JAILTON FERNANDES CAETANO Trabalho de Conclusão de Curso Curso de Legislação Trabalhista

A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA NO BRASIL, UMA LUTA DA CLASSE TRABALHADORA

1. Introdução.

O presente trabalho dissertativo trata-se de um breve estudo em legislação trabalhista do Brasil. A dissertação é dividida em três partes, a primeira parte trata das ideologias que influenciaram a legislação trabalhista e a segunda parte trata da justiça trabalhista e a terceira parte da legislação trabalhista propriamente dita.

2. Ideologias que influenciaram a legislação trabalhista

A Legislação trabalhista foi construída em meio a ideologias que disputaram entre si o poder político do Estado. Locke, o precursor do liberalismo democrático, desenvolveu ideias que fundamentaram os direitos humanos, entretanto defendia a escravidão pelo contrato de servidão. É notório que o liberalismo de Locke sofreu adaptações, pois, enquanto em sua época, defendiam a liberdade de ter escravos sem a intervenção estatal, hoje, o liberalismo defende a liberdade de contrato de trabalho sem a intervenção do estado no regramento trabalhista.

No Brasil o maior nome foi Prestes. Com a revolução industrial. homens. a regulamentação das relações trabalhistas. critica ao capitalismo e lança o Capital. houve um forte impulso de relações de trabalho. O Totalitarismo capitalista surge como forma para impedir o avanço de oposicionistas e para isto tomou medidas capazes de amenizar a exploração do trabalho. na medida que o povo faz o pacto com o soberano. após ter sido eleito em 1934 pela Assembleia Constituinte. milhares de camponeses. e deu início a uma intensa perseguição aos comunistas e também a opositores políticos. criaram partidos políticos e formaram grupos armados. o que lhes custou uma série de direitos fundamentais . um conjunto de livros. o marco do pensamento socialista marxista. mulheres e crianças foram para a cidade. considerado por Marx a fase final da sociedade humana. colocou o mundo capitalista em alerta. .A intervenção estatal nas relações de trabalho. onde realiza um estudo sobre o salário e o valor do trabalho e o relaciona ao modo de produção do capitalismo. que dirá as normas. Marx . como a saúde. simpatizantes do comunismo fizeram parte de sindicatos. movimentos estudantis. O governo Vargas tomou medidas favoráveis ao trabalhador criou a justiça do trabalho em 1939 e pelo Decreto-Lei nº 5. surgem através de um corpo legislativo. mobiliza a classe operaria e reprime os sindicatos. após três anos de governo. A exploração do trabalho humano dentro do sistema capitalista foi o grande desafio dos camaradas. a integridade física e a vida. pensador do século XIX.452. A sua preocupação com os problemas econômicos contribuíram para colocar um freio ao capitalismo. Getulio Vargas. advogado e político. vindo a surgir mais tarde o comunismo na Rússia. O Estado intervém nas relações trabalhistas. dá o Golpe de Estado. o grande motor do capitalismo. A expansão da ideologia comunista. o contrato social. No Brasil. a CLT – Consolidação das Leis do Trabalho. de 1 de maio de 1943.

deposição de Washington Luís. intervindo na questão social. os trabalhadores se organizaram e se associavam em torno de um sindicato de sua categoria. Dada as condições humilhantes e desumanas de trabalho. passava por momentos críticos. A justiça do trabalho é uma entre outras na justiça brasileira que tem por objetivo manter a ordem social através da preservação dos direitos. Vargas inicia o projeto de construção da justiça do trabalho. A Justiça Trabalhista O termo Justiça é uma aspiração. bem como a Justiça Trabalhista. segurança do trabalho. para buscar seus direitos e para que este funcionasse como intermediário no mercado de trabalho. Criou o Sindicato Único. No Brasil. regulamentação do trabalho da mulher e do menor. Com a Revolução Industrial. conduzindo a política de modernização em torno do Ministério do Trabalho. se pode afirmar que seu início se dá no Governo Vargas.Se há um marco de estudo de legislação trabalhista no Brasil. Apesar de toda a crise política durante a era oligárquica. O poder político por sua vez. reformulou as caixas de . O trabalho humano no início foi escravo e servil. A justiça trabalhista está nitidamente relacionada as transformações sociais e políticas. houve reivindicações de aumento salarial. ocorreram greves. assassinato de João Pessoa. 3. a mão de obra escrava e servil foi substituída pela mão de obra operária remunerada. a república oligárquica iniciou um processo de industrialização e consequentemente fortaleceu o movimento operário e sindicatos que haviam surgidos no final no Império. a industrialização manteve o seu rumo e no governo de Vargas surge o direito do trabalho. de jornada de trabalho de 8 horas. assistência médica. Junta militar no poder e o surgimento da era Vargas. que passou a ser uma nova realidade social e como consequência.

a jornada de trabalho de oito horas para os bancários. No próximo capítulo será abordado a legislação trabalhista sob o enfoque de um conjunto de leis protetivas do trabalhador. os Conselhos Regionais do Trabalho e o Conselho Nacional do Trabalho. entretanto o legislador poderia avançar mais. de 09 de dezembro de 1999. Na justiça trabalhista o julgador se depara com questões previdenciárias e trabalhistas. A justiça trabalhista compõe-se do TST – Tribunal Superior do Trabalho. mas nossos tribunais são legalistas. A extinção da representação classista e criação de varas de trabalho. sendo regulamentada em 1940 (Decreto 6. e foi instituída as Varas do Trabalho. foi extinta a representação classista na Justiça do Trabalho. A Justiça do Trabalho já estava prevista nas Constituições de 1934 (artigo 122) e de 1937 (artigo 139). dispondo no texto constitucional a competência para julgar o acidente de trabalho e questões previdenciárias. As juntas de conciliação tinham composição paritária (representação classista) com a participação dos trabalhadores e representante dos empregadores. com Emenda Constitucional nº 24. implementou profunda mudança na Justiça do Trabalho. Algumas mudanças são inevitáveis.aposentadorias e pensões. de 30 de dezembro de 2004.237). Juntas de Conciliação e Julgamento e a criação da Carteira de Trabalho. A Emenda Constitucional nº 45. cuja administração se dava em três instâncias: as Juntas de Conciliação e Julgamento. conduzidos pelo juiz do trabalho. Muitos esperam que o julgador tome decisões fora lei para realizar a justiça. só o fazem de acordo a legislação. todos em 1932. ao que parece. Comissões Mistas de Conciliação. não faz sentido que sejam tratadas por tribunais diferentes. ampliando a sua competência. os TRTs – Tribunal Regional do Trabalho e as Varas do Trabalho. regulamentou o trabalho feminino. mas só foi criada em 1939 (Decreto 1. Nos municípios onde não há vara do trabalho. após a Constituição de 1988. eliminou a influencia de sindicatos em decisões na Justiça Trabalhista.596) e instalada em 1941. . sendo que. pode ser ajuizado na justiça comum.

o proletariado. A luta da classe trabalhadora. foi aprovada pelo Decreto lei 5452 de 09 de Agosto de 1943. tudo vai depender no da ideologia do expectador. de sindicatos e partidários de partidos de ideologia socialista e comunista. propõe o Reino de Deus em resposta ao Reino do Mundo. para Marx e Friedrich Engels. na maior parte das vezes. Entretanto a queda de braço entre trabalhadores e empregadores é anterior a CLT. quando o profeta Moisés enfrenta o Estado Egípcio para libertar os camponeses escravos. A CLT é na verdade uma reunião de legislação trabalhista. um mundo opressivo e explorador. um dos textos mais importantes da Legislação Trabalhista. impõem uma modernização para que se ajuste a nova realidade econômica. hoje são menos trabalhadores. aparece na Bíblia no modo de produção tribal. com grande aprovação da população brasileira. mas para manter a popularidade. sob o ponto de vista de um liberal foi um governo intervencionista. Vargas trouxe para si a simpatia da grande massa trabalhadora. Há muito tempo críticos se levantam contra a CLT. para Platão. somente a União. Apesar da CLT ter surgido como uma resposta às reivindicações do movimento operário. A Legislação Trabalhista A CLT. e os oprimidos. pois sob o ponto de vista comunista ou socialista. A discussão da era Vargas no contexto trabalhista pode ser visto sob vários pontos de vista. foi uma governo repressivo. . a luta de classes é o confronto entre a burguesia. o profeta Jesus. mas quem são estes críticos? Na década de 40 a mão de obra humana em uma fábrica era abundante. reprimiu sindicatos e perseguiu líderes do movimento operário.4. Os Estados e municípios não tem competência para legislar sobre a direito do trabalho. os conflitos entre civis devem-se. por sua vez. mas para muitos foi o governo que “olhou” para o trabalhador. às diferenças entre ricos e pobres. apagou focos de manifestação operária. conforme determinação constitucional. logo menos salários a serem pagos. pensadores discutem a luta de classes.

pois muitos dispositivos foram revogados pelo texto constitucional. O Empregado na CLT é toda pessoa física que presta serviço não eventual. anarquista e comunista. a carta cidadã ampliou direitos e deixou em aberto para outros surjam. do empregado rural. A CLT. pois há trabalhadores em todas as classes. A CLT não é aplicada a toda relação trabalhista. apesar do art. uma prática milenar onde o homem era escravizado por certa classe para se manter no poder. o elo mais fraco da relação trabalhista. Outros textos da legislação trabalhista são a lei do empregado doméstico. a diarista. sindical. O empregado doméstico possui tem relação de trabalho com o seu empregador. tudo depende do projeto político de que cada nação. entretanto é visível ao longo dos séculos que um grupo de homens foi dominado por outro. etc. do FGTS. cabendo ao Estado intervir nesta relação e impedir a sua exploração. do Repouso Remunerado. constar que as normas nela prevista regulam as relações individuais e coletivas de trabalho. deve ser lida com a Constituição Federal de 1988. presta serviço eventual. CONCLUSÃO A legislação trabalhista no Brasil não é a mesma em outras partes do mundo. emprego e renda. A lei surge para por um limite e a CLT é um dos instrumentos de proteção.A luta de classes do parágrafo anterior deve ser analisada com cautela. também não lhe é aplicada a CLT. mas não lhe é aplicado a CLT. logo. . O Brasil construiu uma legislação trabalhista após forte pressão do movimento operário. Os texto legais são determinantes na proteção do trabalhador e o cumprimento é uma constante que busca através da Justiça Laboral e políticas públicas de trabalho. O trabalhador é visto como a parte hipossuficiente. socialista. 1º. mediante salário.

.O governo brasileiro entendeu que não restava outra saída. restabelecendo a ordem de forma pontual. reunindo a legislação trabalhistas existente e a ampliando. o ditadura de Vargas. criando a Justiça Trabalhista. emprego e renda. Vargas foi o governante que deu o primeiro passo. Criciúma SC. evitando que Brasil entrasse em uma recessão sem volta. ouvindo todos os setores da sociedade. Entretanto. poderíamos ter uma legislação trabalhista vindo de um governo democrático. Porém. corrigindo injustiças e garantindo ao trabalhador um mínimo de direitos diante de uma sociedade com tantas desigualdades. em vez de agregar. com um sistema de proteção do trabalhador avançado. A legislação trabalhista não agradou os empregadores. separou movimentos importantes para a formação da legislação trabalhista. 02 de Janeiro de 2012. mas também foi a salvação para o caos na década de 30 e 40. como ocorreu com a Constituição Federativa do Brasil de 1988. a legislação trabalhista foi implantada sem o diálogo com os oposicionistas. senão repremir todos os movimentos oposicionistas e restabelecer a confiança implantando políticas públicas de trabalho. temos uma das melhores legislações trabalhistas do mundo. Infelizmente.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful