Você está na página 1de 9

1 Capitulo

Naquela noite, Sara estava no avião. Não queria se despedir de ninguém. Só uma carta
para a única pessoa que proporcionou uma família para ela.

O vôo entre Las Vegas e São Francisco não é demorado, mais cada segundo era como se
dura-se uma eternidade.

Finalmente chegou.

Pegou um táxi.

Chovia muito naquela noite. Ao olhar pela janela a chuva expressava todas as lágrimas
de Sara. Não há palavras para descrever toda aquela dor que estava sentindo.

Parou em frente a uma casa de dois andares amarela com as janelas e portas azuis.

Olhou para aquela casa e uma lembrança veio a sua mente.

Mine Flash Black:

Há 10 anos atrás

JS: Sara agora você não pode fazer nada. Vamos nós dois juntos cuidar desta criança.
SS:- Achei que você ia ser a única pessoa neste mundo que não ia me ajudar.
JS:- Família é para isso.
SS:- Depois de todos estes anos separados eu apareço só para te trazer problemas.
JS:- Maninha, eu sou o mais velho e é o meu dever te ajudar.
SS:- Mas você não tem esta obrigação. Você não serviu de colchão e nem ficou
segurando vela.
JS:- Então pelo menos você sabe quem é o pai desta criança?
SS:- Sei quem é.
JS:- E ele sabe que você esta grávida?
SS:- Não eu não contei para ele ainda.
JS:- Então vamos nós dois contar a ele. Duvido q comigo ao teu lado ele queira sumir.
SS:- Valeu pela ajuda, mais o pai da criança já foi embora.
JS:- Vamos atrás dele ora bola. Na hora de fazer ele tava presente né?

Sara pensou, mais achou melhor ocultar a identidade do pai da criança. Ela queria
resolver sozinha.

SS:- Eu não sei onde ele foi. Ele só tava de passeio na cidade. Já foi embora há 1 mês.
JS:- Então eu serie um Tio-pai desta criança. Nós 3 eu, você e minha esposa vamos cria
com muito amor esta criança.
Os dois se abraçam.

Fim de Flash Black.

Paga o Taxista.

Pega as suas malas e corre para debaixo da Varanda.

Toca a campanhia.

OBS:
JS: James Sidle, irmão mais velho de Sara.

2 Capitulo

JS: Sara é você? A quanto tempo! Por que você não me ligou?
SS:- Não queria preocupá-lo James.
JS:- Não imaginei que você fosse vir tão rápido.
SS:- Como ta a minha filha? O que aconteceu?
JS:- Entre e sente que eu te conto tudo.

Na sala havia várias fotos, Sara olha e imagina todos aqueles momentos felizes que
passou, apesar de poucos eram especiais.

JS:- Senta. O que você quer tomar uma água um suco.


SS:- Água.
JS: Tá bem.

Um sentimento de culpa a possuía, Todos aqueles anos de sua ausência. Só ia quando


podia para visitá-la. Tentou dar uma vida melhor para ela, mais não passava de uma
grande desculpa para fugir de seus próprios fantasmas e medos.

Meu Deus, eu pedir tudo isso por quê? Não queria cometer os mesmos erros de meus
pais, mas estou fazendo igual. Pensa Sara.

JS:- Aqui está.


SS:- Obrigado. Conta o que aconteceu?
JS:- De uns quatro anos para cá as coisas entre o meu casamento começou a não dar
certo.
Sabe, ela reclamava porque não tínhamos um filho biológico. As discussões
aumentavam, até que um dia, ela foi embora. Eu fique abalado. Nunca pensei que ela
fosse capaz de fazer aquilo.
SS:- Isso você já me contou.

JS:- O que eu vou te contar, não sei como vou te dizer. A anos eu tento encontrar uma
maneira de dizer e não consigo.
SS:- Eu vim até aqui e não vai me contar?

JS:- Então tá, há 3 anos Mamãe saiu do manicômio. Disseram que ela tava
curada.Pronto eu disse.

Sara deixa o copo cair no chão.

SS:- Eu pago outro copo.


JS:- Não tem problema. Isso acontece. Eu não devia ter te contado.
SS:- Porque não contou antes? Eu tinha levado minha filha para Vegas e dado um jeito
de cuidá-la. Eu te indicava para trabalhar junto comigo.
JS:- Sara, eu tava com medo de você tirar-la, você sabe, eu tenho ela como minha filha.
Sei que é difícil para você, que você é a mãe. Eu não saberia qual seria a sua reação. E
não me imagino vivendo longe da Jaqueline.
SS:- É assim. Não confia em mim? Onde ela esta? (Fala alterada)
JS:- Calma te senta.
SS:- Onde ela esta?
JS:- Não sei como, mas a mamãe conseguiu tira-la de mim. O juiz deu a guarda dela
para mamãe.

Sara desmaia.

JS:- Sara acorda, vamos Sara.

Depois de alguns minutos Sara acorda.

SS:- Diga que não é verdade, diga que tudo isso é mentira, um pesadelo.

JS:- Infelizmente não é.

SS:- Você contou para a mãe que eu tenho uma filha? Você prometeu que não contaria.

JS:- Eu não contei. Não sei como ela descobriu. A última vez que eu a vi foi a 13 anos
atrás. Você sabe eu não tô mentido.

SS:- Então é por isso que você me chamou?

JS:- Foi.

A pior decisão de sua vida foi entrar naquela casa, trouxe atona memórias, não são só
memórias, são fantasmas que sopram no ouvido coisas que Sara já não queria mais
saber.
Atordoada e sem rumo,

O mundo cai aos seus pés.

Em estado de choque, ela sai e vai para um hotel.

3 Capitulo

Sara ao chegar ao hotel muito abalada com tudo que ela acabou de saber:
Sua mãe tinha descoberto que ela tinha uma filha, pior ela tinha conseguido a guarda,
como a minha mãe pode ser tão cruel?

Sara se culpava, pois não estava lá com a sua filha, na verdade nunca esteve.

O que será que a minha filha sente e pensa sobre mim?


Eu uma pessoa tão inteligente não consigo ser uma boa Mãe, ela deve achar que eu sou
um mostro.
Será que é genetico?
Não pode ser. Se há 10 anos eu não tivesse me deixado mover pela paixão, nada disso
estaria ocorrendo.
Sara, você não pode pensar assim. Jaqueline é a sua filha, eu a amo com todas as
minhas forças.
Agora não é hora de se culpar, precisa tirar a sua filha das mãos daquela monstra.
Pensa Sara.

Sua vida trasnfomou-se em um pesadelo, uma maluca educando a sua filha.

Um sentimento de culpa a possui. Ela não estava perto para proteger a sua filha

Sara se deita na cama e se lembra daquele dia e daquele homem que desgraçou a sua
vida ela o odiava com todas as forças por mais que não quisesse.

Depois de chorar bastante Sara pega no sono.

Em Las Vegas...

GG:- Cath o que esta acontecendo com a Sara? Ela esta tão distante nem parece a
mesma mulher carinhosa, meiga e gentil.

CW:- A namorada é sua e eu é que sei?

GG:- Tô falando serio.

CW:- Eu não sei de nada Griss e mesmo que soubesse não iria te falar a Sara é minha
amiga guardaria a sete chaves qualquer segredo que ela me contasse que dizer eu
guardo. - Catherine fala isso saindo sala.
GG:- Mulheres!

O que será que ela quis dizer com Sara é minha amiga guardaria a sete chaves
qualquer segredo que ela me contasse que dizer eu guardo? Será que Sara confia mais
nela do que eu? Pensa Grissom.

Na sala de convivência...

GG:- Temos um caso muito difícil, eu peço a colaboração de todos vocês por que
estamos com uma CSI a menos.

GS:- É muita mordomia mesmo. Legal ser a namorada do chefe, pode tirar férias
quando quiser e o tempo que quiser.

CW:- Cala boca Greg! Brincadeiras têm limites!


Qual é o caso Grissom?

GG:- Obrigado Catherine. O caso é o seguinte uma mulher foi encontrada morta atrás
de uma de uma Boate chamada Órbita. Vamos?

Todos:- Vamos!

Em São Francisco...

Mãe Socorro!

Corria uma menina, com um vestido azul coberto de sangue.

Pai não morra! Gritava a menina.

De repente Ambulancias e carros da policia chegam.

Não mamãe não deixa que me levem, não quero que você va embora!

Sara se olha no espelho, ela estava todo enseguentada.

O que foi que eu fiz? ( Solta a faca no chão)

Não eu não o matei, eu só queria assustar-lo. Eu Juro.

Colocam uma camisa de força em Sara

Ela começa a berrar:

Eu não sou maluca, foi um acidente, filha eu vou voltar para te buscar eu prometo.

Um policial olha para o outro:


Qual é o caso desta noite?

Uma maluca que matou o marido. Pobre da menina. Mais uma família destruida.

Sara berra mais do que nunca:

SS:- Não sou maluca, eu só cometi um erro. Logo eu vou voltar para cuidar da minha
filha.

Todos começam a rir dela.

As rizadas aumentam, tudo começa a girar

Mãe eu te odeio!

Sara acorda atordoada por causa do pesadelo que acabou ter com a sua filha.

SS:- Meu Deus como o James deixou acontecer tudo isso?

Sara para de pensar besteira seu irmão não teve culpa de nada, você deve agradecer
por ele ter cuidado da sua filha todos esses anos.

Vou ligar para o Grissom eu preciso muito ouvir a voz dele.

Sara ligou para o celular do Grissom mais estava desligado, tentou ligar para a
Catherine para desabafar mas o celular dela também estava desligado.

Em tão ela deduziu que eles estavam no meio de uma investigação.

Sara deita-se de novo e adormece.


Capitulo 4

Grissom chega em casa cansado de mais um turno. A cidade não era mais a mesma.
Com tantos casos horriveis que andavam acontecendo, por um minuto pensou que está
seria a razão de Sara ter ido embora.

Toma um banho, e ao colocar o seu celular para carregar, tinha uma chamada não
atendida Sara.

Por que Sara me ligou? Algo deve ter acontecido.

Grissom rapidamente liga para Sara. O telefone chama mais niguém atente.

Grissom fica preocupado. Liga para Cath.

GG:- Desculpe eu te ligar de manhã tão cedo.


CW:- O que você quer agora?

GG:- A Sara por acaso te ligou?

CW:- Sim tem uma chamada dela no meu celular.

GG:- Você conversou com ela?

CW:- Acorda Griss. Se eu tivesse falado com ela não teria uma chamada dela perdida no
meu celular. Não falei com ela. Tentei ligar mais niguém atente.

GG:- Desculpe te incomodar então. Se conseguir falar com ela diz a ela que tou com
saudades e que quero falar com ela.

CW:- Sim, agora sou moleque de recados?

GG:- Faz este favor para mim?

CW:- Tá eu faço. Mas se eu descobrir que ela foi embora porque você a magoou, nunca
mais conte com os meus favores.

GG:- Muito Obrigado Cath. Tchau.

CW:- Tchau.

WB:- Quem era Honey?

CW:- Advinha, o chefe.

WB:- Deixa para lá honey. Hoje a manhã é nossa.

CW:- Pode deixar.

Em San Francisco.

Sara acorda 9 da manhã. Fica supresa por Grissom e Cath terem retornado sua ligação.

Sara decide voltar para a casa de seu irmão.

Ao chegar...

JS:- Sara eu tava preocupado com você. Onde esteve.

SS:- Fui refrescar a minha cabeça. Mais eu vou ficar aqui com você.

JS:- Eu já tava indo a sua procura. Ainda quer tomar café?

SS:- Não obrigado. Eu quero pensar no que aconteceu com minha filha e de como ter
ela de volta. Mais também não quero ficar te dando trabalho e despesas.
Faz um favor para mim?

JS:- Para a minha maninha faço qualquer coisa?

SS:- Pode me indicar para trabalhar junto com você?

JS:- Claro. No FBI eles tão precisando de gente boa para trabalhar. Mais primeiro senta
e vamos ver o que conseguimos fazer.

SS:- Eu tava pensando direito, preciso saber como tudo isso aconteceu.

JS:- Vou te contar. Eu estava no meio do processo de divorcio. Tinha que trabalhar
muito para pagar advogados, uma babá para cuidar da Jaq. Eu não sei como a mãe fez
isso, mais ela entrou com processo de requerimento da guarda da Jaq.
Fiquei 2 anos lutando para manter a guarda dela, mais o advogado dela alegou que eu
não tinha a guarda legal, que a mãe tinha abanonado ela e por tanto caberia ao estado
decidir com quem ficaria a guarda dela. O juíz decidiu que a mãe teria mais condições
de cria-la do que eu. Foi isso que aconteceu. Por isso eu te liguei.

SS:- Desgraçada! Como pode ser tão baixa em fazer isso comigo? (com raiva)

JS:- Sara se controla. Raiva não vai trazer ela de volta.

SS:- Calma? Vem me pedir calma? Eu já to de saco cheio de ficar calma. Tenho que
agir.

Não Deixe de ver novidades dessa,e de muitas outras fics no Blog


http://fanfiction-csi.blogspot.com/

Interesses relacionados