JURISPRUDÊNCIA DAS TURMAS RECURSAIS BOLETIM INFORMATIVO Nº 078 SUMÁRIO - RECURSOS CÍVEIS

Agravo - Inexistência - Ausência de preparo - Deserção ............................................................... 5 AIJ - Parte sem advogado - Prova testemunhal - Prescrição dos juros........................................... 5 Arrendamento mercantil - Leasing - Retenção de valores.............................................................. 5 Assistência judiciária - Requisitos de concessão - Deserção.......................................................... 5 Audiência de conciliação - Convolação em AIJ - Cerceamento de defesa..................................... 5 Ausência de preparo - Recurso - Não conhecimento...................................................................... 6 Cerceamento de defesa - Audiência - Atraso - Revelia .................................................................. 6 Cheque prescrito - Executividade - Prova testemunhal - Ação de cobrança .................................. 6 Cláusula contratual abusiva - Nulidade - Recurso adesivo - Não conhecimento ........................... 6 Cobrança - Composição de danos civis - Cláusula penal - Valor de multa.................................... 6 Cobrança - Seguro obrigatório - DPVAT - Indenização por morte................................................ 7 Cobrança - Seguro residencial - Furto não comprovado - Improcedência ..................................... 7 Compra e venda - Desistência - Multa contratual - Cláusula penal - Perdas e danos..................... 7 Compra e venda - Imóvel - Inadimplência - Rescisão - Devolução parcial ................................... 7 Compra e venda - Mercadoria de mostruário - Defeito .................................................................. 7 Condomínio - Cobrança de contribuições - Legitimidade.............................................................. 8 Consórcio - Liquidação extrajudicial - Quitação integral - Extinção do contrato .......................... 8 Consórcio - Rescisão contratual - Restituição de parcelas - Correção monetária .......................... 8 Consumidor - Direito à informação ................................................................................................ 8 Consumidor - Fato do produto - Responsabilidade - Ônus da prova.............................................. 9 Conta conjunta - Inserção indevida - Prejuízo de ambos................................................................ 9 Contrato de adesão - Prestação de serviços médicos - Restrição - Nulidade.................................. 9 Contrato social - Inclusão de sócio - Anulatória - Princípio da adstrição ...................................... 9 Cumulação de pedidos - Pedidos sucessivos - Sentença citra petita............................................ 10 Dano - Cerca elétrica - Falha - Ciência do proprietário - Furto - Responsabilidade .................... 10 Dano moral - Defeito na representação - Cerceamento de defesa - Inocorrência ........................ 10 Dano moral - Desconto promocional - Condição restritiva - Termo a quo .................................. 10

2

Dano moral - Dilação probatória - Necessidade - Descabimento................................................. 11 Dano moral - Energia elétrica - Estabelecimento comercial - Suspensão indevida ..................... 11 Dano moral - Inclusão no SPC - Indenização............................................................................... 11 Dano moral - Indenização - Agressão verbal - Prova - Justiça gratuita........................................ 11 Dano moral - Indenização - Cheque especial - Cancelamento sem prévio aviso ......................... 11 Dano moral - Indenização - Energia elétrica - Interrupção - Responsabilidade ........................... 12 Dano moral - Indenização - Negativação indevida - Responsabilidade ....................................... 12 Dano moral - Indenização - Razoabilidade - Consumidor............................................................ 12 Dano moral - Indenização - SPC e SERASA - Manutenção indevida ......................................... 12 Dano moral - Indenização - Telefonia celular - Cancelamento de contrato ................................. 12 Dano moral - Interpretação extensiva ........................................................................................... 13 Dano moral - Plano de saúde - Cancelamento de contrato ........................................................... 13 Dano moral - Repetição de indébito - Parcela paga - Matrícula................................................... 13 Dano moral - Restrição de crédito - Pagamento - Manutenção indevida - Ônus ......................... 13 Dano moral - Telefonia - Indenização - Obrigação solidária - Fixação ....................................... 14 Dano moral - Telefonia - SPC - Inscrição .................................................................................... 14 Danos - Elevadores - Condomínio - Legitimidade ....................................................................... 14 Danos morais - Indenização - Mero aborrecimento - Não configuração...................................... 14 Danos morais - Indenização - Quantum........................................................................................ 15 Danos morais - SPC - SERASA - Inscrição indevida - Obrigação de indenizar.......................... 15 Danos - SPC - Inscrição indevida - Adulteração de cheques........................................................ 15 Danos - Transporte aéreo - Extravio de bagagem - Indenização .................................................. 15 Decisão - Anulação - Prova - Oportunidade ................................................................................. 15 Despejo - Uso próprio - Cumulação de pedidos - Impossibilidade .............................................. 16 Dever de indenizar - Pressupostos - Pedido contraposto - Indeferimento .................................... 16 Embargos de declaração - Rediscussão do mérito - Inadmissibilidade ........................................ 16 Embargos de declaração - Sentença - Fundamentação - Desnecessidade .................................... 16 Embargos de declaração - Tramitação processual - Ausência de questionamento....................... 16 Embargos declaratórios - Error in judicando - Assistência judiciária ......................................... 16 Endosso-mandato - Nulidade de título.......................................................................................... 17 Extinção do processo - Não julgamento do mérito - Supressão de instância ............................... 17

............................. 22 Previdência privada ....................................................................Negativa de instalação ..... 18 Furto em veículo ........................................ 23 Prova técnica ...............Petição inicial ....Contrato dúbio ................................ 17 Fornecedor .................. 20 Normas trabalhistas ...... 21 Preparo recursal ........................... 18 Indenização .....Indenização ......Emissão em garantia . 19 Mandado de segurança ......Deserção ......................................................................Preparo .. 18 Inversão do ônus ....Mudança de endereço ..Produção ....Pedido ....................................................... 21 Prescrição ............ 20 Perturbação da vizinhança .Prova de fato .................................BO .......Configuração... 18 Instituição bancária ......Enriquecimento ilícito ..........................................Início e suspensão.Resgate ..........................................Perícia informal ............ 22 Prestação de serviços ...Responsabilidade...........................................Obesidade mórbida ...........................Cadastros de negativação ......... 19 Linha telefônica ...... 24 Recurso .......Perigo de dano ......Pensão e aposentadoria ......Não cabimento ...............................Fé pública ..................... 24 ..............................Prova de abalo .... 21 Prazo prescricional .................Ônus da prova ..........Custas dispensadas ...... 18 Justiça gratuita ..................................Boa-fé........Defesa indireta .............Princípio persuasão racional ... 23 Provas .......................................Encargo do réu ....Encargo do autor ............Justiça do Trabalho...........................Quebra de sigilo bancário ........................Incompetência do Juizado............... 22 Previdência privada .............Ações pessoais .....................Restituição de contribuições .......3 Falta de habilitação ....Equinos em zona urbana ..................................Legislação municipal...Ausência de preparo ................ 18 Indenização ..Suspensão ...Consumidor ................Desistência .........................Ato de Turma Recursal ............................................................................Inclusão .Penhora em conta salário .....Ônus probatório .........Deserção .......Perícia ...........................Garantia ....Ressarcimento ....... 20 Nota promissória ......Culpa in vigilando .............. 19 Mandado de segurança ..Indeferimento..........................................................................................Responsabilidade .............................Réplica .............................Ausência de exclusão expressa ......Estacionamento de shopping .....Competência ..........Recurso ...........................Interpretação ......Responsabilidade ...Ato ilícito ........................................................Inversão do ônus ..............Competência ..Segurado .............. 21 Plano de saúde ........................ 19 Justiça gratuita ..........Execução forçada .......................... 19 Mandado de segurança ..............Reforma em imóvel alheio ..........Turma Recursal ......................Não conhecimento. 19 Mandado de segurança ..................Admissibilidade .. 22 Prova .......................... 21 Prazos processuais ....Fase recursal..... 20 Petição inicial ........................... 20 Mandado de segurança ....Descumprimento ..Teoria da aparência .....

........... 24 Recurso intempestivo ..Manutenção ...Desconto na aquisição de veículo ....................... 25 Responsabilidade ........Ausência de fiscalização....Indenização .............Defensoria Pública .Ausência .......Próprios fundamentos ..................................................Reajuste anual .............................................. 27 Sentença ... 26 Seguro saúde .....................................Prescrição ..................................Obstáculo não comprovado ..................Nota promissória ...................Deserção...............Fundamentos ................................Competência .......................................Nulidade ..... 24 Recurso .....Renovação anual .......Inadmissibilidade .............Orçamento ............................................................Contraditório.................... 27 Sentença ........Não conhecimento .......... 25 Recurso ............Possibilidade...... 29 Título de crédito ...Valor de indenização .............................Não intimação de advogado .......... 27 Sentença ultra e extra petita ............ 24 Recurso intempestivo ........................Nulidade .....................Dolo............ 28 Título de capitalização ....Desistência pelo consumidor .........Sentença ..................Prova de eficácia .................................Legitimidade passiva ..............Quilometragem .................. 27 Sentença ..................Tabela FIPE.........Fundamentação .............................................. 26 Responsabilidade extracontratual .................Manutenção .........................................Devolução de valores ......Critérios de reajustamento. 28 SPC ..........................Preparo ..........Pedido de vista ...................Confirmação pelos próprios fundamentos ......................Apropriação indébita ...Caracterização....... 26 Revisão de mensalidade .... 29 .Preparo .........Prazo legal.Precatórias ..........Intempestividade ....Não devolução ...................Inscrição indevida ..... 25 Reparação de dano ....... 27 Sentença ..Complexidade da causa ..Princípios da adstrição .... 28 Telefonia .....................................Prazo .........Fixação unilateral de preço ... 27 Sentença ................... 25 Recurso ....... 29 Veículos automotores ..........Defensoria Pública .........Desconsideração da personalidade jurídica .............4 Recurso ...........Dolo............ 25 Relação de consumo ............................Confirmação .......................Admissibilidade ......................... 24 Recurso inominado .......................................Valor comercial..........................................Seguradora ...................... 28 Título de capitalização ....Deserção .......................... 25 Rescisão contratual ......................................... 29 Veículo sinistrado .....................................Suspensão e interrupção ..................................Desconto na aquisição de veículo .....................Mantida pelos próprios e jurídicos fundamentos.............

Audiência conciliação . a prestação de assistência judiciária integral e gratuita pressupõe a efetiva comprovação da insuficiência de recursos. 42.Requisitos de concessão . da Constituição Federal.Parte sem advogado .Rec.Cerceamento de defesa "Juizado Especial Cível . AIJ . Juíza Patrícia Vialli Nicolini). Juiz Rubens Gabriel Soares). Juiz Selmo Sila de Souza).Não conhecimento do recurso.5 Agravo . (Turma Recursal de Itajubá .Indeferimento .Deserção "Juizado Especial Cível .Rec.Rel Juiz Paulo Balbino). da Lei nº 9. Não fazendo o recorrente jus à obtenção da assistência judiciária. Recurso conhecido e provido. § 1º. o recurso interposto se apresenta deserto e não deve ser conhecido". apresentara-se desacompanhada de advogado em causa superior a vinte salários mínimos. 4º da Lei nº 1.Rel.Concessão . parágrafo único c/c art.AIJ Nulidade da sentença: Nula é a decisão proferida em audiência de conciliação que foi imediatamente convolada em instrução e julgamento. não houve a participação da recorrente.Recurso deserto. Não há que se falar em nulidades processuais se a parte por ocasião da abertura na AIJ.Retenção de valores "Se o financiamento que foi concedido pelo primeiro réu do autor.322-6 . 54.Ausência de preparo .Inexistência do recurso de agravo .Deserção . Assistência judiciária . nº21. A prova testemunhal somente é admissível em causa até dez vezes o valor do salário mínimo.Prescrição dos juros "Nulidades processuais e cerceamento de defesa .600-8/04 Rel.03. Falta de preparo . (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . É deserto o recurso não preparado. não podendo ser considerado início de prova escrita. Prescrição dos juros . sem oportunizar à parte ré o . a contar da data do vencimento da obrigação". 5º.099/95.Requisitos ." (1ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .Deserção "Assistência judiciária .Os juros de mora prescrevem em cinco anos. Na Lei dos Juizados Especiais inexiste a figura do agravo de instrumento. nº 058/2004 .Inexistência .Convolação em AIJ . o qual não recepcionou o art. face à sua flagrante ilegitimidade passiva ad causam.293863-9 . nº 293.Rel. Audiência de conciliação .Rejeição. cujo recurso não se conhece por falta de amparo legal. meras anotações. o comando sentencial que determina a retenção de valores resultantes do referido empréstimo não lhe pode gerar conseqüências jurídicas. (Turma Recursal da Comarca de Passos .Cerceamento de defesa . nº 024. mediante subscrição do 'Contrato de Arrendamento Mercantil'. Arrendamento mercantil .Rec. nos termos do art. Recurso não conhecido.Rec.Prova testemunhal .Leasing .060/50. LXXIV. sem qualquer informação de seu subscritor.Recurso não conhecido. Em conformidade com o disposto pelo art.

ausência de excessividade manifestada. a multa incidirá apenas sobre as parcelas não liquidadas. nº 313.266-8 . Cláusula penal limitada às parcelas não pagas. (Turma Recursal de Cataguases . Tendo havido livre pacto de cláusula penal e não se tratando de relação de consumo. Revelia decretada Cerceamento do direito de defesa.Rec. Juiz Vinícius Gomes de Moraes). nº 015304029616-9 .Revelia "Audiência . (Turma Recursal da Comarca de Passos .Rel.Nulidade . Juíza Maria das Graças Nunes Ribeiro). a aguardar o encerramento do mesmo para ser reembolsado quanto às parcelas pagas.099 que.Ação de cobrança "Conquanto o cheque prescrito não tenha força executiva. Sentença mantida. repita-se.Rec. Cobrança . não se caracteriza manifestadamente excessiva multa de 20% no caso de inadimplento.04. Ação anulatória de cláusula contratual com pedido de restituição de parcelas pagas. Ausência de preparo . Cheque prescrito .Atraso . Juiz José Geraldo Hemétrio). Recurso não provido". Entretanto.Valor de multa "Cobrança. Ausência de dispositivo legal que obrigue o consorciado que quer se afastar do grupo.Rec. Cláusula contratual abusiva .Audiência .Executividade . estando ele aliado à prova testemunhal produzida a respeito da existência da dívida.Rec. Recurso adesivo intempestivo e não conhecido. Inexistência em homenagem ao princípio de celeridade . Juiz Juarez Raniero). (1ª Turma Recursal de Betim . o terceiro garantidor pelo inadimplento não responde pelas penas acessórias para o caso de pagamento em .6 direito de defesa".Chegada com quinze minutos de atraso. e dizer-se que o atraso de tal envergadura ainda consistira em momento processual adequado." (2ª Turma Recursal de Uberlândia . nº 04023980-1 . nº 063/2004 . indeferindo petição ulterior propugnado reconsideração". nº 702041503666 .Ausência de previsão expressa quanto às penas acessórias.Cláusula penal . seria conspurcar todo o arcabouço do ritual da Lei nº 9.Desprezar-se tal princípio e enfatizar que o espaço de quinze minutos não é suficiente para se decretar a revelia. com os decotes legais.Não conhecimento "Consórcio Imobiliário.Composição de danos civis . Ausência de prejuízo da empresa recorrente. De direito a imediata restituição das parcelas. Nulidade da cláusula contratual que estipula a multa rescisória em 15%.Rel. Garantia de terceira pessoa .Rel. Limitação ao valor principal. deve prestigiar ao máximo o princípio da celeridade".Rel. procede ação de cobrança fundada nessa prova documental ainda mais na se desincumbindo o Réu de provar os fatos extintivos do direito da Autora. Multa contratual em 20%.Recurso .Juiz José Américo Martins da Costa). Cerceamento de defesa .Recurso adesivo .Não conhecimento "Recurso não conhecido quando ausente o preparo prévio. Composição danos civis.131. Recurso improvido.Prova testemunhal .Rec. Na ausência de cláusula expressa. (Turma Recursal de Ipatinga .

sem prejuízo do pagamento das perdas e danos em decorrência da utilização do imóvel".ao qual seu preposto faz expressa alusão.Rec.Rel. . (1ª Turma Recursal de Betim . Compra e venda .Imóvel . Cobrança .Inadimplência .04. não tendo a seguradora procurado demonstrar a inexistência do fato . nº 702030714977 .Rec. nº 024. Conserto efetuado pela assistência técnica no prazo de 15 dias. § 1º.Devolução parcial dos valores pagos. não pode depois se negar a pagar o seguro alegando tratar-se de furto simples.Rec. Recurso não provido.Multa contratual . improcede o pedido de indenização.Seguro obrigatório .Rec.04.arrombamento . Uso do aparelho pelo consumidor por dez meses. Não havendo sido comprovada a ocorrência de furto qualificado na residência do segurado. Juiz Renato Luís Dresch).Cláusula penal . I. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .Defeito "Compra e venda.Rescisão . (2ª Turma Recursal de Uberlândia .Rel. Sentença mantida". do CDC. Cobrança de multa contratual.04. Complementação devida".150372-4 . Valor inferior a quarenta salários mínimos. Compra e venda .Perdas e danos "Contrato particular de compra e venda. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .Juíza Sandra Eloísa Massote Neves). No caso de ocorrência de furto qualificado pelo arrombamento.Mercadoria de mostruário . Desistência. Cobrança .04. do CPC. DPVAT Indenização.088866-1 .Rec nº 21634-7/04 .Inadimplência .Rel. A resolução do contrato de compra e venda sujeita o culpado ao pagamento da multa pactuada em cláusula penal.Furto não comprovado . Juiz Selmo Sila de Souza).293449-7 Rel. nº 702.DPVAT . nº 027. Juíza Yeda Monteiro Athias). Mercadoria de mostruário.Ônus probatório do segurado . Termo aditivo. Morte. Defeito posterior à compra e no prazo de garantia do produto. Compra e venda .Improcedência "Ação de cobrança .Rec.Indenização por morte "Ação de cobrança . 333." (1ª Turma Recursal de Uberlândia .Desistência .Devolução parcial "Contrato de compra e venda de imóvel . Não incidência no artigo 18. Juíza Maria das Graças Nunes Ribeiro). (Turma Recursal de Itajubá . Juiz Renato Luís Dresch). nº 024.Rescisão . Consumidor ciente.Seguro residencial . Recibo de quitação. Ausência de motivo para troca da mercadoria ou devolução dos valores pagos.Art. Em caso de inadimplência do promitente comprador é devida a devolução das parcelas já quitadas com a dedução da multa compensatória e valor devido pela fruição do imóvel".Seguro residencial . Acidente de trânsito.293888-6 .Rel.Seguro obrigatório.Inocorrência de furto qualificado .7 atraso".

(8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . que quer se afastar do grupo. A quitação do saldo devedor pelo consorciado encerra a participação do mesmo. ato jurídico perfeito.Recurso provido . Com o pagamento extingue-se o contrato.Rec.04.Rec.041. com incidência de atualização monetária e acréscimo de juros legais. Pagamento integral do saldo.Rec. Juíza Maria das Graças Nunes Ribeiro). Negado provimento ao recurso". A atualização monetária do débito e a incidência de juros legais devem ser feitas pelos índices adotados pela Corregedoria de Justiça do TJMG. Ausência de dispositivo legal que obrigue o consorciado. Legitimidade ativa do condomínio residencial para cobrar do condomínio qualquer quantia devida ao condomínio.Condenação da recorrida em custas e honorários". Ausência de responsabilidade por valores supervenientes. sendo indevida a recusa da administradora do consórcio em liberar o bem". nº 024. Liquidação extrajudicial.Quitação integral ." (2ª Turma Recursal de Uberlândia .Rel.294223-5 . nº 702041503708 .Direitos básicos dos consumidores independentemente de previsão contratual expressa . uma vez que a primeira deveria tê-lo feito imediatamente e a sucessora tem responsabilidade para a realização imediata.Cobrança de contribuições .Rec. Advogado mencionado no termo de audiência. Recusa em liberar a reserva no Detran.419 . Enunciado nº 09 do Fórum Permanente de Juízes Coordenadores dos Juizados especiais Cíveis e Criminais do Brasil.Extinção do contrato "Consórcio. Legitimidade ativa reconhecida.Correção monetária "Rescisão contratual com restituição de parcelas pagas.Rel Juiz José Luiz de Moura Faleiros).Legitimidade "Cobrança de contribuições condominiais. Responsabilidade da administradora precedente e sua sucessora.Rel.Direito à informação "Informações adequadas e precisas . em seu XIV Encontro Nacional ocorrido em novembro de 2003 em São Luiz/Maranhão. . como a que a sucedeu são responsáveis. com a conseqüente liberação das garantias ofertadas. representação processual caracterizada. Ilicitude na recusa em expedir carta de liberação de ônus.503. (2ª Turma Recursal de Uberlândia . nº 041.Restituição de parcelas . nº 702. De direito a imediata restituição. Juiz Renato Luís Dresch). Tanto a administradora responsável na época em que houve o pagamento. não se sujeitando ainda a rateios posteriores.Liquidação extrajudicial . Recurso parcialmente provido. (2ª Turma Recursal de Uberlândia . extinção do contrato.Rescisão do contrato . limitada em 10% a taxa de administração. Quitação do bem anterior à transferência da administração. Juíza Maria das Graças Rocha Santos) Consumidor . Juros excessivamente onerosos.Rel. a aguardar o encerramento do mesmo para receber o reembolso referente às parcelas pagas.Rescisão contratual .Devolução das parcelas devidamente corrigidas . Consórcio .35865-7 .8 Condomínio . Consórcio .

com diligências e estudos especializados. indébita".Anulatória . como fabricante do sistema de alarme. nº 024. é objetiva.243. Juiz Rubens Gabriel Soares). É defeito e não vício do produto a desativação do sistema de alarme pela inserção de chave de fenda na fechadura da porta. 12 do CDC. mister reconhecer sua responsabilidade pelo ressarcimento dos danos causados ao recorrido. 12. 12 do CDC. nessa parte.649-3 . causando danos materiais ao recorrido. (2ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . 12 do CDC . em se tratando da denominada 'conta conjunta'. Considerando que a recorrente não se eximiu do ônus de comprovar a inexistência de defeito no sistema de alarme. nos termos em que fora formulado na petição inicial sob peça de nulidade do . desnecessária qualquer prova técnica. e para condenar a recorrente ao pagamento das custas. Juiz Vinícius Gomes de Moraes). Juiz Pedro Carlos Bitencourt Marcondes). in casu.293507-6 . bem como furto do aparelho de som. trata-se de contrato de adesão e assim sendo está sujeito aos princípios. a responsabilidade da recorrente. mantendo-se in totum a r.Inteligência do art.Prestação de serviços médicos .Nulidade "O contrato de prestação de serviços médicos (plano de saúde) que restringe de qualquer forma. decorrentes do arrombamento do veículo. o seu uso pelo consumidor deve.Recurso a que se nega provimento. da Lei nº 9.Competência do Juizado Especial . o próprio fabricante admite a falha do sistema de alarme.Rec. via de regra. Necessidade do magistrado se limitar à análise do pedido. do CDC. fundamentos e dispositivos do Código de Defesa do Consumidor. Contrato social . nos termos do art. caput. pois independe da existência de culpa.Restrição . nº 015304030280-1 . pois.Prejuízo de ambos "Segundo o quod plerunque accidit. No caso em apreço. Conta conjunta . sentença. Neste contexto. conforme determina o § 3º do art.Inclusão de sócio . Contrato de adesão . ambos titulares sofrem as vicissitudes da inserção. declarado nulo.9 Consumidor . nos termos do § 3º.Rec. constitui verdadeiro truísmo averbar que.Princípio da adstrição "Anulatória de inclusão de nome de sócio no contrato social de pessoa jurídica. (Turma Recursal de Cataguases . Recurso a que se nega provimento. mormente aquela que afastaria a competência do Juizado. nº 024.Ônus da prova que recai sobre o fabricante. Recurso conhecido e não provido".04.Responsabilidade . Indenização por danos morais.Rel. (1ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . do art. através de uma ou mais cláusulas.Fato do produto .Ônus da prova "Defeito no funcionamento do sistema de alarme original de fábrica Desnecessidade de prova pericial diante da confissão expressa do fabricante acerca da existência do defeito .Rec.04. fixados em 20% (vinte por cento) do valor da condenação. despesas processuais e honorários advocatícios. ex vi do art.Inserção indevida .Responsabilidade pelo fato do produto .099/95".Rel. portanto. Só há que se falar em incompetência do Juizado Especial quando a complexidade da matéria exigir perícia técnica formal. sendo. 55.Rel.

Recurso não provido.Inocorrência.07. rejeita-se o cerceamento apontado.Não há que se falar em defeito de representação se os recorrentes outorgaram procuração para a defesa de seus interesses. Coação não comprovada. Cumulação de pedidos . Dano . se tratando muito mais de adequação do pólo passivo da relação processual em face da assumida condição dos recorrentes.Termo a quo "Não pode prevalecer condição restritiva de incidência de desconto promocional quando não devidamente esclarecida ao consumidor. CPC art. Responsabilidade civil não caracterizada. Dano moral . nº 294.Se os recorrentes constituíram advogado e este promoveu a defesa de seus interesses. Pedidos sucessivos não apreciados pelo juízo singular. ademais. A regra contida no art. O valor de indenização decorrente de dano moral fixada com parcimônia não merece revisão. Sentença citra petita. Meros aborrecimentos não tem o condão de gerar a indenização por danos morais.Rejeição .Cerca elétrica inoperante . 128 c/c art.041. Nulidade".Rec. da culpa e do nexo de causalidade.Defeito na representação .Cerca elétrica .149-2 .04. diante da inexistência de personalidade jurídica em face da sociedade de fato demandada.Rel. apresentando contestação.Desconto promocional . (1ª Turma Recursal de Betim . Juíza Patrícia Vialli Nicolini).Furto . Cerceamento de defesa .Ciência do proprietário .Responsabilidade do condomínio inexistente . Juíza Maria das Graças Nunes Ribeiro).131.Rec. Dano moral .398 . O termo a quo da correção monetária e o ajuizamento e o da influência dos juros é a citação válida". nº 049/2004 .Inocorrência "Defeito na representação . Sentença mantida". Ausência de prova do dano. fato do conhecimento do condômino e que ainda assim deixa entreaberta a janela de seu imóvel.Rel.Rejeição .245-2 .Ocorrendo furto em imóvel supostamente protegido por cerca elétrica que se encontrava inoperante à época do evento.Pedidos sucessivos . nº 702.Sentença citra petita "Havendo cumulação de pedidos. se legítimo o direito da parte em não querer contratar".Falha .Juíza Sandra Eloísa Massote Neves).Rec. não pode pretender ser indenizado pelo dano sob alegação de que existe responsabilidade do Condomínio pelo ocorrido".Rec.Condição restritiva . Dano .Rel Juiz Marco Aurélio Ferenzini).Rel.360. (Turma Recursal de Ipatinga . Juiz Carlos Roberto de Faria). .008872-9 . Dano moral .Cerceamento de defesa . em não sendo acolhido o anterior. entendem a doutrina e a jurisprudência que a prestação jurisdicional se opera por etapas.Ciência do proprietário. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . 460. nº 313. (2ª Turma Recursal de Uberlândia .10 julgado. 289 do CPC determina a apreciação do pedido posterior. (Turma Recursal da Comarca de Passos .Responsabilidade "Furto em apartamento .Rec. nº 027.

resta clara a ocorrência do dano passível de indenização. Dano moral .Estabelecimento comercial . à míngua de prova eficiente.Cancelamento sem prévio aviso "Ação de indenização . Respondendo a companhia por danos morais pela indevida inscrição no Serviço de Proteção ao Crédito.Art. sem aviso prévio ao cliente correntista cancela o limite de cheque especial.Danos Morais .Rel. 2. nº 702.Prova .099/95 .Prova vacilante e contraditória . e se tratando de estabelecimento comercial.Suspensão indevida .Extinção do processo .Cancelamento sem prévio aviso .Decisão mantida". nº 150385-6/04 .Indenização .131. Juiz Edison Magno Macedo).Corte de energia elétrica .Rec.Dano moral .Estabelecimento comercial Pagamento da conta com cheque sem provisão de fundos .Rel." (2ª Turma Recursal de Uberlândia ." (1ª Turma Recursal de Uberlândia .SPC e SERASA .Impossibilidade .Abertura de crédito .Responsabilidade pelos danos morais causados. Se o argüido dano moral decorre de agressão verbal que não restou configurada. nº 04150337-7 .Ocorrência .Indeferimento da justiça gratuita . Dano moral . II. ainda que em razão da devolução do cheque utilizado para pagamento da conta.851 .Inclusão no SPC .Justiça gratuita "Indenização .041.Cheque especial .Suspensão indevida "Indenização . (Turma Recursal de Ipatinga .Rec.Dano moral .360.04. o que impõe o indeferimento do pedido de Justiça gratuita e a sua conseqüente condenação nas custas processuais e honorários de advogado. ocasionando devoluções de cheques emitidos. fica obrigado a reparar o dano moral resultante do lançamento do nome do correntista no SPC e no . 51. Ocorrendo a suspensão do fornecimento de energia elétrica a consumidor. Dano moral . Juiz Joemilson Donizetti Lopes).Indenização .Indenização "Dano moral indenizável .Dano moral . da Lei nº 9.Rec.11 Dano moral . sem prévio aviso deste.Rel. Dano moral .Alegação de falsidade na assinatura . e constatado eventual inadimplemento referente ao terminal anterior.282-5 .Descabimento "Indenização . tal fato não pode acarretar negativação.Agressão verbal . Juiz Alexandre Quintino Santiago). As circunstâncias do processo indicam que a recorrente possui condições de arcar com as custas e despesas do processo. O dano moral decorre do simples fato de ter havido encaminhamento indevido do nome do consumidor para inclusão nos cadastros de proteção ao crédito.Energia elétrica .Necessidade .Condenação em custas e honorários.Ausência de notificação do consumidor .Dilação probatória .Limite de cheque especial .Obrigação de indenizar.Rec.Não cabimento perante o Juizado Especial .Inclusão indevida no SPC por operadora de telefonia Havendo alteração do número do terminal telefônico. descabe o dever de indenizar." (1ª Turma Recursal de Uberlândia .Necessidade de dilação probatória . O Banco que. nº 313.Rel. que necessita da energia para funcionar. Juiz José Luiz de Moura Faleiros).Improcedência de pretensão .

não conhecido". Dever de indenizar o dano moral.Negativação indevida . por si só. não se leva em conta o período em que o nome esteve negativado.Rec.Decisão mantida".Responsabilidade "Indenização. relativo a serviços que não foram prestados. Recurso intempestivo e. Uma vez pago o valor.Confissão de falta de comunicação do acordo de forma a se evitar a negativação . nº 702030805676 .Razoabilidade .Juiz José Maria dos Reis).Recurso tempestivo .Rel.Telefonia celular .Culpa in vigilandi . O pedido de gratuidade pode ser feito a qualquer momento e em qualquer grau de jurisdição".Rec. nº Dano moral . Juíza Maria das Graças Nunes Ribeiro). (1ª Turma Recursal da Comarca 223.Rel. pena de ter que indenizar por danos morais. (2ª Turma Recursal de Uberlândia .04.Pedido julgado procedente .Irregularidade configurada .Cancelamento do contrato - . nº 041.Rec.Energia elétrica . Além do mais.Rel. na fixação do valor de indenização. nº 223.140762-6 . (2ª Turma Recursal de Uberlândia . por isto.Indenização . Dano moral . de Divinópolis - Rec. Responsabilidade civil caracterizada.140644-6 .Responsabilidade in vigilando .Manutenção indevida "Indenização . Indenização devida em montante que não representa enriquecimento lícito do consumidor. originou o lançamento do nome do cliente junto ao SPC e SERASA.Indenização .Fixação do valor independente de período anterior do lançamento ou demora no pagamento . Comprovação do dano ao consumidor.Cancelamento de contrato "Indenização . (Turma Recursal de Ipatinga .Pedido de gratuidade em grau de recurso . (1ª Turma Recursal da Comarca de Divinópolis .Interrupção .12 SERASA". Recurso não provido. Dano moral caracterizado. Juiz Alexandre Quintino Santiago). Alegação por parte da autora de que o valor arbitrado a título de danos morais se apresentou irrisório. Consumidor em dia com os pagamentos.Dano moral .Dano moral . Dano moral . Interrupções injustificadas no fornecimento de energia elétrica. Responsabilidade civil da companhia prestadora dos serviços.Negativação indevida . Dano moral .Indenização .Consumidor "Ação de indenização por danos morais. Fixação do dano moral nos limites da razoabilidade.04.Possibilidade.Responsabilidade "Indenização . nº 313.Juiz José Maria dos Reis).04.Indenização .Rec.Contrato de prestação de serviço de telefonia celular Reclamação junto ao Procon . Juíza Maria das Graças Rocha Santos).131. Dano moral .Poderes outorgados para transacionar . não podendo ser fixado em valor ínfimo. Débito indevido em conta corrente do consumidor.35884-8 .Pedido procedente .Lançamento do nome do cliente no SPC e SERASA após pagamento do título . Sentença mantida".272-6 .Indenização . deverá haver a retirada imediata da negativação.SPC e SERASA . O valor de indenização deve atender aos princípios da proporcionalidade e da razoabilidade.

Tendo o consumidor sido induzido a adquirir produtos da linha de telefonia celular.Recurso inominado adesivo .Ônus do credor . nº 150345-0/04 . São notórios os constrangimentos.Rel. por ausência de previsão legal. cancelado o contrato junto ao Procon.04.Alegação de pagamento indevido parcela referente a outro semestre .Falta de provas .131.Ausência de previsão legal .Rec.Cessação da assistência médico hospitalar . (Turma Recursal de Ipatinga .Ausência de amparo legal Sucessivos ataques ao direito da parte .Baixa da anotação . Não deve ser conhecido o recurso inominado interposto sob a forma adesiva.03.Rec.Rel. Dano moral . nº 313. Juiz Fábio Torres de Sousa).04. tendo que se recorrer ao Judiciário para sanar o problema.Existência de previsão contratual devolução de valor em caso de não efetivação de matrícula . não cabendo inserção de comandos não autorizados. passa por aborrecimentos passíveis de indenização.Restrição de crédito .Manutenção indevida .Dano moral Ocorrência . 313.Rel.263-5 . nº 024. Dano moral .Procedência parcial pedido .Obrigação de indenizar. quando rigorosamente em dia com a prestação que lhe cabia.Repetição de indébito .Cancelamento de contrato "Indenização .Comprovação do pagamento .252-8 . Juiz Alexandre Quintino Santiago). Juiz Paulo Balbino). Resta.Não conhecimento. de na de do nº Dano moral .Pagamento .Impossibilidade . dos quais não pode se utilizar em virtude da oferta enganosa e.13 Cobrança de conta telefônica sem utilização da linha .Dano moral puro. Dano moral .Rec.Interpretação extensiva "Interpretação extensiva da Lei pela parte .A interpretação do texto legal deve-se ater à mens legis. que deve ser indenizado. transtornos e abalos provocados nos afetos e atributos íntimos de uma pessoa que. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . pois. sendo certo de que aquele nada deve e é cobrado. não tem a empresa de telefonia direito de cobrar pelas contas telefônicas apenas por colocar a disposição do cliente a linha.Configuração . irregular e subitamente. ficando desprovido da assistência médico hospitalar pactuada. É dever do credor providenciar a baixa na restrição creditícia depois de comprovado pelo devedor o cumprimento da obrigação.Decisão parcialmente reformada". (Turma Recursal de Ipatinga ." (1ª Turma Recursal de Uberlândia .Dano moral pela não efetivação de matrícula nova instituição de ensino .Plano de saúde .Rel. Juiz Edison Magno Macedo). O dano moral advindo da cobrança indevida dispensa comprovação.131. vê rompido os efeitos de um contrato.293867-0 .Rec.Ônus "Restrição creditícia . nítida a configuração do dano moral puro.Dano moral.Matrícula "Repetição de indébito c/c indenização .Parcela paga .Indevido cancelamento de contrato de plano de saúde . .Dano moral . Os sucessivos ataques ao direito da parte podem configurar dano moral".

SPC . Juiz Renato Luís Dresch).Telefonia . Inclusão do nome no SPC. passível de reparação pecuniária de meros aborrecimento e situações desconfortáveis pelas quais as pessoas estão suscetíveis a passar no cotidiano.14 O atraso no cancelamento da anotação.Indenização por dano moral .150339-3 .360.Rel. (7ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . Constatado o nexo causal entre a lesão sofrida pelo condômino e o acidente decorrente de ato negligente na manutenção pelas despesas médico-hospitalares advindas. não isenta a companhia telefônica da responsabilidade por danos morais pela inclusão no SPC ao titular dos documentos utilizados".Legitimidade passiva ad causam da prestadora de serviços.Rel.497 .Legitimidade para configurar no pólo passivo da demanda . Danos .Indenização .Improcedência do pedido. nº 024. a dor e supressão das atividades rotineiras diárias gerados configuram o dano moral indenizável." (1ª Turma Recursal de Uberlândia .Dano não configurado .Condomínio .041.Mero aborrecimento . Danos morais .Fixação "Utilização de banco de dados de empresa de telefonia .Rec. com a conseqüente manutenção indevida do nome do consumidor em cadastro restritivo de crédito configura dano moral indenizável ". por falha operacional. (2ª Turma Recursal de Uberlândia . nº 024." (1ª Turma Recursal de Uberlândia .Obrigação solidária das duas empresas .Sentença mantida".294. Fraude de terceiro para habilitar linha telefônica.Inscrição "Dano moral. nº 702. no qual verificado a queda de condômino no momento dos reparos. É parte legítima passiva para configurar na ação de reparação de danos materiais e morais a prestadora de serviço de manutenção dos elevadores de condomínio. nº 041503369-0 .Indenização .Telefonia .Manutenção de elevadores em condomínio .154-2 . Juiz José Luiz de Moura Faleiros) Dano moral .Legitimidade "Ação de indenização por dano material e moral .Rec.04.Rec. nº 702. Juiz Luiz Carlos de Azevedo Corrêa Junior).Critério de fixação: preventivo.Rel.04. repressivo e reparatório Negado provimento ao recurso .293666-6 Rel. Juiz Joemilson Donizetti Lopes). (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .Elevadores . Juíza Yeda Monteiro Athias).Rec. Não decorre lesão moral. O desconforto. .Não configuração "Indenização por danos morais .04. O fato de terceira pessoa utilizar os dados de partícula para habilitar fraudulentamente linha telefônica. Dano moral .Obrigação solidária .Rel.Rec. ainda mais quando o ato imputado como ilícito não é praticado diretamente contra a pessoa que requer indenização por danos morais.

nos termos dos arts.Assinatura e valor adulterados . Juiz Vinícius Gomes de Moraes).Inaplicabilidade.Inscrição indevida .SERASA .Rec.Rel.Rec. (Turma Recursal de Ipatinga Rec. nº 024. indevidamente.250-2 . pois.732-7 . São notórios os constrangimentos. a culpa do agente e a produção do evento danoso.Dano material e moral . nº 313. nem tão pequena que se torne inexpressiva". faz-se necessária a ocorrência de três pressupostos essenciais. Obrigação de indenizar (art.Extravio de bagagem Código Brasileiro de Aeronáutica .Prova .Indenização "Indenização.Quantum "A indenização por danos morais deverá ser nem tão grande que se converta em fonte de enriquecimento.Indenização .Rel.Cheque compensado . Juiz Ronaldo Claret de Moraes). Decisão . Valor de indenização compatível com o dano e o grau de culpa.03. Recurso conhecido e provimento negado". depara com o desdém da companhia transportadora na solução do problema a ela apresentado.15 Danos morais . São notórios os constrangimentos. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . Por consubstanciar lei posterior. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . Juiz Paulo Balbino).Transporte aéreo . Inclusão do nome de correntista no cadastro do SPC e SERASA. Danos .Rel Juiz Paulo Balbino). restando. Falta de cuidados necessários para evitar o fato.Transporte aéreo .294262-3 . Empréstimo contraído por terceira pessoa. ao retornar. (Turma Recursal de Cataguases . Código Civil). Súmula: Recurso inominado conhecido e . ao sair de férias.SPC . transtornos e abalos provocados nos afetos e atributos íntimos de uma pessoa que.SPC . 186 e 927 do Código Civil Brasileiro. 187. tem sua bagagem extraviada e.Pedido procedente. Danos morais . o Código de Defesa do Consumidor revogou as disposições trazidas pelo Código Brasileiro de Aeronáutica que com ele colidem. quais sejam. nítida a configuração do dano moral puro". pois. restando. vê seu nome lançado nos cadastros de inadimplentes. Danos . em especial aquelas relativas à indenização das bagagens extraviadas.Oportunidade "'Impõe-se a anulação de decisão que não oportuniza a parte produzir prova do alegado fato constitutivo de seu direito.Rec. nº 015304032889-7 .Dano material e moral .Rel. Para configuração da responsabilidade indenizatória.131. Culpa e danos caracterizados.Adulteração de cheques "Indenização . nº 243.Obrigação de indenizar "Danos morais. nítida a configuração do dano moral puro". transtornos e abalos provocados nos afetos e atributos íntimos de uma pessoa que. usando documentos do autor.Extravio de bagagem .Anulação .Indevida inscrição nos cadastros de proteção ao crédito .04. a existência do dano.Inscrição indevida .

Rediscussão do mérito .Rel.04.Rec.Indeferimento "Não tendo sido comprovados os pressupostos ensejadores do dever de indenizar.Rel.Rel. Embargos declaratórios .041.293491-9 . Juiz Renato Luís Dresch).243519-8 .Rel. Embargos de declaração . Desnecessidade. Despejo . (Turma Recursal da Comarca de Passos .609 . nº 062/2004 . nº 024. conforme contido no artigo 3º. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . que julgando improcedente o pedido contraposto.Pressupostos .Impossibilidade "Incompetência do Juizado Especial .503. Inadmissibilidade de rediscutir o mérito.Inadmissibilidade "Embargos de declaração. inciso III .Rec.Tramitação processual . nº 043/2004 .Deferido o pedido de Justiça gratuita . nº 702.Cumulação de pedidos . inexiste omissão qualquer na decisão proferida. a respeito de quebra de sigilo bancário.Rec.Sentença .Impossibilidade de cumulação de pedidos Negado provimento ao recurso . Juíza Patrícia Vialli Nicolini).Uso próprio .16 provido".Condenação do recorrente em custas e honorários suspensa".099/95".Fundamentação .Rel. não cabendo rediscutir o mérito da decisão".Desnecessidade "Embargos declaratórios. Fundamentação de sentença que confirma a sentença.Ação de despejo apenas para uso próprio. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . A concessão de justiça gratuita é ato . nº 024. Embargos rejeitados".Rel Juiz José Luiz de Moura Faleiros).Pedido contraposto . o primeiro anulando a sentença e o segundo dando parcial provimento. indeferiu a pretensão indenizatória". havendo confirmação de sentença monocrática.Rec. Embargos de declaração . (Turma Recursal da Comarca de Passos .04. Embargos de declaração . (Turma Recursal da Comarca de Passos . Dever de indenizar . Juiz Guilherme Sadi). Em razão da simplicidade e informalidade que orientam o Juizado Especial. Juiz Renato Luís Dresch). Presunção de condomínio nos bens móveis. Os embargos de declaração caberão quando houver obscuridade no acórdão. por força do art 46 da Lei nº 9.Error in judicando .Rec. (2ª Turma Recursal de Uberlândia Rec. não há necessidade de fundamentar especificamente todos os aspectos jurídicos do litígio. deve-se ser confirmada a sentença monocrática. Juiz Juarez Raniero). Discussão sobre insuficiência de provas. nº 029/2004 .Ausência de questionamento "Não tendo havido qualquer questionamento durante toda a tramitação do processo e mesmo à Turma Recursal nos dois recursos julgados.Assistência judiciária "Embargos declaratórios não são o instrumento adequado para modificar decisão que se vislumbra error in judicando.

041. nº 027.Decisão interlocutória .Rel. A justiça gratuita não se presume.Recurso inominado "Exceção de pré-executividade parcialmente acolhida .Decisão interlocutória Não conhecimento do recurso inominado.099/95. em risco. nº 024. Recurso não conhecido". Extinção do processo . ou seja." (1ª Turma Recursal de Betim . Se a recorrente não estava sob o pálio da justiça gratuita na primeira instância.358.Impossibilidade de enfrentamento meritório pela 2ª Instância sob pena de supressão de instância .Rec. Recurso não conhecido". gerando perigo de dano e caracterizando o delito apontado pelo artigo 309 do CTB.04.Rel. (2ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte Rec. Juiz Pedro Carlos Bitencourt Marcondes).O endosso mandato não transfere ao banco sacado a propriedade do título". mas sim decisão interlocutória.Supressão de instância "Extinção do processo sem julgamento do mérito incorreta . não é sentença. Conduzir motocicleta em uma só roda. (2ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .Sem condenação em custas e honorários". o que se está a impugnar é decisão interlocutória e o recurso próprio para tanto é o agravo de instrumento. a interposição de recurso inominado por Defensor Público não exime de requerer a assistência judiciária.Rec. .Inexistência de impedimento à pretensão da autora . pois o fato dela estar patrocinada pela Defensoria Pública não tem o condão de suprimir a decisão judicial. Exceção de pré-executividade . Não se conhece do recurso.04. Embargos declaratórios não se prestam a reformar decisão sob a alegação de existência de error in justificando. A ausência de requerimento nas razões recursais é motivo para não se conhecer do recurso em razão de sua deserção.04. deve ser requerida pela parte e deferida pelo Juiz.08880-2 . uma vez que a decisão que acolheu parcialmente a exceção de pré-executividade não pôs fim ao processo.723 . Juiz José Luiz de Moura Faleiros) Falta de habilitação .17 jurisdicional. nº 702. Embargos não conhecidos. Dessa forma.Ilegitimidade passiva do mandatário .Rec. por falta de amparo legal. Endosso-mandato . a incolumidade pública. Juiz Jorge Paulo dos Santos).Não julgamento do mérito .243284-9 .Condenação mantida.Configuração "Dirigir veículo sem habilitação .Manobra arriscada . Juiz Pedro Carlos Bitencourt Marcondes). incabível no rito da Lei nº 9.Nulidade de título "Declaração .Rec. efetivamente. Recurso subscrito por defensor público não exime da parte fazer o preparo se a Justiça gratuita não foi requerida.Rel. nº 032/04 .293882-9 . nº024.Perigo de dano configurado . (1ª Turma Recursal de Betim . põe.Juiz Jorge Paulo dos Santos). empinando-a em via pública.Nulidade de título .Rel. (2ª Turma Recursal de Uberlândia .Perigo de dano .

O boletim de ocorrência constitui mero princípio de prova.Rec. II. a boa-fé argüida por quem ergueu reforma em imóvel dito alheio continua não influindo na solução da questão apresentada.ônus da prova . Indenização . do Código de Processo Civil. nº 024. concluindo que o recorrido não teve qualquer participação nos fatos que pudessem causar danos a recorrente". inciso II. (1ª Turma Recursal de Betim . Juíza Maria das Graças Nunes Ribeiro).Estacionamento de shopping .Ato ilícito .009054-3 .Indenização "Indenização. (Turma Recursal de Cataguases . Comprovação efetiva do furto.681 . Desse modo. tornando-se irrelevante diante das circunstâncias fáticas". (1ª . não há que se falar em responsabilidade da empresa de telefonia.Ônus da prova .078/90.Responsabilidade . Inexiste ofensa ao princípio consumerista da informação quando o consumidor comprova que já se utilizava há tempos dos serviços ora em discussão e pelos quais efetuava o pagamento mensal de forma regular.Rec. Furto de pertences deixados no interior do veículo. Comprovação do dano.18 Fornecedor . menor. Veículo estacionado em estacionamento privativo de shopping. 1255 do CC de forma isolada aos demais fatos descritos nos autos. nº 015304033357-4 . da Lei nº8.Culpa in vigilando "Fornecedor .Desconto em conta corrente e não repasse dos valores ao credor .Reforma em imóvel alheio . conforme estabelece o art 14.Boa-fé "Não se pode aplicar o art. § 3º.358. Instituição bancária . Recurso não provido.Responsabilidade "Nenhum ato ilícito foi praticado pelo Banco.Rel. O fornecedor de serviços pode eximir-se de sua responsabilidade objetiva provando que o serviço prestado possui a garantia e segurança esperadas.Rel.Prova de fato . nº 015304032757-6 .Encargo do réu "Pela dicção do art. Indenização . 333. incumbe ao réu a prova da existência de fato impeditivo.Rel. Furto em veículo .04.Defesa indireta . A culpa pelo fato deve ser exclusiva do consumidor. modificativo ou extintivo do direito do autor".Ressarcimento devido pena de enriquecimento elícito". Sentença mantida". Comprovada a culpa in vigilando do autor quanto às ligações realizadas por sua filha. como examinado na decisão ora atacada. nº 702. (2ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .Juiz Jorge Paulo dos Santos). Inversão do ônus . (Turma Recursal de Cataguases . nº 027.Rec.041.293734-2 .Rec.Rec. (2ª Turma Recursal de Uberlândia .Ressarcimento "Indenização . Juiz Wagner Wilson Ferreira). Juiz Vinícius Gomes de Moraes).Enriquecimento ilícito . Recurso a que se nega provimento". Juiz Vinícius Gomes de Moraes).Responsabilidade objetiva.04. Prova testemunhal e boletim de ocorrência. da culpa e do nexo de causalidade.Rel.

A quebra do sigilo bancário por ato judicial é medida excepcional e só ocorre quando o credor tenha esgotado todos os meios de diligência sobre a existência de bens do devedor. nº 008/2004 . em ação de execução.Deserção "Se a parte não está litigando sob o pátio da Justiça gratuita.Conta-salário Constrição ilegal .04. deve arcar com o valor devido pelo não uso do terminal durante o tempo de recusa. sem ter formulado tal pleito na inicial. O pedido de intimação de terceiro que não faz parte da relação jurídica processual em processo de execução forçada.Execução forçada .Audiência de justificação com intimação de terceiro . Juiz Juarez Raniero). (Turma Recursal da Comarca de Passos .Rel. nº 024. nº 702.Não esgotamento de vias administrativas por parte do credor . representado por procurador particular.Rel.Ato de Turma Recursal .Ordem concedida. Juíza Yeda Monteiro Athias). denega-se a segurança. sendo a ordem . desde o início do feito. embora não negando a possibilidade de fazê-lo." (1ª Turma Recursal de Divinópolis Rec. tendo o recorrente sido.04.Competência "Mandado de segurança .19 Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . a penhora sobre conta da impetrante.Pensão e aposentadoria . Juiz José Maria dos Reis). (1ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . com o mesmo número.Preparo . Justiça gratuita . Recurso não conhecido". Não comprovando isto.505-7 .Penhora em conta salário "Mandado de Segurança . por estar no mesmo grau de jurisdição que a autoridade coatora. da Lei nº 9.150368-2 .Negativa de instalação "Negando a Telemar instalar linha telefônica em outro endereço.Rel. Recurso parcialmente provido". nº 024.Pedido .Rel. nº 22304140654-5 . através da qual a mesma recebe pensão por morte de seu marido e aposentadoria. Juiz Juarez Raniero).Quebra de sigilo bancário "Mandado de Segurança . Justiça gratuita .243.Mudança de endereço .Penhora de pensão e aposentadoria .Impossibilidade . Juiz Rubens Gabriel Soares).381469-8 . Linha telefônica . tem-se por ilegal a constrição efetuada.Incompetência da Turma Recursal. o preparo do recurso é pressuposto de sua admissibilidade e. a deserção é automática (art 42. nº 054/2004 .04.Rec.Rel.Rel. ausente ele.Segurança denegada.Rec.099/95)".Fase recursal "Não se acata pedido de gratuidade formulado apenas na interposição de recurso. com resultado infrutífero." (1ª Turma Recursal de Uberlândia . § 1º. Juiz Rubens Gabriel Soares).Pedido de quebra de sigilo bancário . Tendo sido determinada. Mandado de segurança . não tem amparo legal. A turma recursal não tem competência para rever suposto ato ilegal praticado por outra turma recursal.Rec. Mandado de segurança .Rec. (Turma Recursal da Comarca de Passos . Mandado de segurança .Rec.Recurso .

Não-cabimento.Mandado de Segurança nº 479 04 074512-3 .041. da petição inicial. por não ser caso de mandado de segurança.Rel Juíza Sandra Eloísa Massote Neves). Não deve ser conhecido o mandado de segurança interposto contra acórdão não recorrido da Turma Recursal que considerou intempestivo o recurso inominado apresentado.617 . pois.Rec. nº Cível nº 150464-9/04 .Negado provimento ao recurso .Rec." (2ª Turma Recursal de Uberlândia .Competência . (Turma Recursal da Comarca de Passos .Petição inicial . Mandado de segurança. Juiz Edison Magno Macedo). higiene e medicina. e com perturbação do sossego da vizinhança. Nota promissória ." (1ª Turma Recursal de Uberlândia .Suspensão em face da gratuidade concedida.Indeferimento "Inexistindo ato ilegal da apontada autoridade coatora. Mandado de segurança . caberia à parte interessada opor embargos de declaração ou Recurso Extraordinário antes do trânsito em julgado da decisão impugnada. Juiz José Luiz de Moura Faleiros).Rel.Rec. (Turma Recursal de Passos .533/51".Perturbação da vizinhança Impossibilidade: a manutenção de animais eqüinos em zona urbana quando feita sem obediência à Legislação Municipal e normas de higiene. nº 035/2004 .Descumprimento .Justiça do Trabalho "Diante da Súmula 736 do STF.Nota promissória emitida para garantia de serviço de mecânica realizado anteriormente . nº 042/2004 . impõe-se o indeferimento de plano.Turma Recursal .Garantia . nos termos do art. Perturbação da vizinhança . nos exatos termos dos fundamentos jurídicos contidos nos enunciados da Súmula 267 e 268 do Supremo Tribunal Federal". A Turma Recursal possui competência para apreciar mandado de segurança contra decisão judicial proferida no âmbito dos Juizados Especiais. Juiz Carlos Frederico Braga da Silva).Rel. nº 702. Mandado de segurança . nº 110/03 . (Turma Recursal da Comarca de Passos Rec. .Emissão em garantia "Comercial . Recurso provido". deve ser proibida. a competência para dirimir conflito resultante de descumprimento de normas trabalhistas relativas à segurança.Rel. Turma Recursal Competência. é da Justiça do Trabalho.Procedência do pedido inicial . Juiz Guilherme Sadi). uma vez que não é o caso da impetração do remédio constitucional.Não cabimento "Direito processual.Legislação municipal "Manutenção de eqüinos em zona urbana .20 no mandado de segurança o remédio próprio para afastar a ilegalidade praticada. (1ª Turma Recursal de Betim Rec.Ausência de prova a demonstrar a não responsabilidade da recorrente sobre o valor contido na cártula .Rel. sob pena de fixação de multa diária pelo não cumprimento de determinação judicial para este fim". Juiz Juarez Raniero).Condenação em custas e honorários . 8º da Lei nº 1. Normas trabalhistas .503.Equinos em zona urbana .Rel.

leva a entidade prestadora de serviços médicos hospitalares a lhe assegurar a cobertura quando não houve exclusão expressa no contrato". nº 024. .099/95.Prova de abalo "Tendo sido suspensos os prazos processuais pela correição anual ordinária no Juizado Especial.058-0 . fazendo profissão de fé na parêmia actoria incumbit probatio.074514-9 . a conta da data do fato que a autoriza. Preparo recursal . sendo insuficiente ao desiderato perseguido . revela-se nos autos a intenção proposital do recorrido em ver-se na situação vexatória como circunstância preparatória para a ação de danos morais". . das custas de primeiro grau que foram dispensadas.percepção de lucros cessantes .425.Rel. II e III.Rec.Rel.Ausência de exclusão expressa "Plano de saúde.Rec.Deserção "Preparo do recurso. Deserção. 6º. Juíza Patrícia Vialli Nicolini). (Turma Recursal de Cataguases . tempestivo se mostra o recurso interposto além do prazo. (Turma Recursal da Comarca de Passos . nº 024.Rec. Cobertura.078/90". 102.Obesidade mórbida . Plano de saúde . Juiz Renato Luís Dresch). Juiz Vinícius Gomes de Moraes). a prova mostra que não houve qualquer abalo e pelo contrário. estabelece em um ano o prazo prescricional de que dispõe o segurado para propor a ação contra o segurador.Ônus probatório .Inclusão .293874-6 . nº 479.Cadastros de negativação .994. 42 da Lei nº 9.Encargo do autor "Compete ao autor.inteligência da Lei Estadual nº 6. .Rel. quando patrocinado por advogado de escol. O prazo prescricional suspende-se com o pedido de pagamento de indenização à Seguradora.Rel.art. conforme o disposto no art. comprovar os fatos articulados na peça de ingresso.os adminículos que ornamentam os autos". do CCB de 1916. em virtude de motivo de força maior. (1ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . § 6º. somente se reiniciando após a ciência inequívoca do segurado da recusa do pagamento. Prazos processuais .04. Juizado Especial Cível .12. Obesidade mórbida.96 . Conquanto comprovada a quitação do débito e ainda assim continuando inscrito no SERASA e SPC. nº 015304033033-1 .04. que rege as relações jurídicas que se aperfeiçoaram na sua vigência. Falta de exclusão expressa.Segurado . Juiz Rubens Gabriel Soares). em decorrência do direito de consumidor segurado à completa e clara informação. Prazo prescricional . da Lei nº 8.21 Petição inicial .04.Inclusão das custas dispensadas no primeiro grau.Suspensão .Início e suspensão "O art. após a celebração do contrato. II.Rec. 178. O reconhecimento da moléstia pela Associação Médica Brasileira.art. No Juizado Especial Cível o preparo para recorrer é composto.Custas dispensadas . das custas do segundo grau e da Taxa Judiciária. com alteração dada pela Lei nº 12. 101 inciso VI c/c art. de 27. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .673/75.

Hermenêutica . A perícia informal é admissível na hipótese do art.Restituição das contribuições pagas Participante desistente. tal procedimento. cujo preparo foi sonegado pelo recorrente que não se encontrava sob o pátio da Assistência Judiciária. além disso.Interpretação .Ações pessoais . O recurso só é considerado regular quando aviado no tempo. Prestação de serviços . (1ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .22 revelando deserto o recurso. As cláusulas contratuais são interpretadas de maneira mais favorável ao consumidor quando se demonstrarem dúbias". (Turma Recursal de Ipatinga .293613-8 . nº 313.Desistência . Recurso conhecido e provido. Previdência privada . (2ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte Rec. Juiz Fábio Torres de Sousa).Contrato dúbio . desacompanhado do preparo em que a parte não esteja sob o pátio de assistência judiciária gratuita.Resgate "Plano de previdência privada complementar .Interpretação de contrato dúbio a favor do consumidor. A sentença por ser um título executivo. nº 702. certeza e exigibilidade.Teoria da aparência . com as razões. sob o patrocínio de advogado habilitado. por si só. que regem as relações jurídicas que se aperfeiçoaram na sua vigência. isto é.04.Rec.294053-6 Rel. 2028 do Novo Código Civil.131.Rel. Revela-se deserto o recurso. o pedido.Perícia informal . nº 024.099/95 (Enunciado 12 do Fórum Nacional de Juizados Especiais).Rel. petição escrita.150381-5 . Juíza Yeda Monteiro Athias). combinado com os arts. o preparo completo no prazo determinado e a resposta do recorrido.04. no prazo assinado pela lei e.04. deve se revestir de liquidez.242-9 . Prescrição .Rec.Rel.Responsabilidade solidária entre a entidade aberta de previdência e a associação quanto ao ressarcimento de valores a seus membros . estabelecem em vinte anos o prazo prescricional das ações pessoais. é de se cassar a sentença que não possui elementos para se tornar exeqüível. bastando a simples inquirição de técnicos da confiança do Juízo. nº 024. Juiz Wagner Wilson Ferreira). é da competência dos Juizados Especiais. 35 da Lei nº 9. pelo modo próprio." (1ª Turma Recursal de Uberlândia . se intimado o fizer.Teoria da aparência .Rec. 177 e 179 do CCB de 1916.Consumidor "Contrato de prestação de serviços . Previdência privada . ou seja. Juiz Rubens Gabriel Soares).Admissibilidade "O art.Restituição de contribuições "Plano de Previdência Privada . Não carecendo o processo da produção de prova técnica que exigiria a análise de um profissional devidamente habilitado para tais questões.Direto ao resgate das contribuições relativas aos benefícios de risco ante a veiculação de propaganda garantindo tal direito aos .Responsabilidade . se outro prazo específico não estiver previsto. Recurso a que não se conhece". assim.04.

Recurso a que se nega provimento.Perícia . nº 024. Entretanto. do CDC . cujas declarações. mesmo que não tivesse previsão contratual de resgate. Em conformidade com a norma do art.Rec. tal procedimento. Prova técnica . acobertadas pela presunção de veracidade.23 participantes . do Código de Processo Civil. por ter sido vinculada propaganda assegurando direito à restituição.Incompetência do Juizado "Cerceando o processo da produção de prova técnica que está a exigir a análise de um profissional devidamente habilitado para tais questões. 31. ex vi do art. não é explícito em relação a previsão de taxa de administração. prevalecem até prova em contrário'.04. 364 do CPC. A recorrente é parte legítima para figurar no pólo passivo da presente ação. Apenas a perícia informal é admissível na hipótese do art. se apresenta. que obriga o fornecedor que veicular informação ou publicidade que induza o consumidor a acreditar na possibilidade de ver restituído os valores pagos no caso de delito. sentença por seus próprios fundamentos e. O art. bem como a recolher as respectivas contribuições.Inversão do ônus . da Lei Complementar nº 109/01.Produção . incumbe ao réu a prova da existência de fato impeditivo. Prova . nº 024.Fé pública "Pela dicção do art.Recurso a que se nega provimento. não bastando a simples inquirição de técnicos da confiança do Juízo. É a chamada teoria da aparência. faz extrapolar a competência dos Juizados Especiais. Juiz Pedro Carlos Bitencourt Marcondes).099/95". este é devido em face do princípio da boa-fé. como também o material apresentado pelas partes não menciona a existência da referida taxa. assegura aos participantes o direito ao resgate parcial ou total do investimento.Rel. nos casos dos benefícios de risco (pensão e pecúlio). inciso II. (2ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . de conseqüência. ao contrário do que afirma a recorrente. 35 da Lei nº 9.099/95 (Enunciado 12 do Fórum Nacional de Juizados Especiais). Recurso conhecido e não . o participante somente faz jus ao resgate mediante previsão contratual.04. uma vez que. despesas processuais e honorários advocatícios do recorrido. por si só.Rel. 8º do Estatuto. condeno a recorrente ao pagamento das custas. que fixo em 20% sobre o total da condenação. perante seus associados.Réplica . caput. da Lei nº 9.Inteligência do art. 55. O art. no caso em tela.293366-3 . de modo que não há que se falar em sua incidência. 333. que dispõe sobre o Regime de Previdência Complementar. mantendo a r. 27. modificativo ou extintivo do direito do autor. (1ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . 30 do CDC.BO . Juiz Rubens Gabriel Soares). ao promover a divulgação e a inscrição de seus associados como participantes do plano de previdência.Cobrança de taxa de administração Impossibilidade diante da ausência de prova quanto à sua previsão . em virtude do convênio celebrado com a MONGERAL. responsabilizando-se pela qualidade da prestação do serviço e por eventuais danos causados em decorrência dele.Rec. como fornecedor do serviço. bem como por força do art. sendo obrigatório nos planos de benefício por sobrevivência (aposentadoria) e. dada sua natureza aleatória.294125-2 . possui fé pública o boletim de ocorrência.

Rec. nº 024. Não deve ser conhecido. Juiz Paulo Balbino). Recurso . como prevê o art.060/50. O prazo para a Defensoria Pública recorrer conta-se da intimação da parte sobre a sentença. nº 027. nº 024.Rec.24 provido ".Pedido de vista . Provas .675-7 Rel. flagrante sua intempestividade. o recurso inominado cuja interposição não se faz acompanhar por regular preparo. § 5º. O pedido de vista não suspende e nem interrompe o prazo para recorrer o que é peremptório". caput. Recurso .Inadmissibilidade .099/95". (1ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . Defensoria Pública. § 1º. Juiz Rubens Gabriel Soares). 42. desde que baseado nos elementos probatórios demonstrados nos autos".Rec. 5º.Prazo . Juiz Rubens Gabriel Soares).Preparo .Intempestividade .Rec. Recurso intempestivo . (Turma Recursal de Cataguases .293603-9 . dez dias após a aludida intimação".Ausência de preparo . Recurso .Rel.Deserção. Pedido de vista não suspende ou interrompe o prazo. ausente ela. Juiz Renato Luís Dresch).Não conhecimento "Falta de preparo .Não conhecimento "Recurso não conhecido por ser intempestivo. da Lei nº 9.Juiz Jorge Paulo dos Santos).Rec.243.Rel.Rel.Deserção "Recurso inominado . Juiz Vinícius Gomes de Moraes).Ausência .Rec. Contagem intimação da parte. nº 015304034498-5 .Preparo .Defensoria Pública "A tempestividade é condição de admissibilidade do recurso.593-3 .Suspensão e interrupção "Recurso.293. Recurso inominado . qual seja. Juiz Vinícius Gomes de Moraes). (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .Não conhecimento". (Turma Recursal de Cataguases . posto que seu prazo se exauriu no dia 03 de dezembro de 2003 ". nº 024. Prazo. a teor do que determina o art. uma vez que foi ajuizado fora do prazo estipulado pela Lei nº 9. da Lei nº 9.Princípio persuasão racional "O nosso ordenamento jurídico consagrou o princípio da persuasão racional pelo qual o Juiz formará o seu convencimento com liberdade no exame das provas. o seu não conhecimento é automático (art. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . (1ª Turma Recursal de Betim .099/95).Rel.008878-6 .Não observância do pressuposto objetivo de admissibilidade do recurso .04.Rel.Rec.04. (1ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .03. 42. da Lei nº 1.04.293679-9 . Mesmo em se considerando que a Defensoria Pública possui prazo em dobro para recorrer. nº 015304034408-4 .04.Ausência .Defensoria Pública . . porquanto deserto.099/95. nº 024.

Complexidade da causa Caracterização "Contrato de plano empresas com fidelização . nº 060/2004 . Reconhecimento que os serviços pactuados não foram prestados pela operadora de telefonia é de rigor a rescisão contratual com a devolução dos valores pagos pelos aparelhos celulares. da Lei nº 9. nº 702.780-6 Rel.Rec.Ausência de prova da abusividade . § 1º. através dos quais a comunidade não se efetivou. ausente ele ou.Rel Juiz José Luiz de Moura Faleiros). que não a devolução da coisa ou do produto do serviço". Juiz Juarez Raniero).Admissibilidade . no prazo legal.25 Recurso intempestivo .Restituição de parcelas pagas Complexidade da causa. Reparação de dano .Prova de eficácia "Não merecem credibilidade os orçamentos pelo responsável pela reparação do dano. Não há incidência de multa no caso em que a extinção da relação contratual resulta em não cumprimento do avençado por uma das partes .04. Recurso .Rec.Mantida pelos próprios e jurídicos fundamentos "Valor mensal da prestação .Rec. o preparo do recurso é pressuposto de admissibilidade do recurso.Rel.Rel Juiz Marco Aurélio Ferenzini). quando não acompanhados de prova de que são eficazes para a restituição da coisa ao seu status quo ante".440-6/04 . (1ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .Rel. 42." (2ª Turma Recursal de Uberlândia . Rescisão contratual . sem maiores ônus. desmerece ser conhecido o recurso interposto fora do prazo legal. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . Os juros contam-se da citação. Juiz Marco Aurélio Ferenzini).Orçamento . Não comprovada a necessidade de prova técnico-pericial é de se afastar a alegada complexidade da causa apta a deslocar a competência do Juízo.Condenação da recorrente em custas e honorários Suspensão em face da gratuidade jurídica. desistir do produto ou do serviço. (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .Sentença . Juiz Rubens Gabriel Soares).363-1 . nº 293. a deserção é automática (art.872 .099/95)".Decisão primeva mantida por seus próprios e jurídicos fundamentos . Relação de consumo .Deserção "Se a parte não está litigando sob o pálio da justiça gratuita.Devolução de valores . Recurso não conhecido".041. Recurso .Rec.Preparo .Prazo legal "O consumidor pode.Desistência pelo consumidor . A correção monetária é devida desde a data do efetivo desembolso do valor a ser restituído. nº 024. nº 243.Rec. se feito em desacordo com a legislação vigente.Somatória de fatores .Obstáculo não comprovado "Não havendo comprovação de alegado obstáculo.Negado provimento ao recurso . (Turma Recursal da Comarca de Passos .243.503.

