Você está na página 1de 21

1

NA GIRA DE EXÚ O seu Sete é, Eu adorei,


Da Coroa de Oxalá, lará... laiá... Eu adorei as almas,
001 Girar, todo mundo gira, Só porque,
O seu Sete é, Eu adorei as almas. (Bis)
OMULÚ Da Coroa de Oxalá.
Oi seu Sete!... (bis) 011
Meu Pai Oxalá,
É o Rei, 006 DESTRANCA RUA
Venha me valer... (bis)
E o Velho Omulú, Você botou o meu nome, Destranca Rua,
Atotô Obaluaê. (bis) Na boca de um bode, Destranca os meus caminhos,
Mas eu sou filho do seu Sete, Que foi trancado,
Atotô Obaluaê, Comigo ninguém pode. Pelo Povo Pequenino.
Atotô Babá, Você botou, você mesmo vai tirar, Bis
Atotô Obaluaê, É uma ordem do seu Sete, Bará da Rua,
Atotô é Orixá. Você tem que respeitar. (bis) Bará o Exú,
Bará da Rua,
002 007 Saravá Destranca Rua,
Exú Bará da Rua,
Seu Omulú a ê, EXÚ REI Bará o Exú,
Seu Omulú a á, Bará da Rua,
Atotô das Almas, Exú Rei é o maioral, Saravá Destranca Rua,
Seu Omulú a ê, Exú Rei é o maioral, Mas eu não saio na rua,
Bis Ele vem fazer o bem, Mas eu não volto da rua,
Oi salve, salve, E também fazer o mal. Sem cumprimentar,
Salve a calunga, O meu Bará da Rua,
Salve, salve, 008 Bará da Rua,
Salve a calunga, Bará o Exú,
Bis Sete pontas de faca, Bará da Rua,
Eu vinha caminhando, Em cima de uma mesa, Saravá Destranca Rua,
Eu lhe pedi benção, Sete velas acesas, Exú Bará da Rua,
Era o Velho Omulú, Lá na encruzilhada, Saravá Destranca Rua. (Bis)
Atotô Obaluaê, Exú é Rei,
Mas eu vinha caminhando, Alubandê Exú, 012
Eu lhe pedi benção, Exú é Rei,
Era o Velho Omulú, Alubandê Exú, TRANCA RUA
Atotô Obaluaê. Exú é Rei,
Lá nas Sete Encruzilhadas. O sino da igrejinha,
Atotô Obaluaê, Atotô Babá... Faz belém, blém... blóm... (bis)
Atotô Obaluaê, Atotô é Orixá. (bis) Sete facas de ponta, Deu meia-noite, o galo já cantou,
Em cima de uma mesa, Seu Tranca-Ruas que é o dono da gira,
003 Sete velas acesas, Oi corre gira que Ogum mandou. (Bis)
Lá na encruzilhada, Seu Tranca-Ruas que é o dono da gira,
JOÃO CAVEIRA Exú é Rei, Segura a gira que Ogum mandou. (Bis)
Alubandê Exú,
Moço, vou lhe apresentar, Exú é Rei, 013
Vou lhe apresentar, Alubandê Exú,
Um espírito de luz, Exú é Rei, VELUDO
Para lhe ajudar, Lá nas Sete Encruzilhadas.
Oi moço, vou lhe apresentar, Exú da meia-noite,
Vou lhe apresentar, 009 Exú da Encruzilhada,
Um espírito de luz, No terreiro de umbanda,
Para lhe ajudar. Estava na encruza curiando, Sem Exú não se faz nada.
Quando a banda lhe chamou.
Ele é João Caveira, Bis Comigo ninguém pode,
Ele é filho de Omulú, Exú no terreiro é rei, Mas eu posso com tudo,
Quem quiser falar com ele, Na encruza ele é doutor. Na minha encruzilhada,
Alubandê Exú. (Bis) Bis Eu sou Exú Veludo. (bis)
Exú pega demanda,
004 Exú é curador. (Bis) 014

Portão de ferro, 010 EXÚ GIRA-MUNDO


Cadeado de madeira,
No portão do cemitério, Eu adorei as almas, Comigo ninguém pode,
Quem manda é o Exú Caveira. Eu adorei, Mas eu posso com tudo,
Eu adorei as almas, Na minha encruzilhada,
005 Eu adorei, Eu me chamo Gira-Mundo. (bis)
SETE CAVEIRAS Eu adorei as almas,
Só porque, 015
Seu Sete, Eu adorei as almas,
Meu amigo de alma, Mas eu adorei, EXÚ DO LÔDO
Seu Sete, Eu adorei as almas,
Meu irmão quimbandeiro, Eu adorei, Exú pequenininho,
Girar, todo mundo gira, Eu adorei as almas, Dele não faça pouco,
2

Olha lá que ele é Exú, Ele bateu a meia-noite. (bis) Seu Sete Capas quem mandou,
Ele é o Exú do Lodo. Bebe marafo que nem água, Foi pousar na encruzilhada,
Bis Quem é que vai dizer, Seu Capa Preta quem mandou,
Oi Exú do Lodo, Que o Tiriri não bebeu nada. Foi pousar na encruzilhada,
Você não é brincadeira, Bis Exú do Lodo quem mandou.
Exú do Lodo,
Você mora na ladeira, 019 Ena ena é Mogibá, ê...
A capa p’ra Exú, É Mogibá, (bis)
Que eu mandei fazer, ENÁ ENA É MOGIBÁ
Não era p'ra Exú, Soltaram o pombo lá na mata,
É p'ra Bará Lodê. Ena ena é Mogibá, ê... Mas na pedreira não pousou,
Oi a capa p'ra Exú, É Mogibá, (bis) Foi pousar na encruzilhada,
Que eu mandei fazer, Tatá Caveira quem mandou,
Oi não era p'ra Exú, Soltaram o pombo lá na mata, Foi pousar na encruzilhada,
É p'ra Bará Lodê. (Bis) Mas na pedreira não posou, Seu Sete Covas quem mandou,
Foi pousar na encruzilhada, Foi pousar na encruzilhada,
015 Seu Sete Encruza quem mandou, O Boiadeiro quem mandou.
Foi pousar na encruzilhada, Ena ena é Mogibá, ê...
ZÉ PELINTRA Seu Tranca Rua quem mandou, É Mogibá, (bis)
Foi pousar na encruzilhada,
Eu encontrei, Exú Veludo quem mandou. 020
Zé Pelintra na estrada,
Chorava pelo amor de sua Ena ena é Mogibá, ê... MEUS AMIGOS
amada, É Mogibá, (bis)
Ele chorava, por uma mulher, Seu Marabô, Tiriri,
Chorava por uma mulher, Soltaram o pombo lá na mata, Seu Tranca Rua,
Oi chorava por uma mulher, Mas na pedreira não pousou, Eu venho p’ra encruzilhada,
Que não lhe amava. (Bis) Foi pousar na encruzilhada, Pedir um ajuda sua.
Seu Tiriri foi quem mandou, Bis
016 Foi pousar na encruzilhada, Seu Sete Capas, meu Exú,
Aquela casa de pombo, Arranca Toco quem mandou, Meu defensor,
Aquela casa de pombo, Foi pousar na encruzilhada, Zé Pelintra na encruza,
Só dá pra dois morar... Seu Tranca Gira quem mandou. Eu sei que tu é doutor.
Aquela casa de pombo, Ena ena é Mogibá, ê... Maria Padilha,
Aquela casa de pombo, É Mogibá, (bis) Rainha do Candomblé,
É do meu povo girar... Venha me valer agora,
Soltaram o pombo lá na mata, Eu preciso da senhora.
Eu e você!... Mas na pedreira não pousou, Quiseram pôr fogo no meu barracão,
Você e eu!...(Bis) Foi pousar na encruzilhada, Esqueceram que eu também,
Se eu te magoei!... Seu Omulú foi quem mandou, Tenho Exú e coração.
Foi sem querer!...(Bis) Foi pousar na encruzilhada, Bis
Seu Xapanã foi quem mandou, Grito bem alto,
017 Foi pousar na encruzilhada, Meus amigos da encruza,
Sete Caveiras quem mandou. Vocês vão me defender,
TRANCA RUA Com um pai ninguem abusa.
Ena ena é Mogibá, ê...
Vocês estão esse moço, É Mogibá, (bis) Quiseram pôr fogo no meu barracão,
Que no cruzeiro está, Esqueceram que eu também,
Mas preste bastante atenção, Soltaram o pombo lá na mata, Tenho Exú e coração.
Quando por ele passar, Mas na pedreira não pousou, Bis
Oi reze uma grande homenagem, Foi pousar na encruzilhada, Grito bem alto,
Com todo o respeito que há, Seu Exú Rei foi quem mandou, Meus amigos da encruza,
Pois ele é o Exú Tranca Rua, Foi pousar na encruzilhada, Vocês vão me defender,
Filho das Almas também, Seu Gira Mundo quem mandou, Com um pai ninguem abusa.
Cuidado gente, Foi pousar na encruzilhada,
Não vão se enganar, Destranca Rua quem mandou. 021
Pois nossos caminhos, Ena ena é Mogibá, ê...
Ele poderá trancar. (Bis) É Mogibá, (bis) POVO DO MAR

018 Soltaram o pombo lá na mata, Pescador!... Pescador!... Cuidado!...


Mas na pedreira não pousou, Cuidado com as ondas do mar.
EXÚ TIRIRI LANÃ Foi pousar na encruzilhada, Hoje é dia de lua nova,
Maria Padilha quem mandou, Dia do Povo do Mar...
Exú Tiriri Lanã, Foi pousar na encruzilhada,
Lanã cadê o Tiriri, Maria Molambo quem mandou, Arerê, vem chegando Ererê,
Mais ele veio de Aruanda, Foi pousar na encruzilhada, Vem chegando Arerê,
Pra salvar filhos de Umbanda, Maria das Almas quem mandou. Vem chegando Ererê,
Exú Tiriri Lanã. (bis) Vem chegando Arerê,
Ena ena é Mogibá, ê... Vem chegando Ererê,
Oi já bateu a meia-noite, É Mogibá, (bis) Vem chegando Arerê,
Quero ver quem vem aí...(bis) Vem chegando Ererê,
Vamos firmar nossa corrente, Soltaram o pombo lá na mata, Vem chegando A....
Que aí vem seu Tiriri. (bis) Mas na pedreira não pousou, Bis
Baila que baila na porteira, Foi pousar na encruzilhada, Se fez prece a Mãe Sereia,
3

Dandalunda vai te ajudar, Quem cometeu os seus pecados, Do pé amarelo,


Pescador de lua nova, Peça perdão ao Tranca-Ruas ! Canta meu galo
Cuidado, olha o Povo do Mar... Só faz o que eu quero... Bis
E pelo sangue derramado,
Arerê, vem chegando Ererê, Oh ! luar, No pino da meia-noite,
Vem chegando Arerê, Em cima de uma catacumba, Um galo preto cantou,
Vem chegando Ererê, Oh ! luar, Ele veio tirar despacho,
Vem chegando Arerê, Quem cometeu os seus pecados, Que você pra mim botou.
Vem chegando Ererê, Peça perdão ao Tranca-Ruas!
Vem chegando Arerê, 029
Vem chegando Ererê, Mas ele é filho do sol,
Vem chegando A.... E também é neto da lua, EXÚ BOIADEIRO QUERÊNCIO
Quem cometeu os seus pecados, Boa noite, meus senhores !
Pescador faz oferendas, Peça perdão ao Tranca-Ruas! Zá, izá, izá,
Mamãe Cinda vem buscar, Boa noite, venham cá !
E na praia Ela chega, 025 Eu me chamo Boiadeiro,
Traz presentes de Iemanjá... Zá, izá, izá,
EXÚ GANGA Querêncio do Gravatá !
Arerê, vem chegando Ererê, Zá, izá, izá.
Vem chegando Arerê, Eu fui no mato, Ganga,
Vem chegando Ererê, Colher cipó, Ganga, 030
Vem chegando Arerê, Eu vi um bicho, Ganga,
Vem chegando Ererê, Com um olho só, Ganga... SUBIDA DE EXU
Vem chegando Arerê,
Vem chegando Ererê, Exú Ganga, Exú Ganga é Marabô, Adeus, já é hora grande,
Vem chegando A.... Exú Ganga, Exú Ganga é Marabô Adeus!...
022 Bis Adeus que eu já vou embora...
(bis)
Alubandê Povo da Rua! 026 Sigo o meu caminho,
Alubandá, alubandê... Girando na linha das almas,
Alubandê Povo da Rua! SAUDAÇÃO A ZÉ PILINTRA Um adeus para quem fica,
A demanda é feia, Boa-noite, eu já vou embora... (bis)
Mas dá p'ra vencer. Oi Zé ! Quando vem de Alagoas,
Alubandê, seu Omulú, Toma cuidado com o balanço da 031
Exú Rei, Destranca Rua, canoa...
Sete Encruza, Exú Veludo, Oi Zé ! BARRACA VELHA
Se é demanda nossa, Faça tudo o que quiser,
É luta tua. Só não maltrate o coração dessa Eu ganhei uma barraca velha,
Alubandê, Maria Padilha, mulher... Bis Foi a Cigana quem me deu,
A encruza e a calunga é tua, Eu jurei o meu amor por ela,
Maria Molambo, Maria Quitéria, 027 Mas ela não correspondeu.
Se é demanda nossa, Mas o que é meu é dela,
É luta tua. CHAMADA DE ZÉ PILINTRA E o que é dela não é meu !...
Alubandê, Sete Caveiras, Mas o que é meu é dela,
Sete Encruzilhadas, Tranca Rua, Saravá seu Zé Pilintra, E o que é dela não é meu !...(Bis)
Sete das Almas, Sete Capas, Moço do chapéu virado,
Se é demanda nossa, Na direita ele é maneiro, 032
É luta tua. Na esquerda ele é pesado. Bis
Alubandê, seu Exú Rei, Cuidado meu camarada, MARIA PADILHA
Gira Mundo, Bará da Rua, Não meta a mão em cambuca, MARIA MULAMBO
Tiriri, Exú do Lodo, Quem mexer com Zé Pilintra,
Se é demanda nossa, Vai ficar lélé da cuca. Bis É no espelho,
É luta tua. Que eu vejo a minha dor,
Sou filho de Zé Pilintra, É nos seus olhos,
023 Tenho que me orgulhar, Que refletem mal de amor.
Pra me livrar de mandinga. Bis
Ponto geral de Subida Carrego o meu patuá. Bis Tira o teu sorriso do caminho,
Que eu quero passar,
É hora, é hora, 028 Com a minha dor,
É hora no calendá é hora, Se ontem em tua vida,
É hora é hora... PONTO NA VIBRAÇÃO DE CATIMBÓ Eu fui o espinho,
É hora, é hora, – PARA DESMACHAR FEITIÇO O espinho não machuca a flor,
É hora meu bom Exú já vai embora. Eu só errei,
(BIS) Meu galo preto Quando juntei minha alma a tua,
Do pé amarelo, O sol não pode viver,
024 Canta meu galo Perto da lua.
Só faz o que eu quero... Bis
LAMENTO A TRANCA-RUAS Mas se ontem, foi o ontem,
Na direita tenho Deus, O amanhã será depois,
Oi que lindo luar, Porque Nele tenho fé, Então aqui eu voltarei,
Oi ! luar, Na esquerda tenho meu galo, Para o que resta de nós dois.
Oh ! luar, Que desmancha tudo com o pé. Bis
Mas ele é dono da rua, Eu volto ao jardim,
Oh ! luar, Meu galo preto Na esperança de vê-la feliz,
4

Eu falo com as rosas, Ele vem fazer o bem, Bis


Mas as rosas não falam, E também fazer o mal. Eu e você, você e eu!
Simplesmente exalam, Eu e você, você e eu!
O perfume do amor. 037 Se eu te magoei...
Mas se ontem, foi o ontem, Foi sem querer!
O amanhã será depois, Lá atrás daquele morro, Se eu te magoei...
Então aqui eu voltarei, Passa boi, passa boiada, Foi sem querer!
Para o que resta de nós dois. Bis Também passa Maria Padilha,
Rainha da Encruzilhada. 040
033
038 MARIA MOLAMBO
O seu olhar é sereno,
O seu olhar me fascina, POMBA-GIRA CIGANA Se o teu pó é real,
Bis Se o teu pó é real,
Mas ela vem girando, Eu vinha, caminhando a pé, Molambo é a Pomba Gira,
Na linha das almas, Para ver se encontrava, Que carrega uma vassoura,
É Maria Padilha. Pomba Gira Cigana de fé, Bis
Bis Bis Vem da Calunga vem,
É só toco tambor, Ela parou e leu minha mão, Vem da Calunga vem,
É só quando eu canto p'ra ela. E disse, toda a minha verdade, Maria Molambo,
Bis Mas eu... Que carrega uma vassoura.
Mas ela vem girando, Eu só queria saber a onde mora, Bis
Na linha das almas, Pomba Gira Cigana de fé, Ó que linda criatura,
É Maria Padilha. (bis) Bis Que eu por ela, faço loucura,
Mas bem que eu lhe avisei, Oi bela flor da aurora,
034 Que eu lhe avisei... Oi linda como o luar,
Que você não jogava, Mas eu daria tudo para ver,
EU NÃO TE QUERO UM DIA Essa cartada com ela... Maria Padilha nessa hora.
Bis Bis
Eu não te quero um dia, Você parou no valete, Se o teu pó é real,
Não te quero uma noite, não, E eu... Se o teu pó é real,
É porque eu te quero, Eu parei na da dama, Molambo é a Pomba Gira,
Por toda a eternidade. Eu parei na dama... Que carrega uma vassoura.
Bis Amigo, você não me engana, Bis
O seu Sete sabe, Pomba Gira Cigana, Vem da calunga vem,
A Rainha vê, É a mulher de fama. Vem da calunga vem,
A Menina comenta, Amigo, você não me engana, Maria Molambo,
Que eu amo você. A mulher de fama, é... Que carrega uma vassoura.
Bis Pomba Gira Cigana.
A Padilha sabe, 041
A Quitéria vê, 039
A Molambo comenta, POMBA GIRA DAS SETE
Que eu amo você. MARIA PADILHA DAS ALMAS ENCRUZILHADAS
Bis
Tranca Rua sabe, Se você quer patuá, Rosa Vermelha,
O Veludo vê, E quiser ganhar, Rosa Vermelha sagrada,
Zé Pelintra comenta, Vá falando com a mulher, É a Pomba Gira,
Que eu amo você. Que ela vai lhe ajudar, Das Sete Encruzilhadas,
Bis Bis Bis
O Caveira sabe, Alubandê pra Maria passar, Quando ela vem, girando,
O do Lodo vê, Oi abre a roda, Dançando e dando risada,
Kalunguinha comenta, Que a Padilha vai girar. Cuidado amigo, que ela está,
Que eu amo você. (Bis) Bis De saia rodada,
Abre essa cova, Bis
035 Quero ver tremer, Oi Exú é Pomba Gira,
Abre essa cova, Das Sete Encruzilhadas, (bis)
Maria Molambo, Quero ver balancear.
Maria mulher, Bis 042
Maria Padilha, Oi Maria Padilha das Almas SERÁ MACUMBA
Rainha do Candomblé. O cemitério é o seu lugar,
Bis É no cruzeiro que a Rainha mora, Eu vi a lua,
Foi uma rosa, É lá na lomba que a Padilha vai girar. Clareando a rua, ao luar,
Que eu plantei na encruzilhada, Bis Levava uma garrafa de marafo,
Foi uma rosa, Oi abre essa cova, Pro senhor Bará, tomar,
Que eu plantei no meu jardim, Quero ver tremer, Passou um homem,
Maria Molambo, Abre essa cova, Olhou e viu,
Maria mulher, Quero ver balancear. Tirou o chapéu,
Maria Padilha, Bis E me cumprimentou,
Rainha do Candomblé. Bis Aquela casa de pombo,
Aquela casa de pombo... Será macumba, macumbá,
036 Só dá pra dois morar!... Ou será mandinga de amor
Aquela casa de pombo, Bis
Aí vem Maria Padilha, Aquela casa de pombo... Será macumba, macumbá,
De tamanquinho de pau, É do meu girar!... Ou será mandinga de amor.
5

Bis Mas o meu Pai sempre venceu Pois na vida só vence,


Será macumba, macumbá, demanda, quem tem fé,
Ou será mandinga de amor, Com ele não há nenhuma demanda, Ó quem tem fé,
Bis O meu Pai vem de Aruanda, Folha morta revive quando chá,
Será macumba. macumbá, Seu Capa Preta entra na Umbanda. Esperança não morre se lutar,
Ou será mandinga de amor, Toda sorte perdida,
Oi mandinga de amor. Bis 048 É bobeira que dá. Bis

043 Pomba Girê Cacurucai, 051


Olha Pomba Girê Cacurucai. Pomba Gira é,
CIGANA DO PANDEIRO Bis Mulher de sete marido,
Já bateu meia noite... Cuidado com ela,
A Cigana do Pandeiro, Pomba Gira é um perigo. Bis
Vem chegando, vem sorrindo, Pomba Girê Cacurucai,
Vem trazendo a saúde, Olha Pomba Girê Cacurucai. 052
Pros filhos que estão caindo. Bis
Bis Ela vai vencer demanda... CIGANA MARIA MADALENA
Ela vem na tempestade, Pomba Girê Cacurucai,
Vem junto com o temporal, Olha Pomba Girê Cacurucai. A Cigana Maria Madalena,
Vem sambando, vem dançando, Bis Vem de longe dançar neste Congá,
Levantando todo o mal. Bis Ela manda na encruza... Traz a paz, a saúde e o amor,
Pomba Girê Cacurucai, Com permissão de Zâmbi e Oxalá,
044 Olha Pomba Girê Cacurucai. Para todos os filhos neste Elê,
Bis Muito axé, muita luz para este Endá.
Ela traz as suas guias, Ela abre os meus caminhos...
De terras além do mar, 053
Ela vem lá da Hungria, Pomba Girê Cacurucai,
Para nos abençoar. Olha Pomba Girê Cacurucai. (DESPEDIDA/SUBIDA)
Bis
Ela tem cabelos longos, É mulher de sete Exús... A Cigana, Maria Madalena,
Que brilham com o luar, Se despede agora do Congá,
Ela vem lá da Aruanda, Pomba Girê Cacurucai, Deixa a paz, a saúde e o amor,
Com Xangô vai trabalhar. Bis Olha Pomba Girê Cacurucai. Com permissão de Zambi e Oxalá,
Bis Para todos os filhos neste Elê,
045 Ela desmancha mironga... Muito axé, muita luz para este Endá.

Oi que linda Mulher Exú, Pomba Girê Cacurucai, 054


Lá no cruzeiro, Olha Pomba Girê Cacurucai. MARIA PADILHA
Ela é a Rainha Exú, Bis
Lá no cruzeiro, E o galo já cantou... Quando a lua sair,
É a Pomba Gira Exú, Quando a lua sair ô, ô...
Lá no cruzeiro. Pomba Girê Cacurucai, E o cruzeiro iluminar,
Olha Pomba Girê Cacurucai. A mais bela das giras,
Ai que linda Mulher Exú, Bis A Padilha vai girar !... Bis
Lá no cruzeiro, Pomba Gira já baixou...
Ela é a Rainha Exú, 055
Lá no cruzeiro, Pomba Girê Cacurucai,
É a Pomba Gira Exú, Olha Pomba Girê Cacurucai. Bis CIGANA SETE SAIAS
Lá no cruzeiro.
049 Quando a lua sair,
046 Quando a lua sair ô, ô...
EXU MARÉ Ela vai, ela vai, ela vai, girar... E o cruzeiro iluminar,
Bis A mais bela das giras,
Exú Maré, Maré, Maré... Pomba Girê oi, Pomba Girê oi... Sete Saias vai girar !... Bis
Bis Girou, girou, girou, no ar... Bis
Afirma o cabrito, 056 – CD 03
Levanta o quatro pé, 050
Afirma o seu ponto, VOU ABRIR MINHA ARUANDA
Vem chegando Exú Maré É PRA QUEM TEM FÉ
Bis T- Vou abrir minha Aruanda!...
Exú Maré, A sorte sorriu pra você, Vou abrir meu Juremá!...(bis)
Pomba Gira da Praia, Em sonho somente ficou... R- Com a licença de Mamãe Oxum,
Exú na areia (Bis) O mundo não gira sem gira, E nosso Pai Oxalá. (bis)
E pra gira da vida, T– Santo Antônio é Ouro Fino,
047 Você, nem ligou. Arreia a bandeira e vamos trabalhar!
(bis)
Nagô ô ô, Nagô ô ô... Chuva demais traz ruína,
Eu sou filha do Rei Nagô ô ô... Olho grande lhe cegou... 057 – CD 08
Bis Procura a primeira esquina,
Eu sou filha do Rei Oxalá, Deita um pedido a Maria, QUANDO DEU MEIA NOITE
Do seu Sete e de Xangô, Com fé, que você abjurou.
Oi eu entro na gira, T – Larou Exú, Exú é Mogibá!
E faço com fé, E aguarde, a virada da maré, R – Eeee!...
Recebo força como filha de fé, A virada da maré... T – Larou Exú, Exú é Mogibá!
6

R – Eeee!... Morador pra morar nela. Eu vou mandar chamar meu povo,
Ainda não achou morador, Sem Exú não se faz nada! (bis)
T – Sua capa de veludo, Pra morar nela.
Quando veio deixou lá. R - Ainda não achou morador, 064
Quando dava meia-noite, Pra morar nela.
Todo Exú ia buscá. Ainda não achou, EXÚ VENTANIA
Ena Mogibá ê!...(bis) Morador pra morar nela. (bis) (Ponto de Subida)
Ena Mogibá ê!...(bis)
Sua capa de veludo, 060 – CD 16 Vento ventou,
Quando veio deixou lá. Ventania vai embora!...
Quando dava meia-noite, SEU ZÉ PILINTRA Bis
Todo Exú ia buscá. Vai pro lugar da paz,
T - Dim, dim, dim, dim, dim, ... (bis) Vai pro lugar do amor!...
R – Ena Mogibá eee...(bis) risca ponto! Bis
Ena Mogibá eee...(bis) R - Dim, dim, dim, dim, dim, ...(bis) Vento ventou...
T - Sua capa de veludo, T – Firma ponto!
Quando veio deixou lá. R - Dim, dim, dim, dim, dim, ...(bis) 065
Quando dava meia-noite, T– Pulando cruzado,
Exú Caveira ia buscá. Pro meio do terreiro chegou, EXÚ VENTANIA
R – Ena Mogibá eee...(bis) Ogum da Bahia,
Ena Mogibá eee...(bis) Do Congo e da Lei de Nagô. (bis) Deu meia noite,
T - Sua capa de veludo, Chegou Zé Pilintra que veio do lado de Na terra e no mar!...
Quando veio deixou lá. lá, No mato e na calunga,
Quando dava meia-noite, Fumando e bebendo e gritando vamos Em todo lugar!...
Tranca Rua ia buscá. saravá. (bis) Bis
R – Ena Mogibá eee...(bis) R–Saravá ooo saravá!... (bis) Seu Ventania
Ena Mogibá eee...(bis Saravá ooo saravá!... (bis) Não tem hora pra chegar!
T - Sua capa de veludo, T–Eu virei o ponto para saravá Lucifer, Bis
Quando veio deixou lá. Maria Padilha é Rainha do Candomblé. Depois da meia noite,
Quando dava meia-noite, (bis) Chega em qualquer lugar!...
Pombo Gira ia buscá. R–Candomblé ooo, Candombé! (bis) Bis
R – Ena Mogibá eee...(bis) Candomblé ooo, Candombé! (bis) Deu meia noite...
Ena Mogibá eee...(bis)
T - Sua capa de veludo, 061 066
Quando veio deixou lá.
Quando dava meia-noite, VERMELHO E NEGRO EXÚ VENTANIA
Todo Exú ia buscá.
R – Ena Mogibá eee...(bis) De vermelho e negro, vestindo Venta a noite, venta o dia,
Ena Mogibá eee...(bis) À noite o mistério traz, Sou Exú da ventania!...
T - Sua capa de veludo, De colar de conchas, Bis
Quando veio deixou lá. Brincos dourados, Na companhia de Exú Rei,
Quando dava meia-noite, A promessa faz... Ventania!... (bis)
Todo Exú ia buscá. Se você quer ir,
Aruê Exú! Você pode ir, 067
R – Eee!... Peça o que quiser...
Mas cuidado amigo, EXÚ MARABÕ
058 – CD 09 Ela é bonita, ela é mulher.
E num canto da rua, Marabô ae, Marabô de ba o exú.
SEU TRANCA RUA Zombando, zombando, Marabô ae, Marabô de ba o exú.
Zombando tá...
T – Laroiê! Ela é moça bonita, Olha a ginga de malandro e,
R – Eee!... Girando, girando, girando lá, oi... Olha a ginga de malandro a...
T – Saravá seu Tranca Rua! Oi girando lá, oi...
R – Eee!... Oi girando lá, oi... Cruz de ferro, pó de mico,
T – Laroiê! Saravá seu Marabô!
R – Eee!... 062 Ele é chefe de terreiro,
Na linha de Nagô. Bis
T – Seu Tranca Rua é uma beleza, EBÓ DE EXÚ
Eu nunca vi um exú assim... (bis) 068
Seu Tranca Rua é uma beleza, Olha o Ebó de Exú
Ele é madeira que não dá cupim. Quem quer, quem quer, SETE ENCRUZILHADA
R - Seu Tranca Rua é uma beleza, Quem vai querer!...
Eu nunca vi um exú assim... (bis) Você pode comer, Aonde mora Encruzlhada,
Seu Tranca Rua é uma beleza, Você pode beber!... (bis) Seu Sete Encruza já chegou.
Ele é madeira que não dá cupim. (bis) Bis
T – Iá á á á á ... 063 Foi na porteira da calunga,
exú,
059– CD 13 EU VOU CHAMAR MEU POVO Ele é exú de Marabô. (bis)

EXÚ FEZ UMA CASA Eu vou, eu vou, 069


Eu vou mandar chamar meu povo!
T – Exú fez uma casa, Bis EXÚ JOÃO CAVEIRA
Sem porteira e sem janela, Eu vou mandar chamar meu povo,
Ainda não achou, Lá nas sete encruzilhadas, Ele mora na pedra dourada,
7

Onde não passa água, Você tem que ver!... 076


Onde não brilha o sol... Você tem que acreditar!...
Bis Que a maior calunga é... EXÚ VELUDO
Mas ele é João Caveira é, A calunga do fundo do mar!
É o exú das almas, Bis Auê Exú Veludo,
Da calunga auê... (bis) Exú Maré... Seu cabrito deu um berro.(bis)
Rebentou cerca de arame,
Caveira, Caveirinha, 073 Estourou portão de ferro.
Quem te pede te paga,
Caveira, Caveirinha, TRANCA RUA 077
No portão da meia noite. (bis)
Aonde vai exú, Se quiser me ver, EXÚ DO LÔDO
Vai correr carreira, Meia noite em ponto,
Lá no cimitério, Numa escuridão, Exú do Lôdo,
Ele é o Exú Caveira. (bis) Debaixo do lampião. (bis) Do Lôdo ele é odê.
Quem é esse exú,
Caveira, Caveira!... O meu nome é Tranca Rua, Agora eu quero ver. (bis)
Olha o teu povo te chamou, Em nome do meu irmão.
Pra trabalhar. (bis) Se quiser fazer macumba, 078
Põe aqui na minha mão. (bis)
Portão de ferro, POMBA GIRA DO FORNO
Cadeado é de madeira. 074
O dono da calunga, O sino bateu,
Ainda é o Exú Caveira. (bis) STO ANTÔNIO PEQUENINO Lá na calunga tremeu...(bis)
Mas quem era ela...
Olha lá quem vem lá, Santo Antônio Pequenino, Mas quem era ela...
Descendo a ladeira, Amansador de burro brabo, Pomba Gira do Forno apareceu. (bis)
Olha lá quem vem lá, Quem mexer com Sto Antônio, 079
É o Exú Caveira. (bis) Ta mexendo com o diabo.
CABOCLO ROXO
070 Rodeia, rodeia, rodeia,
Meu Santo Antônio rodeia. Caboclo Roxo,
EXÚ MARÉ (bis) Comedor de carne crua.
Pomba Gira Rainha, Firma seu ponto,
Maré, Maré!... Gira a noite, gira o dia, No meio da rua. (bis)
Vem do mar. No embalo dessa gira,
Maré, Maré!... Gira o Exú Ventania. Firma o sol,
Vem pra trabalhar. (bis) Rodeia, rodeia, ... Firma a lua,
Seu ponto é seguro,
Maré!... Maria Mulambo, No meio da rua. (bis)
Teu povo te chama, No meio da encruzilhada,
Maré!... Convidou João Caveira, Eu vinha vindo devagar,
Teu povo a chamar. Dando uma gargalhada. Eu vinha vindo bem ligeiro,
Maré, vem de Aruanda, Rodeia, rodeia,... Para a Cigana dos Sete Cruzeiros.
Maré, vem pra trabalhar. (bis) (bis)
Tiriri matou um galo,
071 E cortou em pedacinho, Firma o sol,...
Convidou Maria Padilha,
POMBA GIRA MORENA DA PRAIA Para não comer sozinho. 080

Foi de tanto lamentar, Rodeia, rodeia,... LINHA DAS ALMAS


Que seu lamento ecoou! (bis)
Me convidaram, Quem trabalha com as almas,
Foi no canto do marujo, Pra pular amarelinha, Trabalha devagarinho...(bis)
Que a Morena da Praia se encantou!... Se eu perder você me ganha, É devagar, é devagarinho,
(bis) Se eu ganhar você é minha. Quem trabalha com as almas,
Ele foi pro mar!... Não se perde no caminho.(bis)
Ele foi navegar!... (bis) Rodeia, rodeia,...
Espera Morena espera, 075 Eu chamo as almas,
Que teu homem vai voltar!...(bis) E as almas vem,
ZÉ PILINTRA As almas me ajudam,
072 As almas fazem o bem.(bis)
EXÚ MARÉ Está vendo aquele moço, 081
Sentado logo ali,
Eu fui no mar!... Todo de terninho branco, POMBA GIRÊ
Eu fui na beira da praia, Chapéu de palha,
Pra saudar Exú Maré, Olhando pra mim. (bis) Olha Pomba Girê,
E a Falange do Povo do Mar. Sou eu, sou eu,...
É Zé Pilintra é, Olha Pomba Girá,
Exú Maré!... Ele é o Zé, Sou eu, sou eu,...
Eu vim aqui pra te saudar... Ele é malandro, Olha Pomba Girê,
Exú Maré e Ele é boêmio, Sou eu, sou eu,...
A Falange do Povo do Mar. Ele é o Zé. (bis) Giro, giro no mar.
8

Ela vai, ela vem, Eu sou exú,


Ela vai girar, Seu Ventania, Peço licença Exú Olodê!...
Ela vai, ela vem, Na Linha do Oriente. (bis) Viemos coroar Pomba Gira Molambê.
Ela vai girar. (bis)
Oriente é... 092
082
087 FOI VOCÊ QUEM FALOU
EXÚ, PORTEIRO
POMBA GIRA RAINHA Molambo foi você quem falou,
O porteiro ele é boêmio, Foi você quem falou,
O porteiro ele é da noite, A Rainha chegou no reino, Que gostava de mim.
O porteiro ele é o exú, No reino a Rainha chegou.(bis) Maria Molambo, foi você quem falou,
Que vem trabalhar. Ela vem lá do cruzeiro, Foi você quem falou,
Foi seu Sete quem mandou. (bis) Que gostava de mim. (bis)
Ele gira aqui, oi gira, Ela sacudiu os ombros,
Ele gira lá, Ela se balanceou. (bis) Maria Molambo quando você for
Mas ele é o exú, Ela vem lá do cruzeiro, embora,
Que vem trabalhar, Foi seu Sete quem mandou. Quando você for embora!
Lá... lá... laia (bis) Deixe uma rosa pra mim. (bis)
088
083 093
Você sabe quem sou eu!...
TIRIRI LANAN Você sabe quem sou eu!... Ó BOA NOITE
Eu giro à meia-noite,
Hoje tem festa lá na praça, Eu giro ao meio-dia, Ó boa noite, pra quem vem de longe,
Lanan com seu Povo Cigano. Eu giro a qualquer hora. Ó boa noite, pra quem vem chegando,
Ó boa noite pra moça bonita,
Mas ele toca seu lindo violino, Você sabe quem sou eu!... É pra ela que estou cantando!
Para saudar a Cigana do Jarro. (bis) Você sabe quem sou eu!... (bis)
Eu sou Exú Mulher. Levo sete rosas vermelhas,
Mas ele toca para seu rei, Lá na encruzilhada,
Para seu rei Tiriri Lanan. 089 É lá que a moça bonita,
Alupandê à Cigana do Jarro! Dá a sua risada. (bis)
Alupandê Tiriri Lanan. (bis) Não é a toa que eu tenho um trono,
Não é a toa que eu tenho uma coroa. 094
084 (bis)
Eu agradeço ao Senhor das Alturas, MARIA PADILHA
FLORES E PERFUMES Sou Pomba Gira a Rainha das Ruas.
(bis) Mas ela é a Maria Padilha,
Amigos joguem flores e perfumes, Mulher da máfia de Lucifér,
Joguem flores e perfumes, 090 Mas ela brilha na noite escura,
Que a Cigana está em festa!... O seu feitiço está na ponta do seu
Bis POMBA GIRA M. MOLAMBO garfo,
Ooo ooo Povo Cigano! Está debaixo do seu pé. (bis)
Ooo ooo Povo Cigano! Maria Molambo,
Você não é brincadeira. Me chamam de leviana,
Amigos.... Maria Molambo, Ou até mesmo mulher de cabaré,
Você mora na ladeira. (bis) Mas a língua do povo não tem osso,
085 A capa encarnada, Então deixa esse povo falar. (bis)
Que eu mandei fazer,
CIGANA CELORI Não é para o exú, Olha só como eu toco tambor,
Pisa na ponta do pé, É pra Maria Molambê. (bis) Olha só como eu toco pra ela...
Eu quero ver a Celori!... Olha só como eu toco tambor,
Oi pisa na ponta do pé, Olha minha gente, Olha só como eu toco pra ela...
Eu quero ver a Celori! (bis) Ela é farrapo só!...(bis)
Eu perguntei as cartas, Mas ela vem girando,
Perguntei as cartas de tarô!... È Pomba Gira Maria Molambo, Na linha das almas,
Bis Ela é farrapo só!...(bis) É Maria Padilha. (bis)

Ae ae Celori! Mas que caminho tão escuro, Toco que toco tambor,
Ae ae Celori! Que caminho tão escuro, Toco que toco pra ela...
Que passa aquela moça, Toco que toco tambor,
Cigana teu povo te chama, Com sua saia de chita, Toco que toco pra ela...
Eu quero ver a Celori! (bis) Estralando osso, O seu olhar é sereno,
Só osso, só osso,... O seu olhar me fascina!...
086 O seu olhar é sereno,
Mas olha minha gente... O seu olhar me fascina!...
LINHA DO ORIENTE
091 Olha só como eu toco tambor,
Oriente é... Olha só como eu toco pra ela...
O lugar da paz, Quem mora na porta da lomba, Olha só como eu toco tambor,
O lugar da vida, É a Pomba Gira Molambê, Olha só como eu toco pra ela...
O lugar do amor!... (bis) Exú que mora na porta da lomba,
É Pomba Gira Molambê... 095
9

Abre essa cova, Exu é nan, Boa-noite, gente,


Quero ver tremer, Exu é nan á querê quetê. Boa-noite já. (bis)
No seu feitiço, Legbára, Exu é nan, Olha o sapo que pula no chão,
Quero ver quem vai mexer. (bis) Legbára, Exu à querê. Andorinha que voa ao luar. (bis)
102
Maria Padilha das almas, 112
O cemitério é o teu lugar, Toma lá, zéco zéco, Exu louvei,
É no buraco que a Padilha mora, Óia seu curiá. Exu louvei a encruzilhada.
É no buraco que a Padilha vai ficar. Toma lá, zéco zéco, Louvei morada de Exu,
(bis) Óia seu curiá. Louvei a rua e a madrugada.
Abre essa cova,
Quero ver tremer, 103 113
No seu feitiço,
Quero ver quem vai mexer. (bis) Bombogira vem tomá chô chô, Sala, salá,
Bombogira vem tomá chô chô. Mucarrêro, ê salá.
096 Sala, salá,
104 Mucarrêro, legbará.
PONTO DE SUBIDA Tenda, tendá,
Pombo Gira, tendaió. 114
Bate meus tambores, Tenda, tendá, TEM MORADOR
Que eu já vou embora!... Pombo Gira, tendaió.
Bate meus tambores, Tem morador, de certo tem ,
Que eu já vou embora!... 105 Tem morador,
O meio do cruzeiro é meu!... De certo tem morador.
O meio do cruzeiro é meu!... PONTOS DE EXU Na porta meu galo canta,
É lá minha morada!... ( chamada ) De certo tem morador. (bis)
É lá minha morada!... Cambono segura a cantiga, 115
Que está chegando a hora.
Oi bate meu tambores... (bis) Tá chegando a meia-noite,
Saravá toda a encruza, Tá chegando a madrugada. (bis)
097 Exu é quem manda agora. (bis) Salve o povo de Quimbanda,
106 Sem Exu não se faz nada. (bis)
PONTO DE EXU
( Angola ) O garfo de Exu é firme, 116
A capa de Exu me rodeia.
Mavile, mavile, mavile, mavango, (bis) PONTO DE EXU
Recompensuê, rá, rá, rá, Já passei na encruzilhada, ( firmeza )
Recompensuá. Vaguei pela madrugada,
Exu não bambeia. (bis) Missarandê, missarandê,
É um mavile, mavile, Me fecha a porta, me abre o Terreiro.
É um mavile, mavango. (bis) 107 Missarandê, missarandê,
Exu é pavenã. (bis) Me fecha a porta, me abre o Terreiro.
Exu é pavenã. (bis) PONTOS DE EXU
Na sua aldeia ele é, ( louvação ) 117
Exu é pavenã.
Meu Senhor do Campo Santo, PONTOS DE EXU
É Pombo Gira, Pombo Gira, Nas horas santas benditas. (bis) ( subida )
Pombo Girá. Quem louva povo de Exu,
É Pombo Gira, Pombo Gira, Não passa horas malditas. (bis) Balança lhe pesa,
Pombo Girá. É hora, é hora,
Pombo Girá. 108 Dom Miguel lhe chama,
O Exu já vai embora.
098 Boa-noite, meu senhor.
Exu no reino chegou. (bis) 118
Có, coró, có, Vamos louvar nossa Quimbanda,
Laroiê. Viva Exu que é doutor. (bis) Bateu meia-noite na capela,
Có, coró, có, O galo cantou na encruzilhada. (bis)
Laroiê. 109 Arruma sua capa e seu garfo, meu Exu,
O meu Pai Ogum lhe chamou na
099 Exu chegou no reino, madrugada.
Pombo Girê, auê, Meu Deus quero ver quem é. (bis)
Pombo Girê, auê, Com licença de Ogum, 119
Pombo Girê, vá muconguê, Com licença de Ogum,
Pombo Girê, vá muconguê Chegou meu Exu de fé. (bis) A encruza tá lhe chamando,
Firma a gira deste jacutá.
100 110 Seu Tranca já vai embora,
Firma a gira deste jacutá.
Mavile congo, macotô ilê mavilê, Boa-noite, boa-noite, Sua banda é muito longe,
Mavile congo, macotô ilê mavilê, Exu tá no reino e vai dar boa-noite. Firma a gira deste jacutá.
Pombo Gira, vá muconguê, Boa-noite, boa-noite, Ele vai deixar o endá,
Oiá, orirê. (bis) Exu vem saravá e me dar boa-noite. Firma a gira deste jacutá.

101 111 120


10

Quem não crê que vá olhar.


Candongueiro, quando chama, 129 Pomba-Gira da Praia, meu sinhô,
É sinal que está na hora, Vem nas ondas do mar,
Candongueiro, quando chama, POMBA-GIRA QUITÉRIA Vem nas ondas do mar.
É que Exu já vai embora, Maria.
Maria, amarra a saia que Exu vai Ali vem Sá Maria Quitéria, 138
embora, Trazendo um axé no pé;
Maria, amarra a saia que Exu tá na Balançando sua saia, EXU MARIA MOLAMBO
hora. (bis) Reforçando a nossa fé.
Mas que caminho tão escuro,
121 130 Que vai passando aquela moça. (bis)
Com seus farrapos de chita,
Exu já curimbou, Exu já curiou, EXU POMBA-GIRA Estalando osso, por osso. (bis)
Exu vai embora que Ogum mandou.
Exu já curimbou, Exu já curiou, Iansã que lhe deu força, 139
Exu vai embora que a encruza chamou. É rainha no Candomblé. (bis)
Vamos saravá a rainha, Olha minha gente,
122 Pomba-Gira Exu Mulher. (bis) Ela é farrapo só. (bis)
131 Pomba-Gira Maria Molambo,
Cambono, camboninho meu cambono, É de coró, có có. (bis)
Olha que Exu vai oló. (bis) Pomba-Gira dá querê,
Vai, vai, vai, meu cambono, Pomba-Gira dá querá, 140
Ele vai numa gira só. (bis) Pomba-Gira da encruza,
É de quará quá quá. Maria Molambo traz,
123 Linda saia com sete guizos. (bis)
132 Quando roda nos Terreiros,
É hora, é hora, Trabalhando nas demandas,
É hora no calendá, é hora. Aê, Pomba-Gira, Mostra que tem muito juízo.
É hora, é hora, Cadê sua saia rodada? (bis)
É hora no calendá, é hora. Cadê sua saia linda, 141
É hora no calendá, é hora. Rainha de encruzilhada?
É hora meus bons Exus, é hora é hora. EXU MARIA PADILHA
133
124 Maria Padilha,
POMBA-GIRA MENINA Rainha do Candomblé.
POMBA-GIRA DA CALUNGA Firma curimba,
Olha que menina linda, Que tá chegando mulher.
Dentro da calunga eu vi, Olha que menina bela,
Uma linda mulher gargalhar. (bis) É Pomba-Gira Menina, 142
Era Pomba-Gira da Calunga, Me chamando da janela. (bis)
Que começa a trabalhar. (bis) Maria Padilha,
Gira Menina, Gira, Traz linda figa de ouro. (bis)
125 Gira que eu quero ver... Oi saravá Rainha linda da Quimbanda,
Gira linda Menina, Sua proteção é um tesouro. (bis)
Não é mulher de ninguém. (bis) Que o Exu não tem querer.
Quando entra na demanda, (bis) 143
Só vai por sete vinténs. (bis)
134 De onde é que Maria Padilha vem...
126 Aonde é que Maria Padilha mora. (bis)
Ela é uma beleza, Ela mora na mina de ouro,
POMBA-GIRA CIGANA É Pomba-Gira Menina. (bis) Onde o galo preto canta,
Na demanda não bambeia, Onde criança não chora. (bis)
Dona Pomba-Gira Cigana, Sua morada é na esquina. (bis)
Leva o que tem pra levar. (bis) 144
Leva a minha quizila, 135
Leva bem para o fundo do mar. (bis) Ela é Maria Padilha,
POMBA-GIRA DA PRAIA De sandalinha de pau. (bis)
127 Ela trabalha pro bem,
A marola do mar já vem rolando... Mas também trabalha pro mal. (bis)
EXU MARIA QUITÉRIA Pomba-Gira da Praia já deu sua risada.
Ela é mulher bonita, muito formosa, 145
Quando eu bato palmas, Trabalhando na areia ou na
Saravá encruzilhada. (bis) encruzilhada. POMBA-GIRA RAINHA
Saravá Exu mulher,
Saravá Maria Quitéria, 136 Meu sinhô, meu sinhôzinho,
Rainha da madrugada. (bis) Gargalharam na encruzilhada.
Kererê kererê, (bis)
128 Pomba-Gira da Praia é kererê. Era Pomba-Gira Rainha, sinhô,
Kererê, kererá, Que reinava na madrugada.
Existe um Exu mulher, Sua gira é formosa, oi saravá. (bis)
Que não passeia a toa;
Quando passa pela encruza, 137 146
Maria Quitéria não vacila,
Ela não faz coisa boa. Quem quiser vá ver, Queiram bem a Exu,
11

Queiram bem a Exu, gente. 164


(bis) 155
Eu quero bem a Dona Rainha, EXU VIRA MUNDO
Queiram bem a Exu, gente. EXU REI
Exu não vem no clarão do sol,
147 A encruza é de Exu, Ele vem no clarão da lua. (bis)
Afirmo e não errei. (bis) Saravá Exu Vira Mundo,
Ela está no reino, auê, Saravá povo de quimbanda, Ele é rei na madrugada,
Ela vem saravá, auá, Saravá nosso Exu Rei. (bis) Junto com Seu Tranca Ruas. (bis)
Pomba-Gira Rainha, auê,
É Rainha do mal, auá. 156 165

148 Exu táva curiando na encruza, A volta que o mundo dá... (bis)
Quando a banda linda lhe chamou. (bis) Auê, auê, seu Vira Mundo,
Auê, Pomba-Gira Rainha, Exu no Terreiro é Rei, Olha a volta que o mundo dá. (bis)
Comandando a madrugada. (bis) Na encruza ele é doutor. (bis)
Quando chega nas encruzas, 166
Dá logo sua gargalhada. (bis) 157
Auê, auê, auê,
149 EXU QUIROMBÔ Vira Mundo vai chegar,
Auê, auê, auê,
POMBA-GIRA RAINHA DO O sino da capela fez belém, blém, blom, Vai chegar pra trabalhar. (bis)
CRUZEIRO Deu meia-noite o galo já cantou. (bis)
Segura a banda que Ogum mandou. 167
O seu manto é de veludo, (bis)
Rebordado todo em ouro. ZÉ PILINTRA
O seu garfo é de prata, 158
Muito grande é seu tesouro. Zé Pilintra no catimbó,
Exu Quirombô, É tratado de doutor. (bis)
150 Vem do lado de lá. (bis) Quando abre a sua Mesa,
Exu Quirombô é meu protetor, Tem fama de rezador.
Lá no Cruzeiro da calunga, Vem do lado de lá.
Eu vi uma farofa amarela. (bis) 168
Quem não acredita em Pomba-Gira do 159
Cruzeiro, Jurema, jureminha, juremeira,
É muito bom não mexer nela. Quem matou, quem matou, Jurema, jureminha, juremeira,
(bis) Quem matou a cainana. (bis) Saravá Seu Zé Pilintra,
Foi Exu Quirombô, Salve a folha da gameleira. (bis)
151 Que ganhou sua demanda. (bis)
169
EXU POMBA-GIRA 160
Com seu chapéu de palha,
Aê, Pomba-Girê, Pomba-Girá, EXU PINGA FOGO E seu lenço no pescoço.
Aê, Pomba-Girê, Pomba-Girá, Zé Pilintra está na terra,
Aê, Pomba-Girê, Pomba-Girá, Pinga Fogo lá na encruza, Pra dizer: Boa noite moço.
Pomba-Gira carrega mandinga, Pinga Fogo lá n a serra, Morador lá do sertão,
Pro fundo do mar. Abre a porta gente, Traz sua figa no pé,
Pinga Fogo tá na terra. Se não está aborrecido,
152 Louva Jesus de Nazaré.
161
EXU POMBA-GIRA DAS ALMAS 170
Eu vi Exu Pinga Fogo,
Talá, taláia, de Pomba-Gira, No alto do chapadão. EXU DOS VENTOS
Pomba-Girê para que eu não caia. Comendo jáca madura,
Talá, taláia, de Pomba-Gira, Jogando as verdes no chão. Ventania balançou,
Pomba-Girê para que eu não caia. (bis) Folha caiu na encruza. (bis)
162 Era Exu dos Ventos,
153 Com ele ninguém abusa.
EXU POEIRA
Pomba-Gira das Almas, 171
Vem tomá chô chô. Não pisa na caveira,
Pomba-Gira das Almas, Não pisa na caveira, Exu é malelê,
Vem tomá chô chô. Quimbanda vai começar. Exu dos Ventos, quianga.
Vencedora de demandas, Não pisa na caveira, Ganga, num ganga, malecô,
Vem tomá chô chô. Não pisa na caveira, Exu dos Ventos é quianga.
Vencedora de demandas, Exu Poeira vem trabalhar.
Vem tomá chô chô. 172
163
154 EXU PAGÃO
Meu Deus que ventania,
Minha senhora das Almas, Meu Deus que temporal. Exu Pagão vagou pela encruza,
Atira e não erra a mira. (bis) Lalalá, lalalê, Vagou, vagou, até que chegou.
Ela é minha protetora, Exu Poeira é Maioral. (bis) Ele vem girá, ele vem girá, ele vem girá..
Saravá Sá Pomba-Gira. (bis) Exu, vem pra trabalhar. (bis)
12

Caminhei sem olhar para a lua.(bis)


173 Até que cheguei na minha morada, 189
Sou Marabô da encruzilhada,
Ele não foi batizado, Sou um dos donos da rua. (bis) Exu trabalha de pé,
Não buscou a salvação. (bis) Não se senta na cadeira. (bis)
Mas ele é quem vence demanda, 182 Gosta de tomar marafo,
Saravá Exu Pagão. (bis) De brincar com o seu garfo,
EXU MARABÔ TOQUINHO Saravá Exu Mangueira. (bis)
174
Ele é Marabô Toquinho, 190
EXU PEDRA NEGRA Dono do canto da rua.
Ele quando pega demanda, EXU TRANCA TUDO
Sála, salá mucarrêro, É sempre Ogum quem manda,
Sala legbára ô salá. Pedaço por pedacinho. (bis) Ele é Exu formoso,
Saravá Pedra Negra, Sua capa é de veludo. (bis)
Sála munganga ê salá. 183 Ê, ê, ê, povo de ganga,
Vai chegar Seu Tranca Tudo.
175 EXU VELUDO
191
EXU PEMBA Exu pode com fogo,
Ele pode com tudo, Trancou, trancou, ele vem trancar,
Exu Pemba é homem forte, Saravá Exu Veludo. Trancou, trancou, ele vem trabalhar.
Promete pra não faltar. (bis) Quem demanda comigo, Sua quimbanda é muito forte,
Quando corre pela encruza, Não chove miúdo, Mas seu ponto é miúdo,
Nossa demanda vem buscar. (bis) Saravá Exu Veludo. Ele sabe sempre quem o faz,
Saravá Seu Tranca Tudo. (bis)
Ele é Exu da promissão, 184
Ele sempre cumpre sua missão.(bis) 192
Auê, Veludo,
176 Seu cabrito deu um berro. (bis) EXU TRONQUEIRA
Rebentou cerca de arame,
EXU PIMENTA Estourou portão de ferro. (bis) Segura, filhos da banda,
Quimbanda vai começar. (bis)
Exu é malelê, 185 Ogã segura cantiga,
Exu Pimenta qui ganga, Pai de Santo segura o gongá,
Ganga num ganga malecô, Descarrega, seu Veludo, Batedor segura o atabaque,
Exu Pimenta qui ganga. Leva o que tem pra levar. (bis) Seu Tronqueira vai chegar e saravar.
Com sua força bendita, (bis)
177 Leva o mal para o fundo do mar. (bis)
193
EXU MARABÔ 186
Exu é, é, é,
Ele vem de longe, mas chega aqui... Deu meia-noite, Exu á, á, á,
E quando vem, alguém lhe chamou.(bis) Quando o malvado chegou. Exu é o legbára,
Vem salvando toda a encruza, Deu meia-noite, Sem Tronqueira é quá, quá, quá.
Já chegou Seu Marabô. (bis) Quando o malvado chegou.
Era Exu Veludo, 194
178 Dizendo que era doutor.
Era Exu Veludo, EXU LÚCIFER
Quem nunca viu, Dizendo que era doutor.
Venha ver... Mas ele é Exu, dizendo que é doutor, Deu meia-noite,
Marabô na encruza, Mas ele é Exu, irmão do Seu Marabô. Deu meia-noite já. (bis)
É de quenguerê. (bis) Sete facas encruzadas,
Em cima de uma mesa,
179 187 Quem atirou foi Lúcifer,
Pra mostrar quem ele é.
Vinha passando pela rua, EXU MANGUEIRA
Quando ouvi, 195
Seu Marabô me chamar. (bis) Viva as almas,
Louvei a encruza, louvei a lua, Viva a coroa e a fé ( oi viva as almas). EXU MALÊ
Saravá Seu Marabô, Viva Exu nas Almas,
Que caminha pela rua. Ele é Seu Mangueira de fé (oi viva as Exu é malelê, é laroiê. (bis)
almas). Povo da encruza é malelê,
180 É Exu Malê. (bis)
188
Poeira, poeira, 196
Poeira de Exu Marabô, poeira, Exu ganhou garrafa de marafo,
Poeira de Exu Marabô, poeira, E levou na capela pra benzer(ê), EXU TRANCA RUAS
Poeira da encruzilhada, poeira, Seu Mangueira correu e gritou:
Poeira, poeirá. Na batina do padre tem dendê, tem! Soltaram um pombo lá nas matas,
Tem dendê, Lá na pedreira não pousou,
181 Na batina do padre tem dendê. Foi pousar na encruzilhada,
Tem dendê, Seu Tranca Ruas quem mandou.
Caminhei pela estrada deserta, Na batina do padre tem dendê.
13

Ena, ena, mojubá ê, é mojubá. Para obebé, Exu Lonan, Exu Lonan, Exu formoso, assim eu nunca vi. (bis)
Ena, ena, mojubá ê, é mojubá.(bis) Para obebé, Exu Lonan, Exu Lonan. Kaminaloá é cheio de luz,
(bis) Na Linha de Mussurumi. (bis)
197
205 213
Seu Tranca Ruas nasceu,
Pra cumprir sua missão, EXU TOQUINHO EXU TIRIRI
Pela sua ineligência,
Ganhou logo seu galão, Seu Toquinho é bom, Exu que é Rei de Quimbanda,
Ele é Exu muito delicado, É muito bom de coração. (bis) Tem sete obés de ouro. (bis)
Mas se entra em demanda, Ele salvou seu pai e mãe, Saravá Seu Tiriri,
Ele não quer sair mais não. (bis) Para ganhar a salvação. (bis) É meu Rei e meu tesouro. (bis)

198 206 214

EXU MOLAMBO Exu matou seu galo, Quando o galo canta,


Vejam seu terno branco, Dividiu em pedacinhos. (bis) As almas se levantam,
É todo mulambo só. (bis) Depois de repartir, E o mar recua.
Mas ele é Rei de Quimbanda, Só ficou com um bocadinho. (bis) É quando os anjos do céu dizem amém,
Seu Molambo não rejeita ebó. (bis) E o pobre lavrador, diz Aleluia.
Ele é Exu, mas é muito bom de coração, Viva a Aleluia, viva a Aleluia,
199 Seu Toquinho gosta dos seus irmãos. Seu Tiriri, viva a Aleluia.
(bis) Viva a Aleluia, viva a Aleluia,
Exu Molambo é maroto, Seu Tiriri, viva a Aleluia.
Só olha pra moça bela, 207
Com sua garrafa de oti, 215
Fica chamando na janela. EXU TRANCA GIRA
Deu uma ventania, ô ganda,
Ele é Seu Molambo, é um Exu, Com seu terno preto, No alto da serra. (bis)
Seu fetiche leva pena de urubu. (bis) Sua bengala de embira, Era, Rei Tiriri, ô ganga,
Ele é muito elegante, Que veio para a terra. (bis)
200 Saravá Seu Tranca Gira.
Ele vem na madrugada, 216
EXU LALU Com sua linda cartola,
Chega e dá logo boa noite, Ele se chama Tiriri,
Ele é Lalu, Lalu, Mas não gosta de quem lhe amola. Se criou em Nazaré,
É laroiê. É filho de um xavante,
Ele é Lalu, Lalu, 208 Neto de um navegante,
É laroiê. (bis) Rei Tiriri ele é.
Táva dormindo,
201 Quando a banda me chamou. (bis) É um Rei é, é um Rei é,
Se levanta, minha gente, É um Rei é, é um Rei é.
Ô embara, embará, embará. (bis) Tranca Gira já cheghou. (bis) 217
Banda de Exu , embara, embará,
De Exu Lalu, embara, embará. (bis) 209 EXU TIRA TEIMA

202 Tranca, tranca, tranca, Exu Tira Teima é homem nobre,


Tranca, tranca, tranca, Exu Tira Teima é homem nobre,
Lalu era anjo do céu, Tranca, ele vem trancar, Exu Tira Teima é homem nobre,
E do céu foi despejado. (bis) Tranca Gira, vai chegar. (bis) Na gira da Quimbanda é homem nobre.
Na tronqueira da calunga,
Tem seu ponto confirmado.(bis) 210 218
O seu ponto é firme, ele é Exu,
O seu ponto é firme, ele é Exu Lalu. EXU GIRA MUNDO Ganga ê, lelê,
(bis) Ganga ê, lelá. (bis)
Ê girê, o girá, Gira com ganga é malelê,
203 Gira Mundo vai chegar. Exu Tira Teima é mojubá. (bis)
Ê girê, o girá,
EXU DO LODO Para todo mal levar. 219
Ê girê, o girá,
Na praia deserta e vi Exu, Lá para o fundo do mar. EXU TOCO PRETO
Então meu corpo tremeu todo. (bis) Ê girê, o girá.
Acendi minha vela e meu charuto, Um dia eu táva na porteira, em pé,
Arriei minha marafo, 211 Um dia eu táva na porteira, em pé,
Saravei Exu do Lodo. (bis) Ali passou seu Toco Preto,
EXU KAMINALOÁ E beliscou meu pé.
204 Ele é Exu Toco Preto,
Exu foi batizado, É Rei na encruzilhada,
EXU LONAN E recebeu a sua cruz, Na porteira onde ele mora,
Na falange de Dom Miguel, Todo o Exu dá gargalhada.
Embarabô, Kaminaloá nos defende,
É mojubá, para lecoché. (bis) nos conduz. 220
Ele é Exu bará, bará lecoché. 212
Embarabô é mojubá. Exu Toco Preto, o que é que manda?
14

Exu Toco Preto, o que é que quer? Busca sempre a melhoria. (bis) Saravá sua mironga,
Seu charuto e sua cachaça, Seu Corta-Corta é de Quimbanda,
E, se possível, uma mulher! 230 Ele mora na limeira. (bis)

221 EXU DO FOGO 238

EXU GARGALHADA Valha-me meu Santo Antônio, Seu Corta-Corta,


Quem se defende não é bobo. (bis) Seu Corta-Corta,
Quem pensar que o céu é perto, Eu me valho com Exu, Segura a gira. (bis)
Nas nuvens não vai chegar. Valha-me Exu do Fogo.
Seu Gargalhada está rindo, 239
Do tombo que vai levar. 231
EXU MIRIM
222 A encruza estremeceu,
Uma gargalhada soou no além.(bis) Ele é Exu,
O luar brilhou na mata, Salve Exu que é batizado, É Exu Mirim, (bis)
Gato miou na encruza, Exu do Fogo não ataca ninguém. Não me nega nada,
Saravei seu Gargalhada, Sempre me diz sim. (bis)
É Exu meu camarada, O Exu é bom não ataca ninguém.
Com ele ninguém abusa. O Exu é bom não ataca ninguém. (bis) 240

223 232 Exu Mirim é meu Exu de fé,


Exu Mirim é pequeno na Quimbanda,
Ri, quá, quá, quá, EXU GANGA Exu Mirim saravando a encruza,
Olha Seu Gargalhada tá pra chegar. Exu Mirim vencendo suas demandas.
(bis) Ganga lelê, ganga lelê,
Banda de Exu vai começar, Ele é Exu Ganga, 241
E Exu Gargalhada que vai mandar. Ganga lelê, ganga lelá,
Ele á Exu Gangá. Exu Mirim é um Exu formoso,
224 Ele é Exu de fé. (bis)
233 Tem um pai e tem um mano,
Quem ri na encruza é rei, Esse mano é Lucifer. (bis)
Quem brilha no céu é a lua, É qui ganga ê,
Exu Gargalhada baixou nesta banda, É qui ganga ô, 242
Dando suas gargalhadas, Exu Ganga é de quimbanda,
Saravando sua rua. Ô qui Ganga ô. Fá, fá, fá lemi ebó,
Fá, fá, fá lemi ebó,
225 234 Fá lemi ebó,
EXU DAS MATAS Exu Mirim despacha ebó.
EXU SETE SOMBRAS
Eu vi um clarão nas matas, 243
E pensava que era dia. (bis) Passeava pelas ruas,
Era o Exu das Matas, Vagava pelas tronqueiras. EXU MORCEGO
Que fazia sua magia. (bis) (bis)
Coral piou no mato alto, Seu terno branco,
226 Saravando Sete Sombras, Sua bengala. (bis)
Morador lá da Limeira. (bis) Na encruzilhada, quiri quiri quiri,
EXU DA MEIA-NOITE Exu Morcego dá risadas. (bis)
235
Exu da Meia-Noite, 244
Exu da madrugada. (bis) EXU TATÁ CAVEIRA
Salve o povo da quimbanda, Exu Morcego, ele é homem é,
Sem Exu não se faz nada. Exu pisa no toco, Exu pisa no galho, Exu Morcego, ele é homem é,
Galho balança Exu não cai, ô ganga, Exu Morcego, ele é homem é,
227 É Exu, Exu pisa no toco de um galho só Na gira da Quimbanda é homem é.
É Exu, Exu pisa no toco de um galho só (bis)
Seu Meia-Noite, sereno cai, Marimbondo pequenino, bota fogo no
Cai, cai, sereno cai. paiol, ô ganga. 245
Seu Meia-Noite, sereno cai, É Exu, Tatá Caveira no toco de um
Cai, cai, sereno cai. galho só. (bis) EXU SETE POEIRAS

228 236 Sou pequeno de Angola,


Porém já sei escrever.
Seu Meia-Noite, no ponto de Mina. (bis) Um pombo preto voou da mata, Sete Poeiras na Quimbanda,
Laroiê galo já cantou, Voou e pousou lá na pedreira. (bis) Também já sabe ler.
Laroiê, galo já cantou, Onde os Exus se reúnem, Ele é Exu, é um curador,
Laroiê galo já cantou. (bis) Mas o reino é de Tatá Caveira. (bis) Ele é Exu, é um vencedor. (bis)

229 237 246

Seu Meia-Noite na encruza, EXU CORTA CORTA Se uma brasa me queima,


Galo canta, gato mia. (bis) Meu Santo Antônio é maior.
Quem trabalha com Exu, Se o seu obé é de aço, Saravá Sete Poeiras,
Não tem hora, não tem dia. O seu garfo é de madeira. (bis) Ele gira num pé só. (bis)
15

Ela sacudiu os ombros, Que se engana com tostão. (bis)


247 Ela se balanceou, Só se lembram de Seu Brasa,
Voltou para a encruzilhada, Quando estão em aflição. (bis)
EXU SETE PORTEIRAS Sete Encruzas ela buscou.
264
Na estrada tem um ganga, 256
Ganga não leva carreira. Quem voa baixo sempre voa,
Quando a demanda é grande, Seu Sete Cruzes no cruzeiro, Quem muito se eleva quebra a asa.
Chama por Sete Porteiras. (bis) Está pra nos ajudar. Cuidado com sua mironga sinhô,
Seu marafo e seu dendê, Eu conto com Exu Brasa.
248 Ele gosta de cuidar.
265
Exu não é criança, 257
Nem gosta de brincadeira. EXU DOS RIOS
(bis) EXU SETE PEDRAS
Não vagueia pelas ruas, Meus senhor das Almas,
Trabalha na encruzilhada, Seu Sete Pedras, Exu dos Rios vem aí. (bis)
Saravá Sete Porteiras. (bis) Livra o caminho que passo. (bis) Ele vem acompanhado,
Quando ando com Sete Pedras, Do seu irmão Tiriri. (bis)
249 Meus caminhos não têm embaraço.
258 266
EXU CAVEIRA
EXU CALUNGA O rio corre pro mar,
Toma lá, traz cá, Rua corre pra encruza. (bis)
Ô Caveira. Rodeia, rodeia, rodeia, Louvado seja Exu dos Rios,
Toma lá, traz cá, Meu Santo Antônio, rodeia. (bis) Que demanda não recusa. (bis)
Ô Caveira. Meu Santo Antônio pequenino, 267
Amansador de burro brabo.
250 Quem mexe com seu Calunga, EXU SETE CATACUMBAS
Tá mexendo com o Diabo.
Portão de ferro, Rodeia, rodeia, rodeia,... (refrão) Na sétima cova do cemitério,
Cadeado de madeira. Sete Catacumbas gemeu.
Na porta do cemitério, 259 Saravou sua encruza,
Quem mora é Exu Caveira. CALUNGUINHA DO MAR E levou o mal que é meu. (bis)

251 Meia-noite a maré vazante, 268


Lua veio anunciar. (bis)
EXU CAPA PRETA Eu já vou vencer demanda, EXU ARRANCA TOCO
Saravá Calunguinha do Mar. (bis)
Capa Preta no reino, Exu é mojubá,
É uma beleza. (bis) 260 Ena, ena é mojubá. (bis)
Eu nunca vi um Exu assim, Arranca Toco é mojubá,
Ele é madeira que não dá cupim. EXU DA CAMPINA Ena, ena é mojubá. (bis)

252 Campinêro ê, rerê, 269


Campinêro á. (bis)
Ao ver Exu na encruza, Saravá Exu Campina, EXU BARÁ
Com ele não se meta. (bis) Laroiê, é mojubá. (bis)
É ali que ele trabalha, Andorinha voou na mata,
O reino é de Capa Preta. 261 Na encruza foi parar. (bis)
Salve esta Casa Santa,
253 EXU SETE COVAS Salve esta banda linda,
Saravá Exu Bará.
EXU SETE CRUZES Eu não tenho patrão,
Calunga foi quem me criou. 270
Corre, corre, encruzilhadas, Meu nome é Sete Covas,
Sete Encruzas já chegou. (bis) Minha quimbanda ele já louvou. EXU MARÉ
Na porta do cemitério,
Ouvi uma gargalhada, 262 Ele vem nas ondas do mar,
Sete Encruzas já chegou. (bis) Pra mostrar quem ele é.
254 Ele é Exu Pagão, Vem para vencer demandas,
Não tem quem obedecer. (bis) Ele é Exu Maré. (bis)
Seu Sete Encruzas na quimbanda é um Pra ele só interessa,
rei, Qualquer demanda vencer. 271
Ele é irmão de Exu Veludo. (bis)
Quando chega em sua banda, saravá, Se o Exu é bom, ele vence demanda, Exu Maré é Rei na Quimbanda,
Quebra demanda, quebra tudo. (bis) Seu Sete Covas é Rei na Quimbanda. Exu Maré é Rei, ele é,
(bis) Nas demandas não nega fogo,
255 Trabalhando nas encruzas,
263 Ele é Exu Maré.
Pomba Gira chegou no reino,
Pomba Gira no reino chegou. EXU BRASA 272
Ela viu seus sete homens,
Só não viu seu Sete Encruzas. Exu Brasa não é criança, Quando a maré escoa,
16

A praia vai ficando vazia. 9bis) Bonito ele não é. (bis)


É Exu Maré que vem chegando, 280
Saravando encruzilhadas, Ele tem cara de homem,
Fazendo sua magia. (bis) TRANCA RUA DE EMBARÉ E cinturinha de mulher. (bis)

273 Quem quiser lhe ver, Roubaram meu carneirinho,


Sobe em cima de um barranco, oi Zé. Cortaram os seus quatro pés. (bis)
Chegou Exu Maré, (bis)
Para todo o mal levar. Pois o homem é Tranca Rua de Não quero saber de nada,
Chegou Exu Maré, Embaré. (bis) Quero é meu carneiro em pé. (bis)
Para nos descarregar. (bis)
281 287
274 SANTO ANTÔNIO PEQUENINO
CIGANINHA DA SANDÁLIA DE PAU
EXU DAS MATAS Santo Antônio Pequenino,
Amansador de burro bravo, Ô Ciganinha, ciganinha,
Exu das Matas é, Amansai meus inimigos, Da sandália de pau. (bis)
Exu das Matas é, Com setenta mil diabos.
Exu das Matas é Rei, Aonde ela põe o pé,
Meu senhor, Rodeia, rodeia, rodeia, Ela faz o bem,
Exu das Matas é, Meu Santo Antônio, rodeia. (bis) E não faz o mal. (bis)
Para todo o mal levar.
282 288
275
SETE ENCRUZILHADA SUBIDA DE EXU
VESTIDINHA DE CHITA
A bananeira que eu plantei a meia-noite, (antes dos Exus subirem)
Vestidinha de chita, Foi Oxalá quem mandou,
Saia cheia de nó. (bis) Para 7 Encruzilhada trabalhar, Exu bebeu,
Olha aí Pomba-gira, E a caridade no mundo ele prestar. Exu curiou,
Olha aí Pomba-gira. Exu vai embora,
Mas ele é 7 Encruzilhadas, Que a hora chegou. (bis)
276 Ele é rei sim senhor,
Trabalha por caridade, (depois que os Exus subiram)
POMBA-GIRA DE MACEIÓ Trabalha só por amor. (bis)
Exu bebeu,
Auê auê auê... 283 Exu curiou,
A pomba-gira é de Maceió. (bis) Exu foi embora,
EXU DE DUAS CABEÇAS Que a hora chegou. (bis)
Aonde mora a pomba-gira?
Pomba-gira é de Maceió. (bis) Exu que tem duas cabeças, 289
Ele olha sua Banda com fé. (bis)
277 REZA PARA BARÁ
Oi uma é Satanás do inferno,
MINHA CIGANA DE FÉ E a outra é de Jesus de Nazaré. (bis) Yuamachéri onybará,
Exu abanadá.
Vinha, caminhando a pé, 284 Yuamachéri onybará,
Para ver se encontrava, Exu abanadá.
A minha Cigana de fé, MARIA MULAMBO DA FIGUEIRA
Bis Yua demy ché-ché mirê,
Ela parou e leu minha mão, Maria Mulambo embaixo de uma Yua demy ché-ché mirê,
E disse, todas as minhas verdades, figueira, Yua demy ché-ché miwára,
Eu só queria saber a onde mora, Ela sambava em cima de uma fogueira. Yua demy ché-ché miwára.
A minha Cigana de fé. (bis)
Bis Maria Mulambo deu uma forte Exu Talana fumiô,
gargalhada, Exu Talana fumaléw. (bis)
278 E esperou seu Tranca Rua,
Na primeira encruzilhada. (bis) 290
PORTÃO DO CEMITÉRIO
285 BARÁ ABAYSSOW
Portão de ferro,
Cadeado de madeira. (bis) AUÊ MEU SANTO ANTÔNIO Bará e que bará,
Bará e que Bará Abayssow.
É o portão do cemitério, Auê meu Santo Antônio, Bará e que Bará Abayssow.
Aonde mora Exu Caveira. (bis) Oi segura esse toco da meia-noite.
Auê meu Santo Antônio, 291
279 Oi segura esse toco da meia-noite.
(bis) BARÁ GAROW
SAUDAÇÃO / AFIRMAÇÃO
286 Oh! Bará, bará e que bará,
Lá na beira do caminho, E que Bará Garow.
Este gongá tem segurança. (bis) MEU CARNEIRINHO Bará que bará, que Bará Barow. (bis)
Na porteira tem vigia, 292
A meia-noite o galo canta. (bis) Quem diz que o diabo é feio,
17

BARÁ OTYN Deus Katú Mandará. (bis) POVO CIGANO

Bará Otyn, Êh! Dona, Deus Katú Mandará, Harribá! Harribá!


Otyn, Otyn, Otyn Bará, Êh! Dona, Deus Katú Mandará, Meu povo cigano. (bis)
Bará Otyn. (bis) Êh! Dona, Deus Katú Mandará.
Com suas carruagens a passear,
293 298 Eles vão pela estrada a fora,
Vão cantarolando,
BARÁ WODUN AZA CHAMADA GERAL DE TODAS AS Para o tempo passar,
BANDAS (cantado na Umbanda de Mas a estrada é longa,
Yêle Bará Wodun Aza, Omolocô) Até seu destino achar.
Paquere Kerê. Meu povo,
Yêle Bará Wodun Aza, Acorda, acorda, Meu povo cigano.
Paquere Kerê. Quem tá dormindo, acorda (bis)
Quando acampam para descansar,
294 Tava dormindo, na porteira do gongá, Fazendo suas fogueiras,
Tava dormindo, na porteira do gongá. Para trabalhar...
PONTOS E REZAS PARA XAPANÃ Quem tem inimigo não dorme, Harribá!
Levanta vem trabalhar.
XAPANÃ PÔPO DIMONAY Harribá! Harribá!
Acorda moleque, vem curimbá, Meu povo cigano...
Zambo ererê, Zambo é pôpo dimonay, Vem tirar ponto pra Ogum e Oxalá.(bis)
Zambo ererê, Zambo é pôpo dimonay. 302
Zambo é Xapanã, Meu São Miguel, segura seu cangilá,
Zambo é Velho Omulú, Quem tem inimigo não dorme, CIGANA SALAMANDA
Zambo é Xapanã, Levanta pra vigiá. (bis)
Zambo é pôpo dimonay, Ela vem de longe,
Zambo é Velho Omulú, 299 Pela estrada a fora,
Zambo é pôpo dimonay. Vem trazendo a paz,
POVO CIGANO Para todos que aqui vem.
295
AMOR CIGANO Com seu baralho na mão,
XAPANÃ O seu vinho na taça,
( PARA LIMPEZA DE TERREIRO) Mas vejam só, Ela é a cigana,
Mas sejam só, Para todos que tem fé.
Xôni, xôni, Que maravilha é aquela,
Xôni, padô. Ao som do seu violino a tocar, Salve, salve a cigana!
É um cigano, Salve, salve a cigana!
Épto apto, Que vem trabalhar!... Ela é a Cigana Salamanda,
Xôni padô. É um cigano valente, Do povo do Oriente.
É um cigano guerreiro,
Xôni, xôni, Que vem nos ajudar. (bis) Mas ela vem de...
Xôni padô.
Épto apto, Transmitindo paz, alegria e amor, 303
Xôni padô Você me fascina,
Você me irradia, FEITIÇO DA CIGANA
(tradução) És o cigano do amor...
Ao som do seu violino a tocar, Cigana linda,
Sou e sou, Vem tirar toda a maldade, Do olhar feiticeiro,
Sou um limpador, Toda feitiçaria que tem neste lugar, Cigana das Rosas Vermelhas,
É por um hábito, O seu perfume,
Que sou um limpador. A lua brilha, a lua brilha, Tem o feitiço,
Sua estrela reluz, De matar os feiticeiros.
296 Santa Shara Kaliu é quem lhe conduz.
Na sua cor,
XAPANÃ (chamada) 300 Ela transmite o amor,
No seu perfume.
Xapanã mandô querê, CIGANA DAS ROSAS A alegria de viver,
Xapanã mandô querê. Oh cigana linda,
Yw querê, mandô awê, Se eu colhesse todas as rosas, Oh linda cigana,
Awê, awê! (bis) Que nascem nos mais lindos jardins, Ciganinha do amor.
Não teria a magia,
297 Do perfume que você transmite, 304
Em min oh cigana, LUA CHEIA
EXU BOIADEIRO – KATÚ MANDARÁ Oh cigana.
Com sua saia rodada, Com seu colar de ouro,
Viajei sete anos, Enfeitada de várias cores, Sua pulseira dourada,
Sete dias sem parar.. (bis) Trazendo seus mistérios, Sua saia rodada,
Que uma rainha possui, Ela sai a bailar.
Êh! Dona, sete dias sem parar, Com todos os seus esplendores,
Êh! Dona, sete dias sem parar, Oh cigana. Dança, dança cigana,
Êh! Dona sete dias sem parar. Quero ver você dançar,
301 Espalhando seus mistérios,
Fui na lapa do Bom Jesus, Na dança que sabes dar.
18

Lua cheia! Olhem só quanta emoção, PROTEÇÃO DE CIGANO


Quando encontrou,
Lua cheia clareou, clareou, O seu grande amor, Brilha uma estrela,
Lua cheia vai clarear, clarear, É um cigano guerreiro, No céu,
As estradas tão longas, Com sua espada na mão, Me encantou um violino,
Para a cigana dançar. Ele disse eu sou Fladimir, Cigano, cigano, cigano,
Lua cheia! (bis) Pois sou um cigano sonhador, A estrela do Oriente,
Por isso linda cigana, Guiou o seu destino.
Com seu lenço colorido, Não vivo sem o seu amor.
Seu rosto lindo e belo, Santa Shara é amor ( é amor ),
Transforma este teu mundo, 307 Minha estrada não sorria,
Num mundo de paraíso. Assim iluminou,
Lua cheia! CIGANA CARMENCITA Um amigo, um irmão,
Ele tem bom coração,
Lua cheia clareou, clareou, Numa noite linda, Estrela guia do Oriente,
Lua cheia vai clarear, clarear, Eu vi uma cigana, Ilumina este cigano valente.
Os caminhos tão longos, Com sua pulseira dourada,
Para os ciganos passar. E no seu peito um cordão, 311
Lua cheia! (bis) Com seu pandeiro de fitas,
Ela leu minha mão (Carmencita). LINDA CIGANA
Com seu colar de ouro,
Sua pulseira dourada, Deu-me tanta alegria, Vem linda cigana,
Sua saia rodada, Eu jamais ei de esquecer deste dia, Traz sete rosas vermelhas,
Ela sai a bailar. Existem duas estradas para você, A noite está enluarada,
Uma é de espinhos, É na estrada a sua morada,
Dança, dança cigana, A outra é a escolher. Seu pandeiro tocou,
Quero ver você dançar, E lá no céu,
Espalhando seus mistérios, Oh cigana, Uma estrela te guiou,
Na dança que sabes dar. Oh cigana, Chegou formosa,
Lua cheia! Sei que você não me engana, Que irradia,
Oh cigana. Pra todos nós,
Lua cheia clareou, clareou, A sua alegria.
Lua cheia vai clarear, clarear, 308
As estradas tão longas, O teu carinho,
Para a cigana dançar. CIGANA SULAMITA Que nos seduz,
Lua cheia...(bis) Traz da estrada,
Moça sua casa é a estrada, Fagulhas de luz.
305 Sem lugar certo para ficar,
Vive daqui pra li, 312
CABANA FLORESTAL Vive de lá pra cá,
Com seu pandeiro de fita, CIGANA FORMOSA
Numa cabana florestal, E um baralho pra jogar.
Apareceu uma linda cigana,... (bis) Cigana,
Vestida toda de ouro, Tem uma luz nos seus olhos, Tão bonita e tão formosa,
Esperando seu amor chegar, Para ajudar, Do meu jardim tu és a rosa,
E de repente, Quem lhe procurar. É brisa leve,
Um cigano surgia, Esta cigana é tão bonita, Soprando por onde for,
Com seu violino na mão, Estou falando da cigana Sulamita. Tem sua magia,
Tocando sem parar, 309 Seu perfume me seduz,
E deu início para a festa começar, Teu baralho me irradia.
E a cigana sorria, CARMENCITA
Com o que ele dizia, Cigana,
Para o seu coração, Carmencita, Carmencita, Sua tribo cantando,
És a luz da minha vida, Eta cigana bonita. Santa Shara abençoando,
A estrela que ilumina, Este encontro de paz.
O meu viver, Muito grande é seu poder,
Cigana !... Com a sua saia a rodar, Cigana,
Baila comigo faz a roda, Pelo caminhos da vida, É minha luz, minha alegria,
Com seu pandeiro e as castanholas, Ela segue a cantar, Não me canso de louvar,
E eu canto pra você. (bis) Quando a lua é lua cheia, Esta tribo noite e dia,
Estando a fogueira a queimar, Cigana.
306 Espalha graça e beleza,
Cheiro de rosas no ar. 313
CIGANA SONHADORA
Carmencita, Carmencita, CIGANA DA PRAIA
Ela saiu em busca, Eta cigana bonita.
Mas em busca de um grande amor, Tocando seu pandeiro, Já era alta madrugada,
Contemplando a natureza, Faz uma roda formosa, Passando numa estrada,
Para sua sorte encontrar, Pergunta sua sinda, Eu vi uma cigana,
As folhas farfalhavam, Onde estão as castanholas, Perguntei o nome dela,
As águas a rolar, Oh ! Ela então me respondeu
As flores ezalam seus perfumes, Sou a Cigana da Praia.
E os pássaros a cantar... 310
Encantado eu fiquei,
19

