UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

FERNANDO MACARINI LOSSO

PERÍCIA CONTÁBIL: O MERCADO DE TRABALHO DO PERITO CONTADOR NO ÂMBITO TRABALHISTA

CRICIÚMA, DEZEMBRO DE 2010

FERNANDO MACARINI LOSSO

PERÍCIA CONTÁBIL: O MERCADO DE TRABALHO DO PERITO CONTADOR NO ÂMBITO TRABALHISTA

Trabalho de Conclusão de Curso, apresentado para obtenção do grau de Bacharel no curso de Ciências Contábeis da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC. Orientador: Prof. Leonel Luiz Pereira

CRICIÚMA, DEZEMBRO DE 2010

FERNANDO MACARINI LOSSO

PERÍCIA CONTÁBIL: O MERCADO DE TRABALHO DO PERITO CONTADOR NO ÂMBITO TRABALHISTA

Trabalho de Conclusão de Curso aprovado pela Banca Examinadora para obtenção do Grau de Bacharel, no Curso de Ciências Contábeis da Universidade do Extremo Sul Catarinense, UNESC, com Linha de Pesquisa em Perícia.

Criciúma, 17 de dezembro de 2010.

BANCA EXAMINADORA

Prof. Leonel Luiz Pereira – Esp. - (Unesc) – Orientador

Prof. Adilson Pagani Ramos - Msc - (Unesc) - Examinador 1

Prof. Luciano Ducioni - Esp - (Unesc) - Examinador 2

Minha gratidão a todos vocês é imensa e inesgotável. . e a todos que acompanharam e ajudaram a conquistar mais esta etapa da minha vida. aos meus pais Bonacor Losso e Zenaide Macarini Losso e minha namorada Bruna Cardoso Luiz pelo incentivo e apoio nos momentos difíceis.2 Dedico este trabalho primeiramente a Deus por concedido saúde e força para alcançar mais esta conquista.

Alisson. pelo apoio e conhecimentos compartilhados. orientação. por transmitir conhecimento de forma segura. Ao meu orientador. Dirceu. por estar presente em todos os momentos da minha vida. especialmente aos meus pais. compartilhando os bons e difíceis momentos. Diego. concedendo-me saúde. pelo apoio e compreensão pela minha ausência em determinados momentos. . Professor Esp. Aos professores a coordenação do curso. A minha namorada Bruna. por terem contribuído para o alcance de mais um sonho de minha vida. e pela significativa contribuição na elaboração deste trabalho. Aos meus familiares. Leonel Luis Pereira. Moises.3 AGRADECIMENTOS A Deus. destacando que a sua participação foi de fundamental importância em minha formação. Bonacor e Zenaide. Aos colegas de estudo. força nos momentos difíceis. Enfim. colocaram na realização deste trabalho. que em todos os momentos me incentivaram e apoiaram em mais esta caminhada. minha gratidão a todos vocês é imensa. sabedoria e capacitação. a todos os que. Fernando. Diogo que participaram dos momentos importantes da minha vida acadêmica. direta ou indiretamente.

em suma todo e qualquer opinião. avaliações. vistorias. Para realizam-se exames. opinião.” Antonio Lopes de Sá procedimento necessário á . indagações. arbitramentos.4 “Perícia contábil é a verificação de fatos ligados visando questões ao patrimônio individualizado mediante tal opinião oferecer propostas.

Palavras-chave: Perícia Contábil. 2010. na área trabalhista cidade de Criciúma-SC. Universidade do Extremo Sul Catarinense – UNESC.5 RESUMO LOSSO. ao realizar a perícia por meio de exames. Trabalho de Conclusão de Curso de Ciências Contábeis. indagações. procedimentos. com isso foi elaborada uma pesquisa para saber com está o mercado de trabalho para o perito contador em nossa região. bem como mercado de atuação do perito contador na perícia judicial. Para alicerçar este trabalho. Criciúma – SC. prova ou demonstração. . O objetivo da perícia é responder aos quesitos pertinentes a um processo judicial. que visa esclarecer determinadas questões ou fatos com apresentação do laudo. Somente contadores habilitados podem exercer a atividade de perito contador. Perícia contábil é um instrumento técnico científico de constatação. quanto à veracidade dos fatos ligados ao patrimônio de pessoas e empresas. 57 p. Fernando Macarini. investigações. Mercado de Trabalho. que é elaborado pelo perito contábil. Perícia contábil: O mercado de trabalho do perito contador no âmbito Trabalhista. elucidando os questionamentos. Perito. O perito. avaliações entre outros deve agir com honestidade e responsabilidade que lhe foi confiada. foi realizada uma pesquisa referente ao mercado de trabalho do perito contador no âmbito trabalhista. A perícia contábil é destacada como um dos principais ramos da contabilidade. A partir deste estudo pode-se entender e constatar ser de grande importância a atuação do perito contador para o juizado e para sua vida profissional. Visa a apresentar os conhecimentos pertinentes ao assunto em questão. normas e leis que regem a profissão. Este estudo é o resultado de uma pesquisa literária referente à perícia contábil. Orientador: Leonel Luis Pereira. vistorias.

............................................................ 45 Quadro 07: Referente do número de processos por mês que participa .............. 48 Quadro 12: Referente ao tempo de entrega do laudo pericial .............................................6 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Quadro 01: Referentes aos Procedimentos de Perícia ................................ 37 Quadro 05: Referente à área que você perito mais atua no âmbito trabalhista............... 48 Quadro 11: Referente às dificuldades encontradas pelo perito .................... 46 Quadro 09: Referente qual a reclamatória mais buscada no âmbito trabalhista ........................... 46 Quadro 08: Referente a função exercida pelo perito ................ 44 Quadro 06: Referente às fases do processo que você perito participa ......................................................................... 47 Quadro 10: Referente ao recebimento dos honorários profissionais... 50 Quadro 14: Referente qual visão você tem da profissão contábil ............................. 20 Quadro 02: Referente às Características de perícia e Auditoria .............. 50 Quadro 15: Referente o motivo que leva você a escolher a área de perícia contábil 51 Quadro 16: Referentes aos bacharéis em ciências contábeis devam exercer atividade de perito contador .............................................................. 52 .............. 29 Quadro 04: Referentes ao Honorários .............................................. 23 Quadro 03: Referentes aos Direitos e Deveres do Perito ............................................................... 49 Quadro 13: Referente valor dos honorários recebidos ...............

7 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS CPC – Comitê de Pronunciamentos Contábeis CFC – Conselho Federal de Contabilidade NBC – Normas Brasileiras de Contabilidade CPIs – Comissões Parlamentares de Inquérito NBC PP1 – Normas Brasileira do Perito Contábil NBC P 2 – Normas Profissionais do Perito Contábil NBC T 13 – Normas técnicas da Perícia Contábil SC – Santa Catarina PMC – Prefeitura Municipal de Criciúma .

................................2 Objetivos da Pesquisa ...........................9........................................................................................................................... 26 2...............................7 Honorários Profissionais ................................................................................1 Penalidades ........................................................8 SUMÁRIO 1. 34 2...... 18 2........................5 Ônus da Prova .....................2..... 17 2...............................................................4....................9........................................................................................ 40 2................................2 Zelo Profissional ........................9.................................6 Perito Contador ..9................................................................................... 39 2.... 21 2...................2 A Perícia Contábil .1 Objetivo da Perícia Contábil ...........................................4 Classificações de Perícia Contábil ........................................................................................................................................... 30 2.................2 Substituição do perito................................................2 Perícia judicial .......................................................................................................3 Justificativa............................6 Responsabilidade do Perito ........................................................................4 Perícia arbitral ..... 11 1...4................................................................................................8 Laudos Periciais ..... 42 ................................9............................... 10 1....................................1 Perito Contador Assistente .....................4................... 17 2.........4 Meios de prova ....4 Metodologia ...........6......................................................... 28 2...........3 A Prova Pericial ......9.............. 24 2.........9.....................................................................9... 14 2....................................10 Perícia Contábil em Processo Trabalhista ...............................3 Normas Profissionais do Perito ..............................................................5 Perícia e Auditoria ......1 Aspectos Históricos .........................................................................................................1 Mercado de Trabalho .......................................................................... 33 2......................................................................................................................1 Perícia Semijudicial ....................................................................... 33 2....................... 30 2.................. 19 2......................... INTRODUÇÃO ....................7......................... 11 1................................... 28 2.......8 Sigilo Profissional ...................................................10....................................7 Recusa................................................................................................................... 35 2...................4........................... 31 2....................1 Tema e Problema ............3 Perícia extrajudicial ........ 25 2.. 12 2.................................. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA .......................................... 18 2... 15 2.............. 22 2................. 21 2.................................. 14 2................... 27 2..................9 Direitos e Deveres do Perito................................... 10 1.......................................

.............................................. 43 3....................................................................................... 52 4........................................ 58 ANEXO A – Resolução do CFC nº 1..243/09 ...................................................................... como perito do juiz e que muitos optam em exercer a este tipo de trabalho por uma profissão desejada e pelo ganho financeiro......... 55 APÊNDICE – Questionário Aplicado a Pesquisa .................................................................................. ..................................9 3............................................. 61 ANEXO B – Resolução do CFC nº 1................. 79 .................................................................... 43 Como se viu........... CONSIDERAÇÕES FINAIS ...............................1 Análise de Dados ........ os quadros mostram que o campo de atuação do perito contábil na região de Criciúma-SC e bastante vasto...........................244/09 ....... 53 REFERÊNCIAS ................................ ESTUDO DE CASO ...................................... e venho por meio deste trabalho dizer que a pesquisa foi alcançada descrevendo no decorrer desta amostra de quadros os principais trabalhos e fases em que o perito participa no âmbito trabalhista...... e com ganhos consideráveis.....

observados pelos peritos no desenvolver de seu trabalho. Com a busca cada vez maior pelo conhecimento dos profissionais da área contábil para uma menor margem de erro. A perícia contábil trabalhista é executada por contadores. trazendo também a contribuição e a metodologia aplicada no estudo de perícia contábil no âmbito trabalhista na região de Criciúma SC. no decorrer do trabalho pericial pode ser visto que é a figura do perito quem auxilia os juízes do . bem como seus objetivos gerais e específicos. INTRODUÇÃO Este estudo descreve os procedimentos e os requisitos técnicos e profissionais básicos a serem.1 Tema e Problema A contabilidade. teve que se aperfeiçoar e organizar-se para criar novos procedimentos tanto no controle patrimonial.10 1. acompanhado o mercado para assim alcançar a sua perfeição e ter um crescimento econômico financeiro. Para isso. na busca de novos profissionais para colherem bons frutos e resultados que agradem seus acionistas com um excelente desempenho profissional. o mesmo deve estar devidamente capacitado e atualizado. gerencial e financeira. A atual sociedade empresarial está mais exigente e organizada não se contentado com os resultados e serviços que não detenha qualidade. a fim de que suas respostas aos quesitos manifestadas no laudo não traga prejuízos a terceiros Neste capítulo será relatado o tema e o problema abordado nesta pesquisa. O trabalho do perito contábil tem como foco principal a verificação do patrimônio de pessoas físicas ou jurídicas. pois sua opinião é importante para o juiz ter uma tomada de decisão. 1. um profissional da perícia contábil deve se manter atualizado buscando acompanhar os avanços ocorridos na área. com o avanço da tecnologia. Assim o perito contábil também se especializa para oferecer seus serviços com maior qualidade possível.

e Investigar por meio de uma pesquisa de campo. Na Perícia contábil. tendo em vista seu conhecimento e imparcialidade na análise de processos cabíveis com suas funções no universo pericial. Assim levando a seguinte questão – problema: Qual a perspectiva de trabalho do perito contador no âmbito da justiça do trabalho no município de Criciúma-SC? 1. 41). 1. há uma técnica necessária para a execução dos trabalhos. p. junto a isso gostaria de esclarecer como é o universo da perícia contábil. Os objetivos específicos consistem em: • • • Caracterizar a perícia trabalhista conforme a literatura existente.2 Objetivos da Pesquisa Objetivo geral deste estudo consiste em verificar os principais procedimentos utilizados na perícia trabalhista e quais os conhecimentos necessários a execução desta atividade.3 Justificativa A perícia contábil trabalhista vem se destacando no mercado de trabalho de atuação do contador como uma área ampla e promissora. qual a visão profissional do perito contador no âmbito da justiça do trabalho no município de Criciúma SC.11 trabalho. sendo um importante ramo da contabilidade. Segundo Figueiredo (2003. formação necessária da classe e levantamento e conhecimentos específicos das documentações a serem analisadas. a perícia contábil é “o conjunto de procedimentos técnicos e científicos destinados a levar informações de prova . Abordar a perícia no âmbito da justiça do trabalho.

1992 que introduziram alterações relativas à perícia e aos peritos. os fatos são observados. de acordo com as normas jurídicas e profissionais”. 1.124). mas porque a ética faz parte da própria ciência contábil. registrados. construção civil. este estudo visa a contribuir de forma teórica com a ciência contábil.4 Metodologia Neste tópico apresentam-se os procedimentos e tipo metodológico a ser desenvolvidos neste trabalho e a postura de autores relacionados com o assunto apresentado. sem que o pesquisador interfira . Desta forma. p. na separação conjugal. em especial. A contribuição prática deste estudo se concentra na divulgação dos conhecimentos que um perito deve ter nas diversas etapas de uma perícia contábil trabalhista. e de que forma poderá auxiliar aqueles que trabalham na área com novos esclarecimentos. fraudes em grandes e renomadas instituições financeiras e ate mesmo no âmbito familiar. sendo encontradas publicações que englobam o tema sem devido enfoque especial e aprofundado. mas principalmente na profissão contábil. visualizamos a ocupação de espaço significativo na mídia quanto ao trabalho executado por profissionais e. bem como para os estudantes que visam atuar nela. Nesse tipo de pesquisa bibliográfica. 08.12 necessárias para auxiliar a decisão do juiz no processo. quer na área medica. Após edição da lei 8455. quanto abrange grandes fortunas. Para Hoog (2005. os seus resultados querem na área de engenharia. igual importância tem na área contábil envolvendo fatores como aferição de contas relativas às campanhas políticas. e tem por objetivo responder o problema elaborado neste trabalho. analisado. A perícia trabalhista é especificamente uma área de poucos estudos. O respeito à ética deve estar envolvido no exercício de qualquer profissão. a bibliografia é considerada escassa. classificados e interpretados. p. acidentes aéreos. Este estudo tem uma relevância social ética.48) descreve que. e essa escassez bibliográfica dificulta aqueles que necessitam e não pertence à área para adquirir uma visão mais clara e precisa sobre aspectos contábeis. não somente por interesses de pessoas indiretamente ligadas ao patrimônio. de 24. pois a perícia visa apresenta a verdade dos fatos. De acordo com Andrade (2005. especialmente nos casos de atentado contra a vida e a honra.

compreender a classificar os processos dinâmicos vividos por grupos sociais. . mas não manipulados pelo pesquisador. à tipologia utilizada será o estudo de caso.13 neles. que será um levantamento de dados. realizado principalmente por meio de materiais já elaborados. Quanto aos procedimentos. 52). Isto significa que os fenômenos do mundo físico e humano são estudados. artigos de internet e outros meios utilizados como apoio para este estudo como interrogações a peritos contadores. em maior nível de profundidade. Em relação à tipologia quanto à abordagem do problema. Os estudos qualitativos podem descrever a complexidade de determinado problema e a interação de certas variáveis. será utilizada a pesquisa qualitativa por não utilizar no tratamento das informações de técnicas estatísticas. o estudo terá característica quanto ao objetivo de pesquisa descritiva de abordagem qualitativa. diante destes instrumentos escolhidos que devem contribuir para o alcance dos objetivos propostos. Dessa forma. Segundo Diehl e Tatim (2004. o entendimento das particularidades do comportamento dos indivíduos. A pesquisa consiste em um estudo bibliográfico. p. desenvolvido por meio de pesquisa descritiva bibliográfica. um questionário onde os peritos contadores apontaram as principais atividades e como esta o mercado em que ele trabalha. tais como: livros revistas. sendo relevante esclarecerem o problema e aprofundar o tema através da análise de exemplo prático. contribuir no processo de mudança de dado grupo e possibilitar.

dando o norte para as empresas. as normas profissionais do perito. o Clero (sacerdotes). Por fim. Inicialmente descreve-se a perícia contábil. Segundo Drummond. impedimentos. análises de provas e documentos vêm para contribuir para a sociedade. o exército (militares). seus aspectos históricos e seu conceito. é esclarecida a figura do perito contador e a nomeação do perito contador assistente.14 2. em segundo lugar. as principais diferenças entre perícia e auditoria. A perícia por meio de verificações. os arqueólogos informaram que o Egito Antigo (6000 anos a. a Contabilidade (escribas). esses foram os primeiros a apresentar a conta de lucros e perdas. Em seguida. as espécies de perícia com ênfase à perícia contábil no âmbito trabalhista. um rei/deus.1 Aspectos Históricos A contabilidade como umas das profissões mais antigas vem se adequando com o dia a dia das sociedades. Na hierarquia daquele povo o escriba pertencia ao corpo de fiscais do Estado. aborda-se a perícia contábil em processo trabalhista. substituição. em quarto lugar. Mas foram os gregos 2000 anos a. e assim podemos observar a seguir. p. hoje ela é umas das profissões mais importante para as organizações empresarias. como segue: em primeiro lugar o Faraó. desde muito tempo ela e executada por profissionais que trazem benefícios para a sociedade. Zanna (2005. responsabilidade do perito e honorário profissional. 19) descreve que. Na seqüência.C) dispunha dos escribas que faziam anualmente as contas do Estado e o balanço da economia. que aperfeiçoara os controles contábeis egípcios e os aplicaram também às atividades privadas.. a muitos relatos na Índia e na Grécia que como podemos ver a seguir. a recusa da realização do trabalho. em terceiro lugar. e. ocupava a quarta posição. .C. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Neste capítulo será abordada a fundamentação teórica desta pesquisa. A profissão de contador é uma das mais antigas. não mesmo ela vem desde muitos anos. aproximadamente. (1995). 2.

Com a evolução da civilização o poder saiu dos antigos líderes e assim a perícia tornou-se mais independente até chegar aos dias atuais. Antigamente. 17) “fala que a perícia contábil e a verificação de fatos ligados ao patrimônio individualizado visando oferecer opinião. com a regulamentação da profissão contábil através do Decreto-lei 9. o líder dos grupos desempenhava o papel de perito. institucionalizou-se a Perícia Contábil. Somente com o desenvolvimento jurídico no Ocidente foi que a figura do perito desvinculou-se da pessoa do árbitro. p. destreza. Na Índia. na realidade. Grécia e Egito há registros de que o perito era eleito pelas partes para desempenhar não apenas o papel de perito. O que ocorria era que esse trabalho não era regulamentado. 14) “a expressão perícia advém do latim peritia. mas também de juiz. foi somente a partir da promulgação do novo Código de Processo Civil de 1973 que a perícia passou a contar com regras claras e ordenação jurídica conveniente. experiência.15 Segundo Sá (2000. legislador e executor dos assuntos que precisavam de seu auxílio ou aprovação. vistoria de caráter técnico-especializado". Lopes de Sá (2000. Entretanto. no início da civilização. pois o laudo do perito era aceito como a própria sentença. Foi no Direito Romano primitivo que a figura do perito passou a existir de fato apesar de continuar ligada a de árbitro. é fácil se supor que poucas autoridades.CPC de 1939.245. com o objetivo de esclarecer dúvidas sobre a matéria em questionamento. p. faziam uso de peritos. mediante . bem como experiência”. Mas. A Perícia foi introduzida oficialmente no Brasil através do Código de Processo Civil . públicas ou privadas. 2.2 A Perícia Contábil Perícia contábil é uma análise técnica de fatos ligados à área contábil. O professor Lopes Sá (2004. p. Isto não significa dizer que antes não existissem peritos e trabalhos de perícia. que em seu sentido próprio significa conhecimento adquirido pela experiência. 28) acrescenta que significa também “habilidade em alguma arte ou profissão. nesta época. exame. Em 1946.

mediante o esclarecimento dos aspectos e dos fatos do litígio por meio de exame. Para tal opinião realizam-se exames. definindo que o objetivo da ciência contábil é o patrimônio. logicamente. investigações. arbitramento. p. inclusive arbitral. ou certificação. para o ordenamento da instância decisória. Assim o trabalho do perito contábil fica voltado para trazer a verdade de algo que esta sendo discutido por partes interessadas. através de sua materialização o laudo. extrajudicial. coisas ou fatos e que tenham como objetivo o patrimônio de qualquer pessoa física ou jurídica e que possa servir de grande relevância a sociedade.CFC nº 1. prova ou demonstração. .46) destaca. prospectivos ou externos. 48). no âmbito judicial. vistorias. Já Alberto (1996. esta Norma estabelece regras e procedimentos técnico científicos a serem observados pelo perito. quando é veracidade de situações. estatais ou privadas.50) ressalta que. Para Alberto (1996. Resolução do Conselho Federal de Contabilidade . avaliações. avaliações. judicial ou extrajudicialmente. seja elas físicas ou jurídicas formalizadas ou não. investigação. indagação.243 publicada em 18 de dezembro de 2009. p. Segundo as Normas Brasileiras de Contabilidade. a perícia contábil e a atribuição de quem é especialista em determinado assunto e possuidor de qualidades e técnicas superiores aos demais profissionais da área contábil. investigações. arbitramentos. arbitramento. a perícia contábil tem por objetivo geral a constatação. descreve que perícia é um “instrumento técnico científico de constatação. envolvendo valores em que o perito com seu conhecimento. vistoria. A perícia será voltada à contabilidade quando refere a exames. situações. vistorias.” Sendo assim.16 questão proposta. avaliação. transferindo-o. inferir que a perícia será de natureza contábil sempre que recair sobre elementos objetivos. constitutivos. já podem. p. quando da elaboração de perícia contábil. do patrimônio de quaisquer entidades. indagações. prova ou demonstração contábil da verdade real sobre seu objeto. Nesse sentido Alberto (1996. coisas ou fatos das relações efeitos e haveres que fluem do patrimônio de quaisquer entidades. vai analisar o correto destino ou com quem deve ficar assim auxiliando o juiz na tomada de decisão. em suma todo e qualquer procedimento necessário à opinião”. indagações.

2. (Anexo A).3 Normas Profissionais do Perito As Normas Brasileiras de Contabilidade estabelecem a conduta profissional e os procedimentos técnicos a serem observados quando da realização dos trabalhos que estão previstos na Resolução CFC nº 857/99. . 23) “a perícia é um meio elucidativo e de prova que a legislação admite. é o parecer de profissional entendido na matéria em julgamento. Como meio de prova é o testemunho humano da existência e veracidade de coisas e fatos. habilidades profissionais. impedimento do exercício da atividade.244 de 18 de dezembro 2009 pelo Conselho Federal de Contabilidade. recusa. foi reformulado pela Resolução CFC nº 1. Normas profissionais de perito contábil.1 Objetivo da Perícia Contábil O objetivo da perícia contábil é demonstrar através de análises de documentações a verdade dos fatos. A perícia contábil tem um grande papel na sociedade através de sua seriedade e comprometimento dos profissionais envolvidos. honorários profissionais. Para Magalhães (2001. do sigilo. trata da competência técnico profissional.”. independência. p. 51) “o maior objetivo da perícia contábil é a verdade sobre o objeto examinado. educação continuada. responsabilidades e zelo. Segundo Alberto (2000. utilização do trabalho de especialistas. p. São classificadas em profissionais e técnicas e caracterizam-se pela nomenclatura NBC. que estabelecem conceitos doutrinários: a) NBC PP 1. demonstrando transparência nos trabalhos executados. é a opinião autorizada de quem conhece a espécie questionada. e como parecer. é a transferência da verdade contábil para o ordenamento da instância decisória”. e seu objetivo maior e a verdade dos fatos mostrando para a população o grande trabalho executados por diversos profissionais de nossa região. 2. e NBC P 2. impedimento e suspeição.17 2.

Perícias Administrativas e Perícias Especiais. pericia extrajudicial e pericia arbitral.243 publicada em 18 de dezembro de 2009. Perícia extrajudicial. (Anexo B). autoridades administrativas ou parlamentares. Assim. neste trabalho serão abordados quatro tipos de perícia contábil mais comum. reformulada pela Resolução CFC nº 1. Perícia arbitral. No decorrer do trabalho serão expostos os conceitos de forma detalhada das perícias contábeis conforme os autores pesquisados e a sua forma de utilização. Pericia semijudicial.4 Classificações de Perícia Contábil Neste capítulo serão explanadas as diferentes formas de perícia contábil e suas aplicações e especificações junto com os autores pesquisados. no entanto os autores estabelecem o mesmo objetivo. Normas técnicas de perícia contábil. mas. observando as regras legais que . pericia semijudicial. podemos observar que os autores citados apresentam formas diferenciadas de classificação de perícia.18 b) NBC T 13. a apresentação de provas e fatos verídicos para a solução dos conflitos em litígio. Que são: • • • • Pericia judicial. 2. Alberto (2000) apresenta a perícia contábil como perícia judicial.1 Perícia Semijudicial Perícia Contábil semijudicial é realizada por estatais. planejamento. Sá (2004. conforme a resolução 858/99 de 21 de outubro de 1999. laudo pericial contábil e parecer pericial contábil. procedimentos. p. 7) classifica as perícias em três grandes grupos gerais: Perícias Judiciais.4. trata do conceito e objetivos. execução. 2. por meios políticos.

têm algum poder jurisdicional para exercer esta atividade. 54).” Conforme Zanna (2005. Classifica-se semijudicial. ou seja. como parlamentares e administrativas.19 regem a perícia contábil. em que o juiz nomeia um perito especialista. em administrativo tributário. no âmbito do Tribunal de Impostos e Taxas e pode acontecer. no âmbito de Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) e inquéritos administrativos. 2005) Dessa forma. ou seja. “a perícia semijudicial é aquela realizada dentro do aparato institucional do estado. em parlamentar nas comissões parlamentares de inquérito ou especiais. por requerimento. verifica-se que essa modalidade de perícia qualifica-se como semijudicial. p. Na perícia judicial. autoridades governamentais possuem o poder jurisdicional e podem realizar inquéritos e solicitar a perícia contábil semijudicial. p. podendo ser determinada diretamente pelo juiz dirigente do processo ou a ele requerido por uma das partes interessadas. e policial nos inquéritos. pois as autoridades políticas. p. 2004. (ZANNA. os exames são na maioria das vezes específicos e recaem sobre os fatos que já se encontram em discussão no processo” (SANTOS. os ditames do CPC e das NBC’s aplicáveis a cada caso. tendo como finalidade principal ser meio de prova nos ordenamentos institucionais. pois se subdivide conforme o aparato estatal atuante. por exemplo. “A perícia judicial tem sua origem na ação posta em juízo. 86). esta é realizada por instituição governamental fora do poder judiciário. no círculo da administração pública tributária ou conselho de contribuinte.2 Perícia judicial A perícia judicial surge em uma ação judicial. esta espécie de perícia contábil ocorre. 2. De acordo com Alberto (1996. 53). onde pode ser nomeado pelo juiz ou pelas partes interessadas no processo em questão.4. . Seguem as determinações do magistrado ou autoridades equivalentes segundo os poderes da Republica em que acontece o trabalho pericial. originase sob a esfera jurídica. Seguindo as regras da área judicial. porém fora do poder judiciário.

Avaliação determinar o valor das coisas. esclarecimento o juiz sobre assuntos em litígio que merecem seu julgamento. Hoog (2005) descreve. com a finalidade de proporcionar informações precisas para a solução do quesito que esta sendo julgado. bens. 53) esclarece que a realização da perícia judicial ocorre “por determinação.” Alberto (1996. . p. como principais: nas varas de falências e concordatas. 420 do CPC. requerimentos ou necessidade de seus agentes ativos e se processa segundo regras legais específicas. obrigações. nas varas de família. p. objetivando fatos relativos ao patrimônio aziendal ou de pessoas. A avaliação tem por finalidade quantificar determinado bem. despesas e receitas. e.” No quadro abaixo é demonstra-se cada uma das etapas da perícia contábil para melhor visualização: Exame O exame destina-se normalmente à análise de livros e documentos. nas varas da fazenda pública e execuções fiscais. os ditames do CPC e as NBC’s e aplicáveis a cada caso. direitos. Vistoria Já a vistoria objetiva a verificação e a constatação de situação. p. coisas ou fato de forma circunstancial. na justiça federal e na justiça arbitral. ou seja.” Segundo Sá (2004. sua avaliação. Quadro 01: Referentes aos Procedimentos de Perícia Fonte: Art. na esfera judicial.20 Segundo Zanna (2005. Assim percebe-se que a perícia judicial é utilizada em diversas esferas. 53) “a perícia judicial é que acontece no âmbito do Poder Judiciário e segue as determinações do magistrado. 57) “a perícia contábil judicial é a que visa a servir de prova.

com o intuito de desvendar as dúvidas. desvios. também)”. desvios. tais como: suspeitam de fraude. vale dizer – no sentido estrito. 54). porém possui valor da perícia judicial. e estabelecida pela vontade das partes. e no terceiro caso. ou seja.21 2. cuja modalidade não é solicitada pela justiça. . sendo solicitada por vontade das partes. não sendo preciso entrar em um longo processo judicial. e avaliações de ativos.] já no segundo caso esta via é instalada a colocar nos justos termos os interesses de cada um dos envolvidos na matéria potencialmente duvidosa ou conflituosa. Já Alberto (1996. 54) destaca ainda que.4 Perícia arbitral A perícia contábil é realizada por um perito. a perícia extrajudicial é aquela realizada fora do Estado. 53) esclarece que “perícia extrajudicial tem por objetivo esclarecer pontos de discórdia entre pessoas que querem atingir o entendimento sem utilizar recursos judiciais ou arbitrais.” A perícia extrajudicial através de iniciativa das partes interessadas podem com o auxilio do perito contador desvendar e analisar o que esta em questão. p. quando visa á comparação das manifestações patológicas da matéria periciada (fraudes.. Zanna (2005. por necessidade e escolha de entes físicos e jurídicos particulares – privados. podendo assim ser resolvido com uma maior agilidade entre as questões discutidas e agradando de forma expressa as partes.4. por necessidade e escolha de entes físicos e jurídicos particulares privados. 2. não subjetiveis a outra pessoa encarregada de arbitrar a matéria conflituosa [. não submetíeis a outra pessoa encarregada de arbitrar a matéria conflituosa (fora do juízo arbitral. vale dizer no sentido estrito. p. explica que a “Perícia Extrajudicial é aquela realizada fora do Estado.). ou seja. erros. Alberto (2000. p.3 Perícia extrajudicial A extrajudicial é aplicada fora do âmbito judicial.4. simulações etc..

54) destaca que essa é uma “instância decisória criada pela vontade das partes.” . como critério habitual. espaços.” Dessa forma. a auditoria tende a ser a necessidade constante. efeitos. p. 2. Sá (2000. 29) “a perícia contábil não é o mesmo que auditoria contábil. onde o árbitro atua com formas parecidas com a do poder judiciário. fatos e com base possam tomar decisões específicas no andamento de um processo. O trabalho pericial na sua conclusão tem a finalidade de apresentar respostas aos questionamentos realizados pelas partes para esclarecimento dos dados. não sendo enquadrável em nenhuma das anteriores por suas características especialíssimas de atuar principalmente como se judicialmente extrajudicial”.5 Perícia e Auditoria A perícia contábil muitas vezes é confundida pelos leigos no assunto da área contábil. a uma necessidade. 54) “a perícia arbitral é aquela realizada no juízo arbitral-instância decisória criada pela vontade das partes”. a gestão como algo em continuidade. É semelhante à perícia judicial e acontece em ambiente semelhante parecido ao da perícia extrajudicial. atingindo um número muito maior de interessados. p. onde o árbitro desempenha a função do juiz. a perícia serve a uma época. p. tem caráter e eventualidade. A arbitragem é um meio de solução de conflitos extrajudicialmente. pois são métodos totalmente diferentes que será visto no decorrer deste capítulo. pois variam em causas. 28) enfatiza que. com a ênfase de distinção de trabalho do contador na carreira contábil. A auditoria tem como objetivos normais a maior abrangência. tempo e metodologia de trabalho. Para Zanna (2005. p. a um questionamento.22 De acordo com Alberto (2000. Alberto (1996. a fim de solucionar conflitos. “a perícia arbitral tem a finalidade de servir ao árbitro escolhido pelas partes. 54). só aceita o universo completo para produzir opinião como prova e não como conceito. p. sem necessidade de rigores metodológicos tão repele. enquanto a perícia se prende á especificidade. Para Sá (2000. entende-se que a perícia arbitral ocorre extrajudicialmente.

Não se repete. Art. profissional de nível universitário (CPC. 8 – o seu objeto é a segurança dos controles internos 5 – sua análise é irrestrita e abrangente. 6 – objetivo do trabalho: emissão de parecer de auditoria. é um prestador de serviços contratado pela empresa com independência e responsabilidade civil e criminal sobre a opinião. 4 – pode ser específica ou não. administradores.23 A auditoria permite maior delegação na execução de seus trabalhos direcionada à revisão de procedimentos realizados. como exemplo: auditoria de balanço. 6 – objetivo do trabalho: emissão de laudo pericial. exemplo: auditoria de recursos humanos ou em toda a empresa. por exemplo. especificados pelo contador judicial. 2 – tende à necessidade constante. 117). É contínua e repetitiva. . Responde cível e criminalmente pelo resultado de sua opinião. apuração de haveres na dissolução de sociedade. 4 – é específica. Quadro 02: Referente às Características de perícia e Auditoria Fonte: Hoog e Petrenco (2004. observa os atos e fatos mais significativos pela sua relevância. 3 – a perícia se prende a uma ao caráter científico de uma prova com o objetivo de esclarecer controvérsias. p. questionamento específico. E tem autoridade e independência de juízo acadêmico concedida pelo juiz. 2 – a perícia serve a uma época. 145). 7 – usuários de serviços: as partes e principalmente a justiça. 7 – usuários do serviço: sócios. 5 – Feita por amostragem. 3 – a auditoria se prende a continuidade de uma gestão. 8 – o seu objeto é a prova de um fato ou ato. é específica. restrita aos quesitos e pontos controvertidos. relatório de auditoria para orientação preventiva ou corretiva. parecer sobre atos e fatos contábeis. Não tem autonomia. repetindo-se anualmente. No quadro abaixo são demonstradas as principais diferenças entre perícia contábil e auditoria: Perícia 1 – executada somente por pessoa física. Auditoria 1 – pode ser executada tanto por pessoa física quanto por pessoa jurídica. investigadores.

p. treinamento. intelectualmente.244 (2009. Normas Brasileiras de Contabilidade. competência técnico-científica pressupõe ao perito manter adequado nível de conhecimento da ciência contábil. cultural. da matéria periciada. o CFC nº 1. na forma a ser regulamentada . normas profissionais. legal. o perito deve manter-se sempre atualizado e comprovar a participação em cursos assim determina o CFC nº 1. exame. arbitramento etc. é ele que traz a verdade dos fatos e auxiliando no meio judicial ou não na resolução de litígios como podemos observar no decorrer deste capítulo.6 Perito Contador O perito contador é o profissional encarregado de exercer os trabalhos periciais. Assim descreve a Resolução do . analisar. mediante programas de capacitação. sintetizar e fundamentar a prova no laudo pericial contábil e no parecer pericial contábil. p. devendo ser profundo conhecedor. das técnicas contábeis. auditoria é mais revisão e a perícia mais produção de prova por verificação. das Normas Brasileiras de Contabilidade. “O perito precisa ser um profissional habilitado. b) realizar seus trabalhos com a observância da equidade significa que o perito contador e o perito-contador assistente devem atuar com igualdade de direitos. por suas qualidades e experiências. p.244 (2009. que exerce a atividade pericial de forma pessoal. também. da legislação relativa à profissão contábil e aquelas aplicáveis à atividade pericial. 2. educação continuada e especialização. permanentemente. Quanto à educação continuada. 2). mas se diferenciam uma da outra com suas particularidades de trabalho. e exercer virtudes morais e éticas com tal compromisso com a verdade. 5).2) fala da competência do perito. Para tanto. no exercício de suas atividades. inerentes à profissão contábil.” Podemos observar com a ajuda do quadro acima que a auditoria e a perícia estão ligadas a ciência contábil.24 De acordo com Sá (2000.” (SÁ. deve demonstrar capacidade para: a) pesquisar. atualizando-se.” O contador deve manter-se atualizado para o exercício da profissão conforme legislação vigente. “que o perito é o contador regularmente registrado em Conselho Regional de Contabilidade. p. 2000. 21). adotando os preceitos legais. p.244 (2009.CFC nº 1. 29) “a auditoria permite maior delegação. deve comprovar a participação em programa de educação continuada. que a perícia contábil. “O perito. examinar.

“Perito-contador assistente é o contratado e indicado pela parte em perícias contábeis. pois os mesmos são contadores de confiança dos contratados entre as partes.244 (2009. quando parte do objeto do seu trabalho assim o requerer. onde acumula vários processos e requerem . devendo este recusar os serviços sempre que reconhecer não estar capacitado a desenvolvê-los. Conforme a Resolução do CFC nº 1. razão pela qual o profissional só deve aceitar o encargo se reconhecer estar capacitado com conhecimento suficiente. p.244 (2009. 4) com relação ao perito contador assistente.6. 2. Assim descreve a Resolução do CFC nº 1. em processo extrajudicial. a indicação ou a contratação de perito-contador assistente ocorre quando a parte ou contratante desejar ser assistida por um contador. ou comprovar algo que dependa de conhecimento técnico-científico. pois o mercado de trabalho do contador e muito amplo e muda de cenário constantemente.” Ainda de acordo com a Resolução do CFC nº 1. 3). A contratação do perito contador assistente se dá quando as partes têm a necessidade de acompanhamento do trabalho do perito contador. p.25 pelo Conselho Federal de Contabilidade. discernimento e irrestrita independência para a realização do trabalho. inclusive arbitral. contemplada a utilização de serviços de especialistas de outras áreas. com capacidade e habilitação profissional para auxiliar nos trabalhos periciais dando assim melhor condição para ser executado o trabalho onde geralmente as partes tem um grande interesse no assunto que esta sendo discutido no âmbito trabalhista. devem ser consideradas como distinção e reconhecimento da capacidade e da honorabilidade do contador. Nesse sentido. em processos judiciais e extrajudiciais.1 Perito Contador Assistente O perito contador assistente para a realização dos trabalhos periciais deve seguir as regras listadas acima para o perito contador. o assistente técnico não sofre impedimentos para o exercício das atividades. A indicação ou a contratação para o exercício da atribuição do perito contador assistente. Com isso podemos observar que a profissão exige que o profissional contábil exija sempre estudando e buscando o conhecimento não podendo ficar para traz. 4).244 (2009. p.

2. De acordo com Hoog (2004. Dessa forma. p. b) indisponibilidade de tempo. ao ser nomeado. O profissional deve comunicar imediatamente o juiz .244 (2009. e) e ainda na hipótese de que a nomeação deveria ter sido feita para profissional de formação acadêmica diversa. p. objeto da perícia não for de seu total domínio. devem ser consideradas como distinção e reconhecimento da capacidade e da honorabilidade do contador. d) se a matéria. requerendo que o Dr. deve o perito formalizar a sua recusa sob a forma de uma petição.7 Recusa O perito contador e o perito contador assistente devem recusar-se dos trabalhos que lhe foram indicados sempre que não se sentirem capazes de exercer as atividades periciais. engenheiro.26 profissionais capacitados para um trabalho de extremamente importância para a sociedade de nossa região. 69).” neste caso. Juiz venha a desobrigá-lo da honrosa incumbência. 2005. contemplada a utilização de serviços de especialistas de outras áreas. Deve o profissional impedido fazê-lo por escrito no prazo máximo de cinco dias da sua intimação [. verifica-se que o perito. como exemplo.7. médico. quando parte do objeto do seu trabalho assim o requerer. 2. em processo extrajudicial.] se o perito não o fizer no prazo. bem como demonstrar as razões de sua recusa. que podem ser: a) Estado de saúde. químico. caso contrário. está obrigado a cumprir a tarefa. assim descreve a Resolução do CFC nº 1. p.1 Impedimento ou Suspeição do Perito No impedimento ou suspeição. devendo este recusar os serviços sempre que reconhecer não estar capacitado a desenvolvê-los.. este ficará automaticamente obrigado a cumprir com os trabalhos periciais. 72) “existem fatores de recusa do honroso encargo. físico. possui um prazo para a recusa (ANEXO C) do encargo por diversos fatores listados acima. (HOOG.. c) falta de recursos humanos ou materiais para assumir o encargo. os motivos que influenciam o perito são de fatores externos e de terceiros. 4) a indicação ou a contratação para o exercício da atribuição de perito contador assistente.

p. do CPC. III. 242. Sá (2008. Segundo Hoog e Petrenco (2004. ou de qualquer parente de seu. ou de seu cônjuge. 66) os motivos de suspeição e impedimentos são os mesmos aplicados ao juiz conforme artigos 134 e 135 do CPC. ou linha colateral ate o segundo grau. p. • por pedido do próprio auxiliar da justiça. mas deve fazê-lo dentro de cinco dias a partir da data que foi notificado de sua designação. • por pedido da parte alegando suspeição ou impedimento. p. 63) destaca que “a recusa deve ser comunicada ao juiz. pois. 2. • Quando o perito for parte no processo. • Quando nele tiver postulado como advogado de uma das partes. quando então será nomeado outro perito para substituir ou preencher a função. • Quando alguma das partes for credora ou devedora do perito.2 Substituição do perito A substituição do perito ocorre quando não houver conhecimento suficiente para o exercício da atividade para a qual foi designado. . • Tiver parentesco próximo com uma das partes. 64) “um perito pode recusar-se a aceitar a pericia para qual foi nomeado ou indicado. quando não cumprir o prazo de entrega do trabalho pré estabelecido pelo juiz. I. se ele identificar-se com alguns deles estará impedido de realizar a perícia. • Tiver interesse direto ou indireto com o julgamento da causa. CPC. em linha reta. demonstrando um ato de dignidade se o mesmo denunciar o seu impedimento. com a justificativa. por escrito.27 ou a parte interessada poderá denunciar o impedimento ou suspeição. • Ser amigo ou inimigo dos litigantes. 138. conforme art.” Segundo o autor as principais causas de impedimentos são: • Quando o perito tem relação profissional ou manteve-a os últimos cinco anos com qualquer das partes. 73) descreve que o perito poderá ser substituído pelo juiz nas seguintes situações. O perito deve estar atento a todos esses itens. do seu cônjuge ou de parentes deste. Neste contexto. consangüíneo ou afim. • Quando prestou depoimento como testemunha. Art. • ou a pedido da parte quando alega que o perito não dispõe de conhecimento técnico/científico. Segundo Sá (2004.7.” “Conforme Hoog e Petrenco (2004. p.

2. O dever de sigilo subsiste mesmo na hipótese de o profissional se desligar do trabalho antes de tê-lo concluído. Art. 2005). e assumem compromisso de sigilo profissional semelhante. proibida a sua divulgação. (ZANNA. o perito contador e o perito contador assistente devem manter sigilo dos trabalhos realizados. 424.28 • falecimento do perito • sem motivo legítimo. CPC. 7). para efetuarem a fiscalização do exercício profissional devem ter competência legal similar à requerida do perito para o trabalho por ele realizado.8 Sigilo Profissional Ao serem nomeados para a realização dos trabalhos periciais. deixa de cumprir o encargo no prazo que lhe for assinado. podendo ser responder civil e criminalmente por seus atos no decorrer do processo que esta sendo discutido. p. Com isso. deve respeitar e assegurar o sigilo das informações a que teve acesso. o perito. em obediência ao Código de Ética Profissional do Contabilista. 2. verifica-se que o perito deve manter absoluto sigilo sobre o laudo pericial que está sendo analisado e somente em casos extremos o conteúdo do mesmo deve ser divulgado. O sigilo profissional somente poderá ser quebrado quando houver necessidade pelo perito de defender sua moral e ética mediante a autorização das partes envolvidas no processo.9 Direitos e Deveres do Perito Para exercer a função a qual lhe foi designada. Assim. assim determina a Resolução do CFC nº 1.244 (2009. o perito deve observar seus direitos e deveres. Os empregados designados pelo Conselho Federal de Contabilidade e Conselhos Regionais de Contabilidade. . verifica-se que o perito pode ser substituído por motivos que podem prejudicar o andamento do processo prejudicando as partes envolvidas. II. salvo quando houver obrigação legal de fazê-lo.

Informar apenas a verdade no interesse exclusivo da Justiça. p. por exemplo. (v) etc. (iv) por motivo de doença. f) atuar com total independência refutando qualquer tipo de interferência que possa cercear sua liberdade de atuação. Quadro 03: Referentes aos Direitos e Deveres do Perito Fonte: Zanna (2005. respondendo a todos os quesitos pertinentes inclusive aos quesitos suplementares quando houver. d) pedir livros e documentos ás partes d) comparecer à audiência quando e aos órgãos públicos em geral. c) investigar o que lhe parecer adequado para cumprimento de sua missão. sereno e sincero. podendo recorrer a fontes de informações. g) obter o reembolso de despesas g) ser leal ao mandato recebido. h) receber os honorários profissionais pelo serviço prestado. (i) da complexidade e ou da extensão dos trabalhos periciais em andamento. de peças e de documentos pertinentes á causa. convocado. 36) . b) desempenhar sua função por completo e com dignidade. (iii) exame de livros. condição de auxiliar da justiça. f) prestar esclarecimentos sobre o laudo consignado quando solicitado a fazê-lo. (iii) da quantidade de diligência externas que deverá fazer.29 São Direitos do Perito São Deveres do Perito a) recusar a nomeação justiçando tal ato a) aceitar a nomeação nos termos do despacho saneador b) requerer prorrogação do prazo para apresentar o laudo pericial contábil e para comparecer às audiências em função. (ii) do tempo necessário para que os livros e documentos cheguem ao seu escritório. (ii) inquirição de testemunhas. ser imparcial. incorridas durante a realização de seu respeitando e fazendo respeitar sua trabalho. tais como: (i) acesso aos autos. c) respeitar o prazo.

9. com relação à conduta.1 Penalidades O perito não cumprido o seu dever. c) pagar multa por não comparecer á audiência para a qual fora regularmente convocado. observando todos os itens que lhe competem com a responsabilidade e zelo profissional. calar-se na função de perito – pena de reclusão de 1 a 3 anos e multa. e) responder pelo prejuízo que causar á parte. o perito deve manter zelo. fizer afirmação falsa. a funcionar em outras perícias e incorrerá na sanção que a lei penal estabelecer. negar-se a falar a verdade. 9).9. p. Assim descreve a Resolução do CFC nº 1. responderá pelo prejuízo que causar à parte. a) ser substituído por qualquer motivo que o magistrado considerar justo. .2 Zelo Profissional Durante a realização dos trabalhos periciais. 37).30 Em todos os direitos e deveres fica o perito subordinado à realização do seu trabalho pericial.” Essas são algumas penalidades que o perito sofrerá em caso de faltar com a verdade. f) sofrer penalidades impostas pelo Serviço de Fiscalização Profissional do CRC – Conselho Regional de Contabilidade e ficar impedido de exercer a perícia contábil.244 (2009. documentos. 2. por dolo ou culpa. por dois anos. sofrerá penalidades conforme descreve Zanna (2005. p. ficará inabilitado. prestar informações inverídicas. b) pagar multa por não apresentar o laudo pericial no prazo previsto. O Art. prazo de entrega e outros. 147 do CPC instrui que “o perito que. d) nos casos em que violar o dever de lealdade para com a Justiça. As partes relacionadas ao litígio devem se convencer que o trabalho do perito contador é de extrema importância e respeito aos interessados tendo todo zelo e cuidado no trabalho executado. 2.

b) assumir a responsabilidade pessoal por todas as informações prestadas. seu trabalho levado a bom termo e. 26) orientam que “a função primordial da prova pericial é transformar os fatos relativos à lide. inclusive arbitral. podendo ratificar ou retificar o posicionamento anterior. o laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil dignos de fé pública. em relação à sua conduta. se natureza técnica ou científica. de forma que sua pessoa seja respeitada. segundo certas circunstanciam (metodologia) e em determinado local. prazos. g) ser receptivo aos argumentos e críticas. por meio da qual o individuo se convence a respeito de uma verdade ou de sua ausência. a prova é algo material ou imaterial. e atento às conseqüências advindas dos seus atos. e) propugnar pela celeridade processual. aos integrantes da lide e aos demais profissionais. p. Ornelas (2003. O zelo profissional do perito na realização dos trabalhos periciais compreende: a) cumprir os prazos fixados pelo juiz em perícia judicial e nos termos contratados em perícia extrajudicial. diligências realizadas. Com os itens descritos acima. c) prestar os esclarecimentos determinados pelo juiz ou pelo árbitro. 2. 1996). documentos. economicidade. tratamento dispensado às autoridades. fica evidenciado que para o cumprimento das atividades com zelo. A prova válida é a maneira pela qual cada um de nós atinge a certeza do que seja verdade ou não verdade. conseqüentemente. p. procedimentos adotados. É um dos instrumentos presentes na execução dos trabalhos periciais e é considerada como uma das provas admissíveis pelo direito (ALBERTO. valendo-se dos meios que garantam eficiência. segurança. quesitos respondidos. f) ser prudente.3 A Prova Pericial A prova é o instrumento onde se busca evidenciar a verdade dos fatos a serem analisados por meio de documentos. valores apurados e conclusões apresentadas no Laudo Pericial Contábil e no Parecer Pericial Contábil. no limite dos aspectos técnico-científicos.31 o termo “zelo” para o perito refere-se ao cuidado que o mesmo deve dispensar na execução de suas tarefas. é necessário que o perito contador observe as regras descritas pelas normas vigentes. 46) com relação à prova pericial. Conforme descreve Zanna (2005. aceitável ou inaceitável em certo momento.9. respeitados os prazos legais ou contratuais. em certeza jurídica”. o contraditório e a ampla defesa. publicidade dos atos periciais. em verdade formal. .

direitos e obrigações. A mensuração é o ato de qualificação e quantificação física de coisas. total ou parcialmente. não pode emitir parecer pericial contábil contrário ao laudo. A investigação é a pesquisa que busca trazer ao laudo pericial contábil ou parecer pericial contábil o que está oculto por quaisquer circunstâncias. O arbitramento é a determinação de valores ou a solução de controvérsia por critério técnico-científico. neste caso. 2. evidencia-se que a prova pericial é essencial para os esclarecimentos da matéria em julgamento. De acordo com Milhomens (1992. em laudo pericial contábil. quando solicitado. bens. A NBC P13 com a nova redação proporcionada pela Resolução do CFC 1. 2000. ao perito-contador assistente. fornecerá. a prova tem a finalidade de esclarecer as indagações que contém um processo judicial. 24) “a prova. de forma circunstancial. registros das transações e documentos. no significado comum e geral.5). direitos. A certificação é o ato de atestar a informação trazida ao laudo pericial contábil pelo perito-contador. 2009. 7. ao apor a assinatura. O perito-contador. depois de concluído seu trabalho. O perito-contador assistente não pode firmar o laudo pericial quando o documento tiver sido elaborado por leigo ou profissional de outra área. p. coisa ou fato. visa à demonstração de verdade. 1. Concluídas as diligências. 3. e o perito-contador assistente seu parecer pericial contábil. avaliação e certificação. mensuração. obrigações. 5.243/09 estabelece que:. vistoria. p. exame. Os procedimentos de perícia contábil visam fundamentar as conclusões que serão levadas ao laudo pericial contábil ou parecer pericial contábil. segundo a natureza e a complexidade da matéria. A indagação é a busca de informações mediante entrevista com conhecedores do objeto ou de fato relacionado à perícia. investigação. 7 apud ORNELAS. despesas e receitas. 10. arbitramento. pois dá sustentabilidade ao laudo pericial. O exame é a análise de livros. . O perito-contador assistente. 6.” Com isso. 8. conferindo-lhe caráter de autenticidade pela fé pública atribuída a este profissional. o perito-contador apresentará laudo pericial contábil. indagação.32 Portanto. cópia do laudo. A avaliação é o ato de estabelecer o valor de coisas. ao passo que a prova específica processual civil limita-se à produção de certeza jurídica. devendo. 13. e abrangem. apresentar um parecer pericial contábil sobre a matéria investigada. A vistoria é a diligência que objetiva a verificação e a constatação de situação. (CFC nº 1. informando-lhe a data em que o laudo pericial contábil será protocolizado. 11. 12. 4. 9. p. bens. em conjunto com o perito-contador. obedecendo aos respectivos prazos.243.

18) “Prova é tudo que nos convence da certeza de um fato ou de uma circunstância ou da qualidade de algo. quando ao fato constitutivo de seu direito. de meios de prova aceitos em direito. por isso.” . o dever de provar compete a quem alega a quem afirma ou nega determinados fatos da causa. inspeção. As provas geram a certeza a respeito do conflito proposto para decisão judicial ou arbitral. O Art. ou seja. “a palavra ônus é entendida pelos juristas pátrios não como dever para com outrem. 333 do CPC traz o seguinte pronunciamento. cálculo. 2.33 2. ao autor.9. Quem oferecer as provas mais convincentes fatalmente obterá sucesso. verificação. documentos. Quem afirma ou nega determinado fato é quem tem o ônus. p. seja a parte contrária seja o próprio magistrado.9. pareceres técnicos elaborados por profissionais contratados pelas partes. confissões e testemunhos. no Direito. p.4 Meios de prova A palavra prova em latim (Proba) significa prova. Destaca-se que os meios da prova são decisivos no laudo pericial contábil. tais como: alegação. constitui. argumento. p. os meios de prova são as convicções a que chega o magistrado diante dos fundamentos de fato apresentados pelas partes. quanto à existência de fato impeditivo. em matéria processual. São fatores que darão sustentabilidade e confiança ao juízo.” Ainda de acordo com Ornelas (2000. De acordo com Zanna (2005. 2010). Quem busca a proteção da justiça depara-se com a necessidade de produzir suas provas. modificativo ou extintivo do direito do autor. p. ensaio. são meios de prova aceitos pela justiça os meios materiais existentes nos autos. No sentido objetivo. 48). 2005. prova é “aquilo que serve para esclarecer uma verdade por verificação ou demonstração. 27). No sentido subjetivo.” (Dicionário Michaelis. a própria alma do processo ou a luz que vem esclarecer a dúvida a respeito dos direitos disputados. (ZANNA. A prova. exame. ao réu. 27). “ônus da prova incumbe.” os meios empregados para formar essa convicção são chamados. Assim descreve Ornelas (2000.5 Ônus da Prova O ônus da prova pericial contábil é de responsabilidade de quem a solicita.

escusar-se do encargo alegando motivo legítimo”. idoneidade e honestidade no desempenho de suas atividades. inclusive arbitral. p. atuando com lealdade. e o não cumprimento desta resolução ele poderá responde civil e criminalmente por este desvio de conduta implicando o afastamento do profissional. A terceira interpretação é que ônus da prova também tem o seu sentido de custo e de desembolso. criminal.” De acordo com o art. ética e profissionalmente por seus atos. sob pena de responder civil.34 Para o significado do ônus da prova Zanna (2005. todavia. A segunda interpretação. seja o autor ou o réu. Portanto quem deve apresentar essas provas e com base nelas buscar o sucesso na justiça. para produzir as provas há necessidade de contar com a contribuição profissional de pessoas especializadas que obtêm seus ganhos com este tipo de trabalho. no prazo que Ihe assina a lei. . quando no exercício profissional. às quais está sujeito no momento em que aceita o encargo para a execução de perícias contábeis judiciais e extrajudiciais. o perito deve conhecer as responsabilidades sociais. “o perito tem o dever de cumprir o ofício. 146 do Código do Processo Civil. decorrente da primeira. 2. O Art. Quanto melhor forem as provas. profissionais e legais.6 Responsabilidade do Perito O perito contábil e responsável pela guarda da documentação e o sigilo. deve arcar com o pagamento dos honorários e demais despesas decorrentes do serviço prestado. sua forma e as conseqüências danosas deles decorrentes. 1º do Código de Ética Profissional do Contabilista (2003. 62) traz três colocações. éticas. empregando toda a sua diligência.244 (2009. Ou seja. maiores serão as chances de vencer a contenda por quem as produziu. da ética e do direito. conforme descreve a resolução do CFC nº 1. refere-se á qualidade das provas carreadas aos autos. o perito deverá cumprir os ofícios aos quais foi designado. ou deu entrada aos processos judiciais. quanto mais convincentes. Com isso evidencia-se que o ônus da prova fica a cargo de quem solicitou a perícia contábil. pode.9. p. p. produzir as provas periciais. provar sua existência. 79) relata que “o código de ética profissional tem por objetivo fixar a forma pela qual se devem conduzir os contabilistas. O termo “responsabilidade” refere-se à obrigação do perito em respeitar os princípios da moral. a primeira interpretação é que cabe a quem alega ou nega os fatos ou os atos guerreados nos autos. mais convincentes elas serão e. É com base neste terceiro conceito de ônus da prova que se dá remuneração do trabalho prestado pelo perito judicial e pelos assistentes técnicos.8). Assim.

em colaboração com o Poder Judiciário aceitar o encargo confiado. o juiz na solução dos conflitos. dessa forma. ou escusar-se do encargo.9. indenização e inabilitação. apresentando suas razões.244. A responsabilidade ética do perito decorre da necessidade do cumprimento dos princípios éticos. Ainda de acordo com a Resolução do CFC 1. Assim sendo. distinção e zelo no que se refere ao trabalho para o qual o mesmo foi designado. civil e criminal.243/09. desde que se assegure igualdade de oportunidade à outra parte.8) Diante disso. p. O perito-contador no desempenho Gde suas funções deve propugnar pela imparcialidade.7 Honorários Profissionais O perito Contador é o profissional de contabilidade que realiza o trabalho técnico. p. sempre que possível e não houver prejuízo aos seus compromissos profissionais e suas finanças pessoais. quando solicitado. Ciente do livre exercício profissional deve o perito-contador. detenção e reclusão para os profissionais que exercem a atividade pericial que vierem a descumprir as normas legais. em especial. quer em juízo. (CFC nº 1. na condição de perito-contador do juízo. “o perito pode ser responsabilizado pela inveracidade de seu laudo. os estabelecidos no Código de Ética Profissional do Contabilista e nesta Norma. auxiliando. se comprovado dolo ou má fé. responsabilidades. verifica-se que compete ao perito agir com eficácia. 2. 2009. pelo . os seguintes: (a) atender a uma das partes ou perito-contadores assistentes. Responsabilidade e ética A responsabilidade do perito decorre da relevância que o resultado de sua atuação pode produzir para solução da lide. conforme descrito abaixo. dispensando igualdade de tratamento às partes e especialmente aos perito-contadores assistentes. quer perante aos conselhos de contabilidade”. (b) trabalho técnico-científico anteriormente publicado pelo perito contador que verse sobre o tema objeto da perícia. 88). no prazo legal.35 Conforme Sá (2000. as quais consistem em multa. Cumpre ao perito-contador no exercício de seu ofício atuar com independência. Não se considera parcialidade. entre outros. A legislação penal estabelece penas de multa. o perito deve ter responsabilidade ética. Responsabilidade civil e penal A legislação civil determina responsabilidades e penalidades para o profissional que exerce a função de perito-contador.

p. o perito deve ser remunerado condignamente. (ZANNA. a quantidade de horas.36 seu trabalho. à dificuldade em obter os elementos necessários para a fundamentação do laudo pericial contábil.244.244/09 que trata detalhadamente todos os itens ligados aos honorários profissionais. a forma de recebimento e os laudos interprofissionais. Igualmente. o risco. penais. na elaboração da proposta de honorários. e à abrangência pelas áreas de conhecimento envolvidas. O quadro a baixo detalha cada item listado acima. conforme descrito na Resolução. 11). o prazo estabelecido. 2009. compreende a possibilidade do honorário pericial não ser integralmente recebido. (CFC nº 1. a complexidade. A relevância O vulto O risco A complexidade . e ao tempo transcorrido entre o fato a ser periciado e a realização da perícia. o perito dever considerar os seguintes fatores: a relevância. devem ser levadas em consideração as implicações cíveis. o vulto. o tempo necessário ao recebimento. suscitadas em demanda judicial ou extrajudicial. está relacionado ao valor da causa no que se refere ao objeto da perícia. e essa remuneração chama-se de honorários profissionais. é entendida como a importância da perícia no contexto social e sua essencialidade para dirimir as dúvidas de caráter técnico-científico contábil. 2005) Os honorários periciais são regulados pela Resolução CFC nº 1. bem como a antecipação das despesas necessárias à execução do trabalho. Deve ser considerado também o ineditismo da matéria periciada. profissionais e outras de caráter específico a que poder estar sujeito o perito. à dimensão determinada pelo volume de trabalho. o pessoal técnico. está relacionada à dificuldade técnica para a realização do trabalho pericial em decorrência do grau de especialização exigido. entre outros fatores.

nem contra a parte”. As horas estimadas O pessoal técnico é formado pelos auxiliares que integram a equipe de trabalho do perito.37 para a realização de cada fase do trabalho é o tempo despendido para a realização da perícia. quando aplicável. nos primeiros anos de trabalho. trabalhe com déficit de caixa. mas com zelo suficiente para não cometer erros contra si. ainda é a questão dos honorários periciais. [.244 (2009.71). fazendo com que o Perito. De um lado o Perito.] . como qualquer outro profissional. Vendrame (2005. p. o que em alguns casos chega a uma década. O prazo determinado nas perícias judiciais ou contratado nas extrajudiciais deve ser levado em conta nas propostas de honorários. exceto algumas tabelas propostas por associações. estando os mesmos sob sua orientação direta e inteira responsabilidade. pois. habitual de liquidação compreende o tempo necessário para recebimento dos honorários. O prazo médio interprofissionais e outros inerentes ao trabalho são peças técnicas executadas por perito qualificado e habilitado na forma definida no Código de Processo Civil e de acordo com o conselho profissional ao qual estiver vinculado Os laudos Quadro 04: Referentes ao Honorários Fonte: CFC nº 1. deve receber uma justa paga pelo seu trabalho. Problema ainda maior ocorre no fórum trabalhista. p.. de outro lado. considerando-se eventual exigüidade do tempo que requeira dedicação exclusiva do perito e da sua equipe para a consecução do trabalho. p. não existe qualquer dispositivo legal regulando o quantum destes honorários. Portanto: fazer a proposta e pleitear o depósito são coisas que o perito pode realizar concomitantemente. 156) destaca que: outro ponto controvertido na vida do Perito. 11). Sá destaca (2004. onde o Perito somente recebe seus honorários após a liquidação da sentença. que ainda não se enquadram a todos os tipos de perícia. ser bem feita.. “a proposta de honorários deve. mensurado em horas trabalhadas pelo perito-contador.

] pode requerer o custeio das despesas referente ao deslocamento para a realização do trabalho fora da comarca em que foi nomeado. O perito deve elaborar a proposta de honorários estimando.244 (2009. desta Norma e o prazo para a realização dos serviços. transporte. 12). gráficos. Requer por escrito e deposito de honorários. alimentação. O perito contador requererá a liberação parcial dos honorários. devidamente justificada [. i) reuniões com peritos contadores assistentes. quadros. j) revisão final. f) realização de planilhas de cálculos. hospedagens. p. k) despesas com viagens. o número de horas para a realização do trabalho. .. pelo trabalho realizado. antes do inicio da execução do trabalho. por etapa e por qualificação dos profissionais (auxiliares. quando se trata de nomeação. e requerer. de difícil mensuração. os seguintes itens: a) relevância e valor da causa. em profissão liberal. se a importância previamente depositada for insuficiente para garantir-los. d) realização de diligências. seniores. podendo ocorrer disparidade entre o resultado e a retribuição (pagamento). na qual o vínculo empregatício. quando for o caso. o perito contador deve. c) elaboração de termos de diligências para arrecadação de provas e comunicações às partes. enquanto que salário é a retribuição por atividade contínua. O perito deverá elaborar a proposta de honorários profissionais conforme descreve a Resolução do CFC nº 1. 28) ressalta que. e) pesquisa documental e exame de livros contábeis. g) laudos interprofissionais.) considerando os trabalhos a seguir especificados: a) retirada e entrega dos autos. etc.. sempre que houver a necessidade. na proposta de honorários. assistentes. pré-mensurada. fiscais e societários. escolha arbitral ou contratação extrajudicial devem o perito contador e o perito contador assistente formular carta proposta ou contrato. conforme o orçamento ou pedido de arbitramento. terceiros e peritos contadores assistentes. Zanna (2005. h) elaboração do laudo. b) leitura e interpretação do processo. após a entrega do laudo. quando possível. Honorário está diretamente ligado ao profissional autônomo que utiliza de conhecimentos específicos em uma atividade ou tarefa. c) local da coleta de provas e realização da perícia. l) outros trabalhos com despesas supervenientes. depositados em juízo. etc. O perito deve considerar. considerando os fatores constantes no item.” Ferreira (1999) Honorários não se confunde com salário. simulações e análises de resultados. que o depósito seja liberado com os acréscimo legais. Embora ambos sejam remunerações pelo serviço executado. b) prazos para execução da perícia. Quando se trata de indicação pelas partes.38 Morais (2005) definiram assim honorários: "são remunerações pecuniárias de trabalho ou estipêndios pagos por serviços prestados em cargo facultativo de qualificação honrosa. p. requerer a complementação dos honorários..

para que o trabalho do perito-contador seja reconhecido também pela padronização estrutural. a manifestação literal do perito sobre fatos patrimoniais devidamente circunstanciados gera a peça tecnológica denominada Laudo Pericial Contábil. clara.9. 13. o perito chega à conclusão dos fatos e assim constitui o laudo pericial.1. as diligências ou as buscas de elementos de provas necessárias para a conclusão dos seus trabalhos. . escrita de forma objetiva. Laudo Pericial Contábil é uma peça escrita. precisa. o conteúdo da perícia e particularizar os aspectos e as minudências que envolvam a demanda. modelo de petição de honorários. que adotará um padrão próprio.1. Ainda. no encerramento do Laudo Pericial Contábil. na qual o perito contador deve visualizar. apresente.1.6. O Decreto-Lei nº 9. concisa e completa. Segue em anexo C. O Laudo Pericial Contábil deve ser uma peça técnica elaborada de forma seqüencial e lógica.243. p.6. na letra “c” do art. 45) o “laudo pericial contábil é uma peça tecnológica que contém opiniões do perito contador. a estrutura e os procedimentos para elaboração a apresentação do Laudo Pericial Contábil. de acordo com A resolução do CFC nº 1. p.” O CFC descreve em sua Resolução nº 1. em face de eventos ou fatos que são submetidos á sua apreciação.5. como o descrito no item Estrutura. 43):.2. (CFC nº 1. 2009. De acordo com Sá (2000.6.295/46. 4). 2. 25. p. Para Sá (2000.2.4.1.6. 13. sua escrita sempre será conduzida pelo perito-contador. É o julgamento ou pronunciamento. Esta norma objetiva estabelecer o conceito. p. Define esta Norma que o perito-contador deve registrar no Laudo Pericial Contábil os estudos.6.3): 13. 13.1. Obriga a Norma que o perito-contador. de forma abrangente. determina que o Laudo Pericial Contábil efetuado em matéria contábil somente seja executado por contador habilitado e devidamente registrado em Conselho Regional de Contabilidade.3. 13. O Laudo Pericial Contábil deverá ser uma peça técnica. de forma clara e precisa. baseado nos conhecimentos que tem o profissional da contabilidade.39 Com base nos critérios de solicitação dos honorários. 13. como pronunciamento.6.243 (2009. o contador irá avaliar todas as circunstâncias envolvidas no processo e assim ter base para requerer seus honorários. as pesquisas.8 Laudos Periciais Com os exames de provas e realização de vistorias. sobre questões que lhe são formuladas e que requerem seu pronunciamento.1.1.243/09 as considerações gerais do laudo pericial contábil.1.6.6. 13. A apresentação do laudo pericial contábil deve seguir a seguinte apresentação. as suas conclusões.

40

13.6.2.2. Não deve o perito-contador utilizar-se dos espaços marginais ou interlineares para lançar quaisquer escritos no Laudo Pericial Contábil. 13.6.2.3. Não pode o perito-contador deixar nenhum espaço em branco no corpo do Laudo Pericial Contábil, bem como adotar entrelinhas, emendas ou rasuras, pois não será aceita a figura da ressalva, especialmente quando se tratar de respostas aos quesitos. 13.6.2.4. A linguagem adotada pelo perito-contador deve ser acessível aos interlocutores, possibilitando aos julgadores e às partes da demanda, conhecimento e interpretação dos resultados dos trabalhos periciais contábeis. Devem ser utilizados termos técnicos, devendo o texto trazer suas informações de forma clara. Os termos técnicos devem ser contemplados na redação do laudo pericial contábil, de modo a se obter uma redação técnica que qualifica o trabalho, respeitada a Norma Brasileira de Contabilidade e o Decreto-Lei nº 9.295/46. Em se tratando de termos técnicos, devem os mesmos, caso necessário, ser acrescidos de esclarecimentos adicionais, sendo recomendados à utilização daqueles de maior domínio público. 13.6.2.5. O Laudo Pericial Contábil deverá ser escrito de forma direta, devendo atender às necessidades dos julgadores e ao objeto da discussão, sempre com conteúdo claro e dirigido ao assunto da demanda, de forma que possibilite os julgadores a proferirem justa decisão. O Laudo Pericial Contábil não deve conter elementos e/ou informações que conduzam a dúbia interpretação, para que não induza os julgadores a erro. 13.6.2.6. O perito-contador deverá elaborar o Laudo Pericial Contábil utilizando-se do vernáculo, sendo admitidas apenas palavras ou expressões idiomáticas de outras línguas de uso comum nos tribunais judiciais ou extrajudiciais. 13.6.2.7. O Laudo Pericial Contábil deve expressar o resultado final de todo e qualquer trabalho de busca de prova que o contador tenha efetuado por intermédio de peças contábeis e outros documentos, sob quaisquer tipos e formas documentais.

Com isso, evidencia-se que é papel do perito contador a realização do laudo pericial, baseando-se em conhecimentos científicos respondendo os quesitos iniciais. A entrega do laudo pericial deve ser documentada, ou seja, na entrega dos trabalhos periciais ao judiciário o mesmo deverá ser protocolado, sendo assim ficando a sua guarda com o poder judiciário, que o encaminhara para o juiz responsável do processo.

2.10 Perícia Contábil em Processo Trabalhista

O surgimento da legislação trabalhista e da justiça do Trabalho no Brasil veio como conseqüência do processo de lutas e reivindicações trabalhistas demandadas pela sociedade. Sofreu influência dos princípios de proteção ao trabalhador. A perícia contábil na justiça do trabalho atua na indenização de diversas

41

modalidades e no litígio entre empregados e empregadores, auxiliando a justiça para a resolução dos conflitos resultantes das relações de trabalho. Sá (2004, p. 193) descreve que,
Um dos campos de grande atuação dos peritos é na justiça do trabalho, verificando nas escritas das empresas as reclamações que são postuladas. Elas giram em torno de registros do empregado, de salários, de direitos inerentes as relações de trabalho. Não são, em geral, pericias complexas.

O surgimento das ações trabalhistas ocorre no desentendimento entre empregados e empregador, quando uma das partes se sentir lesada, propondo o litígio e outra.
o processo trabalhista é a maneira pela qual são conciliados ou julgados os dissídios individuais e coletivos entre empregados e empregadores, chamado de processo de reclamante e reclamados. Presta-se também para dirimir demais controvérsias decorrentes das relações trabalhistas regidas elo Direito do Trabalho e capitulados na CLT (ZANNA, 2005, p. 304)

Segundo Sá (2000, p. 197) “um dos campos de grande atuação dos peritos é a justiça do trabalho, verificando nas escritas das empresas as reclamações que são postuladas.” Com relação às primeiras, têm-se:
Os haveres do trabalhador, transitoriamente retidos junto ao patrimônio do empregador, não deixam, por isso, de ser haveres e como tal hão de ser apurados por perícia contábil, notadamente quando se trata de tornar líquidas sentenças que concluíram pela obrigação de dar [...] tais haveres ao reclamante. (ALBERTO, 1996, p. 112).

No segundo caso, Alberto (1996, p. 113) estabelece:
tem como meio avaliar e analisar a situação patrimonial e econômicofinanceira de uma empresa, com vistas a se comprovar a capacidade ou incapacidade de cumprir condições estabelecidas em normas coletivas (acordos, convenções ou dissídios) em relação ao próprio dissídio individual. Também durante a fase de negociação ou de instruções das normas coletivas trabalhistas, a perícia contábil pode vir a ser requerida, como elemento essencial para subsidiar os acordos e decisões.

São etapas do processo trabalhista a inicial, a contestação, a instrução, o julgamento e a liquidação de sentença. Os cálculos dos haveres, requeridos pelo declarante, ocorrem na liquidação da sentença. Nos processos trabalhistas, a execução de cálculos para apuração dos haveres é parte fundamental para ancorar e dar sustentação à sentença que o juiz procederá. Por esse motivo, os cálculos devem ser elaborados por um especialista no assunto e não por pessoas leigas, que podem comprometer a decisão tomada pelo juiz.

42

2.10.1 Mercado de Trabalho

O perito contábil tem um grande campo para execução de seus trabalhos podendo atribuídas as esferas judiciais ou extrajudiciais, com isso ele traz uma grande importância para a profissão e abrindo mais mercado de atuação profissional. O mercado de trabalho para o perito contador tem maior ênfase nas esferas da justiça, assim descreve Hoog (2005, p.151), o mercado é o conjunto de pessoas físicas ou jurídicas que afetam ou demandam um determinado serviço ou bem constituem o mercado. Porém, no caso do perito, a maior ênfase é nas justiças Federal e Estadual, varas civis, criminais, de falências e concordata, família, precatórias, execuções fiscais, trabalhistas. Existe também a Justiça Arbitral, além do mercado extrajudicial que tem maior relevância nos casos de incorporação, fusão e cisão e reavaliação de patrimônio. O melhor cliente é alcançado por indicação, assim descreve Hoog (2005, p. 157), “Os melhores trabalhos e clientes são alcançados por indicação. O melhor e ideal caminho é ter os clientes satisfeitos.” Ainda de acordo com Hoog (2005, p. 151) o perito contador possui seu público alvo voltado para, “as varas cíveis, da fazenda pública, federais, as partes envolvidas em questões judiciais ou extrajudiciais, as pessoas jurídicas e as físicas que busquem opiniões especializadas.” É comum encontrar no mercado de trabalho perito empreendedor e perito mediano, Hoog (2005, p. 158), o perito mediano vê as pedras e as dificuldades no seu caminho, e sobre isto fala o tempo todo, já o perito empreendedor olha e vê alem das pedras. Enxerga a linha do horizonte, a vanguarda, visão ampla e profunda, e fala sobre o privilégio do ser um cientista e das soluções que apresenta para transpor as pedras, em especial sobre as soluções apresentadas e estudos de vanguarda. Como podemos ver o mercado de trabalho e muito amplo, na região de criciúma a quatro varas trabalhistas onde são analisados e arquivados diversos processos trabalhistas onde necessita de uma grande quantidade de profissionais da área contábil e de diversas outras áreas com um grande campo de trabalho aqui na região.

43 3. ESTUDO DE CASO O estudo de caso abordado neste trabalho é para conhecer o mercado de trabalho do perito contador na região de Criciúma-SC no âmbito trabalhista e qual sua visão para o futuro da profissão contábil. Foi enviado o questionário a 26 peritos contábeis da região de Criciúma onde 10 peritos responderam ao questionário de trabalhos exercidos na profissão. O questionário foi elaborado com questões fechadas e de múltipla escolha e respondido pelos peritos contadores da região de Criciúma-SC e que efetivam constantemente trabalhos periciais nas varas da justiça do trabalho na região. O questionário esta disponível em anexo no fim deste trabalho.1 Análise de Dados A análise dos questionários que foram aplicados com 26 peritos contadores em nossa região respondido um total 10 (dez) questionários onde é apontado em relação à fase do processo que o perito mais atua no âmbito trabalhista em que 40% (quarenta) dos peritos responderam que trabalham com perícia contábil e 30% (trinta) com cálculo trabalhista e 30% (trinta) não quiseram opinar sobre o assunto pesquisado. . Serão demonstrados na seqüência através de gráficos os principais aspectos pesquisados no âmbito trabalhista. Para um melhor entendimento será exposta a pesquisa por meio de gráficos para um melhor entendimento e visualização das respostas dos peritos contadores da região de criciúma. os respondentes corresponderam 40% (quarenta) por cento dos profissionais pesquisados em nossa região que atuam como perito contador no âmbito trabalhista. (APÊNDICE) 3. Assim podemos observar que os peritos estão mais voltados à parte contábil do litígio e sempre voltados à área de interesse profissional.

. Observamos que os peritos estão voltados aos cálculos de liquidação. pois em nossa região tem uma maior demanda deste tipo de fase do processo em questão e onde a habilidade e conhecimento do perito contábil tem seu maior reconhecimento da classe profissional e um melhor ganho dos valores de seus honorários profissionais.44 Fonte: Quadro elaborado pelo autor Quadro 05: Referente à área que você perito mais atua no âmbito trabalhista Com relação às fases do processo que o perito participa podemos observar que o cálculo de liquidação com 60% (sessenta) dos entrevistados participam ativamente nesta fase do processo e assim ficando 20% (vinte) nas diligências que são as buscas de documentação em empresas ou escritórios de contabilidade e 20% (vinte) no levantamento de provas na analise da documentação fornecida pelas empresas.

10% responderam que participam entre 11 (onze) a 15 (quinze) processos. onde alguns perito já conseguem executar mais trabalhos como o percentual de 12% que realiza trabalhos de 16 (dezesseis) a 20 (vinte) processos mês. Analisando que os peritos contadores têm por objetivo um ganho extra como uma forma de aumentar seus ganhos com a pericia contábil realizada na região de Criciúma SC. e 12% responderam a participação entre 16 (dezesseis) processos no decorrer do mês.45 Fonte: Quadro elaborado pelo autor Quadro 06: Referente às fases do processo que você perito participa Quanto aos processos que os peritos contadores participam por mês no âmbito trabalhista foi respondido que 50% (cinqüenta) dos peritos fazem de 1 (um) a 5 (cinco) processos por mês. porque muito fazem este tipo de pericia depois de exercer seu horário de trabalho assim não acumulando mais processos por outro lado a uma demanda maior de trabalho. pois estes peritos só trabalham com a perícia e conseguem aumentar seus ganhos devido o acumulo de trabalho. e 20% (vinte) dos peritos entrevistados participam entre 6 (seis) a 10 (dez) processos por mês. e 8% (oito) em outros números de participação de processos mês não citados acima na pesquisa. .

e engrandecendo ainda mais a classe contábil. pois trabalham diretamente com o juiz. está mais ligados a esfera judicial. Sendo assim os profissionais de nossa região. Fonte: Quadro elaborado pelo autor Quadro 08: Referente a função exercida pelo perito .46 Fonte: Quadro elaborado pelo autor Quadro 07: Referente do número de processos por mês que participa No gráfico apresentado abaixo: o perito exerce a função de perito do juiz ou assistente técnico. foi demonstrado que 60% (sessenta) dos entrevistados trabalham mais como peritos do juiz. e 35% (trinta e cinco) trabalham como assistente técnico e 5% (cinco) não quiseram opinar sobre o assunto em questão. e que diretamente com seu conhecimento específico ajuda na tomada de decisão. proporcionando um aumento nos ganhos.

Deste modo a análise deste ponto. pois a muitos processos onde a figura do perito contábil aparece. prejudicando o perito por que . e 20% (vinte) pela diferença de cargo exercido nas organizações de trabalho. Deste modo analisando os questionários avaliados pelos peritos. como no cálculo de horas extras e de danos morais que são os de maiores proporção em nossa região. outros 20% (vinte) afirmam que leva mais de 1(um) ano. 30% (trinta) dos peritos relatam que os danos morais. Fonte: Quadro elaborado pelo autor Quadro 09: Referente qual a reclamatória mais buscada no âmbito trabalhista No quadro a seguir 10% (dez) dos entrevistados afirmam que de 1 (um) mês a 3 (três) após a entrega do laudo pericial contábil.47 Para 50% (cinqüenta) dos entrevistados. e esclarece. pois os peritos entrevistados relatam que a uma demora no recebimento após a entrega do laudo pericial. o mercado de trabalho em que eles atuam há um grande espaço de trabalho onde o perito pode atuar. também tem uma grande quantidade de reivindicações buscadas na justiça do trabalho. já 30% (trinta) dizem levar mais de 7 (sete) meses para o recebimento. não é satisfatória. a matéria mais buscada na justiça do trabalho é o pagamento de horas extras onde se encontra uma grande gama de trabalho para os peritos. são pagos os valores dos honorários. nos recebimentos dos honorários. outros 40% (quarenta) afirmam que levam de 4 (quatro) a 6 (seis) meses para receber o valor de seus honorários. para receber seus honorários profissionais.

48 geralmente recebe seus honorários logo após o término do litígio que está em questão. 30% apontam que a falta de apoio das partes envolvidas no caso e 10% falam que tem maior dificuldade nas diligências ou na busca das documentações. pois dos peritos entrevistados 50% (cinqüenta) relatam este tipo de dificuldade de trabalho. 10% dos peritos relatam que é o apoio dos demais peritos envolvidos no litígio. Fonte: Quadro elaborado pelo autor Quadro 10: Referente ao recebimento dos honorários profissionais Com relação às dificuldades encontradas pelos peritos a quela que tem maior relevância é a obtenção da documentação necessária. Fonte: Quadro elaborado pelo autor Quadro 11: Referente às dificuldades encontradas pelo perito .

00 e R$ 500.00 (trezentos) reais a R$ 600. devendo conter de forma clara os esclarecimentos em relação a matéria em questão.00 (seiscentos) reais e que maioria dos entrevistados cerca de 60% (sessenta) recebe entre R$ 600. Na perícia trabalhista o laudo pericial é uma das peças mais importante.00 (mil) reais tornando o mercado atrativo.00 (quinhentos) reais também ficando na média. Fonte: Quadro elaborado pelo autor Quadro 12: Referente ao tempo de entrega do laudo pericial Em relação os honorários profissionais na perícia contábil sempre é discutida no início dos trabalhos. Outros 30% (trinta) responderam que recebem seus honorários entre R$ 300. De acordo com 60% (sessenta) dos peritos entrevistados os mesmos entregam o laudo entre 16 (dezesseis) a 30 (trinta) dias e só 10% (dez) conseguem entregar os laudos em 15 (quinze) dias.00 a R$ 1. Os mesmo respondem que os valores médios de uma perícia ficam dentro de R$ 300. os peritos entregam os laudos periciais entre 16 (dezesseis) a 60 (sessenta) dias após o inicio dos trabalhos. outros . como foi relatado pelos peritos. Por esta razão o perito tem uma grande responsabilidade.49 Na Justiça do Trabalho. pois e nele que o juiz vai se basear para concluir o trabalho e executar a sentença dando fim do litígio. outros 30% (trinta) entregam os laudos entre 31 a 60 dias.000.

50% (cinqüenta) dos entrevistados falam que a profissão é promissora. Fonte: Quadro elaborado pelo autor Quadro 13: Referente valor dos honorários recebidos Com relação à profissão contábil. outros 20% (vinte) dizem que é apenas mais uma profissão e outros 10% (dez) relatam que é uma profissão que se iguala às demais com sua importância dentro das organizações. Fonte: Quadro elaborado pelo autor Quadro 14: Referente qual visão você tem da profissão contábil . 20% (vinte) que é uma profissão em fase de expansão e reconhecimento. Com isso. os questionários respondidos.000.50 relataram que conseguem ganhos acima de R$ 1. verifica-se que a maioria da população entrevistada reconhece a importância da profissão contábil e ainda declaram ser uma profissão em ascensão.00 (mil) reais este percentual ficou entre 10% dos entrevistados.

Já 30% (trinta) respondem que o mercado já está saturado e não precisa de mais profissionais. e 20% (vinte) tem o trabalho de perito como fonte complementar de renda.51 O retorno financeiro é um dos principais fatores que motivaram os contadores a exercer a atividade de perito contador. incentiva os bacharéis exercer a profissão pela atratividade no mercado de trabalho e pela remuneração. . e 10% (dez) não responderam a questão. A profissão contábil na visão da maioria dos entrevistados. é atrativa e considera o mercado de trabalho bastante vasto em nossa região. 30% (trinta) dos entrevistados não responderam a questão. isto de acordo com 40% (quarenta) dos entrevistados. Fonte: Quadro elaborado pelo autor O quadro abaixo demonstra que 60% (sessenta) dos entrevistados incentivam os bacharéis em ciências contábeis a exercer a profissão de perito contábil como uma profissão reconhecida e tem um mercado de trabalho em nossa região atrativo. Quadro 15: Referente o motivo que leva você a escolher a área de perícia contábil.

.52 Fonte: Quadro elaborado pelo autor Quadro 16: Referentes aos bacharéis em ciências contábeis devam exercer a atividade de perito contador Como se viu. e venho por meio deste trabalho dizer que a pesquisa foi alcançada descrevendo no decorrer desta amostra de quadros os principais trabalhos e fases em que o perito participa no âmbito trabalhista. e com ganhos consideráveis. como perito do juiz e que muitos optam em exercer a este tipo de trabalho por uma profissão desejada e pelo ganho financeiro. os quadros mostram que o campo de atuação do perito contábil na região de Criciúma-SC e bastante vasto.

esses vêem a contabilidade como uma profissão em fase de expansão. que o perito beneficia a sociedade com a análise técnica na resolução de litígios. Em média. A perícia contábil é de competência do contador com registro no CRC. Para manter a confiança em relação a seu trabalho o perito deve agir com honestidade. reconhecida e promissora. o juiz tem maior segurança no momento de proferir sua sentença. CONSIDERAÇÕES FINAIS Com este trabalho. O contador deve estar atento às suas responsabilidades no exercício da atividade pericial. Verificou-se. A entrega do laudo pericial varia de 16 (dezesseis) até 60 (sessenta) dias após o início dos . tanto. Dos entrevistados. por meio deste trabalho. na legislação vigente. focado nos acontecimentos atuais. os honorários são determinados pelo juiz e raramente pelo perito contador. evidenciou-se o mercado da Perícia Contábil no município de Criciúma/SC. Com a participação do perito nos processos judiciais. entre outros fatores. com princípio ético e moral e mantendo o sigilo profissional. justifica-se o tempo de espera para receber a remuneração que varia de um mês até um ano após a entrega do laudo. os honorários somente serão liberados ao término do processo. No geral. reputação ilibada e bom relacionamento com o mercado. cabendo-lhe exercer de forma clara e precisa na apuração os fatos e. A maior dificuldade para a realização do laudo pericial é a obtenção de documentos necessários a realização de diligência e o apoio dos demais peritos envolvidos no processo judicial. Na justiça do trabalho. Dessa forma. O mercado de trabalho para o perito contador é abrangente e seu público alvo é voltado para o judiciário. pessoas físicas como as jurídicas que estão em busca de opinião de um especialista. A principal motivação dos peritos para realizar sua atividade é o retorno financeiro. concluiu-se que os peritos contadores estão satisfeitos com o mercado no qual estão atuando. e foi possível aprender e esclarecer um pouco mais sobre a atuação do perito contador na esfera Trabalhista. Assim. devendo agir com zelo. Na justiça do trabalho. são realizadas na justiça do trabalho cerca de cinco a dez perícias ao mês. Com a pesquisa realizada. é de responsabilidade do perito estar atualizado. assim levar a verdade aos interessados no processo. ter notório saber. 60% (sessenta) atuam como perito do juiz e afirmam que essa atividade lhes proporciona melhor remuneração.53 4.

o objetivo deste trabalho foi alcançado. por laudo realizado. Com este estudo ficou claro que o perito. . irá lhe render bons frutos e reconhecimento profissional. Na justiça trabalhista em média o perito contador recebe cerca de R$ 500. apenas uma pequena parte dos entrevistados estão insatisfeitos. verificou se que. evidenciando um mercado de trabalho para o contador ainda não totalmente explorado. Apesar da demora do recebimento de honorários. ética.54 trabalhos. Com os dados descritos acima e com o resultado da pesquisa. em relação à esfera judicial pesquisada. Os peritos entrevistados aconselham os acadêmicos de ciências contábeis a atuarem nessa área da contabilidade a investirem na carreira.000. em curto prazo é economicamente mais atrativo para o perito. ao atuar com profissionalismo. e que pode ser sua principal fonte de renda.00 (quinhentos) a R$ 1.00 (mil) reais. os peritos estão satisfeitos e. Portanto. e pensando no benefício social.

ALBERTO. 1996. Valter Luís Palombo. Dezembro. Conselho Federal de Contabilidade. Porto Alegre: Artmed. Metodologia Científica. http://www. 2004. São Paulo: Saraiva. 1995. São Paulo: Atlas. Documentada. Ed. 1. 5.htm BRASIL.000 Anos de História”. Como preparar trabalhos para cursos de pósgraduação: noções práticas. 1996. CÓDIGO DO PROCESSO CIVIL. Melhoramento. Artigo 145. Brasília. 254 p. Perícia Contábil. ANDRADE. 2007. São Paulo: Person Prentice Hall. Reformula a NBC P2 – Norma Profissional de Perito Contábil. 230 p. . maio/junho. 1. Código do Processo Civil. CRESWELL. Tatim. 2002. Pesquisa em ciências sociais aplicadas. 2009. 2009. BERVIAN. São Paulo: Pearson. http://michaelis. Brasília. Maria Helena Ferreira. Astor Antonio. Maria margarida.243 de 18 de Dezembro 2009. “Ciências Contábeis. Ed.com. 2005. ALBERTO. BRASIL.br/ccivil_03/Leis/L5869. CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE.uol. Brasília. 2006. São Paulo: Atlas. Dezembro. 2 ed.55 REFERÊNCIAS ALBERTO. Amado Luiz. Resolução CFC nº. 2000. Valter Luís Palombo. Perícia Contábil. São Paulo: Atlas. Reformula a NBC T13 – Da Perícia Contábil.planalto. 2 ed. /Brasília. DICIONÁRIO MICHAELIS. Denise Carvalho. 16 ed. 248 p. Da Arte á Ciência: 8./Brasília. 93. 2010. Princípios fundamentais e normas Brasileiras de contabilidade de auditoria e perícia. 2000. John W. p. BRASIL. Código de Processo Civil. 578 p. Revista Brasileira de Contabilidade. Moderno dicionário da língua portuguesa. BRASIL. Valder Luiz Palombo. Projeto de pesquisa: Métodos qualitativos. CERVO. Documentada.br/moderno/portuguesportugues& palavra=prova Acesso em 29 de abril de 2010. DIEHL. São Paulo: Atlas. DRUMMOND. Pedro Alcino. Perícia Contábil.244 de 18 de Dezembro 2009. Resolução CFC nº. quantitativo e misto. 72 – 78. n.gov. Conselho Federal de Contabilidade.

2000. 2º ed. 81. Breve discussão sobre a qualidade total em serviços periciais – Revista Brasileira de Contabilidade ano 33 n. ed. 41-47. 168 p. Perícia contábil e a competência do profissional – Revista Brasileira de Contabilidade. ORNELAS. Perícia Contábil. Como elaborar projetos de pesquisa. Prova Pericial Contábil: aspectos práticos & Fundamentais. OLIVEIRA. Perícia contábil. 83-96. A perícia contábil: reflexões sobre seu verdadeiro significado e importância. Florianópolis: CRC/SC. MAGALHÃES. Cleusa Maria Alves dos. São Paulo: Atlas. 2000. São Paulo: Atlas. 2004. 3 ed.Século XXI. HOOG. Curitiba: Juruá. Antonio Carlos. Antonio Carlos./fev. MORAIS. 121. 700 p. 4. 1997. 2005. Antonio de Deus Farias et al. Sandoval Nunes. Curitiba: Juruá. 2003. HOOG. p. PETRENCO. São Paulo: Atlas. 146 mar/abr. Revista Brasileira de Contabilidade. 2001. 2000. 4 ed. 365p. A. GIL. Desenvolvimento MGB Informática Ltda. ___________ Prova pericial contábil: aspectos práticos & fundamentais. M. 496p. São Paulo: Atlas. SÁ. M. 2004./ago. 426 p. Perícia Contábil. São Paulo: Atlas 2005. SANTOS. São Paulo. SANTOS. 5 ed. Perícia contábil. M. G. PIRES. 2007. jan. Wilson Alverto Zappa. 1999. Rio de Janeiro: Nova Fronteira. Francisco Antonio de. São Paulo: Atlas. 2004. 3 ed. 440p. Levi Alvarenga. p.56 FERREIRA. 80 P. ano 32 n. 4 ed. 2003. Perícia Contábil. Antônio Lopes de. Honorários periciais. Dicionário Aurélio Eletrônico . Antonio de Deus Farias et al. 4 ed. O processo na justiça do trabalho. Onice Maria de. São Paulo: Atlas. São Paulo: Atlas. SÁ. 1996. Revista dos tribunais. 2004. ORNELAS. Martinho Maurício Gomes de. FIGUEIREDO. Willian Alberto Zappa. Perícia contábil. . 6 ed. Perícia Contábil.. 142 jul. n. 2000. Curitiba: Juruá. MAGALHÃES. A. Solange Aparecida. MELLO. 3 ed. 3 ed. ROCHA. Prova pericial contábil: aspectos práticos & fundamentais. Aurélio Buarque de Holanda. Antonio Lopes. Nelson dos.

São Paulo: 2005 ZANNA. 321 p.57 _________. SCHIMIDT. Perícia Contábil. 4 ed. Fundamentos da Perícia Contábil. Antonio Carlos. Remo Dalla. 18 ed. 123 p.cfc. SANTOS. São Paulo: Atlas. Paulo. . Prática de perícia contábil. GOMES. São Paulo: IOB Thomson. 2006. 419 p. Acesso em 29 de abril de 2010. 2000.br/sisweb/sre/docs/RES_1243. José Mário Matsumura. www. São Paulo: Atlas. 2005. . José Luiz dos. A ética do perito judicial.org. VENDRAME.

58 APÊNDICE – Questionário Aplicado a Pesquisa .

59 Questionário de avaliação dos peritos da justiça do trabalho de Criciúma 1.Em quantos processos por mês você participa na justiça do Trabalho? ( ) 1 Á 5 MÊS ( ) 6 Á 10 MÊS ( ) 11 Á 15 MÊS ( ) 16 Á 20 MÊS ( ) Outras não listadas a cima ( ) Não Opinou 4 – Nos trabalhos periciais você atua geralmente como Perito do juiz ou Assistente Técnico? ( ) Perito do Juiz ( ) Assistente Técnico ( ) Não Opinou 5 – Quais os principais reivindicações buscadas nos processos trabalhistas? ( ) Cálculo de horas extras ( ) Diferença de cargo exercido ( ) Indenizações por danos morais e materiais 6 – Quanto tempo após a entrega dos trabalhos periciais você consegue receber seus honorários profissionais? ( ) Até um mês ( ) de 1 até 3 meses ( ) de 4 até 6 meses ( ) Mais de 7 meses ( ) Mais de 1 ano ( ) Outros ( ) Não Opinou 7 .Quais são as principais dificuldades encontradas pelo perito contador durante a realização dos trabalhos periciais? ( ) Obtenção dos documentos Necessários .Em quais fases do processo você aparece como perito contábil? ( ) No levantamento de provas ( ) Nas diligências ( ) Nos cálculos de liquidação 3 .Você atua mais em que fase? ( ) Pericia contábil ( ) Cálculo trabalhista ( ) Não Opinou 2.

000.Você aconselharia aos estudantes de Ciências Contábeis a exercer a atividade de perito contador após a formação acadêmica? ( ) Sim ( ) Não ( ) Não Opinou .00 á 1.00 por perícia ( ) Não Opinou 10 .Qual o valor médio dos honorários já recebidos? ( ) 300.000.00 reais por perícia ( ) 600.00 por perícia ( ) Mais de 1.00 á 500.Quanto tempo. em média.Qual a sua visão referente à profissão contábil hoje? ( ) Em fase de expansão e reconhecimento ( ) Como uma profissão promissora ( ) Profissão saturada no mercado ( ) Como mais uma profissão ( ) Iguala-se a outras profissões com sua importância dentro das organizações ( ) Não Opinou 11 – Por qual motivo você escolheu a área de Perícia Contábil para atuar? ( ) Por necessidade de trabalho ( ) Como Profissão desejada ( ) Retorno financeiro ( ) Outros ( ) Não Opinou 12 .60 ( ) Apoio dos demais peritos envolvidos ( ) Apoio das partes envolvidas ( ) Realização de diligências ( ) Não Opinou 8 . você entrega um laudo pericial a partir da data do início dos trabalhos? ( ) Até 15 dias ( ) De 16 a 30 dias ( ) De 31 a 60 dias ( ) De 61 a 90 dias ( ) Mais de 90 dias ( ) Não Opinou 9 .

244/09 .61 ANEXO A – Resolução do CFC nº 1.

Aprovar a NBC PP 01 – Perito Contábil. de janeiro de 2010. de 29/10/99. Ficam revogadas.. de modo a manter permanente justaposição e ajustamento entre o trabalho a ser realizado e o modo ou processo dessa realização. 857/99. respectivamente.O. publicadas no D. 1.051/05. 10 de dezembro de 2009.056/05 e 1. 3º. 23/12/05 e 23/12/05.62 RESOLUÇÃO CFC Nº. Contadora Maria Clara Cavalcante Bugarim Presidente Ata CFC Nº. 08/11/05. de janeiro de 2010. 2º.244/09 Aprova a NBC PP 01 – Perito Contábil.U. RESOLVE: Art. 1.050/05. 1. 932 . Seção I. CONSIDERANDO que a constante evolução e a crescente importância da perícia contábil exigem atualização e aprimoramento das normas endereçadas à sua regência. 08/11/05. as Resoluções CFC nº. Art.057/05. Esta Resolução entra em vigor a partir de 1º. Brasília. 1º. Art. a partir de 1º. 1. no exercício de suas atribuições legais e regimentais. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE.

68 57 .64 65 .58 59 60 .27 28 .36 37 .36 30 .24 25 .34 35 .44 45 46 47 .13 .66 67 68 69 Item 1 2-4 5-6 7 .61 62 .24 20 21 22 .63 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC PP 01 – PERITO CONTÁBIL Índice OBJETIVO CONCEITO COMPETÊNCIA PROFISSIONAL HABILITAÇÃO PROFISSIONAL EDUCAÇÃO CONTINUADA 14 INDEPENDÊNCIA 15 IMPEDIMENTO E SUSPEIÇÃO Impedimento legal Impedimento técnico-científico Suspeição SIGILO RESPONSABILIDADE Responsabilidade e ética Responsabilidade civil e penal ZELO PROFISSIONAL ESCLARECIMENTOS UTILIZAÇÃO DE TRABALHO DE ESPECIALISTA HONORÁRIOS Elaboração de proposta Quesitos suplementares Quesitos de esclarecimentos Apresentação de proposta de honorários Levantamento de honorários Execução de honorários periciais Despesas supervenientes na execução da perícia MODELOS OBJETIVO 16 .

adotando os preceitos legais. que exerce a atividade pericial de forma pessoal. CONCEITO Perito é o contador regularmente registrado em Conselho Regional de Contabilidade. deve demonstrar capacidade para: pesquisar. educação continuada e especialização. realizar seus trabalhos com a observância da equidade significa que o perito contador e o perito-contador assistente devem atuar com igualdade de direitos. por suas qualidades e experiências. em processos judiciais e extrajudiciais. examinar. e escolhido é o que exerce sua função em perícia contábil arbitral. devendo estar vinculado à busca da verdade . da legislação relativa à profissão contábil e aquelas aplicáveis à atividade pericial. sintetizar e fundamentar a prova no laudo pericial contábil e no parecer pericial contábil. das Normas Brasileiras de Contabilidade. Perito-contador nomeado é o designado pelo juiz em perícia contábil judicial. Perito-contador assistente é o contratado e indicado pela parte em perícias contábeis. contratado é o que atua em perícia contábil extrajudicial. Para tanto. analisar. da matéria periciada. devendo ser profundo conhecedor. inclusive arbitral.64 Esta Norma estabelece procedimentos inerentes à atuação do contador na condição de perito. inerentes à profissão contábil. COMPETÊNCIA PROFISSIONAL Competência técnico-científica pressupõe ao perito manter adequado nível de conhecimento da ciência contábil. permanentemente. O espírito de solidariedade do perito não induz nem justifica a participação ou a conivência com erros ou atos infringentes às normas profissionais. treinamento. técnicas e éticas que regem o exercício da profissão. mediante programas de capacitação. das técnicas contábeis. atualizando-se.

e no caso da DHP-Eletrônica. contemplada a utilização de serviços de especialistas de outras áreas. de que trata a Resolução CFC nº. A utilização de serviços de especialista de outras áreas.65 fática. A DHP deve ser afixada abaixo da assinatura do perito-contador ou do perito contador assistente. no laudo pericial contábil ou no parecer pericial contábil.ICP-Brasil. deve ser colocada na primeira folha após a assinatura de cada profissional. extrajudicial e arbitral devem ser consideradas como distinção e reconhecimento da capacidade e honorabilidade do contador. 871/00. em consonância com a legislação vigente e as normas estabelecidas pela Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileiras . quando parte do objeto da perícia assim o requerer. quando parte do objeto da perícia assim o requerer. É permitida a utilização da certificação digital. A indicação ou a contratação para o exercício da atribuição de perito-contador assistente. devendo este escusar-se do encargo sempre que reconhecer não ter competência técnica ou não dispor de estrutura profissional para desenvolvê-lo. podendo utilizar o serviço de especialistas de outras áreas. em processo judicial. HABILITAÇÃO PROFISSIONAL O perito deve comprovar sua habilitação profissional por intermédio da Declaração de Habilitação Profissional – DHP. devendo este recusar os serviços sempre que reconhecer não estar capacitado a desenvolvê-los. a contratação e a escolha do perito-contador para o exercício da função pericial contábil. devendo . a fim de esclarecer o objeto da perícia de forma técnica-científica e o perito contador assistente para subsidiar na defesa da parte que o indicou. A nomeação. em processo extrajudicial. quando parte do objeto do seu trabalho assim o requerer. devem ser consideradas como distinção e reconhecimento da capacidade e da honorabilidade do contador. não implica presunção de incapacidade do perito.

Tratando-se de perícia extrajudicial. ou comprovar algo que dependa de conhecimento técnico-científico. no exercício de suas atividades. INDEPENDÊNCIA O perito deve evitar qualquer interferência que possa constrangê-lo em seu trabalho. regularmente. identificação do número do processo e local de sua tramitação. denunciando a quem de direito a eventual ocorrência da situação descrita. subordinar sua apreciação a qualquer fato. IMPEDIMENTO E SUSPEIÇÃO São situações fáticas ou circunstanciais que impossibilitam o perito de exercer. relatado no laudo pericial contábil ou no parecer pericial contábil para conhecimento do julgador. A indicação ou a contratação de perito-contador assistente ocorre quando a parte ou contratante desejar ser assistida por um contador. suas funções ou realizar atividade pericial em processo judicial ou extrajudicial. EDUCAÇÃO CONTINUADA O perito. não admitindo. das partes ou dos contratantes. discernimento e irrestrita independência para a realização do trabalho.66 tal fato ser. razão pela qual o profissional só deve aceitar o encargo se reconhecer estar capacitado com conhecimento suficiente. formalmente. na forma a ser regulamentada pelo Conselho Federal de Contabilidade. Para efeito de controle técnico dos laudos periciais e pareceres periciais contábeis. para os quais foram utilizados a DHP. Os itens previstos nesta Norma explicitam os conflitos . situação ou efeito que possa comprometer sua independência. deve comprovar a participação em programa de educação continuada. os Conselhos Regionais de Contabilidade devem manter relatórios atualizados contendo. inclusive arbitral. inclusive arbitral. no mínimo. pessoa. devem ser indicadas as partes para as quais foram utilizadas tais declarações. em nenhuma hipótese.

consangüíneo ou afim. mediato ou imediato. o perito-contador assistente deve comunicar a ela sua recusa. justificando a escusa ou o motivo do impedimento. devidamente justificada por escrito. no resultado do trabalho pericial. tiver mantido. em linha reta ou em linha colateral até o terceiro grau. escolhido ou indicado quando ocorrerem às situações previstas nesta Norma. Para que o perito possa exercer suas atividades com isenção. após. no prazo legal. nos itens abaixo. Quando nomeado em juízo. direto ou indireto. contratado. ou ocorrendo pelo menos uma das seguintes situações: for parte do processo. relação de trabalho como empregado. ou mantenha com alguma das partes ou seus procuradores. nomeado. Impedimento legal O perito-contador nomeado ou escolhido deve se declarar impedido quando não puder exercer suas atividades com imparcialidade e sem qualquer interferência de terceiros. administrador ou colaborador assalariado. em linha reta ou em linha colateral até o terceiro grau. tiver atuado como perito contador contratado ou prestado depoimento como testemunha no processo. nos últimos dois anos. . é fator determinante que ele se declare impedido.67 de interesse motivadores dos impedimentos e das suspeições a que está sujeito o perito nos termos da legislação vigente e do Código de Ética Profissional do Contabilista. consangüíneo ou afim. tiver cônjuge ou parente. com cópia ao juízo. postulando no processo ou entidades da qual esses façam parte de seu quadro societário ou de direção. o perito deve dirigir petição. por seu cônjuge ou parente. Quando indicado pela parte e não aceitando o encargo. por si. tiver interesse.

ou em que o perito-contador assistente for indicado. após. desta maneira. Impedimento técnico-científico O impedimento por motivos técnico-científicos a ser declarado pelo perito decorre da autonomia. contratado ou escolhido. São motivos de impedimento técnico-científico: a matéria em litígio não ser de sua especialidade. sem previamente comunicar ao contratante.68 exercer cargo ou função incompatível com a atividade de perito-contador. comprometer o resultado do seu trabalho em relação à decisão. Suspeição O perito-contador nomeado ou escolhido deve declarar-se suspeito quando. . receber dádivas de interessados no processo. a constatação de que os recursos humanos e materiais de sua estrutura profissional não permitem assumir o encargo. bens ou coisas sem autorização ou conhecimento do juiz ou árbitro. cumprir os prazos nos trabalhos em que o perito contador for nomeado. direto ou indireto em atividade contábil ou em processo no qual o objeto de perícia seja semelhante àquele da discussão. e receber quaisquer valores e benefícios. nomeado. subministrar meios para atender às despesas do litígio. contratado ou escolhido verificar a ocorrência de situações que venha suscitar suspeição em função da sua imparcialidade ou independência e. ter o perito-contador da parte atuado para a outra parte litigante na condição de consultor técnico ou contador responsável. estrutura profissional e da independência que devem possuir para ter condições de desenvolver de forma isenta o seu trabalho. em função de impedimentos legais ou estatutários.

de alguma forma.69 Os casos de suspeição aos quais estão sujeitos o perito-contador são os seguintes: ser amigo íntimo de qualquer das partes. SIGILO O perito. deve respeitar e assegurar o sigilo das informações a que teve acesso. para efetuarem a fiscalização do exercício profissional . ser herdeiro presuntivo ou donatário de alguma das partes ou dos seus cônjuges. O perito pode ainda declarar-se suspeito por motivo íntimo . de parentes destes em linha reta ou em linha colateral até o terceiro grau ou entidades das quais esses façam parte de seu quadro societário ou de direção. parte envolvida no litígio acerca do objeto da discussão. ser devedor ou credor em mora de qualquer das partes. ser parceiro. e houver qualquer interesse no julgamento da causa em favor de alguma das partes. proibida a sua divulgação. dos seus cônjuges. em obediência ao Código de Ética Profissional do Contabilista. aconselhar. empregador ou empregado de alguma das partes. ser inimigo capital de qualquer das partes. Os empregados designados pelo Conselho Federal de Contabilidade e Conselhos Regionais de Contabilidade. salvo quando houver obrigação legal de fazê-lo. O dever de sigilo subsiste mesmo na hipótese de o profissional se desligar do trabalho antes de tê-lo concluído.

da ética e do direito. Responsabilidade e ética A responsabilidade do perito decorre da relevância que o resultado de sua atuação pode produzir para solução da lide. ética e profissionalmente por seus atos. em especial. sob pena de responder civil. apresentando suas razões. O perito-contador no desempenho de suas funções deve propugnar pela imparcialidade. O termo “responsabilidade” refere-se à obrigação do perito em respeitar os princípios da moral. dispensando igualdade de tratamento às partes e especialmente aos . às quais está sujeito no momento em que aceita o encargo para a execução de perícias contábeis judiciais e extrajudiciais. em colaboração com o Poder Judiciário aceitar o encargo confiado. A responsabilidade ética do perito decorre da necessidade do cumprimento dos princípios éticos. atuando com lealdade. ou escusar-se do encargo. RESPONSABILIDADE O perito deve conhecer as responsabilidades sociais. idoneidade e honestidade no desempenho de suas atividades. sempre que possível e não houver prejuízo aos seus compromissos profissionais e suas finanças pessoais. éticas. inclusive arbitral. Cumpre ao perito-contador no exercício de seu ofício atuar com independência. Ciente do livre exercício profissional deve o perito-contador. na condição de perito-contador do juízo. os estabelecidos no Código de Ética Profissional do Contabilista e nesta Norma.70 devem ter competência legal similar à requerida do perito para o trabalho por ele realizado. e assumem compromisso de sigilo profissional semelhante. criminal. profissionais e legais. no prazo legal.

ZELO PROFISSIONAL O termo “zelo” para o perito refere-se ao cuidado que o mesmo deve dispensar na execução de suas tarefas. entre outros. trabalho técnicocientífico anteriormente publicado pelo perito-contador que verse sobre o tema objeto da perícia. as quais consistem em multa.71 perito-contadores assistentes. Não se considera parcialidade. aos integrantes da lide e aos demais profissionais. inclusive arbitral. conseqüentemente. prazos. A legislação penal estabelece penas de multa. de forma que sua pessoa seja respeitada. . em relação à sua conduta. o laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil dignos de fé pública. tratamento dispensado às autoridades. quando solicitado. documentos. desde que se assegure igualdade de oportunidade à outra parte. detenção e reclusão para os profissionais que exercem a atividade pericial que vierem a descumprir as normas legais. seu trabalho levado a bom termo e. indenização e inabilitação. os seguintes: atender a uma das partes ou perito-contadores assistentes. Responsabilidade civil e penal A legislação civil determina responsabilidades e penalidades para o profissional que exerce a função de perito-contador. O zelo profissional do perito na realização dos trabalhos periciais compreende: cumprir os prazos fixados pelo juiz em perícia judicial e nos termos contratados em perícia extrajudicial.

ser prudente. tais como: digitação. e atento às conseqüências advindas dos seus atos. . de medicina para subsidiar a perícia contábil em cálculo de indenização de perdas e danos. economicidade. ao conteúdo técnico-científico. ser receptivo aos argumentos e críticas. pesquisas e análises contábeis. A transparência e o respeito recíproco entre o perito-contador e o perito-contador assistente pressupõem tratamento impessoal. no limite dos aspectos técnico-científicos.72 assumir a responsabilidade pessoal por todas as informações prestadas. exclusivamente. quesitos respondidos. podendo ratificar ou retificar o posicionamento anterior. propugnar pela celeridade processual. publicidade dos atos periciais. cálculos e pesquisas pertinentes. deve certificar-se de que eles se encontram em situação regular perante o seu conselho profissional. O perito é responsável pelo trabalho de sua equipe técnica. valendo-se dos meios que garantam eficiência. segurança. restringindo os trabalhos. prestar os esclarecimentos determinados pelo juiz ou pelo árbitro. a qual compreende os auxiliares para execução do trabalho complementar do laudo pericial contábil e/ou parecer pericial contábil. São exemplos de laudos interprofissionais para subsidiar a perícia contábil: avaliação de engenharia. respeitados os prazos legais ou contratuais. o contraditório e a ampla defesa. procedimentos adotados. valores apurados e conclusões apresentadas no Laudo Pericial Contábil e no Parecer Pericial Contábil. para apuração de danos emergentes ou lucros cessantes. diligências realizadas. O perito ao contratar os serviços de profissionais de outras profissões regulamentadas.

os prazos necessários para a execução dos trabalhos. pode valer-se das apurações e conclusões ali constantes. deve o perito-contador requerer a sua dilação antes de vencido aquele. . São exemplos de trabalho de especialista: analista de sistema. o perito deve estipular. desde que parte da matéria-objeto da perícia assim o requeira. é de responsabilidade exclusiva do perito. atuário. junto com a proposta de honorários e com a descrição dos serviços a executar. A realização de diligências para busca de provas. Sempre que não for possível concluir o laudo pericial contábil no prazo fixado pelo juiz. podendo mediante delegação expressa autorizar terceiros. quando necessária. o perito deve prestar esclarecimentos sobre o conteúdo do laudo pericial contábil ou do parecer pericial contábil. apresentando os motivos que ensejaram a solicitação. em atendimento a determinação do juiz ou árbitro que preside o feito ou a pedido das partes. geólogo. de comum acordo com o contratante. na arrecadação de elementos de prova. especialista em obras de artes e outros avaliadores. Tal obrigação assumida pelo perito perante o julgador ou contratante não exime o especialista contratado da responsabilidade pelo trabalho executado.73 de perito criminal em documentos. Na perícia extrajudicial. o especialista nomeado pelo juiz deve protocolizar o seu laudo em juízo e o perito-contador. Neste caso. tecnólogo. ou perito-contador assistente. cópia e grafotécnica para reconhecer a autenticidade ou a falsidade de documentos. UTILIZAÇÃO DE TRABALHO DE ESPECIALISTA O perito pode valer-se de especialistas de outras áreas para a realização do trabalho. ESCLARECIMENTOS Em defesa de sua conduta técnica profissional.

As horas estimadas para a realização de cada fase do trabalho é o tempo despendido para a realização da perícia. penais. à dimensão determinada pelo volume de trabalho. o vulto. profissionais e outras de caráter específico a que poder estar sujeito o perito. O vulto está relacionado ao valor da causa no que se refere ao objeto da perícia.74 HONORÁRIOS Na elaboração da proposta de honorários. o tempo necessário ao recebimento. a quantidade de horas. estando os mesmos sob sua orientação direta e inteira responsabilidade. Deve ser considerado também o ineditismo da matéria periciada. entre outros fatores. a complexidade. . e ao tempo transcorrido entre o fato a ser periciado e a realização da perícia. à dificuldade em obter os elementos necessários para a fundamentação do laudo pericial contábil. o risco. A relevância é entendida como a importância da perícia no contexto social e sua essencialidade para dirimir as dúvidas de caráter técnico-científico contábil. o pessoal técnico. o perito dever considerar os seguintes fatores: a relevância. quando aplicável. o prazo estabelecido. Igualmente. suscitadas em demanda judicial ou extrajudicial. O pessoal técnico é formado pelos auxiliares que integram a equipe de trabalho do perito. O risco compreende a possibilidade do honorário pericial não ser integralmente recebido. e à abrangência pelas áreas de conhecimento envolvidas. a forma de recebimento e os laudos interprofissionais. devem ser levadas em consideração as implicações cíveis. A complexidade está relacionada à dificuldade técnica para a realização do trabalho pericial em decorrência do grau de especialização exigido. mensurado em horas trabalhadas pelo perito-contador. bem como a antecipação das despesas necessárias à execução do trabalho.

realização de planilhas de cálculos. fiscais e societários.75 O prazo determinado nas perícias judiciais ou contratado nas extrajudiciais deve ser levado em conta nas propostas de honorários. quando possível. laudos interprofissionais. elaboração de termos de diligências para arrecadação de provas e comunicações às partes. quadros. Os laudos interprofissionais e outros inerentes ao trabalho são peças técnicas executadas por perito qualificado e habilitado na forma definida no Código de Processo Civil e de acordo com o conselho profissional ao qual estiver vinculado. gráficos. realização de diligências. por etapa e por qualificação dos profissionais (auxiliares. terceiros e perito-contadora assistentes. pesquisa documental e exame de livros contábeis. considerando-se eventual exigüidade do tempo que requeira dedicação exclusiva do perito e da sua equipe para a consecução do trabalho. Elaboração de proposta O perito deve elaborar a proposta de honorários estimando. leitura e interpretação do processo. etc. O prazo médio habitual de liquidação compreende o tempo necessário para recebimento dos honorários. o número de horas para a realização do trabalho. . simulações e análises de resultados.) considerando os trabalhos a seguir especificados: retirada e entrega dos autos. seniores. assistentes.

alimentação. despesas com viagens. hospedagens. outros trabalhos com despesas supervenientes. Quesitos de esclarecimentos O oferecimento de respostas aos quesitos de esclarecimentos formulados pelo juiz e/ou pelas partes podem não ensejar novos honorários periciais. O perito deve considerar. que esta não contempla os honorários relativos a quesitos suplementares e. uma vez que as partes podem formulá-los com essa denominação. em sua proposta de honorários. os seguintes itens: relevância e valor da causa. prazos para execução da perícia. observando os mesmos critérios adotados para elaboração da proposta anterior. reuniões com perito-contadora assistentes. local da coleta de provas e realização da perícia. transporte. se estes forem formulados pelo juiz e/ou pelas partes. Quesitos suplementares O perito deve ressaltar. na proposta de honorários. situação em que o trabalho deve ser remunerado na forma prevista . O perito-contador deve analisar com zelo os quesitos de esclarecimentos. mas serem quesitos suplementares.76 elaboração do laudo. se forem apresentados para obtenção de detalhes do trabalho realizado. etc. quando for o caso.. revisão final. pode haver incidência de honorários suplementares a serem requeridos.

O perito contador assistente deve adotar. as obrigações das partes e os honorários profissionais. pelo perito-contador em conformidade com os dispositivos do Código de Processo Civil. podendo. Apresentação de proposta dos honorários O perito-contador deve apresentar sua proposta de honorários. celebrará com o seu cliente. estes podem ser executados. previamente depositados.77 no item 63. Execução de honorários periciais Quando os honorários periciais forem fixados por decisão judicial. no mínimo. devidamente fundamentada. Para tanto. pela caracterização de quesito suplementar. para tanto. mediante “Contrato Particular de Prestação de Serviços Profissionais de Perícia Contábil”. obrigatoriamente. o perito-contador poderá requerer honorários suplementares. observando as normas estabelecidas pelo Conselho Federal de Contabilidade. utilizar-se dos parâmetros estabelecidos nesta Norma com relação aos honorários do perito contador. O perito-contador assistente deve estabelecer. . O perito-contador assistente deve explicitar a sua proposta no contrato que. na mesma petição em que requer a juntada do laudo pericial aos autos. o objeto. justificando o pleito. o modelo constante nesta Norma referente ao seu contrato de prestação de serviços. judicialmente. ao juízo ou contratante. O perito-contador pode requerer a liberação parcial dos honorários quando julgar necessário para o custeio de despesas durante a realização dos trabalhos. Levantamento dos honorários O perito-contador deve requerer o levantamento dos honorários periciais. podendo conter o orçamento ou este constituir-se em um documento anexo.

desde que não estejam contempladas ou quantificadas na proposta inicial de honorários. tais como viagens e estadas. . o perito deve requerer ao juízo ou solicitar ao contratante o pagamento das despesas. apresentando a respectiva comprovação.78 Despesas supervenientes na execução da perícia Nos casos em que houver necessidade de desembolso para despesas supervenientes. para a realização de outras diligências.

243/09 .79 ANEXO B – Resolução do CFC nº 1.

de 29/10/99.021/05 e 1.80 RESOLUÇÃO CFC Nº. 1. RESOLVE: Art. Esta Resolução entra em vigor a partir de 1º. 11/06/02. Aprovar a NBC TP 01 – Perícia Contábil. respectivamente. 938/02. .O. a partir de 1º. de modo a manter permanente justaposição e ajustamento entre o trabalho a ser realizado e o modo ou processo dessa realização. Contadora Maria Clara Cavalcante Bugarim Presidente. 940/02. as Resoluções CFC nº. Art. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE. 11/06/02. 1º. De janeiro de 2010. Art.041/05.U. CONSIDERANDO que a constante evolução e a crescente importância da perícia contábil exigem atualização e aprimoramento das normas endereçadas à sua regência. Seção I.. 858/99. 1. publicadas no D. 11/06/02. 2º. de janeiro de 2010. no exercício de suas atribuições legais e regimentais. 10 de dezembro de 2009. 985/03. 28/11/03. Brasília.243/09 Aprova a NBC TP 01 – Perícia Contábil. 939/02. 22/04/05 e 22/09/05. Ficam revogadas. 3º.

46 33 34 .79 80 81 .86 87 88 Item 1 2-5 6 . mediante o esclarecimento dos aspectos e dos fatos 85 .81 Ata CFC Nº. 932 NORMAS BRASILEIRAS DE CONTABILIDADE NBC TP 01 – PERÍCIA CONTÁBIL Índice OBJETIVO CONCEITO EXECUÇÃO PROCEDIMENTOS PLANEJAMENTO Objetivos Desenvolvimento Riscos e custos Equipe técnica Cronograma Conclusão TERMO DE DILIGÊNCIA Aplicabilidade Estrutura LAUDO E PARECER PERICIAL CONTÁBIL Apresentação do laudo e do parecer pericial contábil Terminologia Estrutura Assinatura em conjunto Laudo e parecer de leigo ou profissional não habilitado Esclarecimentos do laudo e do parecer pericial contábil em Audiência Quesitos e respostas Quesitos novos MODELOS OBJETIVO 14.88 60 .54 55 .30 31 .38 39 40 .56 57 .83 84 . no âmbito judicial.17 18 . Esta Norma estabelece regras e procedimentos técnico-científicos a serem observados pelo perito. extrajudicial. quando da elaboração de perícia contábil.41 42 .45 46 47 .66 67 .56 49 . inclusive arbitral.

O perito-contador assistente pode. 20.82 do litígio por meio de exame. A perícia contábil constitui o conjunto de procedimentos técnico-científicos destinados a levar à instância decisória elementos de prova necessários a subsidiar à justa solução do litígio ou constatação de um fato. Entendese como perícia judicial aquela exercida sob a tutela da justiça. Perícia voluntária é aquela contratada espontaneamente pelo interessado ou de comum acordo entre as partes. o perito deve ater-se ao objeto e ao lapso temporal da perícia a ser realizada. de perícia criminal e do Ministério Público. 18. 23. avaliação. com a devida . deve zelar por sua guarda e segurança. para o fornecimento de documentos em poder da parte que o contratou e ainda para a execução conjunta da perícia. 22. A perícia contábil. O laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil têm por limite os próprios objetivos da perícia deferida ou contratada. A perícia extrajudicial é aquela exercida no âmbito arbitral. vistoria. A eventual recusa no atendimento a diligências solicitadas ou qualquer dificuldade na execução do trabalho pericial deve ser comunicada. Mediante termo de diligência. o perito-contador pode permitir ao assistente técnico acesso aos autos e aos elementos de prova arrecadados durante a perícia. mediante laudo pericial contábil e/ou parecer pericial contábil. tão logo tenha conhecimento da perícia. 16. requerendo dossiê completo do processo para conhecimento dos fatos e melhor acompanhamento dos atos processuais no que pertence a perícia. e a legislação específica no que for pertinente. logo após sua contratação. 24. manter contato com o perito-contador. indicando local e hora para exame pelo assistente técnico. EXECUÇÃO 19. em conformidade com as normas jurídicas e profissionais. A perícia arbitral é aquela exercida sob o controle da lei de arbitragem. investigação. arbitramento. tanto a judicial como a extrajudicial. indagação. estatal ou voluntária. O perito-contador assistente pode. é de competência exclusiva de contador registrado em Conselho Regional de Contabilidade. O perito. ou certificação. pondo-se à disposição para o planejamento. enquanto estiver de posse do processo ou de documentos. 21. tais como perícia administrativa das Comissões Parlamentares de Inquérito. Perícia no âmbito estatal é executada sob o controle de órgão do estado. o perito deve solicitar por escrito todos os documentos e informações relacionadas ao objeto da perícia. 17. CONCEITO 15. Para a execução da perícia contábil. manter contato com o advogado da parte que o contratou. Uma vez recusada à participação.

dados e particularidades de interesse da perícia. arbitramento. ao juízo. declarações. 28. cópia ou certidão. depoimentos. O perito deve manter registros dos locais e datas das diligências. que foram considerados relevantes. segundo a natureza e a complexidade da matéria. investigação. por intermédio de termos de diligência. O exame é a análise de livros. 34. meios eletrônicos. 33. quando incluir a utilização de equipe técnica. mensuração. plantas. . registros das transações e documentos. ou à parte contratante. livros e documentos ou coisas examinadas ou arrecadadas.83 comprovação ou justificativa. fotografias. cumprirá. Eles integram um processo organizado de registro de provas. com vistas a instruir o laudo pericial contábil ou parecer pericial contábil com as peças que julgarem necessárias. Os procedimentos de perícia contábil visam fundamentar as conclusões que serão levadas ao laudo pericial contábil ou parecer pericial contábil. 30. 26. na elaboração das estratégias a serem adotadas na proposição de solução por acordo ou demanda. nomes das pessoas que os atenderem. deve ser realizada sob a orientação e supervisão do perito. 27. de forma circunstancial. total ou parcialmente. A execução da perícia. coisa ou fato. indagação. A indagação é a busca de informações mediante entrevista com conhecedores do objeto ou de fato relacionado à perícia. e abrangem. no que couber. juntando o elemento de prova original. O perito deve utilizar os meios que lhe são facultados pela legislação e normas concernentes ao exercício de sua função. O perito-contador assistente que assessorar o contratante. em se tratando de perícia judicial. correspondências. no caso de perícia extrajudicial. A vistoria é a diligência que objetiva a verificação e a constatação de situação. visando fundamentar o laudo ou parecer e comprovar que a perícia foi executada de acordo com os despachos e decisões judiciais. exame. vistoria. 25. 29. 32. Entende-se por papéis de trabalho a documentação preparada pelo perito para a execução da perícia. avaliação e certificação. devendo assegurar-se que as pessoa contratadas estejam profissionalmente capacitadas à execução. notificações. os requisitos desta Norma. desenhos. PROCEDIMENTOS 31. informações em papel. O perito deve documentar os elementos relevantes que serviram de suporte à conclusão formalizada no laudo pericial contábil e no parecer pericial contábil. quando julgarem necessário e possível. por meio de papéis de trabalho. bem como as normas legais e Normas Brasileiras de Contabilidade. que assume a responsabilidade pelos trabalhos. comunicações ou outros quaisquer meios de prova fornecidos e peças que assegurem o objetivo da execução pericial. rubricando a documentação examinada.

não pode emitir parecer pericial contábil contrário ao laudo. O arbitramento é a determinação de valores ou a solução de controvérsia por critério técnico-científico. na qual o perito estabelece os procedimentos gerais dos exames a serem executados no âmbito judicial. 43. que antecede as diligências. cálculos e respostas aos quesitos. Objetivos 46. elaborando-o a partir do exame do objeto da perícia. Os objetivos do planejamento da perícia são: (a) conhecer o objeto da perícia. 38. bens. A avaliação é o ato de estabelecer o valor de coisas. ao perito-contador assistente. direitos. informando-lhe a data em que o laudo pericial contábil será protocolizado. O planejamento da perícia é a etapa do trabalho pericial. depois de concluído seu trabalho. O perito-contador assistente. 36. 45. 40. extrajudicial para o qual foi nomeado. o árbitro ou o interessado a tomar a decisão a respeito da lide. em conjunto com o perito contador. . a qual subsidiará o juízo. A mensuração é o ato de qualificação e quantificação física de coisas. O perito-contador. apresentar um parecer pericial contábil sobre a matéria investigada. bens. 41. fornecerá. conferindo-lhe caráter de autenticidade pela fé pública atribuída a este profissional. direitos e obrigações. despesas e receitas. em laudo pericial contábil. PLANEJAMENTO 44. obedecendo aos respectivos prazos. A investigação é a pesquisa que busca trazer ao laudo pericial contábil ou parecer pericial contábil o que está oculto por quaisquer circunstâncias. pesquisas. 39. o programa de trabalho é a especificação de cada etapa a ser realizada que deve ser elaborada com base nos quesitos e/ou no objeto da perícia. devendo. quando solicitado. O perito-contador assistente não pode firmar o laudo pericial quando o documento tiver sido elaborado por leigo ou profissional de outra área. Concluídas as diligências. obrigações. a fim de permitir a adoção de procedimentos que conduzam à revelação da verdade. Enquanto o planejamento da perícia é um procedimento prévio abrangente que se propõe a estabelecer todas as etapas da perícia. A certificação é o ato de atestar a informação trazida ao laudo pericial contábil pelo perito-contador. cópia do laudo. ao apor a assinatura. 37. indicado ou contratado. e o perito-contador assistente seu parecer pericial contábil. o perito-contador apresentará laudo pericial contábil.84 35. neste caso. 42.

(g) estabelecer como ocorrerá a divisão das tarefas entre os membros da equipe de trabalho. (f) identificar a legislação aplicável ao objeto da perícia. em consonância com o objeto da perícia. documentos. laudos e pareceres já realizados e outras informações que forem identificadas como pertinentes para determinar a natureza do trabalho a ser executado. (d) identificar potenciais problemas e riscos que possam vir a ocorrer no andamento da perícia. despesas com pessoal e encargos sociais. 50. (h) facilitar a execução e a revisão dos trabalhos. (e) identificar fatos que possam vir a ser importantes para a solução da demanda de forma que não passem despercebidos ou não recebam a atenção necessária. se não declarada à preclusão de prova documental. ainda que o trabalho venha a ser realizado de forma conjunta com o perito-contador assistente. Os documentos dos autos servem como suporte para obtenção das informações necessárias à elaboração do planejamento da perícia. com vistas a elaborar a proposta de honorários. Em caso de ser identificada a necessidade de realização de diligências. na etapa de elaboração do planejamento. O planejamento da perícia deve ser mantido por qualquer meio de registro que facilite o entendimento dos procedimentos a serem adotados e sirva de orientação adequada à execução do trabalho. na fase de elaboração do planejamento. dos quesitos ou da proposta de honorários oferecida pelo perito. O planejamento deve ser revisado e atualizado sempre que fatos novos surjam no decorrer da perícia. livros contábeis. a oportunidade e a extensão dos exames a serem realizados. Equipe técnica . O planejamento deve ser realizado pelo perito-contador. deve avaliar os riscos decorrentes de responsabilidade civil. a legislação aplicável. os termos constantes da nomeação. fiscais e societários. sempre que o perito necessitar de auxiliares.85 (b) definir a natureza. Riscos e custos 52. O perito. depreciação de equipamentos e despesas com manutenção do escritório. 48. 49. podendo este orientar-se no referido planejamento. devem ser considerados. Desenvolvimento 47. 51. registros. (c) estabelecer condições para que o trabalho seja cumprido no prazo estabelecido.

86

53. Quando a perícia exigir a necessidade de utilização de trabalho de terceiros (equipe de apoio, trabalho de especialistas ou profissionais de outras áreas de conhecimento), o planejamento deve prever a orientação e a supervisão do perito, que assumirá responsabilidade pelos trabalhos executados exclusivamente por sua equipe de apoio. 54. Quando a perícia exigir a utilização de perícias interdisciplinares ou trabalho de especialistas, estes devem estar devidamente registrados em seus conselhos profissionais, quando aplicável, devendo o planejamento contemplar tal necessidade. Cronograma 55. O perito-contador deve levar em consideração que o planejamento da perícia, quando for o caso, inicia-se antes da elaboração da proposta de honorários, considerando-se que, para apresentá-la ao juízo, árbitro ou às partes no caso de perícia extrajudicial, há necessidade de se especificar as etapas do trabalho a serem realizadas. Isto implica que o perito-contador deve ter conhecimento prévio de todas as etapas, salvo aquelas que somente serão identificadas quando da execução da perícia, inclusive a possibilidade da apresentação de quesitos suplementares, o que será objeto do ajuste no planejamento. 56. O planejamento da perícia deve evidenciar as etapas e as épocas em que serão executados os trabalhos, em conformidade com o conteúdo da proposta de honorários a ser apresentada, incluindo-se a supervisão e a revisão do próprio planejamento, os programas de trabalho quando aplicáveis, até a entrega do laudo. 57. No cronograma de trabalho, devem ficar evidenciados, quando aplicáveis, todos os itens necessários à execução da perícia, tais como: diligências a serem realizadas, deslocamentos, necessidade de trabalho de terceiros, pesquisas que serão feitas, elaboração de cálculos e planilhas, respostas aos quesitos, prazo para entrega do laudo e outros, de forma a assegurar que todas as etapas necessárias à realização da perícia sejam cumpridas. 58. Para cumprir o prazo determinado ou contratado para realização dos trabalhos de perícia, o perito deve considerar em seus planejamentos, quando aplicáveis, entre outros, os seguintes itens: (a) o conteúdo da proposta de honorários apresentada pelo perito-contador e aceita pelo juízo, pelo árbitro ou pelas partes no caso de perícia extrajudicial ou pelo peritocontador assistente; (b) o prazo suficiente para solicitar e receber os documentos, bem como para a execução e a entrega do trabalho; (c) a programação de viagens, quando necessárias. Conclusão 59. A conclusão do planejamento da perícia ocorre quando o perito-contador completar as análises preliminares, dando origem, quando for o caso, à proposta de honorários (nos casos em que o juízo ou o árbitro não tenha fixado, previamente,

87

honorários definitivos), aos termos de diligências e aos programas de trabalho. Um modelo de planejamento para perícia judicial encontra-se em anexo ao final desta Norma. TERMO DE DILIGÊNCIA 60. Termo de diligência é o instrumento por meio do qual o perito solicita documentos, coisas, dados, bem como quaisquer informações necessárias à elaboração do laudo pericial contábil ou do parecer pericial contábil. 61. Servirá ainda para a execução de outros trabalhos que tenham sido a ele determinados ou solicitados por quem de direito, desde que tenham a finalidade de orientar ou colaborar nas decisões, judiciais ou extrajudiciais. Aplicabilidade 62. O termo de diligência deve ser redigido pelo perito, ser apresentado diretamente à parte, ao seu procurador, ou ao terceiro, por qualquer meio escrito que se possa documentar a sua entrega, contendo minuciosamente o rol dos documentos, livros, coisas, ou outros dados de que se necessite para a elaboração do laudo pericial contábil ou parecer pericial contábil. 63. Diligenciado é qualquer pessoa física ou jurídica, inclusive de direito público, que tenha a posse de documentos, coisas, dados ou informações úteis e indispensáveis para subsidiar a elaboração do laudo pericial contábil ou do parecer pericial contábil, e que o destinatário, por decorrência legal ou determinação de autoridade competente, esteja obrigado a fornecer elementos de prova. 64. O perito deve observar os prazos a que está obrigado por força de determinação legal, e dessa forma, sempre mencionar o tempo máximo para o cumprimento da solicitação a que está obrigado o diligenciado. 65. O termo de diligência deve conter, quando possível, a relação dos documentos, coisas ou dados que o perito tenha mencionado em petição de honorários judicial ou em contrato. 66. Deve ser apensada ao laudo ou parecer cópia do termo de diligência contendo o ciente do diligenciado ou do seu representante legal. Deve compor o texto do laudo, as informações colhidas ou não durante as buscas das provas, bem como as providências tomadas para o cumprimento do seu ofício. 67. Caso ocorra a negativa da entrega dos elementos de prova ou para a colaboração na busca da verdade, deve o perito se reportar diretamente a quem o nomeou, contratou ou indicou, narrando os fatos por meio de provas e solicitando as providências cabíveis e necessárias, para que não seja imputado responsabilidade por omissão na atividade profissional. Estrutura 68. O termo de diligência deve conter os seguintes elementos:

88

(a) identificação do diligenciado; (b) identificação das partes ou dos interessados, e, em se tratando de perícia judicial ou arbitral, o número do processo, o tipo e o juízo em que tramita; (c) identificação do perito com indicação do número do registro profissional no Conselho Regional de Contabilidade; (d) indicação de que está sendo elaborado nos termos do item 49 desta Norma; (e) indicação detalhada dos livros, documentos, coisas e demais elementos a serem periciados, consignando as datas e/ou períodos abrangidos, podendo identificar o quesito a que se refere; (f) indicação do prazo e do local para a exibição dos livros, documentos, coisas e elementos necessários à elaboração do laudo pericial contábil ou parecer pericial contábil, devendo o prazo ser compatível com aquele concedido pelo juízo, contratante ou convencionado pelas partes, considerada a quantidade de documentos, as informações necessárias, a estrutura organizacional do diligenciado e o local de guarda dos documentos; (g) após atendidos os requisitos da alínea (e), quando o exame dos livros, documentos, coisas e elementos, tiver de ser realizado junto à parte ou ao terceiro que detém em seu poder tais provas, haverá a indicação da data e hora para sua efetivação; (h) local data e assinatura. 69. O perito elaborará o termo de diligência, podendo adotar os modelos sugeridos em anexo ao final desta Norma. LAUDO E PARECER PERICIAL CONTÁBIL 70. O Decreto-Lei nº 9.295/46, na alínea “c” do art. 25, determina que o laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil somente sejam elaborados por contador que esteja devidamente registrado e habilitado em Conselho Regional de Contabilidade. 71. O laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil são documentos escritos, nos quais os peritos devem registrar, de forma abrangente, o conteúdo da perícia e particularizar os aspectos e as minudências que envolvam o seu objeto e as buscas de elementos de prova necessários para a conclusão do seu trabalho. 72. Obriga a Norma que os peritos, no encerramento do laudo pericial contábil ou do parecer pericial contábil, consignem, de forma clara e precisa, as suas conclusões. Apresentação do laudo e do parecer pericial contábil 73. O laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil são orientados e conduzidos pelo perito-contador e pelo perito-contador assistente, respectivamente, que adotarão padrão próprio, respeitada a estrutura prevista nesta Norma. Neles

Forma circunstanciada: a redação pormenorizada. Tratando-se de termos técnicos atinentes à profissão contábil. O perito não deve utilizar-se dos espaços marginais ou interlineares para lançar quaisquer escritos no laudo pericial contábil e parecer pericial contábil. O laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil não devem conter documentos. Terminologia 80. O laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil devem contemplar o resultado final de todo e qualquer trabalho alcançado por meio de elementos de prova inclusos nos autos ou adquiridos em diligências que o perito-contador tenha efetuado. ou produzir emendas ou rasuras. as diligências executadas para a busca de elementos de prova necessários. por intermédio de peças contábeis e quaisquer outros documentos. bem como a legislação de regência da profissão contábil. 75. que qualifique o trabalho pericial. tipos e formas. seqüencial e lógica. ser acrescidos de esclarecimentos adicionais e recomendada a utilização daqueles de maior domínio público. e/ou informações que conduzam a duvidosa interpretação. Síntese do objeto da perícia: o relato sucinto de forma que resulte numa leitura compreensiva dos fatos relatados ou na transcrição resumida dos fatos da lide sobre as questões básicas que resultaram na nomeação ou na contratação do perito. os resultados devidamente fundamentados e as suas conclusões. 81. devem quando necessário. para que não induza os julgadores e interessados a erro. respeitadas as Normas Brasileiras de Contabilidade. de forma que possibilite os julgadores a proferirem justa decisão. os estudos e observações realizadas. de modo a se obter uma redação técnica. sempre com conteúdo claro e limitado ao assunto da demanda. o objeto da perícia. 79. 76. possibilitando aos julgadores e às partes da demanda conhecimento e interpretação dos resultados obtidos nos trabalhos periciais contábeis. Os peritos devem elaborar o laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil utilizando-se do vernáculo. efetuada com cautela e detalhamento em relação aos procedimentos e aos resultados do laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil. clara e objetiva. 77. Devem ser utilizados termos técnicos e o texto conter informações de forma clara. A linguagem adotada pelo perito deverá ser acessível aos interlocutores. O laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil deverão ser escritos de forma direta. 74. coisas.89 devem ser registrados de forma circunstanciada. minuciosa. sendo admitidas apenas palavras ou expressões idiomáticas de outras línguas de uso comum nos tribunais judiciais ou extrajudiciais. devendo atender às necessidades dos julgadores e dos interessados e ao objeto da discussão. Os termos técnicos devem ser inseridos na redação do laudo pericial contábil e do parecer pericial contábil. a metodologia e critérios adotados. 78. .

84. informações ou quaisquer outros elementos de prova. por meio da explicitação da forma pela qual o perito chegou às conclusões da perícia. não impedem outras medidas de ordem civil ou criminal. 86. 85. poderá tomar as seguintes providências: (a) sendo a ofensa escrita ou verbal. 83. porém. bem como todos os subsídios necessários à elaboração do laudo pericial contábil e do parecer pericial contábil. peritos ou advogados. Apêndices: são documentos elaborados pelo perito com o intuito de complementar a argumentação ou elementos de prova. É a faculdade que tem de distinguir como proceder em torno dos fatos alegados. por qualquer das partes. coisas. Pode ainda. Diligência: todos os procedimentos e atos adotados pelo perito na busca de documentos. Ainda são consideradas diligências. Critérios da perícia: procedimentos que servem de norma para julgar ou decidir o caminho que deve seguir o perito na elaboração do trabalho pericial. pelo perito durante as diligências. Palavras e termos ofensivos: o perito que se sentir ofendido por expressões injuriosas. É na conclusão que o perito colocará outras informações que não foram objeto de quietação. as comunicações às partes. Resultados fundamentados: representam as conseqüências do trabalho técnicocientífico do perito. (c) as providências adotadas. de maneira que possa ao final inseri-lo no corpo técnico do laudo pericial contábil e do parecer pericial contábil.90 82. (b) sendo a ofensa escrita ou verbal. . arrecadados ou requisitados. Metodologia: conjunto dos meios dispostos convenientemente para alcançar o resultado da perícia por meio do conhecimento técnico-científico. Anexos: são documentos elaborados pelas partes ou terceiros com o intuito de complementar a argumentação ou elementos de prova. Conclusão: é a quantificação. o perito ofendido pode requerer a autoridade competente que mande riscar os termos ofensivos dos autos ou cassada a palavra. 87. 88. podendo reportar-se a demonstrativos apresentados no corpo do laudo pericial contábil e do parecer pericial contábil ou em documentos. em decorrências de necessidade de arrecadar elementos de prova. de alguma forma. aos peritos-contadores assistentes ou a terceiros. ou petições judiciais. quando possível. no processo. na forma prevista nos itens precedentes. servirão de apoio para a opinião ou julgamento. quando possível. do valor da demanda. o perito ofendido pode requerer a autoridade competente que mande riscar os termos ofensivos dos autos ou cassada a palavra. desde que tais provas não estejam insertas nos autos. mediante termo de diligência. 89. as encontrou na busca dos elementos de prova inerentes ao objeto da perícia e que. ser comunicado o ocorrido mediante protocolo ao Conselho Regional de Contabilidade da sua jurisdição. por qualquer dos peritos. de forma escrita ou verbal.

(e) a conclusão pode ser simplesmente.91 90. no mínimo. observando em suas respostas os mesmos procedimentos adotados quando da feitura do esclarecimento em audiência. considerar as formas explicitadas nos itens seguintes: (a) omissão de fatos: o perito-contador não pode omitir nenhum fato relevante encontrado no decorrer de suas pesquisas ou diligências. O perito deve apresentar ao juiz as alternativas condicionadas às teses apresentadas. caso venha a ser aceita a tese de um ou de outro demandante. o perito so fará por escrito. Estrutura 93. Esclarecimentos: havendo determinação de esclarecimentos do laudo pericial contábil ou do parecer pericial contábil sem a realização de audiência. serem identificados os critérios técnicos que lhes dêem respaldo. condicionada às teses apresentadas pelas partes. casos em que cada uma apresenta uma versão para a causa. 92. no que for aplicável. (c) metodologia adotada para os trabalhos periciais. (e) transcrição e resposta aos quesitos: para o laudo pericial contábil. entre outros. Tal situação deve ser apresentada de forma a não representar a opinião pessoal do perito. na conclusão do laudo pericial contábil e do parecer pericial contábil. . O laudo pericial contábil e o parecer pericial contábil devem conter. elucidativa quanto ao objeto da perícia. devendo. (d) identificação das diligências realizadas. resolução de sociedade. inclusive em processos trabalhistas. como no caso de discussão de índices de atualização e taxas. consignando os resultados obtidos. necessariamente. mesmo que não tenha sido objeto de quesitação e desde que esteja relacionado ao objeto da perícia. quantificação de valores. necessariamente. (d) a conclusão pode ainda reportar-se às respostas apresentadas nos quesitos. Quesitos novos e honorários suplementares: o perito deve observar os quesitos suplementares formulados pelas partes ou pelo julgador. 91. avaliação patrimonial. os seguintes itens: (a) identificação do processo e das partes. liquidação de sentença. Os peritos devem. (c) pode ocorrer que na conclusão seja necessária a apresentação de alternativas. (b) a conclusão com quantificação de valores é viável em casos de: apuração de haveres. não envolvendo. (b) síntese do objeto da perícia.

295/46 e a Norma Brasileira de Contabilidade consideram leigo ou profissional não habilitado para a elaboração de laudos periciais contábeis e pareceres periciais contábeis. no prazo legal. assinado em conjunto pelos peritos não oficiais.ICP-Brasil. respostas formuladas pelo perito-contador e as respostas e comentários do perito-contador assistente. 9. transcrição dos quesitos. na audiência. (g) conclusão. Os quesitos de esclarecimentos efetuados podem ser respondidos de duas maneiras: (a) de forma escrita: os quesitos de esclarecimentos deferidos e apresentados ao perito. quando estas por algum motivo entenderem a necessidade da presença do perito na audiência. há responsabilidade solidária sobre o referido documento. comprovada mediante Declaração de Habilitação Profissional . Em se tratando de laudo pericial contábil realizado por peritos contadores não oficiais para a área criminal. em consonância com a legislação vigente e as normas estabelecidas pela Infra-Estrutura de Chaves Públicas Brasileiras . (b) de forma oral: os quesitos de esclarecimentos deferidos e apresentados ao perito. deverá ser entregue o original. (h) anexos.DHP.92 (f) transcrição e resposta aos quesitos: para o parecer pericial contábil. podem ser respondidos por escrito e. cuidando para sanar as . Quando se tratar de laudo pericial contábil realizado para área criminal. Assinatura em conjunto 94. o exame só pode ser realizado após a prestação de compromisso de bem e fielmente desempenhar o encargo. Quando se tratar de laudo pericial contábil assinado em conjunto. (i) apêndices. Esclarecimentos do laudo e do parecer pericial contábil em audiência 98. O Decreto-Lei nº. neste caso. podem ser respondidos de forma oral. há responsabilidade solidária sobre o referido documento. no prazo legal. para a juntada nos autos. para descrever e explicar de maneira ordenada e pormenorizada o conteúdo do laudo pericial. 95. determinados pelas autoridades competentes. onde houver divergência. qualquer profissional que não seja contador habilitado perante Conselho Regional de Contabilidade. É permitida a utilização da certificação digital. Esclarecimentos são respostas oferecidas pelo perito aos pedidos de esclarecimentos do laudo pericial contábil e parecer pericial contábil. 96. (j) assinatura do perito: fará constar sua categoria profissional de contador e o seu número de registro em Conselho Regional de Contabilidade. pelo(s) peritocontador e perito(s)-contador(es) assistente(s). Laudo e parecer de leigo ou profissional não habilitado 97.

pois tal ato se limita às respostas a quesitos integrantes do laudo pericial. não podendo. Quesitos novos 101. no momento próprio dos esclarecimentos. Se for necessário efetuar diligências para arrecadar novos documentos ou outros elementos de prova. . o perito deve adotar todas as providências constantes nesta Norma. no entanto. ou interpretações distintas daquelas 99. contradições constantes no laudo pericial contábil. omissões. O perito-contador deve observar se os quesitos formulados nesta fase processual são pedidos de esclarecimentos sobre o seu laudo pericial contábil ou se tratam de quesitos novos. as respostas a esses novos quesitos ficam sujeitas ao deferimento do julgador da causa. ou do parecer pericial contábil às explicações sobre o conteúdo da lide ou sobre a conclusão. Mesmo atinente ao objeto da discussão. O perito deve observar as perguntas efetuadas pelas partes.93 obscuridades. Quesitos e respostas 100. requerer honorários complementares para aquele feito.

Nome do arquivo: TCC Diretório: C:\Documents and Settings\Administrador\Desktop Modelo: C:\Documents and Settings\Administrador\Dados de aplicativos\Microsoft\Modelos\Normal.) .) Número de caracteres: 136.887 (aprox.349 (aprox.dotm Título: NOME DO ACADÊMICO Assunto: Autor: UNESC Palavras-chave: Comentários: Data de criação: 22/10/2004 17:36:00 Número de alterações:275 Última gravação: 17/12/2010 18:44:00 Salvo por: Fernando Losso Tempo total de edição: 9.079 Minutos Última impressão: 17/12/2010 18:45:00 Como a última impressão Número de páginas: 95 Número de palavras: 25.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful