PRINCÍPIOS DA TEORIA DA COMUNICAÇÃO O Processo de Comunicação é mais simples do que imaginamos.

O teórico Francis Vanoye define a comunicação como o processo pelo qual os seres humanos trocam informações entre si. Já nessa definição, encontramos os mais importantes elementos do ato de comunicar: o emissor, o receptor ("seres humanos") e a mensagem ("informações"). Outros três elementos constituem o ato de comunicação: o código, o canal e o contexto. Vamos estudar cada um desses elementos nesta nossa primeira aula. Também podemos afirmar que a Comunicação é um processo dinâmico baseado em um intercâmbio de informações entre sujeitos e/ou objetos. Envolve sistemas simbólicos (normas gramaticais, sintaxes) e culturais entre as partes, intermediados por algum tipo de suporte técnico ou ferramentas. A comunicação é ampla. A fala, a escrita, imagens, sons, gestos, até mesmo o silêncio transmite alguma carga informacional sobre idéias e emoções. Assim, a todo instante estamos participando de algum processo de comunicação. Mesmo dormindo, nos comunicamos com o nosso inconsciente através dos nossos sonhos. O processo de Comunicação é realizado através de trocas que implicam ações e transformações. Tais trocas classificam os tipos de comunicação como:

1 - Comunicação de massa, que são os veículos que vocês estão acostumados a usar para se informarem ou mesmo para se divertirem como o rádio, a TV, jornais, revistas e a Internet.

2 – Comunicação Intra e interpessoal (a pessoa consigo mesma e a pessoa comunicando com outra), não verbal (um simples pensamento); visual (quando vemos algo); audiovisual; segmentada (feita para públicos específicos).

O signo linguístico Para melhor compreender o processo comunicativo é necessário analisar a natureza do que, na comunicação, o emissor transmite ao receptor.

Para isso. Há ainda o ruído. Nesse processo de codificação da mensagem. O signo é formado pela relação entre significante (parte material/ som. Esquema de Comunicação de Jakobson Para Roman Jakobson (1896-1982). formada por um diretor. etc. geralmente. os destinatários são os alunos. pôr alguma coisa em comum. fazer com que aquilo que é meu passe a pertencer a outro. Podemos então dizer que o código é formado pelo conjunto de signos que constituem a mensagem. O receptor reconstrói a mensagem transmitida pelo emissor. uma pessoa ligada ao MEC. Código linguístico O código referido no esquema da comunicação é o conjunto desses signos. isto é. o remetente. letras) e significado (idéias. . a presença de seis elementos seriam fundamentais para a ocorrência de um ato de comunicação verbal: remetente. pais de alunos. Receptor ou destinatário Chamamos de receptor ou destinatário o indivíduo ou grupo de indivíduos que recebe e decodifica a mensagem. epistemologicamente. Emissor ou remetente Indivíduo ou grupo que produz e codifica a mensagem. linguista e um dos fundadores do Circulo Lingüístico da Escola de Praga.Comunicar é. que é formado por significantes (forma/estrutura) e por significados (idéias/imagens conceituais). um diretor acadêmico. Exemplo: no caso de uma aula. contexto. Para que haja comunicação é necessário que o emissor e o receptor conheçam o código utilizado. o emissor deve planejar a melhor forma de elaborar e enviar a mensagem. parte conceitual). decodificando as informações principais e desenvolvendo uma resposta positiva no ato de recepção da mensagem. é o professor. Iremos detalhar o conceito de código logo a seguir. canal e código. Segundo Francis Vanoye. o emissor tem uma idéia que deseja tornar comum ao receptor. tendo em vista o perfil do receptor. destinatário. Mas uma reunião da diretoria da Faculdade Maurício de Nassau com todos os professores pode ter mais de um emissor: a direção da faculdade. O signo designa a constituição linguística do significante e do significado. sem com isso deixar de ser meu. geralmente. funcionários. para haver comunicação é necessário recorrer a um signo. Exemplo: numa aula. mensagem. os signos e as respectivas regras de utilização.

Canal O canal é o suporte físico que leva a mensagem do emissor ao receptor. Canal também é a conexão psicológica entre emissor e receptor. Em outras palavras.Mensagem É o conjunto de enunciados. etc. Eles só conseguem se comunicar através do canal visual (Linguagem de Sinais ou gestos). o barulho ambiental. culturais. Código O código está associado aos elementos que constituem a mensagem. telefone. computador.. visando à decodificação do receptor. Contexto (ou referente) O contexto diz respeito à situação comunicativa que envolve o ato de comunicação. Numa faculdade. no Brasil. O contexto. Ruído Chamamos de ruído qualquer interferência que resulte em distorção da mensagem. Exemplos: voz excessivamente baixa. Um estrangeiro para transmitir uma mensagem ao povo brasileiro precisaria de um intérprete para que o código (a língua) seja entendido. quanto por parte do receptor. políticos. Nós. os dados situacionais que interferem na constituição da mensagem. usamos a Língua Portuguesa. mensagem é a coisa concreta que se passa para o receptor. ou seja. é o objeto da mensagem. enfim. podem existir alunos surdos. Para eles. O conhecimento do contexto. Compreende os elementos sociais. tanto por parte do emissor. que deve ser total ou parcialmente comum ao emissor e ao receptor.. sendo considerado algo ou alguém de que ou de quem se fala. como esta é formada. etc. por assim dizer. O contexto ainda corresponde à terceira pessoa do discurso. O ruído pode ter origem em qualquer dos elementos da comunicação: emissor. TV. é essencial para que a comunicação ocorra de modo eficaz. canal. Código é um conjunto de signos convencionais e sua sintaxe. também chamado de veículo de comunicação. Ex: Rádio. receptor. o canal auditivo não funciona. . má qualidade do sinal. A mensagem é construída por meio de signos verbais ou não verbais. Tudo aquilo que afeta a transmissão de informação.

com os interlocutores no mesmo espaço. O saber que temos sobre o mundo em que vivemos determina igualmente a comunicação. ou à distância. Dessa forma. por exemplo) só adquirem verdadeiramente sentido por referência a informações fornecidas anteriormente. que uma conexão física ou psicológica. que pode ser presencial. No nosso próximo encontro abordaremos as características e as diferenças dos textos conotativos e denotativos. isto é o(s) discurso(s) que a pouco e pouco se vai (vão) construindo num ato comunicativo. Espaço versus tempo As circunstâncias de espaço e tempo também impõem condições à comunicação.Vamos revisar? Dois amigos se falam por telefone: Flávio e João. isto porque numerosos elementos linguísticos (os pronomes. Conclusão Nesta aula abordamos vários conceitos e exemplos à respeito do processo de comunicação. outras pessoas menos informadas. entender a mensagem e organizamos a construção do texto. a comunicação pode ser direta. Esta ligação é sobre Maria. se a mensagem é imediatamente recebida pelo receptor. o que obriga à utilização de canais e "linguagens" diferenciados. o telefone. quando existe intervalo temporal. e que exista entre ambos um canal. ela é a referente. Uma conversa sobre um determinado assunto será necessariamente diferente se envolver apenas especialistas ou se nela participarem. nesse caso. para que o ato de comunicação se concretize tanto Flávio quanto João precisam falar uma mesma língua (código). ou indireta. os jovens e adultos não falam com uma criança do mesmo modo que falam entre si. no todo ou em parte. Relativamente ao tempo. Linguagem Outro elemento importante naquilo que designamos por "contexto comunicativo" é o próprio contexto verbal. Com o Esquema de Romam Jakobson diferenciamos os elementos fundamentais para ocorrer a comunicação verbal. . já podemos seguir com o módulo e continuar a discutir aspectos da Redação Empresarial. Por outro lado. Então o primeiro é o emissor ou remetente e o segundo o receptor ou destinatário. Mas para que essa mensagem seja recebida. ou seja. ou seja. Flávio é quem telefona (envia a mensagem) para João.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful