Você está na página 1de 9
Teleprocessamento 65 – Marque V ou F: ( ) Redes locais são redes onde não são
Teleprocessamento 65 – Marque V ou F: ( ) Redes locais são redes onde não são

Teleprocessamento

Teleprocessamento 65 – Marque V ou F: ( ) Redes locais são redes onde não são
  • 65 – Marque V ou F:

( ) Redes locais são redes onde não são necessários modems. ( ) Conjunto de microcomputadores e periféricos interligados em um ambiente restrito. ( ) Conjunto de microcomputadores e periféricos interligados em um ambiente de grande abrangência; ( ) O fenômeno de diminuição das redes locais é chamado de Downsing. ( ) Quando interconectamos diversas redes menores possuímos a chamada rede Wan; a – V, V, V, F, F b – V, V, F, V, F

  • c – V, V, F, F, F

  • d – V, V, F, V, V

    • 66 – Correlacione:

a – Arquitetura Peer to peer

b – Arquitetura Cliente servidor

  • c – Arquitetura Internet

( ) Todas as máquinas são contempladas com o mesmo sistema operacional de rede, e todas tem idênticos poderes

.

( ) Um servidor central provê páginas de internet com as quais os usuários podem interagir.

( ) Uma máquina ou mais fazem o papel do servidor. Rede hierárquica

a – A,B,C

b – B,C,A

  • c – A,C,B

  • d – C,A,B

67

– Marque F quando o texto estiver se referindo a

topologia lógica da rede e L quando o texto estiver se referindo a topologia física da rede;

) A rede é distribuída em barra, ou seja, todos os computadores compartilham o mesmo cabo de rede;

(

( ) Ao acessar o cabo o computador envia um sinal para testar se algum outro computador está transmitindo, para que duas máquinas não transmitam ao mesmo tempo. ( ) Os computadores estão interligados por um concentrador, e cada máquina possui seu cabo de rede. ( ) Quando duas máquinas transmitem ao mesmo tempo, primeira placa de rede que detectar a anomalia, enviará um sinal indicando que aconteceu uma colisão de pacotes;

) Na rede circula um sinal chamado de Token que dá a permissão para a máquina transmitir, ou seja, somente

(

uma máquina transmite por vez. a – F,L,L,F,L b – L,L,L,F,F

  • c – F,L,L,L,L

  • d - F,L,F,L,L

    • 68 – Correlacione:

a – Rede em Barramento b – Rede em anel

Prof.: Flávio Bragança

  • c – Rede em estrela

) Neste tipo de rede sua maior desvantagem é a dificuldade de isolamento de falhas.

(

) No caso da paralisação do ponto central toda a rede para de funcionar.

(

) A falha de qualquer nó afeta a rede inteira ) Neste tipo de rede suar maior desvantagem é a grande quantidade de cabos.

(

(

(

) Neste tipo de rede utiliza-se a menor quantidade

de cabos possível; ) Neste tipo de rede a regeneração do sinal permite

(

cobrir maiores distâncias.

a – a,c,b,c,a,b

b – a,c,b,c,a,a

  • c – b,c,b,c,a,b

  • d – a,c,b,c,c,c

    • 69 – Marque V ou F:

( ) No método de acesso pergunta e resposta, circula um sinal chamado de token que dá a permissão para a máquina transmitir.

) Um deadlock é quando o número de colisões é tão grande, que o sorteio de números não é capaz de resolver a colisão e a transmissão é perdida.

(

) A grande desvantagem do método de acesso token ring é o grande número de colisões.

(

) Um método de acesso não determinístico, se estabelece um critério onde cada estação irá disputar

(

o direito de transmissão. ) O token ring é um método de acesso não

(

determinístico. ) No método de acesso CSMA/CD, quando há uma

(

colisão, a rede utilizará um número aleatório para decidir quem será o primeiro a transmitir. a – F,V,F,V,F,F

b – F,V,F,V,F,V

c

– F,V,F,V,F,V

d

– V,V,F,V,F,F

  • 70 – Marque V ou F:

( ) No cabo coaxial, o segmento suporta maiores

distâncias que o cabo par-trançado. ) O cabo coaxial é mais seguro que o cabo par-

(

trançado. ( ) Uma das maiores desvantagens do cabo coaxial é que a falha em um único ponto, impede a comunicação em todos os nós.

) A instalação do cabo coaxial é simples e barata; ) O cabo par-trançado pode ser do tipo STP(com blindagem) ou UTP(sem blindagem)

(

(

(

) No cabo par-trançado a maior vantagem é que a

falha em um segmento não afeta o restante da rede.

(

) Uma das maiores desvantagens do cabo coaxial é

a alta imunidade à ruídos. ) Uma das maiores vantagens da fibra ótica é a alta

(

taxa de transferência. ) A maior desvantagem da fibra ótica é o alto custo

(

da instalação. a – F,V,F,V,F,F,F,V,V

1

Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b – F,V,F,V,F,V,V,V,V ( ) Quando um ou mais computadores transmitem ao
Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b – F,V,F,V,F,V,V,V,V ( ) Quando um ou mais computadores transmitem ao

Teleprocessamento

Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b – F,V,F,V,F,V,V,V,V ( ) Quando um ou mais computadores transmitem ao
 

Prof.: Flávio Bragança

b – F,V,F,V,F,V,V,V,V

( ) Quando um ou mais computadores transmitem ao

  • c – F,V,F,V,F,V,F,F,F

mesmo tempo, temos o chamado deadlock.

  • d – V,F,V,F,V,V,V,V,V

a – V,V,V,F,F b –F,V,V,V,V

c

– F,V,V,F,F

Marque V ou F:

71

d

– F,V,V,V,F

) Em um canal atmosférico a maior vantagem é o

(

– O cabo par-trançado com blindagem:

74

desaparecimento dos cabos.

(

a – STP

) Em um canal direcional, a ligação é ponto a ponto,

b – UTP

ou seja, é necessário o alinhamento de receptor-

c

– 10base2

transmissor.

d

– 10base5

( ) Os canais de comunicação por difusão são

- O cabo par-trançado sem blindagem:

75

extremamente seguros.

a – STP

( ) O infravermelho e o laser são extremamente

b – UTP

suscetíveis à interferências.

c

– 10base2

( ) Um canal atmosférico pode ser dividido em dois

d

– 10base5

tipos: Difusão ou direcional.

– O cabo coaxial com 0.4”

76

) Em um canal de difusão o emissor atinge uma vasta área sem a necessidade que os receptores sejam

(

a – STP b – UTP

localizados de maneira precisa.

c

– 10base2

a – V,V,F,F,V,F

d

– 10base5

b – V,V,F,F,V,V

– O cabo coaxial com 0.2”

77

– V,V,F,V,V,F

c

a – STP

- V,V,F,V,V,V

d

b – UTP

Correlacione:

72

c

– 10base2

a – Cabo par-trançado

d

– 10base5

b – Cabo coaxial

Tipo de hierarquia de computadores onde existe

78

– Fibra ótica

c

um servidor que centraliza os recursos da rede:

– Canais atmosféricos

d

a – Cliente-servidor

( ) O chamado cabo 10base2

b – Ponto a ponto

as interferências

c

– Arquitetura internet

( ) Cabo formado por vários pares de fios trançados e

d

- Barramento

isolados um sobre o outro.

Tipo de hierarquia de computadores onde são

79

( ) Cabo que não produz e nem sofre interferências; ( ) Sua maior vantagem é a facilidade na instalação;

copiadas os recursos da internet para a aplicação em rede local:

( ) Transportam os sinais sem degradação por maiores distâncias.

a – Cliente-servidor b – Ponto a ponto

( ) O chamado cabo 10base5

c

– Arquitetura internet

( ) Cabo que pode ser classificado como STP ou UTP

d

- Barramento

( ) Cabo metálico com revestimentos afim de minimizar.

- Neste caso uma máquina ou mais fazem papel do

80

a – a,b,c,b,c,a,b,a

servidor:

b – a,b,c,b,c,a,a,a

a – Cliente-servidor

– a,b,c,b,c,a,b,a

c

b – Ponto a ponto

– b,b,c,b,c,a,b,a

d

c

– Arquitetura internet

d

– Barramento

Marque V ou F:

73

– Neste caso todas as máquinas possuem os

81

) O sinal de carrier sence no método de acesso

(

mesmos poderes:

csma/cd tem a função de indicar para as máquinas da

a – Cliente-servidor

rede que aconteceu uma colisão na rede.

b – Ponto a ponto

) O sinal de carrier sence é enviado na rede afim de

(

c

– Arquitetura internet

descobrir se o meio está livre para transmissão

d

- Barramento

( ) Quando uma colisão acontece, a primeira máquina

– Cabo onde não são transmitidos sinais elétricos

82

que detectá-la, envia um sinal chamado de colision

em seus condutores:

detection, que indica para a rede que aconteceu uma

a – Cabo coaxial

colisão de pacotes.

b – Fibra ótica

( ) Quando acontece uma colisão, as máquinas

  • c – Cabo par-trançado

envolvidas na colisão, irão participar de um sorteio, que

  • d – Canal atmosférico

determinará quem será o primeiro a transmitir.

 

Tipo de transmissão onde não utilizamos cabos:

83

a – Cabo coaxial

2

Teleprocessamento b – Fibra ótica c – Cabo par-trançado d – Canal atmosférico 83 – Método
Teleprocessamento b – Fibra ótica c – Cabo par-trançado d – Canal atmosférico 83 – Método

Teleprocessamento

Teleprocessamento b – Fibra ótica c – Cabo par-trançado d – Canal atmosférico 83 – Método

b – Fibra ótica

  • c – Cabo par-trançado

  • d – Canal atmosférico

    • 83 – Método de acesso que utiliza o Token como

controlador da rede a – Token Bus

b – Token Ring

c

– CSMA/CD

d

– CSMA/CA

  • 84 – Método de acesso similar ao Token ring,

porém utilizado em redes barramento. a – CSMA/CD b – CSMA/CA

c

– Token Bus

d

– Half-duplex

– Método de acesso baseado em detecção de

85

colisões. a – CSMA/CD

b – CSMA/CA

c

– Token Bus

d

– Half-duplex

  • 86 – Sinal do método de acesso CSMA/CD que

informa aos outros computadores que aconteceu uma colisão de pacotes.

a – Carrier Sence b – Collision detection

  • c – Token

  • d – Bus

    • 87 – Sinal no método de acesso CSMA/CD que

detecta se algum computador está utilizando o

meio de transmissão. a – Collision Detection

b – Carrier Sence

  • c – Token

  • d – Collision sence

    • 88 – Marque abaixo a alternativa que traz os dois

fatores que aumentam o número de colisões. a – Tamanho do cabo / Tipo do cabo

b – Tamanho do cabo / Número de concentradores

  • c – Tamanho do cabo / Número de computadores

  • d – Tamanho do cabo / Número de usuários

    • 89 – Categoria de cabo que trabalha a

transmissões até 10Mbps a – Categoria 5

b – Categoria 4

c

– Categoria 3

d

– Categoria 2

  • 90 – Categoria de cabo que trabalha a

transmissões de até 16Mbps. a – Categoria 5 b – Categoria 4

Prof.: Flávio Bragança

c

– Categoria 3

d

– Categoria 2

– Categoria de cabo que trabalha com

91

velocidades acima de 100Mbps.

a – Categoria 5 b – Categoria 4

c

– Categoria 3

d

– Categoria 2

– É exigido que o cabeamento horizontal e o

92

cabeamento vertical tenha topologia:

a – Barra b – Estrela

c

– Anel

d

– Mista

– Tipo de cabeamento que é conhecido como

93

Backbone:

a – Cabeamento vertical b – Cabeamento Horizontal

  • c – Cabeamento estruturado

  • d – Cabeamento de conexão

    • 94 – O tipo de cabeamento que é composto

de cabos de comunicação que interconectam os diversos componentes da infra-estrutura (QP,SE,QI e ST).

a – Cabeamento vertical

b – Cabeamento Horizontal

  • c – Cabeamento estruturado

  • d – Cabeamento de conexão

    • 95 – O cabeamento que é formado pelos cabos

situados entre a ST e ATU, painéis de manobra (patch panel) no ST, cabos de manobra (patch cord). Cabeamento que serve a diretamente aos equipamentos de comunicação (computadores pessoais, servidores, telefones, fax e etc.).

a – Cabeamento vertical b – Cabeamento Horizontal

  • c – Cabeamento estruturado

  • d – Cabeamento de conexão

    • 96 – Marque a alternativa que traz os tipos de

cabos que podem ser utilizados no cabeamento

vertical a – Cabo coaxial / Fibra monomodo b – Cabo Par-trançado / Fibra multimodo

  • c – Cabo Coaxial / Par-trançado

  • d – Cabo par-trançado / Microondas

    • 97 – Marque a alternativa que traz os

tipos de cabos que podem ser utilizados

no cabeamento horizontal

3

Teleprocessamento a – Cabo coaxial / Fibra monomodo b – Cabo Par-trançado / Fibra multimodo c
Teleprocessamento a – Cabo coaxial / Fibra monomodo b – Cabo Par-trançado / Fibra multimodo c

Teleprocessamento

Teleprocessamento a – Cabo coaxial / Fibra monomodo b – Cabo Par-trançado / Fibra multimodo c

a – Cabo coaxial / Fibra monomodo b – Cabo Par-trançado / Fibra multimodo

  • c – Cabo Coaxial / Par-trançado

  • d – Cabo par-trançado / Microondas

98 - Dispositivo existente na sala de telecomunicações e junto aos distribuidores prediais. Utilizado para facilitar

a interconexão dos cabos existentes em cada uma destas áreas:

a – Patch cord b – Patch panel

– Cabeamento vertical

c

d

– Line cord

99 - Cabo que liga do patch panel ao equipamento da rede:

a – Patch cord b – Patch panel

– Cabeamento vertical

c

d

– Line cord

100

Ponto que interliga o line cord a área de trabalho

a

do usuário. - Patch cord

b – Tomada de telecomunicações

c

– Line cord

d

- Hack

 

– Cabo que interliga a tomada de telecomunicações

101

até a área de trabalho dos usuários

a

- Patch cord

b – Tomada de telecomunicações

c

– Line cord

d

- Hack

102

– Cabo que interliga o patch panel até o

equipamento concentrador - Patch cord

a

b – Tomada de telecomunicações

– Line cord

c

d

– Hack

  • 103 – Tamanho máximo para o cabo de manobra:

a – Menor

que 100 metros

b – Menor que 8 metros

  • c – Menor que 10 metros

  • d – Menor que 15 metros

    • 104 – Tamanho máximo para o circuito horizontal

a – Menor que 100 metros

b – Menor que 12 metros

  • c – Menor que 90 metros

  • d – Menor que 80 metros

Prof.: Flávio Bragança

  • 105 – Tamanho máximo para o cabo de área de

trabalho a – Menor que 1 metro b – Menor que 2 metros

  • c – Menor que 3 metros

  • d – Menor que 5 metros

    • 106 – Tamanho máximo para a soma do patch cord

com o cabo da área de trabalho a – Menor ou igual a 10 metros b – Menor ou igual a 200 metros

  • c – Menor ou igual a 3 metros

  • d – Menor ou igual a 15 metros

Anotações

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

___________________________________________

4

Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b – 100baseT c – 1000baseT – 10000baseT d 114 – Cabo
Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b – 100baseT c – 1000baseT – 10000baseT d 114 – Cabo

Teleprocessamento

Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b – 100baseT c – 1000baseT – 10000baseT d 114 – Cabo
 

Prof.: Flávio Bragança

   

b – 100baseT

 

c

– 1000baseT

– 10000baseT

d

114

– Cabo par-trançado

– Código de padronização para a rede Ethernet

107

empregado no padrão Ethernet com 1Gbps de

segundo a IEEE :

velocidade:

a – IEEE 802.3 b – IEEE 802.3u

 

a – 10baseT b – 100baseT

– IEEE 802.3z

c

  • c – 1000baseT

– IEEE 802.5

d

 
  • d – 10000baseT

– Código de padronização para a rede Fast Ethernet

108

115- Cabo de fibra-ótica empregado no padrão

segundo a IEEE:

Ethernet com 10Mbps de velocidade.

a – IEEE 802.3 b – IEEE 802.3u

a – 10baseF b – 100baseT

– IEEE 802.3z

c

 
  • c – 1000baseF

– IEEE 802.5

d

 
  • d – 10000baseF

– Código de padronização para a rede Gigabit

109

116

– Cabo de fibra-ótica empregado no padrão

Ethernet segundo a IEEE:

Ethernet com 100Mbps de velocidade.

a – IEEE 802.3 b – IEEE 802.3u

 

a – 10baseF b – 100baseF

– IEEE 802.3z

c

  • c – 1000baseF

– IEEE 802.5

d

 
  • d – 10000baseT

- Código de padronização para a rede Token Ring

110

117- Cabo de fibra-ótica empregado no padrão

segundo a IEEE a – IEEE 802.3 b – IEEE 802.3u

Ethernet com 1000Mbps de velocidade. a – 10baseF b – 100baseT

– IEEE 802.3z

c

 
  • c – 1000baseF

– IEEE 802.5

d

 
  • d – 10000baseT

– Correlacione :

111

118

-

A – Redes ATM F – Redes FDDI

(

(

 

Anotações

T – Redes Token Ring ) Velocidades de 2Mbps até 10Gbps.

 

___________________________________________

) Consiste em uma topologia lógica anel e uma

___________________________________________

topologia física em estrela, com método de acesso de

___________________________________________

passagem de ficha. (Token Passing).

___________________________________________

) Utilizada em ligações isocrônicas.

(

(

___________________________________________

) Utiliza cabeamento ótico com velocidades de até

___________________________________________

100Mbps.

___________________________________________

) Muito utilizada em aplicações de vídeo conferência.

(

___________________________________________

A - T,A,F,A,T

___________________________________________

b – A,F,A,T,A

___________________________________________

– A,T,A,F,A

c

___________________________________________

– A,T,A,F,T

d

___________________________________________

___________________________________________

– Cabo par-trançado empregado no padrão ethernet

112

___________________________________________

com 100Mbps de velocidade:

___________________________________________

a – 10baseT b – 100baseT

___________________________________________

___________________________________________

– 1000baseT

c

 
 

___________________________________________

– 10000baseT

d

___________________________________________

– Cabo par-trançado empregado no padrão ethernet

113

 

com 10Mbps de velocidade:

a – 10baseT

5

Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b - Física / Enlace / Rede / Transporte /Sessão / Aplicação
Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b - Física / Enlace / Rede / Transporte /Sessão / Aplicação

Teleprocessamento

Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b - Física / Enlace / Rede / Transporte /Sessão / Aplicação
 

Prof.: Flávio Bragança

 

b - Física / Enlace / Rede / Transporte /Sessão / Aplicação / Apresentação

  • c - Física / Enlace / Rede / Transporte / Aplicação / Sessão / Apresentação

118

– Tipo de concentrador que trabalha com um sinal

  • d - Física / Enlace / Rede / Aplicação / Transporte / Sessão / Apresentação

chamado de Broadcast:

 

– Camada do modelo Osi responsável pelos Link

126

 

a – HUB b – Switch

de Hardware:

c

– Roteador

 

a – Rede b – Física

d

– Repetidor

c

– Enlace

 

d

– Aplicação

119

– Tipo de concentrador que trabalha com

 

chaveamento através do endereço MAC da placa de rede:

 

– Camada do modelo OSI responsável pela

127

 

a – HUB b – Switch

interação de software:

c

– Roteador

 

a – Rede b – Física

d

– Repetidor

c

– Enlace

 

d

– Aplicação

120

– Equipamento utilizado para resolver o problema de

 

perda de sinal devido a distância de ligação dos cabos:

 

– Camada do modelo OSI responsável pela

128

 

a – HUB b – Switch

codificação e endereçamento:

c

– Roteador

 

a – Rede b – Física

d

– Repetidor

c

– Enlace

 

d

– Aplicação

121

– Equipamento responsável por segmentar a rede ou

 

interligar redes de topologia física diferentes:

 

– Protocolo de rede que possui o número máximo

129

 

a – HUB

de computadores limitado a aproximadamente 200

b – Switch

computadores:

c

– Roteador

 

a – TCP/IP

d

– Repetidor

b – Netbeui

 

c

– IPX/SPX

122

– Equipamento responsável por interligar redes de

d

– X.25

protocolos e arquiteturas diferentes é chamado de:

 
 

a – Hub

 

– Protocolo do conjunto TCP/IP responsável pelo

130

b – Switch

endereçamento dos computadores:

 
  • c – Gateway

 

a – TCP

  • d – Roteador

b – IP

 

c

– ARP

123

–Sistema operacional de rede da Microsoft utilizado

d

– RARP

em estações de trabalho:

 

a – Windows NT Server

 

- Protocolo do conjunto TCP/IP responsável por

131

b – Windows NT Workstation

enviar e-mails:

  • c – Windows NT Service pack

 

a – TCP

 
  • d – Netware

b – POP

 
  • c – SMTP

124

– Sistema operacional de rede da Microsoft utilizado

  • d – RARP

para servidores:

 

a – Windows NT Server

 

- Protocolo do conjunto TCP/IP responsável por

132

b – Windows NT Workstation

receber e-mails:

  • c – Windows NT Service pack

 

a – TCP

 
  • d – Netware

b – POP

   
  • c – SMTP

125

– Marque a alternativa que traz a ordem correta das

  • d – RARP

camadas do modelo OSI:

 

a – Física / Enlace / Rede / Sessão / Transporte /

 

– Protocolo utilizado na conexão direta de

133

Aplicação / Apresentação

computadores com a internet através de linhas discadas:

6

Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança a – TCP/IP 146 – Camada do modelo OSI que trata as
Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança a – TCP/IP 146 – Camada do modelo OSI que trata as

Teleprocessamento

Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança a – TCP/IP 146 – Camada do modelo OSI que trata as
 

Prof.: Flávio Bragança

 

a – TCP/IP

146

– Camada do modelo OSI que trata as

b – PPP

informações de endereçamento físico:

c

– SMTP

a – Camada física

d

– POP

b – Camada de enlace

 
  • c – Camada de sessão

  • d – Camada de aplicação

 

– Equipamento de rede que trabalha com

134

chaveamento através do endereço MAC das placas de

147

– Camada do modelo OSI que trata as

rede:

informações de sinais de voltagem:

 

a – Switch b – Hub

a – Camada física b – Camada de enlace

c

– Repetidor

  • c – Camada de sessão

d

– Roteador

  • d – Camada de aplicação

– Camada do modelo OSI que trabalha o roteador:

135

148

– Camada do modelo OSI que trata dos resultados

a – Camada 1

exibidos em aplicativos:

b – Camada 2

a – Camada física

c

– Camada 3

b – Camada de enlace

d

– Camada 4

  • c – Camada de sessão

– Camada do modelo OSI que trabalha o HUB:

136

  • d – Camada de aplicação

a – Camada 1

b – Camada 2

149

– Camada do modelo OSI que é responsável por

c

– Camada 3

monta e desmontar pacotes de informações:

d

– Camada 4

a – Camada física b – Camada de enlace

– Camada do modelo OSI que trabalha o Switch:

137

  • c – Camada de rede

a – Camada 1

  • d – Camada de transporte

b – Camada 2

c

– Camada 3

150

– Camada do modelo OSI responsável pela

d

– Camada 4

detecção de erros em pacotes de informações:

- Camada do modelo OSI que trabalha o Switch

138

a – Camada física b – Camada de enlace

Layer 3:

  • c – Camada de rede

a – Camada 1 b – Camada 2

  • d – Camada de transporte

c

– Camada 3

151

– Camada do modelo OSI responsável pelos

d

– Camada 4

diálogos e conversações entre os computadores:

– Camada do modelo OSI que trabalha o Repetidor:

139

a – Camada física b – Camada de enlace

a – Camada 1

  • c – Camada de sessão

b – Camada 2

  • d – Camada de transporte

c

– Camada 3

d

– Camada 4

152

– Camada do modelo OSI responsável pelas

 

traduções de pacotes:

 

– Camada do modelo OSI que trabalha o Navegador

140

a – Camada física

Internet Explorer:

b – Camada de enlace

a – Camada 1

  • c – Camada de sessão

b – Camada 2

  • d – Camada de apresentação

c

– Camada 3

d

– Camada 4

153

– Camada do modelo OSI responsável pelo

 

endereçamento lógico nas redes locais:

 

– Camada do modelo OSI onde estão definidos os

145

a – Camada física

sinais elétricos, e informações de cabeamento:

b – Camada de rede

a – Camada 1

  • c – Camada de sessão

b – Camada 2

  • d – Camada de aplicação

c

– Camada 3

d

– Camada 4

154

– Camada do modelo OSI onde estão as

 

definições de topologia física da rede:

a – Camada física

7

Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b – Camada de enlace c – Camada de sessão – Protocolo
Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b – Camada de enlace c – Camada de sessão – Protocolo

Teleprocessamento

Teleprocessamento Prof.: Flávio Bragança b – Camada de enlace c – Camada de sessão – Protocolo
 

Prof.: Flávio Bragança

b – Camada de enlace

 
  • c – Camada de sessão

 

– Protocolo implementado a partir do protocolo

163

  • d – Camada de aplicação

Netbios da IBM:

 

a – TCP/IP b – X.25

c

– Netbeui

d

– IPX/SPX

155

– Tipo de equipamento de rede que segmenta as

– Protocolo com o número máximo de

164

redes em diversos domínios de BROADCAST:

computadores limitado a 256:

 

a – Hub b – Switch

 

a – TCP/IP b – X.25

c

– Roteador

c

– Netbeui

d

– Repetidor

d

– IPX/SPX

156

– Rede que possui um único domínio de

– Recurso que utiliza a modificação dos texto afim

165

a – Rede segmentada com dorsal colapsa b – Rede segmentada

BROADCAST:

de mascarar as informações em eventuais interceptações:

a – Codificação

c

– Rede plana

b – Roteamento

– Rede não gerenciável

d

c

– Criptografia

d

– Chave criptográfica

157

– Rede com diversos domínios de Broadcast:

 

a – Rede segmentada com dorsal colapsa

b – Rede segmentada

 

Anotações

 
  • c – Rede plana

___________________________________________

  • d – Rede não gerenciável

___________________________________________

___________________________________________

158

– Rede em que o roteador é o segmentador da rede:

___________________________________________

a – Rede segmentada com dorsal colapsa

___________________________________________

b – Rede segmentada

___________________________________________

 
  • c – Rede plana

___________________________________________

  • d – Rede não gerenciável

___________________________________________

___________________________________________

159

– Rede que utiliza componentes gerenciáveis para

___________________________________________

segmentação da rede:

___________________________________________

a – Rede segmentada com dorsal colapsa

___________________________________________

b – Rede segmentada

___________________________________________

 
  • c – Rede plana

___________________________________________

  • d – Rede gerenciável

___________________________________________

___________________________________________

160

– Tipo de roteador que implementa filtro de pacotes:

___________________________________________

a – Roteador discado b – Roteador camada 3

___________________________________________

___________________________________________

  • c – Roteador seletivo

___________________________________________

  • d – Roteador dial-up

___________________________________________

___________________________________________

161

–Tipo de roteador que estabelece conexões por

___________________________________________

demanda por meio de modems:

___________________________________________

a – Roteador discado b – Roteador camada 3

___________________________________________

___________________________________________

  • c – Roteador seletivo

___________________________________________

  • d – Roteador dial-up

___________________________________________

___________________________________________

162

– Protocolo associado aos sistemas operacionais da

___________________________________________

Novell:

___________________________________________

a – TCP/IP b – X.25

___________________________________________

___________________________________________

c

– Netbeui

 

___________________________________________

d

– IPX/SPX

___________________________________________

8

Teleprocessamento _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________ ___________________________________________ Prof.: Flávio Bragança 9
Teleprocessamento _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________ ___________________________________________ Prof.: Flávio Bragança 9

Teleprocessamento

Teleprocessamento _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________________ _____________________________________ ___________________________________________ Prof.: Flávio Bragança 9

_____________________________________________

_____________________________________________

_____________________________________________

_____________________________________

___________________________________________

Prof.: Flávio Bragança

9