Guia Prático de Fotografia Pinhole

Luciano de Sampaio Soares

Apresentação

Antes de mais nada, obrigado!
Este material que está agora aberto na sua frente – seja numa tela de computador ou impresso a partir do arquivo – é o fruto de alguns anos (3, para ser preciso) de pesquisa, muita experimentação e muitos olhares de “o quê esse doido está fazendo?” recebidos na rua. E isso é algo que você, ao sair com sua câmera de orifício pela rua talvez também tenha que enfrentar. Normalmente, quando isso me acontece, eu falo “cara, é uma câmera fotográfica!”, o que é mais do que suficiente para de vez em quando uma pessoa se interessar pela técnica. Talvez até o seu interesse tenha surgido de uma ocasião dessas, quem sabe?

bailarina

2

Sobre o Autor
Graduando de Tecnologia em Artes Gráficas pela UTFPR – agora falta pouco! – eu pesquiso e desenvolvo trabalhos em fotografia de orifício desde 2005. Durante esse tempo, ministrei oficinas sobre a técnica na própria UTFPR e na Casa da Videira (em conjunto com a ONG Nós na Tela) e, desde 2008, faço parte da equipe de divulgação do Dia Mundial da Fotografia Pinhole. Com lentes, fui assistente de estúdio de André Sade (Fundo Infinito) e atualmente atuo principalmente como free-lancer, com retratos e eventos, além de manter uma produção autoral.
Autorretrato construindo uma câmera

3

obrigado! 3 Sobre o Autor 5 7 Introdução Camera Obscura 9 Como transformar um quarto numa Camera Obscura 10 A Camera Obscura Portátil 12 Câmeras com Papel 14 A câmera de Lata de Leite 17 A câmera de lata de leite 19 Câmera 35mm 25 Orifício 26 26 27 28 29 Método Tradicional Método Le Combe O método high-tech O tamanho do orifício Medição eletrônica 30 Exposição batendo papo 32 Mas qual a função dessevalor ƒ? Para quê ele serve? 34 Composição 4 .Sumário 1 1 Guia Prático de Fotografia Pinhole Apresentação 2 Antes de mais nada.

Introdução .

que não é exatamente um aparelho fotográfico. A idéia de separar a construção do corpo da câmera e do orifício pretende motivar você a utilizar a combinação que lhe trouxer melhores resultados com o menor gasto de tempo. o tema de cada foto. passamos para a “alma” da técnica: o orifício. apresentamos alguns processos de obtenção do orifício já utilizados por fotógrafos e cientistas para a obtenção de imagens. É isso. recomendamos que o faça! Por outro lado. É só imprimir a planificação colocada na última página deste manual. Exposição é a definição da quantidade de luz que deve atingir o papel ou filme da sua câmera para que você obtenha uma imagem. exemplificando as maneiras com que a técnica da fotografia de orifício – ou em alguns casos. sobre fotografia de orifício. pode começar construindo a câmera que você encontra no final deste manual. Como existem várias maneiras de se fazer um furo. concorda? 6 . e por vários tipos de câmeras de orifício. você já tem em suas mãos todos os elementos necessários para sair e fotografar. Espalhadas pelos capítulos você encontrará pequenas anotações históricas.Neste material você encontrará uma grande quantidade de informação. esforço e material. Assim que você tiver conhecido as câmeras e os orifícios – quem sabe até já tenha construído sua primeira câmera utilizando as infor- mações das duas seções anteriores – começamos a pensar especificamente em fotografia. É essa a função de um Manual Prático como este pretende ser. A partir desse ponto. passando pela Camera Obscura. Não parece difícil. e acompanhar as instruções de montagem. ou seja. de acordo com o que você já tiver disponível. Depois de mostrar as câmeras e como construí-las a partir de diversos materiais. se ainda não tiver colocado a “mão na massa”. mas é o princípio original de todas as câmeras fotográficas . As seções que você encontra no Índice foram pensadas de forma a permitir um avanço gradual dentro da técnica.com ou sem o uso de lentes. das imagens não-fotográficas formadas pelos furos – foi importante para que chegássemos onde nos encontramos hoje. Os dois principais fatores a serem considerados quando se fotografa com câmeras de orifício serão explorados nesse capítulo. afinal de contas. e ainda bem que a maioria é de natureza prática. e caso já tenha construído uma câmera. e Composição irá trabalhar com que elementos serão expostos.

Camera Obscura .

como o egípcio Alhazen usou orifícios como ferramentas para o estudo da ótica na segunda década do século IX. foto ©2008 luciano de sampaio Um dos primeiros sábios a falar sobre essa imagem projetada foi um chinês.criada responsável pela limpeza de ea ra fotográfica.quadro do título. avó. para aqueles que não gostarem do Latim) é a mãe. Vermeer apresenta para a gem se forma dentro da câme. e provavelmente não chegará tão cedo. ou pulando “em direEste filme. 2003. A estes muitos se seguiram. No Ocidente. a Camera Obscura (ou câmera escura. tia-avó e todos os outros antepassados das nossas máquinas.C.. Além do caráter lúdico de se Moça com ver pessoas andando de cabeça Brinco de Pérola para baixo. chamado Mo Ti. O seu funcionamento é muito simples: a luz passa por uma abertura (seja um orifício ou uma lente) e projeta uma imagem em um anteparo. e uma curiosida. pela praticidade. afinal é bem mais fácil passar o lápis por cima de uma imagem projetada do que desenhar “de olho” sobre papel branco. assim 8 . lançado em 2003 e inção ao chão”.seu atelier uma camera obscura.especulação de que muitos artistas da Renascença usavam camera e-branco. O diretoruma ter Webber coloca como fato para quem fotografar em preto.C. especialmente a imagem projetada. ver moça se encanta e assusta ao Pede interessante. quem usou (e Archer Street Productions . o grego Aristóteles escreveu sobre o mesmo tema em seu livro Problemas nos idos de 330a. Essa discussão ainda não verifique a cor da imagem em chegou à conclusão alguma. a camera obscura dicado a 3 Oscar. e tantos que seria tedioso citá-los todos.Ainda que não seja uma câmera fotográfica. no qual ele pinta uma de suas obras-primas. dirigido por Peter Webber. Agora. pensando “Moça com Brinco de Pérola”. o para se mostrar como a ima. sua projeção. não é? modelo 3D – camera obscura em um quarto. por volta de 5000 a. Numa das cenas do filme. alguns ainda usam) muito a câmera escura foram os pintores e desenhistas. pois permite que se obscuras para facilitar a pintura de detalhes. retrata um período na vida do grande mestre holané um excelente artifício didático dês Johannes Vermeer.

