Você está na página 1de 5

FACULDADE DO FUTURO

GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM

FERNANDO PENNA
MEIRY MARTA MARTINS DE ASSIS
SÉRGIO

ACIDENTE VASCULAR
CEREBRAL

MANHUAÇU
2008
FERNANDO PENNA
MEIRY MARTA MARTINS DE ASSIS
SÉRGIO

ACIDENTE VASCULAR
CEREBRAL

Trabalho de estágio realizado na Unidade


de Terapia Intensiva, sob a supervisão da
preceptora Cíntia Miller.

MANHUAÇU
2008
Sumário

I CONSIDERAÇÕES INICIAIS..............................................................1
II METODOLOGIA.................................................................................2
III REVISÃO DE LITERATURA............................................................3
3.1 PATOLOGIA......................................................................................4
3.2 ETIOLOGIA......................................................................................5
3.3 SINAIS E SINTOMAS......................................................................6
I CONSIDERAÇÕES INICIAIS

A enfermagem, em muitos tipos de ambiente de prática, depara-se com pacientes que


apresentam função neurológica alterada. Os distúrbios do sistema nervoso podem acontecer
em qualquer momento durante o espectro de vida, podendo variar de sintomas brandos e
autolimitados, até distúrbios devastadores, com risco de vida. O histórico, em ambos os casos,
exige conhecimento da anatomia humana e fisiologia do sistema nervoso. Também é essencial
o conhecimento a respeito das implicações e prescrições de enfermagem relacionadas com o
histórico e exames diagnósticos.
A doença neurológica pode ser estável ou progressiva, com períodos isentos de sintomas
intermitentes ou, por vezes, com flutuações nos sintomas. Por conseguinte, a história da saúde
inclui detalhes sobre o início, caráter, gravidade, localização, duração, e freqüência, fatores
agravantes e atenuantes.
As principais manifestações clínicas associados à doença neurológica são: dor, convulsões,
tonteira, distúrbios visuais, fraqueza, sensação anormal (dormência).
As anormalidades cerebrais podem provocar distúrbios no estado mental, no funcionamento
intelectual e no conteúdo do raciocínio, bem como nos padrões do comportamento emocional.
Elas também podem ser alterações na percepção, capacidade motora e de linguagem, bem
como no estilo de vida. Em muitos dos casos, o médico solicita uma Imagem por Tomografia
Computadorizada, que fornecem visualizações transversais do cérebro, com diferenças
evidenciáveis nas densidades tissulares do crânio, córtex, estruturas subcorticais e ventrículos.
As lesões no cérebro são percebidas como variações na densidade tissular que se distinguem
do tecido cerebral normal circunvizinho. As anormalidades do tecido indicam possíveis
massas tumorais, infarto cerebral, deslocamento dos ventrículos e atrofia cortical.
Os problemas neurológicos constituem uma ocupação cerca de 60% dos leitos da UTI do
Hospital César Leite.
Neste contexto buscou-se realizar revisão de literatura sobre o tema, que permitisse a
discussão e adequação de propostas passíveis de serem implementadas pela enfermagem no
cuidado com o paciente neurológico nesta UTI.
A relevância do tema tem como base a contribuição na sensibilização dos profissionais de
enfermagem, da importância das ações a serem realizadas para este tipo de paciente.
II METODOLOGIA

A metodologia utilizada envolveu