Você está na página 1de 5

Missão e Espiritualidade do Jovem

Deus precisa dos jovens e isso é um, fato bíblico. Os homens que mudaram uma era foram
grandemente usados por Deus, eram jovens ou foram chamados quando jovens. Lembremos de
Moisés já velho, mas que fora chamado desde recém-nascido, Josué que acompanhava Moisés
desde jovem.

Podemos citar também: Os profetas Daniel, Zacarias; os discípulos João evangelista, Lucas,
Marcos, Paulo e outros citados na bíblia, que ainda jovens deram a vida pro Deus e pela
Salvação do povo de Deus. Já que Deus pensa desta forma, não podemos pensar diferente.
Deus tem uma missão grandiosa para nós jovens e não devemos fugir dela. Mesmo com a
nossa pequenez, nossa pobreza e com os nossos medos, pois, Ele não olha as nossas
características.

Deus não se limita em nossas características, mas utiliza do pouco que temos para fazer
grandes obras em nós e no seu povo. Vemos isto claramente na vida de Moisés que era
medroso, gago (cf. Exo 3 e Exo 4) e também com são marcos, quando da prisão de Jesus. Ele
seguia Jesus e foi preso, mas conseguiu fugir deixando sua capa para traz (cf. Marcos 14,51-
52). O que quero dizer é que não importa como somos e nem de onde viemos, pois, quem nos
capacita é Deus. Basta estarmos abertos e aceitarmos a missão dele que é rico em poder e
misericórdia.

1.1 - Missão do Jovem

Deus hoje precisa de jovens que estejam dispostos edificar a Igreja, a edificar o reino de Deus,
a levar a boa nova a todos a pessoas que ainda não a ouviram. Devemos fazer valer as palavras
de Jesus: "Ide por todo mundo e anunciai o evangelho" (cf.). Esta é a nossa missão colocarmos
toda a nossa jovialidade a disposição do Senhor.

São Paulo na sua primeira carta a Timóteo, no capitulo 4, versículo 12 expressa também uma
missão a cada um de nós jovens: "Ninguém de despreze por seres jovem. Ao Contrario torna-
te modelo para os fieis, no modo de falar e de viver, na caridade, na fé, na castidade". Ou seja
temos que ser testemunhas de cristo, testemunhas do amor de Deus pelo seu povo,
testemunhas do poder do Senhor em nossas vidas e na vida do seu povo.

O Papa João Paulo II também mostra o seu apreço aos jovens, na sua Carta Apostólica "Novo
Millennio Ineunte" onde ele nos fala: "Os jovens revelaram-se uma vez mais, para Roma e para
a Igreja, um Dom especial do Espírito de Deus". Ainda nesta carta João Paulo II pede a nós
jovens, uma opção radical de fé e de vida em Cristo e aponta-nos uma grande missão, nos
fazermos "sentinelas da manha" neste novo milênio na qual estamos. (cf. Is 21,11-12).

Evangelizadores, Testemunhas e Sentinelas, estas são as nossas principais missões diante de


Deus, Jesus e da igreja, sermos jovens que evangelizam outros jovens através do anuncio da
2
palavra, que testemunham a fé e a mudança de vida em Jesus Cristo e sentinelas que estão
apostos vigiando e orando e preparados para o combate, diante deste mundo cheio de injustiça.

1.2 - Carisma: Ser jovem

Como jovens devemos exercitar esta graça abundante que o Senhor nos dá. Os carismas. E o
primeiro carisma a ser manifestado em nós é o amor, visto que, sem amor nada terá sentido,
de nada valera a nossa vida. Sem o amor de Deus por nós, o que seria da nossa vida? (cf. I Cor
13,1-8). Depois do amor, o Ser Jovem, deve ser o nosso próximo carisma. Este é o nosso
chamado e vemos na bíblia que Deus utiliza desta nossa condição, para conduzir o seu povo.

O ser jovem de Deus, não significa que teremos que deixar de ir a festas, de namorar, de
divertir-nos, mas sim em tudo que fazemos levarmos Jesus. Logicamente essa consciência
aumenta em nós a responsabilidade dos nossos atos, não podendo assim, sermos levados pelos
modismos do mundo e muito menos irmos em local que nos leva a pecar e a dar um contra
testemunho daquilo que acreditamos fazendo com que as pessoas ao invés de irem para Deus
se afastem d’Ele.

O Papa João Paulo II, quando das celebrações do Jubileu do Ano 2000, explicita na sua Carta
Apostólica Novo Millennio Ineunte a sua alegria no encontro com os jovens onde ele recorda: O
Encontro Jubiloso e Estimulante dos Jovens. Ele escreve ainda: Vi-os moverem-se pela cidade,
alegres como devem ser os jovens, mas também ávidos de oração, de sentido, de amizade
verdadeira.

Assim deve ser a nossa juventude. Este é o chamado que o Senhor nos faz, sermos jovens
felizes, orantes e que vivem no amor, pois, sabemos onde está a fonte de toda a nossa alegria,
a fonte do amor e nela podemos deliciar-nos.

Um jovem nas mãos do Senhor pode ser e é capaz de mudar este mundo, é capaz de contagiar
muitas outras pessoas. No passado como vimos e podemos ver na historia, na bíblia vários
jovens que amavam o Senhor, deram a vida por Ele, se consumiram por Ele e foram capazes de
fazer a diferença e abalaram o mundo. Muito mais hoje isso é verdade e é o que o Senhor nos
chama, uma nova geração de jovens que lutam contra o pecado e a favor da edificação do
Reino de Deus.

Devemos ser lutadores como Caleb, filho de Jefoné, diante de Moisés e da terra prometida:
vamos e apoderemo-nos da terra, porque podemos conquista-la.(Num 13,30), e não como os
outros que tinham ido com ele explorar a terra de Canaã, que por causa das dificuldades que
iriam encontrar, por medo, não queriam se apoderar da terra, visto que, lá existia povos mais
fortes que os Hebreus. (cf. Num 13,31-32). Eles esqueceram um grande detalhe, que com
certeza Caleb não havia esquecido, a terra foi prometida pelo Senhor (cf. Num 13,1-2) e não
importava as características dos povos que habitavam a terra, e nem as características do povo
3
Hebreu, quem era mais forte ou mais fraco, mas o que decidiria tudo é que o Senhor estaria do
lado deles e só isto bastava.

Na nossa missão não importa as dificuldades que vamos encontrar, para conseguirmos a
salvação e levarmos outras pessoas a serem salvas, não importa as nossas características,
como o Senhor já havia dado a terra prometida aos Hebreus, assim Ele já nos deu a Salvação,
basta colocarmos como Caleb e Josué a nossa juventude em serviço ao nosso Deus e
lembramos que não é por mérito nosso que as coisas acontecem mas sim pela ação do Espirito
Santo de Deus. (cf. Zacarias 4, 4-6)

2 - A espiritualidade do evangelizador jovem

Nossa espiritualidade de evangelizadores jovens deve ser "católica" na igreja com uma fé
"universal" em seu amor e no propósito da disposição de dar e receber com humildade.
Devemos amar exatamente como cristo nos ama, e isto significa amar a Igreja inteira, em
todas as áreas geográficas e culturais do mundo. Nossas espiritualidade também deve ser
católica no sentido de ser orientada por um espírito de interdependência mais do que
independência.

Nós cristãos, jovens evangelizadores, temos a obrigação de realizar inúmeras tarefas Entre elas
algumas que são muito importantes para o nosso ministério:

Amar da maneira que Deus ama (Jo 15, 9-12), sem excluir ninguém. Amando não somente as
pessoas que estão do nosso lado, mas todo o povo de Deus e até mesmo nossos inimigos.

Perdoar da maneira como Deus nos perdoa, sempre, setenta vezes sete. (Mc 11,25).

Realizar as obras que Cristo realizou, e mesmo as maiores tarefas (Jo 14,12), o que significa
remover as montanhas de pecado e de dor que encobrem tantos.

Orar sempre, nunca perdendo a esperança. A oração é a força do homem e a fraqueza de Deus.
A oração disciplina a nós e a nosso ministério.

Tornar-nos santos de Deus, perfeitos como é o Pai Celestial, puros na maneira de pensar, sentir
e agir.

Fazer discípulos em todas as nações (Mt 28,19), a fim de que cada um possa ser capaz de
realizar estes feitos maravilhosos e humanamente impossíveis.

Necessitamos de uma espiritualidade missionária, dinâmica e perseverante.


4
As virtudes Teologais são sustento para esta espiritualidade, são como pilares que erguem esta
maturidade espiritual necessária a evangelização dos jovens:

Pela fé – A característica de qualquer vida missionária autêntica é a alegria interior que vem da
fé. A fé produz esta alegria que impulsiona o evangelizador a sempre estar disposto para a
missão que abraçou. Todos vêem que sua alegria é fruto da Espírito.

Pela Esperança - num mundo angustiado e oprimido por tantos problemas, que tende ao
pessimismo, o proclamar da Boa Nova, deve ser o testemunho de um homem que encontrou
em Cristo a verdadeira esperança. O Evangelizador Jovem deve ser este homem a dar seu
testemunho com sua vida. Deve conduzir todos a terem esperança em Cristo que ressuscitou.

Pelo Amor – a espiritualidade caracteriza-se, além disso, pela caridade apostólica, a de Cristo,
que veio levar à unidade os filhos de Deus que estavam dispersos: O Bom Pastor que conhece
as suas ovelhas, procura-as e oferece sua vida por elas.

Esta espiritualidade para qual o Papa está alertando é que nós Evangelizadores Jovens devemos
assumir. Esta tarefa não é impossível mas necessita tanto de ser feita, e será feita se formos
suficientemente humildes para depender do nosso, Deus.

2.1 - O Exemplo da Jovem Maria

Para esta espiritualidade é necessário algo que até parece bastante contraditório, mas que é o
princípio fundamental para qualquer evangelizador, que é ouvir a voz de Deus através do
Silêncio Interior. O Silêncio que se resume em Maria. Sua vida foi quietude e paz. Não uma paz
acomodada, mas uma autentica paz inquieta. Estava preparada para ouvir a voz do Criador, por
isto seu eco foi perfeito. A Canção de Maria ultrapassou limites e barreiras, palavras e tornou-
se pessoa: "o verbo se fez carne..."(Jo 1,14).

Porém há um grande abismo a ser transposto por nós servos de Deus. Um abismo
fundamental. Atravessando-o, tudo estaria bem. Mas a grande maioria do povo de Deus ficam
aquém desse vale. O abismo de que falo é o grande Silencio de Deus que Maria soube viver, ao
contrário de muitos servos, que são só barulho.

Os ouvidos da fé são o caminho a ser seguido; buscar tê-los, aí o Silêncio que buscamos já não
será mais uma abismo, mas a própria voz de Deus. Com os ouvidos da fé podemos ouvir esta
silenciosa canção de amor que nos dá forças para transpor o abismo e ecoar a voz de Deus.

Como jovens devemos exercitar esta graça abundante que o Senhor nos dá. Os carismas. E o
primeiro carisma a ser manifestado em nós é o amor, visto que, sem amor nada terá sentido,
de nada valera a nossa vida. Sem o amor de Deus por nós, o que seria da nossa vida? (cf. I Cor
13,1-8).
5
Depois do amor, o Ser Jovem, deve ser o nosso próximo carisma. Este é o nosso chamado e
vemos na bíblia que Deus utiliza desta nossa condição, para conduzir o seu povo.