PROJETO

“CONTRUINDO REDES PROTETIVAS NO COMBATE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA”

DADOS DA ENTIDADE PROPONENTE Departamento Municipal de Saúde CNPJ: Rua Fone/Fax (CEP 86790-000 E-mail: Diretora Municipal de Saúde E-mail: Vigilância Epidemiológica Nome E-mail Coordenadora da Atenção Básica Nome E-mail Coordenadora de Saúde Mental Nome: Lucimara Siolari de Mico E-mail: psicodemico@yahoo.com.br 1 – INTRODUÇÃO Como uma das estratégias de produção de saúde, ou seja, como um modo de pensar e de operar articulado às demais políticas e tecnologias

o que interessa considerar aqui é a Violência Doméstica através do exercício da maldade. Entretanto muitos profissionais desta área se apresentam desconhecedores e inseguros para abordarem e trabalharem uma problemática tão complexa. incluindo os filhos. a Promoção da Saúde contribui na construção de ações que possibilitam responder às necessidades sociais em saúde. Normalmente essas situações dizem respeito ao alcoolismo. e incidindo sobre as condições de vida dos sujeitos e coletividades. garantindo a notificação da Violência Domestica pelos profissionais de saúde e responsabilizando-se pelas possíveis implicações legais e éticas a . além de aproximar. tortura e crueldade. mas. na rede de serviços em saúde. A violência domestica é capaz de prejudicar o bom desenvolvimento emocional de seus membros. no território onde vivem e trabalham. a fim de que o sofrimento e adoecimento das vítimas de violência sejam encaminhados de forma resolutiva. chantagens emocionais. em uma relação de confiança. Essa perspectiva exige que a atenção à saúde tenha um caráter multiprofissional e interdisciplinar. Portanto falar sobre Violência domestica é um tema que vem sendo a cada dia mais abordado como uma questão de saúde. netos. 2006). o que envolve trabalhar interdisciplinar e intersetorialmente questões que envolvem as diversas dimensões da qualidade de vida (Brasil. Durante a formação técnico/acadêmica destes profissionais raramente são incluídos temas específicos sobre Violência Doméstica. tendo como foco aumentar a participação dos indivíduos e populações na compreensão e modificação dos determinantes do processo saúde-doença. espera-se que essa prática promova a humanização do atendimento às necessidades das vitimas de Violência Domestica. cônjuge. toda sorte de excessos capazes de perturbar o bom andamento das coisas familiares e dos membros que a compõem. histerias de várias formas. alcançando o espaço para além dos muros das unidades de saúde e do sistema de saúde. desta forma evidenciase que este tema demanda ampla atenção por parte da saúde e dos profissionais de saúde. Essas formas de intervenção devem envolver ações e serviços que operem sobre os efeitos do adoecer. drogadicção. sobrinhos e até o cachorro da casa. vitimas de violências que reproduzem aprendizagens inadequadas.desenvolvidas no sistema de saúde. enfim. de fato. a equipe de saúde aos usuários vitimados. Assim desenvolvida.

O município não possui muitas frentes de trabalho. o que de fato predispõe esses usuários a incorrerem na Violência Domestica. para o autocuidado e segurança pessoal e de medidas para a identificação de sinais e sintomas de violências. Região Sul do Brasil. sendo que. prevalecendo à cana-de-açúcar e a agropecuária. .que estão sujeitos. crianças e adolescentes através de oficinas educativas. a praticarem as habilidades e comportamentos preventivos e proativos. viabilizando o resgate e o desenvolvimento de uma cultura de saúde integral. 01 Psicólogo. 01 Médico. tendo sua arrecadação principal oriunda de recursos Federais e Estaduais. O Município de Lobato executa o Programa Saúde da Família com uma Equipe de saúde da Família. Possui uma população estimada de 4. o que acarreta inúmeras dificuldades na área biopsicosocial. 20% da população se encontram em situação de pobreza. situa-se cerca de 470 km da Capital Curitiba e 60 km de Maringá. 01 Psicólogo Coordenador de Saúde Mental. no Estado do Paraná. encaminhamento e acompanhamento desses casos. 01 Auxiliar de Enfermagem. o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0. e não violência embasada nos direitos constitucionais. para terem condições de encaminhar as vitimas ao serviço de saúde onde o profissional capacitado irá realizar a notificação. em especial o uso de substancias psicoativas. 01 Fisioterapeuta. Possibilitando através destas ações a consolidação de Redes Protetivas no combate a Violência Domestica. predominando a população de bóias-frias. a qual é composta por 01 Coordenador. no espaço comunitário e escolar.300 habitantes. paz. 01 Nutricionista e 01 Assistente Social. O objetivo do projeto é instrumentalizar teoricamente o profissional de saúde sobre o Tema Violência Domestica e através de tecnologia leve oportunizar as mulheres. 08 Agentes Comunitárias de Saúde. 01 Enfermeira. 2 – JUSTIFICATIVA O município de Lobato está localizado na região Noroeste.795.

APMIF – Associação de Proteção a Maternidade. Santo Inácio. garantia de direitos e cidadania. levando ao desenvolvimento de Transtornos mentais graves com internamentos psiquiátricos recorrentes e um alto índice de tentativas de Suicídio. Educação. A implantação deste projeto irá fortalecer e complementar as ações da ESF destinadas a comunidade local. Observamos em nossa região que grande parte da população vitima de Violência Domestica se encontra a margem da sociedade. O aumento da Violência Doméstica no mundo justifica a criação de novas políticas públicas que possam adequar os recursos sociais a essa demanda. Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescente e Conselho Municipal dos Direitos do Idoso – CMDI. Colorado. Estes municípios fazem divisas territoriais uns com os outros. Centro de Convivência do Idoso. e principalmente ao público vitimado pela Violência Domestica. Estes são acompanhados pelo Serviço de Saúde Mental e Serviço Social do Departamento de Saúde. por temerem represálias e principalmente por não acreditarem na perspectiva de um novo modelo de vida. Departamentos Municipais de Saúde. Portanto. composta pelos municípios de Lobato. os quais em sua grande maioria se recusam a formalizarem a notificação. Assistência Social/CRAS. Vale ressaltar que o Serviço de Saúde Mental iniciou em Outubro de 2010 um mapeamento e cadastramento de Usuários de Psicotrópico. Santa Inês e Nossa Senhora das Graças. Conselho Tutelar. Infância e Família. muitas vezes segregados em suas residências por serem incompreendidos e/ou por não perceberem que possuem competências a serem compartilhadas. gerando conflitos e agravos psicossociais. através da utilização de tecnologia leve. Itaguajé. com a finalidade de contribuir para melhoria da qualidade de vida. no tocante a capacitação dos profissionais de saúde e das equipes técnicas o projeto pretende abranger uma microrregião do Noroeste do Paraná. Este projeto vem como uma proposta de atenção comprometida de fato com o desenvolvimento de novas formas de cuidado. estimando uma . Conselho Municipal de Saúde – CMS. Substancias Psicoativas e Vitimas de Violência Domestica e Sexual.O projeto terá a parceria dos técnicos da Prefeitura do Município de Lobato. Paranacity.

com supervisão permanente. montar um sistema de vigilância a estes casos. buscando discutir e disponibilizar as experiências e dados levantados. apoio e amparo legal para os profissionais que atendem pessoas em situação de violência.Contribuir para a ampliação dos conhecimentos e das habilidades dos profissionais dos serviços de saúde. favorecendo o processo de construção de redes protetivas no combate a Violência Domestica.população total de aproximadamente 52. segurança e justiça para a prestação e serviços adequados e de qualidade as mulheres em situação e violência sexual. .Fortalecer as ações em rede para promoção e proteção dos direitos sexuais e reprodutivos de adolescentes no município. .Sensibilizar e capacitar os gestores e trabalhadores de saúde em Violência Domestica e Sexual. . assistência social. incorporando-o ao sistema de vigilância a saúde existente na Unidade.Criar um espaço onde a mulher possa compartilhar suas duvidas. . OBJETIVOS ESPECIFICOS . . cuidado e informação. expectativas e incertezas. crianças e adolescentes em situação de violência na cidade de Lobato e microrregião.487 (Cinqüenta e dois mil quatrocentos e oitenta e sete habitantes).Ampliar os registros de violência domestica e sexual. 3 – OBJETIVO GERAL Promover formação e educação permanente na prevenção.Levantar e documentar a estrutura e os recursos disponíveis para as mulheres. anseios e temores. educação. possa contar com apoio respeitoso a ela como ser humano digno de direitos e deveres. .

justiça. visando compreender. para divulgação e subsidio de planejamento e intervenção em saúde. crianças e adolescentes nos serviços de saúde publica. Justiça. Delegacias. e apresentação em relatórios. formando redes de proteção. Assistência Social.Articular e promover ações com outros setores (Segurança. VI – Aquisição de equipamentos pelo Departamento Municipal de Saúde. após levantamento de necessidades se houver.Realizar investigação cientifica. III – Analise dos dados relativos aos atendimentos realizados nos serviços. definida quanto a conteúdo e periodicidade. V – Articulação e integração das diversas fontes de dados em parceria com a segurança. subsidiar e monitorar o planejamento e a execução das ações de enfrentamento da violência domestica e sexual contra mulheres. . II – Criação da rede primarias de vigilância as violências. IV – Implantação/implementação do Sistema de Informações de Violências – curto prazo. . Direitos Humanos. analisar. Direitos Humanos e outros). articulada com as políticas de prevenção e atenção integral as vitimas.. . Assistência Social. Conselhos Tutelares.Fortalecer o protagonismo juvenil RESULTADOS ESPERADOS I – Capacitação das equipes para a identificação dos casos de violência a seu adequado encaminhamento. Educação. entre outros.

5º e 6º. foram elencadas nos seus arts. IX – Monitoramento dos fatores de risco de violências. VIII – Manutenção e aperfeiçoamento das atividades de monitoramento da morbimortalidade por violências. III – Apoiar programas e projetos pré-escolares e escolares visando melhorar o desenvolvimento das crianças em situação de risco e vulnerabilidade as violências e acidentes. VI – Comunicação social e na mídia.VII – Implantação das fichas de notificação de acidentes e de notificação de violência domestica sexual e outras violências. I – Criação e/ou qualificação de programas e projetos de articulação da rede de atenção integral e proteção as pessoas em situação de violência e suas famílias. . conhecimento da prevalência de fatores de risco em escolares. IV – Intervenção de apoio e suporte as famílias em risco e vulnerabilidades. notificação e cuidado em relação as violências. de 9 de setembro de 2011. ESTRATEGIAS As categorias preconizadas na Portaria nº. atitudes humanizadas e para identificação. II – Capacitação de gestores e profissionais de saúde para o desenvolvimento de habilidades técnicas. articuladas e integradas com a atenção primarias e com assistência social. adotaremos como estratégia de ação norteadoras no desenvolvimento do projeto ações de promoção da saúde e proteção as pessoas em situação de violências e suas famílias. V – Intervenções em ambientes e entornos escolares. 227.

utilizando-se de recursos da Pedagogia Problematizadora. Conselhos Municipais de Saúde dos sete municípios que integram nossa Microrregião. para terem condições de encaminharas crianças. Secretários Municipais de Educação. os quais serão reprodutores do processo de compreensão. Palestras. Oficinas e Dinâmicas Grupais. Cursos. prevenção e apoio as vitimas de violências e acidentes. prevenção e combate a Violência Domestica. prevenção e combate a Violência Domestica. Caso algum município de nossa microrregião não tenha interesse em . O município de Lobato. oportunizando a pratica de habilidades e comportamentos preventivos e proativos. Educação.VII – Monitoramento e avaliação de programas e projetos de vigilância. Nossa proposta de ação visa à qualificação de Profissionais das Políticas Municipais de Saúde. Iniciaremos o projeto realizando uma reunião central com representantes da Área Técnica Sobre Violência Domestica da 15ª Regional de Saúde de Maringá. os quais serão repassados aos alunos da rede escolar através de oficinas educativas. Assistência Social e Controle Social. Secretários Municipais de Saúde. para o autocuidado e segurança pessoal e de medidas para a identificação de sinais e sintomas de violências. possibilitando a construção de competências na compreensão. adolescente e mulheres ao serviço de saúde a fim de que seja realizada a notificação por profissional competente e de forma a ampliar essas informações a população em geral. Esta terá a finalidade de formalizarmos a adesão dos mesmos ao projeto a ser desenvolvido e firmarmos a responsabilidade de cada município no sentido de disponibilizar meios para que seus participantes possam alcançar o objetivo proposto. através do Departamento Municipal de Saúde tem seus serviços organizados da seguinte forma: 4 – METODOLOGIA As ações serão desenvolvidas através de Reuniões. Secretários Municipais de Assistência Social. Concomitante a este processo será elaborado e desenvolvido um projeto em conjunto com as Secretarias municipais de Educação.

Durante a execução do projeto serão desenvolvidas varias palestras com profissionais especialistas na área da Violência Domestica: Advocacia.participar do projeto sua vaga será ofertada para outro município próximo a Lobato. Assistente Social.000 RURAL 1. No mês de Fevereiro.000 TOTAL_ 3.2010 ____________________________________________ POPULAÇÃO Total URBANA 2. com carga horária de 60 (sessenta) horas divididas em 06 (seis) encontros presenciais e 06 (seis) encontros não presenciais para a elaboração de atividades pertinentes ao curso. Para a aplicabilidade e efetivação das ações de combate a Violência Domestica disponibilizaremos aos profissionais envolvidos um Curso de Elaboração. Psicologia e Sociologia. INFORMAÇÕES POPULACIONAIS Anexar Tabela com informações populacionais de acordo com o ultimo senso Exemplo: POPULAÇÃO CENSITARIA SEGUNDO A ZONA .000___ FONTE: IBGE – Censo Demográfico – Resultados da Amostra QUADRO 1 – População residente por faixa etária e sexo do Município de Lobato. Avaliação e Monitoramento de Projetos e Oficinas Temáticas. através de uma abordagem Sistêmica. Dezembro e Janeiro. Execução. 12 12 Total 24 . Faixa Etária <1 Número de Pessoas Masc. onde serão disponibilizadas 06 (seis) vagas para cada município que compõe a microrregião de Lobato-Pr. 2011. a titulo de esclarecimento e embasamento teórico para os profissionais envolvidos na consolidação da rede protetiva de combate a Violência Domestica. Fem. Enfermagem. Março e Abril será desenvolvida uma capacitação em Violência Domestica para implementar a aplicação das Oficinas Educativas. o qual será desenvolvido nos meses de Novembro.

2011.Defesa e responsabilização (atualizar a legislação. crianças e adolescentes em situação de violência).>60 Total FONTE SIAB MUNICIPAL OU OUTRA RECOMENDADA PELO PROJETO QUADRO 2 – Diagnostico Epidemiológico de Doenças e Agravos do Município de Lobato.Mobilização e articulação (fortalecer as articulações microrregionais e locais de combate e pela eliminação da violência domestica: comprometer a sociedade civil). capacitar profissionais e implementar serviços). .Atendimento (efetuar e garantir o atendimento especializado e em rede as mulheres. 2010-2011. Anexar o Pacto AÇÕES E METAS . . combater a impunidade.Analise da situação (conhecer o fenômeno da violência domestica contra mulheres. crianças e adolescentes o diagnostico da situação do enfrentamento da problemática. disponibilizar serviços de notificações. . o monitoramento e a avaliação do plano e a divulgação de todos os dados e informações a sociedade civil). Número de casos notificados por Agravo Fonte SINAN QUADRO 3 – Pacto pela Saúde do Município de Lobato. . as condições e a garantia de financiamento do plano.

Protagonismo Juvenil (promover a participação ativa de crianças e de adolescentes na defesa de seus direitos e comprometê-los com o monitoramento da execução da Rede Protetiva de Combate a Violência Domestica).Serviço de Assistência Social – Assistente Sociais . monitoramento e avaliação do projeto: .Equipe Saúde da Família – ESF – Medico. não expondo o vitimado. SIM.ATORES ENVOLVIDOS Os atores envolvidos no planejamento. crianças e adolescentes sejam educados para o fortalecimento de sua autodefesa). Utilizaremos como forma de monitoramento e avaliação o aumento do numero de agravos notificados de violência domestica e sexual.Vigilância em Saúde – Enfermeira. Auxiliar de Enfermagem e Agentes Comunitários de Saúde. Técnicos em Enfermagem. . .. . . dentro de um fluxograma estabelecido no departamento de saúde para melhor qualidade do serviço prestado. Enfermeira. execução. – MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO O Projeto “CONSTRUINDO REDES PROTETIVAS” NO COMBATE A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA será avaliado continuamente pela Coordenação Geral do Projeto. crianças e adolescentes de violências. SIAB. Boletins da Policia Civil e Conselho Tutelar. Coletas de dados dos seguintes sistemas de informações municipais: SIH. Acompanhamento e monitoramento dos registros da rede de proteção municipal criada os registros de atendimentos da Atenção Primaria.Prevenção (assegurar ações preventivas contra a violência. . Acompanhamento do atendimento prestado a vitima: mulheres. possibilitando que mulheres.Serviço de Saúde Mental – Psicólogos. SINAN e SAI. Médicos.

Serviço Administrativo – Assistente Administrativo 5 – PLANO DE APLICAÇÃO DISCRIMINAÇÃO PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS QDADE CUSTO CUSTO TOTAL R$ Pessoa Jurídica (palestras. 6 – CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO Atividades Reunião de apresentação do Projeto e Termo de Adesão e Compromisso com os Secretários da Microrregião Reunião com Equipe Técnica da Microrregião responsável pelo Combate a Violência Domestica para definição dos temas das Palestras e organização da capacitação NOV X DEZ JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT X X X X . curso e capacitação) Material de Consumo Gêneros Alimentícios (almoços e lanches) Material Pedagógico Material Gráfico (certificado e folder). bem como outras despesas que se fizerem necessárias. infra-estrutura e disponibilização da Equipe Técnica Local para organização e realização do evento.. TOTAL CONTRAPARTIDA DO MUNICÍPIO: - - Despesas com transporte e hospedagens aos palestrantes.

Capacitação em Violência Domestica Palestra Oficina Educativa e Avaliação da Oficina – nível local Oficina Educativa e Avaliação da Oficina – nível local Palestra Oficina Educativa e Avaliação da Oficina – nível local Confecção de cronograma para continuidade das ações da Rede Protetiva Avaliação Geral do Projeto c/ Equipe Técnica dos Municípios que compõem a Microrregião de Lobato Palestra Final X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X X Lobato. Avaliação e Monitoramento de Projetos. Execução. 20 de outubro de 2011.Curso Elaboração de Projetos Palestra Capacitação em Violência Domestica Oficina Educativa e Avaliação da Oficina – nível local Avaliação do Curso de Elaboração. REFERÊNCIAS .

br/.psiqweb. Internet. Ortolani IV . disponível em http://www.med.Ballone GJ.A Família e Transtornos Emocionais. in. PsiqWeb. revisto em 2005 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful