Você está na página 1de 7

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA

COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DO SISTEMA DE SAÚDE SUBCOORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO E ACOMPANHAMENTO DAS PROGRAMAÇÕES DE SAÚDE

PLANO DA REDE ESTADUAL DE ATENÇÃO EM ALTA COMPLEXIDADE TRAUMATO-ORTOPÉDICA

Natal/RN

Março/2005

Wilma Maria de Faria GOVERNADORA DO ESTADO

Ruy Pereira dos Santos SECRETÁRIO DE SAÚDE

José Renato de Brito COORDENADOR DA CPCS/SESAP

ELABORAÇÃO:

Fabíola Bilro de Araújo Graciliano Antão de Sena Valdimar Augusto de Medeiros

Natal/RN

Março/2005

GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE PÚBLICA

COORDENADORIA DE PLANEJAMENTO E CONTROLE DO SISTEMA DE SAÚDE SUBCOORDENADORIA DE ACOMPANHAMENTO E DESENVOLVIMENTO DAS PROGRAMAÇÕES DE SAÚDE

REDE ESTADUAL DE ATENÇÃO EM ALTA COMPLEXIDADE TRAUMATO- ORTOPEDICA

1. APRESENTAÇÃO

O presente projeto tem o propósito de efetivar as prioridades da Secretaria

Estadual de Saúde, em viabilizar uma política de assistência e reabilitação da pessoa portadora de afecções do sistema músculo-esquelético, com base no disposto nas Portarias nº 1167/GM de 15/06/2004; nº 213/SAS de 15/06/2004 e nº 95/SAS de

14/02/2004.

A Secretaria Estadual de Saúde aprovou em 2003 o seu Plano Diretor de

Regionalização das ações de saúde do estado (PDR), constituindo-se o mesmo em instrumento de ordenamento do processo de regionalização da assistência, estabelecendo como base em prioridades de intervenção que atendam às necessidades

de saúde da população e garantam o acesso dos cidadãos a todos os níveis de atenção.

O PDR contempla a permanência de 06 regionais de saúde, instâncias

administrativas, e a divisão do território estadual em 04 macrorregiões de saúde:

Metropolitana, Oeste, Seridó e Alto-oeste, onde se encontram 14 microrregiões subdivididas, por sua vez, em 26 módulos assistenciais e seus municípios satélites.

Os portadores de afecções do sistema músculo-esquelético, necessita garantir a

assistência nos vários níveis de complexidade, por intermédio de equipes multiprofissionais, utilizando-se de técnicas e métodos terapêuticos específicos. Este documento ressalta a necessidade da implantação de uma Rede Estadual de Atenção em Alta Complexidade Tráumato-Ortopédica, regionalizada e hierarquizada, com fluxos definidos desde a entrada no sistema através da atenção básica, onde seriam realizadas ações básicas, até a realização de procedimentos de alta complexidade em unidades de referência. Somente assim, será assegurado o atendimento de forma hierarquizada nos diversos níveis de complexidade.

2. JUSTIFICATIVA

O estado do Rio Grande do Norte possui uma população estimada em 2.926.096 habitantes – IBGE/PNAD-01/07/2004, representando 1,57 % da população brasileira, que encontra-se distribuída em seus 167 municípios. Essa população habita uma superfície territorial de 53.093 Km 2 , correspondendo a 0,62% do território nacional, apresentando assim uma densidade demográfica de 53,7. Este projeto foi feito em consonância com o Plano Diretor de Regionalização – PDR do estado, e deverá ser parte integrante do Plano Municipal de Saúde dos municípios, onde traçará metas à serem cumpridas a nível estadual e municipal, prestando assistência integral ao portador de afecções do sistema músculo- esquelético, desde à sua entrada no sistema através da rede básica até a um atendimento

especializado, seguindo os princípios e diretrizes de universalidade, eqüidade, regionalização, hierarquização e integralidade da atenção à saúde.

O serviço público de saúde, não conta com um atendimento integral, geralmente

não dispõe de todos os procedimentos da média e alta complexidade, determinando a contratação de prestadores de serviços. Caberá às Secretarias Estadual e Municipais de Saúde, habilitadas em GPSM, a adoção das providências necessárias ao processo de credenciamento e integração dos serviços de assistência, das Unidades de Alta Complexidade em Tráumato-Ortopedia e dos Centros de Referência nas redes de atenção em tráumato-ortopedia.

3. OBJETIVO GERAL

Organizar e implementar a Rede Estadual de Atenção em Alta Complexidade em Tráumato-Ortopedia, de forma descentralizada e regionalizada, considerando que essa assistência exige uma estrutura hospitalar de alta complexidade, com área física adequada, profissionais qualificados e suporte de serviços auxiliares de diagnóstico e terapia.

4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Implantar uma nova conformação para os serviços de assistência em Traumato-Ortopedia, em alta complexidade;

Garantir o atendimento integral em Traumato-Ortopedia aos usuários do SUS ;

Organizar esse atendimento, em serviços hierarquizados e regionalizados, e com base nos princípios da universalidade e integralidade das ações de saúde;

Estabelecer um sistema de referência e contra-referência no âmbito do SUS;

Garantir a assistência nos vários níveis de complexidade, por intermédio de equipes multiprofissionais, utilizando-se de técnicas e métodos terapêuticos específicos;

Estabelecer mecanismos de regulação, fiscalização, controle e avaliação da assistência prestada aos usuários do SUS.

5. SITUAÇÃO ATUAL:

O serviço público de saúde, não conta com um atendimento integral. Geralmente

não dispõe de todos os procedimentos de média e alta complexidade, determinando a contratação de prestadores de serviços. Recentemente houve um aumento do valor individual dos procedimentos em dois momentos, sem que houvesse aumento do teto estadual, prejudicando os procedimentos eletivos de ortopedia. Hoje a rede está atendendo em geral os procedimentos de traumatologia.

QUADRO

CIRURGIAS/SUS

II

HOSPITAIS

CADASTRADOS

PARA

REALIZAÇÃO

DE

ESTABELECIMENTO DE SAÚDE

LOCALIZ

MACRORRE

POPULAÇÃO

NÚMERO DE

AÇÃO

GIÃO

(Hab)

LEITOS

Hosp. Inf. Varela Santiago

     

01

Hosp. Médico

20

Cirúrgico

Hosp. Universit. Onofre Lopes

Natal

Metropolitana

1.926.096

03

Hosp. Maternidade Sta. Isabel

35

Hosp. Memorial

24

Casa De Saúde Dix- Sept Rosado

     

01

Casa De Saúde e Mat. Santa Luzia

Mossoró

Oeste

511.526

10

Hospital Regional Tarcísio Maia

06

QUADRO II – DEMONSTRATIVO DE PACIENTES ATENDIDOS NO MUNICÍPIO DE NATAL, VINDOS DAS MACRORREGIÕES

 

MACRO

MACRO

MACRO

MACRO

METROPOLITANA

SERIDÓ

OESTE

ALTO

OESTE

TOTAL DE

2.443

399

316

216

PACIENTES

QUADRO III - DEMONSTRATIVO DA OFERTA DE SERVIÇOS

PROCEDIMENTOS

ANO 2003

ANO 2004

Consultas Especializadas

132.678

82.556

Consultas Ortopédicas c/ Imobilização Provisória

30.490

39.256

Atendimento Ortopédico

129.129

93.366

Ultrassonografia

   

Tomografia Computadorizada

   

Ressonância Magnética

   

Densitrometria

   

Cintilografia

   

Cirurgia

 

5.775

6. ASSISTÊNCIA PROPOSTA

Considerando que o PDR foi concebido tomando-se por base a facilidade de acesso dos usuários, em função do fluxo natural de deslocamento da população e do desenho geográfico existente, identificamos que deva existir pelo menos um serviço de média complexidade em cada uma das quatro macrorregiões de saúde. Quanto a localização dos serviços de alta complexidade, devem serem obedecidos os limites por grupo populacional preconizados pela portaria. Pelos parâmetros propostos pelo Ministério da Saúde, a distribuição das Unidades de Atenção em Alta Complexidade em Traumato-Ortopedia é de 01 (um ) serviço para cada 700.000 habitantes. Tendo em vista que o RN tem 2.888.087 habitantes, seria beneficiado com 04 (quatro ) serviços. No município de Natal, sede da macrorregião metropolitana, se instalariam 03 (três) serviços, que atenderia a população das macrorregiões metropolitana e seridó que totalizam 2.242.842 habitantes. Outro serviço deve ser instalado futuramente no município de Mossoró, sede da macrorregião oeste, para atender as macrorregiões oeste e alto oeste, que tem em conjunto mais de 700.000 habitantes. O Centro de Referência de Alta Complexidade em Traumato-Ortopedia é o estabelecimento de saúde devidamente credenciado como Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Traumato-Ortopedia e que deverá ser criado no hospital universitário.

Este plano será posto em prática gradativamente e estará sob a responsabilidade dos estados e municípios. Será submetido a apreciação da Comissão Intergestora Bipartite (CIB).

QUADRO IV – PROPOSTA DE DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DOS SERVIÇOS DE ALTA COMPLEXIDADE

QUANTIDADE DE SERVIÇOS

MUNICÍPIO

SEDE

MACRORREGIÃO

POPULAÇÃO

03

Natal

Metropolitana

1.926.096

01

Mossoró

Oeste

743.169

QUADRO V – MEDCANISMOS DE ACESSO COM FLUXOS DE REFERÊNCIA E CONTRA-REFERÊNCIA

PACIENTES ELETIVOS

URGÊNCIAS

UNIDADE BÁSICA

Consulta /SADT

PRONTO SOCORRO

URGÊNCIAS UNIDADE BÁSICA Consulta /SADT PRONTO SOCORRO MÉDIA COMPLEXIDADE Ambulatorial (laudo) MÉDIA Cirurgia
URGÊNCIAS UNIDADE BÁSICA Consulta /SADT PRONTO SOCORRO MÉDIA COMPLEXIDADE Ambulatorial (laudo) MÉDIA Cirurgia
URGÊNCIAS UNIDADE BÁSICA Consulta /SADT PRONTO SOCORRO MÉDIA COMPLEXIDADE Ambulatorial (laudo) MÉDIA Cirurgia

MÉDIA COMPLEXIDADE Ambulatorial (laudo)

MÉDIA

Cirurgia

Central de Regulação

COMPLEXIDADE Ambulatorial (laudo) MÉDIA Cirurgia Central de Regulação Médico Autorizador ALTA COMPLEXIDADE Cirurgia
COMPLEXIDADE Ambulatorial (laudo) MÉDIA Cirurgia Central de Regulação Médico Autorizador ALTA COMPLEXIDADE Cirurgia

Médico Autorizador

ALTA COMPLEXIDADE Cirurgia