Você está na página 1de 12

4- ORGANIZAÇÃO DOS PODERES”) 4.4. O Poder Judiciário – arts. 92 a 126, CF.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL ↓ ↓ TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO ↓ TRIBUNAIS REGIONAIS DO TRABALHO ↓ JUÍZES DO TRABALHO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL ↓ TRIBUNAIS REGIONAIS ELEITORAIS ↓ JUÍZES ELEITORAIS

↓ SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA ↓ ↓ TRIBUNAIS DE JUSTIÇA ↓ JUÍZES ESTADUAIS E DISTRITAIS ↓ TRIBUNAIS REGIONAIS FEDERAIS ↓ JUÍZES FEDERAIS

↓ SUPERIOR TRIBUNAL MILITAR ↓ TRIBUNAIS DE JUSTIÇA MILITAR ↓ CONSELHOS DE JUSTIÇA MILITAR

4.4.1. O Supremo Tribunal Federal – arts. 101 ao 103, CF. Composição 11 Ministros - escolhidos dentre cidadãos com mais de 35 e menos de 65 anos de idade; - de notável saber jurídico e reputação ilibada - nomeados pelo Presidente da República, depois de aprovada a escolha pela maioria absoluta do Senado Federal. (cf. art. 101, CF) Competência Processamento e julgamento de ações Recursos originariamente * “caput” – guarda da CF. Vd. Art. 102, II e III, CF. Vd. Art. 102, I, CF Recurso ordinário Recurso extraordinário Sede/ Jurisdição Brasília / todo território nacional

Destaque para: * Alínea a – ADI (lei ou ato normativo federal ou estadual) e ADC (lei ou ato normativo federal) * Alínea b – Infrações penais comuns do Presidente da República, dentre outros. * Alínea g- Extradição *Alínea l- Reclamação *§ 1º - ADPF

Obs.: Súmulas Vinculantes (art. 103-A, CF – introduzido pela EC 45/04) - o efeito vinculante é idêntico ao da decisão de mérito proferida em ADIn Federal (art. 102, § 2º, CF). - objetivos: art. 103-A, § 1º, CF. - A súmula vinculante poderá ser cancelada mediante provocação daqueles legitimados à propositura da ação direta de inconstitucionalidade (cf. art. 103-A, § 2º c/c art. 103, CF). - A decisão judicial que contrariar súmula vinculante, aprovada pelo Supremo Tribunal Federal, poderá ser cassada por meio de Reclamação junto a este tribunal (cf. art. 103-A, § 3º, CF). 4.4.2. O Conselho Nacional de Justiça - art. 103-B, CF Exerce o “controle externo do Poder Judiciário”. Obs.1: As ações contra o CNJ são processadas e julgadas, originariamente, pelo STF (cf. art. 102, I, “r”, CF).

4.4.3. O Superior Tribunal de Justiça – arts. 104 e 105, CF. Composição Competência Processamento e julgamento de ações Recursos originariamente Sede/ Jurisdição

.art.5. Acre. 81. 118. Vd. Constituição do Estado de São Paulo Competência da Justiça Militar – art. I. TRF 5º Região – sede: Recife. . CF 4. jurisdição: São Paulo e Mato Grosso do Sul. CF. Justiça Federal – art. 109. . CF . § 1º e art. CF Vd.Recursos – art. 107. 122. CF) 4. 109. CF.003/69 – Lei de Organização Judiciária Militar) . Rondônia. jurisdição: Goiás. TRF 1º Região – sede: Brasília. CF Tribunais Regionais Eleitorais – art. 109. 104.7. § 3º.nomeados pelo Presidente da República.escolhidos dentre cidadãos com mais de 35 e menos de 65 anos de idade.art. Justiça do Trabalho – art.Foro das causas entre Instituição de previdência social e segurado – art. jurisdição: Rio de Janeiro e Espírito Santo. jurisdição: Rio Grande do Sul. Maranhão e Tocantins. Art. Sede/ Jurisdição Vd. todo Destaque para: nacional * Alínea a – Infrações penais comuns dos Recurso Governadores dos Estados e do Distrito ordinário Federal. CF. II. Lei 9. 124. TRF 3º Região – sede: São Paulo.Tribunal Superior do Trabalho . 106.788/99). Distrito Federal.4. 108. 108. 111. art. Piauí. (100 varas federais distribuídas pelas 5 justiça Federal Regiões – cf. § 4º. II e III.4. Amapá. TRF 2º Região – sede: Rio de Janeiro. dentre outros. CF. CF Juízes Eleitorais – são os próprios juízes de direito da organização judiciária dos Estados ou do Disitrito Federal 4. CF. CF. Órgãos da Composição Justiça Federal Tribunais Regionais Federais (TRFs) art.4. 116.33 Ministros (no mínimo) .Tribunais e Juízes Militares . CF Composição .Reclamação Recurso * Alínea i – homologação de sentenças especial estrangeiras e a concessão de exequatur às cartas rogatórias. Minas Gerais. CF . TRF 4º Região – sede: Porto Alegre.Conselhos de Justiça Militar . art. CF Composição .art. § 2º. art. 115. art. CF.6. 123. Amazonas.Foro das causas de interesse da União – art. CF. 674 CLT. §§ 1º e 2º.Juízes do Trabalho (Varas do Trabalho . CF e art. CF.de notável saber jurídico e reputação ilibada .4. Pará. 120. depois de aprovada a escolha pela maioria absoluta do Senado Federal. 119. § 6º.Superior Tribunal Militar . Mato Grosso. território Competência Processamento e Recursos julgamento de ações originariamente art. Santa Catarina e Paraná. Roraima. 105. jurisdição: todos os demais Estados do Nordeste. Brasília / CF.Incidente de deslocamento de competência – art. de 1ª instância Destaque para: . 110. Juízes Federais Membros da Vd. 4.Tribunais Regionais do Trabalho – art. Justiça Eleitoral – art.instituídos por lei (Decreto-lei 1. Justiça Militar – art. 105. 107. CF. (cf. 109. Competência da Justiça do Trabalho – art. ADCT.Juízo singular) – art. CF e art. CF Tribunal Superior Eleitoral – art. I. 114. § 5º. Art.4. . 109. 111-A . 27. *Alínea f. . Bahia.

II. CF 4.9. CF). 129. 95. III (ACP) . 93. 5º da Lei 7. I. 94.A.13. 3º e 61. 105. I ao VI. 129. 8. 93.Garantias – art. . 338).4. 130..” (Acrescentado pela Lei 9. II. CF. Juizados Especiais – art. 92.Funções – art. CF.Composição – art. do citado decreto-lei estabelece que: “Os crimes de que trata este artigo. Obs. CF e art.11.12. . . 127. 129. coletivos em sentido estrito ou individuais homogêneos. para a tutela jurisdicional de quaisquer direitos ou interesses difusos. parágrafo único. § 12.4.099 Lei 10. Poder Judiciário Estadual – art. I. CF . 95. CF. 82 da Lei n. função e empregos públicos da administração direta.“(. serão da competência da justiça comum. CF .5. CF. 2003. autárquica e fundacional de qualquer dos poderes do Estado-membro. 93. São Paulo: Saraiva. VII. 98.2. 37.4. CF . I. . I.Princípios institucionais – art. .Juízes estaduais Obs. 93. . quando dolosos contra a vida e cometidos contra civil.099 Obs.Aposentadoria – art. Ministério Público .347/85 e art. CF Obs. V. 128.Conceito – art. 130-A.Obs.1. 4. mediante emenda à respectiva Constituição estadual (cf. § 3º. Obs. II.Ingresso na Carreira – art.Tribunal de Justiça – art. I ao II. “caput”. 73 a 77 da Constituição do Estado de São Paulo. Poder Judiciário Distrital – art. CF. CF Lei 9. VII.. p.Vedações – art. CF.259/01 – Dispõe sobre a instituição dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais no âmbito da Justiça Federal 4.2: necessidade de advogado? – vd. § 5º.) a ação civil pública é um dos instrumentos constitucionais colocado à disposição do Ministério Público e de outros legitimados coletivos arrolados pela lei (art. . .: Quinto Constitucional – art. § 5º.078/90).299/96).º 45/04 – extinguiu os Tribunais de Alçada (art.Juízes distritais 4. 98. da Lei 9099 – cabimento do JECível e JECrim Obs. CF. de 21 de outubro de 1969).1: vd. Justiça de Paz – art.Subsídios – art.5.” (ALMEIDA.: Conselho Nacional do Ministério Público composição– art. Poder Judiciário Municipal . art. competência – art. CF. 4.Garantias dos juízes – art. CF Obs. Advocacia Pública . CF.Tribunal de Justiça – art. 128. .4. 4º). 7º.: art.10. 9º.4. “a”.Ingresso na Carreira – art. 93. CF. Lei 9. § 2º. 3: juízes leigos – art. Gregório Assagra. 127. CF .5. CF .2: o subsídio mensal dos desembargadores do tribunal de justiça estadual poderá ser fixado como limite único das remunerações e subsídios dos ocupantes de cargo.1: a EC n. 4. § 1º. Direito Processual Coletivo: um novo ramo do direito processual. CF. 96 e 99. Estatuto da Magistratura e Garantias Constitucionais do Poder Judiciário – art. art. VI.Promoção – art.1: Código Penal Militar (Decreto-lei nº 1. 2: O parágrafo único.8.: Juiz de paz (representante do Estado na celebração do casamento) 4. 92. .001. Lei 9.4. do artigo 9º.099/95 – Lei dos Juizados Especiais Cíveis e Criminais Obs. 4. 128. CF. art.Acesso aos Tribunais de 2º grau – art. CF . 93. Obs. CF. . Obs. As funções essenciais à Justiça 4. III.Não há.Vedações aos juízes – art.

3.2.Vice-Presidente: art.4. 5º.exigências para candidatura: requisitos do art. 80 e 81. . . I ao V. 133. II . CF e ser maior de 35 anos (art. “a”). 77. CF.. § 1º. CF. 81. A vacância deve ser reconhecida e declarada pelo CN Obs. CF – vd.órgãos de execução: a) as Procuradorias Regionais da União e as da Fazenda Nacional e as Procuradorias da União e as da Fazenda Nacional nos Estados e no Distrito Federal e as Procuradorias Seccionais destas. CF Obs. 57. 89. 2º A Advocacia-Geral da União compreende: I . 78 c/c art. 4. e 6º. Vacância a) somente do cargo do Presidente: assume o Vice – art. 82. d) o Conselho Superior da Advocacia-Geral da União. b) de ambos os cargos: assume o Presidente da Câmara dos Deputados. 76. 4. CF) Vacância nos dois últimos anos = eleição indireta pelo CN (art. art.sistema majoritário (maioria absoluta – dois turnos) – art. exerce as funções de Chefe de Estado e as de Chefe de Governo. .Advocacia-Geral da União – art. CF. “caput”. 78. I.. Perda do mandato do Presidente da República e do Vice (cf. Isso caracteriza o sistema de governo presidencialista.órgão de assistência direta e imediata ao Advogado-Geral da União: o Gabinete do Advogado-Geral da União. CF 4. . 134. parágrafo único e 79. e e) a Corregedoria-Geral da Advocacia da União. III .3. LXXIV. 14.órgãos de direção superior: a) o Advogado-Geral da União. § 5º.1: Vacância nos dois primeiros anos = eleição popular direta (art. CF). parágrafo único. I. CF. CF O Poder Executivo 4. CF. 81. CF.5. I e 91.posse: art. 4.3.Advogado – art. .cit.3. Presidencialismo A Constituição Federal estabelece que o Poder Executivo é exercido pelo Presidente da República.Procuradorias estaduais e distrital – art..3. SILVA.Defensoria Pública – art. 132. CF LC 73/93 : (. §§ 3º. 547): . CF e Lei 8. 79. b) a Consultoria da União.: re-eleição: art. VI. Advocacia e Defensoria Pública . da Secretaria-Geral e das demais Secretarias da Presidência da República e do Estado-Maior das Forças Armadas.3. 78.. c) Consultoria-Geral da União. p. 14. pois o Presidente da República. como Chefe do Poder Executivo. Eleição e mandato do Presidente da República e do Vice . § 3º. sucessivamente – art.) Art. CF).mandato: 4 anos – art. b) a Procuradoria-Geral da União e a da Fazenda Nacional. as Consultorias Jurídicas dos Ministérios. 14.906/94 (Estatuto da Advocacia) . o do Senado Federal e o do STF. III. § 1º.1. 131. auxiliado pelos Ministros de Estado (art. op. 77. §§ 2º e 3º. § 3º.

88.079/50 – regula dos crimes de responsabilidade. CF.4: renúncia durante curso do processo: não é obstáculo ao prosseguimento da ação – vd. para o exercício da função pública – art. 12. 51. Órgãos auxiliares do Presidente da República . 87.: Lei 1. I. 4. CF) e competência (art. CF). examinar a forma procedimental.Conselho da República: composição (art. 89. 52. penas dos crimes comuns: as previstas no CP. O Judiciário (STF) não pode reexaminar o mérito da questão que levou o Senado a responsabilizar o Presidente. Responsabilidade do Presidente da República e de seus auxiliares . Obs.Conselho de Defesa Nacional: composição (art. I e II) Obs. parágrafo único. 3: penas dos crimes de responsabilidade: a) perda do cargo (cassação ou “impeachment”) e b) inabilitação. CF. 4. 78. CF d) ausência do País por mais de 15 dias. por 8 anos.7.2: quem pode acusar o Presidente da República de crime de responsabilidade? Todo cidadão no gozo de seus direitos políticos – art. O Judiciário poderá. CF). com a consequente suspensão dos direitos políticos (vd. 91.a) cassação – crimes de responsabilidade e crimes comuns b) extinção – morte. Obs. caso Collor (ele renunciou em 29/12/92 quando já iniciada a sessão de julgamento. 84. CF. impondo ao Collor a sanção de inabilitação. requisitos para ser Ministro (art. . . CF). não cabe revisão Judicial. 91. CF). Obs. I e 52. . III. criação dos Ministérios (art. por oito anos. .3. 84. renúncia. Obs. sem licença do Congresso Nacional – art. parágrafo único. 87. Por meio da Resolução 101/92 o Senado Federal julgou prejudicada a aplicação da pena de perda de mandato e procedente a denúncia por crime de responsabilidade. Obs. 85. 80 e 81.Procedimento: art. 4.Crimes de responsabilidade: são os crimes definidos no art.Ministérios: Os ministros de Estado são nomeados e exonerados livremente (art. 52. Atribuições do Presidente da República – art. quando muito. CF).3. CF). 90. I.5: durante o processo por crime de responsabilidade deve também ser assegurada a ampla defesa e o contraditório: prazo de 10 sessões para oferecimento de defesa. CF).1: nos crimes de responsabilidade a decisão é política. CF (art.6. CF. 15. atribuições (art.3. art. § 1º. 86 c/c art. para o exercício de função pública. . CF) e competência (art. CF. perda ou suspensão dos direitos políticos e perda da nacionalidade brasileira c) vacância – arts.5. 83. I ao IV.Crimes comuns: são os crimes definidos na lei penal e cometíveis por qualquer pessoa.

§ 3º. 4. 78.Vice-Governador: art. 28 c/c art. 28 c/c art.079/50) e crimes comuns. o modelo federal: Crimes de responsabilidade – Ass. CF). Distrital e Municipal Ente federativo Estadosmembros Chefia Governador do Estado Eleição e mandato . Legislativa. 14. I e 91. “a”.: estas regras aplicam-se também aos Governadores e Prefeitos 4. Idem estadual Obs. seguindo.3. 105. – Câmara Legislativa. § 3º. Obs. -sistema majoritário: maioria absoluta ou maioria relativa – art. 29-A.: O processo e julgamento são estabelecidos na respectiva Constituição do Estado. III. .: o processo e julgamento são estabelecidos na Lei Orgânica do Distrito Federal. a) somente do cargo do Prefeito: assume o Vice. CF (30 anos) . 89. CF. 77. I ao V.: a posse ocorre perante a Câmara Legislativa distrital Idem estadual Obs. § 6º.6: “sentença” em crime de responsabilidade: resolução do Senado Federal (art. Responsabilidade crimes de responsabilidade (Lei 1. I. .9. b) de ambos os cargos: assume o Presidente da Assembléia Legislativa e do Tribunal de Justiça. 14. Crimes resp. crimes de responsabilidade (art. CF Distrito Federal Governador Distrital Idem estadual Obs.para candidatar-se a re-eleição: não há desincompatibilização . I. 14.posse: art.mandato: 4 anos – art. Lei 1079/50).: O processo e julgamento são estabelecidos na respectiva Lei Orgânica do Município. CF. I.sistema majoritário (maioria absoluta – dois turnos) – art. e VI. . 28. § 1º. mutatis mutandis. Poder Executivo Estadual.exigências para candidatura: requisitos do art. sucessivamente.537/96): . . 79. 19. TSE n. b) de ambos os cargos: assume o Presidente da Câmara Municipal.exigências para candidatura: art. 35.: No caso de vacância de ambos os cargos (governador e vice): assume o Presidente da Câmara Legislativa.8. 77. Vacância a) somente do cargo do Governador: assume o Vice – art. Crimes comuns – STJ (art. . 105. Obs. CF).para candidatar-se a outros cargos do Executivo ou do Legislativo: sim (6 meses antes do pleito) Obs. parágrafo único e 79. “b”. Municípios Prefeito Municipal . I ao V.3. CF. “a”. CF) e crimes comuns. “c”) – 21 anos. 29.posse: art. CF e Res. e VI. 29.Obs. Desincompatibilização do Presidente da República (art.II CF. § 2º. Crimes comuns – STJ (art. 28. CF – perante a Assembléia Legislativa.

. que constituem proposições dos membros ou órgãos de uma das Casas do Congresso Nacional a fim de sugerirem modificações na matéria contida em projetos de lei. Se. José Afonso da. sem emendas.” (SILVA. São Paulo: Malheiros.: Iniciativa Popular: art. § 1º. será remetido à outra Casa para revisão (art. sendo. §§ 1º e 2º.emendas à constituição – art. for aprovado. 93. 29.2: O projeto. É geralmente precedida de estudos e pareceres de comissões técnicas e de debates em plenário. CF). CF. . o projeto irá à sanção. II. 61.1: quórum mínimo para um projeto de lei ir à votação: 257 deputados e 41 senadores. b) Exclusiva: . 61.mandato: 4 anos – art. § 2º e art. emenda. CF.STF – art. Obs. II. da CF.O PROCESSO LEGISLATIVO – art.Tribunais Superiores – art. elas aprovadas ou rejeitadas. 24. 2005. CF. 5.leis complementares e leis ordinárias – art. . CF . 65. veto) realizados pelos órgãos legislativos visando à formação das leis constitucionais. ed.Presidente da República – art. se aprovado. Crimes comuns – TJ 5. será remetido à sanção e promulgação.1. CF Crimes resp. 99. I e II. 2º) discussão: podem ser apresentadas emendas ao projeto. 524). Obs. rev. 96. XIII. I . CF É “o conjunto de atos (iniciativa.CF. e. 96. sanção. Se houver emendas. votação. 29. I. “caput”. – Câmara Municipal. Atos do processo legislativo: Iniciativa → Discussão → (emendas) Votação → (aprovação ou rejeição) Sanção → ou veto Promulgação→ Publicação 1º) iniciativa legislativa: é a faculdade de apresentar projetos de lei ao Legislativo (à Câmara dos Deputados ou ao Senado Federal). 3º) votação: é ato coletivo das Casas do Congresso. voltará à Casa iniciadora. e ampl. 61. art. resoluções e decretos legislativos. complementares e ordinárias. Curso de direito constitucional positivo. 60.. A iniciativa pode ser: a) Concorrente: . 59. para apreciação destas. Obs. p.

CF d) medidas provisórias: art. XI e art. Pode ser total ou parcial (art. Obs. art. CF). . art. Lei Orçamentária e Lei de abertura de créditos adicionais): art.2.: Todas as matérias que não sejam expressamente reservadas à lei complementar. . Procedimentos legislativos É o modo pelo qual os atos do processo legislativo se realizam. Pode ser expressa ou tácita (art.4º) sanção ou veto: são atos legislativos de competência exclusiva do Presidente da República. CF). §§ 1º e 2º.Para aprovação de emendas constitucionais: maioria de 3/5 dos membros das Câmaras. Sanção: é a adesão do Chefe do Poder Executivo ao projeto de lei aprovado pelo Poder Legislativo.procedimento legislativo ordinário: destinado à elaboração das leis ordinárias. b) leis complementares: somente diferem do procedimento para aprovação de projetos de leis ordinárias na exigência do voto da maioria absoluta das Casas (art. É condição para a lei entrar em vigor e tornar-se eficaz. CF). 69.: Vd. Obs. CF). §§ 4º e 5º. CF . poderão ser objeto de lei ordinária. CF). Lei de Diretrizes Orçamentárias. 66. 5. Diz respeito ao andamento da matéria nas Casas legislativas. 66. CF – apreciação do veto. . Note-se que a lei já existe desde a sanção ou veto rejeitado. CF – prazo total de 100 dias. Veto: é o modo como o Chefe do Poder Executivo exprime sua discordância com o projeto aprovado. É obrigatória (art. §§ 2º e 3º. 146. §§ 1º a 3º. 64. por entendê-lo inconstitucional ou contrário a interesse público. § § 6º e 7º. 60. 66. 47. c) leis financeiras (plano plurianual. 66. 166. 7º.procedimentos legislativos especiais: a) emendas constitucionais: art. 6º) publicação: é o instrumento pelo qual se transmite a promulgação aos destinatários da lei. Para aprovação de projetos de lei ordinária: maioria simples (ou relativa) dos membros das Câmaras (art. (vd. CF . CF). 62. promulga-se a lei e não projeto de lei. 5º) promulgação da lei: é o meio de constatar a existência da lei e validá-la. § 3º.procedimento legislativo sumário: para projetos de lei de iniciativa do Presidente da República que tenham urgência – art.

que vise a detenção ou seqüestro de bens. .. . Competência Presidente da República Requisitos Relevância e urgência (mera edição pelo Pres. nem promulgação. 62.planos plurianuais. a carreira e a garantia de seus membros. que tenham efeitos externos a ele. .: “A elaboração de leis delegadas e de medidas provisórias não comportam atos de iniciativa. 49.matérias vedadas às leis delegadas (vedação implícita) . basta a aprovação da respectiva casa. partidos políticos e direito eleitoral. . g) resoluções: são atos destinados a regular matéria de competência do Congresso e de suas Casas.e) leis delegadas: art. independem de sanção ou veto presidencial. Exemplo: art. op. cit. . CF). .) Matérias As reguladas por Lei ordinária (Ex. com efeitos internos. Direito Civil) Vedações -nacionalidade. de poupança popular ou qualquer outro ativo financeiro. políticos e eleitorais. § 3º. mas de simples procedimento elaborativo” (SILVA. § 3º.P. CF. nem sanção. diretrizes orçamentárias e orçamentos. . CF Obs. . basta a aprovação da Câmara e do Senado. . direitos políticos.reservada a lei complementar. nem veto. 68. M. Tratase de mera edição que se realiza pela publicação autenticada. independem de sanção ou veto presidencial. D. Por isso não é cabível falar-se em processo legislativo a respeito delas. processual penal e processual civil. da Repl. Presidente da República Solicitação presidencial e Delegação do Congresso Nacional As reguladas por lei ordinária f) decretos legislativos: são atos destinados a regular matérias de competência exclusiva do Congresso Nacional (art.organização do Poder Judiciário e do Ministério Público. 167. ressalvado o previsto no art. a carreira e a garantia de seus membros. orçamento e créditos adicionais e suplementares..já disciplinada em projeto de lei aprovado pelo Congresso Nacional e pendente de sanção ou veto do Presidente da República.nacionalidade. direitos individuais. os de competência privativa da Câmara dos Deputados ou do Senado Federal. .planos plurianuais. nem votação. L. . Exemplo: os Regimentos Internos são aprovados por Resoluções.a matéria reservada à lei complementar . cidadania.direito penal.atos de competência exclusiva do Congresso Nacional. cidadania.organização do Poder Judiciário e do Ministério Público. 529). diretrizes orçamentárias. p.

ADI genérica: tem por objetivo reconhecer a inconstitucionalidade de determinada lei ou ato normativo federal ou estadual (frente à CF) e desconstituí-lo. Exemplos: parecer da Comissão de Constituição e Justiça em relação a determinado projeto de lei (Legislativo). CF. ADC (ou ADeCon .868/99. Direito constitucional.Ação declaratória de constitucionalidade) e ADPF (Arguição de descumprimento de preceito fundamental) I. 102. Obs. dada pela Lei 11. 6. 6. CF. A decisão do tribunal produz efeitos “erga onmes” (contra todos) porque o controle de constitucionalidade é geral (art. 103. 11. 579). art.” (MORAES. 82.6. ADI (ou ADIn . julgando o habeas corpus n. 2002.072/90 (Lei dos Crimes Hediondos) que proibia a progressão do regime prisional para condenado por crime hediondo. São Paulo: Atlas. quando declararem a inconstitucionalidade de lei federal – cf. veto presidencial ao projeto de lei (Executivo). “a”. Pode ser proposta pelas pessoas elencadas no art. A decisão do juiz ou tribunal somente produz efeitos “inter partes” (entre as partes). porque o controle de constitucionalidade se processa caso a caso. § 2º. 102. reconheceu como inconstitucional o parágrafo 1º.1. Exemplo: No dia 23/02/06 o STF. I. A inconstitucionalidade é a questão principal do processo. art. da Lei 8.Ação direta de inconstitucionalidade). assegura o direito à progressão da pena. é a “causa petendi”. A atual redação de tal dispositivo. 2º.O CONTROLE DE CONSTITUCIONALIDADE. CF). É regulamentada pela Lei 9. p. A inconstitucionalidade recai sobre a questão principal do processo.959/SP. via de ação direta.1: No controle difuso da constitucionalidade as decisões proferidas em única ou última instância estarão sujeitas a recurso extraordinário. ed. b) concentrado: é realizado por um tribunal específico. Formas de controle de constitucionalidade: I) político: prévio ou preventivo – opera antes que o ato se aperfeiçoe (projeto de lei). verificando seus requisitos formais e materiais. O julgamento é privativo do STF (art. . É feito pelo Legislativo e/ou pelo Executivo. III. CF). 6.464/07.3. Existem dois sistemas de controle jurisdicional de constitucionalidade: a) difuso: é realizado por qualquer juiz ou tribunal. 102.2. É o caso do Brasil. Há países que adotam um Sistema misto de controle de constitucionalidade. Conceito “Controlar a constitucionalidade significa verificar a adequação (compatibilidade de uma lei ou de um ato normativo com a Constituição). II) jurisdicional: posterior ou repressivo – opera depois de perfeito o ato (lei). “b”.

art. por todos os órgãos do Poder Judiciário. pois o único controle de constitucionalidade de lei e de ato normativo municipal em face da Constituição Federal que se admite é o difuso.1: as leis e atos normativos estaduais ou municipais contrários à Constituição daquele Estado. art.: Há ADIn por omissão estadual: III.ADI interventiva: tem por objetivo reconhecer que determinada lei ou ato normativo estadual é contrário aos princípios sensíveis da CF (art. I. poderão ser objeto de ADIn estadual. Obs. 611). proposta junto ao Tribunal de Justiça daquele Estado – cf. Trata-se de controle de legalidade. 11. CF c/c art.2: A decisão do Tribunal de Justiça que em ADIn declara inconstitucional a lei de determinado Município. da CF (ADIn 3055/PR). 36.” (MORAES. CF. ADCT. Obs. Obs. p. 22. exercido incidenter tantum (apenas entre as partes). por isso. CF. 34.Ação declaratória de constitucionalidade (ADC): tem por objetivo declarar constitucional determinada lei ou ato normativo federal que seja objeto de dúvida sobre a . de elaborar a lei necessária para dar aplicabilidade a determinado dispositivo constitucional. 103. CF). CF): tem por objetivo reconhecer a omissão do legislador e determinar a este que tome as providências necessárias no sentido de suprir a omissão. op. Inconstitucionalidade reconhecida porque compete exclusivamente à União legislar sobre o trânsito. art. cit.Exemplo: o STF declarou inconstitucional a Lei 11.3: É inadmissível ADIn perante o STF ou perante o TJ local para questionar a constitucionalidade de lei ou ato normativo municipal face à Constituição Federal. quando do julgamento de cada caso concreto.766/97. : Há ADIn interventiva estadual (buscando a intervenção estadual no município). do Estado do Paraná. por meio de Recurso Extraordinário. III. XI. “inexistindo. impondo a pena de multa aos que descumprissem o preceito legal. O Procurador Geral da República é o único que tem legitimidade para propor a ADIn interventiva junto ao Supremo Tribunal Federal (cf. IV. ou seja. “a”. Pode ser proposta pelas pessoas elencadas no art. § 2º. 102. Obs. conforme art. 102.ADI por omissão (art. portanto. VII) – e. Obs.4: Não há controle de constitucionalidade de lei municipal face à Lei Orgânica do Município. § 2º. 103. CF). “d”. 125. II. III. controle concentrado de constitucionalidade. é inconstitucional – e. Obs. em razão dessa grave inconstitucionalidade autorizar a intervenção da União naquele Estado. desde que esteja em discussão a afronta às normas constitucionais de repetição obrigatória pela Constituição do Estado – cf. que tornava obrigatório a qualquer veículo automotor transitar permanentemente com os faróis acesos nas rodovias do Estado do Paraná. O julgamento é privativo do STF (art. poderá ser revista pelo STF.

882/99 prevê o seguinte: a) órgão competente para processo e julgamento: STF b) legitimados ativos: art. com a redação dada pelos artigos 1º.882/99. Em julho de 2004 foi concedida liminar pelo Ministro Marco Aurélio Mello que garantia a interrupção das gestações de fetos anencéfalos. 102..935/94. V. CF e Lei 9. É mais ampla. p.534/97 Obs. I.Não ofende o princípio da proporcionalidade lei que isenta os "reconhecidamente pobres" do pagamento dos emolumentos devidos pela expedição de registro civil de nascimento e de óbito.868/99. op. 1º. proposta pela Confederação Nacional dos Trabalhadores na Saúde.” (SILVA. É regulamentada pela Lei 9. “Preceitos fundamentais não é expressão sinônima de ‘princípios fundamentais’.Arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF) – art. embora seja análoga à atividade empresarial. e no artigo 45 da Lei nº 8. Exemplo: ADC 5 / DF . 3º e 5º da Lei nº 9. O julgamento é privativo do STF (art. I). do Distrito Federal.265/96. da Lei nº 9.sua constitucionalidade. da Lei 9882/99. b) para reparar lesão a preceito fundamental resultante de ato do Poder Público. Pretendem incluir essa hipótese de aborto.DISTRITO FEDERAL. Pode ser proposta pelas pessoas elencadas no art. abrange estes e todas as prescrições que dão o sentido básico do regime constitucional.º 54. bem como a primeira certidão respectiva. CF). este permitido pelo Código Penal (art. e especialmente as designativas de direitos e garantias fundamentais. O mérito da ação ainda será julgado. inciso I.A atividade desenvolvida pelos titulares das serventias de notas e registros. foi declarada a constitucionalidade do disposto no artigo 30 da Lei nº 6. e) efeitos: “erga onmes” e vincula os demais órgãos do Poder Público Exemplo: Tramita no STF a ADPF n. I. incluídos os anteriores à Constituição. e. Obs. O STF entendeu que “I . estadual ou municipal. II . como são. 103. obtendo do STF uma decisão com efeitos erga omnes.: Não há ADC estadual. integrando-a no conceito de “aborto terapêutico”. Tal liminar foi derrubada em 20/10/04. 562). sujeita-se a um regime de direito público. § 1º.015/73.: É possível ser utilizada a ADPF como uma forma de controle concentrado de constitucionalidade das leis municipais face à Constituição Federal. 128. § 3º. “a”. 103. as que apontam para a autonomia dos Estados. a Procuradoria-Geral da República deu parecer pela procedência da ação. por exemplo. d) caráter subsidiário: a lei veda a possibilidade de ADPF quando houver outro meio específico de sanar a lesividade. c) quando relevante o fundamento da controvérsia constitucional sobre lei ou ato normativo federal. resultante de ato do Poder Público. cit. CF.” Assim. A Lei 9. . no artigo 1º. CF c) hipóteses de cabimento: a) para evitar lesão a preceito fundamental. e art. Em 07/07/09. 102. 10. objetivando o direito de seus integrantes abortarem anencéfalos. a teor do que preconiza o art.