A psicologia das cores na arquitetura de interiores

A importância das cores na arquitetura de interiores e sua influência em nossas vidas são evidentes. De acordo com o arquiteto Jayme Bernardo, a cor é um dos principais fatores determinantes da forma como nos relacionamos com nosso ambiente e o que ele nos transmite. Nossa sensibilidade reage às cores de várias maneiras. São reações subjetivas e nossa sub-consciência percebe mínimos detalhes que as vezes passam desapercebidos pelo consciente. Cores quentes nos deixam alegres, passam energia, força, enquanto as cores frias acalmam e relaxam. Pessoas alegres e extrovertidas preferem usar cores quentes e claras e por isso buscam decorar a própria residência ou local de trabalho com as cores que se identificam. Pessoas tímidas e introspectivas buscam as cores frias e escuras.

Segundo o arquiteto Jayme Bernardo, devemos levar em consideração fatores culturais, modismos, idade, sexo e o meio em que se vive na hora de escolher as cores em um projeto arquitetônico.

A importância das cores na arquitetura de interiores e sua influência em nossas vidas são evidentes. De acordo com Jayme Bernardo, a cor é um dos principais fatores determinantes da forma como nos relacionamos com nosso ambiente e o que ele nos transmite. Em ambientes mais íntimos, como nos quartos, é possível imprimir os traços de personalidade com mais liberdade, tanto nas cores quanto no mobiliário. Vale a pena observar a influência da cor nesse ambiente.

Quarto de dormir é um local de conforto e tranqüilidade que deve proporcionar uma sensação de relaxamento. As cores devem ser suaves e sutis, em vez das contrastantes e nítidas. Cores pesadas devem ser evitadas. Já no quarto das crianças é recomendável cores da faixa do vermelho, laranja e amarelo, com a finalidade de criar um ambiente claro e luminoso. Acima dos 13 anos, as tonalidades mais claras do verde e do azul são geralmente preferíveis. Cores escuras devem ser evitadas. Deve-se prestar atenção na iluminação, a fim de atenuar o esforço visual durante a leitura. O quarto do casal exige um projeto de cores que se adapte a ambos. Evita-se cores vívidas ou escuras, a menos que o objetivo seja criar um ambiente vibrante ou muito forte. O arquiteto Jayme Bernardo dá preferência às tonalidades sutis e suaves, utilizando cores quentes e relaxantes.

Veja os significados das cores que grandes arquitetos como Jayme Bernardo seguem como referência em suas obras:

Vermelho - É quente, vivo, agressivo, sensual, estimula os instintos. Deve ser usado com moderação.

Laranja - Possui a luminosidade do amarelo e excitação do vermelho. Representa prosperidade.

Amarelo - Irradia luz, brilho, calor, vida, alegria, riqueza.

Verde - O verde é calmo, equilibra as emoções. É a cor que menos fadiga a vista, é o equilíbrio entre o calor e o movimento do amarelo e a estática e a frieza do azul.

Branco - É luz, pureza, limpeza, castidade, transmite uma sensação de paz, tranqüilidade de espírito, bem estar. É a presença de todas as cores.

Preto - Está associada à tristeza. Esses conceitos servem como parâmetros, na verdade deve se levar em consideração à aplicação. Exemplo: tamanho do objeto, textura, meio de aplicação.

Fonte: http://www.bemparana.com.br/

Nesta sala menor. bem mais ampla. chamou a decoradora Silvia Adami e juntas decidiram reaproveitar os estofados. cor significa alegria. quando se mudou para este espaço. Divulgação . já revestidos de vermelho. os tons fortes refletem um estilo de vida. "Na casa anterior. Não sei viver sem". Difícil conceber uma família assim morando num lugar pálido e sem graça. conta Silvia. até as paredes eram coloridas. outras que alegram e outras ainda que fazem da casa um ninho de aconchego Conheça histórias de quem incorporou o colorido ao dia-a-dia e veja dicas de profissionais para perder o receio e criar combinações agradáveis             compartilhar comentários 0 enviar email comunicar erro diminuir o texto aumentar o texto imprimir favoritos link Vermelho simboliza vida e alegria Imagine uma casa em que todos os filhos tocam algum instrumento. que vão do samba-de-roda aos mantras indianos. optamos pela pintura branca. diz. senão o resultado poderia ficar pesado".COR desperta boas sensações Há tonalidades que acalmam. Há um ano e meio. "Para mim. não é mesmo? No apartamento da psicóloga e terapeuta corporal Gláucia. saúde e proximidade com a natureza. a mãe dá aulas de danças étnicas e coleciona CDs.

A tela da artista paulistana Isabelle Tuchband foi escolhida pela moradora devido à riqueza de tonalidades.Paredes brancas abrem caminho para ousar nas cores dos estofados: os tons de vermelho e laranja do sofá e das poltronas ajudam a criar a atmosfera oriental da decoração. Estante baixa executada pela VS Decorações Divulgação Gláucia cruza o ambiente Divulgação .

8 anos.A filha Lila. toca violino Divulgação .

especialmente o água. emoldura a tela no lado oposto. "A sobreposição de listras azuis e brancas. de diferentes larguras. Mesa de centro da Indoasia e baú da L’Oeil Azul acalma e faz lembrar a natureza O azul é a cor favorita do arquiteto Sig Bergamin. É uma cor que você nem sente que está ali". A outra nuance. conta. Bergamin sugere observar a bandeira brasileira. que também fez as almofadas e a banqueta de fita. ensina. Confecção de Ivete Oliva Adami. Atrás da marquesa. sempre dá certo. Nesta varanda. Transmite paz e acalma". os verdes. foi aplicado o anil. "Uso esse tom quando quero passar a noção de fundo infinito. mais viva." Divulgação . conforme o efeito desejado pelo arquiteto. chamando a atenção para as almofadas do ambiente. duas tonalidades de tinta cobrem paredes diferentes. Para saber o que combina com o azul.A transparência da cortina de organza bordada (Empório Beraldin) traz o verde da varanda para dentro da sala. explica. "Gosto dela tanto para me vestir quanto para usar na decoração. "Todas as gamas de amarelo. e muito branco".

copos bico de jaca e guardanapos de Tania Bulhões Home.Sousplats de palha. Pratos da Grifes & Design e arranjo de flores de Rebeca Kocubej Divulgação .

Depois. esta casa só conquistou colorido depois que a vontade venceu o medo.A pintura anil da parede (Suvinil. Por isso. veio o aconchego que esperávamos". conta a empresária Silvia. meu marido sentia falta de cores. "Mantive elementos brancos para não perder a leveza". "Desde que nos mudamos. lembra Silvia. diz Antonia. ref. Mas eu tinha receio de usálas sem um conceito por trás. P082*) se confunde com o céu e favorece a integração entre interior e exterior. Não queria apenas jogar tinta na parede". almofadas e colares da Jacaré do Brasil. trocar o enxoval e as luminárias. E assim nem a idéia audaciosa de levar o rosa até o teto assustou. Mendes e ouviu uma proposta que agradou: pintar o quarto de um rosa-queimado e a porta do escritório de verde-claro. ela pediu assessoria à consultora de decoração Antonia B. mesa e vasos da Ivy Pop e escultura de parede da Oficina de Agosto Rosa traz aconchego e romantismo Antes inteiramente branca. "Num primeiro momento. há três anos. Marquesa. Divulgação . tive a impressão de que o quarto escureceu.

H065*). a porta de correr diferenciou-se da marcenaria do escritório Divulgação . ref.Pincelada de verde-claro (Suvinil.

capa de edredom da Collectania e manta bordada da Status Divulgação . Almofadas da Sala.A cama ganhou uma cabeceira revestida de pau-ferro.

gaveteiro da Benedixt e cortinas de linho com nervuras de Renato Dib Divulgação .Arandelas Lucelino. desenhadas pelo alemão Ingo Maurer (Fas).

Parece que ninguém pode sentar ali". J144*) na parede e no piso sem achatar o ambiente. diz Patrícia. "Como é um produto caro. Gravuras de Ana Cristina Cunha Marrom convida a ficar à vontade O encanto foi imediato: ao ver a seda que reproduz uma cena asiática. Se você observar a estampa. perceberá que ela contém os amarelos. bancos da Vieira Santos. explica Adriana.O pé-direito alto autoriza utilizar o rosa (Suvinil. proprietária desta casa. "Para mim. logo aceitou a sugestão. Mantas da Jaipur. "Estofado clarinho não funciona para quem tem dois filhos pequenos. criar espaços coloridos equivale a dar um sinal verde para que as pessoas aproveitem a casa e se sintam bem. decidimos limitá-lo a almofadas e adotar uma palheta de tonalidades derivada dele". que migrou para a camurça dos sofás. feita pela decoradora Adriana Penteado. a jornalista Patrícia. A faixa branca nas laterais confere perspectiva e leveza. ref. os azuis e o vinho utilizados no ambiente e até uma pitada de marrom. de colocar o tecido na sala de lazer da família." Divulgação .

Apaixonada por cores. a moradora mandou caiar a fachada da casa de rosa Divulgação .

Colares da Ivy Pop sobre a mesa de centro de madeira de demolição (Hugo França) Divulgação .

Será que combina? Uma das maiores dúvidas ao empregar cores na decoração é o que fica bem com o que. Numa sala muito ensolarada. sugere o arquiteto João Carlos de Oliveira César. pincele o tom do piso. o que existe no local. o amarelo trará vibração em excesso. professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. Crianças dificilmente gostarão de cinza". A peroba-mica da estante. "Em áreas reduzidas. do curso de design de interiores do Senac/SP. monte uma palheta". sugere avaliar os seguintes itens: qual é a área. "Conforme você cria o ambiente. entra na gama de marrons do ambiente As informações a seguir vão ajudar você a ter mais segurança para criar uma palheta de tons harmoniosa e agradável em casa A primeira coisa a fazer é analisar o ambiente. A professora Sueli Silva. As respostas ajudam a definir matizes e eliminar o que não funciona. desenho da decoradora. exemplifica. Da mesma loja veio a lonita listrada das poltronas. quem vai usar o espaço e como. Descubra experimentando. a seda da Formatex compôs almofadas compridas. como é a iluminação. Numa folha de papel.Origem da palheta de cores da sala. cole a referência da tinta e as amostras de tecidos . tons quentes darão a impressão de encolhimento.

"Um pouco de vermelho na sala de jantar desperta o apetite. ensina Patrícia Douat Garcia. Porém o que fazer com aquela vontade de aquecer um pouco mais as paredes? Uma saída confiável é adotar os off-white. Cor e humor Por último. explica. mas você não precisa reproduzir uma cantina italiana em casa. "Leve essa cartela às compras e veja se a peça que deseja adquirir se encaixa na composição". Tinta nas paredes Você já deve ter ouvido alguém falar que uma maneira segura de decorar com cores é ter paredes brancas. com iluminação artificial. No caso desses tons insinuados e também na escolha de uma nuance bem definida.escolhidos. Trabalhar com pistache e cereja fica muito mais interessante". estofados beges e crus e deixar o colorido para os acessórios. pois ele favorece fugir do óbvio. faça um teste prévio: compre 1/4 de galão e pinte dois quadrados de 1 x 1 m. "O efeito na parede é diferente da percepção no catálogo". o branco com um leve toque de outros pigmentos. "A cor complementar do vermelho é o verde. Azul na sala da família propicia encontros tranqüilos. Portanto. Observe-os durante o dia e à noite. lembre-se de que as cores mexem com as sensações. diz o professor César. Um ótimo guia para descobrir associações harmônicas é o disco cromático. especialmente se você utilizar um modelo rico em gradações . Divulgação . estudiosa de psicodinâmica das cores. um na parede de maior incidência de luz e outro na mais escura do ambiente. use-as para trazer equilíbrio à vida. Laranja no escritório ativa a criatividade". isto é. ensina a professora Sueli.

ou complementares. No entanto. faça um recorte no disco e procure decorar com as tonalidades dessa área”. “Para compor uma harmonia de cores vizinhas. que pode entrar em detalhes.Oriente-se pelo disco cromático Criado no século 18. lembre-se de incluir nuances do lado oposto do ciclo. como flores e objetos Por que a combinação de tons deu certo nestes ambientes Divulgação . o olho busca a complementar. para ter um ambiente gostoso. o ciclo cromático organiza os matizes da natureza e serve de instrumento para estabelecer combinações equilibradas. diz a professora Sueli Silva. “Trata-se de um fenômeno físico: exposto a uma cor.

a cor complementar – verde – surge na vegetação. A luz natural traz leveza ao visual Divulgação .Na sala em que há dominância do vermelho.

O mostarda segue a mesma linguagem Divulgação .As complementares aparecem em versões pouco saturadas: rosa-queimado e verde-aguado.

O tecido que inspirou o projeto exibia uma combinação feliz. Derivar as outras nuances dessa estampa trouxe coerência à sala repórter visual: ZIZI CARDERARI texto: LÚCIA DANTOS GUROVITZ .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful