Você está na página 1de 16

PASSO A PASSO

No.22 MAIO 1995 TREINAMENTO

Treinamento em VEJA NESTA EDIÇÃO


• Animadores – elos de ligação

parceria DA EDITORA
• Cartas
• Compartilhando uma
habilidade
• Recursos visuais para
treinamento
QUANDO OS MEMBROS de escondido. Cada um de nós é feito à
• Estudos de caso da África
imagem de Deus, com todas as
um grupo comunitário recente- possibilidades e dons que Ele provê. No Ocidental
mente formado – o Projeto entanto, para que as pessoas e comunidades • Recursos
Avícola de Kyanja – se reuniu cresçam e se desenvolvam ao seu potencial
máximo, algo mais é necessário, assim • Etapas em desenvolvimento
em um vilarejo perto de como o calor e o cuidado que a galinha • Um projeto rural de saúde
Kampala, em Uganda, um visi- choca provê ao ovo. amplo
tante mostrou-lhes uma figura Há pessoas ao nosso redor que parecem • Figuras para treinamento
agir como uma fonte de calor e energia. Elas
simples. ‘O que está aconte- fornecem energia para apoiar o processo de
cendo aqui?’ ele perguntou. desenvolvimento. Podemos chamá-los de
incentivo, apoio e nova vida em suas
agentes de desenvolvimento ou animadores.
As pessoas conversavam entre si. O comunidades. São pessoas que dedicam tempo
Todo o potencial está dentro das pessoas
desenho do Joe não era uma obra de arte a observar o potencial das comunidades, a
que formam a comunidade. Ninguém de
mas a resposta era óbvia – um pintainho compreender os seus costumes e a
fora pode dar a elas este potencial – elas já o
estava saindo de dentro de um ovo. Será compartilhar idéias e conhecimento. É claro
têm. Mas agentes prudentes de
que o visitante estava querendo algo mais? que o que lhes chamamos na verdade não
desenvolvimento podem trazer confiança
‘O que está causando isto a acontecer?’ Joe importa – o que importa é a atitude delas em
às comunidades para mudar coisas para
perguntou novamente. relação às comunidades com as quais
melhor. Frequentemente os melhores
trabalham.
Mary decidiu falar. ‘O ovo contém um agentes de desenvolvimento pertencem à
embrião vivo. Devido a galinha chocar o comunidade à qual estão servindo.
ovo por três semanas, o embrião ou o Nesta edição observamos o trabalho destas
pintainho bebé cresce lá dentro. Quando ele pessoas. Tradicionalmente elas eram
cresce e fica muito grande para o ovo, a chamadas de agentes de extensão – mas isto
casca começa a se quebrar e o pintainho sai subentende que elas trazem idéias de fora
para fora.’ que são consideradas superiores e que
Joe concordou. Ele então explicou que as devem ser estendidas a outras áreas. Em
comunidades podem ser comparadas vez disso, usaremos o termo
exatamente a um ovo. Em cada comuni- animadores nesta edição:
dade e em cada pessoa há um potencial real pessoas que fornecem

NOTA AOS LEITORES


A Passo a Passo é lida na África, Europa e América do Sul. A língua
portuguesa muda de um continente para o outro. Alguns artigos podem estar
escritos em um estilo diferente do Portugues que você fala. Esperamos que isto
não venha a mudar a sua apreciação pela Passo a Passo.

NB Nos referimos a ‘AIDS/SIDA’ porque alguns de nossos leitores conhecem a


doença como ‘AIDS’, enquanto outros a chamam de ‘SIDA’.
TREINAMENTO

PASSO A PASSO
ISSN 1353-9868
ANIMADORES
A Passo a Passo é uma publicação trimestral que
procura aproximar pessoas em todo o mundo
ELOS DE LIGAÇÃO
envolvidas na área de saúde e desenvolvimento.
A Tear Fund, responsável pela publicação da por Ian Wallace
Passo a Passo, espera que esta revista estimule
novas idéias e traga entusiasmo a estas pessoas.
A revista é uma maneira de encorajar os cristãos
de todas as nações que trabalham buscando a UM ANIMADOR pode ser Todas estas palavras (e você pode pensar em
melhoria de suas comunidades. outras) sugerem uma pessoa com uma
A Passo a Passo é gratuita para aqueles que
visto como uma ponte – um elo função chave, que se reúne com pessoas de
promovem saúde e desenvolvimento. É entre a comunidade e grupos níveis diferentes e que precisa de
publicada em inglês, francês, português e
espanhol. Donativos são bem vindos. exteriores como o governo, habilidades em ensino e comunicação,
administração e liderança, apoio, incentivo e
Os leitores são convidados a contribuir com suas
opiniões, artigos, cartas e fotografias.
centros de pesquisa, ser simplesmente um amigo de verdade.
Editora: Isabel Carter universidades e agências de Não é um chamado fácil ser o homem ou a
83 Market Place, South Cave, Brough,
desenvolvimento. mulher ‘intermediária’. Necessita-se de uma
East Yorkshire, HU15 2AS, Inglaterra.
Tel/Fax: (0)1430 422065
pessoa que seja treinada, talentosa,
Email: imc@tearfund.dircon.co.uk Eles podem também ser um elo entre os altamente motivada e que seja compelida
Editora – Linguas estrangeiras: Sheila Melot grupos que querem desencadear por um amor real a servir para atender as
Comitê Editorial: mudanças ou desenvolvimento – tais como necessidades dos outros.
Jerry Adams, Dra Ann Ashworth, Mike Carter, a Igreja, agências financiadoras, governo –
Jennie Collins, Bill Crooks, Richard Franceys, e a comunidade. O animador atua como Vemos nos evangelhos que Jesus usou
Sue Hanley, Suleiman Jakonda, Dr Ted
um intérprete, ajudando estes grupos a muitos métodos diferentes para se comuni-
Lankester, Sandra Michie, Nigel Poole, Jim
Rowland, José Smith, Mike Webb comunicar entre si sobre necessidades, car com as pessoas. Cada método era
problemas, informações e habilidades apropriado para a audiência envolvida.
Ilustração: Rod Mill
necessárias. Veja o diagrama abaixo. Frequentemente Ele usou recursos de
Design: Wingfinger Graphics, Leeds
ensino, como as parábolas ou objetos reais,
Tradução:
Luis Bustamante, Ray Cawston, Dr Jorge Cruz, O animador é frequentemente o elo na para transmitir seu significado de maneira
María Victoria Dew, Nicole Edwards, Gerard troca de habilidades ou treinamento. Não é clara e para ajudar as pessoas a recordarem a
Godon, João Martinez da Cruz, María Leake, sempre que o trabalho do animador tern as sua mensagem. Nós o vemos atuando de
Olivier Martin, Nicole Mauriange, Jean Perry,
Jean-Daniel Peterschmitt, Catherine Sample respostas para os problemas. Centros de maneira bem diferente com grandes multi-
Mailing List: pesquisas e universidades podem ter dões, com o pequeno grupo de seus discípu-
Escreva, dando uma breve informação sobre o algumas das respostas. Pessoas das zonas los e com indivíduos em necessidade. (Leia
trabalho que você faz e informando o idioma rurais têm recursos valiosos de sabedoria, Mateus 13:3-4, Marcos 9:30-31, João 4:7.)
preferido para: Footsteps Mailing List, Tear
Fund, 100 Church Road, Teddington, Middlesex,
conhecimento e habilidades acumuladas
TW11 8QE, Inglaterra. Tel: (0)181 977 9144. durante séculos. O animador é uma ponte O trabalho do animador em
Artigos e ilustrações da Passo a Passo podem ser pela qual problemas e respostas podem ser treinamento
adaptados para uso como material de trocadas. A aprendizagem deve sempre
treinamento que venha a promover saúde e
ser um processo mútuo. O papel do animador é muito mais do que
desenvolvimento desde que os materiais sejam simplesmente transmitir informações. Um
distribuídos gratuitamente e que os que usam
estes materiais adaptados saibam que eles são O papel do animador animador está envolvido em ajudar as
provenientes da Passo a Passo. pessoas a aprenderem – adquirindo
• comunicador • motivador
Publicado pela Tear Fund, uma companhia limi- conhecimentos, novas habilidades e
tada, registrada na Inglaterra sob o No.265464. • professor • administrador mudando suas atitudes. Sendo assim, os
• capacitador • ativista animadores são também chamados a serem
• educador • líder treinadores. Eles precisam compreender o
processo de aprendizagem e serem capazes
• organizador • fornecedor
de treinar outros.
• facilitador • intermediário
O que queremos dizer com treinamento?
• ouvinte • amigo
• catalista ■ Treinamento tem em vista preparar os
que querem aprender uma função ou
ocupação específica. Terá sempre objetivos
claros e específicos.
CENTROS DE AGENCIAS DE ANIMADOR PESSOAS DA
APRENDIZAGEM MUDANÇAS (A PONTE) ZONA RURAL ■ Envolve a aprendizagem teórica e sua
aplicação prática.
pesquisa governo agricultores
■ Envolve mudanças nas pessoas – em
universidades igreja grupos de particular, em seus conhecimentos,
mulheres habilidades e atitudes. Mudanças de atitude
governo agências
financiadoras famílias geralmente levam tempo.
serviços de ■ Envolve desenvolvimento humano
extensão projetos comunidades
equilibrado – resultando em mudanças

2 PASSO A PASSO NO.22


TREINAMENTO

Três abordagens em treinamento…


1 Métodos de 3 Métodos exploratórios
apresentação Estes métodos usam o importante princípio de se
Há metodos onde o treinador apresenta novas ‘aprender por descoberta’. Nesta situação o
idéias ou informações ou mostra ao aluno como treinador é na verdade um facilitador que fornece
fazer as coisas. Estes métodos são ‘centralizados o material e estabelece tarefas, deixando os
no treinador’. O fluxo de comunicação é principal- alunos investigarem por si mesmos. O treinador
mente feito em uma direção – do treinador para os ainda fica no controle e precisa verificar o pro-
alunos. Os métodos de apresentação são impor- gresso do aluno de vez em quando. No final, o que
tantes para se transmitir idéias e são amplamente se aprendeu de novo precisa ser demonstrado
para o treinador. Isto pode ocorrer de muitas
usados. As explicações podem ser variadas 2 Métodos participativos
usando-se diagramas, posters, poemas, etc, para formas – demonstração de novas habilidades,
Estes métodos são centralizados no aluno. Os exibição do trabalho feito, apresentações.
manter a atenção das pessoas. No entanto, o alunos são incentivados a participar e assim há um
treinador precisa reconhecer as limitações destes fluxo de informações em duas direções entre o Métodos exploratórios podem levar muito tempo.
métodos e combiná-los com outros métodos treinador e os alunos. Alunos adultos têm muita Eles geralmente resultam em mudanças de
envolvendo mais a participação do aluno. experiência e conhecimentos e com os métodos aprendizagem mais profundas e mais perma-
participativos isto é respeitado. Cada pessoa é nentes. Os que estão aprendendo gostam do
A informação flui em uma direção apenas – do incentivada a compartilhar suas experiências e a desafio de descobrirem por si próprios.
treinador para o aluno. ouvir e aprender dos outros. O papel do animador
EXEMPLOS: aulas, vídeos, demonstrações, é simular situações para uso em treinamento onde O treinador fornece o material ou informação e
programas de rádio aconteça a discussão aberta de assuntos. A ajuda os alunos a trabalharem juntos para
participação ajuda a incentivar os alunos. Motiva- investigarem por si próprios.
ção é um requisito chave para uma aprendizagem EXEMPLOS: exibições, estudos de caso, projetos,
eficaz. Um maior envolvimento permite que expe- encontros, sessões de leitura
riências e mudanças de atitudes sejam mais
facilmente conseguidas.

Há comunicação em todas as direções – entre


o treinador e o aluno e entre os próprios alu-
nos.
EXEMPLOS: discussões em grupo, seminários,
reuniões, encenações

mentais, físicas e espirituais. Em outras Escolhendo um método Métodos exploratórios necessitam de um


palavras, desenvolvimento humano de facilitador e organizador.
Os métodos usados por treinadores
verdade envolverá a mente, o corpo e a
podem ser divididos em três grupos
alma. O treinamento deve também ser EXERCICIO DE GRUPO Planeje
principais (veja acima). Para que uma
equilibrado, focando todos os três tipos de treinamento em um assunto específico.
aprendizagem eficaz possa acontecer, os
mudanças, não apenas uma ou duas. Faça uma lista dos preparativos e
treinadores devem usar uma combinação
■ Envolve melhorar habilidades existentes. de métodos diferentes. As pessoas materiais necessários para liderar três
Geralmente as pessoas que estão sendo aprendem melhor quando a ‘mensagem’ é sessões de treinamento sobre este
treinadas já possuem algumas habilidades repetida de várias maneiras. Apresen- assunto – a primeira usando métodos
mas querem aprender mais – para tações de novas idéias e habilidades de apresentação; a segunda, métodos
desenvolver os seus conhecimentos. O podem ser seguidas de sessões participativos; e a terceira sessão
animador pode incentivar este processo. participativas e exploratórias. usando métodos exploratórios.

■ Treinamento envolve a transferência de Para se usar uma variedade de métodos,


aprendizagem. Novos conhecimentos, os treinadores devem ser bem treinados.
habilidades e atitudes devem ser Eles devem compreender que o seu papel Com agradecimentos à RURCON pela
transferidas para a vida diária. As coisas mudará com os diferentes métodos de permissão para uso de material do The Link
aprendidas em um ‘ambiente de treinamento: Person (apresentado na página 12). Ian
treinamento’ podem ser colocadas em Wallace tem muitos anos de experiência em
Métodos de apresentação necessitam de um
prática em situações reais da vida? Todo treinamento na área de agricultura. Ele é
professor experiente.
treinamento deve resultar em ação. Este é o professor do ‘Agricultural Extension and Rural
teste mais importante de um treinamento Métodos participativos necessitam de um Development Department’ da Universidade de
eficaz. treinador que seja também um aluno Reading, 3 Earley Gate, Whiteknights Road,
interessado. Reading, RG6 2AL, Reino Unido.

PASSO A PASSO NO.22 3


CARTAS
Em alguns grupos étnicos, os casais
abstêm-se de terem relações sexuais depois
do nascimento de uma criança, com medo
de uma nova gravidez. Frequentemente
SO isto leva à infidelidade por parte do
PASSO A PAS AD marido.
D SO R RO
47 WIN
BRISTO L Para ajudar os casais a se manterem fiéis, o
BS6 5BW Ministério da Saúde dos Camarões
REINO UNIDO organizou uma campanha de advertência
sobre a AIDS/SIDA com informação sobre
diferentes métodos de planejamento
familiar. As pessoas são informadas, seja
Em defesa dos agricultores onde for que se encontrem – após cultos,
em grupos de mulheres, após o período de
TRABALHAR A TERRA pode ser
oração dos muçulmanos às sextas feiras –
interessante por duas razões. Primeira-
junto com os líderes destes grupos. Os
mente, para provar a funcionários do
casais são convidados a visitar os seus
governo e camponeses que trabalhar a
centros médicos locais para obterem mais
terra não é somente para pessoas
informações em um lugar mais discreto.
ignorantes que não têm mais nada para necessários para equipamentos. Em
fazer. O cultivo da terra tem um grande segundo lugar, eles precisam de um Outro problema que precisa ser resolvido é
valor em si mesmo e pode ser escolhido mercado que os incentive, onde seus a migração dos homens dos vilarejos,
com prazer como qualquer outra produtos possam ser comprados por deixando para tras suas esposas e filhos.
profissão. preços justos. Eles podem abster-se de ter qualquer tipo
de relações sexuais com parceiros ocasio-
Em segundo lugar, é interessante provar Hoje, em muitos países africanos do sul
nais? Nesta parte do norte dos Camarões,
para as mesmas pessoas que se a terra do Saara, é muito difícil encontrar bancos
as pessoas estão agora conversando sobre a
for bem trabalhada, adotando-se novas que financiem projetos agrícolas. Como
AIDS/SIDA, mas frequentemente elas não
idéias, isto pode ser tão lucrativo como pode alguém começar um projeto
compreendem de verdade o que realmente
qualquer outra profissão. No entanto, quando a obtenção de empréstimos é
significa. Elas não percebem totalmente os
trabalhar a terra com êxito frequente- algo tão custoso? Mesmo boas sementes e
riscos a que estão expostas.
mente significa que o agricultor pode materiais básicos podem ser muito caros.
necessitar de ter os recursos financeiros Espero que em breve a concessão de Helen Müller
para adquirir os requisitos essenciais: empréstimos bancários para financiar Eglise Evangélique
ferramentas, materiais para construir projetos agrícolas irá uma vez mais ser BP82
uma fonte de água subterrânea, ou talvez possível em países como a Costa do Kousséri
um trator para estas atividades. Graças Marfim. Os empréstimos poderiam ser Cameroon
ao ensinamento fornecido pela Passo a feitos em forma de materiais em vez de
Passo, os agricultores podem usar estru- em dinheiro. Isto reduziria o número de Hidromância
me ou adubos naturais fáceis de serem fraudes feitas pelos não agricultores.
SAUDAÇÕES do Reino da Suazilândia.
produzidos e economizam dinheiro em O retorno à terra deve tornar-se uma Leio sempre a Passo a Passo com prazer e
vez de comprarem fertilizantes. realidade. Vamos acabar com todas as encontro nela muitos artigos úteis para os
Em um país como a Costa do Marfim, o promessas políticas e em vez disso iniciar que trabalham em desenvolvimento
sucesso na agricultura só se tornará ações práticas. A chave para o sucesso comunitário.
realidade, primeiramente, quando os está com a terra e será um sucesso
No entanto, em sua edição recente no. 20
agricultores tiverem acesso à fundos duradouro porque virá das bases.
fiquei muito surpreso ao ler sobre hidro-
Conselhos da Passo a Passo, assim como mância. No Velho Testamento, em
os recursos financeiros e materiais Deuteronômio 18:10 e 2 Reis 17:17, lemos
resultarão em bons resultados em que a adivinhação é pecado.
atividades agro-pastorais.
Estou certo de que a hidromância funciona
Justin Tchete e que realmente ajuda as pessoas a acharem
03 BP 3129 Abidjan 03 água, mas certamente a pergunta impor-
Costa do Marfim tante é se estamos seguindo a palavra de
África Ocidental Deus nas Escrituras. Apesar de não poder-
mos explicar como a hidromância funciona,
Educação sobre AIDS/SIDA há forças em ação e de acordo com as
Escrituras não devemos praticar tais coisas.
FIQUEI MUITO INTERESSADA em ler a
Passo a Passo 19 sobre tuberculose e Willen R Kaassen,
AIDS/SIDA. Gostaria de fazer algumas Rural Ministries
considerações sobre AIDS/SIDA e PO Box 387, Veni
fidelidade. Swaziland

4 PASSO A PASSO NO.22


CARTAS
FIQUEI SURPRESO ao ler uma carta Há dois pontos chave sendo apontados nestas Sementes grátis
sobre hidromância em uma edição cartas: primeiramente, é a hidromância
SAUDAÇÕES DA POLONIA. Eu
recente da Passo a Passo. Sei de outros adivinhação (através de forças sobrenaturais)?
gostaria de contar aos leitores da Passo
cristãos como o Sr Hume, que praticam – o que sendo o caso, como cristãos não
deveríamos usá-la – ou é uma resposta a forças a Passo sobre uma pessoa muito
hidromância. No entanto, o assunto é
naturais ainda não totalmente compreendidas? especial que encontrei aqui. O seu
muito problemático para mim. Não
Não se esqueça de que há não muito tempo os nome é Roman Plaskota. Ele cultiva
devemos esquecer o fato de que é
cristãos acreditavam que a cirurgia e o trabalho árvores e coleciona espécies raras e em
também chamado de ‘adivinhação pela
de ferreiros eram também do diabo. extinção de plantas, ervas e
água’.
especiarias. Nos últimos 20 anos ele se
O segundo ponto chave diz respeito às crenças dedicou a desenvolver muitas
Como cientista, acho difícil acreditar
e costumes tradicionais das pessoas locais. Se variedades de plantas que podem
que haja um fator natural ou uma força
eles consideram a hidromância como sendo
criada por Deus para nosso uso que sobreviver em condições difíceis. O
feitiçaria, ela não deve ser praticada. Deve ser
ninguém ainda foi capaz de detectar e desejo dele é compartilhar estas
apenas praticada com o consentimento dos
medir. Pessoas com pouco treinamento sementes de ervas e flores exóticas
líderes religiosos locais e com uma clara
são aparentemente capazes de detectar com pessoas que gostam de plantas,
explicação às pessoas locais que não há
água, cabos elétricos, etc com uma envolvimento com feitiçaria. em outras partes do mundo. Ele pode
grande variedade de materiais – enviar sementes aos leitores da Passo
varinhas de condão, varas de cobre, a Passo que vivem em climas mais
cabides entortados, etc. Isto é mágica ou frios. Favor escrever para:
apenas a imaginação do adivinho?
Roman Plaskota e Ronald McGerity
Quando eu era responsável por um PL-95-200 Pabianice
grande projeto de saneamento na PO Box 6
Etiópia, proibi o uso da hidromância. Polônia.
As pessoas locais estavam muito
familiarizadas com feitiçaria (e também
com hidromância) e a igreja local tinha
trabalhado muito para opôr-se contra Economizando
esta prática. Ao cavar poços, habitantes
locais queriam que cabras fossem combustível
sacrificadas para aumentar as chances
de se encontrar água. Eu recusei, ACABEI DE REGRESSAR de duas conferências sobre métodos de cozimento com
energia solar. As pessoas no Quênia diziam que as pessoas nunca abandonariam o
dizendo que se a água estivesse
uso de fogueiras para passar a cozinhar com o uso de energia solar porque à noite
disponível, nós a acharíamos, quer
eles gostam de sentar e olhar para a fogueira.
sacrificássemos ou não uma cabra. Se
tivessemos feito isto, teríamos reforçado No hotel onde eu fiquei eles mantinham a comida quente com o uso de utensílios
a crença deles na mágica de sacrifícios. simples para economizar energia. Eram apenas latas pequenas cheias de areia e
álcool metilado. Elas não apenas mantinham a comida quente mas também
Não seria melhor se os cristãos produziam bonitas chamas amarelas. Cada lata durava entre duas a três horas.
evitassem qualquer associação com No dia seguinte tentamos isto com um fogão ‘debe’ (mostrado na Passo a Passo 21 ).
‘conhecimenos especiais’ adquiridos Funcionou muito bem. Não se podem ver as chamas, é claro, até que esteja escuro.
através de métodos tão duvidosos? Lembre-se de isolar o fogão na parte superior para evitar que todo o calor seja
Deus nos deu compreensão limitada perdido.
sobre leis naturais e espera que usemos Encha uma lata pequena pela metade com areia
o conhecimento que já temos. Ele comum. Coloque a lata em uma bacia de metal
também se compraz em guiar-nos ou em um buraco no chão. Em seguida, despeje o
através da oração para atender nossas álcool metilado dentro da lata até que se acumule um
próprias necessidades e as dos outros. pouco no topo. Para acender, simplesmente acenda um fósforo e coloque – o sobre
Se formos justificados em buscar ajuda o álcool. O ‘debe’ ou pote pode ser colocado sobre uma grelha ou sobre uma chapa
sobrenatural, devemos nos certificar de de metal um pouco acima das chamas.
que a estamos buscando da fonte certa. Você perceberá que o álcool metilado não produz fumaça ou fuligem. Para apagar,
Don Stilwell simplesmente cubra as chamas. Para se
conseguir luz extra, tente colocar o queimador
SIM
sobre a tampa de uma lata ou algo brilhante.
PO Box 7900
Charlotte, NC 28241 Anna Pearce
USA Box Aid
11 Hill Top Lane
EDITORA: Saffron Walden
A hidromância é um assunto sobre o qual os Essex
cristãos têm diferentes opiniões. Não há uma CB11 4AS
Reino Unido
resposta clara e cada pessoa deve avaliar as
questões e chegar a uma opinião própria.

PASSO A PASSO NO.22 5


TREINAMENTO

Compartilhando uma Muitos objetivos são muito vagos. No


final da instrução é difícil dizer se o
objetivo foi alcançado ou não. Um bom
objetivo é claro e mensurável.

habilidade grandemente o estilo, a maneira e o


conteúdo da instrução.
• O sexo
Toda instrução deve ser completada em
um tempo limitado e por isso é
importante que os objetivos sejam
realistas, ambos em termos do que o
• a idade
aluno pode atingir e em termos do
por Mike Carter • os interesses e necessidades tempo disponível.
• a experiência prévia
• as habilidades relacionadas
TODOS NOS PODEMOS nos • o conhecimento relacionado Trabalho em grupo
lembrar de quando nos ensinaram • as habilidades e incapacidades Discuta os seguintes objetivos. Eles são bons
certas habilidades. Às vezes uma • o nível de alfabetização e uso de ou ruins? Por quê? Eles satisfazem os co-
números mentários expostos acima?
atividade difícil se tornava fácil
• linguagem e idioma materno 1 Ensinar o grupo sobre soldagem.
com um treinamento claro e a
perícia adquirida permaneceu …do aluno afetará… 2 Trocar a roda dianteira de um trator.
conosco desde então. Em outros • a maneira 3 Os alunos deverão medir a temperatura
momentos o treinamento foi • a rapidez de uma criança.

confuso; uma tarefa fácil foi feita • o vocabulário 4 Mostrar aos alunos como enxertar mudas
difícil e ainda não a podemos • o ponto de partida de plantas cítricas usando o método T.

executar. • o método de ensino 5 Os alunos poderão transplantar mudas de


• as suposições pés de berinjela de sementeiras para
Qual é a diferença entre treinamento tabuleiros em uma média de 45 por minuto
bom e ruim? Ensinar uma habilidade é • o conteúdo das lições com 9 mudas sobrevivendo entre 10.
em si mesmo um desafio, algo que pode • a linguagem de instrução
ser aprendido. Pensar nos pontos …do treinador.
seguintes poderá ajudá-lo a se tornar um
melhor instrutor. Identificando estágios de
aprendizado e pontos chave
Saiba quem se está Trabalho em Grupo
Todas, exceto as habilidades mais simples,
instruindo Pense em uma situação de treinamento que podem ser divididas em estágios de
Dedique um tempo considerando quem os membros de um grupo possam experi- aprendizado. O aluno precisa ser capaz de
são os alunos. A experiência deles afetará mentar no futuro; talvez com um grupo de fazer cada estágio antes de passar para o
agricultores, um grupo de profissionais de próximo. Em cada estágio haverá pontos
saúde da comunidade ou um grupo de
chave para enfatizar:
Trabalho em Grupo crianças estudantes. Que informação eles,
como instrutores, precisam ter sobre o grupo • coisas importantes para ter em conta
Se você estiver fazendo uma discussão em aprendiz para ajudar a planejar o treina- • erros comuns que as pessoas cometem
grupo sobre como compartilhar habilidades, mento? Faça uma lista da informação
tente esta encenação. Peça que quatro necessária. • pontos legais ou de segurança que
participantes encenem duas situações devem ser anotados.
diferentes. Em cada uma, um instrutor vai
Mantenha o número de pontos chave ao
ensinar um aluno como preparar um bule de
chá. Não diga aos outros participantes sobre Estabeleça seus objetivos mínimo. Não torne a habilidade mais
os papéis sendo encenados. complicada do que ela é!
Muito treinamento é baseado no que o
■ Um sargento do exército instruindo um treinador quer ensinar em vez do que o Preparando sua apresentação
novo soldado aluno quer aprender. O compartilhar de É útil escrever um Plano de Treinamento
■ Uma mãe instruindo uma criança de seis habilidades deve ser centralizado no de Habilidades, talvez semelhante ao
anos aluno e não no instrutor. Um objetivo exemplo dado na seguinte página.
Discuta depois a encenação. Os outros deve portanto começar com uma frase
participantes conseguem adivinhar os papéis assim, ‘No final desta instrução, o aluno
que estavam sendo encenados? Quais foram deverá…’
as diferenças entre as duas situações –
mesmo que ambas tenham sido sobre a Um bom objetivo responde às
mesma habilidade? Como elas se diferencia- perguntas…
Mike Carter trabalha no Departamento
ram na maneira, nas palavras usadas, na Internacional do Bishop Burton College,
• O que o aluno fará?
rapidez, nas suposições feitas, na linguagem
• Como eles o farão? Com quê? Onde? Beverley, N Humberside, Reino Unido, com
corporal?
experiência no Quênia, Papua Nova Guiné e
• A que nível a habilidade será
Nigéria.
executada?

6 PASSO A PASSO NO.22


TREINAMENTO

Exemplo trabalhado: PLANO DE TREINAMENTO DE HABILIDADES


fabricação de um Habilidade: Fazer um cabresto
cabresto temporário

PREPARAÇÃO
Objetivo: Os alunos aprenderão a fazer um cabresto temporário para ovelhas, cabras
ou bezerros.
Grupo aprendiz: Grupo de Agricultores de Bagamoyo, esperam-se 8 agricultores

Onde e quando? Bagamoyo – na fazenda do Sr Ali. 4/5/95 – das 10 às 12 da manhã.

Equipamento 8 medidas de corda, com 2 metros de comprimento, de 7-10 mm de diâmetro.


necessário: 8 ovelhas ou cabras.

A introdução é muito importante. Como você motivará os


alunos? Explique as circunstâncias; o que eles estão INTRODUÇÃO Muito útil para examinar animais jovens, ao vacinar, tratar ou ao levar 5 min
aprendendo hoje pode ser relacionado com outras animais jovens ao mercado.
habilidades que eles já dominem. Por que vale a pena
aprender a habilidade? Explique claramente os seus
objetivos. Crie uma atmosfera agradável de aprendizado.
DEMONSTRAÇÃO Demonstre duas vezes. 30 min
Planeje a parte principal da instrução. Com certas ESTAGIOS DE APRENDIZAGEM PONTOS CHAVE
habilidades é uma boa idéia demonstrar o processo
1. Escolha da corda ■ Uma corda de no mínimo 2 metros de comprimento e de 7 a 10 mm de
todo rapidamente e então repetí-lo – desta vez
lentamente, estágio por estágio – permitindo que os diâmetro.
alunos executem a tarefa ao mesmo tempo. ■ A corda não deve ser muito fina ou machucará muito o animal.

2. Faça o laço no ■ Faça o laço o menor e mais próximo possível do fim da corda.
fim da corda
3. Faça o laço no ■ A distância correta entre os laços varia com o tamanho do animal;
APRESENTAÇÃO

meio da corda 120 mm para uma ovelha ou cabra pequena; 150-180 mm para bezerros grandes.
O laço no fim da corda 4. Termine o cabresto ■ Passe a outra extremidade da corda por entre o laço no fim da corda primeiro
e então pelo laço no meio da corda.

O laço no meio 5. Compreenda as ■ A corda entre os nós é chamada de ‘elo fixo’; não pode aumentar nem encurtar.
da corda partes do cabresto ■ A corda com a qual você pode guiar o animal é chamada de ‘rédea’.
6. Compreenda como o ■ O ‘elo fixo’ deve ser colocado sobre o nariz e não sob a mandíbula. Se o
cabresto é colocado elo se movimentar para debaixo da mandíbula, a respiração pode ser limitada.
no animal ■ Da ‘rédea’, a corda deve ser colocada primeiro sob a mandíbula e não sobre a
cabeça. O cabresto, desta forma, escapará com menos facilidade.
O cabresto ■ A pessoa lidando com o animal geralmente fica no seu lado esquerdo
terminado e por isto, a ‘rédea’ deve ficar no lado esquerdo.

Permita bastante tempo para os alunos praticarem. A PRATICA DO ALUNO Trabalho em pares. Todos os agricultores devem praticar 70 min
Aprendemos uma habilidade praticando-a, mais do alternadamente.
que por ouvir e ver outros a fazerem.
Planeje como você vai avaliar no final se os AVALIAÇÃO Teste cada cabresto ao ser terminado. 5 min
alunos adquiriram a nova habilidade.
Conclua repetindo os pontos principais. Mencione outras CONCLUSÃO Os agricultores devem repetir os estágios de aprendizado e os pontos 10 min
habilidades relacionadas que os alunos poderão chave. Relembre aos alunos que este cabresto serve apenas para uso
aprender no futuro. temporário.

OBSERVAÇÃO:
O cabresto mostrado neste exemplo é somente
para uso temporário. Depois de algum tempo o
nó machucará a cabeça do animal. Uma pessoa
Trabalho em Grupo
com experiência em fazer nós (entrançamento) Peça para que cada participante escreva o seu próprio Plano de Treinamento de Habilidades sobre qualquer
poderá fazer um cabresto semelhante sem o uso habilidade que eles queiram compartilhar. Estas habilidades podem ser em qualquer área – saúde,
de nós grandes. agricultura, florestamento, construção, trabalhos de artesanato, etc. Permita que cada pessoa instrua um outro
membro do grupo nesta habilidade. Depois de cada instrução, discuta em grupo os pontos positivos e
Um cabresto maior pode ser usado em gado
qualquer coisa que possa ser melhorada.
adulto, mas o animal necessitará ser treinado a
usar cabrestos desde jovem.

PASSO A PASSO NO.22 7


RECURSOS

Recursos Visuais Lousa


A lousa (ou quadro negro) é amplamente usado co

para Treinamento
de ensino. É muito útil para se desenhar diagramas
para enfatizar palavras e pontos chave. Giz de cor
comprado a um baixo preço e pode aumentar o int
materiais escritos e diagramas.

Pratique fazer diagramas e use a lousa antes das s


treinamento. Use um apagador que remova o giz
apropriadamente. É uma boa idéia ter algo já escri
antes dos alunos chegarem. Evite escrever muito n
não fale voltado para ela! Os alunos se cansarão de
suas costas.

Álbum seriado Retoque lousas velhas e usadas. Pode-se produzir


permanentes simplesmente revestindo-se uma sup
sobre uma parede. Um bom tamanho é 1 metro x
Misture uma argamassa de quatro partes de areia
Os álbuns seriados contém diversas folhas
cimento. Quando o reboco estiver quase assentad
grandes de papel, sendo usados para ensinar
cuidadosamente com uma colher de pedreiro. Cub
grupos pequenos sobre um assunto
com sacos de estopa húmidos ou plásticos para p
específico. Cada idéia principal é mostrada
seque vagarosamente, evitando-se rachaduras. Es
em uma folha. O seu uso torna o ensino muito
para secar completamente antes de pintar.
mais fácil, pois cada folha relembra o instrutor
sobre todos os pontos principais. As folhas Lousas portáteis podem ser feitas de pedaços de
devem ser de papel de boa qualidade pois compensada. Lixe bem a madeira antes de pintar.
assim elas duram bastante tempo. Folhas de
plástico coloridas (assim como o plástico Pintura
amarelo frequentemente usado para secar Pode-se comprar tinta especial para quadros negro
café) podem ser cortadas. Isto permitirá aos também produzir sua própria tinta – duas receitas
alunos copiarem o que é escrito nas folhas abaixo. Dê pelo menos duas demãos de tinta. Ante
para formar os seus próprios álbuns seriados. lousa, passe um pano coberto em pó de giz para p
Uma quantidade de folhas devem ser coladas
juntas. Reforce a parte superior com um Receita 1
adesivo forte. Faça furos no adesivo e
mantenha as folhas juntas com presilhas, • 1 medida de tinta preta
barbante ou um pedaço fino de madeira. • 1 medida de verniz
• 11/ 2 medida de querosene

Misture bem o verniz e o querosene. Adicione


então a tinta preta e misture bem.
Cavaletes
■ Forme uma estrutura de
Apresentamos madeira com o uso de pregos e
aqui duas idéias fixe uma chapa de madeira. Use
para se fazer uma dobradiça para fixar uma
suportes para perna traseira. Amarre uma corda ou
lousas fio por entre as três pernas para evitar
(cavaletes)… que o cavalete caia. Para fazer um
álbum seriado, fixe pregos ou Com agradec
parafusos na parte superior da chapa ‘World Neigh
para pendurar AHRTAG po
as folhas de informação.
■ Amarre três papel.
estacas fortes de
madeira para
apoiar a lousa.
Pode-se usar
galhos de árvores.

8 PASSO A PASSO NO.22


Lousas de pano
mo um recurso Também conhecidas como flanelógrafos, estas são simplesmente lousas cobertas com
s ou figuras, um pano áspero ou flanela. Figuras e ilustrações podem ser rapidamente adicionadas,
pode ser facilmente movimentadas ou removidas do flanelógrafo. Eles são muito úteis para se
teresse por contar histórias ou descrever situações que estão sempre mudando. Bem usados, eles
despertarão interesse e estimularão a discussão dos assuntos. Eles são especialmente
úteis se você vai compartilhar a mesma informação com grupos diferentes.
sessões de
Preparar ilustrações para usar em flanelógrafos leva tempo mas, tendo-se cuidado, elas
to na lousa durarão por muitos anos. Use ilustrações que sejam apropriadas para a cultura local.
na lousa – e Desenhe figuras ou corte-as de revistas. Certas palavras e sinais, como setas, podem
e olhar para ser úteis. Monte as figuras em um papelão fino. Cole pedaços pequenos de lixa na parte
traseira das figuras para que se prendam ao pano. Alternativamente, coloque cola ou
uma pasta de farinha e água, e pulverize com areia ou palha de arroz. Certifique-se de
lousas
que as figuras sejam suficientemente grandes para serem vistas.
erfície lisa
1,5 metros. Fazer figuras e materiais de treinamento seria um exercício de grupo muito útil para os
e uma parte de alunos. Os flanelógrafos são ideais para sessões de treinamento em escolas e mercados
o, alise porque eles atraem e mantêm a atenção das pessoas.
ra a parede
Trate as figuras com
ermitir que se
cuidado e mantenha-as na
pere vários dias
ordem correta, prontas
para serem usadas
madeira novamente. Os
flanelógrafos podem ser
simplesmente um pedaço
de flanela ou cobertor
os. Você pode preso na parede e
são dadas enrolados quando não
es de usar a estão em uso. Faça
repará-la. flanelógrafos permanentes
esticando-se um pano ou
flanela sobre uma chapa e
Receita 2 prendendo na posição
Use uma lata de tinta fosca escura (não correta com cola ou prego.
brilhante) – preto, verde escuro ou marrom,
para a primeira camada. Para adicionar
abrasivo à camada final de tinta, use dois
tijolos velhos feitos em forno de olaria
moendo-os até que se tornem em um pó
fino. Peneire o pó em um pano grosso para
remover os pedaços. Adicione uma medida
de pó a 10 medidas de tinta. Misture bem. metades). Isto fará com que transporte por bicicleta
seja facilitado. Pinte um dos lados para uso como
lousa. Cubra com um pano para usar como
flanelógrafo. Fixe um pedaço pequeno de madeira
na parte de trás e use uma vara para manter a lousa
de pé. Pode-se também fixar um barbante na parte
imentos à superior para pendurar a lousa na parede.
hbours’ e à
or parte desta

Lousa/Flanelógrafo portátil
Uma lousa pode ser combinada com um
flanelógrafo. Corte uma chapa de madeira em
duas metades e fixe-as juntas com uma
dobradiça (usando dobradiças de metal ou um
pedaço resistente de pano colado às duas

PASSO A PASSO NO.22 9


TREINAMENTO

A abordagem
• certificar-se de que os programas
incluem mulheres e jovens

Estudos da AAILD
• distribuir revistas e jornais na área de
desenvolvimento
• incentivar programas de crédito e

de Caso
poupança
A AAILD (Associação de Apoio a • proteger o meio ambiente.
Iniciativas Locais de Desenvolvimento) é
uma organização sem fins lucrativos em A associação não pertence a nenhuma

da Burkina Faso, África Ocidental, com


mais de 200 membros. A AAILD
funciona para incentivar e apoiar
iniciativas locais em desenvolvimento.
denominação política ou religiosa.
Funciona em cooperação estreita com
grupos de aldeias, organizações de
desenvolvimento, comités comunitários

África Os seus objetivos principais são…


• reforçar uma acção integrada nas
e várias outras organizações não
governamentais em Burkina Faso. Eles
também têm ligações com vários grupos
de publicações através dos quais
províncias

Ocidental • despertar a população para problemas


de desenvolvimento
• ajudar projectos a considerarem ques-
produzem e distribuem revistas.

Poder para os
agricultores
tões sociais, económicas e culturais
O ponto principal da abordagem da
AAILD quanto a desenvolvimento é a
sua determinação em fazer os
agricultores se tornarem mestres de seu
ESTUDO BIBLICO próprio desenvolvimento. Ela faz isto
realizando reuniões de conscientização e
dando treinamento. Ajuda assim os
A história de agricultores a obterem resultados que
trazem aumento em colheitas e melhoria

Naamã e Eliseu da qualidade de vida.


Esta abordagem é baseada na
compreensão de que as soluções estão
por Ian Wallace com os agricultores. Os agricultores são
ajudados a compreenderem melhor a sua
situação e problemas. A AAILD ajuda-os
O ANIMADOR é a pessoa do meio – o Todos estes exemplos nos ensinam de a entenderem que soluções prontas não
intermediário de Deus. Aqui estão que não é fácil ser o homem ou mulher podem ser encontradas em nenhum
alguns exemplos de pessoas que Deus intermediário. Envolve trabalho duro e outro lugar. Soluções virão através do
usou no passado como intermediários. coragem e pode frequentemente levar a trabalho de suas próprias mãos. Os
Leia 2 Reis 5:1-14. Ouvimos sobre três uma situação de ser mal compreendido. agricultores podem e devem mudar a
servos intermediários nesta história. Além de conhecimento técnico pro-
sua situação em seu próprio ambiente
Primeiro há a pequena empregada que fundo e habilidades em treinamento,
local. Assim começa um compromisso
servia a esposa de Naamã (verso 3). A requer determinação. Acima de tudo,
responsável e isto explica o sucesso da
sua compaixão e fé foram os primeiros está a chamada especial de Deus e a
AAILD.
passos para a libertação final de necessidade do poder do Espírito Santo.
Naamã. O modelo de um animador cristão é o Apoio onde é necessário
Em seguida há o servo de Eliseu que foi próprio Jesus pois Ele se manteve no
Com o seu sucesso em treinamento e
enviado como mensageiro (verso 10). meio:
apoio a projectos, a membrazia da
‘Vái e lava-te sete vezes no Rio Jordão’. • entre Deus e o Homem AAILD tem aumentado, bem como o
Para a libertação completa acontecer ele • entre a Luz e as Trevas número de necessidades e desejos dos
teve que passar esta mensagem fiel e • entre a Vida e a Morte. membros. A AAILD escolhe onde
corretamente.
Ore por aqueles em sua comunidade conceder apoio, levando em
Em terceiro lugar há os servos de que atuam como intermediários – consideração os seguintes factores…
Naamã no verso 13. Eles foram sufi- animadores, profissionais de saúde
cientemente corajosos para se aproxi- • Os próprios agricultores devem
communitária, professores, pastores,
marem de Naamã em sua ira. O primeiro identificar os seus
etc. Discuta sobre como você pode
seucuidado e diplomacia levou à apoiá-los melhor e mostre mais com-
problemas. Só então é que eles podem
libertação de Naamã. preensão pela sua difícil tarefa. vir a desenvolver suas próprias
soluções.
• O nível de sucesso de actividades
semelhantes realizadas por aldeões

10 PASSO A PASSO NO.22


TREINAMENTO
com a ajuda da AAILD é uma Trabalho em parceria Eles apreciariam receber contatos de
indicação da sua capacidade em A AAILD está comprometida a trabalhar outros grupos em Burkina Faso ou países
desempenharem actividades e em parceria em todos os níveis. A idéia vizinhos.
melhoramentos futuros. de se trabalhar em parceria inclui todas Conscientização e treinamento
• O nível de mobilização dos aldeões as relações políticas, económicas ou desempenham um papel importante nos
em actividades anteriores deveria ser privadas. A AAILD está comprometida projectos com os quais a AAILD
alto. em aumentar contactos de parceria para trabalha. O seu interesse pelos
Ao se fornecer treinamento e supervisão o seguinte… agricultores com os quais trabalham é
aos aldeões através de seus líderes, bons • contacto com muitas organizações um ponto chave do seu sucesso.
resultados são alcançados a este nível. externas ( frequentemente através de AAILD
Para ser convencido da eficácia destes projetos) 01 BP 3368
métodos, é preciso apenas estar presente
• envolvimento e participação em Ouagadougou
numa reunião onde são feitos preparati-
várias reuniões. Burkina Faso.
vos para actividades específicas.

O Projecto de
uma maquete envolvendo todos os um lugar para outro! As maquetes e
participantes. Eles reúnem todas as suas demonstrações práticas estimulam a
observações, idéias e quaisquer discussão entre os participantes. Elas

Diobass
conclusões a que tenham chegado. Um ajudam as pessoas a pensarem em
líder ajuda-os a acompanhar este maneiras criativas de se encontrarem
processo. Uma maquete ajuda a mostrar soluções para os seus problemas. O seu
numa pequena escala o que pode ser uso introduz novos elementos no método
por Nohoune Lèye
visto na vida real. Por exemplo, uma de ensino. Este método de aprendizagem
cerca ou quebra-vento podem ser ajuda os agricultores a pensarem sobre
TENHO TRABALHADO numa área rural representados por galhos pequenos maneiras práticas de colocarem os seus
durante quase 20 anos. Diobass é o nome plantados bem juntos. Um desfiladeiro conhecimentos em acção quando eles
de uma área contendo 20 povoações fundo pode ser representado por um voltam para as suas povoações.
situadas ao sul de Thies, no Senegal. canal pequeno.
Começamos usando métodos procurando Nas palavras dos próprios agricultores:
restaurar a relação entre os técnicos e As maquetes também ajudam os ‘Nós agricultores não compreendemos
agricultores desta área. Em vez dos agricultores a compreenderem o que muito bem com os nossos ouvidos.
técnicos trazerem um conjunto de técnicas pode acontecer. Por exemplo, para se Compreendemos melhor com nossos
para os agricultores, eles próprios se mostrar como a água da chuva pode olhos!’ O nosso treinamento procura
envolveram nas pesquisas. Desta maneira destruir o solo e os nutrientes das plantas, acrescentar palavras às acções realizadas
eles aprendem acerca do potencial de o líder faz uma maquete para demonstrar pelos próprios agricultores no treinamento.
suas terras. Começamos usando o nome o que acontece quando chove. Faz-se uma
‘Educação Diobass’ para descrever nossos maquete de um campo inclinado com
métodos de trabalho. A nossa esperança uma valeta num dos lados. O líder pega Nohoune Lèye é o Director do Projecto Diobass,
era fazer o melhor uso possível dos então numa vasilha com água e derrama BP 10, Khombole, Region Thies, Senegal,
recursos da área e da capacidade dos a água na parte superior do campo. A África Ocidental. O seu trabalho foi abordado
agricultores locais. O conhecimento dos água desce pelo campo para dentro da também em outros documentos como o IIED
agricultores é valorizado. valeta. Os agricultores examinam a água Notes No. 45 – Setembro 1993.
na valeta para ver a quantidade de solo
O nome ‘Educação Diobass’ descreve que ela contém.
agora a nossa abordagem de treinamento
em todas as áreas rurais. Precisamos de Compreensão
entender os fatos antes de propormos Acreditamos que seja qual for o assunto
soluções. Um provérbio local – ‘aprender que esteja a ser discutido, deve sê-lo à
a conhecer o vento antes de lutar contra vista de todos. Por isso mudamo-nos de
ele’ – traduz a nossa primeira prioridade.
Os participantes são solicitados a fazerem
uma análise das suas comunidades e O instrutor Nohoune Lèye mostra a maquete
áreas. terminada feita por um grupo de mulheres.
Muitas mulheres reúnem-se para trocar
Aprendendo com informações e idéias sobre os problemas comuns
maquetes que experimentam – árvores desaparecendo, falta
Usamos técnicas de treinamento que de madeira, conseguir lenha para cozinhar
reúnem grupos com experiências, demora cada vez mais tempo mas a necessidade
capacidades e classes sociais diferentes. de cozinhar continua. O grupo chegou à
conclusão de que elas poderiam economizar
Os alunos são incentivados a fazerem
madeira usando um forno chamado ‘banak suif’.

PASSO A PASSO NO.22 11


RECURSOS
Training the Link Person Os manuais foram desenvolvidos e Livestock for a Small Earth
por Ian Wallace testados durante uma série de encontros. por Jerry Aaker
A parte 1 contém capítulos sobre
Publicado pela RURCON participação, seleção de comunidades, Publicado pela Heifer Project International
Este manual é o resultado de um avaliação participatória e planejamento. Este livro aborda a função dos animais em
encontro sobre trabalho cristão de A parte 2 contém informações sobre desenvolvimento sustentável. Ele se
extensão. O manual fornece uma treinamento, administração e concentra em agricultores de pequena
explicação clara sobre o tópico e contém organização dentro da comunidade, escala, dando bastante atenção para os
capítulos sobre o significado do trabalho acompanhamento e avaliação. Há várias benefícios que os animais trazem a uma
de extensão, o trabalho do promotor de ilustrações, estudos de caso e perguntas fazenda pequena. O livro aborda o trabalho
extensão, métodos de extensão, úteis para discussão de assuntos. Estes do Projeto Heifer fornecendo assistência
treinamento de habilidades, manuais são práticos e seriam úteis para para incentivar desenvolvimento –
gerenciamento de treinamento e qualquer pessoa envolvida em um geralmente como animais fêmeas jovens –
demonstrações, conscientização de trabalho semelhante. incluindo uma variedade de estudos de
influencias sociais e avaliação. Uma Os dois manuais podem ser adquiridos caso. Informações práticas sobre como
sessão grande de anexos mostra detalhes apenas em espanhol da: registrar dados, nutrição e treinamento
de uma variedade de lições e estão também incluídas.
demonstrações. As páginas 2 e 3 desta CONSEDE
Apdo 1478 O livro custa $10 pela:
edição são baseadas em partes deste
manual. Tegucigalpa Heifer Project International
Honduras 1015 S Louisiana Street
O manual custa £5.50, incluindo a América Central. Little Rock
postagem portes (£4.50 no Reino Unido)
AR 72202
e pode ser adquirido da: Candles of Hope USA.
RURCON The AIDS Programme of the Thai Red
4 Churchfield Cross Society
Wincanton por Werasit Sittitrai e Glen Williams
Somerset Este é o No.9 da série Strategies for Hope
BA9 9AJ sobre manejo e prevenção da
Reino Unido. AIDS/SIDA. Este é o primeiro número
da série que descreve o trabalho na área
de AIDS/SIDA na Ásia. O folheto
descreve como a Cruz Vermelha Basic Concepts in International
Rural Extension Bulletin No. 6 tailandesa ajuda pessoas com a infecção Health
pelo HIV a lidar com sua saúde e Publicado pela CUCHID
Depto AERDD da Universidade de Reading problemas sociais. Inclui dez estudos de ISBN 0-9698445-0-6
Este boletim aborda o tema do caso de pessoas infectadas pelo HIV e dá
treinamento participatório e tem vários detalhes dos esforços do governo Este é um conjunto de volumes dando
artigos interessantes sobre abordagens tailandês para responder positivamente à detalhes muito amplos sobre como
de treinamento usadas em projetos pandemia da AIDS/SIDA. A Sociedade planejar e organizar um encontro de dez
diferentes ao redor do mundo. Os Cruz Vermelha Tailandesa trouxe dias integrando saúde e desenvolvimento.
leitores interessados devem escrever esperança a muitos milhares de pessoas Cada sessão tem materiais de leitura de
para: com HIV e AIDS/SIDA. Eles também apoio fornecidos de uma variedade de
traduziram esta esperança em ações fontes. A informação sobre como liderar
AERDD – Reading University práticas. cada sessão é prática e detalhada. Com
3 Earley Gate mais de 200 páginas cheias de informações
Whiteknights Road O folheto custa £2, incluindo postagem e ilustrações, este livro seria muito útil
Reading portes e embalagem. Cópias gratuitas para qualquer pessoa liderando
RG6 2AL estão disponíveis aos leitores da Ásia treinamento a nível nacional. Apesar de ser
Reino Unido. pela: dirigido a profissionais de saúde, muitos
Thai Red Cross Society materiais podem ser facilmente adaptados
Participación Comunal para el 1871 Rama IV Rd para outros assuntos.
Desarrollo Integral Bangkok 10330 O livro custa $25, incluindo postagem
Un manual para facilitadores Tailândia. porte e embalagem. Faça seu pedido para:
Publicado pela CONSEDE CUCHID
Este é um manual de duas partes para 170 Laurier Avenue West
facilitadores de participação comunitária Suite 902
em desenvolvimento. É baseado no Ottawa
princípio cristão de desenvolvimento Canada
integral – o desenvolvimento deve K1P 5V5.
incluir corpo, mente e espírito.

12 PASSO A PASSO NO.22


TREINAMENTO

Etapas em
• Eu poderia deixar os meus filhos com o
vizinho e assim poderia ir para a clínica.
• Meus avós e meus pais sempre plantaram
milho desta maneira.

Desenvolvimento • As árvores que plantamos cresceram tão


bem que temos o suficiente para as nossas
necessidades e para vender a madeira.
Escreva estes e outros comentários de que
se lembrar num pedaço de papel. Leia
O ANIMADOR precisa de alguns exemplos e juntos decidam em que
etapa cada comentário se encaixaria
compreender como as pessoas melhor. Divida os comentários restantes
na comunidade encaram os entre os participantes e deixe-os tentar
seus problemas. Aqui está um encaixá-los na etapa apropriada. (Veja o
quadro abaixo.)
exercício muito simples que
ajuda os participantes a Leiam juntos as declarações quando todas
elas tiverem sido encaixadas para verificar
compreenderem que todos nós se alguma está fora do lugar. (Ás vezes
vemos e interpretamos as coisas pode ser difícil decidir exactamente a que
de maneira diferente. etapa pertencem – não leve muito tempo
decidindo entre etapas próximas).
Peça para quatro voluntários se sentarem
em volta de uma mesa e coloque sobre Durante a discussão pergunte:
esta uma folha grande com o número 3. • Que declarações demonstram que as
Com o grupo, pense em declarações
Pergunte aos voluntários o que eles pessoas não estão com vontade de fazer
imaginativas que reflictam
podem ver. Cada pessoa verá algo nada?
correctamente os comentários que as
diferente – um verá o número 3, outro a
pessoas fizerem em sua comunidade. • Que declarações demonstram que as
letra M, outro a letra W e o último a letra
Aqui estão algumas para começar: pessoas estão prontas e com vontade de
E. Pode-se ter uma discussão útil,
usando-se estas perguntas: fazer algo?
• Temos que morrer um dia.
• Em que lado da escala se encontra a
• O que está acontecendo? • Eu gostaria de levar as crianças até a
maioria dos comentários? Por quê?
clínica mas é muito longe.
• Por que é que cada pessoa vê algo • De que modo a compreensão das
diferente? • Eu sei que o gado precisa de mais
atitudes das pessoas ajudará a planejar
forragem mas não tenho mais terras.
• Como é que uma pessoa adquire um um treinamento apropriado?
certo ponto de vista? • O feijão é muito caro para ser comprado
no mercado.
Você consegue pensar em exemplos na
vida real onde as pessoas olham para a • Eu bebi desta água e meu pai fez o mesmo
antes de mim e vivemos longas vidas. A Escala de Acção
mesma situação de maneiras diferentes?
• É muito trabalho para uma pequena Etapa 1 Não há nenhum problema.
Mudanças de atitudes melhoria. Etapa 2 Há um problema mas não é
De que modo as nossas atitudes diante • Se todos todos nós apanhássemos pedras, da minha responsabilidade.
de problemas afectam o que fazemos? levaria apenas dois dias para conseguir- Etapa 3 Há um problema mas tenho
Eis aqui um exercício que ajuda mos tudo o que precisamos. dúvidas – sobre mim
os participantes a identificarem
mesmo, sobre outras
atitudes diferentes e a colocá-
pessoas, sobre mudanças…
las numa escala que vai de
‘nenhuma acção’ a ‘acção’ Etapa 4 Há um problema mas tenho
(veja o quadro). medo do risco.
Etapa 5 Quero encontrar soluções
possíveis para o problema.
Etapa 6 Eu acredito que podemos
fazer algo.
Etapa 7 Podemos fazê-lo e
superaremos qualquer
problema que surgir.
Etapa 8 Fomos bem sucedidos e
Adaptado do agora queremos
The Facilitators Resource Manual compartilhar e ensinar os
Part II – Skills for the Trainer – pela resultados a outros.
CBHCA de Uganda, PO Box 325, Entebbe, Uganda.

PASSO A PASSO NO.22 13


SAUDE

Um projeto rural
cuidados de saúde curativa nestes
resultados. Se você estiver cuidando de
uma mulher grávida – que problemas ela
pode ter? Ela pode perder sangue e por

de saúde amplo
isto serviços de transfusão são necessários.
Pode precisar de uma cesariana e assim se
necessita de uma sala de operações
simples e de alguém para aplicar a
anestesia. Se apenas uma mulher entre as
muitas sendo cuidadas pela equipe de
Quando os Drs Rajanikant e Mabelle Arole se formaram em medicina, ambos
saúde primária precisar de uma cesariana,
se preocuparam com o atendimento médico da população rural da Índia. Foram mas não houver possibilidade de
por isso trabalhar em um hospital na zona rural. Após cinco anos eles perceberam encaminhá-la a outro local, todo o
que apesar de todo o seu trabalho árduo cuidando dos pacientes do hospital, a programa de medicina pré-natal sofre.
saúde geral da comunidade ao redor não melhorou. Eles compreenderam então a Os cuidados de saúde primários serão
necessidade de serem treinados em saúde pública e retornaram para a bem sucedidos se você tiver um serviço
universidade para complementar seus estudos. adequado de cuidados secundários. O
número de pacientes realmente
Em 1970 eles começaram a trabalhar na comunidade de Jamkhed, no Estado de encaminhados será pequeno mas as suas
Maharastra, Índia. Jamkhed foi oficialmente classificada como ‘retrógrada’. necessidades precisam ser atendidas ou
Havia uma necessidade tremenda de atendimento médico. A economia é baseada todo o programa de saúde sofre.
na agricultura, com mulheres representando 70% da mão de obra. Cerca de 60%
Capacidades locais
da população é constituída por agricultores pobres e sem terra. O sistema de
No princípio dependíamos de enfermeiras
castas é muito forte na área e cerca de 20% da população são de ‘intocáveis’. Os para estabelecerem contato entre os
médicos continuam a sua própria história… habitantes das povoações e os serviços do
projeto rural de saúde e para ajudar com
mudanças sociais. Mas logo nos
ANTES DE COMEÇAR qualquer trabalho Avaliando a situação desapontamos. As enfermeiras não
médico, levamos 6–8 meses nos reunindo estavam contentes por viverem sozinhas
Fizemos pesquisas antes de começar
com as pessoas e fazendo contatos. Para se em povoações remotas e assim existia uma
serviços médicos. Descobrimos má
assegurar uma participação comunitária barreira entre elas e os habitantes por
nutrição entre crianças com menos de 5
genuína, tempo suficiente deve ser gasto causa da sua educação.
anos e mulheres grávidas e a necessidade
com a comunidade pois assim as pessoas
de planejamento familiar. Descobrimos A primeira mudança importante em nosso
são informadas e ficam esclarecidas sobre
certas doenças crônicas – tuberculose, pensamento aconteceu quando os
o que é necessário para melhorar a sua
lepra e cegueira, por exemplo. Estes eram habitantes das povoações sugeriram que
saúde.
portanto os problemas. Baseamos nossos treinássemos mulheres para serem
Quando você passa um tempo com as promotoras de saúde. Naquela época
pessoas, você percebe que eles estão muito acreditávamos que somente médicos
mais preocupados com comida e água do deveriam estar tratando de doenças. No
que com a saúde. Em vez de começar a entanto, quando os habitantes das aldeias
montar serviços médicos, primeiro começaram a confiar em suas capacidades,
ajudamos a melhorar o nível de eles perguntaram se podíamos ensiná-los
agricultura e do fornecimento de água às e se tornaram muito experientes. A seguir
pessoas. As pessoas querem garantir sua os ensinamos sobre planejamento familiar
subsistência. A participação da e eles ficaram bem experientes nisto
comunidade só pode ser garantida quando também. Foi aí então que toda a nossa
as pessoas estão organizadas em volta de idéia começou a mudar a respeito da
algo que é vital para elas. Nós não capacidade dos moradores analfabetos das
podíamos ter organizado as pessoas com povoações. Mudamos nossa abordagem e
base na saúde. Nós não podíamos ter começamos a treinar mulheres das aldeias
pedido às pessoas para virem, dizendo como promotoras de saúde.
‘Vamos bater um papo sobre como limpar
seus dentes.’ Mas se você disser, ‘Veja, Mudanças sociais
mais de um terço de seus filhos são
O resultado tem sido um catalisador para
malnutridos. Deixe-nos ensiná-los como
Foto: Mike Webb, Tear Fund

mudanças sociais. A princípio, questões


melhorar o nível de sua agricultura’, elas
sociais como o status da mulher e o
vão querer vir.
sistema de castas eram novas para nós.
Nós deliberadamente escolhemos
A verdadeira causa das doenças é a trabalhar com os necessitados, os de castas
pobreza e a falta de recursos para baixas e com mulheres. Nos certificamos,
garantir um sustento. por exemplo, de que o programa
‘Alimento por Trabalho’ fosse organizado
Em Jamkhed, mulheres das aldeias locais foram
pelas pessoas necessitadas. Durante
treinadas como promotoras de saúde.

14 PASSO A PASSO NO.22


SAUDE
séculos, os ‘intocáveis’ nunca tiveram a
oportunidade de participarem na tomada
de decisões. Agora eles podem estar no
comando de programas com cerca de
2.000 pessoas. Eles nunca tiveram antes
tanto poder de decisão! A elite local não
ficou muito contente. A única razão por
termos sobrevivido foi porque éramos
treinados como médicos e a elite sabia que
eles perderiam bons médicos!

Foto: Mike Webb, Tear Fund


Saúde e o sistema de
castas
Posicionar poços para fornecimento de
água potável era outra situação
interessante. Onde se deve posicionar o
poço artesiano? As castas mais altas
queriam os poços em sua área mas aí Os valores de Jamkhed são… Certificados são fornecidos após a
então as castas mais baixas estariam conclusão do curso completo.
impossibilitadas de ir buscar a água. Amor – O amor é fundamental e é o amor
que nos faz servir. Serviço é uma grande A proporção de tempo gasto estudando
Pedimos então ao geologista que fosse ao
força social para mudar comunidades. saúde e desenvolvimento é dividido
redor de toda a aldeia fazendo testes mas
uniformemente. O treinamento é
que sempre se certificasse de que o poço Humildade – Precisamos de humildade para participatório e centralizado no aluno. O
fosse finalmente perfurado na área dos aceitarmos e servirmos o desagradável, o trabalho em grupos é incentivado. Os
‘intocáveis’! Durante vários meses pobre e o deprivado. participantes são incentivados a aplicarem
construímos 140 poços. Foi só mais tarde
Esperança – na transformação de a teoria na prática em todos os momentos.
que a casta alta percebeu o que tinha
indivíduos e de comunidades, nos Visitas técnicas, contatos com promotores
acontecido. Nós agora percebemos que
incentiva a perseverar em trabalhar com de saúde, estudos de caso, encenações e
mudanças sociais desempenham um
pessoas difíceis em situações difíceis. tempo para reflexão são todos
papel importante na mudança do estado
importantes.
de saúde das pessoas. Fé – em Deus nos ajuda a compartilhar a
bondade de Deus para com todos os seus O curso está dividido em cinco
A princípio, problemas de castas não
filhos. módulos…
permitiram a participação em treinamento
na área de saúde. As mulheres da casta Todo o conceito de cuidados médicos Saúde e Desenvolvimento Comunitário
alta recusavam-se a se sentar com as comunitários não se trata de doar ‘coisas’
mulheres da casta baixa. Fizemos então Desenvolvimento de Habilidades – incluindo
mas sim de mudar atitudes. O desenvolvi- aconselhamento, comunicação, liderança,
com que elas cozinhassem juntas. Elas mento da pessoa deve vir antes – saúde e
também passaram a dormir no chão sobre coordenação de grupos e administração
agricultura vem depois. Outras do tempo
um tapete grande, cobertas com um único organizações que tentam imitar o
cobertor. Nós perguntamos à elas ‘Nós treinamento de Jamkhed frequentemente Administração – organização, formação de
não temos todos o mesmo tipo de falham pois estas organizações em si grupos, supevisão e avaliação
sangue?’ ‘Nós não temos todos o mesmo próprias não possuem a correta atitude
coração?’ As mudanças vieram aos Sistemas de Informação – incluindo coleta e
para com os pobres.
poucos. análise de dados
Detalhes dos cursos de Finanças e Orçamentos – levantamento de
Centro de treinamento de fundos e preparação de propostas de
treinamento
Jamkhed Os cursos em Jamkhed são feitos em três
projetos.
A princípio fornecemos treinamento partes… O nosso objetivo é o de produzir líderes
informal. Com o passar do tempo, fomos que possibilitarão as comunidades a
solicitados a fazer mais treinamento para • treinamento inicial de três meses
cuidarem de sua saúde por si próprios. E
outras organizações de saúde e para o • trabalho prático supervisionado de seis dado ênfase em habilitar pessoas a serem
governo. No ano passado montamos um meses bons líderes e no desenvolvimento de
centro internacional de treinamento em • avaliação final de uma semana. atitudes corretas entre os alunos para
Cuidados Primários de Saúde. A maioria possibilitar-lhes a ajudar as comunidades
dos cursos de treinamento é teórica mas Durante os três primeiros meses, os alunos
a efetuarem mudanças.
aqui damos treinamento prático desenvolvem um Plano de Ação realista
envolvendo a comunidade. A metade de para ser realizado em sua própria área. Os
nosso tempo é gasto ensinando coisas professores dos cursos visitam todos os
alunos pelo menos uma vez durante os Com agradecimentos à Contact, publicada pela
técnicas mas a outra metade é gasta no CMC – Churches Action for Health, à WCC
desenvolvimento de valores. É aí que a seus seis meses de trabalho prático para
avaliar como o Plano de Ação deles está se pela permissão para incluir informações da sua
mensagem cristã entra. Desenvolvimento edição de Maio 1993. Os Drs R e M Arole
sem motivação e valores corretos não faz saindo. Durante a última semana, os
participantes fazem uma apresentação trabalham na CRHP, Jamkhed – 413201,
sentido. District Ahmednagar, Índia.
sobre o seu trabalho.

PASSO A PASSO NO.22 15


TREINAMENTO

Figuras para treinamento


por Veronika Scherbaum 1
CERTOS ASSUNTOS, como diarréia, AIDS e planejamento ■ Você já viu uma
familiar, podem causar embaraço a instrutores e alunos. Os criança assim?
instrutores precisam desenvolver um bom espírito de grupo ■ Você conhece
alguns dos sintomas
pois assim estes assuntos podem ser discutidos abertamente e desta doença?
sem preconceitos. A participação da audiência é um alvo ■ O que acontecerá
principal. se os fluídos perdidos
não forem repostos?
O uso de figuras pode ser uma ajuda muito útil em treinamento (principalmente
quando estes assuntos embaraçosos são discutidos!) Ao trabalhar com o povo
Oromo, no oeste da Etiópia, desenvolvemos uma série de figuras para usar A desidratação
quando ensinamos sobre diarréia. Cada figura tem um título para ajudar o pode ser facilmente
instrutor. No entanto, as figuras geralmente não são explicadas. Ao contrário, prevenida oferecendo-
pede-se ao grupo para decifrar a ‘mensagem’ da figura por eles próprios. O se bebidas ou
alimentos logo que
instrutor deve dar ênfase aos pontos principais e resumir. Além disto, regiões e
os ataques de
culturas diferentes podem frisar suas próprias preocupações. Aqui estão apenas diarréia comecem.
algumas das figuras que desenvol-
vemos para ensinar sobre diarréia e
hidratação. Elas podem servir de idéias
para grupos que queiram desenvolver
seus próprios materiais de ensino em
2 ■ O que esta mulher está
cozinhando?
■ Que tipo de farinha você usa em
Veronika Scherbaum está agora
ensinando nutrição no German
Institute of Medical Mission. O seu
uma variedade de assuntos. mingau? endereço é: Dorfstrasse 36, 72074
Tübingen, Alemanha.
■ Você já usou farinha levedada
para preparar mingau?

3 ■ Você sabe a receita de


mingau que pode ser usada
para hidratação? Qualquer tipo de farinha
pode ser usada –
6
preferencialmente
farinha levedada.

3 xícaras de qualquer tipo de farinha deve ser


cozida com 10 xícaras de água limpa.

4
■ Com que frequência você dá este

5 mingau a uma criança com diarréia?

Após cada episódio de diarréia a criança


deve beber um copo deste mingau. Um
adulto deve beber dois copos após cada
episódio.

■ Quanto sal deve ser adicionado ao ■ Por que adicionar fruta fresca ao mingau é
mingau de hidratação? uma boa idéia?
Publicado pela

Uma colher de chá rasa ou 3 pitadas de A fruta fresca deve ser adicionada depois do
sal são necessárias. Prove o mingau – não mingau estar cozido. Amasse uma banana,
deve ser mais salgado do que lágrimas. mamão papaia ou manga ou adicione o suco
de uma laranja ou limão. A fruta fornece vita-
minas para ajudar a criança a se recuperar.
100 Church Rd, Teddington, TW11 8QE, Inglaterra
Editora: Isabel Carter, 83 Market Place, South Cave,
Brough, North Humberside, HU15 2AS, Inglaterra
16