Você está na página 1de 34

CENTRO UNIVERSITÁRIO MOACYR SREDER BASTOS

N O TAS DE A U LA DE

PRÁTICA DE ENSINO DE
MATEMÁTICA VI

ALZIR FOURNY MARINHOS


NÚMEROS COMPLEXOS

Vimos na resolução de uma equação do 2º grau que se o discriminante é


negativo, ela não admite raízes reais. Por exemplo, a equação x 2 + 9 = 0 não admite
raízes reais. Se usarmos os métodos que conhecemos para resolvê-la, obtemos
x2 = -9, x = ± , mas é inaceitável tal resultado para x; os números negativos
não têm raiz quadrada.

Para superar tal impossibilidade e poder, então, resolver todas equações do 2º grau,
os matemáticos ampliaram o sistema de números, inventando os números
complexos.

Primeiro, eles definiram um novo número i = . Isso conduz a i2 = -1. Um número


complexo é então um número da forma a + bi onde a e b são números reais.

Para a equação acima fazemos

x=±

x=±

x=± .

x=±3i

As raízes da equação x2 + 9 = 0 são 3i e - 3i.

Definição

Um número complexo é uma expressão da forma a + bi onde a e b são números


reais e i2 = -1.

No número complexo a + bi, a é a parte real e b é a parte imaginária.

Exemplos
2 + 5i parte real 2 parte imaginária 5

i parte real parte imaginária


12i parte real 0 parte imaginária 12
-9 parte real -9 parte imaginária 0

Um número como 12i, com parte real 0, chama-se número imaginário puro. Um
número real como -9, pode ser considerado como um número complexo com parte
imaginária 0.
IGUALDADE DOS NÚMEROS COMPLEXOS

Os números complexos a + bi e c + di são iguais se suas partes reais são iguais e


suas partes imaginárias são iguais, isto é:

a + bi = c + di se

Exemplos

2 + 5i =

Se x e y são números reais e x + yi = 7 - 4i, então x = 7 e y = - 4.

ARITMÉTICA DOS NÚMEROS COMPLEXOS

ADIÇÃO E SUBTRAÇÃO

(a + bi) + (c + di) = (a + c) + (b + d)i Para adicionarmos dois números


complexos, adicionamos as partes
reais e as partes imaginárias

Subtração

(a + bi) - (c + di) = (a – c) + (b – d)i Para subtrairmos dois números


complexos, subtraímos as partes
reais e as partes imaginárias

Exemplos
(3 + 4i) + (- 7 + 8i) = (3 - 7) + (4 + 8) i

= - 4 + 12i

Na prática, fazemos

(3 + 4i) + (-7 + 8i) =

(- 5 + 6i) - (4 - 2i) = (- 5 - 4) + [6 - (- 2)] i

= - 9 + 8i
Na prática fazemos

(-5 + 6i)

MULTIPLICAÇÃO

(a + bi) . (c + di) = (ac – bd) + (ad + bc)i Multiplicamos números


complexos como multiplicamos
binômios, usando i2 = - 1

Exemplos

Distributiva
2
= 6 – 8i + 9i – 12i
= 6 + i – 12 . (-1) -8i + 9i = i e i2 = - 1
= 6 + i + 12
= 18 + i

Distributiva
2
= – 8 – 4i + 4i + 2i
= – 8 + 2 . (-1) -4i + 4i = 0 e i2 = - 1
= –8–2
= – 10

= – 3i . (4) – 3i . (-2i)

= - 12i + 6i2

= - 12i + 6 . (-1)

= - 6 - 12i

EXERCÍCIOS

1. ( USP ) O produto ( 5 + 7 i ) . ( 3 - 2 i ) vale:

a. 1 + 11i
b. 1 + 31i
c. 29 + 11i
d. 29 - 11i
e. 29 + 31i
2. ( UFPA ) O número complexo z = x + ( x2 - 4 ) i é real se, e somente se:

a. x 0
b. x= 2
c. x 2
d. x 0ex 2
e. x = 0

3. ( UFPA ) Qual é o valor de m, real, para que o produto ( 2 + m i ) . ( 3 + i ) seja


um imaginário puro ?

a. 5
b. 6
c. 7
d. 8
e. 10

4. ( UCMG ) O produto ( x + y i ) . ( 2 + 3 i ) é um número real, quando x e y são


reais e:

a. x - 3y = 0
b. 2y - 3x = 0
c. 2x + 2y = 0
d. 2x + 3y = 0
e. 3x + 2y = 0

5. ( UFU - MG ) Sejam os números complexos z1= 2x + 3 i e z2= 2 + y i, onde x e y


são números reais. Se z1=z2, então o produto x . y é:

a. 6
b. 4
c. 3
d. -3
e. -6

6. ( CEFET - MG ) O produto ( 1 - i ) . ( x + 2 i ) será um número real quando x for:

a. -2
b. -1
c. 0
d. 1
e. 2

7. ( ACAFE - SC ) Se z = 2 + 2 i é um número complexo, então w = z + z i é:

a. 4i
b. 4-4i
c. 4
d. -4+4i
e. 4+4i
8. ( UFSM - RS ) Para que o número z = ( x - 2 i ) . ( 2 + x i ) seja real, devemos ter:
( x IR )

a. x = 0
b. x = 1/2
c. x = 2
d. x = 4
e. nda

9. ( OSEC - SP ) Se f(z) = z2 - z + 1 então f ( 1 - i ) é igual a:

a. i
b. -i+1
c. i-1
d. i+1
e. -i

10. ( FATEC - SP ) Se o número complexo z é então z2 é:

a.

b.

c.
d. 1
e. -1

11. ( USP ) Os números reais x e y que satisfazem a equação 2x + ( y -3) i = 3y - 4 x


i são tais que:

a. x + y = 7
b. x - y = 3/14
c. x.y = 10

d.
e. yx = 32

12. (OSEC-SP) Determinando-se os valores reais de m e n de modo que se tenha 2


( m - n ) + i ( m + n ) - i = 0 pode-se afirmar que a soma de m e n é igual a:

a. -1
b. 0
c. 1
d. 2
e. 3
13. ( MACK - SP ) Sejam os números complexos z1 e z2 , onde z2 = 3 i e z1 . z2 = -9 +
6 i . Então z1 + z2 vale:

a. 2+6i
b. 2-6i
c. -3 + 3 i
d. -3 - 3 i
e. 9i

14. ( UEL - PR ) Sejam os números complexos w = ( x - 1 ) + 2 i e v = 2x + ( y -3 ) i,


onde x, y IR. Se w = v, então:

a. x +y=4
b. x .y=5
c. x - y = -4
d. x = 2y
e. y = 2x

15. ( UFBA ) O número complexo z que satisfaz a igualdade ( 2 + i ) z + 7 + 5 i = 8 -


3 i é:

a.

b.

c.

d.

e.

16. ( JUNDIAI - SP ) Se o número complexo 2 + i é uma das raízes da equação x 2 +


kx + t = 0, sendo k e t números reais, então o valor de k + t é:

a. -2
b. -1
c. 0
d. 2
e. 1

RESPOSTAS

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16
C B B E C E A C E B B A A A B E
O CONJUGADO, A DIVISÃO E AS POTÊNCIAS DE i.

Divisão de números complexos é semelhante à racionalização do denominador

de uma fração com radicais. Assim, se temos o quociente nosso objetivo é


escrevê-lo na forma a + bi. Para isso, introduziremos inicialmente o conceito
de conjugado de um número complexo.

Complexos conjugados

O conjugado de um número complexo a + bi é a - bi, e o conjugado de a - bi é a +


bi.

Os números complexos a + bi e a - bi são chamados complexos conjugados.

Para um número complexo z, seu conjugado é representado com ; então, se z = a +


bi escrevemos = a - bi.

Exemplos
O conjugado de z = 2 + 3i é = 2 - 3i

O conjugado de z = 2 - i é = 2 + 3i

O conjugado de z = 5i é = - 5i

O conjugado de z = 10 é = 10

Quando multiplicamos um número complexo z = a + bi pelo seu conjugado = a - bi,


o resultado que se obtém é um número real não negativo:

z. = (a + bi) . (a – bi)
= a2 – abi + abi – b2i2
= a2 – b2 . (-1) A soma dos quadrados
de dois números reais
= a2 + b2 nunca é negativa

Usamos essa propriedade para expressar o quociente de dois números complexos na


forma a + bi.

Dividindo dois números complexos

Para escrevermos o quociente na forma A + Bi, multiplicamos o numerador e o


denominador pelo conjugado do denominador.

Exemplo
Vamos escrever o quociente na forma a + bi.

Multiplicamos o numerador e o denominador pelo conjugado do denominador,


para obter um número real no denominador.

= i

=1–i

POTÊNCIAS DE I

i0 = 1 i4 = i2 . i2 = (-1) . (-1) = 1
i1 = i i5 = i4 . i = 1 . i = i
i2 = -1 i6 = i4 . i2 = 1 . (-1) = -1
i3 = i2 . i = -1 . i = -i i7 = i4 . i3 = 1 (-i) = -i

Observe que as quatro potências de i na coluna da esquerda, repetem-se nos quatro


casos seguintes na coluna da direita. Este ciclo 1, i, -1, -i repete-se indefinidamente.

Então, para simplificar ix para x > 4, buscamos o maior múltiplo de 4 contido em x;


por exemplo

i26 = i24 . i2 = (i4)6 . i2

= 16 . (-1)

= -1

i43 = i40 . i3 = (i4)10 . i3

= i10 . (-i)

= -i
EXERCÍCIOS

1. ( UNIMAR - SP ) A forma mais simples do número complexo é:

a. -i
b. -1 - i
c. 1+i
d. -1 + i
e. 0

2. ( FESO - RJ ) O valor de i1996 é de:

a. 1
b. -1
c. i
d. -i
e. 499

3. ( UPF - RS ) Dado o número complexo z = 3 - 4i, então (z)-1 vale:

a. 3 + 4i
b. -3 - 4i

c.

d.

e.

4. ( USF - SP ) Se o número complexo z é tal que z = i45 + i28 então z é igual a:

a. 1-i
b. 1+i
c. -1 + i
d. -1 - i
e. i

5. ( MACK - SP ) O conjugado de vale:

a. 1 - 2i
b. 1 + 2i
c. 1 + 3i
d. -1 + 2i
e. 2-i
6. ( UFRN ) Se z = 4 + 2i, então vale:

a. 6+i
b. 1 + 8i
c. -8 + 8i
d. 1 - 8i
e. 12 + 6i

7. ( UFSE ) Se o número complexo z é tal que z = 3 - 2i, então ( )2 é igual a:

a. 5
b. 5 - 6i
c. 5 + 12i
d. 9 + 4i
e. 13 + 12i

8. ( PUC - RJ ) Considere os números complexos z = 2 - i e . Então, se


indica o complexo conjugado de w :

a. z = - w
b. z =
c. z = -
d. z = 1/w
e. z = w

9. ( PUCCAMP-SP) O conjugado do número complexo , é:

a. 1-i
b. -1 - i
c. -1 + i
d. -i
e. i

10. ( FATEC - SP ) Seja , onde i2 = -1 , então z é igual a:

a. 6i/5
b. i/20
c. 2i/15
d. 0
e. 5i
11. ( CESGRANRIO -RJ) Se , então z + +z. vale:

a. 0
b. 1
c. -1
d. -1/2
e. 1/2

12. ( UEM - PR ) Sabendo que i = e que n = i + i2 + i3 + ... + i78, então :

a. n = 0

b.

c.
d. n = i - 1
e. n = 1 - i

13. ( UEL - PR ) Indica-se por Re(z) e Im (z) as partes real e imaginaria de um

número complexo z, respectivamente. Se então :

a. Re(z) = - 3/2
b. Im(z) = - 3/2
c. Re(z) = - 1/2
d. Im(z) = 1/2
e. Re(z) = 3/2

14. ( UNIFENAS - MG ) O número complexo z, que verifica a equação iz + 2 +1 -i


= 0 , é:

a. -1 - i
b. -1 + 2i
c. -1 + i
d. 1-i
e. -1 - 2i

15. ( FEI - SP ) Se = 1+i, então o número complexo z é:

a. 1 - 2i
b. -1 + i
c. 1-i
d. 1+i
e. -1 + 2i
16. ( MACK - SP ) Seja o número complexo . Então, z1980 vale:

a. 1
b. -1
c. i
d. -i
e. -2i

17. ( PUC - BA ) Sejam os números reais x e y tais que 12 - x + ( 4 + y ) . i = y + xi.


O conjugado do número complexo z = x + yi é:

a. 4 + 8i
b. 4 - 8i
c. 8 + 4i
d. 8 - 4i
e. -8 - 4i

18. ( UFGO ) Se i é a unidade imaginaria, então: é igual a:

a. 1+i
b. 0
c. 1-i
d. i
e. 1

RESPOSTAS

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18
A A D B D C C E A A A D E A D A D B
A forma trigonométrica (ou polar) de um
número complexo
Módulo e argumento

Considere a figura a seguir:

Sendo P o afixo do número complexo z , de módulo  z , no triângulo


OaP, podemos escrever:
cosα = a /  z ∴ a =  z . cosα e b =  z . senα

• O ângulo α é denominado argumento do número complexo z e a


distância OP é denominada módulo do complexo e representada
por  z , ou pela letra grega ρ (rô).
• No triângulo retângulo AoP , podemos escrever a seguinte
expressão para a determinação da tangente do ângulo α :

..onde 0º ≤ α ≤ 360º
• Usando o Teorema de Pitágoras no triângulo AoP, podemos
escrever a seguinte relação para calcular o módulo do número
complexo z:

Obs:

1) é usual representar o módulo de um número complexo, pela letra


grega ρ (rô)

2) Um número complexo de módulo ρ e argumento θ , pode ser


representado pelo símbolo z = ρ ∠ θ . (Esta simbologia é muito utilizada
nos estudos mais avançados de Eletricidade. Para o vestibular, esta
notação não tem grande interesse).
EXEMPLO:

Dado o número complexo z = 1 + √ 3 i , determine o módulo e o


argumento de z.

a) Módulo: ou seja ρ = 2.
b) Argumento: tg α = b / a = √ 3 / 1 = √ 3 ⇒ α = 60º = π / 3 rad
(radianos).

Forma polar de um número complexo

Sendo z = a + bi e substituindo os valores de a e b vistos acima, vem:


z =  z (cosα + i . senα ) , denominada forma polar ou trigonométrica
do número complexo.
Assim, o número complexo do exemplo anterior, poderá ser escrito na
forma polar como segue:
z = 2(cos60º + i.sen60º)

Exemplos:
z = 10(cos30º + i.sen30º) = 10(√ 3 / 2 + i . 1 /2) = 5√ 3 + 5i
w = 2(cos0º + i.sen0º) = 2(1 + i .0) = 2
r = 5(cos90º + i . sen90º) = 5(0 + i . 1) = 5i
s = 100(cos180º + i . sen180º) = 100( -1 + i . 0) = - 100
u = cos 270º + i . sen270º = 0 + i .(-1) = - i

Nota: A forma polar de um número complexo, é especialmente


interessante para o cálculo de potências e raízes de números
complexos, conforme veremos adiante.
NÚMEROS COMPLEXOS
FORMA POLAR OU TRIGONOMÉTRICA

1. ( UEL - PR ) Na figura abaixo, o ponto P é a imagem de um número complexo z,


representado no plano de Gauss

Nessas condições, o módulo de z é igual a:

a.
b. 2
c. 3
d. 10
e. 5

2. ( UEPG - PR ) A forma trigonométrica do complexo z = -1 + i é dada por:

a.

b.

c.
d.

e.

3. ( PUC - RS ) Seja z um número complexo, cujo afixo P está representado abaixo


no plano de Argand- Gauss

A forma trigonométrica do número z é:

a. ( cos 150º + i sen 150º )

b. ( cos 30º + i sen 30º )

c. ( - cos 150º + i sen 150º )

d. ( cos 120º + i sen 120º )

e. ( - cos 60º + i sen 60º )

4. ( FRANCISCACA-SP ) O número complexo z = -2-2ié escrito na forma


trigonométrica como :

a.

b.

c.

d.
e.

5. ( FCC- BA ) Na figura, o ponto P é o afixo de um número complexo z, no plano de


Argand-Gauss. A forma trigonométrica de z é:

a. 4. ( cos 300º + i sen 300º )


b. 4. ( cos 60º + i sen 60º )
c. 16. ( sen 330º + i cos 330 º )
d. 2. ( sen 300º + i cos 300º )
e. cos ( -60º) + i sen ( -60º )

6. ( USP ) O argumento do número complexo z = -2 + 2i é:

a. 120º
b. 150º
c. 210º
d. 300º
e. 330º

7. ( PUC - RS ) O número complexo escrito na forma a + bi é:

a. 2 +i
b. - +i

c. - -i

d. -i

e. 2 -i

8. ( MACK - SP ) A forma trigonométrica do número complexo i - é:

a.

b.

c.

d.

e.

9. ( UEL - PR ) A forma trigonométrica do número complexo z = - + i é:

a. sen 30º + i cos 30º


b. 2. ( cos 60º + i sen 60º )
c. 2. ( cos 30º + i sen 30º )
d. 2. ( cos 120º + i sen 120º )
e. 2. ( cos 150º + i sen 150º )

10. ( USP - SP ) Na figura abaixo, o ponto P é a imagem do número complexo Z, no


plano de Argand-Gauss. Então, Z é igual a:
a. 1 + i

b. +i

c.

d.

e.

11. ( CESCEA - SP ) Seja z o produto dos números complexos e .


Então, o módulo e o argumento de z são, respectivamente:

a. 4 e 30º
b. 12 e 80º
c. 8 e 90º
d. 6 e 90º
e. 2 e 30º

12. ( UFBA ) Sendo e , a representação trigonométrica de

é:

a.

b.

c.

d.
e.

13. ( S. CASA - SP ) Na figura, o ponto P é o afixo de um número conjugado z, no


plano de Argand-Gauss. Então o argumento principal de z2 é:

a. 0º
b. 30º
c. 60º
d. 45º
e. 90º

14. ( UFPR ) Se o módulo de um número complexo é igual a e seu argumento ;e

igual a , a expressão algébrica desse número é:

a. 1+i
b. 2i
c. 1-i
d. i
e. -1 - i

15. ( UFPA ) A forma trigonométrica do número complexo é:

a.

b.

c.

d.

e.

NÚMEROS COMPLEXOS – FORMAS POLAR OU TRIGONOMÉTRICA

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15
E A A C A B D E E B D A C E C
Operações com números complexos na forma polar

Não é usual efetuar-se adições ou subtrações de números complexos na


forma polar, devido ao fato de que estas operações com os números
complexos na forma algébrica, são bem mais fáceis de realizar. Se os
números complexos estiverem na forma polar, para somá-los (ou
subtraí-los), primeiro converta-os para a forma binômia ou algébrica e
efetue os cálculos.

Exemplo:
z = 10(cos 0º + i . sen 0º) = 10 (1 + i . 0) = 10
w = 5(cos 90º + i . sen 90º) = 5 (0 + i . 1) = 5i
z + w = 10 + 5i

Mostraremos a seguir, as fórmulas para multiplicação, divisão e


potenciação de números complexos.

Sejam os números complexos:


z1 = ρ 1(cosθ 1 + i . senθ 2) , z2 = ρ 2(cosθ 2 + i . senθ 2) e z = ρ (cosθ + i .
senθ ) .

Temos as seguintes fórmulas, demonstráveis sem excessivo trabalho:

PRODUTO
z1 . z2 = ρ 1 .ρ 2 [cos(θ 1 + θ 2) + i . sen(θ 1 + θ 2)]

EXEMPLO: z1 = 15(cos30º + i . sen30º) e z2 = 3(cos60º + i . sen60º).


z1 . z2 = 15.3[cos(30º + 60º) + i . sen(30º + 60º)] = 45(cos90º + i .
sen90º) = 45(0 + i . 1) = 45i

DIVISÃO

EXEMPLO:
z1 = 10(cos120º + i . sen120º) e z2 = 5(cos30º + i . sen30º)
z1 / z2 = 10 /5 [cos(120º - 30º) + i . sen(120º - 30º)] = 2(cos90º + i .
sen90º) = 2(0+i . 1) = 2i

POTENCIAÇÃO
z = ρ n(cos n.θ + i . sen n.θ )
n
EXEMPLO
z = 10(cos30º + i . sen30º)
z3 = 103(cos3.30º + i . sen3.30º) = 1000(cos90º + i . sen90º) = 1000(0
+ i . 1) = 1000i
z9 = 109(cos9.30º + i . sen9.30º) = 109(cos270º + i . sen270º) = 109[0
+ i . (-1)] = 109.i

ARCO 0º 90º 180º 270º 360º

cos 1 0 -1 0 1

sen 0 1 0 -1 0

NÚMEROS COMPLEXOS
MULTIPLICAÇÃO, DIVISÃO E POTENCIAÇÃO NA FORMA TRIGONOMÉTRICA

1. Sejam Z1 e Z2 os números complexos z1 = 3 . ( cos 30º + i sem 30º ) e z2 = 5 .


( cos 45º + i sen 45º ). O produto de z1 por z2 é o número complexo:

a. 15 . ( cos 1350º + i sen 1350º )


b. 8 . ( cos 75º + i sen 75º )
c. 8 . ( cos 1350º + i sen 1350º )
d. 15 . ( cos 15º + i sen 15º )
e. 15 . ( cos 75º + i sen 75º )

2. ( UEMT ) Sejam os complexos z1 = 4. ( cos 60º + i sen 60º ) e z2 = ( cos 90º + i


sen 90º ). A forma algébrica do complexo z = z1 . z2 é:

a.

b.
c. - -i

d. -2 + 2i
e. nda

3. Dados z1 = 10 . ( cos 90º + i sen 90º ) e z2 = 2 . ( cos 30º + i sen 30º ), o número
complexo z1 : z2 é representado por:

a. 20 . ( cos 120º + i sen 120º )


b. 5 . ( cos 120º + i sen 120º )
c. 20 . ( cos 60º + i . sen 60º )
d. 5 . ( cos 60º + i . sen 60º )
e. 100 . ( cos 120º + i sen 120º )

4. ( UCMG ) O produto dos três números complexos z1 = 2 . ( cos 40º + i sen 40º ) ;
z2 = 3 . ( cos 135º + i sen 135º ) e z3 = ( cos 125º + i sen 125º ) é:

a. 3 - i

b. 3 - 3 i
c. 2 + 2 i

d. 6 + i
e. ndai

5. ( CESGRANRIO - RJ ) O módulo do número complexo ( 1 + 3i )4 é:

a. 256
b. 100
c. 81
d. 64
e. 16

6. ( USP ) Dado o número complexo z = cos /6 + i sen /6 , o valor de z12 é:

a.

b.
c. - +i
d. -1 + i
e. - +i

7. ( UFPR ) Quando z1 = 2. ( cos /4 + i sen /4 )e z2 = 2 . ( cos 3 /4 + i sen 3


/4 ), tem - se que z1 + z2 e z1 . z2 valem, respectivamente:
a. ie0
b. 2 i e -4
c. 4 i e -4
d. 2 +2 ie4
e. 0 e 0

8. ( OSEC - SP ) Se um número complexo z tem módulo igual a e argumento igual


a /4 então z7 tem parte real e parte imaginaria dadas, respectivamente, por:

a. 8 e -8
b. -8 e 8
c. 8 e -8
d. -8 e 8
e. 8 e 8

4
9. ( FISS - RJ ) O valor de ( 1 + i ) é:

a. -4
b. 4
c. 4i
d. -4i
e. 4 + 4i

10. ( UEL - PR ) Um número complexo z é tal que o seu módulo é 2 e se


argumento principal é 15º. A forma algébrica de z3 é:

a. 4 +4 i

b. 4 + 4i

c. 8 + 8 i
d. 16 + 16 i
e. 16 + 16 i

11. ( CESGRANRIO - RJ ) complexo é igual a:

a. -1/64
b. -1/32
c. ( 1 + i )12
d. 1/12
e. 1/12 i

12. ( VUNESP - SP ) A expressão , onde i é a unidade imaginária dos


complexos, é igual a:
a.

b.

c.

d.
e. 1

13. ( SANTA URSULA ) O valor de ( 1 + i )10 + ( 1 - i )10, onde i é a unidade


imaginária, é:

a. 0
b. 1024 i
c. 1
d. 32i
e. -1

14. ( CESULON - PR ) Calcular z5, sendo z = 2 + i . 2

a. 512 - i12
b. 512 - i 212
c. 512 + i 512
d. 512 - i 512
e. 512 + i 212

NÚMEROS COMPLEXOS – MULTIPLICAÇÃO, DIVISÃO E POTENCIAÇÃO NA FORMA


TRIGONOMÉTRICA

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14
E D D B B A B A A E A D A D

Um aspecto interessante da fórmula de potenciação de números


complexos, é obtido fazendo-se ρ = 1 ( ou seja, considerando o módulo
ρ do complexo, igual a 1) na fórmula acima:

Teremos então:
z = cosθ + i . senθ
zn = cos(nθ ) + i . sen(nθ )
Substituindo o valor de z , vem, finalmente:
(cosθ + i . senθ )n = cos(nθ ) + i . sen(nθ )
Esta fórmula é conhecida como Fórmula de MOIVRE .
MOIVRE = (lê-se Moavre) - Abraham De Moivre (1667-1754) -
matemático francês. Viveu a maior parte de sua vida na Inglaterra.
Além de contribuições à teoria dos números complexos, deixou
importantes trabalhos sobre a teoria das probabilidades e sobre
trigonometria. Um aspecto singular sobre Moivre é que , por não possuir
cidadania britânica, ele não conseguiu ensinar nas Universidades
inglesas, não obstante a sua genialidade!

Vamos agora, deduzir as fórmulas trigonométricas do seno e coseno do


arco duplo, com a utilização da fórmula de Moivre:

Para isto, façamos n = 2 na fórmula de Moivre. Vem:


(cosa + i . sena)2 = cos2a + i . sen2a
Desenvolvendo o primeiro membro e igualando, vem:
cos2a + 2 . cosa . i . sena + i2 . sen2a = cos2a + i . sen2a
Lembrando que i2 = -1, vem:
cos2a - sen2a + i . 2sena.cosa = cos2a + i . sen2a
Ora, para que a igualdade acima seja verdadeira, deveremos ter
necessariamente:
cos2a = cos2a - sen2a
sen2a = 2.sena.cosa
Estas são as fórmulas trigonométricas do arco duplo, elegantemente e
facilmente deduzidas sem complicações, pela fórmula de Moivre.

NOTA: Como sabemos da Trigonometria que sen2a + cos2a = 1, vem


que:
sen2a = 1 - cos2a e
cos2a = 1 - sen2a
Daí, é que substituindo os valores acima na fórmula do coseno do arco
duplo (cos2a), fica:
cos2a = 2cos2a - 1
cos2a = 1 - 2sen2a
Estas são importantes fórmulas trigonométricas, de interesse para
questões de vestibulares.

Se lhe pedissem no vestibular, (numa prova da 2ª fase) , para calcular


sen3a e cos3a, como você resolveria? É simples!

Basta considerar na fórmula de Moivre, n = 3.


Tente! Você obteria:
cos3a = cos3a - 3.sen2a.cosa
sen3a = 3.cos2a.sena - sen3a
Tente!

Fórmula de Moivre

Exemplos:
(cos 30º + i . sen 30º)2 = cos 60º + i . sen 60º (Obs: n = 2)
(cos 30º + i . sen 30º)3 = cos 90º + i . sen 90º = 0 + i . 1 = i (Obs: n =
3)
Exercício resolvido: Calcule:

SOLUÇÃO: Observe que 1 / 2 = cos 60º e √ 3 /2 = sen 60º . Logo,


podemos escrever:
z = (cos 60º + i . sen 60º)100 = cos (60 . 100) + i . sen (60 . 100) , de
acordo com a fórmula de Moivre. Logo:
z = cos 6000º + i . sen 6000º . Como o argumento do complexo é 6000º
, um arco maior que uma volta, devemos dividi-lo por 360º para retirar
as voltas completas e considerar o resto da divisão. O resto da divisão
de 6000º por
360º é 240º . Logo, z = cos 240º + i . sen 240º = - 1 /2 - √ 3 / 2 i , pois
cos 240º = - 1 / 2 e sen 240º = - √ 3 / 2 . Assim, a resposta do problema
é:

Fórmulas do arco duplo


Fazendo n = 2 na fórmula de Moivre, vem:
(cos θ + i . sen θ ) 2 = cos 2 θ + i . sen 2 θ
Desenvolvendo o primeiro membro da expressão acima e igualando,
vem:

Como i2 = -1, vem:

Comparando as igualdades, teremos finalmente:


(cosseno do arco duplo)
sen2θ = 2 senθ cosθ (seno do arco duplo)

Fórmulas do arco triplo


Fazendo n = 3 na fórmula de Moivre, obteremos: (Tente como
exercício).
(cosseno do arco triplo)
(seno do arco triplo)
Nota: Lembre-se que (x+y)3 = x3 + 3.x2.y + 3.x.y2 + y3 e faça n = 3 na
fórmula de Moivre.

RADICIAÇÃO DE NÚMERO COMPLEXO


Seja o número complexo z = ρ (cosθ + i . senθ ).
Para o cálculo das raízes e-nésimas do complexo z, ou seja, para o
cálculo de , deveremos utilizar a seguinte fórmula:

onde k = 0,1,2,3, ... , n - 1.


Esta fórmula é aparentemente assustadora, não é?!
Vamos então, por partes.
1 - O ângulo θ (argumento do complexo) deve ser expresso em graus.
Se você preferir usar a unidade radiano, ao invés de 360.k, deverá ser
usado 2kπ , pois 360 graus = 2π radianos.
2 - Como k = 0,1,2,.3, ... , n -1, então são n valores possíveis para a
variável k, o que significa que existem n raízes e-nésimas de z. Ou seja:
2 raízes quadradas, três raízes cúbicas, quatro raízes quartas, cinco
raízes quintas, etc.
3 - Observe que todas as n raízes e-nésimas de z possuem o mesmo
módulo.
Vamos determinar, como exemplo, as três raízes cúbicas da unidade.

Seja o número complexo z = 1 (unidade).


Podemos escrever na forma polar: z = 1 (cos 0º + i . sen 0º)
Temos então:
módulo: ρ = 1
argumento: θ = 0º = 0 rad
Substituindo na fórmula dada, vem:

Fazendo k = 0, obteremos a primeira raiz, ou seja:


z1 = 1(cos 0º + i . sen 0º) = 1(1 + i . 0) = 1
Fazendo k = 1, obteremos a segunda raiz, ou seja:
z2 = 1(cos 120º + i . sen 120º) = -1/2 + i . √ 3 / 2

Finalmente, fazendo k = 2, obteremos a terceira e última raiz:


z3 = 1(cos 240º + i . sen 240º) = -1 /2 - i . √ 3 / 2

Um detalhe importante pode ser visualizado no exemplo acima: os


argumentos das raízes são 0º, 120º e 240º , que são termos de uma
progressão aritmética de razão 120º. Isto não é uma coincidência! Veja
a dica abaixo:
As n raízes enésimas de um número complexo de argumento θ ,
possuem argumentos que formam uma
Progressão Aritmética de primeiro termo θ / n e razão 360º / n.

Sabendo disto, poderemos simplificar o cálculo das raízes de um


número complexo.Por exemplo, vamos calcular as raízes quadradas da
unidade imaginária:

Temos z = i ( i = unidade imaginária).


Portanto, z = 1(cos 90º + i . sen 90º)
módulo: ρ = 1
argumento: θ = 90º
Como queremos as raízes quadradas, temos n = 2. Pela dica acima, os
argumentos das raízes formarão uma P. A . de primeiro termo 90º / 2 =
45º e razão igual a 360 / n = 360 / 2 = 180º. Logo, basta determinar a
primeira raiz e usar esta informação para calcular a segunda e última
raiz.

Temos:

1ª raiz: fazendo k = 0, vem z1 = 1(cos 45º + i . sen 45º) = √ 2 / 2 + i . √


2/2
2ª raiz: z2 = 1(cos 225º + i . sen 225º) = - √ 2 /2 - i .√ 2 / 2
Observe que 225º = 45º + 180º (180º = 360 / n = 360 / 2 (veja acima).

Mais um exercício resolvido para você!


Resolva a equação z6 - 16z3 + 64 = 0 , onde z ∈ C (C = conj. dos
números complexos).
Vamos começar fazendo z3 = x ; Daí, vem z6 = (z3)2 = x2 ; substituindo,
fica:
x2 - 16x + 64 = 0 ∴ (x - 8)2 = 0 ∴ x = 8
Como z3 = x , vem z3 = 8 . O problema consiste então no cálculo das
raízes cúbicas de 8. Observe
que 8 = 8 + 0. i ( i = unidade imaginária).

Portanto:

Sabemos que existem três raízes cúbicas; logo, fazendo k = 0,


obteremos a primeira raiz:
z1 = 2(cos 0º + i . sen 0º) = 2(1 + 0.i) = 2
Usando a dica vista acima , vem:
z2 = 2(cos 120º + i. sen 120º) = 2(- 1 /2 + i . √ 3 / 2) = - 1 + √ 3 i
z3 = 2(cos 240º + i . sen 240º) = 2[- 1 /2 + i . (- √ 3 / 2) = -1 - √ 3 i

Portanto, o conjunto solução da equação dada é:


S = {2; -1 + √ 3 i; -1 - √ 3 i}

NÚMEROS COMPLEXOS
RADICIAÇÃO E POTÊNCIAÇÃO NA FORMA TRIGONOMÉTRICA

1. Sobre as raízes da equação 3x2 + 12 = 0, pode-se afirmar que:

a. todas são reais


b. uma é real e a outra é imaginaria
c. nenhuma é imaginaria
d. são 3 raízes
e. são 2 raízes imaginarias conjugadas

2. No plano Argand-Gauss, as raies quintas de um número complexo não nulo serão


vértices de um

a. hexágono regular
b. triângulo equilátero
c. quadrado
d. pentágono regular
e. heptágono regular

.i
3. Um número complexo z = 3 . e . Então o módulo e o argumento de z são,
respectivamente:

a. ee
b. 3 e i
c. 3 e
d. e e
e. e3

4. Dado um número complexo z na forma trigonométrica z = 2 . ( cos /3 + i . sen


/3 ). Sua forma exponencial é:

a. z = 2. e . i
b. z = 2 /3 . i
c. z = e .i
d. z = 2 . e /3 . i
e. z = 2 /6 . i

5. Se z = 1 + . i, então na forma exponencial de z é:

a. 2 . e /3 . i

b. 4 . e /3 . i

c. 2 . e5 /3 . i

d. 4 . e5 /3 . i

e. 2 . e .i

6. ( FATEC - SOP ) Seja i2 = -1. Se z é um número complexo tal que z3 = - 1, enato z


é igual a :

a. 1, i ou -i

b. 1 , ou

c. 1 , ou

d. 1, ou

e. 1, ou

7. ( SANTOS - SP ) As 5 raízes quintas de z = 16 - 16 i tem o mesmo módulo e


seus argumentos formam uma PA cuja razão é:

a. 60º
b. 120º
c. 204º
d. 216º
e. 72º

8. ( UFGO ) As raízes quadradas do número complexo , são:

a. e

b. e

c. e
d. e

e. e

9. ( S. CASA - SP ) O número complexo é uma raízes


quartas de :

a. 1 - i
b. 1 + i

c.

d.
e. 2 + 2 i

10. ( CEFET - PR ) Se i é a unidade imaginária, então e 2 .i


é igual a:

a. cos + i sen
b. cos 2 + i . sen 2
c. cos 2 /3 + i . sen 2 /3
d. cos /2 + i . sen /2
e. nda

11. ( PUC - BA ) Considere o número complexo z tal que z6 = - 64. O número z pode
ser:

a. +i

b. 1 + i

c. -i

d.
e. - i

12. ( FGV - SP ) As raízes quadradas do número 3 + 4 i , onde i representa a unidade


imaginária, são:
a. { 2 + i ; -2 - i }
b. { 1 + i ; -1 -i }
c. { 3 + i ; -3 -i }
d. { 4 + i ; -4 - i }
e. { 1 + 2i ; -1 - 2i }

13. ( CESGRANRIO - RJ ) Seja z 1 uma das raízes cúbicas da unidade . Então 1 + z


+ z2 vale:

a. 0
b. 3
c. 1
d. -3

e. 1+i .

NÚMEROS COMPLEXOS – RADICIAÇÃO E POTENCIAÇÃO NA FORMA TRIGONOMÉTRICA

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13
E D C D C E E C B B A A A

Você também pode gostar