HISTÓRIA DE SANTA CATARINA PROFESSORA: MARILÉIA VANIN HISTÓRIA DE SANTA CATARINA NO PERÍODO REPUBLICANO 1 PERÍODO REPUBLICANO – Século XIX

e XX Com a República o Brasil mudou a forma de governo, trocou a bandeira, ganhou nova constituição, separou a Igreja do Estado, substitui a província pelo Estado que teoricamente ganhariam mais autonomia, de acordo com a constituição de 1891, mas na verdade a estrutura econômica e social foi pouco alterada. O governo do primeiro presidente republicano, Marechal Deodoro da Fonseca, durou apenas nove meses (de fevereiro a novembro 1891), o vice de Deodoro, Marechal Floriano, ignorou a constituição que pregava novas eleições e assumiu o poder. Em Santa Catarina, uma junta governista composta por Raulino Horn, Coronel João Batista do Rego Barros e pelo Dr. Alexandre Marcelino Bayma, assumiu o poder sem que houvesse qualquer contestação. Mais tarde foi escolhido o Tenente Lauro Severiano Muller como governante. 1.1 Revolução Federalista - 1893-95 Movimento de contestação ao governo Floriano Peixoto, iniciado no Rio Grande do Sul, estendeu-se para solo catarinense. Em 1893 os federalistas tomaram a capital do Estado, Desterro, e aí permaneceram até serem derrotados pelos florianistas (legalistas), comandados pelo coronel Antônio Moreira César. No Rio Grande do Sul, em 1893, estourou um violento conflito entre dois partidos: - Partido Republicano Rio-Grandense(PRR) – defendia a forma de governo republicana e o sistema presidencialista. Era adepto do positivismo e tinha o apoio político-militar de Floriano Peixoto. Mantinha aliança com o chefe do governo gaúcho Júlio de Castilhos. Apelidados dos republicanos: pica-paus. - Partido Federalista – apoiava a forma de governo republicana, mas defendia o parlamentarismo. Pretendia revogar a Constituição gaúcha que naquela época permitia a reeleição indefinida do presidente do estado (atual governador). Os federalistas eram liderados por Silveira Martins e contavam com muitos partidários entre os tradicionais estancieiros gaúchos. Apelidados dos federalistas: maragatos. Os federalistas uniram-se aos rebeldes da Armada, no Rio de janeiro, e ameaçaram atacar o Estado de São Paulo. A Revolução Federalista transformou-se numa luta sangrenta, provocando a morte de aproximadamente 10 mil pessoas. Teve fim somente em 1895, já no governo de prudente de Morais, sucessor de Floriano Peixoto. Segundo a maioria dos autores, o terror foi implantado em Desterro, com famílias sendo desrespeitadas e perdendo integrantes que seriam punidos com o fuzilamento na Ilha de Anhatomirim. Em 1894 o Parlamento catarinense aprovou a mudança do nome da cidade de desterro para Florianópolis. 1.2 Guerra do Contestado – 1912-16 Movimento de caráter messiânico desenvolvido em uma região de Santa Catarina contestada (disputada) pelo estado do Paraná. O “território Contestado” localizado entre os rios Iguaçu (ao norte) e Uruguai (ao sul), da Serra Geral (a leste) até a fronteira com a Argentina (a oeste). Nessa região era muito grande o número de sertanejos sem-terra e famintos que viviam sob a dura

