Você está na página 1de 8
Coleção Estudos Dirigida por J. Guinsburg
Coleção Estudos
Dirigida por J. Guinsburg
Conselho Editorial: Anatol Rosenfeld, Anita Novinsky, Aracy Amaral, Boris Schnaiderman,Carlos Guilherme Mota, Celso
Conselho Editorial: Anatol Rosenfeld, Anita Novinsky,
Aracy Amaral, Boris Schnaiderman,Carlos Guilherme Mota,
Celso Lafer, Gita K. Guinsburg, Haroldo de Campos, Leyla
Perrone-Moisés,Maria de Lourdes Santos Machado, Regina
Schnaiderman, Rosa R. Krausz, Sabato Magaldi, Sergio
Miceli e ZuImira Ribeiro Tavares
J
Sabato Magaldi, Sergio Miceli e ZuImira Ribeiro Tavares J Equipe de realização: Revisão: Mary AmazonasLeite de

Equipe de realização: Revisão: Mary AmazonasLeite de Barros;Produção:GeraldoGersonde Souza;Capa: Moysés Baumstein

Em memóriado Prol. LoURIVAL GoMES MACHADO
Em memóriado
Prol.
LoURIVAL GoMES MACHADO
"Au temps ou j'écrivais Érasme et l'Espagne, je vivais dons l'i/lusion que l'histoire
"Au
temps
ou
j'écrivais
Érasme
et
l'Espagne,
je
vivais
dons
l'i/lusion
que
l'histoire
pouvait
6tre
strictement objective.
Il
me semblait,
en me
plon-
geant
dans
les
documents
authentiques
-
livres,
lettres,
proc~s
d'inquisition
-
entrer
dans
Ia
vie
même
des
disciples
d'Érasme
et
de
leurs
adver-
j'ai
pris
de
plus
en plusune
consciencedouzaine
que
ma
vision
saires
.Depuis
d'années
de
ce
passé
était
commandée
par
notre
présent
et
par
ma
position
dans
ce
présent.
Il
faudrait
peut-être
que
chaque
historien
surmonte
à
Ia tais
Ia
pudeur
et
l'amour-propre
pour
confesser
com-
ment
il
a
pris
possession
de
son
sujet."
MARCEL BATAILLON, "L'Espagne Re. ligieuse Dans Son Histoire."
MARCEL
BATAILLON,
"L'Espagne
Re.
ligieuse Dans Son Histoire."
"É muito fundo o poço do passado. Não deve- ríamos antes dizer que é sem
"É muito fundo o poço do passado. Não deve-
ríamos antes dizer que é sem fundo essepoço?
.
quanto mQisabaixo tenteamose calcamoso mun-
do inferior do passado,tanto mais comprovamos
que as basesmais remotas da humanidade,sua
história e cultura, se revelam inescrutáveis. Por
temeráriosque sejamosno comprimento que der-
.
.
,
,"Pois
quanto
mais fundo sondamos,
mos à nossasonda, ela se estira aind;a,aprofun-
dando-secada vez mais. Não é
sem-,razão que
falamos em estirar-see aprofundar-se,porquanto
aquilo que é investigável,de certo modo, zoml!a
dos nossosardores inquisitivos; oferece pontos de
apoio e metas aparentes,por trás das quais, de-
pois que as atingimos, surgem ainda novas pro-
víncias do passado, tal como acontece ao que
navega ao
longo da costa sem encontrar termo
para sua viagem, porque traz, de cada promon-
tório de duna argilosa que ele conquista, pontas
de terra' inesperadase novas distânciascontinuam
a negaceá-lo."
TROMASMANN. "José e seus irmãos'
TROMASMANN. "José e seus irmãos'
o presenteestudo é o dos quais os últimos cinco resultado de dez anos de trabalho,
o presenteestudo é o dos quais os últimos cinco resultado de dez anos de trabalho,
o presenteestudo é o dos quais os últimos cinco resultado de dez anos de trabalho,
o presenteestudo é o
dos quais os últimos cinco
resultado de dez anos de trabalho,
foram dedicadosquase que exclu-
sivamente à pesquisa e leitura de documentos manuscritos.
As idéias que tínhamos sobre os cristãos novos portu-
guesesno
dida que
Brasil ao iniciarmos este trabalho sofreram, à me-
prosseguimos em nossas investigações,profundas
modificações. Do ponto de vista metodológico mostraram-
-nos a necessidadeda revisão da historiografia tradicional,
tendo em vista o perigo da utilização das fontes oficiais sem
a pesquisapersistentee cuidadosa de
outros materiais.
Esforçamo-nos por ser precisos na menção da biblio-
grafia manuscrita em que baseamosa maior parte deste tra-
balho.
Certas dificuldades não puderam ser transpostas,pois
parte deste material não se encontra mencionado nos catá-
logos e Guias Gerais do Arquivo Nacional de Lisboa. Assim,
por exemplo, também a numeração dos Cadernos ou Papéis
do Promotor de Lisboa, que tanto foram utilizados e que
sofreram, enquanto trabalhávamos, completa modificação.
Tencionamospublicar, quando possível, os documentosmen-
cionados na tese, para permitir novas consultas e interpreta-

ções. Estendemosnossa gratidão ao Professor Dr. João Cruz Costa, por cujo conselhonos dedicamosa estesestudose que há duas décadas percebeu sua importância para a História do Brasil; ao Professor Dr. Sérgio Buarque de Hollanda, que com boa vontade se prontificou a orientar esta tese, acompa- nhando-a desde o início com anotaçõesminuciosas e conse-

boa vontade se prontificou a orientar esta tese, acompa- nhando-a desde o início com anotaçõesminuciosas e
XTTT
XTTT
lhos e a quem devemosmuito de sua forma atual; à Profes- sora Dr~ Myriam Ellis,
lhos e a quem devemosmuito de sua forma atual; à Profes-
sora Dr~ Myriam Ellis, que nos ajudou na difícil fase final,
guiando e orientando em numerosasdificuldades que se nos
depararam; ao Professor Dr. Haim Beinart, da Universidade
Hebraica de Jerusalém, que vem acompanhandominuciosa-
mente nossosestudos, e nos tem servido de guia em nume-
rosas ocasiões;ao Professor Dr. Leon Feldman, da Rutgers
State University, New Brunswick, que nos prestou auxílio
inestimável provendo-nos de material inacessível no Brasil,
como livros, revistas, artigos de' difícil ac.essoe a cujo estí-
mulo e amizade tanto devemos; ao Professor Dr. Manuel
Nunes Dias, que nos aconselhouem diversos pontos técnicos
do esquemainicial; ao Prof. I. Reváh do College de France,
que nos guiou no Arquivo Nacional de Lisboa; à Professora
Dr~
Alice Cannabrava, que nos encorajou a enfrentar as pri-
meiras dificuldades, ao Prof. Dr. Eurípides Simões de Paula,
pela dedicação e apoio que nos concedeu, e aos amigos que
pacientementenos traduziram textos hebraicos necessáriosa
este trabalho.
Registramos com reconhecimento o
nome da gaudosa
Dr~ Emilia Felix, ex-Diretora do Arquivo Nacional, em Lis-
boa, que pôs à nossa disposição documentos raros, facili-
tando e aconselhandonas consultas, e ao ilustre Dr. José
Pereira da Costa, atual Diretor do Arquivo Nacional da Tor-
re do Tombo que, com a máxima boa vontade, compreensão
e amizade,tudo fez para facilitar nosso trabalho, e a D. Ma-
ria Isabel de Albuquerque que durante anos colabor.:>uco
nosco. Com simpatia nos reportamos ao Dr. M. Amzalack,
ao Dr. E, Baruel e ao Dr. S. Sequerra,da Comunidade Israe-
lita de Lisboa, como a outros amigos portugueses,pela calo-
rosa acolhida que sempre nos dispensaram, nas nossas fre-
qüentes estadasem Portugal.
Lembramos ainda o quanto devemosa Jacó GUinsburg,
que muito nos ajudou a compreender o complexo problema
judeu e cristão novo, a Sérgio Miceli, pela paciênciacom que
leu e corrigiu o trabalho manuscrito, assim como a todos
aquelesque nos ajudaram com confiança, no estrangeiroe no
Brasil, a percorrer este caminho.
Agradecemos à Fundação Calouste Gulbenkian, cujos
subsídiosnos permitiram continuar nossosestudosnos Arqui-
vos Portugueses,sem o que seria totalmente impossível rea-
lizar este trabalho.
XIV
Desejoexpressarmeu reconhecimentoa Maurício No- o trabalhoe pelo espíritocom queo acompanhou.
Desejoexpressarmeu reconhecimentoa Maurício No-
o trabalhoe pelo espíritocom queo acompanhou.

vinsky pela ajuda prestadaduranteanos,lendo e criticandO

ANITA NOVINSKY
ANITA
NOVINSKY
São Paulo, fevereiro de 1970. xv
São Paulo, fevereiro de 1970.
xv