Você está na página 1de 88

Fernando Rogério da Cruz

Sofressor.

Profressor também é gente!

Sofressor. Profressor também é gente!

Autor: Fernando Rogério da Cruz Obra: Sofressor. Professor Também é Gente! Ano: 2011 Diagramação: Fernando Rogério da Cruz /Giorgio Lima

Sofressor. Professor também é gente!/Cruz, Fernando Rogério da; Ilustrações do autor. Campinas, 2011. 88p.; 18cm, 1. Literartura Brasileira - Humor - Quadrinhos. Todos os direitos dessa edição reservados ao autor. Fale conosco: www.sofressor.com.br E-mail do autor: filocruz2003@yahoo.com.br CDD B869.7

Indice

Ferrinha -6 Dona Bônus - 12 Dê-mer - 21 P.R. O Secretário da Educação - 30

Messa. O profeta dos professores - 40

Maria a ex

Mister D - 54

Ferra - 58

Sopa de Letrinhas - 63 Eleições 2010 - 68 Sofressor - 74

- 46

Ferrinha

Acreditem ou não: o governador teve infância, ele foi inocente, tenro e carinhoso.

e como diz uma máxima da psicanálise: “A criança é pai do adulto”.

O pai do Ferra é o Ferrinha. Por isso fizemos uma investigação, fomos aos primeiros anos de vida do governador para tentar entender o porquê dele odiar tanto os pro- fessores e a educação. Trauma? Não. Quando menino, ele só queria ser feliz, em

seu conceito de felicidade reside o sonho de ser um “professorcida”, queimar a escola, destruir a educação.

É? Veremos

de felicidade reside o sonho de ser um “professorcida”, queimar a escola, destruir a educação. É?
7
7
8
8
9
9
10
10
11
11

Dona Bônus.

Era uma professora “normal”, feliz, amava sua profissão. Mas um dia uma solução messiânica do governo a transformou. A Secretaria da Educação prometeu dar um bônus para os professores que melhorassem cer- tos índices educacionais. Ela lutou, trabalhou, foi trabalhar doente, corrigia provas nos fins de se- mana. Então, sua escola não atingiu os índices

ela surtou e nunca mais voltou

o que volta é a

promessa do governo que vai salvar a educação com essa tal doença que infeccionou vários pro- fessores, chamada de bônus.

do governo que vai salvar a educação com essa tal doença que infeccionou vários pro- fessores,
13
13
14
14
15
15
16
16
17
17
18
18
19
19
20
20

Dê-mer

Irmão gêmeo da Dona Bônus, fruto das políticas do governo, ele odeia trabalhar, tem sono, preguiça, cansaço, só se re- cupera no fim do expediente, seu sonho é se aposentar com vinte e dois anos de idade. Mesmo assim, ele foi um dos raros professores que passou na Prova Mérito (uma Prova exclui 80% dos participantes). Mas espere? Não é essa prova que o governo alegou que quem passasse estaria mais estimulado, mais feliz, mais compromissado? Mas como veremos a solução mágico-numérica dos “pensadores oficiais da educação” geralmente é apenas na letra das leis, nos comerciais da mídia.

dos “pensadores oficiais da educação” geralmente é apenas na letra das leis, nos comerciais da mídia.
22
22
23
23
24
24
25
25
26
26
27
27
28
28
29
29

P.R. O Secretário de Educação.

Formado em economia, nunca foi professor do Ensino Básico, mas isso não quer dizer nada, aliás é preconceito nos- so. Por que alguém que vai admin- istrar toda a educação Básica pre- cisaria ter experiência em Educação Básica? Por ser economista ele tem todos os critérios administrativos necessários: visa sempre o lucro, otimiza o tempo de produção; seu lema é: “educação is money”.

necessários: visa sempre o lucro, otimiza o tempo de produção; seu lema é: “educação is money”.
31
31
32
32
33
33
34
34
35
35
36
36
37
37
38
38
39
39

MESSA. O profeta dos professores.

Ele sobreviveu: depois de anos lecionando, conseguiu virar um professor aposen- tado, espécie rara, cada vez mais rara. E sobrevive com o salário da aposentadoria (raríssimo). Devido a essa experiência de quase-morte os professores o consideram um sábio e o procuram para pedir pre- visões. Acertou todas até agora. Mas há uma que ele não conseguiu fazer: veio de uma pergunta deses- perada: “Mestre, quando vai mel- horar a situação dos professores no Brasil?”.

fazer: veio de uma pergunta deses- perada: “Mestre, quando vai mel- horar a situação dos professores

40

41
41
42
42
43
43
44
44
45
45

Maria a ex

Maria a ex-Secretária da Educação. Ela perdeu o seu posto de comando, seu status, super-poder, agora é uma pessoa comum, usou a pouca influencia que sobrara para continuar na Pas- ta da Educação, agora é professo- ra. Só tem um porém: ela não sabe lecionar. Boa para criar leis, pare- ceres, discutir índices; péssima em sala de aula. Uma ótima burocrata que nem para dar aula sobre buro- cracia serve.

discutir índices; péssima em sala de aula. Uma ótima burocrata que nem para dar aula sobre
47
47
48
48
49
49
50
50
51
51
52
52
53
53

Mister D.

O especialista em educação. Nunca entrou em uma sala de aula, nunca foi pro-

fessor, mas sabe como ninguém produzir receitas para melhorar o sistema educacio- nal; sabe como ninguém o que é melhor para os professores. Seus artigos, nos jor-

nais, enaltecem as políticas governamentais

e humilham os docentes. Para ele a culpa

é sempre do professor. Professor fez greve

é porque adora bagunça, é vagabundo. Os

índices educacionais estão ruins, professor é mal formado. Sala com 55 alunos, professor tem que ser cativante e ministrar uma aula

diferenciada. Salário ridículo, professor tem que se sacrificar, por amor. Sempre o pro- fessor, nunca os que governam. Desse jeito ele é um sério candidato a virar Secretário

ou Ministro da Educação.

- fessor, nunca os que governam. Desse jeito ele é um sério candidato a virar Secretário

54

55
55
56
56
57
57

Ferra

O melhor governador é o que não governa, poderia ser esse o lema para a educação, mas, infelizmente, esse governo, governa, ops: desgoverna. O lema do governador poderia ser esse:

“professor bão é professor morto”! Suas políticas e leis são em prol da educação da deseducação.

ser esse: “professor bão é professor morto”! Suas políticas e leis são em prol da educação
59
59
60
60
61
61
62

Sopa de letrinhas.

Em São Paulo os professores são divididos por subgrupos, categoria “F”, “L”, “O”,

etc

o pior: cada qual têm menos direitos trabalhistas que os outros. São sub-meti-

dos a regimes vergonhosos de leis e qualificações.

64
64
65
65
66
66
67

Eleições 2010.

O Governador quer ser presidente. Série de quadrinhos sobre a última eleição (2010) em que a candidata (nossa atual presidente) teve que fazer tratamento contra um câncer, caiu seus cabelos, por isso começou a usar peruca. Passado um tempo, ela não precisou desse recurso pseudo-capilar, mas o que então aconteceu com a peruca da Dilma?

69
69
70
70
71
71
72
72
73
73

Sofressor.

Ele quem sente na pele as leis, a retórica, os desmandos dos “pensadores oficiais da educação”. Sofre de afonia-insti- tucional, ou seja, nunca é ouvido, não tem direito de falar, mas sempre

é citado. É o importante desimpor-

tante. O discurso oficial do governo

o ama, na prática real, o governo o

detesta. O que é ser sofressor? É uma nação incluída e excluída, ao mesmo

sofressor? É uma nação incluída e excluída, ao mesmo nesse caso: é um fragmento e uma

nesse caso: é um fragmento

e uma totalidade

dade” de um lugar tão difícil de se

dizer e pensar. Seja lá o que for

que as vozes autorizadas e a socie- dade esqueceu é que: “professor,

também é gente”!

“fragmentali-

tempo

o

75
75
76
76
77
77
78
78
79
79
80
80
81
81
82
82
83
83
84
84
85
85
86
86