Você está na página 1de 19

ControleControle ee AutomaçãoAutomação emem

ProcessosProcessos Químicos:Químicos:

Passado,Passado, PresentePresente ee FuturoFuturo

Prof.Prof. FabioFabio DelatoreDelatore

Químicos:Químicos: Passado,Passado, PresentePresente ee FuturoFuturo Prof.Prof. FabioFabio DelatoreDelatore DP/PA 1
Químicos:Químicos: Passado,Passado, PresentePresente ee FuturoFuturo Prof.Prof. FabioFabio DelatoreDelatore DP/PA 1
Químicos:Químicos: Passado,Passado, PresentePresente ee FuturoFuturo Prof.Prof. FabioFabio DelatoreDelatore DP/PA 1
Químicos:Químicos: Passado,Passado, PresentePresente ee FuturoFuturo Prof.Prof. FabioFabio DelatoreDelatore DP/PA 1
Químicos:Químicos: Passado,Passado, PresentePresente ee FuturoFuturo Prof.Prof. FabioFabio DelatoreDelatore DP/PA 1
Químicos:Químicos: Passado,Passado, PresentePresente ee FuturoFuturo Prof.Prof. FabioFabio DelatoreDelatore DP/PA 1

DP/PA

1

Controle e Automação em Processos Químicos

•• TópicosTópicos dada PalestraPalestra

Químicos •• TópicosTópicos dada PalestraPalestra  Definição de um Sistema de Controle  Evolução

Definição de um Sistema de Controle

Evolução dos Sistemas de Controle

Sistemas do tipo SCADA/SDCD & DCS

Plantas de Processo x Manufatura

Redes Industriais e seus Protocolos

Sistemas Supervisórios

Controle e Automação em Processos Químicos

•• DefiniçãoDefinição dede umum SistemaSistema dede ControleControle

e Automação em Processos Químicos •• DefiniçãoDefinição dede umum SistemaSistema dede ControleControle 3
e Automação em Processos Químicos •• DefiniçãoDefinição dede umum SistemaSistema dede ControleControle 3
e Automação em Processos Químicos •• DefiniçãoDefinição dede umum SistemaSistema dede ControleControle 3

Controle e Automação em Processos Químicos

•• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: RelêsRelês

em Processos Químicos •• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: RelêsRelês 4
em Processos Químicos •• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: RelêsRelês 4
em Processos Químicos •• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: RelêsRelês 4
em Processos Químicos •• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: RelêsRelês 4
em Processos Químicos •• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: RelêsRelês 4

Controle e Automação em Processos Químicos

•• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: CLPCLP

Sensores

CLP
CLP
dede Controle:Controle: CLPCLP S e n s o r e s CLP Atuadores 1 par de

Atuadores

1 par de fios para cada Atuador / Sensor

S e n s o r e s CLP Atuadores 1 par de fios para cada

1º CLP: MOdular DIgital CONtroller

Controle e Automação em Processos Químicos

•• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: PneumáticaPneumática

Processos Químicos •• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: PneumáticaPneumática 6
Processos Químicos •• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: PneumáticaPneumática 6
Processos Químicos •• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: PneumáticaPneumática 6

Controle e Automação em Processos Químicos

•• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: SDCD/SCADASDCD/SCADA && DCSDCS

•• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: SDCD/SCADASDCD/SCADA && DCSDCS 7
•• EvoluçãoEvolução dosdos SistemasSistemas dede Controle:Controle: SDCD/SCADASDCD/SCADA && DCSDCS 7

Controle e Automação em Processos Químicos

•• PlantasPlantas dede ProcessoProcesso xx PlantasPlantas dede ManufaturaManufatura

Planta de Processo (variáveis analógicas)

Químicas/Petroquímicas, Usinas de Açúcar e Álcool,etc.

Planta de Manufatura (variáveis discretas)

Automotivas, Eletro-eletrônica, etc.

Controle e Automação em Processos Químicos

•• RedesRedes Industriais:Industriais: CaracterísticasCaracterísticas GeraisGerais

Tem como principal objetivo a redução do cabeamento

Facilita a identificação de falhas nos atuadores/sensores

Gerenciamento de ativos / manutenção preventiva facilitada

Ampliação da visualização das informações de campo

Controle e Automação em Processos Químicos

•• RedesRedes Industriais:Industriais: TiposTipos BBásicosásicos

Sensor bus

Device bus

Field bus

Tipo de

Controle Field Bus Processo Profibus PA Foundation Device Bus Device Bus Profibus DP Device NET
Controle
Field Bus
Processo
Profibus PA
Foundation
Device Bus
Device Bus
Profibus DP
Device NET
SensorSensor BusBus
Lógico
ASI
Interface
Simples
Complexo
Tipo de
Equipamento

Controle e Automação em Processos Químicos

•• RedesRedes Industriais:Industriais: EstruturaEstrutura BásicaBásica

Estação Principal

Hot Backup

EstruturaEstrutura BásicaBásica Estação Principal Hot Backup Ethernet Router Ethernet Bridge CLP 11
EstruturaEstrutura BásicaBásica Estação Principal Hot Backup Ethernet Router Ethernet Bridge CLP 11
EstruturaEstrutura BásicaBásica Estação Principal Hot Backup Ethernet Router Ethernet Bridge CLP 11

Ethernet

EstruturaEstrutura BásicaBásica Estação Principal Hot Backup Ethernet Router Ethernet Bridge CLP 11
EstruturaEstrutura BásicaBásica Estação Principal Hot Backup Ethernet Router Ethernet Bridge CLP 11

Router

Ethernet
Ethernet

Bridge

EstruturaEstrutura BásicaBásica Estação Principal Hot Backup Ethernet Router Ethernet Bridge CLP 11
EstruturaEstrutura BásicaBásica Estação Principal Hot Backup Ethernet Router Ethernet Bridge CLP 11

CLP

EstruturaEstrutura BásicaBásica Estação Principal Hot Backup Ethernet Router Ethernet Bridge CLP 11
EstruturaEstrutura BásicaBásica Estação Principal Hot Backup Ethernet Router Ethernet Bridge CLP 11

11

Controle e Automação em Processos Químicos

•• ProtocolosProtocolos dede RedeRede Industriais:Industriais: HARTHART

dede RedeRede Industriais:Industriais: HARTHART O protocolo HART é um protocolo híbrido, que utiliza a
dede RedeRede Industriais:Industriais: HARTHART O protocolo HART é um protocolo híbrido, que utiliza a

O protocolo HART é um protocolo híbrido, que utiliza a tecnologia digital e analógica.

HARTHART O protocolo HART é um protocolo híbrido, que utiliza a tecnologia digital e analógica. 12

12

Controle e Automação em Processos Químicos

•• ProtocolosProtocolos dede RedeRede Industriais:Industriais: FF,FF, ProfibusProfibus PAPA

Industriais:Industriais: FF,FF, ProfibusProfibus PAPA Os protocolos FIELDBUS FOUNDATION (FF) e PROFIBUS PA são
Industriais:Industriais: FF,FF, ProfibusProfibus PAPA Os protocolos FIELDBUS FOUNDATION (FF) e PROFIBUS PA são

Os protocolos FIELDBUS FOUNDATION (FF) e PROFIBUS PA são totalmente digitais e com características semelhantes (modulação, frequência, configuração, cabeamento, etc) e com uma série de vantagens frente às demais redes.

(modulação, frequência, configuração, cabeamento, etc) e com uma série de vantagens frente às demais redes. 13
(modulação, frequência, configuração, cabeamento, etc) e com uma série de vantagens frente às demais redes. 13

Controle e Automação em Processos Químicos

•• ProtocolosProtocolos dede RedeRede Industriais:Industriais: DeviceDevice NetNet

dede RedeRede Industriais:Industriais: DeviceDevice NetNet Rede de dispositivo, sendo utilizada para interligar
dede RedeRede Industriais:Industriais: DeviceDevice NetNet Rede de dispositivo, sendo utilizada para interligar

Rede de dispositivo, sendo utilizada para interligar equipamentos de campo tais como sensores,

atuadores, AC/DC drives e

CLP’s.

Controle e Automação em Processos Químicos

•• ProtocolosProtocolos dede RedeRede Industriais:Industriais: ProfibusProfibus DPDP

DP PA
DP
PA
Industriais:Industriais: ProfibusProfibus DPDP DP PA Rede de dispositivo sendo utilizada para interligar

Rede de dispositivo sendo utilizada para interligar equipamentos de campo tais como AC/DC drives,

CLP’s, inversores de

frequência, etc.

Controle e Automação em Processos Químicos

•• ProtocolosProtocolos dede RedeRede Industriais:Industriais: OPCOPC

dede RedeRede Industriais:Industriais: OPCOPC Comunicação entre CLP e Sistema Supervisório através de
dede RedeRede Industriais:Industriais: OPCOPC Comunicação entre CLP e Sistema Supervisório através de

Comunicação entre CLP e Sistema Supervisório através de um driver de comunicação específico e único.

O OPC universaliza a interface de comunicação entre os diversos fabricantes de CLP´s, com os diferentes Sistemas Supervisórios.

a interface de comunicação entre os diversos fabricantes de CLP´s, com os diferentes Sistemas Supervisórios. 16

Controle e Automação em Processos Químicos

•• SistemasSistemas SupervisóriosSupervisórios

•• SistemasSistemas SupervisóriosSupervisórios Permite o monitoramento praticamente em tempo real do
•• SistemasSistemas SupervisóriosSupervisórios Permite o monitoramento praticamente em tempo real do

Permite o monitoramento praticamente em tempo real do processo como um todo, além de gerar alarmes, relatórios, históricos e gráficos de tendência, etc.

tempo real do processo como um todo, além de gerar alarmes, relatórios, históricos e gráficos de

Controle e Automação em Processos Químicos

•• TendênciasTendências

Utilização de sistemas do tipo wireless (padrão não definido, ISA SP100 e Wireless HART);

Gerenciamento das informações provenientes do campo (*mais importante*);

Utilização cada vez maior de sistemas fieldbuses em indústrias de processo;

Controle avançado e distribuído, identificação de sistemas (substituindo os PID’s ?).

Controle e Automação em Processos Químicos

OBRIGADOOBRIGADO PELAPELA ATENÇÃOATENÇÃO !!

Químicos OBRIGADOOBRIGADO PELAPELA ATENÇÃOATENÇÃO !! Professor Dr. Fabio Delatore E-mail: f.delatore@terra.com.br

Professor Dr. Fabio Delatore

E-mail: f.delatore@terra.com.br

Telefone: (11) 9524 7223