Você está na página 1de 5

Cursos de Redação e Gramática para Vestibulares, concursos, empresas e estrangeiros

Eu não posso entender por que as pessoas têm medo de novas idéias. Eu tenho medo das
antigas.
John Cage

MULTIMIDIA

Neste informativo vamos comentar algumas questões de uma prova elaborada pelo CESPE
- UnB, organização responsável pelos concursos da Polícia Federal, entre outros.

UnB / CESPE – Ministério da Saúde Processo Seletivo – Aplicação: 18/10/2003

Classificação III – 3 / 10 É permitida a reprodução apenas para fins didáticos e desde que citada a fonte.

Criação ou descoberta?

Fala-se muito no grande abismo entre ciência e arte, 1


a primeira lógica, objetiva, enquanto a segunda é intuitiva,
subjetiva.
Nós criamos ou descobrimos a ciência? Será que as 4
nossas teorias e os nossos teoremas estão codificados de
algum modo na natureza e tudo o que faz um cientista é
“descobri-los”, levantar a coberta que os esconde,
7
revelando
seu significado? Ou será que os criamos, usando nossa
intuição, observação e lógica?
O artista é o criador, ele ou ela dá existência a algo 10
que não existia, enquanto o cientista é o descobridor, aquele
que revela o significado oculto das coisas, sem criá-las.
Muita gente pode se contentar com essa explicação 13
e dar o caso por encerrado. Mas eu, não. Para mim, a
ciência
é uma criação, tão criação quanto uma obra de arte. O fato
de
arte e ciência obedecerem a critérios de validade diferentes, 16
a ciência ter uma aceitação baseada no método científico,
que
provê meios para que as teorias sejam testadas frente a
observações, não muda minha opinião. Ciência é criação do 19
homem, fruto de nossos cérebros e de nosso modo de ver o
mundo. Marcelo Gleiser. Folha de S. Paulo, 14/9/2003 (com
adaptações).

Julgue os seguintes itens, relativos às idéias e estruturas do texto

acima ( coloque certo ou errado).

31_ O pronome “se” (R.1) tem, no texto, a função de indeterminar

o sujeito de um verbo intransitivo.

32- Infere-se do texto que o autor se posiciona ao lado dos que

consideram lógico e objetivo “levantar a coberta” (R.7) que

esconde teorias, revelando seu significado.

33- A expressão “essa explicação” (R.13) refere-se, coesivamente,

às idéias expressas no parágrafo anterior.

34- Se o autor optasse por empregar o artigo definido

imediatamente antes da expressão “arte e ciência” (R.16), seria

obrigatória a contração com a preposição que a antecede,

obtendo-se da.

35- Preservam-se os sentidos do texto e a correção gramatical ao

se substituir “frente a” (R.18) por em face a.

36- A oração “Ciência é criação do homem” (R.19-20) explicita a

quem se referem os pronomes e verbos na primeira pessoa do

plural: a todos os que constituem a humanidade, designada

como “homem”.

RESPOSTAS:

31- O verbo falar está sendo usado como intransitivo. O “se” indetermina o sujeito. Quem fala? O
sujeito é indeterminado. Que é sujeito indeterminado? Dizemos que o sujeito é indeterminado
quando não se sabe qual é ele ou não se quer identificar. O verbo nunca será transitivo direto. O
sujeito indeterminado ocorre apenas em dois casos: 1- com o verbo na 3ª pessoa do singular
seguido de se. Ex.: Fala-se muito em política. Acredita-se em dias felizes para o casal. Pensa-se
em tudo quando se quer prestar um concurso. Anseia-se pelas férias. 2- O verbo está na terceira
pessoa do plural sem termo antecedente. Ex.: Comentaram o caso no cabeleireiro. Falam muito
desse produto. O verbo falar também pode ser transitivo direto. Se eu dissesse: ele falou apenas a
verdade, falar seria transitivo direto. A resposta é C.

32- Quando ele faz a pergunta, deixa implícito que a ciência não está apenas coberta, bastando
levantar o que a cobre. A ciência é criada, seguindo-se observação e lógica. Nas linhas adiante ele
deixa bem clara essa posição. A resposta é E.

33- Essa explicação refere-se à diferença entre artista e cientista, portanto a reposta é C.

34- Não podemos pôr preposição antes de sujeito. Assim, diríamos: Estava na hora de o rapaz
manifestar-se. Quem se manifestar? O rapaz = sujeito. Então: O fato de a arte e a ciência e não da
arte e da ciência. A resposta é E.

35- O sentido pode manter-se, mas a correção gramatical, não. Face a é expressão não abonada
pela norma culta. A resposta é E.

36- Quando se diz: O homem é mortal, fala-se de toda a humanidade: homens, mulheres, crianças:
o gênero humano, portanto, no texto, a referência é a toda a humanidade. Em vez de o autor dizer:
(...) fruto de seus cérebros de seu modo de ver, ele usou nossos, o que significa que ele se colocou
no meio. Há, aí, uma silepse de pessoa, concordância ideológica. A questão, no referente a
pronome está certa (nossos), mas não há verbo na primeira pessoa do plural, portanto está E.

Cursos de Redação e Gramática para


Vestibulares, concursos, empresas e estrangeiros

Na unanimidade há uma parcela de entusiasmo, outra de conveniência e uma última de


desinformação.

Carlos Drummond de Andrade

CONCURSO PÚBLICO SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL – 2003

04- Assinale o item que está de acordo com a norma culta da língua escrita.

a) Ficou claro, em uma pesquisa da AT Kearney, divulgada há uma semana, a preocupação dos
investidores em relação a maior economia do mundo, a qual antes se limitava aos mercados
emergentes. Segundo a pesquisa, as contas externas do Brasil registram déficit em transações
correntes de US$ 3 bilhões, que pode ser bancado pela entrada de US$ 15 bilhões de
investimentos estrangeiros diretos.

b) Para os membros da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE), a qual os acordos


internacionais são submetidos, cabe ao Brasil novas solicitações de empréstimos ao Fundo
Monetário Brasileiro se este retirar do superávit primário os investimentos das empresas públicas e
der prioridade ao crescimento da economia.

c) Um dos senadores integrantes da CAE manifestou-se contra qualquer acordo com o FMI e a
favor de uma auditoria na dívida externa brasileira, haja vista os pagamentos já feitos
corresponderem a valor superior ao que o Brasil devia aos credores.

d) Resta ainda, segundo alguns senadores, os necessários recuos do FMI em sua posição de
impedir investimentos de instituições como BNDES, Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil.
Para eles, deve existir mudanças nessas regras. Caso contrário, consideram inadequado, sob
qualquer pretexto, a renovação do acordo.

e) O Fundo Monetário Internacional deixou de disciplinar a paridade das moedas, cuja a função foi
criada há 59 anos para contentar-se com o craxá de auditor de confiança dos bancos credores nas
contas e nos planos dos governos devedores, sem entrar no mérito do formato, do conteúdo e da
seqüela dessa assistência. (Adaptado de O Globo, 21/9/2003)

A resposta correta é a c. Vejamos por quê:

Um dos senadores manifestou-se. É obrigatório o singular. Se você tivesse a expressão “um dos
que” seria aceitável o singular: um dos que se manifestou; a preferência, no entanto, tem sido pelo
plural: um dos que se manifestaram. Insisto: o singular também está correto. O verbo manifestar-se
exige que se posicione: a favor de ou contra. A favor, sem acento indicativo da ocorrência de crase
porque favor é masculino. A palavra acordo, aí, exige o complemento precedido de “com”. A
expressão “haja vista” = leve-se em conta, considere-se (algo que indica, confirma ou ilustra aquilo
que se afirmou anteriormente)é invariável. Ex.: Ele esteve doente – haja vista sua ausência. Não
vou comprar o produto haja vista o preço exibido. Daí, no texto, “haja vista os pagamentos”.
Pagamentos corresponderem – pagamentos é sujeito, logo o verbo concorda com ele.
Corresponderem a valor = está sem artigo porque não está determinado. Se disséssemos:
“corresponderem ao valor”, estaríamos determinando qual o valor. Na segunda menção a valor, há
determinação: valor superior ao que o Brasil (...) = valor superior àquele que o Brasil (...). Veja:
Estamos referindo-nos a homem semelhante ao homem encontrado nas geleiras.

Vamos às erradas:

a- 1- Ficou clara (e não claro) a preocupação. A preocupação ficou clara. 2- Em relação à maior
economia do mundo. Se fosse masculino, ficaria: em relação ao maior contingente de
trabalhadores. 3- A palavra déficit é controversa: o VOLP (Vocabulário Ortográfico da Língua
Portuguesa- da Academia Brasileira de Letras) e o Houaiss registram a palavra sem acento. O
Houaiss registra a palavra défice.

b- 1- (...) à qual os acordos são submetidos. Alguma coisa é submetida a outra. Então: Para os
membros do comitê, ao qual os acordos são submetidos. 2- (...) cabem ao Brasil novas
solicitações de empréstimos (e não cabe); o que cabe são as novas solicitações de empréstimos.3-
superávit (controvérsia no registro em dicionário).

d- 1- Restam ( e não resta) ainda os necessários recuos 2- devem ( e não deve) existir mudanças.
O verbo existir tem sujeito e concorda com ele: Existem pessoas amargas por natureza. Observe
que o auxiliar acompanha o principal. Então: Devem existir pessoas amargas. 3- Observe que você
não argumenta debaixo de qualquer pretexto e sim com o pretexto.

e- 1- cujo não admite artigo, daí não ocorrer crase diante dessa palavra. Na prova, o correto seria:
(...) cuja função. 2- crachá, do francês crachat (e não craxá)

Indique aos amigos!

Até o próximo!!!