Você está na página 1de 4

Márcia José Silva

Aluna do 9o. Perido do Curso de Direito, da Faculdade Brasileira de Ciências Juridicas. Administradora de Empresas pela Faculdade de Economia e Finanças do Rio de Janeiro. Pós Graduada em Gestão de Pessoas pela Universidade Gama Filho. Trabalha na Pinelli e Mattar Sociedade de Advogados.

http://marciajosesilva.blogspot.com/2011/01/construca o-civil-enfrenta-escassez-de.html

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011
Construção civil enfrenta escassez de mão-de-obra

O setor da construção civil tem motivos de sobra para comemorar o crescimento nas vendas de imóveis. Mas quando o aspecto é a mão-de-obra, especialmente de pedreiros e carpinteiros, a situação é preocupante. Segundo estimativas do presidente do Sindicato da Construção Civil, Carlos Alberto Lima, hoje há déficit de mais de 50 mil trabalhadores de todos os níveis nos canteiros de obras. “O setor ficou paralisado por quase 30 anos. Nos últimos quatro anos, ele tem passado por processo de aquecimento muito intenso, o que provocou necessidade de mão-de-obra. Ocorreu que nós tivemos que recrutar as pessoas, e a capacidade de formação não acompanhou”, diz. Em apenas dois anos, destaca Lima, o contingente de trabalhadores formais nos canteiros de obras dobrou, pulando de 80 mil para mais de 160 mil pessoas. Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil (Sintracon), Raimundo Brito, o problema não está na indisponibilidade de profissionais. Segundo ele, as empresas demitem os operários após o término das obras ao invés de reaproveitá-los, e eles acabam partindo para serviços particulares. “Fora que os salários que eles pagam é muito baixo. Um operário

que tem apelado para treinamentos nas construções já que não encontra no mercado trabalhadores com formação.3%. garante Brito. Construção civil treina mulheres para enfrentar falta de mão de obra De acordo com pesquisas. acabando com uma tradição de anos no país de um setor dominado pelos homens. segundo pesquisa divulgada nesta sexta-feira (30) pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) em Brasília. foi a elevada carga tributária. da CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção). construção civil treina até cortadores de cana. . e trabalhando sozinho ele passa dos R$ 2 mil”. Vão longe os tempos em que a construção civil era uma área de trabalhadores com baixa qualificação e baixos salários. a falta de trabalhadores é um desafio que está sendo enfrentado pelas empresas.9% das empresas. por 60. mas aponta a falta de trabalhador qualificado como o maior problema a ser enfrentado. a falta de profissional é o principal desafio do setor. O setor da construção civil cresceu nos primeiros seis meses do ano. 62% apontaram a falta de trabalhador qualificado como o maior problema a ser enfrentado. Muita gente está se qualificando. Entre as grandes empresas o índice foi de 81. para trocar de área.de obra ganha cerca de R$ 900. O segundo problema apontado. Para suprir falta de mão de obra. Com a falta de mão de obra o setor já está treinando mulheres no canteiro de obras. Das empresas de construção pesquisadas. De acordo com Luiz Fernando Mendes.

há vários procedimentos que vêm sendo feitos para facilitar o processo. é aumentar a produtividade do funcionário do canteiro de obra. ou agilizar os procesos ajuda na produtividade do canteiro. Vão longe os tempos em que a construção civil era uma área de trabalhadores com baixa qualificação e baixos salários. A busca das incorporadoras por equipamentos e novas tecnologias que vão suprir a grande quantidade de mão de obra. . Está treinando cortadores de cana e oferecendo aulas até à noite. Muita gente está se qualificando. Agora. Tudo o que puder vir pré-fabricado. os caixilhos de alumínio já com vidro. e no proximo ano estará em um patamar mais alto e estável. Está contratando profissionais de outras áreas. se não entrarmos em um novo equilíbrio as construtoras não vão aguentar. trazendo concreto já usinado. A carência de mão de obra pode diminuir com a estabilidade aliada à industrialização dos processos construtivos. Temos que fazer o bom uso da engenharia. além de investir em tecnologia.como por exemplo o uso de MAQUINAS DE PROJETAR EMBOÇO.A falta de trabalhadores no canteiro de obras levou construtoras a pagar passagens e hospedagens para os pedreiros. para trocar de área. Estão todos trabalhando no limite de prazo e de preço. pronto. trabalhar mais tranquilos. a construção civil abriu uma nova frente. A mão de obra empregada só tem aumentado. Também se faz essencial. a porta pronta. segundo dados do SindusCon-SP. A situação é extremamente preocupante. As construtoras têm tentado industrializar o que é possível.

Fontes: http://atardeonline.html http://g1.html .br/economia/noticia.com/bom-dia-brasil/noticia/2010/10/para-suprir-falta-de-mao-deobra-construcao-civil-treina-cortadores-de-cana-e-mulheres.com/economia/noticias/construcao-civil-treina-mulheres-paraenfrentar-falta-de-mao-de-obra-20100730.com.jsf? id=5646420#COMENTARIOS5646420 http://noticias.globo.r7.