Você está na página 1de 12

1º A 7 DE NOVEMBRO/2011

ANO XI - EDIÇÃO 199

10 Anos A notícia em PRIMEIRO LUGAR VALOR R$ 1.00 Fundado em 21 de abril
10 Anos
A notícia em
PRIMEIRO
LUGAR
VALOR R$ 1.00
Fundado em 21 de abril de 2001 por Pedro Dias da Silva (J. Silva) - Circulação semanal a partir da edição 90

GOIANÉSIA

Celebrações e milhares de visitas marcam Dia de Finados

A Folha do Vale

e milhares de visitas marcam Dia de Finados A Folha do Vale Missa no Cemitério Municipal

Missa no Cemitério Municipal celebrada pelos padres Pedro e Franciel, no 2 de novembro

O Dia de Finados, nesta quarta- -feira, 2, foi marcado em Goianésia por celebrações religiosas e visitas de milhares de pessoas a seus entes que- ridos no Cemitério Municipal. No local, em tendas armadas espe- cialmente para a data, foram realiza- das Missas Solenes dos Fiéis Defuntos, de manhã e à tarde. Centenas de fiéis participaram das celebrações. O padre Pedro, da Paróquia Sa- grado Coração de Jesus, explicou que, mais do que um dia de lágrimas e de dor, a data deve ser encarada como uma ocasião para se relembrar e fortifi- car a nossa esperança na ressurreição. Ele pediu aos fiéis católicos que ho- menageiem os falecidos com orações.

[Página 4B

ECONOMIA

A Folha do Vale

g i n a 4 B E C O N O M I A A Folha

Zeca Salvino descarta repetir no Brasil crise imobiliária dos Estados Unidos

Zeca Salvino avalia crise na Europa e seus reflexos no Brasil

Presidente do Sicoob e da Cooperativa Central de Crédito de Goiás, além de dire- tor executivo da Coopercred, José Salvino de Menezes, o Zeca Salvino, faz uma breve aná- lise do momento econômico, avalia a crise na Europa e seus efeitos no Brasil. Segundo ele, o momento econômico de Goiás é bom e Goianésia não voltará à reali- dade econômica anterior à chegada da Anglo American em Barro Alto. [Página 2B

ELEIÇÕES 2012

Vilmar Rocha se reúne com pré-candidatos em Goianésia

O deputado Vilmar Rocha reuniu a militância do PSD em Goianésia, no úl- timo sábado, 29, e aprovou a lista de pré-candidatos à Câmara dos Vereado- res. Na ocasião, falou das estratégias para consolidar a sigla no município e no estado. Organizado, atualmente, em 230 ci- dades goianas, o PSD priorizará a forma- ção de chapas e alianças visando à eleição para as câmaras municipais. Em Goiané-

sia, há 17 pré-candidatos. Depois disso, será investido tempo na condução das articulações e conversas pa- ra a eleição majoritária.

NIQUELÂNDIA Também em Niquelândia, na noite de sexta-feira, 28, o deputado Vilmar Rocha reuniu os membros do PSD para discutir o futuro do partido no município e as elei- ções de 2012. [Página 6

A Folha do Vale

e as elei- ções de 2012. [Página 6 A Folha do Vale Políticos do PSD de

Políticos do PSD de Goianésia, reunidos com Vilmar Rocha, traçam estratégias para as próximas eleições

O MÁXIMO EM LAZER

Clube Campestre completa 38 anos

O Clube Campestre de Goianésia comple-

tou 38 anos, dia 28 de outubro, e comemorou

o aniversário, dia 30, com a inauguração da reforma geral do seu Salão Social e festa da criança.

O domingo foi de alegria e diversão pa-

ra todas as idades. Durante todo o dia, foram servidos, gratuitamente, algodão doce, pipoca, pirulitos, balinhas, picolés e sorvetes. Além dos sócios e familiares, participaram das comemorações e inauguração toda a dire- toria e autoridades convidadas.

O presidente do clube, Mangubão, agra-

FEBRE AFTOSA

Vacinação apenas para animais com até 24 meses

O governador Marconi Perillo lançou segunda-feira, 31, a segunda etapa da Cam-

panha Nacional de Vacinação Contra a Febre Aftosa, que acontece de 1º a 30 de novembro.

A solenidade foi realizada na Fazenda

Vagem das Flores, no quilômetro 39 da ro- dovia GO-320, entre Joviânia e Bom Jesus. Serão imunizados apenas os animais com até 24 meses, ação considerada o primeiro passo para que Goiás conquiste o título de estado livre da febre aftosa sem vacinação e abra novos mercados para a exportação da carne goiana. [Página 4

A Folha do Vale

da carne goiana. [ P á g i n a 4 A Folha do Vale Sócios

Sócios prestigiam, em grande número, o 38º aniversário do clube

deceu a todos os presentes e reafirmou o com- promisso do Clube Campestre de oferecer aos associados “o máximo em lazer”. [CAPA B

Lailson Damasio

“o máximo em lazer”. [CAPA B Lailson Damasio Governador Marconi, no lançamento da 2ª etapa de

Governador Marconi, no lançamento da 2ª etapa de vacinação contra febre aftosa, em Joviânia

JARAGUÁ Ponte da região do Córrego Grande é reformada POLÊMICA Letra em bilhetes é de
JARAGUÁ
Ponte da região do
Córrego Grande é reformada
POLÊMICA
Letra em bilhetes é de
Daniel, que muda estratégia
DROGA EM GOIANÉSIA
Genarc prende mais
um acusado de tráfico
CONQUISTA SOCIAL
Diretor e agentes prisionais
para presídio de Barro Alto
[Página 7
[Página 3B
[Página 3
[Página 3
SOCIAL Diretor e agentes prisionais para presídio de Barro Alto [Página 7 [Página 3B [Página 3
Do
Do

Pág. 2 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199

COLUNAS

2 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199 COLUNAS DIREITOS DO CONSUMIDOR
DIREITOS DO CONSUMIDOR Celso Russomanno Jornalista Presidente da Ong Insti- tuto Nacional de Defesa do
DIREITOS DO CONSUMIDOR
Celso Russomanno
Jornalista
Presidente da Ong Insti-
tuto Nacional de Defesa
do Consumidor (Inadec)
Colunista do jornal
A Folha do Vale desde
outubro de 2007
Colunista do jornal A Folha do Vale desde outubro de 2007 Compra de Importados Não se

Compra de Importados

A Folha do Vale desde outubro de 2007 Compra de Importados Não se sinta impotente diante

Não se sinta impotente diante de rótulos, etique- tas, informativos, manuais

de instruções ou certi ca-

Legal: artigo 52, inciso I, do CPDC). Problemas na mercadoria são de respon- sabilidade do comerciante

dos de garantia estrangei-

e

do importador (Amparo

ros. O Código de Proteção

Legal: artigos 12, parágra-

e Defesa do Consumidor

fo 1º, inciso I; 13, incisos I

- CPDC também garante

e

II; e 74, do CPDC " Pe-

seus direitos sobre os pro- dutos importados vendidos no Brasil. É obrigatório constar na embalagem, em bom português, todas as in- formações sobre o produto, inclusive a composição. O consumidor não é obrigado a conhecer termos técnicos.

na: detenção de um a seis meses ou multa). Observação: se você adquiriu um importado e as informações sobre o produto e os manuais não vieram em língua portu- guesa e na hora de manu- seá-lo você acabou dani-

O

texto deve ser claro para

cando o produto, saiba

todos. A data de validade

que a responsabilidade é

no rótulo também é obri- gatória (Amparo Legal:

do fornecedor. Ele respon- de independentemente da

artigos 8º, parágrafo único;

existência de culpa pela

e

31, do CPDC). Marcar

falta de informação su -

o

preço em moeda estran-

cientemente adequada em

geira é ilegal (Amparo

língua portuguesa.

3353-1133 Avenida Brasil nº 344 - Centro Goianésia-GO
3353-1133
Avenida Brasil nº 344 - Centro
Goianésia-GO
Pedro Dias da Silva Jota Silva Cronista Esportivo - há 22 anos Diretor Presidente deste
Pedro Dias da Silva
Jota Silva
Cronista Esportivo - há 22 anos
Diretor Presidente deste periódico
Editor Chefe
Acadêmico de Direito
Evangélica Goianésia/UniEvangélica

SHOW DA VIRADA

A dupla sertaneja Zezé di Camargo e Luciano acei- tou o convite do governador Marconi Perillo e con rmou apresentação no show da virada do ano, na praça Cívica, em Goiânia.

Arquivo da Família

do ano, na praça Cívica, em Goiânia. Arquivo da Família Marconi e a primeira-dama Valéria Perillo

Marconi e a primeira-dama Valéria Perillo foram convidados a assistir à entrevista a Jô Soares, em São Paulo

PROGRAMA DO JÔ

O acerto ocorreu na tarde de terça-feira, 1º, no cama- rim da TV Globo, em São Paulo, onde a dupla gravou par- ticipação no Programa do Jô, levado ao ar na madrugada de

quarta, 2. Marconi e Valéria Perillo, convidados para assistir

à entrevista, aproveitaram a oportunidade para levar a Zezé

di Camargo e Luciano uma palavra de conforto, o carinho

e um abraço do povo de Goiás à dupla que vive atualmente um momento de di culdade na carreira.

QUANTA BOBAGEM!

De muito mal gosto a campanha surgida, na rede social

Facebook, defendendo que Lula faça o tratamento do câncer

na laringe, diagnosticado na semana passada, pelo Sus (Sis-

tema Único de Saúde). Não se brinca com o sofrimento dos outros. Só quem já sofreu ou teve alguém na família com um problema desses sabe o quanto é difícil.

SÍRIO-LIBANÊS

Lula faz quimioterapia no Hospital Sírio-Libanês, cuja equipe médica que o assiste é coordenada pelos doutores Roberto Kalil Filho, Paulo Ho , Artur Katz, Luiz Paulo Kowalski, Gilberto Castro e Rubens V. de Brito Neto. O hospital é o mesmo no qual o ex-vice-presidente José Alen- car, falecido, e a presidente Dilma Rousse foram tratados. Dilma foi diagnosticada com um linfoma em 2009.

ELE PRÓPRIO DEFENDEU

Lembrando que o próprio Lula defendia com unhas e dentes, quando presidente, o Sistema Único de Saúde bra- sileiro, chegando a mencionar em uma de suas entrevistas que um Sus nos EUA salvaria o Obama. Daí a origem da campanha, no Facebook: “Lula, faça o tratamento pelo Sus!”

MARCONI, SOLIDÁRIO

Falando nisso, em outra rede social, o microblog Twitter, Marconi Perillo manifestou solidariedade ao ex-presidente Lula, desejando-lhe restabelecimento o mais rápido. “Colo- quei o ex-presidente Lula em minhas orações. Peço a Deus que ele se cure e prossiga a sua trajetória de lutas e conquis- tas”. Isso, sim, é atitude digna de aplauso.

MARCONI E PAULO

Durante as festividades pelo aniversário de Goiânia, que completou 78 anos dia 24 de outubro, o governador Marconi (PSDB), de forma amadurecida, rmou parceria

de trabalho com o prefeito Paulo Garcia (PT). “Nossa ca-

pital terá minha atenção e carinho”, a rmou Marconi, que

assistiu ao des le do aniversário e comemorou a data ao lado

do prefeito petista.

ORLANDO, O 8º

Com a queda de Orlando Silva ""que deixou o Minis- tério do Esporte dia 26, após desgaste decorrente de denún- cia de participação em esquema de desvio de dinheiro públi- co do programa Segundo Tempo"", subiu para 8 o número de ministros trocados pela presidente Dilma, desde janeiro.

ESPLANADA

Já caíram: Antônio Palocci, trocada por Gleisi Ho -

mann (Casa Civil); Luiz Sérgio, por Ideli Salvatti (Relações Institucionais); Ideli Salvatti, por Luiz Sérgio (Pesca), estes em junho; Alfredo Nascimento, por Paulo Passos (Trans- portes), em julho; Nelson Jobim, por Celso Amorim (Defe- sa); Wagner Rossi, por Mendes Ribeiro (Agricultura), am- bos em agosto; Pedro Novais, por Gastão Vieira (Turismo), em setembro; e, por enquanto, interinamente, Waldemar de Souza, no lugar de Orlando.

O 5º ELEMENTO

Ex-titular do Esporte foi o 5º ministro que caiu sob denúncia de irregularidade, após quase 10 meses do governo da presidente Dilma Rousse . Os outros suspeitos: Paloc- ci, por suposto enriquecimento ilícito; Alfredo, suspeito de superfaturamento em obras de rodovias; Rossi, por uso de jatinho de empresa privada que tinha contratos com o Mi- nistério da Agricultura; e Novais, após denúncias de irregu- laridades no uso de verbas o ciais quando exercia o mandato de deputado federal.

Divulgação

quando exercia o mandato de deputado federal. Divulgação Jornalista Euclides Oliveira pode ser a revelação das

Jornalista Euclides Oliveira pode ser a revelação das urnas em 2012 em Niquelândia

QUER VAGA NA CÂMARA

O jornalista Euclides Oliveira não faz segredo para

ninguém: é pré-candidato às eleições municipais de 2012 em Niquelândia, quando deverá tentar eleger-se vereador. O repórter está no páreo por iniciativa direta do vice-prefeito

de Niquelândia, José Antonio da Caixa (PSDB), que deve disputar a prefeitura ano que vem. Em Niquelândia, o PHS conta atualmente com uma cadeira na Câmara Municipal, ocupada pelo vereador Dito da Balsa. Com o ingresso do jornalista na legenda, o parlamentar espera que o PHS te- nha duas cadeiras no Legislativo niquelandense a partir de 2013. A conferir.

REUNIÃO EM JESÚPOLIS

A Secretaria Municipal de Saúde realizou neste mês

mais um encontro com os diabéticos e hipertensos de Jesú- polis. A programação tem a proposta de promover uma maior conscientização sobre os riscos das doenças e forma de prevenção. Durante os encontros os participantes rece- bem informações sobre a doença e orientação com uma nu- tricionista e por meio de palestras sobre os procedimentos corretos no tratamento das enfermidades.

AGENDA

O próximo encontro com o grupo de diabéticos e hi-

pertensos do município acontece no dia 22 de novembro, às 14h, no Posto de Saúde do município.

O Jornal A Folha do Vale é Editado e produzido e tem por responsabilidade da Agência Folha de Goianésia Publicidade e Marketing Ltda., localizada à rua 17 nº 290 Setor Oeste, CEP:

DIRETOR PRESIDENTE E EDITOR CHEFE Pedro Dias da Silva (J. Silva)

DIAGRAMAÇÃO Rodrigo Martins - (Mtb/30572)

REVISÃO

FOTOGRAFIA Agência Folha de Goianésia e Colaboradores

Sede do Jornal A Folha do Vale Rua 32 nº 397 Bairro Carrilho, Goianésia - Goiás CEP: 76.380-000 Fones: (62) 8552-4345 E-mail: contato@afolhadovale.com.br

76.380-000, Goianésia - Goiás, C.N.P.J Nº 06.871.444/0001-89, INSC. MUNICIPAL Nº 347295, e tem como sócia-presidente Ana Maria da Silva.

Daniela Gonçalves

TIRAGEM

JORNALISTA RESPONSÁVEL Hacksa Oliveira - JP/GO 2382

REDAÇÃO

COLABORADORES

5.000 exemplares

Sucursal Goiânia:

Jaldene Nunes

Celso Russomanno

IMPRESSÃO Gráfica O Popular

Rua Recife Qd. J Lt. 01 Casa 1 - Vila Perdiz Fone: (62) 3434-0446 Responsável: Jaime Ramos Guimarães

 

Tenente Romão

As matérias assinadas por colaboradores e cartas recebidas à redação do Jorna A Folha do Vale não são de responsabilidade e também não expressam a opinião do jornal.

REPORTAGEM Pedro Dias (J. Silva)

Lázaro Gomes

ASSESSORIA JURÍDICA Dr. Edgar Caetano Rosa

Rarilton Damasceno

Website: www.afolhadovale.com.br

   
Do
Do

Pág. 3 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199

POLICIAL

3 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199 POLICIAL COMBATE ÀS DROGAS

COMBATE ÀS DROGAS

Mais um traficante preso em Goianésia

Prisão de Rener, na noite de sábado, 29, ocorreu após 8 meses de investigações; sem saber que era monitorado, acusado escondia parte da droga em um pasto a 10 quilômetros do centro da cidade, a �im de di�icultar apreensão pela polícia

DA REDAÇÃO

R enason Francisco dos

Santos, o Rener, 37

anos, foi preso pelo Ge-

narc (Grupo Especial de Re- pressão a Narcóticos), de Goia- nésia, no início da noite de sá- bado, 29, logo após vender uma porção de crack para um usuário que o aguardara em um posto de combustíveis, localizado na esquina das avenidas Brasil e Goiás, no centro da cidade. Como Rener já era moni- torado pelo Genarc há 8 meses,

os agentes sabiam onde o acusa-

do escondia parte da droga: em um pasto, a 10 quilômetros do Centro de Goianésia, em cujo local foram apreendidos 150 gramas de crack. Além disso, em sua re- sidência, foram encontrados R$ 430, em dinheiro, uma ba- lança de precisão e 44 porções da mesma droga, de tamanhos diversos, e perto dali, mais 100

gramas de crack, que também pertenceriam ao acusado. Apesar de excelente pro- ssional no ramo de pintura predial, Rener passava por di - culdades nanceiras e foi atraí- do ao comércio de drogas pela ilusão do dinheiro fácil, mas se esqueceu de que o ramo é ilícito e dá cadeia. De acordo com o delega- do Marco Antônio Maia Júnior, titular do Genarc, a droga apre- endida nesta operação teria sido adquirida por cerca de R$ 4 mil.

Depois de dividida em peque- nas porções, de R$ 10 cada, ren- deria cerca de 1,5 mil pedras e faturamento de R$ 15 mil. Segundo o delegado Mar- co Antônio, está cada vez mais difícil deter os tra cantes, que não guardam mais drogas em suas casas, dado o risco de apre- ensão pela polícia, nem nas pro- ximidades das residências, de onde podem ser subtraídas por

usuários. Por isso, especula o delegado, resolveram esconder em locais mais distantes. Porém, agentes do Genarc monitoram todos os tra cantes

e, mesmo que eles escondam a

droga no mato, uma hora ou outra terão de buscar para ven- dê-la, momento para efetuar as prisões com êxito. Somente nas últimas 4 operações do Genarc de Goia- nésia, os agentes apreenderam mais de 2,3 quilos de crack es- condidos em matagais afastados do centro da cidade. Apesar da

di culdade de apreender a dro-

ga nestes locais, tudo é compen- sado, pela grande quantidade, quando ocorrem as apreensões. Com a prisão de Rener, o Genarc chegou ao número de 48 pessoas autuadas por trá co de drogas somente neste ano em Goianésia. (Com informações de Eurico Moreira, agente de polícia lotado no Genarc de Goianésia)

MAIS SEGURANÇA

Presídio de Barro Alto terá diretor e agentes prisionais

E m recente reunião en- tre representantes do Poder Judiciário, Mi-

nistério Público, Polícia Militar,

Agência Prisional e a Prefeitura de Barro Alto cou acertado o envio de um diretor para o pre- sídio local.

O compromisso foi rma-

do pelo diretor da Agência Pri- sional, dr. Edmilson, depois de um encontro anterior do qual

participaram o juiz Pedro Paulo de Oliveira, diretor do Fórum da Comarca de Barro Alto, e

o deputado estadual Helio de Sousa.

A Agência Prisional tam-

bém se comprometeu a tomar conta de todo o presídio de Barro Alto, a partir do próximo semestre. Com isso, a partir de 2012, 3 policiais militares, que hoje dão segurança à cadeia pú-

blica da cidade, vão estar nas ru- as, fazendo mais segurança para a população. Ao que tudo indica a se- gurança pública, em Barro Al- to, terá avanços substanciais a partir do próximo ano. É que, buscando melhorar o serviço prestado ao cidadão, o juiz Pe- dro Paulo solicitou e recebeu do comandante do 23º BPM (Batalhão de Polícia Militar), tenente-coronel Anderson Igreja, a promessa de que de- signará de 2 a 3 policiais mili- tares a mais, para fazer a segu- rança na cidade. Com os pedidos já enca- minhados, o Judiciário de Barro Alto dá provas de sua preocupa- ção além da função processual. “Com certeza. Eu já ex- pliquei isso várias vezes aqui:

a nossa função não é apenas

julgar, seria muito simples se fosse só essa a função, mas nós nos preocupamos muito com o social da cidade, a questão da segurança, questão de trazer um prédio novo pra cidade. Isso aí é muito importante para a cidade, para a população, para a prefei- tura, para a Câmara Municipal. Então, nós estamos muito fe- lizes com essa reunião de hoje

Arquivo/A Folha do Vale

fe- lizes com essa reunião de hoje Arquivo/A Folha do Vale O juiz Pedro Paulo de

O juiz Pedro Paulo de Oliveira,

que demonstra preocupação com o social da cidade

e esperamos que ele dê frutos”, a rmou o juiz. De acordo com o que cou acordado, a Agência Prisional de niu que, ainda neste mês de novembro, chegaria a Barro Alto um novo diretor para o

presídio: dr. Manoel, que toma- rá conta da cadeia juntamente com a Polícia Militar. “E, a partir do próximo semestre de 2012, a tendência

é que a Agência Prisional tome

conta totalmente do presídio local, fazendo, com isso, ge- rar mais segurança pra cidade,

porque 3 policiais militares vão estar na rua para fazer a escolta de toda a população”, comemo- rou o magistrado, que agradece

à prefeitura e à câmara munici-

pais pela parceria nas importan-

tes conquistas sociais. “A minha preocupação em Barro Alto não é apenas processual, e sim com o cres- cimento organizado e susten- tável da cidade. E conto com o apoio da população, a parceria da prefeitura, da câmara, e is- so é bom pra população local”, encerrou.

câmara, e is- so é bom pra população local”, encerrou. Parte interna do presídio de Barro

Parte interna do presídio de Barro Alto, depois de reforma e ampliação realizadas no início deste ano

Polícia Civil

e ampliação realizadas no início deste ano Polícia Civil Balança de precisão e porções de crack,

Balança de precisão e porções de crack, de variados tamanhos, apreendidos na residência do acusado

FATALIDADE

Carros colidem na BR-153, e condutor de um deles morre

Grave acidente (colisão frontal entre 2 veículos) no Km 232 da BR-153, entre Ceres e Uruaçu, às 12h21 do último sá- bado, 29, deixou saldo de 2 feri- dos e um morto.

Segundo a PRF (Polícia Rodoviária Federal), a fatali- dade ocorreu quando um dos

carros envolvidos fez uma ul- trapassagem, em local proibido, colidindo de frente com o outro. Conforme a PRF, o con- dutor que provocou a tragédia teria ultrapassado um cami- nhão, colidindo frontalmente e matando, na hora, o motorista, que tinha 31 anos e seguia na

direção oposta. O caminhonei- ro não se feriu. O condutor que causou o acidente tem 25 anos e foi le- vado ao hospital com lesões graves. Ele e outra pessoa ferida foram resgatados pela equipe do 1º PBM (Pelotão Bombeiro Militar), de Uruaçu.

ACESSE NOSSO SITE Leia, compartilhe, comente! www.afolhadovale.com.br Jornal online, classificados grátis, edições
ACESSE NOSSO SITE
Leia, compartilhe, comente!
www.afolhadovale.com.br
Jornal online, classificados grátis,
edições anteriores e muito mais
E-mail: contato@afolhadovale.com.br
Jornal online, classificados grátis, edições anteriores e muito mais E-mail: contato@afolhadovale.com.br
Do
Do

Pág. 4 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199

POLÍTICA

4 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199 POLÍTICA VACINAÇÃO Governador lança

VACINAÇÃO

Governador lança campanha contra aftosa

Ação pretende imunizar, somente em Goiás, 10 milhões de cabeças de bovinos e bubalinos, até 24 meses de idade; multa para quem não vacinar o gado é de R$ 7 por cabeça

O governador Marco-

ni Perillo abriu nesta

segunda-feira, 31, em

Joviânia, a 2ª etapa anual da Campanha Nacional de Erradi- cação da Febre Aftosa, do go- verno federal, que teve início na

terça-feira, 1º, e prossegue até o dia 30 de novembro. Pela primeira vez, os cria- dores goianos têm de vacinar apenas os animais de até 24 meses. A mudança estratégica, autorizada pelo Mapa (Minis- tério da Agricultura, Pecuária

e Abastecimento), é um mar-

co para o pecuarista de Goiás, que busca o status de área livre

de aftosa sem vacinação. A solenidade de abertura

o cial da vacinação foi realizada na Fazenda Vagem das Flores, localizada no quilômetro 39 da rodovia GO-320, entre Joviâ- nia e Bom Jesus, e dela partici- param o secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Irriga- ção, Antônio Flávio Camilo de Lima; o presidente da Agrode- fesa (Agência Goiana de De- fesa Agropecuária), Antenor Nogueira; o presidente da Faeg (Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás), José Mario Schreiner; deputados, políticos da região e produtores rurais. Até o nal do ano passado

a vacinação era feita em duas etapas, em maio e novembro, em 100% dos rebanhos bovino

e bubalino. A decisão de imunizar ape- nas os animais de até 24 meses, novidade desta etapa, acatada pelo Mapa, tem o aval da OIE (Organização Internacional de Epizotias), o que melhora a

imagem e a comercialização da carne produzida em Goiás. “É um avanço, uma con-

quista para o atual governo. Esperemos que seja o primeiro passo para que Goiás se torne

de nitivamente livre da febre

aftosa sem vacinação. Assim,

Goiás vai abrir mercado para países que agreguem maior va- lor ao nosso produto”, destaca o secretário da Agricultura.

Em discurso, o governador

Marconi Perillo estabeleceu o

compromisso de buscar o títu-

lo de estado livre da aftosa sem

vacinação. “Zona livre de aftosa com vacinação, com o certi cado entregue em 2000, representou

um crescimento extraordinário das exportações da carne bovi- na goiana para todas as partes do mundo. O novo desa o é termos zona livre sem vacina- ção. O primeiro passo estamos

dando aqui, hoje, em Joviânia”, a rmou.

O governador ressaltou

ainda que “isso vai nos ajudar

muito a colocar a nossa carne,

o nosso produto, no mercado

do mundo inteiro”. Além dis- so, dessa forma, o estado terá economia de aproximadamente R$ 13 milhões/ano, aproxima- damente.

Além da Seagro (Secreta- ria da Agricultura, Pecuária e Irrigação), da Agrodefesa e do

Mapa, a ação envolve a Ema- ter-GO (Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuá- ria), a Faeg, a SGPA (Sociedade Goiana de Pecuária e Agricul- tura) e o Fundepec (Fundo de

Lailson Damasio

e Agricul- tura) e o Fundepec (Fundo de Lailson Damasio Governador Marconi, no lançamento da 2ª

Governador Marconi, no lançamento da 2ª etapa de vacinação contra febre aftosa, na Fazenda Vargem das Flores

Desenvolvimento da Agrope-

cuária do Estado de Goiás).

REBANHO BOVINO O rebanho bovino goiano é de aproximadamente 21 mi- lhões de cabeças, sendo que 10 milhões têm até 24 meses. Os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e parte de Minas Gerais também terão vacina- ção parcial em novembro. No Brasil, apenas Santa Catarina é considerado Estado livre da af- tosa sem vacinação. Goiás está

livre da doença desde agosto de

1995.

A multa para quem não

vacinar o gado é de R$ 7 por ca- beça. Esse valor dobra em caso de reincidência. Na campanha

de maio deste ano, a vacinação

atingiu os 99,34% do rebanho. O governo do estado, por meio da Agrodefesa, tem, on-

-line, os dados dos produtores,

a localização geográ ca, o nome

da propriedade rural, o CNPJ e

o CPF. O produtor que não va-

cinou seu rebanho na primeira etapa da vacinação contra febre aftosa, este ano, realizada no mês de maio, será assistido por

técnicos da Agrodefesa, para a

garantia de que os animais se- jam imunizados. Depois de encerrar a ce- rimônia de lançamento da segunda etapa da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Febre Aftosa, o governador Marconi Perillo foi a Ponta- lina, onde participou das co-

memorações do 73º aniversá-

rio do município e inaugurou

obras. Marconi anunciou libe- ração de R$ 1 milhão para a prefeitura investir na recupera- ção da frota escolar e adquirir veículos novos. Anunciou tam-

bém convênio do estado com a prefeitura no valor de R$ 5 mi- lhões para o recapeamento das ruas da cidade e construção de asfalto novo. A agenda do governador continuou, na segunda-feira, em Mineiros, onde também inaugurou obras no 73º ani- versário do município. Depois, em Goiânia, assinou contrato entre o Governo de Goiás e a Cef (Caixa Econômica Fede- ral) para obras de saneamento e urbanização por meio do Pac (Programa de Aceleração do Crescimento).

PROJETO NA CÂMARA DOS DEPUTADOS

Demóstenes quer urgência na lei que impede turismo sexual no Brasil

INFORMATIVO A ATENÇÃO QUE SUA SAÚDE MERECE! O câncer do “LULA” Na semana passada nosso
INFORMATIVO
A ATENÇÃO QUE SUA SAÚDE MERECE!
O câncer do “LULA”
Na semana passada
nosso ex-presidente re-
cebeu um diagnóstico de
câncer (CA) maligno na
laringe, causando grande
comoção na maioria dos
brasileiros. Pois, mesmo
com os avanços da medici-
na, trata-se de uma doença
bastante temida e com alta
taxa de mortalidade.
O câncer ocorre quan-
do as células se proliferam
de maneira desordenada,
invadindo e destruindo os
tecidos. Na maioria dos ca-
sos, o câncer é classi cado
de acordo com o tecido de
quais as células cancerígenas
se originaram (por exemplo:
são ditos benignos, caso ocor-
ra metástase, ou seja, quando
o tumor se “espalha”, ele é dito
maligno.
Estudos recentes revelam
o aumento do número de casos
como consequência do modelo
atual de sociedade, gerador de
inúmeros problemas ambien-
tais e de saúde. Desse modo, as
campanhas preventivas conti-
nuam sendo fortes aliadas no
controle da doença.
Os “críticos”, inadverti-
damente, aproveitando-se do
“momento”, querem que o ex-
-presidente faça seu tratamento
pelo SUS, de maneira pejorati-
va, como se fosse a última das
coisas a se desejar a alguém.
O SUS, apesar de suas
di culdades, tem porte para
cuidar de qualquer cidadão,
“indistintamente” e “indiscri-
minadamente”. Infelizmente
Doutor Francisco Júnior
quando atinge as células do
pulmão, trata-se de câncer
de pulmão). Quando o tu-
mor é auto-limitado e não
invade tecidos adjacentes
nosso sistema de saúde ainda
dá privilégios para alguns,
mas essa não é a maneira e
o momento mais adequado
de chamar atenção para isso.
Tanto é que se ele fosse para
um hospital de referência do
serviço público, talvez seria
criticado por ter condições
de bancar seu tratamento e
“tomar” o lugar de quem não
tem condições
Se você tem dúvidas, reclamações
ou sugestões envie um e-mail para
nós: atenfarma@hotmail.com
DROGARIA
3353-7700
AV. BRASIL Nº 479
STA. CECÍLIA - GOIANÉSIA
Aberto de Seg. a
Sáb. das 07h30 às 21h e
Dom. e Feriados até às 12h

O programa Fantástico,

da Rede Globo, denunciou este

ano a existência de agências de

viagens na Europa especializa-

das em turismo sexual no Brasil.

O jornal New York Times, um

dos maiores do mundo, também

publicou matéria sobre turistas que saem dos Estados Unidos à procura de sexo no país. Em 2014, o Brasil rece- berá turistas do mundo intei-

ro para os jogos da Copa do

Mundo. Entre os milhares de torcedores, muitos não estarão

interessados em ir aos estádios, mas aos pontos de prostitui- ção. No Congresso Nacional, tramita um projeto de lei que pode diminuir o crescimento dos números da exploração sexual no Brasil. A proposta proíbe a concessão de visto pa-

ra estrangeiros indiciados por

crime sexual contra criança e adolescente.

O senador Demóstenes

Torres (Dem-GO) pediu ur- gência na aprovação da matéria, que está na Câmara dos Depu- tados. Segundo Demóstenes, com a Copa em 2014, o Brasil precisa se preparar para receber

Assessoria de Imprensa / Demóstenes

preparar para receber Assessoria de Imprensa / Demóstenes Senador Demóstenes quer aprovação de projeto que barra

Senador Demóstenes quer aprovação de projeto que barra entrada de explorador sexual no país

estrangeiros que queiram co- nhecer a cultura e belezas na- turais do país, e não praticar o turismo sexual. “Tem que virar lei logo. Os visitantes têm que vir ao país para ver futebol, as belezas

naturais e a cultura. Esse pro- jeto deixa lá fora o pedó lo, o estuprador, porque a polícia e a

justiça brasileiras já têm muito bandido para tirar das ruas”, disse Demóstenes. De acordo com o projeto, também terá o visto negado o estrangeiro acusado de produ- zir, reproduzir, vender, dirigir,

fotografar, lmar ou registrar, por qualquer meio, cena de sexo explícito ou pornográ ca envol- vendo criança ou adolescente, crimes já previstos no Eca (Es- tatuto da Criança e do Adoles- cente). “Aprovamos o projeto no Senado não apenas para evitar novos Cesares Battistis (terro- rista acusado de matar 4 pes- soas na Itália e que adquiriu cidadania brasileira). Com essa proposta, o turismo sexual será evitado antes de o monstro co- locar o pé no Brasil”, defendeu Demóstenes Torres.

Do
Do

Pág. 5 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199

ESPORTE

5 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199 ESPORTE RETA FINAL DO

RETA FINAL DO BRASILEIRÃO-2011

Guia da Série A mostra chances e risco de rebaixamento do seu time

Baseado no Infobola, site do matemático Tristão Garcia, tabela mostra percentual de risco de queda dos 8 times ameaçados e chances de título e de vaga na Libertadores na ponta de cima; veja também o caminho dos 20 clubes nas próximas e últimas 6 rodadas do campeonato nacional

A 6 rodadas do térmi- no do Campeonato Brasileiro da Série

A-2011, 8 clubes têm chan- ces matemáticas de levantar o caneco e 9 dos 18 times que brigam por vagas na Liber- tadores da América de 2012 --os campeões de 2011 Vasco, da Copa do Brasil, e Santos, do torneio continental, já es- tão garantidos-- ainda me- dem forças e as esperanças de alcançá-las. Na ponta de baixo da

tabela, a briga é para não cair para a Série B nacional de 2012. Já praticamente rebaixa- dos estão o América-MG e o Avaí, aos quais fazem compa- nhia, no chamado Z-4, a zona da degola, o Atlético-PR e o Ceará, muito ameaçados, de acordo com o matemático. Fora da faixa de rebaixamen- to, mas ainda correndo risco, também guram Cruzeiro, Bahia, Atlético-MG e, com mínimas chances de cair, até o Palmeiras.

 

BRASILEIRÃO-2011: CHANCES DE TÍTULO, DE LIBERTADORES E O RISCO DE REBAIXAMENTO

 
     

CHANCES

RISCO

 

PRÓXIMOS ADVERSÁRIOS (Os escudos abaixo são dos times visitantes)

 

CLASSIFICAÇÃO

PONTOS

     

TÍTULO

LIBERTADORES

REBAIXAMENTO

 

RODADAS

 

33ª

34ª

35ª

36ª

37ª

38ª

 
               
         
               
 
               
 
               

CORINTHIANS

58

48%

99%

 
               
         
               
 
               
 
               

VASCO

58

31%

 
               
       
               
   
               
 
               

BOTAFOGO

55

12%

86%

 
               
         
               
               
 
               
 

FLUMINENSE

53

5%

71%

 
               
       
               
 
               
 
               
 

FLAMENGO

52

1%

45%

 
               
       
               
 
               
   
               

INTER

51

1%

40%

 
               
         
               
 
               
 
               

SÃO PAULO

50

1%

26%

 
               
         
               
 
               
               
 

FIGUEIRENSE

50

1%

26%

 
               
         
               
 
               
               
 

GRÊMIO

46

5%

 
               
       
               
 
               
 
               
 

10º

SANTOS

45

 
               
         
               
 
               
               
 

11º

CORITIBA

45

2%

 
               
         
               
 
               
 
               

12º

ATLÉTICO-GO

42

 
               
       
               
 
               
 
               
 

13º

PALMEIRAS

41

1%

 
               
       
               
 
               
 
               
 

14º

ATLÉTICO-MG

36

10%

 
               
       
               
   
               
 
               

15º

BAHIA

36

17%

 
               
         
               
 
               
 
               

16º

CRUZEIRO

34

33%

 
               
         
               
               
 
               
 

17º

CEARÁ

32

69%

 
               
       
               
 
               
   
               

18º

ATLÉTICO-PR

31

78%

 
               
       
               
 
               
   
               

19º

AVAÍ

29

93%

 
               
       
               
 
               
 
               
 

20º

AMÉRICA-MG

25

99%

Fonte: Infobola e Uol

ANÁLISE

Vila Nova x Goiás, um clássico triste!

FUTEBOL ESTADUAL

Quirinópolis vence a 3ª seguida e assume a liderança da 3ª Divisão

Por Jaime Ramos A história dos clássicos en- tre Vila Nova x Goiás já registrou acontecimentos, de fato, históri- cos, magní cos e decisivos entre os 2 maiores times do Planalto Central do Brasil. Não se discute que Goiás e Vila têm as maio- res torcidas do Brasil Central e, quando há jogos entre si, há toda uma preparação para tal. Valendo título, classi cação ou ascensão para uma divisão maior, sempre será um clássico onde o torcedor participa com eloquência. Só que, desta vez, nem Goiás nem Vila almejam grandes coisas. O Goi- ás, se vencer o jogo, dependerá de outros resultados para que con- tinue a sonhar com o milagre da sua volta para a elite do futebol nacional. O Vila, se vencer o jo- go, continuará a depender de um milagre ainda para se salvar na segunda divisão do nacional. Então, a gente vai imaginar puramente um clássico entre Vila e Goiás e torcer pelo bom fute-

bol. Que não haja violência, como no jogo entre ambos no nal do Campeonato Goiano. Uma pan- cadaria começou entre os jogado- res ao nal do jogo e se estendeu para a arquibancada, onde a pró- pria polícia, que deveria resguar- dar o torcedor, acabou por bater na torcida, sem que houvesse ne- cessidade. Digo isso, porque eu vi. Eu estava lá presenciando tudo. E o pior, neste dia, aconteceu depois do jogo, com a morte de um tor- cedor em Goiânia. O Goiás deveria estar bus- cando uma classi cação para voltar à Série A do Brasileiro, e não disputando sua saída do re- baixamento para a Série C, co- mo está acontecendo. O mesmo poderíamos dizer do Vila Nova. As duas diretorias erraram muito neste ano na montagem dos seus elencos para disputar este cam- peonato. Lamentavelmente, os nossos 2 maiores representantes foram irresponsáveis, desrespei- tando suas imensas torcidas ao

subestimar a competição, come- tendo equívocos nas contrata-

ções ou na falta delas. O Goiás, principalmente, achou que faria

o que bem quisesse dentro da

competição. Deu tudo errado. Um time medíocre, sem forças, treinadores incapazes de organi- zar o time dentro de campo. Já

o Vila Nova pecou muito mais

pela “bestialidade” de uma dire- toria que ostentou muito e pou- co deu ao clube. A terceirização do futebol do Vila foi um asco.

Fracasso total, dívidas e brigas judiciais carão para o próximo presidente do colorado. Neste clássico, Goiás x Vi-

la

(o jogo será nesta sexta-feira,

4,

às 20h30, no Serra Dourada,

com mando de campo do Vila), podemos apontar as seguintes

situações de cada um: se o Goi-

ás vencer, continuará sonhando

com o milagre da volta à elite no ano que vem e poderá ostentar que foi quem jogou a pá de cal no seu mais importante rival; se

o Vila Nova vencer, continuará

sonhando com o milagre da sua manutenção na Série B, e elimi- nará toda e qualquer esperança do seu mais algoz adversário vol- tar para a elite no ano que vem.

Então, quem disse que o clássico não vale nada, está enganado. Goiás x Vila é nosso maior jogo do Planalto Central e continua a valer, mesmo nestas circunstân- cias de momento dos dois.

Ao derrotar o Umuarama,

por 2 a 1, neste domingo, 30, pela 1ª rodada do 2º turno do Campeonato Goiano da 3ª Di- visão-2011, o Quirinópolis com- pletou 3 vitórias consecutivas e,

pela primeira vez, alcançou a li-

derança da competição.

O mais recente triunfo,

de virada, foi em seus próprios

domínios, no estádio Bichinho

Vieira, em Quirinópolis, enquan-

to os anteriores, sobre o próprio

Umuarama e o Monte Cristo, fo- ram fora de casa. Agora, a 4 rodadas para o

término do campeonato, o time

quirinopolino, mesmo derrotan- do os 2 únicos times que não bri-

gam pelo acesso, vai embalando no campeonato, soma 13 pontos

e acumula um de vantagem sobre

o segundo colocado, o Grêmio

CLASSIFICAÇÃO DO GOIANO DA 3ª DIVISÃO-2011

 

TIME

PG

J

V

SG

GP

CLASSIFICAÇÃO

Quirinópolis

13

6

4

5

9

Grêmio Anápolis

12

6

3

6

9

Aparecida

11

6

3

8

11

Evangélica

10

6

3

1

10

Umuarama

4

6

1

-6

5

Monte Cristo

0

6

0

-14

1

Fonte: Federação Goiana de Futebol; PG (pontos ganhos); J (jogos); V (vitórias); SG (saldo de gols); e GP (gols pró)

do desta 1ª rodada do 2 turno foi obtido pelo Aparecida, ao golear a Evangélica, por 5 a 0, dentro de Paraúna, aplicando a maior goleada da competição até agora e impondo a 1ª derro- ta da Evangélica dentro de seus domínios.

JOGÃO O destaque da próxima ro- dada, a 2ª do returno, no dia 6, é o

encontro entre Grêmio Anápolis e Aparecida. O grande jogo, con- fronto direto no limite da faixa de acesso, será disputado no estádio Jonas Duarte, em Anápolis, às 10h de domingo.

COMO É O campeonato, que vale o acesso de 2 times para o Campe- onato Goiano da 2ª Divisão de 2012, é disputado por 6 equipes, no sistema de pontos corridos, em uma única fase, de forma contí- nua, em turno e returno, conforme

tabela, totalizando 10 rodadas, sa- grando-se campeã e vice-campeã, respectivamente, as associações que conquistarem o maior núme- ro de pontos ganhos em toda a competição.

Ao nal da competição, as

duas associações, campeã e vice, ascenderão à Divisão de Acesso (2ª Divisão) do ano seguinte.

Anápolis. Único ainda invicto, aliás,

o Grêmio Anápolis assumiu a

vice-liderança, na faixa de acesso,

portanto, ao derrotar o lanter-

na Monte Cristo, por 1 a 0, em Inhumas. Mas o grande resulta-

Monte Cristo, por 1 a 0, em Inhumas. Mas o grande resulta-   CAMPEONATO GOIANO DA
 

CAMPEONATO GOIANO DA 3ª DIVISÃO-2011

 
 

2ª RODADA DO 2º TURNO (7ª RODADA, NO GERAL)

DATA

HORA

DISPUTA

 

ESTÁDIO

6/11

10h

Grêmio Anápolis

x

Aparecida

Jonas Duarte

6/11

16h30

Quirinópolis

x

Monte Cristo

Bichinho Vieira

6/11

16h30

Umuarama

x

Evangélica

Ferreirão

Quirinópolis x Monte Cristo Bichinho Vieira 6/11 16h30 Umuarama x Evangélica Ferreirão
Do
Do

Pág. 6 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199

POLÍTICA

6 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199 POLÍTICA PRÓXIMAS ELEIÇÕES Vilmar

PRÓXIMAS ELEIÇÕES

Vilmar Rocha se reúne com pretensos candidatos do PSD a vereador de Goianésia

Partido, organizado em 230 cidades goianas, pretende lançar candidato próprio na maioria dos municípios; prioridade, de acordo com Vilmar Rocha, é a formação de chapas fortes para concorrer às câmaras municipais

E m Goianésia, no últi- mo sábado, 29, o de- putado federal licen-

ciado Vilmar Rocha, secretá- rio estadual da Casa Civil e presidente do PSD em Goiás, reuniu dirigentes do partido na cidade e pré-candidatos à Câmara dos Vereadores, vi- sando à consolidação da sigla no município. Durante o encontro, na residência do ex-vereador Ariosvaldo Gomes, vice-pre- sidente da Comissão Provisó- ria do partido em Goianésia, o PSD apresentou uma lista de 17 pré-candidatos à Câma- ra Municipal. Todos estavam

A FOLHA DO VALE

à Câma- ra Municipal. Todos estavam A FOLHA DO VALE Membros do PSD em Goianésia, entre

Membros do PSD em Goianésia, entre os quais pretensos candidatos à Câmara dos Vereadores, durante en- contro com Vilmar Rocha

PSD EM NÚMEROS Em recente reunião, em Brasília, o PSD fez um ba- lanço de seus liados, entre os

quais muitas lideranças nacio- nais com mandato. O partido, cuja criação teve à frente o

prefeito de São Paulo, Gilber- to Kassab (ex-Dem), surgiu com 2 governadores: de Santa Catarina, Raimundo Colom- bo (ex-Dem), e do Amazonas, Omar Aziz (ex-PMN). Além destes, o partido

tem 6 vice-governadores, in- clusive o de São Paulo, Gui- lherme A f Domingos; 2 senadores, entre eles a goiana Kátia Abreu, eleita pelo To- cantins, que também é presi- dente da CNA (Confederação Nacional da Agricultura); e 55 deputados federais, sendo a 3ª maior bancada do Congresso Nacional, superando o PSDB. Em nível estadual, são 4 deputados federais eleitos por Goiás, 7 deputados estaduais,

38 prefeitos e 355 vereadores. “Portanto, o PSD está mui- to forte em nível nacional e em nível estadual também”, avaliou Vilmar Rocha, para quem “o nosso desa o, agora, é consolidar para, em 2012, na disputa da sua primeira eleição, o partido saia forte também das urnas”.

PARTIDO EM GOIANÉSIA Os 17 pré-candidatos a vereador de Goianésia, pelo PSD, participaram da reunião, na residência de Ariosvaldo, cuja chapa deixou Vilmar Ro- cha ainda mais animado com os rumos do partido no município. “Olhei todos os nomes, analisei um por um e posso a rmar: nossa chapa de vere- ador aqui está muito forte, é muito boa. Nomes novos, ou- tros experientes, como é o caso do Tião do Mercado, que já é vereador, e outros igualmente

competitivos. Com certeza, faremos uma boa bancada na Câmara de Goianésia”, ava- liou Vilmar Rocha. “Evidentemente, pode- mos fazer coligação com outros partidos, para a eleição propor- cional, até porque a legislação não mudou, ela permite, dá li- berdade para esse tipo de alian- ça. Mas o importante é que, na chapa de vereadores, estou muito satisfeito com os nomes dos pré-candidatos, assim co- mo com relação à estruturação do partido aqui em Goianésia”, completou o deputado. Com relação à eleição majoritária, de prefeito e vice, o deputado adiantou que o PSD deve compor uma coligação com os partidos que tradicio- nalmente são aliados em Goia- nésia. “Ainda vamos iniciar es- se processo de discussão, mas, com certeza, faremos aqui uma aliança e uma coligação para vencer as eleições”, encerrou.

presentes na reunião. “Concluímos, no dia 26, toda a parte de estruturação e registro do partido, em ní- veis nacional e estadual. Nossa agenda, daqui para frente, é no sentido de consolidar o par- tido”, a rmou Vilmar Rocha, que tem números animadores que sinalizam para uma in u- ência muito grande do PSD nas próximas eleições. “O partido nasceu gran- de, nasceu forte, e vai ter papel preponderante na eleição mu- nicipal de 2012 e nos pleitos estadual e nacional de 2014”, previu o deputado. Para consolidar o partido,

Vilmar Rocha disse que traba-

lha com duas vertentes. A pri- meira prevê a visita a todos os 27 estados do Brasil, incluindo

o Distrito Federal, onde serão

realizados seminários regio- nais que debaterão e recolhe- rão sugestões para o programa do PSD. “Ao invés de fazermos um programa e apresentar aos liados, vamos discutir esse programa com a sociedade e apresentar um programa de- pois dessa discussão. Não im- por um programa”, defendeu. A segunda vertente de- fendida por Vilmar Rocha ""n a verdade, o primeiro momento"" é trabalhar pe-

la consolidação do partido, já nas eleições de prefeitos, vices

e vereadores, no próximo ano. Organizado, atualmente, em 230 municípios goianos,

o PSD priorizará a formação

de chapas e alianças visando à eleição para as câmaras de ve- readores. Depois disso, será inves- tido tempo na condução das articulações e conversas para

a escolha de candidatos a pre-

feito e vice-prefeito, na eleição majoritária.

“A nossa meta é lançar candidato próprio na maioria dos municípios, é lançar can- didato próprio onde for pos- sível, e onde não for possível, vamos fazer uma coligação e lançar o candidato a vice. E, em todos os municípios, pre- tendemos lançar uma chapa forte de vereador”, explicou Vilmar Rocha.

uma chapa forte de vereador”, explicou Vilmar Rocha. Deputado Vilmar Rocha fala para o vereador Tião

Deputado Vilmar Rocha fala para o vereador Tião do Mercado e Ariosvaldo da satisfação dos rumos do PSD em Goianésia

e Ariosvaldo da satisfação dos rumos do PSD em Goianésia Dirigente regional do partido, Vilmar Rocha

Dirigente regional do partido, Vilmar Rocha diz que o próximo passo é consolidar o partido e lançar chapas fortes de vereadores

AINDA O PSD

Em Niquelândia, partido reúne membros e discute eleições 2012

Também em Niquelândia,

mas na noite de sexta-feira, 28,

o deputado Vilmar Rocha reu-

niu os membros do PSD para discutir o futuro do partido no município e as eleições de 2012. O evento, no auditório do Sindicato dos Trabalhadores em

Mineração, foi organizado pelo pré-candidato a prefeito pelo partido PSD, Evaldo Rincón,

que já concorreu à prefeitura e a uma cadeira na Assembleia Le- gislativa em pleitos anteriores. Em Niquelândia, terra natal de Vilmar Rocha, o PSD

é presidido por Nilson Espín-

dola, e tem entre os liados 3 vereadores, do total de 9 inte- grantes da Câmara Municipal:

o presidente da Casa, Weder Chimango Dias de Oliveira, o Denguinho (ex-PMDB); Ra- phael Antônio de Lima de Sou- za, o Rafael da Casa de Apoio (ex-PTB); e Wilson da Silva

Jornal Diário do Norte

de Apoio (ex-PTB); e Wilson da Silva Jornal Diário do Norte Vilmar Rocha falou para cerca

Vilmar Rocha falou para cerca de 300 pessoas na primeira reunião em Niquelândia após a criação oficial do PSD

Rocha Filho, o Rochinha (ex- -PR). Os 3 parlamentares es- tiveram entre as cerca de 350 pessoas, entre liados e simpa- tizantes, que participaram do encontro na última sexta. “Foi uma reunião mais aberta”, contou Vilmar Rocha, comparando com o encontro do dia seguinte, realizado em Goianésia, e anunciando que também em Niquelândia o par- tido cou forte. “E já começamos, dessa reunião, a discutir a eleição de 2012”, continuou. Vilmar Rocha anunciou que, terminada a fase de regis- tro do partido, pretende percor- rer todo o estado, indo a todos os municípios, a m de conhe- cer, dialogar e discutir o forta- lecimento e a consolidação do PSD em Goiás. “Já tenho muitos convites

e, agora, o papel é esse: é de

conhecer, discutir e fortalecer

o nosso partido para a eleição

municipal de 2012”, explicou.

PARTIDO EM NI- QUELÂNDIA Além de Evaldo Rincón,

o PSD tem outros nomes, ain-

da não declinados, que podem pleitear disputa da prefeitura, na sucessão de Ronan Batista (PTB). “Vamos trabalhar para ter candidato próprio, temos bons nomes para isso. Mas não fe- chamos a porta das alianças, porque em Niquelândia temos outros partidos, como o PP, o PSDB e o PTB, entre outros, que estão coligados conosco, são nossos aliados. Então, esta- mos abertos para essas alianças, mas vamos trabalhar para ter candidato próprio”, encerrou Vilmar Rocha.

Do
Do

Pág. 7 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199

JARAGUÁ

7 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199 JARAGUÁ 25 DE OUTUBRO

25 DE OUTUBRO

Dia do Dentista comemorado em Jaraguá

A Secretaria de Saúde de Jaraguá comemorou o Dia do Dentista nesta

terça-feira, 25, com uma con- fraternização que envolveu par- te destes pro ssionais que tra- balha na rede pública de saúde do município. Em Jaraguá, a equipe de odontólogos da Secretaria de Saúde atende nos PSFs (postos de Saúde da Família), no Cemja (Centro de Especialidade Mé- dica de Jaraguá) e na zona rural. Aproveitando a data, a se- cretária Maria Maura de Car- valho parabenizou e agradeceu a todos os pro ssionais que, se- gundo ela, fazem a diferença no atendimento odontológico da comunidade jaraguense. Maura Carvalho ain- da destacou a disposição dos dentistas, “sempre inclinados a atender à população da melhor maneira possível”. “Esses pro ssionais são os responsáveis por cuidarem de um dos nossos principais car- tões de visita, que é o sorriso”, declarou.

UM POUCO DE HISTÓRIA Há duas datas relaciona- das à pro ssão: no 3 de outu- bro, é celebrado o Dia Mundial do Dentista; 25 de outubro é Dia do Cirurgião Dentista, da Saúde Dentária e do Dentista Brasileiro. No Brasil, o 25 de outubro lembra a criação dos primeiros cursos de odontologia, surgidos nesta data, em 1884, no Rio de Janeiro e na Bahia, pelo decreto nº 9.311. Daí a comemoração na mencionada data.

Ascom/Prefeitura de Jaraguá

na mencionada data. Ascom/Prefeitura de Jaraguá A secretária de Saúde, Maura Carvalho, em

A secretária de Saúde, Maura Carvalho, em confraternização pelo Dia do Dentista, reconhece e destaca o trabalho dos odontólogos de Jaraguá

reconhece e destaca o trabalho dos odontólogos de Jaraguá TRANSPORTES Gaspar diz que frente de serviço

TRANSPORTES

destaca o trabalho dos odontólogos de Jaraguá TRANSPORTES Gaspar diz que frente de serviço atuará na

Gaspar diz que frente de serviço atuará na ponte Córrego Grande no prazo de 10 a 15 dias

Secretaria reforma e reconstrói ponte da região do Córrego Grande

A Secretaria de Trans-

portes de Jaraguá prossegue trabalhando na reforma de estradas e pontes na zona

rural do município. Entre os serviços executados, estão o de patrolamento e alarga- mento das estradas vicinais,

a abertura de bueiros e refor- mas de pontes.

Na última sexta-feira, 28,

o secretário Gaspar da Costa

Gonçalves anunciou a recons-

trução e reforma da ponte da região do Córrego Grande, destruída há pouco tempo.

Ao fazer o anúncio, Gas-

par informou que todo o ma- terial para reconstrução da ponte já havia sido adquirido.

“A frente de serviço rea- lizará todo o trabalho no pe- ríodo de 10 a 15 dias”, diz o secretário.

ÁGUA LIMPA Após o serviço no Cór- rego Grande, a Secretaria de

Transportes dará início à re- cuperação das estradas e pon-

tes da região da Água Limpa.

As últimas regiões aten- didas pela operação foram as da Monteira e Fazendinha, que receberam melhorias nas estradas e pontes. Na semana passada, por exemplo, a Secretaria de Transportes terminou a pon- te sobre o rio Sucuri.

INFORME PUBLICITÁRIO AdmAdmAdm.:.:.: 2009/20122009/20122009/2012
INFORME PUBLICITÁRIO
AdmAdmAdm.:.:.: 2009/20122009/20122009/2012
PUBLICITÁRIO AdmAdmAdm.:.:.: 2009/20122009/20122009/2012 Fique bem informado! Acesse nosso site.
Fique bem informado! Acesse nosso site. www.afolhadovale.com.br E-mail: contato@afolhadovale.com.br
Fique bem informado!
Acesse nosso site.
www.afolhadovale.com.br
E-mail: contato@afolhadovale.com.br
Em Fátima, Nossa Senhora pediu: “Rezem o terço todos os dias, para alcançarem a paz!”
Em Fátima,
Nossa Senhora pediu:
“Rezem o terço todos os dias,
para alcançarem a paz!”
Do
Do

Pág. 8 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199

GOIANÉSIA

8 / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199 GOIANÉSIA EM PARCERIA COM

EM PARCERIA COM A MSD

Armazém do Produtor realiza em Goianésia 1º Jantar de Negócios

Evento, realizado no Scarpas, reuniu produtores da região; palestrante Leonardo Tosta, consultor sênior de pecuária, chamou a atenção para a campanha contra a aftosa, que pode elevar Goiás para o status de zona livre de aftosa sem vacinação

G oianésia sediou, no úl- timo dia de outubro, o 1º Jantar de Negócios

Armazém do Produtor e MSD Saúde Animal, que reuniu agro- pecuaristas da região na busca de conhecimento para se tornarem cada vez mais e cientes na pro- dução de carne. O evento, realizado no Scar- pas Restaurante, contou com pa- lestra do consultor sênior de pe- cuária, Leonardo Tosta, que ava- liou de forma positiva o interesse dos produtores. “A presença do público, um público de qualidade, demonstra o interesse no negócio da pecu- ária, que é o negócio deles. São pecuaristas que estão se tecni - cando, buscando conhecimento para se tornarem cada vez mais e cientes na produção de carne,

tornarem cada vez mais e cientes na produção de carne, O palestrante Leonardo Tosta, da MSD

O palestrante Leonardo Tosta, da MSD Saúde Animal, destacou a qualidade do público, interessado no negócio da pecuária

que é o que o mundo tem preci- sado e esperado do Brasil, como grande fornecedor de alimentos”, a rmou Tosta, em entrevista. Também o empresário Edes

Caetano Rosa Júnior avaliou po- sitivamente o 1º Jantar de Negó- cios do Armazém do Produtor, empresa de produtos agropecuá- rios com unidades em Barro Alto, Goianésia e Assunção de Goiás, distrito do município de Vila Propício. “O objetivo, de orientar os produtores para aumentar a pro- dutividade deles na pecuária, foi alcançado”, avaliou Júnior.

PALESTRA Na palestra, Leonardo Tosta disse que o espaço conquistado pelo Brasil no mercado mundial não se destituirá dessa colocação. O país, que exporta carne para mais de 45 países, é respon- sável, atualmente, por 26% das exportações de carne no mundo. “Isso nos coloca numa po-

exportações de carne no mundo. “Isso nos coloca numa po- Pecuaristas da região prestigiaram evento e

Pecuaristas da região prestigiaram evento e agregaram conhecimentos que os trarão ganho de eficiência na produção de carne

sição muito confortável. É o que conversei com todos os produto- res aqui hoje: estamos no trem certo, no vagão correto, no trilho, e acelerando. Ou seja, estamos produzindo carne e produzindo alimento pro mundo, e não só para o mercado nacional, que tem sido muito interessante também, dado o aumento da renda do bra- sileiro”, a rmou o consultor. Hoje, segundo Leonardo Tosta, o consumo interno já man- tém a demanda de carne muito elevada. Por outro lado, o mundo aumentando ainda mais esse con- sumo, vai fazer com que os pro- dutores brasileiros sejam cada vez mais valorizados. Para tanto, o consultor sê- nior de pecuária disse que é ne- cessário os pecuaristas buscarem tecnologias e e ciência no sen- tido de produzir mais quilos de carne por hectare por ano. “Para isso, ele tem que in- vestir em produtividade. Isso sig- ni ca investir numa ração e num pasto de qualidade, na sanidade desses animais, usar o vermífu- go correto, a vacina correta, para conseguir aumentar a produtivi- dade por área”, defendeu. Leonardo Tosta participou do 1º Jantar de Negócios repre- sentando a MSD Saúde Animal, líder mundial em assistência à saúde de animais de diferentes espécies, presente em mais de 50 países e cujos produtos estão dis- poníveis em 150 mercados. “Nós, da MSD Saúde Ani- mal, temos uma linha bem com- pleta, a mais completa do merca- do nacional. Temos vermífugos, desde a Ivermectina, chamada

A Folha do Vale

vermífugos, desde a Ivermectina, chamada A Folha do Vale Funcionários, colaboradores e fornecedores participaram do

Funcionários, colaboradores e fornecedores participaram do Jantar de Negócios

Ivotan, à Abamectina, chamada Avotan, e o carro-chefe nosso, que é o Solution, a mistura dessas duas moléculas, Ivermectina e a Abamectina em um só produto”, explicou. Além disso, em termos de vacinas, a empresa possui uma linha bem completa: a vacina de aftosa, a vacina de Procediose, da qual Leonardo Tosta falou muito no Jantar de Negócios, e a vacina Vision, que protege muito bem o animal, sem dar a reação inde- sejada que causa perda de peso e lesões pós vacinais.

FEBRE AFTOSA Durante o evento, a pedido do jornal A Folha do Vale, Leonar- do Tosta falou da 2ª etapa anual da Campanha Nacional de Erra- dicação da Febre Aftosa, que teve início na terça-feira, 1º, e se es- tenderá até 30 de novembro, com uma novidade: pela primeira vez, os criadores goianos só têm que vacinar os animais com até 24 meses.

O consultor de pecuária orientou aos produtores da região, apelando para a necessidade de consciência do que estão fazendo

e alertando para a importância do

momento pelo qual passa o país. “Hoje, o Ministério da Agricultura nos deu uma credi- bilidade muito grande, de fazer

a vermifugação de aftosa, uma

vacina tão importante, apenas nos animais abaixo de 24 meses.

É o primeiro passo para a gente

conseguir o status de zona livre

de aftosa sem vacinação. Foi da- do o primeiro passo, e realmente

é necessária consciência em fazer

essa vacinação e essa vermifuga- ção bem feita”, orientou. “Agindo corretamente, o es- tado de Goiás tem tido uma e - cácia muito grande, e uma copar- ticipação muito grande dos pe- cuaristas. Tanto que, hoje, temos mais de 98% do gado vacinado.

Então, isso é muito bom, ou seja,

é uma campanha que, em Goiás, tem obtido um sucesso muito grande”, concluiu.

Então, isso é muito bom, ou seja, é uma campanha que, em Goiás, tem obtido um
Domingo foi de muita diversão, alegria e confraternização entre sócios e familiares, no aniversário do

Domingo foi de muita diversão, alegria e confraternização entre sócios e familiares, no aniversário do Clube Campestre

BBB

CAPACAPACAPACAPACAPACAPA BBB /// 1º1º1º aaa 777 dedede Novembro/2011Novembro/2011Novembro/2011
CAPACAPACAPACAPACAPACAPA BBB /// 1º1º1º aaa 777 dedede Novembro/2011Novembro/2011Novembro/2011

CADERNOCADERNO

EDIÇÃO 199

Do
Do

O MÁXIMO EM LAZER

Clube Campestre completa 38 anos e inaugura reforma do Salão Social

Nas comemorações do seu 38º aniversário, principal clube social de Goianésia inaugurou Salão Social totalmente reformado e proporcionou um domingo de confraternização entre seus sócios e familiares; Clube Campestre ganhará Academia de Ginástica ainda este ano

O Clube Campestre de Goianésia completou 38 anos no dia 28 de

outubro e comemorou o aniver- sário com a inauguração da re- forma geral do seu Salão Social e festa da criança, no domingo, 30. Melhor e mais tradicional

clube de lazer da região, o Cam- pestre recebeu,para a inauguração, um grande número de sócios, que, com seus familiares, desfrutaram

de mais um domingo de lazer.

As comemorações pelo aniversário do clube tiveram iní- cio às 10h, quando foram aber- tos os portões, e se estenderam até às 18h, com show ao vivo com a banda Grupo Pega Leve e Convidados e outras 5 atrações diferentes. Na ocasião, sócios com as mensalidades em dia tiveram entrada franca, e não sócios pa- garam R$ 25 por pessoa. No período, foram comercializados

80 caixas de cerveja a R$ 1, refri- gerantes de 2 litros e espetinhos

a R$ 1,50 e almoço (galinhada,

vinagrete e feijão tutu) a R$ 2.

O domingo foi de alegria

e diversão para todas as idades.

Durante todo o dia, foram servi- dos, gratuitamente, algodão doce,

pipoca, pirulitos, balinhas, pico-

lés e sorvetes.

Além dos sócios e familia- res, participaram das comemora-

ções e inauguração toda a dire- toria, comandada por Aguinaldo Aparecido Lima, o Mangubão,

e autoridades convidadas, entre

elas o prefeito Gilberto Naves,

o deputado estadual Helio de

Sousa e os vereadores Maurício André Gomes e Abadia Del no Duarte Souza. Durante discurso, o presi- dente Mangubão agradeceu a to-

dos os presentes, principalmente

os sócios, e rea rmou o compro-

misso do Clube Campestre de oferecer aos associados “o máxi- mo em lazer”. “Mais uma obra entregue para os sócios, resgatando um compromisso de campanha”, a rmou o presidente, que se comprometeu a inaugurar, até o nal deste ano, a Academia de

Ginástica do clube. Na ocasião, em entrevista,

Mangubão citou outras obras e aquisições realizadas pela direto-

ria 2010/2011: Play Ground,Co-

zinha, Quadra de Areia, Climati-

zador, Transformador, Cadeira

de Bronzear, Filtros e Bombas e

a Portaria do Clube, além, agora, do Salão Social completamente reformado.

A diretoria, que tem aper-

feiçoado e ampliado as opções

de lazer para os sócios do Clube

Campestre e seus familiares, é assim constituída: Aguinaldo Li-

ma (Mangubão), presidente; João Mario Tessarollo, vice-presiden-

te; Edgar Caetano Rosa e dr. Ro-

bson da Silva Tavares, tesourei-

ros; Tadeu Luiz da Silva e Jadir Vaz Machado, secretários; Nilson Araújo Lima (Zezinho) e Edil- son Alves de Azevedo, diretores sociais; Sérgio Rodrigues Sena Pinto (Graia) e Vantuir Mendes

de Souza, diretores de esportes.

A FOLHA DO VALE

Mendes de Souza, diretores de esportes. A FOLHA DO VALE Inauguração da reforma geral do Salão

Inauguração da reforma geral do Salão Social, obra realizada pela gestão 2010/2011

do Salão Social, obra realizada pela gestão 2010/2011 Encontro de vascaínos na festa do 38º aniversário

Encontro de vascaínos na festa do 38º aniversário do Clube Campestre de Goianésia

festa do 38º aniversário do Clube Campestre de Goianésia Deputado Helio de Sousa discursa durante as

Deputado Helio de Sousa discursa durante as festividades, observado por membros da diretoria

durante as festividades, observado por membros da diretoria Crianças fizeram a festa no Play Ground, que

Crianças fizeram a festa no Play Ground, que foi inaugurado no ano passado pela atual diretoria

que foi inaugurado no ano passado pela atual diretoria O presidente Mangubão com seus familiares, que

O presidente Mangubão com seus familiares, que também participaram das comemorações

Do
Do

Pág. 2B / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199

GOIANÉSIA

2B / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199 GOIANÉSIA MOMENTO ECONÔMICO Zeca

MOMENTO ECONÔMICO

Zeca Salvino avalia crise na Europa e seus reflexos no Brasil

Presidente do Sicoob, José Salvino de Menezes faz ampla análise da economia global, diz que o momento econômico de Goiás é bom e acredita que Goianésia não voltará à realidade econômica anterior à chegada da Anglo American em Barro Alto

P residente do Sicoob

(Sistema de Coope-

rativas de Crédito

do Brasil) e da Cooperativa Central de Crédito de Goi- ás, além de diretor executivo da Coopercred (Coopera- tiva de Crédito do Vale do São Patrício Ltda., com sede em Goianésia), José Salvino de Menezes, o Zeca Salvi- no, faz uma breve análise do momento econômico, ava- lia a crise na Europa e seus efeitos no Brasil.

Ele também compara os estilos das gestões de Ale- xandre Tombini e Henrique Meirelles no Banco Central do Brasil, ambas considera- das e cientes pelo analista; descarta ocorrer no Brasil crise semelhante à provoca- da pelo boom imobiliário nos Estados Unidos; e avalia o crescimento do sistema de cooperativismo no Brasil, a economia goiana e o futu- ro de Goianésia, a partir da vinda da Anglo American para a região.

CRISE NA EUROPA De acordo com Zeca Salvino, a Europa passa por uma crise só superada pela ocorrida depois da Segunda Guerra Mundial. Segundo ele, embora a crise européia atual não deixe de re etir no Brasil, ela não é tanto sentida pelo fato de o país ter feito o dever de casa. “Diretamente, ela não está vindo, como diz o [ex- -presidente] Lula, numa marolinha, vem mais do que uma marolinha e re e- te aqui, internamente. Nem tanto, porque o país hoje tem reservas cambiais de sobra para fazer face a qual- quer crise, mas as empresas multinacionais que aqui se encontram, é claro, a crise tem re exo muito grande sobre elas”, explica.

BOOM IMOBILIÁRIO Sobre a crise imobiliária dos Estados Unidos, Zeca Salvino não enxerga a pos- sibilidade de ocorrer o mes- mo no Brasil, onde o setor cresceu bastante nos últimos anos e tende a expandir-se ainda mais, com o aproximar da Copa do Mundo e das Olimpíadas. “Acredito que a expan- são imobiliária não traz risco nenhum. O que aconteceu nos Estados Unidos é um fato isolado, que já era es- perado, porque se nanciava muito em longo prazo e de

qualquer maneira, sem ga- rantia nenhuma, e aconteceu

o que aconteceu, que foi o

início dessa crise mundial”, destaca. No Brasil, segundo o presidente do Sicoob, é di- ferente, e os investimentos atraídos pela Copa do Mun- do e pelas Olimpíadas, ao contrário do que muitos pos- sam imaginar, são bené cos. “Muitos economistas falam desse boom imobi- liário, que pode acontecer igual ao que houve nos Es- tados Unidos, mas não vejo problema nenhum quanto a isso, porque há consistência do que se faz aqui e o Brasil, mais uma vez, é privilegiado, por ter esses investimentos, bené cos, muito válidos e que, com certeza, trarão re- sultados imensuráveis para o país”, prevê.

COOPERATIVAS Ao falar do crescimen- to das cooperativas, princi- palmente na área nancei- ra, Zeca Salvino destacou o

Sicoob, do qual é presidente

e do qual a Coopercred de

Goianésia faz parte, “um sis- tema de cooperativa bastante forte” e o segmento de coo- perativismo que mais tem avançado no Brasil na atua- lidade. “O Sicoob tem, hoje, praticamente, 2 mil agên- cias, somos a 6ª maior rede de atendimento bancário do país. Então, é um sistema grande, que está despertando

o interesse da comunidade

mundial”, ilustra, citando recentes contatos com o Banco Mundial ""o Bird (Banco Internacional para Reconstrução e Desenvol- vimento)"", através do seu braço nanceiro, que é a IFC (Cooperação Financeira In- ternacional), a m de trazer recursos para o Banco Co- operativo Brasil, ligado ao Sistema de Crédito Coope- rativo, o Sicoob. Além disso, recente- mente, Zeca Salvino este- ve na Alemanha, também tratando de parcerias com bancos alemães, que são dos poucos que têm uma solidez na Europa, e na Espanha, igualmente procurando par- cerias com caixas cooperati- vas daquele país. “Estou voltando para a Alemanha agora, no início de novembro, para tratar de controles e de auditorias no sistema, que o sistema ale- mão já é bastante avançado. Então, temos uma visibilida-

A Folha do Vale

avançado. Então, temos uma visibilida- A Folha do Vale Zeca Salvino avalia positivos, para o Brasil,

Zeca Salvino avalia positivos, para o Brasil, os investimentos atraídos pela Copa do Mundo e pelas Olimpíadas

de muito grande”, observa o presidente do Sicoob, que foi convidado, também recente- mente, pelas cúpulas de diri-

tá em boas mãos. “Acredito muito na gestão do Tombini no Banco Central, que hoje tem o controle absoluto da

verno, a conversa é a mesma:

todos que entram reclamam do governo que sai. Mas is- so é natural, vemos isso há

gentes mundiais de coopera-

in

ação e da gestão nancei-

muitos anos e não vai ser

tivistas, no Canadá, para par-

ra

do país”, defende.

agora que vai ser diferente.

ticipar de reunião de cúpula, mas não pode comparecer impedido por sua agenda.

O presidente do Sicoob também avaliou a gestão do antecessor de Tombini, o

É o choro natural de quem entra, que tem certas di cul- dades e tem que se adaptar à

“De modo que o Bra-

goiano Henrique Meirelles,

realidade. O Marconi fez um

sil, hoje, está sobressaindo e

o cooperativismo de crédito

brasileiro se destaca e se con-

solida, o que não deixa de ser uma alternativa para as eco- nomias locais, uma vez que os resultados da Coopercred, por exemplo, são distribuídos entre seus sócios. Enquanto os bancos levam o resultado para os grandes centros, nós circulamos o dinheiro aqui, o associado se auto nancia, e os resultados da cooperativa vão para o bolso dele”, diz. “A Coopercred é um banco que não tem um dono, mas tem vários donos, onde todos os sócios, todos os cor- rentistas são donos. Esse é o grande negócio da cooperati-

va de crédito. E no Brasil tem

crescido bastante”, continua.

BANCO CENTRAL Sobre a gestão do atual presidente do Banco Cen- tral, Alexandre Tombini, de cuja cerimônia de posse participou em Brasília (DF), Zeca Salvino manifestou sua crença de que o órgão es-

a quem também elogia. “São

2 estilos diferentes, admi-

nistrações diferentes, mas

ambas e cientes. Para aquele momento, no governo Lula,

o Meirelles foi um excelente presidente [do Banco Cen-

tral], tanto que cou 2 man- datos e manteve a in ação baixa através dos juros altos.

Já o presidente Tombini pe-

gou o país, talvez numa situ- ação melhor, com as reservas

bancárias bem altas, e com o estilo e pensamento diferen-

tes, está colocando o país nu- ma escalada de descendência dos juros. Acredito que, com

o Tombini, os juros conti-

nuarão baixando. E sempre monitorando, acredito, com

sucesso”, diz.

ECONOMIA GOIANA A respeito de Goiás, Zeca Salvino descarta crise, embora haja reclamações de dentro do governo, e garante que a economia do estado vai bem. “Entra governo, sai go-

bom governo, no seu gover- no de 2 mandatos, e agora, mais experiente, acredito que o estado lhe dará toda condi- ção para ele fazer um ótimo

governo. Temos muita espe- rança, esperança muito gran- de, que a economia do estado vai bem, e creio que ele con- seguirá concluir seu governo com sucesso”, destaca Zeca. Além da agricultura, a economia goiana é impul- sionada, de acordo com Zeca Salvino, também pelas in- dústrias que têm se instalado no estado. “Goiás é um estado pri-

vilegiado, pela sua posição geográ ca, pelas terras que tem, porque a agricultura aqui é muito importante, Goiás e Mato Grosso são os estados que abastecem o país na área de agricultura. E não só isso, a área de in- dústria também tem crescido bastante, com as fábricas que têm vindo para Goiás, de au- tomóveis, tanto em Anápolis quanto em Catalão, e várias outras que estão vindo por aí.

Isso alavanca demais a nos- sa economia e acredito que Goiás é um estado bastante privilegiado”, observa.

EM GOIANÉSIA Também ex-prefeito de Goianésia (1982-1983), a

respeito do município, onde

a movimentação comercial e

nanceira cresceu muito nos últimos 4 anos, em decorrên-

cia da instalação, em Barro Alto, da Anglo American, que atraiu muitos trabalha- dores para construção de sua planta industrial, Zeca Sal- vino garante que esse é um ganho para sempre. Mesmo com as obras do Projeto Barro Alto, da Anglo, estando na fase nal,

o presidente do Sicoob dis-

cursa que Goianésia não re- tornará à realidade anterior, mas continuará crescendo, a depender de uma gestão pú-

blica que saiba desfrutar dos ganhos desse crescimento. “Acredito que isso trou- xe um avanço muito grande

e continuará assim. A gente

anda pelas ruas de Goianésia

e vê o efeito que a implan-

tação dessa indústria trouxe. Acredito que isso não tem volta, Goianésia hoje é uma realidade e, se tiver uma boa gestão pública, o município tem tudo pra ser das me- lhores cidades do estado de Goiás”, naliza.

Do
Do

Pág. 3B / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199

POLÍTICA

3B / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199 POLÍTICA VEREADOR SOB SUSPEITA

VEREADOR SOB SUSPEITA

Perícia comprova letra de Daniel; MP oferecerá denúncia ao Judiciário

Em entrevista à Rádio Cidade, Daniel Sardinha muda de estratégia e, após perícia comprovar que bilhetes foram escritos por ele, admite que letra em bilhetes é sua; parlamentar agora a�irma, sem citar nomes, que bilhetes foram subtraídos de seu gabinete

Por Rarilton Damasceno Da Folha de Jaraguá

O vereador Daniel Sar-

dinha (PDT) está em

situação delicada, cada

vez mais difícil de sair. Acusa- do pelo vereador Hélcio Xuda (PMDB) de pedir propina para votar o projeto 015, ele dizia ja- mais ter pedido algo em troca de seu voto, jurou desconhecer tais bilhetes e chamou as acusações de falsi cações. Na segunda-fei- ra, 31, porém, mediante perícia, o promotor Everaldo Sebastião con rmou: os bilhetes, com pe- didos escusos, são do vereador.

O promotor disse que, após as oitivas com os envolvidos, fal- tava apenas a conclusão da prova pericial, entregue na segunda- -feira. “Recebemos o laudo de - nitivo, que atesta que todos os bi- lhetes são de autoria do vereador Daniel Sardinha. Para o Ministé- rio Público, a prova é concluden- te, é de nitiva”, explicou. Agora, o promotor pretende oferecer denúncia contra o verea- dor ao Poder Judiciário. “Vou me reunir com o promotor Giuliano [Silva] e vamos decidir qual tipo de ajuizamento vamos fazer. Os procedimentos estão concluídos, vamos agora tomar as medidas judiciais necessárias e também comunicar à Câmara Municipal. Caso eles entendam por bem, entrem com um procedimento político-administrativo”, disse. Serão instauradas contra Daniel Sardinha, segundo o pro- motor, duas ações: uma denúncia- -crime, por corrupção passiva, có- digo 317 do CPB (Código Penal Brasileiro), que tem pena prevista de 1 a 8 anos; e uma ação por im- probidade administrativa; além de outras medidas cautelares. “Podemos pedir, no início da ação, medidas cautelares ad- ministrativas necessárias, como

Rarilton Damasceno

ad- ministrativas necessárias, como Rarilton Damasceno Promotor Everaldo Sebastião diz que provas periciais

Promotor Everaldo Sebastião diz que provas periciais comprovam que letra em bilhete com pedido de propina é do vereador Daniel Sardinha

o afastamento da função pública.

Vamos discutir quais medidas serão su cientes para que o pro- cesso transcorra normalmente”, frisou o promotor. Everaldo Sebastião alertou que uma das punições poderá ser a cassação do mandato do vereador. “Uma das consequên- cias naturais, em qualquer desses processos, é o afastamento, a per- da do mandato e a proibição de concorrer a cargos públicos. Para nós, não há dúvida nenhuma que os bilhetes foram escritos por ele, porque a prova pericial é rme neste sentido, o que também foi con rmado pelas provas teste- munhais, e esse é um comporta- mento muito grave”, adiantou.

PROMOTOR NARRA PEDIDOS Em entrevista ao repórter Cleiber Jr., da Rádio Sucesso FM, pela primeira vez, o promo- tor Everaldo Sebastião narrou o

que está escrito nos bilhetes, com

a letra de Daniel Sardinha. “Seriam R$ 7 mil para a Rádio Nova Dimensão [das qual

Daniel foi diretor e atualmente é locutor]; R$ 4 mil para o Igoj [Instituto Goiano da Juventude] ""ligado a um empresário da ci- dade, que nanciou a campanha política de Daniel Sardinha""; doação de equipamentos, orçados em R$ 60 mil, para a Associação de Evangélicos [à qual ele é liga- do]; serviços da prefeitura para a grá ca Codi Care, do empresário que foi patrocinador da campa- nha política do denunciado; R$ 2 mil para o proprietário de um veículo de som de rua [esse som ou é do vereador, ou é de tercei- ro que patrocinou sua campanha política]; pedido de uma secreta- ria e uma superintendência, para serem ocupados por pessoas liga- das ao vereador; e, o que é pior, 2 lotes urbanos em um loteamento perto do lago (Passarela da Mo- da), esses dois lotes seriam para o patrimônio pessoal do vereador. São esses os pedidos expressos nos bilhetes. Segundo o perito, escrito pelo vereador Daniel Sar-

dinha e endereçados ao prefeito”, contou o promotor. O prefeito e os vereadores

BARRO ALTO

Adriana do Grimalde confirma pré-candidatura a prefeita pelo PMDB

Candidata nas últimas elei- ções municipais, Adriana Alves

Borges Pires da Silveira, a Adria- na do Grimalde (PMDB), garan-

te estar pronta para o novo pleito,

do ano que vem. Em 2008, Adriana do Gri- malde, então no PR, assumiu a candidatura para substituir seu marido, Grimalde Pires da Sil- veira, impedido de concorrer pela Justiça Eleitoral. “Entrei já no nal da cam-

panha, faltando 11 dias, e graças

a Deus fui muito bem sucedida,

muito bem votada”, diz Adriana, que, com 1.878 votos (38,09% dos votos válidos), cou em 2º lugar, atrás apenas do prefeito reelei- to, Luciano Lucena (Dem), e na frente de Célio Gomes de Aguiar Júnior (PMN). “Eu,até,tenho muito a agra- decer à população, que me surpre- endeu pela votação, e agora estou de novo na luta, me lançando novamente como pré-candidata a prefeita, para a próxima eleição”, completa a empresária. Adriana é a única pré- -candidata pelo PMDB, mas, na oposição, há outro interessado na disputa, Geraldo Martins Ferreira (PT), que já foi pré-candidato em pleitos anteriores, mas acabou não concorrendo. Adriana a rma que acredita na candidatura de Geraldo, apesar de seu histórico, de se lançar, mas desistir da disputa. No entanto, a

A Folha do Vale

mas desistir da disputa. No entanto, a A Folha do Vale Adriana do Grimalde se diz

Adriana do Grimalde se diz pronta

para a próxima disputa, visando a cadeira de prefeito de Barro Alto

peemedebista acha Geraldo Mar- tins um bom nome. “Claro, acho válida a inten- ção do Geraldo de se candidatar à prefeitura. É um pré-candidato, é real isso, e é um bom candidato”, defende. Perguntada se acha viáveis 3 candidaturas no município de 12 mil habitantes, a peemedebis- ta lembra que, no pleito de 2008, também havia 3 candidaturas, mas defendeu que união dos par- tidos e dos políticos de oposição para retomada da prefeitura. “São possíveis, sim, as 3 candidaturas, como em 2008. O município é amplo. Por quê não? Agora, acho que, em política, a gente não deve nunca dividir, mas sempre somar, e estou aí, à disposição para somar”, aponta, abrindo espaço para uma virtual

composição, por exemplo, entre ela e Geraldo Martins. Embora já assuma sua pré- -candidatura, a prefeiturável ad- mite ainda estar formatando o seu plano de governo, e prefere não adiantar sua plataforma de cam- panha. “Hoje, ainda está um pouco

longe, né, ainda está cedo para se falar em projetos, em planos, mas

a intenção é fazermos uma união

forte, com vários partidos e tocar- mos a eleição como sempre traba- lhamos em Barro Alto”, defende

GOVERNO LUCIANO Adriana do Grimalde fez um balanço do governo do prefeito Luciano, a quem faz oposição. Segundo ela, a gestão deixa muito a desejar, e apontou pontos em que a população, em sua avaliação, tem sido muito prejudicada pela falta de ação da

prefeitura. “É o caso da água, da saú- de, do transporte escolar, da área de esporte e lazer. No contexto geral, infelizmente, o municí- pio teve muita oportunidade de estar hoje excelente, através do aumento faraônico que teve, da arrecadação, da verba, através da Anglo American. Então, infe- lizmente, nesses anos todos, não tivemos o respaldo, não tivemos

o resultado que a população me- rece e precisa”, avalia.

que denunciaram o caso disseram ao promotor que nenhum desses

pedidos foi atendido, motivo pelo

o qual o projeto 015 foi rejeitado com o voto contrário do vereador Daniel Sardinha. Depois que a denúncia for

oferecida ao Judiciário, o verea- dor Daniel Sardinha terá 15 dias para apresentar sua defesa, por escrito. Após isso, será marca- da uma audiência de instrução e julgamento, onde as testemunhas serão ouvidas, e nesta audiência já será expressada uma sentença

de nitiva do Judiciário.

“Independente dos recursos,

a sentença será executada”, con- cluiu o promotor.

MUDANÇA DE ESTRATÉGIA Depois de dizer que, se houvessem bilhetes, seriam falsi- cações e falar ao promotor Eve- raldo Sebastião que jamais pediu algo, e que não tinha conheci- mento de bilhetes, agora, em en-

trevista à Rádio Cidade, Daniel Sardinha disse que a letra é dele

e os pedidos foram para atender à

comunidade. Na ocasião, aproveitou para acusar, sem citar nomes, que os bilhetes foram retirados ilegal- mente de seu gabinete, na Câma-

ra Municipal. Sardinha a rmou que não reconheceu os bilhetes apresen- tados pelo promotor, porque lhe foram apresentadas xerox. Ele denunciou que os manuscritos foram subtraídos de sua sala. “Esses bilhetes, estes rascunhos, foram retirados maldosamente do meu gabinete, da minha sala,

de onde eu trabalho. Eram coisas do dia a dia do meu gabinete”,

a rmou.

Questionado sobre quem teria acesso privilegiado, a pon- to de pegar anotações em seu gabinete, o vereador se esquivou de acusar diretamente alguém. “Como eu vou a rmar uma coisa, retiraram sem o meu conheci- mento”, disse. Arguido se a autoria dos bilhetes era de seu punho, o ve- reador con rmou que sim. “Re- almente, são meus, eu não nego de jeito nenhum! Mas tudo ao seu tempo se esclarece, tenho o

compromisso de falar a verdade, de ser uma pessoa transparente”, defendeu-se. Daniel Sardinha refutou a acusação de pedido de propina para aprovação de projeto. “Está aqui em minhas mãos um bilhete feito por mim, e eu tenho a res- ponsabilidade de falar isso para a população”, comentou. Segundo o vereador, o pedi- do de R$ 7 mil (no bilhete) para a Rádio Nova Dimensão seria para

que a prefeitura regularizasse o pagamento junto à emissora, que, segundo o vereador, estaria atra- sado. “A diretoria da rádio pediu que eu falasse com o prefeito, porque ele não estava pagando

este apoio cultural à Rádio Nova Dimensão FM”, justi cou. O vereador invocou a di- reção da rádio como sua teste- munha. Também no bilhete estaria escrito R$ 4 mil para o Igoj. Na versão do vereador, a prefeitura tinha um convênio com a insti- tuição e não estava pagando, e sua

função seria intermediar o paga- mento à Ong.

“O prefeito não estava pa- gando, e eles estavam passando por sérias di culdades. Como não está pagando até hoje. Não vejo crime nisso”, a rmou. Ele disse que pediu para pagamento ao instituto, e não para ele. Daniel a rma que os bi- lhetes são de 2006 e 2007, sen- do apresentados como de agora. Sobre os lotes, disse que não os pediu ao prefeito, mas os teria pedido para igrejas e a associação evangélica. Sobre secretaria e su- perintendência, acrescentou: “Re- cebo pedidos de todas as ordens no meu gabinete, todos os dias”. Sobre o carro de som, negou que tenha veículo volante na rua, empresa de prestação de serviço ou esquema, e que doa gravações a todos os carros de som da cida- de. “Tem aqui a questão do car- ro de som do senhor Evanilson (Crisostomo) que até o mês pas- sado estava com R$ 5 mil atrasa- dos de serviços com a prefeitura, ele está passando por necessida- des. Ele me pediu! Daniel, pede o prefeito para me pagar, porque eu não estou aguentando”, explicou. Sem citar nomes, o vereador mais uma vez a rmou que sofreu ameaças de morte. Depois de di- zer que estava com a consciência tranquila, disse que está tomando remédios para dormir. “Eu, mi- nha esposa e meus lhos estamos passando o inferno em vida nesta cidade”, acusou. Sobre o pedido de serviços da prefeitura para a Codi Care Grá ca, o vereador nada disse.

O lugar de sua Economia! Fazendo o melhor pra dona de casa. Chegada de frutas,
O lugar de sua Economia!
Fazendo o melhor pra dona de casa.
Chegada de frutas,
verduras e legumes
fresquinhos:
ÀS SEGUNDAS E
QUINTAS-FEIRAS
DISK GÁS E
ÁGUA MINERAL
3353-1376
SUPERSUPERSUPER PROMOÇÃOPROMOÇÃOPROMOÇÃO
O sorteio será realizado no dia
07/01/2012 às 18h00 na loja I.
LOJA I - AV: GOIÁS N 226 CARRILHO - FONE: 3353-1376
LOJA II - RUA 40 N 323 SÃO CRISTOVÃO FONE: 3353-1630
Do
Do

Pág. 4B / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199

GOIANÉSIA

4B / 1º a 7 de Novembro de 2011 - Edição 199 GOIANÉSIA 2 DE NOVEMBRO

2 DE NOVEMBRO

Dia de Finados marcado por celebrações e milhares de visitas

Padre Pedro a�irma que Dia de Finados sugere relembrar e forti�icar a nossa esperança na ressurreição; religioso pede aos �iéis que orem e rezem, em homenagem aos seus entes falecidos

A FOLHA DO VALE

rezem, em homenagem aos seus entes falecidos A FOLHA DO VALE Transubstanciação da Hóstia Consagrada, pelos

Transubstanciação da Hóstia Consagrada, pelos padres Pedro e Franciel, durante a Missa dos Fiéis Defuntos

padres Pedro e Franciel, durante a Missa dos Fiéis Defuntos O Dia de Finados, neste feriado

O Dia de Finados, neste feriado nacional de 2 de novembro, foi mar-

cado em Goianésia pelas visitas de milhares de pessoas a seus entes queridos no Cemitério Municipal. Desde as primeiras horas da manhã, até o anoitecer, foi grande a movimentação em torno do cemitério. O dia foi marcado por orações e lem- branças, que levaram os visitan- tes à emoção pela saudade dos seus entes falecidos. No local, em tendas arma- das especialmente para a data, foram realizadas duas Missas Solenes dos Fiéis Defuntos:

às 9h, celebrada pelos padres Franciel e Pedro, da Paróquia Sagrado Coração de Jesus; e às 15h, pelo padre José Maria Gil, da Paróquia Nossa Senho- ra d’Abadia. Centenas de éis participaram das celebrações. O padre Pedro, da Paró- quia Sagrado Coração de Jesus, explicou que, mais do que um dia de lágrimas e de dor, a da- ta dedicada aos falecidos deve ser encarada como uma ocasião para se relembrar e forti car a nossa esperança na ressurreição. “Jesus quis passar por toda

a nossa situação, quis assumir toda a nossa condição, Ele fez que até mesmo a morte não fosse mais m, mas retorno à

casa do Pai, Ele santi cou aqui-

lo que a morte nos trazia como

maldição, transformada agora em retorno à casa do Pai. Por isso que é um dia de muita es- perança e alegria, por sabermos que um dia iremos para a casa do Pai”, apontou. No nal de sua celebração, padre Pedro pediu aos éis que orem e rezem, e não pensem so- mente que o Dia de Finados é um feriado. “Mais do que ores, mais do que lágrimas, talvez nossa maior homenagem às pesso-

do que lágrimas, talvez nossa maior homenagem às pesso- Fiéis católicos oram durante a Missa Solene,

Fiéis católicos oram durante a Missa Solene, em memória dos entes falecidos, no dia 2 de novembro

em memória dos entes falecidos, no dia 2 de novembro Goianesienses acendem velas e rezam por

Goianesienses acendem velas e rezam por seus familiares falecidos ao redor do Cruzeiro, no Cemitério Municipal

as que já passaram seja nossa oração. É, no fundo, no fundo,

uma esperança de um futuro reencontro. A saudade é isso. Quando se tem saudade, não se é nostálgico, a ponto de an- corar a nossa vida no passado,

mas a gente olha para frente e sabe que talvez aquilo que já foi vivido antes, possa ser revivido novamente”, justi cou. Em entrevista à Folha do Vale, o religioso ainda falou sobre as pessoas que, ao lem- brarem seus entes falecidos, se emocionam e choraram, e disse que esses são sentimentos posi- tivos. “É sinal de que somos pessoas, temos sentimentos muito positivos, e oxalá se ho- je, realmente, pudéssemos dei-

xar com que esses sentimentos positivos, sentimentos agra- ciados, pudessem soar, gritar mais forte do que aqueles sen- timentos de dores, sentimen- tos de violência, que a gente vê aí no mundo inteiro, que, no fundo, no fundo, são senti- mentos de mortes. Que Deus possa dar grande alegria, uma fé viva na ressurreição para to- dos e os abençoe”. Além da missa das 15h30, no Cemitério Municipal, a Pa- róquia Nossa Senhora d’Abadia, celebrou missas, também para lembrar os falecidos, às 6h30 e às 18h, na própria pároquia; e às 19h30, nas capelas São José, no bairro Eurípedes Barsanulfo, e Nossa Senhora Aparecida, no Muniz Falcão.

Barsanulfo, e Nossa Senhora Aparecida, no Muniz Falcão. LOJA I AV. GOIÁS, 407 - CENTRO (62)