Você está na página 1de 29

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE EDÉIA CURSO DE TECNOLOGIA EM PRODUÇÃO SUCROALCOOLEIRA

APLICAÇÃO DAS NORMAS ISO-9001 NO SETOR DE INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO EM USINAS DE CANA DE AÇÚCAR.

Geovane Santos Menêzes

Edéia, novembro de 2011

GEOVANE SANTOS MENÊZES

APLICAÇÃO DAS NORMAS ISO-9001 NO SETOR DE INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO EM USINAS DE CANA DE AÇÚCAR.

Relatório de Estagio apresentado com exigência parcial para obtenção do grau de Tecnólogo em Produção Sucroalcooleira a Universidade Estadual de Goiás, a Unidade Universitária de Edéia.

Professor Supervisor: Prof. Dr. Jales Teixeira Chaves Filho

Edéia, novembro de 2011

novembro de 2011 . pelo Tecnólogo Geovane Santos Menêzes como trabalho de conclusão de curso requisito parcial para obtenção do Titulo de Tecnólogo em produção Sucroalcooleira pela banca examinadora formada pelos professores: Orientador: Prof._______de ____________de________ Edéia. Emylciane Costa Hercos Assinatura:_________________________________ Examinador: Prof.Relatório Final de Estagio apresentado a Professora Emylciane Costa Hercos do Curso Superior de Tecnologia em Produção Sucroalcooleira da Universidade Estadual de Goiás – Unidade Universitária de Edéia. Assinatura:_________________________________ __________. Jales Teixeira Chaves Filho Assinatura:_________________________________ Examinador: Prof.

e todos aqueles que contribuíram para o desenvolvimento do mesmo. ao meu irmão Elder Menezes que não mediram esforços. e incentivaram a minha caminhada ate aqui. Jorge Venâncio e Venina Menezes. .DEDICATÓRIA Dedico este trabalho a Deus e aos meus pais.

Á Universidade Estadual de Goiás. A minha família que é a base de toda essa conquista. Á Deus e Nossa Senhora Aparecida. pela oportunidade de realizar o curso. a todos seus colaboradores que me ajudaram com materiais e ensinamentos para desenvolver este trabalho.AGRADECIMENTOS Á professora Emylciane Costa Hercos pela dedicação. que iluminam e me guiam diante as minhas decisões. incentivo e orientação do andamento e normatização do trabalho e os preciosos ensinamentos. . Unidade Universitária de Edéia. Á usina Tropical Bioenergia. pela oportunidade de realizar o estágio.

Instrumentos. FT. montar um modelo de etiqueta para cada instrumento (TAG). cujos certificados de Calibração são validados e registrados. o Ranger que é a faixa de medição. Todos os procedimentos realizados ficam armazenados e disponíveis na intranet. TT. Modelo de cada aparelho. (Presys Instrumentos e Sistemas LTDA). para desenvolver planilhas com dados coletados na planta industrial da usina. Aplicação das normas ISO-9001 no setor de instrumentação e automação em usinas de cana de açúcar: 2011. PALAVRAS-CHAVE: Produção Sucroalcooleira. Isoplan-5. o local e o numero do instrumento em sequência e os instrumentos que não possuem N° de Serie criar etiquetas com N° de serie (TB-000). no portal do SIG. Depois de coladas as etiquetas em seus locais iniciam-se o cadastro dos equipamentos no software. LT. TI. marcando suas funções.UnU Edéia. TE. 30p. entre a mínima até a máxima pressão que o transmissor pode medir. Normas ISO.( PT. . para então realizar a calibração dos instrumentos. DT ) a área em que pertence. Geovane Santos. o número de Série.RESUMO MENÊZES. A partir desses dados. Reconhecendo os instrumentos e suas localizações. O presente trabalho buscou relatar os procedimentos da área de Instrumentação/Automação para que a empresa entre em conformidade com as normas ISO 9001. Relatório de Estagio Supervisionado Obrigatório Graduação Superior em Tecnologia de Produção Sucroalcooleira UEG . onde contem o tipo de instrumento.

