E x p l o r a n d o u n i v e r s o d a a D i s t â n c i a

S a n d r a H V e r ô n i c a ( O r g s . )

o E

e l e n a R A r a ú j o

T e x t e l a b o c u d a E

o o r d

s c o l a r a d o s s o E x p u c a ç ã

b o r a t i v d u r a n l o r a n d o a D i s

L A B O R A T Ó R I O D E E D U C A Ç Ã O

D A

O

D

S

I S

A
1

T

M

Ã

O N

2

Explorando o Universo da Educação a Distância
Sandra Helena Rodrigues Verônica Araújo (Organizadoras)

Coordenação do Laboratório de Ensino a Distância Dosa Monteiro Fundação Joaquim Nabuco Recife - 2012

3

4

SUMÁRIO

Texto 1 Educação a Distância ....................... 11 Texto 2 Limites e possibilidades da Educação a Distância ............................................ 21 Texto 3 Um olhar sobre a Educação a Distância .................................................... ......... 27 Texto 4 Perspectivas da EAD no Brasil ........ 37 Texto 5 Desafios da Educação a Distância .... 59

5

6

O curso Explorando o Universo da Educação a Distância, iniciativa da Coordenação do Laboratório de Ensino a Distância da Fundação Joaquim Nabuco foi criado no ano de 2010, com o objetivo de oportunizar as pessoas que estavam se iniciando no vasto campo da educação a distância a conhecerem e explorarem os recursos, legislações e características da EAD e terem uma ampla visão da educação a distância de forma a poder posteriormente se integrar a esse campo tão novo -, salientando-se que “novo” no sentido, de que tem-se na atualidade novas ferramentas tecnológicas que possibilitam novas formas de porém ensinar a distância sem distância -, recente.

sabendo-se que a EAD já existe, não sendo algo

7

Neste sentido, buscou-se desenvolver um curso a distância, utilizando-se de um ambiente virtual de aprendizagem, onde o aluno ao mesmo tempo que explorava o universo da educação a distância a partir de leituras e atividades práticas, também se inseria no ambiente virtual podendo assim vivenciar a sala de aula virtual e a partir disso compreender esse novo universo. Sabe-se no entanto que estar conectado e conhecer os recursos da Internet é hoje não apenas uma opção, mais uma necessidade efetiva porque, a cada momento amplia-se a variedade de recursos e possibilidades de uso da Internet, sendo quase uma mídia usual na vida cotidiana das pessoas. Isso então facilita a compreensão dos novos alunos nos ambientes virtuais de aprendizagens que, facilmente se adaptam ao formato de aula on-line. Numa forma de tornar dinâmico o curso, propôsse uma atividade final que possibilitasse ao alunado demonstrar seu grau de conhecimento ou 8

vivencia do que aprendeu no período em que esteve inserido no ambiente e essa atividade partiu da intencionalidade de que, a partir do coletivo se pudesse delegar aos mesmos, que descrevessem coletivo. Neste documento transcrevemos alguns dos textos coletivos produzidos nas salas de aula virtual do curso Explorando o Universo da EAD, de forma que pode-se observar e avaliar o grau de conhecimento adquirido ou ampliado no curso. São visões dos próprios alunos trabalhados em cima de conceitos explorados durante o curso. Para nós que fazemos a Coordenação do Laboratório de Ensino a Distância Dosa Monteiro, este documento é uma forma de apresentarmos e demonstrarmos que a educação a distância pode ser efetivamente utilizada, pois de fato os alunos se inserem no com processo os e constroem tutores/ 9 conjuntamente educadores/ sua visão conceitual da aprendizagem e assim a idéia da criação do texto

professores conhecimento ampliando-se assim novas formas de aprender a aprender. Nosso propósito é ampliar e promover novas formas de ensino de forma que os papeis dos atores envolvidos professores sejam possam cooperativos: alunos e conjuntamente produzir

conhecimento abrindo assim novos olhares e novas possibilidades de aprendizagem. Sandra Helena Rodrigues
Coordenadora do Laboratório de Ensino a Distância Dosa Monteiro. Fundação Joaquim Nabuco

10

[TEXTO 1]

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

As

transformações

estruturais

na

sociedade

contemporânea somadas às novas tecnologias de comunicação e de informação (TIC´s) resultaram em novos cenários culturais, o que Giddens (1990) entende como uma intensificação das relações sociais em escala mundial, enquanto que alguns autores, como Lyotard (2004), advogam a emergência de de um novo paradigma com características uma ruptura interminável,

relacionada a uma condição pós-moderna, ou ainda, autores como Bauman (2003) que trata do conceito de pós-modernidade como uma condição humana. do As mudanças da também afetam os ambientes técnicos e econômicos por intermédio processo globalização, cujas conseqüências podem ser vistas nas novas maneiras de percepção e de compreensão do 11

mundo em que o local é entendido sob a interpretação de um pensamento global, a sociedade é de espetáculos (DUBORD, 1967), crianças aprendendo sozinhas, interagindo com máquinas e equipamentos eletrônicos de última geração ou imergindo em um contexto virtual conhecido como ciberespaço. Essas novas gerações que lidam com esses novos aparatos tecnológicos, que hoje são considerados os nativos digitais, assim como todos que lidam com a educação, como os educadores, alguns deles considerados migrantes digitais, são continuamente solicitados a interagir com esse novo, de forma que, a educação na sua forma tradicional – aulas presenciais onde o educador repassa o conhecimento –, é confrontada com uma nova linguagem e novos contextos, onde o conhecimento flui de forma rápida. Neste sentido, é de fato importante compreender-se as TICs e a educação a distância como oportunidade para essa nova forma de aprender. 12

A educação a distância no Brasil teve seus primeiros registros no fim do século XIX, em meados de 1850. Aponta-se que agricultores e pecuaristas já aprendiam como plantar ou qual a melhor forma de cuidar do rebanho. Em 1923, a Fundação da Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, ocupou um papel de destaque na transmissão de programas educativos alcançando um grande número de pessoas em todo o território nacional. Outro grande passo foi o ensino por

correspondência, principalmente os cursos que ofereciam uma profissão técnica. Posteriormente houve um aperfeiçoamento da metodologia dessa educação à distância, associado às grandes inovações advindas da globalização. Surgiram novos meios mais modernos de comunicação, resultando numa educação à distância com um amplo contato de todas essas o inovações, uso de atualizações e diversas outras possibilidades disponíveis. Hoje ampliam-se ferramentas digitais como a Internet através de instituições de ensino e pesquisa ou mesmo 13

através do contato com estudiosos, especialistas e pesquisadores de todas as partes do mundo. Devido ao grande avanço da EAD nos últimos anos, várias ferramentas foram surgindo, o que abre um leque de possibilidades de se trabalhar com essa nova modalidade de educação. Essas ferramentas englobam desde as plataformas onde os cursos são construídos, as atividades disponibilizadas onde os alunos podem ser avaliados por sua produção, até sites que podem ser utilizados em diversas atividades como construção de texto coletivo, montagem de vídeos e arquivos de voz, por exemplo. Mais importante do que o acesso a essas ferramentas, é a reflexão sobre o uso pedagógicos delas, pois nada adiante se adotar tradicionais abordagens para o uso de algo completamente educação diferente do Novas vivenciado formas em de presencial.

construção do saber surgem continuamente e é isso que a educação precisa acompanhar. 14

Na questão observada em relação às ferramentas e a tecnologia aplicada a EAD, a mesma é deveras desafiante. O aparato didático pedagógico da EAD é fantástico e promissor. Alguns itens devem ser considerados como as ferramentas de pesquisa, as plataformas de ensino a distância, as ferramentas de comunicação e interação e as ferramentas de criação de blog. Sim, e qual o papel do professor neste contexto? Ele tem papel fundamental, como os demais atores. No entanto, sua função é mais ampla, pois é o responsável pela escolha dos conteúdos, da organização das salas e, principalmente, por ajudar o tutor à distância conhecer o assunto em tela. É importante, ainda, que desenvolva habilidades com a tecnologia, pois necessitará editar o material na plataforma (seja a moodle ou qualquer outra). Ao se observar que, o professor é aquele que sabe os conteúdos da disciplina de uma forma mais densa, o mesmo não deve se sentir "maior" ou "melhor" que os demais. 15

Ou seja, o conhecimento que ele tem deve ser compartilhado com os demais, tendo humildade e compreensão com aqueles que não têm o mesmo nível de conhecimento. Ao se refletir sobre o futuro da EAD procura-se uma compreensão no sentido de uma conotação social dessa modalidade de ensino. Ela está voltada para a apropriação do conhecimento de forma democrática, atingindo todas as classes sociais, tanto aos mais pobres quanto aos ricos, sem distinção racial, se para negros, pardos ou brancos, quanto à localização, se o indivíduo está na cidade ou no campo. Além disso, a EAD pode disponibilizar um acesso imediato dos grandes acontecimentos e descobertas atuais, construindo um indivíduo com uma visão ampla e crítica das transformações globais. Dessa forma, o futuro da EAD está diretamente relacionado com o favorecimento da inclusão social, que a cada dia vai aumentando e atingindo muitas pessoas que se encontravam alheias a 16

essa busca do conhecimento. Ainda é importante apresentar alguns dados considerados muito importantes pelos especialistas em educação a respeito do ensino a distância aqui no Brasil e que tem relação com o futuro dessa modalidade de ensino. De acordo com os dados estatísticos coletados na pesquisa feita no ano de 2008, estudada no módulo 4 – Panorama Atual da EAD no Brasil, deve-se levar em consideração: - a evasão escolar bem menor que no ensino presencial; - o setor privado é responsável por 75% dos alunos matriculados; - as regiões Sul e Sudeste respondem pela maioria dos cursos oferecidos; - a existência de muitos entraves legais os cursos de educação básica são pouco oferecidos; - a maioria dos alunos da EAD é formada por um público mais maduro com predominância do sexo feminino;

17

- a evasão na modalidade de ensino a distância é motiva principalmente em função de problemas de ordem financeira e desconhecimento da metodologia desta modalidade aos alunos, entre outras considerações. Os dados acima mostram uma situação bem animadora e promissora para o futuro da EAD no Brasil, mesmo com a existência de algumas situações que ainda devem ser bem melhoradas, até mesmo em virtude dessa modalidade de ensino ser nova e causar ainda várias dúvidas para o pessoal interessado em realizar cursos ou estudos através da EAD. O Brasil precisa crescer economicamente e isso só pode ser possível com cidadãos mais informados e qualificados, para incorporá-los nas novas possibilidades de tecnologias ao setor produtivo, o que demanda uma educação continuada e de qualidade. Por outro lado, esses processos de educação e de comunicação como aparelhos de emancipação social necessitam, antes de tudo, serem 18

integrados acesso

no

sentido a

de esses

atenuarem

as

desigualdades sociais e econômicas que o desnivelado equipamentos tecnológicos causam. Essa premissa leva à reflexão sobre o papel da educação à distância na condição de ser uma solução para as deficiências na educação, bem como viabilizar seu promissor vetor econômico. A conclusão deste pequeno ensaio aponta também para problemas relacionados com a aprendizagem no Brasil em que não há um histórico linear para um auto-estudo, muito menos condições favoráveis a maioria dos professores que teve deficiente formação profissional, recebe baixos salários, um precário ambiente laboral, além de um insuficiente tempo exclusivo para formação continuada trabalho. que Outros dentro da jornada emergem de das problemas ações

políticas públicas tecnocráticas como se observa, implementam educacionais preocupadas com o ensino em si em detrimento dos processos de aprendizagem, de forma que 19

venham atender as necessidades dos estudantes, suas condições para o estudo, motivações, potencialidades de cada um, entre outras. Nesse ponto, é importante observar todos esses fatores que são vitais para a sobrevivência do ensino à distância no Brasil.
(*) Esse texto é a síntese final das contribuições que foram enviadas pelos alunos durante o curso Explorando o Universo da Educação a Distância realizado pela Fundação Joaquim Nabuco no período de13 de outubro a 20 de dezembro de 2010. Contribuíram neste texto, Aldenir de Oliveira Alves, Jayro Pereira de Jesus, Jefferson Lindberght de Sousa, Luís Henrique Santos Passos, Maura Andrade Chagas e Sandra Cristina da Silva

20

[TEXTO 2]

LIMITES E POSSIBILIDADES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

A EAD veio para ficar no Brasil e no mundo. A tendência é o seu fortalecimento a cada ano que passa, onde os cursos devem melhorar suas metodologias e seus conteúdos, além de uma maior variedade dos cursos oferecidos. Os meios de transmissão como a banda larga e a difusão dos celulares, por exemplo, com recursos cada vez mais refinados e preços acessíveis, levarão provavelmente á popularização cada vez maior das informações. De acordo com o sociólogo Marshall McLuhan “o progresso tecnológico estava reduzindo todo o planeta à mesma situação que ocorre em uma aldeia”, ou seja, através da interação promovida pela educação a distância estamos mais próximos, mais presentes e capazes de participar 21

dos processos criativos da humanidade. Alguém no Brasil pode contribuir em pesquisas na Europa ou Ásia fazendo uso da mediação do computador. Dessa forma, a modalidade de ensino EAD veio pra desenvolver ainda mais a capacidade de compartilhar e produzir conhecimento de homens e mulheres unidos pelo computador. Segundo Jensen (1998), na perspectiva sociológica, interatividade é “a relação entre duas ou mais pessoas que, em determinada situação, adaptam seus comportamentos e ações uns aos outros”. Por isso, a educação a distância veio como uma forma de disseminar o conhecimento adquirido e experienciado entre os próprios agentes produtores do saber. A EAD tem mais potencialidades do que limites. Os números demonstram que o ensino a distância está se tornando uma forte modalidade educacional. Num futuro próximo, a EAD deverá apoiar o ensino presencial como um suporte

22

interativo no processo de ensino e aprendizagem, como acontece nos cursos semi-presenciais. O principal desafio desta proposta educativa é socializar sua cultura. A impressão que temos é que a EAD está acompanhando o avanço desesperado da tecnologia, no entanto o entendimento sobre como se dá a comunicação e a construção do conhecimento nessa perspectiva ainda não está totalmente disseminado. Por exemplo, dentre as várias situações vivenciadas nesta modalidade, a pior, sem dúvida, é perceber que um importante personagem do processo - o tutor, muitas vezes está preso ao formato presencial. Acredito que são duas modalidades distintas, cada uma com seu valor, sua história e formato, logo, cada uma deve ser administrada especificidades. O que podemos perceber é que a educação a distância está em constante desenvolvimento, 23 de acordo com suas

pois quanto mais dispomos de tecnologias e quanto mais estas avançam, mais benefícios trazem para tal modalidade de ensino. Contudo, é necessário qualificar os educadores e torná-los aptos às novas tecnologias, principalmente, aqueles que não acompanharam a expansão das mídias digitais, que são muitos. Para a EAD se consolidar em todas as regiões do país, visto que a maior quantidade de cursos localiza-se no sudeste, é preciso, também, de iniciativas por parte do governo: investimentos em IES, qualificação de profissionais (professores, tutores, designers) e, sobretudo, legislações voltadas para instituições e profissionais da área tudo isso está acontecendo aos poucos. Portanto, acreditamos que o futuro do ensino a distância é promissor, pois, além de todos os dados apresentados ao longo deste curso, é notável o desempenho das universidade em promover debates sobre o tema, como, por exemplo, a Universidade Federal da Bahia. 24

Ademais, um dos dados que, também, comprova o avanço e a consolidação da EAD no Brasil é o fato de que todas as universidades federais da região Nordeste, que só perde para a região Norte em distribuição de cursos em EAD no país, já possuem cursos a distância. Uma das dificuldades do ensino a distância é a forma de transplantar esse conhecimento tradicionalmente difundido na sala de aula para um outro meio, sendo atualmente o meio digital o mais popular. A internet está aí como mais uma ferramenta, oportunidades. informação cheia pode se de tornar informações este excesso também e de numa Entretanto

dificuldade, tendo em vista que pode ser dificil digerir tanta informação. O papel do professor deve ser portanto, conhecer bem essas tecnologias e orientar os alunos para o melhor aproveitamento possível. Desafios e obstáculos estarão presentes no futuro a EAD, modelos e hábitos já consolidados no 25

ensino presencial irão exigir muita capacidade, competência e maturidade para trabalhar esse novo paradigma. Ultrapassar esses desafios significa dizer que os vários atores conheçam seu papel na construção dessa modalidade de ensino e o trabalho em equipe será de relevância fundamental. harmonioso Além e de possuir um grupo à operacional, metodológico e tecnológico bem competente. Quanto aprendizagem acontecerá no fazer e refazer, na costura de um tecido que se dará a várias mãos.
___________ Esse texto é a síntese final das contribuições que foram enviadas pelos alunos Jaime C. Souza Jr., Emanuel Alcântara da Silva, Carlos Alberto C. Cordeiro,Mariana Lins Aragão,Cristiane Montarroyos S. Umbelino, Yvina Laryssa F. Ferreira, Marcelus Brito de Almeida, Fernanda G. Raposo, Ann Marie Moreira, Alzivane M. Cruz, Ana Paula C. A. Pedrosa durante o curso Explorando o Universo da Educação a Distância realizado pela Fundação Joaquim Nabuco no período de 09 de agosto a 17 de setembro de 2010.

26

[TEXTO 3]

UM OLHAR SOBRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Com a expansão dos meios de comunicação e da internet e a intensificação de seu uso pelas massas, a Educação a partir a da Distância rede tem se de consolidado como uma possibilidade de formação educacional mundial computadores. Nesse contexto, são explorados, sobretudo, os recursos da Internet, como também dos softwares educacionais, os quais se combinam e oferecem possibilidades ao processo de ensino/aprendizagem a longa distância. A educação a distância procura inserir o aluno como sujeito que constrói seu conhecimento, um sujeito que pesquisa, compartilha e descobre suas capacidades.

27

Para isso, prioriza o processo de interação, seja síncrona ou assíncrona, como forma de mobilizar este aluno. Cada indivíduo, com seu conhecimento, diferenças individuais e histórias de vida, é imprescindível para contribuição com o grupo e aprofundamento dos temas selecionados. Hoje a Educação a Distância (EAD) atinge um público maior do que antes, de todas as idades e de maneira mais atrativa, estimulando habilidades e despertando a curiosidade de aprender a aprender fazer, principalmente com o auxílio de diversos virtuais recursos tais presentes como nos ambientes wikispaces, blog,

videoconferência, chat, fórum de discussão, entre outros, os quais oportunizam interações no processo de construção do conhecimento. A utilização dessas e outras ferramentas de forma integrada contribui para o desenvolvimento da aprendizagem coletiva, construindo e reconstruindo novos saberes, além de dinamizar as atividades dos cursos. Nesse contexto, qual o papel do professor que atua em EaD? A comunicação nessa modalidade de ensino se 28

caracteriza por ser multidirecional, aproximando emissores e receptores e criando condições para aprendizagem colaborativa e significativa, envolvendo a todos num processo de autoria. Mediando e orientando os participantes nesse processo, temos a figura dos professores, que deverão estar atentos às atitudes dos alunos para que os mesmos se insiram nos a no processo momentos e colaborativo, adequados, interferindo facilitando

aprendizagem

provocando situações educativas que levem a uma avaliação processual e flexível e com uso de múltiplos referenciais. Protagonista de um papel tão primordial para o sucesso da aprendizagem significativa, o professor deve assumir atitudes para interação do grupo nesse ambiente, a destacar: · Ser capaz de tr açar o perfil do grupo de alunos que ele vai ser mediador, acolhendo-o e intensificando os vínculos afetivos; 29

· Dar apoio e suporte teórico qualificado para o desenvolvimento do curso e orientar o grupo na utilização dos recursos disponíveis na plataforma; · Interagir com os alunos de forma receptiva, bem como, promover a interação contínua entre os pares privilegiando um trabalho colaborativo; · Utilizar-se de linguagem clara de modo a facilitar a interpretação acerca do tema a ser discutido; · Estimular o aluno para consultas a outras fontes de pesquisa; · Apresentar respostas às perguntas feitas pelos alunos; · Dar importância às participações do aluno, comentando e incentivando; · Quando a postagem não estiver dentro do contexto da discussão, estimular o aluno a uma nova pesquisa; · Auxiliar os alunos que não estiverem interagindo, tentando resgatar a participação e envolvimento no processo de construção do conhecimento, ajudando na super ação de dificuldades e limites;

30

· Lançar subtemas ao tema central em pauta de forma a enriquecer a busca de novas compreensões; · Ter uma prática pedagógica reflexiva e flexível. Outra figura importante para garantir a qualidade dessas interações é o tutor, o qual deve atuar ora como facilitador ora como mediador. Ele deve incentivar os debates com perguntas e provocações intelectuais, bem como estar atento a ajudar e acompanhar as discussões par a que possa ser o agente no processo de construção do conhecimento de forma coletiva pelos discentes. O tutor deve ser um dinamizador das discussões. Em EaD, a falta de interação pode ocasionar a baixa produtividade e desistência. Então, faz-se necessário uma reflexão crítica a todos os profissionais que almejam exercer a função de professores, de forma a auxiliar construtivamente os alunos durante as etapas dos cursos nessa modal idade de ensino.

31

O Futuro da Ead Nossas crianças e adolescentes comentam que com as tecnologias da informação e comunicação eles aprendem mais e ao mesmo tempo se divertem. Hoje já não basta que uma pessoa estude e adquira uma competência no ensino formal. Este tipo de ação não garante mais emprego. Nem hoje e nem no futuro. Anteriormente aquele que trabalhava bem era aquele que dominava e conhecia mais conteúdos. Hoje já não se processa desta forma, mudou, o mais importante tornou-se saber onde encontrar uma informação confiável, como usá-la para resolver problemas, relacionar conhecimentos e trabalhar cooperativamente. Alguns autores como Moore (2007) comparam este processo ao da "Revolução Copernicana" para descrever esse momento de mudança de paradigma na educação. É uma nova maneira de 32

compreender o universo educacional. Ilustra a dimensão do impacto que um deslocamento do professor do centro desse universo vem causando a nossa sociedade, onde o aluno tem autonomia em sua atuação e é protagonista de suas aprendizagens. Um mundo de transformações enfrentamos hoje, e, conseqüentemente, a educação precisa acompanhar toda essa mudança, para adequar o processo de ensino-aprendizagem à realidade da nova geração que é ávida por tecnologia e que cresceu junto à toda essa aceleração. Estamos em um sistema apressado, contínuo e não-linear que visa o social a todo instante, uma vez que nos disponibiliza vários meios de estar com o outro, mesmo estando sozinho. Essa pressa tem nos impulsionado à profissionalização, ao aprendizado contínuo, e o papel da EaD, aliada às TIC's, é de grande relevância nesse cenário, pois permitiu que grandes barreiras fossem quebradas como a barreira "aprender da distância na física, a barreira física do do 33 apenas presença

professor", dentre outras. Sabemos dos percalços enfrentados na adaptação da EaD e, acreditamos, que alguns deles ainda existam, mas muito já se fez, permitindo que esta modalidade continue em crescimento Dessa forma, criar soluções de aprendizagem que os alunos possam acessar com certa freqüência e que despertem seu interesse e imaginação, acelerando o aprendizado e reduzindo os custos e o tempo, é a premissa básica de um programa de EAD.

Referência Bibliográficas Comunidades virtuais como técnica de

inclusão. Revista Pedagógica Pátio. Ano XII, Nº46, Mai o/Julho 2008. LAPA, Andrea Brandão, BELLONI, Maria Luiza. Introdução à Educação a Distância. Florianópolis: UFSC/CED/NUP, 2010.

34

MOORE, Michael. Educação a distância: uma visão integrada. São Paulo: Thomson Learning, 2007. Disponível em 06/04/2011 em http://www.abed.org.br/antiga/htdocs/paper_visem /fabiane_barreto%20.htm 06/04/2011 SATHLER, Luciano. Futuro incerto para a educação a distância. Disponível Acesso em: em http://www.educacaoadistancia.blog.br/futuroincerto-para-educacao-adistancia/. 03/04/2011 . TAVANO, P. T. Por um Coletivo Inteligente: A Construção dos Saberes em Pierre Lévy. I Congresso de Tecnologias na Educação, no ambiente Moodle. VILELA, F. M. Et alii. Interação e o processo de Aprendizagem Compartilhado e Colaborativo num F ó r um d e D i s c u s s ã o. D isp o n í v e l em <http: //www. abed. org.br/congresso2005/por/pdf/050tcc5.pdf> ______
(*) Esse texto é a síntese final das contribuições que foram enviadas pelos alunos Denise da Silva, Francinaide de Lima

pesquisada

35

Silva, Francisco Ivanilson da Costa Confessor, Leila de Almeida Castilo, Luzia Michelle Nunes da Silva, Mascleide Paula de Lima, Simonise José da Silva, Taciana Josefa da Silva e Tânia Cristina M. Cardoso durante a 4a. turma do curso Explorando o Universo da Educação a Distância realizado pela Fundação Joaquim Nabuco no ano de 2011.

36

[TEXTO 4] PERSPECTIVAS DA EAD NO BRASIL

Introdução

As mudanças de paradigmas são algo que, ultimamente, têm se mostrado freqüente na sociedade. Coisas que há anos atrás não eram utilizadas tornam-se presentes e outras que o uso era arraigado, hoje, são pouco utilizadas. A cultura não é estanque e sim encontra-se em constante movimento e sofrendo alterações. A velocidade que a Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) avança é surpreendente, e de "hora em hora", num tempo muito curto está oferecendo uma nova ferramenta capaz de conectar mais pessoas ao redor do mundo. As fronteiras hoje deixaram de ser linhas divisórias riscadas no chão, ou traçadas em mapas impressos em papel e passaram a ser encaradas 37

como aspectos culturais e sociais a serem superados. A transformação provocada nas sociedades modernas e pós-modernas com a popularização da Internet e a invenção de novos e sofisticados programas de computador, revelou um mundo novo bem diferente da época das grandes navegações, mas ainda cheio de diferenças na forma de ver e interpretar o mundo, o que muitas vezes gera conflitos,provoca a intolerância e aprofunda a exclusão econômica de milhões de pessoas. Esse talvez seja o grande desafio das sociedades contemporâneas, que ao passo que se conectam com as ferramentas da internet, nas redes sociais, no compartilhamento ainda de vêem conteúdos todo e esse descobertas,

desenvolvimento sendo negado a muitos jovens e adultos, especialmente nos países pobres da América do Sul, da África e da Ásia. Paradoxalmente, na mesma velocidade com que nos acostumamos a ter à disposição novas, modernas e velozes tecnologias de informação e 38

comunicação, também assistimos a exclusão de crianças e jovens que nunca alcançarão àqueles que hoje já acessam na escola, na biblioteca ou em casa essas fantásticas formas de aprendizado e de interação com o mundo moderno. A educação não se apresenta apartada dessa realidade; logo, pensar em educação é pensar além do binômio professor-aluno. Nesse caso, é agregar ao pensar uma série de ferramentas, metodologias e conteúdos diversos dos que se estruturaram ao longo dos anos e, para tanto, a educação a distância vem se perpetuando e se consolidando como uma nova modalidade de ensinar e de aprender. É nesse contexto que encontram-se vários dos desafios da Educação a Distância, na qual podese destacar o difícil acesso ao computador por comunidades interioranas que sem acesso a essa tecnologia não podem desenvolver uma cultura digital e de Ead. Outro desafio é a importância de investir na qualidade da educação presencial e a 39

distância. Não se pode pensar em educação, seja ela presencial ou a distância sem qualidade, principalmente em relação a qualificação profissional. Como pensar em um profissional mal qualificado? Como então disputar uma vaga no mercado? Um outro desafio que mostra-se como mais preocupante, é a necessidade da EAD espraiar-se como um instrumento eficaz e capaz desenvolver a educação.Fato é que a EAD deve desenvolver uma metodologia diferenciada das aplicadas nos bancos escolares, ela deve implementar e fomentar outras formas de proporcionar espaços e ambientes de aprendizagem, rompendo com o método diretivo em que se desenvolve a educação presencial, ou seja, fomentado a interatividade e a participação coletiva no ensino.

A EAD no Brasil A Educação a Distância começou com o correio, depois rádio, TV e foi se desenvolvendo graças 40

ao avanço tecnológico, crescendo no mundo inteiro, com várias instituições de ensino, atualmente implantando programas de ensino a distância. Embora a Educação a Distância tenha chegado no Brasil desde o início do século XX, foi apenas na década de 90, na Lei de Diretrizes e Bases de Educação N.º .9.394/96 que foi criado o art. 80, destinado modalidade a de tratar especialmente A dessa de ensino. carência

detalhamento, no entanto, fez necessária uma série de reformulações definindo normas e formatos para o exercício regular da EAD. A legislação evoluiu a medida que o uso da tecnologia e o alcance da EAD cresceu, o que forçou o governo a criar regras modernas e adequadas à nova realidade do ensino, bem como para a demanda por esse produto. Mas, apesar da LDB 9394/96 fazer menção aos critérios e normas para a produção do ensino a distância, ainda fica vago o cuidado com os

41

direitos autorais de quem se dedica a produzir os conteúdos para os cursos. Segundo Alexandre Sayad do portal "Aprendiz.com", a regulamentação da educação a distância, em todas as áreas, é uma questão ainda incipiente e que gera muita controvérsia no Brasil. A Lei de Diretrizes e Bases em seu artigo 80, apenas reconhece a modalidade de ensino, mas não a regulamenta. Na verdade, o desejo dos representes da modalidade de ensino junto ao MEC é que os diplomas de EAD tenham o mesmo peso que os de cursos presenciais. Contudo, mesmo diante de inúmeras questões a serem debatidas e regulamentadas é preciso considerar que a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional

(LDB/96) trouxe amparo legal à Educação a Distância e trouxe expressivas contribuições para essa modalidade. Na atualidade, a EAD no cenário brasileiro já está sendo bem aceita, e isso pode ser visto na quantidade de cursos à distância que são abertos todos os anos e pela 42

quantidade de pessoas que deles fazem uso. Aos poucos a EAD vai se tornando parte do cotidiano de pelo menos metade da população brasileira. Como diz Moran:
Estamos numa fase de consolidação da EAD no Brasil, principalmente no ensino superior com crescimento expressivo e sustentado. O Brasil aprende rápido e os modelos de sucesso são logo imitados. Passamos de importadores de modelos de EAD para desenvolvedores de novos projetos, de programas complexos implantados com rapidez (MORAN, 2011)

No Brasil, a EAD é muito importante, pois permite que populações diversas e distantes dos grandes centros tenham acesso à educação, assim contribuindo para sua inclusão e democratização do ensino. Desta forma, a EAD no Brasil se torna um desafio; da mesma forma, surge como uma solução diante do grande déficit que temos na educação, pois a situação no nosso país é crítica sobretudo na 43

população jovem, em que boa parte está fora da escola, bem como ainda analfabetos isto em relação ao ensino formal se pensarmos em educação profissional a lacuna é ainda maior.A criação em 1996 pelo MEC da SEED - Secretaria de Educação a distância que culminou ao longo de toda uma construção produtiva em prol da EAD demonstra o compromisso e a credibilidade do governo com esta forma de ensino. Os avanços na tecnologia também permitem que os passos da EAD se tornem cada dia mais firmes. Do ensino por correspondência até a criação do sistema Universidade aberta do Brasil em 2005 são fatos que conferem a EAD seu lugar na educação e prova que esta modalidade está viva e pulsante e se recriando a cada dia em função de atender as necessidades da sociedade. Sendo assim, a EAD e o Brasil são grandes parceiros. Os resultados dessa parceria reflete ao longo do tempo que começa com a introdução do ensino por correspondência em 1904 até os dias atuais o compromisso desta modalidade de 44

ensino em formar cidadãos e profissionais. Isso mostra que continuamos em constante desenvolvimento no quadro da EaD no Brasil e que essa perspectiva só aumentará de acordo com o aumento da economia e da tecnologia no nosso país. O desafio agora é como fomentar a EAD igualmente em todo o Brasil? Como não perder qualidade na produção dos cursos, na formação dos profissionais frutos desta modalidade? Como conseguir mão de obra, profissionais, educadores capazes de atender a demanda de criação, elaboração e produção de conteúdos inovadores e adequados as novas tecnologias e forma de aprender e ensinar? O desafio, além de outros, são educadores inteirados com os novos equipamentos, a linguagem Web, as novas formas de buscar e produzir conhecimento. Que vejam na educação tecnológica, independente e hipertextualizada uma aliada. E que, principalmente, vejam na EAD uma alternativa possível, concreta e importante para formação de uma população tão 45

diversificada de brasileiros que hoje estão à margem por razões que esta modalidade de ensino pode solucionar. O Professor no contexto educacional tecnológico da EAD A Educação a Distância é uma realidade que vem se configurando como uma alternativa viável e interessante, tanto para as instituições em termos de redução de custos e aumento da capilaridade, bem como para os alunos enquanto modalidade que em lhes razão possibilitam de não maior liberdade de de administração do tempo e diminuição de custos, haver da necessidade ainda seu prática locomoção. poucos Apesar EAD sofrer espaço, e mais

preconceitos em termos de credibilidade, aos vem conquistando numa opção progredindo de forma surpreendente. Vem se transformando acessível de alcançar objetivos educacionais. Para tanto, é necessário contar com pessoas qualificadas, com formação específica e 46

continuada a fim de desenvolver um trabalho promissor. O grande diferencial desta modalidade de ensino é, de fato, ser uma alternativa, não reprodutiva do modelo presencial tradicional para que não se repita os mesmos problemas e falhas, sabendo valer-se das ferramentas e tecnologias de comunicação e informação na prática educativa. O professor, por estar inserido no contexto educacional e por ter sua formação teórico/prática na socialização do conhecimento, precisa se apropriar dessa nova ferramenta pedagógica. Ele deve assumir as mesmas funções, assim como um profissional de educação presencial, mas deve estar capacitado para lidar com as novas tecnologias, acompanhar sua constante evolução, se adaptando à geração web e sabendo utilizar a gama de possibilidades que se abre através das diferentes ferramentas e ambientes virtuais de aprendizagem.

47

Estudos sobre EAD apontam a importância do papel do professor no sucesso da aprendizagem e na manutenção dos alunos no processo, para além das variadas ferramentas e plataformas de aprendizagem disponíveis. É fundamental que o professor que domine em um bem o conteúdo e as as ferramentas para que possa motivar os alunos, conheça profundidade para todas possibilidades estratégias para existentes elaborar eficaz,

aproveitamento

fomentando assim a interatividade e explorando o potencial oferecido pelas tecnologias digitais. A qualificação, o comprometimento e o

envolvimento são essenciais para desenvolver uma prática educativa de boa qualidade. De pouco vale o professor dominar as diferentes ferramentas tecnológicas se não conseguir envolver e instigar seus alunos nesse processo de ensino-aprendizagem. Nem mesmo a melhor ferramenta surtirá o efeito esperado se os alunos não se sentirem confortáveis e perceberem a sua importância. Se o professor não compreende as 48

mudanças

na

aquisição

do

conhecimento

provocadas pelas tecnologias, não conseguirá apropriar-se dos benefícios proporcionados. É preciso que o professor se situe de forma definida e organizada dentro desse contexto e também encontre maneiras de encaixar-se de forma a beneficiar-se com a Educação a Distância. Diante dessa nova forma de ensino, que a cada dia se faz mais presente em variados contextos, um enorme desafio se apresenta aos professores. Em meio a inúmeras tarefas e compromissos, é necessário conhecer e aprender a lidar com essa nova modalidade de ensino, encarando-a como uma aliada, como outra forma de ensino-aprendizagem, facilitadora, com inovadores recursos pedagógicos, os quais se bem utilizados, juntamente com profissionais bem preparados, podem promover uma educação a distância efetiva e de qualidade. Uma mudança de paradigma, muitas vezes, não é facilmente assimilada. A evolução tecnológica a 49

favor da EAD é uma realidade que o professor comprometido com o conhecimento deve aliar a sua prática, utilizando como uma nova e eficiente ferramenta de trabalho que veio para somar e não substituir. . Ferramentas de EAD No contexto da Educação a Distância são diversas as possibilidades que as ferramentas digitais proporcionam às vivências de ensino e aprendizagem em ambientes online, e reúnem, de modo geral, uma série de estratégias que visam facilitar experiências significativas nesses espaços educativos. Utilizando programas e aplicativos que ampliam os momentos de interação em síncronos e/ou assíncronos, ou seja, simultaneamente e/ou em tempos ambientes diferentes, online de essas ferramentas quando potencializam as atividades vivenciadas nos aprendizagem subvertem a lógica de espaço e tempo comuns ao 50

ensino

presencial da

ao

possibilitar

uma

reconfiguração

ordem

historicamente

estabelecida nas instituições de ensino formal. Na atualidade, há várias ferramentas que

integram as mais variadas funções como, por exemplo, troca de mensagens e comunicação (Elluminate, Messenger), (Wikipédia, Orkut, Twitter, de Windows textos criação Live e construção de coletivos variados

Wikispaces),

compartilhamento

materiais

(Authorstream, Scribd, VoiceThread, Xtranormal, Youtube), plataformas de ensino a distância (Amadeus, Ensinar, Moodle), ambientes alternativos de publicação (Blogger, Issuu). Essas inúmeras funcionalidades permitem que os diferentes estilos de aprendizagem dos alunos que optam pela educação a distância sejam contemplados, uma Skype, vez que esse coletivo possui formas particulares e diferenciadas de construir o conhecimento.

51

Porém, para que o potencial de mobilização cognitiva dessas ferramentas seja de fato aproveitado, é necessária a contextualização do seu uso, a adequação ao público alvo e a consequente integração da equipe multidisciplinar na organização das atividades a serem propostas, fundamentadas teoricamente e alinhadas com os objetivos do curso em questão. Talvez seja nessa direção que as ferramentas de EAD possam promover a grande revolução, provocando novas pessoas para criarem e ofertarem gratuitamente conteúdos educativos, profissionalizantes e lúdicos capazes de superar as barreiras culturais e promover uma democracia digital. De outro modo, é necessário que os conteúdos de EAD possam dispor de uma ambiente tecnológico rápido, seguro e com custo acessível a toda sociedade. O futuro da EAD no Brasil Nos últimos anos as tecnologias de comunicação e informação vão se impondo como instrumentos 52

presentes na vida de todas as pessoas, e a educação não poderia ficar excluída dos benefícios que vem acontecendo com o advento das novas tecnologias. O futuro da EAD no Brasil é bem promissor, embora exista alguma limitações a tendência é que essa modalidade de ensino se insira cada vez mais no contexto de ensino e aprendizagem brasileiro.É necessário ressaltar que para que essa inserção ocorra de modo satisfatório alguns fatores devem ser levados em consideração como: docentes bem qualificados,programas governamentais que visem popularizar o acesso a Internet, material didático bem planejado e incentivo ao desenvolvimento da autonomia do aluno. A presença da EAD no Brasil tende a ganhar mais espaço, pois essa modalidade de ensino de adéqua ao modo de vida corrido das pessoas e permite que elas organizem seus horários de acordo com as suas possibilidades. 53

Fica claro que existem grandes oportunidades para a EAD no Brasil, haja vista a dimensão continental de nosso território. A EAD guarda em si a característica na de contrair virtual fronteiras, entre o da resultando aproximação pelo bom

professor e aluno, onde ambos são plenamente responsáveis desenvolvimento relação. No entanto, a EAD, dada a sua estrutura, demanda muito mais responsabilidade por parte do primeiro. O ensino a distância no Brasil possui bons prognósticos. Esta modalidade vem crescendo gradualmente através da última década. Tal crescimento acompanhou a instituição de um marco legal – uma legislação que viesse a tratar de sua operacionalidade. Porém, esta legislação ainda possui pontos a serem ajustados. Apesar disso, vemos como um entrave

considerável ao futuro da EAD no Brasil o mesmo fator que impulsiona a EAD em nosso país: a dimensão territorial. Por quê? Porque esta 54

dimensão territorial está no cerne da questão sobre a desigualdade regional e econômica. Nosso país ainda é bastante desigual no que toca ao acesso às novas tecnologias, repercutindo no crescimento da EAD no Brasil. A situação acima destacada pode ser facilmente exemplificada através da exposição de alguns dados: O Nordeste é a segunda região do país em contingente populacional. O Sul e o CentroOeste, quando comparados ao Nordeste, ambos com contingentes populacionais menores, possuem uma quantidade de cursos muito maior que o Nordeste. O Sul conta com 413 cursos, enquanto o Centro-Oeste conta com 318. O Nordeste figura na lista com apenas 178, ultrapassando apenas a região Norte. Por sua vez, esta última região possui um contingente populacional maior que o da região Centro-Oeste. Devemos ter em mente que as duas regiões “nortistas”, com a Nordeste e Norte com são as que da 55 enfrentam maiores problemas com a pobreza e universalização, qualidade,

educação. Assim, consistem em duas regiões que demandariam mais a ferramenta de EAD – em especial a Região Norte com seu largo território. Dadas esfera as considerações Esta realizadas estimular acima, esta

entendemos que o futuro da EAD perpassa pela política. deve modalidade, visando, justamente, diminuir as desigualdades existentes entre as regiões em nosso país. Já está mais do que provado que educação correlaciona-se positivamente a um aumento de renda a – elevando e consumo, gerando assim, mais favorecendo economia endógeno.

desenvolvimento estabelecidos

Torna-se, regiões

imperativo a necessidade de que cursos sejam justamente nas carentes de nosso país: assim tomando o futuro da EAD associado ao Futuro do Brasil. A EAD no Brasil está cada vez mais contribuindo para difundir e democratizar o conhecimento que até então normalmente encontrava-se entre quatro paredes (também conhecido como salas de aulas), e que nem 56

sempre era acessível, não apenas por causa das mensalidades, mas por outros valores e fatores que encarecem, como: transporte, lanche, apostilas, distância, e principalmente o tempo. Este novo instrumento de ensino veio trazer oportunidades tanto para os alunos quanto para os professores, que se viram diante de uma modalidade nova, que não havia feito parte ate então de seu ensino. Muitos profissionais, principalmente da área de ensino de repente se viram desatualizados e tiveram que correr para se capacitar e assim acompanhar seus alunos e suas profissões. _____________ Referências ALMEIDA, Maria Elizabeth Biancocini de. Educação a distância na internet: abordagens e contribuições dos ambientes digitais de aprendizagem. In: Educação e Pesquisa, São Paulo, v.29, n.2, p.327-340, jul./dez. 2003.

57

Ferramentas para EAD. Disponível em <h t t p : / /www. s l i d e s h a r e . n e t / a n d r e a k a g i / 1 0 0 - f e r r ame n t a s - p a r a - e a d>. MORAN. José Manuel. Avaliação do Ensino Superior a Distância no Brasil. Disponível em: http://www.eca.usp.br/moran/avaliacao.htm. Acesso em 03 de junho de 2011. _______
Colaboraram neste texto os seguintes alunos da 5a. Turma Explorando o Universo da Educação a Distância: Ana Maria Timbó Duarte, Ana Paula Rufino dos Santos, Antônia Helena Cassiano de Souza, Caroline Bother do Amaral, Diana Diógenes Góis , Fernando Augusto Semente Lima, Gabriela Carvalho, Ivaneide Ferreira Farias, Jorge Edson da Costa Garcia, Karine Goettert Neto, Lídia Gonçalves Martins, Márcia Maria da Cunha, Márcio Alexandre da Cruz, Marjorie Paranhos da Rosa Schenfeed, Marta Elizabeth Sousa e Silva, Maximilian da Rocha Gomes, Patrícia Maria da Silva Caldas, Sônia Maria Silva, Sthenio José Ferraz Magalhães, Viviane Gonçalves de Araújo Jesus.

58

[TEXTO 5] DESAFIOS DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

Na perspectiva da autonomia do educando, a EAD oferece aos interessados em desenvolver seu potencial uma gama de oportunidades. O governo federal, desde a L.D.B 9.394/96, em seu artigo 80, onde estabeleceu as disposições iniciais para organizar o oferecimento da educação nesta modalidade, até os dias atuais, tem dirigido esforços para apoiar diversos cursos dentro do campo da EAD, além de procurar facilitar a Formação de Professores através de diversos canais e sistemas. Estudar através da EAD atualmente é quase uma obrigação para profissionais da educação, por sua facilidade de tempo e espaço. Porém, possuir ferramentas para o acesso a rede é uma dificuldade real para os professores do Brasil. O 59

salário dessa categoria, mesmo diante dos vários "reconhecimentos" de seu trabalho, ainda é um salário muito pequeno que muitas vezes inviabiliza a compra de um computador pessoal, bem como a manutenção de um provedor de Internet. Aliada a essa dificuldade também existe a falta de tempo para o conhecimento da própria máquina. O que parece simples para os que já adquiriam o hábito de estar "conectados" diariamente, muitas vezes é uma caixinha de surpresas incrível, que muitos temem até mesmo "retirar a fita" com medo de quebrar o presente. Portanto, um dos principais entraves para a EAD nesse sentido ainda é externo a própria área computacional: diz respeito ao apoio governamental aos profissionais da educação em seus vencimentos mensais. Nessa ótica, os professores ao adquirirem seus computadores pessoais e adquirirem o hábito de manusearem as ferramentas incríveis que há no meio cibernético e globalizado, logicamente iriam disseminar em suas aulas cada vez mais 60

recursos, mídias e assim, a EAD, bem como a educação como um todo, iriam contribuir para um salto de qualidade no aprendizado das pessoas semelhante à invenção da escrita, a descoberta da roda... etc. Por ser a EAD uma Modalidade de Ensino diferenciada, é necessário desenvolver propostas quanto ao conteúdo, métodos, avaliação e materiais coerentes com a especificidade do curso. Por desenvolver atividades on-line os recursos da WEB são as ferramentas utilizadas colaborando para a expansão de possibilidades de uso, enquanto modalidade educacional. Em relação às ferramentas da EAD, a utilização destas é muito bom por tornar esta modalidade em uma educação diferenciada, transparente e renovadora, embora que haja controvérsias nas formações, nada disso deve desestimular aqueles que querem vivenciar sua aprendizagem a partir desta modalidade.

61

O Brasil e a EAD
A educação brasileira há muito mudou com o advento da internet. Muitos já se beneficiavam com a EAD antes dessa nova era, mas com ela tudo ficou mais acessível. Entendamos que acessível não é o mesmo que ser fácil. A realidade do poder aquisitivo de muitos e a falta de tempo ainda são um dos entraves para a completa realização de cursos via EAD. Pelo ponto de vista aquisitivo, vemos que muitas pessoas ainda não têm total acesso à realidade virtual - o que pode "esfriar" a continuidade de um curso, já que esse impedimento não é de total responsabilidade do estudante. Pelo aspecto tempo, temos visto a necessidade do "é pra ontem", ou seja, a informação caminha a passos largos - diríamos até à moda do deus grego Hermes. O fato é que o Brasil está buscando, a cada dia, proporcionar uma formação mais sólida no que tange à especialização em um campo ou em 62

uma profissão. Ouvimos muito que a falta de emprego é absurda. Porém, o que muitas pessoas desconhecem, a oferta está maior do que a procura. O que falta é mão de obra especializada, estatisticamente. propiciando cada já A vez está EAD no mais a comprovado Brasil está ascensão

profissional, e isso é feito de forma democrática, visto que a maioria dos cursos é promovida pelos governos federal, estadual e municipal. A EAD, por ser um processo de ensinoaprendizagem mediado por tecnologias, em que professores e alunos interagem separados espacial ou temporalmente, faz com que o aluno busque manifestar mais interesse pelos estudos, embora tenha dificuldades, mas, a força de vontade aliada à determinação, vão fazer com que persigamos os nossos objetivos. O importante é fazer acontecer, e devemos sempre está em busca de novos horizontes da vida.

63

O professor e a EAD
Os professores que atuam na EAD desempenham diferentes papéis que são imprescindíveis para o sucesso na aprendizagem do aluno. A construção do processo de ensino-aprendizagem na EAD baseia-se na interação entre professores e alunos. O papel do professor na EAD é tão importante quanto em qualquer outro curso presencial, apesar de sua forma de atuar ser diferenciada, porque atua como mediador, interventor, facilitador da busca e construção de conhecimentos, mas não deixa de ser importante, porque se não houver a intervenção do professor, o sentido de construção de aprendizagem tornase ineficaz e sem muitos significados para as reais necessidades do aluno de EAD, e este aluno necessita sim de orientação para chegar a um determinado fim. Nesse sentido, a sala de aula virtual não difere tanto da sala de aula presencial, como afirma Simonson (2000) na medida em que o professor 64

faz uso da literatura já existente para ministrar suas aulas. A midiatização feita pelos recursos cada vez mais modernos da informática assusta, mas a educação a distância apenas requer mais disciplina, previstas, atitudes mais bem Em delimitadas, ambas as organizadas.

modalidades de ensino, a atuação de um educador experiente, conhecedor da matéria, é imprescindível. Dessa forma, a problemática envolvida nesta questão é a falta de critérios bem definidos que possibilitem maior autoconfiança ao professor, para que ele desempenhe sua função virtualmente, lida tão bem. A boa atuação do educador enquanto professor a distância está atrelada a um treinamento adequado, que tenha como base, sobretudo, questões de ordem interacional e psicopedagógica, e não meramente técnica, como vem acontecendo. A formulação de orientações, bem como o treinamento de pessoal especializado que 65 porém, calcado em princípios básicos do ensino presencial com os quais ele

subsidie o docente em sua atuação como professor a distância, enfatizando questões de ordem psicológica e focalizando dar a relação Tais ao professor-aluno, orientações fazem-se necessárias. origem

poderão

desenvolvimento de um material pedagógico, como base de um curso – presencial e/ou on-line - incluindo aulas expositivas e fornecimento de material impresso, com o qual o professor poderá contar para que ele adquira conhecimento o bastante para se sentir seguro e desempenhar de forma satisfatória seu papel como professor de Educação a Distância. É inegável que a tecnologia caminha a passos bem mais largos do que nossos costumes, nossa vida em sociedade. São dois pontos extremos, são duas naturezas estranhas entre si, que, se devidamente combinadas, podem formar uma bela parceria, tornando nosso dia-a-dia mais agradável, mais prático, mais enriquecedor, mas, é preciso cautela para que não percamos de vista nosso eu. A tecnologia é apenas mediadora, ela é

66

um meio, não um fim, a essência está em nós, cabe à educação o papel de fazer esse link. O professor para ser o responsável por um determinado conteúdo não precisa ser um especialista em tecnologia para operacionalizar uma proposta dentro da modalidade EAD. Ele apenas precisa ser um bom usuário e conhecedor de algumas ferramentas tecnológicas para ser capaz de propor formas de interação do seu conteúdo por outras mídias. Um professor que esteja restrito ao entendimento de que a aula só acontece em uma sala tradicional, não conseguirá transpor os conteúdos de sua disciplina para a metodologia a distância com eficácia. Estamos falando aqui em algo mais do que apenas o domínio tecnológico, é necessário uma mudança de atitude tecnologias. Observamos Distância podem que variar as de definições acordo dos a diferentes papéis do professor na Educação a com Instituição que desenvolve o projeto de curso. Para analisar a interação dos diferentes papéis do 67 frente às novas

professor nos cursos de graduação a distância, vamos utilizar as categorias propostas pela Secretaria de Educação a Distância (SEED) do Ministério da Educação, que são adotadas pela maioria das universidades públicas que trabalham com EAD. O tutor é o professor que está mais próximo do aluno e atua diretamente no pólo onde ficam os cursos, orientando-o na execução de suas atividades, auxiliando-o na organização do seu tempo e dos seus estudos. Geralmente ele apresenta uma formação generalista vinculada à área do curso e não a uma determinada disciplina. Uma das atribuições do tutor é tirar as dúvidas dos alunos em relação aos conteúdos apresentados, mas precisamos considerar que dependendo da disciplina ou do conteúdo, esta tarefa poderá não ser desempenhada com sucesso. O tutor é a figura mais próxima dos alunos e o relacionamento entre estes dois grupos é sempre estruturado em um grau de afetividade bastante considerável. Para acompanhar as mudanças na educação dos últimos anos, como o uso das TIC 68

(Tecnologias de Informação e Comunicação) e a educação a distância (EAD), a formação permanente dos docentes é essencial para que se mantenham atualizados e cumpram sua função de educadores. Para isso, as necessidades envolvidas nessa nova era da educação os professores devem ter um treinamento de capacitação para o desenvolvimento de boas estratégias e materiais didáticos para EAD, abordando as TIC como um dos recursos a serem utilizados para tal fim. Portanto, deve garantir o uso das TIC no currículo, o treinamento vai além de ensinar diferentes softwares ou teorias de aprendizagem; ele propõe estratégias e permite aos professores desenvolver habilidades que lhes dêem autonomia e capacidade para colaborar, sugerir, facilitar e construir projetos educacionais. Assim segue os pontos importantes para um bom professor de EAD. Para isso, ele deve saber os seguintes requisitos: • As estratégias andragógicas de aprendizagem. • O aluno autônomo no processo de ensino. 69

• A motivação para a pesquisa. • As formas de lidar com situações de aprendizagem no ambiente virtual. • O que é mediação e como ser um bom mediador de aprendizagem. • Como promover a interação entre os alunos em cursos de EAD. • Os Ambientes Virtuais de Aprendizagens (AVAs).

O Futuro da EAD
A educação a distância vem crescendo muito em nosso País. É uma modalidade diferente em muitos aspectos do chamado ensino tradicional, por isso é mais adequada para a educação de adultos, principalmente para aqueles que já têm experiência consolidada de aprendizagem individual e de pesquisa, como acontece no ensino de graduação e também pós-graduação. Percebe-se que, o futuro da EAD é visto com otimismo por muitos educadores. Essa 70

modalidade de ensino está crescendo a cada ano, de 2004 a 2007 cresceu 54,8%. Segundo Luciano Sathler, pró-reitor da EAD da Metodista. “A educação a distância não é uma opção, é o futuro. Quem estiver fora da EAD nos próximos anos está fora da educação”. “Há uma mudança no perfil do aluno, no mercado e na maneira como a sociedade enxerga de que forma o conhecimento é disseminado. A EAD é a resposta para esses três níveis de mudança de paradigma”, justifica. Desta maneira, acreditamos ser a Educação a Distância o modelo para boa parte da educação do futuro. Vale, no entanto refletirmos sobre a necessidade dos profissionais da Educação estarem preparados para atuar neste novo modelo de ensinoaprendizagem, que exige dos profissionais da Educação e alunos uma nova postura. Acreditamos que o futuro da EAD terá mais pontos positivos e animadores, do que negativos e incertos. Com a cumplicidade de cidadãos que buscam conhecimento, a aceitação da sociedade e o apoio do governo, os cursos de EAD tendem a 71

criar um espaço de oportunidades e inclusão social. Os cursos a distância não são a salvação de um povo que está distante de uma educação de qualidade, mas ela estreita caminhos e favorece minimizar as desigualdades. A EAD abre fronteiras, no entanto há uma questão que infelizmente permeia esse tipo de aprendizado, ou seja, boa parte dos alunos não possui capacidade de utilizar a tecnologia disponível para acessar o curso e realizar as tarefas. Percebemos que esse problema esta gradativamente sendo sanado, pois em parte das escolas públicas já existem laboratórios de informática, onde o aluno tem contato com o computador, através de atividades pedagógicas, pesquisas, digitação de textos, etc. Todos os investimentos que buscam qualidade são considerados benéficos. A EAD é uma forma, por exemplo, de incluir jovens na faixa etária de 18 a 24 anos no ensino superior. No entanto, o que preocupa é a queda na cobertura da educação a distância, ou seja, se o modelo

72

definido não conseguir chegar as pequenas cidades. Sabemos que existem barreiras e os desafios se apresentam quando estamos introduzindo algo inovador, mas na educação à distância se tutor e alunos têm compromisso com a qualidade o sucesso fica mais acessível. O futuro da EAD pode ser mais promissor do que suponhamos. O momento é bem propício para a EAD em todo o Brasil. Porém, como pudemos perceber no panorama do uso educacional da EAD, o Nordeste ainda precisa investir bastante nestes cursos, em comparação as demais regiões. Mesmo assim, há perspectivas positivas para a modalidade que irá contribuir para a expansão do ensino brasileiro. Segundo o diretor da UAB, Celso Costa, o futuro da EAD depende das ações do governo, das instituições e da sociedade, sendo traçado em função do desenvolvimento da educação. O futuro da EAD será bem aceito e amplo para todos os usuários do Brasil e do mundo 73

inteiro, pois, aqui está a grande chance de crescer na vida. Portanto, isso acaba se tornando um curso muito aceito por todos, embora as dificuldades sejam muitas. Existe também um preconceito com a Educação do Brasil, com aulas a distância, isso gera uma grande possibilidade da não inclusão social e de uma boa capacitação para os cidadãos no mercado de trabalho. ___________________
Texto produzido durante a realização da 6ª turma do Curso Explorando o Universo da Educação a Distância em julho de 2011 pelos seguintes alunos: Vicentina Candido; Cloves Araujo; Nilba Paiva; Lilian Moreira Pará; Idalina Pontes; Adriana Mota; Josiane Oliveira; Julio Pontes Veras; Magna Roberta Alves de Macedo; Bergson Rodrigo S de Melo; Soneide Torres.

74

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful