Você está na página 1de 7

FACULDADE FORTIUM- ENSINO À DISTÂNCIA - INFORMÁTICA E SOCIEDADE 6º SEMESTRE SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO: TEXTO PARA LEITURA E DISCUSSÃO INTRODUÇÃO A sociedade

da informação é o principal traço característico do debate público sobre desenvolvimento, seja em nível local ou global, neste alvorecer do século XXI. A expressão Sociedade da Informação passou a ser utilizada, nos últimos anos desse século, como substituto para o conceito complexo de sociedade pós-indústrial e como forma de transmitir o conteúdo específico do novo paradigma técnico-econômic. A expressão sociedade da informação,seria melhor utilizada, numa dimensão global, para identificar os setores sociais, independente de sua ubicação local, que participam como atores de processos produtivos, de comunicação, políticos e culturais que têm como instrumento fundamental as TIC (Tecnologias de informação e comunicação) es e produzem - ou tendem a produzir-se - em âmbito mundial (apud Agudo Guevara, 2000, pp.4)

Nos anos 70, os formuladores de políticas perceberam que a informação estava desempenhando um papel cada vez mais importante não apenas em setores econômicos (o aumento do número de trabalhadores na área de informação, de serviços, de produtos inteligentes etc.) mas também na vida social, cultural e política. A geração, disseminação e uso efetivo da informação estavam se tornando fatores decisivos na dinâmica da sociedade. Esta tendência ganhou ímpeto nas décadas seguintes, e deu lugar à idéia da "sociedade do conhecimento". Intimamente relacionada à "Sociedade da Informação", esta idéia estabelece uma ligação entre informação e conhecimento, mas dentro de um ambiente orientado para a competição de mercado.

O conceito "Sociedade da Informação" é útil para a sociedade civil? Potencialmente, sim - se este conceito for constituído para abarcar a plena dinâmica da informação e do conhecimento na sociedade, e for focado na promoção dos direitos humanos e do desenvolvimento social, cultural e econômico. Mas se for limitado à discussão da "Brecha Digital" e se confundir meios - tecnologias - com fins - desenvolvimento humano - então ele não é capaz de transcender suas raízes ideológicas estreitas.

No novo paradigma gerado pela sociedade da informação,a universalização dos serviços de informação e comunicação é condição fundamental, ainda que não exclusiva, para a inserção dos indivíduos como cidadãos, para se construir uma sociedade da informação para todos. É urgente trabalhar no sentido de busca de soluções efetivas para que as pessoas dos diferentes segmentos sociais e regiões tenham amplo acesso à Internet, evitando assim que se crie uma classe de "info-excluídos" (SOCINFO, 2000). COMPREENDENDO A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO A sociedade da informação e do conhecimento é resultado do crescimento das inovações e das experiências, dentro de uma visão sistêmica, onde a interdisciplinaridade é fundamental para o desenvolvimento.

Compreende-se o mundo como um conjunto de sistemas que interagem visando objetivos, saindo do isolamento, da especialização para a era da agregação, da busca do comum, do global. A virtualidade acabou com as limitações de espaço e tempo, à distância e o tempo entre a fonte de informação e os seus destinatários são irrelevantes, uma vez que as pessoas não precisam se deslocar para obter informações.

Nas empresas da atual sociedade o enfoque dessa nova abordagem, em que o mundo é visto como sistemas, há uma valorização da qualidade associada à quantidade, o sucesso é garantido pelo investimento em saber, há uma valorização das pessoas competitivas e criativas , considerando, portanto, que a informação é, sem dúvida, a grande alavanca da humanidade. As tecnologias de informação são ferramentas que viabilizam a eficácia e qualidade dos novos modelos de educação, num mundo em que a tecnologia renova-se em velozmente, a informação é o mais importante diferencial das empresas, organizações e indivíduos.

Vivenciamos um momento de transição sob o ponto de vista, social, econômico, cultural e outros. Tal transição reflete a passagem de uma determinada situação a uma nova denominada de "mudança de paradigmas". As transformações em direção à sociedade da informação definem um novo paradigma, o da tecnologia da informação, que gera um processo de transformação social. É necessário promovê-la porque o novo paradigma oferece a perspectiva de avanços significativos para a vida individual e coletiva, elevando o patamar dos conhecimentos gerados e utilizados na sociedade, oferecendo o estímulo para constante aprendizagem e mudança.

o ponto central aqui é que trajetórias desenvolvimento tecnológico em diversas áreas do saber tornam-se interligadas e transformam-se as categorias segundo as quais pensamos todos os processos. A chamada "alfabetização digital" é elemento-chave nesse quadro (SOCINFO. cultural. devido à automação. mas não permite ainda superar a relação entre nível de renda e acesso às novas tecnologias. os avanços da informática e da telemática provocaram uma fase de fascinação quase infantil . O governo deve promover universalização do acesso e o uso crescente dos meios eletrônicos de informação para gerar uma administração eficiente e transparente em todos os níveis. . quando a difusão da Internet nos países industrializados deu suporte ao sonho de integração mundial dos povos por meio de infovias globais. Conforme o autor Leal. pela invasão de nosso espaço individual e efeitos da violência visual e poluição acústica · De controle sobre a vida pessoal e o mundo circulante. · De privacidade. Essas transformações dos novos paradigmas têm 5 características fundamentais: · A informação é sua matéria-prima: as tecnologias se desenvolvem para permitir o homem atuar sobre a informação propriamente dita. que expressa a essência da presente transformação tecnológica em suas relações com a economia e a sociedade. individual ou coletiva · Predomínio da lógica de redes. característica de todo tipo de relação complexa. ética e econômica. Estes são inúmeros e incluem desde os de caráter técnico e econômico. para que o salto tecnológico tenha paralelo quantitativo e qualitativo nas dimensões humana. transformada pelas novas tecnologias ou mesmo destruída por elas. 2000) Por que é desejável promover a sociedade da informação? Passadas as primeiras reações de temor diante dos efeitos da automação dos setores produtivos.ENSINO À DISTÂNCIA .porque a informação é parte integrante de toda atividade humana. podemos classificá-los como perdas: · Perda da qualificação. cabe ao sistema político promover políticas de inclusão social. social e legal. as transformações em direção à sociedade da informação. DESAFIOS NA CONSTRUÇÃO DE SOCIEDADES DA INFORMAÇÃO Os desafios da sociedade da informação são inúmeros. constituem uma tendência dominante mesmo para economias menos industrializadas definem um novo paradigma. o da tecnologia da informação.INFORMÁTICA E SOCIEDADE 6º SEMESTRE A Sociedade da Informação está sendo gestada em diversos países. · Os efeitos das novas tecnologias têm alta penetrabilidade . No Brasil. mas aprofundaram-se as desigualdades sociais sobre o eixo do acesso à informação. O ritmo do avanço tecnológico tem sido extraordinário.felizmente em grande parte já superada particularmente nas três últimas décadas. AS TRANSFORMAÇÕES DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO Segundo Castells (2000). Ao mesmo tempo.FACULDADE FORTIUM. · Comunicação interpessoal e grupal. · Crescente convergência de tecnologias. Esta lógica. em estágios avançado nos países industrializados. Algumas dessas preocupações têm sido transformadas com o avanço do novo paradigma. graças às novas tecnologias · Flexibilidade permite modificações por reorganização de componentes e tem alta capacidade de reconfiguração. até os de natureza psicológica e filosófica. Governo e sociedade devem andar juntos para assegurar a perspectivas de que seus benefícios efetivamente alcancem a todos os brasileiros.

A cada mês está sendo acrescido à rede. decorrente da velocidade do desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação e das novas oportunidades e assimetrias provocadas por esse desenvolvimento . por exemplo . A universalização da informação é uma constatação. Outro conceito de universalização deve abranger também o de democratização. Muitos destes desafios requerem compromisso político para assegurar o acesso a comunidades menos privilegiadas. luz ou telefone. A UNIVERSALIZAÇÃO DA INFORMAÇÃO O conceito de universalização tem caráter evolutivo. Alem de prover informações úteis ao cidadão. Há significativos desafios a enfrentar para criar arcabouço internacional apropriado que minimize as desigualdades globais no acesso à informação. O governo federal estimula a tecnologia brasileira com propósito de ser um grande produtor no mercado de bens e produtos na área das telecomunicações (VEIGA FILHO.INFORMÁTICA E SOCIEDADE 6º SEMESTRE · Sentido de identidade. em média.ENSINO À DISTÂNCIA . O acesso universal ao conteúdo e as fontes de conhecimento apontam para a necessidade de resolver vários outros desafios.primeiro decorrentes da metas contratuais. pois não se trata tão somente de tornar disponíveis os meios de acesso e de capacitar os indivíduos para tornarem-se usuários dos serviços da Internet. que proporcione a aquisição de habilidades básicas para uso de computadores e da Internet. O Brasil se destaca hoje como um dos pontos de maior interesse do mundo no investimento em telecomunicações. bibliotecas e segurança pública. é imprescindível promover a alfabetização digital. no Brasil de hoje. Essa universalização dos serviços telefônicos se subdivide em dois grupos: . condições para o parcelamento de débitos de água. com responsabilidade e senso de cidadania. que devem ser continuamente acompanhadas e consideradas. associado à profunda intimidação pela crescente complexidade tecnológica. Entre todos os agentes econômicos. como horários de ônibus interurbanos.têm o potencial de ser as maiores fontes desse tipo de conteúdos. com efeitos impactantes na qualidade do serviço prestado. saúde. saúde e educação. mas também que capacite as pessoas para a utilização dessas mídias em favor dos interesses e necessidades individuais e comunitários.FACULDADE FORTIUM. Podem ser abordagens bastante simples.fontes de novas formas de exclusão. 2001) Nesse sentido. disponibilidade de vagas em escolas etc. e que está com certeza revolucionando os setores de telecomunicação. . um milhão e meio de novos acessos. o setor público. INFORMAÇÃO PARA CIDADANIA O que relaciona à informação para cidadania. devido a um atraso nesta área. Há um vasto conjunto de informações relacionadas ao cotidiano das pessoas cuja disponibilidade seria um grande facilitador na interação entre o cidadão e o Estado. Com o crescimento do país não é mais um fato é uma realidade e o que se espera de todos é uma conscientização de que tudo será em benefício de um bem comum. é possível oferecer-lhe serviços e informações capazes de auxiliar no funcionamento de seus negócios e nas tomadas de decisão. Não só pela nossa grandiosidade territorial. as concessionárias e as prestadoras de serviços de utilidade pública .nas áreas de seguridade social. PONTOS PRINCIPAIS A Internet é o objetivo de todo esse crescimento na área de telecomunicações. A ampliação que o governo federal deu nas telecomunicações possibilitou um avanço de várias comunidades de diversas partes confinadas do país. Por esse motivo à telefonia deverá ir a todos os pontos do país uma vez que os contratos e leis obrigam as operadoras a universalizar o serviço. Desenvolvimento este que coloca o Brasil na rota das telecomunicações mundiais. principalmente quando se trata de pequenas e médias empresas. Com atual telefonia ficou mais rápido e fácil de se comunicar com todas as partes do mundo. tem sido importante a criação de conteúdos que facilitem a vida do cidadão. entre telefones fixos e celulares. mas sim pelo fabuloso desenvolvimento.

especialmente com rádios comunitárias. No que se refere à saúde o Ministério da Saúde está interligando. ocupa posição muito tímida . O Tribunal Superior Eleitoral anunciou o resultado final em menos de 24 horas. toda cultura. ou seja. Hoje o caminho do conhecimento é a Internet. A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos com projeto piloto para possibilitar o acesso à Internet por todo o público de suas agências. Os Quiosques Eletrônicos. o Brasil ocupa lugar significativo em termos de usuários da Internet variando entre o 12º e o 14º lugar no ranking mundial. estão também promovendo a universalização dos serviços de radiodifusão. O programa FUST beneficiará bibliotecas públicas-federais. que é composta por ONGs. O QUE É A INTERNET HOJE E NO BRASIL Internet hoje quer dizer acompanhamento simultâneo do que acontece no mundo.com relação aos percentuais de hosts por usuários e de usuários pela população.INFORMÁTICA E SOCIEDADE 6º SEMESTRE . Todas as localidades do Brasil terão bibliotecas e instituições equipadas com Internet. A Internet hoje quer dizer conteúdo de conhecimento: o que via fazer a diferença entre os países do futuro é entre os que têm conhecimento e os que não têm conhecimento. Em números absolutos. mais de cinco mil bibliotecas do 3º setor. estarão instalados em 6 mil unidades dos Correios em todo país. estaduais e municipais. se ela é informação. A concessão de canais de rádio e televisão comerciais nas regiões que ainda não têm esse serviço. a todo tempo em qualquer lugar. O Brasil. Este ultimo será instrumento de propagação da cultura e informação da sociedade brasileira para a era digital.segundo a universalização com o programa FUST. em razão da diversidade de fontes e critérios. tanto nas escolas como em bibliotecas.bem distante da do grupo de países economicamente mais avançados . COMO É A INTERNET PARA O MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES .ENSINO À DISTÂNCIA . educação. trabalho. Unificação do Brasil OUTROS ÓRGÃOS COM A UNIVERSALIZAÇÃO DO GOVERNO FEDERAL O que o governo quer é não registrar o fenômeno da exclusão digital ou que não se crie o analfabetismo digital. enquanto as demais baseiam-se em estimativas variadas de usuários por máquina ou em pesquisas de mercado.FACULDADE FORTIUM.Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicação. se ela é entretenimento. não é apenas na informação contemporânea. e cerca de 430 centros de difusão cultural(museus) em todo o país. dentro de uma eleição totalmente informatizada. A universalização do acesso à Internet não se encerra com o Telecomunidade cujo o objetivo maior é fazer com que o Brasil entre no século XXI com condições de usufruir os avanços. As estimativas do número de usuários da rede Internet no Brasil têm variado muito. A criação de computador popular. O número estimado de usuário individuais na Internet no Brasil tem variado. números relativos. a depender do critério -. Se a Internet é conhecimento. ao passo que. As estimativas mais conservadoras estão dimensionadas a partir da contagem dos pontos de conexão à Internet. O Ministério das Comunicações também investem em outros setores das telecomunicações. Os portadores de deficiência também serão atendidos com computadores apropriados para cada deficiência. instrumento de imenso valor na difusão local de cultura e formação de cidadania. informação estará ao alcance de todos. É importante salientar que a Internet pode ajudar no avanço dos negócios através do comércio eletrônico. para este ano. as centrais de consulta e. a quantidade de usuários em relação ao total da população coloca o País em 4º lugar na América Latina. apesar de estar entre as 10 maiores economias pelo critério do Banco Mundial. A informação será acessada por todos. A universalização do acesso à Internet. que considera o PIB. a Internet é também uma grande oportunidade de negócios. ainda viabilizam Cartões SUS em todo Brasil. todas as equipes do programa Saúde Família. o acesso a Internet. de 4 a 7 milhões. dependendo da fonte. em rede e com conectividade.

em 500 municípios. tem sob seu comando a grande empresa que deve fazer a entrega destes produtos vendidos no comércio eletrônico? Porque é preciso sempre lembrar que. Entre os fatores que distinguem os países desenvolvidos dos em desenvolvimento (agora chamados emergentes) está o acesso à informação.3 milhões de alunos. As oportunidades de aquisição das noções básicas de informática indispensáveis para acesso à rede e seus serviços são insuficientes. bibliotecas e segurança pública. diversas ações foram planejadas em busca da democratização do acesso à Informação no Brasil. O programa principal contempla as áreas de educação (informatizando e conectando a Internet todas as escolas de ensino médio e profissionalizante do país). ALFABETIZAÇÃO DIGITAL O nível de alfabetização digital da população brasileira é muito baixo. há um esforço em curso por parte do MEC. de interesse estratégico e propiciando o acesso de portadores de deficiência física às novas tecnologias. onde a Telefônica e o governo assinaram. têm acesso ao conhecimento. Sobre a administração do Ministério das Comunicações e dos Correios. alguns têm de cuidar da entrega dos produtos. fora a capital. . recursos estes captados nas operadoras destes serviços e sem ônus para os usuários. os interessados precisam recorrer a cursos pagos com resultados nem sempre satisfatórios.FACULDADE FORTIUM. Para adquirir conhecimento básico em Informática. Como já citado anteriormente. formação profissional. como o Timor Leste.INFORMÁTICA E SOCIEDADE 6º SEMESTRE Porque o Ministério das Comunicações. Iniciativas semelhantes. entravada por guerras internas. um acordo para suprir as escolas estaduais com acesso gratuito Internet de alta velocidade. A operadora vai investir R$20 milhões em infra-estrutura para interligar 2. a Ciência e a Cultura (UNESCO) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). etc. estes países não possuem sequer condições econômicas de investir na área de disseminação da Informação. No âmbito de iniciativas comunitárias. Mas outros países em desenvolvimento. A Internet nada mais é que um avanço de comercio mais rápido e lucrativo para o Brasil.170 escolas públicas e 38 Núcleos Regionais de Tecnologias (NRT).FUST. como as centrais de captação de órgãos e transplantes por exemplo).FUST Como já exposto. os países desenvolvidos possuem acesso mais rápido às diversas fontes de informação científica e tecnológica. se a Internet possibilita um extraordinário avanço na aproximação entre comprador e vendedor. Com baixos Ìndices de Desenvolvimento Humano e Qualidade de Vida. os esforços de viabilização de acesso tendem a incluir o oferecimento de instrução básica em informática. está nas escolas. Este desenvolvimento não traz somente benefícios sociais. o Ministério das Comunicações planejou e desenvolveu diversos programas com os recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações . o Brasil busca fazer parte dos que fazem um acompanhamento simultâneo do que acontece no mundo. ainda caminham nesta direção. do desenvolvimento dos setores produtivos. A INTERNET NAS COMUNIDADES A opção mais imediata para o acesso amplo à Internet. Os países em desenvolvimento. O FUST foi criado para implementar a política de instalação e manutenção de infra-estrutura de telecomunicações e informática. isto é. No processo de educação formal de jovens. Muitos ainda buscam a sua autonomia política. saúde (possibilitando acesso mais rápido e eficiente aos serviços públicos de saúde. na sociedade brasileira. mas também benefícios econômicos advindos da ampliação de oportunidades de educação. como o Brasil. sendo a tecnologia o cursor que leva as informações aos seus destinatários. De fato. de parte de outras operadoras. estão em formulação. No estado de São Paulo esse estágio já está se concretizando. O PROGRAMA BIBLIOTECAS . já que este é o caminho necessário para difundir o conhecimento. estão lutando para levar aos seus cidadãos a universalização da informação. além de cuidar dos avanços da Infra Estrutura para o uso da Internet. a transmutação da informação leva ao conhecimento. da diminuição do desemprego. na acepção da palavra. Investimentos de dimensão bastante superior poderão ser viabilizados com a utilização do Fundo de Universalização de Serviços de Telecomunicações (FUST). Durante a vigência de Fernando Henrique Cardoso como Presidente da República (1994-2002).ENSINO À DISTÂNCIA . promovendo a conectividade de áreas remotas e de fronteiras. O projeto envolve 100 mil professores e 3. por meio de sua rede IP. em maio de 2000. Com o apoio de entidades como a Organização das Nações Unidas para a Educação. bloco onde o Brasil está incluído.

pelo menos um centro comunitário por município. É necessário promover a implantação de serviços de acesso público à Internet. que deverá ser pelo público promovido por: . O que é necessário para que esse quadro mude na nossa sociedade? Como podemos enfrentar barreiras e transpor barreiras para transformar a verdadeira Sociedade da Informação no Brasil? Algumas dessas necessidades e outras ações nos podemos citar como:   · disponibilizar pontos de acesso em toda cidade com mais de 50 mil habitantes · implantar mecanismos de acesso à Internet via linha telefônica fixa.O governo pode criar e promover vários itens para modificar este quadro que são: · Criar e disponibilizar na Internet um banco de dados de equipamentos que estejam em desuso. . juntamente com o Programa Comunidade Solidária. para compor o acervo da mesma Biblioteca Nacional.INFORMÁTICA E SOCIEDADE 6º SEMESTRE Em parceria com os Ministérios da Ciência e Tecnologia e da Cultura. intercâmbio de documentos pela web e/ou pelo correio eletrônico. ou mesmo pessoas físicas. da leitura e da biblioteca. centro cultural virtual. o Ministério das Comunicações instituiu o Programa Sociedade da Informação. avaliar e sugerir alternativas para as políticas do livro. culturais e filosóficas. É necessário produzir e disponibilizar no mercado brasileiro dispositivo (hardware + software) de baixo custo. na proposição do Programa Bibliotecas do FUST. a custos mais acessíveis do que de interurbano normal.pelo menos 2000 bibliotecas públicas. para destinação social. . navegação na Internet e intercâmbio de informação entre bibliotecas. automação de bibliotecas. mas ainda operacionais.FACULDADE FORTIUM. O Ministério da Ciência e Tecnologia é o responsável pela articulação de ações que visam viabilizar os vários tipos de serviços que poderão ser disponibilizados pelas bibliotecas. como parte de uma estratégia de global avaliação e oportunidades de treinamento básico em É necessário oferecer mecanismos de Informática em larga escala. da cultura local. OUTRAS AÇÕES PARA ATINGIR O ANALFABETISMO DIGITAL Várias ações podem ser criadas para se acabar com o analfabetismo digital no País. em todas as cidades do País. biblioteca virtual. por exemplo. estaduais e municipais) e mais de cinco mil bibliotecas do chamado Terceiro Setor (composto por ONGs e bibliotecas comunitárias). da mesma forma que poderá enviar conteúdos seus. · Criar portal de assistência para o iniciante na rede. O Ministério da Cultura terá as atribuições de acompanhar. em colaboração com a Fundação Biblioteca Nacional e com outras instituições nessa área. no que se refere à inclusão social e digital em um País com tantas diferenças sociais. uma pequena biblioteca na Amazônia vai poder acessar e receber conteúdos da Biblioteca Nacional. tais como catálogo eletrônica. disponíveis para doação por empresas ou instituições. AS NECESSIDADES PARA INCLUSÃO DIGITAL Para onde vamos. · Criar infotecas nas escolas. onde busca criar uma grande rede informatizada de mão dupla e conectada à Internet. digitalização de conteúdos. como.ENSINO À DISTÂNCIA . Desse modo. com mais de quatro mil bibliotecas públicas (federais. consulta em catálogos e bibliotecas à distância. incentivando novos esquemas de formação e de relacionamento da comunidade escolar com as famílias.

· Promover a concepção local. como a agricultura e as indústrias de bens de consumo e de capital. Ao mesmo tempo em que houve. este crescimento está restrito a áreas urbanas e a regiões que representam mercados mais lucrativos . 2000). O valor dos produtos e serviços nessa nova sociedade depende cada vez mais do percentual de inovação.000.ENSINO À DISTÂNCIA .e a maioria acabou por encontrar-se no lado menos privilegiado de uma crescente "Brecha Digital". com ênfase em formação para a cidadania. avaliar e gerenciar o capital intelectual e os ativos intangíveis das organizações. A única certeza é de que precisamos de uma nova teoria que reconheça o conhecimento como o principal fator de agregação de valor na nossa sociedade. Ou seja.FACULDADE FORTIUM. ao mesmo tempo em que vigorosamente davam seguimento a políticas liberalizadoras que obtiveram grande sucesso em desnacionalizar a indústria de telecomunicações e que estão tendo continuidade na área dos meios de comunicação. mas agora necessitamos de metodologias e critérios que nos permitam medir. trazem muita perplexidade: os velhos conceitos já não explicam a realidade e os novos ainda não estão maduros o bastante para se tornarem o novo padrão.INFORMÁTICA E SOCIEDADE 6º SEMESTRE · Estimular e capacitar as comunidades a gerar seus próprios conteúdos na Internet. Sabemos como medir. de uma maneira mais geral. CONCLUSÃO Nos países desenvolvidos. capital e trabalho. em decisões e ações de negócio. inclusive os tradicionais. um crescimento do acesso a serviços de informação em muitos países do Sul. A versão da Sociedade da Informação Global. Os cursos e as teorias tradicionais de administração só conseguem dar conta da gestão dos fatores clássicos de produção: terra. . A competição é cada vez mais baseada na capacidade de transformar informação em conhecimento e este. Neste sentido. As mudanças de paradigmas. tecnologia e inteligência a eles incorporados. mais uma vez oferecendo uns poucos e pequenos programas-piloto para promover a universalização dos serviços. do conhecimento e das inovações como instrumento para obtenção de vantagens competitivas já permeia quase todos os setores. a utilização das tecnologias da informação. que nos permitam gerir o conhecimento. a "Sociedade da Informação" é uma invenção das necessidades capitalistas da globalização e dos governos que financiam estas necessidades.00 para configurações iniciais (SOCINFO. como resultado deste processo. a fabricação nacional e a comercialização de computadores voltados primordialmente para o acesso à Internet (netcomputers) com custo baixo de R$ 1. avaliar e fazer o balanço patrimonial de uma empresa.