Você está na página 1de 1

MOÇÃO

Os professores da Escola Secundária de Vergílio Ferreira, em Lisboa, reunidos no dia 29 de


Outubro de 2008, consideram em linhas gerais que o actual modelo de avaliação do
desempenho, aprovado pelo Decreto-Regulamentar 2/2008:
- não avalia o que é fundamental na actividade do professor,
- não contribui para uma alteração positiva das práticas dos professores,
- perturba fortemente o funcionamento das escolas nos seus aspectos essenciais,
- e é inaplicável de forma transparente, objectiva e justa.
Mais especificamente, consideram que:
1. Este modelo de avaliação do desempenho não está orientado para a qualificação do
serviço docente, nem para a melhoria da qualidade da Educação enquanto serviço público;
2. O início da aplicação do actual modelo de avaliação do desempenho está paradoxalmente
a prejudicar o desempenho dos professores devido à carga burocrática e às inúmeras reuniões
que exige;
3. A aplicação do modelo revela-se morosa e é dificultada pela falta de informação cabal e
inequívoca às perguntas que vão, naturalmente, surgindo;
4. Este modelo reveste-se de enorme complexidade, é objecto de leituras difusas e distantes
que nem o próprio Ministério da Educação consegue explicar devidamente;
5. O grau de subjectividade de muitos dos itens constantes das fichas impedem que a
avaliação do desempenho seja feita com objectividade;
6. O modelo de avaliação impõe uma avaliação entre pares, potencialmente parcial e criadora
de um mau ambiente na escola. A maioria dos avaliadores não tem formação para tal e alguns
possuem mesmo formação académica, científica e pedagógica inferior à dos professores que
vão avaliar.
7. A inadequação deste modelo de avaliação é visível também nas formas extremamente
díspares como está prevista a sua operacionalização nas escolas, com variadíssimas
interpretações de regras e procedimentos.

Assim sendo, os professores da Escola Secundária de Vergílio Ferreira, em Lisboa propõem:


1. Ao Ministério da Educação, a suspensão do actual modelo de avaliação e a criação de um
novo modelo que tenha em conta os objectivos fundamentais da Escola.
2. Aos órgãos de gestão desta escola, a suspensão do calendário do processo de avaliação,
aguardando por uma maior estabilização da situação.

A suspensão do processo de avaliação permite:


- recentrar a atenção dos professores na sua missão fundamental, ensinar, trabalhando
prioritariamente com os alunos,
- negociar um outro modelo de avaliação do desempenho do pessoal docente para
posterior aplicação.

Moção aprovada em assembleia de professores e assinada até


agora por 107 dos 119 professores da Esc. Sec. Vergílio Ferreira

Entretanto, no dia 3 de Novembro, Comissão de Avaliação de Docentes da escola


decidiu por unanimidade suspender todo o processo de avaliação até ao dia 28 de
Novembro, data em que serão tomadas novas decisões.