Você está na página 1de 130

1

POESIA A MINHA PAIXÃO!

ESCLARECIMENTO:

Sinto-me feliz em compor mais esta obra da minha verve poética. Procuro nos momentos mais difíceis e preocupantes do dia a dia, me concentrar aliviando as tensões, e num picar de olhos começo a meditar e inserir no papel aquilo que gosto de fazer, poesias. O que está aqui inserido nas entrelinhas vem do coração e do amor que tenho pela vida. Poesias com temas interessantes e diversificados, almejo com eles alcançar os meus objetivos, que é de agradar aos amantes dessa bela cultura. A primeira obra de nossa autoria foi: “Poemas e Poesias uma Leve Distonia”. Deixo aqui uma bela mensagem de otimismo para minha família e amigos que se estiveram comigo incentivando-me na arte da literatura. Escrevo crônicas, faço críticas, escrevo contos e de vez em quando solto meus dons poéticos. “Qualquer criatura afeita à dominação pode, no mundo, enriquecer-se de ouro, mas somente aqueles que se entregam a inspiração da bondade conseguem enriquecer o ouro terrestre de alegria e de luz”.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

2

Esse ouro brilhante, esse diamante de imensos quilates são traduzidos no dom dos grandes poetas e poetisas. Um dom divino dado pelo Pai Maior. Um jargão popular muito conhecido diz que o poeta não se inventa, pois o mesmo já nasce feito, mas o desabrochar pode acontecer na infância, na adolescência, ou na idade adulta. Para todos os amigos e parentes votos de feliz natal nessa bela poesia:

“Natal do Vencedor”:

O homem plantou ódio, tenda em tenda,

O ódio fez um conflito em graves crises,

Exterminando aldeias infelizes,

Sem

defenda.

ninguém

que

as

Chegam conquistadores

preserve

ou

Nova senda:

que

as

Ódio e Guerra por todos os Países

Vem a Morte e lhes quebra as diretrizes,

Pondo, um a um, sob as cinzas da lenda

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

3

Natal!

Promessa

e luz de longas eras!

É Jesus renovando as primaveras

Do amor puro, na Terra jamais visto

Há um só vencedor, ao nosso lado,

Tão vivo agora, como no passado,

O Alto herói, Nosso Senhor Jesus Cristo.

(Maria Dolores)

A nossa maior felicidade seria a exterminação da

miséria, da fome e do desemprego da face da terra, e que nossos governantes olhassem com mais carinho os menos aquinhoados, os estropiados. Não existisse mais corrupção,

lavagem de dinheiro e que as religiões

cumprissem seu papel espiritual e esquecessem

a ganância pelo vil metal. Irmão amando irmão, perdoar é um ato de amor, infelizmente esse amor está em falta em nossos corações, mas nem tudo está perdido enquanto existir fé no coração dos humanos. Fica o nosso agradecimento e que os governantes pensem mais na Trindade Social: Educação, saúde e

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

4

Segurança.

Felicidade

é

a

nossa

diretriz

principal.

O AUTOR

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

5

Antonio Paiva Rodrigues

POESIA

PAIXÃO:

A

MINHA

Fortaleza, 10 de dezembro de 2010.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

6

6 POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

7

SUMÁRIO:

10-Um Natal Diferente

12- Sombras da Saudade

15-Teu Sorriso

17-Nas Profundezas

20-Primavera Rutilante

22- Dilema

25- Futebol uma Paixão

28- A Loja do Poeta

30-Nossos Momentos

32-Beija-flor

34-Uma Dança Especial

36-Nosso Amor Uma Grande Viagem

38-Eu Juro

40-Assim era Minha Mãe

42-Pai Nosso

44-Poeta Maluco

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

8

46-Insegurança

47- A Fada e a Fera

49-Amor na Areia

51-Festa de Natal

54-Natureza

56-Uma Noite de Natal

58-Sofrimento Maior

60-A Rosa Encanto

62-saudades Inesquecíveis

65-Noite de Natal

68-Meninos de Rua

70-Onde Anda? Onde Estás?

74- Fazer o Bem

76-Mamãe em Nossos Corações

79-Inverno

82-Ressurreição

85-A Páscoa

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

9

88-Março

92-Início de Ano

94-Paixão

96-Um Ano de Felicidades

101-Um Ano Novo se Aproxima

104-Caminhos

108-Amor ao Som da Natureza

114-Deus é Tudo

116-Anseios de Amor

119-Amor e Carinho

123-Festa de Natal

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

10

UM NATAL DIFERENTE

10 UM NATAL DIFERENTE Um dia especial para os cristãos, data de festas, de amor e

Um dia especial para os cristãos, data de festas, de amor e celebração. Data imantadora onde o amor renasce, reluz e fala mais alto o coração, No almejar da paz, da felicidade, da fraternidade, prevaleça o perdão e o amor; Sem orgulho, presunção, inveja, materialidade onde esteja presente o louvor.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

11

Ative o seu ser, renove seu coração coloque em primazia, o seu potencial de energias. Num azimute belo, numa psicosfera de luz, num écran reluzente de brios e alegrias.

Que os trabalhadores da última hora, os homens de boa vontade sejam guias presentes, no ato de ajuda aos carentes tenham o prazer de servir, vencer sem orgulhos crescentes. Execute belas ações e observem o desenrolar da vida em favor dos carentes.

Avance num belo sentido, Deus realiza maravilhas, seja diamante, brilhe que nesta data especial de Natal, prevaleça o amor fraternal reluzindo em nossas mentes. Que a violência, a fome, a miséria, a exploração, esmaeçam e a felicidade se eternize.

Que o menino Jesus na manjedoura num refluxo de luz e energias benfazejas mostre o caminho. Da paz mundial, da paz social, onde os mais poderosos repartam o pão divino numa ação celestial, que os meninos de rua encontrem seus lares, que os corruptos retribuam o surrupiado, que o Natal seja o destino final do mal e o resplandecer do bem, seja uma onomatopeia de luz, que o novo ano seja mais humano e angelical.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

12

SOMBRAS DA SAUDADE

12 SOMBRAS DA SAUDADE A sua ausência transformou-se em sombras escuras e tenebrosas, o teu calor

A sua ausência transformou-se em sombras escuras e tenebrosas, o teu calor ausente me deixou pusilânime e com tremenda fraqueza. A linha do horizonte ficou escura sem nuvens brancas e gloriosas. Seriam sombras tenebrosas que me trouxeram saudades da sua beleza!

A noite fecha a cortina, os meus braços são dois rios de águas tenebrosas. Desejo de coração me eximir da saudade, almejo felicidade e sutileza. O lírio em sua pujança lança perfume no ar nesse clima vou te esperar. Sua pureza irradia alegria em potencial não me deseje mal quero te amar.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

13

Volte, pois não suporto a saudade inclemente, meu coração de saudade vai palpitar e estourar.

Quero aliviar minhas tensões com a mulher querida, sua ausência vai me desfalecer. As sombras da saudade, não são sombras, são queimadas de sonhos, de felicidade quero viver. Quero presenciar um lindo dia alvorecer com ele te abraçar, te apertar e sentir prazer.

Prazer que alivia o coração, as sombras da saudade entristecem o coração, não desejo que o amor seja apenas lembrança. Almejo ser feliz eternamente, sem sombras, sem sofrimentos, sem saudades quero o fluido do seu amor como bonança,

Não me faça de criança, sou adulto encorajado, mas as sombras da saudade me transformam num ser sem esperança. Vou rogar clamor ao astro rei para dizimar as sombras e que a claridade transforme a saudade em clarão constante.

Que meu amor esteja sempre por perto, mas nunca ausente, pois não quero sentir saudades, e sim amor ardente. Nunca vi tanto esplendor no amor de uma mulher, seu corpo puro de amor quer desfrutar vencer as sombras da saudade, e no brilho reluzente entregar-se de corpo e alma ao seu amor carente.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

14

Com as estrelas converso, com elas fiz amizade, com o sol fiz tratado para exaurir as sombras, que a saudade se transforme em felicidade de um amor belo e eterno, que sem sombras possamos amar de verdade e que sejam apenas fantasias vencidas pela alegria deixando que dois amores se entregassem aos prazeres de uma emanação profícua e êxtase profundo.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

15

TEU SORRISO

15 TEU SORRISO Esmerado sorriso que brilha, Qual lua em noite inarrável. No palco azul da

Esmerado sorriso que brilha, Qual lua em noite inarrável. No palco azul da vida fibrilha, No espelho do tempo notável.

Às vezes os dentes brilhantes, Mostram as suas belicosidades. O teu sorriso é um semblante, Largo e repleto de felicidades.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

16

Não existe sorriso mais adoçante.

O que se inseriu nos lábios seus,

Teu sorriso é vitamina fortificante. Que recupera os belos sonhos meus.

Teu sorriso reflete o meu semblante, Num écran de imagem refletida, Sorriso que emoldura a mulher amante, Iluminando a vida opaca e sofrida.

Foi no mar da solidão que me alegrei, Ao ver teu lindo sorriso se esbaldar. Detalhes da bela mulher que adorei. Na vasta e singela onomatopeia amar.

Foi andando pela movimentada rua, Que te conheci sorrindo ao lado do povo. Nesse instante meu pensamento insinua,

O amor insigne, ardente que por ti revolvo.

Não quero te perder, almejo sempre te amar.

O teu sorriso postar no emblema da paixão,

As gotas do meu sangue não param de pingar, Mas, estancam com seus beijos em profusão.·.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

17

NAS PROFUNDEZAS

17 NAS PROFUNDEZAS Nas profundezas do ser imanto amor querido, no âmago do coração sugo seu

Nas profundezas do ser imanto amor querido, no âmago do coração sugo seu sangue colorido. Nas profundezas da alma mora meu belo Espírito, nas profundezas do corpo eu encontro um raro rito. Desejo um algo mais de enorme profusão. Algo que arrefeça e acarinhe meu coração, pode ser amor, carinho o écran da emancipação.

Mas, por favor, não seja ingrata, não me deixes na mão. Almejo ser o sol que brilha em seu

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

18

corpo ardente, nas belas e majestosas imagens que vêm da mente de um pecador infame que se transforma em ser inocente, nas profundezas da terra vou fazer minha morada, assim, Deus traçou nosso destino, mas que camarada!

Não queria esse fim, mas não posso alterar a Lei, porém, no instinto de conservação sou rei. Rei sem coroa, sem donzela, mas pinto e bordo nas aquarelas. De que vale a vida sem o amor carnal, sem orgasmos em profusão! Seria um vale sem água, uma relva sem perfumes transformando a ilusão do sonho almejado dum homem que sofre diz um anjo sereno.

Que há anos passados colocou mel e veneno, mas ameno nos beijos do meu grande amor quando namorados eternos. Até parece capricho essa questão sempre aberta de profundezas lembrando rabicho que resulta em desengano de certa singeleza. Vamos rumos afora cada um seguindo o seu rumo. Qualquer que seja a escola é de quem namora e não precisa de conselheiros como num passeio calmo e lindo que acaba ao meio-dia e renasce às seis da noite.

Prefiro amores fecundo dispenso as agruras das eternas profundezas com certeza. Se sofreres qualquer paixão não deixai que a ilusão permeie e enodoei seu ardoroso coração, espera que arrefeça que se acalme a chama da paixão, não

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

19

ponha fumaça na cabeça, pois quem vive de provações e de lutas em derredor será melhor a derrota do que a vitória, visto que o positivo aniquila o negativo.

Que a brisa silenciosa saborosa e cativante esteja arfante na destreza, desejo de antemão, sentir no peito o amor profundo e fecundo. Digo não às asperezas que destroem as esperanças do ranço destruidor que caleja, dói, mas de coração forte enfrento as barricadas duras vencendo as fortalezas com suas armas vingativas do ciúme que geram na alma amargas profundezas.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

20

PRIMAVERA RUTILANTE

20 PRIMAVERA RUTILANTE As rosas se engalanam nos coretos dos amantes, Os colibris se irmanam no

As rosas se engalanam nos coretos dos amantes, Os colibris se irmanam no reluzir dos brilhantes, No cume das serranias, fauna e flora dizimadas, Com esperanças nasciam às primaveras rosadas.

Tenho rosas rutilantes no coração destemido. Na primavera semblantes de amor nunca esquecido Já não vivo na cidade suja e deselegante prefiro a tenacidade da primavera brilhante. Sinto perfumes de rosas na primavera de Jesus, flores lindas bem viçosas num belo corpo eu pus. Primavera de paixões de belos

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

21

jardins fagueiros, flores movem corações dos simples aos altaneiros.

Primaveras de setembro, jardins repletos de flores, De incertezas não lembro, mas de perfumes e amores, com flores sou andarilho no mundo das alegrias, as mãos belos estribilhos, declamo belas poesias.

Incontidas alegrias no compasso dos amores, No calor dos belos dias primavera de tom e cores. Não esqueço jamais o perfume das rosas, Nem o cheiro das flores, no entanto eu queria sentir, afago e carinho na imensidão dos meus amores.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

22

DILEMA

22 DILEMA O dilema me levava Ao caminho da paixão, No reflexo esperava, Amainar meu coração.

O dilema me levava

Ao caminho da paixão,

No reflexo esperava,

Amainar meu coração.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

23

Sofrido, mas calejado.

Almejando esperanças,

Com desejo ultrajado,

Ansiava por bonanças.

Reflexo na grande dor

Buscava superação,

Na escalada do amor,

Encontrava a solução.

No palpitar agressivo

Na reluz inspiração,

No desejo expressivo,

A luz da imensidão.

A esperança não morre

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

24

Na vontade me consolo,

A beleza não concorre,

Sem dilema eu controlo.

Nas madrugadas serenas

Num clima de esperanças, Ao som das belas galenas,

Revivo, grandes lembranças.

De encantos belicosos

De desejo multicor,

Sem dilemas dolorosos,

Cultivo, rosas de amor.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

25

FUTEBOL UMA PAIXÃO

25 FUTEBOL UMA PAIXÃO Entre crises, disputas violentas, lamentações e baixarias um belo esporte de campo

Entre crises, disputas violentas, lamentações e baixarias um belo esporte de campo chamado bretão nos apaixona, Por dias, meses e anos nos trazem contentamentos e alegrias, é o viés, o azimute que a paz duradoura nos proporciona.

Uma bola, o instrumento principal que procura as redes, através das refregas, do patriotismo, onde vinte e dois homens desdobram-se para vencer. São noventa minutos e acréscimos, onde brilham camisas de todas as cores, vermelhas, azuis e verdes. Cada uma representando uma pátria onde a harmonia e as disputas levam a

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

26

paz ao enternecer. Não há vencedores, nem vencidos, pois um elo de união tem como primordial missão aproximar as nações em disputa. De singeleza, de beleza, onde o esquema predomina de muitão, entre vitórias, empates, derrotas fica a lição de uma bendita luta.

Ao final somente uma nação ou equipe terá a primazia de ser a campeã, cujo prêmio será uma taça de ouro fenomenal. Vencedores são todos os participantes por executarem uma festa bela. Uma psicosfera de cores dará uma conotação de desfiles de equipes representando cada torrão natal. Bola vai, bola vem, bola sai, bola entra, mas o sentido principal e o gol, de bico, de cabeça ou trivela.

Ao fim de cada refrega, ganhadores e perdedores se abraçam numa harmonia

descomunal. É o mundo que durante trinta e poucos dias se unem em missão de amor e paz.

O símbolo dessa paz é pequenino como o globo

terrestre perdido no espaço sideral.

É uma bola de futebol, esporte das multidões,

das paixões, das cores, dos desfiles de craques, numa disputa tenaz. O futebol querido com sua bola brilhante traga sempre alegria à gente sofrida desse país. Não será glória, nem orgulho, mas uma alegria que fortalecerá nossos

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

27

corações. De mil noventa e trinta para cá a Copa do Mundo vem renovando alegrias de pobres, de ricos, e de um povo alegre ou infeliz. Não queremos desgraças, nem desilusões, estamos unidos numa energia forte de cujo mote ‘seremos novamente campeões’.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

28

A LOJA DO POETA

28 A LOJA DO POETA A mais bela loja, a mais dinâmica. A mais cativante repleta

A mais bela loja, a mais dinâmica. A mais

cativante repleta de rimas, de versos, textos e contextos. Amor, carinho, ilusão e destinação. Fulgor, ardor, vibração e desejo, sejam angelicais, carnais ou fraternais, emoldurados nas carícias frenéticas. De amores em profusão. De amor acumpliciado, desnorteado ou viril a loja do poeta está repleta.

É um palácio e não uma falácia, belo e

emoldurado esculpido e encarnado no ouro celeste e divino, é o meu destino. Os diamantes de infinitos quilates libertam a minha pobreza

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

29

perniciosa e dolorosa, redimindo o meu pungente, silente e viçoso coração. Na loja do poeta tem de tudo: da alegria a tristeza, da incerteza a certeza, do desamor ao amor, da honestidade a traição, mas o profeta das letras insere o buril da imaginação e com adorno celeste leva tudo de roldão.

Jamais esquece que sem o amor correspondido não existiria o coração. Almejo estar sempre presente nessa insinuosa loja que ao sabor das essências e perfumes esqueço os queixumes, mas o desejo de um amor forte me leva ao êxtase quando me vem à mente o amor bem compartilhado e no desejo dosado, sentido, angariado, conducente que nos leva ao gozo descomunal de quem ama a gente.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

30

NOSSOS MOMENTOS

30 NOSSOS MOMENTOS SÃO DÓCEIS OS NOSSOS MOMENTOS. REPLETOS DE AMOR E GRACIOSIDADES, DE QUEM AMA

SÃO DÓCEIS OS NOSSOS MOMENTOS. REPLETOS DE AMOR E GRACIOSIDADES, DE QUEM AMA SEM RESSENTIMENTOS. DIVIDINDO O AMOR COM SUTIL AFINIDADE.

PROCURO SENTIR O CALOR DE ALMA VIBRANTE. ASSOCIANDO AO AMOR O AFETO, E A AFEIÇÃO, NO DIA A DIA PROCURO SER GENTIL E BRILHANTE, ESQUECENDO MÁGOAS DE UM SOFRIDO CORAÇÃO.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

31

DO MEU AMOR QUERO SENTIR VIBRAÇÃO, COM ENERGIA VIBRANTE E CALOROSA, FRUTO DE UMA NOITE DE INTEGRAÇÃO, DE CORPOS QUE SE UNEM EM SENSAÇÕES GOSTOSAS.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

32

BEIJA-FLOR

32 BEIJA-FLOR Vem, vem beija-flor beijar o meu amor, Deixar nos seus deliciosos lábios o seu

Vem, vem beija-flor beijar o meu amor, Deixar nos seus deliciosos lábios o seu néctar. O doce mais puro que nos levará ao fervor, Da laboriosa fragrância perfumada a irradiar

Desejo sempre te amar de coração aberto e feliz. Jamais almejaria a infelicidade e nem claudicar. A nossa união é um elo forte, viril e não desdiz. O forte mel faz renascer os verbos amar e néctar.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

33

Ao te acariciar, beijar-te na boca a doçura vem inebriar, tonto com seu encanto o arrepiar leva- me ao tremor. Elevo-me ao céu dos amores prazerosos sem titubear. É a ressurreição do amor em ritmo de prazer é torpor.

O! Beija-flor bendito seja meu amigo dileto e fiel. Não permita que meu amor se metamorfoseie em escarcéu. Que nossas relações sejam benfeitoras fortalecidas por um anel. Brilhante reluzente que não se desfaça mesmo que estejamos no céu.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

34

UMA DANÇA ESPECIAL

34 UMA DANÇA ESPECIAL Na cultura social e popular a dança tem sua valia. Na destreza

Na cultura social e popular a dança tem sua valia. Na destreza e alegria dos humanos não insanos, nos artistas que cultuam a beleza que se irradia, no instinto animal e na beleza cultural dos Hermanos.

Com a alegria e o amor sensível nos deliciamos. Como as abelhas num enxame fabricam o mel. Nas doçuras espelhadas na face de um vegetariano, inspirados na figura indelével de um Carlos Gardel. O tango nos fascina desde os idos do século dezenove, pela melodia da flauta, do violino e do eclético violão.

Do nostálgico, melancólico e histórico nada se remove.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

35

Apenas a tristeza aliada à saudade que debilita o coração. Um “bandoneón” no vai e vem nas mãos de um artista. Na altivez e destreza de uma sanfona em tango-canção. Nos altivos e belos lugares inspira, alvitra, e não desdita, Nas canções que levam os aficionados ao ápice da emoção.

O tango alegre encanta e leva os dançarinos aos ares, é dança do desejo, do carne dos corpos entrelaçados. Surgiu num país irmão, na bela capital Buenos Aires. Foi ignorado na Argentina de Gardel pelos idolatrados.

Mas, a cultura e o sucesso jamais serão esquecidos. Apenas um lapso no tempo depois renasce como uma saborosa graviola. Enaltecendo e encanto esquecido e alegre dos destemidos. Nas mãos de um grande mestre da música Astor Piazzolla.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

36

NOSSO AMOR UMA GRANDE VIAGEM

36 NOSSO AMOR UMA GRANDE VIAGEM Não sei onde pude encontrar um grande amor, pois nos

Não sei onde pude encontrar um grande amor, pois nos caminhos onde andava se sobressaia a solidão e a saudade. Minha fé, meu coração reluzia e não via destemor na pulsação solene da válvula propulsora da interrogação.

Dos sofrimentos do mundo não sei os nomes, talvez solidão, saudade, fome ou piedade. Encanto e beleza eram destrezas do amor que alcei numa grande viagem cheia de emoção.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

37

Nas paragens nenhum descanso, só pensamentos a iluminar um lugar sem nome e hostilidade. Desejos, abraços nos alimentavam, e nos deliciavam, sem esquecer que o destino do nosso amor era uma grande viagem.

Felicidade e encanto não tinham quebranto nem sacanagem, o nosso amor era forte, revolto, belo e sem malandragem, a nossa missão precípua era levar ao ápice da glória o nosso amor que se transformou numa grande viagem.

Viagem descomunal de gozo total, de homéricas paisagens, onde os pássaros faziam a festa sem roupagem, ninguém conseguia nos iludir, pois nosso amor era quase selvagem, mas em nossa mente ele tlintava como uma grande viagem.

Viagem com destino certo com azimute verdadeiro não tinha bússola quebrada, mas caminho altaneiro. A felicidade brilhava em nossos olhos e as carícias aumentavam sem pausa, era amor e paixão sem roupagem. Dois seres unidos a um só ideal que iria transformar aquela paixão em amor carnal germinando sementes de um amor verdadeiro.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

38

EU JURO

38 EU JURO NESTE MUNDO CRUEL DE HOMENS SEM CORAÇÃO EU JURO PERDOAR MEUS INIMIGOS COM

NESTE MUNDO CRUEL DE HOMENS SEM CORAÇÃO EU JURO PERDOAR MEUS INIMIGOS COM TODO AMOR E EMOÇÃO

MEUS AMIGOS SÃO SINCEROS NÃO EXISTEM DESLIZES E ERROS SÃO GRUPOS ELITIZADOS DE SINCERIDADES E ESMEROS.

NA PSICOSFERA DO CARINHO EU JURO ME INSERIR NO BEM SOU HUMANO E DESTEMIDO JAMAIS ODIAREI ALGUÉM

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

39

O AMIGO É IRMÃO SINCERO QUE DEVEMOS CONSERVAR EU JURO RESPEITAR A TODOS COMO JESUS VEIO NOS ENSINAR.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

40

ASSIM ERA MINHA MÃE!

40 ASSIM ERA MINHA MÃE! Minha querida mãe era uma linda mulher, De face, de coração,

Minha querida mãe era uma linda mulher, De face, de coração, de atitudes, atos e emoções. Construir um lar benevolente era seu mister. Viveu num clima de pureza, mas de puras sensações.

Plantou sementes, botões, colheu lírios e rosas. Multicores, brilhantes, belas, brilhantes e perfumadas, a colheita foi à esperada, as safras esplendorosas. Rainha do lar, trabalhadora com raízes emolduradas.

De Deus o Pai Maior veio alegria, a primazia e a destinação, na vida cansativa não lastimava, lutava como uma guerreira. Doava-se ao companheiro, aos filhos ao lar com amor no coração,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

41

Na etapa evolutiva de lutas e tarefas brilhou a vida inteira. Colheu muitos frutos, amou como devia como uma brava senhora, com o corpo cansado, os cabelos brancos realçavam a bravura e a ternura expandia.

Sempre com o sorriso estampado levava a vida de colher, com esmero sem penhora. Lutou o quanto pode, mas com a sua destinação já traçada se entregou ao Senhor sem rebeldia.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

42

PAI NOSSO

42 PAI NOSSO PAI NOSSO QUE ESTÁS AQUI. ABRANDA MEU CORAÇÃO. PARA QUE EU POSSA AJUDAR

PAI NOSSO QUE ESTÁS AQUI. ABRANDA MEU CORAÇÃO. PARA QUE EU POSSA AJUDAR MEU IRMÃO COM ESPERANÇA E AMOR NO CORAÇÃO. DAI-NOS A FORÇA DIVINA NECESSÁRIA PARA ULTRAPASSAR AS PEDRAS DE TROPEÇOS DA VIDA. QUE A CARIDADE E A FRATERNIDADE SEJAM BENDITAS PARA MIM. QUE EU SEMPRE MANTENHA O BEM NO MEU ESPÍRITO. QUE O MAL NÃO FAÇA PARTE DA MINHA VIDA. QUE O ÓDIO, O ORGULHO, O EGOÍSMO NÃO PENETREM NO MEU CORAÇÃO.

QUE MINHAS PROVAS E EXPIAÇÕES SEJAM LEVES. OH! PAI ESCUTA AS NOSSAS PALAVRAS PERPÉTUAS AMAINA NOSSOS SOFRIMENTOS DIÁRIOS QUANDO POR DESCUIDO ME AFASTO

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

43

DE TI. OH! PAI QUERIDO QUE AS TREVAS SEJAM ILUMINADAS. QUE A NATUREZA NÃO SE VOLTE PARA O HOMEM COM TANTA DUREZA.

QUE O HOMEM SEJA A FORTALEZA PARA PURIFICAR O AR QUE RESPIRAMOS. QUE O ORBE EM QUE VIVEMOS SEJA ISENTOS DA MALDADE HUMANA. QUE NOS MOMENTOS DE INDECISÕES E PERVAGAÇÕES, EU SEJA ORIENTADO PELA SUA LUZ DIVINA.

E QUE EU POSSA RECEBER O TEU PERDÃO, O SEU AMOR, A SUA GRATIDÃO DE UM FILHO AMADO. QUE MINHA MISSÃO TERRENA SEJA CHEIA DE PLENITUDE ATÉ OS ÚLTIMOS DIAS DE MINHA VIDA. AMÉM!

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

44

POETA MALUCO

44 POETA MALUCO POETA MALUCO EU QUERIA SER. E DO PURO VINHO QUERO PROVAR, PARA MINHA

POETA MALUCO EU QUERIA SER. E DO PURO VINHO QUERO PROVAR, PARA MINHA MENTE ESCLARECER. ESSA BEBIDA DOCE VOU TOMAR.

SEM REGRAS MEDIDAS E PROPORÇÕES, APENAS PARA IMANTAR OS VERSOS. DE ALEGRIAS, TRISTEZAS E ILUSÕES. APONDO LADO A LADO VERSOS E REVERSOS.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

45

DE IDEIAS DESCONEXAS VIVEM OS POETAS PENSANDO FORMAR GRANDES ESCANINHOS

A MENTE NÃO AJUDA OS PATETAS. NA DILETA ARTE E RIMA DOS ESPERTINHOS.

DE MÉDICO E MALUCO TEMOS UM POUCO. MAS DE POESIA É PRECISO MUITO DOM, POR ISSO DE MALUCO PASSEI A LOUCO, NÃO CONSEGUI RIMA E NEM UM BELO TOM.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

46

INSEGURANÇA

46 INSEGURANÇA A insegurança maltrata e me faz infeliz, As esperanças se esvaem sem proporções. Meu

A insegurança maltrata e me faz infeliz, As esperanças se esvaem sem proporções. Meu coração se recata em minhas ilusões, Sorrisos me felicitam e no meu perfil reluz, Robustecido de esperanças alvissareiras. Meu sangue brota na face inteira. A insegurança morre e a felicidade brilha tornando a minha vida um mar sem escotilhas.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

47

A FADA E A FERA

47 A FADA E A FERA Diante de um céu estrelado meu coração forte arrefeceu, na

Diante de um céu estrelado meu coração forte arrefeceu, na visão de um grande leopardo, meu corpo sarado e viril esmoreceu. Na minha ânsia de mostrar valentia. Tentei esboçar uma grande reação, meu corpo quente esfriou eu sentia que a fera tinha uma bela intenção. Devorar-me com sues dentes afiados.

Sem saber o que fazer fiquei super extasiado. Com cuidado de defesa, mas espantado. De repente surge uma luz encantadora, de brilho esplendoroso, pungente e salutar. A fada da selva com sua varinha mágica fez desaparecer a fera devoradora.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

48

Por um momento pensei na minha aflição, deslumbrei. Com a beleza daquela rainha. Sem pestanejar disse queres ser minha.

Por isso estou aqui presente com a varinha de condão. Queres que elimine minha tristeza e dê- me seu coração. Estou apaixonada por isso aqui reluzi de repente para espantar a fera e sentir teus beijos ardentes de muitão.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

49

AMOR NA AREIA

49 AMOR NA AREIA As aureolas brilhantes e fascinantes nos cercam Ao som, ao alarido de

As aureolas brilhantes e fascinantes nos cercam Ao som, ao alarido de ventos fortes e destemidos. De um céu azul anil e celeste, tênue que refrescam. Os nossos corpos unidos freneticamente aos gemidos. As ondas se agigantam, ouvindo os ofegantes sussurros, Como se quisessem participar do nosso amor, inebriante; A areia bate forte em nossos corpos ungidos sem casmurros.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

50

Nossos corpos numa suave melodia a rolar e a deslizar numa cena brilhante.

O oceano já não é mar, as dunas sem areias são

desertos cansativos. Não podemos ficar sem nosso deleite de amor

divinal.

A areia permanece em nossas almas e corações

enrustidos;

E os ventos nos levam a febre de um amor

descomunal. Nossos olhos abençoam a areia como rubis a

flamejar,

A cada amor sentido, a cada gozo a vitalidade

nos energiza; Os anseios por novos abraços fortes, carícias nos levam a flutuar. Nas glórias, na delicia de um orgasmo que nos levam aos céus com lascívia.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

51

FESTA DE NATAL

51 FESTA DE NATAL Nas neves lindas e frias do inverno europeu, no sol causticante do

Nas neves lindas e frias do inverno europeu, no sol causticante do deserto africano, nos mares azuis do nordeste brasileiro, nos verdes das florestas brasilianas. É hora de paz, harmonia e amor, amor regado à verdade no seu apogeu. Enxuga teu pranto no amor humano, vivenciando a destreza de refúgios altaneiros. Espelhe a sua paz interior e isoles as ações deleterianas. A gratidão é ação terna e cheia de esplendor, o céu brilha ao raiar do dia, mostrando a força de Deus, no seu apogeu magistral o tempo passa sem que denotemos as horas vividas sem consolo, sem guarida e

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

52

pequenos esmeros, vivenciar é esperança de amor, gratidão, harmonia e fulgor. No recesso do lar, no rumo certo, na luz da vida, no sorriso de um adeus. Vem à lembrança do bálsamo da vida de uma criança que amaremos, o firmamento florescerá de estrelas cintilantes anunciando o nazareno. O menino esperança, que veio ao mundo numa noite de Natal esplendorosa.

É um botão, uma rosa divina que destina amor e esperanças gloriosas, é o salvador, que veio ensinar a perdoar e amar sobre todas as coisas. É dia de festas, as constelações brilham cintilantes, brindando o salvador. As casas resplandecem em cores, a luz brilhará mais forte, fenecendo tristezas, gerando alegrias, pelo presente divino que o Pai nos ofertou, com louvor. Dedicamos todas as esperanças com sua chegada e que nos faça nascer de novo. No mundo de alegrias, repleto de harmonia onde o sol irradia momentos de paz e não estorvo.

Que o argueiro e a trave se dispersem e as glórias dos céus venham abençoar magna data, onde se recata as esperanças, na retífica da visão, na construção da paz, no sorriso de um menino recata. A Luz da vida, onde o bem

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

53

vencerá, haverá momentos de alegrias, silêncio e preces altaneiras e renovadoras, de ingredientes de paz, de dulcificação de mãos misericordiosas, nos caminhos da libertação das masmorras. Nas manjedouras divinas onde se instalarão vidas fortalecedoras e benfeitoras de uma paz Imorredoura. Natal, dia de esperanças, meditação, conforto espiritual, orgias jamais, a luz da vida voltará a brilhar, é Cristo com sua energia benfeitora.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

54

NATUREZA

54 NATUREZA A TERRA NOSSO PLANETA SE INSERE NA NATUREZA, BELA, LUCILENTE É A MORADA DA

A

TERRA NOSSO PLANETA SE INSERE NA NATUREZA,

BELA, LUCILENTE É A MORADA DA GENTE.

ESTAMOS PRESENTES NA PURA FORTALEZA,

CUMPRINDO A MISSÃO DADA POR DEUS ONIPOTENTE.

A NATUREZA RETRATA A CRIAÇÃO DE DEUS.

PURA, BELA, NUMA PSICOSFERA DE AMOR E LEVEZA.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

55

DE NAÇOES AMIGAS, RICAS E POBRES, DE FILHOS TEUS.

ONDE O AMOR PROSPERA EM INSINUANTE BELEZA.

QUEREMOS UMA NATUREZA BELA DE PAZ E AMOR

DE HOMENS DE BEM, SENSATOS, ESSA É NOSSA MISSÃO.

AMPARAR O MAIS HUMILDE COM ALEGRIA E DESTEMOR.

A VIDA É BELA E RADIANTE A NATUREZA RELUZ.

DE ENCANTOS MIL, DE SENSAÇÕES BEM ARDOROSAS,

TRAZENDO PARA TODOS, AMOR, PAZ E MUITA LUZ.··.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

56

UMA NOITE DE NATAL

56 UMA NOITE DE NATAL O Natal descortinando os corações nas diluidoras emoções, Das afeições frustrantes,

O Natal descortinando os corações nas diluidoras emoções, Das afeições frustrantes, das singelezas, das alegrias e tristezas, Dos lares que mesclaram contentamentos, amores e devoções. Das saudades endógenas, hosânicas, que aniquilaram as belezas.

De uma data especial para uns e de lembranças para a maioria, O iluminado menino Jesus com fluido divinal aplaca os sentimentos,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

57

Unindo o conexo ao desconexo, somem as tristezas no belo dia. Renascendo o contentamento conducente em nossos firmamentos.

O tugúrio em vigor redime e muda de lugar para

tudo embelezar,

A psicosfera triste em onomatopeias de

deslumbrantes luzidias. Com José, Maria e o menino Jesus mediando à alegria salutar.

O Natal volta a ser belo e encantador tosando as

dores em alegrias, Laureando os lares infelizes em felizes, imantando o amor em demasia. Num rol celeste de belezas, que prefaciam meigos momentos de euforias.·.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

58

SOFRIMENTO MAIOR

58 SOFRIMENTO MAIOR DESCORTINANDO AS NUANÇAS DE MUITAS VIDAS. NAS DORES E SOFRIMENTOS QUE SE ALVITRAM,

DESCORTINANDO AS NUANÇAS DE MUITAS VIDAS.

NAS DORES E SOFRIMENTOS QUE SE ALVITRAM,

EXPURGAMOS A FOME E A MISÉRIA REVIVIDAS,

NOS CORPOS DÉBEIS E SOFRIDOS QUE RECALCITRAM.

DEUS PAI TODO PODEROSO, MAJESTOSO E DIVINAL.

IMANTA NAS CRIANÇAS RENACENTES E

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

59

DESOLADAS,

A DOSAGEM CERTA DA ALEGRIA

PROPORCIONAL,

NOS MOMENTOS FELIZES DE VIVÊNCIAS CONSOLADAS.

O PEQUENINO JESUS ENCONTROU NA

SIMPLICIDADE.

A SOLUÇÃO PARA A VIDA SIMPLES E

SANEADORA,

PELO AMOR E O PERDÃO CONSEGUIU A

VERDADE,

PELA PEDAGOGIA DIVINAL FORTE E

VENCEDORA

USOU O ENCANTO DA FILOSOFIA DA

SOLIDARIEDADE,

NO VIÉS SEQUENCIADO TORNOU A VIDA REDENTORA.·.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

60

A ROSA ENCANTO

60 A ROSA ENCANTO Na psicosfera de um ínclito roseiral encontramos flores. Radiantes, belas, depuradoras, perfumadas

Na psicosfera de um ínclito roseiral encontramos flores. Radiantes, belas, depuradoras, perfumadas e renitentes, Nesse écran colorido e aferidor pensamos em mil amores, Transformamos nosso afago, em desejos e delírios imanentes.

Na beleza das flores imantamos sensações estocantes, No murmúrio, no tugúrio de dois seres belos e pungentes,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

61

Na operância sem reprochar almejamos carinhos delirantes. No calor, na sensação de amores ardentes e comburentes.

Oh! Redentora flor que embeleza e embala nossos corações, Acariciamos-nos suavemente adornados de compulsivo amor, Reiteradas vezes clamamos pelo expectante sabor das emoções. Na proeza angelical, terna e renascente de um amor sem dor.

A felicidade prodigaliza emoções refutando

sofrimentos lacerantes, Destas flores cativas, eméritas, salutares, benfeitoras silentes e venturosas

Cujo perfume ressonante e caviloso nos leve a sensações excitantes.

E ao final do dia surja a noite de emanações e vociferações ardorosas.·.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

62

SAUDADES INESQUECÍVEIS

62 SAUDADES INESQUECÍVEIS A VIDA ÁRDUA NOS CANSA, DEPRIME, NOS ESTRESSA APREGOANDO CULPABILIDADES QUE MACHUCAM,

A VIDA ÁRDUA NOS CANSA, DEPRIME, NOS ESTRESSA APREGOANDO CULPABILIDADES QUE MACHUCAM, DESCORTINANDO O VÉU DA ESPERANÇA. INVADE-NOS O CORAÇÃO SEM MALDADES, AS BEM-AVENTURANÇAS SÃO ALEGRIAS QUE IRRADIAMOS COM CONSTÂNCIA. CREDENCIANDO-NOS AO CONVÍVIO DA CRISTANDADE, DA FRATERNIDADE AO SABOR DO AMOR, DA AMIZADE ILUMINANDO NOÇÕES DE FELICIDADES. SENSAÇÕES ALEGRES E TRISTES DESNORTEIAM OS AZIMUTES DIVINAIS SACROSSANTOS QUE SOMATIZÃO, MAS DEIFICAM O AMOR DESENCANTANDO AS EMOÇÕES; ACOPLANDO SINGELAS ENERGIAS

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

63

AOS NOSSOS CORAÇÕES. AFAGOS, CORDIALIDADES, OPRESSÕES SÃO SENÕES E LUZIDIAS DE ESPERANÇAS JUDICIOSAS QUE NÓS DETEMOS, PRESOS ANELADAS AO MATERIALISMO E AS OBSESSÕES. REMISSÕES, EGÓLATRAS SÃO ESFACELAMENTOS, TRANSFORMADORAS EM PARADOXOS CODIFICADOS POR AÇÕES DANINHAS, ESCOLHOS, ESTEREÓTIPOS DE INCAUTOS SOFRIMENTOS. ORGULHO, EGOÍSMO E SEUS DERIVADOS, DESVIOS DE CONDUTA, VÍCIOS, SÃO ESCANINHOS PARA A NOSSA ALMA. A VIRTUDE, A FÉ DEVE EXISTIR PARA MINORAR O SOFRIMENTO HUMANO, E ASCENDER NOSSA REFORMA ÍNTIMA E PROMISSORA.

MASMORRAS SÃO TRISTEZAS LÚGUBRES QUE NOS ROUBAM O MAIS VALIOSO QUE TEMOS, A VIDA DIVINA QUE ENLEVA O HOMEM AO BEM, CREDENCIA-NOS A MAIS PORTENTOSA LOUÇÃ, A PRESENÇA TERRENA REPLETA DE GRACIOSIDADE, GENTILEZA, E ATITUDES VIÇOSAS E VIGOROSAS. CONVIVEMOS COM O FELIZ E O TRISTE, A PRESENÇA É SINÔNIMO DE ALEGRIA, A AUSÊNCIA DE TRISTEZA. SENTIMOS TRISTEZA NA AUSÊNCIA PELA NOSSA IMPERFEIÇÃO E O EXCESSO DE AMOR NO CORAÇÃO. A COMPANHIA SERENA E TRANQUILA QUANDO DESANELADA TRANSFORMA ALEGRIAS EM SAUDADES INESQUECÍVEIS.O CORAÇÃO

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

64

PALPITA, DESDITA, A INDOLÊNCIA TOMA CONTA DE NÓS, A INÉRCIA NOS LEVA A DEPRESSÃO, VEM A REMISSÃO SINTONIZADA PELO ACALANTO DOS AMIGOS, PARENTES E ADERENTES QUE SOFREM COMO NÓS. VÊM OS MELINDRES, A OCIOSIDADE, A TRISTEZA, A COMOÇÃO, AS AÇÕES REDENTORAS SURGEM DE TOGA TRAZENDO VENTURAS ALTANEIRAS, O CALVÁRIO NÃO É O FIM, A COMPLACÊNCIA DIVINA NOS ENCHE DE LUZ E A ALEGRIA ENDÓGENA EXULTARÁ COMO TRANSFORMAÇÃO HOSÂNICA DE NOSSOS SOFRIMENTOS.

HÁ SEMPRE UMA LUZ NO FINAL DO TÚNEL E COM ELA DEVEMOS ILUMINAR OS NOSSOS DISSABORES E TRISTEZAS TRANSFORMADAS EM PROVAÇÕES E REMISSÕES, A VIDA EM ETERNIDADE, A MORTE EM ESTADO PASSAGEIRO, APENAS UM ENIGMA ENUNCIADO, AMBÍGUO OU VELADO, SOMOS MAIS FORTES, SOMOS SEMENTES DE UM SER ONIPOTENTE, ONIPRESENTE E ONISCIENTE QUE SEMPRE QUER O BEM DA GUENTE. TRISTEZAS NÃO PAGAM DÍVIDAS, SOMENTE A ALEGRIA E A FELICIDADE PODE NOS LEVAR AO ÁPICE DA VIDA E DA IMORTALIDADE. O VETOR DESTA VENTURA BENFEITORA CHAMA-SE DEUS.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

65

NOITE DE NATAL

65 NOITE DE NATAL Noites deslumbrantes aconchegantes e auspiciosas, de estrelas brilhantes radiosas, num céu esplendoroso

Noites deslumbrantes aconchegantes e auspiciosas, de estrelas brilhantes radiosas, num céu esplendoroso de aurora fascinante. Clímax do amor, da felicidade e perfume de rosas, aos irmãos menos felizes ajuda-os como possas. Coopera nas boas obras na alegria cintilante, lembra-se da infância querida e da criança desiludida. Suja, maltrapilha, esquelética, ansiosa e ferida, no âmago da dor, da esperança dos olhos acessos.

Anseia por um mundo mais humano e espesso, tudo se compra menos o sorriso de criança. Na solidão das ruas, ao sol causticante é sofrimento

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

66

constante, com dinheiro se consegue o esforço renovador, a esperança dignificante. Conflitos, perturbações, tristezas e alegrias um dia sumirão. Da vida benfazeja, do orbe que vivemos de provas e expiação. Neste natal, no nascimento do Cristo, o menino prodígio salvador da humanidade.

Antes cedo do que tarde façamos o bem sem alardes, só por caridade. A pobreza não é doença apenas indiferença dos ambiciosos e covardes. Alheios aos sofrimentos, a fome, a miséria que destempera e aniquila. Amigos a saúde e a felicidade são consciências tranquilas. Que o menino Jesus seja a esperança das crianças indefesas e sem vaidades, que perambulam pelas ruas das cidades a cata do pão de cada dia.

Olham nas vitrines as mais lindas etiquetas, advém à nostalgia. Medita, desdita, será que aquele velhinho irá se lembrar de mim. Desta pobre criança, cheia de esperança cansada de chorar. Não tenho casa moro na rua, quero sonhar com o sininho do bom velhinho. Acorda meu filho nasceu Jesus e um presente veio te dar. Vida nobre, casa, comida, escola, alegria, amor puro e um lar. Natal, natal é para mim uma data especial, o menino Jesus iluminou minha vida, deu-me guarida e outra vida para desfrutar.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

67

Abençoadas sejam as crianças pobres e ricas, pois nelas residem à esperança de um Brasil salutar. Que nesta noite de natal se o mal te

chamas não vás, seja brilhante é fácil conseguir

o ouro, pois Jesus o bem nos ensinará. Deixai vir

a mim as criancinhas, pois elas herdarão o reino dos céus.

Com estas palavras minha vida se transforma na minha escola quero todas as crianças que sofrem o que sofri, sejam tocadas por Deus e Jesus. Neste natal todas as crianças serão conduzidas ao caminho da fé e da esperança, que todo dinheiro do mundo não comprarão estas bonanças. Uma noite de natal magnífica que vivi.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

68

MENINOS DE RUA

68 MENINOS DE RUA Vida sem destino e esperanças, sem alegrias e bonanças, acoplando anseios sacrossantos.

Vida sem destino e esperanças, sem alegrias e bonanças, acoplando anseios sacrossantos. Sem sapatos de pés calejados, rosto suado, maltrapilho, deifica a personalidade que roga. No calor das metrópoles, na desilusão da vida sem rumante afetivo e carinhoso, só espanto. Espera o menino um destino caído do céu, para minorar as agruras do sofrimento no frio sem toga. Destino infeliz para uma criança cheia de esperanças, atordoada pela fome e o cansaço.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

69

Refém sem defesa do tempo, da rua, dos incrédulos, dos maliciosos que o julgam mal. Um ser sem defesa, sem esperança de uma vida melhor, entregue ao desalento e ao desamparo social. Refém da situação dolorosa, do destino ingrato, sonha com uma vida mais serena e sem embaraço. Como sofrem os desamparados, os abandonados, os estropiados, os meninos de rua. Na canga, na destinação que a vida lhe proporcionou pensa em silêncio num ser caridoso e cordial sem charrua.

Que lhe subtraia do mal e some-o ao bem, e o entregue a alguém de bom coração para tosar seus pensamentos maldosos. Os eméritos, os engalanadores propiciem diretrizes sem interstício, para que tenha pelo menos minutos laboriosos. Com extasia no rosto seja outro ser pequenino, mas com destino certo e confortante.

Do destino insano, da companhia daninha se desfaça, sem masmorra e sem mordaça alcance a graça. De um dia integrar uma família exemplar que lhe dê educação e que possa retribuir com o amor expectante. Trilhe o caminho da altivez, da regeneração, dos brios que enlevam o coração a uma louçã de bem-aventuranças sem pirraças.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

70

ONDE ANDA? ONDE ESTÁS?

70 ONDE ANDA? ONDE ESTÁS? Onde andas? Onde estás? Meu amor, minha amada, Ausentou-se de mansinho,

Onde andas? Onde estás? Meu amor, minha amada,

Ausentou-se de mansinho, no silêncio da madrugada.

Evadindo, detendo as esperanças, numa dor amargurada.

Quiçá, testificou, tosou o amor com a alma calcetada.

O que fiz senão expurgar meu amor sem destemor,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

71

Na carícia, na fantasia de quem ama como ventura;

Mais que cante, encante, deslumbre o êxtase redentor

Afigure a feição a ambiência meritória com textura.

O que fizeste de teu coração amável, afável e carinhoso,

Esqueceste que existo por impositiva ausência de carinho.

Amo-te, estimo-te, adoro-te, num carinho esplendoroso;

Meu coração pode apagar fagulhas, num imenso escaninho.

Volta, fica comigo, esquece o aferidor de tua alma oh! Amada.

Quero beijar-te, sugar-te, me enroscar nos teus meigos braços,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

72

Apregoada de desejo voltas ao ninho de amor, não seja desalmada.

O destino nos uniu, o amor nos predispôs aos atos obsequiados.

Nas provações da vida anseiamos, desejamos felicidades,

Deifica a união, esqueça a ilusão, indescritível que passamos.

Amar demais será a nossa sina erigida por nossas afinidades.

Provações sejam banidas de nossa vida até a eternidade.

O amor é semente procriadora, cresce e se torna forte de repente;

Não devemos deixar de regar nem a semente nem o amor à vida

Aurida, florida, perfumada, doirada imantada em nossa mente.

Vamos reluzir expor o que sentimos um pelo

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

73

outro, na medida.

Deixe exalar as energias e nos embriague no afã dos carinhos,

Destruírem os escaninhos as pedras de tropeços que nos atrapalham.

O amor é fortificante do organismo debilitado pelos espinhos.

Senhor nos ampara, pois ninguém nos separa e as energias nos refaçam.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

74

FAZER O BEM

74 FAZER O BEM Do livre arbítrio ele nasceu. Na mente humana se desenvolveu. Falam, mas

Do livre arbítrio ele nasceu. Na mente humana se desenvolveu. Falam, mas não agem, nem interagem. Em nome do mais simples, chamado bem! Ele é o contrário do mal, não é anormal,

É normal, ditoso e no consciente se robusteceu, Não é criação humana e sim divina, veio de Deus.·.

É a salvação do homem, do mundo e mais além,

Dos que se apresentam bem e não agem bem, Dos que confiam e acreditam no poder do bem Exploram o bem do poder, mas devem crer.

Nos que se aficionam no bem do vil metal,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

75

Sem repartir o dinheiro do bem, não desdém. Os que têm consciência de encontrá-lo e preservá-lo. Fazem o contrário procurando o mal e os retêm! Num futuro bem próximo virá à consciência, que se instruiu no bem do amor, e sem destemor.·.

Mostrar o rigor da joia que o Pai Maior o mentor, Deu por amor, mas o hominal por teimosia e ignorância. Deixa se esvair na lembrança e sem olhar para a bonança, imanta no coração e na índole o mal, por teimosia, esquece o sagrado dever de fazer o bem!

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

76

MAMÃE EM NOSSOS CORAÇÕES.

76 MAMÃE EM NOSSOS CORAÇÕES . Na escalada da vida fostes uma guerreira Dedicando todo o

Na escalada da vida fostes uma guerreira Dedicando todo o amor, carinho e paixão Aos seus pupilos queridos à sementeira Do fraterno hercúleo nascia à remissão

Mãe querida, de genituras belas e sagrada Gerastes uma prole de filhos auspiciosos Seu coração irradiava ternura adornada Do íntimo expandia rutilâncias luminosas.

Vida serena, sofrida às vezes dolorosa, Eterna rosa de um jardim em profusão Deixastes os prazeres da vida exitosa

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

77

Para educar os frutos íntimos do aguilhão.

Companheira, emérita, ditosa não fenecia, Do lar era a rainha depuradora dos matizes Convivia alegre, com hosanica pedagogia, Acarinhava e com gestos humildes redimia.

Os deslizes da criação de seu clã de rebentos Tarefa árdua, imaculada, aurida e destemida, Sentia bater forte o coração nos desalentos, Na ansiedade ditosa escoava as ações doridas.

O

tempo passa o corpo cansa a idade arrefece,

O

ímpeto fogoso e jovial de uma mãe generosa.

A

indolência a inércia não incrustava messes,

Nos cabelos brancos acoplava atitudes

judiciosas.

Da luta, do brado, do cansaço o corpo sentia

O tempo passar e maltratar consumindo

energias. No carinho, na compaixão dos filhos se refugia

As forças começavam a faltar fraquejar ela

sentia

Num lindo dia de sol, numa aparente alegria, Recebeu uma missiva de Deus e seu olhar

reluzia,

Despediu-se com carinho e emoção de um norte

Da estagnação biológica levava à heroína a

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

78

morte.

Mãezinha nós amamos você de amor augusto. Nunca esqueceremos seremos expeditos ativos, Sentiremos a falta, sabemos que o céu está aberto. Portas adornadas para a chegada ao mundo dos justos.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

79

INVERNO

79 INVERNO No árido solo nordestino sementes são inseridas. Transformando o destino ditoso em vidas enternecidas.

No árido solo nordestino sementes são inseridas. Transformando o destino ditoso em vidas enternecidas. Sertão de seca inclemente, de sol bravo e abrasador. De vegetação resistente e renitente, onde o sertanejo supera a vida e a dor. A esperança é a última que morre, diz o dito popular, mas a fé nunca faltará. A espera e uma ansiedade enorme, a felicidade não será um deus-dará. Pela fausta escotilha dos sonhos a esperança dorida declinará a água vertendo dos céus risonhos, onde o inverno benfazejo reinará.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

80

A mente a imagem do lindo inverno europeu,

desaparecendo o fulgor do deserto africano, o mar azul do nordeste floresce e renasce. O verde das matas transforma o insano no cotidiano. A orquestra das aves em áureas revoadas, a gratidão brilha eterna cheia de esplendor nas horas sem consolo, alçadas e reclamadas são eternos prantos esquecidos sem destemor.

O inverno traz alegria e fenece a dor a luz da

vida, onde o bem vencerá, haverá momentos de alegrias, silêncio e preces altaneiras e renovadoras, de ingredientes de paz, de dulcificação de mãos misericordiosas, nos caminhos da libertação das masmorras. Nas esperanças divinas onde se instalarão vidas fortalecedoras e benfeitoras de uma paz imorredoura.

O sertanejo audaz verá a força do trabalho se

transformar em passe de mágica, numa colheita esnobadora é a fome que se esvaia e a alegria que não desdita, que a triste partida seja eterna alegria, que o inverno seja uma rotina na esperança que irradia.

Que a água bendita dos céus não vire escarcéus seja eterna e benfazeja, aniquilando a fome, a miséria e a pobreza, o sofrimento e a dor, que sacie a fome e mate a sede e seja grande laurel.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

81

O inverno seja onipresente para acabar a indústria da seca, que a fartura seja a ternura e não ócio que fulmina e nos enche de dor.

Que as crianças tenham alimentos em profusão e não dependam da corrupção, do crime, das drogas, da prática do sexo horrendo, seja a espera dos que vem morrendo sem esperança, sem escolas e na rua, não sejam charruas malditas, sejamos alegres e persistentes, pedindo a Deus a água do inverno sempre, que sustenta tanta gente, proporcionado à volta dos emigrantes sendo a festa oferenda divina para os parentes e aderentes. Deus pai de todos e dos inocentes não deixe que o inverno almejado e abençoado nunca abandone a gente.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

82

RESSURREIÇÃO

82 RESSURREIÇÃO Palavra entendida, mas distorcida. Subida aos céus em sutil sublimação, para uns o Mestre

Palavra entendida, mas distorcida. Subida aos céus em sutil sublimação, para uns o Mestre ascendeu à vida. Deixando a vida carnal em expectação. Paulo o apóstolo dos gentios, ensinava. Com veemência e sinceridade no coração, reforçava a carne e o sangue não é dádiva. Nos céus do Pai e do Mestre não tinham razão. O materialismo é do ser hominal imperfeito. Com trejeitos e sem respeitos imanta os instintos, cria o labirinto de sofrimentos, dores e rejeitos, esquece que é imperfeito, albergando nos recintos.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

83

Da escuridão, das trevas, procurando a luz silente, esquece que é gente, vira animal no instinto bestial. Esquece o amor, o perdão, o mandamento inteligente, deixa de ser homem genial para emergir no mundo infernal. Jesus Cristo, espírito de escol, espírito puro, sofreu estagnou biologicamente a morte veio ao seu encontro sem sabores. A passagem bendita aconteceu e o perispírito se soltou. Deixando a matéria grosseira estraçalhada, e o espírito se libertou.

A ressurreição bendita emanou e o espírito se

materializou, o ectoplasma transformou o corpo sutil em ser tangível, veio reviver entre os apóstolos e repassar-lhes o que deixou a comprovação de que a morte inexiste e o corpo espiritual reabilitou. Em espírito veio ao mundo pelo fluido cósmico e universal, para unir corações, ensinar o amor, a caridade e o perdão. De que nem sempre do pão vive o homem, mas

da ação habitual. Da fraternidade a caridade, ele

se renova na ascensão e no coração.

André, o primeiro escolhido, Simão Pedro talvez o mais querido e destemido. Tiago Zebedeu, João Zebedeu seu irmão, filhos do trovão, Jesus assim os chamou. Felipe o Curioso, Natanael o honesto, Mateus Levi, Tomé, o Dídimo, seu irmão gêmeo que José gerou, não duvido! O zelote Simão, Judas Iscariotes, e depois Matias, seguidores do Mestre crucificado que muito chorou.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

84

Ó Cristo Ressuscitado, vencedor da morte, por tua vida e teu amor, mostra a nós a face do Senhor, Onipotente, Onisciente e Onipresente vertendo amor aguerrido. Em nossos corações pusilânimes, somos boanas, diante de sua gratidão, não nos faça tragos e sim fastos. De ensinamentos do vosso evangelho pelo mundo afora, numa verdadeira aurora de sentimento desmedido. Irmão está nos céus, ressuscitado, junto ao Pai que nos protege do insano e do carcomano. E que sejamos humanos e não trapos insensatos.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

85

A PÁSCOA

85 A PÁSCOA Páscoa significa passagem do material ao espiritual, O que resta é só carnal

Páscoa significa passagem do material ao espiritual, O que resta é só carnal a ressurreição bendita é real Na glória não desdita, o espírito se liberta e ressuscita. Jesus o Cristo, o filho do homem, passa a filho de Deus, Deixa o espírito encarnado, ressuscitado não morreu. A páscoa vivifica e eterniza-se em nossos corações, Persas, romanos, judeus e armênios tornam-se filisteus,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

86

O mundo cristão encena a paixão de quem não

morreu. Cristo nosso irmão mora nos corações dos irmãos seus.

A páscoa é reafirmação a vida com amor e

esperanças,

Não de guloseimas e bebidas, mas de preces enternecidas.

É esperança, fraternidade, perdão e caridades

embevecidas,

Na destilação do sangue cristianizado emana o

divinal. Espírito superior, puro e redentor das almas

perdidas,

Na páscoa metamorfoseia-se a alma em espírito

imortal,

O dia sacrossanto se reveste de mudanças e

esperanças. Da infelicidade para felicidade, da violência para

bonanças,

Conquistando da mudança partilhando a vida

com esperança.

Almejar e vencer os percalços e toda sorte de

sofrimentos,

Confirmar o amor unido à vida sem feridas e

destronamentos,

Praticar a caridade pela caridade, investindo na

felicidade. Lutar por um mundo melhor mais humano e não

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

87

carcomano, Tornar o ser mais ser, no bem querer na dor e no sentimento,

Viver em constante libertação, ser mais humano,

e virtual.

É crer na vida que vence a morte, num devenir

mais restrito. Colocar a paz, o amor, o perdão, a caridade sem veredicto, Ofertando o coração aos esquecidos imantado no amor em Cristo. Na charrua da vida que a paz, o perdão, o amor sejam ínclitos, Nos corações pequeninos, dos peregrinos fortalecidos na cruz. Peça de tortura e sofrimento que transformou as trevas em luz. Nesta páscoa nos unamos sejamos humanos no amor com Jesus.··.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

88

MARÇO

88 MARÇO MARÇO MÊS DE ALEGRIA E DE FEBRIS CORAÇÕES, MUITOS ESPERAM POR ESTAS EMOÇÕES. EMANADAS

MARÇO MÊS DE ALEGRIA E DE FEBRIS CORAÇÕES,

MUITOS ESPERAM POR ESTAS EMOÇÕES.

EMANADAS DOS CÉUS AS CHUVAS VIRAM ESCARCÉUS,

O SECO FICA VERDE, OS RIOS TRAÇAM AS DIREÇÕES

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

89

A ÁGUA BENDITA DO CÉU ALAGA O CERRADO.

DO CHÃO BROTA VIDA, O SECO FICA MOLHADO,

O SERTANEJO VERTE LÁGRIMAS SEM

PROPORÇÕES.

O INVERNO BENDITO CHEGA AOS LONGES

RINCÕES.

A COLHEITA VIRA RECEITA E A TRISTEZA PUROS

SENÕES.

DEUS DA VIDA, DA ALEGRIA, DA ESPERANÇA E DA FÉ,

FENECE A FOME; DESPERTA A ALEGRIA ; O CÉU

ESCURECE

DE NUVENS CARREGADAS MANTENDO A

ALEGRIA

DA TERRA SEMPRE MOLHADA, CRESCE O MILHO,

O

ARROZ E

O

FEIJÃO, O VERDE CLOROFILA AS MATAS DO

SERTÃO.

TOMARA SENHOR, TOMARA, QUE ESSE PRESENTE SEJA

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

90

CONSTANTE ANO A ANO NO SERTÃO

NORDESTINO,

QUE A SECA SE ESVAIA E A BONANÇA TRANSFORME O DESTINO.

A TRISTEZA SE TRANSFORME EM ALEGRIA

DE NOITE E DE DIA, QUE O PAI NUNCA ESQUEÇA

DE BANHAR COM PERSEVERANÇA, AS TERRAS

SEM PARAR, A FOME SEJA REPELIDA DE VEZ

A ESPERANÇA NUNCA MORRA, POIS NÃO É GANGORRA.

O SERTANEJO CONTINUE FORTE, ESPERANÇOSO

SAIA DO DOLOROSO E GANHE O LÍQUIDO

GOSTOSO

DO BENDITO DO CÉU COMO PRESENTE PELOS DIAS ARDENTES

SOB O SOL INCLEMENTE NUNCA MAIS SOFRER O

AMARGO

DESTINO EMANENTE, DE CRIATURA SOFRIDA

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

91

TRANSFORME-SE

EM SER VIVENTE, COM ALEGRIA E UM SORRISO LARGO ESPELHANDO

OS DENTES.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

92

INÍCIO DE ANO!

92 INÍCIO DE ANO! O ano principia, as esperanças se renovam as estrelas cintilam nos céus

O ano principia, as esperanças se renovam as estrelas cintilam nos céus das esperanças. Descubra seu interior repleto de amor, trate bem a si mesmo, a seu próximo com fervor Deus tudo lhe dá, seja um exemplo a ser seguido, atitudes ímpias, ações aguerridas, atitudes enternecidas, belas ou ressentidas, faz sentido vivê-la bem vivida. Amar o próximo como a ti mesmo disse o Mestre com sensatez. Esta é a bola da vez, da esperança, do amor à vida, da virtude dos bons pensamentos, dos juramentos das promessas incontidas, o sol traz luz ao dia, a lua noite ao luar, nos caminhos bem traçados vamos unidos clamar, que seja de paz amor e algo mais, sepultemos a violência que ela não venha nos perturbar.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

93

Desejamos viver em harmonia. De noite e de dia, todo mês, todo ano imantemos o mundo alegre, expulsemos o profano. Que crianças não morram de fome tenha escola

e moradia é lindo os sorrisos delas, quando

vibram em harmonia. Não dê peixe ao homem, ensine-o a pescar nesse azimute de esperanças o emprego irá abraçar.

A vida é um bem Divino formoso a zelar que

sumam os abortos, devemos procriar que vidas inocentes sejam preservadas amadas e não jogadas em qualquer lugar. Amor com amor se paga, diz o velho ditado sejamos conscientes aprendendo o que nos foi ensinado.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

94

PAIXÃO

94 PAIXÃO Ao sofreres qualquer paixão, espera que se arrefeça a chama do coração; Mas não

Ao sofreres qualquer paixão, espera que se arrefeça a chama do coração; Mas não esqueça no que você vive num mundo de expiações, põe treta, Se o homem é de brasas, você se amarra, se torna em plumas de algodão. Para certos consulentes, és divina e reluzente só para a gente que te ama de muitão. Mulheres de muitos negócios enlouquecem a gente, e de repente parece obsessão. Maltrata o coração, bendita, elegante, bonita, arrebita é de enlouquecer de prazer; Só em ver dá palpitação amarrota o coração e boquiaberto ficamos tremendo de emoção.

Na conquista da fortuna, muitas vezes aparece o modelo conforme o dono quer oferecer. Prazer,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

95

amor, glamour e as honrarias do mundo, guardam esta nota travessa, mais que depressa pensamentos traçados no dia-a-dia ela é minha nunca vi uma medalha. Parece fornalha esquentando nosso sangue, parece um enxame destruindo o coração, mais que depressa.

Peça, das honrarias do mundo, do amor mais alto e mais lindo afeição que se procura não se esbarra. Amor puro, amor que eu vejo, eu te desejo, tudo que quiseres, é preciso saber. Conquista ditosa e bela, é uma aquarela de encantos mil, mas é preciso saber o que fazermos com ela; liberdade vem a ser, o prazer de um ser somado a dois, não é feijão com arroz é querer. Falando com o amor livre, onde esse amor se declara se amarra nos une cada vez mais, deixamos tudo para trás sem ninguém perceber.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

96

UM ANO DE FELICIDADES

96 UM ANO DE FELICIDADES Sinto-me um grão de areia, Diante da bondade de Deus. O

Sinto-me um grão de areia,

Diante da bondade de Deus.

O meu Espírito engrandece,

Com Jesus, discriminado pelos fariseus.

Diante de um Espírito Puro,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

97

Sou um imperfeito, em evolução,

As preces elevam-nas ao Senhor.

Enobrecem, fortalecem meu coração.

Mil vezes já bateu, e outras baterão,

Existe no ego, superego o desejo de vitória.

Vencer com vontade e faustas energias,

Reciclar o passado e industrializar o futuro.

Esquecer as tristezas e auriluzir as alegrias.

O

medo se esquece, a esperança se renova,

O

orgulho é sinonímia esfacelada,

Desprezada pelos homens de bem.

A simplicidade e as ações enobrecem o humano,

Os desprezados, estropiados carecem de amor.

A ajuda material e espiritual não é um favor,

Os fortes energizando os fracos,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

98

Os oprimidos, os estropiados nidificadores,

Oblívios permutam o malogro pela hercúlea.

Diante do sofrimento agimos indiferentes,

Esquecendo a força motriz da fraternidade,

Um ano que se vai outro que vem, sem desdém.

Não esqueçamos jamais as criancinhas,

Exploradas pelos brutos na canga infiel.

A conquista tramada são rebuços de lauréis,

A enxovia, os espúrios, estéreis e maculosos;

Dos ausentes de corações esplendorosos,

Que a luz divina sobrecaia no orbe divino.

Que as bombas, as armas assassinas evaporem,

O fanatismo desse lugar a paz e ao amor,

Que a vida fosse só alegria e sepultando o terror.

O Pai Celestial, em nome do Mestre Jesus,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

99

Abrande nossa cruz, nosso fardo pesado.

Que a união fizesse à força, coração amasse

coração,

O

mundo uma família de irmãos amando irmãos.

O

buril sagrado destruísse o orbe beligerante,

Todos os povos, raças, credos, religiões,

creditassem,

Os mandamentos de Jesus. Amar a Deus sobre todas.

As coisas e ao próximo como a ti mesmo.

Celebrássemos o grande ensinamento.

Quem dar amor recebe amor,

Quem sem arrepende merece o perdão.

Que as estrelas do Céu brilhassem mais, como psicosfera.

E as luzes artificiais colorissem os céus do Brasil.

Num tom de amor e paz, onde a violência fosse

extirpada,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

100

Dizimada, imantizando a senectude, e sumisse do mundo.

Deus de amor e bondade transforme a incredulidade,

Em venturas mil, para felicidade do mundo e de nosso querido Brasil varonil.

Feliz 2011!

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

101

UM ANO NOVO SE APROXIMA

101 UM ANO NOVO SE APROXIMA Sempre almejamos sucessos, Emolduramos felicidades, Ano entra, ano sai, Ideais,

Sempre almejamos sucessos, Emolduramos felicidades, Ano entra, ano sai, Ideais, desejos e esperanças. De povos aguerridos e destemidos, Independentes de idades. Cor, raça, credo e religião, Somos irmãos por afinidades. Do bem sem distinção, Da felicidade sem nuanças, Mas com bonanças. Ricos ou pobres,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

102

Abençoados pela graça Divina Especificidade sem características Corações alegres, saltitantes, Dos momentos sem cobranças, Das palavras benditas, enaltecidas. Que expressam as esperanças. No ano que se renova. Imante para si desejos embevecidos Auroras e cultivos abençoados. Que jamais sejamos iludidos, Queremos paz, e não violência. Nem corrupções indolentes, Sem guerras, sem fanatismos. Com lirismo que enfatiza,

O vento soprando paz,

Num reino belo e encantado, Numa tarde de primavera, Aonde a passarada orquestra,

A sinfonia da beleza,

A tristeza que vai, alegria que fica.

As luzes resplandecem, Os fogos iluminam os céus.

É mais um ano que chega,

Com fantasia e esperanças, Rápidas e passageiras. São momentos embelecidos. Esperamos pela permanência Das alegrias festivas, Do ano que vai, do ano que fica. Que as glórias superem as incertezas,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

103

Que ao amor, o perdão, supere a vaidade. Que os homens feneçam o orgulho, Em prol da fraternidade e caridade. Que o bem supere o mal.

O anormal seja normal.

Que se despreze a materialidade, Em prol da espiritualidade. Que sejamos do bem Sem egoísmo e vaidade.

Que as nações cultivem o amor,

E não a barbárie.

Que a vida tenha mais valor,

Para nossas autoridades.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

104

CAMINHOS

104 CAMINHOS Nas veredas da vida meu destino foi traçado, Percorri relvas verdes e caminhos alagados.

Nas veredas da vida meu destino foi traçado, Percorri relvas verdes e caminhos alagados. Ouvi sublimes melodias numa psicosfera monumental; Dos pássaros anunciando algo novo, uma energia colossal. Entre flores e espinhos tracei meu rumo sem desatino, Lembrei-me dos tempos memoráveis de menino.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

105

Uma angústia meio melancólica deixou-me

extasiado. Vista turva transforma meu écran num campo minado. Belezas, carícias, alegrias fenecem meu

semblante,

Revivi dias fascinantes de uma infância

deslumbrante. Ao longe uma sinfonia torrente de águas

brilhantes,

Faziam a beleza da ostentação beligerante e portentosa. Insuflava o coração do forasteiro em caminhada

generosa,

A busca do azimute que direcionasse o viés da

felicidade. No horizonte encoberto o sol por nuvens escuras amarelava,

No silêncio narcotizante a noite nascia ao som do luar. As estrelas a brilhar a cintilar meus

pensamentos,

Num momento pensei, suado estava, mas sempre a sorrir,

A sinfonia, o tom, a penumbra preenchia a relva

vazia.

O frio da noite silencia o caminho, sozinho me

lançava,

A cata do destino, do caminho planejado refletiu

no imaginário.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

106

De um homem solitário ao ver as esperanças sucumbirem, Esperando que um botão floresça que um o espinho desaponte. Esfrega as mãos entende-as e vislumbra o horizonte sombrio. No crepúsculo da madrugada a passarada volta a tilintar. Vislumbro pessoas, crianças a cantarolar e meu coração a palpitar. Estrada longa, relva clorofilada deixo-as para esculpir nova vida. Anos devoram o tempo, esmaga sensibilidade, me sinto feliz na nova cidade. Construirei nova vida, o destino é caminho que nos leva a felicidade. Busco a todo instante, incessante, a diretriz altaneira e rediviva. Entre suores, perfumes, barulhos uma linda senhora me enche o coração. O caminho percorrido, as energias perdidas fazem as pernas tremer, o coração arrefecer. Olho a olho fita a linda criatura com ternura e um sorriso renasce em meu viver, Extasiados, parados ficamos, nos fitamos, nos aproximamos e um fervoroso abraço fez o amor renascer. Encontro feliz, vida nova, mulher amorosa, era o alvo certeiro e verdadeiro de meus caminhos. Caminhos felizes, abençoados, renovados, no meu imaginário, transformam em verdade,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

107

De mãos dadas voltamos ao tempo de criança, mas o amor forte rejuvenesce e resplandece o destino que persegui o amor, a felicidade, o prazer, a vontade de viveram eram meus caminhos!

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

108

AMOR AO SOM DA NATUREZA

108 AMOR AO SOM DA NATUREZA NO ESPLENDOR DAS BELEZAS NATURAIS AS ÁGUAS DAS CASCATAS CANTAM

NO ESPLENDOR DAS BELEZAS NATURAIS

AS ÁGUAS DAS CASCATAS CANTAM

ALEGREMENTE; AO SOM DAS MELODIAS

DIVINAIS SUAS GOTAS RESPLANDESCENTES

ALIVIAM-NOS O CALOR ESTENUANTE DA FLORESTA.

A BRISA SUAVE NOS ACARICIA, O SOL ENVOLTO

NO ARCO-IRIS, ENCANTA-NOS NO PINGENTE SOLAR,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

109

QUE NOS ACOLHE LIVREMENTE.

SENSAÇOES GOSTOSAS, PENSAMENTOS RELUZENTES

NOS ANIMAM: NA ADRENALINA DOS CORAÇÕES

QUE PALPITAM EM FESTA.

ALEGRIAS, PENSAMENTOS SAUDÁVEIS ENERGIAS

QUE NÃO DESDITAM, NO INFINITO ACONCHEGO

DE SERES APAIXONADOS E EXTASIADOS.

OLHANDO, CONTEMPLANDO A MÃE NATUREZA

QUE O PAI MAIOR NOS OFERECE GRATUITAMENTE,

PARA BRINDARMOS AS SENSAÇÕES

DE FELICIDADE, ISENTA DE PREOCUPAÇÕES,

REPLETA DE PAIXÕES DE ENAMORADOS,

NO SEMBLANTE SALUTAR DOIS SERES

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

110

APAIXONADOS, VÊEM AS ÁRVORES CINTILAR,

AVES A CANTAR ALEGREMENTES.

AGRADECENDO NOSSA PRESENÇA FORTUITA

NAQUELA PSICOSFERA, DE ARES SANADORES,

BRISAS CALOROSAS AFAGAM NOSSAS ALMAS

ENCANTADAS. NO BELO SEMBLANTE,

DA RELVA REFRESCANTE, DO LUGARZINHO

AFÁVEL E ACONCHEGANTE. NO BANQUINHO

DE AREIA, OUVIMOS AS AVES GORJEAR, O TRILAR

DAS MARIPOSAS DESLUMBRADAS. FESTEJANDO

A UNIÃO DE DOIS SERES PELO CORAÇÃO,

PELO AMOR DA FLORESTA LUCILENTE.

O ASTRO-REI A SE ESCONDER TENTA NOS AVISAR,

QUE A NOITE FRIA COMEÇA A CHEGAR.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

111

AS AVES NOTURNAS FAZEM SUA DANÇA

MAGISTRAL,

VÃO E VOLTAM NUMA SINGELA ALEGRIA DE

BAILAR INCITANDO-NOS AO RECOLHER.

NUM LUGAR MAIS CALOROSO PARA NOS

ABRIGAR,

AO LONGE UMA CABANA SINGELA NOS CONVIDA

A

UM DESCANÇO SALUTAR. É O ABRIGO,

O

RECANTO QUERIDO DAS DOCURAS E

LOUCURAS QUE AS CARÍCIAS IRÃO NOS OFERECER.

NUMA LOITE DE LUIA CHEIA, DE CÉU

ESTRELHADO

E BRILHANTE, POR ENTRE AS JANELAS OLHAMOS.

ENCANTAMOS-NOS COM O SUNTUOSO LUGAR,

NA RELVA MACIA DEITAMOS E BAIXINHO

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

112

FICAMOS A MURMURAR. O MUNDO COMO UM

FILME PASSOU EM NOSSOS PENSAMENTOS NUM

INSTANTE DE BEIJOS O PRAZER ENCONTRAMOS.

ROLAMOS, VIBRAMOS CARÍCIAS DOBRAMOS ABRAÇOS

ARDENTES BEIJOS INCESSANTES ATÉ O SOL

RAIAR EXTENUADOS AMAMOS E NOS DELICIAMOS.

A VIDA É ASSIM CHEIA DE NUANÇAS E

ESPERANÇAS QUE SE SOLIDIFICAM E NASCEM.

AS ESPERANÇAS SE FORTALECEM, O AMOR SE

ENOBRECE E NUM INSTANTE PROPORCIONA

A FELICIDADE COMO DOÇURA DE MEL.

ELE NÃO TEM IDADE, NÃO ESCOLHE LOCAL

A SEMENTE BROTA NO MAIS SIMPLES

TOQUE DE CORAGEM. O AMOR SINGELO, BELO,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

113

DESTEMIDO, AGUERRIDO, BROTA DOS CÉUS

ONDE DEUS NOS PRESENTEIA

COMO SIMPLES LAUREL.·.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

114

DEUS É TUDO.

114 DEUS É TUDO. É mostrar como Nele chegar. Não duvide! Não duvide! É sublime caminhar.

É mostrar como Nele chegar. Não duvide! Não duvide! É sublime caminhar. Antes observe as

próprias obras, aflorar;

suas

Deus é tudo. Fora Dele não se concebe desatinar. Deus é o mundo e Nele há muitas moradas, ninguém pode duvidar. Teu peito é sublime se estiver para Cristo para adorar

Não duvide da força do Pai e do Nosso Senhor Porque teu peito é maior que o próprio corpo. Se teus pequenos olhos não puderem enxergar, Ainda assim teu peito saberá, basta em Jesus, o Cristo, o coração ficar.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

115

A verdade consola e veio em espírito. Por um minuto escute as batidas em teu peito E talvez as palavras em um João façam algum sentido. Quando leres o catorze aquilo que haveria de ser feito depois do Senhor erguido no madeiro.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

116

ANSEIOS DE AMOR

ANSEIOS DE AMOR Anseio te amar entusiasticamente, mas, sinto meu coração carente. Fraco, oprimido, oco e

Anseio te amar entusiasticamente, mas, sinto meu coração carente. Fraco, oprimido, oco e dilacerado. O coração nos dá o sinal do sangue quente a pulsar. Não sei se eu mesmo seja o culpado de ter sem presteza o tratado. Sofri um bocado por esses dias, as tardes quentes e as noites frias repeliram minha vontade de amar. Amar com afeto, dedicação e carícias mil num sonho de acalanto veio e espanto, tu estavas ao meu lado e eu não percebia. Recebendo todo amor de um ser sublimado no meu ego veio a cumpliciação de uma certeza, que eu duvidava. Mas, no murmúrio da dor eu sentia o amor fecundo, meus olhos te viam eu cego teimava

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

117

em não perceber. Meio sufocado fui ver o luar e nas estrelas me espelhar. Um delas cintilava parecendo falar comigo, mas sem dar-lhe ouvido deixei passar. Ao ouvir um canto alucinante num tom de murmúrio fui de encontro ao meu amor. Ansioso e tonto respirei fundo para me encorajar e nas carícias da mulher amada me entregar sem medo, mas com labor sentido o sabor do vigor.

A incerteza é uma tristeza, a ilusão um

sofrimento, mas às vezes somos driblados pela mente e nos tornamos inocentes. Para conquistarmos um amor perdido é preciso coragem, pois um verdadeiro amor não se extermina com a dor. Ao nos encontramos uma visão opaca tomou conta de mim, meu corpo estremeceu e o calor imenso tomou conto do meu ser, aos abraços, carícias e beijos; soltei as amarras e amamos enfim. Amor duradouro sem recalques, sem embaraços, ao compasso de abraços e amassos foi nosso destino. Um elo que jamais romperá, pois amar é nossa destinação.

Abençoados somos pela energia que vai e retorna, agora somos apenas um, num écran

de muitos amores que brilham e se iluminam

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

118

pelas luzes divinas do ser supremo, nosso Pai celestial. Amar, mas que legal!

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

119

AMOR E CARINHO

119 AMOR E CARINHO Numa afabilidade de carinho e sensações de um apurado destemor. Quero ver

Numa afabilidade de carinho e sensações de um apurado destemor.

Quero ver seu sorriso largo lutando pela conquista do nosso amor.

Num dinamismo inusitado, almejado vejo seus lindos olhos saltitantes.

Fitando os meus acastanhados num piscar brilhante sutil e esfuziante.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

120

Bendizem os bons anjos da gratidão que a nossa vida será eternamente sagrada,

Visto que, o nosso amor é sensação calorosa de uma união divina e consagrada.

Que a felicidade será eterna duradora e que nosso carinho refletirá felicidades.

Que a nossa vida será de venturas mil e a nossa união não será de vaidades e sim verdades.

Amar e ser amado eis a questão, que a conquista será eterna de carisma benfazeja.

Que os nossos laços não sejam em vão e que a nossa união terá viés de certeza.

Pairando sobre nós a sensação febril potentada de nossos eternos e multifários carinhos.

Numa união como o desejo ardente e viril que a energia fortaleça os nossos destinos.

De dois apaixonados por inteiro que se beija, se amam e engalanam numa bela vida,

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

121

Como o ar rarefeito forte e quente imantando o gozo divinal dos corpos por inteiro.

Que nosso encontro seja um elo forte e que paire a bela sinceridade enternecida,

Num fulgor jamais sentido por dois amantes que se partilharam com denodo e guarida.

Dileto, ególatra, estreme, espúrio, insigne, insofismável podem sinonimizar como quiseres.

O que nos importa é a felicidade constante, lucigênita luminescente como um luzeiro,

Que brilhe sempre, tenaz, forte, fruindo e mourejando superando todas as intempéries,

Que seja sagrado dure para sempre, estreme e dileto como dois seres que se untaram pelo amor alvissareiro.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

122

122 AMOR E UNIÃO SÃO ELOS DA FELICIDADE, COLÍRIOS PARA OS OLHOS E ENERGIA PARA O

AMOR E UNIÃO SÃO ELOS DA FELICIDADE, COLÍRIOS PARA OS OLHOS E ENERGIA PARA O CORAÇÃO.

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

123

FESTA DE NATAL

123 FESTA DE NATAL FORTALEZA-CEARÁ No calvário, martírio e sofrimento, na vida dores e lamento. Na

FORTALEZA-CEARÁ

No calvário, martírio e sofrimento, na vida dores e lamento. Na canga jugo e opressão. Na árdua luta do dia a dia equivocadas alegrias. Convivemos com

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

124

indolências e autoridades iníquas. Como iremos partilhar mesas fartas, enquanto existir no mundo crianças famintas. Como vamos partilhar o peru se crianças morrem de fome e ficam as espreitas dos urubus. O tribunal dos antigos condenam os novos e os novos tribunais condenam os mais antigos. A ociosidade do brasileiro se transforma em fome e miséria e esses vieses, em violência. Como comemorar um natal com esperança e um ano melhor, se os políticos desonestos, através da justiça injusta conseguem manobrar o errado e transformá-lo em correto.

Que pegureiro consegue criar suas ovelhas em paz e seja um pastor de ovelhas lucilentes. Ovelhas amestradas que só tragam felicidades a gente. A improdutividade, a preguiça mental e as corrupções são chagas dolorosas que impulsionam atos e fatos deletérios ao

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

125

ser humano. Não sejamos estéreis e sim produtivos. Devemos antever prever ou prognosticar atos feéricos que engrandeçam nossos corações. Se o menino Jesus veio ao orbe terrestre na mais pura pobreza, porque as religiões primam em arrecadar bilhões em vil metal. Isso é absurdo ou natural? Devemos praticar o bem e exterminar o mal de nossas vidas.

Na festa de natal o mundo se colore, mas a vida dos mais fracos, oprimidos e estropiados se opaca. É uma desgraça que ninguém consegue resolver. É o homem explorando o mundo fazendo tudo ao contrário de como Jesus nos ensinou. A charrua do mal caminha e destrói as esperanças das crianças brasilianas. O que fazer? Não sabemos, mas os homens de boa vontade saberão. Devemos neste natal conhecer o íntimo do nosso personalismo. Reiteradas vezes

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

126

usamos a proposição hercúlea de ver a alegria estampada no rosto das crianças abandonadas.

Pensamos em Papai Noel, mas ele já não é papai virou padrasto, visto que algumas crianças ganham presentes e a maioria fica só na esperança. Vamos nos espelhar, nos retratar e tomar como modelo qual herói brasileiro? Já que estamos carentes de líderes vamos reavaliar, reapreciar e reanalisar os atos insanos de nossas vidas. O desculpismo exagerado nos adoece e nos faz sofrer. Natal não é data de tristeza e sim de alegrias. Já que o natal de Jesus te emociona, elevando-te o psiquismo aos ideais reformistas de si mesmo no transpores, com o coração cheio de renovadas esperanças, o pórtico feérico do Ano Novo, aproveita o ensejo para reflexionar se cumpriste, no quando e no tanto que te foi possível, o programa

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

127

redentor que elaboraste para esta etapa vivencial.

Como se desenvolve sua etapa vivencial? Tens praticado o bem sem olhar a quem? Esperamos que sim. Como dizia o irmão Reynaldo o bem eleva o homem, o mal deteriora o espírito. Vamos meditar neste natal e amealhar todas as energias positivas e doá-las as pessoas carentes. Jesus querido irmão, que o homem passe a respeitar seu semelhante, que ame mais a vida e mantenha o amor no coração. Enquanto a criança na sua intensa energia propícia à felicidade nós rejeitamos e agimos pelo instinto e pelo mal.

Querido Jesus protege-nos, coloca-nos no palmilhar do bem e que possamos ver o semelhante como irmão. Devemos fazer uma criança sorrir nessa magna data. Faça sempre como nos ensinou o

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

128

Salvador: “Deixai vir a mim as criancinhas, pois elas herdarão o Reino dos Céus”. Infelizmente nossas crianças estão expostas as pragas da rua e se não tomarmos providências urgentes elas serão nossos algozes no futuro. “Conserva a simplicidade, observa onde te põe, a ambição domina os homens em todas as direções”. Que tenhamos um natal feliz, de paz, de prosperidade, de amor, onde o vetor principal seja o próximo, nossos queridos irmãos. Que Deus seja louvado!

O AUTOR:

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

129

129 POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

130

POESIA A MINHA PAIXÃO ANTONIO PAIVA RODRIGUES

Interesses relacionados