita com muita habilidade (O Mago), resultando num pronto restabelecimento e boa saúde
(Cavaleiro de Copas). Alguns autores, inclusive, apontam a carta O Mago como indicativo e presságio de um
cirurgião.
Confirmação: O paciente esteve, desde o começo, disposto, decidido e confiante na operação. Porém, para poder
operar, algumas etapas tiveram de ser cumpridas: Teve de fazer exames, participar de palestras e consultar
psicólogos – exigências, para este tipo de cirurgia, do hospital onde operaria. Tudo meio sacrificado, já que a
cirurgia seria feita numa outra cidade, e para tudo isso era necessário se deslocar para lá, arranjando licenças no
trabalho e enfrentando a rodoviária – nada muito sacrificado para que não tem 170 quilos.
A cirurgia, em si, foi excelente. O médico foi realmente muito habilidoso e a recuperação, rápida e surpreendente.

Ricardo:
Ishtar! Por conta de um Pajem de Copas "gay" rolou até um pouco de estresse, o assunto rendeu! Aliás, ainda
está rendendo... Será que esse Cavaleiro de Copas também pode possibilitar, em alguns casos/contextos, o
mesmo tipo de interpretação (homossexualidade) do Pajem do seu mesmo naipe??? Calma galera, é só uma
especulação...!!!

Bruno:
Grande Ricardo, concordo que o Cavaleiro de Copas possa ser também termômetro da homossexualidade...
Copas é o naipe da passividade, e nosso amigo aqui encarna mais ainda o lado da sensualidade do que o Pajem,
ao meu ver.
Obviamente o arcano maior é que vai dar a tonalidade, assim como outros fatores contextuais como posição e
natureza da questão.
Um viva à sexualidade livre!!!!

ISHTAR:
Bruno, concordo com você que copas é um naipe que se refere a passividade/receptividade... seria de fato um
naipe com as características do feminino... no âmbito psicológico, pelo menos.
Melhor explicar... aqui estou me referindo a masculino= ativo, criativo e feminino= passivo, receptivo, como no I
Ching... por favor não interpretem de outra maneira, são apenas características marcantes.
Sob esse aspecto tanto podemos ter um rapaz com essas características que tanto seja homossexual como
heterossexual, esse segundo deve sofrer horrores nas mãos dos porcos chauvinistas, pois nossa cultura
ridiculariza homens sensíveis.
Antes que isso dê panos pra manga resta lembrar que o fato de falarmos tanto em sexualidade hoje em dia refere-
se ao fato de nossa sociedade estar lidando com antigos tabus... coisas que não eram explícitas ou eram muito
mascaradas hoje podem ser vistas mais livremente. No intuito de manter essa atitude de continuar a derrubada
dos tabus acho que podemos sim falar livremente e respeitosamente sobre qualquer assunto.

Giancarlo
Cavaleiros não são carros alegóricos
Pensei que fosse algum naipe "brigão" que iria dar trabalho, não um naipe afetivo como Copas...
De forma alguma, do ponto de vista simbólico, um cavaleiro pode apontar para homossexualismo. No caso do
Pajem, um "acompanhante" real, provoca-se uma característica de delicadeza diante de Copas. Isso não significa
que todas as figuras de Copas tendam a "escorregar no quiabo". Outra coisa, como bem disse o Bruno
anteriormente, existem outros tipos de combinações que podem apontar para tendências homossexuais. Volto a
frisar: o Pajem tem CARACTERÍSTICAS homossexuais, o que não significa que ele seja realmente um assim que
surja na consulta. Para tal, necessitaria ver, por exemplo, a posição de relacionamentos da pessoa através de uma
tiragem qualquer.
Cavaleiros, por conseguinte, estão mais associados à milícia e, conseqüentemente, à virilidade. Acredito ser
improvável um Cavaleiro representar homossexualismo, uma vez que ele tem uma outra postura (ele não é
passivo como figura, embora o naipe seja). Bem, é o que entendo.

Ricardo:
Certa vez atendi um garoto de 17 anos (homossexual assumido) onde ele queria saber se tinha chances de vir a
se materializar um rala-e-rola entre ele e uma cara de mais de 50 anos. Lembro-me bem, utilizei o Pèladan à
14
época, e na casa 3 sairam Os enamorados e Cavaleiro de Copas, na 1 O Diabo e o Rei de Copas, e na 4 O
Imperador e o Pajem de Copas. Lembro-me que me impressionei bastante com essa tiragem.
E, vocês, diante esse cenário tão caracterizado pelos machos de copas, num contexto gay, o que acham, será que
é só uma questão de passividade, sensibilidade características do naipe de copas ou outros aspectos humanos,
terrenos também não tem a sua contribuição num tirada como essa? Levem em conta que, segundo amigos gays
que tenho, que essa história de passivo X ativo numa relação homossexual é mito, ou seja, numa hora um cara
faz papel de passivo e em outra de ativo... Lógico que existem as preferências!!! No caso da tiragem acima, não
tive nenhuma dúvida, os dois iriam se relacionar, sim, aliás, se relacionaram e acho que passaram algum tempo
juntos...

Bruno:
Não sei se vocês se lembram de um dos meus primeiros pitacos onde eu disse algo parecido com "ao meu ver,
estas cartas podem vir a ser os catalisadores da homossexualidade, DESDE QUE o aspecto da sexualidade já
esteja inserido no contexto da questão/situação".
Pois é justamente uma situação como esta que você trouxe, Ricardo, que vem a calhar para ilustrar a minha
opinião. Diante de uma “pré-disposição” (se posso assim dizer) ligamos as antenas na busca das pistas... de outra
forma, deixe-os os em paz na sua macheza.

Lilian:
Pobre Cavaleiro de Copas...
Acho que estão acusando o coitado do cavaleiro de copas injustamente referente a sua sexualidade... risos...
Falo por experiência própria: meu irmão mais novo é homo assumido há mais de 3 anos, e eu sempre digo a ele,
que nunca vi um "viado" mais bronco e grosso do que ele... e todas as vezes que tirei o tarô para ele, o naipe de
copas é o que menos aparece.
Abaixo,o link de uma tiragem de um método proposto pelo Gian para identificar a sexualidade que pedi para o meu
irmão tirar as cartas:
http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=1796988&tid=20212589&na=4&nst=0&nid=1796988-20212589-
2431129730680301047

Ricardo:
diria mais...
...caro Bruno, a própria energia trazida pelo consulente, a atmosfera em torno da questão, a própria convivência
da pessoa com os envolvidos, a própria trajetória de vida dessas pessoas, as personalidades etc, numa consulta
como essa vêm à tona no Tarô.
Não sei se você lembra, mas, teve um tópico onde afirmei categoricamente que não existe tiragem de tarô que
não venha impregnada das energias que estão em volta da questão...
Esse caso que exemplifiquei e tantos outros que a galera da comunidade aqui já postou são as provas cabíveis de
que o que estou dizendo tem tudo a ver, embora haja quem discorde e, pra mim, o processo dialético em
quaisquer circunstâncias sempre é muito válido..., enriquecedor

Renato:
E a reversibilidade?
Vamos falar ainda uma pouco sobre a reversibilidade do Cavaleiro de Copas ?
Acredito que no seu atributo de reverso, este cavaleiro funciona muito como o Cavaleiro de Ouros: durão, pé nos
chão, meio bronco, nada romântico e áspero.
O que acham ?

Bruno:
Inversão da Corte
Ao meu ver, o cavaleiro de Copas tende à superficialidade - ele perde totalmente o contato com suas emoções
"mais nobres" por assim dizer. Mas ele continua romântico, poético, conquistador, mas com a diferença de que
suas intenções são puramente a satisfação dos seus impulsos.
Para dizer a verdade, eu acho que a reversibilidade da corte é uma coisa sutil, e que é melhor concebida no
sentido de que as qualidades de cada personagem, quando se excedem, ou faltam, revelam o seu lado inverso.
Neste sentido, eu acho que ao discutir os traços de suas personalidades, estes aspectos já estão mais ou menos
implícitos, basta fazer a matemática que sugiro.. o que os colegas pensam?

ISHTAR:
Pra mim o reverso do cavaleiro de copas é o Dom Juan, o boêmio, o conquistador barato, aquela figura do caixeiro
viajante... ou do marinheiro... um amor em cada porto e nenhum amor.

Giancarlo
Uma observação importante...
Percebo um certo equívoco vindo de alguns tarólogos, particularmente em obras publicadas, quando se fala da
interpretação "reversa" dos Arcanos. Normalmente, há uma interpretação contrária à expressão da figura, o que é
15
um equívoco. Subentende-se como "reverso" a sombra do Arcano, ou seja, aquilo que não está explícito, que
pode ser ou não negativo.
Por exemplo, tratando-se dos naipes, normalmente devemos estar atentos à natureza dos elementos envolvidos -
para Ouros, terra; Copas, água; Espadas, ar e Paus, fogo. Existe uma escola que inverte a posição de Paus e
Espadas, mas essa é uma outra história. No caso de Copas, como naipe de estudo da vez, o elemento água pode
se tornar "venenoso" em alguns momentos, "obscuro" em outros, e ainda, com poder de afogar, congelar,
evaporar, inundar, etc... Bem, e o que pensar então sobre a sombra das figuras da Corte? Naturalmente, um
Pajem mal trabalhado torna-se um energia dispersa; um Cavaleiro, uma energia descontrolada; uma Rainha, uma
energia instável; e um Rei, uma energia crítica. Não podemos, por exemplo, transformar Copas num naipe ativo só
pela reversão: a sombra normalmente aponta para excessos em algum ponto - podemos notar fantasias e
devaneios extremos, fuga, ilusões, depressões, enganos, inseguranças, dependências, fragilidades, etc. Temos
que estar atentos ao significado real de cada naipe: Paus e Espadas tendem a se tornar "explosivos" quando a
sombra está atuante, enquanto Ouros e Copas, assumem posições mais "inertes" em sua movimentação. Por
isso, como dica, vamos entender o que a natureza de cada naipe e seu elemento nos sugere e a partir daí vamos
exercitar as combinações.

Ricardo:
Bem... adianto-lhes que do ponto de vista metafísico-trascedental da reversibilidade de um arcano,seja ele qual
for, esse CAVALEIRO DE COPAS, que em seu normal é sensível, gracioso, encantador, atraente, oferecido, falso,
fantasioso, sonhador, diria que em seu aspecto reverso ele continua sendo tudo isso, mas, acrescido, de uns
tantos problemas psicológicos, oriundos, claro, de sua mente sonhadora e, por demais, fantasiosa etc. Esses
problemas podem se estender, por exemplo, a alguns desvios ou distúrbios comportamentais, tipos: cleptomania,
pensamentos maquiavélicos, infantilidade, uso de drogas e alcoolismo, prática de sexo "não-convencional ou
normal" (zoofilia; necrofilia; pedofilia etc), auto-engano, hipocrisia, preconceitos com grupos minoritários. No que
diz respeito ao sexo considerado normal, ele pode ser dados às orgias, bacanais, sacanagens etc. Pode, ainda,
mascarar a sua verdadeira orientação sexual, podendo ser uma espécie de gay ou lésbica enrustidos, por
exemplo. Não descarto a possibilidade de ele(a) ser bissexual, então no dizer de nossa colega Ishtar "o babado
aqui é forte". Embora muitos não concordem com esse tipo de ponto de vista dos arcanos, tem-se que levar em
consideração que os mesmos expressam os aspectos "positivos" e "negativos" do ser humano holístico e,
sobretudo, da vida em sociedade. Não existe ser humano perfeito no mundo, portanto, o Tarô, sendo Uno com o
Todo, irá expressar cada nuança, cada faceta, cada ponto, cada característica inerente ao desenvolvimento do
homem no planeta terra. Então, numa consulta ao Tarô temos que ter visão ampla e aberta e, de preferência,
despida de preconceitos, porque poderemos nos deparar com todo tipo de situação, inclusive de orientação
sexual; de distúrbios mentais e psicológicos que os arcanos do Tarô vão nos colocar à tona, sempre que deles nos
utilizarmos... não temos escapatória, ou somos realistas ou somos realistas, eis a questão!

Cássia:
Cavaleiro de Copas
Características gerais: Cavaleiros ou Príncipes são o espírito do adolescente; indicam mudanças. Cavaleiros
nunca estão parados; assim como os Pajens indicam mensagens, os Cavaleiros/Príncipes indicam movimento,
viagem. São o elemento Ar, movendo-se e fluindo por tudo. Sendo uma pessoa, representam um adulto jovem ou
alguém que age como um adolescente. Suas crenças são mais puras do que as de um adulto, menos hipócritas e
mais idealistas. Nisso se parecem muito com um cavaleiro: poderoso, inquestionavelmente fiel ao seu reino ou
causa.
Características específicas: Um cavaleiro da acepção da palavra, um cavaleiro do amor, um Romeu. É o jovem
que todos conhecemos e amamos: sonhador, sensível, “profundo”. Ele toca música, passa horas sozinho no
quarto, no escuro, e escreve poesias obscuras e com muito sentido. Ele se apaixonará profundamente, ele e seu
amor serão inseparáveis. Pelo lado negativo, pode ser propenso a depressões. Mesmo sendo de lua, é muito fiel a
quem ama e à família.
Situações: viagem para um lago, rio, ou mar, talvez um passeio de barco.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Arcanos da Corte - RAINHA DE COPAS


Bruno: Nada como uma figura feminina - a mais feminina de todas - para acalmar os ânimos exacerbados pelas
discussões apimentadas pelo "fator gay" que tem se alastrado pelo Reino da corte de Copas...
A Rainha de Copas representa o superlativo do seu naipe, ou seja, do elemento Água. Aqui as emoções - de todas
as espécies - são as mais profundas , a sensibilidade está a flor da pele, e há uma característica que eu talvez
considere a mais importante aqui: a alta receptividade. Este estado de abertura emocional no entanto a coloca
bastante vulnerável e um tanto desconectada da realidade “lógica e tangível”. A capacidade de tomar iniciativas
mais claras fica comprometida, pois a fantasia e os devaneios estão exacerbados, assim como estão também a
capacidade intuitiva e clarividente.
No seu lado sombrio ela tende a escapar da realidade através da fantasia, demonstrando uma excessiva
16
insegurança emocional, mas ao mesmo portando uma capacidade de envolver as pessoas ao seu redor com seu
alto poder de sedução. Pode também indicar uma pessoa deprimida ou até mesmo com tendências ao uso de
álcool ou substâncias em casos mais extremos.

Lilian:
Rainha de copas: personalidade comum ao elemento Água: sensível, suave, mediúnica, romântica, prestativa,
solidária. A Rainha dos sentimentos, a mulher sábia.
No seu lado “negro” ela representa a mulher maldosa, traidora e falsa além da depravada e desonrada.
Nas leituras que faço, é comum a Rainha de Copas aparecer na figura da matriarca da família, representando o
papel da mãe e esposa.

Renato:
Uma das coisas que eu acho mais "chatas" na interpretação da Rainha de Copas (e a de Espadas também) pelo
Nei Naiff é justamente que a achei muito pobre. Basicamente ele fala desta rainha num atributo apenas de
mistério, segredos, coisas escondidas. Até hoje não consegui fechar direito o conceito deste arcano.

Bruno:
Falta de Referência.
Não só no livro do Naiff - o qual eu não uso como referência no intuito de trazer informações de outros autores
menos referenciados no Brasil - mas em todos os livros que possuo que falam de arcanos menores, sem a dúvida
a Rainha de Copas é o personagem cuja informação é mais vaga e escassa... não entendo realmente o porque
deste fato.

Lilian:
No livro "O Tarô Universal de Waite" da editora Isis, escrito pela Edith Waite, bem como os livros do Hajo Banzhaf,
a literatura referente a Rainha e os outros arcanos é bem mais ampla em relação ao que o Nei Naiff coloca no livro
Curso Completo de Tarô da editora Nova Era.
Vale a pena dar ma olhada!
Mas concordo com o Bruno quando ele fala que no geral, as informações sobre a Rainha deixam a desejar!

ISHTAR:
A misteriosa
Além do que já foi dito sobre a rainha de copas, me lembro que uma das leituras que me chamou a atenção foi a
do livro O taro Universal de Waite de Edith Waite a autora nos faz ver que no deck de Waite esse é o único arcano
desse naipe que possui a taça fechada, sugerindo que em seu íntimo, em sua psique essa rainha oculta algo de
misterioso... se bom ou ruim depende como sempre do arcano maior que está acompanhando.
Porém de maneira geral ela significa:
Momento de encontrar-se com o profundo e paradoxal mundo interior dos sentimentos. Mulher misteriosa,
enigmática, não exatamente sedutora, mas perturbadora, catalisadora dos sentimentos mais profundos e fantasias
mais ocultas do inconsciente. Pode ser uma pessoa amada ou grande rival. Mulher madura, mãe, dona de casa,
esposa perfeita, sentimental, sensível, amorosa, boa, dedicada, sonhadora, romântica, prestimosa, liberal,
musical. Sucesso, felicidade, vantagem, prazer, intuição correta, mediunidade.

Ricardo:
A Rainha de Copas é excesso de água, emoção e sensibilidade em abundância, muita intuição.
Bastante receptiva e perceptiva. Geralmente representa pessoas que têm dificuldade em lidar com a realidade,
podendo ir da passividade ao autoritarismo. Quando não consegue o que quer através da manipulação emocional
dos fatos, torna-se misteriosa e passa a esconder-se ou a esconder a verdade em prol do alcance do objetivo que
quer alcançar.
Na minha opinião, a Copas fechada que ela trás na mão esconde o seu eu mais profundo, as suas verdadeiras
vontades, as suas expressões mais íntimas que estão bloqueadas no sentido de que ela venha a exercitar o seu
papel de boa esposa, mãe, irmã e amiga etc. Depois de tanto se dar e dedicar a gregos e troianos, se anular e não
realizar os seus reais desejos, ela se revolta, abre a “tampa” da Copas em sua mão e passa a demonstrar outras
facetas de sua personalidade há muito adormecidas, então ela torna-se falsa, dissimulada, uma espécie de mulher
fatal cuja sexualidade se exprime de forma devassa, sem nenhum pudor, sendo a sua feminilidade explorada por
si mesma e pelos outros a cada nova aventura sexual. Há a possibilidade de pessoas que estejam sob a sua
influência reversa estarem exercitando algo do tipo sexo promíscuo, prostituição, fazendo os chamados
“programas sexuais” etc

Renato:
Uma das coisas que já verifiquei a respeito desta Rainha, é que quando a pergunta é sobre uma situação, sobre o
ambiente de alguma coisa, geralmente ela indica que "sentimos" que as coisas não estão muito às claras, estão
meio escondidas, meio que camufladas. Mais ou menos com a Lua.
Não sei se vocês já sentiram isso.

17
Giancarlo:
Anima aquática
Não vejo problema algum em relação à Rainha de Copas. Copas é água, elemento feminino, então a natureza do
elemento se encontra em domicílio. Copas é sentimento, imaginação, vida e consagração. A Rainha recebe os
atributos com toda força e passa a exercê-los. Por um lado, Copas por ser Yin e a Rainha também, acentuam o
aspecto de interiorização, timidez, segredos e receptividade. Logo, essa Rainha é a mais misteriosa e discreta das
figuras da Corte. Por outro lado, sua natureza maternal ganha status e está pronta para cuidar de quem quer que
seja. Contempla a vida, e aguarda receosa o amanhã. Carinhosa, sensível e sonhadora. No Rider-Waite a taça
lembra a Arca da Aliança, que simbolicamente guarda "as leis" (http://www.learntarot.com/bigjpgs/cups13.jpg) e
(http://ambre.com.br/imagens%5Carca.jpg): creio que ela zela e vela por determinadas coisas, particularmente
importantes. Essa mulher preserva e combina amor e dedicação ao que faz. Digamos, é uma Rainha bastante
humilde. Para ela a beleza é a que está dentro de cada um. Tem alto poder imaginativo e voltada para a
sublimidade. Tende a ser dissimulada e escorregadia quando mal trabalhada. Ás vezes é "Amélia", outras vezes,
"Medéia", e ainda "Circe". Pode ser uma chantagista emocional de "marca maior". Camufla muitas vezes as
situações e condições. Ela sinaliza: "o que é, você não vê, então olhe para dentro".
Tal como manto da Sacerdotisa que se transforma em água, a Rainha de Copas tem o mar a seus pés. Importante
lermos alguma coisa de Iemanjá para "pescarmos" mais sobre a simbologia...

Cássia
Rainha de Copas
Características gerais: O elemento das Rainhas é a água, e elas são um reflexo da Imperatriz. Elas são a força
criativa. Uma maneira de pensar nas cartas da corte é a seguinte: os Reis são a força motivacional (Fogo = o sol
acordando a Terra que dorme). As Rainhas são aquelas que fazem a coisa acontecer (Água = a chuva trazendo
vida para a Terra). Os Cavaleiros espalham a idéia pelo reino (Vento = espalha as sementes). E os Pajens, claro,
são o solo fértil onde tudo isso pode crescer. Quando uma Rainha aparece, ela sinaliza um tempo de crescimento
e desenvolvimento, um tempo em que o consulente está tornando as coisas reais.
Características específicas: Freqüentemente é alguém que cura, uma conselheira ou alguém com poderes
psíquicos, aquela pessoa que sabe qual o seu problema antes mesmo que você abra a boca. Ela parece sempre
ter a solução para problemas com a família, com os amigos, no trabalho, no amor. Às vezes é tímida, discreta,
você nem nota que ela está lá; outras vezes pode ser assustadora, misteriosa, uma contadora de histórias criativa.
Carinhosa e amorosa, ela é a típica vovó, sempre pronta a dar um abraço e a cozinhar biscoitos para suas
crianças. Tem uma intuição forte, e seu temperamento... bem, você não a quer voltado contra você. Assustador é
pouco. Infelizmente, essa Rainha pode sofrer de problemas hormonais, depressão, alcoolismo, drogas, problemas
psicológicos.
Situações: Desenvolvimento de um romance, poderes psíquicos, ou a criação de uma família.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Estudos da Corte - REI DE COPAS


Bruno:
Com o Rei de Copas chegamos, com sucesso, à metade do caminho do estudo completo da Corte. Agradeço a
todos que comparecem freqüentemente até então, contando com a mesma continuidade até o final.
O Rei de Copas representa uma pessoa sábia e compreensiva, disponível para ajudar e transmitir a sua
sabedoria, sempre aberto ao ponto de vista alheio. Possui uma capacidade de expressão emotiva madura e
estável, podendo, num jogo, revelar uma prontidão e maturidade para um relacionamento verdadeiro, alguém
prestes a da ruma investida no campo afetivo, pois os reis traduzem seus naipes em ações e atitudes.
Quando energizado negativamente, ele pode tanto pecar por uma falta de maturidade ou disponibilidade para se
envolver emocionalmente, como possuir intenções menos nobres. É aquele que aconselha com uma segunda
intenção, trazendo uma fechada confiável e um caráter duvidável. Pode também revelar uma pessoa que vive em
função dos outros, suportando emocionalmente, mas seu próprio interior se encontra vazio.

Renato:
Acho o Rei de Copas o Rei da Diplomacia. Ele é compreensivo e sempre disposto a ouvir diferentes aspectos e
opiniões. Tem real interesse pelas pessoas, é calmo e conhece a natureza humana.
Mas este Rei pode também ser muito presunçoso e vaidoso. Talvez a figura mais apropriada para ele seria a do
dândi - o cara de bem com a vida, cheio de amigos e com o sorriso fácil, mas que pode perfeitamente se esquivar
de situações desagradáveis.

Giancarlo:
Animus aquático
Copas tem relação com sonhos, o Rei com realizações: o Rei de Copas é o concretizador de sonhos. Não se
vulgariza e assume com magnificência, o poder com amor. Esse rei só faz as coisas que são ditadas pelo coração,

18
do contrário, ele descarta. É o homem dos tratados, em todos os níveis. Facilita acordos. É educado, dedicado e
protetor. Tem uma faceta curadora, terapêutica. É um idealizador nato. Simpático e prestativo. No Rider-Waite o
Rei carrega o pingente com o peixe, o mesmo da taça do Pajem: nesse caso, ele domina a fantasia, enquanto o
Pajem a tem livre. O lado sombra da figura é pusilanimidade. Escorregadio e inseguro. Ao invés de "fechar feridas,
as abre". Confunde realidade e fantasia.

Ricardo:
Esse Rei...
...é o Senhor absoluto de suas Emoções, é extremamente emotivo, romântico e possui de certa forma "alma
feminina", brincalhona, mas, claro, ele não é gay!!! Usei a metáfora da "alma feminina" para enfatizar que ele
entende as mulheres como nenhum outro dos três Reis da Corte do Tarô. Ele é um homem de idéias maduras,
cheio de boas intenções, grande poder de sedução e persuasão. Pode-se dizer, também, que ele é bem
religioso... e com grande sentido de responsabilidade social... Pode significar progresso e/ou projetos bem
sucedidos...
Quando caracterizado pela sombras de seus atributos é dado ao escapismo, à instabilidade emocional, aos
problemas de depressão, às fugas da realidade através do uso de drogas e bebidas alcoólicas. Nos
relacionamentos afetivos, é dado às chamadas puladas de cerca, podendo manter até mais de duas famílias sem
a matriz nem se dar conta da existência das várias filiais que ocupam o coração de tão galante, fogoso, volúvel e
"sem vergonha" Rei de Copas...
Pode representar vida dupla; escândalos; injustiças; perdas; desonestidades etc...

Giancarlo:
Sim, sim, sim!
Ricardo, excelente colocação:
(...)Usei a metáfora da "alma feminina" para enfatizar que ele entende de e as mulheres como nenhum outro dos
três Reis da Corte do Tarô.(...)
Isso me lembrou dois personagens: o Richard Gere em "Pretty Woman" - o Rei de Copas tendo que aprender a
lidar com a Rainha de Paus (Julia Roberts) e Mel Gibson no filme "Do que as Mulheres Gostam", claro, depois de
transformado após o episódio do acidente.

Cássia:
Rei de Copas
Características gerais: Reis. Eles aparecem por último mas deveriam ser os primeiros, pois os Reis são o começo
das cartas da corte. Eles são o fogo – seu elemento – a paixão, a força motriz. É por isso que Crowley os põe
como Cavaleiros, cavalgando seus cavalos (ao invés de estarem sentados passivamente em seus tronos), cheios
de energia, movendo-se, liderando. Os Reis estão relacionados com o Imperador, e, assim como ele, são
estrategistas, motivadores, comandantes, criadores, aquele que reúne todos para formar um reino (lembre de
Henrique V). A Rainha é aquela que torna a coisa real, e o Rei/Cavaleiro a levará para além dos muros do castelo.
Sem o Rei, nada acontece. Dessa forma, os Reis podem indicar motivação, o começo de algo novo.
Características específicas: chame-o de “O Padrinho”. O homem mais gentil, carinhoso e amoroso que você já
conheceu. Seu “reino“ é sua família, e seu único sonho é sentar-se na ponta de uma mesa cheia de familiares,
filhos e netos, servindo comida a todos eles. Sua família vem em primeiro lugar; para eles ele irá trabalhar, se
sacrificar, fazer qualquer coisa; assim como o Poderoso Chefão pode também fazer coisas terríveis
contra quem tentar ferir um de seus familiares. Possivelmente é um chefe, dono de uma livraria, curador de um
museu, decorador, restaurador, historiador. É também um homem antiquado, com idéias antiquadas. Ele motivará
a vizinhança a restaurar um prédio antigo, a ser mais amigável e educada. Assim como a Rainha de Copas, é
gentil e sentimental demais. Não importa quão pródigo seja o filho, ele sempre irá cortá-lo. No que se refere à
família, ele dificilmente usa a razão.
Situações: decisão de começar um novo relacionamento, pode indicar um homem propondo casamento ou
simplesmente decidindo aproximar-se de alguém especial. É um novo amor, mas um amor maduro, determinado.
Pode também indicar um homem querendo tornar-se mais presente, melhor pai ou marido.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Estudos da Corte: PAJEM DE ESPADAS


Bruno: O Pajem de espadas reflete a mente afiada, alerta e ágil de uma criança, ao mesmo tempo desprovida das
preocupações do dia-a-dia de um adulto, mas também infestada por idéias fantasiosas. A curiosidade é uma
tônica aqui, e a vontade de testar os perigos é grande, embora no fundo o medo impere por não conhecer
realmente os limites da experiência mundana. Por outro lado, pode revelar uma expectativa em relação a
confrontos e problemas, uma vez que a mente é uma trabalhadora incansável e constante, como na imagem do
Rider, na qual ele se encontra em posição de prontidão para o golpe de sua espada.
Sob a influência sombria, sua mente afiada passa a questionar tudo sem motivo aparente, podendo ser agressivo,

19
e até mesmo um tanto paranóico. Em certos casos pode denotar chacotas e falatórios da vida alheia...

Renato:
Vejo o Pajem de Espadas como a oportunidade de esclarecer alguma coisa. Este pajem pesquisa, esclarece e
encara os fatos.
Geralmente seu aparecimento anuncia desafios e dilemas, que devem ser encarados da maneira mais honesta e
clara possível

Ercilia:
Para além do que já foi dito acerca desta Pajem,tenho aqui um livrinho que diz ainda:
Aspectos desfavoráveis:
Tendência a deixar-se levar por idéias alheias,impotência motivada pela pressão de forças poderosas, perigo de
traição, de envolver-se em intrigas,possibilidade de morte por assassinato, depressão, duvida , doença.

Lilian:
Acho que o Pajem de Espadas também significa que alguma coisa vai "terminar" logo, ele também a meu ver,
coloca as coisas em ordem.
Poderia o Valete de Espadas significar uma desarmonia espiritual?
Em uma das literaturas que tenho sobre o tarô, o autor descreve os Pajens como as cartas de respostas
"negativas" dos arcanos da corte, ou seja, as menos favoráveis e menos prováveis de acontecer.
Eu, particularmente, não concordo com essa visão.

Ricardo:
Esse "endiabrado" Pajem de Espadas
Aqui no Ceará as crianças com as características mentais e de comunicação do Pajem de Espadas são chamadas
de "espilicutes", "enxeridas" pois dão opinião em tudo, sabem de tudo, se intrometem em tudo, são bem ativas,
precoces mesmo, assim como esse Pajem... Pois é, esse Pajem de Espadas é bem vivo, curioso e possui uma
inteligência, digamos, brilhante, é perceptivo, analítico, com poderoso poder de observação... Ele pode surgir com
aquelas notícias que não esperamos.
Quando surge com sombras é dado a atitudes indiscretas, torna-se mentiroso, dado a escândalos, é fofoqueiro,
espiona a vida alheia, levanta falsos testemunhos, é agressivo etc. As crianças são super-ativas, bem
problemáticas etc.
Lílian, assim como você também não concordo com esse autor o qual você se referiu. Quanto a esse arcano
menor destacar desarmonia espiritual, diria que deveríamos antes observar os outros arcanos, o método e o
contexto em geral etc. Mas, não é impossível algum tipo de interpretação desse arcano menor nesse nível, até
porque aspectos espirituais podem influir (ser a causa) no/do bem ou mal estar mental (Plano do Pajem de
Espadas) de um indivíduo...

Renato:
O Pajem de Espadas também é muito maltratado no livro Tarô Vida & Destino, do Nei Naiff. Ali ele é descrito
totalmente com qualidades negativas (curioso, intrigueiro, ladrão, prostituto, invejoso, de má-fé).
Imagine um incauto que tire um jogo sobre a personalidade de um "espilicute", como o Ricardo falou, e saia esta
carta ?

Giancarlo:
Puer aéreo... o que sobrou para ele?
Vamos lembrar do Pajem como uma figura infantil - logo, as pretensões, atitudes e expressões da figura
obedecem essa natureza. Espadas é ar, ar é mental. O que pode acontecer com uma criança com qualidades
mentais em alta? Um superdotado? Um Mozart "da vida"?
Ok. Estamos acostumados a ler e ouvir por aí que Espadas é o pior dos naipes. Nesse ponto, reaprendi com o
Kirtan, em seu excelente texto "Espadas e as 04 Nobres Verdades" que o naipe é muito mais que supomos.
Certamente, pelo símbolo, o objeto perfura, corta, deixa cicatrizes, mas também defende e pode ser utilizado
nobremente.
O Pajem de Espadas, é um menino desconfiado. No Rider-Waite, empunha a espada no alto de uma colina, onde
uma ventania acontece. Os cúmulos (nuvens densas) surgem atrás e sugerem: "o tempo vai fechar" (isso é uma
metáfora, certo?). O Pajem encara e coloca sua espada atrás. Ele enfrenta, é certamente corajoso. Quem ou o
que ele vai encarar, fica por conta da imaginação de cada um.
Essa figura tem agudez mental. É perspicaz, tem as respostas na ponta da língua, ágil e inquieto. É o próprio
escudeiro aprendendo a ser cavaleiro. é meio desengonçado com a espada, por isso não causa tanto estrago ao
usá-la (a espada, nesse caso, tem relação com a língua). Às vezes, tenho impressão que a ventania é tão forte e a
figura tão leve, que o vento vai levá-la. Naturalmente, sugere discriminação, no sentido de distinguir. Muitas idéias,
muito blá, blá, blá e às vezes, pouco resultado. É um Arcano falante, diante disso, pode resvalar em todos
problemas ligados à forma de expressar e conduzir as falas: falastrão, inconveniente, biduzão, mentiroso,
fofoqueiro, verborrágico, etc. Mas, isso é um dos detalhes. O Pajem de Espadas é muito bom para resolver

20
problemas pequenos, particularmente os que exigem raciocínio. Numa prova, por exemplo, ele pode sugerir bons
resultados, mas não posso dizer o mesmo em estudos prolongados. Assim como Paus, Espadas é Yang, isso
provoca ação.
Diante do Puer Aéreo, temos pensamentos rápidos e idéias instântaneas. É possível encontrar respostas
imediatamente através da figura.
Ele é brigão, mas só quando é desafiado. Para uma criança, a raiva é algo passageiro.
Todo tipo de correspondências rápidas tem relação com a figura (e-mails, telegramas, sedex). Assim como cursos
curtos e testes. Questionamentos é algo que a figura sugere, ele quer entender, do contrário, nada feito. A
curiosidade é uma das características. O problema é quando a figura "tende a bancar o pára-raio" (se notarem
bem, ficar no alto de uma colina, com o tempo fechando, e uma espada apontando para o céu, é um risco!) -
normalmente acusações infundadas e erros de julgamento acompanham essa figura. A esperteza do menino pode
também ser sua derrocada.
Há a necessidade de se averiguar, quando o Arcano surge, se há cumprimento da palavra e dobrar o cuidado com
documentações. Esse Pajem é "como um adolescente que faz o que dá na telha, depois é que vai ver as
conseqüências".
Um Arcano de debates e ainda, discussões, todas pequenas. Ainda, sugere algumas descobertas no campo
intelectual. Essa figura se apóia nas palavras, logo, são elas que ditarão o foco dos assuntos. De repente, me
lembrei do filme "O Senhor dos Anéis" e lembrei de uma figura bem Pajem de Espadas: o hobbit Merry (Meriadoc
Brandebuque), que além de falante, inteligente e infantil, não sabe muito como manusear uma espada...
(http://cineclick.virgula.com.br/especiais/hotsites/osenhordosaneis3/personagens.php)

Vera:
Ele é ainda uma criança, imaturo, genioso, briguento. Tem a língua afiada, crítico em sua sombra.
Ainda não domina seus impulsos, seu gênio. Se acha!!!!
No lado positivo significa o começo do livre-pensar, do discordar, da crítica construtiva, mas é apenas o começo...

ISHTAR:
Para tudo além do que foi dito, o Pajem de Espadas pode ser maledicente, e se representar uma criança merece
os cuidados com a sua educação e formação, pois tem grande tendência a desenvolver desvios de caráter.

Cássia:
Pajem de Espadas
Características gerais: A primeira carta da corte é o Pajem/Valete/Princesa. É sempre bom imaginá-los como um
jovem, com uma carta ou pergaminho na mão. O elemento do Pajem é “Terra”, indicando algo novo, que está
crescendo, uma semente plantada. Então o Pajem de Paus seria a “Terra do Fogo” – a semente do fogo, por
assim dizer. A centelha. Os Pajens freqüentemente indicam crianças, ou então podem indicar o alter ego do Louco.
Pode também ser um adulto que ainda age como criança. O consulente, se estiver começando algo novo, também
pode ser chamado “O Valete” – nesse caso um tipo de aprendiz. Se for a Princesa, é uma jovem mulher; o
Príncipe que indica um jovem. Se nenhuma criança estiver envolvida (o consulente não tem filhos, nem amigos
com filhos, etc.), então o consulente está prestes a receber uma mensagem. O propósito dos Pajens, afinal, é
entregar mensagens.
Características específicas: Você não consegue calar a boca dessa criança. “Por quê? Por quê? Por quê?”, ele
sempre pergunta. E o pior, tudo que ele ouve ele repete, e pode revelar segredos na frente de todo mundo. Ele
chegará pra titia e perguntará: “Você está mesmo grávida? Minha mãe falou que você parece uma grávida...” Tem
seu lado positivo; pode ser extremamente inteligente, do tipo que aprende muito rápido. E já deve saber usar o
computador melhor do que você. Um problema é que qualquer coisa que você o mande fazer ele irá discutir.
Cuidado para que não se torne um “sabe-tudo” ou um fofoqueiro.
Situações: Uma mensagem relacionada a um problema já resolvido ou que acabará mal, ou uma mensagem
trazendo uma idéia ou solução. Ás vezes pode ser uma doença. Pode ser também rumores ou fofocas – nesse
caso verifique bem, pode ser uma mensagem falsa.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Estudos da Corte: CAVALEIRO DE ESPADAS


Renato: Com a permissão do Bruno, vou iniciar o tópico do Cavaleiro de Espadas.
Este arcano é “sui generis”. Representa aquele tipo de pessoa altamente inteligente e intelectual, mas que ainda
não sabe temperar a rudeza e a agudeza do seu intelecto altamente desenvolvido com as regras sociais
necessárias ao convívio humano. Se ele acha que algo está certo, ele falará claramente, independente de quem
se magoar com seus modos impositivos. Se ele estiver entusiasmado com alguma coisa, falará tão alto e
imperiosamente que quem estiver passando por perto irá achar que ele está brigando. Se tiver que dar uma
ordem, se aproximará dos envolvidos sem se preocupar em dar “bom dia” ou “com licença”. Ele não é mau, nem
talvez mal educado – apenas é que, para ele, a certeza dos fatos e a correção dos problemas é muito mais
importante do que os sentimentos pessoais envolvidos.

