Você está na página 1de 16

BUSCA

DA
EXCELÊNCIA
BUSCA DA
EXCELÊNCIA

“...procurai com zelo os melhores dons; e


eu vos mostrarei um caminho mais excelente.”
I Coríntios 12:31
“Para que aproveis as coisas excelentes,
para que sejais sinceros, e sem escândalo
algum até ao dia de Cristo;”
Filipenses 1:10
“Portanto pela fé foi dada a lei de Moisés.
Pela dádiva de seu Filho, porém,
Deus preparou um caminho mais excelente;
e foi pela fé que isso se cumpriu.
Éter 12:11

Título do Original em inglês:


“Pursuit of Excellence”
Traduzido para o Português em 1976

Primeira Edição 1976


© Intellectual Reserve, Inc.
Segunda Edição 1978
BUSCA DA
EXCELÊNCIA

A Busca da Excelência é um desa- ser honesto em todo relacionamento;


fio de mérito, destinado a auxiliar o desenvolver novas habilidades; am-
participante a desenvolver uma vida pliar nossa mente; ler as palavras ins-
cristã de amor e serviço. Atingir este piradas de homens tocados pelo Es-
objetivo requer um esforço sério e di- pírito de Deus; buscar os pensamen-
ligente em todos os aspectos da vida: tos e feitos bons e enaltecedores da
espiritual, intelectual, social e físico. humanidade; e compreender a im-
O desafio Busca da Excelência visa portância do corpo físico e da ne-
fortalecer, nos membros da igreja que cessidade de lhe oferecer os devidos
desejarem participar dele, o apego cuidados.
aos princípios do evangelho. Toda “E se vossos olhos estiverem fitos
pessoa que se empenhar na Busca da em minha glória, todo o vosso corpo
Excelência deverá pautar sua vida tão se encherá de luz e em vós não
cuidadosamente, segundo o exemplo haverá trevas; e o corpo que é cheio
sagrado e permanente do Salvador de luz compreende todas as coisas”
Jesus Cristo, que os princípios sagra- (D&C 88:67).
dos do evangelho sejam incorpora- Para aqueles que se engajam na
dos em sua vida para a eternidade. realização de objetivos eternos, a vi-
“Qualquer princípio de inteligên- da se torna mais abundante. O plano
cia que alcançarmos nesta vida, sur- descrito nas páginas seguintes poderá
girá conosco na ressurreição. E se ser cumprido por qualquer pessoa
nesta vida uma pessoa, por sua que tenha o desejo sincero de melho-
diligência e obediência, adquirir mais rar a si próprio, para assim poder
conhecimento e inteligência do que servir aos demais com maior eficiên-
outra, ela terá tanto mais vantagem cia. Esta é uma oportunidade exce-
no mundo futuro” (D&C 130:18,19). lente para se descobrir a força e o
Nada mais revigorante do que tra- poder do evangelho de Jesus Cristo.
balhar arduamente para a realização Leia cuidadosamente as páginas
de um propósito nobre e de valor. Al- seguintes. Seja honesto e introspecti-
gumas das metas da Busca da Exce- vo ao escolher suas metas.
lência são: ganhar e fortalecer uma Uma vez escolhidas as suas metas,
convicção pessoal sobre a realidade comprometa-se a seguir um plano
de Deus, o Pai, de Seu Filho, Jesus cuidadosamente desenvolvido a fim
Cristo, e do Espírito Santo; viver com de atingir tais metas. Seja diligente ao
compreensão, solidariedade e integri- seguir o plano. Preste contas regular-
dade junto aos nossos semelhantes; mente sobre seu progresso ao seu Pai

1
BUSCA DA
EXCELÊNCIA
(CONTINUAÇÃO)

Celestial. Possivelmente você achará mento corajoso pelo direito; toda re-
útil também discutir seus objetivos, núncia do eu em favor de algo su-
planos e progresso com um amigo perior ao eu; toda abnegada devoção
compreensivo e de confiança. a um princípio; toda forma de ajuda
Não tome sobre si, de uma só vez, à humanidade; todo ato de autocon-
mais do que poderá razoavelmente trole; toda verdadeira coragem de
cumprir. Suas metas deverão ser de- alma, não derrotada pela pretensão e
safiadoras mas realistas. O sábio Rei pela astúcia, mas por ser, fazer, e
Benjamim aconselhou o seguinte: viver o bem por amor ao próprio
“E vede que todas estas coisas se- bem — isto é espiritualidade…
jam feitas com sabedoria e ordem; Espiritualidade, nossa verdadeira
porque não se exige que o homem meta, é a consciência da vitória sobre
corra mais rapidamente do que suas si mesmo, e da comunhão com o in-
forças o permitam. E, novamente, é finito. A espiritualidade impele o ser
necessário que ele seja diligente, para humano a conquistar as dificuldades
que assim possa ganhar o galardão; e a adquirir cada vez mais força. Sen-
portanto todas as coisas devem ser tir as faculdades desabrochando e a
feitas em ordem” (Mosias 4:27). verdade expandindo na alma é uma
Assim, através do princípio “linha das experiências mais sublimes da vi-
sobre linha, preceito sobre preceito; da” (Man May Know for Himself.
um pouco aqui, um pouco ali”, será Compilado por Clare Middlemiss —
alcançado crescimento rumo à exce- Salt Lake City: Deseret Book Co.,
lência (D&C 128:21). 1967, p. 72).
Crescimento e satisfação pessoais Os desafios que seguem são um
e maior poder para servir aos outros começo; em seguida deverão vir co-
são as recompensas decorrentes do mo um programa para toda a vida, no
cumprimento dos desafios da Busca qual constantemente se procura esta-
da Excelência. Presidente David O. belecer e atingir objetivos de valor.
McKay ensinou que:
“Todo impulso nobre, toda ex-
pressão de amor altruísta, todo sofri-

2
PLANEJAR PARA
OBTER SUCESSO

Abaixo se encontra um exemplo de um quadro simples para registro de um


objetivo e de um plano para alcançá-lo. Escrever o objetivo e o plano é um
importante elemento de sucesso.

O Que Fazer Como Fazer

Ler o Livro de Mórmon até (data), 1) Comprar um exemplar barato


marcando e registrando as passagens do Livro de Mórmon, lápis de cor, e
de significado especial para mim. um caderno até
(data).
2) Desenvolver (ou escolher) um
sistema para marcar e registrar as es-
crituras principais.
3) Ler e marcar o Livro de Mór-
mon das 6:45 às 7:15 da manhã de 2ª
a 6ª feira, a partir de
(data).
4) Rever as escrituras marcadas e
registrar as idéias e impressões aos
domingos, das 14 às 15 horas.
5) Avaliar o progresso em relação
à realização do objetivo todo
primeiro domingo de cada mês.
6) Registrar o objetivo, o progres-
so e a complementação em um diário
pessoal.

3
DESAFIOS
ESPIRITUAIS

Todo participante é exortado a munho nas ocasiões apropriadas.


aceitar os três primeiros desafios enu-
2) Engajar-se em um programa sis-
merados a seguir. Caberá a cada in-
temático de estudo sério das escri-
divíduo escolher os demais desafios
turas.
espirituais.
“Portanto, em verdade vos digo 3) Ler Enos 1–5. Tomando Enos
que todas as coisas são espirituais…” como exemplo, aumentar o poder da
(D&C 29:34) oração em sua própria vida. Procurar
achegar-se mais ao Pai Celestial atra-
1) Fortalecer testemunho próprio
vés de uma comunicação diária e sin-
do evangelho através do jejum, ora-
cera.
ção e estudo. Compartilhar o teste-

À escolha do participante:
4)

5)

6)

4
EXEMPLOS
DE DESAFIOS
ESPIRITUAIS

1) Elaborar e cumprir um progra- 7) Cumprir honrosamente uma


ma de um ano de extensiva leitura de missão de Estaca.
materiais da Igreja. (Livros ou escri-
8) Freqüentar o templo pelo me-
tos de autoria dos presidentes da
nos uma vez por mês.
Igreja e outras Autoridades Gerais, ou
estudos similares importantes do 9) Colaborar na conversão de uma
evangelho poderão também ser con- pessoa à Igreja, ou na reativação de
siderados.) um membro
2) Organizar um arquivo pessoal 10) Fazer um curso de história da
de ensinamentos e idéias, incluindo família, patrocinado ou aprovado pe-
citações, provérbios, relatos escritu- la Igreja. Completar pelo menos qua-
rísticos, e experiências inspiradoras, a tro gerações num gráfico de linhagem
fim de enriquecer discursos e aulas. da própria família. Redigir uma histó-
Aceitar toda e qualquer oportunidade ria da família contando incidentes,
para utilizar este material em discur- antecedentes, e experiências inspira-
sos ou aulas, fazendo os devidos doras, baseando-se em pesquisas e
reconhecimentos e referências às entrevistas.
fontes.
3) Manter um diário pessoal.
Anotar experiências ou acontecimen-
tos espirituais memoráveis, metas pa-
ra o futuro, setores de progresso pes-
soal e pensamentos e sentimentos
pessoais.
4) Fazer o Curso Básico de Aper-
feiçoamento Didático, aceitando em
seguida um chamado para dar aulas
ativamente na Igreja.
5) Formar-se no Instituto de Reli-
gião da Igreja.
6) Cumprir honrosamente uma
missão de tempo integral para A Igre-
ja de Jesus Cristo dos Santos dos Últi-
mos Dias.

5
DESAFIOS
INTELECTUAIS

Todo participante é exortado a poderá refletir interesses em diversos


aceitar os dois primeiros desafios campos ou acentuar um tema parti-
abaixo. Caberá a cada indivíduo de- cular.
cidir sobre os demais desafios inte-
2) Desenvolver um novo interesse
lectuais.
em qualquer campo da criatividade
“... buscai diligentemente e ensi-
(como poesia, ficção, composição
nai-vos uns aos outros palavras de
musical, pintura, dança, artesanato,
sabedoria; sim, nos melhores livros
fotografia, teatro) ou em um passa-
buscai palavras de sabedoria; pro-
tempo (tal como coleção de selos,
curai conhecimento, sim, pelo estudo
moedas, sementes, folhas, insetos, tra-
e também pela fé” (D&C 88:118).
balho em madeira, astronomia, etc.).
1) Planejar e cumprir um progra-
Dê ênfase ao envolvimento e par-
ma de leitura de obras selecionadas e
ticipação num campo que lhe seja
inspiradoras. A escolha dos livros
novo.

À escolha do participante:
3)

4)

5)

6
EXEMPLOS DE
DESAFIOS
INTELECTUAIS

1) Ampliar um talento que já pos- 6) Ampliar seus conhecimentos em


sua, como redação, música, pintura, uma área acadêmica específica, como
dança. Buscar a excelência a ponto história, ciências, literatura, política
de poder apresentar-se, expor ou ou filosofia. Onde for possível, par-
mostrar seu talento publicamente. (As ticipar de aulas ou de uma série de
competições, exibições, programas e palestras a respeito da área escolhida.
publicações da Estaca ou da Região Este desafio é sugerido para aqueles
são caminhos que se abrem à criativi- que não estejam fazendo curso su-
dade.) perior.
2) Ampliar sua apreciação cultu- 7) Aprender a falar e escrever em
ral, cumprindo um programa de estu- outra língua (pelo menos o básico).
do (de um ano) de alguma forma de
8) Sob a direção do sacerdócio,
arte disponível em sua área, como
pesquisar, escrever e publicar (se
ópera, concertos sinfônicos, teatros,
possível) a história de uma ala ou
museus, balés e danças folclóricas.
estaca, incluindo texto e ilustrações.
3) Ampliar sua apreciação cultu-
9) Formar-se em um curso reco-
ral, freqüentando regularmente os
nhecido de nível superior.
eventos culturais de sua localidade.
4) Participar regularmente de um
grupo de crítica literária. As obras po-
dem pertencer a qualquer categoria
literária, inclusive biografias, teatro,
ficção e poesia.
5) Participar com os familiares ou
outro grupo de um estudo estrutura-
do sobre outros países. Preparar e
apresentar material sobre diferentes
regiões e culturas.

7
DESAFIOS
FÍSICOS

Todo participante é exortado a 1) Estabelecer um programa de


aceitar os dois primeiros desafios condicionamento físico, adequado às
enumerados a seguir. Caberá a cada suas necessidades, que o ajude a con-
indivíduo decidir sobre os demais seguir melhores condições de saúde.
desafios físicos. Fazer regularmente os exercícios de
“Cessai de ser ociosos; cessai de aptidão física.
ser impuros; ...cessai de dormir mais
2) Avaliar sua fidelidade ao espí-
que o necessário; recolhei-vos cedo,
rito total da Palavra de Sabedoria.
para que não vos canseis; levantai-
Estabelecer uma meta de melhora-
vos cedo, para que vosso corpo e
mento particularmente em termos de
vossa mente sejam revigorados”
hábitos alimentares e de repouso.
(D&C 88:124).

À escolha do participante:
3)

4)

5)

8
EXEMPLOS
DE DESAFIOS
FÍSICOS

1) Atingir o peso apropriado. 6) Participar individualmente ou


em grupo de uma atividade física que
2) Adquirir maior habilidade em
lhe seja nova, como ciclismo, mon-
determinado esporte ou atividade re-
tanhismo, campismo, excursões a pé,
creativa, tal como natação, mergulho,
remo, ou outra atividade física seme-
tênis, basquete, boliche, patinação,
lhante apropriada à sua cultura.
futebol, ou outras próprias de sua
cultura. 7) Participar de grupos organiza-
dos para atividades recreativas, acen-
3) Adquirir maior aptidão numa
tuando o aumento da aptidão física
atividade ocupacional ou artesanal,
através do interesse e empenho gru-
como marcenaria, antigüidades, tricô,
pal.
datilografia, etc.
Observação:
4) Melhorar significativamente sua
aparência pessoal por meio de saúde 1) Quando se tem em vista mu-
e vigor físico, atitude otimista, encan- danças drásticas nos esforços físicos,
to pessoal e gentileza, boa apresen- recomenda-se consultar o médico.
tação e recato no vestir. (Considere
2) Pessoas portadoras de deficiên-
postura, voz e disposição.)
cias físicas poderão qualificar-se es-
5) Participar regularmente de um colhendo outras metas dentro de sua
programa de atletismo ou esporte capacidade física.
recreativo da ala ou estaca.

9
DESAFIOS DE
SERVIÇO

Todo participante é exortado a estabelecer metas específicas em cada uma


das áreas de oportunidade de serviço enumeradas a seguir. O serviço presta-
do deverá ser significativo e sistemático.
“Quando estais a serviço de vosso próximo, estais somente a serviço de
vosso Deus.” (Mosias 2:17)
1) Prestar um serviço especial à própria família. Se não estiver morando em
casa, esse serviço poderá ser prestado aos colegas de quarto ou membros do
grupo de noite familiar.

2) Prestar serviços sistemáticos à Igreja, além daqueles pertencentes ao(s)


seu(s) chamados).

3) Prestar serviço significativo a indivíduos ou grupos fora de seu círculo


familiar imediato.

10
EXEMPLOS DE
DESAFIOS DE
SERVIÇO

Os serviços escolhidos deverão ser ou mental. Sob a direção do sacer-


prestados por um determinado perío- dócio, talvez através da Sociedade de
do de tempo e de uma maneira reser- Socorro, visitá-las, ler para elas, ou
vada e sigilosa, sem procurar aplau- ajudá-las de outra forma apropriada.
sos, e sem pensar em recompensa ou 7) Depois de consultar os respec-
reciprocidade. tivos pais e líderes, auxiliar uma
1) Ensinar uma arte ou uma habi- criança que necessite de ainda nos
lidade a alguém que não tenha recur- trabalhos escolares, atividades físicas
sos para pagar tal treinamento ou que ou enriquecimento cultural.
provavelmente não desenvolveria tais 8) Dar de seu tempo e talentos
dons sem sua ajuda. físicos a um projeto de valor, servin-
2) Mostrar uma amizade especial do como treinador num programa
por uma ou mais crianças órfãs de atlético, diretor de acampamento de
pai ou mãe, levando-as a programas jovens, diretor de instituição despor-
ou atividades proveitosas, como tiva de bairro, líder de escotismo, ou
acontecimentos culturais ou espor- assistente voluntário de professor.
tivos, acampamentos ou excursões. 9) Sob a direção do sacerdócio,
3) Auxiliar os idosos, divorciados, visitar encarcerados. Levar-lhes espe-
os que vivem sós, ou outros que pos- ranças e incentivo por meio de parti-
sam necessitar de ajuda com os afa- cipação em projetos e atividades ins-
zeres domésticos, consertos, ou tra- piradores.
balhos de jardim ou horta. 10) Participar de um projeto de
4) Integrar novos membros da grupo para fornecer livros e publica-
Igreja ou novos membros da ala. ções recentes da Igreja para prisões,
Orientá-los na maneira de viver dos hospitais, casas de repouso e biblio-
santos dos últimos dias, ou auxiliá-los tecas.
a se entrosarem em sua nova ala. 11) Contribuir para a manutenção
5) Escrever regularmente cartas de financeira de um missionário de tem-
incentivo e encorajamento a algum po integral, através do bispo ou pre-
missionário, a alguém no serviço mi- sidente do ramo.
litar, amigo, ou membro ausente da 12) Ir além do que for especifica-
ala, que não seja parente imediato. mente solicitado e ajudar o bispo ou
Continuar escrevendo mesmo no organizações da ala na limpeza, pre-
caso do destinatário não ter tempo paração ou decoração de uma ativi-
para responder. dade.
6) Auxiliar pessoas cujas ativida- 13) Muitas outras atividades de ser-
des sejam limitadas, como os inter- viço poderão ser selecionadas. Use a
nados em asilos ou hospitais, ou que imaginação.
tenham alguma incapacidade física

11
DESAFIOS DE
CARÁTER

Todo participante desejará avaliar do a 13ª Regra de Fé.


seu padrão pessoal de honestidade e “Cremos em ser honestos, verda-
integridade. Os membros de A Igreja deiros, castos, benevolentes; virtuo-
de Jesus Cristo dos Santos dos Últi- sos e em fazer o bem a todos os
mos Dias reconhecem a importância homens: na realidade, podemos dizer
de colocarem sua vida em harmonia que seguimos a admoestação de
com os princípios de virtude e reti- Paulo — Cremos em todas as coisas e
dão ensinados pelo Salvador. O de- confiamos em todas as coisas, temos
senvolvimento de um caráter nobre e suportado muitas coisas e confiamos
elevado deverá ter primazia na busca na capacidade de tudo suportar. Se
da excelência eterna, e sua ausência houver qualquer coisa virtuosa,
na vida dos membros da Igreja tor- amável ou louvável, nós a procu-
naria sem significado qualquer outra raremos.”
realização. O participante deverá escolher
O participante deverá, através da áreas nas quais ele sente necessitar
oração, examinar sua vida e suas re- de crescimento.
lações com seus semelhantes segun-

Áreas nas quais estou me esforçando para melhorar:


1)

2)

3)

12
EXEMPLOS DE
DESAFIOS
DE CARÁTER

Os desafios escolhidos pelo parti- 7) Tomar e honrar a resolução de


cipante são pessoais e subjetivos. De- levar uma vida moralmente limpa.
vem ser cumpridos por um período
8) Dar o devido crédito ao traba-
de tempo ininterrupto, incorporando-
lho alheio em discursos, conversas ou
se em seu caráter por toda a vida.
em trabalhos escritos.
1) Ler Mateus 5:38–42. Empenhar-
9) Tomar e honrar a resolução de
se em aplicar o princípio das “duas
não trapacear de forma alguma.
milhas” em todo seu relacionamento
com os semelhantes, fazendo mais do 10) Decidir nunca apossar-se de
que se espera de você. nada que pertença a outra pessoa,
companhia ou organização, por ínfi-
2) Praticar ou fazer aos outros co-
ma que seja, sem permissão expressa
mo deseja que lhe façam, no autên-
do proprietário.
tico espírito da “Regra de Ouro” do
Mestre. (Ver Mateus 7:12.) 11) Não invejar o próximo ou pro-
curar tomar o que lhe pertence por
3) Tomar cuidado ao fazer pro-
meios impróprios.
messas e assumir compromissos.
Quando prometer algo justo, tomá-lo 12) Cultivar amizades e compa-
como sua sagrada palavra de honra e nhias que procurem sinceramente
agir de acordo. manter ideais elevados,
4) Ler Provérbios 16:18–22. Pro- 13) Aprender a gostar do trabalho
curar eliminar o falso orgulho de seu duro, honrado e dedicar-se a ele.
caráter. Evitar fazer ou dizer qualquer
14) Ser honesto em todos os seus
coisa que dê a impressão de que
negócios e relacionamentos, seja pro-
você é arrogante ou desdenhoso.
fissionalmente, na Igreja ou em casa.
5) Procurar ser verdadeiro em tudo
15) Cultivar a paciência, a tolerân-
o que disser. Evitar mexericos ou
cia, e o amor pelos familiares, cole-
mentiras, por menores que sejam.
gas de quarto e outras companhias.
Considerar cuidadosamente suas pa-
lavras, evitando assim ferir ou ofen- 16) Considerar sagrado tudo o que
der o próximo. lhe for confidenciado.
6) Aceitar designações de boa von- 17) Ser corajoso o suficiente para
tade e cumpri-las da melhor forma reconhecer erros, desculpar-se quan-
possível. do necessário, reparar o mal no caso
de ter cometido ofensa.

13