Você está na página 1de 10

Metais Alcalinos – Introdução

Os elementos do grupo I são conhecidos como metais alcalinos.


São eles: lítio – Li, Sódio – Na, Potássio – K, Rubídio – RB, Césio – Cs e
Frâncio – Fr.

A palavra “álcali” é derivada de um termo arábico que quer dizer CINZA DE


PLANTA. – Onde alguns deles são encontrados.

As propriedades químicas e físicas estão intimamente relacionadas com sua


estrutura eletrônica e seu tamanho.

São metais leves e moles. Possuem ponto de fusão baixo e densidade baixa –
conseqüência de seus raios atômicos elevados.

São altamente reativos por isso não são encontrados livres na natureza. Todavia,
seus compostos estão entre os mais estáveis ao calor de modo que sua decomposição
térmica é praticamente impossível.

Reagem muito facilmente com a água e, quando isso


ocorre, formam hidróxidos (substâncias básicas ou alcalinas),
libertando hidrogênio. Estes metais também reagem facilmente com o
oxigênio produzindo óxidos.

Todos os metais alcalinos são redutores muito fortes.

A condutividade elétrica é elevada.

Todos os metais alcalinos tem estrutura cúbica de corpo centrado.

Possuem na camada eletrônica mais externa um elétron fracamente ligado ao


núcleo e geralmente formam compostos univalentes, iônicos e incolores.

Os hidróxidos e óxidos são bases muito fortes e os oxissais são muito estáveis.

Os metais alcalinos reagem invariavelmente para formar íons +1 tanto nos


produtos cristalinos quanto em solução

Por que não formam íons 2+? A quebra da camada n-1 requer muita energia. A
energia da segunda ionização é tão maior que a primeira que a formação de íons 2+ se
torna impossível.

Primeira Segunda (KJ / mol-1)


Li 520 7296
Na 496 4563
K 419 3069
Rb 403 2650
Cs 376 2420
Fr 370 2170
Todos os metais alcalinos se dissolvem em amônia líquida formando soluções
azuis quando diluídas e de aparência metálica quando concentradas.

Ocorrência e Abundância

O sódio e o potássio constituem cerca de 4% em peso da crosta terrestre além de


serem elementos essenciais para a vida animal.
Esses dois elementos foram isolados pela primeira vez por Humphrey Davy em
1807 pela eletrólise de KOH e NaOH.

Abundância na crosta terrestre

Elemnto Abundância %
Li 0,0018
Na 2,27
K 1,84
Rb 0,0078
Fr 0,00026
Lítio

O lítio difere dos demais elementos do grupo.

Obtenção: A partir de minerais do grupo dos silicatos.

Principal produtor Mundial: Ex união soviética – 36%.


Sódio

É o sétimo elemento mais abundante.


Ocorre em grande quantidade na água e no mar como NaCl (sal-gema) principal
fonte de sódio. É um elemento químico essencial inclusive à vida animal.

Principal produtor Mundial: Estados Unidos - 19%

Aglomerados de NaCl

É um metal macio, leve e de coloração branco prateado.


É muito reativo, no teste de chama arde na cor amarela, se oxida com o ar, reage
violentamente com a água e é muito corrosivo quando entra em contato com a pele.

Não é encontrado livre na natureza. Decompõe a água produzindo um hidróxido com


desprendimento de hidrogênio. Normalmente não arde em contato com o ar abaixo de
115 °C.

Aplicações
O sódio metálico emprega-se em síntese orgânica como agente redutor. É também
componente do cloreto de sódio ( NaCl ) necessário para a vida.

Outros usos:

• Em ligas antiatrito com o chumbo para a produção de balas ( projécteis ). Com o


chumbo também é usado para a produção aditivos antidetonantes para as
gasolinas.
• Na fabricação de detergentes combinando-o com ácidos graxos.
• Na purificação de metais fundidos.
• A liga NaK é empregada como transferente de calor. O sódio também é usado
como refrigerante.
• É empregado na fabricação de células fotoelétricas.
• Na iluminação pública, através das lâmpadas de vapor de sódio.

Papel biológico
O cation sódio ( Na+ ) tem um papel fundamental no metabolismo celular como, por
exemplo, na transmissão do impulso nervoso através do mecanismo bomba de sódio.
Mantém o volume e a osmolaridade. Participa nas contrações musculares, no equilibrio
ácido-basico e na absorção de nutrientes pelas células.

A concentração plasmática de sódio é em condições normais de 135 a 155 mmol/L. O


aumento da concentração de sódio no sangue é conhecido como hipernatremia e sua
diminuição de hiponatremia.

Sua carência (pela alimentação, extremamente rara[1]) nos humanos pode causar:
anorexia, náuseas, depressão, tonturas, dores de cabeça, dificuldade de memorização,
fraqueza muscular[2], perda de peso.[3][4]

Seu excesso (em nível de nutriente) nos humanos pode causar: anorexia, disfunção
renal[5], hiperatividade[6], hipertensão, tremor e ganho de peso[7].

Uma maior incidência atual da hipertensão na atualidade é atribuída ao consumo


exagerado de sal na alimentação, em especial no mercado de fast- food e alimentos
industrializados[8].

História
O cátion sódio, ( do italiano soda = sem sabor ) é conhecido em diversos compostos.
Foi isolado em 1807 por Sir Humphry Davy através da eletrólise da soda caústica. Na
Europa medieval era empregado como remédio para as enxaquecas um composto de
sodio denominado sodanum. O símbolo do sodio (Na), provém de natrón ( ou natrium,
do grego nítron ) nome que recebia antigamente o carbonato de sódio.

Abundância e obtenção
O sódio é relativamente abundante nas estrelas, detectando-se sua presença através da
linha D do espectro solar, situada aproximadamente no amarelo. A crosta terrestre
contém aproximadamente 2,6% de sódio, sendo o quarto elemento mais abundante e o
mais comum entre os metais alcalinos.

Atualmente é obtido pela eletrólise ígnea do cloreto de sódio fundido a 808 graus
centígrados, procedimento mais econômico que os usados anteriormente. É um metal
barato.

O composto mais abundante de sódio é o cloreto de sódio, o sal comum de cozinha.


Também se encontra presente em diversos minerais como anfíbolas, trona, halita,
zeólitos e outros.

Precauções
Na forma metálica o sódio é explosivo, em água é venenoso quando combinado com
muitos outros elementos. O metal deve ser sempre manipulado com muito cuidado e,
armazenado em atmosfera ou fluidos inertes (normalmente se usam os hidrocarbonetos
desidratados, como o querosene) evitando o contato com a água e outras substâncias
com os quais o sódio reage.

Sempre o uso de óculos de proteção é necessário, pois seus estilhaços, se houverem,


podem reagir violentamente com o fluido lacrimal.

Em caso de contato com a pele, jamais deve-se lavar o local com água, e sim, com
álcool, até a completa remoção do metal e posteriormente, tratar como uma queimadura
por álcali cáustico, como o hidróxido de sódio.

Sua eliminação é sempre feita em álcool etílico, no qual reage lentamente, formando
alcoolato, que posteriormente, pode ser eliminado com água, com muito menos enérgica
reação.

Potássio

É o oitavo elemento mais abundante.

Ocorre em Grande quantidade na água e no mar em depósitos de KCl (Silvita).

Principal produtor Mundial: Ex união soviética – 35%.


Rubídio

Não existe nenhuma fonte conveniente para exploração do rubídio.


Césio

Existe somente uma fonte de obtenção para o césio.


Frâncio

Todos os elementos mais pesados que o Bismuto (Nº atômico 83) são radioativos.
Assim o Frâncio (Nº atômico 87) é um elemento radioativo. Por possuir um período de
meia vida curto não ocorre em quantidades significativas na natureza.