da Lei nº 9.Rec. nº 04150344-3 . Juiz Pedro Carlos Bitencourt Marcondes). ou ainda a despersonalização da pessoa jurídica. nº 024.Apropriação indébita . verba honorária em razão da sucumbência (art 55. A seguradora. Não configurada qualquer das hipóteses legais permissivas da excepcional aplicação da teoria advinda do direito anglo-saxão.Rec. Há necessidade de comunicação expressa do critério de reajuste das mensalidades.Rel. A proporcionalidade . Juiz Joemilson Donizetti Lopes).Desconsideração da personalidade jurídica "Responsabilidade civil . Necessidade de comunicação expressa ao segurado . Início do prazo.Impossibilidade Recurso a que se nega provimento. não há que se falar em obrigação de indenizar.Prescrição . que se reflete na obrigação de indenizar.26 contratantes. no percentual de 10% do valor da condenação." (1ª Turma Recursal de Uberlândia .Proporcionalidade entre o valor da mensalidade e o benefício. Recurso conhecido e não provido. Responsabilidade extracontratual . ora recorrida. § 2º.293845-6 .Não configuração . teoria da desestimação da pessoa jurídica. a retenção indevida do veículo.Hipóteses . conhecida entre nós como desconsideração da pessoa jurídica. A responsabilidade extracontratual. pois se trata de questão prejudicial ao pedido de se atacar diretamente o patrimônio dos sócios. (2ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .Critérios de reajustamento das mensalidades.Critérios de reajustamento "Revisão de mensalidade.Ilegitimidade. Recurso conhecido a que se nega provimento". uma vez que indenização pleiteada pelo recorrente não decorre do descumprimento do contrato de seguro.04.293930-6 . Prescrição. os quais são partes ilegítimas na relação jurídica que se pretende analisar em Juízo.Apropriação indébita . Aplicação do reajuste anual . À falta de comprovação da prática de ato ilícito. uma vez que litiga sob o pátio da Justiça gratuita". decorre da prática de ato ilícito. bem como da ocorrência de dano. se apresenta como parte legítima.Rel.Reajuste anual . O prazo prescricional conta-se a partir do momento em que foi aplicado o reajuste anual da mensalidade. (2ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .099/95).Seguradora .Legitimidade passiva "Responsabilidade extracontratual .Rec. nº024. Responsabilidade . no qual este último não aparece como titular da apólice. isto é.Desconsideração da personalidade jurídica . mas sim da prática de ato ilícito a ela imputada.Legitimidade passiva da empresa seguradora a quem é imputada a prática de ato ilícito . Juiz Wagner Wilson Ferreira).Ausência de comprovação da retenção indevida do veículo e da ocorrência do dano ao proprietário . Apuração por ocasião do pagamento. não sendo o caso da sua aplicação na espécie sujeita. esclarecendo que a execução dessa verba fica condicionada à mudança na situação econômica do recorrente. a título doloso ou culposo.Rel. Revisão de mensalidade .04.

(8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .04.Não intimação de advogado "É nula a sentença.Próprios fundamentos "Tendo sido em primeiro grau. que em análise à prova carreada aos autos. eis que se coaduna com as circunstâncias da causa. nº 024. Renovação anual. Inexistência de violação. 46 da Lei nº 9. da Lei nº 9. por seus próprios fundamentos. (Turma Recursal de Ipatinga .Confirmação pelos próprios fundamentos .Rec. Sentença . Art.Confirmação . Juiz Renato Luís Dresch).Nulidade . há de ser confirmada a sentença. analisadas as questões fáticas e jurídicas. segundo o comando contido na parte final do art.008852-1 .Rec. impondo-se a renovação dos autos processuais.Renovação anual "Contrato de seguro saúde.267-6 Rel.Fundamentos "Deve ser mantida por seus próprios e jurídicos fundamentos a bem lançada sentença primeva. Juíza Patrícia Vialli Nicolini).Rec. Possibilidade de aplicação da Lei nº 9.Possibilidade "Juizado Especial Cível .099".656/98. nº 04. nº 061/2004 . (Turma Recursal da Comarca de Passos . nº 313. Sentença .Rec. mesmo para os contratos celebrados antes da Lei nº 9. 46.293814-2 .Julgamento .04.Rec. nº 057/2004 . aplicam-se as leis vigentes. nº 024. sem necessidade de novo conteúdo decisório". O acórdão que confirmar a sentença pelos próprios fundamentos servirá como Súmula de julgamento. quando expedidas várias Precatórias.Rel.Juiz José Américo Martins da Costa). Juiz Carlos Roberto de Faria). A cada nova renovação do contrato. Sentença . (1ª Turma Recursal de Betim . Recurso não provido". é aquela proferida antes do retorno de todas.Rel. (Turma Recursal da Comarca de Passos .293924-9 . julga parcialmente procedente a denúncia". Sentença .Manutenção .131. sem que .099/95.ANS.Manutenção .Não devolução . deve ser mantida a sentença por seus próprios fundamentos. Juiz Renato Luís Dresch). Direito adquirido ou ato jurídico perfeito da empresa segura.Precatórias . o que exclui a inconstitucionalidade na aplicação do índice da Agência Nacional da Saúde .Rel. Seguro saúde .Rec.Súmula.Confirmação pelos próprios fundamentos . Sentença .Rel. porque se trata de norma de ordem pública". com a aplicação correta do direito à relação jurídica controvertida.Fundamentação "Analisadas as questões fáticas e jurídicas postas pelas partes.04.27 entre o valor do benefício e a mensalidade deverá ser apurada por ocasião do pagamento". A renovação dos contratos de seguro de saúde é anual.Sentença . Juiz Juarez Raniero). (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .656/98 e dos índices do ANS.

cassação da sentença e anulação parcial do processo".Nulidade . Juiz Rubens Gabriel Soares). Telefonia . Apelo não provido". É também de se reconhecer a nulidade da sentença. da Lei nº 8. Juiz Selmo Sila de Souza). Compra não realizada Indenização devida. nº 21. pois. nº 015304034396-1 . (1ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte .Indenização "Colocação indevida do nome da recorrente no SPC.Ofensa aos princípios da adstrição da sentença ao pedido. unilateralmente.Rec. do contraditório e da ampla defesa.Rec. (2ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . Título de capitalização . A alegação do contratante de incompreensão dos termos de Documento de Garantia de Desconto para Aquisição de veículo vinculado a título de Capitalização não caracteriza por si só situação de dolo a justificar o desfazimento do contrato com devolução integral das parcelas pagas ao invés do valor previamente estipulado para resgate". nº 024. renovando-se os atos processuais. especialmente quando se verifica a inexistência de qualquer cláusula nula de pleno direito que permitisse a sua intromissão na discussão da relação jurídica posta em Juízo.Contraditório "Sentença ultra e extra petita . ofendendo.Inscrição indevida .629-7/04 . do contraditório e da ampla defesa. os princípios da adstrição da sentença ao pedido (demanda).Rec.Rec. (Turma Recursal de Cataguases . o preço.28 tenha o juízo declarado dentro de qual prazo as mesmas deveriam ser cumpridas (art. afastando-se dos limites da demanda e decidindo-a em função de dados não discutidos no curso do processo. acompanhe e participe da produção da prova oral ali produzida'.Rel.Utilização como desconto na aquisição de veículos Alegação de dolo . nos mostra insofismavelmente que a prestadora de serviço de telefonia viola a regra do art 6º.Desconto na aquisição de veículo . Tendo a autora se limitado ao pedido de condenação da ré à devolução das parcelas pagas. II. (1ª Turma Recursal de Betim Rec.078/90".Rel.Nulidade . Valor fixado da indenização parcimonioso. caso queira.Indenização pretendida.Princípios da adstrição .670-9 . Recurso conhecido.243. 203.04. Juiz Vinícius Gomes de Moraes).Dolo "Título de capitalização . Juiz Wagner Wilson Ferreira).293968-6 .Rel.Fixação unilateral de preço . Sentença ultra e extra petita .04. (Turma Recursal de Itajubá . quando o advogado da parte não é intimado da data da audiência para inquirição das testemunhas no Juízo Deprecado para que.Ausência de fiscalização "Fixando a empresa-ré. mediante atribuição de volume e quantidade de ligações sem qualquer margem de fiscalização pelo consumidor. não cabe ao Juiz fazer alterações de ofício no pacto firmado entre as partes. descontadas as despesas do contrato. . III e IV. É nula a sentença que condena o réu em quantidade superior ao que foi demandado.Rel. nº 04023980-1 . SPC . nº 024. Acolhido a preliminar. do CPC).Juiz José Américo Martins da Costa).

Desconto na aquisição de veículo . . vigente na data da liquidação do sinistro. A alegação do contratante de incompreensão dos termos de Documento de Garantia de Desconto para Aquisição de veículo vinculado a título de Capitalização não caracteriza. Juiz Vinícius Gomes de Moraes)." (Turma Recursal de Cataguases . apurado pela tabela FIPE. situação de dolo a justificar o desfazimento do contrato com devolução integral das parcelas pagas ao invés do valor previamente estipulado para resgate".788-9/04 .Tabela FIPE "Se a indenização contratada tem por base o valor médio do veículo. por si só.Valor comercial "Inelutável que a quilometragem do veículo possui superlativa importância no estabelecimento do valor comercial dos automotores.Competência "Nota promissória preenchida em nome de pessoa física.Quilometragem . Título de crédito . Juiz Selmo Sila de Souza). nº 015304033359-0 .Dolo "Título de capitalização .Nota promissória . Veículos automotores .Rel Juíza Sandra Eloísa Massote Neves).Rec. (1ª Turma Recursal de Betim Rec.Indenização pretendida.Rel Juiz Marco Aurélio Ferenzini).Rec.Rel. nº 243. em face do valor cobrado".Rec nº 21638/04 . sendo absolutamente desnecessárias maiores sofismas. Juizado Especial competente.Utilização como desconto na aquisição de veículo Alegação de dolo . Veículo sinistrado . não pode a seguradora adotar o valor vigente na data da entrada dos documentos". Validade. (Turma Recursal de Itajubá . (8ª Turma Recursal Cível de Belo Horizonte . nº 010/04 .Rel.Valor de indenização . de conformidade com a lei uniforme.29 Título de capitalização . fulcrando na parêmia veritas evidens non probanda.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful