Você está na página 1de 38

Profa.

Beatriz Maykot Kuerten Gil


Cronologia da Gravidez
 280 dias
 40 semanas
 10 meses lunares
 9 meses solares e 7 dias
Diagnóstico
 Clínico
 Laboratorial
 USG
Diagnóstico Clínico

SINAIS
 Presunção
 Probabilidade
 Certeza
BASEADOS EM SINAIS E/OU
SINTOMAS GERAIS
SINAIS DE PRESUNÇÃO

 Náuseas e/ou vômitos (6sem)


 Sialorréia/anorexia
 Sintomas urinários (6sem)
 Fadiga e sonolência
 Vertigens
SINAIS DE PRESUNÇÃO

Alterações cutâneas
(pigmentares)

Cloasma
Linha Nigra
Estrias
BASEADOS SOBRETUDO EM
SINAIS OBSERVADOS NA
GENITÁLIA
SINAIS DE PROBABILIDADE
 Sinal de Hegar (dobradiça)
Amolecimento do istmo
 Sinal de Goodel:
Consistência amolecida do
colo uterino, percebida ao
toque vaginal, semelhante à
labial.
 Sinal de Piskacek
Assimetria corpo uterino
 Sinal de Nobile-Budin
Útero globoso (8 sem)
 Sinal de Osiander:
Pulsação em região de FS
Aumento da vascularização local
 Sinal de Jacquemier ou Chadwick
Vulva violácea (8sem)
Aumento da vascularização local
 Sinal de Kluge:
Vagina e colo violáceos (8sem)
Aumento da vascularização local
SINAIS DE PROBABILIDADE

SINAIS MAMÁRIOS

Aumento tubérculos de Morgany


(tubérculos de Montgomery)
Hiperpigmentação
Aumento da vascularização ->
Rede de Haller(16sem)
Sinal de Hunter (aréola secundária)
(20sem)
Mastodínea, aumento de volume e saída
de colostro
 Sinal de Halban
Lanugem
* Aumento de Volume Uterino

 8sem = laranja
 12sem = punho adulto
 16sem = cabeça RN
* Aumento de Volume Uterino

 Sínfise púbica – 12 sem

 Cicatriz umbilical – 20 sem

 Apêndice xifóide – 40 sem


SÃO DADOS PELA
PRESENÇA DO CONCEPTO,
SEJA PELO BCF OU PELA
MOVIMENTAÇÃO FETAL
 Sinal de Puzos
(Rechaço fetal)
Palpação das partes fetais
(18 SEM)
Movimentos Fetais – 18 sem
SINAIS DE CERTEZA
BCF
Sonar-doppler = 12sem
Estetoscópio de Pinard = 20sem

BCF
DIAGNÓSTICO USG
 MÉTODO NÃO INVASIVO

 INÓCUO

 VIAS: TRANSVAGINAL
TRANSABDOMINAL
 Reação decidual – 4sem
 Saco gestacional – 5sem
 Embrião – 6sem
 BCF – 7sem
 Pólo cefálico – 12sem
CORRELAÇÃO BETA-hCG X USG

Saco Gestacional
Limite discriminatório:
750-1000mUI/ml
350-750mUI/ml
Testes Laboratoriais
Base Fisiológica  produção de hCG
(manutenção do corpo amarelo)

 hCG produzido pelo sinciciotrofoblasto


 apresenta 2 fenômenos apicais
 duplica a cada 48/72 hs
 encontrado na urina e no plasma
 Fração alfa e beta
 unidade de medida: mUI/ml
(Unidade internacional por mililitro)
 Subunidade alfa – comum a vários
hormônios
 Subunidade beta – específica da
gonadotrofina coriônica

 Vantagem fração beta:


* Menor reação cruzada com LH
(estrutura química similar)
* Grande sensibilidade (identifica unidades
próximo de zero)
* Quantitativo permitindo correlacionar
com idade gestacional
Reação Cruzada com LH:

 Castração
 Psicotrópicos
 Climatério
 Hipertireoidismo com aumento de LH
TESTES LABORATORIAIS

 Biológicos
 Imunológicos
 Rádio-imunológicos (RIA)
 Enzima-Imuno-Ensaio (ELISA)
TESTES BIOLÓGICOS

 Ascheim-Zondek (camundongos)
 Friedman (coelhas)
 Galli-Mainini (sapo bufus marinus)
TESTES IMUNOLÓGICOS

 HCG é proteína  induz a formação


de Acs (anti-soro)

* Princípio da inibição da aglutinação de hemácias ou


partículas de látex sensibilizadas pelo hCG
quando se adiciona soro anti-hCG e urina
contendo este hormônio
TESTES IMUNOLÓGICOS

* He com hCG na superfície (Ag) +


anti-soro correspondente + urina

* Se +  tem gravidez
(hCG da urina bloqueia o anti-soro e não haverá aglutinação)

* Se -  sem gravidez
(ocorrerá aglutinação)
TESTE RÁDIO-IMUNOLÓGICO

 Dosagem do beta-hCG pelo método RIA


 Competição do beta-hCG com o traçador
(próprio hormônio marcado com rádio iodo)
 Superior a 1000mUI/ml – 95% gravidez
 4hs de duração
 Possível reação cruzada com LH
TESTE ENZIMA-IMUNO-ENSAIO
ELISA – Enzyme linked sorbent assay

 Dosagem do beta-hCG
 Utiliza enzima capaz de atuar sobre
substrato incolor e originar produto
colorido
 Intensidade da cor é proporcional a
quantidade de hormônio