Por muito tempo lhe procurar, CHAMADA


Sei que abaixo de Deus, SARAVADO
Só você é quem pode me ajudar, Já deu a meia-noite, meus irmãos,
Retirou toda mandinga, Doze horas já bateu. (bis) Exú ganhou uma garrafa de marafo,
Toda feitiçaria, Levanta quem está sentado, E levou na capela prá benzer.
Que havia em cima de mim, Meus irmãos, Sacristão lhe respondeu:
Se não fosse você linda cigana, Para salvar os pontos seus. (bis) Na batina do padre tem dendê,
Talvez fosse o meu fim. Tem dendê,
318 Na batina do padre, tem dendê,
Eu agradeço, Tem dendê,
Oh cigana querida, CHAMADA Na batina do padre, tem dendê.
Que estendeu para mim,
A mão amiga. Ogum, Exú pede licença, 326
Para seu povo chegar. (bis)
314 E saravá Seu Marabô (ou outro), DEMANDA
Que vem trazendo força,
PODER DOS CRISTAIS Para este gongá. (bis) Exú pisa no toco, pisa no galho,
O galho balança, e Exú não cai,
Ouvi um violino, 319 Ô Ganga.
Da beira do mar, Ê, ê, Exú pisa no toco de um galho só.
Fiquei tão fascinado, CHAMADA / FIRMEZA (bis)
Procurei até encontrar,
Quando vi ao longe, Deu meia-noite o galo canta, 327
Um cigano de branco, Esta porteira tem vigia. (bis)
Tocando sem parar, Este gongá tem segurança, CONFIRMAÇÃO
E uma cigana, Na fé de Oxalá e de Iemanjá. (bis)
Muito faceira, Exú quando ele é batizado,
Cigana Carmelita, 320 Ele chega em qualquer lugar. (bis)
A cigana feiticeira. Quando chega cumprimenta a banda,
CHAMADA E gira dentro do gongá. Exú.
Trazendo seus cristais na mão,
De todas as cores, Mas já era meia-noite, 328
E me dizia, Quando o malvado chegou. (bis)
Qual deles me pertencia, Com a casaca de ferro, SEU MAIORAL
Dizia também, Dizendo que era doutor. (bis) Oiaiá Catira de Umbanda,
O poder que eles tem. (bis) Mas ele é Exú, Espia, espia, quem vem lá, (bis)
Dizendo que era doutor. (bis) É o supremo rei da Quimbanda,
O amarelo, a prosperidade, Chefe de chefe é Maioral, (bis)
O lilás, a proteção, 321 Pisa, pisa no terreiro,
O azul, transmite a paz, CHAMADA Papai de Umbanda,
E o verde, a saúde, Mandou lhe chamar. (bis)
O rosa, me traz amor, Cambone segura a curimba,
Linda cigana, Que está chegando a hora. 329
Sua proteção, Cambone segura a curimba,
Muito obrigado, É Exú quem manda agora. MARABÔ
Pela sua informação,
Linda cigana, 322 Exu Marabô, iê, Marabô Mojibá. (bis)
Sua proteção, No cemitério, ele é Marabô,
Muito obrigado, SAUDAÇÃO Na encruzilhada, ele é Mojibá. (bis)
Pela sua informação.
Exú também tem sua lei, 330
315 Exú na terra, Exú é rei. (bis)
Eu vou mandar chamar,
PONTOS DE EXÚ E POMBA GIRA 323 Eu vou chamar lá de Aruanda. (bis)
Eu vou mandar chamar,
CHAMADA SARAVADO Seu Marabô na Quimbanda. (bis)

Senhores mestres do mundo, Exú pisa no caramuru, 331


E deste mundo também. (bis) Exú pisa no caramuru.
Vamos chamar a encruzilhada, Exú não bambeia, ah! rá! MARABÔ/POMBA GIRA
O cemitério e a figueira também. (bis) Exú não bambeia, ah! rá!
Exú não bambeia, ah! rá! O inferno pegou fogo,
316 Exú não bambeia, ah! rá! Foi Pomba Gira quem apagou. (bis)
Banda de Exú, Exú, Ala-la-ô,
CHAMADA 324 É Pomba Gira e seu Marabô. (bis)

Lá na porteira eu deixei um sentinela. SARAVADO 332


(bis)
Eu deixei Exú ..... (nomes) Saravá, cambone, iê, MARABÔ/MARIA PADILHA
Tomando conta da cancela. (bis) Saravá, cambone, iá.
Saravá , cambone, na encruza, Arreda, arreda, que aí vem mulher. (bis)
317 Saravá, cambone, iê. É Maria Padilha a mulher de Lúcifer.
(bis)
325 Exú Marabô vem na frente,
20

Dizendo quem ela é. (bis) Mas ele é Tranca-Ruas Imbaié, POMBA GIRA/TRANCA-RUAS
Ela é Maria Padilha, Oi, viva as almas!
A mulher de Lúcifer. (bis) Deixa a moreninha passear,
340 Deixa a moreninha passear,
333 Oi, deixa a moreninha passear,
TIRIRI Seu Tranca-Ruas,
MARBÕ/POMBA GIRA/7 ENCRUZA Deixa a moreninha passear.
Estava curiando na encruza,
Corre, corre, Encruzilhada, Quando a banda lhe chamou. (bis) 348
Pomba Gira quem mandou. (bis) Exú no terreiro é rei,
Na porteira da calunga, auê, Na encruza ele é doutor. (bis) POMBA GIRA
Ouço um brado é Marabô. Exú. (bis) Exú vence demanda,
Exú é curador. (bis) Lá na atalaiá, de Pomba Gira,
334 De Pomba Gire, para quem não caia.
341 (bis)
TRANCA-RUAS Pomba Gire, Pomba Girá, Pomba Gire,
Exú Tiriri, Lonan, Para que não caia. (bis)
Estava dormindo na beira do mar. (bis) Morador da encruzilhada, (bis) 349
Quando as almas lhe chamaram pra Toma conta, presta conta,
trabalhar. (bis) No romper da madrugada. (bis) Pomba Gira,
Acorda Tranca-Ruas, vai vigiar. (bis) Se tu és uma rosa,
O inimigo está invadindo a porteira do 342 Que floresceu,
curral. (bis) MANGUEIRA Sob um manto de espinho... (bis)
Bota as mãos nas suas armas, vai Ai Pomba Gira, se tu és uma rosa,
guerrear. (bis) Esse boi vermelho, calunga, Se tu és uma rosa, Pomba Gira,
Bota o inimigo pra fora, para nunca Caiu Mangueira, calunga, Abre os meus caminhos. (bis)
mais voltar. (bis) Arranca o couro dele, calunga, Pomba Gira...
Pra fazer pandeiro, calunga.
335 350
343
Tranca-Ruas no reino, Auê, auê, auê,
Ai meu Deus o que será. (bis) SETE ENCRUZILHADA Pomba Gira é de Maceió. (bis)
Bota a chave na porta, Aonde mora Pomba Gira,
Tranca-Ruas vai chegar. (bis) Ouvi, ai ouvi, Ela mora em Maceió. (bis)
Ele vem salvar a banda, Exú dar sete gargalhadas. (bis)
Com licença de Oxalá. (bis) Quem era esse Exú, 351
Era seu Sete Encruzilhadas. (bis)
336 Se a sua coroa é de ferro,
344 A sua capa é encarnada. (bis)
Mas ele é, Capitão da Encruzilhada, ele Saravá Exú Pomba Gira,
é, DIVERSOS EXÚS Rainha das Sete Encruzilhadas. (bis)
Mas ele é, Ordenança de Ogum,
Sua coroa quem lhe deu foi Oxalá, Exú é de querer, querer, 352
Sua divisa quem lhe deu foi Omulú, Na sua banda eu quero ver. (bis)
Mas ele é... Mas ele chega no romper da aurora, Por aquela estrada,
Seu Sete Encruzas manda agora, Vem uma moça bonita. (bis)
Salve o cruzeiro, salve o sol e salve a Seu Marabô quem manda agora. Ela vem girando,
lua, Seu .... Com seu vestido de chita. (bis)
Saravá seu Tranca-Ruas, E olha Pomba girê, Pomba girá,
Que corre gira no meio da rua. (bis) 345 E olha a Pomba a Gira. (bis)

337 MEIA-NOITE/POMBA GIRA 353

Estava dormindo, Salve, Exú da Meia-Noite, Juraram de lhe matar,


Quando a Umbanda lhe chamou, Salve, Exú da Encruzilhada, Na porta de um cabaré. (bis)
Se levanta minha gente, Salve, o Povo de Aruanda, Mas anda de noite e de dia,
Tranca-Ruas já chegou. (bis) Sem Exú não se faz nada. (bis) Não mata porque não quer. (bis)
Quando a lua surgir, Com sete facas cravadas numa mesa,
Ele vai girar, ele vai girar, Sete velas a iluminar, 354
Chegou seu Tranca-Ruas, Chama à gira Pomba Gira,
Para todo mal levar. (bis) Vamos com eles trabalhar. (bis) POVO DO CEMITÉRIO

338 346 Cemitério é praça linda,


Ninguém queira passear. (bis)
Na fé de meu Pai Ogum, P GIRA/TRANCA-RUAS/MARABÔ Catacumba é casa branca,
Ele vem trabalhar. (bis) É casa de Exú morar. (bis)
Mas ele é, mas ele é, mas ele é, Santo Antônio de Batalha,
Tranca-Ruas das Almas. (bis) Faz de mim um trabalhador. (bis) 355
Corre gira Tranca-Ruas,
339 Pomba Gira e Marabô, Exú. (bis) SUBIDA DE EXÚ

Oi viva as almas, 347 E Exú vai pelo pé, pelo pé,...


Oi, viva a coroa e a fé, E ele vai pela mão, pela mão... (bis)
Oi, viva Exú das Almas, Exú já vai embora, Ganga com Ganga,
21

É no gongá. (bis)

356

Olha Exú como caminha,


Ele vai caminhar.
Caminhar pra sua banda,
Exú vai caminhar.

357

ABERTURA DOS TRABALHOS


Eu abro a minha engira,
Com Zâmbi e com Xangô! (bis)

Saravá Seu Alafim!


Saravá Seu Agodô!
Bis
Exú, também tem a sua lei,
Exú é mensageiro de Oxalá,
Salve Ordenança de Ogum,
E salve a Banda,
Vem no terreiro de Umbanda trabalhar..
Bis
Mas ele é, Capitão da Encruzilhada, ele
é,
Mas ele é, Ordenança de Ogum,
Sua coroa quem lhe deu foi Oxalá,
Sua divisa quem lhe deu foi Omulú,
Mas ele é...

Salve o cruzeiro,
Salve o sol e salve a lua,
Saravá Povo da Rua,
E a Coroa de Oxalá.

Salve o cruzeiro,
Salve o sol e salve a lua,
O seu Sete e Tranca-Ruas,
E a Segurança desse endá.

Salve o cruzeiro,
Salve o sol e salve a lua,
Maria Padilha, Rainha da Rua,
Com Pomba Gira vai baixar.

Salve o cruzeiro,
Salve a lomba, salve a rua,
Marabô, Destranca-Ruas,
E a porteira desse endá.

Interesses relacionados