Você está na página 1de 2

Miolo Elucidações 13 13/10/00 7:46 PM Page 36

CAPÍTULO 6
Aspectos singulares das
sessões sediúnicas

PERGUNTA: — As sessões espíritas que realizamos na


Terra são sempre assistidas pelos espíritos bons?

RAMATÍS: — Indubitavelmente a presença e a assistên-


cia dos bons espíritos nas sessões espíritas dependem mui-
tíssimo das intenções e dos objetivos das pessoas que se
propõem ao intercâmbio com o mundo invisível. Mas, tam-
bém, é certo que todas as criaturas já vivem acompanhadas
pelas almas que lhes são afins a todos os seus atos e pen-
samentos. Assim, os homens regrados e generosos também
simpatizam e atraem as boas companhias do “lado de cá”,
cujas almas, quando em vida física, já viviam afastadas das
paixões degradantes e dos vícios perniciosos. No entanto,
os maldosos, corruptos ou viciados, transformam-se em
focos de atração dos espíritos gozadores, maquiavélicos e
mal intencionados.
Deste modo, quando as pessoas reúnem-se em torno
da mesa espírita ou mesmo no terreiro para o intercâmbio
com o mundo oculto, elas já definem, de antemão, quais
serão as entidades ou os companheiros espirituais que lhes
farão companhias nos labores mediúnicos. Em verdade,
durante a sessão mediúnica os encarnados ouvem direta-
mente as opiniões, sugestões e roteiros que, em geral, já
recebem pela via intuitiva e são inspirados através da
mente ou do coração durante a vida cotidiana.

— 36 —
Miolo Elucidações 13 13/10/00 7:46 PM Page 37

Elucidações do Além

Em conseqüência, não é a mesa nem o terreiro que


fundamentam o tipo da presença espiritual ou da comuni-
cação das almas desencarnadas, mas sim a própria condu-
ta e os hábitos dos seus componentes é que asseguram a
“qualidade” dos espíritos presentes.

PERGUNTA: — É verdade que nas sessões espíritas, as


cadeiras que ficam vazias costumam ser ocupadas por espíri-
tos desencarnados, como assistentes interessados nos trabalhos?
RAMATÍS: — Nas ditas sessões, o público invisível, às
vezes é numeroso, comparecendo, especialmente, os espí-
ritos que buscam lenitivo e consolo moral para seus sofri-
mentos. Porém, quando o ambiente não corresponde a
objetivos superiores, também se apresentam entidades tur-
bulentas e interessadas em perturbar os trabalhos.

PERGUNTA: — A sessão espírita benfeitora, destinada a


assistência e doutrinação dos sofredores, é realmente prote-
gida por uma equipe ou “guarda de segurança” espiritual,
conforme asseveram os entendidos?
RAMATÍS: — A sessão de boa envergadura moral é
protegida contra a invasão de espíritos desordeiros e proi-
bida mesmo àqueles que não foram indicados para assisti-
rem ao trabalho da noite. Nas vias de acesso ao recinto
onde ela se efetua, os mentores distribuem guardas que
impedem o ingresso a qualquer espírito de más intenções.
Essa guarda também pode ser constituída pelos nossos
irmãos silvícolas, obedientes e serviçais, que a serviço do
Bem, formam cordões de isolamento em torno do local.
Deste modo, as entidades de má fé ou agressivas, postam-
se a distância, evitando-se, assim, a projeção dos seus pen-
samentos maldosos ou fluidos magnéticos que perturbem a
harmonia da sessão.

PERGUNTA: — Por que os doutrinadores, nessas ses-


sões, costumam recomendar aos presentes que se concen-

— 37 —