Você está na página 1de 1

TÉCNICAS (PORTUGUESAS, MAS NÃO BURRAS) DE ESTUDO...

Ter conhecimento é diferente de aprender. Para aprender é preciso que se processe ativamente
a informação recebida, sejam feitas reflexões e criticas ao que se está a assimilar para mais tarde ser
aplicado profissionalmente. Pouco funcionam, atualmente, as velhas estratégias do ensino secundário
para memorizar e esquecer de seguida. É preciso consolidar a informação que mais tarde irá ter
aplicações práticas no dia a dia.

Outro aspecto não menos importante é a atenção a dispensar ao auto-conhecimento. Quanto


melhor se conhece a si próprio, melhor se poderá eliminar alguns fatores distratores prejudiciais ao
bom rendimento acadêmico, como por exemplo: a não-determinação de objetivos e fins, inadequação
do nível à preparação, monotonia, falhas na planificação, influência excessiva do medo, falta de
interesse ou preguiça, ausência de hábitos de estudo, problemas familiares, sociais ou interpessoais,
carências alimentares e situações de ansiedade e de cansaço.

Só faz sentido estudar quando estamos interessados em aprender (sendo então ativos em todo
o processo) e motivados para o estudo. Para isso acontecer é preciso esforço e concentração, muito
mais que extraordinárias aptidões intelectuais, que por si só não garantem o sucesso acadêmico.

Quando estudar

A planificação do tempo e o cumprimento dos horários previamente definidos são


importantes. No início de cada semestre pode-se elaborar um horário onde constem todas as
atividades letivas e o estudo individual. Se não se definir claramente quais os dias e horas em que se
estudará se verificará que, sucessivamente, o tempo vai passando e se acaba por não estudar ao longo
do semestre. Isto vai fazer com que a época de exames seja vivida com muita ansiedade e frases do
tipo "não tenho tempo, não vou conseguir". Ao contrário do ensino secundário, para que se obtenha
bons resultados acadêmicos, convém que se comece a estudar na 2ª semana do início de cada
semestre, impreterivelmente.

Estratégias no trabalho com o tempo

1. Escrever na primeira página da agenda os objetivos de vida para o ano;


2. Pensar nos resultados pretendidos e nas atividades a serem realizadas;
3. Certificar-se que os projetos têm prioridades, prazos e estimativas de duração;
4. Ao longo do tempo, questionar o que está sendo feito;
5. Deixar tempo para lidar com imprevistos - os planos devem ser flexíveis e ajustáveis;
6. Desenvolver hábitos como a pontualidade, preparação, entrega de trabalhos;
7. Procastinar a procastinação: transformar o impulso de fazer mais tarde num hábito de fazer agora;
8. Ter calma;
9. Descansar bem, comer bem e estar atento à saúde;
10. Equilibrar o tempo nas áreas importantes: escola, família, amigos, saúde e economias;
11. Praticar a autodisciplina;
12. Gastar tempo para si mesmo: para sonhar, para relaxar, para viver... “facinho”, né?!

NÃO CUSTA TENTAR...