Você está na página 1de 10

info

OPERAÇÃO

31DICAS DE PRODUTIVIDADE

UMA COLEÇÃO DE MACETES PARA GANHAR TEMPO E EFICIÊNCIA NO USO DO CORELDRAW

RICARDO PEREIRA

Q
Q

uer deixar o programam com a sua cara? Dupli- car objetos, selecionar e trocar de ferramentas com

uer deixar o programam com a sua cara? Dupli- car objetos, selecionar e trocar de ferramentas

menos cliques de mouse? Fechar - paths mais rápido? A solução pa- ra essas e outras necessidades do designer estão nas dicas a seguir, que abrangem os vários aplicativos da suíte do CorelDRAW 11. A maio- ria delas vale para as versões an-

a seguir, que abrangem os vários aplicativos da suíte do CorelDRAW 11. A maio- ria delas

teriores, com pequenas alterações nas caixas de diálogo.

1

CARA DE QUEM?

Quem já tem experiência com

outros programas gráficos costuma estranhar a interface do CorelDRAW. De que jeito você gosta de traba-

lhar? Há um modo de tornar a inter-

Metamorfose: Photo-Paint fica com o jeitão de trabalhar do Photoshop ▲
Metamorfose: Photo-Paint fica com
o jeitão de trabalhar do Photoshop
14
14

info

face dos principais integran- tes da Suíte de Aplicativos Grá- ficos CorelDRAW 11 muito se- melhante à de outros progra- mas de outros fabricantes, co- mo o Photoshop e o Illustrator, ambos da Adobe. Com o CorelDRAW, o Photo-Paint ou o RAVE aber- tos, tecle Ctrl+J. No quadro de Opções que se abre, cli- que em Área de Trabalho. Agora escolha se você quer que o CorelDRAW fique com a ca- ra do Illustrator, se quer que o Photo- Paint fique do jeito do Photoshop ou se o RAVE deve ficar com a in- terface do Flash, da Macromedia. Como você vai notar, além da al- teração das paletas, a maior parte dos menus se adapta ao jeitão dos outros programas.

2

PRESSÃO SEM TABLET

Quer utilizar os recursos de pres-

são do pincel sobre diversas super-

fícies, mas não tem um tablet (nin- guém tem) para desenhar sobre a tela? Relaxe. Você pode simular a pressão de seu pincel virtual sim- plesmente pressionando as teclas de movimentação do cursor seta pa- ra cima e seta para baixo.

3

RECUPERE OS SÍMBOLOS

Usuários de versões anteriores

podem achar que a velha paleta de símbolos não existe mais no Corel- DRAW 11. Isso porque, agora, ao procurar a paleta Símbolos, muitos

só encontram a nova Bibliote- ca de Símbolos. Para resga- tar a velha paleta, basta
só encontram a nova Bibliote-
ca de Símbolos. Para resga-
tar a velha paleta, basta dar
o comando Ctrl+F11.
Recuperação: o comando Ctrl+F11
traz de volta a paleta de símbolos
4
IMAGENS EM
ROTAÇÃO
Em vez de girar as imagens
no CorelDRAW, faça-o no
Photo-Paint, para que as ima-

gens não se degradem ou mesmofaça-o no Photo-Paint, para que as ima- ▲ ▲ demorem uma eternidade para ser impressas. No

demorem uma eternidade para ser impressas. No caso do CorelDRAW, girar imagens, mesmo que seja ape- nas meio grau, muitas vezes impe- de a impressão do arquivo. Outra boa solução seria, logo após girar

a imagem vetorial, transformá-la em um novo bitmap.

5

TROCA DE FERRAMENTAS

Se você estiver utilizando qual-

quer ferramenta de desenho no Co-

relDRAW, pode trocar rapidamente

a que está ativada pela ferramenta

apontadora, Seleção, simplesmente pressionando a barra de espaço do teclado. Acionando novamente a bar-

ra de espaço, você voltará à ferra- menta anterior. Essa dica só não va-

le para a ferramenta Texto. Nesse ca-

so, temos de pressionar Ctrl e a bar- ra de espaço para fazer a troca.

6

COR DE FUNDO

Uma forma rápida de definir a

cor de fundo para toda a página éso, temos de pressionar Ctrl e a bar- ra de espaço para fazer a troca. 6

15
15

info

OPERAÇÃO

dar um duplo clique na ferramenta Retângulo. Esse comando selecio- na o retângulo da página. Então, basta você escolher a cor.

7

LOGOTIPOS

VETORIALIZADOS

Resista à tentação de digitalizar o logotipo do cliente e utilizar essa imagem bitmap numa arte-final. O resultado sempre fica a desejar, por causa da imagem serrilhada. Peça ao cliente o arquivo vetorial digital ou redesenhe-o no CorelDRAW ou com a ajuda do Trace, o conversor de bitmaps da suíte (veja texto na página 104). Dessa forma, o logo- tipo se tornará um arquivo vetorial que pode ser ampliado ou reduzi- do sem perda de qualidade.

8

DUPLICAÇÃO RÁPIDA

Muitas vezes você possui um

dado copiado na área de transfe- rência do Windows, mas precisa duplicar algum elemento do seu de- senho antes de colar na página.

Duplicação: Ctrl+D reúne as funções de copiar e colar várias vezes ▲
Duplicação: Ctrl+D reúne as funções
de copiar e colar várias vezes

Como realizar a tarefa sem perderreúne as funções de copiar e colar várias vezes ▲ o que estava na memória? Existem

o que estava na memória? Existem

quatro formas de duplicar elemen- tos no CorelDRAW sem utilizar a lenta área de transferência:

a. selecione o elemento e acione o comando Duplicar no menu Editar ou tecle Ctrl+D;

b. selecione o elemento e pressio-

ne a tecla + do teclado numérico;

c. selecione o elemento, arraste-o com o mouse para o lugar onde - quer duplicá-lo, mantenha o botão esquerdo pressionado, aperte o bo- tão direito, solte o esquerdo e, de- pois, o direito;

d. selecione o elemento, arraste-o

para onde quer duplicá-lo, pressio- ne a barra de espaço (esta só fun- ciona nas versões 9 e 11).

9

SELEÇÃO A JATO

Em vez de acionar o comando

Selecionar Tudo no menu Editar ou

ficar criando áreas de seleção com

o mouse, se a intenção é selecio-

nar todos os elementos de uma pá- gina, basta um duplo clique na fer-

ramenta Seleção. os elementos de uma pá- gina, basta um duplo clique na fer- 10 SEGREDOS DO MENU

10

SEGREDOS DO MENU

Ao arrastarmos um objeto

sobre outro, com o botão direi- to do mouse pressionado, será possível realizar diversas opera- ções por meio do menu de con-

texto, que aparece quando libe- ramos o botão do mouse. Se vo- cê selecionar dois ou mais ob- jetos e clicar com o botão direi-

16
16

info

Menu de contexto: especial para objetos movidos com o botão direito ▲
Menu de contexto: especial para
objetos movidos com o botão direito

to, verá que o menu de contexto mos- trará muitas outras opções. Assim, você poderá dispensar muitas idas aos menus ou aberturas de paletas para aplicar comandos como Agru- par, Powerclip, Ajustar Texto ao Ca- minho e, até mesmo, Contro- lar Sobreposição de Cores de Preenchimento e Contorno. Experimente e ganhe muito mais agilidade.

11

OBJETOS EM GRUPO

Você pode editar os ob-

jetos de um grupo no Corel- DRAW individualmente, sem ter de desagrupá-los. Faça isso mantendo pressionada a te- cla Ctrl, enquanto clica no objeto que quer editar. Enquanto ele es- tiver selecionado, você poderá mu- dar seus atributos, texto, forma ou posição. Clicando em outro obje- to ou grupo, ele voltará a fazer parte do grupo.

12

LINHAS DE GUIA

Para posicionar com exatidão

um ponto na página, use as linhas de guia horizontal e vertical. Para colocá-las na página, basta arras- tar o mouse da régua, horizontal ou vertical, para o ponto desejado na superfície de trabalho. Dê um duplo clique sobre a linha de guia para abrir a caixa de diálogo Op- ções. Nela, você pode ajustar a posição de um ponto com precisão que vai ao milésimo de milímetro.

Para eliminar uma linha de guia, clique nela e acione a tecla Del (ou clique com o botão direito e, no menu, escolha Excluir). Esta dica se aplica à versão 9 e posteriores do CorelDraw.

Linhas de guia: ajuste com precisão de milésimos de milímetro ▲
Linhas de guia: ajuste com precisão
de milésimos de milímetro
guia: ajuste com precisão de milésimos de milímetro ▲ 13 ANCORE E ALINHE Ao alinhar objetos

13

ANCORE E ALINHE

Ao alinhar objetos no Illustrator,

da Adobe, ou no FreeHand, da Ma- cromedia, todos os objetos se mo- vem. O CorelDRAW oferece uma so- lução melhor. Quando você marca

os objetos que quer alinhar, o progra-

17
17

info

18
18

OPERAÇÃO

ma ancora o último objeto seleciona- do e alinha os demais de acordo com ele. Para ancorar um objeto que não está atrás dos outros, clique ne- le com a ferramenta Seleção, pres- sione Shift e clique nos outros obje- tos que deseja alinhar. Se os objetos tiverem sido selecionados em seqüên- cia em vez de todos simultaneamen- te, o CorelDRAW vai ancorar o pri- meiro selecionado, independentemen- te de sua posição na pilha.

14

TAMANHO DO PAPEL

Para ajustar, rapidinho, as pro-

priedades da página de trabalho, dê um duplo clique na estreita área de sombra, à direita ou abaixo dos

contornos da página. Esse coman- do abre a caixa Opções no item Pá-

Tamanho da página: clique duplo na sombra exibe quadro de opções ▲
Tamanho da página: clique duplo
na sombra exibe quadro de opções

página para outra no CorelDRAW consiste em arrastá-los para a área de trabalho, ir para uma nova pá- gina e arrastá-los de volta. É mui- to mais rápido do que cortar e co- lar, especialmente se seu micro ti- ver pouca memória.clique duplo na sombra exibe quadro de opções ▲ 16 FECHE PATHS MAIS RÁPIDO O CorelDRAW

16

FECHE PATHS MAIS RÁPIDO

O CorelDRAW pode fechar au-

tomaticamente qualquer curva aber- ta. Basta pegar uma curva aberta e combiná-la com outra curva fecha-

da. A curva aberta será fechada e preenchida automaticamente. É uma boa saída quando você está tendo dificuldade para fechar uma curva ou apenas deseja uma curva aber- ta com um preenchimento.

17

MARCAS DE DOBRA

Para obter marcas de dobra em

um documento, você já deve ter ten- tado, em vão, desenhá-las do lado de fora da página. As- sim elas nunca serão impres- sas. Para obter êxito lado de fora da página. As- sim elas nunca serão impres- sas. Para obter êxito ao criar marcas de corte, desenhe uma linha pontilhada bem fina, que atravesse a página inteira de seu documento, estendendo- a 2 centímetros para fora da página em ambos os lados. - Crie um boxe sem contorno e com fundo branco (não transparente) pou- co mais espesso do que a linha pon- tilhada. Deixe esse boxe passar uns 5 milímetros para fora da página e envie ambos os itens (linha pontilha- da e boxe) para o fundo do layout.

os itens (linha pontilha- da e boxe) para o fundo do layout. gina. Aí é fácil

gina. Aí é fácil trocar o tamanho ou mudar a orientação do papel de Re- trato para Paisagem ou vice-versa.

15

OBJETO DAQUI PARA LÁ

A maneira mais rápida e fá-

cil de mover muitos objetos de uma

info

As marcas de dobra não serão vi- síveis em sua área útil, mas serão impressas mesmo assim.

18

CONFIRA OS ABERTOS

Para navegar com facilidade por

vários documentos abertos no Co- relDRAW ou no Photo-Paint, basta pressionar as teclas Ctrl+Tab. A ca-

da comando dado, o programa exi- birá um documento aberto.

19

CANCELE A IMPORTAÇÃO

No CorelDRAW, é possível can-

celar a importação de textos, mesmo depois de ter dado OK no quadro de diálogo de importação. Assim que você importa um texto, aparece o íco- ne Fluxo de Texto. Para evitar que es- se texto entre em seus documentos, clique sobre a ferramenta Seleção na caixa de ferramentas e a importação será cancelada. Mas atenção: é pre- ciso fazer isso antes de clicar em qual- quer outra parte da tela.

20

EXPORTAÇÃO DE EPS

Se você pretende utilizar sua ilus-

tração depois de pronta em outro pro-

grama, exporte-a para for- matos universais, tais como - TIFF, EPS ou PSD. Esses arqui- vos podem ser lidos com mais facilidade pelos programas de paginação e edição de imagens. Mas quando é que cada tipo de formato é me- lhor? Muito simples. Se sua ilustração é total- mente vetorial (sem bitmaps

nem efeitos como lentes ou som- bras), você pode optar pelo for- mato EPS (Encapsulated PostScript). Esse formato permite a perfeita im- pressão de ilustrações vetoriais em qualquer dispositivo PostScript. Para exportar uma ilustração pa-

ra o formato EPS, selecione todos os objetos que migrarão. Vá ao menu Arquivo e escolha a opção Exportar. Opcionalmente, você poderá pres-

sionar o botão Exportar, localizado na barra de ferramentas padrão, ou usar o comando Ctrl+E. Aparecerá

a caixa de diálogo Exportar. Selecione no primeiro campo da caixa de diálogo o local on- de você pretende colocar seu ar- quivo EPS. No campo Salvar co- mo Tipo, escolha EPS. É comum os usuários de versões antigas do CorelDRAW fazerem confusão com o formato Illustrator EPS (*.AI). Só é recomendável uti- lizar esse formato de exportação se você for mesmo abrir seu tra- balho no Illustrator.

▲ EPS para exportação: ative a opção Somente Selecionados
EPS para exportação: ative a
opção Somente Selecionados
19
19

info

OPERAÇÃO

Cabeçalho identificador: faça em preto-e-branco com baixa resolução ▲
Cabeçalho identificador: faça em
preto-e-branco com baixa resolução

Agora, defina um nome para o ar- quivo que será gerado e ative a op- ção Somente Selecionados. Pressio- ne o botão Exportar. Isso abrirá a cai- xa de diálogo Exportar EPS. Lembre-se de que, na maior parte dos programas, objetos PostScript não podem ser exibidos em tela. Por isso, você deve aplicar um cabeça- lho ao arquivo EPS, definindo o lo- cal em que ele ficará. Você pode - usar duas configurações diferentes:

a. em WMF, para quem quer uma prova do arquivo em impressoras não PostScript;

b. em TIFF, para quem não precisa

de provas ou vai imprimir uma pro-

va numa impressora PostScript. Neste último caso, recomenda- se deixar o cabeçalho em preto- e-branco e com a mínima resolu- ção possível (72 ou 96 dpi), uma vez que a resolução do cabeça- lho nada tem a ver com a resolu- ção de impressão final. A maioria das pessoas usa a resolução má- xima, o que gera arquivos desne- cessariamente grandes.

Lembre-se ainda de ativar as op- ções conforme demonstrado nas te- las. Só ative a opção Aumento Auto- mático de Etapas de Gradiente se ti- ver certeza de que sua gráfica ou bi- rô utilize um RIP (processador de ras- treamento de imagem) com PostScript 3, que ofereça esse recurso. Não é recomendável a aplicação

do perfil ICC para gerenciamento de cores, uma vez que poucas gráficas ou birôs oferecem esses arquivos pa- ra seus clientes. Na dúvida, deixe es- sa opção desabilitada. Clique em OK.

EXPORTAÇÃO DE BITMAPS

O processo de exportação de

bitmaps é muito parecido com o de EPS e praticamente o mesmo para os formatos TIFF ou PSD. Recomen- da-se o formato PSD para quem pre- tende, posteriormente, editar o ar- quivo no Photoshop ou no Photo- Paint. Funciona assim:

a. selecione todos os objetos que de- seja exportar. Vá o menu Arquivo e escolha a opção Exportar (Ctrl+E).

No primeiro campo da caixa de diá-

21

▲ Bitmaps: exportação em formato PSD é a mais recomendada
Bitmaps: exportação em formato
PSD é a mais recomendada
20
20

info

logo, selecione o local onde você pretende colocar seu arquivo bitmap;

b. no campo Salvar como Tipo, es-

colha o formato PSD. Defina um no- me para o arquivo que será gera- do e ative a opção Somente Sele-

cionados. Não é recomendável ati- var a opção de compactação. Isso

Conversão: desative a compactação para não danificar o arquivo ▲
Conversão: desative a compactação
para não danificar o arquivo

pode danificar o arquivo final e, muitas vezes, você só descobre is- so tarde demais;

c. pressione o botão Exportar. Isso abrirá a caixa de diálogo Conver- ter em Bitmap. Clique em OK e seu arquivo será exportado. O arquivo resultante (TIFF ou PSD) poderá ser utilizado para importação em programas de diagramação co- mo Ventura, QuarkXPress ou InDesign. Para impressão profissional, recomen- da-se que a imagem exportada seja aberta no Photo-Paint para ser con- vertida para o sistema CMYK (ciano, magenta, amarelo e preto).

22

GRÁFICOS DO EXCEL

Muitos concordam que a pla-

nilha de cálculo Excel, da Micro- soft, permite fazer gráficos de bar- ras ou de pizza com extrema faci- lidade. Mas não adianta tentar copiá-los e colá-los num programa de diagramação porque o resulta- do final numa impressora de alto

nível como uma imagesetter será um desastre — os textos com a cor preta serão impressos com 100% nas quatro cores, inviabilizando o registro na impressão offset. Os ou- tros fatores são as diferenças na es- pessura dos contornos e as cores, uma vez que no Excel não é pos- sível especificar cores CMYK. Por essas razões, recomendamos que os gráficos do Excel sejam co- piados e colados no CorelDRAW. Mas não se deve fazer uma colagem comum. Depois de copiar a tabela ou o gráfico no Excel, vá ao menu Editar e escolha Colar Especial. Na caixa de diálogo, escolha a opção Figura (meta-arquivo avançado). Ago-

ra, depois de desagrupado, o ar- quivo incorporado pode ser total- mente editado pelo CorelDRAW.

▲ Arquivos do Excel: copie e aplique com a colagem especial 21
Arquivos do Excel: copie e
aplique com a colagem especial
21

info

OPERAÇÃO

23

ANÚNCIOS MASTIGADOS

Quando você fizer anúncios

de página dupla, lembre-se de fa- zer a compensação do espaço que

é perdido quando o papel é do-

brado e/ou colado. Afaste as par- tes das palavras que ficam bem no centro das duas páginas. Não é preciso muito, apenas 1 ou 2 mi- límetros, dependendo do número de páginas da publicação.

24

USE AS SETAS

Na maioria dos aplicativos

gráficos da suíte, é possível ajus- tar valores numéricos, em um qua- dro de diálogo ou paleta, pressio-

nando as teclas de seta para ci- ma e para baixo. Tecle e elimine

a digitação desnecessária.

25

CÓDIGOS DE BARRAS

Do mesmo jeito que os gráficos

criados em Excel, os arquivos gera- dos com o Assistente de Códigos de Barras do CorelDRAW devem ser transformados em arquivos vetoriais independentes. Para isso, recorte o arquivo criado (Ctrl+X) e faça uma

Código de barras: melhor como arquivo vetorial independente ▲ 22
Código de barras: melhor como
arquivo vetorial independente
22

colagem especial, também no forma- to Figura (meta-arquivo avançado).barras: melhor como arquivo vetorial independente ▲ 22 26 SAGRIA PERFEITA Todas as vezes que você

26

SAGRIA PERFEITA

Todas as vezes que você tiver

uma foto ou fundo que encoste na margem de uma página deverá ampliá-los para que não apareça um desagradável filete branco quando

o papel for refilado. Esse processo é

conhecido como sangria. Não é ne- cessário avançar muito para fora da página, 3 milímetros já são mais que suficientes na maior parte dos casos.

27

PRETOS CALÇADOS

Grandes áreas- cobertas com a

cor preta tendem a ficar acinzenta- das e cheias de pontinhos brancos

na impressão. Para eliminar o proble-

ma, basta criar uma cor especial com 100% de preto e 50% de ciano (azul). Assim, você terá um tom de negro

azulado e brilhante, similar à cor Pre-

to Senegal, que é empregada em ar-

tes gráficas. Se você quiser ampliar ainda mais o efeito, é só aumentar a porcentagem de ciano.

28

PÁGINAS CERTAS

Sempre que você for produzir

impressos com muitas páginas, lembre-se de que o total de pági- nas deverá ser um múltiplo de 4 (8, 12 ou 16). Isso é necessário porque, ao fazer a imposição de páginas, elas sempre serão costu- radas em grupos de 8, 12 ou 16, de modo a facilitar a montagem

do livro ou catálogo.fazer a imposição de páginas, elas sempre serão costu- radas em grupos de 8, 12 ou

info

29

CORES INVISÍVEIS

Mistura efeitos animados podem ser exportados em vários formatos ▲
Mistura efeitos animados podem
ser exportados em vários formatos

no próprio RAVE, ou o comando - Ctrl+Shift+F9, para a visualização

no navegador. Se a animação for de seu agrado, você poderá ex- portá-la para os formatos SWF, GIF,

AVI ou MOV (QuickTime).

31

PATH É NECESSÁRIO?

Muita gente gasta horas fazen-

do paths, minuciosos caminhos em torno da imagem, para deixá-la com

o fundo transparente. Aplicativos co- mo o CorelDRAW 11 e InDesign

2.0, da Adobe, dispensam total- mente o uso de paths com esse fim.

Mas é preciso apenas lembrar de um detalhe. Após eliminar o fundo da imagem no Photo-Paint, salve-a em formato PSD, se for dar saída no InDesign ou no CorelDRAW. - Além disso, é preciso fazer testes em seu birô de serviços gráficos pa- ra saber se os RIPs (processadores de rastreamento de imagem) supor- tam esse tipo de recurso. Normal- mente só os RIPs com PostScript 3

aceitam essa transparência.

Para prevenir o desapareci-

mento de certas tonalidades na impressão, evite utilizar cores pu- ras com porcentagens inferiores

a 5%. Caso contrário, você terá

impressos com áreas completa- mente sem tinta, mesmo que na prova essas mesmas áreas este- jam com as cores corretas.

30

ANIMAÇÕES LIGEIRAS

Produzir animações com o RA-

VE pode ser uma experiência impres-

sionante. Apesar de também utilizar

a tradicional linha de tempo, como

em todos os programas de anima- ção, o RAVE pode criar animações

a partir de um único grupo de obje-

tos com “mistura” para gerar uma animação. Veja como funciona. Com o grupo de mistura selecio- nado, vá até o menu Filme e esco-

lha a opção Criar Seqüência a Par-

tir de Mistura. Confira o resultado pressionando

a tecla Enter, para obter um preview

Animação misturada: selecione o grupo de mistura e crie a seqüência ▲
Animação misturada: selecione o
grupo de mistura e crie a seqüência
23
23