21
Ele não tolera pessoas “dodóis”, nem tem paciência com quem é mais lento ou menos inteligente do que ele. Seu
amor aos fatos e ao intelecto é tão unilateral que muitas vezes se descuida de cuidar do lado humano das
questões em que está envolvido.
De resto, é um sujeito que adora estudar e se inteirar dos fatos, e quando se dedica a algo logo se torna um perito
daquilo. São também excelentes funcionários, mas péssimos chefes. Geralmente deixam um rastro de
ressentimento por onde passam, de forma que se teme muito sua ação num cargo de chefia ou comando.
Este cavaleiro também pode mostrar uma situação onde os fatos de uma situação são apresentados de uma
maneira rude, direta, arguta e imperiosa, sem muita consideração ou delicadeza. Nas minhas experiências
oraculares, quando ele aparece, com certeza tem gente que ficou ou ficará ferida por ele ou pela situação.
O Cavaleiro de Espadas é um Rei de Espadas ainda adolescente.

Ana:
Oi, Renato!
Interessante a forma como você colocou. Lendo seu tópico, tive a nítida visão de alguém que conheci. Era muito
pobre, estudou muito, e quando alcançou uma posição de comando, tornou-se insuportável. Hoje é exatamente
assim, mais exacerbado ainda. Creio que o Rei de Espadas. Por onde passa há sempre um rastro de ódio,
amarguras, sentimentos pesados. Pela primeira vez, depois de tanto ler sobre isso, consegui visualizar uma
pessoa nitidamente pela descrição de uma das cartas da corte. Gostei muitíssimo.

Giancarlo:
Algo sobre o "Herói Aéreo"
Os Cavaleiros, de forma geral, em suas reluzentes armaduras, representam nobres ideais. Cada qual faz seu
papel, e, no caso de assumir a essência de Espadas, o Cavaleiro está numa importante missão "militar". Isso pode
evocar a idéia de que, para ele, a vida é uma luta sem tréguas, uma guerra, ou batalha pela sobrevivência. E o
teor de Espadas é a mente - o Cavaleiro de Espadas luta fervorosamente por suas idéias e opiniões, pois sabe
que "quem conta a História é quem vence a guerra". Logo, essa figura está determinada a ir até o fim, não importa
se isso vai gerar um conflito sem precedentes.
O Cavaleiro de Espadas é altamente reativo. O Cavaleiro de Paus, por exemplo, se apresenta como alguém bem
mais moderado que essa figura no Rider-Waite. No primeiro caso, o cavalo de Paus está empinando-se, evocando
aquele lema "para o alto sempre!"; já o cavalo de Espadas parece voar para frente, evocando a idéia do "ninguém
me segura" ou "em frente e com pressa". A expressão do Cavaleiro de Espadas também é agressiva: ele expressa
abertamente sua raiva e o que pensa. Note que ele segue em posição de ataque, em riste, com alto poder de
penetrabilidade. Isso pode simbolizar que as idéias e opiniões reveladas pelo Cavaleiro, "penetram em nós de
maneira dolorosa". Lembrei-me da frase do Zagallo: "vocês vão ter que me engolir!!!". O Cavaleiro de Espadas
não espera o outro falar, ele passa por cima e começa seu discurso, com aqueles argumentos duros e impiedosos.
Note que ele vai contra a opinião dos demais (está indo contra a ventania): é uma figura das polêmicas, dos
debates ou discursos acalorados, das brigas ou discussões "mais quentes". Na verdade, essa figura quer estar
com a razão, impondo-se de forma imperiosa aos outros.
Não suporta a lentidão e morosidade intelectual. Quer ler livros em tempo recorde. Acha a escola "um porre", pois
os professores são muito "devagar". Ele vai atrás do conhecimento usando os recursos que possui.
De forma geral, o Cavaleiro indica que chegamos lá, mas podemos deixar um rastro de estragos pelo caminho:
pessoas aborrecidas conosco, situações embaraçosas, desentendimentos, mágoas... é preciso frear a
impetuosidade mental desta figura, pois ela é capaz de gerar infortúnios por não levar em consideração o direito
dos demais.
Sua determinação é inegável, mas o descontrole de sua energia é perigosa, a ponto de criar um clima de tensão
insuportável.
Mel Gibson retratou muito bem a figura do Cavaleiro de Espadas no filme "Coração Valente" - na pele do herói
escocês William Wallace, Gibson mostra a personalidade determinada, arredia e enfática do Cavaleiro, com o
ideal de liberdade sendo berrado até na hora final de sua morte! Claro, esse é o lado nobre do Cavaleiro de
Espadas
(http://homepage.mac.com/carpetback/iblog/C1299946347/E1935137168/Media/Pasted%20Graphic.jpg)
(http://content.answers.com/main/content/wp/en/thumb/a/a7/180px-William_Wallace.jpg)
No mais, um Cavaleiro de Espadas mal trabalhado é a língua mais ferina que podemos encontrar. Literalmente,
um causador de dores por suas opiniões.

Ricardo:
Perfil bem estratégico...
Aliás, esse arcano é um dos que aparecem, muitas vezes, em tiragens relacionadas a implementação de
estratégias visando o alcance de metas e objetivos ou ainda representando pessoas extremamente estrategistas
em tudo que fazem. Essas pessoas possuem inteligência focada, raciocínio rápido, são pró-ativas, articuladoras,
gostam de autonomia e liberdade na tomada de decisões e não temem correr riscos. Talvez, seja nessa de não
temerem correr riscos que elas se perdem, pois agindo assim, correm o risco de se precipitarem e de colocarem
tudo a perder, nada é perfeito! Às vezes, falta-lhes maturidade e elas podem, impetuosamente, meterem os pés
pelas mãos, levando consigo tudo e todos que estão por perto, todos sofrem as conseqüências de seus possíveis
desmandos...
22
O inesperado pode andar junto desse arcano menor: cartas, notícias, e-mails que não se esperam podem chegar
a qualquer momento, inclusive más notícias. Diria que esse arcano, em seu "lado sombra", trás consigo toda
espécie de eventos "perigosos", desde os naturais (cataclismos, furacões, tempestades, terremotos etc) até os
humano-artificiais (acidentes de percurso, erros de decisões, erros de operacionalização e de condução, acidentes
graves etc). O ser que atua tendo a influência "nefasta" desse arcano menor é dada às mentiras estrategicamente
elaboradas; ao plágio, à violência; à tortura psicológica e mental; à crueldade com requinte etc. Representa bem
os arrogantes, os pretensiosos, os que tem o "Rei" na barriga, que por onde passam deixam o rastro dos conflitos,
das discussões e do desamor...
Tudo que estiver sob a égide desse arcano da corte, as promessas, os projetos etc serão levados e mantidos até
o seu final. As decisões tomadas não voltam, jamais, atrás...
Na minha opinião a palavra-chave desse arcano menor é ESTRATÉGIA. Esse recurso pode ser usado, sob a
influência desse arcano menor, com bastante determinação, tanto para o bem, quanto para o mal...

Cássia:
Cavaleiro de Espadas
Características gerais: Cavaleiros ou Príncipes são o espírito do adolescente; indicam mudanças. Cavaleiros
nunca estão parados; assim como os Pajens indicam mensagens, os Cavaleiros/Príncipes indicam movimento,
viagem. São o elemento Ar, movendo-se e fluindo por tudo. Sendo uma pessoa, representam um adulto jovem ou
alguém que age como um adolescente. Suas crenças são mais puras do que as de um adulto, menos hipócritas e
mais idealistas. Nisso se parecem muito com um cavaleiro: poderoso, inquestionavelmente fiel ao seu reino ou
causa.
Características específicas: Muito esperto, esse jovem também é muito falante. Ele discute com pessoas em doze
salas de bate-papo ao mesmo tempo, faz perguntas aos professores, gosta de ser o advogado do diabo e discute
com a família e com os amigos só por gostar de discutir. Sua mente e língua afiadas podem, negativamente, o
levar a espalhar rumores ou fofocas só pra ver o que acontece. Se existe algo pelo que esse cavaleiro luta é pela
liberdade de expressão e de informação.
Situações: viagem pelo ar.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Estudos da Corte - RAINHA DE ESPADAS


Bruno:
Embora as Rainhas representem o aspecto mais receptivo de seus naipes, no campo “aéreo” de Espadas esta
Rainha representa a aquisição máxima da maturidade intelectual, resultante das adversidades e sofrimentos
colhidos ao longo da vida. Aqui todas as máscaras do Ego já foram por terra, não havendo espaço para nada que
não seja absolutamente claro e verdadeiro. Na Lâmina do Rider-Waite podemos notar densas nuvens ao fundo,
mas note-se que sua cabeça se posiciona acima destas, simbolizando sua capacidade afiadíssima de enxergar
com clareza nas situações mais anuviadas. Em seu pulso, podemos notar uma amarra que foi cortada, segundo
Rachel Pollack, remanescente do 8 de Espadas, e representa sua libertação de qualquer confusão mental.
Embora eu seja crítico daqueles que visualizem o naipe de Espadas como um naipe negativo, não há como deixar
de notar a expressão mais amarga em sua face. Esta Rainha sabe exatamente a hora de se pronunciar, mas
quando o faz é sempre de uma forma precisa, fria e analítica, desconsiderando quaisquer sentimentos que suas
palavras possam suscitar em terceiros... é aquela coisa da verdade doa a quem doer...

Ricardo:
A Implacável...
Rainha de Espadas é por demais inteligente, perspicaz, sagaz, diria que implacável quando toma uma decisão.
Quando planeja algo ou quer atingir alguém é fria, calculista e, significativamente, objetiva, obstinada. Pode surgir
em uma consulta destacando aspectos de incompreensão ou maus tratos. Diria que é o arcano menor dos
INTELECTUAIS, das pessoas estudiosas, bem informadas, comunicativas, dos bons oradores e, também, das
pessoas autoritárias, que quando se sentem ameaçadas ou contrariadas em suas opiniões implacavelmente
"cortam" ou mandam "decapitar" as "cabeças" de seus inimigos...
Quando prevalece o seu lado "sombrio", pode-se deparar, em uma leitura de Tarô, com casos de possessividade,
fanatismo, cinismo, controle exacerbado,tagarelice, presente ou futura viuvez etc. As pessoas tornam-se amargas,
dissimuladas, gélidas, más, tagarelas, inconfiáveis, bisbilhoteiras, intrigueiras etc. Ela mais parece aquelas
personagens (de mente doentias) de novelas que passam o tempo a formar uma grande redes de intrigas,
manipulando tudo e todos, menosprezando e desprezando os outros, ou seja, um ser caótico, horrível, chegando a
até a ser engraçada, de tão ruim que é...

Giancarlo:
Algo sobre a "Anima Aérea"
Estava com preguiça para escrever sobre essa Rainha... talvez porque não tenha tantos planetas em signo de ar

23
no meu mapa, mas acredito que já disseram muita coisa que concordo.
Ok, a Rainha em naipe Yang (Paus e Espadas) perde sua delicadeza e sensibilidade, passa a demonstrar atitudes
mais objetivas, incisivas e intensas ou enérgicas. Temos nessa figura duas imagens femininas conhecidas - uma a
de Joana D´Arc, a guerreira de São Miguel, e a outra, da deusa Hera, esposa de Zeus. No primeiro caso, temos os
ideais nobres em foco: defesa de uma idéia, da moral e dos bons costumes, determinação no querer e espírito
combativo. Claro, não é uma mulher que fica esperando o marido em casa para o jantar. Uma dedicada
intelectual, que questiona e oferece sua mão apenas para que está disposto para lutar ao seu lado. Possui uma
mente brilhante. É convincente e persuasiva. Sagaz e atenta.
Já a segunda figura, da deusa Hera, temos uma mulher fria, calculista, vingativa e amarga. Ela certamente "vai
esmagar" quem estiver em seu caminho, contra suas opiniões ou idéias. Hera é uma deusa bastante conflitante,
remetendo ao aspecto "plantadora de discórdias". Os conflitos marcados por essa figura tem sempre o mesmo
tom "disseram que Fulano fez isso ou aquilo", sem ocorrer uma averiguação dos fatos. Tudo é baseado no "ouvi
dizer por aí". Ela pode denegrir sua imagem de forma silenciosa. Sua acuidade mental é contumaz.
Notemos que no Rider-Waite, as nuvens (cúmulos) na figura estão mais baixas. Isso pode simbolizar que essa
Rainha está acima dos demais intelectualmente e normalmente vê os problemas de cima. Há rigidez moral e
intelectual presentes.
Aquele ato de segurar a espada com uma mão e com a outra fazer um sinal, pode significar "cortem-lhe a cabeça"
ou "segue teu caminho e me esquece" ou ainda "vem aqui que eu quero te mostrar o peso de minha lâmina". No
mais, ela não é ruim como alguns pensam, mas torna-se problemática por excesso de lógica.

Renato:
Nas minhas experiências oraculares a Rainha de Espadas já surgiu como uma situação onde houve uma
discussão aberta, extremamente franca (beirando à rudeza), onde os dois lados julgavam ter a razão e ninguém
queria ceder.
Nos livros do Nei Naiff, é vista de uma maneira extremamente negativa, onde simboliza alguém ou uma situação
que lhe persegue sem tréguas por causa de algum agravo passado, o qual não esqueceu. Esta descrição é mais
parecida com o lado sombra deste arcano, conforme descrito pelo Ricardo.
Às vezes, gosto de relacionar personalidades de pessoas conhecidas com as cartas da corte. Quando leio a
descrição da Rainha de Espadas dada no site www.learntarot.com (que acho excelente na descrição dos arcanos
da corte), lembro de uma conhecida minha. Ela é franca, espirituosa e não gosta de enrolação. Apesar de nova, já
passou por várias experiências na vida, algumas bem desagradáveis. Cria os filhos sozinha e tem sempre uma
observação bem humorada para as situações desagradáveis que surgem.

Ercilia:
A Rainha de Espadas personifica a forma feminina do elemento Ar. Indica inteligência, atenção, independência,
riqueza de idéias e uma capacidade de rápida percepção. Ela expressa a nossa capacidade de solucionar
problemas pela razão e de obter conhecimentos mais elevados sem nos embaralhar na imensidão das idéias e
sem nos martirizar por dúvidas. Ao contrário da antiga interpretação desta carta (que só via na Rainha de Espadas
a mulher má ou no melhor dos casos a viúva), seu desenho nos mostra que se trata de uma mulher que se
libertou das suas dependências graças à razão. Apenas nuns poucos casos devemos considerar o lado sombrio
desta carta: a gélida princesa que esconde uma frieza calculista e o distanciamento insuperável por trás da beleza
física.
Na vida profissional, a Rainha de Espadas representa a nossa elevada disposição para o aprendizado, mostra que
observamos tudo à nossa volta com os olhos bem abertos, que reagimos com inteligência e habilidade e que
mantemos a sinceridade, clareza e flexibilidade nas nossas conversas de negócios. Ela indica que estamos
atentos à nossa Independência e não nos atrelamos a atividades ou posições, e, portanto podemos partir a
qualquer momento, quando os desenvolvimentos não nos agradarem ou quando se abrirem outras possibilidades
(mais de acordo com os nossos valores) num outro lugar.
No plano da consciência, a Rainha de Espadas representa a riqueza de idéias, a curiosidade criativa e uma
grande disposição para o aprendizado, e também a força da clara compreensão que nos faz tomar consciência
dos nossos vínculos e dependências, para deles nos libertarmos. Esta é, assim a carta que anuncia o início de um
processo importante de despertar e de autoconhecimento.
No âmbito das relações pessoais, a Rainha de Espadas significa que tomamos consciência de nós mesmos e do
nosso relacionamento. Indica o distanciamento inicial que tomamos para reconhecer e avaliar com toda a clareza
as coisas que não nos agradavam ou que nos oprimiam. Nessa fase estamos mais do que nunca atentos ao
equilíbrio do relacionamento e podemos agir com mais determinação graças à nossa maior independência interior.
Esta carta mostra que não nos deixamos mais perturbar por certas atitudes, em alguns casos, simplesmente
damos as costas, ou nos mostramos ásperos, irônicos, mordazes e impertinentes.
(Texto extraído do livro " Guia Completo do Tarô " de Hajo Banzhaf)

ISHTAR:
Momento de se defrontar com sua dimensão obstinada e fé inabalável, nos mais altos propósitos e ideais para
aperfeiçoamento da consciência e da qualidade de vida. Pode refletir-se como medo do relacionamento e
sofrimento. É preciso enxergar onde o poderá causar problema, se for muito exigente consigo e com os outros.
Mulher forte idealista, nobre, madura, determinada, fria, reservada, controladora, esperta, obstinada, cuidadosa,
24
rígida devido a dissabores da vida.Viúva, luto feminino.
Privação esterilidade, separação, perda, privação, ausência.
SEU LADO NEGATIVO... DESCULPEM MEU FRANCÊS MAS É UMA BOA BISCATE INTRIGUENTA,
FOFOQUEIRA E MALEDICENTE.

Cássia:
Rainha de Espadas
Características gerais: O elemento das Rainhas é a água, e elas são um reflexo da Imperatriz. Elas são a força
criativa. Uma maneira de pensar nas cartas da corte é a seguinte: os Reis são a força motivacional (Fogo = o sol
acordando a Terra que dorme). As Rainhas são aquelas que fazem a coisa acontecer (Água = a chuva trazendo
vida para a Terra). Os Cavaleiros espalham a idéia pelo reino (Vento = espalha as sementes). E os Pajens, claro,
são o solo fértil onde tudo isso pode crescer. Quando uma Rainha aparece, ela sinaliza um tempo de crescimento
e desenvolvimento, um tempo em que o consulente está tornando as coisas reais.
Características específicas: É uma enciclopédia ambulante. Qualquer informação que você queira ela tem, e por
isso podem interagir com todo mundo. Ela pode discutir ciência com cientistas, história com historiadores,
literatura com poetas. Ela conhece fatos obscuros, e parece que nada a satisfaz mais do que espalhar esse
conhecimento para todos à sua volta, como se fossem presentes. Provavelmente seu trabalho envolve muita
conversa: psicologia, política, rádio, ou então acúmulo de informações, como ciências. Ela absorve informações e
as expõe de forma sucinta, clara, simples, para que todos entendam; os homens que não se sentem ameaçados
por ela (e muitos se sentem!) ficam à sua volta para ouvir sua bela voz, fascinados. Você sempre pode distingui-la
em uma multidão, pois tem sempre um estilo próprio. O problema? Essa Rainha pode ser muito “rainha”. Distante,
até mesmo fria. Acredita que pode resolver tudo através de fatos, e oferecerá isso ao invés de simpatia ou
compreensão. Também gostam de saber de tudo, portanto podem ouvir conversas ou ler diários. Pior, podem
espalhar o que descobriram, pensando estar fazendo algum bem. Sua intenção é boa, mas sua necessidade de
resolver tudo pode sobrepor-se a coisas mais importantes.
Situações: Desenvolver de um texto, tornar uma história real, trabalhar em um debate ou simplesmente espalhar
notícias.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Estudo da Corte - REI DE ESPADAS


Renato:
Para mim, o Rei de Espadas é o Cavaleiro de Espadas que amadureceu. O Cavaleiro agora se tornou um homem
maduro, que aprendeu a respeitar a opinião alheia e perdeu a crueza e os modos bruscos com os quais se
conduzia.
Mas seu intelecto continua afiado, como sempre foi. Capta qualquer informação e a analisa com lógica e clareza.
Absorve qualquer informação e a transmite com a mesma facilidade. Os outros lhe procuram em busca de uma
análise fria e lógica dos fatos, e ele é capaz de dar soluções para quase tudo em que se aplica. É a pessoa mais
indicada para analisar, julgar e dissipar as nuvens da confusão e dos maus-entendidos.
Este Rei adora debater e esclarecer as coisas. Entende tudo com facilidade, adora escrever e se comunicar.
Nem precisamos dizer que é um mestre dos assuntos intelectuais. Mas este Rei, se mal trabalhado, pode ter um
lado sombrio, e tornar-se um perverso, um cruel intelectual que ridiculariza e escarnece com prazer; que usa a sua
língua ferina para ferir tão fundo como qualquer punhal; que arma planos frios e calculistas, usando uma lógica fria
e implacável.
A falta da energia deste Rei pode levar a má comunicação, a fatos mal analisados e a prevalência de análises
emocionais e desprovidas de sentido.

Ana:
O livro Dicionário e Compêndio possui várias definições. Colocarei algumas:
Greer - Pensamento estabelecido. A capacidade de comunicar e de ser analítico. Um escritor, advogado, filósofo
(profissional ou não). Esperto e rápido.
Noble - Intelecto, inteligência e pensamento abstrato. Uma combinação forte de emoções quentes e uma
inteligência poderosa.
Pollack - Autoridade, poder, julgamento. Uma pessoa que possui um senso prático comum, em geral baseado em
pré-julgamentos e preconceitos, em vez de na observação da vida. Uma linha tênue entre o intelecto
comprometido e o poder em si mesmo. Invertida, pode querer dizer apenas que uma pessoa está em dificuldades,
um relacionamento difícil, ou a dificuldade de amadurecer. Sozinha, no entanto, simboliza a arrogância de uma
mente poderosa voltada para si mesmo pelo seu próprio desejo de controlar.
Waite - Tudo que deriva da idéia de julgamento e todas as suas ligações: poder, comando, autoridade, inteligência
militante, lei, funções da coroa, e assim por diante. Um advogado, senador, médico.
Apenas por curiosidade, tive um determinado problema uma vez, na Justiça, e perguntei ao tarô o que
aconteceria, por uma amiga que usa todas as cartas juntas. Lembro que o método foi de 3 cartas: a do meio, a
situação, a da esquerda, o que está agindo contra, e a da direita, o resultado. Lembro que a do resultado foi a do

25
Rei de Espadas, e na hora, eu pensei, vou conseguir, vou ganhar. Mas ela disse: você vai conseguir mas não do
jeito que quer, vai perder alguma coisa. A decisão da Justiça vai te dar, mas vai te tirar também. E deu muito certo.
Tirou sim. Então acredito que de todos os comentários, o da Pollack esteja mais condizente, pelo menos,
analisando a situação que eu descrevi. Houve uma decisão baseada em pré-julgamentos, em atitudes e
pensamentos reacionários. Algo triste e feio. Mais uma vez, desiludi-me com a Justiça, e muito com as pessoas.

Ercilia:
O REI DE ESPADAS representa o lado masculino do elemento AR. Trata-se da força da razão inteligente, rápida e
aprimorada, aqui mostrada em sua forma criativa, espirituosa, flexível, altamente mutável - mas também da sua
índole astuta, manhosa e irônica. Com a ajuda dessa disposição podemos reconhecer, compreender, analisar,
deduzir com lógica, abstrair contar e calcular, considerar e penetrar todos os ângulos de um problema.Mas quando
essas forças prevalecem, elas mostram o seu lado sombrio: desequilíbrio, frieza de sentimentos,crítica mordaz e
cínica, uma enorme ambigüidade e a inconstância de uma borboleta.
Na vida profissional, esta carta indica a flexibilidade mental, inteligência, sociabilidade e bom tino comercial.
Mostra que solucionamos nossas tarefas de modo hábil, flexível, tático e inteligente. No relacionamento com
colegas, chefes associados e clientes ela expressa o dom da palavra fácil, a presença de espírito e o encanto da
mente.
Pode ser também um alerta contra os excessos: gélida sofisticação, astúcia e incrível malícia.
No plano da consciência, esta carta mostra uma fase de esclarecimento.
Trata-se do sóbrio reconhecimento do estudo, da aprendizagem e do trabalho científico metódico. Aperfeiçoamos
a força da razão para resolver nossos problemas e nos impor ao ambiente. Seu aspecto principal está no
reconhecimento objetivo. Procuramos uma fórmula, uma idéia, atrás de tudo. Na Matemática, de nada nos servem
o desejo piedoso ou a intensa memorização: só o pensamento lógico e conseqüente nos leva ao resultado correto;
da mesma forma, nessa fase, não são os nossos sentimentos que nos fazem progredir, mas apenas a nossa força
de compreensão analítica. Aqui testamos (sem escrúpulos) justamente a retidão de nossas crenças e sentimentos.
Mas é importante que não empunhemos indevidamente a espada da razão: o veneno da dúvida pode dissolver
raízes valiosas - e nós, em vez da clareza desejada, acabamos de mãos vazias diante dos destroços dos nossos
antigos sentimentos e convicções.
No âmbito das relações pessoais, esta carta, embora tendo um significado esclarecedor, pode muitas vezes
distanciar as pessoas.
A força analítica da razão pode ser muito valiosa para reconhecermos exemplos doentios de comportamento e
curá-los. Se nos encontramos numa situação de dependência ou em envolvimentos aparentemente indissolúveis,
o corte separador da razão que reconhece o que nos é prejudicial pode ser doloroso, mas será benéfico. Mas,
quando os sentimentos se tornam o objeto do desejo da curiosidade dissecante - o sofisma toma o lugar da cálida
cordialidade.
(Texto extraído do livro "Guia Completo de Tarô" de Hajo Banzhaf)

Ricardo:
Arcano da Justiça, dos militares e dos grandes líderes...
Esse possui grande poder de liderança, de condução e de persuasão de pessoas. Está relacionado ao uso da
mente racional, estratégica, lógica, fria e calculista, mas, de forma imparcial.
O seu poder de manipulação mental tanto pode construir por meio de pensamentos que buscam a Justiça ou a
Caridade, como, também, podem destruir, com um corte de espada, aquelas pessoas menos desavisadas que
não comungam daquilo, que na sua cabeça perspicaz, seria o melhor caminho à salvação, mesmo que aos olhos
de quem o desafiou esse caminho seja tortuoso e por demais tortuoso. Para o velho Rei de Espadas, isso não
importa, se você não comer do mesmo prato que ele come, a represália é certa. O homem é vingativo!.
Em algumas tiragens, esse Rei de Espadas, pode estar denotando inimigos ocultos, atrasos e, como gostam de
falar as antigas cartomantes, desembaraços.
Pessoas regidas por esse Rei são psicologicamente maduras, possuem o dom da oratória e da retórica, analisam
as coisas e as pessoas friamente, tem grande senso de justiça e de lógica, tomam decisões, na maioria das
vezes, acertadas, são brilhantemente inteligentes e espertas. Sexualmente, são fogosos e no amor expressam-se
de forma agressiva, mandando mesmo, pois tem uma grande necessidade de auto-afirmação. Coisas do tipo:
"você é minha e tem que me obedecer..." são posturas bem características desse Rei. Da mesma forma que
chega na vida de uma pessoa, pode desaparecer, pois morre de medo de ter que mostrar as suas
vulnerabilidades, inclusive emocionais... Quando se jogam nos projetos de trabalho ou de vida, vão com valentia e
com disposição para enfrentar todos os obstáculos.
Quando é exaltado, em uma tiragem, o seu "lado sombra", pode-se contar com situações de tirania, arrogância,
prepotência, despotismo, injustiças, autoritarismos, ditaduras, dificuldades de expressão e de comunicação,
guerras, discussões, brigas, covardias, sadismos, crueldades, perversidades,egocentrismo, megalomania,
ejaculação precoce etc,além do surgimento de alguma pessoa que poderá levar o consulente à ruína ou à
desgraça. Vê-se que a manifestação reversa do Rei de Espadas é um perigo! Todo o cuidado é pouco, pois, pode
sugerir complicações relacionadas a vinganças ou algum tipo de situação extrema que poderia levar até algum
tido de acontecimento sinistro...

Jurema:
26
Para mim o Rei de Espadas está também ligada a figuras de poder (chefe, médico, advogado), ou em caso
negativo, um caráter duvidoso e violento.
Giancarlo:
Algo sobre o Animus Aéreo.
O Rei de Gládios ou Espadas está dividido em duas figuras: o "rei guerreiro", tal como Arthur, disposto a defender
com justeza e energia suas terras e, a imagem do "ditador", tal como as conhecidas figuras da nossa história
(Mussolini, Hitler, Napoleão, Stalin, Saddan, etc), que se impuseram pela força de suas idéias e autoritarismo. Em
geral, o Rei de Espadas é um inteligente e determinado homem, cuja força está nas palavras (oral ou escrita). É
alguém com grande vigor e coragem. Mas, excede pois não sabe até onde vai o seu direito e começa o do outro.
No geral, é alguém com grandes habilidades intelectuais, e motivado por grandes idéias.

Cássia:
Rei de Espadas
Características gerais: Reis. Eles aparecem por último, mas deveriam ser os primeiros, pois os Reis são o começo
das cartas da corte. Eles são o fogo – seu elemento – a paixão, a força motriz. É por isso que Crowley os põe
como Cavaleiros, cavalgando seus cavalos (ao invés de estarem sentados passivamente em seus tronos), cheios
de energia, movendo-se, liderando. Os Reis estão relacionados com o Imperador, e, assim como ele, são
estrategistas, motivadores, comandantes, criadores, aquele que reúne todos para formar um reino (lembre de
Henrique V). A Rainha é aquela que torna a coisa real, e o Rei/Cavaleiro a levará para além dos muros do castelo.
Sem o Rei, nada acontece. Dessa forma, os Reis podem indicar motivação, o começo de algo novo.
Características específicas: chame-o de “O Juiz”. Seu reino é o reino dos grandes ideais. Amável, amigável, mas
distante; só o que se pode dizer sobre ele é “Ele é justo”.
Possivelmente um advogado, juiz, músico, político ou designer, é um homem paciente e cuidadoso, com ideais
muito elevados. É um homem eloqüente, tão bom com as palavras que pode facilmente ver o outro lado de
qualquer coisa. Isso não o afasta de suas fortes crenças, crenças essas que ele espera serem seguidas pela sua
família e amigos. Não que ele não seja um bom pai; ele pode ser gentil, divertido, um marido fiel e amoroso Ele
trata sua mulher e filhos justamente, os ouvindo, reconhecendo quando eles estão certos.
Mas se ele é contra o trabalho infantil, e se não usa um certo tipo de sapato em sinal de protesto, ele espera que
todos façam a mesma coisa. Ele ficará amargamente desapontado se alguém usar esse sapato. Ao contrário do
Rei de Copas, ele não coloca sempre a família em primeiro lugar “estando ela certa ou errada”. Os ideais em
primeiro lugar, e ele pode ser imperdoável com aquele membro da família que for mais fraco ou mais “humano” do
que ele. Ele pode fazer greve de fome, lutar ou morrer por seus ideais. Ele não cede no que diz respeito a mantê-
los, nem mesmo para aqueles que lhe são mais caros.
Situações: ter uma nova idéia, colocar os pensamentos no papel, “brainstorm”. A habilidade de identificar os
problemas e achar soluções novas e melhores.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Mónica:
Meus amigos, posso dar minha contribuição ao transcrever, um texto do livro "O tarot para os dias de hoje", de
Joanna Watters - Editorial Estampa.
Rei de espadas
Uma figura severa está sentada, muito direita, no seu trono, com a espada erguida na mão direita. Tal como todas
as cartas da corte no naipe de espadas, o cenário é frio e seco, com céu azul, nuvens brancas e escassa
vegetação, na paisagem circundante.
Como personalidade, o rei de espadas é alguém justo, lógico, controlado e rígido, por vezes mesmo severo. O seu
recurso mais importante é um espírito muito aguçado. Este rei representa uma pessoa analítica, eficiente, e com
uma inteligência acima da média. As emoções não têm ordem para nublar os seus julgamentos e representa
muitas vezes uma pessoa do mundo profissional, como um consultor, advogado. A este respeito é uma pessoa
excelente para ter ao nosso lado, mas a sua abordagem clínica da vida pode ter conseqüências desastrosas nos
relacionamentos.
Em termos emocionais, o rei pode ser como sua congênere, A Rainha de espadas, e pode representar alguém
desligado das suas necessidades ou sentimentos, alguém que usa o cinismo e uma feroz independência para
evitar intimidade. Este rei também pode ser insensível ou distante, e manter uma relação de intimidade com ele
poderá ser uma dura batalha. Se esta carta aparecer num lançamento como representante de um companheiro,
terá certamente clientes, principalmente mulheres que se encontram num forte estado de frustração devido à falta
de amor, compreensão, ou empatia. Se este Rei representar uma pessoa que está contra si, prepare-se para
enfrentar um adversário duro.
Como situação, o rei de espadas diz-nos que precisamos de uma abordagem racional. As Expectativas têm de ser
realistas e é muito importante proteger as suas necessidades. Tem de pensar com a cabeça em vez de se deixar
guiar pelo coração.

Sylvia:
Rei de espadas

27
Sempre interpretei o Rei de espadas como aquela atmosfera isenta de emoções, na qual a razão supera qualquer
obstáculo e o que tiver que ser feito será, mesmo que isso importe em negar sentimentos até mesmo os próprios,
é uma estado com capacidade imperturbada de decisão, frio porém justo o Rei de espadas é aquele que rompe
com o que tiver obsoleto e impulsiona a pessoa para o caminho que a razão aponta.

Estudos da Corte - PAJEM DE OUROS


Renato:
O Pajem de Ouros traz oportunidades dentro do elemento Terra. Pode ser uma promoção profissional; uma
oportunidade de carreira; a chegada de um dinheiro esperado; a chance de sedimentar algo meio “solto”; a
necessidade de ser prático e encontrar soluções funcionais; ou até mesmo uma oportunidade sexual (tipo sexo
casual, sem envolvimento mental ou afetivo) uma vez que, estando no elemento Terra, ele também anuncia
oportunidades de se usar o corpo.
Porém, como bem falou o Gian, se não me engano, os Pajens são sementes, são “vir a ser”. Desta forma, as
oportunidades que o Pajem de Ouros nos traz são oportunidades frágeis, que devem ser trabalhadas para que se
tornem algo efetivo.
A minha mais recente experiência com este “moleque” foi em Novembro, num jogo para um conhecido. Perguntou
como ficaria a situação dele até o final de 2005 na empresa em que ele trabalha e tivemos, como resultado, o
Diabo + Pajem de Ouros. Interpretei como uma vitória material (O Diabo – se bem que uma vitória duvidosa, pois
o Diabo dá e toma; promove e escraviza) se manifestando numa oportunidade de carreira, ou numa promoção. Ele
ficou atento, e percebeu então que cogitavam que assumisse um cargo melhor dentro da empresa. Emitiu então,
para seus superiores, sinais de que isto seria bem vindo, haja vista que é um cargo que lhe exigiria alguns
sacrifícios de tempo e muitas responsabilidades (O Diabo) e, antes do fim do ano, foi convidado a assumir este
cargo.

Cássia:
Pajem de Ouros
Características gerais: A primeira carta da corte é o Pajem/Valete/Princesa. É sempre bom imaginá-los como um
jovem, com uma carta ou pergaminho na mão. O elemento do Pajem é “Terra”, indicando algo novo, que está
crescendo, uma semente plantada. Então o Pajem de Paus seria a “Terra do Fogo” – a semente do fogo, por
assim dizer. A centelha. Os Pajens freqüentemente indicam crianças, ou então podem indicar o alter ego do Louco.
Pode também ser um adulto que ainda age como criança. O consulente, se estiver começando algo novo, também
pode ser chamado “O Valete” – nesse caso um tipo de aprendiz. Se for a Princesa, é uma jovem mulher; o
Príncipe que indica um jovem. Se nenhuma criança estiver envolvida (o consulente não tem filhos, nem amigos
com filhos, etc.), então o consulente está prestes a receber uma mensagem. O propósito dos Pajens, afinal, é
entregar mensagens.
Características específicas: Essa é aquela criança que gosta de fazer coisas. Está sempre brincando na lama com
seu caminhão, construindo castelos de areia, trazendo lagartos, lagartixas e sapos pra casa. Gostam de construir
casas de passarinho, casas na árvore. E também se propõe a fazer deveres diários em troca de dinheiro. Ele rega
a grama, leva o cachorro pra passear, etc. São muito econômicos com esse dinheiro, guardando tudo no cofrinho
e contando pra ver quanto tem. Em termos de personalidade, pode ser extremamente sério para a idade, um
pouco prático demais, mas também generoso e de bom coração.
Situações: uma mensagem sobre dinheiro, sorte ou uma mudança boa na saúde.
(Fonte: apostila traduzida do site Aecletic Tarot http:// www.aecletic.net/tarot )

Ana:
Rachel Pollack.
O Valete ou Pajem de Ouros não olha para outra coisa a não ser o seu pentáculo, segurando-o ligeiramente
erguido. Enquanto o Cavaleiro é o trabalhador arquetípico, o Pajem representa o aluno, perdido em seus estudos,
fascinado, pouco preocupado com qualquer coisa alheia a eles. Apesar disso, ele participa da natureza prática da
seqüência por simbolizar o trabalho real do aluno, o estudo e a escolaridade, se comparado , por exemplo, com a
inspiração simbolizada pelo Pajem de Copas. O estudante aqui atua como um símbolo: O Pajem não se refere
obrigatoriamente a alguém que está de fato na escola, mas simplesmente alguém que está iniciando qualquer
atividade com as mesmas características de fascinação, de envolvimento, de menor preocupação com
recompensas ou posição social do que com o trabalho em si.
INVERTIDA: Novamente ele aparece como o inverso do Cavaleiro. Na realidade os dois dividem entre si as duplas
qualidades de Ouros - praticidade e magia. Onde o Cavaleiro sem seu emprego, torna-se desencorajado e inerte,
o Pajem, sem seu direcionamento para o trabalho árduo, cede ao estouvamento e à dissipação, o que Waite
chama de "prodigalidade". Algumas vezes, no entanto, a carta pode significar distensão após uma tarefa difícil,
como a descontração de um estudante depois dos exames.
Tarô Clássico - Stuart Kaplan.
Pajem de Ouros.
Descrição - O Pajem de Ouros segura à sua frente, com a mão esquerda, uma grande moeda. Ele olha fixamente

28
para frente, como se estivesse sonhando e não percebesse o que está ao seu redor. No chão, aos seus pés, há
uma outra moeda, enquanto arbustos brotam bem próximos, significando abundância.
Significado divinatório: Concentração e atenção profunda. Estudo. Cultura. Reflexão. Respeito pelo conhecimento.
Desejo de saber e de conhecer idéias novas. Um benfeitor.. Portador de novidades.
Significado da Carta invertida: Uma pessoa que não tem senso de realidade. Não é capaz de reconhecer os fatos
óbvios. Esbanjamento de idéias. Pensamento ilógico. Rebeldia. Desperdício. Perda. Notícias desfavoráveis.

29