Você está na página 1de 3
SÃO PAULO, 14 DE JUNHO DE 2007 A NÁLISE Q UANTITATIVA M ETA I BOVESPA PARA

SÃO PAULO, 14 DE JUNHO DE 2007 ANÁLISE QUANTITATIVA

META IBOVESPA PARA O FINAL DE 2007

JUNHO 2007

META A 58.000 PONTOS (US$30.500)

Nosso modelo quantitativo faz importantes ajustes econométricos nas séries temporais consideradas de forma a aprimorar a regressão, incluindo o seguinte : as variáveis explicativas são inseridas no modelo em primeiras diferenças de logaritmos, simultanemanente reduzindo as grandezas das variáveis a uma escala similar e evitando a presença de raiz unitária; crescimento dos lucros e prêmio risco-país ambos entram no modelo como um quociente de seus logaritimos ao invés de duas entradas separadas, eliminando desta maneira, tanto quanto possível, o risco de colinearidade entre estas variáveis.

Definimos nossa meta Ibovespa para fim de 2007 em 58.000 pontos (US$30.500), refletindo um potencial de alta de 13% em termos nominais (15% em dólares), considerando-se o preço de fechamento de 12 de junho de 2007 .

Nossa meta é baseada em um modelo quantitativo que considera três variáveis: o crescimento dos lucros para nosso universo de cobertura incluídos no índice (baseado nas estimativas Santander), prêmio risco-país para o Brasil (EMBI+) e o retorno requerido do mercado de ações mundial.

As hipóteses consideradas foram : crescimento de lucros de 33% para 2007 em dólares, prêmio risco-país de 120 pontos- base ao fim de 2007 e um retorno requerido do mercado de ações mundial de 10,5% (taxa livre de risco de 5% mais um prêmio de risco de mercado de 5,5% baseado em uma abordagem do modelo CAPM) em 2007.

As tabelas abaixos apresentam a sensibilidade de nosso modelo a variações de crescimento de lucros e de prêmio risco- país.

Análise de sensibilidade

Meta Ibovespa – dólares

Potencial de alta – dólares

   

EMBI+BRZ

   

EMBI+BRZ

     
  • 80 100

120

140

160

     

80

100

120

140

160

 

13%

31.679

29.589

  • 34.707 26.834

28.040

 

13%

30%

19%

11%

5%

1%

Var Lucro

23%

32.324

30.168

  • 35.449 27.329

28.571

Var Lucro

23%

33%

21%

13%

7%

3%

33%

 

32.930

30.712

  • 36.148 27.794

29.070

33%

36%

24%

15%

9%

4%

43%

33.502

31.225

  • 36.808 28.232

29.540

43%

38%

26%

17%

11%

6%

 

53%

34.044

31.711

  • 37.435 28.646

29.986

 

53%

41%

28%

19%

13%

8%

Meta Ibovespa – R$

 

Potencial de alta – R$

 
   

EMBI+BRZ

   

EMBI+BRZ

     
  • 80 100

120

140

160

80

100

120

140

160

 

13%

60.191

56.219

  • 65.943 50.985

53.276

   

13%

27%

16%

9%

3%

-2%

Var Lucro

23%

61.415

57.319

  • 67.354 51.926

54.285

Var Lucro

23%

30%

19%

11%

5%

0%

33%

 

62.567

58.353

  • 68.681 52.808

55.233

33%

33%

21%

13%

7%

2%

43%

63.654

59.327

  • 69.935 53.640

56.127

43%

35%

23%

15%

8%

4%

 

53%

64.684

60.251

  • 71.126 54.427

56.973

53%

37%

25%

16%

10%

5%

Meta Ibovespa para final de 2007

UMA DISCUSSÃO TÉCNICA DE NOSSO MODELO QUANTITATIVO

Todas as variáveis foram inseridas no modelo em primeiras diferenças de logaritmos. A transformação em logaritmos reduz as grandezas das variáveis a uma escala similar e, simultaneamente, reduz o impacto de possíveis "outliers" (observações aberrantes). A primeira diferença foi escolhida depois que o teste Dickey-Fuller comprovou que uma diferença seria suficiente para evitar a presença de raiz unitária.

Na fase de exploração de dados, detectamos possível colinearidade entre os lucros das empresas brasileiras e o Embi Brasil. Eliminamos isso utilizando um quociente entre as duas variáveis, o qual, simultaneamente, trouxe uma certa não-linearidade ao modelo, tornando-o mais flexível. Em nossa opinião, faz sentido introduzir o quociente do logaritimo dos lucros sobre o logaritimo do EMBI, o que chamamos de quociente lucro risco- país descontado, na medida em que o crescimento do lucro das empresas braisileiras pode ser prejudicado por um aumento do risco-país Brasil.

As estimativas da regressão mostraram-se robustas, no sentido econométrico. Os sinais das coeficientes aparecem nas estimativas conforme o esperado, mostrando que a correlação negativa entre o índice Ibovespa e o risco país é compensada por um relacionamento positivo do índice e dos lucros das empresas brasileiras.

Figura 1. Estimativa da Meta Ibovespa : Variável Dependente (Índice Ibovespa em dólares; primeira diferença de logaritimos – DLIBOVUSS)

Regressores

Coeficientes e Erros-Padrão

Quociente Lucro Risco-País Descontado ("ÍNDICE DEARN")

1,09*

Proxy para Retorno Requerido do Mercado de Ações Mundial (DLNWEM)

R-quadrado R-quadrado ajustado Estatística Durbin-Watson

(0,15)

1,72*

(0,15)

0,6347

0,6315

2,2865

* Indica que o coeficiente é significativo ao nível de 1% de confiança. Erros-padrão em parênteses. Fonte: Economática e Estimativas Santander.

Os coeficientes foram selecionados usando-se um ano de dados, resultando na seguinte equação:

DLNIBOVUSS = 1,09*DEARN RATIO + 1,72*DLNWEM

Onde:

DLNIBOV = primeira diferença do logaritimo do Ibovespa em dólares.

ÍNDICE DEARN = primeira diferença do quociente dos logaritimos dos lucros sobre o logaritimo do EMBI.

DLNWEM

= primeira diferença do logaritimo da proxy para retorno requerido do mercado de ações

mundial.

O R-quadrado ajustado para a equação é superior a 60%, o que é bastante bom para dados diários em primeira diferença, e a estatística Durbin-Watson não evidencia auto-correlação dos distúrbios.

COMUNICADO IMPORTANTE

Os relatórios quantitativos são baseados em cálculos estatísticos e aplicações econométricas que por serem probabilísticos não são isentos de erros. O relatório denominado “Quantitativo“ distingue-se dos chamados relatórios “Técnico” e “Fundamentalista” também produzidos na área de Research, pois ao partir de premissas e dados estatísticos procura descrever dados (estatísticas descritivas, correlações, gráficos, etc) e suas trajetórias, bem como almeja estimar parâmetros e projetar variáveis de interesse, notoriamente através de técnicas quantitativas.

O relatório “Técnico” utiliza-se de uma série de dados passados representados via gráfico para fazer uma análise grafista. O relatório “Fundamentalista” utiliza-se de premissas macroeconômicas e projeções de fluxo de caixa e dados do balanço das empresas nas recomendações. O prazo de recomendação dos relatórios quantitativos pode variar podendo ir de uma recomendação de curtíssimo prazo até uma projeção que ultrapasse o limite de um ano. O relatório técnico tem como horizonte de recomendação o curto-prazo de até 3 meses e o fundamentalista tem como horizonte de recomendação de 12 a 18 meses.

Conseqüentemente, devido às diferenças metodológicas dos três relatórios bem como respectivos horizontes de tempo diferentes, as recomendações dos mesmos poderão ser contrárias.

O presente relatório foi preparado pelo [Banco Santander Banespa S.A.] e destina-se somente para informação de investidores, não constituindo oferta de compra ou de venda de algum título e valor mobiliário contido neste relatório (i.e., os títulos e valores mobiliários mencionados aqui ou do mesmo emissor e/ou suas opções, warrants, ou direitos com respeito aos mesmos ou quaisquer interesses em tais títulos e valores mobiliários). Qualquer decisão de compra ou venda de títulos e valores mobiliários deverá ser baseada em informações públicas existentes sobre os referidos títulos e, quando apropriado, deve levar em conta o conteúdo dos correspondentes prospectos arquivados, e a disposição, nas entidades governamentais responsáveis por regular o mercado e a emissão dos respectivos títulos.

Nós, Marcelo Audi, Nilton Cardoso e Fernando Domingos, com relação aos valores mobiliários alvo de análise no presente relatório, declaramos: que as recomendações refletem única e exclusivamente as nossas opiniões pessoais, e foram elaboradas de forma independente e autônoma, inclusive em relação à instituição a qual estamos vinculados; que não mantemos vínculo com qualquer pessoa natural que atue no âmbito das companhias; que não somos titulares, direta ou indiretamente, de valores mobiliários de emissão da companhia objeto da nossa análise, que representem 5% (cinco por cento) ou mais de nosso patrimônio pessoal, e que não estamos envolvidos na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado; que não recebemos remuneração por serviços prestados e não apresentamos relações comerciais com qualquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no presente relatório, ou pessoa natural ou pessoa jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse desta companhia; e que a nossa remuneração ou esquema de compensação do qual somos integrantes não está atrelado à precificação de quaisquer dos valores mobiliários emitidos por companhias analisadas no relatório, ou às receitas provenientes dos negócios e operações financeiras realizadas pela instituição a qual estamos vinculados.

O Santander assim como suas empresas, bem como os fundos, carteiras e clubes de investimentos em valores mobiliários sob sua administração declara: que [não possui] participação acionária direta ou indireta, igual ou superior a 1% (um por cento) do capital social de quaisquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no presente relatório, e que está envolvido na aquisição, alienação e intermediação de tais valores mobiliários no mercado; que recebe remuneração por serviços prestados ou apresenta relações comerciais com qualquer das companhias cujos valores mobiliários foram alvo de análise no presente relatório, ou pessoa natural ou pessoa jurídica, fundo ou universalidade de direitos, que atue representando o mesmo interesse desta companhia.

As informações contidas neste relatório foram obtidas de fontes consideradas seguras, muito embora tenham sido tomadas todas as medidas razoáveis para assegurar que as informações aqui contidas não são incertas ou equívocas no momento de sua publicação, não garantimos sua exatidão, nem que as mesmas são completas e não recomendamos que se confie nelas como se fossem. Todas as opiniões, estimativas e projeções que constam no presente relatório traduzem nossa opinião na data de sua emissão e podem ser modificadas sem prévio aviso. O Santander ou quaisquer de seus diretores ou funcionários poderão adquirir ou manter ativos direta ou indiretamente relacionados a(s) empresa(s) aqui mencionadas. As filiais estrangeiras do SCHI podem ter (a) coordenado ou co-participado da colocação de uma oferta pública dos títulos desta companhia nos últimos 12 meses; (b) ter recebido compensações desta companhia por serviços de bancos de investimento prestados nos últimos 12 meses; (c) espera receber ou pretende obter compensações desta companhia por serviços de banco de investimento prestados nos próximos 3 meses.

O Santander poderá prestar serviços financeiros, relacionados ao mercado de capitais, ou de outro tipo, ou realizar operações típicas de banco de investimento, de banco comercial ou de outro tipo a qualquer empresa citada neste relatório. O Santander não será responsável por perdas diretas ou lucros cessantes que sejam decorrentes do uso do presente relatório. O presente relatório não poderá ser reproduzido, distribuído ou publicado pelo seu destinatário para qualquer fim.

Nem toda(s) a(s) empresa(s) citada(s) neste relatório é/são habitualmente analisada(s) pela equipe de analistas da área de Research do Santander.