Você está na página 1de 21

Interação Interação droga–

Medicamentosa e nutriente.
Biodisponibilididade de Professor Anderson José
José de Melo e Silva
Nutrientes Aperfeiç
Farmacêutico Bioquí
Bioquímico – U.E.P.G.
Aperfeiçoamento em Citopatologia-
Citopatologia- U.F.Pr/C.R.F.-
U.F.Pr/C.R.F.-PR
Especialista em Microbiologia-
Microbiologia-U.E.P.G.
Doutorando em Biomedicina-
Biomedicina-Universidad de Leó
León- Espanha

Professor do Instituto de Pesquisa , Capacitaç


Capacitação e Especializaç
Especialização-
ão- I.P.C.E.

Coordenador dos Cursos de especializaç


especialização em “Farmacologia Aplicada”
Aplicada” e em
“Atenç
Atenção Farmacêutica”
Farmacêutica” - I.P.C.E.-
I.P.C.E.- São Paulo (www.
(www.pontocritico
pontocritico.com.br))
.com.br

andersonjmscwb@terra.com.br ou andersonjmscwb@
andersonjmscwb@aol.com
aol.com
044 9111 0912/ 042 3236 0230/ 042 32364939/ 042 99124523

Professor Anderson José


José de Melo e Silva

Objetivos do Curso: E como eu sei em que um


•Introduzir noções fundamentais relacionadas à:
Conceitos gerais (farmacologia, ação profilática, ação terapêutica,
medicamento pode interferir com
medicamentos, droga, remédio, fármaco, princípio ativo);Absorção,
distribuição, metabolismo e excreção;Vias de administração e locais de um alimento ?Como usar?
absorção de fármacos;Formas farmacêuticas;Interação droga x
nutriente;Efeitos dos fármacos no estado nutricional.
Cápsulas?
•Correlacionar o trabalho do trato digestódigestório para com as fases
medicamentosas, desde a forma farmacêutica até até as fases
farmacêuticas ;
•Possibilitar quanto à Biodisponibilidade:
Biodisponibilidade:
o definição
ointerferentes na biodisponibilidade de nutrientes: Comprimidos? Soluç
Soluções?
ovias metabólicas de carboidratos, protéicas e lipídeos;
ointerações competitivas entre minerais,
ointerações metabólicas negativas, presença de metais tóxicos, fatores
antinutricionais, facilitadores da absorção.
oOutros fatores da biodisponibilidade (individualidade bioquímica, atual Composiç
Composição medicamentosa:
medicamentosa:
condição e resposta orgânica, eficiência da digestão, hábitos 1.Principio
1.Principio ativo:
ativo:
alimentares, forma de processamento e/ou cozimento dos alimentos, 2.Estabilizantes
2.Estabilizantes:: Drá
Drágeas?
estado nutricional ) 3.Bases medicamentosas:
medicamentosas:
3.1-
3.1-Excipiente
3.2-
3.2-Veí
Veículo

Interaç
Interação Fá
Fármaco – Nutriente: Interaç
Interação Fá
Fármaco – Nutriente:
ALIMENTAÇÃO

CICLO
INTESTINO
“Evento que ocorre quando se produz um ENTERO HEPÁTICO

desiquilí
desiquilíbrio por aç
ação de um medicamento ou
ABSORÇÃO
quando um efeito farmacoló
farmacológico é alterado pela
ingestão de nutrientes ou pelo estado nutricional
LINFA VEIA PORTA
do paciente ou quando alguma reaçreação adversa é
produzida pela ingestão concomitante do fá fármaco Armazenamento SANGUE Distribuição
com determinado nutriente ou algum componente
do alimento .“
.“ Ativação ELIMINAÇÃO
(ZANETA apud:REIS, 2000)
bile fezes
URINA

1
CURVA MEDICAMENTO X RESPOSTA TERAPÊUTICA Interaç
Interação Fá
Fármaco – Nutriente:
N.O.A.E.L. x L.O.A.E.L.
L.O.A.E.L.
„
A
• Processos que sofrem alteraç
alteração:
Cplasm CMT • INTERAÇ
INTERAÇÕES QUÍ
QUÍMICAS;
(μg ml)
ml)
B
• INTERAÇ
INTERAÇÕES FÍ
FÍSICAS;
MT • MUDANÇ
MUDANÇAS FISIOLÓ
FISIOLÓGICAS NO TRATO
GASTROINTESTINAL;
– PRESENÇ
PRESENÇA DE FIBRAS;
NPE – REDUÇ
REDUÇÃO DE ABSORÇ
ABSORÇÃO;
C
Tempo (hs
(hs))

Interação Fármaco – Nutriente: FIBRA SOLÚ


SOLÚVEL: gomas, pectina, mucilagens
Encontradas em frutas e legumes como
• PRÉ
PRÉ-ABSORTIVAS:
Þ
feijão, morango, maç
maçã, abó
abóbora, aveia, etc.
• A.INTRALUMINAL Þ Fornecem cerca de 3,5 kcal/g
• B.AO NIVEL DAS MICROVILOSIDADES Þ Fermentadas formando AGCC
INTETSTINAIS Þ Úteis em doenç
doenças sistêmicas (obesidade,
dislipidemia e diabetes mellitus)
mellitus)
• PÓS ABSORTIVAS:

• Quanto à solubilidade:
– Sais;
FIBRA INSOLÚ
INSOLÚVEL: Celulose e algumas
– Na,Cl
Na,Cl,K;
,K;
hemiceluloses
– Ca,P,Mg,
Ca,P,Mg,FeFe,,Zn;
Zn; Þ Encontradas na maioria de
– Agregados Hidrofó
Hidrofóbicos Lipossolú
Lipossolúveis; vegetais, (vegetais folhosos).
• Quelatos:
Quelatos: Þ Não fornecem energia nem AGCC
• Interaç
Interações de Combinaç
Combinações QUÍ
QUÍMICAS: Þ São úteis em doenç
doenças do TGI como
constipaç
constipação intestinal, ca cólon,
• Principais Quelatos:
Quelatos: diverticulose,
diverticulose, pó
pólipos, etc.
– FITATOS, FIBRAS, TANINOS, FOSFATOS, SOJA
Biodisponibilidade de Fibras Alimentares:

Vias de Administraç
Administração e Locais de
Ácido Fítico Absorç
Absorção
Alimento Fitato (mg/100 g) Alimento Fitato (mg/100 g)
Amendoim torrado 175,2 Germen de trigo 4071,0 • Vias Enterais:
Enterais: TGI
Amendoim pasta 1251,8 Granola 625,3
Arroz branco crú
crú 2538,5 Maç
Maçã 62,6 • Oral Mucosa gá
gástrica e intestinal
Aveia cozida 111,2 Macarrão 81,2
Batata cozida 80,8 Milho em grão 890,0 • Sub-
Sub-lingual Mucosa oral
Biscoito(cream
Biscoito(cream 172,3 Milho em lata 31,3
cracker)
cracker)
Cenoura 9,4 Milho tipo “Chips”
Chips” 634,9
• Retal Mucosa retal
Chocolate em pó
pó 1879,6 Pão branco 68,7
Côco 2380,0 Pão integral 389,9 • Vias Tó
Tópicas: Pele e Mucosas
Ervilha em lata 27,8 Pão de centeio 941,7
Farelo de trigo 3010,6 Pipoca 614,4
Farinha de trigo 281,6 Tomates 6,3
branca
Feijão cozido 345,6 Soja 1400,0
Alimentos de origem 0,0 Café
Café- 1 xicara 10,0
animal
FONTE: OBERLEAS D. & HARLAND B.F. 1981

2
.
.... .
..
.
. . . . . .. .
. .... . . .. .....
.. .
. . ARTÉRIA PULMONAR . .
VEIA HEPÁTICA . ..
. .. .
..

.. .. . . . . . .
. . . .. . . . .
. . .. . .
..... .. . . . . ..
. . . .. . .
.. . . .
. . . .. . . . . . .
VEIA PORTA . . . .
AORTA

. . . .. . . . .. . . .
. . . . . . ..
.. . . . . ..
.
.. . . .
VEIA CAVA
. . ...
.
.. . .
PLEXO HEMORROIDÁRIO

FARMACOCINÉ
FARMACOCINÉTICA & CINÉ
CINÉTICA DE Absorç
Absorção dos Fá
Fármacos
NUTRIENTES
Percurso da Droga no Organismo
Absorç
Absorção: processo de transporte do local de
administraç
administração ou intestino até
até a circulaç
circulação Tecidos: gordura, ossos, etc.

sanguí
sanguínea Membrana DEPÓ
DEPÓSITO
ADMINISTRAÇÃO EFEITO
Distribuiç
Distribuição: movimento de um local a outro COM ABSORÇÃO Droga Livre Local de aç
ação para
TERAPÊUTICO
efeito terapêutico
ABSORÇ
ABSORÇÃO Droga + Proteina DISTRIBUIÇ
DISTRIBUIÇÃO
Metabolismo: processo de alteraç
alteração quí
química pela
ação de enzimas → metabó
metabólito +/-
+/- ativo
ADMINISTRAÇÃO Local de aç
ação para EFEITO
Droga Livre
SEM ABSORÇÃO PLASMA efeito colateral COLATERAL

Excreç
Excreção: processo de remoç
remoção do organismo Fígado: Rins, Pulmões,
V. Biliar, etc. EXCREÇ
EXCREÇÃO
Ativaç
Ativação
Inativaç
Inativação
ELIMINAÇ
ELIMINAÇÃO
BIOTRANSFORMAÇ
BIOTRANSFORMAÇÃO
Urina, Fezes, Ar
Expirado, etc.

Absorç Absorç
Absorção no Trato Gastrointestinal
Absorção:
• Administraç
Administração enteral
• passagem das suas molé
moléculas do meio externo (local
de administraç
administração) para o interior da corrente – Oral Mucosa gá
gástrica e intestinal
circulató
circulatória.
ria.
– Sub-
Sub-lingual Mucosa oral
„ Biofase (local de aç
ação) :
– Retal Mucosa retal
„ Absorç
Absorção
„ Biotransformaç
Biotransformação
„ Excreç
Excreção
„ Fatores: • FATORES REFERENTES À INTERAÇ
INTERAÇÃO

„ Lipossolubilidade – EFEITOS DA H.A.A.R.T.

„ Posologia X TEMPO : – USO DE “CHÁ


CHÁS MEDICINAIS”
MEDICINAIS” (????)

3
Biodisponibilidade Biodisponibilidade - TGI
Conceito – Quantidade da droga
Fraç
Fração intacta de uma droga administrada que • em locais pré
pré-absortivos
atinge a circulaç
circulação sanguí
sanguínea para um efeito • na circulaç
circulação sistêmica
bioló
biológico.
gico. • em distribuiç
distribuição
• no seu local de ação
*Quantidade (extensão)
extensão)
Biodisponibilidade sistêmica:
sistêmica:
*Velocidade „
Fraç
Fração da droga na circulaç
circulação sanguí
sanguínea,
nea, na forma
inalterada,
inalterada, apó
após sua administraç
administração.
ão.
Segundo FDA:“É
FDA:“É a velocidade e a quantidade a qual „ É a quantidade da droga disponí disponível para ser
o ingrediente ativo de uma droga é absorvida,
absorvida, a utilizada pelo organismo.
organismo.
partir de um produto farmacêutico,
farmacêutico, para estar „ També
Também indica a velocidade com que a droga atinge
disponí a circulaç
circulação sanguí
sanguínea
disponível no seu sítio de ação”
ão”

DROGA PERDIDA PELAS


COMPRIMIDO
DROGA TOTAL DROGA QUE ALCANÇ
ALCANÇA BIOTRANSFORMAÇÕES
DROGA NÃO DISSOLVIDA
POR VIA ORAL A CIRCULAÇ
CIRCULAÇÃO GERAL
DROGA LIGADA A
PROTEÍNAS PLASMÁTICAS
DISSOLUÇÃO e DESINTEGRAÇÃO

DROGA DISSOLVIDA DROGA PERDIDA POR DROGA DISTRIBUÍ


DISTRIBUÍDA POR DROGA LIGADA A ÓRGÃOS
DEGRADAÇÃO NO ESTÔMAGO E TECIDOS QUE NÃO SEJAM
NOS FLUIDOS DO TGI TODO O ORGANISMO LOCAIS DE AÇÃO DA DROGA

VELOCIDADE DE ESVAZIAMENTO GÁSTRICO

DROGA PERDIDA POR Desintegração


DROGA EM SOLUÇ
SOLUÇÃO DEGRADAÇÃO NO
NO INTESTINO INTESTINO,
DROGA PERDIDA POR
LIGAÇÃO COM
BIOTRANSFORMAÇÕES
ALIMENTOS E
E EXCREÇÃO
OUTRAS SUBSTÂNCIAS
DROGA NÃO ABSORVIDA
Dissolução
DROGA EM SOLUÇ
SOLUÇÃO
DROGA LIGADA
QUE É ABSORVIDA A TECIDOS

DROGA PERDIDA PELA


EXCREÇÃO BILIAR

DROGA PERDIDA PELAS


BIOTRANSFORMAÇÕES
DROGA NO FÍ
FÍGADO DROGA NO SEU
LOCAL DE AÇ
AÇÃO
Passagem
DROGA LIGADA
A TECIDOS

Fatores que podem influenciar a Absorç


Absorção no TGI:
Biodisponibilidade Mucosa Gá
Gástrica
• Administraç
Administração por via oral
• Caracterí
Características do
paciente • Influência no esvaziamento gá
gástrico

– Tempo de esvaziamento
gástrico
• Absorç
Absorção por difusão passiva:
– pH do TGI – Água/pequenas molémoléculas/não eletró
eletrólitos
– Mobilidade no TGI
lipossolú
lipossolúveis/á
veis/ácidos fracos
– Perfusão sanguí
sanguínea ƒ pH do estômago
– Microbiota do TGI
– Estados de má absorç
absorção ƒ Associaç
Associação de medicamentos: ácido x bá
básico
– Funç
Função hepá
hepática e renal
Alteraç
Alteração do tônus da musculatura lisa

ƒ Formaç
Formação de complexos não-
não-absortí
absortíveis

4
Absorç
Absorção no TGI:
Mucosa Gá
Gástrica ESTÔMAGO

• Substâncias irritantes aumentam o esvaziamento • Jejum


gástrico (administrar com alimento).
¾ alta viscosidade
¾ tempo de esvaziamento gá gástrico – 10-
10-30’
30’
• Diminuindo a velocidade de esvaziamento aumenta ¾ piloro encontra-
encontra-se entre-
entre-aberto – reduç
redução do tempo
a absorç
absorção gá
gástrica. de estadia do medicamento no estômago, com
– Substâncias absorvidas: álcool, hormônios esteró
esteróides,
ides, aspirina, fenobarbital passagem mais rárápida para o duodeno

ESTÔMAGO
.
• Jejum ESTÔMAGO

¾ dificulta absorç
absorção substâncias fracamente Refeiç
Refeição
ácidas

Þ sem ou com pouca água - dissoluç


dissolução ¾ o tempo de esvaziamento gá
gástrico fator
dificultada pela elevada viscosidade do mais importante para explicar as
fluí
fluído gá
gástrico modificaç
modificações na absorç
absorção durante uma
Þ com água (2 copos) - reduç
redução da refeiç
refeição
viscosidade e da acidez gá
gástrica

Ingestão do Desagregação
medicamento estomacal
ESTÔMAGO

Dissolução do
Passagem
para o
medicamento • Refeiç
Refeição
sangue
¾ eleva pH gá
gástrico – altera absorç
absorção ácidos,
favorece bases
Absorção Absorção
intestinal estomacal parcial ¾ tempo de esvaziamento gá
gástrico – 1 a 4
horas
Esvaziamento
gástrico
Passagem duodenal
pelo piloro

5
ESTÔMAGO

• Refeiç
Refeição ESTÔMAGO
¾ substâncias cuja dissoluç
dissolução depende das
dimensões das partí
partículas • Bebidas
• refeiç
refeição age como um meio para aumentar a
solubilidade
• substâncias micronizadas:
micronizadas: nitrofurantoí
nitrofurantoína,
na, – básicas – alteram ácidos, favorecem bá
básicos
espironolactona,
espironolactona, griseofulvina – ácidas – favorecem ácidos
• Dissoluç
Dissolução/ desagregaç
desagregação

FÁRMACOS

Cerveja 4,0 - 5,0 Cidra 2,9 - 3,3


• grau alcoó
alcoólico elevado
– diminuiç
diminuição da Pepsi-
Pepsi-cola® 2,4 Suco de tomate 3,9 – 4,4
secreç
secreção ácida gá
gástrica
Schweppes® 2,4 – 2,7 Limonadas 2,5 - 3,0
Suco de 2,5 – 3,5 Vinhos 2,5 - 4,0
• baixo grau alcoó
alcoólico -
laranja
aumento da secreç
secreção
Suco de limão 2,5 – 3,0 Coca-
Coca-cola® 2,5
ácida gá
gástrica

ESTÔMAGO

• Bebidas
ÁGUA
ácido acetilsalicí
acetilsalicílico,
lico, amoxicilina,
amoxicilina,
– permite diminuir o tempo de trânsito até
até o clindamicina,
clindamicina, ciclofosfamida,
ciclofosfamida,
estômago e o tempo de contato com as fenilbutazona,
fenilbutazona, macrolí
macrolídeos,
deos, sais de
paredes esofá
esofágicas evitando uma possí
possível
agressão e ulceraç
ulceração ferro, sais de potá
potássio, teofilina e
derivados, tetraciclinas

6
ESTÔMAGO

• Bebidas
Ciclofosfamida LEITE
Lítio tolerância aos fá
fármacos irritantes ???????
Sulfamidas

ESTÔMAGO

• Bebidas Bisacodil
LEITE Cefalexina
Flureto de só
sódio
– tetraciclinas reagem com Ca++ formando
Penicilina V
quelatos insolú
insolúveis não absorví
absorvíveis – reduç
redução Sais de ferro
50-
50-90% absorç
absorção Sais de potá
potássio
– diminui a absorç
absorção de Ferro - lactoferrina Tetraciclinas

ESTÔMAGO
ESTÔMAGO
• Bebidas
• Bebidas
SUCOS DE FRUTAS CAFEÍ
CAFEÍNA
– quando consumidos em quantidades superiores
a 250 mL,
mL, podem ser responsá
responsáveis por – aumento da acidez gágástrica – alteraç
alteração da
alteraç
alteração de substâncias instá
instáveis em meio absorç
absorção de certas substâncias e a
ácido estabilidade de algumas formas farmacêuticas
– podem aumentar a solubilidade de certos sensí
sensíveis ao pH gá
gástrico
fármacos como o bismuto, determinando – aumento da solubilidade e conseqü
conseqüente
toxicidade absorç
absorção da ergotamina

7
ESTÔMAGO
Café
Café 30-
30-35mg/ 100mL
Café descafeinado
Café 1,5-
1,5-5mg/ 100mL • Bebidas
Chá
Chá 10,5mg/ 100mL
CAFÉ
CAFÉ, CHÁ
CHÁ, MATE,
Iced Tea® 30-
30-35mg/ 100mL
VINHO, FRUTAS
Chocolate escuro 20mg/ 30g
Pepsi-
Pepsi-cola® 10,62mg/100ml
Pepsi-
Pepsi-cola Light® 10,11mg/ 100mL ¾ ricos em ácido tânico
Coca-
Coca-cola® 9,5mg/100ml
¾ precipitaç
precipitação com certas substâncias –
formaç
formação de tanatos insolú
insolúveis
Coca-
Coca-cola Light® 13,4mg/ 100mL
Red Bull® 34,1 mg/ 100mL

EFEITO DOS ALIMENTOS E DA


ESTÔMAGO NUTRIÇ
NUTRIÇÃO NA
FARMACOTERAPÊUTICA
• Bebidas
• ABSORÇ
ABSORÇÃO:
CAFÉ
CAFÉ, CHÁ
CHÁ, MATE,
• MUDANÇ
MUDANÇAS DE pH:
VINHO, FRUTAS
– NITROFURANTOÍ
NITROFURANTOÍNA e HIDRALAZINA
– reduç
redução da absorç
absorção – FORMAÇ
FORMAÇÃO DE QUELATOS:
• sais de ferro – AFINIDADE PROTEÍ
PROTEÍCA:
• alcaló
alcalóides (atropina, codeí
codeína, esporão do centeio,
morfina, reserpina)
reserpina) • FENITOÍ
FENITOÍNA
• neurolé
neurolépticos

Absorç
Absorção no TGI:
Absorç
Absorção Intestinal
Mucosa do Intestino Delgado
• Via Oral
Epité
Epitélio colunar simples
• Principal setor de absorç
absorção no T.G.I.: Vaso linfá
linfático
– superfí
superfície de absorç
absorção (vilosidades e dobras): 200m2 Rede capilar

• Absorç
Absorção: Células de Goblet
– capilares (maioria)
– linfá
linfáticos (lipí
(lipídios)
Cripta intestinal
• ÁREA DE MAIOR INTERAÇ
INTERAÇÃO DROGA – NUTRIENTE: Vaso linfá
linfático
– EX: HAART x DESNUTRIÇ
DESNUTRIÇÃO
Arterí
Arteríola
Vênula

8
Absorç
Absorção no TGI: Efeitos Luminais X Absorç
Absorção:
Interaç
Interação com Alimentos • Danos na Mucosa Intestinal:
– AINE’
AINE’s:
• Hidrossolubilidade/
Hidrossolubilidade/Lipossolubilidade do • Colite;
Fármaco
– ANTIBIÓ
ANTIBIÓTICOS/ANTIBACTERIANOS:
TICOS/ANTIBACTERIANOS:
• Natureza e Temperatura do Alimento • Neomicina;
Neomicina;
• Formaç
Formação de Complexo Fá
Fármaco-
rmaco- – LAXATIVOS
Alimento Precipitá
Precipitável • fenolftaleí
fenolftaleína;
na;
• Motilidade gastrointestinal • Anti-
Anti-vitaminas:
• Fluxo sangüí
sangüíneo
neo gastrointestinal – QUIMIOTERÁ
QUIMIOTERÁPICOS:PICOS:
• Metotrexato;
Metotrexato;
• Cumarí
Cumarínicos

Distribuiç
Distribuição
Absorç
Absorção: Farmacociné
Farmacocinética
Trato Respirató
Respiratório
• Disseminaç
Disseminação da droga na circulaç
circulação,
líquido intersticial e cé
células
Células

Líquido intersticial

Capilar

Proteínas

Biotransformaç
Biotransformação dos Fá
Fármacos
INTERAÇ
INTERAÇÕES FARMACOCINÉ
FARMACOCINÉTICAS
Processo de alteraç
alteração quí
química dos fá
fármacos no organismo.
9 DISTRIBUIÇ
DISTRIBUIÇÃO:
„

ƒ Hipoalbuminemia em estados patoló


patológicos –
neoplasia, insuficiência cardí
cardíaca ou hepá
hepática

ƒ Uso prolongado de AAS – formaç


formação de acetil Droga Pró
Pró-droga
albumina e ↓ da albumina livre circulante Inativaç
Inativação Ativaç
Ativação
(Metabolizaç
Metabolização Biotransformaç
Biotransformação (Metabolizaç
Metabolização)
ão)
ƒ Competiç
Competição pelo sí
sítio de ligaç
ligação (proteí
(proteína) e Conjugaç
Conjugação)

ƒ Fixaç
Fixação – baixa, mé
média e alta Excreção Droga

9
Metabolização:
Sistemas de Metabolização: C
i EFEITO DOS ALIMENTOS E DA NUTRIÇ
NUTRIÇÃO
c
* l NA FARMACOTERAPÊUTICA
o

Ê
• BIOTRANSFORMAÇ
BIOTRANSFORMAÇÃO:
– ALIMENTOS:
n
• TEOR ELEVADO DE PROTEÍ
PROTEÍNAS:
t – ↑ CITOCROMO P 450
e
r • TEOR ELEVADO DE CHO/LIPÍ
CHO/LIPÍDEOS:
o – ↓ CITOCROMO P 450
-
h • ↑ BIOTRANSFORMAÇ
BIOTRANSFORMAÇÃO: ↑ TIAMINA, ↑FERRO
e
p • EFEITO LIGANTE À ALBUMINA:
á • OUTROS EFEITOS:
t – EXCREÇ
EXCREÇÃO:
i
c
o

Modificaç
Modificação na Biotransformaç
Biotransformação Excreç
o 1. Dieta
Excreção-
ão- Vias de Eliminaç
Eliminação
o A inaniç depleção das reservas de glicina e alterar o
inanição pode causar depleç
mecanismo de conjugaç
conjugação com a glicina.
glicina.

o 2. Posologia „ O rim é o mais importante órgão de excreç


excreção.
o As doses tó
tóxicas podem provocar depleç necessárias
depleção das enzimas necessá
para as reaç
reações de detoxificaç
detoxificação.
ão.
„ O trato biliar e as fezes constituem importantes
o 3. Doenç
Doenças
o hepatopatias.
vias de excreç
excreção de alguns fáfármacos que são
o nefropatias.
nefropatias. metabolizados no fí
fígado.
o obesidade
o 4.Induç
4.Indução enzimá
enzimática
„ També
Também podem ser excretados no ar expirado, expirado,
o ↑ da atividade enzimá
enzimática pela ↓ do medicamento livre suor,
suor, saliva,
saliva, lágrimas e leite (são lipossolú
lipossolúveis e não-
não-
ionizados).
o 5.Inibiç
5.Inibição enzimá
enzimática
o ↓ da degradaç
degradação e conseqü
conseqüente potenciaç
potenciação do efeito do fá
fármaco

Excreç
Excreção: Excreç
Excreção:
Droga Hidrofí
Hidrofílica Droga Lipofí
Lipofílica

**Efeitos de pesticidas **Efeitos de pesticidas


em alimentos em alimentos

Excreç
Excreção renal
Droga não excretada

10
Efeitos Eletrolí
Eletrolíticos Induzido por EFEITOS DOS FÁ
FÁRMACOS NA
Drogas: CINÉ
CINÉTICA DOS NUTRIENTES
• Danos na Excreç
Excreção Renal:
9 Absorç
Absorção do Nutriente:
Nutriente:
– Diuré
Diuréticos/Diuré
ticos/Diuréticos Poupadores de K:
K: ƒAlteraç
Alteração do pH gastrintestinal -
• Furosemida,
Furosemida,ácido etacrí
etacrínico;
nico; antiá
antiácidos
• Espironolactona,
Espironolactona, amilorida;
amilorida;
ƒAlteraç
Alteração da atividade de ácidos biliares –
– Agentes quimioterá
quimioterápicos:
picos: má absorç
absorção de gorduras – anti-
anti-
• Cisplatina; hiperlipêmicos

EFEITOS DOS FÁ
FÁRMACOS NA EFEITOS DOS FÁ
FÁRMACOS NO
CINÉ
CINÉTICA DOS NUTRIENTES ESTADO NUTRICIONAL
9 Efeitos no TGI:
9 Metabolismo do Nutriente : ƒ Diminuir o fluxo salivar – boca seca e ↑cáries
ƒ Antagonismo com vitaminas ƒ Secretar fá
fármaco para a saliva – metronidazol
ƒ ↑ no metabolismo e das necessidades ƒ Destruir bacté
bactérias orais naturais – candidí
candidíase
nutricionais – risco de deficiências ƒ Causar disgeusia – alteraç
alteração no paladar

9 Excreç
Excreção do Nutriente:
Nutriente: ƒ Causar: estomatite, glossite, esofagite pela
danificaç
danificação de cé
células de proliferaç
proliferação rá
rápida

EFEITOS DOS FÁ
FÁRMACOS NO TGI EFEITOS DOS FÁ
FÁRMACOS NO TGI

9 Sabor desagradá
desagradável na boca - quinolonas
(Cipro), 9 Boca seca - anticoliné
anticolinérgicos,
rgicos,
Cipro), cefalosporinas,
cefalosporinas, antineoplá
antineoplásicos,
sicos,
antidepressivos antidepressivos, diuré
diuréticos, opió
opióides

9 Alteraç
Alteração das papilas gustativas - Captopril,
Captopril, 9 Inflamaç
Inflamação nas gengivas - ciclosporina A,
penicilamina diltiazem (angina)

9 Déficit olfativo - Sprays nasais, 9 Sangramento gengival - anticoagulantes


broncodilatadores e anti-
anti-histamí
histamínicos (heparina,
heparina, cumarí
cumarínicos)
nicos)

9 Infecç
Infecções por bacté
bactérias e fungos - 9 Estomatite, faringite - alguns
antibioticoterapia prolongada, antineoplá
antineoplásicos,
sicos, antineoplá
antineoplásicos
imunossupressores

11
EFEITOS DOS FÁ
FÁRMACOS NO FÁRMACOS x IRRITAÇ
IRRITAÇÃO DO TGI
ESTADO NUTRICIONAL
9 Efeitos Gastrintestinais: 9 Maioria das drogas, principalmente -
digitá
digitálicos,
licos, sulfasalazina,
sulfasalazina, levodopa,
levodopa,
ƒ Irritar a mucosa gá
gástrica – náuseas, vômitos, antibió
antibióticos, antineoplá
antineoplásicos,
sicos,
sangramentos e ulceraç
ulcerações antigotosos
ƒ Acelerar ou retardar a peristalse intestinal –
antipsicó
antipsicótico, antidepressivo, anti-
anti-histá
histáminico 9 Analgé
Analgésicos e antiinflamató
antiinflamatórios
ƒ Destruir bacté
bactérias intestinais – ciprofloxacina
9 Corticosteró
Corticosteróides
ƒ Inibiç
Inibição enzimá
enzimática – antibió
antibióticos podem inibir
dissacaridases intestinais, causando diarré
diarréia 9 Cefalosporinas e outros antibió
antibióticos

FÁRMACOS x DISTÚ
DISTÚRBIOS NA 9 Ação Anti-
Anti-lipase
ABSORÇ
ABSORÇÃO ƒ Xenical (orlistat)
orlistat) dificulta
absorç
absorção de vitaminas
9 pH Gá Gástrico lipossolú
lipossolúveis
ƒ Enzimas pancreá
pancreáticos (cá
(cápsula enté
entérica)
ƒ Antiá
Antiácidos e tiamina, ferro 9 Lesão da Mucosa Intestinal

9 Motilidade Intestinal
ƒ Drogas prociné
procinéticas (metoclopramida,
metoclopramida, 9 Complexos Insolú
Insolúveis
eritromicina,
eritromicina, laxantes) estimulam o trânsito
dificultando a absorç
absorção intestinal ƒ Antiá
Antiácidos de hidró
hidróxido de
alumí
alumínio e absorç
absorção de fó
fósforo

PERDAS DE NUTRIENTES
REFEIÇÕES E DROGAS
9 Anticonvulsivantes – Ca,
Ca, Mg, vit C, D, K e B12
9 Isoniazida (antituberculoso) e levodopa - vit B6
9 Irritantes gá
gástricos - estômago cheio
9 Anticoncepcionais - vit C e do complexo B
9 Diuré
Diuréticos - K, Mg, Ca,
Ca, Na, Cl,
Cl, Vit C 9 Demais medicamentos - estômago
9 Antineoplá
Antineoplásicos e corticó
corticóides - cálcio
vazio
9 Laxantes e enemas - eletró
eletrólitos, minerais, vit A, D e
K 9 Dieta proté
protéica: competiç
competição com
9 Antiinflamató
Antiinflamatório - gordura, caroteno, Na, K e vit B12 levodopa (antiparkinsoniano)
antiparkinsoniano) –estômago
9 Anti-
Anti-hiperlipidêmico -gorduras, vit A, D, K, B12 e Fe vazio
9 Antibió
Antibióticos - Na, K, Ca, Fe, vit C, D, B12 e lactose
Ca, Fe,

12
COMPOSIÇÃO DA DIETA 9 Dieta hipergordurosa - ↑o nínível de AG
livres e alteraç
alteração do sí
sítio de aç
ação da
E AÇÃO DAS DROGAS albumina e drogas, resultando em
deslocamento da droga
9 Dieta rica em fibras – perda do
ácido biliar, excreç
excreção mais rá
rápida 9 Dieta rica em eletró
eletrólitos e minerais -
da droga e ↓ da biodisponibilidade ↑ excreç
excreção de lílítio, ↓ ação de
diuré
diurético, ↓ digestão de lipí
lipídios, ↑
absorç
absorção de vitaminas hidrossolú
hidrossolúveis
9 Dieta hipogordurosa - ↓ a
liberaç
liberação da bile, digestão de 9 Dieta hipoproté
hipoprotéica e desidrataç
desidratação - ↓
gorduras e formaç
formação de micelas, distribuiç
distribuiç ão das drogas, sobretudo as
↓ absorç
absorção de drogas solú
solúveis em lipofilí
lipofilícas,
cas, ↓ filtraç
filtração glomerular
gorduras

Efeitos Gerais-
Gerais- DIETA HIPERGLICÍ
HIPERGLICÍDICA ⇒ diminuiçdiminuição da permeabilidade da
mucosa intestinal por interferência dos grupos alcó alcóolicos dos
ANTAGONISMO
ANTAGONISMO açúcares;
çúcares; ↓ da biodisponibilidade:
biodisponibilidade:
o Ácido acetilsalicí
acetilsalicílico
FARMACOLÓ
FARMACOLÓGICO o Indinavir
o Teofilina
LEITE E DERIVADOS/FRUTAS/LEGUMES/HORTALIÇ
DERIVADOS/FRUTAS/LEGUMES/HORTALIÇAS ⇒
aumento do pH gá gástrico; diminuiç
diminuição da solubilidade;
complexaç
complexa ão; quelaç
ção; quelação;
ão; ↓ da biodisponibilidade:
biodisponibilidade: DIETA HIPERLIPÍ
HIPERLIPÍDICA ⇒ diminuiç
diminuição da solubilizaç
solubilização; diminuiç
diminuição da
biodisponibilidade:
biodisponibilidade:
o Didanosina
o Ampicilina
o Eritromicina
o Bismuto o Misoprostol
o Ciprofloxacina o Zidovudina
o Norfloxacina
o Penicilina V DIETA HIPERPROTÉ
HIPERPROTÉICA ⇒ aumento da competiç
competição com os
o Rifampicina aminoá
aminoácidos pelo transporte da mucosa intestinal; diminuiç
diminuição da
o Tetraciclinas biodisponibilidade:
biodisponibilidade:
o Levodopa
o Metildopa

CEREAIS INTEGRAIS, FARELO DE TRIGO, ESPINAFRE ⇒


quelatos;
quelatos; diminuiç
diminuição da biodisponibilidade:
biodisponibilidade:
Efeitos Gerais-
Gerais-
o Antidepressivos tricí
tricíclicos SINERGISMO
o

o
Digoxina
Sais de cá
cálcio
FARMACOLÓ
FARMACOLÓGICO
o Sais de zinco DIETA HIPERLIPÍ
HIPERLIPÍDICA ⇒ aumento da solubilizaç
solubilização;
aumento da biodisponibilidade:
biodisponibilidade:
CAFÉ
CAFÉ, CHÁ
CHÁ, MATE E VINHOS ⇒ diminuiç diminuição da solubilidade; o Albendazol,
Albendazol,Carbamazepina,
Carbamazepina,Fenitoí
Fenitoína ,Griseofulvina
complexaç
complexação com ácido tânico; diminuiç
diminuição da biodisponibilidade:
biodisponibilidade: o Nifedipina,
Nifedipina,Nitrofurantoí
Nitrofurantoína,
na,Teofilina
o Antidepressivos triticí
triticíclicos
Atropina DIETA HIPERPROTÉ
o
HIPERPROTÉICA ⇒ diminuiç
diminuição da eliminaç
eliminação
Codeí
Codeína
o
pré
pré-sistêmica; aumento da biodisponibilidade:
biodisponibilidade:
o Morfina
o Hidralazina,
Hidralazina,Labetalol,
Labetalol,Metoprolol,
Metoprolol,Propranolol
o Pilocarpina
o Prometazina
o Reserpina FARELO DE AVEIA, PECTINA, MUCINA ⇒ aumento da
o vincristina solubilidade; aumento da biodisponilidade:
biodisponilidade:
o Lovastatina

13
BRÓ
BRÓCOLIS, COUVE, REPOLHO, NABO, RABANETE, DIETA HIPOPROTÉ HIPOGLICÍDICA ⇒ diminuiç
HIPOPROTÉICA E HIPOGLICÍ diminuição da
ERVILHA VERDE, ESPINAFRE, LENTILHA, MILHO, atividade enzimá
enzimática da CYP; aumento da meia-
meia-vida plasmá
plasmática;
CENOURA, TOMATE, BETERRABA, BATATA, SOJA, aumento da biodisponibilidade:
biodisponibilidade:
FARELOS, GERME DE TRIGO, MEL, FÍ
FÍGADO, CARNE o Barbitú
Barbitúricos ,teofilina
VERMELHA, GEMA, ALGA MARINHA ⇒ antagonismo na
síntese dos fatores de coagulaç
coagulação dependentes da vitamina
K (II, VII, IX e X): QUEIJO, FÍ FÍGADO, ARENQUE EM CONSERVA, CARNES E
Acenocumarol,
Acenocumarol,Dicumarol,
Dicumarol,Varfarina PEIXES DEFUMADOS, ENLATADOS, EXTRATO DE
CARNE, CHUCRUTE, MOLHO DE SOJA, ABACATE,
BANANA, IOGURTE, FIGO EM LATA, PASSA DE UVA,
LEITE ⇒ aumento da lipossolubilidade e da CHOCOLATE, VINHO E CERVEJA
biodisponibilidade:
biodisponibilidade:
⇒ aumento da liberaç
liberação de catecolaminas = hipertensão e
o Cefuroxina
taquicardia:
o Nabumetona

Clorgilina,
Clorgilina,Selegilina,
Selegilina,Fenelzina,
Fenelzina,Iproniazida,
Iproniazida,Tranilcipramina

Interação Fármaco – Nutriente:


• Interaç
Interações ní
nível Mucosa/Pó
Mucosa/Pós-Absortivo:
Absortivo:
– COMPETIÇ
COMPETIÇÕES;
Reaç
Reações Adversas Causadas por Alimentos • Ca - Fe:
Fe:
• Ca – Zn:
Zn:
• Reaç
Reações de Ruborizaç
Ruborização(
ão(“flush”
flush”): • Fe – Zn:
Zn:
– Drogas + álcool • Zn – Cu:
– INTERAÇ
INTERAÇÕES METABÓ
METABÓLICAS;
• Nutriente em bloqueio de outro: Prot X Ca
• Nutriente para Absorç
Absorção de outro:
– Tiamina X CHO,LIP;
• Interaç
Interação Zn-
Zn- Vit A;
• Interaç
Interação Vit A, B2 – Fe;
Fe;
• Interaç
Interação Proteí
Proteína-
na- Ca

Reaç
Reações Adversas Causadas por Alimentos

• Medicamentos estimulantes de Apetite:


– Hiperefá
Hiperefágicos:
gicos:
• Anti-
Anti-histamí
histamínicos;
nicos;
• Psicotró
Psicotrópicos;
picos; HO CH CH2 NH2 HO CH CH2 NH2
OH
• Hipoglicemiantes; OH
HO
• Esteró
Esteróides;
ides;
• Antidepressivos;
• Medicamentos inibidores de Apetite:
– Hipofá
Hipofágicos:
gicos:
• Anfetaminas

14
• NORADRENALINA
• TIRAMINA
– amina vasoativa
ação sobre R beta-
beta-1 - relaxamento e
– amina simpatomimé
simpatomimética de aç
ação indireta vasodilataç
vasodilatação
– provoca a liberaç
liberação de noradrenalina por um ação sobre R alfa - vasoconstriç
vasoconstrição perifé
periférica
processo de difusão da terminaç
terminação (HTA)
neuroadrené
neuroadrenérgica

• fármacos que inibem o catabolismo das


catecolaminas - inibidores da monoamino-
monoamino-
oxidase (IMAOs
(IMAOs))
• Tiramina da dieta ¾ antidepressivos - moclobemida,
moclobemida, tranilcipromina
¾ antiparkinsonianos – selegina
¾ antineoplá
antineoplásicos - procarbazina
– destruí
destruída pela MAO na parede • fármacos que potenciam a liberaç
liberação de
intestinal e no fí
fígado antes de catecolaminas
chegar à circulaç
circulação sistêmica ¾ derivados de anfetaminas

• conjunto de sintomas assemelha-


assemelha-se a um
quadro de feocromocitoma
• cefalé
cefaléia pulsá
pulsátil,
til, febre, hipertensão grave • elevaç
elevação da PA proporcional ao teor de
(30’
(30’ a 2 h apó
após a ingestão dos alimentos), tiramina alimentar
hemorragia intracraniana e morte
• mesmos sintomas são causados por • ingestão de 6 mg de tiramina pode ser
dopamina,
dopamina, metildopa e alimentos ricos em perigosa até
até 3 semanas apó
após a suspensão da
aminas pressoras (histamina, dopa) terapêutica medicamentosa com IMAOs

15
¾ salsicha defumada, arenque defumado,
caviar russo ou iraniano, extrato de carne
conservada • histamina pode ser responsá
responsável por
falsas alergias alimentares
¾ frutos (figos, bananas, abacate, uvas, • doentes alé
alérgicos, tratados ou não com
groselha, ananás) antihistamí
antihistamínicos,
nicos, devem evitar alimentos
ricos em histamina
¾ bebidas (chianti, cerveja, café, chocolate, • alergias, inchaç
inchaços, vermelhidão da pele,
xerês, refrigerantes a base de cola) dores de cabeç
cabeça, ná
náuseas, diarré
diarréias,
pressão baixa e choque anafilá
anafilático
¾ queijos fermentados ou fortes: gruyere,
emmental, brie, cheddar, roquefort
¾ iogurtes, gorduras

Queijo gruyere • vitamina K


Peixes (atuns, bonitos, cavalas, ¾ co-
co-fator para a sí
síntese de protrombina no
cavalinhas, enchova e a sardinha) fígado
• anticoagulantes orais
¾ diminuem a sí
síntese dos fatores de
coagulaç
coagulação dependentes da vitamina K no
fígado
¾ síntese protrombina - diminuí
diminuída
• podem diminuir a aç
ação dos anti-
anti-coagulantes
orais

óleos vegetais tomate


feijão verde alfafa
repolho, alface, bró
brócolis, gemas de ovos • relevantes para determinadas
couve-
couve-flor, espinafre, couve terapêuticas
¾ diuré
diuréticos, lí
lítio, corticosteró
corticosteróides,
ides,
AINEs,
AINEs, SMX+TMP, fá fármacos
dieta gordurosa fígado cardiovasculares

laranja iogurte

16
sal de cozinha batata Pão Feijão
carnes (bovina, suí
suína, frango) grãos Cereais integrais Ervilhas
Leite e queijos Espinafre
carnes industrializadas acelga Frutas (ameixa preta, figo, Batata doce e
enlatados abacate uva, melão, pêssego, laranja, inglesa
banana)
leite e derivados beterraba Fígado, Rim Café
Café
embutidos água mineral Carnes, aves Chocolate
Amendoim, castanha de caju Água de côco

• reduzem a absorç
absorção de muitos íons
• podem facilitar a atividade de alimentares (ferro, zinco, cá
cálcio, etc.) por
muitos medicamentos, complexaç
complexação
particularmente os hipolipidemiantes • importante nas terapêuticas que
e hipoglicemiantes orais necessitam de um aporte fixo em cá
cálcio
¾ corticosteró
corticosteróides
¾ digitá
digitálicos

Produtos lá
lácteos
Legumes (Batata doce, Feijão, Lentilha,
• fosfato de piridoxal – coenzima Soja)
• vitamina B6 (piridoxima)
piridoxima) – precursor Frutos (Abacate, banana, melão, nozes)
• transformaç
transformação de levodopa em dopamina Pão e cereais (farinhas de soja e aveia,
gérmen de trigo)
• aceleraç
aceleração da conversão em dopamina
plasmá
plasmática, diminuiç
diminuição da dopamina central Levedura de cerveja
Ovos
Peixes (salmão fresco, atum)
Carnes (bacon, fí
fígado de boi, suí
suíno)

17
GLUTAMATO DE SÓ
SÓDIO • fenilamina (chocolate) - interaç
interação
bené
benéfica com os antidepressivos
• principalmente na comida chinesa
• determina rubor facial, acompanhado ou não
de cefalé
cefaléia
• interaç
interação com determinados • ciclamatos + tetraciclinas – formaç
formação
vasodilatadores (nitratos, clorpropamida,
clorpropamida, de quelatos insolú
insolúveis inabsorví
inabsorvíveis
calcitonina)
calcitonina) DIET

Reaç
Reações Adversas Causadas por Alimentos SUBSTÂNCIAS INTERATIVAS
• Medicamentos que interferem na Absorç
Absorção de POTENCIAIS DA DIETA
Nutrientes: 9Álcool/Etanol
– Promotores de Absorç
Absorção: 9Amido (trigo):
• Cimetidina;
Cimetidina; 9Cafeí
Cafeína:
na:
– Redutores de Absorç
Absorção:
• Primá
Primários:efeitos
rios:efeitos diretos no lú
lúmen intest.
intest. 9Fenilalanina:
Fenilalanina:
• Secundá
Secundários:efeitos
rios:efeitos na absorç
absorção, destinaç
destinação ou metabolizaç
metabolização 9Lactose:
• Medicamentos inibidores de Absorç
Absorção: 9Óleos:
– Óleo Mineral: 9Sulfitos:
– Fenolftaleí
Fenolftaleína;
na;
9Tiramina:
Tiramina:
– Colestiramina;
Colestiramina;
– Outros:

RECOMENDAÇ
RECOMENDAÇÕES NA ADMINISTRAÇ
ADMINISTRAÇÃO RECOMENDAÇ
RECOMENDAÇÕES NA ADMINISTRAÇ
ADMINISTRAÇÃO
DE MEDICAMENTOS POR SONDA DE MEDICAMENTOS POR SONDA
9 Formas farmacêutica:
9 Via de administraç
administração: ƒformas lí
líquidas / Opç
Opção – fórmulas pediá
pediátricas

ƒ Sempre que possí


possível – utilizar a via oral ƒformas só
sólidas – trituraç
trituração e dissoluç
dissolução – evitar obstruç
obstrução da sonda
ƒ Diluir em 15-
15-30ml de água/ Intervalo de 15-
15-30min
ƒ Administraç
Administração por sonda - via alternativa para ƒLíquidos – primeiro as formas com < viscosidade
formas farmacêuticas orais ƒlavar : 15-
15- 30ml de água, antes e depois da administraç
administração
ƒ Não incorporar o fá
fármaco a dieta enteral/
enteral/ Infusão intermitente –
ƒ Local de atuaç
atuação e absorç
absorção X posiç
posição da sonda administrar nos intervalos
ƒ Infusão contí
contínua – parar 30’
30’ antes e lavar a sonda c/ 50ml de água,
ƒ Soluç
Soluções hiperosmolares X posiç
posição da sonda administrar e aguardar 30’
30’ p/ conectar

ƒ Indicaç
Indicação da administraç
administração c/ ou s/ dieta enteral

18
Etanol promove

¾ melhora da dissoluç
dissolução
ETANOL ¾ aumento do fluxo sanguí
sanguíneo gastrintestinal
¾ reduç
redução do efeito de primeira passagem no intestino
• taxa de ligaç
ligação às proteí
proteínas plasmá
plasmáticas – 25%
medicamentos que modificam a velocidade do
esvaziamento gástrico determinam variação na • altamente lipossolú
lipossolúvel, atinge facilmente SNC e compartimento
fetal
velocidade de absorção do etanol
• Leva à hipoalbuminemia - aumento do Vd fármacos
anticoliné
anticolinérgicos retardam absorç
absorção etanol
• modificaç
modificação de permeabilidade membraná
membranária - facilita a difusão
de alguns fá
fármacos no SNC
Metoclopramida aceleram absorç
absorção etanol ¾ diazepam
¾ pentobarbital
¾ L-dopa

• metabolismo etanol essencialmente hepá


hepático

• ingestão aguda e maciç


maciça de álcool inibe o NADPH2 NADP NADPH2 NADP
sistema citocromo P-450 e conseqü
conseqüentemente o CH3 CH2OH
metabolismo de muitas substâncias CH3 COH CH3COOH
desidrogenase desidrogenase
alcoólica 1 ALDEÍDO aldeídica 2 ÁCIDO
ETANOL
ACÉTICO ACÉTICO
• ingestão excessiva durante um longo perí
período,
odo,
induz a citocromo C redutase acelerando o 1 Citossol do hepatócito
metabolismo de certos fá
fármacos
2 Mitocôndria do hepatócito

Cloranfenicol,
Cloranfenicol, Fenilbutazona,
Fenilbutazona,
NADPH2 NADP NADPH2 NADP
Hidrato de Cloral, Clorpromazina
CH3 CH2OH CH3 COH CH3COOH
desidrogenase desidrogenase
alcoólica ALDEÍDO aldeídica ÁCIDO
ETANOL ocorre acúmulo de etanol com
ACÉTICO ACÉTICO
exacerbação de seus efeitos

19
• Vasodilataç
Vasodilatação (rubor facial),
taquicardia, vômitos, cefalé
cefaléia pulsá
pulsátil,
til,
dispné
dispnéia, ná
náuseas, vômitos, sudorese,
NADPH2 NADP NADPH2 NADP sede, confusão mental, visão turva,
CH3 CH2OH CH3 COH CH3COOH
sensaç
sensação de pânico e angú
angústia
desidrogenase desidrogenase
ETANOL
alcoólica ALDEÍDO aldeídica ÁCIDO • Maioria evolui para sono e completa
ACÉTICO ACÉTICO recuperaç
recuperação
• Duraç
Duração – 30 minutos a vá
várias horas

Orientaç
Orientações a serem fornecidas

• Evitar consumo de bebidas alcoó


alcoólicas um dia
antes, durante e até
até dois dias apó
após o té
término do
Dissulfiram*
Dissulfiram* (Antietanol®) Cefalosporinas tratamento
Metronidazol*
Metronidazol* Cetoconazol • Medicamentos contendo etanol – extratos
Albendazol Cloranfenicol alcoó
alcoólicos
Furazolidona Griseofulvina
Levamizol Nitrofurantoí
Nitrofurantoína
Tinidazol IMAO
Sulfiram Procarbazina
Sulfoniluré
Sulfoniluréias (clorpropamida,
clorpropamida,
glibenclamida,
glibenclamida, gliclazida,
gliclazida,
glimepirida,
glimepirida, glipizida)
glipizida)

• Aumento
¾ ansiolí
ansiolíticos
¾ antidepressivos
¾ sedativos
¾ neurolé
neurolépticos
¾ dextropropoxifeno*
dextropropoxifeno*
¾ anticoliné
anticolinérgicos (difenoxilato)
difenoxilato)
¾ anti-
anti-hipertensores centrais
¾ anti-
anti-histamí
histamínicos H1

• efeito hipoglicemiante pró


próprio – inibe a gliconeogênese

• potenciaç
potenciação dos hipoglicemiantes orais e insulina

• aumento do risco de desenvolvimento de acidose lá


láctica pelas
biguanidas (fenformina,
fenformina, metformina)
metformina)

• Hiperglicemia – utilizaç
utilização de aa, lactato e piruvato (mú
(músculos) e ácidos graxos e
glicerol (tecido adiposo) para conversão em glicose no fífígado (gliconeogênese
(gliconeogênese))
ou em corpos cetônicos (b-(b-hidroxibutirato e acetoacetato)
acetoacetato)

20
• inibiç
inibição dos fenômenos de privaç
privação alcoó
alcoólica, pelos antagonistas morfí
morfínicos
(naloxona)
naloxona)

• depressão respirató
respiratória por hipnoanalgé
hipnoanalgésicos (agonistas parciais opió
opióides)
ides) MEDICAMENTO EFEITO MECANISMO
Teofilina, Diminuição metabolismo Aumento Cplasm.
Warfarina hepático
AnticoncepcionaisOrais Aumento efeitos adversos alteração:metabolismo
ACO Progestágenos e estrógenos

• inibiç
inibição do rubor facial induzido pelo álcool – clorpropamida,
clorpropamida, MEDICAMENTO EFEITO MECANISMO
indometacina Antidepressivos Diminuição Aumento Cplasm.
• aumento do risco de hemorragias gastrintestinais - AINEs e Tricíclicos metabolismo hepático
glicocorticó
glicocorticóides
• aumenta da hepatotoxicidade do paracetamol (uso prolongado) Furosemida Diminuição efeito Incremento
• diminuiç
diminuição do efeito beta-
beta-bloqueador do propranolol (uso prolongado) diurético do ADH pela
pelo aumento da sua biotransformaç
biotransformação nicotina

21