CADERNO DE ORTODONTIA

P-16 Técnica de moldagem em ortodontia

Velho Casario Têmpera de óleo sobre tela de 1958 Carlos Botelho

Os homens inteligentes falam por experiência. Os homens muito inteligentes por experiência não falam. (Anónimo)

4.3.1988: 513-515. Brudon W.5.tipos 1.: Orthodontic and Orthopedic Treatment in the Mixed Dentition.A.4.moldagem 2.F.arcada maxilar.ª Doutora Maria João Ponces (Professora Auxiliar) Regente da UC Introdução à Medicina Assistentes: Mestre Cláudia Leitão.1..6.selecção das moldeiras 2. Construction and Use of Removable Orthodontic Appliances.cuidados de desinfecção 3.2.espátulas de plástico ou aço inoxidável 1.. Mestre Eugénio Martins.doseamento e espatulação do material de moldagem 2. 3.Conhecer as particularidades da técnica de moldagem em ortodontia.1. Objectivos da aula: 1.1. Mestre Saul Castro 2 . Year Book Medical Pub.L.J.3.5.2.2.4º ano 7º Semestre ...Demonstração clínica da moldagem com alginato 2. Responsável pela aula: Prof.colocação de cera “utility” 2.1. Stahl A.5. Doutor Afonso Pinhão Ferreira (Professor Catedrático Diretor da FMDUP) Regente da UC de Ortodontia II: Prof. Coordenador do Curso de Especialização em Ortodontia e Regente da UC Ortodontia III e UC ODP/ORTO Prof.2.Aula teórico-prática Tema: Técnica de moldagem em ortodontia Sumário: 1. 2.material de moldagem . Wright 6th ed.4.cera “utility” 2.Material necessário 1. Masson. Doutor Jorge Dias Lopes Data: 15 de Setembro de 2011 Prof.alginato 1.7.avaliação da moldagem – aspectos a valorizar 2. 4th ed.posição de trabalho 2.1.ª Cristina Figueiredo Pollmann (Professora Associada) Coordenadora do Ensino Pré-graduado e Regente da UC de Ortodontia I Prof.P.Saber aplicar as técnicas para evitar o reflexo do vómito.manobras para evitar o reflexo de náusea 2.Serviço de Ortodontia da FMD-UP Serviço de Ortodontia Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto Ensino pré-graduado – UC de Ortodontia II .tamanhos 1.1. 4th ed.1.tigelas de borracha 1. 1991: 5-15. 1990: 177-183. Brandies H. Moyers R.: Handbook of orthodontics.moldeiras 1.5. Ann Arbor Needham Press.N.paciente ortodôntico 2.: The Design. Kerr W.4.Compreender a importância da moldagem em ortodontia. McNamara J.arcada mandibular – moldagem do freio lingual 2.aluno 2.Técnicas para evitar o reflexo do vómito Bibliografia: Caderno P16 fornecido pelo Serviço de Ortodontia da FMDUP. Adams C. Doutor Jorge Dias Lopes (Professor Catedrático) Diretor do Serviço.: Técnica Ortodôncica.2. 1994: 355-362.ª Doutora M.

