Você está na página 1de 12

FACULDADE ASSIS GURGACZ - FAG

ALEX ANDERSON ZANNIN

GUSTAVO BAVARESCO SUCHARSKI

LEONARDO MARQUES DE SOUZA

LUCAS JOSÉ STRUJAK

MAURICIO ZAFFARI

CALHAS: LIMPEZA AUTOMATIZADA E REAPROVEITAMENTO DE ÁGUA.

CASCAVEL
2006
SUMÁRIO

Introdução.................................................................................................................5

1. Água: Situação Mundial........................................................................................6

2. Protótipo: Construção...........................................................................................7

2.1 Testes e Analises.......................................................................................9

Conclusão...............................................................................................................11

Referência...............................................................................................................12
RESUMO

Ao realizarmos esse projeto, temos como objetivo demonstrar a importância


do reaproveitamento da água da chuva, além de introduzir um novo sistema de
filtragem e limpeza automatizada nas calhas utilizadas na construção civil. Por
meio de um sistema elétrico motorizado e um sistema de bombas de água,
conseguiu-se desenvolver no protótipo a produção de todo o ciclo obtido pelo
sistema, mostrando todas as fazes desde a chuva, filtragem, limpeza da calha, até
e armazenagem da água em reservatórios, para a futura utilização.

Palavras Chave: calhas, reaproveitamento, automatização.


ABSTRACT

This project was realized with the objective of demonstrate the elevated
significance of reuse the rain water, introducing a new system of filtering and
automatic clean to the drip mold, used on the civil construction. Utilizing a
motorized electronic system and a water bomb, ripened on the experiment the
production of all the system cycle, the rain, the filtering, the drip mold clean and the
water storage.

Keywords: Drip mold, reuse, automation.


5

INTRODUÇÃO

Com o passar dos anos, cada vez mais é evidente o problema da

escassez de água no planeta. Com esse problema, são necessários novos

métodos de reaproveitamento da água, minimizando desperdício.

Com esse objetivo em mente desenvolvemos o projeto que está sendo

apresentado neste relatório. Ao fazer este projeto o grupo esteve concentrado em

tornar o experimento simples e funcional, mas nada impede que este projeto seja

implantado em escala real, criando assim a expectativa, que o estudo ganhe maior

proporções. Procurando o desenvolvimento de um raciocínio ecologicamente

correto, desenvolvemos este protótipo fazendo uso de materiais recicláveis e

equipamentos reaproveitados.
6
1. Água: Situação Mundial.

A quantidade de água realmente potável em nosso planeta é muito

pequena, sabemos hoje que possuímos apenas 0,007% de água doce, mas ao

analisarmos isso não podemos afirmar que essa pequena porcentagem de água

pode ser realmente consumida pelo ser humano, como exemplo, podemos citar o

alto nível de poluição dos rios e lagos, tornando assim, inviável a utilização e

tratamento dessa água. Com base nesses dados, a luta contra a escassez da

água potável tem se desenvolvido em grande escala em todo o mundo,

desenvolvendo e aplicando vários projetos que apontam soluções para a

economia e reaproveitamento de água.

Tratando desse problema, podemos nos considerar uma das nações mais

privilegiadas, conforme dados de pesquisa da DNAEE (Departamento Nacional de

Águas e Energia Elétrica), o Brasil possui 11,6% de toda a água doce superficial

do mundo, e 70% dessa água esta localizada na região da Amazônia e assim os

30% restantes se distribuem desigualmente pelo país, atendendo

aproximadamente 93% da população. Mas o mau uso e à crescente demanda

pelo recurso vem preocupando especialistas e autoridades no assunto, pelo

evidente decréscimo da disponibilidade de água limpa no país.

Por ser um país tropical, o Brasil apresenta uma grande variação de

climas e índices pluviométricos, como a Floresta Amazônica possui um clima

equatorial, o índice de precipitação está em aproximadamente 2500mm/ano, o que

não é uma realidade no extremo nordeste do país, que possui um clima semi-

árido, onde as chuvas são escassas e irregulares e o índice de precipitação está


7
em aproximadamente 600mm/ano, tornando assim necessária à criação de um

sistema de reaproveitamento e armazenagem de água, vários métodos já são

utilizados nessas áreas de escassez e um desses métodos é a utilização de

cisternas, abastecidas pela água da chuva. Entretanto, devido ao grande

desequilíbrio ecológico em que vivemos atualmente no planeta, chegamos a

situação de que todo o país está sofrendo com esse problema.

2. Protótipo: Construção.

Ao analisarmos, as calhas, geralmente utilizadas na construção civil,

concluímos que é possível aperfeiçoar as mesmas, para que haja a coleta e

armazenagem da água que geralmente é descartada, levando em consideração

que esse sistema não causa impacto significativo ao meio ambiente, tornando-se

assim uma solução pratica.

Para solucionar os problemas naturais a que às calhas estão expostas,

como folhas de arvores e outros detritos, elaboramos um protótipo onde

introduzimos a limpeza automatizada, sistema composto por:

• Uma estrutura de estreitos segmentos de alumínio fixados por rebites

que imita a estrutura de uma casa simples, com uma única caída.

• Uma calha, produzida a partir de uma estrutura tubular, anteriormente

utilizada na fabricação de camas com tubos de ferro.

• Uma esteira, adaptada a partir de uma rede de fios de náilon.

• Dois eixos de rotação, reaproveitados de uma impressora, localizados

nos extremos da calha.


8
• Uma correia dentada, retirada da mesma impressora.

• Um motor elétrico, EBERLE, 1740 RPM, 4 pólos, uma potencia de 5/8

PH, tensão nominal de entrada de energia de 220V de corrente

alternada, esse motor foi reutilizado, originalmente pertence a uma

maquina de solda.

• Um sistema de redução, de fração 8 por 1, que tem como objetivo

ajustar a rotação do motor, que por meio de uma engrenagem, liga o

motor à correia, originalmente utilizada em pára-brisas veiculares.

• Um recipiente, com função de receptar a sujeira armazenada pela calha.

• Um recipiente, com função de armazenar água, imitando uma cisterna.

• Uma bomba d´água, reaproveitada de um filtro de aquário.

• Mangueiras d´água.

• Telhado, construído a partir de forro de PVC.

• Uma chave de tenção elétrica.

Essa esteira, localizada no interior da calha, tem função de reter os detritos e

oferecer a água uma primeira filtragem, movida por um sistema da rotação

motorizada, composta por dois eixos, onde o primeiro tem a função de dar tração

à esteira por meio de atrito, movido através de uma polia localizada em um de

seus extremos, e o segundo tem a função de esticar a esteira dando a tensão

correta, direcionando assim os detritos para um recipiente preestabelecido no

projeto. Esse receptor além da função de acumular a “sujeira”, possui um fácil

acesso para a limpeza. O sistema de rotação motorizada foi desenvolvido através

de um motor elétrico , engrenado a um sistema de redução que está ligado por

uma correia a polia do primeiro eixo, com a finalidade de conseguir a rotação


9
apropriada para a esteira. Assim instalamos a parte elétrica para que o sistema

seja ativado através de uma chave de tenção elétrica.

Em uma situação real, uma cisterna iria armazenar essa água da chuva para

uma futura utilização (essa água não será saudável para a ingestão, portanto ela

servira apenas para uso externo como lavar calçadas, regar plantas, etc.), porém

para um sentido demonstrativo no protótipo essa água é armazenada em um

recipiente onde uma bomba d´água irá bambeá-la para cima com função de ter um

ciclo completo: chuva, calha e armazenagem da água.

2.1 Testes e Analises

A aplicação de testes e analises no decorrer da construção do protótipo

foram abundantes, podendo citar os com maior significância:

• Escolha e ajuste do motor: vários modelos de motores foram testados, mas

após uma serio de testes o utilizado, foi o que melhor supriu a nossa

necessidade em dimensão, potencia e velocidade de rotação.

• Esteira: foram testados vários modelos de esteira, mas a produzida a partir

de náilon foi a que melhor se ajustou aos eixos.

• Bomba d´água e a sua posição: duas bombas foram testadas, para

conseguirmos os resultados esperados, uma bomba d´água de um aquário

foi testada e com algumas adaptações, se ajustou perfeitamente as

necessidades. Ao achar a bomba d’água correta agora procuramos a

melhor maneira de posiciona-la no protótipo, testaram-se várias posições e


10
meios de instalar a bomba d´água e a maneira de melhor adaptação foi

estabelecia na parte direita superior traseira do protótipo, através de um

suporte que foi previamente montado equipe.


11
CONCLUSÃO

O presente trabalho mostra uma sugestão de um novo modelo para as calhas

atualmente utilizadas na construção civil, podendo assim implementar os modelos

atuais, trazendo a grande vantagem que é o fato de que a água é reaproveitada,

outro fato considerável é a autolimpeza, reduzindo e muito a necessidade de

qualquer manutenção.

Como citado, o problema da falta de água é grave. É importante que cada um

faça a sua parte, reduzindo o desperdício da forma que for possível.


12
REFERÊNCIA

1. Universidade da Água. Disponivel em <http://www.uniagua.org.br/


website/default.asp?tp=3&pag=aguaplaneta.htm> acesso em: 29 mai
2006.

Interesses relacionados