Você está na página 1de 10

FUNÇÃO DA CONTABILIDADE NO INÍCIO DA CIVILIZAÇÃO: a) AVALIAR A RIQUEZA DO HOMEM; b) AVALIAR OS ACRÉSCIMOS OU DECRÉSCIMOS DESSA RIQUEZA.

Como o homem naturalmente é ambicioso, a Contabilidade existe desde o início da civilização. Alguns teóricos preferem dizer que ela existe, pelo menos, desde 4.000 antes de Cristo. Imagine um homem, na antiguidade, sem conhecer números e , muito menos, a escrita, exercendo a atividade de pastoreio. Este homem , assim como qualquer um , era ambicioso, tinha desafios e queria ver sua riqueza aumentando. Mas como contar o rebanho e avaliar seu crescimento se não existiam números, nem escrita e, muito menos, moeda? O homem tem uma idéia. Havendo um pequeno monte de pedrinhas ao seu lado, o homem separa uma pedrinha para cada cabeça de ovelha, executando assim o que o contabilista chamaria hoje de inventário. Após o término dessa missão o homem separa o conjunto de pedrinhas, guardando-as com muito cuidado, pois o conjunto representava a sua riqueza num determinado momento. O tempo passava. Nada mais natural que fazer nova contagem do rebanho. Um novo conjunto de pedrinhas era separado, uma pedrinha por cabeça de ovelha. Ao comparar o atual conjunto de pedrinhas com o anterior, o pastor constata que houve um excedente de pedrinhas e isso representava que ele tinha sido bem-sucedido naquele período, ou seja, houve um acréscimo real no seu rebanho(um resultado positivo). SEM ESCRITA, SEM NÚMERO E SEM MOEDA Se nós tivéssemos moeda, o denominador comum não seria ovelhas, mas sim o valor em dinheiro. Todavia, o que fica bem claro é que mesmo sem moeda, escrita e número, a Contabilidade, como inventário , já existia, ficando evidenciado que ela é tão antiga quanto a existência do homem em atividade econômica. Esta pode ser chamada de fase empírica da Contabilidade, em que se utilizavam desenhos, figuras, imagens para identificar o patrimônio existente. Com o passar do tempo, o homem começa a fazer marcas em árvores e pedras, podendo, assim, conferir seu rebanho em termos de crescimento, de extravio(perdas) de ovelhas, mortes etc. Assim, concluí-se que desde os povos mais primitivos, a Contabilidade já existia em função da necessidade de controlar, medir e preservar o patrimônio

tinha um bom contador. pois na descrição de sua riqueza. são marcos da nossa história que fizeram desencadear o desenvolvimento da ciência contábil. algo surpreendente acontece. e mil juntas de bois e mil jumentas” Esse e diversos exemplos mostram que a Contabilidade já existia com o primitivismo dos povos. que deu impulso à Revolução Industrial. no versículo três do primeiro capítulo. que. CONTABILIDADE NA BÍBLIA O livro de Jô. o mercantilismo. diversos acontecimentos no mundo das artes. porque teve catorze mil ovelhas. Copérnico. aperfeiçoamento da Imprensa por Gutemberg. a descoberta de diversos campos de conhecimento . Na Idade Moderna. da terra de Uz no Oriente. o protestantismo . Mas é interessante que a Contabilidade vai iniciar a sua fase adulta. e três mil camelos. sem nenhum bem. Também por motivos espirituais. Mas no final do livro de Jô . revolucionando a visão da humanidade. o surgimento da burguesia. e quinhentas juntas de bois e quinhentas jumentas”. Jô perde toda sua fortuna. Galileu e Newton. e seis mil camelos. um dia. mais do que o primeiro. na Alemanha. EVOLUÇÃO DA CONTABILIDADE . no século XV d. Em torno desse período tivemos . nas nações proporcionaram um impulso espetacular das Ciências Contábeis. exatamente no aperfeiçoamento da Imprensa por Gutemberg. dos negócios e até mesmo de patrimônio fossem limitados. até mesmo.C. em torno dos séculos XIV a XVI. em função de trocar bens para maior satisfação das pessoas. Por questões espirituais.a invenção da máquina a vapor. é considerado o mais antigo. Jô era um homem muito rico e justo. fase racional. observa-se: “E era o seu gado sete mil ovelhas. sobretudo na Itália. num certo momento. das letras. O que toda história tem mostrado é que a Contabilidade torna-se importante à medida que há desenvolvimento econômico. certamente. Colombo iniciando as grandes descobertas. apresenta um relatório surpreendente: sua riqueza estava duplicada em relação ao primeiro inventário: “E assim abençoou o Senhor o último estado de Jô. ainda que os conhecimentos da matemática. A relação de bens de Jô demonstra um cuidado no controle do seu patrimônio pessoal. o surgimento da moeda. tornando-se um homem pobre.familiar e. sem a preocupação de ordem cronológica. na economia. principalmente no Renascimento. ele recupera sua fortuna e não deixa de reencontrar um contador que.

forçando também a ciência contábil a um novo progresso e a uma readaptação das técnicas contábeis elaboradas a partir da obra de Luca Pacioli. Conseqüentemente verificou-se nesse período soberbo desenvolvimento da contabilidade na Europa. trazido pela grande expansão comercial. de 1920 em diante a ascensão econômica e cultural dos Estado Unidos da América do Norte fez com que a “escola italiana” entrasse em decadência. as técnicas contábeis tomaram novo impulso. Geometria. Após o surgimento do método das partidas dobradas(século XIV) e sua divulgação. A partir da Revolução Industrial (século XVIII) na Inglaterra. com a Revolução Industrial. começou o domínio da chamada “ escola norte-americana”. quando. Juntamente com a grande expansão comercial sentiu-se a necessidade da criação de um meio de troca mais flexível que o escambo(troca direta de mercadorias ). Proportioni et Proportionalita”. a atividade econômica evolui de artesanal para empresarial. ao registrar as operações de uma entidade evidencia a causa e o efeito dos fatos ocorridos em relação ao controle e a mensuração das variações ocorridas com a riqueza dessa mesma entidade. a Europa e. O método das partidas dobradas. Portanto. A partir daí. fazendo com que os registros patrimoniais e os métodos de avaliação se desenvolvessem enormemente.Summa de Arithmetica.. em 1494. ESCOLA ITALIANA A partir do século XII até o início do XVII .O desenvolvimento da contabilidade em toda a sua história esteve intimamente ligado ao desenvolvimento econômico e às transformações sociopolíticas e socioculturais experimentadas em cada época. Podemos delimitar a evolução histórica da contabilidade em duas grandes escolas: a Italiana e a Norte-Americana. A escrituração contábil ganhou relevância. mais particularmente. através da obra de Luca Pacioli . O enorme desenvolvimento econômico verificado no período gerou as grandes corporações e o surgimento do mercado de capitais. A Itália dominou o cenário contábil até os primeiros anos do século . Aumentou-se a necessidade de confirmação dos registros contábeis como forma de garantir a segurança dos investimentosdesenvolvimento dos procedimentos de auditoria. O homem foi sentindo a necessidade de aperfeiçoar seu instrumento de avaliação da situação patrimonial ao mesmo tempo em que as atividades econômicas foram se tornando mais complexas. a chamada “escola italiana” teve impulso e se espalhou pela Europa. . a Itália “explodiram” em desenvolvimento econômico e cultural. Surgiu a moeda e a contabilidade passa a ter avaliações monetárias onde apenas existia inventários físicos.

supervisionado pela Junta de Comércio de Lisboa. sem a preocupação de se discutir teorias sobre isso. em nosso século. entidades de classe e outras associações não só se preocuparam com essa nova visão do papel da contabilidade no mundo empresarial (contabilidade para tomada de decisões). A escola italiana curvou-se ao desenvolvimento dessa nova visão contábil . porém. o American Institute of Certified Public Accountants(AICPA) e o Financial Accounting Standards Board(FASB).ESCOLA AMERICANA A Itália exportou para o mundo a sua descoberta de como registrar as variações ocorridas na riqueza de uma entidade. Observou-se que a contabilidade. poderia ter um papel mais intenso e relevante na gestão das empresas. denominação dada na época para os contadores. A metodologia de ensino da contabilidade. algumas escolas com cursos na área contábil foram abertas. duas escolas destacam-se das demais pela relevante contribuição que deram para a evolução da profissão contábil em nosso país. e assim foram desenvolvidos diversos estudos sobre: a contabilidade como base para a tomada de decisões empresariais e as necessidades dos vários usuários da contabilidade. Após o Brasil-Colônia. parte primeiro do entendimento dos relatórios contábeis para. um endeusamento do método. no caso norte-americano. muito contribuíram para a busca de princípios de contabilidade e amadurecimento da ciência contábil naquele país. órgãos governamentais. ou ainda de diversos. por agregar todas as informações econômicas de um período. quando foi autorizada a criação do curso “Aula de Comércio” ( a palavra aula tem o significado de escola superior ou faculdade). parte de uma visão geral para. já os autores norte-americanos preferiram tratar o método como uma técnica convencionada. mas. com pouca expressão. As obras de autores italianos tinham uma preocupação demasiada com o método das partidas dobradas. como a American Accounting Association(AAA) . Diversas organizações norte-americanas ligadas à pesquisa e ao desenvolvimento de normas e procedimentos de contabilidade. ou seja. ainda como Colônia de Portugal. As técnicas desenvolvidas na esfera contábil por pesquisadores. a partir daí. Os diplomados nesse curso eram os guarda-livros. iniciou-se a formação profissional na área contábil. Porém. A CONTABILIDADE NO BRASIL No Brasil. são elas: . por volta de 1754. então. com a acentuação de pesquisas nesta área para melhor informar o usuário da Contabilidade. A escola norte-americana além de aperfeiçoar as técnicas de registro advindas da escola italiana. chegar ao particular. principalmente após a Depressão de 1929. como também na formação do contador no meio universitário. também aprimorou as técnicas de auditoria desenvolvidas pelos ingleses. o desenvolvimento da Contabilidade foi notório nos Estados Unidos. estudar a maneira como se chegou aos mesmos.

b)Nacional O Conselho Federal de Contabilidade.005 as IFRS-International Financial Reporting Standards(Normas Internacionais de Contabilidade) serão obrigatórias para as empresas listadas em Bolsa de Valores de 70 países.inauguração da Faculdade de Economia e Administração da USP e com o advento das multinacionais anglo-americanas (e. a FASB-Financial Accounting Standards Board (Junta de Normas de Contabilidade Financeira e a IASB-International Accounting Standards Board(Órgão Internacional de Normas de Contabilidade Financeira). por uma equipe de professores da FEA-USP.055/05 de 24/10/05. começou a exercer uma influência mais significativa no ensino da Contabilidade no Brasil a partir do lançamento do livro de Contabilidade Introdutória. marcando um etapa significativa para formalizar seu compromisso de convergência das normas americanas e dos padrões internacionais de contabilidade. CENÁRIO ATUAL a)Internacional Em outubro de 2002. O Comitê tem por objetivo o estudo. iniciado com a Circular 179 do Banco Central. em São Paulo. no início da década de 70.638/07. anunciaram a emissão de um memorando de entendimento. de 15 de dezembro de 1976). tornou-se evidente com o advento da Lei nº 6404/76. “que passa a adotar uma filosofia nitidamente norteamericana”. . foi promulgada a Lei nº 11. A partir do ano de 2. que passa a exigir o balanço patrimonial e o de resultado econômico. É um acordo para harmonização de práticas contábeis. Em 28 de dezembro de 2007. todavia.1902-criação da Escola de Comércio Álvares Penteado. 1946. considerando a crescente importância da internacionalização das normas contábeis criou o Comitê de Pronunciamentos Contábeis(CPC) através da Resolução nº 1. texto aliás adotado pela maioria das faculdades brasileiras. Lei das Sociedades por Ações.406 que institui o novo Código Civil. revoga e introduz novos dispositivos à Lei das Sociedades por Ações. conseqüentemente. Esta escola. da Auditoria originária dos países-sede). visando à centralização e uniformização do seu processo de produção. basicamente a italiana e a alemã. (Lei nº 6404/76. levando sempre em conta a convergência da contabilidade Brasileira aos padrões internacionais. O domínio da Escola Contábil Americana. para permitir a emissão de normas pela entidade reguladora brasileira. observamos a adoção da Escola Européia de contabilidade. o preparo e a emissão de Pronunciamentos Técnicos sobre procedimentos de Contabilidade e a divulgação de informações dessa natureza. Em 10/01/2002 e sancionada a Lei 10. que altera. a Escola Contábil americana começou a infiltrar-se em nosso país.

é exigido conhecimento. cujos membros componentes devem ser totalmente desvinculados do mercado de capitais. Os membros do IASC incluíram todas as entidades de profissionais contábeis que são membros da Federação Internacional de Contadores-IFAC. funcionários de grandes corporações mundiais. cujo conjunto denomina de Normas Brasileiras de Contabilidade. para desenvolver. disciplinar e fiscalizar o mercado de valores mobiliários(mercado de ações). instituído pelo Decreto-lei 9. . de 15/12/76).385 de 07/12/1976. conceitos e normas contábeis. pontuais e de aplicação imediata no exercício de 2.PRINCIPAIS ORGANISMOS NACIONAIS E INTERNACIONAIS VOLTADOS À PESQUISA E NORMATIZAÇÃO CONTÁBIL a)NACIONAIS -CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE-CFC : É uma autarquia de caráter corporativo. b)INTERNACIONAIS -FINANCIAL ACCOUNTING STANDARDS BOARD(FASB) (JUNTA DE NORMAS DE CONTABILIDADE FINANCEIRA) Criado em junho de 1973. normatizar e fiscalizar o exercício da profissão contábil. levando sempre em conta a convergência da Contabilidade Brasileira aos padrões internacionais”. Tem como objetivo determinar e aperfeiçoar os procedimentos. visando à centralização e uniformização do seu processo de produção. Japão. -COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS-CPC: È um órgão autônomo . caracteriza-se por ser uma entidade independente. sem vínculo com a Administração pública do Brasil. França. -INTERNACIONAL ACCOUNTING STANDARDS COMMITTEE(IASC) (COMITÊ DE PADRÕES DE CONTABILIDADE INTERNACIONAL) Foi constituído no ano de 1973 através de um acordo feito entre organismos profissionais de Contabilidade da Austrália.008. servidores governamentais e membros da academia. que altera e introduz novos dispositivos à Lei das Sociedades por Ações(Lei nº6404/76.638/07 produziu alterações específicas. criado pela Resolução CFC nº 1. -COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS-CVM: Autarquia vinculada ao Ministério da Fazenda do Brasil. historicamente a maioria dos membros do conselho foi anteriormente auditores. México. por intermédio dos Conselhos Regionais de Contabilidade-CRC. Todavia.A Lei nº 11. Tem como objetivo “ o estudo. Canadá. Atribui-se desde 1983 a função de organização de uma doutrina oficial contábil brasileira. aprovadas periodicamente por Resoluções. para o desempenho dessa função. 2.941. Países Baixos. foi sancionada a Lei nº 11. para permitir a emissão de normas pela entidade reguladora brasileira.055/05. o preparo e a emissão de Pronunciamentos Técnicos sobre procedimentos de Contabilidade e a divulgação de informações dessa natureza. Reino Unido. porque. instituída pela Lei 6. Irlanda e Estados Unidos. com o intuito de orientar. Em 27/05/2009. Alemanha. em linha com os padrões contábeis internacionais.295/46 .

em termos de estrutura organizacional . Tem objetivo principal de assegurar aos investidores. Isso também ocorre na atividade contábil. de qualquer entidade. as demonstrações contábeis. Em outras palavras. Os objetivos do IASC são: a) desenvolver.c) promover a convergência entre as normas contábeis locais e as normas internacionais de contabilidade. 3. . os vários usuários da contabilidade podem tomar as suas decisões com segurança. acesso a informações corretas e completas necessárias à tomada de decisão. de 29 de dezembro de 1993. nela o IASC foi estabelecido como uma entidade independente. um conjunto único de normas contábeis globais de alta qualidade. podemos estabelecer que os Princípios Fundamentais de Contabilidade. b)promover o uso e aplicação dessas normas. que exigem informações transparentes e comparáveis nas demonstrações financeiras.A SEC reconhece os pronunciamentos do FASB como sendo de uso obrigatório. para auxiliar os participantes nos mercados de capitais e outros usuários na tomada de decisões econômicas. do CFC determinou a observância pela profissão contábil brasileira dos seguintes Princípios Fundamentais da Contabilidade: -PRINCÍPIO DA ENTIDADE Esse princípio reconhece o patrimônio como objeto da contabilidade e afirma a autonomia patrimonial. por conseqüência. Em praticamente todos os países existem princípios de contabilidade. comandada por 19 curadores(trustees). a necessidade de se diferenciar o patrimônio da empresa do patrimônio dos sócios. uma nova constituição. 1)A Resolução nº 750.foi aprovada. o que muda de país para país é o nome dado ao princípio e/ou à forma de sua aplicação. financeira e econômica em determinado momento. Dessa forma. reflitam de maneira adequada a sua situação patrimonial.PRINCÍPIOS DE CONTABILIDADE Para o desenvolvimento de qualquer atividade profissional precisamos conhecer com antecedência quais são as regras adotadas par a sua execução. principalmente minoritários. Em bases gerais. -SECURITIES AND EXCHANGE COMISSION (COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS E CÂMBIO) É a Comissão de valores mobiliários norte-americana responsável pela regulamentação do mercado americano de capitais e definição dos métodos aplicáveis à preparação de demonstrações contábeis e relatórios periódicos obrigatórios para as companhias abertas.Em maio de 2000. fundamentam a execução dos trabalhos contábeis. acionistas ou proprietários da empresa. A utilização desses princípios pelos contadores visa garantir que a escrituração e. alguns deles são universais. caso contrário teremos dificuldades para desempenhá-la. no interesse público. o entendimento é o de que a contabilidade deve ser executada e mantida para qualquer tipo de entidade como pessoa completamente distinta da pessoa física(ou jurídica) dos sócios ou acionistas. Dessa forma. ou seja. portanto. representam verdades primeiras da ciência contábil brasileira e.

mas sim valores de entrada(valores de compra ou custo). Advém daí a necessidade da utilização de documentação hábil e comprobatória de todas as transações. registro e relato de todas as variações no patrimônio de uma entidade.Assim as modificações de elementos patrimoniais devem ser contempladas mesmo nahipótese de somente existir razoável certeza de sua ocorrência. é a premissa de que uma entidade. para que as informações contábeis espelhem com fidedignidade a situação do patrimônio em determinado período. todos os gastos necessários para colocar o bem em condições de gerar benefícios presentes ou futuros para a empresa: caso ela efetue transações em moeda estrangeira. os registros da contabilidade são efetuados com embasamento no valor de aquisição do bem ou pelo custo de fabricação. Assim. a Entidade é um organismo vivo que irá operar por um longo período de tempo(indeterminado) até que surjam fortes evidências. ao que tudo indica. “Para a Contabilidade. incluindo-se.O Princípio da Oportunidade tem relação direta com os conceitos de integridade-necessidade de que as variações patrimoniais sejam reconhecidas em sua totalidade. -PRINCÍPIO DA CONTINUIDADE Continuidade para a Contabilidade. . econômicas ou jurídicas. estas devem ser transformadas em moeda nacional no momento do seu registro na contabilidade. Podemos inferir que o Princípio do Registro pelo Valor Original está intimamente ligado ao Princípio da continuidade. A preocupação básica é que devem estar reconhecidas nos registros contábeis todas as variações patrimoniais de uma entidade. -PRINCÍPIO DO REGISTRO PELO VALOR ORIGINAL Os elementos patrimoniais devem ser registrados pela contabilidade por seus valores originais. O sentido da continuidade é considerar o empreendimento como em andamento até forte evidência em contrário.registro das variações no momento em que ocorrerem.e tempestividade. irá operar por um período de tempo relativamente longo no futuro. haja vista que não interessa. expressos em moeda corrente do país. a empresa nasce sem prazo preestabelecido para encerramento das atividades e esta premissa somente é abandonada quando um histórico de prejuízos persistentes e a perda de substância econômica e de competitividade de mercado e mesmo o fim jurídico da sociedade justifiquem o fato de a Contabilidade sinalizarem para que aquela entidade esteja prestes a um descontinuidade. os patrimônios dos sócios não se confundem com o da empresa. para todos os efeitos. ainda. ou seja. valores de realização(valores de saída ou mercado) para seus bens e direitos. no caso de uma empresa com andamento normal de suas operações.O importante para caracterizar bem o princípio é que. no momento em elas ocorrerem. em contrário” -PRINCÍPIO DA OPORTUNIDADE O Princípio da Oportunidade enfatiza a necessidade de apreensão. o patrimônio de uma entidade não se confunde com o de outra.

Deste confronto. no período de competência. sempre que possível. . que revogou a correção monetária das demonstrações financeiras. O Princípio da Prudência impõe a escolha da hipótese de que resulte menor patrimônio líquido. -PRINCÍPIO DA PRUDÊNCIA O Princípio da Prudência determina a adoção do menor valor para os componentes do Ativo e do maior para os do Passivo. a atualização monetária não representa uma avaliação e sim apenas um ajuste dos valores originais. associamo-la com a Despesa sacrificada para obter aquela Receita. 2)Princípios Fundamentais de Contabilidade conforme Estrutura Básica da Contabilidade. Assim.249/95. devido à perda do poder aquisitivo em um ambiente inflacionário. o mais adequado para descrever um evento contábil. obteremos o resultado do exercício. devem ser feitas estimativas que envolvem incertezas de grau variável. sempre que se apresentem alternativas igualmente válidas para a quantificação das mutações patrimoniais que alterem o Patrimônio Liquido. entre vários procedimentos. normalmente. Confrontação das Despesas.-PRINCÍPIO DA ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA Refere-se ao ajuste dos valores dos componentes patrimoniais. é identificado quando os bens e serviços são transferidos aos compradores em troca de dinheiro(receita a vista). para definição dos valores relativos às variações patrimoniais. em documentação gerada nas transações ou evidência que possibilite a avaliação. O fato gerador. Portanto. A Aplicação do Princípio da Atualização Monetária ficou prejudicada desde a publicação da Lei nº 9. -PRINCÍPIO DA COMPETÊNCIA Esse princípio está ligado ao registro de todas as receitas e despesas de acordo com o fato gerador. mediante aplicação de indicadores oficiais. de direitos a receber(receita a prazo). Um dos aspectos quase sempre abordado é que os registros contábeis deverão ter Suporte. quando se apresentarem opções igualmente aceitáveis diante dos demais Princípios Fundamentais de Contabilidade. mas ao reconhecimento das receitas geradas(realização) e das despesas incorridas em determinado período. o contador deverá escolher. que reflitam a variação do poder aquisitivo da moeda. não definidos pela Resolução do Conselho Federal de Contabilidade: -OBJETIVIDADE Para que não haja distorções nas informações contábeis. A aplicação do Princípio da Prudência ganha ênfase quando. no momento em que reconhecemos a Receita. independentemente de terem sido recebidas(receitas) ou pagas (despesas). A Receita é reconhecida no período contábil em que foi gerada. é fácil observar que o Princípio da Competência não está relacionado aos recebimentos ou pagamentos.

Um ângulo bastante interessante para visualizar a materialidade é a análise do binômio CUSTO versus BENEFÍCIO. para valores irrisórios em relação ao todo. para evidenciá-las . de maneira imparcial. é maior que o benefício que trará aos usuários daquelas informações. a mudança será realizada. quanto mais objetivo for. forneceriam um valor objetivo para o contador desenvolver. dentro de vários igualmente relevantes. não deva ser feito. expondo a mudança de critério e suas implicações no lucro da empresa.Numa situação em que não haja documento para suporte de contabilização. de ano para ano(ou constantemente). Isso não quer dizer que. É importante a impessoalidade do contador que. mais imparciais serão aqueles informes. -CONSISTÊNCIA Uma vez adotado certo critério contábil. porque. Há determinadas informações contábeis cujo custo. a sua contabilidade. Portanto. . -MATERIALIDADE Através da materialidade definiremos o que é material (relevante) que o Contador deve informar em seus relatórios. em assim o fazendo. ele não deverá ser mudado. através de laudos. se condições supervenientes induzirem a mudar de critério. Através de evidenciação (Notas Explicativas) pelo menos nos relatórios contábeis. estaríamos impossibilitando a comparação dos relatórios contábeis(no decorrer do tempo). a “materialidade” desobriga a um tratamento mais rígido que aqueles itens de cifras relevantes. poder--se-iam convocar peritos em avaliação que.

.3/4.485.3.0397.507297...-/.40:31472. /.4/4 80: 574.439. .807.4 4 089:/4  4 5705. /.7.    429H 902 547 4-09./0 0 . .07H3.8 50..43.8   2  /0 /002-74 /0   14 5742:./070:. .3/4 802570 02 .9:70.43. ./47.48 84-70 574.039/. 0 3   .0884 /0 574/:4  0.4/031472.08/088.-/.0/203948 /0 439.:. 02884 /0 !743:3./70839073././07.-7.74 0 .203948 %F. .3.439.8..02884/03472..807. 5.

/0854708  03  .0/.03974/:34.907.48/85489.   6:0.480/.4.  70.8$4.

 /0/0/002-74/0  .

 0 3   .

8   2 . 34 007.5..J1.42 48 5.  574/:: ..8 0 /0 .9.907.J.4 20/.43. ..8  5439:./708 .08 0850.4 /0    02 3.439E-08 39073.

.

48 /85489.480/.8$4./0854708 03  .   14 8./.3.43.0/. 0 3974/: 34.907. . 0 3     6:0 .

 /0.

.

7094 0  ..:9.76:. /4 7.4 5-. .47547.8  3899:J/4 504 0. /0 .7E907 .42 .J3.    !#!$ #$ $ $%# $ ' % $ !$"&$ #%@  %   . /23897.4  802 .:4 .  $  $  #   %   A :2.9..

43:394 /03423.  ..J. . 1:34 /0 47.. 50.807.76:. .. . /4 7.42 4 39:94 /0 47039. .-/.7  3472.85074/.439E-  547 39072F/4 /48 438048 #043..574.807./.03/.20390547#084:08    $$   ' #$   # $ ' :9. 5741884 .8 7.7 4 007.-/.439E- -7.3./. 0   /0 .3.8 /0 439.8 /0 439.8  3899:J/.4 389F74 /.4 /0 :2. /4:973./0 #  97-: 80 /08/0  .7 0 18. 41.  .:4 .4 /./0  .9.:.. /0 472.

.

..#084:43  . /0803..07  /8.4./450.:93424 .4708 24-E748 207.08    %   !# &% $  % $ !  :2 O74 .7 0 18./4 /0 .7.7 4 207.7.  5...53./4 /0 .

8 0 202-748 /.20390 .2039.43804 14 .203948 %F.  .807.7.8  %4/.-/.4244-09...70.08/088.39074720390 . 0 89.8   .7.F8 /0 :2 .0/203948 /0 439./00.907.4 4089:/4 4 5705. 1:34  F 0/4 .3.02884 /0 3472..43./07./48 &3/48  8 202-748/4$3.424 4-09.:.3/. /48 202-748 /4 . ..74 0 .-/./4 02 :34 /0   .02807949. 80 547 807 :2.  8947.439E-08   %#  &%$%#$ %% $    % !# $ %%#   4 ..  5476:0  5.8.20390/08.485.:J7..8 50.07H3.47547./.0397.48 84-70 574.43E748 /0 7.507297.4/031472./4 /0 .9:70.. 4 /08025034 /088.  .439./0 70:..  .48  #034 &3/4  7./48/4207.8 /0 439.:././70839073./E  7.:48202-748.4 /4 80: 574.3. 02884 /0 !743:3.3/4 802570 02 .3/08 .34 /0  .43899:J/4 34 . -7.3/4  .. .073.43.43.8.439E-086:0 84202-748/.507104. 039/.4  !.%# $  &%$%#$ # $   &% #$ %#  7..97. ..20394  %02 .8.439./4708    .3.7.  02.4 /090723. :897E.:/94708  1:3.8./08/057418843.0/203948 .0884 /0 574/:4  0.0/07..-/.4254303908/0.47/4 1094 03970 47.439073../0439.38248 57418843./4708 4.4 0 :31472..8  807..  %02.43.54  F..094803472. 5.47.. 2./0 3/0503/0390  .748574.3.3.294/.430./47.59./02./0 /.J808 ..3.8039/.807.08 2:3/. 039/.

424803/4/0:844-7.078.4770 3. 0  5479. .42.J8 F 4 3420/.439E- 088.8 /0243897.08.43.808 0.425.  57424.397 6:0 ./0/0.804:9748:8:E7483. 70:.:38 /008 84 :3.8/0. 14.3.31472.:.8 .  2 57.8  4 6:0 2:/.4$14089. 42884 /0 .2 .84../4./..9.8 3472.E.  13.:7.7.439E-08  /06:.942.8 3472.0884..483./0 3/0503/0390 .30.J8 5.088E7.8.  54/0248 089.43:394 3.8.-079. 4 /0803./4708 . 8:.:/.207..8 /0 .E748 :8:E748/.:4 /4897.79:7.20394 /0 6:. 00./4708 97:89008  84-09.45.2039. 00.20390 94/48 48 5.3/. 6:.2039./4 2420394  088.07 .8/0.-.307. 08. 7085438E.8 .3.8  5.8 707.4 0  547 .42 .:4  ./49.4 /08808 573./.430.5.7....6:07 .390.248 .430.47709.-/.43806QH3.2 2.9O748 507O/.8 /..7.5.425.039/.7.3..8 .4./0 6:000231472.6:07039/.8 0 /0134 /48 2F94/48 .5.439.880:7.07/.57424.7 48 5.439E-08 0 70.34 /0 .08  5705./4././..07H3.4 /088.8 84 .08 .089/4708 573..9.J540... /0 /0.08 97.07 .4 /0 /0243897. /0 .8 39073.8 30.4. /0803./054/02942.207.0 48 5743:3.7E.439E-08   :9.80 .4/03472.9.808 07./0802503E ./.3.439. .703908 0 .4 573.8.H3.424:2.-/.J548 /0 .385..9.547.42509. 570.2039023479E748 .3908348207.08 13.07.8 3472.2 .8.3./0  2 -.2039../0   $&#%$ $$   $$ ' #$  # $   A ..J548 5048 ./.8 /0243897.89:.4 /0   :2.97243.48 ./08 57207.43./0 7019.439E- -7.439.-00.-/.4708 24-E748 34790 . 47. .8 /0 439.  .4280:7.808.5.07 34390708805-. 34.7.7./085.85.43.59. ./.7./..79.84  $ 70.-00.  48 .9O74    !# ! $ % !.8:.4573.0/H3. 03970 ..8  .-/..88:./06:.48 4-7...394  1:3/.8 0 ./0 57418843.8 %02 4-09.4 :2.574.439.6:.. 0 0.2-F2 4.  8849.2/02..9O748 5.5.203948/4$.J808 08902 573.J548 :3/.807. 02 /090723.7.3.432.439E-08 4..8  942./0 ./48/0. .08 3.7 .8 ./4 ..07.0 50. . 1472.8.08 .7 . 5. /0 5..07 4 :84 0 ../. 1472.59.07 6:0 48 !73.43899:4  02 907248 /0 0897:9:7./0  705708039..432.439E-084-.4 /4 207.4397E749070248/1.48/4$84.

7.1J8.439.48 .439E- -7.. /488O.. 4:80. 4-807.8  . 0 2....5.3.97234. 5741884 .430.J5470. /48 80:3908 !73. .484:. 50.0 807 00.745. . 025708.  2 4:97../0/080/10703./0  !# ! % 880573.045...84:5745709E748/..:94342.4389.172.2039.8  4 03903/20394 F 4 /0 6:0 .J548 :3/..4:1472./45.97234 /.807.025708.20390/8939. .:9.97243./.439.7.4389.8/.-/./08:./0 /0.. 5.97234/488O.-/.4    #084:43  /0/0/002-74/0 /4/0907234:.30.42509. 4::7J/. 6:.424 50884.8 5./0 .50884.088/..6:07 954 /0 039/.439./00.424 4-094/./.5. .-/.39/.

702 5./0902 70.4 /0 570:J48507889039080./0 F :2 47.4 /..02089.507/./H3.8 4.97234 /0 :2.43/08 /0 07. 439.-/.02.4708/00397.4708 /0 8..8.5700384  708974 0 70.4770702 882 .4708/0.20394./0/.  5704.3/43.432.-/.-. 089..97234 /0 :2..97243.0 .7.J. 4: 207./0 :8916:02 4 1.-/.  34.424 02 ..8 20824 3.430.949.0/.02 807 ./.4/0/4.9O7.44./0/06:0.../4 .0897.38./4507J4/4 /.4-E8.424/.9.088/.48 570803908 4: 1:9:748 5.7..08 5.-/.7.8 /0.:9.8 ./0 /0 ./0 F./0 F .42 02-.84507.08 34 5. 03. 5708908 ..7-024573.7.025708../0  !4/0248 31077 6:0 4 !73. ./08 0 089.7.4  3..7.8 /0..8.025708.439025.3/.0.431:3/0 .203943472.3/4 :2 89O7.7.0802240/.. 6:0 .6:84 /4 -02 4: 504 ./08:.42 4 /0 4:97.770.20390434341:9:74  4: 80./.94/4848010948 4 5..4393:/.570288. 089E 392.8 ../.270.J54/. 34 2420394 /4 80: 708974 3..83487089748../.. 3..8 02.. 039/.840.4393:/.430.8/0.J/.08 5.439.0/0./0 .4770702   !# !  #$%# ! ' # # 8 00203948 5.381472.439.21479080.08 .5O9080 /0 8420390 0897 7.972348 /488O..4!73.3905./0 30.. .-00.4/709.97234 02 /090723.477H3./4  5. 039/. 8420390 F .8...7.:2039.4 6:07E 4507. 7E4507.-/. ..42.08 .4393:/.43.  485..8 24/1.-/.0790./0 .4 E-0./0 ... 39/.. 30..97243.9.8 .4708473.30.7 4 -02 02 .43.4257./.4397E74    !# !  ! #%&  !73..880.897./0 09025089./094/.8948 30.8 02 240/. 84.84/0:2./.077. 4.7.F2/. .8 .907./4. 5479:3/.307./. ./0 031.7.7 -0301J.4397E74  !.47 /0. 039/. 039/.088/.8  0.25479.08 /0 00203948 5.9F147900.:3/4 80  .8./4 5. ..J8 882 487089748/.025708.431:3/02. 3.4 /4 5.J54 /4 #08974 504 '.9F6:08:7.-7.9./.02 807 97.42574-..08342420394026:04.7 4 0257003/20394 .7 547 :2434507J4/4/090254 3/090723.20394 /./../0 708974 /.7./..438/07. 6:. .3/./05.97243.4 570089.J54 /.J54F6:0 5. .   !# !  %& 4393:/./0  .439E-08 085002 .94 /0 . 80:8 -038 0 /70948  2.02 80770897.8 82 .. 6:0 ..38..483480.8028:. 439./0 /0 207..4 . :2 /08. 570288.8 31472.4E..4708/0 70.439E-08 94/.8 /0 :2.439.:894   ./0 547 80:8 .439.F6:0/0.42 1/0/3/./48 .6:0./0  34 242039402 0.:894 /0 1.97243.425099.088E748 5../0 83. /0 8:./4 0 20824 4 12 :7J/.0 802 57.  94/48 48 .  .039/.84::7J/.8 0570884802240/..8.088/.20394 34./0 0890.8.4:.7./H3.89.4248./0   8039/4 /.0109:097.3824 . 5479:3/./48 50../0 34 80 .7.0948/03907/.7.4770390/45./08:-893. 89:.7.J54/./084 0109:.46:0 9:/43/.3/.47 73.94 /094/.:5.432.08 !73.7547:2507J4/4/09025470. 025708.6:0343907088./06:0:2./0  5.20390.

42543039085.7.:890 /48 .4 /0 3/.4/.. !# ! %&@  % # #01070 80.97243.4 02 :2 ..8 /0.2 .9:... ...6:89. 5:-.:890/48..390 ../4708 41. .8 :2 .4708 473.9:... /4 54/07 ./.J54/..8  20/.5.4.6:89.4:570:/.  5.240/..394  .44309E7. 0 3   .503..43E74  !479.4 /.4708/48.4 0 82 ./4507/. :2.4 24309E7. . 34 705708039./08/0.8  6:0 7019..4/4!73.4 /454/07.1..2-0390 31.

/0  %' !.J54 /.:.8 /08508./0  34 /013/48 50.6:.430.0813.2039.48 8 .8 70./4 6:. .4  4317439.48 70.-/.J54 /.8 70.. /0/70948 ./06:.J./0/3074 70. !7:/H3. 3/0503/039020390/090702 8/4 70.09.94 07.8  4: 5.80802570.47 5.074 907 $:54790  802570 6:0 5488J.83. 08508.-47/./47 /0.J54089E.4.42 41.. H31. .08 5.9073.4 /.4257.-/.8   !# !  !%  880573..09.4 0 /4 2.8 2:9.570803902...8  882  F 1E.86:0. 3./47 34507J4/4 /0.J54 /.0248 .850.9486:.9407.09.8 .8 /08508.8:.0-/.7.43. /0 439.0-07 70.3/4 48 -038 0 807.7./H3.4 /4 !73.2039.4  802570 6:0 80 .8 0892.44: .20390  F /0391./4/4007.38../4 .20394 /.7.870.8.08 .J548 :3/.38107/48../4507J4/4   #0.3/4 80 ..47704 24309E7. 6:0 34 .80/08508.70.702 4508 :.07 :2 0.07.20390 .-/. .24 .42509H3..J54 /..4708 70.477/. .E/..0394..71./0 . /.8 34 2420394 02 6:0 70. 5.4708974/094/. E8. /.884.. 48 /4 !..0-203948 4: 5.20390.390/48/02./..8 /0 439.8 07.48..57.89.08 4: 0. 42509H3.J548:3/.4.. /.  0890 .E748 574..:2039. !7:/H3.0  02 /4.391.203948  2.439E- 02 6:0 14 07..4 07.. /090723.42 . !7:/H3./4F6:0487089748.09.6:0..439.6:05488-90.09.972346:/4   !73.4314720 897:9:7.4  .09.70.97243.48 84 97.802/090723.-/.97234 J6:/4  6:.8 /0243897.8 6:003.8 97.80 6:..8/07. 5O9080 /0 6:0 708:90 20347 5.4 70./. 34 089E 70..7 6:0 4 !73.4254303908 /4 9./..0    !73..4  0 /. 48 ./4.3/4  5.07E 08.439E-  &2/48.02 807 109. F 70.88. 4-907 . #0.907024!.439E-08/0.09.9.09E.8 08508. .439E-08  4 .47 5.4   !# ! !#&   !73. 08.7./47  3472./..  .08 5.  6:0 70.8/0439.430.47/4 ../4 5.5. /0134 /48 .9..8 .4/.7.08 /..8!73.3./44 /4 20347 .7.430.023.8  /0.0790.09.. 439.407  03970 ./0   .9.8 70../.   1. 8./470802974. /08.. #0..8 31472. 4-807..85. 34 507J4/4 .97243.7. #084:4 /4 43804 0/07..43174394 4-90702484708:9.. /894708 3.5708039.8/0.3. 250 .7E.0/203948  4 2.7.

3905.0834:.4 49..907.7E./0F.3908  00 34 /0..390 ./47/0.F8 /0 .3908   ./.43.025708.2:/.476:04-0301J.8700.2 .3E80/4 -324&$% .74/..79F74 .07. 8:54790 /0 .439E-08  0543/4 .394 2..9O748 .08 .8 31472.85.203942.7.0 .2.:20394 5..4 94/4  . 700.3903907088.88074../0  A 25479./03.20390 700.4  54/07 80 ./0 /4 .. .7..8 504 20348 348 70..9O748  &23:4-./47 /0803.4.4 6:0  .2 :2 .46:097.4708 778O748 02 70.7.8:.34 4: . ../47 6:0  6:.F8 /..3././03.7.907.4 .89.7.   %#  97.0303908 3/:702 .-/.4.43/08 8:507./49..6:0..E748 :.E . 250884.078:8   E /090723.394  5. 2:/.4 147  2. 2:/. 4 ..390  6:0 4 439./.439.3.439E-08 .79F74 34/0..0794 .47707/490254  884 34 6:07 /07 6:0  80 .807E70.9.907..7. .F8/00./0  /084-7./4  /0. 2.47 4-09.34 5.439E-08 34/0.7.:4 .9.7...7 507948 02 .439.907.7.8 4-09...831472..8:..3/4 .97.9O748.307./0 /01370248 4 6:0 F 2.08  !479. .48:8:E748/./.87J/46:0.07  /0 2.70280:870..03/4  089.425.:297..39020390  5476:0  02 .6:0089038/0.6:0083147208    $$%  &2. .439.-.248 25488-9.439.8  F 2.031472.:894  5. 0. /0 .8 25.7J.4 02 6:0 34 ./.4389.. 25.8071094 97.4 /48 70.4 5.7 /0 .7.17.07E 807 2:/./4 .439E-  /03974 /0 . 89:.825.882 4 1.:2.79F74 0  8:. 2.:/48  14730../.. /4.