Você está na página 1de 9

IMPLANTAÇÃO DE UM PORTO FLUVIAL INTERMODAL NA BACIA DO RIO PIRACICABA

O Empreendedor O porto será construído e gerenciado pela empresa fictícia intitulada “Ilustre s/a”. . além de diminuir a movimentação dessas carga nas rodovias. vencedora da licitação. para escoamento da produção de bens dessa região. Justificativa para Escolha do Empreendimento A escolha pela implantação de um porto intermodal nessa região. US$ 16 por ferrovia e US$ 30 por rodovia). visa principalmente o melhoramento dos seguintes aspectos na região:  Desafogar a malha viária através da transferência do transporte de cargas do meio terrestre para o fluvial  Diminuição da emissão de poluentes e gases do efeito estufa (50% da emissão de CO2 no estado é devido a queima de combustivel no transporte rodoviário). ligando as principais rodovias e ferrovias da região à Hidrovia Tietê-Paraná. como forma de abastecimento do Mercosul. Baixíssimos custos de operação (transporte de grãos. possibilitando um menor impacto ambiental pela emissão de CO2 na atmosfera.   Objetivos do Empreendimento O objetivo que nortea o projeto é a construção de um porto fluvial intermodal. além do transporte de álcool das usinas locais favorecidas pelo projeto do PAC que pretende trazer investimentos da ordem de US$ 240 milhões e prevê o transporte de 4 bilhões de litros de álcool por ano na Hidrovia TietêParaná. que se encontra em constante crescimento. com a Hidrovia Tietê-Paraná. possibilitanto uma diminuição nos custos de transporte de matéria-prima e produtos manufaturados por esse trajeto. tem custo de US$ 8 por tonelada pela hidrovia. O Empreendimento O empreendimento em questão consiste na construção de um porto fluvial intermodal na Bacia do Rio Piracicaba. por exemplo. Escoamento da produção de cana-de-açúcar da região (uma das maiores do Brasil). para possibilitar a conexão da região de Piracicaba.

(aproximadamente a 16. Imagem 02. na cidade de Piracicaba. . mais especificamente na margem direita do Rio Piracicaba. ao cruzar com o distrito. SP.5km do centro da cidade).Localização do Empreendimento Imagem 01. Principais rios do estado de São Paulo. A instalação do porto fluvial intermodal. deverá ocorrer no distrito de Artemis. Localização do distrito de Artemis.

A malha ferroviária local se encontra sucateada ou já não existe mais. porém seu uso teve fim muito antes. A ligação de Piracicaba a Artemis. rumo a Sorocaba. Principais acessos ao município de Artemis. O único acesso disponível ao distrito de Artemis. e consequentemente ao porto fluvial.. seu uso teve um declínio rápido pela falta de incentivos a esse meio de transporte.. que se conecta às rodovias Anhanguera SP-330 e Bandeirantes SP-348.. . em direção à capital e Campinas. Imagem 03. ligando-se à Rodovia Castelo Brando SP-280. existindo somente um entroncamento ligando Piracicaba à cidade de Campinas.Infra Estrutura (transposte. Já os trechos da cidade de Piracicaba. deve ser feito pela Rodovia Geraldo de Barros. capacidade de vida util. teve sua última movimentação documentada pela empresa Sorocabana em 1962. são a SP-304 – Rodovia Luiz de Queiroz.) verificar no EIA As principais estradas de acesso ao município de Piracicaba. Por se tratar de um entroncamento da malha principal. foram removidos em 2010. maos de obra. e a SP-308 – Rodovia do Açúcar.

considerando o trecho de Artemis até a Hidrovia Tietê-Paraná já é navegável. seria da ordem de 2. Demonstração do abandon das ferrovias no distrito de Artemis. 12 metros. o porto também fica parado. Com essa obra. evitando a necessidade de mudanças drásticas em sua estrutura. o transporte de carga pela Hidrovia Piracicaba. porém sua capacidade é limitada. o rio Piracicaba. pelo menos. O projeto dessa barragem. Cronograma de Seleção da Área.Imagens 03 e 04. Para uma maior efetividade do porto fluvial. uso recreativo pela população e ajuda no abastecimento de comunidades locais. Conflitos de Interesses Atualmente. justificativa área Um Pouco de Historia Implantação . definiçao. é necessário a construção de uma barragem na altura de Santa Maria da Serra de. além de melhoria da hidrovia. a geração de energia. teria como finalidade. enquanto ela não tem andamento.4 mil toneladas. o que tiraria das estradas o equivalente a 80 caminhões. Porém.

assim como a navegação fluvial a partir desse ponto entrou em declínio até terminar suas atividades. Em 1945. obras de terraplanagem. Em 12 de março de 1888. a estação local passou a ser também agência dos correios de Piracicaba. que saía de um ponto logo depois da estação de Piracicaba e também o ponto inicial da navegação no Rio Piracicaba.Artemis foi inaugurada em 1887 com o nome de Porto João Alfredo. bem como as de Paraízo (atual Paraisolândia) e de Charqueada. autor do projeto da Lei Áurea.    Novamente em Artemis Fora da área urbana Existência de estruturas que facilitam a reimplantação da linha ferroviária (traçados. Era a ponta de um ramal. seu nome foi alterado para o atual. em homenagem ao senador João Alfredo Corrêa de Oliveira. etc) Perto do início do trecho navegável do rio Piracicaba. Artemis. a estação foi desativada com o fim das atividades do ramal. evitando somente uma série de meandros entre a cidade de Piracicaba e Artemis . Já em 1962.

As culturas de cereais. Charqueada. enquanto a do mês mais frio é inferior a 18ºC. Nesta área predominam a cultura da cana-de-açúcar e a pastagem. Limeira. situação característica de clima tropical. Rio das Pedras. e a da cana-de-açúcar fazem com . urbanização e latossolos. explorações estas que prevalecem já há algumas décadas. São Pedro. Iracemápolis. Esta Zona é constituída por sedimentos com área expressiva de intrusões de rochas básicas. De um modo geral. Tietê. Conchas. Em termos geomorfológicos. Anhembi. na região estudada as unidades predominantes pertencem aos argissolos e neossolos. O distrito está localizado na depressão periférica paulista. Capivari. o terreno da área de estudo é relativamente plano e pouco acidentado. Cerca de 70% do volume de precipitação ocorre no verão. é do tipo mesotérmico. em pequena escala. na zona do Médio Tietê. isto é. utilizada em sua maioria pela pecuária mista. subtropical úmido com estiagem no inverno.Restrições Legais Diagnóstico Ambiental da Área O clima da região. a região está localizada em terrenos sedimentares que formam a Depressão Periférica. Santa Bárbara d’Oeste.300 mm. segundo a classificação de Koeppen. O restante da bacia está coberto por pequenas manchas de nitossolo. A precipitação média anual é de aproximadamente 1. Ipeúna e Saltinho. Cwa. Sobre os solos. os quais representam grande porcentagem da área total. O distrito de Artemis faz fronteira com os municípios de Rio Claro. Laranjal Paulista. Santa Maria da Serra. As chuvas do mês mais seco não atingem 30 mm e a temperatura do mês mais quente é superior a 22ºC.

probabilidade. mensuração. ocorrência e magnitude. deixando o solo bastante susceptível ao processo erosivo.que as áreas sejam perturbadas com preparação de terra durante o ano. Alteração da qualidade das águas superficiais. reversibilidade. espacialização. Interferência no fluxo de embarcações e aumento do risco de acidentes. Supressão de indivíduos arbóreos isolados. Elevação dos níveis de ruídos. Desmatamento e pressão de ocupação sobre áreas florestadas. Alteração no escoamento superficial. Interferência na dinâmica de sedimentação fluvial local. Medidas Mitigadoras . Riscos de acidentes com funcionários no terminal. Risco de contaminação pelo derramamento acidental de óleos. tipo. Perturbação da fauna. Concentração fundiária e migração de pequenos proprietários rurais. Após pesquisa e estudos sobre empreendimentos deste tipo e conhecendo-se a área em questão. Avaliação dos Impactos Ambientais e Medidas Mitigadoras Avalição dos Impactos Ambientais Os impactos ambientais de qualquer tipo de empreendimento são valorados levando-se em conta suas características que são: fase de ocorrência. Concentração Fundiária e Migração de Pequenos Proprietários. Incremento de processos erosivos e de assoreamento de drenagens. natureza. duração. pode-se afirmar que os impactos referentes a este tipo de empreendimentos seriam: • • • • • • • • • • • • • • Alteração da Paisagem Urbana. localização.

Plano de monitoramento de ruído. realização de campanha de medições dos níveis de ruído. Programa de Controle Ambiental das Obras. • • • • • • • Relevância Bibliografia . Implantação e manutenção de um sistema eficiente de drenagem superficial das águas pluviais. de controle da geração e destinação final de resíduos sólidos e de efluentes das atividades desenvolvidas no canteiro de obras e no terminal. é proposto o programa de apoio ao plano de desenvolvimento rural sustentável.966/00. associadas a medidas de controle e proteção contra a erosão.Sinalização e controle de acesso às áreas mais próximas ao terminal.Em decorrência aos impactos considerados e visando causar o mínimo de danos ao meio biológico. Na fase de operação. de controle do escoamento superficial e de assoreamento. Para minimizar os efeitos prováveis decorrentes da instalação do terminal. físico e antrópico foram determinadas as seguintes medidas mitigadoras: • • • Tratamento paisagístico com a utilização de espécies atrativas para a fauna. Ampliação do programa de monitoramento da qualidade da água avaliando também os parâmetros hpas e adoção de procedimentospara atendimento da lei nº 9. Medidas de prevenção de acidentes de trabalho. Medidas de segurança relativas ao tráfego de embarcações ao longo do río no programa de comunicação social. Medidas preventivas de controle do escoamento superficial.com medidas de prevenção e controle de processos erosivos. Restrição de horários de trabalho para a execução de serviços que causam maiores ruídos e adoção das medidas preventivas. e implementação do programa de controle médico e saúde ocupacional – PCMSO. do Programa de Controle Ambiental das Obras.