sim. • uma tesoura ou estilete. o que originou a “Perspectiva Artificial”. uma vez que envolve a todos de uma só vez. Agora. entre eles Leonardo da Vinci. se possível. o material necessário é: • uma cortina opaca (do tipo black-out) ou uma lona preta pesada. A primeira é especialmente interessante para quem leciona fotografia ou física para crianças e adolescentes. e que não tenha muitos móveis em seu interior). e uma sala que possa ser facilmente impermeabilizada à luz (preferencialmente uma sala com apenas uma janela. • fita adesiva (fita isolante ou outras fitas adesivas opacas são ideais). usaram camera obscuras para pesquisar novas maneiras de representar o mundo. 9 . Como transformar um quarto numa Camera Obscura Exato! Por que não transformar um quarto inteiro em uma câmera escura? é bem simples! Para isso. são duas as experiências mais simples de se fazer. recorte um pequeno quadrado. camera obscura – wikipedia Ah. • uma folha de cartão preto. aplique fita adesiva para impedir essas frestas. Leonardo. tão famosa em seus quadros.E exatamente por facilitar o desenho que muitos pintores. inclusive. de maneira que nenhuma luz entre pela janela. Para fazer esse isolamento da luz. No meio da cortina. cubra a janela com a cortina black-out ou com a lona preta. se utilizou de uma técnica semelhante (mas que não dependia da caixa preta) para estudar perspectiva. formando um espaço por onde a luz possa entrar. Preste atenção para as frestas nas laterais da cortina e. para a parte prática.

o objetivo aqui é apenas fornecer um ponto de partida. Se a distância entre a janela e a parede oposta for muito pequena.No papel-cartão.poderá observar tudo o que estiver do lado de fora da janela projetado na parede oposta! Se você tiver mais pessoas com você. depois de um tempo peça pra quem estava lá fora entrar. e se o dia estiver claro. Em pouco tempo seus olhos se acostumarão com a iluminação fraca no interior do quarto. Era esse tipo de construção que muitos dos sábios de antigamente usavam para estudar a luz e a formação de imagens. 210mm A Camera Obscura Portátil Esse dispositivo é semelhante ao que os artistas da Renascença usavam para pintar paisagens e retratos. O material necessário é barato e fácil de conseguir: • 2 folhas de papel-cartão com pelo menos uma face preta. coloque esse cartão sobre a cortina. faça um furo pequeno e redondo (você pode usar uma moeda de 1 centavo como guia. Com algumas alterações nas instruções a seguir. peça que algumas se mexam. Entretanto. você mesmo poderá construir uma câmera escura com essa função. pulem e andem em frente à janela. • tesoura ou estilete. em pouco tempo você . você pode ter que fazer um orifício ainda menor). Como isso só é divertido para quem está dentro da câmera escura.e quem mais estiver com você dentro do quarto . e fique você se mexendo em frente à janela. e a construção desse equipamento é bem mais simples do que a daquele usado para desenho. e novamente com a fita adesiva. alinhando o quadrado feito anteriormente com o pequeno orifício no cartão. • cola bastão ou fita adesiva. 297mm 70mm 70mm 70mm 70mm 17mm 69mm 69mm 297mm 69mm 69mm 21mm 34mm 176mm esquema de dobras e cortes – folha #1 210mm esquema de dobras – folha #2 10 .

Agora. mais escura a imagem projetada. de maneira que. Dobre as abas formadas pelos cortes para dentro. pegue a folha #1 e faça cortes numa das pontas. Folha#2 e tela de papel vegetal E pronto. Isso é o que queríamos mostrar sobre esses instrumentos que precederam nossas câmeras fotográficas atuais.4cm. Depois de ter os dois tubos montados. encaixe o tubo #2 11 no interior do tubo #1. que deve ser parecido com o desenho ao lado. recorte um quadrado de 7.5cm de lado. pegue a folha #2 e a folha de papel vegetal. Monte o tubo com a folha #2 e cole a aba lateral. dobre as folhas até conseguir um tubo. por 3. Você verá que quanto mais distante do orifício a tela estiver. seguindo as dobras. faça pequenos cortes quadrados nas pontas (cada quadrado com 0. no centro da construção se forme um Folha #1 dobrada e fixa com fita adesiva pequeno quadrado vazio. mantendo o tubo criado no formato. e faça o tubo #2 correr por dentro do tubo #1. com a tela de papel vegetal colocada para dentro do tubo. Essa é uma câmera escura com “Zoom”! Direcione a montagem para alguma cena bem iluminada. para que você consiga abas que serão coladas numa das extremidades do tubo #2. Para obter o anteparo onde a imagem será projetada.Para construir as duas partes do corpo da câmera escura. Após a dobra. Cole as abas frontais e lateral no lugar.5cm de lado). e mais próximo o objeto projetado. Camera obscura montada . para manter a forma.

Câmeras com Papel .

O conceito básico de ambas é o mesmo da camera obscura vista no capítulo anterior. um quarto escuro se torna necessário para carregar a câmera. Se estes forem pequenos. idealmente. um banheiro) que possa ser impermeabilizada à luz • lona preta. preferencialmente) cobrindo as janelas e frestas das portas com lona preta. comece isolando uma sala (ou banheiro. e ambas as construções são igualmente simples. até que nenhuma luz exterior consiga entrar. vamos construir aqui uma câmera de caixa de sapato também. ainda que envolvam mais passos e mais material. Você vai precisar de: • 1 sala (ou. ou se forem frestas maiores. Para filme em folhas. e os químicos de laboratório para obter as imagens. feche-os com fita isolante. A clássica câmera de lata de leite é o exemplo mais comum. Feche a porta. mas não entraremos em detalhes aqui por ser algo um tanto mais complicado. desligue a luz da sala e veja se existem pontos de entrada de luz. Como o laboratório será necessário tanto para se fotografar com a lata de leite quanto com a caixa de sapato. e além dela. mas não é tão complicado que um iniciante seja incapaz de fazer tudo direitinho.As câmeras para papel fotográfico (ou para filme em folhas) são muito simples na sua construção. Isolamento do quarto escuro 13 . blackout ou similar (para isolar a luz) • revelador para papel fotográfico • fixador para papel fotográfico • 4 bacias plásticas (que não deverão ser usadas para alimentos depois de usadas no laboratório) • 1 luminária para lâmpada incandescente • 1 lâmpada incandescente fraca • papel celofane vermelho • fita isolante • 1 folha de papel-cartão preto Para montar o laboratório. O ideal é alguém que tenha alguma familiaridade com o processo de revelação se responsabilizar por essa parte. vamos antes de mais nada passar uma instrução rápida a respeito. sem contar que BEM mais caro. o laboratório é ainda mais importante. Como o jeito mais fácil para fotografar com latas/caixas desse tipo é usando o papel. tente manejar a lona de forma a cobri-los.

é grande a possibilidade que tenha sido com uma câmera desse tipo.Como o papel fotográfico não é muito sensível ao espectro vermelho da luz. intercalando com água. (2) Banho de água+vinagre. Vamos para as câmeras que irão fazer essas imagens então! curo absoluto dentro do laboratório enquanto trabalha. pode substituir uma das bacias pela pia do banheiro). Pronto! agora você tem um laboratório fotográfico improvisado que pode ser usado para revelar imagens em papel fotográfico preto e branco. fixe o celofane ao cone de cartão. (3) Fixador. (1) Revelador. Como é uma das mais difundidas nos ambientes didáticos da fo- Para a parte química. Ligue a lâmpada e passe fita isolante em qualquer ponto em que a luz escape do cone. permitindo que você não fique em esQuarto escuro com lâmpada de segurança dos químicos prepare as soluções. a luminária servirá como luz segura. (4) Banho de água. de modo que a parte mais larga fique um pouco afastada da lâmpada e a parte mais fina envolva o soquete. dobre a folha de celofane vermelho algumas vezes para que este filtre melhor a luz. faça um cone com o papel-cartão. As soluções 1 2 3 4 Layout do laboratório devem ser ordenadas em cadeia. se você já teve algum contato com a fotografia de orifício antes. Para montar. Depois. e seguindo as instruções nas embalagens 14 . e com fita adesiva ou elástico. Lâmpada de segurança A câmera de lata de leite Bom. de acordo com o esquema ao lado. coloque as 4 bacias lado a lado (se você estiver montando o laboratório em um banheiro.

Furação do papel 15 . sem resquícios de pó no seu interior. achocolatado ou similar. Com martelo e prego. recorte um círculo um pouco menor que o diâmetro da lata. Depois pegue o círculo recortado e coloque dentro da lata. vazia e limpa. faça um furo na lateral da lata. e fixe a ponta com fita isolante. com tampa plástica. Na outra folha. para tampar o fundo. pegue a segunda folha e recorte um círculo que seja grande o suficiente para cobrir toda a parte de cima da lata e cole na parte interna da tampa plástica. Se o metal ficar aparecendo em algum ponto. cubra com fita isolante. Para fazer a tampa da câmera. Depois disso. e uma delas é a que segue. Colocação do forro de papel na lata Furação da lata Coloque a faixa de papel dentro da lata. um pouco para o lado da solda. recorte uma faixa de papel-cartão suficiente para dar a volta no interior da lata. cobrindo de alto a baixo. Para a câmera você precisará de: • 1 lata de leite em pó. • 2 folhas A4 de papel-cartão preto • estilete/tesoura • fita isolante • agulha de costura (fina) • papel fotográfico preto e branco • martelo • 1 prego comum Verifique se a lata que você transformará em câmera está bem limpa.tografia. existem algumas maneiras diferentes de construí-la. junto à lateral.

enquanto a segunda gera imagens maiores e gasta uma quantidade maior de papel. etc se quiser. eu recomendaria fazer uma pequena dobra na ponta dessa tira. você pode fazer desde pequenas imagens. Abra o envelope de papel. Aí é voltar ao laboratório e revelar o papel (siga as instruções na ficha do papel e dos químicos para os tempos de tratamento em cada banho). que permitirá que você escolha quando.Agora você já tem um recipiente impermeável à luz. depois de algum tempo no último banho de água. Saia do laboratório e fotografe! Como linha geral. No ponto onde o metal foi furado com o prego. adesivos. fique tranquilo). Para fazer um obturador. o meio mais simples é pegar uma pequena tira de fita isolante e colá-la na lata. Agora a sua câmera está quase pronta. cortando pequenos retângulos de papel e colocando um de cada vez dentro da lata. você pode notar que o papel-cartão cobre o buraco. Aqui vale comentar. pois a fita prejudica o papel. A segunda (e última) coisa que falta para você sair fotografando é colocar o papel fotográfico dentro da câmera. em dias claros. só faltando transformá-lo em uma câmera de fato. Até agora. Você pode decorá-la com tinta. deixá-lo secar (um “truque” é. mas o principal já está pronto. Cuide sempre para colocar a face fotossensível do papel voltada para o orifício! E assim você tem uma câmera fotográfica pronta. tire a foto e grude-a na parede de 16 . sem problemas. A primeira delas é fazer um obturador. fixandoos com fita isolante ao revestimento interno. para que você tenha um lugar por onde puxar a fita para fazer a exposição da foto. tudo o que Fita isolante como obturador você fez poderia (e espero que tenha sido) ser feito à luz aberta. em 15 segundos você já tem uma imagem exposta na sua lata. pegue a agulha de costura e a lata já isolada. Para isso. tire uma folha e corte-a num tamanho que julgue apropriado. e deixar apenas a luz segura ligada. e por quanto tempo. Só faltam duas pequenas coisas a fazer. irá expôr suas fotografias (iremos falar mais sobre exposição mais pra frente. Para carregar a câmera você precisa entrar no laboratório. Com a agulha faça um pequeno orifício do papel-cartão. Para facilitar a abertura. A primeira opção é mais econômica mas pode fazer com que você se veja obrigado a trocar o revestimento da câmera ocasionalmente. tampando o orifício da agulha e o buraco do prego. com céu aberto e sem nuvens. A escolha é sua. ambas as opções são perfeitamente aceitáveis. ou então recortar faixas grandes do papel fotográfico e usando a própria forma do papel para mantê-lo no lugar.

Depois que a tinta secar. Com a fita isolante. damente 1cm de lado no centro da tampa com o estilete. deixando uma quantidade de fita em cada lado do quadrado para fixá-lo à Papel alumínio sendo furado 17 . Para o obturador. perfure o papel-alumínio. a câmera de Caixa de Sapato é bem fácil de construir também. cole-o de volta no lugar. com tampa • Tinta preta opaca • Fita isolante • Papel-alumínio • estilete/tesoura • régua • agulha de costura fina • elásticos grandes Para construir a câmera. pegue o quadrado de papelão que foi recortado da tampa.azulejos ou num espelho. e tente encaixá-lo novamente no buraco de onde ele saiu. o primeiro passo é pintar todo o interior da caixa e da tampa com tinta preta opaca. Ela ficará ali até secar bem) e continuar fotografando enquanto isso. e guarde o pedaço retirado. e fique alinhado com o centro do quadrado recortado na tampa. Você precisará de: • 1 Caixa de Sapato (ou algo similar) em bom estado. faça um pequeno quadrado de aproxima- Nesse espaço encaixaremos o nosso orifício. Caixa de sapato e tampa com o interior pintado de preto opaco de modo que seu centro não tenha fita isolante. e retorna um resultado bem diverso. A câmera de caixa de sapato Diferente da câmera de Lata de Leite em mais do que se imagina. Recorte um quadrado de mais ou menos 2cm de lado de papel alumínio e cole-o com fita isolante por dentro da tampa. Com a agulha.

O tamanho da caixa de sapato permite que você faça imagens de tamanhos muito variados. E então? O quê está esperando? Vá fotografar!!!! tampa. para que ele fique bem colocado dentro da câmera. mesmo que ela balance muito no transporte do laboratório até onde você for fotografar. Câmera de caixa de sapato completa. entre no laboratório com a luz segura.2 4 3 Esquema do obturador: (1) obturador) (2) papel-alumínio. Depois de fotografar. sem nuvens e sol brilhante. em dias claros. Para carregar a câmera. abra o envelope de papel fotográfico e recorte a folha num tamanho que você considere suficiente. que sobreponham uma foto feita antes de revelá-la!!!). é só seguir o mesmo processo usado na câmera de Lata de Leite. presa com elásticos e o obturador na tampa. para conseguir retirá-lo facilmente. como a caixa de sapato é mais longa (mais detalhes nos próximos capítulos) do que a lata de leite. você conseguirá imagens após 25 a 30 segundos de exposição. 18 . Ah! Uma boa idéia é usar fita adesiva na parte de trás do papel. (3) fita isolante. faça uma pequena dobra na fita para ter uma aba com que facilmente puxar o obturador. Use os elásticos grandes para manter a tampa presa ao corpo da câmera e evitar acidentes que velem o papel sem que você tenha fotografado (ou ainda pior. Em um desses lados. coloque uma pequena aba de fita adesiva numa das laterais do papel. talvez até mesmo usando uma folha inteira (ou bem próximo disso)! Caso você decida usar tamanhos que sejam muito próximos do tamanho interno da caixa. Pronto! A câmera já pode ser usada. (4) tampa da caixa 1 Para expor.

Câmera 35mm .

Eu costumo usar cola bastão por ser mais barata e funcionar muito bem. abordaremos câmeras que utilizam filmes em rolo. ela é muito mais trabalhosa do que qualquer uma das anteriores. é só você dar uma olhada rápida na quantidade de páginas deste capítulo. iremos abordar uma única construção. Para imprimir. mas estes são de difícil obtenção – sem falar em preços altos – no Brasil. Ao contrário dos capítulos anteriores onde você encontrou dois projetos. Ainda que a montagem dessa câmera não seja assim tão difícil. Windows XP Mac OS X Assim que a impressão terminar. os resultados valem o esforço! Para a montagem você precisará de: • 1 impressão do projeto • 1 folha de papel-cartão preto • 1 rolo de filme 35mm (preferencialmente ISO 200) • 1 rolo de filme 35mm vazio • 1 clipe para papel médio • 1 cartão de telefone usado • abridor de garrafas • tesoura/estilete • cola spray ou bastão • fita isolante • régua • 2 elásticos O primeiro passo para fazer a câmera é imprimir o projeto que você encontra na última página deste material. para garantiar que a impressão está no tamanho certo. mas não se preocupe. Para justificar isso. Existem outros formatos de filme em rolo. meça a linha de proporção (1cm/1cm ou 1in/1in). como o 120. desabilite . e especificamente o rolo 35mm.Neste capítulo.nas suas opções de impressão – a opção de reduzir/ampliar ou de encaixar para o papel. É importante tomar cuidado para não deixar massas muito grandes de 20 . cole o projeto no papel-cartão. Linhas de Proporção (cm e polegada) Confirmando as dimensões.

para manter as duas folhas bem planas. e deixará os furos do filme à mostra. e a janela maior servirá de quadro para o filme. Dobras da caixa de imagem corte de janelas/abas] 21 . Caso utilize essa opção. deixe o “sanduíche” das folhas sob algum livro pesado. mas exige mais cuidados. Isso irá facilitar na hora de fechar a câmera. ao invés de recortar o círculo. enImpressão e prancha de cartão As duas janelas redondas que parecem rodas de bicicleta serão por onde você ira controlar o avanço e o retorno do filme. A pequena janela quadrada é onde você irá colocar o orifício da câmera. preferencialmente com o estilete. Todas elas. cheque a embalagem). Isso deixará pequenos triângulos separados. Aí é so fazer as dobras. que servirão para dar tensão aos rolos de filme. como mostra a foto ao lado. [foto rePeças da câmera separadas da impressão exceção das dobras triangulares do corpo da câmera e da caixa do filme são para dentro. Quando o layout estiver parecido com a imagem acima. Para abrilas. Depois de recortar a parte principal da câmera. siga as instruções do produto. e ajudará a colagem a não soltar. pois elas podem atrapalhar nas dobras. As dobras triangulares são responsáveis por manter o interior da câmera à prova de luz. pegue o clipe de papel e marque as linhas de dobra. então é importante que sejam feitas com muito cuidado. Depois de dobrar a caixa do filme. recorte as abas e janelas. como uma lista telefônica. recorte o projeto nas linhas brancas cheias com uma tesoura ou estilete.cola. com Dobras “V” quanto espera curar completamente. Janelas do orifício e do filme recortadas faça cortes retos nos raios. feche a parte de cima e a de baixo com fita isolante. Quando a cola curar (em torno de 5 a 10 min para a cola bastão. para o spray. Depois de aplicar o adesivo.A cola spray é bem mais fácil de aplicar. para que você consiga uma imagem ainda mais diferente do que você conseguiria com uma câmera comum.

tabela de exposição e guias Montagem do obturador e do canal 35mm vazio e o abridor de garrafas. Deixe o corpo da câmera de lado um pouco. e pegue os outros pedaços do projeto impresso que até agora desconsideramos.Neste ponto. encaixe as aletas do obturador nas abas do canal. e cole apenas as abas com fita isolante. 22 . que impedirão que o obturador saia da câmera durante o uso. alinhe a janela do obturador com a janela do orifício no corpo da câmera. Com a cola ou com fita – você escolhe – coloque a tabela de exposição na parte de trás da câmera (oposta à montagem do obturador). e separe o obturador. conforme a imagem abaixo. Agora pegue o canal do obturador. pegue um cartucho de filme Obturador e canal. Colocação do obturador Colocação das guias e tabela de exposição A próxima coisa a fazer é preparar o rolo de filme que servirá para proteger as fotos que você bater. deixando-as junto com o corpo da câmera para depois colocar tudo junto. Para ajustar as guias. puxe o obturador até deixar toda a janela do canal aberta) e com a fita isolante fixe a montagem. e isso significa que ela está quase pronta! Vincos nas linhas de dobra Agora é a hora de juntar todos esses pedaços para termos uma câmera! Primeiro alinhe a montagem do obturador com a janela menor da câmera (para isso. Recorte a tabela de exposição e as guias superior e laterais. o corpo da câmera deve parecer com o esquema da próxima página. e as guias de composição nas laterais e no topo da câmera. Para montar. Para isso. tomando cuidado com as duas aletas laterais. recortando a janela e as abas.

e pule para o próximo capítulo. volte aqui para que os últimos detalhes a serem adicionados à câmera. vamos carregar a câmera para que possamos fotografar. que vai receber o filme que você já tiver fotografado e protegê-lo. um pouco e o corpo da câmera. Com o cartucho vazio já invertido. enquanto o rolo de filme virgem será marcado com um “N” e pela cor vermelha. um contador que permite que se saiba quando o filme rodou uma posição inteira. Se tiver. para que fique bem preso quando você começar a fotografar. pegue o cartucho invertido. Depois. o cartucho invertido será marcado por um “I” e pela cor cinza. Veja se o eixo tem um resto de filme ainda anexo a ele. junte as duas abas de filme. No esquema abaixo. a segurança que impedirá que o corpo se abra acidentalmente. com o filme novo “por dentro”. tomando cuidado para que o resto de filme ou a língua de fita fiquem para fora da carcaça e recoloque a tampa. Roteiro de inversão do cartucho 35mm 23 . Esse é um cartucho invertido. inverta o eixo e recoloque-o na carcaça. retire a tampa do cartucho e retire o eixo de dentro da carcaça. Note bem a posição do eixo. e a alavanca de retorno do filme sejam colocados. Para isso. para colocar o orifício que permitirá que você fotografe. Depois disso. ótimo.Com um pouco de cuidado para não entortar o metal. mas caso contrário. N I Posição dos cartuchos de filme dentro da câmera Com fita adesiva. Agora deixe a câmera de lado um pouquinho. no caso de acidentes com a câmera. um rolo de filme novo. tire um pedaço longo de fita isolante e faça uma “língua” partindo do eixo.

como na figura ao lado. Corte do contador Colocação do contador na câmera Para proteger a câmera. Câmera completa. pois é o número de “estalos” que você ouvirá quando girar o filme. É importante alinhar o contador com os furos do filme. depois de carregá-la com filme. cada fotograma (ou posição do filme) equivale a 9 estalos.O contador é uma pequena aleta plástica. onde está o obturador. Com a frente da câmera. é o rolo da direita. Depos disso. voltada para você. protegida por elásticos e com o clipe para puxar o filme 24 . é só encaixar o clipe de papel na ponta do rolo de filme vazio. pegue os dois elásticos e amarre a câmera fechada. No caso. recortada do cartão de telefone e colocada dentro da câmera com fita adesiva.

Orifício .

Com a lixa. fazendo movimentos circulares. é também mais fácil de furar. e não vamos analisar todos os métodos aqui. lixa e um quadrado de metal fino. O orifício deve ser redondo e uniforme. As duas primeiras técnicas inclusive são também muito baratas. mas como é muito mais fácil encontrar latas de refrigerante de alumínio.A confecção do orifício que substituirá a lente é uma tarefa importantíssima para se fazer fotografia “de orifício” (percebeu? como está até no nome. Método Le Combe Processo de obtenção do orifício pelo método de Brewster 26 . até que o orifício apareça. enquanto a terceira é a mais simples. desgaste esse lado onde o metal está levantado. exigindo um cuidado maior na hora de passar a agulha. algumas formas diferentes foram criadas para se obter esse furinho tão essencial. Normalmente usa-se latão. a mais cara das três. este é uma alternativa muito viável. e portanto. e para consegui-lo você irá “amassar” o metal com a ponta da agulha. Enquanto o alumínio é mais fácil de encontrar. Ao longo do tempo. dá para perceber quão importante é. mas apenas três técnicas que são práticas e fáceis de fazer. Método Tradicional Processo de obtenção do orifício furando metal com agulha e lixa O processo mais comum para se conseguir um orifício apropriado para fotografia usa uma agulha fina. cuidando para não atravessála direto. Cada uma delas tem vantagens e desvantagens. não dá?). Essa pressão irá levantar uma ponta no lado da folha de metal oposto ao que você pressiona com a agulha.

fazendo com que ela seja especialmente válida para quem já estiver mais sério em fotografar com esse tipo de câmera. o plástico onde o fotolito é impresso não é completamente inerte. Dê a saída para impressão neste arquivo e mande para a fotoliteira. e faça pequenos círculos no tamanho apropriado para sua(s) câmera(s) em branco. é só recortá-los e colocá-los na câmera. sem contar a grande precisão dos orifícios obtidos. 27 . e vá aproximando os vértices internos até conseguir um tamanho apropriado (Discutiremos maneiras de medir esses orifícios ao final desse capítulo) e fixe as duas partes uma à outra com fita adesiva. Com esse método você terá em mãos uma quantidade relativamente grande de orifícios. O que você precisa é de um computador e algum software de desenho vetorial. pois a luz ao passar pelo plástico pode gerar um padrão de cores como este: Arco-íris de difração O método high-tech Na verdade. Em um de seus livros ele descreve como conseguir um furo apropriado usando papel.Brewster foi um físico inglês que estudou a fotografia de orifício e a formação da imagem no século XIX. Quando tiver a folha com os orifícios em mãos. com cuidado para deixar a parte interna do “L” sem cortes invasores. pois você irá imprimi-los em uma base plástica. e influencia um pouco na imagem. cubra a página com um retângulo preto. Dessa forma. cuidado quando for fotografar contra o sol. mas ele pode ser relativamente caro). Entretanto. Para seguir as instruções de Brewster você precisará de uma tesoura ou estilete uma folha de papel preto e opaco e fita adesiva. Para conseguir o orifício. além de alguma forma de imprimir fotolitos (bureaus de imagem e gráficas offset costumam ter esse processo. você não conseguirá orifícios propriamente ditos por este método. coloque os dois “L”s um sobre o outro. conforme o esquema abaixo. Arquivo vetorial com diversas aberturas No programa de desenho vetorial. Neste papel recorte dois “L”s.

Não se preocupe com a matemática. desenvolvendo programas de computador que fazem esse cálculo por você. Existe uma fórmula matemática para determinar o diâmetro do orifício: d=c. pois pessoas caridosas já facilitaram o processo. Para c eu prefiro um valor em torno de 1. Você encontra os endereços de alguns destes na seção de referências. você precisa saber qual a distância entre a posição do orifício e a posição onde estará o papel ou filme fotográfico. facilita a compreensão daqueles que já têm alguma familiaridade com a fotografia com lentes. ou então deixá-la toda borrada (como se estivesse desfocada). Por exemplo. bem como diversos websites que apresentam formulários para determinar o diâmetro do orifício. Você encontra um desses em lojas de material para artes ou em lojas de material ótico. Imagem “focada” (abertura ideal) Imagem “desfocada” (abertura não ideal) Agora que você já descobriu o diâmetro ideal do orifício para a sua câmera (no caso da câmera do capítulo anterior. Existem opções para sistemas Windows e Mac OS X.2mm). ou um pouco irregular vai alterar um pouco a imagem. mento de onda da luz predominante (para a luz do dia. chamaremos essa medida de distância focal.Onde d é o diâmetro do orifício. físico inglês e o primeiro a determinar esta fórmula usava uma constante de 1.5 mas você pode usar constantes diferentes. λ é o compri- O tamanho do orifício O tamanho do orifício é até mais importante do que sua uniformidade. que apesar de impreciso. essa medida é de 0. Para fazer essa medição.9. Lord Rayleigh. Para simplificar. a maneira mais fácil é usando um conta-fio de boa precisão. Conta-fios e orifício Para descobrir qual o tamanho de orifício certo para cada câmera. já que um orifício meio oval. você precisa descobrir se o furo que você preparou no começo do capítulo tem esse tamanho. enquanto um orifício de tamanho errado pode não ser capaz de formar a imagem. convencionase usar 550nm) e c é uma constante.(ƒ/ λ) 28 . ƒ é a distância focal.

Com a ferramenta régua meça o orifício de um lado a outro e pronto. Isso permitirá que você veja o orifício num tamanho melhor sem perder a definição da borda. Nos próximos capítulos vamos falar sobre as técnicas importantes para utilizá-la.Medição eletrônica O outro método envolve um tanto de tecnologia a mais. e sua câmera está pronta. aproxime o zoom para 200%. Captura de tela do Adobe® Photoshop: Medição eletrônica do orifício 29 . verifique se a medida que o programa dá é próxima daquela que você queria. Com o orifício correto pra sua câmera feito. coloque o orifício que você fez e digitalizeo na resolução mais alta possível (se possível. em torno de 1200 dpi). Caso você tenha acesso a um scanner. A seguir. é só colocá-lo no corpo.

Exposição .

tecnicamente. por quanto tempo o material será exposto à luz para formar uma imagem. sabemos que ela tem um equivalente de distância focal de 25mm. e nesse caso costuma variar entre ƒ/1. Com orifícios.4 até ƒ/22.Agora que você já tem pelo menos uma câmera inteira. mas são câmeras bem mais complicadas de construir). Isso é o que se chama exposição. sendo determinada pelo diafragma. esse tempo costuma ser muito curto. não existe essa mesma variação. Esse valor existe também em lentes. você – ao construir a câmera – já tem uma idéia desse valor. e para isso é necessário saber o valor de abertura da câmera – também chamado de número ƒ. Nas câmeras de orifício. uma câmera de orifício vai normalmente apresentar valores ƒ acima de 100 (existem exceções. dependendo da condição de iluminação. Agora. A maneira mais fácil de acertar sempre a exposição com uma câmera de orifício é preparar uma tabela de exposição. resta saber como fazer para impressionar o material fotossensível corretamente. e determinamos pela fórmula de diâmetro ótimo de orifício o tamanho ideal para o furo: Com aproximações e pequenas imprecisões que não prejudicam a qualidade da imagem na câmera. Pegando como exemplo a câmera 35mm construída anteriormente. ou seja. os tempos te exposição variam desde frações de segundo (maiores que as obtidas com lentes) até várias horas. pode-se considerar o orifício ótimo para esta câmera como tendo diâmetro de 0.2 mm. em frações de segundo. Com lentes. Escala de aberturas 31 . Enquanto lentes costumam apresentar aberturas até ƒ/22. pois como o orifício não muda de tamanho como o diafragma das lentes. a abertura da câmera (ou seu número ƒ) é obtido dividindo-se a distância focal pelo diâmetro do orifício: Esta é a grande diferença entre uma câmera de orifício e uma câmera com lentes. com orifício apropriado e carregada com papel ou filme.

foto c/ lente Tabela de exposição Agora.Mas qual a função desse valor ƒ? Para quê ele serve? Bom. bonitinho. são dois fatores influenciados pela abertura. como a câmera construída anteriormente já tem sua tabela de exposição calculada. seguindo seu próprio projeto? Bom. Se você quiser fazer esses cálculos na mão. esse é o efeito da profundidade de campo. e o fundo parece um borrão amorfo? Então. aquelas lindas paisagens com campos. Guia de Exposição – Câmera de Orfício Dia Parcialmete Muito Nascer/Pôr Natural Claro Nublado Nublado do Sol Interior 1s 1s 6s 14s 44s links que oferecem calculadoras exatamente para esse propósito. podemos resumir o fato como: quanto menor o número ƒ de uma câmera. de campo – pinhole Curta prof. Apesar de toda uma teoria que a física ótica determinou para explicar isso. ou se utilizar dos softwares que também permitem esse cálculo. menor a quantidade de luz que a abertura deixa chegar até o material foto sensível. O primeiro deles (e o mais importante neste momento) é exatamente a exposição. montanhas e o que seja lá longe. que têm um número ƒ na casa das centenas nunca (repito: NUNCA) vai conseguir fazer uma foto de algo só com o fundo borrado. normalmente). sugerimos que a utilize como referência. de campo . Sabe aquelas fotos em que o tema está todo em foco. e não vamos entrar nesse grau de detalhe neste manual. como fazer isso para uma câmera que você mesmo tenha construído. Quanto maior o número ƒ. Pela Longa prof. O outro fator que a abertura influencia é a profundidade de campo. o jeito mais fácil é buscar na seção de referências algum dos 32 . menor a sua profundidade de campo. serão uma excelente opção para as câmeras de orifício. Ou seja. veja o quadro A Regra “Sunny/16” e a fotografia de orifício. Então. Existem cálculos extremamente complexos para se determinar o tempo de exposição para determinado material (papel ou filme fotográfico. as câmeras de orifício (como a nossa). Em compensação.

FC = 61 .3 Esse valor 0. Então digamos que você carregou sua câmera com filme ISO 200. A Regra Sunny/16 e a fotografia de orifício Para uma aproximação do tempo de exposição. isso vira: FC = ( 125 / 16 )2 FC = 7. se o menor número ƒ encurta o campo.f/8 .lógica.f/5. para situações de luz clara e sol aberto. é só multiplicar a velocidade original na regra pelo fator de conversão (FC). etc). quando você estiver numa condição de luz muito clara (Sol aberto. temos que descobrir o fator de conversão entre a sua abertura e f/16.f/4) de acordo com a claridade. é só aplicar a fórmula a seguir: FC = ( fcamera / f16 )2 Na nossa câmera. 33 . você conseguirá uma boa exposição colocando a abertura da lente em f/16 e a velocidade de exposição para um valor numericamente igual a 1/ISO do filme. se você pudesse mudar a sua abertura. mas sim aproveite essa câmera que construiu (seja um dos projetos que encontrou aqui ou uma câmera que você mesmo desenhou) para fazer fotos acima de tudo bonitas.6 . E agora? Calma que tem como resolver.3 corresponde aproximadamente a 1/3 de segundo. Para começar. para descobrir a exposição para f/125. é comum alguns fotógrafos mais experientes se valerem da regra conhecia como “Sunny/16”. De acordo com a regra “Sunny/16”. Isso significa que praticamente tudo. Assim. normalmente diminuindo o valor de f/16 (na sequência de números f: f/11 . até onde a vista alcança. Pronto. esse é o tempo de exposição. A foto precisa também do que veremos no próximo capítulo. E para uma foto ser bonita não basta apenas ela estar corretamente exposta. era só colocar a câmera em f/16 e a velocidade seria de 1/200 . O mesmo cálculo pode ser feito para diversas condições de luminosidade. pois eu espero que você não saia apenas fotografando alucinadamente. um número ƒ muito maior do que uma lente oferece também vai oferecer um campo muito mais profundo.82 FC = 61 Então. (1/200) FC = 61/200 FC = 0. Para fazer isso. Mas o manual não acaba aqui. estará em foco numa imagem formada por orifício. Agora você já sabe tudo o que precisa para sair e fotografar. Essa regrinha diz que. Mas espera aí! Uma câmera de orifício não varia a abertura. próximo ao meio dia.

Composição .

a parte mais teórica já acabou. e aqui nós veremos o que eu considero mais apropriado para a fotografia de orifício. correto? linhas-guia para composição 35 . e não apenas 2. De qualquer maneira. Para usar as guias. mas que se estendem até o horizonte. Lembra-se que você colou na parte externa da câmera 35mm uns riscos chamados “guias de composição”? Pois então. mas também significativo. Note que não é algo totalmente preciso. aponte a câmera em direção à cena que você quer fotografar. Vamos ver agora como podemos fazer nossas imagens serem ainda mais bonitas. se elas só servem para dizer aquilo que vai aparecer na foto? Você percebeu que as duas linhas mais próximas do meio se estendem pela área delimitada pelas linhas externas.Tudo certo. pode ser? Dentro das artes (e entre elas a fotografia) existe uma disciplina chamada Composição. Tudo aquilo que estiver entre essas linhas imaginárias irá aparecer na foto. pessoas no espaço que será representado de maneira que o conjunto disso tudo. pois alinhar o orifício com as guias de composição não é tão fácil quanto parece. elas são de grande ajuda. figuras. que dá dicas de como colocar as coisas. seja não só harmônico. Agora imagine uma linha que acompanha as guias de linhas imaginárias composição. com um apelo mais forte e significativo para todos que as virem. Mas porquê existem 4 linhas. Cada um tem seu processo para compor uma imagem. na imagem. elas foram montadas de maneira a permitir que você adivinhe (um “chute informado”) – com alguma precisão – onde na sua foto cada elemento vai aparecer.

e um ponto forte é a base da coluna. Muito obrigado por ter chego até aqui. Basicamente. estão pelo menos próximas. São muitos endereços na internet. construindo câmeras e finalmente. a maioria em inglês. os quatro pontos de intersecção das linhas podem ser usados para alinhar os diversos elementos da imagem. fotografando. Na fotografia ao lado. procure se aproveitar dessa pequena vantagem que as linhas te oferecem. você pode notar que as áreas principais da imagem se não estão exatamente alinhadas com as linhas equidistantes. espero que você se divirta tanto fotografando. construindo câmeras e apreciando fotografia quanto eu me diverti pesquisando. Regra de Terços Mais uma regrinha prática da fotografia –e de outras artes visuais como a pintura– só que agora para resolver problemas de composição. exatamente em cima da intersecção de duas linhas. acabou! Daqui para a frente você só encontrará – neste manual – referências de onde buscar informação mais aprofundada. para a guia funcionar. escrevendo este pequeno guia. um dos extremos de cada linha deve ser alinhado com o orifício. e alguns livros que. delimitar os terços. enquanto o outro extremo deve ser alinhado com a borda do filme ou papel (para as linhas externas) ou com o terço do quadro (para as linhas internas). a regra dos terços diz que. mesmo que aproximadamente. É essa a função das linhas internas das guias de composição. criando nove áreas iguais. Existe uma escola na fotografia (e na pintura também) que diz que a composição ideal de uma imagem é baseada em terços. Perceba que. quando for fotografar com essa câmera. mesmo não necessariamente específicos sobre fotografia de orifício podem trazer dados e idéias valiosas para esse tipo de fotografia também.Pois bem. Então. ou se utilizar guias semelhantes em câmeras que você mesmo desenhe e construa. agora eu volto a falar sobre a tal disciplina de composição. ao se dividir uma cena usando duas linhas horizontais e duas verticais equidistantes. Finalmente. Composição pela regra de terços 36 .

Referências .

projetos interessantes e uma comunidade muito unida. e websites. pela Elsevier. com grande imagens. buscar algumas outras idéias e projetos diferentes para você fazer. Websites WPPD: http://www.pinholeday. em termos de livros. além de vários artigos históricos sobre a técnica.org – Dia Mundial da Fotografia Pinhole Nick Dvoracek: http://idea. Todos publicados no Brasil pela editora SENAC-SP. A trilogia máxima da fotografia. além de ser recheado de imagens fantásticas. com muitas imagens e algumas dicas sobre fotografia pinhole. e coisas assim. Livros Ansel Adams – A Câmera. 38 . me procure por lá como press_cwb. teoria e prática. sua história. aproveite para se aprofundar mais. O grande livro da fotografia pinhole. O Negativo e A Cópia. ainda que só fale rapidamente da fotografia de orifício Eric Renner – Pinhole Photography: Rediscovering a historic technique.uwosh.Aqui você vai encontrar algumas referências. f295 – fórum em inglês sobre fotografia alternativa.edu/nick/ – Uma das maiores referências online sobre fotografia de orifício. e casa da Populist. Photography without lenses – site do Chris Patton. Publicado apenas em inglês.

guia superior Obturador 1in 1cm 1in 1cm Canal do Obturador Câmera de Orifício distância focal: 25mm diâmetro do orifício: 0.com.br) Guia de Exposição – Câmera de Orfício guias laterais .2mm Distância Focal: 25mm Projetada por Luciano de Sampaio (luciano_sampaio@yahoo.2mm abertura: f/125 ISO do filme: 200 Dia Parcialmete Muito Nascer/Pôr Natural Claro Nublado Nublado do Sol Interior 1s 1s 6s 14s 44s Luz Artificial 1min Diâmetro ótimo do orifício: 0.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful