Você está na página 1de 39

Capítulo 9: Transferência de calor por radiação térmica

Radiação térmica Propriedades básicas da radiação Transferência de calor por radiação entre duas superfícies paralelas infinitas

EM-524 Fenômenos de Transporte

Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero

Radiação térmica
É a energia emitida, na forma de ondas eletromagnéticas, por toda matéria que se encontre a uma temperatura absoluta finita.
• A emissão é atribuída às mudanças nas configurações eletrônicas dos átomos ou moléculas que constituem a matéria (atividade atômica e molecular). Por isto, toda matéria que estiver a uma temperatura absoluta finita vai emitir radiação. • A radiação pode ser emitida por sólidos, líquidos e gases. • Na ausência de um meio interveniente (como por exemplo no vácuo), há transferência de calor por radiação entre duas superfícies que estejam com temperaturas diferentes.
EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero

Radiação térmica
• Propriedades típicas de uma onda:

c λ= v
onde “λ” é o comprimento de onda, “c” é a velocidade da luz no meio material e “v” é a freqüência.

• Para a propagação no vácuo: c = co = 2,998.108 m/s • A unidade de λ é comumente o micro (ou micrômetro): 1 µm = 10-6 m
EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Dra. Carla K. N. Cavaliero

de Transporte EM-524 Fenômenos Profa. N.1 e 100 µm (uma fração da região ultravioleta e todo o espectro de luz visível e infravermelho). Dra. Esta fração é a chamada radiação térmica.Distribuição espectral da radiação eletromagnética Radiação térmica • Para a transferência de calor interessa a fração intermediária entre 0. Cavaliero . Carla K.

que corresponde à taxa pela qual a radiação de comprimento de onda λ é emitida em TODAS as direções no espaço hemisférico de uma superfície. λ Eλ EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Eλ (W/m2µm). Carla K.Poder emissivo Corresponde à taxa de radiação que é emitida pela superfície por unidade de área. Dra. por unidade de área da superfície e por intervalo (dλ) de comprimento de onda. • Existe o poder emissivo espectral. N. Cavaliero .

Carla K. Dra.104 µmK Profa.439.742. Cavaliero . para um corpo irradiante ideal: EM-524 Fenômenos de Transporte C1 Eλ = 5 λ [exp(C2 / λT ) − 1] C1 = 3.Poder emissivo total (En) Corresponde à taxa de radiação que é emitida por unidade de área em todas as direções possíveis e em todos os possíveis comprimentos de onda (W/m2): ∞ En = ∫ Eλ (λ )dλ 0 • A partir da lei de Planck. N.108 Wµm 4 /m 2 C 2 = 1.

N.Corpo negro • É um corpo ideal cuja superfície é um emissor perfeito de radiação (em todas as direções e comprimentos de onda). EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. • Serve como padrão de comparação para a radiação de superfícies reais. – A emissão é difusa: depende de T e λ. • Também é um absorvedor ideal de radiação incidente. Cavaliero . Carla K. também conhecido como irradiante ideal: – Para uma dada temperatura e comprimento de onda. independente do comprimento de onda ou da direção da radiação. Dra. porém não depende da direção. nenhuma superfície pode emitir mais radiação que um corpo negro.

103 = T Profa. Dra. diminui o λ em que a radiação é máxima (Lei de Wien): λradmax EM-524 Fenômenos de Transporte 2. a radiação emitida por um corpo negro aumenta a medida que T aumenta. N. • Quando T aumenta.Corpo negro • A distribuição espectral da radiação de um corpo negro (lei de Planck): • Em qualquer λ. Cavaliero . Carla K.90.

10-8 W/m2K4) e “T” é a temperatura absoluta da superfície (K). Cavaliero .67. Carla K.Poder emissivo total (En) • Integrando a equação de En. encontra-se o poder emissivo total de um corpo negro (lei de Stefan-Boltzmann): ∞ En = ∫ Eλ (λ )dλ 0 En = σT 4 onde “σ” é a constante de Stefan-Boltzmann (5. EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Dra. N.

Temperatura da superfície do Sol • Considerando Tsol = 5760 K: En = 5.(Rs2) = 3.000 Km) • • • A taxa de energia Q atravessa a área (Ad) da superfície (≈ esfera) descrita pela órbita da Terra.6 x 106 km) EM-524 Fenômenos de Transporte Profa.4 MW/m2 • Então a taxa de energia total (Q) emitida pelo Sol (área As) será: Q = En.As = En.4 .π .(d2) = 1.(5760)4 = 6. Cavaliero . Carla K.24x107 W/m2 = 62. ≈ resultando na intensidade média de energia que atinge o topo da atmosfera da Terra (Eo): Eo = En/Ad = En /4.67x10-8.π.351 W/m2 π Onde d: distância (média) entre o Sol e a Terra (= 149. N. Dra.80x1026 W π Onde Rs: raio do Sol ( = •696.

• Na verdade. Dra. N.Temperatura da superfície do Sol • Medidas realizadas por satélites indicam para Eo. deve-se mencionar que foi partindo-se dos valores medidos de Eo que determinou-se a temperatura da superfície do Sol. o valor: Eo = 1. EM-524 Fenômenos de Transporte Profa.372 W/m2 • Este valor se refere à distância média entre a Terra e o Sol. também denominada CONSTANTE SOLAR. Carla K. Cavaliero . cuja variação provoca uma diferença de aproximadamente 7% entre a energia total recebida entre o ponto de maior proximidade e de maior afastamento .

Dra. Cavaliero .1 mostra a fração de radiação no intervalo de λ entre 0 e λ1 em função da relação λT: Fλ1 −λ2 = F0−λ2 − F0−λ1 Eλ1 −λ2 .Radiação emitida em um intervalo de λ • Pode ser obtida considerando que seja uma fração do poder emissivo total de uma superfície de um corpo negro a mesma temperatura. En EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. • A Tabela 9. N. Carla K.n = Fλ1 −λ2 .

Carla K.Propriedades básicas da radiação • Irradiação • Emissividade • Radiosidade EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Cavaliero . Dra. N.

N. Carla K. • A radiação incidente pode ser proveniente de uma fonte específica. Dra. como por exemplo o Sol.Irradiação • Corresponde à taxa na qual a radiação atinge uma superfície (W/m2). ou de outra superfície. • A irradiação total (G) é obtida pela integração em toda a faixa de comprimento de onda: ∞ G = ∫ Gλ (λ )dλ 0 EM-524 Fenômenos de Transporte Onde Gλ corresponde à irradiação espectral Profa. Cavaliero .

Irradiação • Uma parte da irradiação é absorvida. outra parte é refletida e a parcela restante é transmitida através do corpo: G refletida absorvida transmitida EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. N. Carla K. Cavaliero . Dra.

é refletida ou transmitida. ou seja.Irradiação: absortividade • A fração da radiação total incidente que é absorvida pela superfície é chamada de absortividade (α) e α varia com o comprimento de onda: radiação absorvida 1 α= = ∫ α λ Gλ dλ radiação incidente G 0 ∞ 0 ≤α ≤1 • Se α < 1. Dra. Cavaliero . existe uma parcela da radiação que é não absorvida. Carla K. EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. N.

a reflexão é uniformemente distribuída em todas as direções (ex: superfícies rugosas). Dra. Carla K. N. – Na reflexão especular. varia com o ρ comprimento de onda: radiação refletida 1 ρ= = ∫ ρ λ Gλ dλ radiação incidente G 0 ∞ 0 ≤ ρ ≤1 • Existem dois tipos de reflexão: especular e difusa. Cavaliero . EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. • Um corpo real não exibe nem reflexão especular pura e nem reflexão difusa pura. – E na difusa. o ângulo de incidência é igual ao ângulo de reflexão (ex: superfícies polidas).Irradiação: refletividade • É a fração da radiação total incidente que é refletida pela superfície (ρ) e como a absortividade.

Carla K. Dra. a transmissividade é igual a zero. já que os corpos são normalmente opacos à radiação incidente: τ = 0 EM-524 Fenômenos de Transporte α + ρ =1 Profa. Cavaliero . N.Irradiação: transmissividade • É a fração da radiação total incidente que é transmitida através do corpo (τ) e também depende τ do comprimento de onda: radiação transmitida 1 τ= = ∫ τ λ Gλ dλ radiação incidente G0 ∞ • Logo: α + ρ +τ = 1 • Para a maioria das superfícies sólidas.

N. Dra.Emissividade total (ε) ε É a razão entre a energia real emitida por um corpo qualquer e a energia emitida por um corpo negro à mesma temperatura. Cavaliero . EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. então a distribuição espectral da energia será idêntica e a emissividade e a absortividade) da superfície são iguais: αλ = ελ • Se ocorrer: – Um equilíbrio térmico entre a superfície e a vizinhança ou – A superfície for um corpo cinzento: a emissividade e absortividade da sua superfície independem de λ e da direção. Carla K. 1 ε= ∫ ε λ E λ dλ En 0 ∞ 0 ≤ ε ≤1 • Se a radiação incidente na superfície que está a T1se origina de de uma outra superfície que também está à T1.

– e da natureza da superfície. • Valores tabelados da emissividade são geralmente normais à superfície do corpo (Tabela 9. da T.Emissividade total (ε) ε • A radiação de um corpo real não é inteiramente difusa: – A aproximação do comportamento de um corpo real para um corpo cinzento pode causar erros significativos caso se trabalhe em λ onde a absortividade não é aproximadamente constante. do λ. etc. pintura. • A emissividade do corpo real depende: – do ângulo de observação. ou seja. EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. tratamento térmico. dos acabamentos superficiais que por sua vez são influenciados pelos métodos de fabricação.2). Dra. Cavaliero . Carla K. N.

Radiação solar EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Cavaliero . Carla K. N. Dra.

Radiação solar • Depende de três fatores: a) da quantidade de energia refletida e absorvida pela atmosfera. dia. Dra. hora. b) da latitude geográfica. Cavaliero . Carla K. N. c) da posição no tempo: mês. EM-524 Fenômenos de Transporte Profa.

Radiação solar a) Influência da Atmosfera • Reflexão da luz para o espaço exterior é em média 35% da energia incidente (varia entre 30 e 40%) • Absorção da radiação pela atmosfera: depende da densidade do ar (pressão e temperatura). N. dia e hora) EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. etc. Dra.) e da distância (espessura da atmosfera) que a radiação percorre até atingir a superfície (latitude local. da composição (quantidade de CO2. mês. Carla K. Cavaliero . H2O. gases. partículas sólidas.

N. Carla K. Cavaliero . Dra.Radiação solar Efeito da espessura da atmosfera: Raios solares θ Espessura da atmosfera TERRA • A distância percorrida no nascer e no pôr do Sol chega a 11 vezes a espessura observada na incidência normal EM-524 Fenômenos de Transporte Profa.

Cavaliero . N. Dra. Carla K. Hemisfério Norte: latitudes norte (N) ou positivas P φ Hemisfério Sul: latitudes sul (S) ou negativas EM-524 Fenômenos de Transporte Profa.Radiação solar b) Influência da Latitude (φ) φ Define-se a latitude como sendo o ângulo que a reta que une o centro da Terra e um determinado ponto (P) da superfície do planeta faz com o plano definido pela linha do Equador.

N.5 94. Cavaliero . Dra.1 79. Carla K.6 88.0 EM-524 Fenômenos de Transporte Profa.Radiação solar b) Influência da Latitude (φ) φ Diminuição da energia solar anual média na superfície da Terra em função da latitude: Latitude 0o 10 o 20 o 30 o 40 o % da energia incidente em relação à energia incidente no Equador 100 98.

Dra. o ângulo horário (h) e o δ ângulo zenital (z).Radiação solar c) Influência da Condição Temporal: A data (mês e dia no ano) e a hora do dia complementam a inclinação exata do Sol em relação à superfície da Terra. pois determinam a declinação solar (δ). Carla K. N. EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Cavaliero .

N.Sul (21 de junho) EM-524 Fenômenos de Transporte Primavera H.Sul (21 de março) Terra Sol Inverno H. Cavaliero . Outono H.Sul (21 de setembro) Verão H. Carla K.Sul (21 de dezembro) Profa. Dra.Radiação solar • Declinação solar (δ): inclinação do equador δ terrestre em relação ao plano de órbita da Terra em torno do Sol.

Cavaliero . EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Representa a variação diária da inclinação do Sol entre o nascente (aproximadamente às 6 horas da manhã) e o poente (aproximadamente às 6 horas da tarde). Dra. N.Radiação solar •Ângulo horário (h): é o ângulo entre o plano meridional de um ponto sobre a superfície e o plano meridional que contém o Sol. Carla K.

Dra. Carla K. solares z Área horizontal EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. pois define o ângulo entre os raios solares e a normal sobre a superfície Raios considerada. Cavaliero .Radiação solar • Ângulo zenital (z): é o ângulo que realmente interessa para o cálculo da energia solar incidente sobre a superfície. N.

total por ano EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Cavaliero .Radiação solar global. N. Carla K. Dra.

• É a soma da radiação incidente que é refletida e a que é emitida por uma superfície. Carla K. Cavaliero .Radiosidade (J) Corresponde a quantidade de radiação que deixa um corpo (taxa de energia transferida por unidade de área). • Pode ser expressa em termos da emissividade e da refletividade da superfície: J = εEn + ρG EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Dra. N.

– A superfície 1 está a uma temperatura T1 e a T1 superfície 2.Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas: – A radiação que deixa uma superfície vai atingir a outra. T2. – A taxa total de energia que deixa a superfície 1 é J1A1 e que deixa superfície 2 é J2A2. Carla K. – A taxa líquida de calor transferido entre as superfícies é: T2 EM-524 Fenômenos de Transporte & Q & Q = J1 A1 − J 2 A2 = A(J1 − J 2 ) ⇒ = J1 − J 2 A Profa. N. Cavaliero . Dra.

Cavaliero . Carla K. Dra. N.Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas (corpos negros): – A emissividade e a absortividade são totais: ε1 = ε 2 = 1 J = εEn + ρG J1 = σT1 4 α1 = α 2 = 1 T1 T2 – A refletividade e a transmissividade serão zero e as radiosidades serão: En = σT 4 J 2 = σT2 4 – A taxa líquida de calor transferido entre as superfícies por unidade de área é: EM-524 Fenômenos de Transporte & Q 4 4 = σ (T1 − T2 ) A Profa.

Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas (corpo cinzento opaco): – A transmissividade é zero e a radiosidade será: J = εEn + ρG = εEn + (1 − ε )G – A taxa líquida de calor transferido de uma superfície (corpo cinzento opaco) pode ser expressa como a diferença da radiosidade (radiação que deixa a superfície) e da irradiação (radiação que chega): En − J & J − εE n G= (1 − ε ) T1 T2 Q = A( J − G ) = EM-524 Fenômenos de Transporte [(1 − ε ) / εA] Profa. Cavaliero . Dra. Carla K. N.

Dra. N. Carla K.Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas (corpos cinzentos opacos): – Caso as duas superfícies sejam corpos cinzentos opacos. Cavaliero . a taxa líquida de calor perdido pela superfície 1 será igual a que é ganha pela superfície 2: T1 T2 & Q = A( J − G ) = En1 − J1 J 2 − En 2 En 2 − J 2 = =− [(1 − ε1 ) / ε1 A] [(1 − ε1 ) / ε1 A] [(1 − ε 2 ) / ε 2 A] EM-524 Fenômenos de Transporte Profa.

Cavaliero . Dra. N. Carla K.Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas (corpos cinzentos opacos): En1 − J1 J 2 − En 2 En 2 − J 2 = =− [(1 − ε1 ) / ε1 A] [(1 − ε1 ) / ε1 A] [(1 − ε 2 ) / ε 2 A] & = A( J − G ) = En1 − J1 ⇒ R = 1 − ε 1 ∴ R = 1 − ε 2 Q [(1 − ε1 ) / ε1 A] ε1 A ε2A & Q = A( J − G ) = & J1 − J 2 Q & Q = J1 A1 − J 2 A2 = ⇒ = J1 − J 2 1/ A A J − J2 1 & ⇒R= Q = J1 A1 − J 2 A2 = 1 1/ A A EM-524 Fenômenos de Transporte En1 T1 J1 1 A J2 En2 T2 1 − ε1 ε1 A 1− ε2 ε2A Profa.

Cavaliero .Transferência de calor por radiação • Entre duas placas planas paralelas infinitas (corpos cinzentos opacos): En1 T1 J1 1 A J2 En2 T2 1 − ε1 ε1 A 1− ε2 ε2A 4 4 σT1 − σT2 & = En1 − En 2 ⇒ Q [(1 − ε1 ) / ε1 A] + 1 / A + [(1 − ε 2 ) / ε 2 A] ΣR EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. N. Dra. Carla K.

N.FIM EM-524 Fenômenos de Transporte Profa. Carla K. Cavaliero . Dra.