ROTEIRO ENTREGUE NA AULA PRÁTICA

alimentação e órgãos dos sentidos. as quais podem. Quais as mudanças morfológicas que ocorrem durante o processo de transformação da larva? 4 . hábitos de vida.AGRONOMIA 1 . Relacione estas características com o modo de locomoção. O material aqui apresentado inclui larvas em diferentes estágios de metamorfose e um adulto. pele. O processo de metamorfose inclui um conjunto de mudanças morfológicas e fisiológicas pelas quais a larva passa até chegar à forma adulta. onde seus ovos são depositados. além de serem distintas morfologicamente. ocupam habitats distintos.METAMORFOSE EM ANUROS A maioria dos anfíbios acasala-se na água. rãs e pererecas. observe nos anuros as características morfológicas (corpo. apresentando formas terrestres e aquáticas. No esqueleto aqui apresentado quais as características que podem ser relacionadas ao salto? 5 . Quais as características que mostram ser esta uma salamandra pedomórfica? b) salamandra do Norte do Brasil (Bolitoglossa paraensis). Estas formas.ANFÍBIOS ÁPODES – “cobra-cega” O menor grupo de anfíbios atuais compreende as cecílias ou cobras-cegas (Ordem Gymnophiona). Qual o formato do corpo deste anfíbio? A qual hábito de vida podem ser relacionadas estas características? 2 . pés) que permitem a distinção destas três formas. ser reunidas em três formas básicas: sapos.) – pedomorfose = condição na qual uma larva torna-se sexualmente madura sem atingir a forma de corpo de adulto. as salamandras (Ordem Caudata ou Urodela) possuem a forma do corpo e a locomoção mais generalizadas (locomoção semelhante à dos peixes).ESPECIALIZAÇÕES PARA O SALTO EM ANUROS A especialização do corpo para o salto é a característica morfológica mais marcante dos anuros. eclodem e onde as larvas resultantes vivem e crescem até a metamorfose para o estágio adulto.ANFÍBIOS COM CAUDA – “salamandra” Dentre os anfíbios atuais. respiração. São formas terrestres escavadoras ou aquáticas que ocorrem em habitats tropicais do mundo todo. envolvendo alterações na locomoção. Examinando o material das bandejas e acompanhando com o quadro do verso.ROTEIRO PRÁTICA ANFÍBIOS . mecanismos de defesa.DIVERSIDADE DE FORMAS EM ANUROS Os anfíbios anuros apresentam uma grande diversidade de formas. patas. de um modo bastante simplificado. As salamandras estão quase que totalmente limitadas ao Hemisfério Norte (um gênero no norte da América do Sul). . 3 . Qual o formato do corpo que diferencia as salamandras dos dois outros grupos de anfíbios (cecílias e anuros)? a) salamandra pedomórfica (Ambystoma sp.

cintura pélvica estreita Lisa e úmida Longas e finas -dedos com discos adesivos (“ventosas”) Locomoção Hábitos Saltos curtos -terrestre.SAPOS Corpo Pele Patas Pés Robusto. cheia de “verrugas” Curtas em relação ao corpo -dedos com calos -membranas interdigitais curtas RÃS Esguio. hidrodinâmico Lisa e úmida Longas. escaladores -arborícola -predador de tocaia Fuga e coloração de camuflagem Defesa Substâncias químicas na pele (glândulas paratóides em Bufonidae) Material apresentado e) Família Bufonidae (terrestre) b) Família Ranidae (semi-aquática) c) Família Pipidae (aquática) d) Família Leptodactylidae (terrestre) a) Família Hylidae (arborícola) . bem desenvolvidas -dedos finos (terrestres) -com membranas interdigitais (semiaquáticos e aquáticos) PERERECAS Cabeça grande. cabeça arredondada Seca e rugosa. chão de mata -predador ativo Saltos longos -terrestre. semi-aquático e aquático -predador de tocaia Fuga e coloração de camuflagem Saltos longos.

ROTEIROS COLOCADOS NAS BANCADAS JUNTAMENTE COM O MATERIAL (ANIMAIS FIXADOS) .

1 – ANFÍBIOS ÁPODES– “cobra-cega” ORDEM GYMNOPHIONA ou APODA Cilíndricas e alongadas Sem patas Olhos recobertos por pele Hábito fossorial (subterrâneo) .

a Bolitoglossa paraensis.2 – ANFÍBIOS COM CAUDA– “salamandra” ORDEM CAUDATA ou URODELA Com 4 patas Corpo alongado Com cauda brânquias (externas em Salamandras) a) Salamandra pedomórfica (retenção de características larvárias = brânquias externas. com dentes. com linha lateral) b) No Brasil temos atualmente descrita apenas uma espécie de salamandra. nativa da região de Belém. . sem pálpebras.

envolvendo alterações na: Locomoção = de nado ondulatório com auxílio da cauda para salto. desenvolvimento de pálpebras e de membrana timpânica. com boca pequena. Respiração = de brânquias para pulmão. . desenvolvimento de 4 patas. Alimentação = de girinos detritívoros e herbívoros. com língua grande e com intestino curto. com boca grande. Metamorfose com perda da cauda. Órgãos dos sentidos = de girinos sem pálpebras. sem dentes. com dentes e com intestino longo para adultos carnívoros.3 – METAMORFOSE EM ANUROS ORDEM ANURA ou SALIENTIA Mudanças morfológicas e fisiológicas pelas quais a larva (girino) passa até chegar à forma adulta. com linha lateral para adultos com pálpebras e com membrana timpânica.

d) Fortalecimento das patas anteriores através da fusão do rádio e ulna. b) Fortalecimento da pélvis através do alongamento do íleo e fusão das vértebras posteriores formando um bastão sólido(o uróstilo). Veja as características morfológicas no esqueleto relacionadas a este modo de locomoção: a) Fortalecimento das patas posteriores através da fusão da tíbia e fíbula. c) Coluna vertebral reforçada (poucas vértebras e fundidas às costelas curtas). .4 – ESPECIALIZAÇÕES PARA O SALTO EM ANUROS ORDEM ANURA ou SALIENTIA A especialização do corpo para o salto é a característica morfológica mais marcante dos anuros.

cintura pélvica estreita Lisa e úmida Longas e finas -dedos com discos adesivos (“ventosas”) Saltos longos. escaladores -arborícola -predador de tocaia Defesa Material apresentado Fuga e coloração de camuflagem a) Família Hylidae (arborícola) .5 – DIVERSIDADE DE FORMAS EM ANUROS PERERECAS Corpo Pele Patas Pés Locomoção Hábitos Cabeça grande.

bem desenvolvidas -dedos finos (terrestres) -com membranas interdigitais (semi-aquáticos e aquáticos) Locomoção Hábitos Saltos longos -terrestre. hidrodinâmico Lisa e úmida Longas.5 – DIVERSIDADE DE FORMAS EM ANUROS RÃS Corpo Pele Patas Pés Esguio. semi-aquático e aquático -predador de tocaia Defesa Material apresentado Fuga e coloração de camuflagem b) Família Ranidae (semi-aquática) .

semi-aquático e aquático -predador de tocaia Defesa Material apresentado Fuga e coloração de camuflagem c) Família Pipidae (aquática) .5 – DIVERSIDADE DE FORMAS EM ANUROS RÃS Corpo Pele Patas Pés Esguio. hidrodinâmico Lisa e úmida Longas. bem desenvolvidas -dedos finos (terrestres) -com membranas interdigitais (semi-aquáticos e aquáticos) Locomoção Hábitos Saltos longos -terrestre.

semi-aquático e aquático -predador de tocaia Defesa Material apresentado Fuga e coloração de camuflagem d) Família Leptodactylidae (terrestre) .5 – DIVERSIDADE DE FORMAS EM ANUROS RÃS Corpo Pele Patas Pés Esguio. hidrodinâmico Lisa e úmida Longas. bem desenvolvidas -dedos finos (terrestres) -com membranas interdigitais (semi-aquáticos e aquáticos) Locomoção Hábitos Saltos longos -terrestre.

chão de mata -predador ativo Defesa Substâncias químicas na pele (glândulas paratóides em Bufonidae) Material apresentado e) Família Bufonidae (terrestre) . cheia de “verrugas” Curtas em relação ao corpo -dedos com calos -membranas interdigitais curtas Locomoção Hábitos Saltos curtos -terrestre. cabeça arredondada Seca e rugosa.5 – DIVERSIDADE DE FORMAS EM ANUROS SAPOS Corpo Pele Patas Pés Robusto.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful