Você está na página 1de 31
APRESENTAÇÃO: A Constituição Federal promulgada em 1988, em seu Capítulo II, artigo 6° - Dos Direitos Sociais -, estabelece que: “São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição”, pelo que se entende ser dever do Estado prover as famílias, as crianças e os adolescentes, com os mínimos sociais necessários. Entretanto, ao fazermos um apanhado nos diversos níveis, veremos que freqüentemente as ações de proteção neste sentido têm deixado a desejar. O desamparo da população, no tocante às suas necessidades básicas, causa e/ou evidencia o agravamento de diversos problemas sociais, maior custo operacional na área da Saúde e Segurança Pública, menor qualidade da mão-de-obra, maior necessidade de investimento em treinamentos e divulgação de informações básicas, maior custo nas ações de repressão, dentre outros. Por conseguinte, este quadro leva à formação de bolsões de pobreza e ao aumento da violência e da discriminação, problemas que atingem a todos, indistintamente, pessoas ou empresas. Crianças e adolescentes em trabalho nas ruas, fazendo malabarismos nos semáforos, cometendo pequenos delitos e afastados da escola, vítimas da sociedade, da angústia do dia-a-dia. Por estas razões e considerando, ainda, o menor custo social das ações preventivas em relação às reparatórias, a proposta “Novos Rumos” foi desenvolvida, observando, além do próprio cenário, diversas outras ações e atividades bem sucedidas, como o Esporte Solidário (Governo Federal), os Programas Curumim e Centro de Integração e Atendimento ao Menor - CIAME (Governo de Minas Gerais), CrerSendo (Irmãos Maristas - Belo Horizonte) os Programas Esportista Cidadão e ELOS (parceria entre a FIAT Automóveis, o Minas Tênis Clube, a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte e o Governo do Estado), que deram origem ao formato funcional da atual proposta. O Projeto “Novos Rumos” visa contemplar, de forma permanente, a visão holística (do todo e para todos), pretendendo com suas ações, o desenvolvimento de atividades voltadas para a melhoria da Educação Social, do Lazer, do Ofício (geração de renda) e da Saúde Comunitária, além do atendimento aos jovens em cumprimento de medidas de proteção e de medidas socioeducativas em meio livre (LA – Liberdade Assistida e PSC – Prestação de Serviço a Comunidade). Parte da necessidade de integrar programas e projetos de atendimento a crianças e adolescentes da região do Vale Verde - Minas Gerais, visando ofertar atendimento de referência, embasado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente ECA - Lei nº 8.069/90. Sua relevância está voltada para a realidade da área de abrangência, sobretudo para o desenvolvimento de ações de impacto social e de suporte para a criação das redes de atendimento. A proposta é coordenada pela UninCor – Universidade do Vale Verde, em parceria com os municípios da região, os Conselhos de Direitos, Tutelares e Promotorias de Justiça. Tem como objetivo principal a construção de uma proposta educativa, de forma a assegurar oportunidades de desenvolvimento moral e social, possibilitando a construção da cidadania e conseqüente melhoria qualitativa do nível de vida familiar, escolar e comunitário. Apresenta-se como uma alternativa de propiciar melhor futuro para as crianças e adolescentes que compõem as comunidades que, sem perspectivas, são compelidas à prática de atos infracionais, fato que não pode ser negado e que se acentua com Projeto Novos Rumos 1 intensidade espantosa, por todo o país. Na região do Vale Verde – MG, não ocorre de forma diferente. O direito da criança e do adolescente de se reinserir na sociedade após o ato infracional é assegurado por lei, no Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA, segundo seu art. 86: “A política de atendimento dos direitos da criança e do adolescente far-se-á através de um conjunto articulado de ações governamentais e não governamentais, da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios”. Segundo o IBGE, a população urbana de MG passou de 8,9 milhões em 1980 para 15,7 milhões em 1991, com um crescimento superior a 76% no período. Estima-se que o perfil socioeconômico das famílias dos jovens infratores do Estado seja inferior a ½ salário mínimo mensal, com baixa escolaridade e que utilizam os filhos como fonte geradora de renda. É uma realidade com elevados índices de carência e de débitos sociais. Apenas como referência, números divulgados pela Secretaria de Defesa Social de Minas Gerais mostram que um adolescente infrator internado custa aos cofres públicos (e, portanto, para todos nós) R$ 3.500,00/mês. O modelo propõe um consórcio de municípios da região, com fóruns permanentes em cada cidade participante, com a criação de centros de atendimento em pontos estratégicos para crianças e adolescentes em cumprimento de medidas de proteção e socioeducativas. Caracteriza-se também pela capacidade de interagir com a comunidade local, com as instituições parceiras e com os conselhos, de forma a se obter um espaço conjunto para denúncias e novos conteúdos sobre o tema, buscando instrumentalizar a informação. Propõe, ainda, a criação de um centro de referência para dar apoio às crianças e aos adolescentes, sendo um espaço “Amigo da Criança”, onde eles poderão não só cumprir medidas, mas também se socializar e ter novas oportunidades. O espaço irá oferecer ambientes seguros, nos quais meninos e meninas possam aprender a brincar, receber apoio psicossocial e na área da saúde, acompanhamento pedagógico e cursos profissionalizantes, através de oficinas diversas. Os municípios participantes irão contribuir com o custo de cada criança por ele encaminhada ao Projeto, além de recursos externos a serem captados via FIA - Fundo para a Infância e Adolescência. As atividades propostas levam em conta o crescimento pessoal e social, com a promoção de oficinas para qualificação técnico-profissional, reinserção escolar e apoio psicopedagógico, em 9 subprojetos que serão desenvolvidos em horários alternados aos da escola. Cada subprojeto possui sua especificidade e se apresenta isoladamente, mas interagindo entre si. Para melhor cumprimento das medidas, uma dinâmica será criada de forma a, inicialmente, avaliar cada caso, através de uma equipe multidisciplinar, levando em consideração a idade, os interesses e as condições de cada um, para melhor aproveitamento. Nos casos de drogaditos o atendimento é feito pelo Projeto Vida, que busca a reintegração e ressocialização do jovem, através de atendimento diferenciado, por meio da Justiça Terapêutica (descrito a seguir). Crianças e adolescentes também serão apadrinhados por um estudante de graduação que lhes visitarão para acompanhamento, proporcionando uma maior troca de experiências e reformulação do projeto de vida. Projeto Novos Rumos 2 A ação é voltada às crianças e aos adolescentes (7 a 18 anos), com o oferecimento de atividades esportivas, recreativas e educativas. A partir daí, evolui gradativamente, buscando oferecer aos atendidos oportunidade de formular ou reformular seu projeto de vida. Concomitantemente, são desenvolvidos trabalhos com a comunidade da região, através de palestras (com os mais variados temas), oficinas de trabalho, cursos de qualificação profissional, criação de associações e cooperativas de trabalho e transformação de, pelo menos, um espaço público local, em centro de convivência. Os profissionais que serão contratados para compor as equipes de campo (encarregados e monitores), recrutados e selecionados, exclusivamente, junto às próprias comunidades assistidas, passarão por treinamento rigoroso, ministrado e acompanhado pela UninCor. Cada área de atuação é denominada Núcleo e possui várias cidades envolvidas. Esse procedimento garante maior capilarização das ações, melhor aceitação da equipe de coordenação e dos profissionais contratados e também maior retorno do trabalho, em menor espaço de tempo, além de reforçar o compromisso social dos municípios envolvidos. Projeto Novos Rumos 3 JUSTIFICATIVA: A constante redução dos recursos e dos investimentos públicos observados, sucessivamente, em todo o país, ao longo dos últimos anos leva a considerações importantes sobre a necessidade de mudança na forma do tratamento dispensado às populações de baixa renda, sobretudo às crianças e aos adolescentes pertencentes a esses grupos. Independente de crenças e opiniões sobre a realidade, uma coisa é certa – Não se pode virar o olhar, ignorando a realidade das populações periféricas, se pretendermos viver em uma sociedade com um mínimo de organização e segurança. Ignorar esse cenário que se apresenta, seria negar a nós mesmos, o nosso amanhã. As discrepâncias sociais, que para muitos ainda se trata de um problema de governo, afeta, independente do(s) responsável(eis), a todos, indistintamente, e como tal, deve ser visto e tratado como sendo de responsabilidade de todos. A Proposta “Novos Rumos”, não é e nem pretende ser, revolucionária. Ela é evolucionária. Trabalha com aquelas ações e atividades que, em outros programas e projetos estudados (mencionados inicialmente), se mostraram eficazes, buscando a otimização e potencialização destes com ações já testadas, de promoção da atividade esportiva, acompanhamento escolar, qualificação profissional, geração de renda, lazer, cidadania e saúde. A implementação de uma política de aplicação das medidas socioeducativas e de proteção, levando em conta os direitos assegurados pelo ECA, é de suma importância, implicando em melhor redirecionamento dos recursos públicos, entrosamento comunitário e reintegração social do jovem. Serão aplicadas em áreas localizadas como sendo de risco social, observando sempre a adequação que envolve as realidades locais, sociais, econômicas e culturais. No art. 88 § V – “Integração operacional de órgãos do Judiciário, do Ministério Público, Defensoria, Segurança Pública e Assistência Social, preferencialmente em um mesmo local, para efeito de agilização do atendimento inicial a adolescente a quem se atribua autoria de ato infracional”. Esse mesmo artigo também pode ser aplicado ao cumprimento de medidas, uma vez que, se estiverem presentes os diversos profissionais necessários para a ressocialização deste adolescente, mais fácil e rápido será a sua conscientização acerca do contexto social no qual está envolvido, e quais são os seus direitos e deveres. As medidas de proteção podem ser aplicadas no mesmo espaço que as socioeducativas, mas conforme o art. 100 do ECA – “Na aplicação das medidas levar-se-ão em conta as necessidades pedagógicas, preferindo-se aquelas que visem ao fortalecimento dos vínculos familiares e comunitários”. E art. 101 – “Verificada qualquer das hipóteses previstas no art. 98, a autoridade competente poderá determinar, dentre outras, incluidas nas medidas: Inciso II,IV,VI”. Dessa forma, oportuniza-se a reinserção social dos jovens, semeando a idéia de que são capazes e deixando a todos, talvez o mais importante, o legado do conhecimento, que servirá para toda a vida e certamente possibilitará a construção de uma nova sociedade – mais harmônica, produtiva e segura, como maior objetivo. Projeto Novos Rumos 4 OBJETIVOS: Geral: Assegurar oportunidades de desenvolvimento moral, físico, social e profissional de adolescentes infratores e em situação de risco pessoal e social, garantindo a construção de sua cidadania; proporcionando melhoria qualitativa do nível de vida familiar, escolar e comunitária. Atender as demandas dos municípios envolvidos, criando opções viáveis para atendimento desses jovens em cumprimento de medidas, e possibilitando a garantia dos direitos pessoais e sociais que assegurem o exercício da cidadania, conforme previstas no art. 112, incisos II, III, IV, e regulamentadas pelos Arts. 116 à 119 da Lei 8.069/90 - ECA. Específico: Envolvimento da rede local na reformulação conceitual, filosófica e operacional dos núcleos de atendimento comunitário (prioritariamente) ou de locais dotados de infra-estrutura recreativa, envolvendo sempre no desenvolvimento das ações, o poder público, a iniciativa privada, o terceiro setor e a comunidade, com ações focadas. Projeto Novos Rumos 5 Enunciado do Obj etiv o Ações Acompanhar adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas, contribuindo para a sua reinserção social. Desenvolver o atendimento da medida socioeducativa, ou seja, propor atividades educacionais, culturais, artísticas e profissionalizantes que colaborem para a retomada do convívio social do adolescente; Estabelecer momentos de reflexão com o adolescente, sobre a realidade em que está inserido e os compromissos assumidos no cumprimento da medida; Fortalecer os laços familiares e as relações comunitárias no espaço de vivência cotidiana; Oferecer o acompanhamento no cumprimento de medidas socioeducativas em ambiente propício para debates e socialização. Potencializar a construção de um novo projeto de vida; Contribuir para a formação pessoal do adolescente em sua convivência familiar e comunitária; Oferecer acompanhamento e o cumprimento de medidas de proteção em ambiente propício para debates e socialização; Oportunizar o acesso aos recursos institucionais do município e a proteção integral; Promovendo a participação em atividades físicas, de lazer e culturais; Possibilitar aprendizagem semi-profissionalizante em diferentes áreas, visando conhecimento profissional e geração de renda; Viabilizar acesso a informações referentes à sexualidade, gravidez precoce, drogas, DST/AIDS e outras; Auxiliar a família na compreensão da dinâmica familiar, dificuldades intrafamiliares e a relação de conduta do adolescente; Estabelecer junto à família, relação de ajuda mútua em torno das necessidades do adolescente e os limites do auxílio que o Projeto pode oferecer; Atender conjuntamente os familiares dos adolescentes com vistas a facilitar e a complementar o trabalho socioeducativo; Obter um diagnóstico psicossocial da família no sentido de facilitar a compreensão do adolescente em atendimento; Possibilitar o acesso a informações nas áreas nutricional, de direitos e de saúde. Contribuir para a formação pessoal do adolescente em sua convivência familiar e comunitária; Promover o apoio socioeducativo às famílias; estimulando a freqüência e a reintegração escolar; Resultados Esperados Quantitativos Redução do número de ausências nas escolas, levando a uma conseqüente melhoria do aprendizado e à redução do número de reprovações; Projeção nacional dos envolvidos, transformando a ação numa referência de política pública social, favorecendo a captação de recursos das mais diversas ordens e capilarizando as ações nas regiões mais distantes; Redução do número de queixas relativas a pequenos delitos na região; Melhoria das relações entre os próprios alunos e entre eles e seus pais; Qualitativos Período Medidas Socioeducativas Objetivo Especifico 1 Nas áreas de abrangência do Projeto, atender a toda a demanda de crianças e adolescentes em cumprimento de medidas. Após 18 meses contados de sua implantação. Atendimento de referência em Nas áreas de abrangência do Projeto, após cumprimento de Medidas de Proteção 18 meses contados de sua implantação, e socioeducativas, atender a toda a demanda de crianças e adolescentes em cumprimento de medidas; embasado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA – Lei n.º 8.069/90. Medidas de Proteção: Objetivo Especifico 2 Após 18 meses contados de sua implantação. Medidas Junto a Família: Objetivo Especifico 3 Melhoria das relações entre os próprios alunos e entre eles e seus pais; Reinserção do aluno na escola; Diminuição dos casos de evasão escolar; Atendimento de referência, embasado pelo Estatuto da Criança e do Adolescente – ECA – Lei n.º 8.069/90. Após 18 meses contados de sua implantação. Projeto Novos Rumos 6 PERFIL DAS PESSOAS ATENDIDAS PELO PROJETO: Geográfico: O crescimento demográfico de Minas Gerais e a sua grande extensão territorial explicam porque os municípios enfrentam baixas condições socioeconômicas. A região do Vale Verde - Sul de Minas, é banhada pelos rios: Verde, do Peixe, Palmela, Lambari, além de vários ribeirões e córregos. Limita-se ao Norte com os municípios de Varginha e Carmo da Cachoeira, ao Sul com os municípios de Conceição do Rio Verde e Cambuquira, a Leste com os municípios de São Bento Abade e São Tomé das Letras e a Oeste com os municípios de Campanha e Monsenhor Paulo. Possui uma população urbana de 18,43 habitantes por KM2. O município possui mais de 2.500 Km de estradas municipais de terra batida. População atendida: População Comunidade Rural Família Mulher Jovem Adolescente Criança Moradores ou trabalhadores em lixão Portadores de Deficiência Física, sensorial, mental ou múltipla Populações de assentamentos Dependentes químicos Reclusos do sistema penitenciário e/ou seus familiares Egressos do sistema penitenciário e/ou familiares Populações Afro-descendentes Populações Indígenas Público GLS Idosos Outras: Nº de diretamente 500 atendidos Nº de atendidos indiretamente 1500 450 450 1000 1000 100 500 METODOLOGIA EMPREGADA: A Proposta ”Novos Rumos” tem como eixo central a educação para o exercício da cidadania. A metodologia é centrada na percepção dos direitos e deveres e no repasse de conhecimentos para a disseminação da cidadania como valor básico. Os atendidos serão encaminhados de acordo com as Promotorias da Infância e Juventude da região. Serão acolhidos por uma equipe multidisciplinar que avaliará cada caso, suas potencialidades e necessidades, para encaminhamento a um dos subprojetos existentes. Desta forma se tornará mais prazeroso o cumprimento da medida de PSC e LA. Já as Projeto Novos Rumos 7 crianças em situação de risco social ou familiar serão encaminhadas pelos municípios através de seus Conselhos de Direitos, Tutelares e escolas da Rede Municipal ou Estadual. Para se manter no Programa será imprescindível que o aluno esteja matriculado em alguma instituição de ensino formal. Por essa razão, caso o aluno em cumprimento de medidas ou o interessado em participar de suas atividades, não esteja estudando, o Projeto se encarregará da obtenção de uma vaga em uma das instituições de ensino da comunidade local da ação. Será criado um conselho diretor com integrantes dos municípios envolvidos, para deliberar as ações. Também será necessária a criação de uma equipe diretora em cada núcleo, que será responsável pelas funções dentro do Projeto acima apresentado. DESCRIÇÃO DOS SUBPROJETOS ENVOLVIDOS: A Proposta Novos Rumos engloba vários subprojetos, os principais já estão implantados ou em fase final de estruturação e estão relacionados abaixo: Projeto Pró-Horta/ Horto Plantas Medicinais Características: O Projeto Pró-Horta/Horto Plantas Medicinais possui o objetivo de integrar o adolescente em cumprimento de medidas de prestação de serviços a comunidade e liberdade assistida às atividades agrárias, mais precisamente na formação e condução de hortas e hortos de plantas medicinais. A integração proposta vai possibilitar que esses jovens tenham a compreensão da importância dessas atividades agrícolas desde o plantio, formação de mudas, condução das plantas e comercialização. No caso de horto medicinal, haverá um adicional na questão dos benefícios que estas plantas podem trazer a saúde. Portanto, a adequação de atividades à área agrícola para os jovens supracitados poderá proporcionar um conhecimento construtivo específico das ciências agrárias, bem como proporcionar um aprendizado da importância de se produzir alimentos seguros e de qualidade para a sociedade. Objetivos Gerais e Específicos:  Permitir que adolescentes em cumprimento de medidas de PSC e LA tenham acesso às técnicas para formação e condução de hortas, horto de plantas medicinais, bem como a comercialização desses produtos; Despertar o interesse pela atividade agrícola; Dar atendimento psicológico ao adolescente selecionado e a sua família;   Projeto Novos Rumos 8 Metodologia e Estratégia: Os adolescentes selecionados irão trabalhar em grupos com orientação assistida por professores e alunos de graduação do curso de agronomia da UninCor; Essa orientação acontecerá em todas as etapas de processo produtivo e irá ressaltar a importância de cada etapa para o desenvolvimento das plantas. As atividades ocorrerão 2 vezes na semana. Atividades a serem desenvolvidas:        Identificação das plantas da horta e do horto de plantas medicinais; Construção dos canteiros (calagem, adubação, matéria orgânica); Preparo das mudas (substratos e semeadura); Plantio de mudas; Condução das plantas – tratos culturais e pertinentes para a época; Colheita; Distribuição de mudas para escolas e associações comunitárias; Público alvo: Adolescentes em cumprimento de medidas de prestação de serviços à comunidade e liberdade assistida. Cronograma:     Elaboração do Programa e Projetos e avaliação; Mapeamento e seleção das atividades; Implantação; Avaliação Preliminar; Infra-estrutura:         Estufa ou casa de vegetação; Trator; Rotoencanteirador; Bandejas para semeio de hortaliças; Enxadas e enxadão; Pás; Peneiras; Carrinhos de mão; Projeto Novos Rumos 9      Adubos (orgânicos e minerais); Saquinhos plásticos; Substratos para produção de mudas; Sombrife (70% e 50%); Bombas plásticas; Avaliação Processual: Freqüência Semanal Mensal Indicador Dedicação e interesse. Desenvolvimento de regras de conduta. Meios de verificação Participação. Observação de situações práticas. Projeto Arte do Papel de Pegas Características: A partir de sobras de papel e pó de pedra de quartzito é possível reciclar, através da arte, esculturas e modelagens que podem provocar situações de mudanças sociais, econômicas e ecológicas onde pessoas comuns tornam-se artistas em condições de expressar suas idéias, promovendo assim, uma sustentabilidade na busca de um ecodesenvolvimento, visto que a matéria prima é de fácil acesso e abundante na região. Objetivos Gerais e Específicos: Gerais:    Mobilização em busca da cidadania; Aprendizagens para convivência social; Arte e Reciclagem; Específicos:        Busca da auto-afirmação pessoal; Busca da integração social; Busca da relação pessoal; Aprender a decidir em grupo; Aprender a cuidar de si mesmo; Aprender a cuidar do meio ambiente; Valorizar o trabalho; Projeto Novos Rumos 10 Metodologia e Estratégia: Metodologia:  A explicação dos propósitos da mobilização e aprendizagem – a formação de um imaginário; Esse é o primeiro passo no planejamento de um processo de mobilização e aprendizagem social; O propósito está diretamente ligado à qualidade de uma participação que será alcançada - esse propósito estará expresso sob a forma de um horizonte atrativo, um imaginário provocante que sintetize de uma forma atraente e válida os grandes objetivos que se busca alcançar; Um imaginário validamente proposto é, ao mesmo tempo, uma fonte de hipóteses que provê as pessoas de critérios para orientar a atuação e para identificar alternativas de reações e atitudes; A metodologia aqui abordada visa a proposição de um imaginário capaz de mobilizar o público alvo do projeto em torno da arte e do ecodesenvolvimento social, econômico e ambiental;     Estratégias: Compreender a realidade local, detectando problemas, demandas e potenciais a partir de informações sobre:     Como as pessoas vivem seu cotidiano; Suas histórias e sonhos; Riquezas e valores presentes em determinado grupo social; Ações a serem enfrentadas a médio e longo prazo a partir de um diagnóstico da situação atual; Participação efetiva do público alvo no planejamento e na aplicação de soluções, visando transformar a realidade local;  Atividades a serem desenvolvidas:           Mobilização e aprendizagem social; Diagnóstico participativo; Oficinas de arte e reciclagem; Matéria prima a ser coletada; Forma de coleta; Atividades e oficinas; Local para armazenamento; Comercialização; Custos na operação; Identificação do público alvo; Projeto Novos Rumos 11 Público alvo: Crianças e adolescentes que estejam cursando o fundamental I e II indicados pelas escolas das Redes Municipais e Estaduais de Educação, além daqueles que estejam sob a orientação do conselho da criança e do adolescente. Cronograma:     Elaboração do Programa, Projetos e avaliação; Mapeamento, seleção das atividades; Implantação; Avaliação Preliminar; Infra-estrutura:     Matéria prima: resíduos de quartzito; Papel a ser reutilizado; Mini galpão para a realização das atividades; Outros tipos de materiais recicláveis tais como, latas, papelão, garrafas pet, para confecção de materiais utilizáveis para diversas atividades; Considerações finais: Além do quartzito e do papel serão utilizados outros tipos de materiais recicláveis, para habilitarem os programas de PSC e LA a desenvolverem habilidades e o produto a ser comercializado, com o arrecadado revertido para a família. Está sendo dada ênfase ao quartzito, por ser um material cujos resíduos são abundantes em nossa região e por ser comumente utilizado no artesanato. Também será empregado neste trabalho todo o tipo de material reciclável. O município de Três Corações é um dos maiores produtores de milho do Estado. Pretendese aproveitar a palha de milho para obras artesanais. Os programas LA e de PSC terão atendimento nas clínicas de saúde da UninCor e poderão usufruir do centro comunitário para exames laboratoriais, e o acompanhamento da família terá caráter psicológico a ser realizado na clínica de psicologia da UninCor. Projeto NAU Características: Núcleo de assistência na área da saúde. Ofertará atendimento às crianças e aos adolescentes, que se encontram em medidas de proteção. Projeto Novos Rumos 12 Este núcleo utilizará tanto docentes quanto discentes dos cursos da área de saúde, para todas as crianças e adolescentes envolvidos neste programa. Promoverá campanhas educativas e esclarecedoras para conscientização do público-alvo; fornecerá atendimentos integrado e multidisciplinar aos usuários; promoverá a prevenção e o tratamento, trabalhando os múltiplos problemas, colaborando para que todos tenham condições de superar situações e conflitos impostos pela vida moderna. O ponto de apoio de saúde funcionará no centro cirúrgico da UninCor, com atendimento na área de saúde, inclusive com consultas médicas. Objetivos Gerais e Específicos: Gerais:  Dar atendimento integral de saúde a todas as crianças e adolescentes participantes de todos os projetos vinculados ao Programa; Específicos:  Proporcionar a todos os jovens e adolescentes, atendimento de saúde, promovendo tratamento adequado para cada caso; Recuperar a auto-estima do grupo, através da clínica psicológica;  Metodologia e Estratégia: O Núcleo de Atenção ao Universitário prestará às crianças e aos adolescentes, bem como àqueles que estejam em cumprimento de medidas de PSC – Prestação de Serviços a Comunidade e LA - Liberdade Assistida, atendimento psicológico, fisioterápico, farmacêutico, de enfermagem, fonoaudiológico, radiológico, além de consultas médicas. Os jovens selecionados para o programa serão atendidos 03 (três) vezes por semana, com horário determinado e será também utilizado CCASA (Centro de Atendimento Comunitário), para a realização de exames laboratoriais. Constitui fator de suma importância, o atendimento psicológico a ser dado a este grupo e as suas famílias, já que as mesmas são o meio de convivência da criança e do adolescente. Atividades a serem desenvolvidas: Atendimento médico e de saúde em geral pelos cursos do Instituto das Ciências da Saúde, e também, exames laboratoriais. Público alvo: Crianças e adolescentes que tenham sido selecionados pelos Conselhos Tutelares e outros órgãos afins para o programa. Cronograma:   Elaboração do Programa e Projetos e avaliação; Mapeamento seleção das atividades; Projeto Novos Rumos 13    Seleção das atividades; Implantação; Avaliação Preliminar; Infra-estrutura:   Consultórios, clínicas e laboratórios; Professores, monitores e estagiários dos cursos de saúde; Considerações finais: O projeto tem a finalidade exclusiva de dar todo suporte em matéria de saúde aos assistidos e suas famílias. Avaliação Processual: Freqüência Mensal Mensal Indicador Desenvolvimento de regras de conduta. Desenvolvimento de trabalhar em equipe. habilidades Meios de verificação Observação de situações práticas. para Observação de situações práticas. Projeto Esporte e Vida Características do Projeto: O projeto tem como principal objetivo desenvolver a iniciação esportiva no âmbito da Universidade, proporcionando à criança e ao adolescente, momentos de lazer e palestras de orientação sobre prevenção de drogas, entre outras, além de integrá-los em ações comunitárias. Haverá também avaliação nutricional e de saúde bucal, para os que delas necessitarem, além do atendimento imediato na clínica de Odontologia da UninCor. Considerando que o esporte é uma paixão nata de todos os jovens, haverá uma facilidade de adaptação ao programa, principalmente por contar com assistência na área de saúde, até então, de difícil acesso a esta faixa etária, quer seja por desinteresse da família, quer seja por falta de oportunidade em deslocar-se aos centros de atendimento e as dificuldades que poderá encontrar. Objetivos Gerais e Específicos: Gerais:   Desenvolver a iniciação desportiva com a criança e o adolescente; Despertar o interesse por atividades de lazer saudáveis; Projeto Novos Rumos 14   Facilitar a sua maior integração ao meio em que vive e convive; Dar às crianças e aos adolescentes todo suporte na área de saúde; Objetivos Específicos:  Melhorar as condições físicas de saúde de crianças e adolescentes, a partir da prática esportiva; Atender conjuntamente os familiares das crianças e adolescentes com o intuito de facilitar e complementar o trabalho socioeducativo; Proporcionar a esta população-alvo mais do que práticas esportivas, palestras, mas também, a vontade de mudanças em suas vidas;   Metodologia e Estratégia: Metodologia:  Serão utilizados, a princípio, as modalidades esportivas: futsal, basquetebol e voleibol, iniciando-se com fundamentos teóricos e partindo-se para a parte prática; Distribuir o grupo a ser trabalhado por faixa etária em cada área esportiva; As palestras poderão ser proferidas de acordo com o tema e a faixa etária; Mapear as crianças e adolescentes para encaminhamento às clínicas de atendimento; Levantar dados das famílias do grupo a ser trabalhado, visando dar o suporte necessário, bem como fazer uma integração maior, universidade-família;     Estratégias:  O grupo se reunirá duas vezes por semana para o desenvolvimento das atividades, iniciando pelo conteúdo teórico; Paralelamente, serão feitas avaliações pelos cursos do INCIS das condições de saúde do grupo; O horário de desenvolvimento de atividades de avaliações e atendimento pelos cursos de saúde, será programado pelo coordenador do Projeto e pela Equipe de Saúde; O horário do atendimento psicológico às famílias será definido pela coordenação do curso de Psicologia;    Atividades a serem desenvolvidas:     Atividades esportivas como futsal, basquete e voleibol; Palestras de caráter esportivo; Palestras de caráter fisioterapêutico, nutricional, odontológico e psicológico; Atendimento na clínica de psicologia aos familiares dos jovens assistidos pelo projeto; Projeto Novos Rumos 15 Público alvo:  Crianças e adolescentes em medidas de proteção, com objetivo principal de inclusão social; Familiares das crianças e adolescentes;  Cronograma:      Elaboração do Programa e Projetos e avaliação; Mapeamento seleção das atividades; Seleção das atividades; Implantação; Avaliação Preliminar Infra-estrutura:    Salas de aulas da UninCor; Quadras de Esportes; Clínicas de Atendimento da UninCor; Considerações finais: Este projeto é considerado de Medida de Proteção e seu foco principal são atividades recreativas e de inclusão realizadas nas escolas. Cada turma terá no máximo 20 alunos, com 04 aulas semanais, 03 vezes por semana. Avaliação Processual: Freqüência Semanal Mensal Mensal Indicador Dedicação e interesse. Desenvolvimento de regras de conduta. Desenvolvimento de habilidades para trabalhar em equipe. Meios de verificação Participação. Observação de situações práticas. Observação de situações práticas. Projeto Vida: Este projeto conta com o apoio da Igreja Prebisteriana que já desenvolve um trabalho com um público alvo desse tipo. Essa medida é diferenciada por ser adequada ao modelo do programa de Justiça Terapêutica. Projeto Novos Rumos 16 Para os que estão cumprindo medidas socioeducativas de PSC e de LA, além de atendimento na área da saúde, serão realizadas terapias ocupacionais, esportivas de lazer, e a promoção de atividades artísticas e gráficas. O projeto Vida já está sendo desenvolvido na área rural, onde foram encontradas condições propícias para a implantação de hortas, horto medicinal, piscicultura e criação de animais, que ajudarão no sustento daquelas que lá vivem permanentemente. Como ocorrerá nos outros projetos, haverá atendimento de caráter psicológico aos familiares dos que se encontram em medidas de PSC e de LA. A experiência dos que se encontram já no Projeto Vida em fase avançada de recuperação, servirá de espelho a estes jovens. A Igreja Presbiteriana, parceira na proposta, mantém na zona urbana, o Projeto Casa-Lar, para crianças. Objetivos Gerais e Específicos: Gerais:  Proporcionar nos cumprimentos de PSC e LA, condições de aprenderem e esclarecerem atividades num ambiente propício, em meio rural, com toda assistência; Oportunizar a recuperação; Oportunizar acesso de mão de obra qualificada aos produtores da região, prestada pelos jovens que concluírem o tratamento de desintoxicação; Proporcionar atividades rurais em um ambiente diferente e seguro;    Objetivos Específicos:  Incentivar o gasto pelas práticas agrícolas, colaborando na implantação de hortas, horto medicinal, implantação da piscicultura e criação de animais; Ter o sentimento de cidadania, por estarem colaborando para a manutenção de uma casa de crianças; Terem oportunidade de vislumbrar uma profissão; Valorizar o trabalho do meio rural;    Metodologia e Estratégia: Metodologia:   Orientação de atividades esportivas; Implantação sob orientação, de hortas, horto medicinal, piscicultura e criação de animais sob orientação; Desenvolvimento de oficinas de artes gráficas como terapia ocupacional;  Estratégias: Projeto Novos Rumos 17  Através de orientação de professores-alunos, desenvolverem habilidades para atividades rurais; Utilizar palestras com assuntos diversos que contribuam para o desenvolvimento da prática reflexiva dos jovens acerca da vida; Acompanhamento por profissionais e estagiários dos cursos de saúde;   Atividades a serem desenvolvidas:      Construção de horta; Construção do horto medicinal; Criação de animais; Criação de peixes; Atendimento psicológico e de saúde em geral; Público alvo: Adolescentes sentenciados nas medidas Socioeducativas de Prestação de Serviços à Comunidade (PSC) e de Liberdade Assistida (LA). Local de Execução:   Fazenda Patrimônio UninCor; Projeto Vida – Igreja Prebisteriana; Considerações finais: O projeto possui o apoio de uma instituição religiosa que desenvolve atividades afins há mais de 10 anos. Serão atendidos inicialmente 10 adolescentes. Projeto Educar Características “A criança e o adolescente têm direito à educação visando o pleno desenvolvimento da sua pessoa, preparo para exercício da cidadania e qualificação para o trabalho (Estatuto da Criança e Adolescente, artigo 53).” Atualmente a criança e o adolescente que cursam os ensinos fundamental/médio, encontram-se sem nenhuma perspectiva para o futuro, vivendo na ociosidade, expostos a Projeto Novos Rumos 18 situações que incitam a violência, e partindo para o mundo das drogas e em conseqüência para a criminalidade. Outros fatores contribuem imensamente para o desvio do comportamento e da conduta deste grupo de jovens. Além dos fatores mencionados, constituem alertas dramáticos os altos níveis de repetência, evasão e fracasso escolar. Dados estatísticos da UNESCO e de outros órgãos ligados à educação mostram que menos da metade dos que ingressam no ensino fundamental chegam à 4º série, não sabendo ler e escrever, não constituindo a exceção e sim a regra. Objetivos Gerais e Específicos: Gerais:  Integrar a criança e o adolescente na sociedade, utilizando meios e recursos educacionais que elevem a sua auto-estima; Realizar trabalho paralelo junto às famílias, diagnosticando problemas e desajustes familiares;  Objetivos Específicos:   Proporcionar a integração entre a Universidade e Comunidade; Proporcionar à criança e ao adolescente condições para retornarem aos bancos escolares, tendo suporte necessário para se tornar um cidadão participante na sociedade e integrado ao meio em que vive; Oferecer palestras e cursos com temas diversos;  Metodologia/ Estratégias: Metodologia: Serão ministradas aulas de diversas disciplinas dos currículos dos Ensinos Fundamental e Médio pelos acadêmicos dos Cursos, sob a orientação da Coordenação do Projeto. As aulas terão duração máxima de duas horas, com conteúdos definidos pela equipe do Projeto. Estratégias: Caberá à UninCor e ao Ministério Público a divulgação do Projeto. Será escolhida uma escola “pólo” onde as crianças e adolescentes serão encaminhadas para assistirem as aulas e exercerem outras atividades. Para as crianças e adolescentes residentes fora de Três Corações, caberá à Secretaria Municipal de Educação indicar professores voluntários para exercerem essas atividades, bem como um cronograma de trabalho. Atividades a serem desenvolvidas: Projeto Novos Rumos 19  Serão ministradas 10 (dez) aulas semanais, sendo 02 (duas) por disciplina. Havendo necessidade poderão ser ministradas mais aulas; A cada 15 (quinze) dias haverá um horário extra-aulas para a realização de palestras de enriquecimento cultural; A critério do Ministério Público, UninCor e Coordenação do curso, ao final de cada bimestre, poderá ser realizado um Workshop em Três Corações com a presença dos jovens participantes; Havendo possibilidade, poderão ser desenvolvidas oficinas de trabalho, visando a estimular no jovem o gosto e aptidão por uma profissão, além de proporcionar uma atividade remunerada ao mesmo; O cronograma das atividades será elaborado pela coordenação do Projeto, observando as atividades das escolas das redes estaduais e municipais de educação;     Público Alvo: Crianças e adolescentes que estejam cursando o fundamental/médio, indicados pelas escolas das redes Municipais e Estaduais, e que estejam sob orientação do Conselho da Criança e do Adolescente e que necessitem desse atendimento Cronograma:      Elaboração do Programa e Projetos e avaliação; Mapeamento seleção das atividades; Seleção das atividades; Implantação; Avaliação Preliminar; Infra-estrutura:     Salas de aulas da UninCor; Salas de aulas das Redes Municipais e Estaduais de Educação; Salas de aula da Rede Municipal de Educação dos outros municípios; Transporte das escolas para o local das aulas a cargo das Prefeituras municipais; Considerações finais: Este projeto é considerado de Medida de Proteção e seu foco principal são as atividades recreativas e de inclusão realizadas nas escolas. Cada turma terá no máximo 20 alunos, com 04 aulas semanais, 03 vezes por semana. Projeto Novos Rumos 20 Freqüência Mensal Mensal Mensal Mensal Mensal Mensal Indicador Evolução das notas escolares. Meios de verificação Documentos escolares, relatórios). Desenvolvimento pelo gosto da leitura e Observação e relatórios. escrita. Desenvolvimento do domínio da linguagem Observação e relatórios. oral. Desenvolvimento de raciocino lógico Observação e relatórios. Desenvolvimento da criatividade. Observação e relatórios. Percentual de evasão escolar. Documentos escolares. (boletins, Projeto Casa de Música: Características do Projeto: Iniciar os jovens na Educação Musical. É sabido que a música, além das perspectivas de profissionalização, favorece um desenvolvimento no ser humano como um todo, através da socialização, da concentração, do raciocínio, da disciplina e da sensibilidade pelo simples prazer do fazer musical. Objetivos Gerais e Específicos: Gerais: Despertar e desenvolver a consciência crítica dos músicos e do público em geral para a boa música como fonte de formação, trabalho e entretenimento. Específicos:  Oferecer oportunidade do aprendizado da música através de instrumentos musicais dentro de uma abordagem integradora e vivencial do ensino musical; Proporcionar aos músicos solistas e aos integrantes de Bandas de Música e outros grupos musicais a oportunidade de aperfeiçoamento técnico e desenvolvimento de repertório; Promover o intercâmbio entre outros cursos similares, visando a união em torno de objetivos em comum pela troca de informações e experiências; Estimular a socialização entre as diversas camadas da comunidade, tendo como meio as escolas da rede municipal; Viabilizar o conhecimento e aperfeiçoamento da técnica de execução e interpretação musical; Criar espaço acadêmico de treinamento dos alunos do Curso de Licenciatura em Música;      Projeto Novos Rumos 21 Metodologia e Estratégia: Todas as aulas serão ministradas pelos alunos do Curso de Licenciatura em Música da UninCor, de acordo com a excelência acadêmica de cada um. Utilizar-se-ão métodos de ensino musical que desenvolvam a leitura e a escrita tradicionais, além das disciplinas que envolvam cultura musical em geral. As aulas específicas de instrumento serão realizadas individualmente ou em grupos de, no máximo, 3 (três) alunos. As aulas teóricas de Percepção Musical, Apreciação Musical e História da Música serão realizadas em turmas de no mínimo 4 (quatro) alunos e no máximo 20 (vinte) alunos. Haverá 3 (três) aulas semanais para iniciantes, sendo duas de Percepção Musical e uma de instrumento para cada aluno. Haverá 3 (três) aulas semanais para já iniciados, sendo uma de Percepção Musical, uma de Apreciação Musical ou História da Música (à escolha do aluno) e uma de instrumento para cada aluno. Público alvo:  Crianças e adolescentes que farão parte do grupo de medidas de proteção, com o objetivo principal de inclusão social; Familiares das crianças e adolescentes que fazem parte deste grupo;  Cronograma:      Elaboração do Programa e Projetos e avaliação; Mapeamento seleção das atividades; Seleção das atividades; Implantação; Avaliação Preliminar; Infra-estrutura:    Salas de aulas da UninCor; Quadras de Esportes; Clínicas de Atendimento da UninCor; Considerações finais: Este projeto é considerado de Medida de Proteção e seus focos principais são atividades recreativas e de inclusão realizadas nas escolas. Projeto Novos Rumos 22 Cada turma terá no máximo 20 alunos, com 04 aulas semanais, 03 vezes por semana. Projeto Uma Luz para Escola Características: O projeto consiste em utilizar os cursos envolvidos, proporcionando à comunidade assistida em medida de proteção, condições de maior segurança e rendimento em suas atividades. Utilização da tríade educação-saúde-esporte, onde pretende-se atingir a transformação sócio-cultural não só do público alvo, mas também das comunidades em torno das escolas. Objetivos Gerais e Específicos: Gerais:  Desenvolver a iniciação esportiva, colocando os alunos em contato com várias modalidades; Implantar o ensino da Fisioterapia esportiva e preventiva; Oferecer conhecimento sobre vários aspectos fonoaudiológicos; Acompanhar o estado nutricional nas escolas; Mostrar a importância da saúde bucal; Realizar uma avaliação psicológica para os casos que sejam necessários; Promover palestras que envolvam conteúdo de todas as áreas;       Específicos:   Promover atividades teóricas/Práticas das áreas específicas de apoio ao projeto; Promover palestras sobre modalidades esportivas a serem desenvolvidas: basquete e futebol; Despertar interesses nos alunos pela prática de esporte; Indicar os alunos que apresentaram problemas de comportamento, de convivência e outros na dimensão psíquica, aos acadêmicos do curso de psicologia;   Metodologia e Estratégicas: Metodologia:  Trabalhos com o objetivo de desenvolver noção de espaço, equilíbrio, direção e sentido, através de cantigas, jogos e brinquedos sensoriais. Introdução à dança, desenvolvendo o ritmo através de coreografias com bastões e bolas.  Projeto Novos Rumos 23  Coleta de dados antropométricos para verificação do IMC, visando posterior adequação alimentar. Estratégias: Caberá ao Ministério Público e à UninCor, a divulgação dos projetos para que as Redes Municipais e Estadual possam fazer as indicações dos assistidos. Atividades a serem desenvolvidas:  Atividades esportivas e de lazer, principalmente futsal e basquetebol, 02 vezes por semana; Palestras; Determinação do IMC de crianças e adolescentes e avaliação nutricional; Determinação do perfil psicológico das crianças e adolescentes e de suas famílias; Diagnósticos da saúde bucal e encaminhamento para tratamento na clínica da UninCor;     Público alvo: Crianças e adolescentes que estejam cursando o fundamental I e II indicados pelas escolas das Redes Municipais e Estaduais de Educação, além daqueles que estejam sob orientação do Conselho da Criança e do Adolescente e que necessitem deste atendimento. Adolescentes que estejam cursando o Ensino Médio, indicados pelas escolas das redes Municipais e Estaduais, além daqueles que estejam sob orientação do Conselho da Criança e do Adolescente e que necessitem desse atendimento. Cronograma:     Elaboração do Programa e Projetos e avaliação; Mapeamento e seleção das atividades; Implantação; Avaliação Preliminar; Infra-estrutura:       Salas de aulas da UninCor; Salas de aulas das Redes Municipais e Estaduais de Educação de Três Corações. Salas de aula da Rede Municipal de Educação dos outros municípios; Transporte de estudantes para o local das aulas a cargo das Prefeituras Municipais; Quadras de Esportes; Clínicas de Atendimento da UninCor; Projeto Novos Rumos 24 Considerações finais: Este projeto é considerado de Medida de Proteção e seu foco principal são atividades recreativas e de inclusão realizadas nas escolas. Cada turma terá no máximo 20 alunos, com 04 aulas semanais, 03 vezes por semana. OUTROS: Todas as atividades implantadas ou em processo de implantação serão paulatinamente agregadas às atividades propostas para atendimento das medidas, sempre levando em consideração o atendimento familiar. Todo o processo levará em conta oportunidades de crescimento pessoal e social com a promoção de oficinas para qualificação tecnoprofissional, reinserção escolar e apoio psicológico. As atividades serão desenvolvidas em horários posteriores ou anteriores aos da escola. Nos casos de Justiça Terapêutica haverá acompanhamento multidisciplinar e o adolescente deverá se reportar aos Promotores/Juiz. Para melhor cumprimento das medidas será criada uma dinâmica específica que leve em consideração a avaliação do caso feita por uma equipe multidisciplinar, tendo em conta os interesses de cada jovem. O adolescente em cumprimento de medidas de PSC – Prestação de Serviços a Comunidade e LA - Liberdade Assistida estarão participando de Propostas inicialmente já previstas pela UninCor.    Projeto Vida; Projeto Meio Ambiente e Projeto Pró-Horta; Desenvolvimento Sustentável; Todas as atividades serão acompanhadas, coordenadas e supervisionadas por professores acadêmicos, cada qual em sua área específica e com a participação de estudantes dos cursos de graduação e extensão. Serão ainda identificados profissionais de campo, treinados e contratados a partir da(s) própria(s) comunidade(s) trabalhada(s) para dar suporte de campo às atividades desenvolvidas. Diversos projetos poderão ser agregados àqueles já existentes, criando-se atividades de lazer e orientação dentro e fora das escolas, e também realizando trabalhos de capacitação profissional e inclusão social através de oficinas de:   Beleza: Abordagem de aspectos de estética e cuidados, resgatando a auto-estima; Sexualidade: Promover a discussão das questões referentes ao corpo, à contracepção, maternidade, doenças sexualmente transmissíveis, família, drogas, direitos, exploração sexual e afetiva. Nessa oficina, a comunidade, a família, os maridos ou namorados também serão convidados; Brinquedoteca e Biblioteca;  Projeto Novos Rumos 25  Atendimento individual: oferecendo orientação para os conflitos psíquicos individuais, de relacionamentos familiares, amorosos e atendimento direcionado para usuários de drogas e portadores do vírus HIV; Atendimento familiar: Pode ser realizado no Centro de Conveniência, buscando fortalecer os laços familiares ou até mesmo propiciando famílias substitutas; Artes Plásticas: confecção de cartões, pintura de vidros e tecidos, enfeites em garrafas, bordados. Os idosos da região, com sua experiência de vida, seriam os instrutores, buscando, através do artesanato, o resgate da cultura local; Atividades artísticas e esportivas: de forma a construir e firmar a identidade pessoal e do grupo, melhorando o convívio e o relacionamento interpessoal; Atividades Ecológicas: jardinagem, poda, plantio de horta comunitária, importância da preservação do meio ambiente, uso consciente de água e agrotóxicos, etc;     ESTRATÉGIAS DA PROPOSTA:  Desenvolver uma política integrada com intervenções em varias áreas e em parceria com as Prefeituras, Secretarias Municipais de Saúde, educação, esportes, cultura e direitos; Parcerias integradas com o governo estadual; O Fortalecimento das entidades públicas responsáveis pela garantia dos direitos (Conselhos Tutelares, Conselhos de Direitos, Ministério Público, entre outros); Parcerias com empresários e com a população para captação de recursos via Fundo da Criança e da Adolescência – FIA;    AVALIAÇÃO DAS ATIVIDADES: As ações desenvolvidas pela Proposta Novos Rumos serão avaliadas regularmente por meio de instrumentos diversos com o objetivo de verificar o andamento dos projetos e atividades. Desse modo teremos resultados dos objetivos propostos por cada atividade. A avaliação global envolve ainda, os parceiros institucionais do Projeto e as demais entidades envolvidas, como PMMG, Conselhos, lideranças comunitárias e eventuais voluntários em casos específicos. Além disso, as atividades serão registradas através de fotos ou filme. AVALIAÇÃO DE PROCESSO OU PROCESSUAL: Atividade Realização de 15 subprojetos para integração ou reintegração, levando em consideração a garantia de direitos da criança e do adolescente em medidas de proteção ou socioeducativas em meio aberto. Indicadores de Progresso Nível de interesse demonstrado pelos participantes; Desempenho dos participantes nas avaliações Índice de freqüência; Meios de Verificação Relatório de avaliação da equipe multidisciplinar;- Testes de verificação; Entrevistas pessoais; Lista de freqüência; Avaliação dos participantes por especialistas convidados; Fichas de avaliação dos participantes; Projeto Novos Rumos 26 AVALIAÇÃO DE RESULTADOS: Objetivo Específico Redução de delitos ou pequenos furtos de acordo com dados da PM; Implantação de oficinas profissionalizantes; Implantação de medidas de proteção. Indicadores de Resultados Inexistência de pequenos furtos praticados por menores. Meios de Verificação Relatório final de atividades; Inserção no mercado de trabalho; Melhor qualidade de vida DE IMPACTO: Poderemos medir o impacto social na medida em que a reincidência de atos infracionais cometidos por jovens e adolescentes sejam menores ou inexistentes. A expectativa é que contados 18 meses iniciais do início das atividades, o projeto passe a fazer intervenções somente nas medidas de proteção Meios de Verificação Dados das promotorias da infância e juventude. Objetivo Específico Redução de Delitos Indicadores de Impacto -Nível de redução dos delitos praticados pela criança e adolescente CONSIDERAÇÕES: Não é objetivo desta ação fazer uma crítica à situação do País. A insuficiência dos recursos para a educação e a segurança pública, as precárias condições administrativas, estruturais e pedagógicas das escolas públicas, a desvalorização da carreira do educador, além de inúmeros outros problemas, são de conhecimento público em geral, e não apenas dos profissionais da área. Enquanto se aguarda modificação, de ordem política e ou estrutural, a sociedade tem dado sua contribuição de várias maneiras. Nesse contexto, a Proposta contempla ações educativas, complementares à escola, com princípios e fundamentos que contribuam para a reversão do quadro atual. Uma vez feita a coleta de dados, é promovido um comparativo descritivo, envolvendo números e percentuais obtidos pelas avaliações das atividades que são confrontados com os indicadores fornecidos pela Prefeitura e indicadores sociais disponíveis, relativos à área atendida, como expectativa de vida, índice de Mortalidade Infantil e Índice de Desenvolvimento Humano - IDH, dados da Policia Militar, Conselhos Tutelares e Ministério Público. EQUIPE TÉCNICA DO PROJETO: A equipe técnica da UninCor se encarregará do projeto,de acordo com a demanda exigida. Os profissionais de campo serão contratados a partir das comunidades atendidas e capacitados para tal. Projeto Novos Rumos 27 Nome Natanael Àtila Aleva André Luís Torres Lopes Andréa de Oliveira Barra Simone Cerqueira Márcio Magela Pinto José Antônio Valério Allan kardeck Dias Carlos Dumas Gomes Darlan Eisten do Nascimento Função no Projeto Coordenador Geral Coordenador do Projeto Casa de Musica Coordenador do Projeto Esporte e Vida Coordenador do Projeto Luz para Escola Coordenador do Projeto Arte do Papel de Pregas Coordenação do Projeto NAU Coordenação do Projeto Educar Coordenador do Projeto Vida Coordenador do Projeto Pró Horta Formação Profissional Doutorado em Odontologia Mestrado em Educação, Licenciado em Música Mestrado em Educação Mestrado em Educação Mestrado em Educação Mestrado em Educação Doutorado em Química Doutoranda em Educação Mestrado em Agronomia Experiência Profissional 16 anos 16 anos 16 anos 5 anos 5 anos 21 anos 22 anos 5 anos 5 anos Natureza Vínculo CLT CLT CLT CLT CLT CLT CLT CLT CLT do Horas semanais 4 Hs 4 hs 4 hs 4 hs 4 hs 4 hs 4 hs 4 hs 4 hs PARCERIAS: Organização A Organização Governamental, governamental, Empresarial? Governamental Governamental Não é Contribuição da Parceira não (financeira, recursos físicos, ou tecnológicos ou de outra natureza?) Apoio Sim Não Ministério Público Estadual Prefeitura Conselhos de Direitos e Tutelares A instituição possui seu próprio sistema de trabalho, bem como seus critérios específicos de avaliação e monitoramento, sendo os trabalhos de campo desenvolvidos sob supervisão direta . Nos casos relativos às ações de Educação (acompanhamento escolar) o monitoramento inclui ainda a participação das escolas da região. Projeto Novos Rumos 28 COMUNICAÇÃO DO PROJETO: Missão Institucional: A Missão da Associação Comunitária Tricordiana é desenvolver e aperfeiçoar as potencialidades do aluno, transformando aptidões em prol da comunidade. Ser agente participante e transformador, integrando e proporcionando atualização satisfatória na cultura e na profissão. Desenvolver projetos socioeducativos com ações de educação, preservação do meio ambiente, valorização da cidadania, fomento ao lazer, ao ofício, à cultura e à saúde comunitária e preventiva, com foco nas comunidades de baixa renda, com vistas a sua promoção integral. Objetivo Geral: Realizar ações que possam resultar na divulgação e na captação de recursos financeiros e humanos, obtendo a adesão de novos parceiros para alcançar o atendimento continuado de 1.000 crianças e adolescentes até o final de 2008. Divulgar a participação dos patrocinadores e parceiros envolvidos nas ações, mostrando a importância da responsabilidade social da empresa para viabilizar a dignidade humana de pessoas em situação de risco. Também criar e consolidar junto à opinião pública, a imagem da Associação Comunitária Tricordiana e seus programas sociais, atuando dentro de padrões de excelência social, administrativa e pessoal. Objetivos específicos e metas:     Divulgar as informações referentes ao Projeto; Criar canal de comunicação interativo; Conquistar a cobertura da mídia; Divulgar as ações; Público:      Esferas dos Três Poderes; Empresários; Patrocinadores Parceiros; Sociedade; Mídia; Projeto Novos Rumos 29 Ações:  Criação de vídeo institucional, para divulgação das atividades, da marca do parceiro, e para apresentação às emissoras de comunicação; Criação de press kit contendo: release, fotos das ações, vídeo institucional para formadores de opinião, histórico, objetivos, público beneficiado, origem dos recursos etc, conforme mailing list; Elaboração e distribuição de releases periódicos à imprensa para cultivar o relacionamento; Criação de link na página da UninCor e do Ministério Público para a divulgação da parceria com reciclagem periódica; Participações em palestras e eventos ligados ao terceiro setor e marketing social para troca de informações; Confecção de relatórios, mensal e anual, físico-financeiro para serem distribuídos aos diferentes públicos; Confecção de folders institucionais, boletins informativos, newsletters etc, para divulgação da parceria.       Ferramentas:     Utilização de mídia eletrônica; Rádios comunitárias, regional e nacional; TV - aberta e fechada; Mídia impressa. Tipos de Mídia:       Folders, panfletos e outros impressos Banners Entrevistas Bonés Camisetas Eventos do 3º setor e de Responsabilidade Social 1.000 unid 100 unid 00 1.500 unid 1.500 unid 02 Projeto Novos Rumos 30 CRONOGRAMA DAS AÇÕES: Objetivo Específico Medidas de Proteção e Socioeducativas Atividades Mês 1 Mês 2 Mês 3 Mês 4 Mês 5 Mês 6 Mês 7 Mês 8 Mês 9 Mês 10 Mês 11 Mês 12 Captação de recursos Mapeamento X Início das Atividades Avaliação de Impacto Parcial Consolidação dos dados Reuniões com X os parceiros Palestras X x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x x ORÇAMENTO DO PROJETO:  Investimento solicitado: R$ 599.750,00 (Quinhentos e noventa e nove mil, setecentos e cinqüenta reais). Contrapartida da Organização/Parceiros: R$ 630.000 (seiscentos e trinta mil reais). Outras Fontes: não há.   Total: R$ 1.229.750,00 (Um milhão duzentos e vinte e nove mil, setecentos e cinqüenta reais). ORÇAMENTO FÍSICO-FINANCEIRO: Projeto Novos Rumos 31