Report of supervised Required Graduate Higher ethanol production technology. set up a label template for each instrument(TAG). LT. (TB-000). model of each unit to develop spreadsheets with data collected in plantplant. the Ranger is the measuring range between the minimum to the maximum pressure that the transmitter can measure. IT. the serial number.ABSTRACT MENEZES. After the labels pasted on their sites begin the registration of the equipment software. ET. UEG. Geovane santos. TT. Recognizing the instruments and their locations. marking its functions. And then perform the calibration of instruments whose calibration certificates are validated and registered. DT) the area in which it belongs. the location and number of instrument in sequence and the instruments that do not have serial No.UNU Edéia. creating labels with serial No. which contains the type of instrument (PT. 30p. FT. . All procedures are stored and made available on the intranet. This study aimed to report the procedures of the Instrumentation / Automation for the company to get in line with ISO 9001. ISO. Instruments. (Presys Instruments and Systems LTDA). Application of ISO – 9001 standards in the industryinstrumentation and automation in plants of sugar cane: 2011. the portal of GIS. Isoplan-5. KEYWORDS: ethanol production. From these data.

................. II LISTA DE ABREVEATURA ................. 1 1............................................................................................................................. CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA ............. INTRODUÇÃO ......................................................................................................... .. 10 CALIBRAÇÃO.............................................. 3 DESENVOLVIMENTO ................................................ 4 2..... MANUTENÇÃO NO FY......................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... 4....................................................................................................... 13 CONCLUSÃO ....................................................... III 1......1 1.... 15 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................................................... 4 3..................................................... 5......................................................................................2 2.................................... 17 I ........................................................... 3 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO ESTÁGIO .....SUMÁRIO LISTA DE FIGURAS ......1 DESCRIÇÕES DOS APARELHOS ANALIZADOS ............................................................................................. 16 ANEXOS ..............................

........ ................. ................ ...................................................................................... ............................................................................ .................................................................... .... ................................................................................ 12 Figura 8 posicionador FY......................................................LISTA DE FIGURAS Figura 1 sensor de temperatura....................... 10 Figura 9 Pt-100 modelo 3 fios sendo calibrado................... 13 Figura 10 Banho térmico modelo T-25N.................................................................................................................................................. . 5 Figura 2 transmissor de temperatura................................................................................................. 9 Figura 6 pieso.. 8 Figura 5 balança de 50kg................................... 7 Figura 4 medidor de pressão....................................................................... ............................................. 6 Figura 3 transmissor de nível .................................................................. 13 II .................................................................. 11 Figura 7 Megometro e Fycal.

Sociedade Anônima. Transmissor de Nível. Transmissor indicador de Vazão. Transmissor indicador de Pressão. III . Sensor de Temperatura. Transmissor indicador de Temperatura.LISTA DE ABREVEATURA N° PT TE TT TI LT FT DT FY ISO S/A COI DP PA - Numero. Processo Automação. Posicionador de Válvulas Organização Internacional para padronização. Manômetro. Transmissor de Densidade. Central de Operações Integrada Descentralizado Periferia.

Nas indústrias de processos como siderurgia.4 fazendo referencia ao ambiente de trabalho.1. coube a área de instrumentação/automação também ser responsável pela formalização dos mesmos para se adequarem as normas técnicas da NBR ISO 9001:2008. para garantir um padrão a todas as empresas em que ela certifica. indicação. que atuam com elementos de monitoramento. a NBR ISO 9001:2008. e controle de variáveis físicas em equipamentos nos processos industriais. A normativa 6. denominada de ISO 14001. assim como nas sucroalcooleiras. segurança. entre outros. regularizando toda a documentação os registros que cada instrumento possui seus históricos de calibração. assim garantindo a funcionalidade e a resistência do equipamento para garantir a segurança de todos que passam ou estejam próximos a esses equipamentos e garantir a qualidade das medições realizadas para oferecer ao final do processo um produto de qualidade e em conformidade a NBR ISO-9001:2008. sobre os locais.6 vem para fazer o controle dos equipamentos de monitoramento e medição. ecologia. Entre as normativas aplicadas podemos destacar algumas realizadas pelo setor de instrumentação/automação como. é utilizada como referencia em vários países. válvulas.3 que faz o controle de documentos. 7. economia. registro. As normas ISO vêm para dar as empresa ajustes de qualidade. eficiência. transmissão. que além dessa norma regulamentadora de qualidade existem outras como a que regulamenta o Meio Ambiente. dentre outros aspectos. . INTRODUÇÃO A automação é uma ciência que aplica e desenvolve técnicas para adequação de instrumentos de medição.5. em uso e em estoque. a quantidade de instrumentos que a usina possui e o tipo deles. compatibilidade. alimentícia de papel. 4. Especifica para o sistema de gestão da qualidade. petroquímica. interoperabilidade.1 fazendo a observação sobre controle de produção e prestação de serviço. conformidade.4 que estabelece o controle de registro. A normativa 7. Por ter um maior conhecimento e ser responsável por esses equipamentos dentro de uma usina sucroalcooleira. por exemplo: a 4.2.2. controle de equipamentos metrológicos.

material do instrumento correto. pressões. Outra atividade foi desenvolver e aplicar metodologia para realizar atividades de manutenção como a realizada nos posicionadores de válvulas.Ter o controle sobre as datas de calibração dos instrumentos. que estão em campo e em estoque para que ao realizar manutenção. Podendo então realizar medidas errada de temperaturas. realizar o cadastro dos instrumentos. ao serem reinstalados mudam de área e assim altera-se a adequação do instrumento e sua faixa de medida. garantindo uma produção estável. para preservar o colaborador garantindo sua integridade física. Em grande parte os equipamentos são trocados de lugar. ou trocálos. devido cada instrumento suportar fazer a leitura de um determinado valor. tenha o controle de: Ranger certo. equipamento calibrado com garantia de precisão e qualidade. reduzindo o índice de acidentes. a manutenção preventiva é realizada para evitar algum erro que possa a vir parar a indústria durante a safra já a manutenção corretiva feita durante a entre safra é para corrigir algum problema que não pode ser sanado durante a safra. Ao final das Safras os instrumentos são retirados para manutenção tanto preventiva como corretiva. .

renovável e competitiva.1 CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA A usina Tropical Bioenergia esta localizada no município de Edéia.GO. açúcar e energia limpa. trabalho em equipe. ambiental e o econômico envolvendo toda a comunidade. 1. Acompanhar o trabalho dos instrumentistas e do coordenador. Japão. A usina tropical Bioenergia trabalha na produção de álcool. renovável e competitiva. respeitando clientes. Tem como visão ser reconhecida globalmente como referencia em sustentabilidade no setor de Bioenergia. A empresa pertence ao grupo BP (British Petroleum). Inserir variáveis de equipamentos no software de metrologia. respeito ao meio ambiente. Km 51 sentido a cidade de Porteirão . com base em uma política de segurança.2 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NO ESTÁGIO    Realizar manutenção em equipamentos. acionistas e fornecedores. para tanto exporta produtos para a China.1. Mantém uma relação direta com o tripé da sustentabilidade integrando o social. especificamente na Rodovia GO-410. comunidade. sempre valorizando e desenvolvendo seus colaboradores. 3 . Sua missão é produzir energia limpa. tendo como responsabilidade a educação e a saúde. colaboradores.

com uma distancia de 100 a 1200m. pressão. manômetros e termômetros. da comunicação e o uso da rede de comunicação para reduzir tempo. ate a saída na forma de álcool e açúcar. velocidade de 31. O sistema PROFIBUS é desenvolvido e administrado pela PROFIBUS UserOrganization. Pt-100 e Termopares: Termopares são dois condutores metálicos na sua forma pura. Detalhando os sensores de termo-resistência (RTDs). Pode ser utilizado ate 128 dispositivos divididos em quatro segmentos com repetidores.2. foi desenvolvido um trabalho de conhecimento de todo o processo. Velocidade entre 9600 a 12 Mbits/seg. transmissores de temperatura.25 kbits/s e uma distancia máxima de 1900m O sistema da profibus através das amostras de variáveis. atua na ligação dos escravos ate o sistema de controle. DESENVOLVIMENTO 2. desde a recepção da cana no difusor. balanças.1 DESCRIÇÕES DOS APARELHOS ANALIZADOS No primeiro momento junto a empresa. termopares. Descentralizado Periferia (DP) faz comunicação de alta velocidade e otimizada entre os Mestres. medidores de vazão e nível. ou seja. mais de naturezas diferentes que o aquecimento dos metais gera uma força eletromotriz esse principio é conhecido como efeito Seebeck. Processo Automatizado (PA) faz a conexão entre os dispositivos de campo com o sistema de controle de processo. Possuindo dois fios. 4 . Permite ate 32 dispositivos sem alimentação e 12 com alimentação. Tais equipamentos fazem comunicação utilizando redes Profibus – DP e Profibus – PA utilizando o sistema de comunicação mestre-escravo. permitem criar uma malha com vários equipamentos e grande desempenho.

2011. Fonte: arquivo pessoal. os RTDs podem ser de dois. eles tem parte do principio que a resistência do metal aumenta com o aumento de sua temperatura. Mais também podem ser constituídos de Cu (Cobre) ou Ni (Níquel). por não restringir o limite de temperatura e por manter grande estabilidade. Os sensores de temperatura transmitem a variação de temperatura em lugares de estrema dificuldade de se chegar. Figura 1 imagem do sensor de temperatura cuja função é medir a variação de temperatura no interior da dorna de fermentação. Uma conexão de dois fios pode causar erros nas medidas devido ao comprimento dos fios e da temperatura que estão expostos.Já os sensores e em sua grande maioria são do tipo Pt-100 (Platina). nos evaporadores. como nos mancais dos rolos do difusor. 5 . três e quatro fios. no topo das colunas de destilação. Já com três fios anula-se o efeito da queda de tensão na resistência e com quatro fios não tem queda de tensão. locais muito perigosos que com o uso do sensor evita a presença de uma pessoa que ficaria fazendo a leitura manual da temperatura.

6 . já com o transmissor com quatro fios a alimentação dele é de 110 Vac ou 220 Vac. se o equipamento esta respondendo a solicitação do mestre e as opções de ajustes. Figura 2 imagem do transmissor de temperatura cuja finalidade é transmitir a temperatura que o sensor esta lendo no decantador 1. Os TT são a prova de tempo e explosão. No visor de cristal liquido são mostrados as seguintes informações: A temperatura variável no campo. dependendo do tipo de alimentação que ele for receber para 24 Vdc utiliza o transmissor com dois fios. se a comunicação esta sendo feita. cada TT pode ter ate dois TE ligados a ele. Fonte: arquivo pessoal. onde se faz o monitoramento de todo o processo industrial. 2011.Transmissores de Temperatura: Os transmissores de temperatura permitem que o sensor faça a medição da temperatura e se comunique com a central (COI). Os transmissores podem ser a dois fios ou com quatro fios.

nível e vazão.Transmissores de Pressão. 2011. produtos químicos como acido sulfúrico. também controlando o fluxo de caldo e seus derivados pelas tubulações. assim evitando derramamentos. de acordo com a pressão diferencial aplicada). Graças a esses equipamentos é possível controlar essas variáveis á distancia evitando a proximidade dos operadores a áreas de altas pressões como a pressão na linha de vapor. 7 . além de preservar a integridade física dos trabalhadores. Fonte: arquivo pessoal. Figura 3 imagem do transmissor de nível cuja função é medir o nível do tanque de mel final. utiliza o sistema de célula capacitiva (célula capacitiva é um sensor de pressão constituído por dois capacitores de capacitâncias variáveis. contaminação do meio ambiente. Nível e Vazão: O transmissor de pressão LD303 mede pressão.

manômetro. assim como os termômetros fazem a leitura manual da temperatura. Fonte: arquivo pessoal. São instalados em locais de fácil acesso e ajudam a fazer o monitoramento da pressão sem estar recorrendo ao COI.Manômetros: Os manômetros são utilizados para fazer a leitura manual da pressão. 2011 8 . Figura 4 imagem do medidor de pressão. que mede de 0a850psi e de 0 a 60 kgf/cm².

São as balanças que controlam a quantidade de produto compro e vendido. existe uma balança que pesa o açúcar antes de ele cair dentro do caminhão.Balanças: As balanças estão presentes na entrada. para pesar a quantidade de cana que entra na indústria. faz a pesagem de 0. 2011. não deixando passar nem faltar do peso correto. essa medida é feita com a diferença do caminhão cheio e do caminhão vazio. sua calibração garante que se tenha a quantidade correta de produto dentro de seus locais de armazenamento. Também estão no armazém de açúcar pesando os Bag’s. Fonte: arquivo pessoal.2 a 60 kg. Figura 5 imagem da balança de ensaque duplo. 9 . E no laboratório industrial ajudando na pesagem para realizar as análises físicas e químicas das amostras recolhidas pelo processo. os sacos de 50 Kg e quando o carregamento é feito direto no caminhão (agranel).

São de grande utilidade já que caso eles não funcionem corretamente podem não fechar completamente uma tubulação podem vir a derramar produto em algum funcionário que esteja realizando manutenção em alguma parte da tubulação ou em um equipamento. que controla a posição da válvula automaticamente. são instrumentos que controla a posição da haste da válvula através de campo magnético. o piezo. a fita que transmite as informações para a válvula por magnetismo. o pino que controla a quantidade de ar que entra e sai. a parte superior do FY que é constituída pelo visor a placa. MANUTENÇÃO NO FY. os fios de TRU e a carcaça. 10 . passando uma quantidade errada de produto o que tirará a qualidade do produto que será porduzido. Os FY. FY são divididos em manômetros que medem a pressão de entrada e saída de ar. 2011. Não diminuir ou não aumentar a vazão quando solicitado. posicionador inteligente (Atuadores). Fonte: arquivo pessoal. Figura 6 imagem do posicionador inteligente de válvula.3.

Fazer o teste de megar o fy. Se os manômetros estiverem danificados também são substituídos por novos. Figura 7 imagem do piezo cuja função é controlar a quantidade de ar que será utilizada para posicionar a válvula aberta ou fechada. 2011. para megar. Fonte: arquivo pessoal. assim com também as fitas e os fios de TRU. O piezo é calibrado pelo aparelho chamado Fycal. os testes realizados são o de fazer um Setup. O FYCAL também pode servir como fonte de alimentação já que o mesmo gera corrente de 4 a 20mA.Pra verificar se a placa e o visor esta funcionando corretamente. para verificar qual parte esta danificada. Depois de ter feito a troca da parte danificada faz o teste para verificar se o FY está funcionando corretamente. faz o teste em um fy que esteja funcionando normalmente. utiliza o equipamento de teste de isolamento onde através dele saberemos se o fy 11 . caso não esteja é feita a troca da placa e ou do visor. pois ele indicara a posição correta em que a válvula devera se posicionar. testar a comunicação com o computador através do programa Profibus. o FYCAL é um dispositivo para calibração do transdutor de pressão. fazer o posicionamento do ímã do atuador de acordo com a posição indicada no FY.

A base do piezo que compõe o coração do posicionador eletro-pneumático da família FY. pois gera corrente de 4 à 20mA. O FYCAL também pode servir como fonte de alimentação para qualquer produto da Smar da linha Hart. Fonte: arquivo pessoal. ambos utilizado pra fazer teste no FY.está ou não perdendo carga para a carcaça. então após esses testes o fy estará apto a ser instalado no campo. Figura 8 imagem do Megometro( lado esquerdo) e do Fycal (no centro da imagem). 2011. 12 .

Esse software tem função de fazer o controle de todos os dados de cada instrumento. 2011. equipamento que calibra aparelhos do tipo RTDs e Termopares. Figura 9 imagem de um Pt-100 modelo 3 fios sendo calibrado. CALIBRAÇÃO. Figura 10 imagem do Banho térmico modelo T-25N. usado para fazer a calibração de sensores de temperatura. 13 . realizar a calibração junto ao Banho térmico. cuja a função da calibração é ter a certeza de que o equipamento esta fazendo a leitura da temperatura correta. realizada é iniciado o cadastro dos mesmos no software Isoplan-5. Já com os dados dos equipamentos coletados e a marcação com o TAG dos instrumentos. Fonte: arquivo pessoal. 2011. Fonte: arquivo pessoal.4.

Exemplo: TE. a data de calibração.018 esse TAG quer dizer que se trata de um sensor de temperatura localizado no Difusor. Ranger. o numero de serie. para que não deixe instrumentos descalibrados na planta da indústria. e o software gera um certificado. no Picador 1 e que ele é o décimo oitavo instrumento. Ver anexo B e C. Também é preenchida a unidade de medida em que o instrumento trabalha as temperaturas que se faz a leitura durante a calibração. 14 .1. conforme anexo A. que garante a realização da calibração e de que o instrumento estará apto a ser instalado. Então se realiza a calibração que tem uma duração de 8 a 12 horas. a área em que ele fica o equipamento no qual o instrumento esta fazendo a medição e a contagem em sequência dos instrumentos. e com aproximadamente 30 dias antes do prazo de calibração vencer o software informa o tempo restante ate a data de vencimento.Dentro do programa faz o preenchimento do local em que pertence o instrumento. o tempo de durabilidade da calibração.02. sua função. podendo vir a interferir na qualidade do produto final. o TAG que possuem o tipo de instrumento.

além de entrar em conformidade com a ISO 9001. CONCLUSÃO O presente trabalho buscou demonstrar as principais atividades realizadas para normatização e adequação às normas da ISO 9001:2008 em uma Indústria Sucroalcooleira. O que favorece nas negociações nacionais e internacionais se tornando referencia globalmente no setor sucroalcooleiro. constatou-se a grande valia do trabalho realizado perante a grandeza da empresa e as dificuldades antes encontradas durante a manutenção. uma redução de custos no processo e ter um controle mais preciso de todos os equipamentos presentes na indústria. responsável pela manutenção nos equipamentos acima citados. o que garante a empresa um maior mercado para vendas já que as normas da ISO são reconhecidas em mais de 100 Países.5. conseguindo assim reduzir o tempo de manutenção. 15 . especificamente no setor de Instrumentação/Automação. Ao termino do estágio.

OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. transmissor de pressão profibus PA. Julho de 2006. 16 . OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO. FY303. posicionador de válvulas profibus PA. versão1. transmissor de temperatura profibus PA. versão1. MANUAL DE INSTRUÇÕES. Centro de treinamento SMAR. Instrumentação Básica para Controle de Processo. Rogério. TT303.REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS PESSA. MANUAL DE INSTRUÇÕES. Novembro de 2005. Janeiro de 2006. 2007. LD303. versão1. MANUAL DE INSTRUÇÕES.

ANEXOS Anexo A.Tabela de recolhimento de dados dos instrumentos. 17 .

Tabela de montagem das etiquetas para identificação de área. 18 .Anexo B.

19 .Anexo C.Tabela de identificação de área.

/434.6:..7.02 .2039.42414390/0.5O8 08808 908908 4 1 089..2.4770390/0 2    :7.43.7.6:07574/:94/...4/.3. ..42504... 807 389./4700974 530:2E9.4/4548. 5.2.594 ./457.7E .7.1.03974/.450884.1. 089E 4: 34 507/03/4 .45.2-48:9. .7/./4086:07/4 0/4..  0394 . 34.47.79 54807.07 9089034  4390.   9.2J.76:.02/40420974 . $2.7.7..254  -.2-F254/0807.               .80/45046:0.

3   8808419.4  06:5./.      :7. .450884.42 4 % /48 3897:203948 70.70902 1:34 /0 1.F3.-7.   #@   E .20394 6:0 . 2.203948 .76:.4 :394 .02/4.349F72..0790./4 ./06:0 406:5. 2../45.1:34/./.34 9F72.708   :7.07 4.7 ....902507.02/0:2!9  24/04148803/4.409.70845.07.450884.4/080384708/0902507..439740 /094/48 48 /./48 0 ..76:..-7../48 /48 06:5.../.7.4 .-7. .-7.20394089.03/4.8974/48208248348419.9:7./48 /0 ..-7.4F907..2..7.47709.:./44.9:7.424/04%  :8.5..1..42 48 /.      .4 ./.1.09:7.  4390.7048 /4 954 #%80%07245.3897:20394  70.  4390.

4 /0 ./0:2803847/0 902507.-7.03.2449. 4 90254 7089. 1.-/.0 4 3897:20394  .02 02 806:H3.86:0801.0791.-7. ..390 ./0 /.390..1:34 #.4.7.47..4 . :2. 02 6:0 4 3897:20394 97..307  4 3:2074 /0 8070  4 % 6:0 5488:02 4 954 /0 3897:20394  .594.7E. .42 .807 389.-7.4314720.-7.3/897./4706:000F4/F..20394 /4 4.07 4 8419./4341:847 34!..03/4 ..8 .39./.09:7.4  3948070. 02 6:0 00 1.43897:20394 '07 .9.3908 /4 57. /0 .                  .439.7.5./.390710773.20390   /..304  0   %. 4 3897:20394 089.4/.. 02 6:0 507903. /.70. 4 57003.. /48 3897:203948  ... 03974 /4 5747.5742././483. 1.20394 34 6:.-7..4  490254 /0 /:7.90 . /. E70.6:. /0 ..70 31472. :3/.8 048419./:7./4 6:0./0 /0 20//.40/06:043897:20394089./.304 0254%   0880%6:07/076:08097./0/4574/:9413.7007. 20/4 0 ./4  0 ..390.... .03...20394  5.-7..4  8:.9:7.. 54/03/4.4/0.8 902507. 6:0 34 /00 3897:203948 /08...9.46:0902:2.2-F2 F 57003.2.-.9:7.-7./:7.7.9. 4 06:5..

4: /0243897.4407.9.4 8 3472..4../. 3/897./08 70.-./.    &$    57080390 97.74.5.7.4 -:8. $     02 :2.7 ./06:.8 5.1.9..8 /.8 573. $:. 3472.8 .4 0 .  0850.20390 34 80947 /0 3897:2039.

3/0 ..43.2.84/094/484806:5.3:9034 348 06:5.8022.$   46:0..8/0 !..08 3.4397.470.43.94: 80 .8570././45./4 507./.:8948 34 574.:942.7.4397402.390 .3/4 7010703..20390 34 80947 8:. 70/:4 /0 .8 /1.9. /./08 .8 0 39073.882 70/:7 4 90254 /0 2.8 80 9473.431472/. .47207./0.0 50.8 /:7.4389.3/0.3908 03..74..3/897..J808  6:01.$ 8470.42.. 7. 2.-. .702.44074                  .F2 /00397. .430./48  4907234 /4 089E4  .03. 4-. 025708.203948.2039485708039083.3:9034  .:22.. 0 .390 .:/. 7.4380:3/4 .83472.8E6:0.3:9034  :2.4  7085438E.. /497.7.03/. 2.4 70.8 304.08840907:2.390..025708.8/.

 439740 /0 !74.:./47 /0 .0784     548. ## $ # $  !$$  #4F74  3897:2039.02-74/0    .43.7.0884  03974 /0 9703.3828847 /0 &  $%#&@ $  !#@   &%@ 902507.0784   97.3074/0    .0784  &  $%#&@ $  !#@   &%@ 5741-:8! .9:7.E..4 E8.3828847 /0 570884  97. 5.8                  .20394 $#    &  $%#&@ $  !#@   &%@ 5741-:8! 4.5741-:8! :4/0  %%  .

420394/0/.-0.  $ 304 %./070./48/483897:203948     .

./0391.7./02439.4/0E70.8096:09.-0.85.  304 %.02/.       .

 304 %.     ./0/0391..-0.4/0E70.