Você está na página 1de 4

Hemocitopoese: Processo contínuo e regulado de produção de células do sangue, que envolve renovação, proliferação, diferenciação e maturação celular.

No início da gravidez, o embrião retira os nutrientes de que precisa das paredes do útero materno. O embrião humano apresenta-se ao lado de uma espécie de bolsa de grandes dimensões, chamado saco vitelino. No embrião humano, o saco vitelino não tem função de reservatório alimentar, mas possui também um papel valioso, é nele que se inicia a formação dos vasos sanguíneos e dos glóbulos vermelhos do embrião. Após algumas semanas da gestação, podem ser observadas na parede externa do saco vitelino pequenas massas celulares. Pouco a pouco, as células que formam esses aglomerados sofrem uma transformação e originam pequenas ilhotas sanguíneas, as chamadas ilhotas de Wolff. As células que delimitam o contorno das ilhotas vão originar as paredes dos primeiros vasos sangüíneos. Gradualmente, o interior dessas ilhotas vai ficando vazio e as células mais internas transformam-se em glóbulos vermelhos primitivos. Assim, vasos sanguíneos e glóbulos vermelhos se originam a partir da mesma estrutura inicial, situada fora do organismo do embrião. São, portanto, de origem extra-embrionária. O sistema de nutrição do embrião sofre uma modificação radical. O pequeno ser em formação passa a alimentar-se através do sangue da mãe. E, para que os nutrientes possam ser distribuídos adequadamente pelo organismo embrionário, é

indispensável um eficiente sistema transportador de elementos nutritivos. Durante toda a vida uterina, o feto sofre as transformações necessárias para adaptar o aparelho circulatório à futura existência fora do útero. Pouco a pouco, o saco vitelino deixa de ter qualquer função para a vida embrionária e começa a evoluir. A partir daí, as células do sangue passam a ser produzidas no interior do próprio organismo no qual possui três camadas fundamentais de tecidos. A ectoderma, endoderma e mesoderma. É na mesoderma que são produzidos novos vasos e glóbulos sanguíneos. No início ela é constituída apenas por uma massa gelatinosa de protoplasma, com núcleos dispersos. Não existem limites evidentes entre as células, que comunicam livremente, caracterizando, assim, o chamado sincício. Pouco a pouco o sincício mesodérmico dá origem à rede de delgados vasos capilares, forrados de endotélio; o protoplasma original se liquefaz e se transforma no plasma, que é a parte líquida do sangue. Em alguns pontos do endotélio, suas células

Na vida pós-natal. os glóbulos vermelhos serão produzidos fora dos vasos. são células anucleadas. as células perdem os núcleos e transformam-se em glóbulos vermelhos. O fígado e o baço posteriormente funcionam como órgãos hemocitopoéticos temporários. que normalmente não tem núcleo. vértebras. rica em células adiposas e que não produz células sanguíneas. Em certos casos. Esta medula é encontrada no canal medular dos ossos longos e nas cavidades dos ossos esponjosos. nas epífises proximais do fêmur e do úmero. . Assim aparecem no interior dos capilares massas de células portadoras de hemoglobina. como nas hemorragias. hematógena. Finalmente. porém. a medula amarela pode transformar-se em medula óssea vermelha e voltar a produzir células do sangue. Distinguem-se a medula óssea vermelha. No recém-nascido. as células sanguíneas são originadas a partir de células-tronco da medula óssea vermelha. passam a circular pela corrente sanguínea. caminhando pelo plasma que acabou de se formar. díploe dos ossos do crânio e. Durante o resto da vida fetal. no adulto jovem. porém. Este processo de formação do sangue que ocorre no mesoderma é ao que parece o único exemplo de produção de hemácias no interior de vasos. que deve a sua cor á presença de numerosos eritrócitos em diversos estágios de maturação. Com o avançar da idade. e a medula óssea amarela. portanto.proliferam e se diferenciam. a medula óssea se torna cada vez mais importante como produtora das células sanguíneas. À medida que a sinostose pré-natal do resto do esqueleto avança. toda a medula óssea é vermelha e. dando origem a glóbulos vermelhos. Quando estas células se tornam livres. a maior parte da medula vermelha no adulto apenas no esterno. ativa na produção de células do sangue. costelas. que preenchem e distendem o espaço interno desses vasos recém-formados. no segundo mês de vida intra-uterina a clavícula já começa a sofrer sinostose dando início a formação de medula óssea hematógena em seu interior.

. recebemos um estímulo antigênico de um micro-organismo. esses corpúsculos. o que facilita as trocas de gases. Eritrócitos: Os eritrócitos. onde sofrem deformações temporárias. A forma bicôncava da hemácia normal proporciona grande superfície em relação ao volume. mas não se rompem. uma proteína transportadora de O2. Parte sólida é formada por glóbulos vermelhos (eritrócitos). As hemácias são flexíveis. que estimula a produção de anticorpo. chamados de “Anticorpos Naturais”. as aglutininas. Os sistemas de grupos sanguíneos são caracterizados pela presença ou ausência de proteínas denominadas de antígenos (é toda substância. Quando tomamos vacina.Constituição do sangue: O sangue é composto de parte líquida e sólida. Os eritrócitos têm a forma de disco bicôncavo. Geralmente os anticorpos produzidos pelo organismo ocorrem com a estimulação a uma resposta antigênica. Ou seja. no caso do grupo sanguíneo do às pessoas contêm em seu plasma desde o nascimento. Em condições normais. Mas. existe um encaixe específico que permite a formação do complexo antígeno –anticorpo. glóbulos brancos (leucócitos) e plaquetas (trombócitos). pelo organismo) ou aglutinogênios na membrana eritrocitária e simultaneamente no plasma sanguíneo existem outras proteínas que são anticorpos (é toda molécula de proteína produzida pelo organismo para combater o antígeno) denominados de aglutininas. ao contrário dos leucócitos. Nosso sistema imunológico reconhece aquele estímulo como um corpo estranho e passa a produzir anticorpos específicos com a intenção de se livrar daquela “ameaça”. A reação entre o antígeno e o anticorpo é específica. ou hemácias são células anucleadas e contém grande quantidade de hemoglobina. passando facilmente pelas bifurcações dos capilares mais finos. por isto. Parte líquida é formada pelo plasma. não saem do interior dos vasos.

Eles injetaram o sangue em cobaias. pois no sangue do macaco havia um antígeno denominado fator . Karl Landsteiner e Alexander Solomon Wiener realizaram experiências com o sangue do macaco Rhesus. Concluíram que havia nas hemácias do sangue do macaco um antígeno que foi denominado de fator RH. então perceberam que o organismo das cobaias produziam anticorpos. pois aquele sangue era uma substancia desconhecida pelo organismo. e apresentam o genótipo rr Após a pesquisa. ao injetar o sangue do macaco. O anticorpo produzido no sangue da cobaia foi denominado de anti-Rh. capazes de aglutinar as hemácias gradativamente. foi concluído que. Os indivíduos que não apresentam o fator Rh são denominado (homozigoto).Histórico: Em 1940. apresentando os genótipos RR (homozigotos) ou Rr (heterozigotos) dominantes. sendo geneticamente recessivos. Os anticorpos produzidos pelas cobaias forma chamados de anti Rh. o organismo das cobaias reagia produzindo anticorpos. Posteriormente descobriu-se que numa certa porcentagem de humanos (mais ou menos em 85% dos brancos) apresentam o fator Rh são conhecidos como Rh+.