os quais são modelos de estudo em que os dentes são recortados no modelo inicial. inseri-lo na boca do paciente e esperar um determinado tempo para que ele polimerize. carregálo num recipiente denominado por moldeira. objectivo final da moldagem em ortodontia. para serem remontados em novas posições de acordo com a proposta terapêutica.Material necessário TÉCNICA DE MOLDAGEM EM ORTODONTIA Material necessário .alginato . poderemos necessitar de três tipos de modelos: . para a confecção dos aparelhos e dos dispositivos ortodônticos.água . parâmetros esses que são essenciais para cumprir os objectivos da terapêutica ortodôntica actual.espátulas . Se preenchermos esse negativo com gesso. os quais passam pela obtenção de uma oclusão ideal funcional inserida na melhor harmonia facial possível em cada caso considerado de forma individual. entendemos o acto clínico de reproduzir em negativo uma determinada superfície anatómica. permite formular o prognóstico. levando em conta o crescimento craniofacial e a função neuromuscular.1. a que chamamos modelo.modelos de trabalho. . A sua elaboração.tigela de borracha . Em ortodontia.material de moldagem . análise de modelos. que será então a reprodução em negativo dos dentes e das estruturas anatómicas adjacentes. a qual é um pouco diferente das outras disciplinas da medicina dentária já que se torna necessário para além da reprodução dos dentes. a reprodução do fundo do vestíbulo. estudo fotográfico e análise radiográfica. planear o tratamento e calcular o tempo necessário à sua efectivação. 1. dos freios e das inserções musculares.Material de moldagem 3 .modelos para a montagem de maquetas de prognóstico (“setups” segundo os anglosaxões).modelos de estudo ou de diagnóstico.luvas e máscaras 1.moldeiras . conseguimos em positivo uma cópia tridimensional das estruturas moldadas.Serviço de Ortodontia da FMD-UP TÉCNICA DE MOLDAGEM EM ORTODONTIA O diagnóstico ortodôntico baseia-se essencialmente no exame clínico. Compreende-se assim a necessidade de confeccionarmos laboratorialmente bons modelos de gesso. Consiste em preparar um material para moldagem. Obtém-se assim uma visão tridimensional dos objectivos do tratamento planeado. Produz-se assim o molde. . Por moldagem em ortodontia.

hidrófilo. contêm: .1.custo relativamente baixo quando comparado com os outros materiais de moldagem existentes no mercado. . .outros excipientes 63g. Como exemplo. 4 .proporciona moldagens mais rigorosas.Tipos de alginato Estão definidos dois tipos de alginato: . A reacção química com a água é irreversível. .Serviço de Ortodontia da FMD-UP Como material de moldagem usamos o alginato (hidrocoloíde irreversível). 1.digliconato de clorhexidina 0. Na sua composição podemos.alginato de sódio 18g. . . . também. encontrar substâncias aromatizantes.Tipo II – de presa normal: .1. .indicado em crianças e adultos mais susceptíveis ao reflexo de vómito. ser pouco compressivo (não magoa).baixa compressão.tempo de trabalho: 1m e 15s. poderemos dizer que 100g de ALGISUL® (Inibsa). essencialmente pelo facto de se tratar de um material económico.tempo de espatulação: 45s. . permitir uma boa reprodução dos pormenores.1.1.aromas e corantes naturais 0. .tempo de presa: 1 a 2m. sulfato de cálcio que actua como reagente e o fosfato de sódio como retardador. . diversos corantes e agentes de carga.Características do alginato .tempo de espatulação: 45s. (desinfectante) .fosfato de sódio 3g.3g. . necessitar de uma pressão de desinserção pequena e por ser hidrófilo (absorve a água. podendo assim reproduzir áreas com algum grau de humidade.7g.tempo de trabalho: 2m. . que é um gel que passa ao estado sólido ainda na boca do paciente. Alguns tipos de alginatos ainda têm incorporado certos desinfectantes. dando origem ao alginato de cálcio. 1.2. .tempo de presa: 2 a 4m e 30s.fácil manuseamento. um dos alginatos do mercado. É composto por alginato de sódio. .sulfato de cálcio 15g.Composição do alginato O alginato é um sal derivado do ácido algínico (a algina é um componente muciginoso das algas marinhas). 1.3. o que significa que se os dentes não estiverem bem secos não haverá prejuízo para a exactidão da moldagem).Tipo I – de presa rápida: .

Luvas e máscara 2.Posição do paciente O paciente deverá estar comodamente sentado na cadeira a 90º.pressão de desinserção baixa. erecta. sendo facilmente removido. . . 1.com rebordo e sem rebordo (que obrigam à acentuação do rebordo com cera “utility” para melhor moldar o fundo do vestíbulo).Água O ideal será usar água destilada ou desmineralizada. . 3). 0. de forma a haver paralelismo entre a arcada que se pretende moldar e o pavimento. 2.superiores e inferiores (estas em forma de ferradura).muito instável (em contacto com o ar desidrata-se.descartáveis. . 1.padronizadas (compradas no mercado em vários tamanhos: 00. 5 . contraindo-se.metálicas ou plásticas.não mancha a roupa.5.perfuradas ou não perfuradas (estas obrigam ao uso de um adesivo para a retenção do material de moldagem).6.não possui total fidelidade na reprodução de pormenores.1. em contacto com a água absorve-a.1.3.tempo de presa rápido.Espátulas: plásticas ou metálicas 1.Moldeiras Estes utensílios podem ser de vários tipos: . 1.2. As impurezas da água podem interferir com o tempo de presa e com a qualidade da moldagem. Esta posição vertical.1. . . a pele ou qualquer instrumento. ajuda a diminuir o reflexo do vómito. .4. .Posição de trabalho 2. . expandindo-se).Demonstração clínica da moldagem com alginato em ortodontia 2.Serviço de Ortodontia da FMD-UP .Tigela de borracha 1. 1.

Este tipo de moldeiras existe no mercado em seis tamanhos: 00. 3 e 4. rígidas. de modo que a cabeça do paciente esteja ao nível do seu ombro. enquanto que para a realização do molde superior deve estar às 9 ou às 12 horas.2. fazendo desde logo um juízo do limiar do reflexo de vómito do paciente. . são os mais usados nos adultos.permitir reproduzir os detalhes do vestíbulo.1.para a realização do molde superior deve estar às 9 ou 12 horas. 6 .Serviço de Ortodontia da FMD-UP Demonstração clínica da moldagem com alginato Posição de trabalho Posição do aluno . tanto para a arcada maxilar como para a mandibular. Claro está que. os números 3 e 4.2. onde as bocas são de maiores dimensões. 2. Para seleccionarmos as moldeiras. metálicas e perfuradas. 0. Demonstração clínica da moldagem com alginato Colocação de cera ”utility” Colocamos tiras de cera mole (“utility”) na periferia das moldeiras para: . .não magoar. damos preferência às moldeiras padronizadas. 2. com moldagens mais profundas.Posição do clínico Para a moldagem inferior.para a moldagem inferior o aluno deve posicionar-se às 7 ou 9 horas.1. 2. Depois escolhemos cuidadosamente a moldeira superior. devemos começar pela moldeira inferior e verificar se ela chega pelo menos ao bordo distal do último dente na arcada. de modo que a cabeça do paciente esteja ao nível do seu ombro. o aluno deve posicionar-se às 7 ou às 9 horas. .Selecção da moldeira Em ortodontia.ajudar a reter o alginato.

temperatura óptima da água: 23ºC: . deverá permitir que o alginato tenha. .Serviço de Ortodontia da FMD-UP Uma moldeira bem seleccionada.moldagem de uma arcada grande: . deveremos seguir as instruções do fabricante (exemplo: Algisul® da INIBSA): .temperatura inferior a 23ºC: o tempo de presa aumenta. razão pela qual a moldeira carregada com o alginato não deve ser pressionada de forma a tocar em qualquer estrutura anatómica.5. Como alternativa ou adicionalmente.Doseamento e espatulação do material Na técnica de moldagem em ortodontia.moldagem parcial de uma arcada: -1 medida de água para 1 medida de pó. limpar as superfícies dos dentes com um rolo de algodão.Secagem com jacto de ar da arcada a moldar 2. afim de não se estimular a hipersecreção salivar 2. com menor quantidade de bolhas de ar. .3. para ajudar a reter o alginato e permitir reproduzir melhor os detalhes do vestíbulo. . 7 .colocar numa tigela de plástico a quantidade de pó necessária. podemos também pedir ao paciente para bochechar com um líquido que diminua a tensão superficial. Recomenda-se o uso dos alginatos super rápidos já que serão melhores para as crianças.temperatura superior a 23ºC: o tempo de presa diminui. . Para uma melhor adesão do alginato.Colocação de cera ”utility” Seguidamente colocamos tiras de cera “utility” ao longo dos bordos das moldeiras. pelo menos.2 medidas de água para 2 medidas de pó.para cada medida de pó deveremos colocar uma medida de água destilada (1:1): . uma espessura adequada e uniforme. Deverá existir um espaço mínimo de 4 a 5 mm para o material de moldagem.4. devemos.agitar previamente a lata. . o alginato separa-se alterando a moldagem). entre a superfície da moldeira e o tecido que se pretende moldar. Na impossibilidade de podermos levar a efeito este tipo de limpeza.Isolamento relativo com rolos de algodão e aspirador de saliva 2. devemos pincelá-las com um adesivo apropriado (muitas moldeiras perfuradas têm uma superfície metálica tão polida que ao retirarmos a moldeira. Apesar dos passos a seguir serem comuns para a maior parte dos tipos de alginato. desde que o tempo decorrente entre a mistura e a presa não ultrapasse os 90 segundos. para não se magoar o paciente.8.3 medidas de água para 3 medidas de pó. ao reduzir a tensão superficial. 2.Lavagem da boca com água à temperatura corporal.moldagem de arcada inferior ou superior pequena ou média: . mesmo em moldeiras perfuradas.Limpeza dos dentes com escova e pasta de polimento Este acto clínico.6. com moldagens mais profundas. afim de se assegurar a homogeneização do pó. 2. . podemos utilizar qualquer tipo de alginato.7. permite obter moldes mais precisos. 2. É essencial uma boa retenção do alginato à moldeira.

. . a língua deverá retomar a sua posição normal enquanto o material polimeriza. enquanto vamos controlando a dureza do material com a palpação dos excessos do material. à temperatura adequada. colocando porções individualizadas em frascos hermeticamente fechados.o tempo de manipulação do alginato é de 45s aproximadamente.Serviço de Ortodontia da FMD-UP .Colocação directa de alginato Colocamos alginato com o dedo indicador sobre as superfícies oclusais e os bordos incisivos.10. 2. .é importante mobilizar e traccionar as bochechas do paciente para moldar os freios e as inserções musculares. Isto impede o aprisionamento de ar e a interposição de uma película de saliva entre o material e os dentes. a qual permite a obtenção de um material mais homogéneo e sem bolhas.espatulação mecânica (feita em máquina própria em vácuo). .adicionar a quantidade de água recomendada pelo fabricante.Colocação da moldeira na boca e moldagem Aconselha-se a começar pela arcada mandibular porque. deverá ser guardado numa caixa hermeticamente fechada.Remoção dos rolos de algodão 2.a moldeira deve estar imobilizada durante o tempo de presa. devemos pedir ao doente para colocar a ponta da língua a nível do palato (para que fique bem marcado no molde o freio lingual).11. é necessário centrar as moldeiras.9. .preenchimento da moldeira com o alginato.para obtermos moldagens mais precisas. . a moldagem inferior despoleta em menor grau o reflexo do vómito. bem como sobre o palato. o que diminui o número de bolhas.alisamento da superfície do alginato com um dedo previamente humedecido em água. . Só dessa forma evitaremos a contaminação por hidratação do alginato. Após o assentamento completo da moldeira. como já dissemos. áreas postero-inferiores linguais e ainda noutras zonas críticas. num lugar seco e fresco. .misturar cuidadosamente o pó com a água com uma espátula. .se deve exercer uma pressão de trás para a frente de modo a diminuirmos o refluxo posterior do material e assim evitar provocar o reflexo de vómito. . O mercado tem disponíveis doses individuais de alginato para moldagens. . Para que o alginato se mantenha em bom estado.quando estamos a introduzir a moldeira mandibular.não pode haver contacto da moldeira com as superfícies dentárias (não se deve por isso aprofundar completamente a moldeira até ao contacto dentário).espatular energicamente durante 30s (comprimindo o material com a espátula contra as paredes da tigela de borracha e rodando simultaneamente a tigela com a outra mão) até à obtenção de uma mistura de consistência cremosa (espatulação manual). 8 . Devemos ter em atenção que: . O ideal é dividir o material. 2.

de sangue e de muco.Desinserção da moldeira Após a polimerização do material de moldagem. 2. coloca-se uma pequena quantidade de pó de gesso e posteriormente algumas gotas de água. Para a moldagem da arcada maxilar. para ficarem bem marcados os freios e inserções musculares. Igualmente pela mesma razão. para que fiquem bem marcados os freios e as inserções musculares. além dos procedimentos comuns descritos para a mandibular. o lábio inferior deve ser traccionado antero-inferiormente para quando pretendermos retirar o molde mandibular. O ácido algínico poderá também ser neutralizado através de imersão do molde em água de gesso.14. provocando uma vibração do palato mole a qual facilita a entrada de ar entre os tecidos moles e o molde. Passa-se depois o molde por água fria corrente. em contacto com o gesso. Também podemos usar a técnica do " A " para facilitar a desinserção do molde maxilar.Serviço de Ortodontia da FMD-UP Demonstração clínica da moldagem com alginato Colocação da moldeira na boca e moldagem propriamente dita Rodamos a moldeira. O movimento para retirar o conjunto deve ser rápido. Pedimos ao paciente para dizer “A” muito alto.Lavagem do molde com água fria corrente Para remover os resíduos de saliva. Pincela-se suavemente com um pincel. colocamos com os dedos o alginato na região dos incisivos por vestibular e no palato duro (se este for muito alto). Para esse efeito.13. firme. sem oscilações e ao longo dos eixos longitudinais dos dentes. exerce-se uma pressão leve mas constante e ajusta-se bem os lábios e as bochechas. sobre o molde. Rodamos agora a moldeira. após deslocarmos o lábio superior com os dedos índice e polegar. Nesta altura. desinserimos a moldeira com o molde executado. 2. inserimos a moldeira a nível dos incisivos. ou ainda restos de ácido algínico livre que continuariam a reagir (os remanescentes de mucina e de ácido algínico não neutralizados. exercendo uma pressão leve mas constante e ajustam-se bem os lábios e as bochechas.Avaliação do molde 9 .12. com o dedo indicador colocado entre o fundo do vestíbulo e a moldeira executamos um movimento de rotação de modo a remover a moldeira. dissolvem-no superficialmente. deve-se secar suavemente o molde. dando origem a modelos com superfícies porosas). mobilizando-os por tracção. 2. Para isso. Logo depois.

avaliar se há zonas em que o alginato se separou da moldeira. .analisar se todas as zonas nobres foram moldadas (anatomia dos dentes presentes na arcada bem definida. colocá-la num saco de plástico selado durante 10 minutos. boa reprodução dos processos alveolares. 10 . .Serviço de Ortodontia da FMD-UP . dos freios e das inserções musculares). o molde deverá ser repetido. Em qualquer um dos casos. e sacudi-lo depois de forma a remover o excesso de água. Chamamos a atenção que a desinfecção com “spray” seguida de uma lavagem imediata com água não deve ser considerado um método apropriado.retirar o molde do saco e lavá-lo abundantemente em água corrente. consiste em: . .Desinfecção do molde O esquema de desinfecção recomendado. 2. . .mergulhar o molde numa solução de hipoclorito de sódio com uma concentração 1% durante vários segundos. Desinfecção do molde: • lavagem em água abundante • hipoclorito de sódio a 1% durante 10 minutos 2. das tuberosidades. para assegurar o contacto máximo das áreas de difícil acesso com o desinfectante.16.verificar se não existem bolhas.detectar se não há nenhum dente a contactar com a moldeira.averiguar se não existem zonas de pressão.envolver o molde numa gaze embebida em hipoclorito de sódio 1%. .lavar abundantemente o molde com água corrente. do palato. e dependendo da gravidade com que a situação aconteça.15. . O juízo da qualidade é relativo a quem julga.Registo oclusal Para a orientação e colocação em oclusão habitual dos futuros modelos maxilar e mandibular é necessário uma cera de mordida para que se registe a relação inter-oclusal.

Passar o molde a gesso Esta operação deve ser feita o mais depressa possível. é de toda a 11 . Por essa razão. colocando os moldes em cima de uns suportes de forma que o material posterior não sofra deformação por pressão contra a mesa de trabalho.Serviço de Ortodontia da FMD-UP Registo oclusal (para corte de modelos): • lâmina de cera • em intercuspidação máxima Contudo. 2. contraindo-se por desidratação em contacto com o ar. existe o risco de o paciente fechar a boca desviando-se da sua posição habitual. procurando que seja feito em posição de intercuspidação máxima (PIM).17. Antes de passar a gesso o molde mandibular. Por isso. uma das características do alginato é ser muito instável. 2.17. antes e depois do registo de cera. é conveniente passar o molde a gesso rapidamente.Demonstração clínica da moldagem com alginato 2. Devemos identificar a lâmina de cera com o nome.Passar o molde a gesso o mais rapidamente possível O período entre a moldagem e a passagem a gesso não deve ser superior a 10 minutos o que evita distorções no molde. Como já referimos. é importante comparar o fechamento terminal. a data e o número do processo do paciente. devido à introdução de um corpo estranho na boca.

3. embora não exista nenhum método ideal para armazenar qualquer hidrocoloíde.5.Técnicas para evitar o reflexo do vómito O reflexo do vómito. etc. embora possa surgir em qualquer paciente. com o corpo vertical e a arcada que se pretende moldar paralela ao solo. deveremos colocá-lo num ambiente com 100% de humidade. através da aspiração da saliva. Pedimos ao paciente para respirar lenta e profundamente pelo nariz e não pela boca e que acompanhe a nossa inspiração e expiração profundas. Também é importante tentar distraí-lo. etc. que levante uma das pernas.4. Este controlo pode fazer-se mediante um bochecho prévio com uma substância adstringente. cativá-lo.Posicionamento correcto do paciente Outro método é posicionar o paciente correctamente. Se todavia o paciente se descontrolar.6. chamando-o pelo nome que gosta de ser tratado e exemplificar o tipo de respiração que pretendemos. Ele deve estar sentado. mesmo assim. nos pacientes que tenham amígdalas hipertrofiadas (a língua está mais anterior e a zona do palato mole é mais sensível) e nos portadores de fendas palatinas.Devemos pressionar as moldeiras no sentido postero-anterior 3. Na prática colocam-se rolos de algodão humedecidos em água sobre o molde (já que com a perda de água o molde se contrai).Utilização de alginato de presa rápida 12 . pedindo-lhe que fixe um ponto determinado.1. o paciente deve estar descontraído. Além disso.Serviço de Ortodontia da FMD-UP importância retirar a moldagem da língua. tendo o cuidado de não “apagar” o freio lingual. 3. Para esse efeito. É nossa obrigação dar a noção que tudo está sob controlo e devemos evitar que ele remova a moldeira da boca. olhando-nos permanentemente olhos nos olhos. falar-lhe em voz alta.2. 3. devemos olhá-lo de frente. ocorre com mais frequência nos respiradores bucais.O controlo da saliva Este procedimento também ajuda a evitar o aparecimento de náuseas. com as pernas descruzadas. colocamos alginato no espaço ocupado pela língua.O controlo da respiração É um dos métodos mais eficazes. No caso de. 3. o reflexo de vómito surgir. Quando não se consegue passar logo o molde a gesso. deveremos inclinar anteriormente a cabeça do paciente. 3. e por consequência melhores moldagens. diminuição do reflexo do vómito. os braços apoiados e os ombros descaídos.O molde da arcada inferior deve ser o primeiro a ser efectuado 3. O seu controlo necessita de procedimentos especiais: 3. para ser possível ver bem as superfícies linguais dos dentes. O relaxamento do doente induz uma menor secreção salivar.

aliadas à passagem deficiente a gesso. 13 . por exemplo. ATENÇÃO: Este caderno é propriedade do Serviço de Ortodontia da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto e destina-se apenas a fins pedagógicos. permitir que o material endureça o mais possível fora da boca e encher pouco a moldeira superior a nível posterior. devemos utilizar alginatos super-rápidos.Serviço de Ortodontia da FMD-UP Em pacientes com reflexo aumentado. não permitirão um bom trabalho laboratorial. As moldagens incorrectas. sem extensão suficiente ou que tenham sido retiradas antes de ter tomado presa completamente. Recomendamos cuidado na utilização dos cadernos com o maior respeito pelo sigilo dos casos clínicos apresentados. aumentar a temperatura da água (torna a polimerização mais rápida). para uso interno. com bolhas. não podendo ser divulgado ou utilizado para fins comerciais.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful