Você está na página 1de 131

NA OPINIÃO DO BILL O Modo de Vida de A.A. Trechos selecionados do co-fundador de A.A. Alcoholics Anonymous World Services, Inc., New York – U.S.A.

AS BILL SEES IT (formely The A.A. Way of Life), 1983. Direitos autorais (c) 1967 de Alcoholics Anonymous (R) World Services, Inc. Todos os direitos são reservados. Revisado pela Comissão Iberoamericana de Traduções e Adaptações da Literatura de A.A. (C: I: A: T: A: L.) Todos os direitos são reservados de acordo com a convenção panamericana de direitos autorais. Direitos autorais reservados a nível internacional Trechos de A.A. Grapevine e de "A.A. Today" são reimpressos com a permissão de A.A. Grapevine, Inc., que tem os direitos autorais. Primeira Impressão 1967 Décima Terceira Impressão 1983 Esta é literatura aprovada pela Conferência de Serviços Gerais de A.A. Número do cartão no Catálogo da Biblioteca do Congresso dos E.U.A. ISBN O – 916856-03-8 Impresso no Brasil Primeira Edição – Setembro de 1988 Segunda Edição – Agosto de 1989 Terceira Edição – Outubro de 1990 Quarta Edição – Fevereiro de 1995 CLAAB Centro de Distribuição de Literatura de A.A. para o Brasil Caixa Postal 3180 – CEP 01060-970 – São Paulo/SP Tiragem 3.000 exemplares PREFÁCIO Prezados amigos:
1

Este volume inclui varias centenas de trechos de nossa literatura, que se referem a quase todos os aspectos do modo de vida de A.A. Acredita-se que este material pode se tornar um ajuda para a meditação individual e um estimulo para a discussão em grupo e pode muito bem levar a uma leitura ainda mais ampla de toda nossa literatura. Durante os últimos vinte e cinco anos, tive o privilégio de escrever os seguintes livros sobre A.A.: o texto de "Alcoólicos Anônimos"; "Doze Passos e Doze Tradições"; "Alcoólicos Anônimos Atinge a Maioridade" e "Doze Conceitos para Serviços Mundiais", este último como parte do nosso "Manual do Terceiro Legado".* (O "Manual do Terceiro Legado" foi revisado e lhe foi dado um novo titulo: "O Manual de Serviços de A.A.". "Doze Conceitos para Serviços Mundiais" foi publicado separadamente durante doze anos, mas posteriormente ele foi anexado novamente ao manual, começando com a edição de 1981/1982). Muitos artigos foram escritos para nossa revista mensal, o A.A. Grapevine, e sempre mantive uma ampla correspondência pessoal. Essas são as principais fontes de onde foi tirado o conteúdo deste livro. Pelo fato das citações usadas terem sido retiradas de seu contexto original, foi necessário, a fim de maior clareza, editar e às vezes repetir uma grande quantidade delas. Naturalmente, todo este material reflete meu ponto de vista pessoal sobre o modo de vida de A.A. Como tal, está sujeito a limitações e imperfeições. Entretanto, pode-se esperar que esta nova publicação vá de encontro a uma verdadeira necessidade. Afetuosamente, Abril de 1967 Bill GUIA PARA DISCUSSÃO E LEITURA

A
Aceitação, 6, 20, 30, 44, 49, 109, 114, 131, 138, 148, 169, 194, 254, 293 Admissão, 17, 24, 48, 65, 83, 88, 102, 111, 126, 135, 149, 164, 209, 213, 228, 231, 248, 261, 289, 305, 311, 314, 318 Afiliação em A.A., 34, 41, 62, 134, 158, 175, 186, 234, 237, 276 Álibis; veja Racionalização Ambição, 19, 40, 46, 131, 135, 138, 160, 185, 193, 198, 214, 235, 282 Amizade; veja Amor Amor, 18, 23, 27, 37, 53, 90, 144, 172, 203, 230, 273, 294, 303 Anonimato, 43, 120, 160, 198, 241, 255, 278, 299, 316 Ansiedade; veja Medo Apadrinhamento; veja Trabalho do Décimo Segundo Passo Arrogância, 33, 38, 60, 114, 139, 146, 176, 183, 199, 206, 225, 320 Atração ao invés de promoção; veja Informação ao Público Autoconfiança; veja Vontade Autojustificação; veja Racionalização
2

Autopiedade, 138, 176, 238, 261, 268, 320 Auto-satisfação, veja Complacência

B
Bebedeira/Seca, Bêbado/Seco; veja Raiva, Depressão, Ressentimentos

C
Comodismo, 12, 100, 142, 330 Complacência, 25, 94, 96, 99, 133, 153, 159, 193, 205, 207, 226, 227, 258, 325, 327 Compulsão para beber; veja Doença Confiança, 144, 224, 248, 269, 303, 307, 310, 332 Controvérsia, 56, 59, 98, 143, 153, 215, 262, 326 Cooperação sem afiliação, 45, 113, 147, 180, 255, 267 Coragem, 61, 91, 129, 166, 200, 221, 253, 321 Crescimento individual, 1, 8, 10, 12, 25, 44, 65, 76, 85, 101, 104, 115, 124, 136, 156, 157, 171, 204, 244, 264, 271, 294, 306, 327, 330; Gradual e contínuo, 6, 15, 59, 159, 167, 181, 191, 219, 236; Através de adversidade, 3, 22, 31, 35, 49, 75, 184, 234, 266, 326. De A.A. ou do grupo; veja Progresso

D
Defeitos de Caráter, 17, 48, 54, 80, 83, 96, 103, 131, 136, 142, 149, 196, 204, 216, 258, 281, 301, 311, 325, 327 Dependência das pessoas, 63, 72, 176, 239, 252, 265, 288. De Deus; veja Poder Superior, ter confiança no Depressão, 2, 30, 63, 92, 148, 231, 308 Desonestidade; veja Honestidade Despertar Espiritual ou Experiência, 2, 8, 85, 101, 152, 168, 171, 178, 182, 217, 225, 242, 246, 256, 281, 313 Dificuldades, 3, 20, 27, 31, 35, 71, 78, 82, 110, 132, 156, 184, 200, 211, 221, 234, 250, 263, 266, 288, 291, 293, 306, 321 Disposição, 4, 88, 106, 109, 115, 122, 137, 171, 211, 219, 226, 232, 321, 327, 328 Doença, alcoolismo como, 4, 27, 32, 35, 45, 88, 118, 121, 130, 141, 180, 194, 217, 218, 257, 283 Doença do alcoolismo; veja Doença Dor; veja Dificuldade

E
Egoísmo, 81, 227, 270, 272, 282, 287

F
Farisaísmo, 17, 28, 38, 107, 170, 181, 183, 274
3

252 Inferioridade. 172. 2. 33. 221. 261. 176. 20. 152. 39. 205. 92. 10. 302. 127. 267. 22. 274. veja Raiva. 131. 279. 111. 26. 254. 284. 278. 231. 111. 89. 227. 65. 17. 195. 43. 133. veja Tolerância Inveja. 215. 33. 206. 108. 115. 148. 321. 53.Fé. 173. 226. 222. 29. 106. 266. 231. 37. 303 Imperfeições. 33. 173. 212. 222. 78. 261. 149. 307 Mente aberta. 295. 261 L Liberdade. 202. 212. 316 Intolerância. 281. 246. 126. 278 Membros mais antigos. 106. 247. 164. 10. 214. Caminhos em direção a. 267. 134. 135. 159. 117. 256. 320 G Gratidão. 51. 189. 248. 144. 212. 160. 132. 31. 117. 20. 244. 316 I Identificação. 265. 83. 216. 117. 46. 260. 55. 168. 4. 97. 54. 243. 29. 142. 174. 225. 24. 228. 155. 302. 244. 44. 201. 83. 108. 50. 141. 331 4 . 90. 191. Veja também Poder Superior Felicidade. veja Inadequabilidade Informação ao Público. 295. 264. 236. 119. 313 Mudança de Personalidade. 93. 321 Frustração. 185. 129. 22. 248. 191. 211. 1. 10. 325. 87. 36. 263. 213. 150. 329. 300. 12. 189. 169. 112. 251. 161. 210. 36. 26. 89. 305. 63. 319 M Meditação. 263. 248. 156. 257. 218. 310. 70. 233. 17. 235. 264. 67. 218. 208. 64. 19. 80. 286. 127. 140. 154. 57. 7. 91. 298. 202. 312 Humildade. 269. 296. 149. 196. 114. 165. 156. 213. 243. 249. 168. 75. 205. 131 Inventário. 55. 40. 166. 170. 189. 138. 16. 163. 124. 3. 106. 23. 46. 289. 139. 40. 303. 331 Medo. 163. 311. 249. 270. 273. 253. 12. 253. 96. 93. 199. 74. 219. 140. Valor do. 140. 69. veja Defeitos de caráter Inadequabilidade. 255. 304. necessidade de. 207. 223. 158. 68. 111. 233. 135. 303. 13. 326 H Honestidade. 258. 10. 188. 137. 44. 258. 74. 291. 152. 51. 271. 102. 17. 260. 293. 61. 63. veja Crescimento O Obsessão pelo álcool: veja Doença Ódio. 112. 195. 38. 46. 196. 52. 47. ajuda para. 238. 193. 166. 237. 213. 219. 250. 26. 91. 301. 84. 216. Ressentimento Oração. 300. 277. 279. 252. 306.

146. 52. 73. 317. 310. 229. 161. 114. 49. 150. 314. 271. 172. 313. 294. 328. 331. 247. 201. 52. 50. 107. 98. 126. 26. 206. 221. 175. 179. 21.. Veja também Doença 5 . 285. 168. 84. 277. 239. 25. 155. 66. 84. 31.A. 105. 9. 324 Progresso. veja Culpa Rendição. 128. 299 Problemas Financeiros. 6. 271. 276. 213. 62. 118. 307. 42. 118. veja Mente aberta. 174. 151. veja Princípios e personalidade Poder Superior. 95. 65. 58. 4. 112. 107. 285. 176. 315. 121. 181. 268. 115. 108. 168. 184. 312 Privacidade. 194. 187. 152. 236. 151. 97. 319. como membro de A.Orgulho. 141. 140. 178. 260. ou o grupo como. 255. 7. 313. 311 Responsabilidade. 34. 128. 204. 174. 270. 190. 209. 251. 88. 176. 17. 259. 219. 60. 276. 82. 239. 218. 123. 122. 270. 123. 99. veja Poder Superior Remorso. 191. 296. 262. 118. 230. 32. 72. 38. 214. 64. 15. 94. 314. 87. 98. 217. 224. 227. 117. 126. 308 Personalidade e princípios. 197. 42. 86. 125. 331 Relacionamentos familiares. 26. A. 268. 56. 332. 204. 258. 329: Veja também Fé. 207. 331. 193. 145. 95. 56. 16. 328. 292 Religião. 210. 33. 293. 13. 50. 154. 268. 317. 320 Recaídas. 57. Oração Preconceito. 177. 5. 178. 74. 191. 202. 44. 129. 128. 286 S Sanidade. 84. 305. 167. Tolerância Preocupação. 143. 109. 121. 13. 283. 326. 58. 287. 205. 133. 139. 153. 170. 113. 93. 28. 292. 135. 19. veja Crescimento R Racionalização. 146. 47. ou do grupo. Individual. a obsessão alcoólica e o. 246. 115. 70. 102. 69. 274. 80. 263. 76. 184. 78. 146. 298.A. 318 Perfeccionismo. 111. 123. 253. 310. 158. 199. 225. 119. 190. 116. 135. 143. 304 P Paz de Espírito. 209. 285. 289. 145. 137. 261. 15. 14. 214. 170. 212. 246. 269. 51. 279. 2. 265. 277. 39. 197. 290.A. 301. 2. 9. 57. 245. 200. 323. como indivíduo. 291 Recém-Chegados. agnósticos. 165. 322 Reparações. 104. 151. veja Serenidade Perdão. 242. 75. 235. 179. 68. 251. 58. 267. 160. 297. 186. 39. 201. 7. 11. veja Medo Princípios e Personalidade. 179. 249. 89. 223. Trabalho do Décimo Segundo Passo Ressentimento. de A. 55. 130. 300. 207. ateus e o. 181. 32. 5. 39. 64. 265. 308 Raiva. 309. 319. 290. 215. 11. ter confiança no. 79. 12. 37. Veja também Serviço. 87. 2.

132. 307. 18. 201. 118. 105. 280. 196. 207. 73. 4. 75. 33. 311 Serenidade. 284. 220. 177. 259. 180. 257. 328. 224. 92. 276 Trabalho do Décimo Segundo passo. 237. 162. 128. Trabalho do Décimo Segundo Passo Sexo. 186. 282 Solidão. 87. 55. 150. 307. 16. 332 V Vida Espiritual. 261. 36. 116. 210. 286. 143. 173. 284. 120. 122. 225. 249. 19. 188. 257. 29. 104. 81. 280 Tolerância. 207. 162. 170. 273. 268. 269. 72. 195. 192. 243. 21. 103. 42. 48. 11. 198. 230. 244. veja Raiva Viver vinte e quatro horas. 147. Isso não é verdade. 151. 297. 188. 220. 317 Vontade. 123. 109. 298 U Unidade. 53. 163. 125. 155. 155. 328. 145. 331. 7. 139. Veja também Responsabilidade. 9. 233. 314.A. 190. 290. 321 Serviço. 51. 259. 11. 95. 296.. que somente estamos interessados no alcoolismo. 254 T Tentação de beber. 252. 138. 69. 16. 277. 199. abordagens no. 254. 324. 315. Temos que vencer a bebida para 6 . 201. 20. 41. 142. 177. 40. 293. 27. 24. 35. 165. 88. 149. 46. 228. 18. 223. 88. 8. 66. 287. 48. 329 Nota do Editor: As indicações contidas no roda-pé de cada página orientando qual o número da página dos livros: Alcoólicos Anônimos. 68. 77. 146. 90. 234. 282. 270. 12. 319. 324. 288. 13. 165. 203. 62. 28. 167. 72. 67. 124. 154. 126. 242. 147. 183. 212. 272. 53. 331 Vingança.Sentimento de culpa. 229. 83. 245. 92. 250. Na Opinião do Bill NA OPINIÃO DO BILL 1 Mudança de personalidade "Com freqüência se tem dito a respeito de A. 320. 330. 99. 69. 117. 310. 254. 302. 95. 34. 190. 47. 235. 332. 140. 89. 114. 275. 308. 40. 215. 192. 158. com respeito às opiniões religiosas. 127. Doze Passos e Doze Tradições foram fundamentadas nos livros da Edição Especial Encadernadas. 239. 217. 312. 5. 273. 175. 324. 82. 117. 302 Sucesso. 304. 13. 50. 134. 287. 212. 14. 98. 283. 121. 113. para nossa própria sobriedade. 254. 157. 326. 232. 295. 297. 323. 175.

Pareceu-me com os olhos de minha mente. não de ar. através do contato mais direto. Eu estava deitado na cama. mas de espírito. até que finalmente me pareceu estar no fundo do poço. que não entendem o propósito e a utilidade definitiva da dor". o quarto se encheu de uma forte luz. reconhecemos que as coisas que nos chegaram quando nos entregamos nas mãos de Deus foram melhores do que qualquer coisa que pudéssemos ter planejado. *** Achávamos que as "circunstâncias" nos levaram a beber. 108 2 – A. qualquer coisa!" De repente. esse é o Deus dos pregadores!" 1 – Alcoólicos Anônimos. um mundo novo de conscientização. sabe que nenhum alcoólico verdadeiro pára completamente de beber sem sofrer uma profunda mudança de personalidade". 57 e 58 NA OPINIÃO DO BILL 3 Dor e progresso "Alguns anos atrás eu costumava ter pena de todas as pessoas que sofriam. *** Minha depressão aumentou de forma insuportável. Imediatamente me encontrei exclamando: "Se existe um Deus. fossem elas quais fossem. e quando tentamos corrigir essas circunstâncias descobrimos que não poderíamos fazer isso. 1 – Carta de 1940 2 – Os Doze Passos. E então tive a sensação de que era um homem livre. págs. AAs. havia uma maravilhosa sensação de presença e pensei comigo mesmo: "Então. Ao meu redor e dentro de mim. Agora somente tenho pena daquelas que sofrem por ignorância. Lentamente o êxtase passou. *** 7 . mas agora por instantes me encontrava em outro mundo. págs. pág. à nossa própria maneira. que Ele se manifeste! Estou pronto para fazer qualquer coisa. pois aquele momento o último vestígio de minha orgulhosa obstinação foi esmagado. Mas quem quer que conheça a personalidade do alcoólico. que eu estava numa montanha e que soprava um vento. 37 e 38 NA OPINIÃO DO BILL 2 Nas mãos de Deus Quando olhamos para o passado. podemos concordar com isso. *** Certa vez alguém disse que a dor é a pedra de toque do progresso espiritual. assim como o desequilíbrio emocional vem antes da serenidade.continuarmos vivos. nosso beber se descontrolou e nos tornamos alcoólicos. Atinge a Maioridade. pois sabemos que as dores decorrentes do alcoolismo tiveram que vir antes da sobriedade. Nós. Nunca nos ocorreu que precisávamos nos modificar para nos ajustar às circunstâncias.A.

Éramos vítimas de uma compulsão que parecia determinar que deveríamos prosseguir em nossa própria destruição". caso contrário. "No entanto. 8 . ela é veneno."Acredite mais profundamente: Levante a cabeça para a Luz. Mas a partir do momento em que transferimos essas atitudes para nossos problemas emocionais. Isso foi certamente uma escolha. e essa foi a melhor escolha que poderíamos ter feito". finalmente. muito difícil. preferimos 'estar dispostos'. quando nos dispusemos a praticar os Doze Passos de A. descobrimos que só é possível obter resultados relativos. ainda que no momento você não possa ver". aliás. Alcoólicos Anônimos. A raiva é o luxo incerto dos homens normais. alcoólicos. Esse não é o caminho para a liberdade. O mau humor e a fúria repentina não eram para nós. elas geralmente conseguem. Mas com o alcoólico. pois daí nos afastamos da luz do Espírito. Enquanto permitirmos esses ressentimentos. 1 – Carta de 1950 2 – Os Doze Passos e as Doze Tradições. E conosco. 84 3 – Carta de 1950 NA OPINIÃO DO BILL 4 Podemos escolher? Não devemos nunca nos deixar cegar pela filosofia fútil de que somos vítimas de nossa hereditariedade. A loucura do álcool volta. pág. mas para nós. 80 NA OPINIÃO DO BILL 6 Tudo ou nada? A aceitação e a fé são capazes de produzir cem por cento de sobriedade. De fato. estamos perdendo horas que por outro lado poderiam ser úteis. Viemos a acreditar que sozinhos éramos impotentes perante o álcool. *** "Como alcoólicos ativos. Se quiséssemos viver. fizemos escolhas que nos levaram à recuperação.". Temos que acreditar que podemos realmente escolher. Viemos a acreditar que um Poder Superior poderia nos devolver a sanidade. e assim deve ser. de nossa experiência de vida e de nosso meio ambiente – de que essas são as únicas forças que tomam as decisões por nós. esse negócio de guardar ressentimento é grave mesmo. "Em resumo. e bebemos novamente. não poderíamos viver. cuja esperança é a manutenção e o crescimento de uma experiência espiritual. beber é morrer. 1 – Grapevine de novembro de 1960 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 5 A manutenção e o crescimento É evidente que uma vida onde se inclui profundos ressentimentos só leva à futilidade e infelicidade.A. pág. perdemos a capacidade de escolher se beberíamos ou não. seria preciso nos livrar da raiva.

Não obstante o êxito ou o fracasso do mundo. Se temos que receber outras dádivas. Grapevine de março de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 7 O reino do espírito Antigamente. não é privativo nem vedado aos que o busquem sinceramente.A. da raiva e do orgulho. O espírito da moderna investigação científica. o progresso material marchava a passos lentos. Conseqüentemente. Assim. E com o tempo. às vezes é interrompido por grandes retrocessos. as mentes dos homens estavam obstruídas pela superstição. Outros quase mataram Galileu por suas heresias astronômicas. como eram os antigos a respeito do reino material? *** Descobrimos que Deus não impõe condições árduas aos que O buscam. o Reino do Espírito é amplo e espaçoso. com referência à maioria de nossos problemas. Acreditamos que ele esteja aberto a todos. Alcoólicos Anônimos 1 – pág. pois um progresso muito gradual. Não é certo que alguns de nós são tão obstinados no que se refere ao reino espiritual. se livrar completamente do medo. nesta vida não atingiremos uma total humildade nem amor. nosso despertar tem que continuar. Para nós. a sobriedade é apenas o começo. vamos ter que nos conformar. Alguns contemporâneos de Colombo acreditavam no absurdo de uma Terra redonda. através da prática dos Doze Passos de A. é somente a primeira dádiva do primeiro despertar. Nossa antiga atitude de "tudo ou nada" terá que ser abandonada. a pesquisa e a invenção eram praticamente desconhecidos. uma nova vida de possibilidades intermináveis pode ser vivida se estamos dispostos a continuar nosso despertar. 67 2 – pág. não obstante a dor ou alegria. tradição e por todos os tipos de idéias fixas. não obstante a doença ou a saúde ou ainda a morte. Grapevine de dezembro de 1957 NA OPINIÃO DO BILL 9 9 . descobrimos que pouco a pouco vamos nos despojando da vida velha – a vida que não funcionou – por uma nova vida que pode e funciona sob quaisquer condições. 63 NA OPINIÃO DO BILL 8 Uma nova vida A sobriedade é tudo o que devemos esperar de um despertar espiritual? Não. No reino material.Ninguém pode por exemplo.

Acho que você está sofrendo muito por causa de um sentimento de culpa desnecessário. Uma vez que nossa cegueira é causada por nossos próprios defeitos. Deus não está nos pedindo que tenhamos êxito. se não houver um grupo.. Esse é justamente o lugar onde 10 . E a mais importante.O grupo e a ampla comunidade mundial No momento em que o trabalho do Décimo Segundo Passo forma um grupo. ação e graça para influir no lado escuro e negativo de nosso ser.A. Vamos querer ir mais longe. A meditação construtiva é o primeiro requisito para cada novo passo em nosso crescimento espiritual". Por isso. de que nenhum sacrifício pessoal é grande demais para a preservação da Irmandade. Por qualquer razão. em alto mar ou na solitária terra distante. Mas. mesmo dentro dos piores. *** "Uma luz clara parece descer sobre nós – quando abrimos os olhos. pág. Surge a compreensão de que cada membro é apenas uma pequena parte de um grande todo. Vamos querer que o bem que está dentro de todos nós. que seus companheiros podem estar tão perto como está o próximo porto. como está com aqueles que estão em sua própria terra". que nos permite receber a ajuda de Deus. Ele está pedindo apenas que tentemos. precisamos primeiro conhecê-los a fundo. Torna-se claro que o grupo precisa sobreviver para que o indivíduo não pereça. 89 2 – Carta de 1946 NA OPINIÃO DO BILL 11 Quantidade ou qualidade "Com respeito ao assunto das recaídas. vamos querer a luz do sol. *** "O membro sozinho no mar. que eles estão certos de que a graça de Deus está realmente com eles.A. o Senhor traçou caminhos mais difíceis para alguns de nós. e suponho que você está palmilhando um deles. por nenhum sentimento de desencorajamento ou vergonha. eu não me sentiria muito desencorajado. 1 – Os Doze Passos.A. pág. pouco se pode crescer na escuridão. antes de mais nada. que sua separação é apenas física. o A. ela é apenas um passo. 14 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 10 Livre da escuridão A auto-análise é o meio pelo qual trazemos uma nova visão. em guerra numa terra distante – todos esses membros sabem que pertencem à Comunidade Mundial de A. sempre que possa prejudicar o grupo. eu não me afastaria de A. Isso você está certamente fazendo. No entanto. uma descoberta é feita – que a maioria dos indivíduos não consegue se recuperar. Com ela vem o desenvolvimento daquele tipo de humildade. A meditação é nosso passo em direção ao sol. cresça e floresça. 1 – As Doze Tradições. Ele aprende que o clamor dos desejos e ambições interiores deve ser silenciado.

que está situado entre esses dois extremos. caso contrário. Carta de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 12 Buscando o ouro do insensato O orgulho é o grande causador da maioria das dificuldades humanas. O orgulho nos induz a exigir de nós e dos outros. é uma sociedade de alcoólicos em ação. possamos buscar continuamente a sabedoria e a boa vontade pelas quais possamos desempenhar bem a grande tarefa que o Doador de todas as dádivas perfeitas colocou em nossas mãos. ou quando ele é aceito e traz ainda maior confusão. nós mesmos poderemos recair e aqueles. então o orgulho entra em cena para justificar nossos excessos. ficamos ofendidos e confusos quando o conselho é rejeitado. Logo. "Acima de tudo.. essa bela mas enganadora terra semeada de moedas de ouro do orgulho do insensato. 1 – Os Doze Passos. Por que você não tenta apenas como membro? Você sabe que não tem que carregar todo o A. que realmente não estamos preparados para dar ou que não deveríamos dar.você deveria estar. Quando a satisfação de nossos instintos em relação ao sexo. Daí. pág 5 (E.A. pág. 11 . podem perecer. Precisamos levar a mensagem. é necessário um inventário constante que possa mostrar quando me afasto do caminho. é também a qualidade que conta. Talvez tentemos lhes dar conselhos. *** A fé é mais do que nossa maior dádiva. *** Posso alcançar a "humildade por hoje" apenas na medida em que sou capaz de evitar.A.A. seu compartilhar com os outros é nossa maior responsabilidade. por um lado. e por outro.A. 1 – O Manual de Serviços de A. o lamaçal de sentimento de culpa e revolta.U. nas costas! "Não é sempre a quantidade de coisas boas que você faz. e as exigências não podem ser cumpridas sem perverter ou fazer mau uso dos instintos que Deus nos deu.A) 2 – Grapevine de abril de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 14 Problemas dos recém-chegados A tentação é a de nos tornarmos "donos" dos recém-chegados. É assim que posso encontrar e permanecer no verdadeiro caminho da humildade. a quem não foi dada a verdade. o principal obstáculo ao verdadeiro progresso. 39 2 – Grapevine de junho de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 13 Dádiva compartilhada A. segurança e posição social se torna o único objetivo de nossa vida. Que nós de A. acerca de seus assuntos. é mais do que um conjunto de princípios. faça – o um dia de cada vez".

Isso é um pouco diferente de dizer: 'Nunca mais beberei'. Pelo contrário. 102 2 – Carta de 1942 NA OPINIÃO DO BILL 15 Valores eternos Muitas pessoas não querem saber de valores espirituais absolutos. meios de impedir isso – logo. Esse é um ato de vontade e deixa muito pouco lugar para a idéia de que Deus nos libertará da obsessão de beber. tem o privilégio de interpretar o programa como quiser. Mas também não as afaste do balde d'água". porque significa comprometer-se. Não é culpa dos elevados ideais serem às vezes usados indevidamente.pessoalmente. 1 – Os Doze Passos. Coloque um balde d'água a seu lado. e Sua perfeição é o farol.A".*** "Você não pode fazer um cavalo beber água. Muitas delas já quebraram muitas resoluções. Contudo. por falhar em alcançar. que eu saiba. Assim sendo não precisamos ser consumidos por um tolo sentimento de culpa. nunca poderíamos fazer. se não tentarmos constantemente vislumbrar o que são os valores espirituais eternos. Nosso alvo é o progresso. que nos leva para adiante". a nível pessoal. ou estão cheias de presunção porque imaginam que alcançaram algum objetivo impossível. "Eu. se ele ainda prefere cerveja ou é demasiado instável para saber o que quer. ou ainda estão mergulhadas na autocondenação porque não alcançaram.A. acho que não deveríamos nos apegar a esse ponto de vista. 1 – Grapevine de junho de 1961 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 16 Nunca mais! "Muitas pessoas se sentem mais seguras com o plano das vinte e quatro horas do que com a resolução de que nunca mais beberão. contanto que sigamos o programa de A. "Se as pessoas querem mesmo se embriagar. Sua semelhança e imagem sem demora. cada A. tornando-se assim desculpas levianas para sentimentos de culpa. distante anos-luz. Carta de 1949 NA OPINIÃO DO BILL 17 12 . pretendo nunca mais beber. não podemos progredir muito. revolta e orgulho. não há. deixe-as sozinhas e que elas se embriaguem. Perfeccionistas. diga-lhe como e por que ela é boa e deixe-o sozinho. *** "Dia a dia tentamos nos aproximar um pouco da perfeição de Deus. pág. Essa é realmente uma questão de escolha pessoal. a fazer o que nós. dizem elas. Essa última atitude às vezes põe as pessoas em dificuldade. alcoólicos.

Jamais alguém amou tanto os triunfos pessoais como nós. O maravilhoso e antigo sorriso estava em seu rosto. ele – sem receber pagamento – tratou clinicamente e auxiliou espiritualmente cinco mil sofredores. pode se esconder sob o ato ou o pensamento mais insignificante. Quando somos honestos com uma outra pessoa. pág.A. há tanto tempo. 191 NA OPINIÃO DO BILL 19 O vinho do sucesso Não são somente os problemas inesperados e desagradáveis que requerem o auto-controle. Atinge a Maioridade. posso dizer com toda gratidão que o crédito foi todo dele". 1 – Os Doze Passos. constitui a essência da formação do caráter e de uma vida satisfatória. 49 NA OPINIÃO DO BILL 18 Companheiro e sócio "O Dr. *** A decepção dos outros está quase sempre enraizada na decepção de nós mesmos. bebíamos o sucesso como se fosse um vinho que nunca 13 . em quantidade e qualidade. Como médico e grande criatura humana que era. estar sozinho com Deus não parece ser tão embaraçoso quanto enfrentar uma outra pessoa.A. no St. pág. isso confirma que temos sido honestos conosco e com Deus. e alcançou um recorde que. Aprender a identificar.. nunca houve uma palavra dura entre nós dois. temos escondido. pág. *** Eu me despedi do Dr.A. Devemos ser igualmente cuidadosos. Mantenha-o simples!" Saí sem poder dizer uma palavra. Essa foi a última vez que o vi. em Akron. ele escolheu trabalhar com os outros em sua sublime dedicação ao A. Assistido pela incomparável Irmã Ignatia. ninguém conseguirá ultrapassar. não deixe que isso se acabe. 85 2 – Grapevine de agosto de 1961 3 – Os Doze Passos. sabendo que ele ia se submeter a uma delicada cirurgia. Bob foi meu constante companheiro e sócio na grande aventura de A. se infiltra nos atos humanos de alto a baixo.A. admitir e corrigir essas falhas.Acerca da honestidade O perverso desejo de ocultar um mau motivo. quando me disse quase brincando: "Lembre-se. todos os dias. *** De algum modo. Bob. atrás do bom. "Com todo o esforço e dificuldades do pioneirismo de A. Thomas Hospital. 1 – Carta de 1966 2 – A. de farisaísmo. Por isso. Até que resolvamos sentar e falar em voz alta a respeito daquilo que. nossa disposição de "limpar a casa" é ainda muito teórica. Esse tipo sutil e evasivo. quando começamos a ter uma certa importância e sucesso material. Bill.

Agora que estamos em A. o membro que tira mais proveito do programa. a Serenidade necessária para aceitar as coisas que não podemos modificar. Portanto. Em A. conquistando de novo a estima de nossos amigos e companheiros de trabalho. não significa desastre. a outros alcoólicos.A. o sucesso é mais d'Ele do que nosso. Cegos pelo orgulho da autoconfiança. Grapevine de março de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 21 Cidadãos outra vez "Cada um de nós. mais cedo ou mais tarde a maioria de nós tem outras obrigações – para com a família. em certo ponto. e que qualquer sucesso que possamos ter. não esquecendo que estamos sóbrios hoje. em particular. *** Guardamos como um tesouro nossa "Oração da Serenidade". amigos e pátria. somente pela graça de Deus. Esse foi meu caso. que só pode nos trazer problemas difíceis de serem resolvidos. Coragem para modificar aquelas que podemos.A. e sóbrios. do Décimo Segundo Passo deve ser feita por sua própria consciência. Senhor. éramos capazes de bancar os importantes. podemos com freqüência nos checar. Ninguém pode lhe dizer com certeza o que você deveria fazer num determinado momento. nem deveríamos outra vez tentar vencer a adversidade. 79 NA OPINIÃO DO BILL 20 Luz proveniente de uma oração Concedei-nos. que faça mais do que levar a mensagem de A. "Só sei que se espera de você. acho que sua escolha em relação a um trabalho. quando bem aceita. Carta de 1959 14 . e Sabedoria para distinguir umas das outras.pudesse falhar em nos fazer sentir eufóricos. buscamos não apenas a sobriedade – tentamos voltar a ser cidadãos do mundo que rejeitamos e que também nos rejeitou. Os Doze Passos. Essa é a demonstração máxima de que o trabalho do Décimo Segundo Passo é o primeiro e não o último". Sabemos agora que não temos que fugir. pág. e talvez eu não tivesse permanecido sóbrio com menos trabalho. gasta um tempo enorme no trabalho do Décimo Segundo Passo. isto é. o Décimo Segundo Passo também fala de 'praticar estes princípios em todas as nossas atividades'. por sua vez. "Contudo. nos primeiros anos. No esplendor dessa oração vemos que a derrota. Como segurança contra os perigos da mania de grandeza.A. descobrimos que ainda precisamos exercitar especial vigilância. Como você pode se lembrar. por meio de um outro poderoso impulso arrasador. porque ela nos traz uma nova luz que pode dissipar nosso velho e quase fatal hábito de enganar a nós mesmos.

Mas hoje todos esses e muitos outros conversam sobriamente a respeito do quanto todos nós. conseguisse levar à sobriedade permanente. amor ou adoração. Ele pode indicar o caminho tanto da justiça como do ódio.A. coisas. como também os artistas e os profissionais. 1 – Os Doze Passos. E quanto mais respeito e justiça tivermos. os veteranos e os prisioneiros. em várias ocasiões. quando finalmente admitimos que as coisas vão mal. Esse processo de identificação e transmissão tem continuado. ainda que uma única mulher alcoólica. Que calafrio nos dava pensar nisso! Não tínhamos. com melhor motivo. 66 2 – Grapevine de janeiro de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 23 adoradores Somos todos Também descobrimos que tínhamos sido adoradores. Do mesmo modo daqueles "que atingiram o fundo do poço". págs. Alcoólicos Anônimos. 15 . os índios e os esquimós.NA OPINIÃO DO BILL 22 O medo como ponto de partida O que mais estimulava nossos defeitos era o medo egocêntrico – especialmente o medo de perder algo que já possuíamos ou de não ganhar algo que buscávamos. elas não precisavam de A. Mas. Portanto. os agnósticos. determinaram o curso de nossa existência? Era impossível dizer que não éramos capazes de ter fé. De uma forma ou de outra. o membro da alta sociedade (ou o fracassado da Park Avenue) dizia a mesma coisa. adorado pessoas. as mulheres diziam que eram diferentes. descobrimos que o medo pode ser o ponto de partida para coisas melhores. principalmente pelas próprias mulheres. o medo não precisa ser sempre destrutivo. os religiosos. pág. quando as coisas vão mal No princípio. Pode ser o caminho para a prudência e para um conveniente respeito em relação aos outros. mais depressa começamos a encontrar o amor que pode ser muito sofrido e no entanto ser dado livremente.A. somos iguais. não tínhamos contemplado com adoração o pôr do sol. *** Apesar de sua costumeira força destrutiva. passaram-se quatro anos antes que A. porque as lições de suas conseqüências podem nos levar a valores positivos. Assim sendo. Ainda com mais ênfase. Aquele que caía na sarjeta dizia que era diferente. o mar ou uma flor? Quem de nós não tinha amado alguma coisa ou alguém? Não foi com isso que foram construídas nossas vidas? Não foram esses sentimentos que. ficávamos num constante estado de perturbação e frustração. alcoólicos. sentimentos. a não ser que pudéssemos encontrar um meio de reduzir essas exigências. não conseguíamos a paz. estivemos vivendo pela fé e nada mais. 73 e 74 NA OPINIÃO DO BILL 24 Somos iguais. a situação mudou. com o aperfeiçoamento da comunicação. afinal de contas. dinheiro e a nós mesmos? E também. Vivendo numa base de exigências não atendidas. os ricos e os pobres.

É claro que nunca conheceremos a liberdade sob a dependência de Deus.A. Temos que crescer ou nos deteriorar mais. fica-se surpreso ao descobrir o quanto somos realmente dependentes e quão inconscientes somos dessa dependência. é realmente um meio de se obter a verdadeira independência de espírito. O que fazemos. Toda casa moderna tem fios elétricos que levam força e luz a seu interior." Sabemos que o preço dessa autosatisfação é um inevitável retrocesso. Havia sempre o álibi: "Afinal de contas". *** 16 . dizia a mim mesmo. vem de encontro às nossas necessidades diárias mais simples." Essa era minha receita quase perfeita para obter bem-estar e complacência. *** Quantos de nós ousariam declarar: "Bem. que nos sentimos mais à vontade e seguros. Na vida diária.. mais independentes na verdade somos.. O que mais posso querer ou fazer? Estou muito bem assim. Aceitando nossa dependência dessa maravilha da ciência. Portanto. diariamente. 27 NA OPINIÃO DO BILL 27 Detenção diária Não estamos curados do alcoolismo. Embora aceitemos prontamente esse princípio de saudável dependência em muitos de nossos assuntos temporais. nunca para amanhã. descobrimos que somos pessoalmente mais independentes. A escolha é nossa. Os Doze Passos. Para nós a situação só pode ser para hoje. a dependência. é deter a doença do alcoolismo. o que depende da manutenção de nossa condição espiritual. Silenciosa e certamente a eletricidade.A. na realidade. não podemos ficar parados. marcado em algum momento por um brusco despertar. "estou muito ocupado com assuntos muito mais importantes. até que tentemos buscar Sua vontade em relação a nós. essa estranha energia que tão poucas pessoas entendem. muitas vezes resistimos fortemente a esse mesmo princípio. como se pratica em A. quando nos pedem que o apliquemos como um meio de crescer espiritualmente. Devemos mudar. pág. A força corre justamente onde ela é necessária.Grapevine de outubro de 1959 NA OPINIÃO DO BILL 25 Não podemos ficar parados Nos primeiros dias de A. eu não me preocupava muito com os aspectos da vida nos quais eu estava inativo. estou sóbrio e feliz. 1 – Grapevine de junho de 1961 2 – Grapevine de fevereiro de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 26 A verdadeira independência do espírito Quanto mais nos dispomos a depender de um Poder Superior.

A.A. Enquanto as causas superficiais constituíam uma parte do quadro – acontecimentos que precipitavam a depressão – estou consciente de que as causas fundamentais eram muito mais profundas.A.A. págs.Nós. Aqueles que recaem. Alguns ficaram para experimentar nossa paciência. *** Nenhuma satisfação tem sido mais profunda e nenhuma alegria maior do que um trabalho do Décimo Segundo Passo bem feito. a tolerância e a humildade. 1 – Carta de 1959 2 – Os Doze Passos. eu mesmo fui um campeão das bebedeiras secas. pág.. 100 2 – As Doze Tradições. Outros foram embora. primeiro porque precisamos e depois porque gostamos do tipo de vida que essa obediência acarreta. O grande sofrimento e o grande amor são os disciplinadores de A. Grapevine de agosto de 1946 NA OPINIÃO DO BILL 29 A gratidão deveria ir à frente "A gratidão deveria ir para frente. que têm distúrbios mentais.A. obedecemos a princípios espirituais. se você levar a mensagem a outros. ver suas vidas se encherem rapidamente de um novo propósito e significado. nunca para trás. estará pagando da melhor maneira possível a ajuda que lhe foi prestada". – todos estes raramente prejudicam um grupo de A. Alguns deles se tornaram nossos mais respeitados e queridos companheiros. 55 NA OPINIÃO DO BILL 28 Os criadores de problemas podem ser professores Atualmente. 17 . Disso sei muito bem. poucos de nós têm receio daquilo que qualquer recém-chegado possa fazer contra a reputação ou eficiência de A. 1 – Alcoólicos Anônimos. e acima de tudo vê-los despertados para a presença de um Deus amoroso em suas vidas – essas coisas constituem a essência do que recebemos. mas como nossos professores. de A. que se rebelam contra o programa. pág. que nós que os condenamos somos os Fariseus. à medida que passam da escuridão para a luz. que escandalizam. por muito tempo.. não precisamos de nenhum outro. Começamos a considerar os criadores de problema. que pedem esmolas. Eles nos obrigam a cultivar a paciência. não como ameaças. apesar de sóbrios. que fazem comércio com a reputação de A. Finalmente compreendemos que são apenas pessoas mais doentes do que as demais. Contemplar os olhos de homens e mulheres se abrirem maravilhados. cuja falsa virtude causa a nosso grupo o mais profundo prejuízo espiritual. "Em outras palavras. quando levamos a mensagem de A. 96 e 97 NA OPINIÃO DO BILL 30 Livrando-se de uma "bebedeira seca" "Às vezes nós ficamos deprimidos.A.

"Para esses problemas. 1 – Carta de 1954 NA OPINIÃO DO BILL 31 O sistema econômico de Deus "No sistema econômico de Deus nada é desperdiçado. sabe. a obrigação de usar os Doze Passos de A. "Mas quando ele toma consciência dessa condição. eu poderia aceitar minha situação.A". *** Nem sempre chegamos mais perto da sabedoria por causa de nossas virtudes. "Nos primórdios de suas bebedeiras.A."Intelectualmente.A. *** 18 . Mas no momento em que tem a compulsão para beber. certamente não há respostas adequadas. por mais dolorosa que seja". isso está longe de ser verdade." Palestra de 1960 NA OPINIÃO DO BILL 33 Alicerce Para A Vida Descobrimos que recebemos orientação para nossas vidas. aprendemos uma lição de humildade que é provavelmente necessária. Como qualquer A. de que o alcoolismo é uma doença. é também a essência de nossa experiência como irmandade. Pelo contrário. fica sob pressão para aceitar o programa de recuperação moral de A. mas emocionalmente não. Pelo fato disso ter sido a essência de nossa experiência individual. Não utilizamos o conceito de doença para eximir nossos membros da responsabilidade. nossa melhor compreensão freqüentemente tem fundamento nos sofrimentos de nossos antigos desatinos. para se recuperar. 1 – Carta de 1942 2 – Grapevine de novembro de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 32 Responsabilidade Moral "Algumas pessoas se opõem firmemente à posição de A. ele não pode ser responsável por sua conduta. a fim de que Ele nos dê aquilo que queremos. usamos o fato de que se trata de uma doença fatal para impor a mais severa obrigação moral ao sofredor. mas parte da resposta certamente se encontra no esforço constante para praticar todos os Doze Passos de A. Através do fracasso. Ele então tem uma obsessão que o condena a beber e uma sensibilidade física ao álcool que garante sua loucura final e morte. o alcoólico freqüentemente é culpado de irresponsabilidade.A.A. Sentem que esse conceito tira dos alcoólicos a responsabilidade moral. à medida que paramos de fazer exigências a Deus.

poderia bem se afastar e morrer". O despertar espiritual do Bob não veio tão facilmente. duvidamos muito que nossos membros budistas do Japão tivessem se juntado à nossa sociedade. É a história do sofrimento transformado. Se você fosse um alcoólico cristão nessas circunstâncias. uma época em que levar a mensagem a outros alcoólicos. tivesse começado entre os budistas e que então lhe dissessem que você não poderia se ligar a eles. daqueles que professam o budismo.A. não é nenhum sucesso no sentido comum da palavra.Ao orar. Por exemplo. simplesmente pedimos que durante o dia todo Deus nos dê o conhecimento de Sua vontade e nos conceda a graça.A. ateus e agnósticos. 62 e 63 NA OPINIÃO DO BILL 36 A humildade em primeiro lugar 19 . Apesar de sua necessidade ser difícil de resistir. pela graça de Deus.. *** Há uma relação direta entre o auto-exame e a meditação e a oração. sem dúvida ela gerou grande motivação para o grupo Número Um de Akron ser formado. em progresso espiritual.As. dia e noite.A. resultam numa base sólida para a vida toda.A. 1 – Os Doze Passos. era a única coisa que fazia com que se esquecesse da bebida. 85 NA OPINIÃO DO BILL 34 "Não estamos ligados a nenhuma seita. Sempre se agarrou ao tipo de trabalho mais duro e a uma apurada vigilância. tem reintegrado milhares de pobres cristãos. Carta de 1954 NA OPINIÃO DO BILL 35 Sofrimento transformado "A. islamismo e judaísmo. e convertido em crentes. a não ser que também se tornasse budista. no caso de A.. 1 – Carta de 1959 2 – A. Bob. imaginando que A. "Você pode facilmente se convencer disso. Usadas separadamente. pág.A. apresentar-se oficialmente como um movimento estritamente cristão. Mas quando são relacionadas e entrelaçadas com lógica. ele também tem feito bons A. pág. essas práticas podem trazer muito alívio e benefício. foi penosamente lento." "Enquanto A. a necessidade insaciável do álcool era evidentemente um fenômeno físico que o atormentou durante alguns de seus primeiros anos de A." *** Para o Dr. a suas igrejas. pág. com a qual possamos realizá-la.. 95 2 – Os Doze Passos. 93 3 – Os Doze Passos.A. Atinge a Maioridade. págs.

Encontramos muitos em A. Quando começamos a fazer isso. Aí então tento alcançar um estado de alegre gratidão. Depois nos perguntávamos por que nos davam raiva. Essa fé também é para você. Eles nos ajudaram a nos reduzir ao nosso verdadeiro tamanho. Quando essa espécie de gratidão é repetidamente afirmada e ponderada. Apesar da humildade ter anteriormente representado uma humilhação agora ela começa a significar o ingrediente que pode nos trazer serenidade. Quando nossa doença espiritual é superada.A. achávamos que nossa auto-estima. recebemos a dádiva da fé que funciona. "No momento em que acreditar que encontrei um perfeito caminho para Deus. nós nos fortalecemos mental e fisicamente. Tento me convencer de que um coração cheio e agradecido não pode abrigar nenhum orgulho. Mas estou bem consciente e espero que humilde o suficiente para ver que não há nada de infalível em minha orientação. 21 2 – Os Doze Passos. a mais bela emoção que jamais podemos sentir. pág. Quando cheio de gratidão. que humildade era sinônimo de fraqueza. instituições ou princípios que nos davam raiva. pois tínhamos estado doentes não só física e mental. como também espiritualmente. Grapevine de março de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 38 Caminho direto para Deus "Acredito firmemente tanto na orientação como na oração. 1 – Os Doze Passos. Carta de 1950 NA OPINIÃO DO BILL 39 Lidando com os ressentimentos O ressentimento é o principal culpado. Ao lidar com nossos ressentimentos. íamos anotando-os num papel. nossas ambições e nossos relacionamentos 20 . Na maioria dos casos. pág. que antes pensavam. Dele nascem todas as formas de doença espiritual. contanto que colocássemos a humildade em primeiro lugar. eu me tornarei egoísta o suficiente para entrar em verdadeira dificuldade. nossos bolsos. Com seu exemplo nos mostraram que a humildade e o intelecto poderiam ser compatíveis. 64 NA OPINIÃO DO BILL 37 Um coração cheio e agradecido Um exercício que pratico é o de tentar fazer um inventário completo de minhas bênçãos e então aceitar as muitas dádivas que tenho. ela consegue finalmente afastar a tendência natural de me felicitar por qualquer progresso que eu possa ter sido capaz de alcançar em alguns setores da vida. tanto temporais como espirituais. Destrói mais alcoólicos do que qualquer outra coisa. como nós. Ninguém pode causar mais sofrimento desnecessário do que aquele que possui força e acha que a obteve diretamente de Deus". Fazíamos uma relação das pessoas. o coração por certo só pode dar amor.

A. Quando parecíamos estar sendo bem-sucedidos. Quem ousaria ser juiz. Os Doze Passos. em todos os lugares. júri e carrasco de seu próprio irmão doente? 1 – Grapevine de agosto de 1946 2 – As Doze Tradições. anotamos as regras. muitas vezes. nosso maior obstáculo era nossa falta de humildade. Cerca de noventa por cento de nossos mais antigos e melhores membros nunca poderiam ter ingressado! *** Finalmente a experiência nos ensinou que privar o alcoólico de tão grande chance.pessoais (incluindo o sexo) estavam prejudicados ou ameaçados. mesmo um pouco. prestígio e romance. Um pouco de reflexão sobre essas muitas regras nos levou a uma conclusão surpreendente. pág. bebíamos para esquecer. Quando estávamos frustrados. tentando viver segundo esse pensamento. imediatamente. pág. teria sido praticamente impossível qualquer alcoólico ter se juntado ao A. Quando as listas chegaram. 22 NA OPINIÃO DO BILL 42 Autoconfiança e força de vontade 21 . Em todas essas lutas. 1 – Alcoólicos Anônimos. 82 2 – Carta de 1949 NA OPINIÃO DO BILL 40 Conquista material Nenhum membro de A.A. às vezes era o mesmo que declarar sua sentença de morte e. Nem entramos em discussão com muita gente que se agarra à crença de que satisfazer nossos desejos básicos é o objetivo principal da vida. Estávamos à procura de mais segurança. bebíamos para viver sonhos ainda maiores. o Escritório Central pediu aos grupos para que fizessem uma lista das regras para ser membro e a enviassem ao escritório. Mas estamos convencidos de que nenhum tipo de pessoa no mundo jamais se atrapalhou tanto. Faltava-nos ver que a formação do caráter e os valores espirituais tinham que vir em primeiro lugar e que as satisfações materiais eram simplesmente subprodutos e não o principal objetivo da vida. *** "O mais exaltado trecho de uma carta pode ser uma maravilhosa válvula de segurança – contanto que a cesta de lixo esteja por perto". 61 NA OPINIÃO DO BILL 41 Regras para ser membro? Por volta de 1943 ou 1944. Se todas essas regras entrassem em vigor. como os alcoólicos. quer condenar os avanços materiais. muitas delas bem-intencionadas. condená-lo a uma miséria sem fim. pág.

Então nos disseram que.A.A. a nós mesmos como somos. Inúmeras vezes dissemos: 'Se não fosse por causa dele (ou dela). págs. a nível público. Todo o nosso problema tinha sido o mau uso da força de vontade. 30 NA OPINIÃO DO BILL 43 Até que ponto o anonimato? Via de regra. Ele também queria contar aos outros que tinham tentado ajudá-lo: seu médico.Quando. Quando surgia oportunidade de ser útil. 22 . a quem quer que fosse. Essas discretas revelações ajudavam-no a perder o receio que tinha do estigma alcoólico e a propagar a notícia da existência de A. e as pessoas que nos cercam como também são. o recém-chegado queria que sua família ficasse logo inteirada daquilo que ele estava tentando fazer. esperando ser ensinados a ter autoconfiança. como eu seria feliz!'" *** Nosso primeiro problema é aceitar nossas circunstâncias atuais como são. ao invés de tentar levá-la a ficar de acordo com o plano de Deus para conosco. Como é esperado que esse anonimato seja apenas. por causa disso. que começamos a usá-la corretamente. pela primeira vez desafiados a admitir a derrota.. Tínhamos tentado atacar nossos problemas com ela. 14 2 – Os Doze Passos. essas comunicações estavam bem dentro de seu espírito. em sua comunidade. ele se sentia no direito de explicar seu novo modo de vida para seu patrão e colegas de trabalho. de nada nos serviria a autoconfiança: aliás. 1 – Os Doze Passos. repisando as faltas dos outros. essa foi uma das revelações mais maravilhosas. 60 e 61 NA OPINIÃO DO BILL 44 Aceitação diária "Grande parte de minha vida foi passada. Assim que obtinha confiança. Essa é uma das muitas formas sutis e maldosas da auto-satisfação. Repetidamente precisaremos voltar a esse pouco lisonjeiro ponto de partida. Para todos nós.. seu ministro religioso e amigos íntimos.. O propósito dos Doze Passos de A. Não era possível o alcoólico vencer a compulsão com a ajuda da vontade desamparada. a maioria de nós se revoltou. no tocante ao álcool. Esse é um exercício de aceitação que podemos praticar com proveito todos os dias de nossas vidas. Isso é adotar uma humildade realista sem a qual nenhum verdadeiro progresso pode sequer começar. *** É quando tentamos fazer com que nossa vontade se harmonize com a vontade de Deus. que nos permite ficar confortavelmente despreocupados a respeito de nossos próprios defeitos. As Doze Tradições.A.A. Havíamos nos aproximado de A.A. ele achava que poderia falar com muita facilidade acerca de A. pág. ela era um empecilho total. pág. é o de tornar isso cada vez mais possível. Muitos homens e mulheres vieram para A.

pág. de que poderiam construir uma máquina que voasse. Sem ela nada poderia ter acontecido. Simplesmente tínhamos que ser a pessoa mais importante. o falso orgulho tornou-se o outro lado da terrível moeda com a marca do "medo". dinheiro e ao que supúnhamos que fosse liderança. o progresso espiritual. 110 NA OPINIÃO DO BILL 47 Ver é crer A fé quase infantil dos irmãos Wright. Sabíamos que éramos cutucados. os agnósticos e ateus. *** A verdadeira ambição não é aquilo que achávamos que era. a fim de encobrir nossas inferioridades mais profundas. portanto. eles podem ser a base segura sobre a qual pode ser construída a crescente saúde emocional e. começamos a nos sentir como aqueles que tinham insistido em que os irmãos Wright nunca voariam. estávamos agarrados à idéia de que a auto-suficiência resolveria nossos problemas. 1 – Os Doze Passos. sob a graça de Deus. Grapevine de março de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 46 A verdadeira ambição e a falsa Concentrávamos muito em nós mesmos e naqueles que nos cercavam. Ela é o profundo desejo de viver de maneira útil e caminhar humildemente. quer provenham de um tubo de ensaio. pág. Quando os outros nos mostravam que a "suficiência de Deus" funcionava para eles. Acolhemos bem novos e valiosos conhecimentos. 1 – Carta de 1966 2 – Grapevine de março de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 45 Nossos companheiros Hoje em dia a grande maioria dos alcoólicos acolhe bem qualquer nova luz que possa ser lançada sobre a misteriosa e complexa doença do alcoolismo. como nossos companheiros na marcha da escuridão para a luz. foi a mola mestra de seu sucesso. Assim. Nós. 109 2 – Os Doze Passos. Vemos que juntos podemos obter o que nunca poderíamos alcançar em separado ou com rivalidade. Cada vez mais consideramos todos aqueles que trabalham no campo do alcoolismo.Desde que evitemos arduamente transformar esses reconhecimentos realistas dos fatos da vida em álibis irreais para a prática da apatia ou do derrotismo. a uma vida que levava à fama. do divã do psiquiatra ou de estudos sociais. por medos ou ansiedades descabidos. 23 . Apreciamos com satisfação toda espécie de educação que informe o público acuradamente e modifique sua opinião a respeito do bêbado.

Se queremos viver serenamente hoje e amanhã. A. a perda de uma vida antiga como condição para encontrar uma nova. 1 – Alcoólicos Anônimos. isso sim.: a força nascendo da fraqueza e da derrota completa. de forma alguma. Isso não quer dizer que precisamos perambular morbidamente pelo passado.A. Alcoólicos Anônimos. A palavra "anarquia" tem um mau significado para a maioria de nós. é uma associação do tipo benigno que ele imaginou. de hoje – raiva. uma admissão e correção dos erros cometidos – agora.A. Nesse sentido. medo. pág. pág. não podemos abrigar. eles então voluntariamente se associariam a um interesse comum. essa sociedade é uma anarquia benigna. 41 NA OPINIÃO DO BILL 50 A.: Anarquia benigna e democracia Quando chegamos em A. Essa é emocional. Os Doze Passos. porque bebeu em excesso ontem. Não somos obrigados a fazer nada. 79 e 80 NA OPINIÃO DO BILL 49 A força nascendo da fraqueza Se estamos dispostos a parar de beber. ciúme e outras semelhantes. Isso significa que nenhum indivíduo poderia 24 . Todos os planos para a ação do grupo tinham de ser aprovados pela maioria. pessoas que se elevavam acima de seus problemas. encontramos uma liberdade pessoal maior do que qualquer outra sociedade conhece.A.. sem dúvida precisamos eliminar essas ressacas. págs. resultado direto do acúmulo de emoções negativas de ontem e. que primeiro advogou a idéia. Mas acho que o idealista.Estávamos vendo um outro tipo de vôo. Mas existe um outro tipo de ressaca que todos experimentamos. ele não pode viver bem hoje. pág. *** Tal é o paradoxo da regeneração em A.A. sentia que se os homens tivessem garantido liberdade absoluta e não fossem obrigados a obedecer ninguém. Cada grupo nesse sentido veio a ser uma reunião democrática com os membros da comunidade. 55 2 – A. bebendo ou não. Atinge a Maioridade. À medida que os primeiros membros iam-se retirando. Mas quando tivemos que entrar em ação – para funcionar como grupos – descobrimos que tínhamos que vir a ser uma democracia.A. uma libertação espiritual deste mundo. Requer. a esperança de que um dia seremos imunes ao álcool. às vezes. 72 e 74 NA OPINIÃO DO BILL 48 Viva serenamente Quando um bêbado está com uma terrível ressaca. começamos a eleger nossos servidores pela maioria de votos.

Antes de chegar à fé eu tinha vivido como um estranho num cosmo. todas as vezes que eles tentam arduamente procurá-las. Se estamos arrependidos do que fizemos e temos o sincero desejo de deixar que Deus nos leve a coisas melhores. pág. Se não podem ter esse tipo de felicidade.A. experimentaria minha antiga desolação. um significado e um destino para crescer. que. A." 1 – Grapevine de janeiro de 1942 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 52 Para prevenir uma recaída Suponhamos que em algum momento deixamos de atingir nossos ideais. justiça e amor. os assim chamados "solitários" nos dizem que já não se sentem 25 . eu não estava mais sozinho. me achei pronto para pedir a dádiva da fé. magoados e abandonados. ainda que aos poucos e com hesitação. Para mim.A. a pedra fundamental da libertação do medo é a fé: uma fé que. um Deus que quer para mim um propósito. não podem constituir família? No início muitos deles se sentem sozinhos. a despeito de todas as aparências mundanas em contrário. A. E tudo mudou. como um todo. em direção à Sua imagem e semelhança. 87 NA OPINIÃO DO BILL 53 "Solitários" – Mas não sozinhos O que se pode dizer de muitos membros de A.A. para mim. Atinge a Maioridade. 200 e 201 NA OPINIÃO DO BILL 51 A chegada da fé Em meu caso. faz-me crer que vivo num universo que faz sentido. Nunca mais. Vi o universo iluminado pelo amor de Deus. mas é apenas a metade da verdade. Esses são fatos baseados em nossa experiência. pode lhes oferecer satisfações igualmente válidas e duradouras? Sim. Depende de nós e de nossos motivos. que muitas vezes parecia ser hostil e cruel. Para nós não servia nem ditadura nem paternalismo. apesar de meus sofrimentos e problemas. Isso significa que vamos beber? Algumas pessoas nos dizem que sim. e nossa conduta continua a prejudicar os outros. págs.A. Alcoólicos Anônimos. isso significa a crença num Criador que é todo poder. Nele não poderia haver. *** "Quando caí de joelhos por causa do álcool.designar a si mesmo para atuar por seu grupo ou por A. quando testemunham tanta felicidade conjugal ao seu redor. estamos bem certos de que voltaremos a beber. Cercados de tantos amigos AAs. nenhuma segurança interior. por várias razões. Se não estamos arrependidos. acreditamos que seremos perdoados e teremos aprendido uma lição.

26 . Reflexão calma e ponderada sobre relações pessoais pode aprofundar nosso conhecimento interior. chocados e com raiva quando alguém vê alguma falha em A. espero uma orientação maior que possa ir direto à minha mente ou vir de outras pessoas ou circunstâncias. tendo resolvido o problema dessa maneira e não tendo obtido resposta conclusiva ou compulsiva. antes de agir. Afirmo que gostaria de fazer a vontade de Deus. incluindo nosso alcoolismo. repito a primeira medida várias vezes e tento escolher da melhor forma. que não podemos obter benefícios com a crítica construtiva. Sei que se estou errado. 72 NA OPINIÃO DO BILL 55 Em busca de orientação "Supõe-se que o homem pensa e age.sós. Uma vez que nossos relacionamentos difíceis com outros seres humanos quase sempre foram a causa imediata de nosso sofrimento. Carta de 1950 NA OPINIÃO DO BILL 56 Enfrentando a crítica Às vezes ficamos surpresos. "Minha própria fórmula a esse respeito é a seguinte: primeiro. pessoas e projetos construtivos. "Então. Todos os dias vemos esses membros prestarem relevantes serviços e receberem. podem se dedicar a inúmeros ideais. Podemos ir muito além daquelas coisas que estavam superficialmente erradas em nós. Descobrimos que a minuciosidade vale a pena – vale a pena mesmo. 106 NA OPINIÃO DO BILL 54 Para aprofundar nosso conhecimento interior É necessário que esclareçamos. Podem participar de empreendimentos que por sua natureza seriam negados aos casados. para ver aquelas falhas que eram básicas. pág. Em companhia de outros homens e mulheres. pág. toda informação possível sobre nós e sobre nossas principais dificuldades. Esse tipo de ressentimento não cria amizades e não alcança nenhum propósito construtivo. nenhum campo de investigação poderia trazer recompensas mais satisfatórias e valiosas do que esse. de qualquer maneira". de volta. Somos capazes de ficar perturbados de tal forma. Os Doze Passos. falhas que às vezes eram responsáveis pelo padrão de nossa vida toda. Ele não foi criado à imagem de Deus para ser um autômato.A. "Se sinto que não posso esperar e ainda não tenho nenhuma indicação definida. Na verdade essa é uma área. orando nesse meio-tempo para não ser influenciado pelas considerações do ego. por meio de um exame de nossas relações pessoais. penso nos prós e nos contras de cada situação. Uma lição terá que ser aprendida. Os Doze Passos. grandes alegrias. na qual podemos nos melhorar. o céu não cairá.

segurança e eficiência futuras de A. não importando quem ou qual achávamos ser a causa. éramos inclinados à zanga. Fazer concessões é muito penoso para nós. Isso deixa cada um de nós exposto à racionalização de que podemos ficar com raiva quando quisermos. os velhos padrões de comportamento ainda estão dentro de nós até certo ponto. nossa primeira necessidade era diminuir essa perturbação. estávamos na verdade nos batendo com o porrete da fúria que pretendíamos usar nos outros. pág. O recém-chegado sente que encontrou algo melhor que o ouro. que só pagará dividendos se a explorar para o resto da vida e insistir em doar toda a produção. 38 NA OPINIÃO DO BILL 59 Convicção e compromisso Um qualificativo para uma vida útil é o dar e receber. 1 – Grapevine de julho de 1965 2 – Doze Conceitos para Serviços Mundiais. muitos de nós têm se entregado à intoxicação espiritual. Alcoólicos Anônimos. revolta e agressão. pág. porque em nossos dias de bebedeira. desde que possamos achar justa nossa raiva". Aprendemos que se estávamos seriamente perturbados. Mas nós sabemos disso e. *** Quando guardávamos rancor e planejávamos vingar essas derrotas. dependerão muitíssimo da manutenção de uma atitude passiva e não agressiva em todas as nossas relações públicas. prontos para explodir com qualquer boa desculpa.73 NA OPINIÃO DO BILL 57 Melhor que o ouro Como recém-chegados. pág. encontramos o ouro. a habilidade de transigir sem rancor. 135 NA OPINIÃO DO BILL 58 Indignação justificada "O valor positivo da indignação justificada é teórico – especialmente para os alcoólicos. de imediato. 1 – Carta de 1954 2 – Os Doze Passos. que apenas tocou a superfície de uma mina infinita. hostilidade. portanto.*** É evidente que a harmonia. sempre encontraremos a graça de manifestar um real controle. ao ser libertados de uma vida toda de frustração. sentimos confiança que na conduta de nossos afazeres públicos. beberrões de "tudo ou 27 . A alegria que sentimos. Mesmo apesar de estarmos agora sóbrios.A. Ele pode não ver. Como um explorador faminto ao esgotar a última migalha de alimento. foi enorme. Essa é uma tarefa difícil.

Mas não fomos nós mesmos que provocamos essa situação? O problema de acabar com o medo apresenta dois aspectos. pág. Doze Conceitos para Serviços Mundiais. Nós. éramos como você – inteligentes demais para nosso próprio bem. Entretanto.A. págs. que tão brilhantemente tínhamos vencido. Percebemos que tínhamos que mudar ou morrer". Usávamos nossa instrução para nos vangloriar. "Mas novamente o álcool tinha outras idéias. de repente nos convertemos nos maiores derrotados de todos os tempos. 1 – Alcoólicos Anônimos. 85 2 – Grapevine de janeiro de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 62 Uma porta giratória diferente Quando um bêbado se aproxima de nós e diz que não gosta dos princípios de A. O intelecto era capaz de conquistar a natureza. Depois vamos precisar encontrar. muitos AAs podem dizer: "Sim. Adorávamos ouvir as pessoas nos chamarem de precoces. Vamos ter que tentar nos libertar de todo o medo que for possível. Uma vez que éramos mais brilhantes do que a maioria (assim pensávamos). até que ele se esclareça. não podemos nos esquecer de que o progresso é quase sempre caracterizado por uma série de concessões vantajosas. "O progresso científico nos dizia que não havia nada que o homem não pudesse fazer. os benefícios da vitória seriam nossos. quando ele declara que estará melhor em qualquer outro lugar – não nos incomodamos. somente com o poder da inteligência. Secretamente. O conhecimento era todo poderoso. Era uma funesta e corrosiva ameaça. embora tivéssemos o cuidado de esconder isso dos outros. 43 NA OPINIÃO DO BILL 60 Somente com o poder da inteligência? Para o homem ou mulher intelectualmente auto-suficiente. tanto a coragem como a graça de lidar construtivamente com qualquer espécie de medo que ainda reste. Punha-se em movimento uma série de circunstâncias. a estrutura de nossa existência era entrelaçada com o medo.. Dizemos 28 .nada". 20 e 21 NA OPINIÃO DO BILL 61 Resolvendo o problema do medo O medo de certa forma afetou todos os aspectos de nossas vidas. que nos trazia desgraças que achávamos que não merecíamos. Claro que não podemos fazer concessões sempre. Fazer ou não concessões requer sempre cuidadoso discernimento. Uma vez ou outra é realmente necessário fincar os pés numa convicção sobre o assunto. achávamos que poderíamos flutuar acima dos outros. pág. das pessoas ou da direção do serviço. Os Doze Passos. O deus do intelecto substituía o Deus de nossos pais. automaticamente.

Os Doze Passos. quase todos eles têm voltado). que ser consolado. lutei por eles. Se depois de fazer a tentativa. não ficamos perturbados. Reforçado pela graça que pude encontrar na oração. que grande dano tínhamos causado? Certamente nada que não pudéssemos consertar com algumas eventuais desculpas. Dizemos simplesmente: "Por que você não tenta mudar para outro grupo? Ou comece um novo grupo por sua conta. fazemos um convite animador para que assim o façam. Meu principal defeito sempre foi a dependência das pessoas ou circunstâncias para dar-me prestígio." Para todos os que desejam se separar de A. Doze Conceitos para Serviços Mundiais. Nossos sócios não foram prejudicados. tive que empregar toda minha vontade e ação para cortar essas dependências emocionais das pessoas e circunstâncias.. chegou também a depressão.A. porque sempre pagamos as contas e raramente bebíamos em casa. não passava de uma falha de um bom sujeito. A decisão é toda deles (na verdade. Aqueles que sabiam às vezes nos asseguravam que uma boa farra. É claro que essa atitude é o resultado final do esquecimento proposital. 69 NA OPINIÃO DO BILL 65 Crescimento pelo Décimo Passo 29 . a não ser a nós mesmos.A. Grapevine de janeiro de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 64 Busca de motivos Alguns de nós alegávamos que quando bebíamos. nunca ferimos ninguém. morrer ou voltar para Alcoólicos Anônimos. sabemos que eles têm uma escolha a fazer: ficar loucos. afinal de contas. Por que você não tenta alguma outra coisa?" Quando um membro de A. Só assim pude ficar livre para amar como São Francisco amou. Se eles conseguirem fazer melhor por outros meios." De repente percebi qual poderia ser a resposta. E quando chegou a derrota. porque geralmente comparecíamos ao trabalho. porque estávamos certos de que poucos sabiam de nossas bebedeiras. de acordo com meus sonhos perfeccionistas. págs. Nossa reputação não foi afetada. pág. Nossos familiares não sofreram. estaremos contentes. 76 e 77 NA OPINIÃO DO BILL 63 Livre da dependência Perguntei a mim mesmo: "Por que não podem os Doze Passos libertar-me dessa insuportável depressão?" Hora após hora olhei fixamente na Oração de São Francisco: "É melhor consolar. diz que não gosta de seu próprio grupo. segurança e confiança. É uma atitude que só pode ser mudada por uma busca profunda e honesta de nossos motivos e ações. Portanto. não conseguirem melhores resultados.simplesmente: "Talvez seu caso seja diferente. Não conseguindo obter essas coisas.

declaro com gratidão que se não fossem nossas esposas. Bob e por mim mesmo. com uma ajudazinha de Deus de vez em quando.A. o Pai é que faz" começaram a trazer uma promessa e significação. não foi inventado! Seus fundamentos chegaram até nós através da experiência e sabedoria de muitos grandes amigos. pág.A. Simplesmente tomamos emprestado suas idéias e as adaptamos. Assim. Esse é o castigo universal por não continuar crescendo. como indivíduos. pág. cada A. cometeremos erros. A noção de que viveríamos nossa própria vida. A experiência nos tem ensinado que não precisamos ter medo de cometê-los. todo aquele que tem feito algum trabalho do Décimo Segundo Passo com sucesso. 1 – Carta de 1945 30 .. Nosso crescimento. sempre e quando mantenhamos a disposição para confessar nossas faltas e corrigi-las prontamente. do mesmo modo nossa sociedade como um todo deve fazer. que não podem corrigir livremente suas próprias faltas. deve inevitavelmente chegar à decadência ou até mesmo ao colapso.A.A. Os Doze Passos. Mas agora as palavras "Sozinho nada sou. "Se você pensar bem nisso. A. tínhamos nos privado de Sua ajuda. Assim crescerá nossa irmandade. Anne e Lois. desejaria sinceramente que a palavra "fundador" pudesse ser eliminada do vocabulário de A. 206 NA OPINIÃO DO BILL 66 Somente em caso de emergência Quer tivéssemos sido crentes ou não. Atinge a Maioridade. Devemos nossas próprias vidas aos homens e mulheres da medicina e da religião. se quisermos sobreviver e prestar serviço de maneira proveitosa e satisfatória." *** "Agradecidos. E. Devemos sempre nos lembrar de que qualquer sociedade de homens e mulheres. tem dependido desse saudável processo de ensaio e erro. no decorrer dos próximos anos. aceitamos os dedicados serviços de muitos não-alcoólicos. nenhum de nós poderia ter vivido para ver o começo de Alcoólicos Anônimos"." *** "A. Muitos de nós. está fadado a ser o fundador de uma nova vida para outros alcoólicos. falando pelo Dr. despertaram para as limitações dessa atitude.A. começou a desaparecer. Recusando colocar Deus em primeiro lugar.Naturalmente. 65 NA OPINIÃO DO BILL 67 Milhares de "fundadores" "Ao mesmo tempo em que agradeço a Deus o privilégio de ser um antigo membro de A. que se consideravam religiosos. deve continuar fazendo seu inventário moral e atuar de acordo com ele. começamos a superar a idéia de que o Poder Superior era para ser invocado somente numa emergência.

Mas sentimento de culpa – não. você só pode ficar penalizado por se recusar a tentar obter coisas melhores. que está fazendo o Décimo Segundo Passo apenas sorri e busca outro alcoólico para ajudar. 31 . A unidade de nossa Irmandade. Mesmo assim não deveria ser censurado por seu fracasso. Grapevine de janeiro de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 70 A verdade.2 – Carta de 1966 3 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 68 Renove seu esforço "Embora eu saiba como você deve estar magoado e triste depois dessa recaída. por causa de outras falhas chamadas morais. o padrinho se sente feliz de qualquer forma. Ela cortou os grilhões que nos prendiam ao álcool. renove seu esforço no programa de Alcoólicos Anônimos. especialmente nas partes referentes à meditação e à auto-análise. de seis meses. tivemos o privilégio de perceber. "Eu poderia também sugerir que você desse uma olhada no excessivo sentimento de culpa que isso causou? Um certo pesar pelo que aconteceu é razoável. alegra-se porque seu apadrinhado está sóbrio e feliz. começa a dar amor e atenção a outros sofredores e não dá nada de volta para ele. a estima que o mundo tem por nós – tudo isso é produto da verdade que.A. Se o recém-chegado disser: "Vá para o diabo que o carregue"." Carta de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 69 Dando sem exigir Observe qualquer A. trabalhando com um provável membro no Décimo Segundo Passo. o A. O mais calmamente que puder.A. E ele sabe bem que sua própria vida ficou enriquecida. Continua a nos livrar dos incalculáveis conflitos e misérias. sob a graça de Deus. por sua vez. por favor não se preocupe com a perda temporária de sua paz interior. "Na verdade. a libertadora Como a verdade nos torna livres é algo que nós AAs podemos compreender bem. Não se sente frustrado nem rejeitado. Se seu próximo bêbado aceita e. *** Como e quando dizemos a verdade – ou ficamos em silêncio – pode quase sempre mostrar a diferença entre a presença da verdadeira integridade e a falta dela. Ele ainda assim não se sente rejeitado. Certamente você deveria pensar nessa possibilidade. a recaída bem pode ter sido ocasionada por sentimentos de culpa irracionais. o amor que temos uns pelos outros. ela acaba com o medo e com o sofrimento. com um dividendo extra por dar a um outro sem exigir qualquer retribuição. pelo contrário.

Descobrimos que a dependência de Sua perfeita justiça. se pôs a caminhar junto e entabulou com o padre Ed uma animada conversa – principalmente a respeito de A.. que seu companheiro estava perfeitamente sóbrio. "Como é que você não tem nada a dizer sobre Pearl Harbor? Como você pode suportar semelhante golpe?" "Bem". *** Descobrimos que o próprio Deus sem dúvida é a melhor fonte de estabilidade emocional. Logo. nos sentir derrotados com esse golpe?" Grapevine de janeiro de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 72 Dependência – Doentia ou saudável "Nada pode ser mais desmoralizador do que uma dependência servil e exagerada de um outro ser humano. estava passando por uma rua dessa cidade. por que deveríamos nós.O Passo Nove enfaticamente nos previne contra o mau uso da verdade.A. "cada um de nós em A. em St. esse valioso princípio certamente tem a ampla aplicação ao problema do desenvolvimento da integridade. já teve seu Pearl Harbor particular. 103 32 . o padre Ed estava angustiado com o pensamento de que seu querido grupo de A. que não era alcoólico mas tinha sido um dos fundadores do esforçado grupo de A.A. não poderíamos bancar o Deus para nossos semelhantes e nem sentiríamos a necessidade de depender totalmente da proteção e dos cuidados humanos. 1 – Carta de 1966 2 – Os Doze Passos. Como muitos de seus amigos geralmente sóbrios já tivessem bebido para esquecer as implicações do desastre de Pearl Harbor.. Isso muitas vezes significa a exigência de um grau de proteção e amor que ninguém poderia possivelmente satisfazer. provavelmente fizesse o mesmo. quando declara: "Fizemos reparações diretas a essas pessoas.A. sóbrio há menos de um ano. Louis. perdão e amor era saudável e que funcionaria quando nada mais funcionasse. aqueles que esperamos que sejam nossos protetores finalmente fogem e uma vez mais somos deixados sozinhos para nos desenvolver ou nos desintegrar". Assim sendo. um grande amigo de A. com alívio. tanto para prejudicar como para ajudar. sempre que possível. respondeu o novato. o padre Edward Dowling. exceto quando fazê-lo viesse prejudicá-las ou a outras pessoas". O padre Ed viu. Se realmente dependíamos de Deus. pág.A.A. bêbados. Então um membro. Pelo fato da verdade poder ser usada. Grapevine de agosto de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 71 "Como você pode suportar um golpe?" No dia em que a calamidade de Pearl Harbor caiu sobre os Estados Unidos.

. estou achando muito mais fácil acreditar que Deus fez o homem e não que o homem fez Deus". nos últimos anos. com o passar dos séculos. poderíamos perder esses medos. grande número de pessoas muito mais brilhantes do que eu encontraram os dois lados desse debate a respeito da crença. nas horas difíceis. Quase todos os AAs descobriram. 60 NA OPINIÃO DO BILL 75 Perda de medos financeiros Quando um trabalho era apenas um meio de obter dinheiro. mesmo nessa base limitada.A. *** Adquirir uma humildade maior é o princípio fundamental de cada um dos Doze Passos de A.A. tenho certeza de que estaria disposto a ser recíproco. ainda não têm muita probabilidade de virem a ser verdadeiramente felizes. Carta de 1950 NA OPINIÃO DO BILL 74 Rompa as paredes do ego As pessoas que são impulsionadas pelo orgulho. nenhum alcoólico pode permanecer sóbrio. inconscientemente não enxergam seus defeitos.NA OPINIÃO DO BILL 73 Tolerância dos dois lados "Seu ponto de vista outrora foi meu. "Mas carrossel gira sempre no mesmo sentido. 1 – Os Doze Passos. pois sem um certo grau de humildade. quando a aquisição de dinheiro para a garantia de nossa independência financeira era mais importante do que uma total dependência de Deus. Se você esperasse tolerância para seu ponto de vista. e nenhum A. O problema é ajudá-los a descobrir uma trinca nas paredes construídas pelo seu ego. não importando quais fossem nossas 33 . Felizmente. pág. ao invés de uma oportunidade para servir. em qualquer nível financeiro. a maioria de nós deve depender de um Poder Superior. E esses eram medos que tornariam impossível uma existência serena e útil. Os recém-chegados desse tipo certamente não precisam de consolo. bem-intencionado desafiaria seu privilégio de crer precisamente desse modo. Para mim. também. Mas com o passar do tempo. pág. através da qual a luz da razão possa brilhar. Sem ela não podem viver com um propósito útil ou. Você diz que o grupo é seu Poder Superior.A. muito mais do que a necessária para se obter a sobriedade. Nós todos deveríamos estar contentes com as boas recuperações que podem ser feitas. éramos vítimas de medos descabidos. mas para conseguir melhores resultados. que a não ser que desenvolvam essa preciosa qualidade. Tento me lembrar que. está edificado de tal modo que não precisamos discutir a existência de Deus. descobrimos que com a ajuda dos Doze Passos de A. 37 2 – Os Doze Passos.A. A. apelar para a fé que pode enfrentar qualquer emergência.

antes de decidir. Pense no que você possa levar. Assim. págs. casamentos. muitas vezes nos torna capazes de restabelecer uma ligação. particularmente. bailes. Mas. págs. do ódio ao amor. 107 e 108 NA OPINIÃO DO BILL 76 Só Deus é imutável "A mudança é a característica de todo crescimento. não da nossa.possibilidades materiais. clubes noturnos. até simples festinhas. interrompida pela raiva. Se não estiver firme. tanto para nós como para os outros. talvez seja melhor você trabalhar com um outro alcoólico! Alcoólicos Anônimos. vá ou se afaste. já não receávamos uma mudança para pior. não a minha. Da bebida à sobriedade. comercial ou pessoal para ir a esse lugar? Ou espero roubar um pouco de prazer vicário do ambiente?" Então. Os Doze Passos. Você vai notar que incluímos uma importante restrição. medo. 112 e 113 NA OPINIÃO DO BILL 78 Restabelecendo uma ligação No decorrer do dia podemos fazer uma pausa. precisamos nos desfazer de princípios maus ou ineficientes em favor dos bons princípios. frustração ou desentendimento." Nos momentos de grande perturbação emocional. Para isso. Isso inclui bares. do conflito à serenidade. pois havíamos aprendido que nossos problemas poderiam ser transformados em valores positivos. sem nos preocupar com o amanhã. 34 . "Essas mudanças são realizadas por meio da crença e da prática de princípios saudáveis. "Só Deus é imutável. Não pense no que você vai obter na ocasião. que produzem resultados. com certeza vamos manter nosso equilíbrio. no momento de tensão. quando situações devam ser enfrentadas. e nos permite voltar à mais segura de todas as ajudas – nossa procura da vontade de Deus. recepções. Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 77 Por favor responda – Sim ou Não? Geralmente não evitamos um lugar onde haja bebida – se temos uma verdadeira razão para estar lá. nos tenha agradado em nossa leitura ou meditação. decisões tomadas e renovado o simples pedido: "Seja feita Tua vontade. Poderíamos com alegria executar tarefas humildes. de acordo com o que lhe parecer melhor. pergunte a você mesmo: "Tenho alguma boa razão social. Até bons princípios podem às vezes ser substituídos pela descoberta de outros ainda melhores. somente Ele tem todas as verdades que existem". da desonestidade à honestidade. Se as coisas iam bem. desde que lembremos e repitamos para nós mesmos uma oração ou frase que. Apenas dizê-la repetidamente. da dependência infantil à responsabilidade adulta – tudo isso e muito mais representam mudança para melhor. esteja certo de que sua base espiritual é sólida e de que seu motivo para ir é bom.

por temor ou antipatia?" Isso seria uma tentativa honesta de examinar a nós mesmos..A.. nem fornece ajuda financeira a ninguém. não pode cuidar de todos os problemas pessoais de seus membros. as horas de lazer são geralmente preenchidas com coisas construtivas. confessando os erros do outro companheiro? Ou estávamos realmente procurando prejudicálo. "Embora o membro possa às vezes ser auxiliado nesses assuntos por seus amigos em A.' A palavra egoísta geralmente significa que se é ambicioso. não apresenta esses traços indesejáveis. é quase certo que entraremos em colapso. é o único propósito do grupo. como tal. não podemos ajudar ninguém.A.A. págs. podemos considerar o fato como dos mais positivos.Os Doze Passos.. bons pensamentos e boas ações. Se um grupo de A. 1 – Grapevine de agosto de 1961 2 – Os Doze Passos. um mediador das relações domésticas.A. O grupo de A. E se entrarmos em colapso. em vez de examinar o outro companheiro. sua eficiência e energia seriam irremediavelmente dissipadas. Na verdade. Temos boas intenções. é um dia ruim aquele em que não fazemos alguma coisa boa. exigente e indiferente ao bem-estar dos outros. desse essa espécie de ajuda. Aliás. podemos fazer a nós mesmos estas perguntas: Por que dissemos essas coisas? Estávamos apenas tentando ser úteis e procurando informar? Ou estávamos tentando nos sentir superiores. Claro que o modo de vida de A.A. "É por isso que a sobriedade – libertação do álcool – através dos ensinamentos e da prática dos Doze Passos de A." Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 80 Débitos e créditos De acordo com uma tagarelice de beberrão. não é. muito menos das pessoas não-alcoólicas que nos cercam. *** Nem sempre o resultado do inventário está escrito com tinta vermelha.A. Mesmo que tenhamos tentado firmemente e falhado. por exemplo. Se não nos apegarmos a esse princípio cardinal. pág. 35 . a principal responsabilidade para solucionar todos os seus problemas de viver e crescer recai sobre ele mesmo. dizerem: 'Nosso programa é um programa egoísta.A. NA OPINIÃO DO BILL 81 Egoísta "Compreendo o motivo pelo qual você se espanta ao ouvir alguns oradores de A. 89 e 90 NA OPINIÃO DO BILL 79 De quem é a responsabilidade? "Um grupo de A.

a urgência é ainda maior. Quando se trata da redução do ego. Logo. *** Não podemos depender totalmente dos amigos para resolver todas as nossas dificuldades.A. Se passarmos o holofote do Passo Quatro sobre nossas vidas. nem para nós mesmos. uma das mais sérias dificuldades que pode acontecer a um indivíduo. poucos Passos são mais duros de aceitar do que o Quinto. ele pode ajudar a eliminar o medo. Não temos valor para ninguém. se os indivíduos estavam profundamente perturbados – eu digo: 'Isso é ótimo'. com um problema impossível e desesperador." Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 82 As dificuldades tornam-se uma vantagem "Penso que essa Conferência de Serviços Gerais. aquelas experiências que preferimos não lembrar. para nosso alívio. que democracia que não foi perturbado? O atrito de pontos de vista opostos é o próprio 'modus operandi' sobre o qual eles atuam."O que querem dizer esses oradores? Bem. A experiência de A. crescimento e numa grande promessa. sem salvação – podemos definir assim – ele terá pouco ou nada. que república. Ele sabe que a escolha final deve ser nossa. "Se não podemos ou não queremos alcançar a sobriedade. promete e tem alcançado progresso. Entretanto. Para nós de A. então estamos desde já verdadeiramente perdidos. nossa própria recuperação e crescimento espiritual têm que vir em primeiro lugar – uma justa e necessária espécie de preocupação com nós mesmos. o problema criado por essa sombria e fatal doença do alcoolismo. todos eles reduzem nosso ego. Temos que falar deles para alguém. nasceu da dificuldade. Que parlamento. e se ele mostrar. Cada um de nós se aproximou de A.A. nos pedem para irmos contra nossos desejos naturais. porque ela atravessou dificuldades. qualquer teólogo lhe dirá que a salvação de sua própria alma é a mais alta aspiração que um homem pode ter. por nós. "A. Um bom conselheiro nunca pensará em tudo. até nos libertar do álcool. Dificilmente qualquer um deles é mais necessário à sobriedade prolongada e à paz de espírito. 36 . "Se essa Conferência era agitada. E foi por isso que viemos. cheio de dificuldades. E ela transformou essas dificuldades numa vantagem. então se torna mais urgente do que nunca desistirmos de viver sozinhos com aqueles atormentadores fantasmas do passado. nos ensinou que não podemos viver sozinhos com os problemas que nos pressionam e com os defeitos de caráter que os causam ou agravam.A. Então do que deveríamos ter medo?" Palestra de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 83 Não podemos viver sozinhos Todos os Doze Passos de A. em particular.A.A. Logo.

sempre estendíamos a mão em busca de auxílio. 1 – Os Doze Passos. prudentes e honestas. "Muitos alcoólicos têm dito que nunca tiveram dificuldades que o dinheiro não resolvesse. Mas não! Henry disse que sabia que Deus o queria morando ali e Ele daria um jeito de serem pagas as contas. por pessoa são muito pequenas. da qual até agora havia se privado. quando bebíamos. meu amigo Henry perdeu um emprego de salário elevado. porque se agarrou a uma fonte de energia. pois aprendeu que Deus ajuda muito mais àqueles que estão dispostos a se ajudar. que lhe mostra que está indo em direção a uma meta." 1 – Carta de 1960 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 85 A vida não é um beco sem saída Quando um homem ou uma mulher tem um despertar espiritual." *** "Por causa da bebida. tornando-nos capazes de fazer escolhas afetuosas. Restava uma bela casa – com uma despesa três vezes maior do que seus reduzidos ganhos. Nós somos um grupo que.oportunismo e a ilusão. A ele foi indicado um caminho. a fim de se sustentar.A. Quanto mais os praticamos mais gostamos deles. o mais importante significado disso é que ele se tornou agora capaz de fazer. que leva a um novo estado de consciência e a uma nova vida. nem algo a ser suportado ou dominado. 94 e 95 NA OPINIÃO DO BILL 86 Oportunidade de se melhorar Chegamos a acreditar que os Passos e as Tradições de A. é 37 . por uma quantia suficiente. 45 2 – Grapevine de agosto de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 84 Benefícios da responsabilidade "Felizmente as despesas de A. ele continuou amontoando dívidas e cheio de fé. Os Doze Passos. Na verdade ele se transformou. que a vida não é um beco sem saída. Não foi surpresa quando finalmente os credores se apossaram da casa.. sentir e acreditar naquilo que ele não poderia antes fazer sozinho. Assim. Deixarmos de atendê-las seria fugir a uma responsabilidade que nos beneficia.A. quando começamos a pagar nossas próprias contas. com seus próprios recursos e força. para recuperação. Então. "Ele poderia ter alugado a casa. págs. representam praticamente as verdades que precisamos para nosso propósito particular. isso constitui uma mudança saudável. Assim sendo. sem ajuda. "Henry hoje ri disso. A ele foi concedida uma dádiva. pág.

Ele seria o Principal: nós. que a dependência de um "Poder Superior" é uma necessidade.A. mesmo que esta seja simplesmente uma dependência de um grupo de A. como um todo e para nossas relações com o mundo a nosso redor." "Qualquer que seja a gravidade da obsessão pelo álcool.quase certo que os princípios de A. em relação às coisas espirituais.A. Decidimos que dali por diante. 81 NA OPINIÃO DO BILL 88 Força de vontade e escolha "Nós. o que resta então para mudar ou melhorar? A resposta nos ocorrerá imediatamente. *** Tivemos que deixar de fazer o papel de Deus. podemos admitir que somos impotentes pessoalmente perante o álcool. Se nossos fundamentos estão assim fixados. Deus ia ser nosso Diretor. como um modo de vida que pode nos devolver a sanidade. são simples. Sempre podemos melhorar a prática "desses princípios em todas as nossas atividades. "Conforme continuamos fazendo essas escolhas e assim indo em busca dessas altas aspirações." Grapevine de fevereiro de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 87 A pedra fundamental do arco do triunfo Tendo enfrentado a destruição alcoólica. o álcool era muito persuasivo. Por exemplo.A. Entretanto." Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 89 Rever o dia 38 .A. Isso não funcionou. AAs. Embora não precisemos alterar nossas verdades. Ele finalmente nos derrota obrigando-nos a raciocinar. sabemos que é preciso uma grande vontade para adotar os Doze Passos de A. nesse drama da vida. nossa sanidade volta e desaparece a compulsão para beber. chegamos a ter a mente aberta. Então podemos preferir tentar uma vida de honestidade e humildade. 68 2 – pág. através do qual passamos à liberdade. As idéias. A esse respeito. sabemos que é inútil tentar destruir a obsessão de beber só pela força de vontade. e esse conceito constituiu a pedra fundamental do novo arco do triunfo. Seus agentes. fazendo um serviço desinteressado para nossos companheiros e para 'Deus como nós O concebemos'. Alcoólicos Anônimos 1 – pág. continuarão a ser defendidos em sua forma atual. podemos seguramente melhorar sua aplicação para nós mesmos. felizmente descobrimos que ainda podem ser feitas outras escolhas vitais. em sua maioria. para A.

Mas até Baco nos traiu. Ver pessoas se recuperarem. 103 NA OPINIÃO DO BILL 91 Coragem e prudência Quando o medo persistiu. Ficamos magoados. ver desaparecer a solidão. ficamos finalmente arrasados e caímos numa terrível solidão. nós já o conhecíamos e fomos capazes de lidar com ele. Mesmo antes de nossas bebedeiras se tornarem graves e as pessoas começarem a se afastar de nós quase todos sofremos a sensação de estarmos sós.A. Começamos a ver cada adversidade como uma oportunidade enviada por Deus para desenvolver a espécie de coragem que nasce da humildade. ou éramos capazes de ser bons sujeitos. os alcoólicos são torturados pela solidão. pág. pois isso diminuiria nossa utilidade em relação a nós mesmos e aos outros. Essa é uma das razões pela qual amávamos tanto o álcool. no que poderíamos fazer para melhorar a vida? Devemos ter o cuidado de não nos deixar abater pela preocupação. Ou éramos tímidos e não nos atrevíamos a nos aproximar dos outros. que deveria ser discutido logo com uma outra pessoa? Fomos amáveis e afetuosos com todos? O que poderíamos ter feito melhor? Estivemos pensando em nós mesmos a maior parte do tempo? Ou estivemos pensando no que poderíamos fazer pelos outros. fomos egoístas. ter um grande número de amigos – essa é uma experiência que não deve ser perdida. Sempre existia aquela barreira misteriosa que não conseguíamos vencer nem entender. à noite. vê-los ajudarem os outros. pág. remorso ou reflexão mórbida. eficiência e progresso espiritual firmes podem ser conseguidos. sempre desejando ardentemente a atenção e o companheirismo. pedimos perdão a Deus e perguntamos quais as medidas corretivas que deveriam ser tomadas. pág. revemos construtivamente nosso dia. ver crescer uma fraternidade ao redor de você. desonestos ou medrosos? Devemos uma satisfação a alguém? Estamos guardando algo em segredo. um canal de navegação seguro entre os obstáculos do medo de um lado e descuido do outro. *** A vida adquire um novo sentido em A. mas raramente conseguindo." 39 .Quando nos deitamos. não do desafio. *** "A prudência é o interesse racional sem preocupação. Após fazer nossa revisão. A prudência na prática cria um clima definido. Alcoólicos Anônimos. 47 2 – Alcoólicos Anônimos. 1 – Os Doze Passos. o único clima em que harmonia. 100 NA OPINIÃO DO BILL 90 Ver desaparecer a solidão Quase sem exceção. *** A prudência é um terreno trabalhável.

" Carta de 1960 NA OPINIÃO DO BILL 93 Atmosfera de graça Aqueles de nós. Tendo andado o quarto de milha. nossas intuições do apoio vitalmente necessário. não seriam mais capazes de passar sem ela. "Assim sendo estabeleceria um limite para mim mesmo. que simplesmente consistia em andar e respirar profundamente.1 – Grapevine de janeiro de 1962 2 – Doze Conceitos para Serviços Mundiais. às vezes ouvimos alguém dizer: 'A sobriedade é minha única responsabilidade.. Afinal de contas. E pela mesma razão. luz ou alimento. A falsa sensação de fraqueza física desapareceu (essa sensação é característica da depressão). O andar e especialmente a respiração foram poderosas afirmações de vida. Mas aprendi que esse era o ponto em que não poderia me entregar. descobri que poderia continuar. 66 3 – Palestra de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 92 A caminho da serenidade "Quando eu estava cansado e não podia me concentrar. como não passariam sem ar. págs. "Entretanto. esteja interessado.A. E me concentraria. Às vezes eu dizia a mim mesmo que eu não poderia nem sequer fazer isso. Todos nós compreendemos que sem a sobriedade não temos nada. A contagem representou uma disciplina mínima em concentração. quando ficamos sem ar. é possível expandir essa simples meta a uma grande quantidade de contra-senso. individualmente. do alimento de Sua força e da atmosfera de Sua graça. Dê-me a sobriedade. para obter um certo descanso do desgaste produzido pelo medo e pelo sentimento de culpa. que se acostumaram a fazer uso regular da oração. contando minha respiração – isto é. Da mesma forma que o corpo. a não ser minhas bebedeiras. em todas as nossas atividades" "O propósito primordial de A. costumava tomar uma atitude na vida. e o resto é desnecessário!' 40 . E quando nos afastamos da meditação e da oração. De fato. afastando o fracasso e a morte. a alma pode deixar de funcionar por falta de alimentação. Determinaria andar um quarto de milha. o corpo sofre. sou um sujeito muito bom. Depois outra meia milha e talvez uma outra. Os fatos da vida de A. é o da sobriedade. de tão fraco que estava. "Isso foi animador. talvez meia milha ou mais. Os Doze Passos. confirmam de maneira surpreendente essa verdade eterna. 84 e 95 NA OPINIÃO DO BILL 94 ". seis passos para cada inspiração vagarosa e quatro para cada expiração. Todos precisamos da luz da realidade de Deus..A. estamos privando nossas mentes. o alimento ou a luz do sol. pág. ficando ainda mais deprimido. na medida em que o membro.

a fim de que seja chamado de ladrão. seu próprio assunto. ele poderia aceitar Deus ou não. A teologia de cada um tem que ser sua própria busca. pág."Já que nosso amigo se agarra a essa cômoda desculpa. Religião não. alguns membros acharam que ele deveria ser cristão no sentido doutrinal. de alguma forma." *** Quando o Livro Grande estava sendo planejado. nem tão ambicioso. Uma vez que estivesse conosco. Nossos ateístas e agnósticos abriram nossa porta de entrada para que todos aqueles que sofrem pudessem entrar por ela. como quisesse. 1 – Carta de 1954 2 – A. Outros ainda queriam um livro psicológico que atraísse o alcoólico. 56 41 . págs. o mais aceitável e eficiente possível. 146 e 149 NA OPINIÃO DO BILL 96 Quando os defeitos não chegam a ser mortais Praticamente todos querem se livrar de suas dificuldades mais visíveis e destrutivas. mas queriam evitar assuntos doutrinários. no qual as pessoas estão capacitadas a parar de beber e a encontrar a graça de continuar vivendo bem. É claro que os homens. não têm esses defeitos a níveis tão altos. Espiritualmente. em sua maioria. 145. mas felizmente ouvimos. estamos vivemos para aprender para servir e para amar. Ninguém quer ser tão orgulhoso. Atinge a Maioridade. nos punem. daí em que pé ficamos? Os Doze Passos." Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 95 Jardim de infância espiritual "Estamos apenas pondo em funcionamento um jardim de infância espiritual. somos capazes de nos felicitar. sugere que 'pratiquemos estes princípios em todas as nossas atividades'. não foi o interesse próprio. Outros não tinham nenhuma objeção quanto ao uso da palavra "Deus". a fim de que seja desprezado como um fanfarrão. Não estamos vivendo somente para estar sóbrios. e nós que escapamos desses extremos. Ninguém quer sofrer a crônica dor da inveja ou se acomodar na preguiça. Mas podemos? Afinal de contas. ele vai progredir tão pouco em relação a seus verdadeiros problemas e responsabilidades da vida que estará a caminho de se embriagar novamente.A. independente de sua crença. Mas quando encaramos os aspectos menos violentos desses mesmos defeitos. nem ser sensual o suficiente para violentar e nem ser guloso o suficiente para prejudicar a saúde. Isso é por que o Décimo Segundo Passo de A.A. Para nós essa era uma proposta chocante. Ninguém quer ter raiva suficiente para chegar ao homicídio. Cada parecer representava uma contribuição. que fez com que a maioria de nós escapasse? Não é preciso muito esforço espiritual para evitar os excessos que. sim. A consciência de nosso grupo começou a funcionar para se fazer o livro.

Mas não poderíamos nos libertar do álcool. por nenhuma razão. a fim de permanecer vivos. É por isso que evitamos controvérsia. pode ser privado de sua filiação. por causa de vícios ou atos que não podem ou não querem evitar. a unidade e o propósito estão perdidos. Só o amor pode curar. "Castigo não cura nunca. As recaídas podem ser causadas pela ilusão de que o indivíduo pode 'curar-se' do alcoolismo. Outros ainda se deparam com uma série de calamidades e não parecem ter recursos espirituais para enfrentá-las. não importa sua gravidade.A.A. Ainda concorrem para as recaídas o fato de não perdoar a si mesmo e orar pouco – bem. Tivemos que fazê-lo. As recaídas também podem ser decorrentes do descuido e da complacência. As coisas vão bem durante dois ou três anos – depois o membro desaparece. 256 NA OPINIÃO DO BILL 98 A raiva – inimiga da pessoa e do grupo "Como inserido no livro 'Alcoólicos Anônimos'. Tivemos que assumir a responsabilidade pelo nosso estado lamentável e deixar de culpar os outros por isso. pág. foram. Ele é uma das causas principais das recaídas.A. A.NA OPINIÃO DO BILL 97 Respeito próprio através do sacrifício No princípio sacrificamos o álcool. É por isto que não prescrevemos castigos para os erros. Muitos de nós não conseguem se manter sóbrios nessa fase. Foram realmente sacrifícios? Sim. a auto-piedade e a raiva. o 'grupo' pode se desintegrar. Alguns de nós sofrem de um grande sentimento de culpa. Tivemos que nos livrar da competição louca. Outros são mais ou menos sujeitos a freqüentes cansaços. Se existe bastante raiva. 'o ressentimento é o principal ofensor'. em busca do prestígio pessoal e grandes saldos bancários. ou ele nos teria matado. que para nós 'beber significa caminhar em direção à loucura'. Os extremismos e os falsos pensamentos tiveram que desaparecer. ansiedades e 42 . ele pode até morrer. Na verdade nenhum alcoólico. essa é uma combinação que provoca recaídas. Tivemos que atirar pela janela a auto-justificação. Se também existe muita indignação 'justificada'. Sabemos bem.. Para obter suficiente humildade e respeito próprio. Atinge a Maioridade. "O mesmo perigo ameaça todos os grupos de A. a menos que fizéssemos outros sacrifícios. nós de A. Existem alguns que são fisicamente doentes. tivemos que abandonar o que tinha realmente sido nossa possessão mais querida – nossa ambição e nosso orgulho ilegítimos. "Então alguns de nós são muito mais prejudicados pelo álcool do que outros." Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 99 "Aquele que recai" precisa de compreensão "As recaídas podem muitas vezes ser decorrentes da revolta: alguns de nós são mais rebeldes do que outros.

lhes damos um nome mais brando. pág." Antes de fazer essa declaração. Essas condições muitas vezes desempenham papel importante nas recaídas – às vezes controlam totalmente a pessoa. 57 NA OPINIÃO DO BILL 101 "O lado espiritual" Com muita freqüência. nem precisamos 43 . *** Quando o comodismo não chega a ser prejudicial. A santidade protetora dessas relações humanas que tantas curas faz. trouxeme chocolate. Chamamos isto de "desfrutar de um certo conforto. e que essa dádiva está além daquilo que possa ser esperado da simples participação de A.A. Não temos que pensar na possibilidade de prejudicar outras pessoas. ele descreveu um milagre de transformação que lhe ocorreu – não só sua libertação do álcool.. pode algumas vezes esquecer. persegui os chocolates da vida e me esqueci totalmente da montanha. Cresci numa cidadezinha." Grapevine de julho de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 102 Conversas que curam Quando pedimos orientação a um amigo em A. quando esperamos que ele guarde segredo.A. A comunicação íntima é normalmente tão livre e fácil entre nós que um A.48 2 – Os Doze Passos. à sombra de uma montanha chamada Monte Aeolus. ao orientar." Palestra de 1960 NA OPINIÃO DO BILL 100 A montanha esquecida Quando eu era criança. Durante os trinta e cinco anos seguintes. esse companheiro está transbordando espiritualmente – só que ele ainda não sabe disso.A. como presente de meu quarto aniversário. É evidente para todos os que estão presentes que ele recebeu uma dádiva especial. Assim.A. quando estamos em reuniões de A. Uma das minhas recordações foi quando estava observando aquela enorme e misteriosa montanha e me perguntando o que ela era e se algum dia eu subiria tão alto." 1 – A atinge a maioridade. pág. Essas comunicações privilegiadas tem vantagens incalculáveis. em Vermont. adquiri alguns traços de caráter que se relacionavam com meu insaciável desejo de beber. Mas fui logo distraído pela minha tia que.depressão. ouvimos o orador declarar: "Eu ainda não tenho o lado espiritual.. nunca deveria ser violada. Encontramos nelas a perfeita oportunidade para ser totalmente honestos. nós da audiência sorrimos e dizemos a nós mesmos: "Bem. não deveríamos deixar de lhe lembrar nossa necessidade de completo sigilo. mas uma mudança completa em todas as suas atitudes em referencia a vida e a forma de vivê-la.

Nunca nos ocorreu fazer da honestidade. teríamos uma melhor oportunidade de obter o que realmente queríamos. e assim numa vida feliz e satisfatória. *** Como transformar a convicção mental correta num resultado emocional correto. a formação do caráter se perdia na poeira de nossa corrida atrás daquilo que achávamos ser felicidade. ao desfrutar da paz de espírito. págs. Aqui também temos a melhor oportunidade possível de identificar a auto-ilusão. Um membro de nossa irmandade fracassou completamente com seus primeiros seis candidatos. começamos a perder nosso medo do hoje. Freqüentemente diz que. Nascemos de novo.temer o ridículo ou a condenação. do amanhã e do futuro. Obviamente bom caráter era algo que se ia precisar para estar satisfeito consigo mesmo. Se ele 44 . ao descobrir que poderíamos enfrentar a vida com êxito. Com uma certa disposição de honestidade e moralidade. Ao sentir uma nova força apoderar-se de nós. pág. poderia ter privado de sua chance muitos outros que desde então se recuperaram. Sendo todo-poderoso. Cada vez mais nos interessamos em ver de que forma poderíamos contribuir para a vida. se ficássemos perto d'Ele e executássemos bem Seu trabalho. Raramente encarávamos a formação do caráter como sendo uma coisa desejável em si mesmo. se tivesse continuado a trabalhar com eles. Desse modo nos tornamos cada vez menos interessados em nós mesmos. 62 e 63 2 – Grapevine de janeiro de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 104 Nosso novo empregador Tínhamos um novo Empregador. *** Nossa principal responsabilidade com o recém-chegado é a de lhe fazer uma apresentação adequada do programa. Grapevine de agosto de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 103 O princípio acima da conveniência A maioria de nós achava que um bom caráter era desejável. Alcoólicos Anônimos. da tolerância e do verdadeiro amor ao próximo e a Deus. a base do viver cotidiano. em nossos pequenos planos e projetos. é o problema da própria vida. mas mantemos nossa própria sobriedade. não fazemos nada. Se ele não quer saber de nada ou argumenta.81 NA OPINIÃO DO BILL 105 Siga adiante Gastar tempo demais com um único alcoólico é negar a um outro a oportunidade de viver e ser feliz. ao ficar conscientes de Sua presença. Mas sempre que tínhamos que escolher entre o caráter e o conforto. Ele proporcionou o que precisávamos. 1 – Os Doze Passos.

com a mente aberta. então fazemos todo o possível para ajudá-lo. Além do mais. esperando que ela cresça e encha meu coração. posso compará-la a meu último inventário pessoal. de reconhecer e fazer a vontade de Deus. Depois de chegar em A. aprendemos o melhor. Nesse artigo. é claro. no tocante à fé. podíamos nos sentir superiores a todas elas. justamente o que havíamos condenado com desdém nos outros.. tentei encontrar a definição mais verdadeira de humildade que posso. 109 Carta de 1942 NA OPINIÃO DO BILL 106 A humildade "perfeita" Por mim mesmo. não preciso ficar desanimado porque nunca o atingirei. escolheria uma como esta: "A humildade absoluta consistiria num estado de completa libertação de mim mesmo. que tínhamos substituído pensamentos positivos por pensamentos negativos. Alcoólicos Anônimos. era nosso grande mal.começa a ir para a frente. Então. pág.A.A. mesmo que seja um pouco. Essa não será a definição perfeita porque serei sempre imperfeito. Vejo que minha caminhada em direção a Deus apenas começou. À medida que me reduzo ao meu verdadeiro tamanho. nem preciso me encher de presunção de que algum dia alcançarei todas essas virtudes. Tudo isto significava.. Quando penso nesse ideal. 21 e 22 NA OPINIÃO DO BILL 108 45 . me fazem rir a importância e o interesse por mim mesmo. Essa falsa forma de respeitabilidade foi nossa desgraça. Repisando os pecados de algumas pessoas religiosas. O farisaísmo. *** Gostávamos de falar bem alto sobre o terrível fato de milhões dos "bons homens da religião" estarem ainda matando uns aos outros em nome de Deus. A humildade perfeita seria uma total boa vontade. obtenho uma saudável idéia de onde me encontro no caminho da humildade. Isso feito. págs. Mas finalmente. impelidos ao A. libertação de todas as exigências que meus defeitos de caráter atualmente lançam em peso sobre mim. 1 – Grapevine de agosto de 1961 2 – Os Doze Passos. podíamos deixar de olhar para algumas de nossas próprias imperfeições. em todas as épocas e lugares. Preciso apenas me concentrar na visão da própria humildade. Grapevine de julho de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 107 Duas espécies de orgulho O farisaísmo das "pessoas boas" pode com freqüência ser tão destrutivo como os pecados visíveis daqueles que supostamente não são tão bons. tivemos que reconhecer que essa característica alimentava nosso ego.

A. Tivemos que abandonar nossa querida filosofia de auto-suficiência.A. converter-se em bênçãos incalculáveis. com a graça de Deus.) poderia resolver o caso até aqui insolúvel.. e nós fizemos parte dela. págs. Na verdade. Então veio A. dificuldade diminuída e muitas vezes superada. Com uma velocidade surpreendente a Oração da Serenidade chegou ao uso geral. Não conseguimos isso apenas com a força de vontade. Muitas vezes sem razão. um membro de New York chamou nossa atenção para um recorte de jornal. a menos que fossem alteradas. Atinge a Maioridade.A.: a dificuldade aceita. ou então. coragem para modificar aquelas que posso e sabedoria para distinguir umas das outras. Essa foi a história de A.A. 1 – Grapevine de março de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 110 Dificuldade: construtiva ou destrutiva Houve uma época em que ignorávamos a dificuldade. para que possamos sentir e aprender. Para a maioria de nós foi preciso grande esforço para aceitar esses dois fatos. Essas atitudes erradas. medrosos e deprimidos. Surpreendentemente descobrimos que nossas dificuldades poderiam. Essas 46 . encarada de frente com uma coragem calma. foi iniciada nossa libertação da compulsão alcoólica. onde apareciam as seguintes palavras: "Concedei-me Senhor. *** Na meditação não há lugar para o debate. isto aconteceu como resultado do desenvolvimento da boa vontade para aceitar esses novos fatos da vida. em tão poucas palavras. Esse é o estado de espírito que com tanta freqüência descobre e aprofunda um contato consciente com Deus. nos revoltávamos.Aprender em silêncio Em 1941.A.A. 91 NA OPINIÃO DO BILL 109 Liberdade através da aceitação Admitimos que não poderíamos vencer o álcool. 174 e 175 2 – Os Doze Passos. essa era a essência do próprio A. No momento em que fomos capazes de aceitar inteiramente estes fatos. Tratava-se de uma notícia da seção de necrologia de um jornal local. impulsionadas pelo álcool. a serenidade necessária para aceitar as coisas que não posso modificar. nos levavam à destruição. E então começamos a ser livres. cheios de amargura e culpa. onde aprendemos que a dificuldade era realmente um fato na vida de todos – fato este que tinha que ser entendido e encarado. mas aceitamos. Não fugimos nem lutamos. pág. Descansamos sossegadamente com os pensamentos ou orações das pessoas espiritualmente concentradas e com conhecimento. fugíamos dela mas descobríamos que ela continuava conosco. 1 – A.. esperando que ela desaparecesse. Nunca tínhamos visto tanto de A. com os recursos que ainda nos restavam. e assim aceitamos o fato de que a dependência de um Poder Superior (mesmo que fosse só nosso grupo de A.

demonstrações tornaram-se nosso patrimônio para a salvação do próximo sofredor. embora o dano causado aos outros não tenha sido grande. descolorindo dessa forma nossa personalidade e mudando nossa vida para pior. esquecíamos de Deus..As. Tornando a viver esses episódios e discutindo-os em estreita confiança com outra pessoa. a lembrança dos anos perdidos nos levava ao pânico. os conflitos emocionais que nos prejudicaram continuam muito profundos. esquecíamos da insegurança financeira. que deram origem a esses conflitos e continuam causando violentos desequilíbrios emocionais. de qualquer maneira. Às vezes. 47 . completa segurança material. Isto nos tornava avarentos e sem um tostão no bolso outra vez. *** Reagimos mais fortemente às frustrações do que as pessoas normais. Os Doze Passos. Portanto. Importância financeira não era mais o nosso principal objetivo. só porque nem sempre estamos inteiramente de acordo com eles. 69 e 70 2 – Carta de 1957 NA OPINIÃO DO BILL 112 Completa segurança Ao ingressar em A. abaixo do nível da consciência. Em matéria de dinheiro. o dano emocional que causamos a nós mesmos o foi. 1 – Os Doze Passos. clamávamos agora por segurança material. tem capacidade bem acima do normal para ganhar dinheiro. Esquecíamos que a maioria dos membros de A. que acompanhava todos os habitantes da terra. E.A. pior de tudo. esquecíamos da grande boa vontade de nossos companheiros A. totalmente esquecidos. Mesmo quando já estávamos reabilitados em nossos negócios. que estavam tão ansiosos para nos ajudar a conseguir melhor trabalho. deveríamos tentar relembrar e rever bem os acontecimentos do passado. não muito. assim mesmo. pág. Em muitos casos descobrimos que. pág. atual ou em potencial.A. Devemos ter. aquele medo terrível continuava nos perseguindo. 107 NA OPINIÃO DO BILL 113 Ser justo Acho que freqüentemente desaprovamos e até ridicularizamos os projetos de nossos amigos no campo do alcoolismo. podemos reduzir seu tamanho e portanto seu poder inconsciente. desde que o merecêssemos. só confiávamos em nós e. Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 111 Examinando o passado Deveríamos fazer um preciso e exaustivo exame de como nossa vida passada afetou outras pessoas.

79 NA OPINIÃO DO BILL 114 Nenhum poder pessoal "A princípio. recusando a proposta que lhe fosse adequadamente apresentada.Deveríamos seriamente nos perguntar quantos alcoólicos estão continuando a beber. tive que admitir que ninguém tinha se apoderado do Mestre – nem mesmo eu. se eu estava tão pronto a admitir isso a respeito do álcool. era Deus. Certamente temos que fazer a diferença entre mudanças para pior e mudanças para melhor. Depois de seis longos meses. 48 . no começo. Acreditando firmemente que Cristo pode fazer tudo. como sociedade. "Isso me levou à boa e saudável conclusão de que havia muitas situações no mundo. num grupo ou em A. Esse ponto é da mais alta importância. Tinha que ficar quieto e entender que Ele e não eu.A.A. o remédio para minhas dificuldades pessoais parecia tão evidente que eu não podia imaginar um alcoólico. como um todo. devia admitir também em relação a muitas outras coisas. eu tinha a idéia inconsciente de supor que Ele faria tudo por meu intermédio – quando e da maneira que eu quisesse. más ou indiferentes. A essência de todo crescimento é uma disposição de mudar para melhor e uma disposição incansável de aceitar qualquer responsabilidade que essa mudança implique. como cada um de nós pode conceber. há muito já se verificou que não podemos ficar estacionários." Carta de 1940 NA OPINIÃO DO BILL 115 Essência do crescimento Que nunca tenhamos medo de mudanças necessárias. Nenhum alcoólico deveria ficar louco ou morrer. 1 – Grapevine de julho de 1965 2 – Os Doze Passos. Grapevine de julho 1965 NA OPINIÃO DO BILL 116 Modo de ver de cada um "Além de um Poder Superior. Mas desde que uma necessidade se torne bem aparente num individuo. a capacidade de ser justo e tolerante se evapora imediatamente. Assim. porque não temos cooperado com boa disposição de espírito com essas inúmeras organizações – sejam elas boas. Quando falamos ou agimos precipitada ou imprudentemente.A. somente porque não foi diretamente para A. A. *** Nosso primeiro objetivo será o desenvolvimento do autocontrole. entrar no campo do dogma ou da teologia. pág. não deve nunca. sobre as quais eu não tinha nenhum poder pessoal – que.

amedrontados e inúteis. Sabemos que quando nos voltarmos para Ele. não mais ficaremos tão perturbados com tudo o que parece evidenciar o contrário daquilo que nos cerca em assuntos puramente humanos.A. requer a adoção de atitudes e ações que quase nenhum alcoólico.A. Sabemos que Deus nos protege com amor. prendendo-nos a disputas no campo teológico. a não ser que tenham "chegado ao fundo do poço". 92 NA OPINIÃO DO BILL 118 Prelúdio ao programa Poucas pessoas tentarão praticar sinceramente o programa de A. tudo estará bem conosco. *** Sabemos que o recém-chegado tem que "chegar ao fundo do poço". os teólogos católicos dizem que nossos Doze Passos estão exatamente de acordo com os Exercícios Espirituais para Retiro. O alcoólico típico. como uma força que pode destruir seu ego. 16 2 – A. Os Doze Passos. pág. A partir do momento em que percebemos. Today. a não ser que tenha que fazer essas coisas para não morrer. olhando pelos olhos dos Quakers. pág. Por exemplo. para não destruir nossa utilidade. pois praticar os Passos de A. é que todas as religiões vêem em nosso programa uma semelhança com elas mesmas. 8 NA OPINIÃO DO BILL 119 49 . podemos usar profundamente a arma da obsessão mais a alergia. Que felizes circunstâncias são essas!" 1 – Carta de 1954 2 – Carta de 1950 NA OPINIÃO DO BILL 117 A sensação de fazer parte Talvez uma das maiores recompensas da meditação e da oração seja a sensação de que passamos a fazer parte.A." *** "O fato realmente espantoso sobre A. você também nos vê favoravelmente. e começamos a ver a verdade.A. doença e morte. págs. que ainda bebe. "Agora. Não mais nos sentimos perdidos. não se interessa por essa perspectiva. ainda que um vislumbre da vontade de Deus.. nesta vida e na outra.não poderemos nunca nos tornar uma religião. e embora nosso livro fale de pecado. Não mais vivemos num mundo completamente hostil. egoísta ao extremo. Porque somos alcoólicos que o compreendem. 15. de Santo Inácio de Loiola. Só assim ele pode se convencer de que unicamente com seus recursos tem pouca ou nenhuma chance. o Programa da Ciência Cristã com freqüência o tem elogiado editorialmente. pode sonhar em adotar. 1 – Os Doze Passos. do contrário pouca coisa pode acontecer. a justiça e o amor como valores eternos e verdadeiros.

através dos séculos. Nem temos que prestar juramento. Alcoólicos Anônimos. pág. comprometendo assim toda nossa Irmandade.. agora. desde que não façam isso a nível público.A." Carta de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 121 Nós não estamos lutando Paramos de lutar com tudo e com todos – mesmo com o álcool. Por meio dele. Podemos reagir agora. Não estamos lutando com ele. Aí está o milagre. Desde que a pessoa esteja sóbria. se eu quisesse caminhar. não deveríamos criticar nem as pessoas que querem permanecer em silêncio. Em vez disso. pois a essa altura a sanidade voltou. muitas pessoas acham que o anonimato a esse ponto não é necessário. sadia e normalmente. e certa disso. meus pés estavam na estrada principal.. foi porque tive que fazê-lo. Assim é como reagimos – enquanto nos mantemos em boas condições espirituais. nem evitando a tentação. Falar de viva voz é uma de nossas comunicações mais importantes. uma fé que poderia ter desaparecido inteiramente. sabendo que. mas nem sequer olhei. Eles têm mantido viva. e constatamos que isso aconteceu quase automaticamente. "Quando abri os olhos.Na estrada principal "Agora compreendo que meu antigo preconceito contra os clérigos era cego e errado. "Entretanto. Vemos que essa nova atitude face ao álcool é realmente uma dádiva de Deus. Isso tende a trazer novas pessoas. nem mesmo desejável. o problema foi removido. nem aquelas que querem falar muito acerca de pertencer ao A. vi finalmente e caminhei do abismo para um terreno sólido. não parece haver razão para não falar a respeito da afiliação ao A. Esse é um problema deles. nos lugares certos. e essa é uma reação muito natural. Eles me mostraram o caminho. Não somos nem atrevidos nem medrosos. não pode haver a menor objeção aos grupos que querem permanecer estritamente anônimos ou a pessoas que não gostariam que todos soubessem de sua filiação ao A." Carta de 1940 NA OPINIÃO DO BILL 120 De viva voz "Em minha opinião.A.A. E o homem que me mostrou a verdade era um companheiro sofredor e leigo. "Assim sendo. tão cheio estava de preconceito e preocupação comigo mesmo. 99 NA OPINIÃO DO BILL 122 50 . Ele não existe para nós.

1 – Os Doze Passos. sem sombra de dúvida. sempre voltará a abrir no momento em que utilizamos a chave da boa vontade. pág. o membro alcoólico tem que adotar. e sua família Quando o alcoolismo ataca. essa também não era escolha livre. 26 NA OPINIÃO DO BILL 123 O novo membro de A. *** Quer a família adote ou não um modo de vida espiritual. Ver é acreditar. muitas vezes o arrimo da família. Mas quando. ora odeia seus cuidados maternais. Quando escolhíamos porque "éramos obrigados a escolher". Os outros devem ser convencidos de sua nova situação. exatamente de que modo ele pode entregar sua própria vontade e sua própria vida aos cuidados de qualquer Deus que ele acha que existe? Um começo. Uma vez que tenhamos colocado a chave da boa vontade na fechadura e tenhamos a porta entreaberta. uma vez ou outra. a esposa é forçada a se tornar a mãe de um menino transviado. Mas isso nos iniciava na direção certa. preparando-nos para obter ainda mais. como freqüentemente acontece. Dessa vez estávamos obtendo uma certa liberdade. por pequeno que seja. a esposa deve ser o chefe da casa. pudemos com satisfação fazer escolhas certas sem revolta. À medida que as coisas vão piorando. 140 NA OPINIÃO DO BILL 124 Liberdade de escolha Olhando para trás. ora ama. Se for o homem o afetado. Grapevine de maio de 1960 NA OPINIÃO DO BILL 125 51 . Quando escolhíamos porque "devíamos escolher". com os Doze Passos de A.A. espalhafato ou conflito. descobrimos que podemos sempre abri-la um pouco mais. podem surgir situações anormais que prejudicam o companheirismo e a compatibilidade entre os cônjuges. De forma gradual e geralmente sem perceber. e o alcoólico. afinal de contas. que precisa ser cuidada e tirada de inúmeras embrulhadas e becos sem saída. vemos que nossa liberdade de escolha não era. Os Doze Passos. 104 2 – Alcoólicos Anônimos.A boa vontade é a chave Não importa o quanto alguém queira tentar. o marido se transforma numa criança doente e irresponsável. Embora a obstinação possa fechá-la de novo. é tudo do que se precisa. estávamos realmente fazendo o melhor. pág. então tivemos a visão do que poderia ser a perfeita liberdade sob a vontade de Deus. uma liberdade muito verdadeira. pág. para a maioria das famílias que conviveu com um bebedor. Essas situações são muitas vezes resolvidas.A. se quiser se recuperar.

1 – A. atrás de nossa casa. anteriormente agnósticos ou ateus." Desde que você não esconda nada. encontraram uma força que geralmente não tinham. descobrimos que os verdadeiros bons resultados da oração são indiscutíveis.A. mas a princípio muitos de nós são capazes de considerá-las uma prática misteriosa dos clérigos. 13 NA OPINIÃO DO BILL 126 "Admitimos para Deus. Esses resultados são conhecidos e fazem parte da experiência. desaparecem à medida que são reveladas. 83 2 – Os Doze Passos. 91 NA OPINIÃO DO BILL 128 52 .A. onde se reúne nosso grupo. nossas artérias mundiais não mais levariam a inspiradora graça de Deus. ao fazer o Quinto Passo. Sem unidade. 51 NA OPINIÃO DO BILL 127 Persistência na oração Muitas vezes temos a tendência de fazer pouco caso da meditação e da oração sincera. Além do círculo de meu horizonte está o mundo inteiro de A. frente às difíceis circunstâncias. Olhando para o vale. pela primeira vez. a presença de Deus. Com a diminuição da dor. nos dizem que foi nessa fase do Quinto Passo que de fato sentiram.. pág.. pág. E mesmo aqueles que já tinham fé. Todos aqueles que persistiram. pág. Sinceramente. algo mais de grande significação é capaz de ocorrer. Os Doze Passos. sentimos que elas poderiam nos ajudar a enfrentar uma emergência. As emoções reprimidas durante anos saem de seu confinamento e.Olhe além do horizonte Meu local de trabalho fica numa colina. Nossas vidas e as vidas dos que estão por chegar dependem diretamente dela. E encontraram cada vez mais a paz de espírito que pode se manter firme. da qual podemos esperar obter um benefício de segunda mão. pág. 7 2 – As Doze Tradições.A. vejo a casa comunitária da vila. uma tranqüilidade restauradora toma seu lugar. *** Em A. Encontraram sabedoria superior à sua capacidade normal. muitas vezes tomaram consciência de Deus como nunca antes. Today. Muitos AAs. o coração de Alcoólicos Anônimos deixaria de bater. milagrosamente. *** A unidade de Alcoólicos Anônimos é a qualidade mais preciosa que nossa sociedade tem. sua sensação de alívio aumentará de minuto a minuto. pág. E quando a humildade e a serenidade estiverem assim combinadas. como sendo alguma coisa não realmente necessária. 1 – Os Doze Passos.

Alcoólicos Anônimos. Precisava também da experiência de permanecer sóbrio nos mesmos lugares. através de nós. alguns amigos cheios de preconceito insistiram comigo para que eu não voltasse a Wall Street. A experiência de qualquer alcoólico confirmará isso plenamente.De volta ao trabalho É possível que utilizemos a suposta desonestidade dos outros. Eu precisava redescobrir que existem muitas excelentes pessoas no âmbito financeiro de New York. Nunca nos desculpamos por nossa fé n'Ele. De maneira que o problema principal do alcoólico se centraliza em sua mente. 46 NA OPINIÃO DO BILL 131 Obstáculos em nosso caminho Vivemos num mundo cheio de inveja. onde o álcool tinha me derrotado. Bob. Ohio. Uma viagem de negócios da Wall Street a Akron. foi onde pela primeira vez entrei em contato com o Dr. pág. voltei a Wall Street e até hoje estou contente por ter feito isso. tanto no sentido físico como no mental. Certa vez. quando ele ingere álcool. continuei afastado do único trabalho que eu sabia fazer. se o individuo nunca tomasse o primeiro gole. é que os homens de fé são corajosos. pois este é o que põe em movimento o terrível círculo vicioso. dependeu de meu esforço para enfrentar as responsabilidades de meu sustento. Alcoólicos Anônimos. compreendi que não tinha sido capaz de enfrentar a perspectiva de voltar ao trabalho. Assim. alguma coisa acontece. ele geralmente reage do mesmo modo que as outras pessoas. mais do que em seu corpo. Assim sendo. impediriam meu crescimento espiritual. Estavam certos de que o materialismo desenfreado e a falsidade. Temos boas razões para descrer daqueles que acham que a espiritualidade é o caminho da fraqueza. Estamos igualmente convictos de que. Desse defeito.A. todos são contaminados por ela. Seriam desnecessárias e acadêmicas essas observações. Para nós ela é o caminho da força. certamente devemos obter uma satisfação 53 . através da história. O veredito. Quando finalmente me vi falido. tentamos deixá-Lo demonstrar. o nascimento de A. pág. 86 NA OPINIÃO DO BILL 130 Nosso problema se centraliza na mente Sabemos que enquanto o alcoólico se mantém afastado da bebida. ali existentes. Em grau maior ou menor. Ao contrário. Grapevine de agosto de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 129 O caminho da força Não precisamos nos desculpar com ninguém por depender do Criador. como uma desculpa plausível para não cumprir nossas próprias obrigações. Confiam em seu Deus. Como isso parecia ter sentido. o que Ele pode fazer. impedindo-o virtualmente de parar.

65 NA OPINIÃO DO BILL 132 Inventário relâmpago Um inventário relâmpago. em vez de auto-satisfação – gratidão por ter sentido um dia os sofrimentos do alcoolismo. àquelas provocadas por pessoas ou acontecimentos novos que nos desequilibram e nos levam a cometer erros. pág. gratidão pelo privilégio de prestar serviço a meus companheiros alcoólicos e gratidão pelos laços fraternais que me ligam mais fortemente a eles numa camaradagem que poucas sociedades de seres humanos já conheceram. com clareza. são pessoas privilegiadas. porém definida.A. 57 2 – Os Doze Passos. 77 NA OPINIÃO DO BILL 133 "Pessoas privilegiadas" Percebi que tinha vivido muito sozinho. O inventário rápido é destinado às nossas oscilações diárias. como um simples portador da mensagem da experiência. pode ser de grande ajuda para acalmar as emoções tempestuosas. são obstáculos que bloqueiam nosso caminho em direção a esses objetivos. principalmente. muito afastado de meus semelhantes e muito surdo àquela voz interior." Grapevine de julho de 1946 NA OPINIÃO DO BILL 134 54 . Os Doze Passos. aos outros e a Deus. Se assim não fosse. gratidão por ter recebido do alto o milagre da recuperação. ou furiosamente procurando qualidades que nunca teremos. Quando possível. Temos visto que os defeitos de caráter. Vocês de A. pág. é melhor deixar o estudo das dificuldades existentes há muito tempo. tinha pensado em mim na qualidade de fundador de A. feito no momento de perturbação. em vez de trabalhar para obtê-lo. pág. que estivemos fazendo exigências irracionais a nós mesmos.A. 1 – Os Doze Passos. Agora vemos. Em vez de observar a mim mesmo. Como teria sido melhor se eu tivesse sentido gratidão. por que perderíamos tanto tempo desejando o que não temos. para os momentos destinados a esse fim. em vez de nos ajustar ao fato aceitando-o? *** Cada um de nós gostaria de viver em paz consigo mesmo e com seus semelhantes. Um clérigo me disse esta verdade: "Seu infortúnio tornou-se sua felicidade.deturpada. O inventário relâmpago diário se aplica principalmente a situações que surgem nas vinte e quatro horas do dia. Gostaríamos de nos assegurar de que a graça de Deus pode fazer por nós aquilo que não podemos. baseados em desejos imprevidentes e indignos.

. o Rei álcool. estamos sob uma enorme sujeição – aquela que vem nas garrafas. sobre o qual podem ser construídas vidas felizes e significativas. nem mesmo por um instante. individualmente. está sempre pronto para nos agarrar. Na verdade.Os direitos do indivíduo Acreditamos que não haja outra irmandade no mundo que dispense mais atenção a seus membros. Portanto. não existe nenhuma que defenda tanto o direito do indivíduo de pensar. não contém um só "Não Faça". caso contrário. Nossos Doze Passos para a recuperação são sugestões. pág.A. Elas repetidamente dizem: "Deveríamos". pode obrigar um outro a fazer o que quer que seja. sem dúvida. nunca!" Nossa mente se fecha para a graça de Deus. eu sentia que simplesmente tinha que vencer em tudo que quisesse fazer: trabalho ou divertimento.. muito cedo comecei a avaliar tudo em termos de vitória ou derrota – "tudo ou nada". me enchia de ressentimento e depressão que só podia ser curado com o próximo triunfo. Ao invés disso. 1 – Grapevine de janeiro de 1962 2 – Os Doze Passos. nossa Sociedade não pode coagir ninguém. Nenhum A. *** Somente através da derrota total é que somos capazes de dar os primeiros passos em direção à libertação e à força. Mas quando acontecia de um empreendimento falhar. Nosso antigo tirano. "Portanto. a dizer: "Ainda não posso renunciar a esses defeitos.". mas nunca: "Você deve!" *** "Embora seja tradicional.. a libertação do álcool é o grande devemos que tem que ser alcançado. Talvez ainda sejamos obrigados. ninguém pode ser punido ou expulso. não vamos supor. chegaremos à loucura ou à morte.A. A única satisfação que eu conhecia era vencer. deveríamos abandonar os 55 . que asseguram a unidade de A. falar e agir livremente. mas não deveríamos dizer: "A esse nunca renunciarei!" No momento em que dizemos: "Não. Nossa admissão da impotência pessoal finalmente vem a ser o leito de rocha firme. as Doze Tradições. tornei-me delirantemente feliz. Essa revolta pode ser fatal. em alguns casos." 1 –As Doze Tradições. de acordo com minha idéia de sucesso. pág. 12 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 135 Vitória na derrota Convencido de que nunca poderia fazer parte e jurando nunca me conformar com o segundo lugar. que não estamos sob coação. deveríamos ser menos teimosos. Como essa atraente fórmula de boavida começou a dar resultado. 13 NA OPINIÃO DO BILL 136 Renunciando aos defeitos Examinando novamente aqueles defeitos que ainda não estamos dispostos a renunciar.

mesmo quando acreditávamos que Deus existia. através da vida. que continuavam estéreis. que o indivíduo não tem um lugar melhor no universo. aguardando com paciência os acontecimento. Os Doze Passos. Podíamos na verdade ter as mais fervorosas crenças religiosas. Quase todos os membros mais antigos de nossa sociedade passaram por isso. que é Deus. que em minha própria experiência tem me revelado algo com sentido muito diferente. tornava-se impossível a fé num Poder Superior. *** "Muitas pessoas me asseguram. 58 e 59 NA OPINIÃO DO BILL 137 Além do agnosticismo Nós. porque nós mesmos ainda tentávamos fazer o papel de Deus. Estes vêm a ser a verdadeira e duradoura liderança de A. conhecidas na linguagem de A. Seu julgamento fortificado por considerável experiência." 1 – Alcoólicos Anônimos.objetivos limitados e começar a caminhar em direção à vontade de Deus. para conosco. começamos a ver os resultados. pág. é justo. por lutar em seu caminho. Já que púnhamos a autoconfiança em primeiro lugar não era possível uma verdadeira confiança num 56 . descobrimos que logo que fomos capazes de deixar de lado o preconceito e expressar até uma disposição para acreditar num Poder Superior a nós mesmos. Isto era assim. O velho resmungão está certamente convencido de que o grupo não pode caminhar sem ele. em maior ou menor grau. págs. só para morrer no fim. 18 NA OPINIÃO DO BILL 139 A base de toda a humildade Uma vez que estávamos convencidos de que poderíamos viver exclusivamente pela nossa força e inteligência.A.A. 67 2 – Carta de 1946 NA OPINIÃO DO BILL 138 Dois caminhos para os membros mais antigos Os fundadores de muitos grupos finalmente se dividirem em duas classes. como "velhos mentores" e "velhos resmungões". do que um outro qualquer. Ele constantemente "mexe os pauzinhos" para reeleição ao cargo e continua sendo consumido pela autopiedade. ainda quando era impossível para qualquer um de nós definir ou compreender totalmente esse Poder. a maior parte deles sobreviveu para se transformar no velho mentor. As Doze Tradições. pág. com toda a seriedade. ele está disposto a ficar de lado. Felizmente. de temperamento agnóstico. Ouvindo isso. O velho mentor vê sabedoria na decisão do grupo para dirigir a si mesmo e não guarda ressentimento ao ver reduzido seu "status". sinto que ainda prefiro me apegar à tão chamada ilusão da religião.

conseguem encará-la. São apoiados nessa cegueira por um mundo que não entende a diferença entre o beber racional e o alcoolismo. na verdade. Se não se reproduzissem. 24 NA OPINIÃO DO BILL 142 Instintos dados por Deus A criação nos deu os instintos com uma finalidade. nenhum alcoólico. o alcoólico vive uma dupla vida. 62 NA OPINIÃO DO BILL 140 Defeitos e reparações Mais do que a maioria." 1 – Alcoólicos Anônimos. eles nos impulsionam. O sentimento de culpa visa à autodestruição. tão necessários para nossa existência. Contudo. não haveria sociedade. o desejo de buscar e fazer a vontade de Deus. a substância emocional que abate ou inibe ainda mais. Se os homens e as mulheres não se empenhassem em se firmar como pessoas. e um sincero esforço para vê-los em sua verdadeira perspectiva. pág. 90 2 – Grapevine de junho de 1961 3 – Carta de 1957 NA OPINIÃO DO BILL 141 "Poderia nos devolver à sanidade" Poucos. Ele tem o efeito de tirar o veneno de dentro de nós. mas sabe. A "sanidade" é definida como "saúde mental". nos dominam e insistem em dirigir nossas vidas. Os Doze Passos. *** O sentimento de culpa é realmente o reverso da moeda do orgulho. e o orgulho visa à destruição dos outros. cega e muitas vezes sutilmente.Poder Superior. Forte. alguns estarão dispostos a se denominar "bebedores-problemas". Sem eles não seríamos seres humanos completos. seja pela destruição de um objeto ou de sua própria estrutura moral. mas não podem aceitar a sugestão de que estão de fato mentalmente doentes. pág. *** "O inventário moral é um exame ousado dos danos que nos ocorreram. ou que percebendo sua irracionalidade. analisando sobriamente seu comportamento destrutivo. pode alegar que tem "saúde mental". Isso é o que ele quer que os outros vejam. não fizessem esforços para conseguir alimento ou construir abrigo. Por exemplo. esses instintos. durante a vida. Quer gozar de uma certa reputação. 57 . não sobreviveriam. Contudo. que não a merece. Os Doze Passos. Faltava aquele ingrediente básico da humildade. É um verdadeiro ator. a terra não seria povoada. são os alcoólicos na ativa que têm qualquer idéia do quanto são irracionais. freqüentemente excedem suas próprias funções. pág. do fundo do coração. Para as pessoas de fora ele se apresenta como se estivesse no palco. Se não existisse um instinto gregário.

Atinge a Maioridade. Certamente deveríamos avaliar. com todo o mundo. em relação aos motivos dos outros ou até dos nossos? Absolutamente. deveríamos fazer com que ela saiba disso. e isso estaria de acordo com seu caráter. Submetemos cada relação sexual à seguinte prova: isso foi egoísmo ou não? Pedimos a Deus que moldasse nossos ideais e nos ajudasse a viver de acordo com eles. na escola de vida de A.A. A. quase sempre. Nada pode prejudicar tanto nosso julgamento. "Mas esse inventário precisa ser feito com espírito de compreensão e amor. acredito eu. é uma aventura comovente e fascinante. 33 2 – Alcoólicos Anônimos. que não deveriam ser usados frívola ou egoisticamente e nem desprezados ou detestados. pág.*** Procuramos construir um ideal sadio para nossa futura vida sexual. acerca de como fazer para levar o melhor a um maior número de bêbados. 87 NA OPINIÃO DO BILL 143 Na escola de vida de A. como as emoções negativas de suspeita. companheirismo e fraternidade. Essas são as dores do crescimento da infância e nós. Superar tais problemas. Teremos nossas discussões infantis sobre pequenas dificuldades de dinheiro e como coordenar nossos grupos durante os próximos seis meses. na verdade. Desse modo. nem pode haver amor verdadeiro onde reina a desconfiança. Lembramos sempre que nossos poderes sexuais foram dados por Deus e por isso eram bons.. pág. 58 ." Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 145 Assumir a responsabilidade Aprender a viver na maior paz. Suponho que dentro de A. 208 NA OPINIÃO DO BILL 144 Confiança cega? "Certamente não pode haver confiança onde não há amor. Esse inventário particular pode revelar o grau de confiança que podemos depositar em qualquer situação que se apresente.A.A. é um saudável exercício. tanto a capacidade de fazer o mal como a capacidade de fazer o bem das pessoas em quem vamos confiar. "Tendo depositado nossa confiança numa outra pessoa. "Mas a confiança exige que sejamos cegos. isso seria loucura. sempre estaremos disputando. Qualquer punhado de crianças em crescimento (e isso é o que somos) faria uma coisa dessa. pág. 1 – Os Doze Passos. estamos passando por elas. ela vai corresponder de maneira magnífica e muito além de nossa expectativa.A. ciúme ou raiva. Principalmente.

como eu O concebia. porventura." Grapevine de abril de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 147 A. religião. generosamente.Todo A. Algumas vezes minha agressão era sutil e outras vezes grosseira. tinha que servir para todos. 1 – Os Doze Passos. Deus. eles não poderiam ter prosseguido. que se não fosse pela prova viva da recuperação em A. 2 – Os Doze Passos. Não podemos esquecer que mesmo A. Mas de qualquer forma era prejudicial – talvez até fatal – para muitos descrentes. – A estrela-guia Podemos ser gratos a toda organização ou método que tente solucionar o problema do alcoolismo – seja a medicina. acabou descobrindo que pouco pode progredir nessa nova aventura da vida.A. Podemos ter a mente aberta a respeito desses esforços e podemos ser compreensivos quando os imprudentes falham. pág.. pág. Grapevine de março de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 148 59 .. Pode surgir em nossas relações com todas as pessoas. eu quase arruinei toda a organização com essa espécie de arrogância inconsciente. um exame preciso e profundo dos destroços humanos que. ele tenha deixado em seu passado. Como indivíduos. NA OPINIÃO DO BILL 146 "Faça como eu faço.. acredite no que acredito – ou então. *** Todos os pioneiros no campo do alcoolismo vão dizer.. É claro que esse tipo de coisa não está limitado ao trabalho do Décimo Segundo Passo.A.. A. foi a estrela-guia da esperança e da ajuda que os manteve na Irmandade. podemos e deveríamos trabalhar com aqueles que prometem sucesso – ainda que seja um pouco de sucesso. encontro-me entoando o mesmo antigo refrão: "Faça como eu faço. a respeito de segurança individual. realmente. Mesmo agora. sem antes voltar atrás e fazer.A." Talvez com mais freqüência do que pensamos. Certamente ninguém é mais sensível. *** A disposição de arcar com todas as conseqüências de nossos atos passados e. não temos um contato profundo com alcoólicos que estão sofrendo o dilema da falta de fé.A. assumir a responsabilidade pelo bem-estar dos outros constitui o próprio espírito do Nono Passo. funcionou durante anos na base do "ensaio e erro".. Nos primeiros anos de A.A. ao mesmo tempo.A. Estou certo de que muitas vezes isso é esquecido. educação ou pesquisa. orgulho e agressão do que eles.

Um de seus primeiros frutos é o equilíbrio emocional. 88 NA OPINIÃO DO BILL 151 60 .A. E vamos lembrar sempre que a meditação é na realidade muito prática. pág. Mas víamos que o programa realmente funcionava para os outros e tínhamos chegado a acreditar na desesperança da vida. só nos restava pegar o simples conjunto de instrumentos espirituais que foi colocado a nosso alcance. depressão. como podemos ver. Os Doze Passos. com Sua graça. 1 – Alcoólicos Anônimos.. Ela não tem limites. revolta e orgulho e às vezes me dão a coragem para mudar as coisas que posso e sabedoria para perceber a diferença.. sabedoria e amor. Portanto. tanto em extensão como em profundidade.. 87 NA OPINIÃO DO BILL 150 Sem limites A meditação é alguma coisa que pode ser desenvolvida cada vez mais. Atinge a Maioridade. pág. Confessamos que temos determinados defeitos. da forma como a estávamos vivendo. são para a sobriedade e paz de espírito de cada membro.." "Essa experiência pode se transformar em benefício". Eles me mantêm no caminho da aceitação perfeita. e que esses defeitos nos ameaçam continuamente." "Medo de nada. *** Nas Tradições de A. As Tradições nos orientam para melhorar nossa maneira de trabalhar e viver. como nós O concebemos. Grapevine de março de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 149 Orientação para um caminho melhor Quase nenhum de nós gostava de fazer o auto-exame. pág. quando fomos abordados por aquelas pessoas que haviam resolvido o problema. como sociedade. ela é essencialmente uma aventura individual que cada um de nós realiza à sua maneira. Ajudados por essa instrução e exemplo.A. está implícita a confissão de que nossa Irmandade tem suas falhas. repito para mim mesmo declarações como estas: "O sofrimento é a pedra de toque do progresso.. a demolição de nosso orgulho e a confissão das imperfeições que os Passos requerem. Com ela podemos alargar e aprofundar o canal de ligação entre nós e Deus.Mais do que conforto Quando me sinto deprimido." "Isso também vai passar. Esses fragmentos de oração trazem muito mais do que um mero conforto. acabam com minha compulsão de sentimento de culpa. 48 2 – A.A.. Mas seu objetivo é sempre o mesmo: melhorar nosso contato consciente com Deus. e elas são para a sobrevivência e harmonia do grupo o que os Doze Passos de A.

tendo de fato pouca ou nenhuma justificativa. as ofensas que ela nos fez. Pode às vezes ser obtida através da razão. Mas o que pode uma pessoa fazer quando todos esses falham? Esse era meu doloroso dilema. Essa experiência libertadora veio primeiro. que experimentei um despertar espiritual. na realidade. somente quando apelei para um Deus que poderia existir. "Foi somente quando cheguei a acreditar firmemente que era impotente perante o álcool.A. Nossa melhor defesa nessas situações seria não se defender absolutamente – isto é. pág. nossas emoções de colocam na defensiva. 74 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 153 Sem raiva Vamos supor que A. são fatos tão antigos como a própria humanidade. de modo temperado e informativo. Não vamos esquecer que os alcoólicos não são os únicos atormentados por emoções doentias. pela pompa. A essa altura precisamos logo nos segurar. mas de uma forma ou outra ela está ali. pág. uma dádiva!" 1 – Alcoólicos Anônimos. nas vidas humanas. com ressentimento. como a desculpa perfeita para minimizar ou esquecer a nossa. mais depressa se calarão. pela adoração de outras coisas. Em muitos casos estamos. pode ser conveniente comunicar-se com eles. lidando com companheiros sofredores. com bom humor deixarmos os críticos completamente sozinhos. Por exemplo. Ela pode estar obscurecida pela calamidade. Se. *** "A fé pode muitas vezes ser dada através de ensinamentos inspirados ou de um convincente exemplo pessoal de seus frutos. esteja sob ataque do público ou que caia em grande ridículo. em seguida veio a fé – na verdade. Se estamos a ponto de pedir perdão para nós mesmos. Prevalecendo disso nos agarramos à sua má conduta. Caso seus ataques continuem e fique claro que eles estão desinformados. Para evitar de encarar as ofensas que fizemos a uma outra pessoa. por que não deveríamos começar perdoando a todos eles? Os Doze Passos. mulher e criança está a idéia fundamental de um Deus.Começar a perdoar No momento em que examinamos um desentendimento com uma outra pessoa. salientamos. muitos clérigos acreditam que São Tomás de Aquino provou realmente a existência de Deus por pura lógica. pessoas que tiveram suas desgraças aumentadas por nós. 68 NA OPINIÃO DO BILL 152 O poder milagroso No mais profundo de cada homem. pois a fé num Poder Superior a nós mesmos e as demonstrações milagrosas desse Poder. completo silêncio a nível público. 61 .

acompanhado de nossos agradecimentos.A. Se estiverem muito barulhentos ou importunos. Afinal de contas. por que deveriam as pessoas que estão bebendo contar às que estão sóbrias como isso deveria ser feito? "Só por brincadeira. Esse espiral leva o nome de Serviço. *** O que devemos reconhecer é que nos regozijamos com alguns de nossos defeitos. Doze Conceitos para Serviços Mundiais. será por bem dar conhecimento privativamente aos críticos. quase todo alcoólico de quem nos aproximávamos começava a ter deslizes. Mas em circunstância alguma deveríamos mostrar raiva ou qualquer tentativa de punição ou agressão. Outros permaneciam abstêmios por seis meses ou talvez um ano e daí escorregavam. através de tantos amigos e através de tantos meios e canais tem nos permitido construir esse maravilhoso edifício do espírito. 56 e 57 NA OPINIÃO DO BILL 154 As recaídas – e o grupo Um antigo temor era o de deslizes e recaídas. Atinge a Maioridade. podemos até sentir prazer pelo fato de muitas pessoas nos aborrecerem. Em sua enorme edificação inscrevemos nossos Doze Passos de recuperação. O medo desapareceu. a respeito do método apropriado para se manter sóbrio. No princípio. pois isso nos traz uma cômoda sensação de superioridade. isso quando ele conseguia realmente ficar sóbrio. pergunte a eles se estão se divertindo. A raiva farisaica também pode ser muito agradável. gentilmente se afaste do caminho deles". for parcial ou totalmente justificável. Nas paredes laterais. págs. Olhávamos uns para os outros e nos perguntávamos: "Qual o próximo?" Hoje. foram colocados para nos manter em unidade até quando Deus quiser. os esteios das Tradições de A.A. embora as recaídas sejam dificuldades muito sérias. 1 – A. pág. no qual estamos agora residindo – essa catedral. mas sabemos que não pode destruir o bem-estar comum. De um modo perverso. págs. O álcool sempre ameaça o indivíduo.A. *** 62 . Que ele possa sempre estar apontado em direção a Deus. Isso foi sempre uma verdadeira catástrofe. *** "Parece que não adianta discutir com os "que recaem". como grupo as conduzimos a passos largos. 73 e 74 Os Doze Passos. 88 2 – Carta de 1942 NA OPINIÃO DO BILL 155 Construído por um e por muitos Damos graças a nosso Pai Celestial que. Ansiosos corações e mãos levantaram o espiral de nossa catedral em seu devido lugar. cujos fundamentos já repousam nos quatro cantos do mundo. se uma certa crítica ao A.No entanto.

a humildade leva a um claro reconhecimento do que e de quem realmente somos. ninguém pode construir uma casa sem antes imaginar um plano.A. pág. seguido de uma tentativa sincera de nos tornar aquilo que poderíamos ser. pág. Atinge a Maioridade. 1 – Os Doze Passos. não tentamos muitas vezes fazer a mesma coisa? Talvez nosso problema não estivesse no fato de usarmos a imaginação. com uma certa tristeza.A. em valores inestimáveis. mas ninguém lhe diz que ele deve fazer isso. 48 NA OPINIÃO DO BILL 157 A imaginação pode ser construtiva Lembramos."Não é somente a alguns que devemos o notável desenvolvimento de nossa unidade e de nossa capacidade de levar a mensagem de A.. à medida que ela tentava buscar a realidade através da garrafa. na verdade. Não há nada de errado com a imaginação construtiva. ainda negando a Divindade. em A. o valor que dávamos à imaginação. não é verdade que nós nos divertíamos com esse tipo de pensamento? E hoje. Então.. Não podemos nunca dizer (ou insinuar) a alguém que ele deva concordar com nossa fórmula ou ser excomungado. 209 2 – Palestra de 1959 NA OPINIÃO DO BILL 156 Percepção de humildade Uma melhor percepção de humildade inicia uma mudança revolucionária em nossa maneira de ver. é ao trabalho de todos nós que devemos essas maravilhosas bênçãos". Sim. A fuga através da garrafa foi sempre nossa solução.A. Afinal de contas. embora sóbrios. O ateu pode se levantar numa reunião de A.A. pág. Sabemos por experiência que ele em pouco tempo mudará de idéia a respeito de Deus. observamos e escutamos. nossas vidas foram em grande parte dedicadas à fuga do sofrimento e dos problemas. Até agora. pela humildade.A. Os Doze Passos. a todos os lugares. 63 . *** Para aqueles que têm progredido em A. todo empreendimento sólido depende dela. mas relatando o quanto mudou em atitude e ponto de vista. Nossos olhos começam a se abrir aos excelentes valores que vieram diretamente do doloroso esvaziamento do ego. Devemos a muitos. Talvez o verdadeiro problema fosse nossa quase total incapacidade de dirigir a imaginação em direção aos objetivos certos. 64 2 – Os Doze Passos. pág. 87 NA OPINIÃO DO BILL 158 A tolerância na prática "Descobrimos que os princípios de tolerância e amor tinham que ser enfatizados na prática.. 1 – A. Por todo lado vimos o fracasso e a miséria transformados.

Bob foi na realidade uma pessoa muito mais humilde do que eu. Bob sorriu e disse: "Deus os abençoe. 122 e 123 64 . através da quebra do anonimato. Eles têm boa intenção. da mesma maneira como são todas as pessoas".. a lápide simples não diz sequer uma palavra a respeito de A. "Numa atmosfera como essa. fugindo da revolta.A. mas que sejamos enterrados. Carta de 1940 NA OPINIÃO DO BILL 159 Entre os extremos "A pergunta de fato é se podemos aprender tudo de nossas experiências. o heterodoxo e o descrente se misturam e juntos são felizes e úteis. continuar com nossa antiga e desastrosa busca do poder e prestígio pessoal.. onde jazem o Dr.. Atinge e Maioridade. E seremos igualmente castigados se presumirmos ter uma perfeição. Nada é preciso.A. não exigimos nenhuma religião de ninguém."A fim de levar ainda mais longe o princípio de aceitação e tolerância. págs. Bob e Anne. que simplesmente não existe. Fortalecidos com a desculpa de que estamos fazendo grandes coisas para o bem de A. No cemitério de Akron. a longo prazo. *** O Dr. pág. somos os maiores racionalizadores do mundo. 1 – A. Contando-me a esse respeito. Atinge a Maioridade. a verdadeira perfeição está sem dúvida muito distante". Uma oportunidade de obter crescimento espiritual é aberta a todos".A. Esse exemplo comovedor e definitivo de modéstia provará ser de maior valor para A. seremos castigados. Em nosso lento progresso. honras públicas e dinheiro – as mesmas ambições implacáveis que quando frustradas uma vez nos conduziram à bebida. e o anonimato ele compreendeu muito facilmente. os alcoólicos. Todas as pessoas com problema alcoólico que queiram se livrar dele e se ajustar bem às circunstâncias da vida tornam-se membros de A. Quando se soube com toda a segurança que ele estava para morrer. o caminho da relativa humildade e do progresso teria que estar entre esses extremos. 262 2 – A. Mas não exigimos nem isso. "Aparentemente. podemos. tanto você como eu.A. alguns de seus amigos sugeriram que se erguesse um monumento ou mausoléu em sua homenagem e de sua esposa Anne – digno de um fundador e sua esposa. o Dr. o ortodoxo. Carta de 1959 NA OPINIÃO DO BILL 160 Os racionalizadores e os modestos Nós. a não ser sinceridade.A. do que qualquer promoção pública ou qualquer monumento grandioso. pelas quais podemos crescer e ajudar outros a crescerem à semelhança e imagem de Deus. "Sabemos que se nos negarmos a fazer aquilo que é razoavelmente possível para nós.A. simplesmente se ligando a nós.

A.A. Quando se trata da sobrevivência de A. Atinge a Maioridade. por esse meio. é claro.A. para nós constituem uma necessidade. Um homem pode criticar ou gozar dele mesmo. e isso vai afetar os outros de maneira favorável. 1 – Alcoólicos Anônimos. uma escravidão que leva à mais fatal e desesperada obsessão. E o caos não é simplicidade".. pág. pág. achamos que devemos nos organizar um pouco para levar a mensagem – ou então enfrentar o caos. simplificamos muito a vida de A.NA OPINIÃO DO BILL 161 Inventário de quem? Não contamos as experiências íntimas de um outro membro. págs. pelos grupos. muitas vezes produz efeito contrário. pessoas mais experientes do que nós adotaram a prática da autoanálise e da crítica rigorosa. aprendemos isso com dificuldade.A. *** Aprendi que o temporário ou aparentemente bom pode muitas vezes não ser aquilo que é sempre o melhor. mas a crítica ou o ridículo dirigido a alguma outra pessoa. evitando conflito e rejeição. Quando dizemos que A. *** Uma constante análise de nossas qualidades e deficiências e o verdadeiro desejo de aprender e de crescer. não prega proposição teológica. através de A.. como um todo. alcoólicos. áreas e por A.. que por séculos tinha dominado a mente e o corpo dos homens e mulheres como nós? *** 65 .A. 1 – Carta de 1966 2 – A. 76 NA OPINIÃO DO BILL 162 "Mantenha-o simples" "Precisamos distinguir bem entre a simplicidade espiritual e a simplicidade funcional. 129 e 130 2 – Os Doze Passos. nem o nosso melhor será bom o suficiente. Nós. a não ser Deus. como nós O concebemos. já pôs em movimento? E quem pode desvendar o grande mistério de nossa total libertação da escravidão. sem estar certos de que ele aprovaria. Achamos melhor. "Mas quando entramos nas questões de ação. nos limitar às nossas próprias histórias. 263 NA OPINIÃO DO BILL 163 O alívio e a alegria Quem pode dar uma explicação de todas as misérias que já sofremos e quem pode avaliar o alívio e a alegria que os últimos anos nos trouxeram? Quem pode possivelmente contar os grandes resultados do que o trabalho de Deus.A. Em todos os tempos e lugares. quando possível.

Os psiquiatras e psicólogos apontam a grande necessidade que todo ser humano tem de discernimento e conhecimentos práticos das falhas de sua própria personalidade e de discutí-las com uma pessoa compreensiva e digna de confiança. Isso tem sido válido. Você tem que trabalhar com muitos recémchegados. Mas por que não deveríamos rir? Estamos recuperados e ajudamos os outros a se recuperarem. apenas porque teve sorte com seus prováveis membros. Os Doze Passos. 46 NA OPINIÃO DO BILL 165 "Sucesso" no trabalho do décimo segundo passo "Percebemos agora que no trabalho do Décimo Segundo Passo os resultados imediatos não são tão importantes. do mesmo modo que seu afilhado. Aqueles de nós que não são tão bem-sucedidos. Até que estejamos dispostos a tentar isso. *** Toda verdadeira comunicação deve ser baseada na necessidade mútua. Vimos que cada padrinho teria que admitir humildemente suas próprias necessidades. 1 – Carta de 1942 2 – A. "De fato.A. Algumas pessoas começam a trabalhar com outras e têm sucesso imediato. para poder obter uma média". não poderíamos nos manter sóbrios. o servidor que é bem-sucedido difere daquele que não é. muito antiga.A. Com os mesmos prováveis membros. pág. a pessoa aparentemente mal sucedida teria obtido quase os mesmos resultados. pág. A maioria de nós declararia que sem a corajosa admissão de nossos defeitos para um outro ser humano. É possível que fiquem convencidas. Atinge a Maioridade. A. pág. 40 2 – Alcoólicos Anônimos. 135 NA OPINIÃO DO BILL 164 Um princípio salvador Essa prática de admitir os próprios defeitos a uma outra pessoa é. Ele simplesmente aborda recém-chegados que estão prontos e capazes de parar de beber imediatamente. do passado. no início. quando manifestamos alegria contando uma experiência aparentemente trágica. No que se refere aos alcoólicos. Que maior motivo de regozijo poderia haver do que esse? 1 – A. As pessoas de fora às vezes ficam chocadas. em todos os séculos. 10 NA OPINIÃO DO BILL 166 66 . pág. sem dúvida.Achamos que o bom humor e o riso são úteis. Today.A. Mas hoje a religião não é nem de longe a única defensora desse princípio salvador. parece evidente que a graça de Deus não nos tocará para expulsar nossas obsessões destrutivas. ficam deprimidos. vai ainda mais longe. e caracteriza a vida de todas as pessoas espiritualizadas e verdadeiramente religiosas.

vemos grandes setores de fé e inúmeras aspirações em direção à justiça e confraternização. Contudo. temos experimentado esse mesmo estado de terrível incerteza. Portanto. Não desanime. qualquer que sejam seus atributos para o bem ou para o mal. através da experiência da conversão.A. não a nossa". Nosso próprio alcoolismo e a imensa deflação que finalmente daí resultou. eu questiono esse ponto de vista. sob a vontade de Deus. Todo ser humano. compreendemos essa perspectiva. nenhum profeta ousa dizer se o futuro do mundo será uma terrível destruição ou o começo. O que importa é que estejamos dispostos a crescer espiritualmente. muitos de nós reclamam: "Que tarefa! Não posso fazê-la toda". tendo sempre em mente que nossas atitudes negativas foram em primeiro lugar necessárias. da mais brilhante era já conhecida pela humanidade. é preciso que todos nós aceitemos qualquer dádiva positiva que recebamos. constituem na verdade a base sobre a qual repousa nossa experiência espiritual". e não posso aceitar que Deus pretenda exaltar um mais que o outro. 1 – Alcoólicos Anônimos. em vez da perfeição espiritual. pág. AAs. Carta de 1964 67 . Estou certo de que nós.Medo de nada Embora nós de A. podemos dizer que não tememos o futuro do mundo. cada um de nós tem seu lugar. Grapevine de janeiro de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 167 Progresso em vez de perfeição Ao estudar os Doze Passos. Os princípios apresentados são orientações para o progresso. Nenhum de nós conseguiu aderir completamente a estes princípios. Isso porque nos tornamos capazes de sentir profundamente e dizer: "Não teremos medo de nada – seja feita Tua vontade. Não somos santos. não somos tão irmãos nas virtudes como somos em nossos defeitos e em nossas lutas comuns para vencê-los". com profunda humildade.75 NA OPINIÃO DO BILL 168 Aceitando as dádivas de Deus "Embora muitos teólogos afirmem que as súbitas experiências espirituais levem a uma distinção especial ou a algum tipo de ordenação divina. *** "Nós. estejamos vivendo num mundo caracterizado por medo destrutivos como nunca houve na história. é uma parte da economia espiritual divina. qualquer que ele seja. alcoólicos recuperados. como um meio de nos reduzir a um estado tal que nos deixasse prontos para receber uma dádiva positiva. "Desta forma. Sem orgulho. Em pequena escala. Pretendemos o progresso espiritual. cada um em sua própria vida.

é uma pessoa especialmente confusa. Essa suposição está muito longe da verdade. 94 NA OPINIÃO DO BILL 171 Benefícios e mistérios "A preocupação de A. com a confortável segurança de que está agindo sob a direção específica de Deus. com essa necessidade egoísta de respostas divinas. pouco ou nada. é em alguns pontos paralela à sua e as de muitos outros. como muitos de nós devem estar: 'Quem sou eu?' 'Onde estou?' 'Para onde vou?' O processo de esclarecimento é geralmente lento. como membro antigo. Para alguns. só podemos valer tanto quanto tenha se justificado nosso exemplo espiritual. ao invés do professor que eu outrora achava que era".NA OPINIÃO DO BILL 169 O aprendizado não termina nunca "Minha experiência. *** "Você está se perguntando. ele logo fala de sua confiança na oração como um guia para todos os assuntos. Ele pode ter esquecido a possibilidade de que seus desejos e a tendência humana de racionalizar tenham distorcido sua assim chamada orientação. sejam eles importantes ou não.A.. orientação explícita de Deus sobre assuntos que variam. ele tende a impor sua própria vontade em qualquer situação ou problema. A qualquer pergunta ou crítica a suas ações. 68 .A. até a correção de pequenas falhas pessoais. como um todo. Em última análise. como a impontualidade. Com a melhor das intenções. Um homem que tenta dirigir rigorosamente sua vida por esse tipo de oração. de A. 1 – Carta de 1964 2 – Carta de 1949 NA OPINIÃO DO BILL 170 A vontade de quem? Temos visto AAs pedirem. nós nos tornamos símbolos úteis – e isso é praticamente tudo". Sabemos que uma sobriedade permanente pode ser alcançada apenas por uma revolucionária mudança na vida e perspectiva do indivíduo – por um despertar espiritual que pode eliminar o desejo de beber". com muita sinceridade e fé. Todos nós descobrimos que chega o momento em que não mais podemos conduzir os negócios funcionais dos grupos. com a sobriedade é às vezes mal interpretada. Pensam que somos bêbados recuperados e que em outros aspectos mudamos para melhor. áreas ou.A. Os Doze Passos. pág. essa simples virtude parece ser o único benefício de nossa Irmandade. em meu caso. *** "Tornei-me discípulo do movimento de A. Dessa forma. desde desastrosas crises domésticas ou financeiras.

no fim. É um esforço para se descobrir a verdade sobre a mercadoria em estoque. apesar do furacão das forças que nos destruiriam ou que usaríamos para nos destruir". Fazer um inventário comercial é um processo que consiste em conhecer e enfrentar os fatos. como a que freqüentemente vemos hoje em dia nas pessoas que se dizem ateístas ou agnósticas. o Quarto Passo. afinal de contas. feita com a mente aberta.A. Logo. *** "Tenho excelentes razões para saber como os momentos de percepção podem construir uma vida inteira de serenidade espiritual. nossa busca sempre traz uma descoberta.Mas. ele não pode se enganar a respeito dos valores. sem pesar. Para que o dono do negócio seja bemsucedido. cruel e desnecessariamente. mantidos em completa simplicidade.. de desfazer-se deles logo. 1 – Alcoólicos Anônimos. A disposição de desenvolver-se é a essência de todo crescimento espiritual. que parecem preferir a morte do que uma busca sincera de Deus. pág. Felizmente para mim e para muitos como eu que buscaram A. Tínhamos que fazer exatamente a mesma coisa com nossas vidas. "Falíveis como somos e sempre seremos nesta vida." 1 – Carta de 1966 2 – Carta de 1955 NA OPINIÃO DO BILL 172 Este assunto de honestidade "Somente Deus pode saber o que é honestidade absoluta. Esses grandes mistérios são. 69 . Sua vontade de descrer é tão forte. 78 2 – Carta de 1949 NA OPINIÃO DO BILL 174 Forças construtivas Minha opinião era tão arraigada. seria presunção supor que poderemos alcançar uma honestidade absoluta. vão promover uma base firme. Sem fazer um inventário periódico. Não podemos. suplantando as ervas daninhas neuróticas. cada um de nós tem que imaginar com o máximo de nossa capacidade – o que é esse grande ideal. ferir outras pessoas. As raízes da realidade. Sempre se deve perguntar: 'Qual é a coisa melhor e mais cheia de amor que posso fazer?'" Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 173 As raízes da realidade Iniciemos um inventário pessoal. Um dos objetivos é revelar os bens danificados ou que não têm condições de serem vendidos. Tínhamos que fazer um inventário com honestidade. sob o disfarce de uma 'perfeita honestidade'. "Às vezes precisamos colocar o amor acima da indiscriminada "verdadeira honestidade". O melhor que podemos fazer é atingir uma melhor qualidade de honestidade. um negócio geralmente vai à falência.

paradoxalmente. Abatidos e completamente derrotados pelo álcool. Nessa mesma noite fui a uma reunião de A. frente a frente com a prova viva da libertação e rodeados por aqueles que podem nos falar do fundo do coração. Boa vontade suficiente. págs.A. 1 – A. 46 NA OPINIÃO DO BILL 176 Domínio e exigência O fato principal é que deixamos de reconhecer nossa total incapacidade de manter um verdadeiro entrosamento com um outro ser humano. para atender a nossos obstinados desejos. 43 2 – Grapevine de janeiro de 1958 70 . quase sempre venceram essa colossal teimosia. pág.A. *** Não temos o desejo de convencer ninguém de que só existe um meio pelo qual a fé pode ser adquirida. Nossa egomania prepara duas armadilhas desastrosas.A. pág. somos filhos de um Criador vivo. Se nos apoiamos demais nas pessoas. *** Minha dependência significa exigência – uma exigência da posse e controle das pessoas e condições que me cercam. 9 NA OPINIÃO DO BILL 175 Aspectos da tolerância Todos os tipos de pessoas têm encontrado caminho em A. mais cedo ou mais tarde vamos nos decepcionar. tão logo estejamos dispostos e sejamos honestos o suficiente para tentar. eles se revoltam e resistem fortemente. ou dependemos muito delas. Atinge a Maioridade. finalmente nos rendemos. Todos nós." Isso mostra como A. Era inverno e na porta da entrada estava um cavalheiro de baixa estatura que gentilmente guardava nossos casacos. pág. Desenvolvemos. mania de perseguição e um desejo de desforra. ele está aqui há muito tempo. o verdadeiro mundo do espírito e da fé. Ele pertencia ao grupo de Al Capone. Não faz muito tempo.A. Todo mundo gosta dele. 1 – Os Doze Passos. Today. com quem podemos estabelecer um relacionamento em termos simples e compreensíveis. Ou insistimos em dominar as pessoas que conhecemos. 92 e 93 2 – Alcoólicos Anônimos.A. produzidas em nossa Irmandade. pois também são seres humanos e possivelmente não podem satisfazer às nossas constantes exigências.as forças construtivas. mente aberta suficiente – e aí está! A. Quando temos o hábito de tentar manipular os outros. nossa insegurança cresce e se inflama. Perguntei: "Quem é aquele?" E alguém respondeu: "Oh!. nos encontramos numa nova dimensão. é hoje em dia universal. Assim. A seguir. sentimentos feridos. sem distinção de raça. estive conversando em meu escritório com um membro que leva o título de Condessa. credo ou cor. então.

mas que nossos pés ficassem firmes no chão. nunca o precede. Essas são as realidades para nós. Quando somos tentados pela isca. pág. estávamos apenas acumulando fundos para a próxima farra. nunca fomos capazes de distinguir a raiva justificada da não justificada. e é aí onde nosso trabalho deve ser feito. o bem-estar material sempre vem depois do progresso espiritual. pág. descobrimos que não podemos pôr o dinheiro em primeiro lugar. *** Nada melhor do que o controle da língua e da pena. É aí onde estão nossos semelhantes. nossa indignação era sempre justificada. Quando nossa maneira de beber piorou muito. A raiva. embora entre uma bebedeira e outra. Uma explosão de mau gênio poderia estragar nosso dia.NA OPINIÃO DO BILL 177 Dinheiro – antes e depois Na época em que bebíamos. esse luxo que às vezes as pessoas mais equilibradas têm. sadia e feliz. Essas "bebedeiras secas" com freqüência nos levavam diretamente à garrafa. e um sentimento de revolta bem alimentado poderia nos tornar miseravelmente inúteis. Estas são armadilhas emocionais que têm como isca o orgulho e o espírito de vingança. deveríamos estar preparados para 71 . Sem perceber. pág. *** Embora a recuperação financeira esteja sendo alcançada por muitos de nós. 1 – Os Doze Passos. 106 2 – Alcoólicos Anônimos. a discussão violenta. o dinheiro era apenas um imperioso requisito que poderia nos proporcionar o gole seguinte e o conforto do desligamento que ele trazia por alguns momentos. 133 NA OPINIÃO DO BILL 179 Enfrentando a raiva Poucas pessoas foram mais atingidas pelos ressentimentos do que nós alcoólicos. Devemos evitar a crítica feita com raiva. A nosso ver. Alcoólicos Anônimos. O mundo do sonho foi substituído por um grande sentido de realidade. o mau humor e o desdém em silêncio. poderia nos manter sob uma bebedeira emocional indefinidamente. eventualmente viram a infantilidade disso. gastávamos como se o dinheiro nunca fosse acabar. acompanhado de uma crescente consciência do poder de Deus em nossas vidas. às vezes fôssemos ao outro extremo e nos tornássemos quase avarentos. Além do mais. O dinheiro era para nós o símbolo do prazer e da auto-importância. 131 NA OPINIÃO DO BILL 178 Com os pés no chão Aqueles de nós que passaram muito tempo no mundo da falsa espiritualidade. Não achamos nenhuma incompatibilidade entre uma experiência espiritual poderosa e uma vida útil. Para nós. Chegamos a acreditar que Ele gostaria que mantivéssemos nossas cabeças nas nuvens com Ele.

58 NA OPINIÃO DO BILL 182 A realidade das experiências espirituais "Talvez você levante a questão da alucinação contra a divina imagem de uma autêntica experiência espiritual. 78 2 – Os Doze Passos. apresentada adequadamente. ela é um trabalho da comunidade e de especialistas. 79 NA OPINIÃO DO BILL 180 Problema da comunidade A resposta ao problema do alcoolismo parece estar na educação – nas salas de aula. No entanto. inventamos esta expressão: "Não tente ser Santo tão depressa!" A velha advertência pode parecer mais um daqueles fáceis álibis que podem nos desculpar de não tentar o melhor que podemos. nas faculdades de medicina.dar um passo atrás e pensar. entre os clérigos e empregadores. pág. Do berço à sepultura. mas A. 1 – Os Doze Passos. nas famílias e no público em geral. grande parte dessa educação tinha atacado mais a imoralidade das bebedeiras do que a doença do alcoolismo. devemos confiar em outras organizações. os primeiros AAs. como tal não pode. pág. Agora. pode ser praticado com absoluta perfeição. *** Somente o Primeiro Passo. nós AAs podemos ajudar. é certo que todos os que tiveram experiência espiritual afirmam a realidade delas. A melhor evidência 72 .A. Grapevine de março de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 181 Perfeição imaginária Quando nós. Duvido que alguém já tenha definido com autoridade o que é realmente uma alucinação. Contudo. até que o hábito do autocontrole tenha se tornado automático. onde fizemos a admissão total de que éramos impotentes perante o álcool. Não podemos pensar nem agir para alcançar um bom objetivo. quem se encarrega dessa educação? Obviamente.A. e não deveria entrar diretamente nesse campo. Isso significa uma verdadeira educação. o bêbado e o alcoólico em potencial terão de ser completamente cercados de uma verdadeira e profunda compreensão e de uma constante sucessão de informações. uma visão mais profunda revela exatamente o contrário. Até aqui. 1 – Grapevine de junho de 1961 2 – Os Doze Passos. São metas para as quais nos dirigimos e a medida pela qual avaliamos nosso progresso. Portanto. Os outros onze Passos enunciam ideais perfeitos. pág. em amigos de fora e em sua boa vontade para fornecer grande quantidade de dinheiro e esforço. tivemos o primeiro vislumbre de como poderíamos ser espiritualmente orgulhosos. Individualmente. prevenir a cegueira do orgulho e as perfeições imaginarias que não possuímos. Essa é a maneira de A.

exemplo. Tinha que aprender. Palestra de 1960 NA OPINIÃO DO BILL 183 Um observador alarmado "Durante vários infrutíferos anos. Então podemos tentar uma persuasão calma. Contudo. é difícil não pagar na mesma moeda. farisaísmo e mesmo absoluta intolerância. perguntando se essas críticas têm fundamento. *** "De vez em quando somos vítimas da crítica. podemos nos afastar e então nos examinar. compreensão ou amor". posso afirmar seguramente que. através de grande esforço. Se tivéssemos que afetar os outros. Entretanto. os frutos dessa experiência foram reais. Geralmente isso leva a um entendimento mútuo". estive num estado que poderia ser chamado de observando com alarme pelo bem do movimento. a não ser naqueles casos em que recusamos o ensinamento". O bom exemplo fala por si mesmo. Raramente alguém era capaz de me dizer o que eu deveria fazer. Quase não se pode dizer isso daqueles que tiveram alucinações. Quando estamos irritados e feridos. e os benefícios além da estimativa". favoravelmente. Se continuarem os falatórios. "Nós AAs. lideram pelo exemplo. Se assim for." 1 – Carta de 1945 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 184 Enfrentando a adversidade "Nosso crescimento espiritual e emocional em A. "Suponhamos que nossos críticos sejam injustos. "Quando me punha a vigiar os outros. quase sempre para melhor. acho que sua recaída terá o efeito de chutá-lo escada acima. Achava que era meu dever sempre 'corrigir situações'. "Alguns poderiam me achar presunçoso. Aqueles que receberam essas dádivas da Graça mudaram muito. Se você tiver isso em mente. Em conseqüência.A. Eu só levantava barreiras de ressentimentos que cortavam qualquer sugestão. descobri que com freqüência eu estava motivado pelo medo do que eles estavam fazendo. quando digo que minha própria experiência é real. e ninguém jamais foi bem-sucedido em me dizer o que fazer. podemos admitir nossos defeitos para eles. em vez de para baixo. precisaríamos praticar o que pregamos – e esquecer também o pregar. *** "Os AAs freqüentemente dizem: Nossos líderes não dirigem por mandato.dessa realidade são os frutos posteriores. com minha própria experiência. em minha vida e nas vidas de inúmeras outras pessoas. não depende tanto do sucesso como de nossos fracassos e contratempos. nos é possível – de coração – 73 . poucas vezes consegui corrigir alguma coisa. não tivemos nenhum professor melhor do que a velha Senhora Adversidade.

A." Bem. 21 2 – Grapevine de agosto de 1946 NA OPINIÃO DO BILL 187 Palavra ou ação? Ao fazer reparações. Por que sermos chamados 74 . Você mesmo pode declarar que faz parte da Irmandade. meu avô chegou com um livro sobre a Austrália e me disse: "Este livro diz que ninguém. nunca ser exclusivistas. Eu me lembro de que estive muito deprimido durante um ano ou mais. um que quase me matou posteriormente. está na verdade dizendo a todo bebedor problema: "Você será um membro de A. Isso deveria ser chamado de agressão com o queixo. raramente é aconselhável se abordar um indivíduo. daí comecei a desenvolver uma grande vontade de vencer. a não ser um camponês australiano." Na Terceira Tradição. Atinge a Maioridade. em frente da casa. 1 – As Doze Tradições. fiz um bumerangue que pôde dar a volta no pátio da igreja. pág. 48 e 49 NA OPINIÃO DO BILL 186 "O único requisito. por isso podemos tanto perdoar como esquecer".. Queremos apenas ter a certeza de que você terá a mesma oportunidade de obter a sobriedade que nós tivemos. Seja você quem for. qualquer moleque poderia ter uma idéia como essa. A. sabe fabricar e atirar um bumerangue". Pensei: "Aqui está minha oportunidade. Um dia. ninguém pode deixá-lo de fora." "Serei o primeiro homem na América a fabricar e atirar um bumerangue. Com emoção. seja qual for o ponto a que você tenha chegado. Talvez um senso de humor possa ser nossa salvação. Queremos abranger o maior número possível de pessoas. que ainda sofra a injustiça que lhe fizemos.perdoá-los. Mas tive uma força motivadora que se manteve durante seis meses. e anunciar que nos tornamos religiosos. se assim disser. A.. Isso poderia ter durado dois ou três dias como duas ou três semanas. lancei a moda de um outro tipo de bumerangue. porque os moleques menores que eu sempre levavam vantagens nas brigas. eu era um rapaz alto e desajeitado e me sentia muito mal com isso.A.A. págs." *** Não queremos negar a ninguém a oportunidade de se recuperar do alcoolismo. sejam quais forem suas complicações emocionais – mesmo seus crimes – não queremos deixá-lo de fora. 1 – Carta de 1958 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 185 Bumerangue Quando estava com dez anos. quase atingindo meu avô na cabeça quando o bumerangue estava voltando.

ele pode ser bem-sucedido por algum tempo. Se o alcoólico tenta se proteger.de chatos ou fanáticos religiosos? Se fizermos isso. os que não a experimentaram suficientemente". sobre o alcoolismo e seu tratamento. gostávamos de A. Mas recusávamos ante a meditação e a oração. Alcoólicos Anônimos. que se proponha a proteger totalmente o doente da tentação. qualquer esquema para combater o alcoolismo. Essa é uma aterradora verdade para o alcoólico! Porque se um alcoólico deixa de aperfeiçoar e engrandecer sua vida espiritual. E descobrimos que isso pode acontecer com qualquer pessoa que tente. ele não pode vencer as provas e os momentos de fraqueza que esperam por ele. pág. mas geralmente acaba tendo a maior das explosões. *** "A fé sem obras é morta". Você deveria continuar a manter relações amigáveis com eles.A. 109 2 – Alcoólicos Anônimos.. está destinado ao fracasso. tão obstinadamente quanto o cientista. 1 – Alcoólicos Anônimos. 34 NA OPINIÃO DO BILL 189 Experimentadores Nós. e não fugir dele. pág. no lar Mesmo que o alcoólico não corresponda.A. a fé será realmente morta. por meio do trabalho e do sacrifício próprio em benefício dos demais. Nossa resposta é libertar-se do álcool. de fato percebemos que ficamos diferentes e assim aceitamos a meditação e a oração. nós nos sentimos diferentes. poderemos destruir uma futura oportunidade de levar uma mensagem benéfica. que se recusava a realizar certa experiência. Se aceitarem isso e também aplicarem nossos princípios a seus problemas. Ela vai se interessar mais por uma demonstração de boa vontade do que pela conversa das descobertas espirituais. certamente morrerá. e se beber. com certeza voltará a beber. por medo que ela viesse provar que sua teoria favorita estava errada. Quando finalmente experimentamos. 84 NA OPINIÃO DO BILL 190 O modo de vida de A. tudo bem.A. Essas tentativas de fazer o impossível sempre fracassaram. Os Doze Passos. Já foi dito e muito bem que "aqueles que zombam da oração são. e surgiram resultados inesperados. 89 NA OPINIÃO DO BILL 188 Vencer as provas Em nosso modo de pensar. Então. há uma chance 75 . Mas a pessoa que ouvir nossas reparações ficará bem impressionada com nosso sincero desejo de reparar um dano. pág. e estávamos prontos para dizer que ele fazia milagres. Já tentamos esses métodos. não há razão para você ignorar seus familiares. quase sempre. pág. expondo o conceito de A. Se não trabalhar. agnósticos.

Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 192 Levando a mensagem A maravilhosa energia que o Décimo Segundo Passo libera. levando os familiares a uma vida satisfatória. a magnífica realidade de A. 106 Alcoólicos Anônimos. esposos e parentes de alcoólicos. aplicando-os a todas as nossas atividades.' ou o Poder Superior. e certamente crescerá espiritualmente". 96 2 – Alcoólicos Anônimos. é o desfecho. Ofereça-lhe amizade e camaradagem. pág. o próprio grupo de A. baseada na experiência e visão do indivíduo. Para milhares de membros. põe os Doze Passos em ação. Esse é o começo de que ele precisa. a iniciação do modo de vida de A. pode ser definido como um 'Poder maior. Mostre-lhe como esses instrumentos funcionaram para você. para que ele o examine.. Quase todos os Passos estão abertos à interpretação.A. simplesmente lhe apresente o conjunto de instrumentos espirituais. Alcoólicos Anônimos. pela qual ele leva nossa mensagem ao alcoólico que ainda sofre e que. Esses grupos são constituídos de esposas. 104 76 .000 grupos no mundo todo. se o recém-chegado sabe que os membros. ele vai relaxar e praticar todos os Passos que puder. em sua maioria. o indivíduo é livre para começar os Passos no ponto em que ele puder ou quiser. finalmente. com ares de superioridade moral ou espiritual. O sucesso do Al-Anon tem sido enorme. *** Nunca fale com um alcoólico. no lar é o principal propósito dos Grupos Familiares Al-Anon. 94 *Hoje. "Sua admissão é o começo da humildade – pelo menos o recém-chegado está disposto a renunciar à idéia de que ele mesmo é Deus. E mesmo que ele continue a beber. um 'Poder Superior'..A. Os familiares mudarão com o tempo. a família vai achar a vida mais suportável. Se seguir esse procedimento. no início. achamos que o alcoólico não deveria insistir nisso.A. NA OPINIÃO DO BILL 191 O começo da humildade "Há poucos absolutos inerentes nos Doze Passos. pág. 1 – Os Doze Passos. O melhor comportamento do alcoólico geralmente convencerá a família muito melhor do que suas palavras. "Conseqüentemente.maior do chefe da família se recuperar. Esse conhecimento é fácil de aceitar. Deus. tem sido. pág. *** A não ser que a família de um novo membro esteja disposta a viver de acordo com os princípios espirituais. como nós O concebemos. que contam aproximadamente (conforme estatística de 1983) com 20. pág. estão sóbrios e ele não.

pág. não o câncer. eu tinha o melhor álibi possível – o álibi espiritual. com o mundo que nos rodeia e com Deus. 7 e 8 NA OPINIÃO DO BILL 196 77 . Aqui estavam as mesmas metas – poder. Porque somos irmãos no sofrimento e porque nossos meios comuns de libertação são para nós eficientes. Em certas ocasiões. algum dia. A palavra é "comunicação". 56 NA OPINIÃO DO BILL 195 A linguagem do coração Por que. que se houvesse um grande Médico que pudesse curar a doença do alcoolismo. Muitos a perseguem até às portas da loucura e da morte. nossos canais de contatos têm estado sempre carregados com a linguagem do coração.A.A. era minha doença. fazia esse grande absurdo parecer perfeitamente correto. A. realmente. Então exagerava muito as virtudes que eu supunha ter conquistado. Isso naturalmente gerava uma terrível ânsia por ainda mais "talento" e ainda mais aprovação. Depois me felicitava pelo grande trabalho que estava fazendo em A. Desde o princípio. nesse ponto da história. eu só queria ver o lado de minha vida que parecesse bom. vai controlar e desfrutar da bebida constitui a grande obsessão de todo bebedor anormal. Atinge a Maioridade. apenas quando levados constantemente aos outros. fama e aplauso. págs. Então decidi.A. pág. 49 2 – A. O fato de que eu tinha. não tem sido apenas a transmissão de idéias e atitudes saudáveis. Grapevine de junho de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 194 A obsessão e a resposta A idéia de que de algum modo. *** O alcoolismo. mas qual a diferença? O alcoolismo também não era um consumidor do corpo e da mente? O alcoolismo levaria mais tempo para matar. Deus escolheu para comunicar Sua graça curadora a tantos de nós? Cada aspecto dessa expansão global pode estar relacionado com uma simples e crucial palavra.NA OPINIÃO DO BILL 193 O álibi espiritual Nossas primeiras tentativas de fazer inventários provaram ser pouco realistas. mas o resultado era o mesmo. Além disso. Today. Eu estava voltando ao velho padrão de meus dias de bebedeira. a comunicação em A. Eu costumava ser um campeão em auto-exame irrealista. um objetivo espiritual.A. Tem havido uma comunicação salvadora de vidas entre nós. o melhor que eu poderia fazer era procurá-Lo imediatamente. A persistência dessa ilusão é incrível. 1 – Alcoólicos Anônimos.

comprar essas drogas perigosas. para nós mesmos. podem também curar suas preocupações. gera mais defeitos de caráter. Carta de 1959 Grapevine de novembro de 1945 NA OPINIÃO DO BILL 198 Contar ao público? "Alguns AAs de notoriedade mundial às vezes dizem: Se eu contar ao público que estou em Alcoólicos Anônimos. Essa doença. págs. então nossa propensão para racionalizar quase certamente justificará uma outra. bebemos e nos apossamos de mais do que precisamos. Desperdiçamos tempo e protelamos ou. Mas uma justificação leva a uma outra. 1 – Os Doze Passos. a sentir inveja quando as ambições dos outros parecem ser realizadas enquanto as nossas não. 39 e 40 2 – Grapevine de janeiro de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 197 Onde leva a racionalização "Você sabe o talento que temos para a racionalização. sempre por medo de não ter o suficiente. a desejar ardentemente sexo e poder.Antídoto para o medo Quando nossas falhas geram o medo. justificamos plenamente uma recaída. Comemos. descobrimos que nosso antídoto básico para o medo é o despertar espiritual. devoram os alicerces de qualquer tipo de vida que tentamos construir. e uma vez de posse delas. por sua vez. nós então temos uma doença da alma. 78 . permanecemos preguiçosos. para os alcoólicos. Se. na melhor das hipóteses. isso vai então trazer muitos outros. O grande medo latente do nada começa a desaparecer. Ele acha que. trabalhamos de má vontade e sem energia. e em breve estamos de volta à garrafa em tempo integral". a ficar com raiva quando nossas exigências instintivas são ameaçadas. O medo irracional de que nossos instintos não sejam satisfeitos nos leva a cobiçar os bens dos outros. raras vezes são diretamente culpados pelos lamentáveis resultados que tantas vezes experimentamos. a experiência mostra que mesmo aquele que toma pílula "controladamente" pode perder o controle. cresce a segurança interior. *** Conforme cresce a fé. se as pílulas podem curar a insônia. talvez com desculpas diferentes. *** Inúmeras vezes. E verdadeiramente alarmados frente à perspectiva de trabalho. o bebedor muitas vezes é capaz de usá-las sem nenhum critério. incessantemente. Nós de A. nossos amigos. Os médicos. É muito fácil.A. Esses medos são os cupins que. As mesmas racionalizações loucas que antigamente caracterizavam sua maneira de beber começam a arruinar sua existência.

A.A. 1 – Grapevine de abril de 1961 2 – Grapevine de junho de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 200 Fonte de força Quando estourou a Segunda Guerra Mundial.Expressa assim a crença de que nossa Tradição do anonimato não está certa – Pelo menos para eles". ninguém pôde abordá-lo depois disso. onde posso ter bastante perspectiva e bastante equilíbrio para dar mais um pequeno passo pela estrada claramente marcada que indica a direção dos valores eternos. De fato. Nós temos a única verdadeira marca de A. Os dois estavam repetindo o que eu fazia anos atrás. Membros de A." Carta de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 199 A arrogância e seu oposto Um provável membro muito teimoso foi levado pela primeira vez a uma reunião de A. Tiveram até menos recaídas alcoólicas ou bebedeiras emocionais do que os AAs que estavam em casa. levou. Não percebem que quebrando o anonimato. – e seria melhor que vocês a aceitassem!" O novo provável membro disse que ele sabia disso – e saiu. ouça o que estamos dizendo. *** Vejo a "humildade por hoje" como uma posição sadia e segura entre os violentos extremos emocionais. suas principais metas eram prestígio e a ambição de se elevar socialmente. ficando debaixo de fogo e suportando a monotonia e a miséria da guerra? O tipo de dependência que aprenderam em A. posso felizmente dizer que. Esquecem que preservar o anonimato significa muitas vezes o sacrifício do desejo pessoal de poder. prestígio e dinheiro. poucos de nós aqui na América realmente quebram nosso anonimato. fora de perigo. durante seus dias de bebedeiras.. o curso de nossa história seria mudado.A. embora muitos de nós sejam tentados – e eu fui um deles –.A. esse princípio espiritual teve seu primeiro grande teste. Não vêem que.A. Mostraram tanta resistência e 79 . Em tudo o que diziam estava implícita a mesma idéia: "Gente. os levaria em frente? Sim. o último orador se excedeu em suas convicções teológicas. É um lugar tranqüilo." "No entanto. entraram nas forças armadas e foram espalhados pelo mundo todo. como eu O concebo".A. Seu padrinho protestou que isso não era realmente A.. Seriam eles capazes de aceitar a disciplina. se essas lutas ser tornarem gerais em A. "Esquecem que. onde dois oradores (ou talvez palestrantes) falavam sobre o tema "Deus. estão inconscientemente perseguindo outra vez aquelas antigas ilusões perigosas. Sua atitude lembrava arrogância. que estariam lançando a semente de nossa própria destruição como sociedade. Mas era tarde demais. a nível público.

valentia quanto qualquer outro soldado. Tanto no Alaska como nas praias de Salermo, sua dependência de um Poder Superior funcionou. Longe de ser uma fraqueza, essa dependência foi sua maior fonte de força. Os Doze Passos, pág. 29 NA OPINIÃO DO BILL 201 Escolha ilimitada Inúmeros alcoólicos são atormentados com a terrível convicção de que, se alguma vez se aproximarem de A.A., serão forçados a aceitar algum tipo de fé ou teologia. Eles não compreendem que a fé nunca é um imperativo para ser membro de A.A.; que a sobriedade pode ser alcançada com um mínimo aceitável de fé e que nossos conceitos de um Poder Superior e Deus – como nós O concebemos – oferece a cada um uma escolha quase ilimitada de crença espiritual e de ação. *** Ao falar com o provável membro, enfatize bem o fator espiritual. Se o indivíduo for agnóstico ou ateu, deixe bem claro que ele não tem que concordar com sua concepção de Deus. Ele pode optar por qualquer concepção que queira, desde que tenha sentido para ele. O principal é que ele esteja disposto a acreditar num Poder Superior a ele mesmo e que viva segundo os princípios espirituais. 1 – Grapevine de abril de 1961 2 – Alcoólicos Anônimos, pág. 102 NA OPINIÃO DO BILL 202 A hora da decisão "Nem todas as grandes decisões podem ser tomadas, simplesmente anotando os prós e os contras de uma determinada situação, por mais útil e necessário que seja esse processo. Não podemos sempre depender daquilo que nos parece lógico. Quando há dúvidas acerca de nossa lógica, contamos com Deus e procuramos ouvir a voz da intuição. Se, na meditação, essa voz é persistente o suficiente, podemos ter bastante confiança em agir de acordo com ela, e não de acordo com a lógica. "Se, depois de tentar nos guiar por essas duas coisas, ainda estivermos em dúvida, então deveríamos esperar uma maior orientação e, quando possível, adiar por algum tempo as decisões importantes. Então com maior conhecimento de nossa situação, a lógica e a intuição podem estar bem de acordo no caminho certo. "Mas se a decisão deve ser tomada na hora, não vamos fugir dela por medo. Certa ou errada, sempre podemos tirar proveito da experiência." Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 203

80

A verdadeira tolerância Aos poucos começamos a ser capazes de aceitar os erros dos outros, assim como suas virtudes. Inventamos a poderosa e significativa frase: "Vamos amar sempre o que há de melhor nos outros – e nunca ter medo do que eles têm de pior." *** Finalmente começamos a perceber que todas as pessoas, inclusive nós, estão de alguma forma emocionalmente doentes e muitas vezes erradas. Quando isso acontece, nos aproximamos da verdadeira tolerância e percebemos o que significa de fato o verdadeiro amor ao próximo. 1 – Grapevine de janeiro de 1962 2 – Os Doze Passos, pág. 80 NA OPINIÃO DO BILL 204 A formação do caráter Uma vez que a maioria de nós nasce com uma infinidade de desejos naturais, não é de admirar que freqüentemente deixamos que eles excedam seu propósito. Quando nos guiam cegamente, ou quando obstinadamente exigimos que nos proporcionem mais satisfações ou prazeres do que nos são possíveis ou devidos, é nesse ponto que nos afastamos do grau de perfeição que Deus deseja para nós aqui na terra. Essa é a medida de nossos defeitos de caráter ou, se você preferir, de nossos pecados. Se pedirmos, Deus certamente perdoará nossas negligências. Mas em nenhum caso, Ele nos torna brancos como a neve e nos mantém assim sem nossa cooperação. Isso é alguma coisa que supomos estar dispostos a fazer. Ele quer apenas que tentemos, da melhor maneira possível, progredir na formação do caráter. Os Doze Passos, pág. 55 NA OPINIÃO DO BILL 205 Virtude a auto-ilusão Eu costumava me confortar com a crença exagerada de minha própria honestidade. Meus parentes da New England tinham me ensinado a santidade de todos os compromissos e contratos de negócio, dizendo: "A palavra do homem é sua fiança". De acordo com isto, a honestidade nos negócios era sempre fácil; nunca enganei ninguém. Contudo, esse pequeno fragmento de virtude logo ocasionou alguns riscos interessantes. Nunca deixei de desprezar meus companheiros da Wall Street, que costumavam enganar seus clientes. Isso era bastante arrogante, mas a seguinte auto-ilusão ainda foi pior. Minha apreciada honestidade nos negócios tinha agora se convertido numa confortável capa, sob a qual eu ocultava os muitos sérios defeitos que bloqueavam outros setores de minha vida. Estando certo desta virtude, foi fácil concluir que eu tinha todas as outras. Durante muitos anos isso me impediu de dar uma olhada dentro de mim mesmo. Grapevine de agosto de 1961
81

NA OPINIÃO DO BILL 206 Orando pelos outros Mesmo orando sinceramente, ainda podemos cair em tentação. Formamos idéias sobre o que achamos ser a vontade de Deus para com as outras pessoas. Dizemos para nós mesmos: "Este deveria ser curado de sua doença fatal" ou "Aquele deveria ser libertado de sua crise emocional" e oramos para obter estas determinadas coisas. Claro que essas orações representam, no fundo, atos de bondade, mas muitas vezes se baseiam na suposição de que conhecemos a vontade de Deus a respeito da pessoa para quem oramos. Isso significa que, ao lado de uma oração sincera, pode existir em nós uma certa dose de presunção e vaidade. A experiência de A.A. é que, especialmente nesses casos, deveríamos orar para que se faça a vontade de Deus, seja qual for, tanto para os outros como para nós mesmos. Os Doze Passos, págs. 90 e 91 NA OPINIÃO DO BILL 207 O futuro da irmandade "Parece certo que A.A. pode se manter firme em qualquer lugar e em qualquer situação. A.A. cresceu acima de qualquer dependência, que alguma vez poderia ter tido, de personalidades ou esforços de alguns dos membros mais antigos como eu. Vêm surgindo pessoas novas, capazes e vigorosas, aparecendo onde são necessárias. Além disso, A.A. atingiu maturidade espiritual o suficiente para saber que sua verdadeira dependência é de Deus." *** Na verdade, nosso primeiro dever, quanto ao futuro de A.A., é o de manter em plena força o que agora temos. Só o mais vigilante cuidado pode assegurar isso. Nunca deveríamos ser embalados em complacente auto-satisfação, devido a grande aclamação e sucesso que temos em toda parte. Essa é a sutil tentação que poderia nos deixar atônitos hoje, talvez para nos desintegrar amanhã. Temos estado sempre unidos para enfrentar e vencer as falhas e crises. Os problemas têm sido nossos estimulantes. No entanto, como seremos capazes de enfrentar os problemas do sucesso? 1 – Carta de 1940 2 – A.A. Today, pág. 106 NA OPINIÃO DO BILL 208 A razão – uma ponte para a fé Enfrentamos honestamente a questão da fé. Não podíamos evitar a polêmica. Alguns de nós já tinham atravessado a ponte da razão em direção ao litoral da fé, onde mãos amigas se estendiam nos dando as boas-vindas. Ficamos agradecidos pela razão nos ter levado tão longe. No entanto, por algum motivo, não nos atrevíamos a botar o pé no litoral. Talvez estivéssemos dependendo demais da razão e não quiséssemos perder seu apoio.
82

A. Liberta-me da escravidão do ego. Alcoólicos Anônimos. na verdade.Mas sem saber. pág. 69 NA OPINIÃO DO BILL 209 Nunca o mesmo outra vez Descobriu-se que quando um alcoólico plantava na mente de outro a idéia da verdadeira natureza de sua doença. Mas eles não tiveram que chegar a todos os tipos de fundo de poço possíveis para admitir que estavam derrotados. *** 83 . ou pelo constante sofrimento. Naturalmente foi necessário que esses recém-chegados chegassem emocionalmente ao fundo do poço. ele voltaria a nós. com Teu poder. Teu amor e Teu modo de vida. descobrimos que. Remove minhas dificuldades. convencido. 1 – Os Doze Passos. a Ti ofereço minha vida para que a construas e faças dela que for de Tua vontade. tínhamos fé." Depois de algumas dessas experiências. para termos a certeza de que estávamos prontos. 77 NA OPINIÃO DO BILL 211 Alcançando a humildade Percebemos que não precisávamos sempre apanhar e levar cacetadas para ter humildade. lar. Atinge a Maioridade. de maneira objetiva. Que eu possa sempre fazer Tua vontade!" Pensamos bem antes de tomar essas medidas. muitos de nós nos dirigimos a nosso Criador. pág. aqueles dentre nós que ficaram sóbrios em A. pág. essa pessoa jamais voltaria a ser a mesma. por um certo tipo de fé? Não é verdade que acreditávamos em nosso próprio raciocínio? Não é verdade que tínhamos confiança em nossa capacidade de pensar? E não era isso uma espécie de fé? Sim. Após cada bebedeira. ou procurando-a voluntariamente. tínhamos sido fiéis ao deus da razão. como nós O concebíamos: "Deus. Assim. Então. 177 NA OPINIÃO DO BILL 210 Livre da escravidão No Terceiro Passo. *** Nos primeiros anos. casos horríveis e completamente sem esperança. muitas vezes antes do começo de grandes dificuldades. começamos a nos entregar inteiramente a Ele. saúde e posição social. para que minha vitória sobre elas sirva de testemunho àqueles a quem eu ajudaria. a fé estava sempre presente. e mesmos com alguns alcoólicos em potencial. Mas depois começamos a ter sucesso com alcoólicos moderados.A. 15 2 – A. pág. de uma maneira ou de outra. Alcoólicos Anônimos. Ela poderia ser alcançada. não tínhamos sido levados até onde estávamos. eram. Chegavam muitas pessoas que ainda tinham trabalho. Começavam a aparecer pessoas mais jovens. ela diria a si mesma: "Talvez esses AAs tenham razão. a fim de fazer melhor Tua vontade.

começamos a praticar a humildade. Tendo perseverado no resto do programa. enquanto as suas parecem funcionar bem. Para ser vital. reconheceram que apenas tinham se humilhado. pág. eles se voltaram para métodos mais fáceis. perguntaram-me por que recaíram. Reconheceram que apenas tinham perdido seu egoísmo e medo. 1 – Alcoólicos Anônimos. ele vai duvidar que você possa acrescentar alguma coisa ao que ele já conhece. até certo ponto. coragem e honestidade. Talvez ele seja um exemplo de que a fé sozinha não basta. Mas desejará saber por que as próprias convicções não funcionaram. Achamos que a razão é que eles nunca completaram sua limpeza de casa. págs. a fé deve ser acompanhada de auto-sacrifício. 102 e 103 2 – A. Fizeram seu inventário."Em primeiro lugar. de esquecimento de mim mesmo e de estabelecer um verdadeiro parentesco com um outro ser humano de meu próprio tipo. *** O Dr. praticamos a humildade. por mais profundas que sejam sua fé e educação religiosa. Tentando evitar a experiência humilhante do Quinto Passo. 10 NA OPINIÃO DO BILL 213 Complete a limpeza da casa Muitas vezes. porque no fundo a queremos como um modo de vida. essas qualidades não poderiam lhe ter servido muito. Nesse caso. como deveriam ter aprendido. Ele tinha mais do que eu. era de uma profunda deflação e da compreensão que somente um bêbado pode dar a outro. Admita a possibilidade dele saber mais a respeito de religião do que você. Na verdade o que ele mais precisava. altruísmo e ação construtiva." 1 – Os Doze Passos. embora ainda possamos nos revoltar. porque essa é a coisa certa a se fazer. 65 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 212 Fé e ação A educação e o treinamento religiosos de seu provável membro podem ser bem superiores aos que você tenha. os recém-chegados procuram guardar para si mesmos os fatos desagradáveis referentes às suas vidas. Chega então o dia em que. caso contrário ele não estaria solicitando ajuda. Depois de algum tempo. toda sua vida. finalmente livres da revolta. até que contaram a uma outra pessoa. Mas não tinham aprendido a suficiente humildade.A. Bob não precisava de mim para sua orientação espiritual. quando nos encontramos pela primeira vez. O que eu precisava era de humildade. pág. Quase sem exceção se embriagaram. Today. mas continuaram agarrados a alguns de seus piores defeitos. procuramos obter um pouco de humildade. mas chame a atenção dele para o fato de que. 84 . sabendo que morreremos de alcoolismo se não o fizermos.

porque eu não era atleta. toda a verdade. Tinha que ser músico. então você praticamente vai garantir o fracasso. Se você tiver a atitude de que 'devo ser bem-sucedido. Mas se você considerar o empreendimento como apenas uma experiência construtiva..A. pág. parte da verdade ou a falta da verdade pode ser igualmente desagradáveis para nós. Algumas vezes eles estão dizendo toda a verdade. e assim me tornei capitão do time de beisebol. Foi essa espécie de exigência "tudo ou nada" que mais tarde me destruiu. *** "Estou contente porque você vai tentar esse novo trabalho. págs. naturalmente! Mas aprendemos que esses sujeitos não são tão destrutivos assim.A. Se estivermos a seu alcance. Há poucos meios melhores de auto-análise e desenvolvimento da paciência do que a prova a que nos submetem esses membros bem-intencionados." 1 – A.. Se eles estiverem completamente certos.A. porque em meu coração perverso eu me sentia em mim mesmo a última das criaturas de Deus. 49 2 – Carta de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 215 Treinamentos construtivos Existem aqueles em A. mas equivocados. Tinha que ser sempre o líder. fazem acusações para atingir seus alvos – tudo pelo bem de A. Mas esteja certo de que vai apenas 'tentar'.Alcoólicos Anônimos. Tinha que ser líder de minha classe no internato. Doze Conceitos para Serviços Mundiais. pág. então tudo sairá bem. e assim aprendi a tocar violino. não devo falhar. outras vezes somente parte da verdade. Conduzem pela força. 43 NA OPINIÃO DO BILL 216 Depois da "lua-de-mel" 85 . Deveríamos ouvir cuidadosamente o que eles dizem. Tinha que ser o primeiro em tudo. poderemos ignorar isso ou colocar todas as cartas na mesa e tentar convencê-los. a quem gostamos de chamar de nossos críticos "destrutivos". poderemos sentir pena deles por estarem doentes demais para entender e poderemos tentar esquecer todo o assunto. admitindo que estávamos errados. que por sua vez vai garantir sua recaída na bebida. não posso falhar'. porque não podia entoar a melodia mais simples. 85 e 86 NA OPINIÃO DO BILL 214 Apenas tentar Em minha adolescência eu tinha que ser um atleta. Atinge a Maioridade. são "politiqueiros". Caso isso falhe. Não podia aceitar minha profunda sensação de inferioridade. Caso seja tolice. ou mesmo com um pouco da verdade. será melhor então agradecer-lhes e fazer nosso próprio inventário.

nos últimos tempos de nossas pesadas bebedeiras. pág. 76 NA OPINIÃO DO BILL 217 A esperança nascida do desespero Carta ao Dr. Esse sentimento ainda mais se aprofundou. como todas as outras pessoas. Esse conceito foi a base do sucesso que desde então A. É aí que começam os testes. até que ele admita e aceite as coisas como são.A. há uma grande alegria em tudo. a respeito de Rowland H. Há uma nova e poderosa razão para nos manter vivos. É a intimidade alegre com os amigos e um sentimento de que a vida é boa. 1 – Carta de 1954 2 – Os Doze Passos. "No despertar de minha experiência espiritual. qualquer que seja a variedade. têm como denominador comum o profundo colapso do ego. Se cada sofredor levasse a mensagem. ele seria capaz de levar todo recém-chegado de espírito aberto a uma experiencia espiritual transformadora." *** Os sábios sempre souberam que ninguém pode melhorar sua vida até que o autoexame venha a se tornar um hábito regular. ou no mundo lá fora. Carl Jung: "Muitas experiências de conversão. Então os antigos padrões de comportamento reaparecem. Talvez tenham aumentado as dificuldades em casa."Para a maioria de nós. se parecem com uma lua-demel. a um outro. O que revela a extensão de nosso progresso é o modo como reconhecemos e lidamos com esse comportamento. Talvez o grupo nos tenha levado para caminhos diferentes. somos obrigados a carregar nossos fardos. e o profundo sentimento de desespero tinha sido grandemente intensificado por meu médico. Isso tudo é muito bom. e uma dolorosa ilusão de que algum novo controle 86 . Havia um desejo ardente de gozar a vida. "Mas quando a lua-de-mel termina. o dilema tinha sido criado por minha compulsão pela bebida. veio-me uma visão de uma sociedade de alcoólicos. O indivíduo enfrenta um dilema impossível. Mas não foi o que aconteceu conosco. "Em meu caso. Durante algum tempo estamos afastados dos principais problemas da vida. como nunca. tem obtido. Os velhos prazeres desapareceram. e até que tente corrigir o que está errado." Grapevine de janeiro de 1963 NA OPINIÃO DO BILL 218 Felizes – quando somos livres Para a maioria das pessoas normais a bebida significa a libertação da preocupação. do aborrecimento e da ansiedade. de que para o alcoolismo não há esperança no campo cientifico. ou no trabalho. quando meu amigo alcoólico me falou de seu veredito de desespero. os primeiros anos de A.A. com paciência e perseverança.

ficava claro que. para estabelecer nossa primeira relação consciente com Deus. usamos nossas próprias concepções de Deus. ou estou mesmo disposto a acreditar que exista um Poder Superior a mim?' Assim que o indivíduo possa dizer que acredita. a eficiência e mesmo a sobrevivência de A. pág. pág. era disso que precisávamos para dar início a um crescimento espiritual. 257 87 ." Alcoólicos Anônimos. 1 – Alcoólicos Anônimos. 1 – Os Doze Passos. Quando persistimos nisso. 63 e 64 NA OPINIÃO DO BILL 220 Em sociedade À medida que progredíamos espiritualmente. págs. Mas ficou claro que vivíamos criando nossa própria miséria. se esperávamos algum dia nos sentir emocionalmente seguros. como um todo. também significa unidade e sobrevivência para o grupo e para a Irmandade de A. no princípio.A. 157 2 – Alcoólicos Anônimos. pág. alegres e livres. embora em certa época tenha sido exatamente isso para muitos de nós.A. Vimos que precisaríamos sempre dar de nós mesmos. Atinge a Maioridade. Do mesmo modo que o sacrifício significa sobrevivência para o indivíduo. descobrimos que aos poucos as pessoas eram atraídas para nós. para a segurança e bem-estar comum. nós lhe asseguramos enfaticamente. teríamos que desenvolver o hábito de viver em sociedade ou fraternidade com todos que nos cercam. ou esteja disposto a acreditar. poderíamos ser compreensivos e não seriamos tão seriamente afetados. Havia sempre mais uma tentativa e mais um fracasso. *** Estamos certos de que Deus nos quer ver felizes. sempre dependerão de nossa contínua boa vontade de renunciar a nossos desejos e ambições pessoais. 102 2 – A. o que eles poderiam significar para você. teríamos que colocar nossa vida na base do dar e receber.milagroso nos permitisse fazê-lo. como nunca foram antes. mas para crescer tínhamos que começar de algum modo. "Precisávamos nos fazer apenas uma simples pergunta: 'Acredito. No começo.A. que ele está no caminho. Isso era crescimento. *** A unidade. sem esperar nada em troca. ainda que seja em pequeno grau. como nós O concebíamos. 135 e 136 NA OPINIÃO DO BILL 219 Dispostos a acreditar Não permita que qualquer preconceito contra termos espirituais possa impedi-lo de se perguntar. Assim. Mais adiante passamos a aceitar muitas coisas que nos pareciam inteiramente fora de alcance. págs. Portanto. não podemos compartilhar a crença de que esta vida seja necessariamente um vale de lágrimas. E mesmo que elas nos desapontassem. ainda que limitadas.

muitas vezes tentamos jogar a culpa unicamente na outra pessoa envolvida. e o sacerdote responsável pela organização disse: 'Pois bem. uma vez que ela é apenas a passagem para uma nova vida. e especialmente pela demonstração de seus princípios. E assim será para o resto de nossa vida." "Você gostará de saber que os AAs têm superado quase todas as dificuldades a este respeito. no fim. *** Um ministro na Tailândia escreveu: "Levamos os Doze Passos de A. Acho que isso é porque estamos tão certos de que Deus não vai nos abandonar nos momentos difíceis.A. Ele nos salva da chamada morte. onde habitaremos em SUAS muitas mansões. desonestos. se vocês tivessem inserido a palavra 'bem' em seus Passos. os Doze Passos de A. Entretanto. Isso me dá a oportunidade de expressar minha gratidão por sua recuperação em A." Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 222 De quem é a culpa? No Quarto Passo procuramos resolutamente nossos próprios erros. interesseiros e medrosos? Embora uma dada situação não tivesse sido criada inteiramente por nossa falta. ao maior mosteiro budista dessa província.NA OPINIÃO DO BILL 221 Deus não nos abandonará "Acabo de saber que você está suportando magnificamente a adversidade – sendo essa adversidade seu estado de saúde. isso poderia ser ligeiramente mais aceitável." "Certamente Ele não tenciona nos salvar de todos os problemas e da adversidade. na verdade Ele não nos abandonou quando bebíamos. Sim. vocês dizem nesses Passos que é um Deus como cada qual O concebe. Onde tínhamos sido egoístas. Alcoólicos Anônimos. Com respeito a essas coisas. budistas. Humildemente refletiremos que cada um dos princípios de A. Nem. admitimos nossos defeitos honestamente e nos dispusemos a colocar esses assuntos em ordem. certamente serão aceitos pelos budistas daqui.A. esses Passos são excelentes! Para nós. Assim. dando a todos nós. não da outra pessoa.A. 81 NA OPINIÃO DO BILL 223 Uma Irmandade – muitas crenças Como sociedade. em vez de 'Deus'. e isso certamente incluir o bem. de maneira tão inspiradora.' " *** 88 . foi tirado de fontes antigas.A. pág. Finalmente vimos que o inventário deveria ser nosso. que você nos está agora. sei que você tem uma fé muito grande. nunca devemos nos tornar tão vaidosos a ponto de supor que temos sido os autores e inventores de uma nova religião.

Nenhuma sociedade pode funcionar bem sem uma liderança capaz em todos os seus níveis. acalentamos. que era composto por uma grande maioria de protestantes. Quando um líder nos guia pela força excessiva. a idéia de que podemos passar com quase nenhuma liderança pessoal. 27 e 28 2 – Grapevine de janeiro de 1962 89 . soava bem. tentando agradar todos. 1 – Os Doze Passos.A. págs. Um líder no serviço de A. Somos capazes de distorcer a idéia tradicional dos "princípios acima das personalidades". 207 2 – A. a verdade ainda era essa.A. de qualquer maneira. em autômatos impessoais. pág.A. 34 NA OPINIÃO DO BILL 224 Liderança em A. Doze Conceitos para Serviços Mundiais. a tal ponto que não haveria "personalidade" alguma na liderança. *** Meu despertar espiritual foi muito rápido e absolutamente convincente. Essa corajosa filosofia. não pode ser exceção. Atinge a Maioridade. algumas vezes. Precisa ser dito. Atinge a Maioridade. e A. mas quando ele se torna um submisso cumpridor de ordens e não usa nenhum critério próprio – então. Isso redundaria. que nós de A. págs. De repente me tornei uma parte – embora pequenina – de um cosmo que era dirigido pela justiça e pelo amor. mas ainda tinha que passar pela prova de fogo: será que ela realmente funcionava? Uma boa olhada no espelho foi uma suficiente resposta. Atinge a Maioridade. 73 e 74 3 – A. entretanto. na pessoa de Deus. Louis recordaram como o Padre Edward Dowling ajudou a começar o grupo deles. poderia muito bem controlar nossa vida interior e nos garantir sucesso no mundo em que vivemos. págs. 1 – A. pág. Apesar das conseqüências de minha própria obstinação e ignorância. 41 e 42 NA OPINIÃO DO BILL 225 A resposta no espelho Enquanto bebíamos tínhamos certeza de que nossa inteligência.Os membros mais antigos de St.A. é portanto um homem (ou uma mulher) que pode pessoalmente colocar princípios. Essa era minha nova e positiva certeza – e ela nunca me abandonou. na qual cada individuo fazia o papel de Deus.A.A.A. ou de meus companheiros de viagem na terra. ele realmente não é um líder. planos e normas em ação de maneira tão delicada e efetiva que leva o resto de nós a querer apoiá-lo e ajudá-lo em sua tarefa. nós nos revoltamos. mas isso não o perturbava em absoluto. apoiada pela força de vontade.

Relações são rompidas. Os Doze Passos. também Nós. no sentido social. que ocasiona prejuízos físicos. Atinge a Maioridade. não porque quisemos. a nós mesmos. Afinal. Enquanto não falássemos. de maneira prática. poderíamos dizer que é o resultado do choque dos instintos. Achamos que um indivíduo não pensa. 1 – Alcoólicos Anônimos. Vamos nos lembrar de que na verdade só algumas dessas virtudes caíram do céu. emocionais ou espirituais. Afetos são destruídos. então ajustamo-nos com alguma relutância. a sensação de pertencer foi muito emocionante. ainda sofríamos das antigas angústias do ansioso isolamento. às vezes exageramos as virtudes de nossa Irmandade.NA OPINIÃO DO BILL 226 Humildade é para a Irmandade. 200 NA OPINIÃO DO BILL 227 A sobriedade é suficiente? O alcoólico é como um furacão. Finalmente adotamos essas atitudes. com alegria. pág. A. Mas finalmente chegamos a um ponto onde estamos dispostos a concordar. Alguns de nós. o que queremos dizer quando falamos que "prejudicamos" outras pessoas. quando diz que a sobriedade é suficiente. O Quinto Passo foi a resposta. Achamos que o problema de isolamento tinha sido resolvido. 93 2 – Os Doze Passos. de nossos conflitos e ouvíssemos mais alguém fazer o mesmo. principalmente eu. porque achamos que isso era o correto. com os princípios que a experiência. Hábitos egoístas e sem consideração mantêm o lar em tumulto. pág. É como o fazendeiro que saiu de seu esconderijo. Ele foi o começo de uma verdadeira afinidade com o homem e com Deus. Então. Corações são dilacerados. mas porque tivemos que fazê-lo. fomos forçados a elas pelo cruel chicote do alcoolismo. e ao encontrar sua casa destruída. disse para sua esposa: "Não vejo nenhum problema aqui.A. minha velha. 79 NA OPINIÃO DO BILL 228 O começo da verdadeira afinidade Quando chegamos em A. Para começar. Não foi bom a ventania ter passado?" *** Perguntamos. arrastando em seu caminho as vidas dos outros. AAs. nos tem ensinado. pág. pág. mentais. ainda não fazíamos parte. sob a graça de Deus. àqueles que nos cercam. depois do ciclone. à medida que o tempo confirmava que nossos princípios básicos eram certos. 47 90 . e pela primeira vez na vida nos encontramos entre pessoas que pareciam nos compreender. que tipo de "danos" as pessoas causam aos outros? Para definir a palavra "dano". com toda a franqueza. começamos a ficar de acordo. Mas logo descobrimos que embora não estivéssemos mais sozinhos.A.

de forma bem aceitável. felizardas porque sofremos tanto. descobrimos que precisamos de alguma coisa muito melhor. Podemos demonstrar bondade. temos tido realmente antipatia ou ódio delas.A. 1 – Carta de 1949 2 – Palestra de 1959 NA OPINIÃO DO BILL 230 Amam todo o mundo? Poucas pessoas podem afirmar com sinceridade que amam todo o mundo. talvez nos esforçando para compreendê-los e ajudá-los. nenhuma vigilância. a maioria de nós sabe muito bem que essas dádivas são raras. tudo o que encontramos e ainda mais. queremos que encontrem em A. nenhum esforço para preservar a constante eficiência e a força espiritual de A. Unidos.A. Podemos procurar não fazer exigências descabidas àqueles que amamos. que tem sua verdadeira origem em nossa fraternidade nascida de um sofrimento comum e de uma libertação comum. Nós. AAs. A idéia de que podemos amar possessivamente algumas pessoas. Esses atributos e virtudes raramente caem do céu. somos privilegiados por nos comunicar uns com os outros. pela graça de Deus. se for possível. mesmo que seja aos poucos. Com aqueles que não simpatizamos. somos pessoas incrivelmente felizardas. felizardas porque podemos conhecer. Quando eles procuram retornar à fé e à vida. pág. Na verdade. perecemos. *** 91 . Os Doze Passos. desunidos. Assim sendo. Quase todos nós precisamos admitir que temos amado apenas algumas pessoas. a fim de manter nosso equilíbrio. num grau e de uma maneira quase nunca ultrapassada por nossos amigos nãoalcoólicos do mundo que nos rodeia. vivemos. 80 NA OPINIÃO DO BILL 231 Privilegiados por comunicar Todos devem concordar que nós. Quanto às outras – bem. que temos sido indiferentes a muitas. a unidade significa exatamente a mesma coisa para nossa Sociedade como um todo." *** "Devemos pensar profundamente em todos aqueles doentes que ainda virão ao A. tem que ser abandonada. será grande demais para nos pôr inteiramente de prontidão para o dia do regresso deles ao lar". AAs. compreender e amar uns aos outros.A. Nenhum cuidado. ignorar muitas e continuar a temer ou odiar quem quer que seja.NA OPINIÃO DO BILL 229 O dia do regresso ao lar "Assim como a sobriedade significa vida longa e felicidade para o indivíduo. onde antes não tínhamos demonstrado. podemos pelo menos começar a prática da justiça e cortesia.

pois esses minutos e algumas vezes horas gastas com auto-exame conseguem tornar melhores e mais felizes todas as outras horas do dia. mas constante deflação. e não uma coisa rara ou à parte. ele é então a única pessoa que pode tomar a decisão de se esforçar no caminho espiritual. Mas não existe realmente uma diferença essencial. Sozinho e à luz de suas próprias condições.. Na verdade. podem ter a certeza de que ninguém vai se preocupar em comentar que 92 . Cada um de nós se trancou fora da sociedade. Os Doze Passos. enfatiza que o inventário pessoal é difícil. todos os Doze Passos de A. passará a ser tão interessante e proveitosa que o tempo gasto não será perdido. foi. membros. tendo experimentado pouca. Uma vez que essa saudável prática tenha se tornado um hábito. Contudo. nossos inventários passam a ser uma necessidade de nossa vida diária. e isso tem atraído para mim outros com a mesma tendência. 77 NA OPINIÃO DO BILL 234 Prisioneiros libertados Carta a um grupo numa prisão: "Todo A. quando vocês. Os Doze Passos. 30 NA OPINIÃO DO BILL 233 Vida diária A. sentiam uma crescente convicção de que a vontade humana não tem nenhum valor. Trabalhar com eles tem me ajudado bastante.A. fora da prisão. requerem um constante esforço pessoal para se ficar de acordo com seus princípios e. Finalmente. porque muitos de nós realmente nunca tivemos o hábito de fazer uma meticulosa auto-análise. pág. Ficamos convencidos.A."* 1 – Grapevine de outubro de 1959 2 – Carta de 1954 *Bill acrescentou que não tem depressão desde 1955 NA OPINIÃO DO BILL 232 O valor da vontade humana Muitos recém-chegados. de que além do álcool muitos outros problemas não vão ser resolvidos apenas pela vontade do indivíduo.Eu costumava me envergonhar de minha situação e não falava sobre isso." "Portanto. a sociedade também construiu uma muralha a seu redor. ele precisa desenvolver a boa vontade. É usar corretamente essa faculdade. com a vontade de Deus. pág. num certo sentido. um prisioneiro. esse é um fato que praticamente todos os AAs agora reconhecem. ingressarem no mundo de A. assim esperamos. e com razão. Tudo para vocês tem sido mesmo muito difícil. Quando adquire boa vontade.A. há certas coisas que o indivíduo sozinho pode fazer.A. no caso de vocês. Mas hoje confesso francamente que tenho tendência à depressão. cada um conheceu o estigma social. Tentar fazer isso é na verdade um ato de sua própria vontade.

que vamos superando esses problemas. nós. é claro.A. seres humanos. na humildade. precisamos viver e crescer no domínio do relativo. queremos obter somente o tanto de perfeição que possamos alcançar na vida. Mas vemos. aqui ou no além? A vontade de ganhar nos levaria para frente. para o dia de hoje. do que a comodidade ou o sucesso"." *** "As dificuldades mentais e emocionais são às vezes muito difíceis de se tolerar." Os Doze Passos. Lutamos erradamente por um objetivo auto-determinado. 1 – Grapevine de junho de 1961 2 – Os Doze Passos. de acordo. *** Poucos de nós podem estar prontos. 57 e 58 NA OPINIÃO DO BILL 237 Nenhuma ordem é dada 93 . págs. Com a chegada do sucesso material. seres humanos. em vez de lutar pelo objetivo perfeito que é aquele que pertence a Deus. Isso era animador e nos fazia felizes. Só Deus pode Se manifestar no absoluto. rápida ou facilmente. pág. podemos apenas vislumbrar o significado e o esplendor desse perfeito ideal. o que constitui na verdade uma prova de vida de A. Assim sendo. achamos que estávamos ganhando no jogo da vida. no decorrer do tempo. que reencontramos." "Por que deveríamos nos preocupar com abstrações teológicas e deveres religiosos ou com o estado de nossas almas. Finalmente. buscamos o progresso. com as mais variadas idéias que tenhamos sobre o que nos é necessário. O que estão tentando ser – não o que foram – é tudo o que importa para nós.A." "Então o álcool começou a nos dominar. No máximo. quando todos os nossos cartões de contagem de pontos marcavam 'zero' e vimos que mais um golpe nos poria fora do jogo para sempre. não podemos ter humildade absoluta. tivemos que buscar nossa fé perdida.vocês cumpriram pena. Foi em A. enquanto estamos tentando manter a sobriedade. 1 – Carta de 1949 2 – Carta de 1964 NA OPINIÃO DO BILL 235 Em busca da fé perdida Muitos AAs podem dizer a uma pessoa sem fé: "Fomos desviados da fé que tínhamos quando crianças. A adversidade nos dá uma maior oportunidade de crescer. 20 NA OPINIÃO DO BILL 236 Perfeição – apenas o objetivo Nós. mesmo para olhar em direção à perfeição moral e espiritual.

"Qual é o remédio? Bem. As Doze Tradições. Quando colocamos nosso trabalho num plano material. e uma ainda melhor nos Doze Passos de recuperação de A.A. até que suas necessidades materiais sejam satisfeitas. Mas às vezes proporcionamos a um novo provável membro essas mesmas coisas – quando se torna claro que ele está disposto a colocar a recuperação em primeiro lugar.A. e fazê-lo cumprir. Quem são vocês para julgar?" Isso não significa que um A. Tentamos fazer isso muitas vezes. Ele continua a insistir que não pode vencer o álcool. Ele simplesmente se recusa a receber ordens. Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 239 Quando e como dar As pessoas que clamam por dinheiro e abrigo. simplesmente não paramos de beber. Alcoólicos Anônimos.A. vamos ter que dar uma boa olhada em nós mesmos.A. nem o mais humilde comitê de grupo pode dar uma única ordem a um membro de A.Nem a Conferência de Serviços de A. como uma condição para sua sobriedade. Quando virmos como muitos de nossos companheiros de A. o alcoólico começa a confiar mais em esmolas do que num Poder Superior e no grupo de A. Grupos já tentaram expulsar membros. por causa de sua excessiva exigência de atenção e simpatia. Bobagem! Alguns de nós sofreram duros golpes para aprender a seguinte verdade: com ou sem trabalho. É um entrave a todo progresso espiritual e pode interromper toda comunicação eficiente com nossos semelhantes. não receba conselhos ou sugestões de membros mais experientes. materialmente.A. é assunto meu. nem sua Junta de Custódios. 106 94 . estão no caminho errado. de outras pessoas antes de depender de Deus. dizendo: "Isso para nós é a vida. doentemente. mas quando e como dar. enquanto dependermos. com ou sem esposa. pág. A questão não é se vamos dar ou não. e muito menos puni-lo. vocês não podem nos manter de fora.. estaremos inspirados para tentar em nós mesmos esses princípios tão úteis à vida." Comitês instruíram muitos AAs a deixarem de trabalhar com aquele que não pára de recair e obtiveram deles apenas esta resposta: "Como faço o trabalho do Décimo Segundo Passo. mas os que foram expulsos voltaram às reuniões.A. usaram os Passos para vencer grandes sofrimentos e adversidades. É uma forma piegas de martírio ao qual nos damos ao luxo. pág. 54 NA OPINIÃO DO BILL 238 O martírio da embriaguez "A autopiedade é um dos mais infelizes e desgastantes defeitos que conhecemos. mas o resultado foi sempre um absoluto fracasso.

de minha parte. 87 2 – Os Doze Passos." "Em outros setores. etc.." Carta de 1959 NA OPINIÃO DO BILL 242 Solte-se completamente Depois do fracasso. pág. *** O bom-senso vai sugerir que deveríamos ganhar tempo. mas que não fique afetada. contamos para uma outra pessoa que vai compreender. A maioria dos palestrantes não agüenta muito tempo. sabemos que desses extremos. 1 – Alcoólicos Anônimos. "e lhes dê primeiro os duros fatos médicos. mas sempre ter consideração pelos outros. Acho que a tendência é em direção ao meio-termo." *** 95 . fazendo espetaculares 'roteiros de palestra' para bancar o importante. Aquelas partes de nossa vida causaram danos. respeitando seus amigos AAs. Isso pode acalmá-los tão profundamente que possam vir a querer fazer qualquer coisa para ficar bem. o anonimato é levado ao ponto de verdadeiro absurdo. "Pare de lhes pregar sermões". o Dr. Os membros se comunicam tão pouco." "Entretanto. Embora possamos estar inteiramente dispostos a revelar o pior. É como se fosse uma cela subterrânea. No princípio pode ser imprudente revelar certos episódios desagradáveis. mas ter consideração pelos outros Não podemos revelar às nossas esposas ou pais alguma coisa que os faça sofrer ou os torne infelizes. que não sabem nem mesmo o sobrenome dos outros e nem onde moram. ao fazer reparações a nossos familiares.A. Então poderão aceitar aquelas suas idéias espirituais e ainda um Poder Superior. de querer que alguns bêbados parassem de beber. e os exageradamente anônimos são capazes de sair do esconderijo. pág. Silkworth dizia. que é provavelmente onde deveríamos estar. Não temos o direito de salvar nossa pele à custa deles. Silkworth novamente me fez lembrar a observação do professor William James de que a verdadeira transformação ocasionada pelo despertar espiritual quase sempre se baseia numa calamidade e colapso. aos poucos nos colocamos no meiotermo. 73 NA OPINIÃO DO BILL 241 No meio termo "Em alguns setores de A. devemos lembrar que não podemos adquirir nossa paz de espírito à custa dos outros. A regra é que devemos ser duros com nós mesmos. o Dr. É difícil evitar que os AAs gritem demais diante do público em geral. seus colegas de trabalho. vemos exatamente o contrário.NA OPINIÃO DO BILL 240 Duros com nós mesmos.

pedindo que durante todo o dia nos seja mostrado qual o próximo passo a ser dado. podemos utilizar nossas faculdades mentais com segurança. *** Não permitamos nunca que A. 1 – Grapevine de janeiro de 1958 2 – A. pág. Livres deles. individualmente.A. 12 2 – Alcoólicos Anônimos. pág. págs. humildade) em nossas relações com nós mesmos. mas bem-sucedidos testes.A. em todos esses assuntos. quando começarmos a clareá-los. atendam o chamado de cada um dos campos da atividade humana. o mundo nos recebeu de volta em sua cidadania. especialmente que eles sejam desligados da autopiedade e dos motivos desonestos ou de interesse próprio. Atinge a Maioridade.Pedimos que você seja destinado desde o início. fazemos isso com calma e muitas vezes ficamos surpresos ao ver como chegam as respostas certas. Se temos que decidir qual dos dois caminhos tomar. Daí relaxamos. eliminando os motivos errados. 1 – A. pág. sempre que exista algo de bom que possa ser realizado. a severos. pouco depois de termos tentado isso. Alguns de nós procuramos nos agarrar às nossas antigas idéias.A. que têm submetido a "cura das bebedeiras" de A. Geralmente concluímos nossa meditação com uma oração. pensemos nas próximas vinte e quatro horas. especialmente que sejamos libertados da vontade própria. 208 NA OPINIÃO DO BILL 245 Combate sem ajuda 96 . descobrem que ainda lhes falta sobriedade emocional. quando ela for útil e valiosa para o mundo que nos rodeia. Devemos permitir a eles que levem a experiência e o espírito de A. devemos desenvolver uma maturidade e equilíbrio verdadeiros (quer dizer. quando esta nos causar danos.A. Atinge a Maioridade. pedimos a Deus inspiração. seja uma entidade fechada. Alcoólicos Anônimos. 73 NA OPINIÃO DO BILL 243 PENSAMENTOS MATINAIS Ao acordar. nunca devemos negar nossa experiência. e o resultado foi nulo – até que nos deixamos conduzir completamente. Nossos pensamentos estarão num nível mais alto. 96 e 97 NA OPINIÃO DO BILL 244 Em direção à maturidade Muitos membros mais antigos. Pedimos para Deus dirigir nossos pensamentos.A. Para obter isso. com nossos semelhantes e com Deus. Devemos permitir que nossos membros. porque não somente Deus nos salvou do alcoolismo. pois Deus nos deu a cabeça para ser usada. um pensamento intuitivo ou uma decisão.

Lutam contra seu mais profundo instinto. 54 2 – Carta de 1965 NA OPINIÃO DO BILL 247 Você já experimentou? "Uma vez que se supõe que a mente aberta e o experimento sejam os atributos indispensáveis de nossa civilização 'científica'. "Essas experiências não podem nos tornar íntegros de uma vez. por congelamento. pág. seu poderoso instinto de viver pode cooperar plenamente com o desejo de seu Criador de lhes dar uma nova vida. 14 2 – A. parece estranho que tantos cientistas se recusem a provar pessoalmente a hipótese de que Deus veio primeiro e o homem depois. só por meio de seus próprios recursos. É um fato estatístico que os alcoólicos quase nunca se recuperam. pág. assaltados pelo tirano álcool. o conceito de Deus provou ser uma base melhor para a vida do que o conceito que está centralizado no ser humano.A. Escapando da morte. fora de toda proporção a qualquer processo de disciplina. e a temperatura baixou para 20 graus negativos. Contrariando seu desejo instintivo de auto-preservação. *** A caminho de Point Barrow. Saiu para procurar combustível e logo avistou um tambor vazio de óleo. 1 – Os Doze Passos. Preferem acreditar que o homem é um produto acidental da evolução.Na verdade. eles estavam tão bêbados que deixaram o fogo apagar. cometem um ato totalmente contra a natureza. Embaixo do gelo. venceram o combate sem ajuda. dois prováveis membros saíram juntos e levaram com eles uma barraca e uma caixa de uísque. O tempo ficou ruim. no Alaska.A. que Deus. Aqui. pág. a ponto de destruir suas vidas. À medida que vão progressivamente se humilhando pela terrível surra administrada pelo álcool. o Criador. cheio de água congelada. a graça de Deus pode penetrar neles e expulsar sua obsessão. ele avistou um objeto amarelo-avermelhado. A lenda diz que ele se tornou o fundador de um de nossos grupos mais longínquos do norte. Um deles leu o livro e parou de beber. Eles descongelaram o tal objeto. 75 NA OPINIÃO DO BILL 246 O instinto de viver Quando homens e mulheres ingerem tanto álcool. Atinge a Maioridade. crença e fé. "Só posso informar que experimentei os dois conceitos e que. poucos são aqueles que. *** "A característica central da experiência espiritual consiste em dar a quem a recebe uma nova e melhor motivação. em meu caso. parecem estar inclinados à autodestruição. não existe." 1 – Os Doze Passos. 97 . e era um livro de A. um deles acordou a tempo de reacender o fogo. constituem um renascimento a uma nova e verdadeira oportunidade.

"Entretanto, eu seria o primeiro a defender seu direito de pensar, como melhor lhe pareça. Simplesmente faço esta pergunta: 'Em sua própria vida, já tentou realmente pensar e atuar como se pudesse existir um Deus? Você já experimentou?'" Carta de 1950 NA OPINIÃO DO BILL 248 Precisamos de ajuda de fora Era evidente que uma auto-avaliação, feita a sós, e admissão de nossos defeitos, baseada só nessa avaliação, nem de longe seriam suficientes. Tínhamos que ter ajuda de fora, se quiséssemos saber e admitir a verdade a nosso respeito – a ajuda de Deus e de um outro ser humano. Somente através de uma discussão sobre nós mesmos, sem esconder nada, somente com a disposição de seguir conselho e aceitar orientação, poderíamos caminhar em direção ao pensamento correto, à honestidade sólida e à verdadeira humildade. *** Se estivermos enganando a nós mesmos, um conselheiro competente pode ver isso rapidamente. E, à medida que ele habilmente nos afasta de nossas fantasias, ficamos surpresos ao descobrir que temos poucos dos costumeiros ímpetos de nos defender das verdades desagradáveis. De nenhuma outra forma podem desaparecer prontamente o medo, o orgulho e a ignorância. Depois de um certo tempo, percebemos que estamos colocados, numa nova e firme base para a integridade, e agradecidos damos crédito a nossos padrinhos, cujos conselhos nos indicaram o caminho. 1 – Os Doze Passos, pág. 49 2 – Grapevine de agosto de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 249 Dádivas de Deus Percebemos que o sol nunca se põe para a Irmandade de A.A.; que mais de trezentos e cinqüenta mil pessoas agora se recuperam de sua doença; que começamos em toda parte a transpor as enormes barreiras de raça, credo e nacionalidade. Essa certeza de que tantos de nós têm sido capazes de encontrar nossas responsabilidades, sobriedade, crescimento e eficiência no confuso mundo em que vivemos, certamente nos dará a mais profunda alegria e satisfação. Mas, como pessoas que sempre aprenderam pelo modo mais difícil, com certeza não vamos nos felicitar. Temos que saber que esses bens são dádivas de Deus, que em parte se combinaram com uma crescente boa vontade de nossa parte de descobrir e fazer Sua vontade para conosco. Grapevine de julho de 1965

98

NA OPINIÃO DO BILL 250 Oração nos momentos de tensão Quando me sinto sob grandes tensões, prolongo minhas caminhadas diárias e repito lentamente nossa Oração da Serenidade, ao ritmo de meus passos e respiração. Se sinto que meu sofrimento foi em parte causado pelos outros, tento repetir: "Deus, concedei-me a serenidade para amá-los mais e nunca ter medo daquilo que eles têm de pior". Esse benéfico processo curativo de repetição, que às vezes precisa durar alguns dias, raramente deixou de me restituir pelo menos uma perspectiva viável e equilíbrio emocional. Grapevine de março de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 251 Aceite o inevitável "Não se sinta tão desencorajado a respeito dessa recaída. Praticamente sempre, nós, os bêbados, aprendemos a duras penas. "Sua idéia de mudar-se para outro lugar pode ser boa ou pode não ser. Talvez você tenha entrado em dificuldades econômicas ou emocionais que não podem ser resolvidas onde você está. Mas talvez você esteja fazendo justamente o que todos nós já fizemos, em certas ocasiões: talvez você esteja fugindo. Por que você não procura pensar nisso, com cuidado, novamente? "Você está realmente pondo a recuperação em primeiro lugar ou está fazendo com que ela dependa de outras pessoas, lugares ou circunstâncias? Você pode achar muito mais fácil aceitar o inevitável, onde está agora e, com a ajuda do programa de A.A., sair vitorioso. Pense bem nisso antes de tomar uma decisão." Carta de 1949 NA OPINIÃO DO BILL 252 Já não estamos sozinhos O alcoolismo significava solidão, embora estivéssemos cercados de pessoas que nos amavam. Mas quando nossa prepotência afastou todo o mundo e nosso isolamento foi completo, começamos a bancar o importante em botequins de última categoria. Quando também isso acabou, tivemos que perambular, sozinhos, pela rua para depender da caridade dos transeuntes. Ainda procuramos encontrar a segurança emocional, dominando ou nos fazendo dependentes dos outros. Mesmo quando nossa sorte não era das piores, não obstante nos encontramos sozinhos no mundo. Ainda inutilmente procuramos obter segurança, através de algum tipo de domínio ou dependência. Para aqueles de nós que eram assim, A.A. teve um significado muito especial. Nessa irmandade começamos a aprender a nos relacionar bem com as pessoas que nos compreendem; não temos mais que estar sozinhos. Os Doze Passos, pág. 103 NA OPINIÃO DO BILL 253 "Olhar antes de saltar?"
99

"Os homens e mulheres sábios dão, com razão, um grande valor à virtude da prudência. Eles sabem que, sem esse importantíssimo atributo, pouca sabedoria terão. "Não basta apenas 'olhar antes de saltar'. Se nosso olhar for cheio de medo, suspeita ou raiva, teria sido melhor não ter olhado nem agido." *** "Perdemos o medo de tomar decisões, grandes ou pequenas, quando compreendemos que, no caso de nossa escolha ser errada, podemos aprender, se é que podemos, com a experiência. No caso de nossa decisão ser a certa, podemos agradecer a Deus por nos dar a coragem e a graça que nos permitiram agir desse modo." Cartas de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 254 Satisfações de uma vida correta Como é maravilhoso sentir que não temos que ser especialmente diferenciados de nossos companheiros, a fim de ser úteis e profundamente felizes. Poucos de nós podem ser líderes proeminentes, nem queremos ser. O serviço prestado com prazer, as obrigações honestamente cumpridas, os problemas bem aceitos ou resolvidos, com a ajuda de Deus, o conhecimento de que, tanto no lar como no mundo lá fora, somos companheiros num esforço comum, o fato de que, perante Deus, todos os seres humanos são importantes, a prova de que o amor, livremente oferecido, na certa traz um total retorno, a certeza de que não mais estamos isolados e sozinhos em prisões autoconstruídas, a segurança de que podemos nos adaptar e fazer parte do esquema de coisas criadas por Deus – essas são as satisfações de uma vida correta, que não poderiam ser substituídas por nenhuma pompa ou grande quantidade de riquezas materiais. Os Doze Passos, pág. 110 NA OPINIÃO DO BILL 255 Uma compreensão mais ampla Para alcançar mais alcoólicos, será necessário que a compreensão de A.A. e a boa vontade pública, em relação ao A.A., comecem a crescer em toda parte. Precisamos ainda nos relacionar melhor com a medicina, religião, empregadores, governos, tribunais, prisões, hospitais psiquiátricos e todas as entidades ligadas ao campo do alcoolismo. Precisamos da boa vontade, cada vez maior, por parte dos editores, escritores, televisão e rádio. Esses meios de publicidade – local, nacional e internacional – deveriam tornar-se cada vez mais acessíveis. *** Nada é mais importante para o futuro bem-estar de A.A. do que a maneira pela qual utilizamos o colosso dos modernos meios de comunicação. Usados bem e com altruísmo, podem produzir resultados que ultrapassem nossa imaginação. Se usarmos mal esse grande instrumento, seremos destruídos pelas manifestações egoístas de nossa própria gente. Contra esse perigo, o anonimato
100

Agora ficou claro que as únicas características especiais de minha experiência foram a rapidez dela e a convicção imediata e irresistível que ela trouxe. Como vocês vêem. 1 – Doze Conceitos para Serviços Mundiais. em nossa conversa houve total reciprocidade. pág. insisti muito na impossibilidade da medicina fazer algo em seu caso. Apesar do Dr. Silkworth descreveu o dilema do alcoólico: "a obsessão mais a alergia". A única coisa que importa é que ele é um alcoólico que encontrou a chave da sobriedade. Sabia que eu precisava desse alcoólico como ele precisava de mim. só posso me sentir muito agradecido. e no princípio foi natural eu sentir que essa experiência me fazia sobressair como alguém muito especial. isso era novo para ele. de seu grau de instrução. Grapevine de julho de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 257 A chave da sobriedade A incomparável capacidade de cada A. a única diferença é que ele se torna ciente de sua dádiva. perante o público em geral. que tenha praticado arduamente nosso programa de recuperação. Certamente a graça que ele recebe é também de Deus. *** Em minha primeira conversa com o Dr. igual àquela recebida por qualquer membro de A. 33 e 34 2 – A.A. é nosso escudo e nossa proteção. 1 – As Doze Tradições. Bob ser médico. Eu tinha abandonado a pregação. A estes pode ser sugerido que um exame consciente 101 . 54 2 – Grapevine de novembro de 1960 NA OPINIÃO DO BILL 256 Uma experiência "especial" Fui o receptor de uma grandiosa experiência mística ou "iluminação". em todos os outros aspectos. abrandou o golpe. em essência. usando sem receio as palavras com que o Dr.A. porque acham que seus próprios defeitos de caráter não tinham sido tão flagrantes. Bob. Entretanto. E o fato de eu ser um alcoólico e saber por experiência própria o que estava falando. 63 NA OPINIÃO DO BILL 258 Sob a superfície Alguns farão objeção a muitas das perguntas que deveriam ser respondidas num inventário moral. de se identificar com o recém-chegado e levá-lo a se recuperar não depende.dos membros de A.. eram más notícias. eloqüência ou qualquer outra capacidade especial. pág.A. de forma alguma. mais gradualmente. Mas ao relembrar agora esse grandioso acontecimento.A. estou certo de que minha própria experiência foi. Atinge a Maioridade. págs.

no mesmo instante vem à tona nosso traço perverso de temperamento e procuramos nos convencer de que isso não é verdade. mas importava muito qual era nossa condição espiritual. existe uma inteligência criadora. orientadora e todo-poderosa. Atinge a Maioridade. de modo algum. 65 NA OPINIÃO DO BILL 261 "Pesquisa corajosa" 102 . 43 e 44 NA OPINIÃO DO BILL 259 Servidor. Conforme melhoramos nossa perspectiva espiritual. para esse homem. Não temos nenhuma razão para duvidar disso. como o contemplamos.A. pág. em velocidade incrível. págs.A. descobrimos que não importava tanto qual era nossa condição econômica. *** Um dos Membros Solitários de A. ele tinha que ir à cidade num determinado mês do ano Mas quando soube que ia ser realizado um grande encontro regional de A. significaria que a vida se originou do nada. págs. Entretanto. Ele veio a ser um meio de troca de amor e serviço.A. quando é sugerida a hipótese perfeitamente lógica. A prosaica trave de aço é uma massa de elétrons. quando os preços de lã teriam baixado.200 quilômetros da cidade mais próxima. não amo Em A. que nada significa e que não leva a nada. ao descobrir que isso se deve simplesmente ao fato de termos enterrado esses mesmos defeitos no mais profundo de nosso ser. Eis o quanto significava uma reunião de A. em data posterior. pág. sob grossa camada de auto-justificação. girando uns ao redor dos outros. 27 e 28 NA OPINIÃO DO BILL 260 Realidade interior À medida que a humanidade estuda o mundo material. ficamos muitas vezes embaraçados. com aqueles que nos cercam. nos é constantemente revelado que sua aparência exterior não é.A. A fim de conseguir melhores preços. Assim nos diz a Ciência.A. Se fosse certa nossa argumentação. Alcoólicos Anônimos. 108 2 – A.provavelmente vai revelar justamente os defeitos relacionados com as perguntas rejeitadas.. Pelo fato de nossa história não parecer tão ruim. onde anualmente ele vende sua lã. é um pastor de ovelhas australiano. de que além do mundo material. 1 – Os Doze Passos. Os Doze Passos. a realidade interior. ele assumiu feliz um prejuízo financeiro para então fazer sua viagem. aos poucos o dinheiro se transformou em nosso servidor e não em nosso amo.. que vive a 3. e esses pequenos corpos são governados por leis precisas. na superfície. Esses foram os defeitos que nos levaram finalmente ao alcoolismo e à miséria.

conforme o caso se apresente. porque estamos certos de que nossa sociedade perecerá se assim fizermos. Ele era tão real como éramos nós. 1 – Grapevine de junho de 1958 2 – Os Doze Passos. minha confissão dos defeitos tem sido mais de queixas. não é considerada uma excepcional virtude.Minha auto-análise tem sido freqüentemente falha. em lugar dos meus. em relação aos assuntos públicos de nossos tempos.A. À medida que persistimos. sugere um destemido inventário moral. e a sensação de alívio com a qual finalmente nos deparamos é incrível. pág. em alta voz. o orgulho diz: "Você não precisa percorrer esse caminho. *** Quando A. Nem essa aversão significa que os membros de A. estão deixando de cumprir suas responsabilidades individuais como cidadãos." e o medo diz: "Não se atreva a olhar!" Mas o orgulho e o medo desse tipo não passam de bichos-papões. Cada vez que ele tenta olhar para dentro de si.A. ou com quem quer que seja. 40 NA OPINIÃO DO BILL 262 Responsabilidades individuais Vamos enfatizar que nossa aversão à disputa de uns com os outros. que dá direito aos AAs de se sentirem superiores às outras pessoas. Como grupo. Nesse caso eles deveriam se sentir livres para agir como acham que é certo. 1 – Grapevine de janeiro de 1962 103 . Uma vez que façamos inventário com toda a boa vontade e nos esforcemos para fazê-lo minuciosamente. mas Ele estava ali. Mas em se tratando de A. não entramos em controvérsia pública. estarmos gravemente enfermos ou em qualquer situação de séria insegurança. acerca de minhas circunstâncias e meus problemas. Encontramos a Grande Realidade no mais profundo de nosso ser. 54 NA OPINIÃO DO BILL 263 Medo e fé A conquista da libertação do medo é uma tarefa para toda a vida. Somente os que enganam a si mesmos alegam que estão totalmente livres do medo. todos nós vamos reagir a essa emoção – bem ou mal. *** Finalmente vimos que a fé em alguma forma de Deus era parte de nosso ser. outras vezes tenho confessado os defeitos delas. e ainda outras vezes. Às vezes tenho deixado de compartilhar meus defeitos com as pessoas certas. As Doze Tradições. nasce um tipo de confiança totalmente novo.. isso deve parecer a todo recém-chegado que lhe estamos pedindo mais do que ele é capaz de fazer.. é algo que nunca pode ficar completamente concluído. como um todo. pág. Algumas vezes tivemos que procurá-Lo persistentemente. a coisa é bem diferente. Ao sermos duramente atacados.A. uma luz maravilhosa invade essa cena nebulosa.

Não podemos ainda lidar com a vida como ela é. se tentarmos arduamente e trabalharmos sempre nele. maridos. Recusávamos aprender que a dependência exagerada das pessoas não dá certo.A. nem auto-suficiência Quando insistíamos. Enquanto fizermos exatamente como achamos que Ele quer que façamos e humildemente confiarmos Nele. Sabemos que não estamos fazendo o bem. *** Estamos agora numa base diferente: a base da confiança e da dependência de Deus. em nossa prática e desenvolvimento espirituais. como crianças. especialmente quando nossas exigências. Não era fácil suportar nossa desilusão. esposas. Qual é ela. e não em nossos seres finitos. embora adultos na idade. até o próprio mundo – em pais protetores. o suficiente. 102 2 – Alcoólicos Anônimos. 71 NA OPINIÃO DO BILL 264 O passo que nos mantém crescendo Algumas vezes. – prece. Já não percebíamos que. Os outros Passos podem manter muitos de nós sóbrios e de certa forma atuando. tentando transformar todos – amigos. Mas o Décimo Primeiro Passo pode nos manter crescendo. pág. estávamos ainda nos comportando de maneira infantil. Grapevine de junho de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 265 Nem dependência. As pessoas que mais amávamos muitas vezes nos repeliam ou nos abandonavam por completo. sabemos melhor o que se passa dentro de nós. em relação ao Décimo Primeiro Passo de A. porque todas as pessoas são falíveis. em que as pessoas nos protegessem e cuidassem de nós ou em que o mundo deveria nos dar uma vida melhor. então o resultado era desastroso. 82 NA OPINIÃO DO BILL 266 Dar graças Embora eu ainda encontre dificuldade para aceitar a dor e a ansiedade de hoje com um certo grau de serenidade – como aqueles que estão mais avançados na 104 . meditação e a orientação de Deus. 1 – Os Doze Passos. pág. e até a melhor delas muitas vezes vai nos desapontar. Em alguma parte deve haver uma falha séria.2 – Alcoólicos Anônimos. se tornarem irracionais. Ele é capaz de nos ajudar a enfrentar a calamidade com a serenidade. quanto à atenção. então? O mais provável mesmo é que localizemos nossa dificuldade em nossa falta de compreensão ou negligência. Confiamos no Deus infinito. pág. quando os amigos nos dizem o bem que estamos fazendo.

muitas vezes me considerei a vítima do que as outras pessoas dizem e fazem. Atinge a Maioridade. que nunca devo ficar com raiva devido às injustiças de uma pessoa doente. pág.. Se não há nenhuma. "Com muita dificuldade. depois de algum tempo em A. posso agradecer a dor atual. que tanto têm enfatizado a necessidade de se pesquisar as motivações falsas e muitas vezes inconscientes. Portanto. É tarefa do psiquiatra encontrar as causas mais profundas de nossa conduta. tenho procurado sempre perdoar as outras pessoas e a mim mesmo. principalmente daquelas cujos pecados eram diferentes dos meus. *** "O crescimento espiritual. primeiro pergunto a mim mesmo se há alguma verdade no que foi dito. as descobertas da psiquiatria. se alguém fala mal de mim. através da prática dos Doze Passos de A. Encontro disposição para fazer isso.vida espiritual parecem poder aceitá-las – entretanto. e conseqüentemente. Você recentemente tem tentado fazer isso?" Carta de 1946 105 ." 1 – A. deveríamos buscar. somos campeões em fabricar desculpas e racionalizações. procuro me lembrar de que também tive períodos em que falava amargamente dos outros. Entretanto. Apesar de não ter instrução em psiquiatria. podemos.A. descobri que as coisas só pioraram. agora. mais a ajuda de um bom padrinho. geralmente podem revelar a maioria das razões mais profundas de nossos defeitos de caráter. que o falatório maligno é apenas um sintoma da permanência de nossa doença emocional. a dor da revolta e o orgulho frustrado com freqüência me levaram à graça de Deus. deveríamos ser gratos a nossos amigos. ver que nossos motivos não têm sido o que pensávamos que fossem e que têm sido causados por forças desconhecidas para nós. ao recordar as lições aprendidas através do sofrimento passado – lições que têm me levado às bênçãos que agora desfruto. bêbados. com o mais profundo respeito. Meu próprio ressentimento e minha autopiedade muitas vezes me tornaram quase inútil para todos. Posso recordar como as agonias do alcoolismo. pelo menos a um grau que satisfaça nossas necessidades práticas. Grapevine de março de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 267 Na retaguarda de nossas desculpas Nós. Mas todas as vezes que eu confessei os pecados dessas pessoas. "Assim sendo. interesse e benefício. e em conseqüência a uma nova liberdade.A.A.. 212 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 268 Aquelas outras pessoas "Assim como você. no campo da psiquiatria.

Os fundadores locais e seus amigos estão agora de lado. 106 . já são adultos.A. "Mas quando a infância termina. Todo nosso desenvolvimento espiritual pode ser medido. pode ser expressado em apenas duas palavras: humildade e responsabilidade.A. com precisão. pág. como ele pode concebê-Lo. Sua recuperação não depende das pessoas.A. os grupos de A. e até que ponto? Como reagi a essas situações. A. 41 2 – Alcoólicos Anônimos. é possível que não o façam. para assim me absolver? Como reagi à frustração em assuntos sexuais? Quando rejeitado. começa." 1 – Carta de 1950 2 – Carta de 1949 NA OPINIÃO DO BILL 270 Honestidade e recuperação Ao fazer inventário. Por que tanta gente esquece isso." *** Carta ao Dr. vamos entregá-lo para eles. 107 NA OPINIÃO DO BILL 271 A. nunca vou entender. Bob: "Em todos os lugares.A. De qualquer modo. como por exemplo: Como minha busca egoísta de relação sexual prejudicou outras pessoas e a mim mesmo? Quais as pessoas prejudicadas. conforme nosso grau de adesão a esses magníficos padrões. em duas palavras "Todo o progresso de A. eu me tornava vingativo ou deprimido? Eu desforrava nas outras pessoas? Se houvesse rejeição ou frieza em casa. Não obstante.NA OPINIÃO DO BILL 269 Quando a infância termina "Você deve recordar que todo grupo de A. colocaram as atividades de serviço em suas próprias mãos. "Eventualmente os grupos pegam a direção e talvez esbanjem sua herança quando a recebem. usava isso como desculpa para a promiscuidade? *** Que nenhum alcoólico diga que não pode se recuperar. Não existe outro modo. os primeiros líderes têm que abrir caminho para essa democracia que surge das raízes e eventualmente se coloca de lado a liderança auto-eleita do passado. quando pensa no futuro de nossos serviços mundiais. como deveria. na ocasião? Eu me consumi com sentimentos de culpa? Ou insisti em que era o perseguido e não o perseguidor. lhes pertence. a não ser que ele tenha sua família de volta. 1 – Os Doze Passos. pág. através dos esforços de uma só pessoa e de seus amigos – um fundador e sua hierarquia. um membro poderia considerar questões.A. Ela depende de sua relação com Deus.

nós. tanto no ser como no atuar. parece sugerir. senão ele nos mata! Alcoólicos Anônimos. aparentemente sem provocação. pág. tanto os custódios como os secretários descobriram que não poderiam fazer nada mais do que dar leves sugestões aos grupos de A. *** Você poderia pensar que as pessoas na sede de A. interesse próprio e auto-piedade.A.A.A. e eles revidam. embora ele geralmente não ache isso. Mas a experiência da maioria. certamente teriam que ter alguma autoridade pessoal. 1 – Doze Conceitos para Serviços Mundiais. Impulsionados por uma centena de formas de medo. 11 2 – As Doze Tradições. pág. Uma força ainda maior para a unidade de A. Sabemos muito bem que a punição para a desobediência sistemática desses princípios é a morte do indivíduo e a dissolução do grupo. Surgem de nós mesmos.A. pisamos em nossos semelhantes. Sobretudo.A."Uma humildade aprofundando-se sempre. é o amordedicação que temos por nossos companheiros e por nossos princípios. é nossa maior transmissora das lições aprendidas com a experiência. devemos nos desfazer desse egoísmo. alcoólicos. que mais adiante nos colocaram em situação de ser feridos. É por meio delas que conseguimos encontrar e fazer a vontade de Deus.. 51 NA OPINIÃO DO BILL 274 Conduzir-se sozinho 107 . auto-ilusão. e o alcoólico é um exemplo da prepotência desenfreada. em Nova York." Palestra de 1965 (publicada na Grapevine de janeiro de 1966) NA OPINIÃO DO BILL 272 Dificuldades provocadas por nós mesmos Egoísmo – egocentrismo! Achamos que essa é a causa de nossas dificuldades. tomamos decisões baseadas no egocentrismo. e de cada grupo é construída ao redor de nossos Doze Passos e Doze Tradições. mas sempre acabamos descobrindo que em algum momento. Elas nos proporcionam a essência do bem. 76 NA OPINIÃO DO BILL 273 Amor constrangedor A vida de cada A... Ao contrário. achamos que nossas dificuldades são basicamente provocadas por nós mesmos. Devemos. em A. Assim. não dá ordens. pág.. acompanhada de uma crescente boa vontade para aceitar e cumprir as responsabilidades bem definidas – estas são realmente nossas pedras de toque para todo o crescimento na vida do espírito. Tiveram até que inventar duas frases que ainda aparecem em algumas cartas que escrevem: "Claro que vocês têm toda a liberdade de resolver esse assunto como achar melhor." A sede mundial de A.A. Mas há muito tempo. no passado. Algumas vezes nos ferem.

é provável que sejam mais específicos do que qualquer orientação direta que possamos receber. explicando como você fez uma auto-análise. tanto a prática quanto a humildade. Quando elas chegam. no grupo. Meu equilíbrio emocional veio de minha tentativa de dar. que um novato não deveria. e elas estão bêbadas. quando era mais do que evidente que estavam muito enganadas. 108 . Portanto. Explique-lhe claramente que ele não tem nenhuma obrigação para com você. talvez trágicos. Quantas vezes ouvimos pessoas bem-intencionadas proclamarem a orientação de Deus.Tratando-se de assuntos espirituais. não da exigência de receber. *** Nos primeiros seis meses de minha própria sobriedade. Embora os comentários ou orientação dos outros possam não ser infalíveis. a maioria das pessoas. Na verdade. Faltando-lhes. "Mas sempre peço a essas pessoas que tenham um 'Poder Superior' – por exemplo. tinham-se iludido e foram capazes de justificar o mais completo absurdo. descreva em linhas gerais o programa de ação. pág. 50 NA OPINIÃO DO BILL 275 Recuperação através da doação Para um novo provável membro. trabalhei arduamente com muitos alcoólicos. É importante que ele perceba que o esforço que você faz para lhe transmitir isso é de vital importância para sua própria recuperação. 103 2 – Grapevine de janeiro de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 276 Um Poder Superior para ateus "Tenho feito muitas experiências com ateus. É certo. em sua maioria.A. dessa maneira. Os Doze Passos. Realmente não conheço ninguém que tenha morrido de alcoolismo. conduzir-se sozinho é perigoso. por causa das opiniões de algum ateu sobre o cosmo. enquanto ainda somos inexperientes no estabelecimento do contato com um Poder Superior a nós mesmos. o grupo é um 'Poder Superior'. ele pode estar ajudando-o mais do que você a ele. com amigos ou conselheiros espirituais. Nenhum deles correspondeu. sendo boas. a orientação que sentem ter recebido de Deus. pág. como colocou em ordem seu passado e por que está agora tentando ajudá-lo. Pessoas com grande desenvolvimento espiritual quase sempre insistem em verificar. É muito melhor manter uma sociedade aberta e tolerante do que conter qualquer pequeno distúrbio que essas opiniões possam ocasionar. Em A. então. Não foi porque esses alcoólicos me dessem qualquer coisa. sob a alegação de que era isso que Deus lhes havia dito. todos têm o direito de ter sua própria opinião. seu próprio grupo. correr o risco de cometer erros tolos. Mas esse trabalho me manteve sóbrio. 1 – Alcoólicos Anônimos. está sóbria.

Sei como se sentem.. Esquecemos o anonimato nesse nível. retrato e história. por exemplo. porque antes eu mesmo era assim". deveríamos ser sensíveis. sem chegar ao servilismo. quando imprudentemente tornamos mais pesadas as cruzes dos outros. dar uma explicação pormenorizada de uma aventura extraconjugal nos ombros de nosso desprevenido cônjuge. a outras pessoas. Também queremos perder o medo de admitir que somos alcoólicos. Não podemos. seremos lançados em breve numa grande orgia de publicidade pessoal." 1 – Grapevine de janeiro de 1946 2 – Carta de 1949 NA OPINIÃO DO BILL 279 A requintada arte de álibis 109 . igualmente importante. ter tato. não nos arrastamos na frente de ninguém. 94 NA OPINIÃO DO BILL 278 Fale alto. e quase todos progridem partindo daí.A. Queremos convencer a audiência de que nosso alcoolismo é uma doença e não temos mais medo de discutí-la diante de quem quer que seja. Se cada A. se formos além desse limite. os danos causados. contanto que o anonimato seja respeitado nas notícias da imprensa e que não peçamos nada para nós. andamos de cabeça erguida. por inteiro. Não alivia nossa carga. *** Ao fazer reparações. No entanto. a não ser compreensão. Carta de 1962 NA OPINIÃO DO BILL 277 Para aliviar nossa carga Só existe uma razão que poderia vir a modificar nosso desejo de revelar. pág. e o que ele tem feito por nós. sem medo Poucos de nós são anônimos com respeito a nossos contatos diários. sou a favor.A. págs.A. Como filhos de Deus.Esse é um início suficientemente bom. *** "Enquanto a chamada reunião pública é discutível por muitos membros de A. muitas vezes falamos ante reuniões semipúblicas. 74 e 75 2 – Alcoólicos Anônimos. porque achamos que nossos amigos e colegas deveriam saber a respeito de A. 1 – Os Doze Passos. se sentir livre para publicar seu nome. Embora peçamos insistentemente aos repórteres para não divulgar nossa identidade. certamente perderemos para sempre o princípio do anonimato. Ou. ser respeitosos e humildes. Ela surgirá na rara situação em que fazer uma revelação completa poderia prejudicar seriamente a pessoa a quem estamos fazendo reparações.

*** 110 . Tínhamos feito da invenção de álibis uma requintada arte. no trabalho. ou tristes fracassos. Tínhamos que beber porque nossa pátria. *** Muitas vezes levávamos muito tempo para perceber como nossas emoções descontroladas nos vitimavam. 1 – Os Doze Passos. Sua única chance de manter a sobriedade seria a de viver em algum lugar da Groelândia. E assim por diante. Tínhamos que beber porque. "ad infinitum". sofreu severamente por causa da autojustificação. Quando se tratava de outras pessoas. e ainda ali poderia aparecer um esquimó com uma garrafa de uísque e estragar tudo! Alcoólicos Anônimos. tínhamos que eliminar a palavra "culpa" de nosso vocabulário e de nossos pensamentos. ou tínhamos grandes sucessos. devemos evitar os filmes com cenas de bebida. Nem deveríamos exigir que o tipo de transformação de alguém seja igual ao nosso. não devemos pensar ou finalmente ser lembrados do álcool. a autojustificação era a causa das desculpas para beber e para todos os tipos de comportamento louco e prejudicial.A maioria dos membros de A. ou éramos sufocados com amor.A. Ouvimos dizer que não devemos ir onde servem bebida. Nossa experiência mostra que isso não é necessariamente assim. Tínhamos que beber." É por isso que acho que não deveríamos pôr em dúvida a transformação de alguém – quer seja súbita ou gradual. ou havia perdido a paz. nossos amigos devem esconder suas garrafas. ou porque iam bem. Tínhamos que beber porque. podemos fazer todo tipo de coisa que se supõe que os alcoólicos não possam. pág. 38 NA OPINIÃO DO BILL 280 Espiritualmente preparados Presumindo estar espiritualmente preparados. ou porque as coisas iam mal. na época das bebedeiras. devemos evitar os amigos que bebem. ou não recebíamos amor algum. quando vamos às suas casas. ou havia ganho uma guerra. Enfrentamos essas situações todos os dias. não devemos entrar em bares. porque a experiência mostra que estamos aptos a receber aquilo que for mais útil para nossas próprias necessidades. em casa. Para a maioria de nós. 108 e 109 NA OPINIÃO DO BILL 281 Nós como indivíduos Existe somente um teste seguro para todas as experiências espirituais: "Por seus frutos os conhecereis. existe algo de errado com seu estado espiritual. 37 2 – Os Doze Passos. págs. pág. não devemos tê-la em casa. O alcoólico que não pode enfrentálas ainda tem a mente alcoólica.

"Mas Bill tem uma grande força de vontade". precisará determinar quais são seus próprios defeitos de caráter. Atinge a Maioridade. com suas maneiras gentis. em 1934. pág. ela disse. 48 2 – Carta de 1966 NA OPINIÃO DO BILL 284 Fé – um plano – e trabalho 111 . uma vez que se tornou um hábito. a vontade de resistir já não existe. ficou sendo uma obsessão. Esse choque de instintos pode produzir.A. Doutor. pág.A. 35 NA OPINIÃO DO BILL 283 "Impotentes perante o álcool" Eu tinha caminhado continuamente ladeira abaixo. *** "Nos últimos estágios de nosso alcoolismo ativo. há um tumulto semelhante. sabendo pela primeira vez que estava completamente sem esperança.. Exigir de outras pessoas excessiva atenção. e naquele dia. tanto uma leve descortesia quanto uma grande revolta. quando admitimos a derrota total e quando nos tornamos inteiramente dispostos a tentar os princípios de A. por que ele não pode parar?" Ele explicou que minha maneira de beber. então a raiva. eu estava acamado no andar superior do hospital. Se a busca da riqueza pisa naqueles que venham a estar no caminho. Lois estava no andar térreo. deveria calçá-los e caminhar com a nova confiança de que. "Ele tem tentado desesperadamente ficar bom. Silkworth estava tentando. Se o sexo se desenfreia. portanto cada um de nós. proteção e amor só pode despertar o domínio ou a revolta nos próprios protetores – duas emoções tão doentias quanto às exigências que as provocam. como nós O concebemos. e o Dr. 1 – Grapevine de julho de 1962 2 – Os Doze Passos. finalmente. Portanto. Tendo encontrado os sapatos que lhe servem. outras pessoas sofrem e muitas vezes se revoltam. Os Doze Passos. a inveja e a vingança serão igualmente despertadas. quando fizer o inventário. 38 NA OPINIÃO DO BILL 282 Instintos descontrolados Toda vez que uma pessoa impõe seus instintos irracionalmente aos outros. vem a infelicidade. nossa obsessão desaparece e entramos numa nova dimensão – a liberdade sob a vontade de Deus. transmitir a ela o que estava acontecendo comigo e que meu caso era sem esperança. uma verdadeira loucura que me condenava a beber contra meu desejo. pág. está no caminho certo. seja num grupo de mulheres costurando ou numa conferência internacional. Quando o desejo de prestígio de um indivíduo se descontrola." 1 – A.Não existem dois seres humanos exatamente iguais.

pedimos a Deus que nos ajudasse a lhes mostrar a mesma tolerância. Os serviços de A. como um todo não deveria pensar como vai funcionar amanhã ou mesmo num futuro mais distante. piedade e paciência que. nem no amanhã. mas pelo menos Deus nos mostrará como ser bons e tolerantes para com todos. 1 – Grapevine de junho de 1961 2 – A. "Nada é mais verdadeiro para nós.. são as 'obras' que garantem nossa vida e crescimento. Emocionalmente falando. evitamos a vingança e a discussão. Ela coloca o homem contra o homem. Hoje. do que o dizer público: 'A fé sem obras é morta'. Se o fizermos. Não podemos tratar as pessoas doentes dessa maneira. teríamos para com um amigo doente. de A. págs. *** Seria falso orgulho se acreditar que Alcoólicos Anônimos é um remédio para todos os males."A idéia de viver um "plano de vinte e quatro horas" aplica-se primeiramente à vida emocional do indivíduo. Sob essa infeliz condição. Através dela. com satisfação. destruiremos nossa chance de ser úteis. o trabalho do Décimo Segundo Passo. porque pelo ressentimento poderíamos ser levados de volta à bebida. toda a forma de tolice e violência pode ser arranjada de forma a parecer boa e até respeitável. o grupo ou A. a respeito da cegueira do orgulho é a facilidade com que é justificada. Mas não precisamos enxergar longe para ver que a autojustificação é uma destruidora universal da harmonia e do amor. todos destinados a fazer mais. tinham força até para nos destruir. mas como? Poderíamos não querê-los longe. 80 e 81 112 . não devemos viver no ontem.A. "Mas nunca fui capaz de ver que isso significa que o indivíduo. Atinge a Maioridade. mesmo para o alcoolismo.A. Então. Tinha que haver um plano e um bocado de trabalho para que essa casa se tornasse realidade. Não podemos ser úteis a todas as pessoas. impedindo a anarquia ou a estagnação. imaginários ou reais. Alcoólicos Anônimos. a nação contra a nação. A fé sozinha nunca construiu a casa em que você mora. as más ações dos outros..A. e o melhor possível.A. Este foi nosso procedimento: percebemos que as pessoas que nos maltrataram talvez estivessem espiritualmente doentes. Vimos que esses ressentimentos devem ser superados. pág." Carta de 1954 NA OPINIÃO DO BILL 285 Falso orgulho A coisa alarmante. 207 NA OPINIÃO DO BILL 286 Superando ressentimentos Começamos a ver que o mundo e sua gente realmente tinham nos dominado.

No mesmo instante. Prefiro acreditar que tudo é uma questão de motivo. Se usarmos nossos bens materiais de forma egoísta. Com a ajuda de Deus. Mas se os usarmos para ajudar os outros. A vantagem de falar com uma 113 . existe ainda uma grande confusão a respeito do que é material e do que é espiritual. Quando essa frase favorita fosse destruída. só mesmo Ele vai ter que me tirar dessa.A. recusas e revolta. onde estava agindo mal. com nós mesmos e com os outros para obter a sobriedade emocional. eu exclamaria.NA OPINIÃO DO BILL 287 Aspectos da espiritualidade "Entre os membros de A." Claro que meus conflitos foram aumentando." A desculpa seguinte seria esta: "Deus sabe muito bem que tenho terríveis compulsões. encontraremos em sua raiz alguma dependência doentia e sua conseqüente exigência doentia. Daí podemos ficar livres para viver e para amar. Grapevine de janeiro de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 289 Quando os conflitos aumentam Algumas vezes eu seria forçado a examinar situações. O reconhecimento e a correta canalização dos instintos constituem a essência da verdadeira integridade." Finalmente chegava o momento em que eu exclamaria: "Isso eu positivamente não farei! Nem mesmo tentarei. porque eu estava completamente carregado de desculpas. *** Numa auto-avaliação. pode ser distorcido por nossa própria racionalização." *** "Persiste a idéia de que os instintos são primariamente maus e são os obstáculos. o que nos vem à mente. eu pensaria: "Bem. seja grande ou pequena. vamos continuamente renunciar a essas embaraçosas deficiências. "são realmente faltas de um homem de bem". eu não teria que me comportar da maneira que me comporto. se aquelas pessoas me tratassem sempre bem." 1 – Carta de 1958 2 – Carta de 1954 NA OPINIÃO DO BILL 288 Sobriedade emocional Se examinarmos cada perturbação que temos. quando estamos sozinhos. então somos materialistas. eu começaria freneticamente a procurar desculpas. Acredito que a diferença entre o bem e o mal não é a diferença entre o espiritual e os instintos do indivíduo. Simplesmente não posso vencê-las. frente aos quais toda a espiritualidade vacila. então o material ajuda o espiritual. penso que é a diferença entre o uso adequado e o uso inadequado dos instintos. podemos então ser capazes de praticar o Décimo Segundo Passo. "Essas".

esses sacrifícios coletivos equivalem a uma grande soma. como um todo e. Doze Conceitos para Serviços Mundiais.A. Nos últimos anos. essas atitudes estão diminuindo em toda parte. Considerados em termos de dinheiro.A. muitos de nós tentam relutar. comparada com nossa atitude em dar dinheiro. Mas quando se trata de realmente gastar dinheiro. Começamos a ter menos medo do sofrimento e a desejar a humildade mais do que nunca. Pensamos na perda de todo aquele poder aquisitivo em nossos anos de bebedeiras." *** Em cada história de A. 50 NA OPINIÃO DO BILL 290 Tempo versus dinheiro Nossa atitude. Claro que damos muito de nosso tempo para as atividades de A. acima de tudo. A. 1 – Carta de 1959 2 – Os Doze Passos. seus comentários e conselhos a respeito de nossa situação. no sentido de conceder tempo. "Se eu fosse você. visando a nossa proteção e crescimento. se torna clara. nos dedicando ao recém-chegado. não me culparia tanto por isso. Mas esse preço tinha comprado mais do que esperávamos.A. que logo descobrimos que era um remédio para o sofrimento. elas desaparecem rapidamente quando uma necessidade verdadeira para um certo serviço de A.. Eles sabem bem. por outro lado. apresenta um contraste interessante. 67 e 68 NA OPINIÃO DO BILL 291 Aquilo que acaba ou que alivia o sofrimento "Acredito que. 64 e 65 NA OPINIÃO DO BILL 292 114 . págs. que incontáveis milhares de outros alcoólicos e seus familiares serão certamente beneficiados. o sofrimento tinha sido o preço da admissão para uma nova vida.. 1 – Grapevine de junho de 1961 2 – Os Doze Passos. entretanto. mas também em consideração aos nossos grupos.A. pág. diretamente. e suponho que você tenha encontrado o seu – por essa razão é que recorremos à garrafa outra vez. nas economias que poderíamos ter feito para emergências ou para a educação das crianças.outra pessoa é que podemos obter. Os doadores raramente podem ver quais foram os verdadeiros resultados. É claro que cada pessoa tem um ponto fraco. a experiência deveria redobrar sua convicção de que o álcool não tem um poder permanente para acabar com o sofrimento. particularmente para despesas gerais de serviço de A.A. págs. nossas áreas. Ele trouxe humildade. emocional ou psíquico. bebíamos principalmente para acabar com o sofrimento de um tipo ou de outro – físico. quando éramos alcoólicos ativos.

115 . 1 – Os Doze Passos. e até muito ressentida. ela quer dizer isso profunda e humildemente. aconteça o que acontecer. ele começa com firmeza e com carinho a se comportar como um companheiro e não como um menino mau. Quando em verdadeira meditação e portanto livre dos clamores do mundo. quase sempre retoma suas responsabilidades conjugais com a disposição de reparar o que pode e aceitar o que não pode. sem consideração. santificado seja Teu nome". 91 e 92 2 – Grapevine de junho de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 294 Amor + racionalidade = crescimento "Parece para mim que o objetivo primordial de qualquer ser humano é o de crescer. Quando essas coisas acontecem. incluindo a melhor definição e sentimento de amor que podemos adquirir. Se a capacidade de amar existe no ser humano. que seu destino final está realmente seguro. Pode aceitar a si mesma e o mundo que a cerca. A essa altura. Depois que o marido ingressa em A. Quando tem que lidar com situações difíceis. bem como a seus filhos. aqui e no além.A. Somos acometidos por uma revolta tão doentia que simplesmente não conseguimos orar. Ele insiste em praticar em seu lar todos os Doze Passos de A. cada um culpa o outro.A. "Nossa busca deve ser em direção à realidade que podemos encontrar. págs.. então ela certamente existe em seu Criador.. Deveríamos simplesmente voltar à prática da oração. tão logo possamos. Os Doze Passos. pelo fato de A. Pode fazer isso porque agora aceita um Deus que é Tudo – e que ama a todos. descobre que pode enfrentá-las. vamos ainda mais longe. como Deus pretendeu. Às vezes. sabe que está nas mãos de Deus. *** Uma pessoa que persiste na oração encontra-se na posse de grandes dádivas.A. Seu marido pode vir a se envolver tanto com A. reconhecendo o que sua esposa aturou. 105 NA OPINIÃO DO BILL 293 Revolta ou aceitação Todos nós passamos por períodos em que somente podemos orar com o maior esforço. Mas o alcoólico. e agora entendendo bem o quanto a prejudicou. obtendo muitas vezes excelentes resultados. pode ser necessário um longo período de paciente esforço. não deveríamos achar que somos tão doentes. e com seus novos amigos que ele. ter feito o que não fizeram todos os seus anos de dedicação. tenha sido grande. Então. por causa do álcool. passa mais tempo fora de casa do que quando bebia.A. fazendo o que sabemos ser bom para nós.A respeito de companheirismo Caso a distorção da vida familiar. a esposa pode ficar decepcionada. Quando ela diz: "Pai nosso que estais no céu. pág. sendo essa a natureza de todas as coisas em crescimento.

82 NA OPINIÃO DO BILL 297 Uma visão do todo "Embora muitos de nós tenham tido que se esforçar violentamente para obter a sobriedade. os milhões de alcoólicos que ainda 'não conhecem' nunca poderiam ter sua chance". Os Doze Passos. mas na verdade queríamos puni-los. porque a maioria de seus conceitos me faz acreditar que vivo num universo racional. Há casos em que nossa antiga inimiga. quando na realidade nosso verdadeiro motivo era diminuí-la para que nos sentíssemos superiores. entrava em cena e justificava um comportamento que realmente era errado. págs. suponho. 116 . continuávamos nos enganando e portanto incapazes de receber a graça suficiente para nos devolver sanidade. A tentação aqui é imaginar que tínhamos bons motivos e razões. Sempre dizíamos: "Concedei-me as coisas que quero". quando de fato estávamos pedindo principalmente simpatia e atenção. Não entendíamos absolutamente o amor a Deus e ao próximo. após uma apreciação honesta. descobrimos que tínhamos sido apenas superficiais. nós algumas vezes achamos que essa grande dádiva é merecida. Ficávamos deprimidos e queixávamos de que nos sentíamos mal. Nem sequer tínhamos orado de maneira certa. conforme analisamos todos os dias. "Criticávamos construtivamente" alguém que achávamos que estava precisando. a racionalização. quando realmente não tínhamos. só a mais minuciosa investigação vai revelar quais foram nossos verdadeiros motivos. em vez de "Seja feita Tua vontade". Ou. Em ambos os casos. sob o poder de um Deus amoroso e que minha própria irracionalidade pode aos poucos desaparecer. pág. porque eles precisavam "aprender uma lição". Feríamos aqueles que amávamos. Ou. Conseqüentemente. contudo. Esse é. tínhamos mergulhado no emocionalismo e tínhamos também confundido isso com o verdadeiro sentimento religioso. essa irmandade nunca teve que lutar pela unidade perdida. o processo de crescimento para o qual somos destinados. achávamos que estávamos ajudando os outros a compreendê-la. estando ausente a pessoa interessada. Esquecemos que." Carta de 1958 NA OPINIÃO DO BILL 295 Orando de maneira certa Achávamos que levávamos a sério as práticas religiosas quando. se perdêssemos nossa unidade. quando nosso verdadeiro motivo era vencer uma discussão inútil. Os Doze Passos. 23 e 24 NA OPINIÃO DO BILL 296 Inventário diário Com freqüência. pedíamos algo sem dar nada. Assim."A teologia me ajuda. indo ao extremo.

Quando essas histórias começaram a circular fora de A.A.A.*** "Costumávamos ser céticos a respeito das reuniões grandes de A. Esse é na verdade o tipo de doação que não exige nada em troca. Os Doze Passos. perante o público. Seu próprio caráter pode ainda não estar bem formado. se ele quisesse.A." 1 – Carta de 1949 2 – Carta de 1956 NA OPINIÃO DO BILL 298 Um grande começo Mesmo o mais novo dos recém-chegados descobre as recompensas nunca imaginadas. Enquanto o interesse de cada A. tivesse ou não seu companheiro recebido alguma coisa. *** Nós agora compreendemos perfeitamente que 100 por cento do anonimato pessoal. é necessário e desejável que todos nós tenhamos uma visão mais ampla do todo.A. Claro que o nome de todo membro de A.. pág. ou mesmo lhe dê amor. através do divino paradoxo desse tipo de doação. "A Conferência de Serviços Gerais. mas em compensação seu benefício é enorme. como convenções. em New York. é a voz prudente de uma longa experiência. pág. Entusiasmados com a recuperação espetacular de um companheiro alcoólico. E então ele descobre que. 96 NA OPINIÃO DO BILL 299 Anonimato e sobriedade À medida que os grupos de A. 263 NA OPINIÃO DO BILL 300 117 . Ele não espera que seu companheiro sofredor lhe pague. quando procura ajudar seu companheiro alcoólico. mas de alguma forma sabe que Deus permitiu que ele tivesse um grande começo. 60 2 – A.. a perda de confiança em nossas promessas de anonimato foi grande. É um processo que amplia a visão. e sente que está à beira de novos mistérios. 1 – As Doze Tradições. pág. se multiplicavam. que apenas o padrinho deveria ouvir. tinham que ser mantidos em segredo. atinge a Maioridade.. aquele que ainda está mais cego do que ele.A. Esse não é o conselho do medo.A. alegrias e experiências com as quais nunca havia sonhado. é tão vital para a vida de A. deva se centralizar principalmente naqueles em torno dele e em seu próprio grupo. encontrou sua própria recompensa. também produz esse efeito naqueles que participam. aumentavam os problemas de anonimato. A pessoa ofendida então declarava com razão que havia perdido a confiança. achando que elas poderiam parecer exibicionismo. muitas vezes discutíamos aspectos íntimos e dolorosos do seu caso. Isso freqüentemente afastava as pessoas de nós. como 100 por cento de sobriedade é vital para a vida de cada membro. e também sua história.A.

não costumávamos ter nenhuma concepção racional. Aprendemos que sejam quais forem as fraquezas humanas que os vários credos possam ter. estavam demonstrando ter um grau de equilíbrio emocional. que estão em A. a alegria e a democracia reinam na embarcação.A. estes têm dado propósito e orientação a milhares de indivíduos. de todas as raças. 66 NA OPINIÃO DO BILL 301 Para reconstruir a segurança Em nosso comportamento. até do preconceito contra a religião organizada. *** Nossa primeira mulher alcoólica tinha sido paciente do Dr. quando a camaradagem.A. Alcoólicos Anônimos. 41 e 42 NA OPINIÃO DO BILL 302 Camaradagem em perigo Nós. quando poderíamos ter visto que muitas pessoas espiritualizadas. quase todo alcoólico pode fazer perguntas como estas: Além de meu problema de bebida. não diminuíram. cores e credos. todos os alcoólicos precisam se examinar impiedosamente para constatar como seus próprios defeitos de personalidade destruíram sua segurança. os diferentes sentimentos dos passageiros. Na verdade. O sentimento de compartilhar um perigo comum – recaída no alcoolismo – continua sendo um elemento importante do poderoso vínculo que nos une em A. com respeito à segurança financeira e emocional. pág.. e a dona-decasa alcoólica pode inclusive trazer insegurança financeira à família. desde a mesa de terceira classe até a mesa do capitão. quantas vezes o medo. Harry Tiebout. que defeitos de caráter contribuíram para minha instabilidade financeira? O medo e o complexo de inferioridade. Costumávamos nos divertir. a cobiça. a possessividade e o orgulho fizeram o pior. e ele lhe havia entregue uma cópia manuscrita do Livro Grande (Livro Azul).Pessoas com fé Nós que atravessamos o caminho do agnosticismo e ateísmo. quando seguimos nossos próprios caminhos. Portanto. descobrirão naturalmente que muitas dessas perguntas também muitas vezes se referem a elas. felicidade e utilidade que deveríamos ter procurado para nós mesmos. somos como os passageiros de um grande navio. As pessoas com fé têm uma idéia lógica do que seja a vida. momentos depois de serem salvos de um naufrágio. Na realidade. acerca de minha competência no trabalho. A 118 . lhe pedimos para se despojar do preconceito. destruíram minha confiança e me levaram a conflitos? Ou eu exagerava meu valor e bancava o importante? As mulheres de negócio. nossa alegria por haver escapado do desastre. Os Doze Passos. págs. Examinando seu passado empresarial ou empregatício. nessas áreas. ridicularizando cinicamente as crenças e as práticas espirituais. AAs.

primeira leitura a deixou revoltada, mas a segunda a convenceu. Em breve ela foi a uma reunião realizada em nossa sala de estar, e dali ela voltou para o sanatório, levando essa clássica mensagem a um companheiro paciente: "Não estamos mais sozinhos." 1 – Alcoólicos Anônimos, pág. 37 2 – A.A. Atinge a Maioridade, págs. 16 e 17 NA OPINIÃO DO BILL 303 Conselheiros afetuosos Se não tivesse sido abençoado por conselheiros afetuosos e sábios, eu poderia ter me arrebentado há muito tempo. Outrora, um médico me salvou da morte por alcoolismo, porque me obrigou a encarar a mortalidade dessa doença. Um outro médico, um psiquiatra, mais adiante me ajudou a manter a sanidade, porque me levou a descobrir alguns de meus defeitos mais profundos. De um clérigo adquiri os verdadeiros princípios, pelos quais nós, AAs, tentamos agora viver. Mas esses preciosos amigos fizeram muito mais do que me suprir com suas capacidades profissionais. Aprendi que eu poderia recorrer a eles com respeito a qualquer problema que tivesse. Eu podia contar sempre com sua sabedoria e integridade. Muitos de meus amigos queridos, de A.A., têm estado comigo exatamente nessa mesma relação. Em muitas ocasiões, puderam ajudar onde outros não puderam, simplesmente porque eram AAs. Grapevine de agosto de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 304 O único propósito Existem aqueles que profetizam que A.A. pode muito bem tornar-se uma nova ponta de lança para um despertar espiritual no mundo todo. Quando nossos amigos dizem essas coisas, estão sendo não só generosos como sinceros. Mas nós, de A.A., devemos refletir que tal tributo e tal profecia poderiam bem provar ser uma bebida intoxicante para a maioria de nós – isto é, se realmente viermos a acreditar que esse é o verdadeiro propósito de A.A., e se começarmos a nos comportar dessa maneira. Portanto, nossa sociedade deverá ajustar-se prudentemente a seu único propósito: o de levar a mensagem ao alcoólico que ainda sofre. Devemos resistir à orgulhosa idéia de que uma vez que Deus nos tem feito bem numa área, estamos destinados a ser um meio de graça salvadora para todos. A.A. Atinge a Maioridade, págs. 207 e 208 NA OPINIÃO DO BILL 305 Desde a raiz principal O princípio de que não encontraremos qualquer força duradoura, sem que antes admitamos a derrota total, é a raiz principal da qual germinou e floresceu nossa sociedade toda. ***
119

É dito a todo recém-chegado, e logo ele reconhece por si mesmo, que sua admissão humilde de impotência perante o álcool constitui seu primeiro passo em direção à libertação de seu poder embriagador. É dessa forma que, pela primeira vez, vemos a humildade como uma necessidade. Mas isso é apenas o começo. Afastar completamente nossa aversão à idéia de ser humildes, obter uma visão da humildade como o caminho que leva à verdadeira liberdade do espírito humano, dispostos a trabalhar para a conquista da humildade, como algo a ser desejado por si mesmo, demora muito, muito tempo para a maioria de nós. Uma vida inteira engrenada ao egocentrismo não pode ser mudada de repente. 1 – Os Doze Passos, pág. 14 2 – Os Doze Passos, págs. 62 e 63 NA OPINIÃO DO BILL 306 A felicidade é a meta? "Não acho que a felicidade ou a infelicidade seja o ponto principal. Como enfrentamos os problemas que chegam a nós? Como aprendemos através deles e transmitimos o que aprendemos aos outros, se é que querem aprender? "Do meu ponto de vista, nós deste mundo somos alunos numa grande escola da vida. Isso é proposto para que tentemos crescer e ajudar nossos companheiros viajantes a crescerem no tipo de amor que não faz exigências. Em suma, procuramos progredir à imagem e semelhança de Deus, como nós O concebemos. "Quando chega a dor, se espera que aprendamos a lição, com boa vontade, e que aprendamos a ajudar os outros a aprenderem. Quando a felicidade chega, a aceitamos como uma dádiva, e agradecemos a Deus por obtê-la". Carta de 1950 NA OPINIÃO DO BILL 307 O círculo e o triângulo Acima de nós, a Convenção Internacional, em St. Louis, em 1955, flutuava uma bandeira com a inscrição do novo símbolo de A.A., um círculo contendo um triângulo. O círculo simboliza A.A. no mundo inteiro, e o triângulo simboliza os Três Legados de A.A.: Recuperação, Unidade e Serviço. Talvez não seja por acaso que os sacerdotes e os profetas da antiguidade consideravam esse símbolo como uma forma de afastar os espíritos maus. *** Quando em 1955, nós, os membros mais antigos, entregamos nossos Três Legados a todo o movimento, senti saudades dos velhos dias e ao mesmo tempo me senti grato pelo grande dia que estava vivendo agora. Eu não mais atuaria, nem decidiria, nem protegeria A.A. Por um momento, tive medo, da mudança que se realizava. Mas essa sensação logo passou. Podíamos depender da consciência de A.A., movida pela
120

orientação de Deus, para assegurar o futuro de A.A. Meu trabalho daqui para frente ia ser "soltar-me e entregar-me a Deus". 1 – A.A. Atinge a Maioridade, pág. 125 2 – A.A. Atinge a Maioridade, pág. 43 NA OPINIÃO DO BILL 308 Uma maneira de sair da depressão "Durante uma fase aguda de depressão, evite tentar organizar sua vida inteira de uma só vez. Se você assumir compromissos tão pesados que com certeza vai deixar de cumpri-los, então está permitindo que seu inconsciente o engane. Assim, você vai continuar assegurando seu fracasso e, quando isso acontecer, você terá outra desculpa para cair ainda mais em depressão. "Em resumo, a atitude de "tudo ou nada" é a mais destrutiva que existe. É melhor começar com a menor quantidade possível de atividade. Depois, trabalhar para aumentá-la dia a dia. Não fique frustrado com os retrocessos – comece novamente." Carta de 1960 NA OPINIÃO DO BILL 309 Máxima espiritual É uma máxima espiritual que toda vez que estamos perturbados, seja qual for a causa, alguma coisa em nós está errada. Se alguém nos ofende e ficamos irritados, nós também estamos errados. Mas não há exceções nessa regra? O que dizer da raiva 'justificada"? Se alguém nos engana, não temos o direito de ficar com raiva? E não deveríamos, com razão, ficar com raiva das pessoas hipócritas? Para nós, de A.A., esses acessos de raiva são muitas vezes perigosos. Descobrimos que mesmo a raiva justificada deveria ser deixada para aqueles que têm melhores condições de lidar com ela. Os Doze Passos, pág. 78 NA OPINIÃO DO BILL 310 Aprendendo a confiar Todo o programa de A.A. se baseia no princípio da confiança mútua. Confiamos em Deus, confiamos em A.A. e confiamos uns nos outros. Portanto, não podemos deixar de confiar em nossos líderes em serviço. O "Direito de Decisão" que lhes oferecemos não é somente um meio prático de permitir que eles atuem e dirijam efetivamente, mas também um símbolo de nossa confiança implícita. *** Se você chega ao A.A. sem convicção religiosa, pode, se quiser, fazer do próprio A.A. ou de seu grupo seu "Poder Superior". Aí se encontra um grande número de pessoas que resolveu seu problema com o álcool. Nesse sentido, essas pessoas certamente representam um poder superior a você. Mesmo esse mínimo de fé será suficiente.
121

sob a luz do sol "Quando se expressou a idéia de que poderia haver um Deus pessoal para mim. Acreditem ou não. não gostei da idéia. pág. Assim. percebi profundamente que na verdade não tinha me arrependido dos danos que causei aos outros. Tem sido sempre assim desde o início de A. Mas. 19 NA OPINIÃO DO BILL 311 Contando o pior Embora fossem muitas as variações. Em todos os lugares. e a maioria deles começou a falar em Deus. Libertados da obsessão pelo álcool. eu estava sob a luz do sol. "Em outras palavras. mais tarde. Alguns vão a um grupo diferente ou formam um novo grupo". Carta de 1943 NA OPINIÃO DO BILL 313 Finalmente. eu vivia confessando tudo (e muito mais) a quem quisesse ouvir.Muitos membros que só dessa maneira atravessaram o limiar. Esses episódios eram apenas a base para contar histórias e fazer exibicionismo. Finalmente. Ele disse: "Por que você não escolhe sua própria concepção de Deus? Essa pergunta atingiu-me fortemente. "A experiência mostra que poucos alcoólicos vão se afastar por muito tempo de um grupo. 1 – Doze Conceitos para Serviços Mundiais. uma vez do outro lado. Com essa compreensão. A maioria volta e se ajusta às condições existentes. e provavelmente sempre o será". uma vez que o alcoólico chega à conclusão de que não pode ficar bem sozinho. por orgulho. Carta de junho de 1961 NA OPINIÃO DO BILL 312 A tolerância nos mantém sóbrios "A honestidade para com nós mesmos e para com os outros nos leva à sobriedade. com suas vidas inexplicavelmente transformadas. eu achava que essa ampla exposição de meus erros era uma grande humildade de minha parte e considerava isso um consolo e um grande bem espiritual. lhe dirão que. só porque não gostam do modo como ele funciona." 122 . 18 2 – Os Doze Passos. Derreteu a montanha de gelo intelectual. ele de alguma forma vai descobrir uma maneira de ficar bem e continuar bem na companhia dos outros.A. chegou o começo de um certo grau de humildade. sua fé se ampliou e se aprofundou. mas é a tolerância que nos mantém sóbrios". meu amigo Ebby deu então uma sugestão que parecia ser original. vieram a acreditar num Poder Superior. meu principal tema era sempre: "Como sou terrível!" Do mesmo modo como muitas vezes exagerava minhas mais modestas qualidades. à sombra da qual eu tinha vivido e tremido durante muitos anos. através do sentimento de culpa. pág. assim também exagerava meus defeitos.

porque não podiam admitir sua desesperança. tratávamos somente de "casos desesperados". jovens que mal passavam de alcoólicos em potencial uniam-se a eles. Muitos alcoólicos menos desesperados tentavam A. Nossos recursos humanos. guiados pela vontade. fracassaram por completo. À medida que essa tendência crescia. trabalho e até dois carros na garagem.A. Tínhamos que encontrar um poder. 1 – Alcoólicos Anônimos.A. Os alcoólicos. págs. Atinge a Maioridade. 36 2 – A. não eram suficientes. Poderíamos querer ter moral. Conheço a sensação que isso me deu e os resultados alcançados.*** Talvez seja possível encontrar explicações de experiência espirituais iguais às nossas. começaram a reconhecer seu alcoolismo. A falta de poder. que era na verdade o começo de uma progressão fatal. família. mas tentei muitas vezes explicar a minha e só obtive bons resultados. que ainda tinham saúde. a princípio. ter o conforto da filosofia. 65 e 66 NA OPINIÃO DO BILL 316 Nosso manto protetor Quase todo repórter que faz a cobertura de A. Mas descobrimos que esses códigos e filosofias não nos salvaram. muitos de nós teriam se recuperado há mais tempo. ao narrá-la. Como poderiam pessoas como essas aceitar o Primeiro Passo? Voltando às nossas próprias histórias de bebida. Os Doze Passos. esse era nosso dilema. por mais que tentássemos.A. quando compreende que há um grupo de pessoas que não se preocupa de forma alguma com a aclamação. 40 NA OPINIÃO DO BILL 314 Alto e baixo Quando nossa Irmandade era pequena. pelo qual pudéssemos viver – e ele tinha que ser um Poder Superior a nós mesmos.. Alcoólicos Anônimos. mostrávamos a eles que anos antes de reconhecê-lo. Mas esquece rapidamente sua dificuldade. Nos anos seguintes. que mesmo naquela época nossa maneira de beber já não era um mero hábito. isso mudou. já havíamos perdido o controle. mas o poder necessário para mudar não existia. de fato poderíamos querer essas coisas com toda nossa força. págs. 123 . da dificuldade de escrever sua história sem nomes. pág. mas compreendi que nunca entenderei completamente suas implicações mais profundas. pág. 14 e 15 NA OPINIÃO DO BILL 315 Superior a nós mesmos Se fosse suficiente um código moral ou uma melhor filosofia de vida para vencer o alcoolismo. mas não eram bem-sucedidos. se queixa.

ao trabalhar nesse Passo com nossos padrinhos ou conselheiros espirituais.A. no todo ou em parte. Alguns poderiam sentir que esse tipo de esforço seria uma heresia contra "Um dia de cada vez". seres humanos. págs. acreditamos que cada um de nós toma parte na confecção de um manto protetor que cobre toda nossa sociedade e sob o qual podemos crescer e trabalhar em unidade. mas o pior é recusar-se a pensar nele. A verdadeira Providência Divina foi dar a nós. Embora ele seja cético a respeito. À medida que pomos de lado aquelas aspirações mais humanas. uma considerável capacidade de antevisão e Ela evidentemente espera que a usemos. nas mãos da Providência. 47 e 48 NA OPINIÃO DO BILL 319 124 . Como indivíduos e como irmandade. essa sinceridade evidente transforma-o num amigo de A. começamos a ter a sensação de que poderíamos ser perdoados. Muitas vezes.Provavelmente é a primeira vez em sua vida que faz uma reportagem sobre uma organização que não quer publicidade pessoal. pág. Mas esse princípio valioso realmente se refere à nossa vida mental e emocional e quer dizer principalmente que não somos tolos. tanto para o futuro imediato como para um futuro mais distante. 44 NA OPINIÃO DO BILL 318 Perdão Através do Quinto Passo.A.. tentamos deixar de lado nossos desejos naturais de distinção pessoal como membro de A. para lamentar o passado nem sonhar com o futuro de olhos abertos. não importando quão profundamente sentíssemos que eles tivessem nos ofendido. mas foi somente quando fizemos resolutamente o Quinto Passo que soubemos no íntimo que éramos capazes. que é de vital importância. vamos certamente sofrer se deixarmos toda a tarefa do planejamento para o amanhã. *** Movidos pelo espírito do anonimato. 1 – Grapevine de março de 1946 2 – As Doze Tradições. fosse o que fosse que tivéssemos pensado ou feito. tanto de aceitar o perdão como também de perdoar. podemos muitas vezes cometer erros de cálculo quanto ao futuro. Os Doze Passos. Nosso inventário moral nos tinha convencido de que todo perdão era desejável. Doze Conceitos para Serviços Mundiais. 62 NA OPINIÃO DO BILL 317 Visão além do dia de hoje Acho que a visão é a capacidade de fazer boas estimativas. pág. pela primeira vez nos sentimos verdadeiramente capazes de perdoar os outros. Naturalmente. tanto entre nossos companheiros alcoólicos como ante o público em geral.

administradas por pessoas autorizadas. 75 e 76 NA OPINIÃO DO BILL 321 Os resultados da oração Quando o cético tenta o processo da oração. a seu modo. Admitindo que ele possa ter falhado de alguma forma. Grapevine de junho de 1958 125 . págs. Os problemas e a calamidade começam a significar educação em vez de destruição. achamos que não precisamos de nenhuma autoridade humana.A. a outra é maligna. Cada pessoa é como um ator querendo dirigir todo o espetáculo e que está sempre procurando arranjar as luzes. Ele fica com raiva. A idéia de que ele pode ter se hipnotizado por auto-sugestão vem a ser ridícula. está certo de que os outros são mais culpados. não são regras. Seu senso de utilidade e de direção aumentará. força. Suas ansiedades começarão a diminuir. mais tolerância. Uma é benigna. 11 NA OPINIÃO DO BILL 320 Dirigindo todo o espetáculo A maioria das pessoas tenta viver de acordo com seus impulsos. é quase certo que encontrará mais serenidade. Atinge a Maioridade. Se só seus arranjos prevalecerem. sanção e penalidade. pág. indignado e cheio de autopiedade.A. Geralmente o que acontece? O espetáculo não sai muito bem. nem regulamentos nem leis. 1 – A. Today. Coisas imprevistas e maravilhosas começarão a acontecer. que muito simplesmente diz: "Estou esperando que você faça a minha vontade. se as pessoas só fizerem o que ele quer. 95 2 – A. Outras sociedades têm que ter lei. porque devemos e porque queremos obedecer. Ele vai adquirir uma coragem calma. pode funcionar sob uma anarquia tão aparente. sem nenhuma tensão. Talvez o segredo de sua força se encontre no fato de que essas comunicações de vital importância venham da experiência dr vida e estão arraigadas no amor. menos medo e menos raiva. Felizmente para nós. Existe Deus. ele deveria começar a somar os resultados. o espetáculo será ótimo.A." A outra autoridade chama-se bebida alcoólica e diz: "É melhor você fazer a vontade de Deus ou então eu o matarei. Melhorarão surpreendentemente as relações com a família e com os de fora. Se persistir. Temos duas autoridades que são muito mais eficientes. mesmo quando está tentando ser útil? Não é vítima da ilusão de que só ele poderá obter satisfação e felicidade deste mundo. pág. nosso pai. o cenário e os outros atores.A. unicamente se ele manejá-lo bem? Alcoólicos Anônimos. Nós as obedecemos de boa vontade. Ele não é na realidade um egoísta. Pode ver o "fracasso" e o "sucesso" como realmente são." *** As Tradições de A. Sua saúde física talvez melhore. Ele vai se sentir mais livre e mais sadio.Duas autoridades Muitas pessoas se admiram como A.

Quando Ebby soube o quanto era sério meu problema com a bebida. eles são deformados e finalmente arrastados para o dano químico. sem dúvida. 57 2 – Carta de 1952 3 – Carta de 1950 NA OPINIÃO DO BILL 323 Tateando em direção a Deus "Mais do que a maioria das pessoas. No momento em que telefonou e tomou o metrô. e eu no Brooklin. a espiritualidade e o dinheiro começaram a se misturar. *** "Tenho observado que algumas pessoas podem suportar algum adiamento. Ao mesmo tempo que esses vislumbres e sentimentos são." "Como muitos alcoólicos têm dito: 'Cheguei ao ponto em que ou permanecia em A.NA OPINIÃO DO BILL 322 Faça-o com calma – mas faça Protelar é na realidade ter preguiça." Carta de 1960 NA OPINIÃO DO BILL 324 Espiritualidade e dinheiro Alguns de nós ainda perguntam: "O que é exatamente o Terceiro Legado? E até onde vai a ação de Serviço?" Vamos começar com meu próprio padrinho. e em muitos enfoques religiosos. "Essa é a experiência de muitos de nós nos primeiros estágios de bebedeiras. sentir que temos tido vislumbres do Absoluto e um sentimento intensificado de identificação com o cosmo. Ele me chamou ao telefone e em seguida tomou o metrô. quanto mais ele beber. 126 . válidos. confrontando muitos bebedores-problema com essa terrível alternativa: 'Ou nós. acho que os alcoólicos querem saber quem são. "Em A. procuravam encontrar seu caminho em direção a Deus. no álcool. resolveu me visitar. os alcoólicos encontram muito mais daquilo que meramente observaram e sentiram. pág. bem como se existe um sistema de justiça e amor no cosmo. Um sem o outro não teria chegado a nada. se têm uma origem divina e um destino determinado. fazemos isso. AAs. Ebby. tateando. quando. espiritual e emocional forjado pelo próprio álcool. Ele estava em New York. o que é sua vida. De modos que aqui estou!'" 1 – Os Doze Passos. ele teve que entrar em ação e gastar dinheiro. o custo total foi de dez centavos. mais a corda aperta.' Uma vez que isso esteja firme em sua mente. Não bastava tomar a decisão." *** "Temos sido bem sucedidos.A. ou morremos.A. poucas pessoas podem viver em completa rebeldia. porém. ou do lado de fora.

talvez por algum tempo. agora que trazemos para casa o dinheiro recebido pelo trabalho." Carta de 1955 NA OPINIÃO DO BILL 327 Três escolhas O objeto imediato de nossa busca é a sobriedade – a libertação do álcool e de todas as suas desastrosas conseqüências. 125 e 126 NA OPINIÃO DO BILL 325 A humildade traz a esperança Agora que não somos mais fregueses de bares e bordéis. Uma recusa rebelde de lutar contra nossos evidentes defeitos pode ser um bilhete quase certo para a destruição. 1 – Grapevine de junho de 1961 2 – Os Doze Passos.A. Claro que ainda não estamos ainda muito perto da humildade. até que fiquemos dispostos a lutar com aqueles defeitos de caráter que nos levaram a essa irremediável situação.Naquele exato momento e lugar. e agora que as pessoas nos felicitam por esses sinais de progresso – bem. então deve haver esperança de se obter o mesmo resultado. Ou. e nos fixar numa 127 . não podemos nos libertar da obsessão alcoólica. cheguei ao ponto de dar grande valor às pessoas que me criticaram. que exige sacrifício de muito tempo e dinheiro. em ação. Nessa busca de libertação. Embora pareça um absurdo.A. fossem críticas justas ou injustas. A. Atinge a Maioridade . através da qual pôde ser banida a obsessão mortal do álcool. Tanto uma como outra. Se a humildade pôde nos permitir encontrar a graça. Mas as justas têm sempre prestado um grande serviço a todos os membros de A. pág. da mesma forma que fizemos quando admitimos que éramos impotentes perante o álcool e viemos a acreditar que um Poder Superior a nós mesmos poderia nos devolver à sanidade. procurando remover nossas imperfeições. teria progredido mais lentamente.A. em relação a qualquer outro problema que possamos ter. agora que estamos tão ativos em A. sempre nos foram dadas três escolhas.A. Ebby estabeleceu o princípio de A. *** Deveríamos estar dispostos a tentar a humildade. 66 NA OPINIÃO DO BILL 326 Crítica bem recebida "Muito obrigado por sua carta de crítica. págs. se não fosse por suas críticas violentas. "Quanto a mim. possamos permanecer sóbrios com um mínimo de auto-aperfeiçoamento.A. – e têm me ensinado muitas lições valiosas. Sem essa libertação não temos nada. Espero que as críticas injustas tenham me ensinado a ter um pouco de paciência. naturalmente continuamos a nos felicitar. Estou certo de que. A. muitas vezes me impediram de fazer coisas piores do que realmente tenho feito.

confortável. da forma como achamos que deveriam ser ajudadas. deveríamos considerar cuidadosamente cada pedido. ao fazer pedidos específicos será bom acrescentarmos a cada um deles uma ressalva: ". Ora." Os Doze Passos. Portanto. Além disso. é preferível você usar a linguagem popular para descrever os princípios espirituais. sem perceber. estamos pedindo a Deus que o faça à nossa maneira. Nesse caso. Desde o começo de A. podemos continuar lutando com afinco. 106 2 – Os Doze Passos. se for da Tua vontade. acerca dos quais já possa estar confuso. Grapevine de novembro de 1960 NA OPINIÃO DO BILL 328 Uma recém – encontrada providência Ao lidar com um provável membro. mas muitas vezes perigosa mediocridade. nossa tentação imediata será a de pedir soluções específicas para problemas específicos e a capacidade de ajudar outras pessoas. começaram a praticar o Terceiro Passo. Não levante essas questões.. Não adianta despertar qualquer preconceito que ele possa ter contra certos conceitos e termos teológicos. levei tremendas surras em todas essas áreas. pág. finalmente.A. pelo fato de ter deixado de crescer emocional e espiritualmente. Ou. com inclinações agnósticas ou ateístas..A. acerca do problema do álcool. 89 NA OPINIÃO DO BILL 330 Para crescer Aqueles anseios da adolescência que tantos de nós tivemos. Não é verdade que em todos os assuntos relacionados com o álcool. *** 128 .A. cada um decidiu entregar sua vida aos cuidados. por aquelas sugeridas por A. proteção e orientação de A.A. se isso não é entregar a vontade e a vida a uma recém-encontrada "Providência". sejam quais forem as convicções que você tenha.. para obter completa aprovação.. para levar em conta seu verdadeiro mérito. para obter aquelas qualidades puras que podem significar clareza de espírito e ação – verdadeira e duradoura libertação sob a graça de Deus. *** Todos os homens e mulheres que ingressaram e pretendem permanecer em A. 26 NA OPINIÃO DO BILL 329 Faça-o à nossa maneira? Ao orar. o que é então? 1 – Alcoólicos Anônimos.? Já foi alcançada a disposição de substituir a vontade e as idéias próprias. pág. pág. absoluta segurança e perfeito romance – anseios perfeitamente próprios da idade de dezessete anos – são impossíveis de ser aceitos como um modo de vida aos quarenta e sete ou cinqüenta e sete anos.

direção e segurança da solvência e eficiência dos 129 . a maior parte de minha vida. Não podemos colocar a carroça diante dos bois. evidentemente.. você não pode transmitir algo que não tenha. E por isto: Eu sou responsável. quero que a mão de A. seremos arrastados para a desilusão. Que Deus o abençoe e o proteja! – até lá. você certamente se encontrará com alguns de nós. Deus revela cada vez mais.. em A. pág. Admita suas faltas a Ele e a seus semelhantes. Aprendemos que a plena satisfação dessas necessidades não pode ser a única finalidade de nossa vida. Procure fazer com que sua relação com Ele seja boa. 1 – Grapevine de janeiro de 1958 2 – Os Doze Passos. 165 NA OPINIÃO DO BILL 332 Eu sou responsável. descobrimos que nossas antigas atitudes. Quando qualquer um. se seu interior estiver em ordem. tanto a você como a nós. precisam passar por rigorosa revisão. Desfaça-se das ruínas de seu passado. esteja sempre ali. prestígio pessoal e poder. Mas. estender a mão pedindo ajuda. planejamento. pág. e grandes acontecimentos ocorrerão para você e para muitos outros. seja onde for. todas estas têm que ser moderadas e reorientadas.À medida que crescemos espiritualmente. As respostas virão. Mas quando estamos dispostos a colocar o crescimento espiritual em primeiro lugar – então e somente então teremos uma verdadeira chance de crescer no conhecimento saudável e no amor pleno. Para o recém-chegado: Entregue-se a Deus. foi dedicada à ajuda da criação. 102 NA OPINIÃO DO BILL 331 A grande realidade Reconhecemos que sabemos pouco.A. Nossas necessidades de segurança emocional e material. como você O concebe. Pergunte-Lhe. em sua meditação matinal. Dê livremente aquilo que você receber e junte-se a nós. Estaremos com você na irmandade do espírito e.. quando trilhar o caminho do destino feliz. Essa é nossa grande realidade. com relação a nossos impulsos instintivos. Alcoólicos Anônimos. o que você pode fazer cada dia pela pessoa ainda doente. – Declaração do 30° aniversário Convenção Internacional de 1965 *** Prezados amigos: Desde 1938.A.

os AAs de hoje e de amanhã. 10 – Continuamos fazendo o inventário pessoal e. quando estávamos errados. como a maior responsabilidade coletiva que A. no mundo inteiro.A. bem como do Dr. 2 – Viemos a acreditar que um Poder Superior a nós mesmos poderia devolvernos à sanidade. 8 – Fizemos uma relação de todas as pessoas a quem tínhamos prejudicado e nos dispusemos a reparar os danos a elas causados. estamos deixando a vocês. como um todo unificado.A. Tem encorajado a propagação de nossa Irmandade em todos os lugares.A. eles são meus sucessores. nos serviços mundiais e são diretamente responsáveis por A. todos esses importantes serviços foram. – serão. os membros mais antigos que vão desaparecendo. está pronto para atender às necessidades especiais de qualquer grupo ou indivíduo isolado.A.A. Ele tem apresentado A. A. ao mundo conturbado em que vivemos. já teve.A. na forma em que O concebíamos. responsáveis por nossa atual extensão e total eficiência. 6 – Prontificamo-nos inteiramente a deixar que Deus removesse todos esses defeitos de caráter. Bill Bill W.serviços mundiais de A. – o escritório que tem capacitado nossa Irmandade a funcionar. Inc. Esse é o legado de responsabilidade dos serviços mundiais que nós. Não é exagero dizer que. Seus muitos anos de acumulada experiência estão disponíveis para todos nós. Sabemos que vocês vão guardar. a natureza exata de nossas falhas. 7 – Humildemente rogamos a Ele que nos livrasse de nossas imperfeições. 4 – Fizemos minucioso e destemido inventário moral de nós mesmos. Os membros de nossa curadoria – a Junta de Serviços Gerais de A. Com confiança e afeição. em parte.A. como um todo. sob a orientação de seus custódios. perante nós mesmos e perante outro ser humano. é muito mais do que o principal portador da mensagem de A. nós o admitíamos prontamente. sustentar e estimar esse legado mundial. Essa alta responsabilidade já lhes foi delegada há muito tempo. Bob. seja qual for a distância ou o idioma. 3 – Decidimos entregar nossa vontade e nossa vida aos cuidados de Deus. World Services.A. 9 – Fizemos reparações diretas dos danos causados a tais pessoas. sempre que possível. 130 . salvo quando fazê-lo significasse prejudicá-las ou a outrem. no futuro. O Escritório de Serviços Gerais de A. 5 – Admitimos perante Deus. faleceu em 24 de janeiro de 1971 OS DOZE PASSOS 1 – Admitimos que éramos impotentes perante o álcool – que tínhamos perdido o domínio sobre nossas vidas. nossos principais líderes em todas as nossas atividades mundiais.

12 – Tendo experimentado um despertar espiritual. o único requisito é o desejo de parar de beber. rejeitando quaisquer doações de fora. em seu conjunto.A. na forma em que O concebíamos. 3 – Para ser membro de A. e forças para realizar essa vontade. lembrando-nos sempre da necessidade de colocar os princípios acima das personalidades. o nome de A. no rádio e em filmes. Nossos líderes são apenas servidores de confiança: não têm poderes para governar. jamais deverá organizar-se como tal: podemos. 9 – A. portanto. 4 – Cada grupo deve ser autônomo. salvo em assuntos que digam respeito a outros grupos ou a A. a qualquer sociedade parecida ou empreendimento alheio à Irmandade. por meio destes Passos.A. financiar ou emprestar o nome de A. a reabilitação individual depende da unidade de A. na imprensa. 6 – Nenhum Grupo de A. 10 – Alcoólicos Anônimos não opina sobre questões alheias à Irmandade. propriedade e prestígio não nos afastem de nosso objetivo primordial.A.. deverá jamais sancionar.A. rogando apenas o conhecimento de Sua vontade em relação a nós.A. porém. deverão ser absolutamente auto-suficientes.A. AS DOZE TRADIÇÕES 1 – Nosso bem-estar comum deve estar em primeiro lugar. melhorar nosso contato consciente com Deus. 5 – Cada Grupo é animado de um único propósito primordial – o de transmitir sua mensagem ao alcoólico que ainda sofre. procuramos transmitir esta mensagem aos alcoólicos e praticar estes princípios em todas as nossas atividades. 12 – O anonimato é o alicerce espiritual das nossas Tradições. em última análise.A.11 – Procuramos.. para que problemas de dinheiro. cabe-nos sempre preservar o anonimato pessoal. jamais deverá aparecer em controvérsias públicas. 131 .A. o nosso propósito comum – um Deus amantíssimo que se manifesta em nossa consciência coletiva. embora nossos centros de serviços possam contratar funcionários especializados. 7 – Todos os Grupos de A. 8 – Alcoólicos Anônimos deverá manter-se sempre não-profissional. através da prece e da meditação. criar juntas ou comitês de serviço diretamente responsáveis perante aqueles a quem prestam serviços. 2 – Somente uma autoridade preside. 11 – Nossas relações com o público baseiam-se na atração em vez da promoção.

Interesses relacionados