Você está na página 1de 5

FUNDAÇÃO COMUNITÁRIA TRICORDIANA DE EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE VALE DO RIO VERDE DE TRÊS CORAÇÕES ÉLIDA RIBEIRO DE FREITAS EMANUEL MAGAIVER

LEITE DE CASTRO HILDERLANE DOS SANTOS BORGES SABRINA DE LIMA ALVES

ASPECTOS GERAIS DA ATEROSCLEROSE

Belo Horizonte – MG 2011

Soraya de Mattos C. Grossmann. Belo Horizonte – MG 2011 . Orientadora: Prof. área de Iniciação Científica IV. para obtenção do título de Graduação.ÉLIDA RIBEIRO DE FREITAS EMANUEL MAGAIVER LEITE DE CASTRO HILDERLANE DOS SANTOS BORGES SABRINA DE LIMA ALVES ASPECTOS GERAIS DA ATEROSCLEROSE Texto-roteiro apresentado à Universidade Vale do Rio Verde – UNINCOR como parte das exigências do Programa de Medicina.

descritos no Bogliolo Patologia. variando o agravamento com os territórios atingidos. a hiperlipidemia é o mais importante. carboidratos complexos. Embora haja certa influência da etnia. o que facilita o tratamento cirúrgico por meio de pontes de revascularização. agentes infecciosos. A aorta é a artéria mais precoce e mais intensamente comprometida. o que ocorre em bifurcações ou na emergência de vasos menores. alguns fatores parecem explicar a preferência da lesões por certos locais: 1. alterações da coagulação sanguínea. Dentro de cada vaso. 3. Alterações da pressão extravascular. A aterosclerose resulta da interação de fatores genéticos com dieta. 2. As lesões ateroscleróticas representam uma resposta inflamatória crônica da parede arterial a agressões variadas. sendo responsável por cerca de 25% de todos os óbitos. na íntima. De todos eles. é a mais importante causa de mortalidade.1 TEMA A aterosclerose é definida pela OMS como a doença de artérias de grande ou médio calibre caracterizada por alterações representadas pelo acúmulo. etnia. e nos seus ramos principais. tendo como eventos fundamentais: . de lipídeos. homocisteína. Particularidades anatômicas e bioquímicas das artérias em diferentes sítios. álcool. Segundo Geraldo Brasileiro Filho os principais fatores de risco são: hiperlipidemia. os fatores predisponentes principais são predisposição genética e estilo de vida. como artérias coronárias. hábito de fumar. carótidas. particularmente hipertensão arterial e diabetes. diabete melito. fatores hemodinâmicos. obesidade. tabagismo. as lesões coronárias e cerebrais ocorrem mais tardiamente. Nesses locais se dão alterações das forças de cisalhamento. componentes do sangue. sexo. como em pontos de turbulência ou de modificações do fluxo laminar. as lesões preferem os primeiros centímetros após sua origem na aorta. ela é comum na aorta. No Brasil. ilíacas e femorais. Nas coronárias. lesão endotelial constante e agregação plaquetária. Modificação do fluxo: As lesões são mais comuns em regiões onde o fluxo sanguíneo sofre alterações. células e material intercelular. Por mais que a doença possa ser encontrada em qualquer artéria de grande ou médio calibre. modificando o estresse na parede arterial. também é freqüente nos óstios das artérias renais e mesentéricas e vasos do polígono de Willis. As lesões ateroscleróticas se acentuam com a idade. hipertensão arterial. estilo de vida e algumas doenças. As artérias dos membros superiores normalmente são poupadas. especialmente na porção abdominal.

A aterosclerose provoca dois tipos de alterações vasculares de grande importância: obstrução vascular com isquemia e dilatação da parede e formação de aneurismas.1. Síntese e deposição de MEC (colágeno e proteoglicanos). Agressão às células endoteliais resultando em sua disfunção ou lesão. com liberação de fatores de crescimento. Penetração e acúmulo de lipídeos na íntima arterial. . 3. 4. Adesão de monócitos e plaquetas ao endotélio. 2. 5. Migração de células musculares lisas da média e sua multiplicação na íntima.

Patologia.S. COLLINS. Geraldo. KUMAR. 7ª edição. Editora Guanabara Koogan. Vinay. Editora Guanabara Koogan. 2005. Robbins. 2006. T. BRASILEIRO FILHO. Bogliolio. . Patologia.REFERÊNCIAS COTRAN. R. Bases patológicas das doenças. 7ª edição.