2 OS GOVERNADORES DE SANTA CATARINA Santa Catarina teve os seguintes governadores: LAURO MÜLLER MANOEL J. . e a Brazil Railway.A Revolução de 1930 em Santa Catarina.Os governadores da Ditadura Militar: Ivo Silveira (eleito). com o apoio das tropas do governo.O governo e a interventoria de Nereu Ramos. Colombo Sales.A novembrada em 1979. Paciência e Canoinhas. com o afastamento do governador Fúlvio Aducci.exploração dos fazendeiros e de duas empresas norte-americanas que ali atuavam: Southern Brazil lamber and Colonization. Após a morte de João Maria. Semelhante a Canudos.3 Outras situações . Com isso. em visita a Florianópolis. normas igualitárias e não obedecia à ordens das autoridades da República Velha. MACHADO HERCÍLIO LUZ FELIPE SCHMIDT VIDAL RAMOS GUSTAVO KONDER ADOLPHO KONDER FÚLVIO ADUCCI NEREU RAMOS ADERBAL RAMOS IRINEU BORNHAUSEN JORGE LACERDA HERIBERTO HÜLSE CELSO RAMOS IVO SILVEIRA COLOMBO SALLES ANTÔNIO CARLOS KONDER REIS JORGE BORNHAUSEN HENRIQUE CÓRDOVA ESPIRIDIÃO AMIM HELOU FILHO PEDRO IVO CAMPOS CASILDO MALDANER 1889/1891 – 1918/1923 1892 1894/1898 – 1918/1922 – 1922/1925 1898/1902 – 1914/1918 1902/1906 – 1910/1914 1906/1910 1926/1930 1930 1935/1937 – 1937/1945 1947/1951 1951/1956 1956/1958 1958/1961 1961/1966 1966/1971 1971/1975 1975/1979 – 1993/1994 1979/1982 1979/1982 1984/1988 1988/1990 1990/1991 . Os sertanejos do Contestado começaram a se organizar contra a situação que os oprimia sob a liderança de um “monge” chamado João Maria. . conhecido como José Maria (seu verdadeiro nome era Miguel Lucena Boaventura). Em agosto de 1916. ferroviária. Os sertanejos do Contestado foram violentamente perseguidos pelos coronéis e pelos donos das empresas estrangeiras. nos vales dos rios Timbó. episódio político de contestação ao presidente João Figueiredo. 1. José Maria reuniu mais de 20 mil sertanejos que lutavam por um pedaço de terra e uma vida mais justa. a “monarquia” do Contestado tinha um governo próprio. Antônio Carlos konder Reis e Jorge Bornhausen (todos escolhidos indiretamente). . e a oeste do rio do Peixe. Fundou com eles alguns povoados que compunham a chamada “Monarquia Celeste”. os catarinenses assumiram de fato. surgiu em seu lugar um outro “monge”.a administração das terras ao sul dos rios Negro e Iguaçu. Timbozinho. dividindo entre si o território Contestado. que chegou a ocupar a Presidência da República em 1955. de madeira e colonização. os governadores do Paraná e de Santa Catarina assinaram um ”Acordo de Limites”. no Rio de Janeiro.

Deputado federal e constituinte de 1934.5 Adolfo Konder Político brasileiro (Itajaí/SC 1885 – Rio de Janeiro/RJ 1956). 2. Governador de Santa Catarina de 1898 a 1902 e de 1914 a 1918. Deputado-geral em 1888.D. Nas primeiras eleições (setembro de 1890) para a constituinte. foi eleito deputado e reeleito nas legislaturas seguintes. Da equipe que projetou (1888) a estrada União da Vitória-Palmas. Voltou ao senado (1907 e 1912). Pertenceu à Academia Brasileira de Letras. 2. Chegou ao generalato. 2. Elegeu-se deputado à constituinte e à primeira legislatura ordinária do congresso nacional.1915) e novamente governador (1922-1924). já como chefe da política conservadora republicana em Santa Catarina. Rodrigues Alves. opôs-se ao movimento revolucionário de 1930. senador (1900. ocupou o governo por ter o titular. várias vezes (de 1903 até 1926).4 Vidal Ramos Político brasileiro (Lages/SC 1866 – vice-governador do Estado (1902 a 1906). Participou da campanha civilista de Rui Barbosa e ingressou no ministério das Relações Exteriores a convite do Barão do Rio Branco. Senador (1915. Rio de Janeiro/RJ 1954). Foi o sucessor do Barão do Rio Branco na pasta do exterior (1913). Eleito (1918). Com a vitória da revolução.VILSON KLAINÜBING PAULO AFONSO EVANGELISTA VIEIRA ESPIRIDIÃO AMIN HELOU FILHO LUÍS HENRIQUE DA SILVIERA LEONEL ARCÂNGELO PAVAN 1991/1993 1994/1998 1999/2002 2002-2006/2006-03/2010 03/2010- 2. Tenente foi nomeado governador do Estado de Santa Catarina (1889). embora não tenha voltado ao exército desde a revolução de 1894.1905. Em 1934.N. 2.1 Lauro Müller Político e militar brasileiro (Itajaí/SC 1863 – Rio de Janeiro/RJ 1926). até 1899. não assumiu para permanecer no senado até 1926. Deputado federal (1906 e 1909). deixou o cargo. depois da renúncia do marechal Deodoro da Fonseca. Lauro Müller.6 Nereu Ramos . Um dos construtores da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. elegeu-se novamente deputado federal. 2. foi agastado do governo de Santa Catarina.3 Felipe Schmidt Engenheiro militar e político brasileiro (Lages/SC 1859 – Rio de Janeiro/RJ 1926). Participou ativamente da campanha pela redemocratização do país. assumido a pasta da Viação na presidência renunciou pouco depois. mas por ser contrário à entrada do Brasil na Primeira Guerra Mundial e por sua ascendência. Senador (1900). Governador de Santa Catarina (1926). figurando entre os fundadores da U. Eleito governador do seu Estado (1894-1898). governador do Estado (1910-1914). perdendo o mandado com a decretação do Estado Novo (1937). Em fevereiro de 1890. voltando ao senado (1917). Novamente governador do Estado (1902(. realizou inúmeras obras de saneamento da capital catarinense e a primeira ponte que ligou o continente a Ilha de Santa Catarina (ponte Hercílio Luz).2 Hercílio Luz Político brasileiro (Florianópolis/SC 1860 – idem 1924). promoveu a pacificação da política. Em seu governo. depois de três anos de mandato renunciou para ocupar no governo do presidente Rodrigues Alves a pasta da Viação. renunciou. por ter sido eleito 1927 e 1935-37).

permanecendo no cargo até o final do Estado Novo (1937-45). deputado federal (presidente da câmara de 1951 até 1954).Político brasileiro (Lages/SC 1888 – Curitiba/PR 1958). 3A REVOLUÇÃO DE 30 EM SANTA CATARINA – A Era Vargas (1930-45) Políticos fiéis a Washington Luis: Fúlvio Aducci (presidente do Estado).. Gil Costa. Em 1955. cargo que exerceu até 1957. Passou a presidência da república a Juscelino Kubitschek.4. foi presidente da grande comissão constitucional. Santa Catarina não aderiu à Revolução e o comandante da Brigada Militar do Rio Grande do Sul. 3. Nereu Ramos chegaria à Presidência da República em 1955 quando ocupava o cargo de vice-presidente do Senado. assumiu a presidência da república durante a viagem ao exterior do presidente Dutra.15% das exportações). Criação do Território do Iguaçu (1943-45) por Getúlio Vargas.3 Governos Provisórios de 1945 a 1947 Ministros (STF José Linhares. quando o congresso nacional decretou o impedimento de Carlos Luz e o de Café Filho.2 Irineu Bornhausen (UDN/1951-56) Enfoque à agricultura (Secretaria da Agricultura-1953) e obras no interior do Estado.2 O Governador de Nereu Ramos Ampliação e modernização do sistema de saúde e educação (nacionalização do ensino). com outros políticos fundou o P. mas uma adaptação à nova realidade mais urbana ( elite “bacharelesca”).1 Aderbal Ramos da Silva (PSD) e José Boabaid(1947-51). a 31 de janeiro de 1956. Nesse ano. Com o golpe de 1937. 3. general Ptolomeu Assis Brasil. Em 1950. Não houve a extinção do sistema oligárquico em Santa Catarina. Desenvolvimento econômico especialmente durante a II Guerra (carvão e madeira – 34.D. Conclusão da reforma do ensino primário. de Acordo com a nova Constituição (1934). Vitor Konder (ministro da viação de Washington Luis). Integrantes da Aliança Liberal: Nereu Ramos. constituinte de 1934. Nereu Ramos foi eleito governador foi eleito para governador de Santa Catarina (1935). As famílias Ramos. seus irmãos Adolfo e Marcos Konder. Luis Gallotti e Udo Deeki). Em 1930 e 1933 foi eleito deputado federal. vindo do interior. Nereu Ramos foi confirmado como interventor do Estado. Othon Gama d’Eça.4 Os governos Estaduais de 1947 a 1964 3. grave crise política (após a vitória política nas urnas de Juscelino Kubitschek) fê-lo assumir novamente a presidência da república. em 1954.4. 3. Interventor federal em Santa Catarina. dentre outros. a 11 de novembro. novamente senador. Luiz Galloti. Konder e Bornhausen ( no poder desde 1902 com Vidal Ramos) continuaram a ter os seus representantes de forma direta e indireta no Executivo de Santa Catarina até a eleição de Pedro Ivo Campos em 1986. Em 1949. Grande fluxo colonizador originário do Rio Grande do Sul iniciado em 29. Nos trabalhos da constituinte de 1946. Oswaldo Meio e Gustavo Neves. exerceu esse cargo até 1945.1 Os Interventores Os gaúchos Assis Brasil (1930-32) e Rui Zoboran (1932): Aristiliano Ramos (1932-35). 3.4. Governador do Estado em 1935.S. Francisco Barreiros Filho. teve o seu mandato interrompido pelo Estado Novo (1937). Elegeu-se vice-presidente da república pelo congresso nacional. derrotou os resistentes em menos de um mês. 3. pelo qual se elegeu senador e deputado. sendo nomeado ministro da Justiça. iniciado por Nereu Ramos. optando pelo senado.3 Jorge Lacerda e Heriberto Hulse(PRP/UDN/1956-1961) . 3.

1 Ivo Silveira (PSB. o presidente da conciliação”. A política do desenvolvimentismo de JK e a Aliança para o Progresso influenciaram estes planos de governos que priorizavam o rodoviarismo. Ampliação e construção de usinas (Tubarão). o povo quer comer”./1966-71) Eleito em 1965. Na visita. Uma semana antes da visita o Presidente havia dado um “presente” a Florianópolis. a indústria. 5. Processo de Impeachement. até houve maior equilíbrio. O DCE da UFSC resolveu convocar a população para um ato de protesto que também foi aprovado pelos professores da mesma universidade. da crise do petróleo.4 Celso Ramos Fundação do BESC. Da sacada. Bornhausen não poupou gastos e elogios na recepção do Presidente: “João. sinal que . dentre outras. em frente ao Palácio Cruz e Souza e frase do estilo “Abaixo a fome”. 4 PERÍODO MILITAR (1964-1985) 4. conclusão da estrada da Serra do Rio do Rastro e outras rodovias.PTB etc. para se tornar prática constante dos governadores seguintes: Ivo Silveira (Plameg II). 5.“Desenvolvimentista”. “chega de sofrer.POE) ganha maior força com o (Plano de Metas do Governo-Plameg). ainda pelo sistema anterior ao golpe militar de 64. 3.4.2 Colombo Salles/Antônio Carlos Konder dos Reis (1971-78). No caso de Santa Catarina. Faculdade de Filosofia e planejamento da cidade universitária (UFSC).4 Paulo Afonso (1995-1999). Os governadores seguintes foram eleitos pela ARENA de forma indireta (bipartidarismo no Brasil de 1966 a 79). Durante uma visita do General-presidente da República João Baptista Figueiredo a Florianópolis. Primeiro asfaltamento (Rod. a socialização do ensino (escolas públicas) e a saúde. manteve-se até o final do mandato no poder (muitos governadores foram cassados em todo Brasil).3 Jorge Konder Bornhausen?Henrique Córdova(1979-83). O planejamento governamental (iniciado na época de Irineu Bornhausen com o (Plano de Obras e Equipamentos. 4. 4.1 Esperidião Amim (1983-87): Primeira eleição direta para governador do Estado. muito esquecidos e quase abandonados foram os transportes ferroviário e o marítimo (este último com algum progresso nas duas últimas décadas). comprimiu o dedo polegar e o indicador. Único eleito diretamente em duas oportunidades. ganhavam força. a agricultura.03/2010) 5. construção de hospitais etc.2 Pedro Ivo Campos/Casildo Maldaner (1987-91) Nova constituição do Estado de Santa Catarina (1988). 5 FIM DO PERÍODO MILITAR E NOVA REPÚBLICA 5.3 Wilson Kleinubing/Antônio Carlos Konder dos Reis (1991/1995). a energia elétrica. 5. Colombo Salles ( Projeto Catarinense de Desenvolvimento) e assim por diante.6 Luis Henrique da Silveira (2002-2006/ 2006.7 Leonel Arcângelo Pavan (03/2010. Contudo na área dos transportes.5 Esperidião Amim (1999-2002). Jorge Lacerda). Faculdade de Medicina. quando Jorge Bornhausen governava Santa Catarina. 5. uma placa homenageando o patrono da cidade o Marechal Floriano Peixoto. com maior destaque aos quatro primeiros pontos. da TELESC e da CELESC. 5. até os governos atuais. o Presidente fez um gesto a população.) A Novembrada 1979 Este episódio ocorreu no dia 30 do novembro de 1979. do alto do custo de vida. Apoio à eletrificação rural. uma revolta popular eclodiu na Praça XV. É bom lembrar que a população vivia a Day after do milagre econômico e estava sob a égide do arrocho salarial.

Outras curiosidades catarinenses A Festa do Divino A farra do Boi Os viajantes: . é bom estar atento às notícias sobre desenvolvimento de tecnologia. iniciado em 1964. do qual era diretor e onde fazia um jornalismo socialmente atuante e denunciador de falcatruas e nepotismo vigentes nos órgãos púbicos. foram libertados no mesmo ano.representa OK para os americanos.Binot Paulmier de Gonneville. mil queremos que o Figueiredo vá. b) Atualmente: Diversidade de produção agrícola.. Estudantes foram presos.. Na condição de capitão do navio Francês Espoir. Atualmente está em restauração. a partir deste episódio o corpo de protesto aumentou tomando como exemplo a novembrada. cinco. ele deve ter passado por São Francisco do Sul em 1504. fundação das vilas de São Francisco. objetivando a integração da capital Florianópolis com o interior. Depois deste gesto presidencial as frase mudaram de tom: “Abaixo Figueiredo. Em 1557 publicou um livros na Alemanha sobre suas aventuras. jornalista. Seus assassinos o atacaram no interior do Jornal Folha Nova. não sendo enquadrados na LSN (Lei de Segurança Nacional). Tornou-se jornalista e praticou advocacia. temas frequentes da prova são: homem do Sambaqui e Carijós. quatro. A ponte. Deixou uma “relação de viagem” em que narra a sua vinda ao Brasil.Hans Stadem. extrativa e agropastoril. ATUALIDADES HISTÓRIA Sobre história de Santa Catarina. Sua inauguração aconteceu em 1926. a placa de homenagem a Floriano Peixoto instalada debaixo da tradicional figueira foi arrancada por populares. De origem alemã. Neste ano.”. móveis. quando Hercílio Luz. A revolta tomou conta da cidade e. festas tradicionais e Política atual. Antonieta de Barros: Educadora. cerâmica e motores elétricos. turismo no Estado. escritora e a primeira mulher eleita à Assembleia Legislativa de seu Estado. já havia morrido. Guerra do Contestado e Segunda Guerra Mundial. têxtil. alimentos. com 821 metros de comprimento. dois. A Economia: a) Início da República: Agrícola extrativa e com pequena industrialização. naufragou e foi feito prisioneito dos indígenas. Desterro e Laguna. Além disso. o povo não tem medo”. com muitas observações sobre os índios que aqui habitavam. três. e por sessão estudantil. Viajou em uma expedição que vinha para a América do Sul. Crispim Mira: Nasceu em Joinville em 1880. . . Em 1927 sofreu um atentado que o levou a morte. mas que possui sentido obsceno no Brasil. A ponte Hercílio Luz: A ponte foi construída entre 1922 e 1926. os temas da atualidade. A Sociedade: Marcada pela diversidade cultural em função dos diferentes povos formadores da população do Estado de Santa Catarina. Um. metalmecânico. os movimentos que pediam o fim do regime militar. A novembrada marcou em Santa Catarina e no Brasil. foi construída por iniciativa do governador Hercílio Luz. colonização alemã e italiana.

plano estratégico da CDB – Foi só na década de 90. “Mesmo . E o Brasil é o África. centímetros por ano. magnitudes em nosso demonstrou que as unidades território. que o apartheid isso raramente sente os abalos. internacional. a habitat. avaliada a execução do outra mais pesada (oceânica). hoje considerada causados pelo choque entre as placas. depois foi o responsável pela criação ou seja. cerca de 1000 pessoas. Nesse ano tivemso de conservação e terras dois grandes Terremotos um indígenas da Amazônia no Haiti (7. O mundo conseguiu cumprir a Nelson Mandela e de uma Brasil está situado no meio de meta de reduzir a perda de uma placa continental: por grande mobilização biodiversidade. espécies estão ameaçadas de inimigas em um mesmo país) por exemplo. acontece a uma estruturas jurídicas e políticas. Euroasiática. biodiversidade do velocidade média de 5 como o apartheid. O movimento esforços de conservação são mas isso não significou a divergente é o de afastamento cada vez mais urgentes e igualdade de direitos. movimentando Unidas (ONU) declarou que Fome e doenças. Grande parte constantemente. ocorrida há milhões de após a independência. E o torno da décima edição da movimento de subducção.2°) Onde morreram 2050.DICAS VESTIBULAR 2011: BIODIVERSIDADE ÁFRICA TERREMOTOS A Assembleia Geral da Falar de África sempre vem As placas estão se Organização das Nações em nossa mente Conflitos. foi extinto. segregavam mundo.As expectativas em a maior parte da população. pela caça e pelas Placa da Índia e a Placa África do Sul que conseguiu a mudanças climáticas. . porque uma placa mais leve direitos como ter propriedade durante a conferência será (continental) por cima de da terra. foram resultado extinção pela perda de do choque entre duas delas. porém é comum Grupo de cientistas um emergente destaca-se na terremotos de équenas brasileiros e americanos extração de minérios. primeiro país em anos. No atual separação dos páises no qual movimento. em que um não respeitou a etnia(deixando são placas que se aproximam: número crescente de tribos divididas e outras as montanhas do Himalaia.7°) Onde podem evitar a emissão de morreram aproximadamente cerca de 8 bilhões de 250 mil pessoas e outro no toneladas de carbono até Chile (8.a separação da América e da necessários. As convergentes contexto. os sua independência em 1961. que era negra. restringindo COP estão altas. será discutido se o de muita luta do líder negro da Cordilheira dos Andes. Podem ser 2010 é o ano da dos Conflitos tem haver com a classificadas conforme esse biodiversidade.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful